Está en la página 1de 73

1

INDICE Exu Gargalhada


Exu Gira Mundo
PUNTOS DE QUIMBANDA Exu Lalu
Puntos de Defumación Exu Lonan
Puntos de Apertura Exu Malé
Puntos de Chamada Exu Mangueira
Puntos de Identidad Exu Marabô
Puntos de Exu Angola Exu Marabô Toquinho
Puntos Cruzados de Exu Exu Mare
Puntos de Descarga Exu Mareiro
Puntos dos Presentes Exu Mirim
Exu Molambô
PUNTOS DE EXU Exu Morçego
Exu 7 Capas Exu Omulu
Exu 7 Catatumbas Exu Pagão
Exu 7 Chaves Exu Pantera Negra
Exu 7 Covas Exu Pedra Preta
Exu 7 Cruzes Exu Pemba
Exu 7 Encruzilhadas Exú Pimenta
Exu 7 Encruzilhadas das Almas Exu Pinga Fogo
Exu 7 Encruzilhadas Odara Exu Poeira
Exu 7 Encruzas Exu Porteira
Rei Exu Quebra Galho
Maioral Exu Quirombô
Lucifer Exu Tira Teima
Exu 7 Montanhas Exu Tiriri
Exu 7 Pedras Exu Tiriri da Calunga
Exu 7 Poeiras Exu Tiriri Lonan
Exu 7 Portas Exu Toco Preto
Exu 7 Porteiras Exu Toquinho
Exu 7 Sombras Exu Tranca Gira
Exu 7 Trovões Exu Tranca Rua
Exu 7 Venenos Exu Tranca Rua das Almas
Exu 7 Ventanias Exu Tranca Tudo
Exu Arranca Toco Exu Destranca Rua
Exu Baianá Exu Treme Terra
Exu Brasa Exu Tronqueira
Exu Cainana Exu Veludo
Exu Calunga Exu Ventania
Exu Calunguinha Exu Vira Mundo
Exu Camina Lua Exu Zé Pelintra
Exu Campina
Exu Cangaruçu Puntos de Povo da Rua
Exu Capa Preta Puntos de Povo das Almas
Exu Carangola Puntos de Povo dos Matos
Exu Caveira Puntos de Povo da Praia
Exu João Caveira
Exu Caverinha
Exu Tata Caveira
Exu Chico
Exu Corta-Corta
Exu Curador
Exú da Meia-Noite
Exu das Matas
Exu do Fogo
Exu do Lodo
Exu dos Rios
Exu dos Ventos
Exu Ganga
2
PUNTOS DE POMBA GIRA
PG 7 Encruzilhadas PUNTOS DE DESPEDIDA
PG das 7 Encruzilhadas Puntos de Despedida de Exu
PG Rainha Puntos de Despedida de Povo das Almas
PG 7 Encruzilhadas das Almas Puntos de Despedida de Pomba Gira
PG das Almas Puntos de Despedida de Povo Cigano
PG Rainha das Almas
PG 7 Gargalhadas
PG 7 Maridos
PG 7 Saias
PG Coqueira
PG da Calunga
PG da Estrada
PG da Praia
PG das Rosas
PG das Rosas da Calunga
PG do Cruzeiro
PG do Cruzeiro das Almas
PG dos Matos
PG dos Ventos
PG Girinha da Praia
PG Maria Molambê
PG Maria Molambo
PG Maria Molambo da Figueira
PG Maria Molambo das Almas
PG Maria Padilha
PG Maria Padilha das Almas
PG Maria Padilha dos 7 Cruzeiros
PG Maria Padilha dos 7 Cruzeiros da
Calunga
PG Maria Padilha Menina
PG Maria Quitera
PG Menina
PG Menina da Praia
PG Rosa Caveira
PG Rosa Negra
PG Rosa Vermelha

PUNTOS DE POVO CIGANO


PUNTOS DE CIGANOS
Cigano 7 Cruzeiros do Oriente
Cigano das Almas
Cigano Leru
PUNTOS DE CIGANAS
Cigana 7 Saias
Cigana Celoí
Cigana Menina ou Ciganinha
Cigana da Praia
Cigana da Sorte
Cigana das Almas
Cigana das Rosas
Cigana do Jaro
Cigana do Oriente
Cigana Esmeralda
Cigana Salomé
3

PUNTOS DE QUIMBANDA Puntos de Chamada

Puntos de Defumación Agora eu vou


vou mandar chamar meu povo
Nossa Aruanda vai defumando agora eu vou
Salve a Quimbanda, Exu vai chegando vou mandar chamar meu povo
eu vou mandar chamar meu povo
Puntos de Apertura lá das sete encruzilhadas
eu vou mandar chamar meu povo
Eu vi na rua sem Exú não se faz nada
clarear da rua, da rua
Tinha uma garafa de marafo Salve Exu en la encruzilhada
pra um senhor Bara uma banda sem Exu
que iba a tomar não se pode façer nada
passou um home, olhio y viu
atiro chapeu y cumplimento Exú faz querê, querê
¿Será Macumba, Macumba? da sua banda eu queria ser
¿O será mandinga de amor? mas quando chega ao romper da aurora
falange de Exú vai chegar agora
Eu não vou pra la rua
Eu não fico na rua Balança a figueira, balança a figueira
sem cumplimentar com Bara na rua balança a figueira, eu quero ver Exú cair
Bara da rua aonde está Exú (nombre del exu)
Bara Exu que eu não vejo ele aqui
Bara da rua aonde está (nombre de Pomba)
Sarava Seu Tranca Rua balança a figueira pra ela cair

Ogum já deu licença Santo Antonio de Pemba


pro Exú vim trabalhar segura seu filho, segura o gongá
Bará, Bará, Bará Exú ele e filho de pemba
Ogum já deu licença não pode caer, não pode chorar
pro Exú vim trabalhar
Bará, Bará, Bará Exú Esu Lana
Esu Lana modiré Lode Elegbara
Vou abrir minha Aruanda Bara Diré obioara eoao
vou abrir meu Jurema Esu bara iloré
Com liçenza de Mamae Oxum Esu bara iloré
y nosso Pai Oxala
Exu Maioral
Santo Antonio e ouro fino Elupande
arreia as bandeiras e vamos trabalhar Exu Marabô
Elupande
Exu Exu Tranca Ruas Exu Tiriri
me abre o terreiro, me fecha a rua Elupande
Povo de Exu
Já deu meia-noite Elupande
Meus irmãos doze hora já bateu
Levanta quem esta sentado Marimbondo da perna vermelha
Meus irmãos para salvar os filhos teus Oi compadre
Bota sapato sem meia
Ogum exu pede licença O sinhá
pra seu povo arriar
ele é o rei dos feticeiros Ai que boto é que manda na curimba
vem traçendo forças Ai que boto é
pra nosso terreiro Já mandei curimbar
4

Puntos de Identidad Pombo Gire Auê


Pombo Gire va mucongué
Sou eu, sou eu Oia Orire
Não me troco por ninguem Pombo Gira mucongué
Lá na Calunga Pomba Gira muja muganju
Sou eu, sou eu
Na encruzilhada Exú abanada, abanada
Sou eu, sou eu Exú abana eu
Povo Cigano e a Jurema abana, abana
Sou eu, sou eu e a Jurema abana eu

Exu afirme seu ponto Puntos Cruzados de Exu


aqui neste Terreiro
Deu meia-noite na Lua É debaixo de uma lage fria
deu meio-dia no Sol é de lá que eu vim
É debaixo de uma lage fria
Firma curimba Exu é de lá que eu sou
Sua banda tem mironga e mistério se a Umbanda chora
Seu trabalho é pro bem o mal eu choro também
Sua morada é dentro do cemiterio se a Umbanda chora
eu choro também
¿Você sabe quem sou eu?
¿você sabe quem sou eu? Oxala meu Pai
Eu giro a meio-dia tem pena de nos Senhor
eu giro a meia-noite que as voltas do mundo e grande
eu giro a toda hora seus poderes saõ maior
¿Você sabe quem sou eu?
¿você sabe quem sou eu? É Mojubá seu Tranca-Rua é Mojubá
Eu sou Exu mulher A 7 Saias na defesa é Mojubá
Oi me diga seu nome É Mojubá (nombre del Exu) é Mojubá
Sou a Pomba Gira Exú Veludo no inferno é Mojubá
rainha do Candomblé É Mojubá, Exu Veludo é Mojuvá

Seu Tranca-Rua
Puntos de Exu (Angola) diz que a Umbanda é a maior
Exú Veludo diz que a sua é de fé
E um mavile mavile Seu Marabô entra na roda girando
E um mavile mavango 7 Encruzilhadas com suas falanges
Exu Adavenan
Exu Adavenan Ô luar, ô luar, ô luar
Na sua aldeia Exu Adavenan é noite de luar, ô luar
Saravá Pomba Gira da Praia
Cuá, cuá, cuá Saravá seu Tiriri
Eleua demi sese mirê Saravá o meu Bará
Eleua Dire Oya

Pomba Gira já mucangué


Iaia irere
Pombo Gira já mucangué
Iaia oiae
Pomba Gira cujá cujanjo

E Pombo Gira, Pombo Girá


Pombo Girá

Eparrei, Eparrei Iansã Eparrei


5
Puntos de Descarga Xô xô xô limpador
É de ganga, é ganga
Se esse boi é vermelho, Calunga Xô limpador
amarra ele na poteira, Calunga É de ganga, é ganga
pra tirar o couro, Calunga Xô limpador
pra fazer pandeiro, Calunga
Meu caminho é de fogo
Se ele é Bara eu não sei No meio da encruzilhada
Se ele é Exu também não Quem quiser me demandar
Eu só sei que ele veio de lá Eu lhe cuspo e vou pisar
para façer a proteção Quanto inimigo na terra
Corre corre Pomba Gira Querendo desafiar
Manda a gira girar Sou Pomba Gira formosa
Corre gira Pomba Gira Formosa pra lhe quebrar
Exu Bara vem trabalhar
A portão do cemitério
Quem não é de fé Arrebentou a fechadura
não pode curiar com meu O Exu tá solto
Eee eeeaa tem mironga ta fazendo mesura
Exu vai desmanchar
Lá na encruzilhada Eu vou botá seu nome na encruzilhada
eu ví uma panela de Exu Uma dúzia de vela, marafo e dendê
Galinha preta, farofa amarela Eu vou botá seu nome na encruzilhada
pimenta da costa, trabalho de Exu Uma galinha preta eu vou dar prá você
Ae ae, ae aa Ererê, Ereuá, o feitiço que você fez prá
mim
Vinha vindo pela rua Eu mando de volta prá você
um Bará me apareceu Meu santo é forte, sou filho de Exu
cobrando a oferenda Na minha casa não entra urubu
que a demanda ele venceu
Bará da rua Puntos dos Presentes
Bará da encruzilhada
Bará da rua Seu eu ganhei este presente
sem Bará não se faz nada Eu ganhei por ser Exu
Eu te agradeço
Bará você me acompanha Muito obrigado na lei de Exu
Bará você é Bará
Bará você me acompanha Se a Pomba-Gira
Bará você é Bará ganhou esse presente
Bará Odi, Odi, Odi, Odi, meu Bará é porque ela é Exú
Bará Odi, Odi, Odi, Odi, meu Bará ela te agradece
muito obrigada na lei de Exú
Oiá, Oiá, Oiá
êê epahei Oiá El Ebô de Exu
a senhora, que aqui está ¿Quem quer?
abre essa porta, vai entrar mais um Bará Ele vai querer
ele vai querer comer
Bará, Bará Bolinha
meu senhor do cangerê
salve meu pai Bará
que chegou pra trabalhar

Limpa, limpa, meu Bará


Bará eu mandei limpar
Ô Chapanã, ô Chapanã
cadê o meu Bará
Ô Chapanã, ô Chapanã
meu Bará vem trabalhar
6

PUNTOS DE EXU No cruzeiro tem


tem galo preto e tem galinha carijó
Sou eu, sou eu, é do casal, é do homem e da mulher
eu não me troco por ninguém é da Pomba-Gira, é de Lúcifer
lá na Calunga cuidado amigo quando passares por lá
sou eu, sou eu pede licença pra Exú e um axé para o Bará
na encruzilhada
sou eu, sou eu O que seria da porteira, se não fosse a
Exú (nombre del Exu) cerca
sou eu, sou eu o que seria de nós se não fosse Exú
e a Pomba-Gira mora na Calunga, na encruzilhada
sou eu, sou eu meu irmão aprenda,
sem Exú não se faz nada
Na minha encruzilhada
quem manda sou eu Boa noite gente
eu faço e desfaço Boa noite Exú
em nome de judeu é o sapo que pula no chão
andorinha que voa no ar
Na beirada do caminho
esse congá tem segurança Tu sai mandou sapo preto cururu
na porteira tem vigia cai fora, cai fora
à meia-noite o galo canta um pra o frente e otro fora

Ri cuá cuá cuá Exu é moço branco


o que linda risada que Exu vai dar y é façeiro no andar
Quem não paga pra Exu
Seu (Exu) e Mojeba Exu da e torna a tirar
Ena ena e Mojeba
Seu Meia-Noite e Mujeba Exú é moço novo
Ena ena e Mojeba que come carne crua
Exú bebe marafo
Unha grande, braço forte mas nunca caiu na rua
Seu (nombre de Exu) vem trazendo a sorte
Sarava meu povo
Exu fez uma casa Sarava sua banda
sem porteira e sem janela Lucifer esta chamando a Quimbanda
ainda não axo
morador pra morar nela Pemba branca, pemba roxa
pemba encarnada
Galo cantou na veirada do terreiro Saravá todos Exús na sua encruzilhada
Galo cantou na veirada do terreiro
Vai salvar a encruzilhada Exú que tem duas cabeças
aonde mora Exu Guerreiro ele faz sua gira com fé (o num pé)
mas uma é seu maioral de quimbanda
Pedra rolou e a outra é de Jesus Nazaré
emcima da samambaia Exú que tem duas cabeças
emcima Seu Tuniquim ele faz sua gira num pé
balança mas não cai mas uma é seu maioral de quimbanda
e a outra é de Jesus Nazaré
Quem nunca viu venha ver
caldeirão sem fundo ferver Exu ganho um gado
caldeirão sem fundo cozinha mas não quiz comer sousinho
pra muita gente comer Ele chamou seus camaradas
pedaço por pedaçinho
Você que me chama de Pai Ai chegou Seu Lucifer
mas eu, sou seu Pai seu amigo a Pomba Gira, com a ordem da mulher
e lá, lá na encruzilhada
sou eu, quem te livra dos perigos
7

Exu (nombre de Exu) Ta chegando a meia-noite


o seu bode deu um berro Tá chegando a madrugada
Exu (nombre de Exu) Salve Povo da Quimbanda
o seu bode deu um berro Sem Exu não se faz nada
Areventou cerca de arame
estarão portão de ferro O garfo de Exu é firme
Areventou cerca de arame A capa de Exu me rodeia
estarão portão de ferro Já passei na encruzilhada
Exu não bambeia
A sua casa não tem parede
não tem chanela e não tem nada Boa noite, boa noite
¿Aonde é, aonde é que Exu mora? Exu tá no reino e vai dar boa noite
Exu mora na encruzilhada Boa noite, boa noite
Exu vem sarava e dar boa noite
Unha grande
Brazo forte Boa noite, boa noite
Seu (nombre del Exu) Boa noite já
Vem traçendo a sorte Olha o sapo que pula no chão
Andorinha que voa ao luar
Vota sete copos e um garafo pra mim
que eu sou Exu e quero beber Exu lovei
Eu sou exu, quero beber Exu lovei a encruzilhada
Eu sou exu, quero beber Lovei morada de Exu
porque esta noite meu negocio e beber Lovei a rua a madrugada
¿Quém é que mandou esse Exu beber?
porque esse Exu está bebendo Exu chegou no reino
mais não sei porque Meu Deus quero ver quem é
Olha que seu copo esta morado Com liçenza de Ogum
esse Exu não bebeu nada Chegou meu Exu de fé

Não faço mal a ninguém Boa noite meu senhor


procuro não ter inimigos Exu no reino chegou
mas nunca ando sozinho Vamos louvar nossa Quimbanda
pois tenho a força de Exú Viva Exu que é doutor
que é meu amigo
Seu terno branco
Eu caminhava na terra caente Sua bengala
Buscando o origem da Quimbanda Na encruza quá quá quá
Um home vestido de preto Exu da risada
vem comigo, me acompanha
Começa com Exu Bara Exu ganhou uma garafa de marafo
Povo da rua deste gongá E levou na capela pra benzer
Continua Poco da Encruza Chegando lá a garafa se quebrou
Povo da Encruza vem me ajudar Na batina do padre tem dende
Sigue Povo dos Matos Na batina do padre tem dende
Povos dos Matos tambem me acompanha
Amigo não olvide da Praia Carro não anda sem roda
Povo do Mar tambem me acompanha Exu não anda sem dendé
Povo Cigano, Reino das Almas Movimento da roda é grande
Ori Ori das Almas vem vibrar Faz a pequena mover
Ganga é Exu Erere, ereuá
Ganga Caminho caminherê
Caminho caminherá
Tem morador Caminhou setenta leguas
de certo tem morador pra chegar nesse gongá
Na porta meu galo canta
De certo tem morador
8
Exu quando se coroou Quem nunca viu vem ver
Um grande banquete ele deu calderão sem fundo ferver
Tinha espinha de peiche Deu meia-noite
O gente dim dim dom cemiterio treme
Oi quem tem olho ruim catatumba arrasta
não olha pra meu ...

Exu é só, não tem parente Seu Sete Catatumbas já fabrió sua tumba
Exu é só, não tem parente Seu Sete Catatumbas já fabrió e saleu
O seu de palha, o seu paletó Gargalhou, gargalhou
Foi na enchente... Seu Sete Catatumbas já chegou
Nas Almas eu adorei
Lá vai a falange de Seu (nombre del Exu) Atotô!
Ela veio trabalhar
Maioral foi quem mandou No corredor do Inferno
Eu vi Sete Catatumbas
Giraba num pé só
Exu 7 Capas Pulando pelas macumbas

Eu sou Seu Sete Capas A gente fala que ele é um escurecido


dono das Sete Encruzilhadas espiritu perdido que de noite apareceu
Comigo não quero graça que ele divaga no meio da Calunga
Eu não sou de caçoada que vai de tumba em tumba
e verdade não é
Não e alma bendita
Exu 7 Catatumbas e Espiritu da tumba
ele é Seu Sete Catatumbas
Ecouta como suenan os tambores Atotô, Atotô
A festa das Almas vai empezar Seu Sete Catatumbas
O Salve Povo da Calunga Atotô, Atotô
Salve Sete Catatumbas mas ele vem da Calunga
ele vem pra trabalhar
Passei no cemitério às onze horas do dia
Tá, na hora é Exú se levantava
na hora é de meu Exu e as catatumbas se abriam
Chegou das Sete Catatumbas do Cemiterio dim, dim, dom, o sino de lá batia
Exu do Lodo mandou dim, dim, dom
Ô Saravá rei da encruza e as catatumbas se abriam
Ô Saravá meu pai Exu
Povo de lomba, catatumba tá chamando
A catatumba tremeu Povo de lomba, catatumba tá chamando
todo povo choro Exú tá tatá Cemitério tá chegando
chora porque não tem
a catatumba tremeu Exu do Lodo que garua e essa
estava molhando a sua catatumba
Acende uma vela pra Exu E chuva grossa, não é chuva miuda
Acende uma vela pra das Almas Sarava o Exu do Lodo
Seu Cata Cata Catatumba estremeçeu Salve as Sete Catatumbas
vem chegando en Omulu e acompanha Exu
das Almas Na setima cova do cemiterio
Sete Catatumbas gemiou
As Sete Catatumbas no Cemiterio Saravo sua encruza
Exu do Lodo mandou E levou o mal que é meu
Saravá Sete Encruzas
Saravá meu senhor No corredor da Calunga
Agora é Sete catatumbas gemeu
Agora é de meu Senhor Saravou sua encruza
Mas eu vou, que o lado é meu
9
Exu 7 Chaves Corre corre encruzilhada
Sete Cruzes já chegou
Sete chaves no Inferno Na porta do cemitério ouvi gargalhada
Não promete pra não faltar Sete Cruzes já chegou
Quando pega uma demanda
Votoria ele tem pra dar Exu 7 Encruzilhadas
Ele é Exu que vence missão
E não escolhe ocasião Seu Sete meu amigo del alma
Seu Sete que comanda a Quimbanda
Exu 7 Covas Giro, ele vai girar
Seu Sete é a coroa de Oxala
Eu não tenho patrão
Calunga foi quem me criou Seu Sete, meu amigo del alma
Meu nome é Sete Covas Seu sete, meu irmão quimbandeiro
Minha Quimbanda eu já lovei Gira, tudo o mundo a girar
que seu Sete é a coroa de Oxala
Ele é Exu pagão
Não tem quem obedecer Ele é meu amigo
Pra ele só interessa Ele é meu camarada
Qualquer demanda vencer Ele é Seu Sete
Se o Exu é bom, ele vence demanda Rei das Sete Encruzilhadas
Seu Sete Covas é rei na Quimbanda O meu velho chegou
O meu chegou ooo
Seu galo é preto, é do bico amarelo dando uma gargalhada
Ele pertence a Sete Covas Ele é Seu Sete
Ele é do cemitério Rei das Sete Encruzilhadas

Era meia-noite quando meu pai chegou


Exu 7 Cruzes Era meia-noite quando meu pai chegou
Corre e gira, corre e gira
Seu Sete Cruzes no cruzeiro vai chegar a madrugada
está pra nos ajudar Salve Exu! Salve Exu!
Seu marafo e seu dendé das Sete Encruzilhadas
ele gosta de curiar
Era de madrugada
Seu Sete Cruzes na Quimbanda é um rei quando o céu se iluminhou
Ele é irmão de Exu Veludo Sua coroa vem brilhando
Quando chega em sua banda Saravá Venha-nos anunciando a chegada do
Quebra demanda, quebra tudo senhor
Ele caminhou nas sete encruzilhadas
Exu das Sete Cruzes com sete povos seu reino ele formo
das sete cruzes ele é mas ele traz sua cabeça coroada
carrega as sete cruzes foi Iansã que seu reino bautiço
pro compadre Lucifer
Quando Exu chega no reino
Exu Sete Cruzes chegou no reino Mas tudo o mundo quer saber sua nome
Sete cruzes ele buscou Mas ele é seu Sete Encruzilhadas
Ele veio do cemitério Ele pula de banda, ele pula de lado
Sete Cruzes já chegou
Eu vi o cavaleiro da madrugada
Pomba Gira chegou no reino Ele é Exu rei das Sete Encruzilhadas
Pomba Gira no reino chegou
Ela viu seus sete homens Lua cheia iluminhó
Só não viu Seu Sete Cruzes na coroa de Oxala
Ela sacudiou os ombros Vem chegando, é madrugada
Else balançeou O Seu Sete Corimá
Voltou para a encruzilhada O Corima, O Corima
Sete Cruzes ela buscou Exu Seu Sete
da coroa de Oxala
10
Já se vem comentando Sete vezes no caminho
que vem curimbando sete vidas, um destino
um Exu na estrada sete amores são a história
Se lo ve tão bonito desse Exu trabalhador
mas quando dai sua risada Com ele sempre ao meu lado
Ele e um Rei, ele e um rei sei que estarei de pé
ele e um rei Salve 7 Encruzilhadas, o meu amigo de fé
Seu Sete Encruzilhadas Era madrugada
na Quimbanda ele e um rei quando uma gargalhada na encruza ecoou
a lua brilhava, a rua iluminava
Salve Seu Sete Encruzilhadas os caminhos por onde Exu passou
Seu Sete Encruzas já chegou Quando o galo canta é hora
Na porteira da Calunga sete vezes o sino bateu
ele é o Exu, é o Marabò com sua capa, vem exuberante
Giró, Giró homem nobre e elegante
Seu Sete Encruzas apareceu
Sete facas de ponta Feitiços e mandingas
ecima de uma messa sei que ele vai desmanchar
Sete velas acesas ele corta demandas na força do seu axé
lá na encruzilhada Sete facas fincadas na encruza encontrei
Exu e rei ele é o Seu Sete
Alupande Exu o dono da rua onde ele é rei
Exu é rei Sete vezes no caminho
lá nas sete encruzilhadas sete vidas, um destino
sete amores são a história
Tu é tão pequenino desse Exu trabalhador
Lara lara Com ele sempre ao meu lado
Para mim tu é um rei sei que estarei de pé
Sua coroa é de ouro Salve 7 Encruzilhadas, meu amigo de fé
Tu é um rei das Sete Encruzilhadas
Por fim Seu Sete tá no mundo
Vou chamar por voce você tem que procurar
Eu vou chamar um garafo de marafo
Quando a lua sair que Seu Sete vai tomar
Lara lara
O teu olhar, o teu soriso E eu me chamo Nego Preto
Que só me faz enfeitizar Nego Preto não se bate
Eu vi uma linda mulher olha lá que eu sou Exú
Lara lara Rei das Sete Encruzilhadas
Lá no cruzeiro a girar
Lara lara Oi Sete, oi Sete omi Bara
O Pomba Gira do Cruzeiro Oi Sete, oi Sete é Bara ô
traz esta rosa para lhe ofertar

Falaron de mim que não valgo nada Exu 7 Encruzilhadas das Almas
Falam que falam, sou das Sete
Encruzilhadas Oh Meu Senhor das Almas
Seu Sete, vem trabalhar dizem que eu nao valho nada
Agora toma conta Olha lá que eu sou Exu
de aquel que falou de mais Rei das Sete Encruzilhadas

Me chaman de rei Você está me devendo


das sete Encruzilhadas eu sou Exú
nos sete encruzos sei trabalhar rei das Sete Encruzilhadas
eu sou mandado de Ogum filho de Omulú
eu faço tudo que ele mandar
11
Exu 7 Encruzilhadas Odara

Odara, morador da encruzilhada Eu vi um destelho de luz na encruza


firma seu ponto com sete facas cruzadas mas foi olhar pra ver o que é
Filho de Umbanda mas encontrei uma coroa brilhando
pede com fe de Exu é, la cumprimenta, la coroa de Exu
pra Seu Sete Encruzilhadas Rei
que ele dai o que voce quer
Na encruzilhada chamei Seu Exu Rei
Exu 7 Encruzas Chamei Seu Exu Rei
Chamei Seu Elegbara
Boa Noite Gente Lode Exu
Como Vai Como Passou Exu Elegbara
Sete Encruzas e pequenininho
mas e muito trabalhador Exu tava curiando na encruza
Quando a banda linda lhe chamou
Corre corre encruzilhada Exu no terreiro é rei
Sete Encruzas já chegou na encruza ele é doutor
Na porta do cemiterio ouvi uma gargalhada
É Sete Encruzas já Ele é
Gargalhada é Sete Encruzas Ele é o Exu Rei
Jurou cualquer demanda vencer Trabalha com Pomba Gira Rainha
Sua palavra é lei
Quando bateu meia-noite
Que o galo cocoricou A encruza é de Exu
Na virada lá na serra Afirmo e não errei
Sete Encruzas já chegou Sarava Povo da Quimbanda
Sarava nosso Exu Rei
Bara Bara
Bara Sete Cruzeros Exu é Rei mas não tem coroa
corre corre Pomba Gira Deu meia-noite na encruzilhada
ele é o quimbandeiro ele da risada

Pomba Gira chegou no reino Maioral


Pomba Gira no reino chegou
Ela viu seus sete homens Se ele é Bará eu não sei
Só não viu Seu Sete Encruzas se ele é Exú também não
Ela sacudiou os ombros só sei que ele veio de lá
Else balançeou para aos seus filhos abençoar
Voltou para a encruzilhada salve, salve a sua gira
Sete Encruzas ela buscou deixa a gira girar
salve, salve a sua gira
Rei Maioral vem trabalhar

Trabalha na encruzilhada No meio da Rua se nome implore


é meu pai, ele é rei Cheio de aflições e sem resolver
Trabalha com Pomba Gira Quando de repente ele apareceu
ela é Exu mulher Dai pra mim um conselho
E meu Pai diz que teia fé
Ele é rei Dono do caminho
Ele é Exu Grande Orixa
Ele é rei Gran senhor le pido
Exu Maioral
Ele é gostoso trabalhar na encruzilhada
e nos matos também trabalhou
Ele é Exu Rei que veio da Aruanda
para vencer demanda
a seus filhos saravó
12
Mas eu sou Seu Maioral Exu 7 Montanhas
vim fazer meu acarajé
querem ver Maioral contente No alto das sete montanhas
dá pra ele o amalá Eu botei minha campanha
alupo, alupo, aruê Sarava minha Quimbanda
alupo, alupo, aruá Chegou Exu Sete Montanhas
agô Xangô, agô Iansã
agô Bará, agô Iemanjá Lá nas sete serras
agô Xangô, agô Iansã Lá botou campanha
agô Bará, agô Iemanjá Olha lá que eu sou Exu
Das Sete Montanhas
O galo quando canta no terreiro
olha quem manda é o Maioral Exu 7 Pedras
a flor do mato não tem cheiro
é hora de um Bará vim trabalhar De pedras livra el caminho que eu passo
Seu Sete Pedras livra o caminho que eu
Seu Maioral é um Bará tão formoso passo
e traz o seu garfo na mão Quando ando com Sete Pedras
se ele é filho da quimbanda Quando ando com Sete Pedras
eu quero ver a incorporação Meus caminhos não tem embarço

Lucifer Peguei na ponta do lapis


Começei a rabiscar
As portas do Inferno estremeçer Sete Pedras estava junto
todos correron pra ver queim é e venho me ensinar
E deu a gargalhada la na Encruzilhada
e Pomba Gira e o compadre Lucifer Exu 7 Poeiras

Deu meia-noite Sete Pôeras, Pôera lhe mandou


Deu meia-noite já e o Povo de Ganga foi quem mandou
Sete facas cruzadas
em cima de uma mesa Quando o galo cantou
Quem atirou foi Lucifer todo mundo a girar
pra mostrar quem ele é E Seu Sete Pôeras
chegou a la terreira para trabalhar
Não brinca comigo
não brinca com meus filhos Sou pequeno de Angola
se vais brincar comigo Porem já sei escrever
estás brincando é com o Diabo Sete Poeiras na Quimbanda
Também já sabe ler
Quando passar na encruzilhada Ele é Exu, é um curador
não esqueça, não olhe pra trás Ele é Exu, é um vencedor
lá tem morador
seu Lúcifer ainda mora lá Se uma brasa me queima
ele foi padre, foi batizado Meu Santo Antonio é maior
já rezou missa, hoje é Satanás Sarava Sete Poeiras
ele foi padre, foi batizado Ele gira num pé só
já rezou missa, hoje é Satanás
Quando o galo bateu meia-noite
Se Deus é bom, o Diabo não é mau que o galo cocoricou ou
ele matou o cabrito na figueira Na virada lá na serra
e o gato preto Sete Poeiras chegou o
ajudou a trabalhar
Exu 7 Portas

A porta estava fechada


Não habia como abrir
Pedi ao Exu das Sete Portas
Que abrisse pra mim
13
Exu 7 Porteiras Exu 7 Ventanias

Portão de ferro, cadeado de madeira Sopra toda a noite


Portão de ferro, cadeado de madeira Venta tudo o dia
Exu toma conta, Exu presta conta Eu sou o Exu do vento
Seu Exu que está en nossa porteira Sou Sete Ventanias

O que seria da porteira, se não fosse a Venta toda a noite


cerca Sopra todo o dia
o que seria de nós se não fosse Exú Ele é Exu dos Vento
mora na Calunga, na encruzilhada Tata Sete Ventanias
meu irmão aprenda,
sem Exú não se faz nada Exu Arranca Toco

Na estrada tem um ganga Oh meu Senhor das Almas


Ganga não leva carreira mais de mim nao faiz poco
Quando a demanda é grande Voi ala que ele e Exu
Chama por Sete Porteiras e Exu Arranca-Toco

Exu não é criança, nem gosta de Quando eu pisso em gaio seco


brincadeira curimbanda lá nas matas
não vaganbunda pelas ruas o meu chefe e Maioral
Trabalha na encruzilhada meu trabalho não é pouco
Sarava Sete Porteiras Sou Exu na minha gira
Ena ena é mogiba
Exu 7 Sombras
Exu Baianá
Sete mas sete são
os misterios que me acompanham O filho que nao conhece
Ele é Tranca Ruas das Almas o pai Baiana
Sete Sombras me acompanha bata cabeça no jogo e no gonga

Passeava pelas ruas Exu Brasa


Vagava pelas tronqueiras
Coral piou no mato alto Exu Brasa guié, Exu Brasa guiá
Saravando Sete Sombras Lá na beira da montanha
Morador lá da limeira Exu Brasa quero ver

Eu vi um formigueiro Exu brasa tem duas cabezas


Foi ver se está lá Mas ele olha sua banda com fé
Encontrei Exu das Sete Sombras Uma é de Satana do Inferno
e pedi pra mi ajudar A outra é de Jesus Nazaré

Exu 7 Trovões Ai ai ai, valei-me sete diabos


Exu Brasa é um diabo
Numa noite de tormenta Exu Brasa não é criança
Ouvi sete gargalhadas Que se engana com tostão
Era Seu Sete Trovões Só se lembran de Exu Brasa
que chegava na madrugada Quando estão em aflição

Exu 7 Venenos Quem voa baicho sempre voa


Quem muito se eleva quebra a asa
Eu so Sete Venenos da Umbanda Cuidado com sua mandinga sinhó
quando chegou digo logo quem so Eu conto com Exu Brasa
Escouta gargalhada na encruza, na
Umbanda O meu senhor das armas
Sete venenos chegou Só voa quem tem asa
Eu me chamo Exu
Eu é Exu Brasa
14
Exu Cainana Exu Calunguinha

Exu Cainana Meia-noite a maré vazante


¿Quem te matou Cainana? Lua veio anunciar
¿Foi Seu Tranca Ruas? Eu já vou vencer demanda
¿Foi Seu Marabo? Sarava Calunguinha do Mar
¿Foi Seu Sete Encruzas?
Cainana ¿Quem te matou? Vem vem o Calunga
Exu Cainana Vem trabalhar
¿Quem te matou Cainana? Vem vem vem o Calunga
¿Na beira do rio? Calunguinha do Mar
Cainana Calunguinha do mar é bom meu pai
¿E Seu Tranca Rua?
Ele não bambeia Calunguinha do mar
Exu Cainana Calunguinha do Mar oi Calunga
¿Quem te matou Cainana? Calunguinha do mar
Leva as quizilas pro mar
Exu Cainana
¿Quem te matou Cainana? Exu Camina Lua
¿Foi Exu do Lodo?
Cainana En uma noite de espesa bruma
¿Foi Seu Marabo? eu caminhaba no cemiterio
Caina Junto a las tumbas eu vi un home
¿Foi Exu Mangueira? de Alma bendita com seu misterio
Cainana Fique hasta ele e perguntei quem era
¿Quem te matou? y com muita calme me respondeu:
Exu Cainana Eu sou da falage da Meia-Noite
¿Quem te matou Cainana? Eu sou da falange de Seu Omulu
Eu boto me capa con muita pena
Oi Cainana Eu sou Camina Lua, eu sou Exu
¿Quem te batiçou Cainana?
Foi uma mulher na beira do rio Exu foi batiçado
Quem te batiçou te chama (nombre del Exu) e recebeu a sua cruz
na falange de Dom Miguel
Exu Calunga Camina Lua nos defende, nos conduz

Se esse boi é vermelho, Calunga Exu formosso asim eu nunca vi


amarra ele na poteira, Calunga Camina Lua é cheio de luz
pra tirar o couro, Calunga na Linha de Mussurumi
pra fazer pandeiro, Calunga
Exu Campina
Eu tó te chamando, Calunga
Pra voce trabalhar, Calunga Campinero e rere
Quando eu te vejo o Calunga Campinero á
Vejo também a Sereia do Mar Sarava Exu Campina
Laroie é Mogiba
Eu vi a da Calunga
Calunga estremeceu Exu Cangaruçu
Eu vi a da Calunga
a meia-noite apareceu Soltei um pombo lá na mata
E cua cua cua y na pedreira nao possou
que linda risada que Exu vai dar Foi possar na encruzilhada
Cangaruçu foi quem mandou
Coquinho do Inferno
Arrebenta mirombo
São da Linha de Congo
São Calunga de Quilombô
15
Exu Capa Preta

Brilha brilhá Exu da Capa Preta


Sou filho da lua irmão do Seu Caveira
Sarava Seu Capa Preta Ele mora na calunga
Sarava Seu Tranca Rua comanda a ladeira

Com faca de dois gumes Se não calo a minha boca


Ninguem pode jogar eu fico perneta
É o Exu da Capa Preta Olha lá que ele é o Exu
que chegou pra trabalhar Exu da capa preta

Seu Capa Preta me encobre com sua capa Exu Carangola


Quem tem sua capa escapa
oi quem tem sua capa escapa O meu senhor daarmas
A sua capa é um manto de caridade Eu sou filho de Angola
Sua capa cobre tudo Eu sou Exu
só não encobre a falsidade Exu de Carangola

Olha que eu sou do mundo Exu Caveira


do submundo, sou Capa-Preta
quem quiser vir que venha Caveira, Caveira
que venha agora Caveira é moço que chegou pra trabalhar
ou fique aonde está Portão de ferro, cadeado de madeira
na porta de la Calunga
Capa Preta no reino aonde mora Exu Caveira
é uma beleza
eu nunca vi um Exu asim Exu Caveira comedor de carne crua
ele é madeira que não dá cupim Espero o Seu lá no meio da rua
Portão de ferro, cadeado de madeira
Ao ver Exu na encruza quem manda no cemiterio e Seu Exu
com ele não se meta Caveira
é ali que ele trabalha
no reino é de Capa Preta Caveira, Caveira
foi o seu povo
O gira como gira é lhe chamou pra trabalhar
Seu Capa Preta é de Maciá portão de ferro, cadeado é de madeira
Mas como gira Seu Capa Preta é lá no cemitério onde mora Exú Caveira
Seu capa preta é de Maciá
Ê puerê, Ê puerá
Meu pai é tumba Ê puerê, Ê puerá
Minha mãe também é tumba Olha a mosca varejeira
Meu avô é o Capa Preta salve Exú Caveira
E eu vou morar na catatumba Olha a mosca varejeira
salve João Caveira
Nagô ô ô ô, eu sou filha do rei nagô
Eu sou filha do rei Oxalá Olhai quem vem vindo lá no alto da ladeira
do Seu Sete e de Xangô Olhai quem é, é o Exú Caveira
Entro na gira e faço com fé
recebo força sou filha de fé Saravá Ogum, Saravá Lodê
O meu pai sempre venceu demanda Saravá Ogum, aonde está Ogum Megê
com ele não há nenhuma demanda Ogum, aonde está o Caveira,
O meu pai vem de Aruanda Tá na Calunga fazendo macumba
Seu Capa Preta entra na Umbanda
Xangô lá na pedreira
Fui lá na lomba cospe o fogo pai Caveira
porque as almas me chamaram ô na linha de Umbanda
Prá levantar feitiço quem manda é pai Xangô
Capa Preta é quem mandou
16
Foi no cruzeiro das Almas Cemiterio que foi indio
onde mora Seu Omulu já ninguem vai passear
vai chegando Exu Caveira Quando chega a meia-noite
vai chegando o Rei Omulu já ninguem morará
De um cabo branco pra meu Morará, morará
e um cabo preto pra ele Exu Caveira morará
en la calunga
aonde mora Ogum Mege A porta do Inferno estremeceu
De um cabo branco pra meu Veio tudo mundo pra ver quem é
e um cabo preto pra el Ouviu-se gargalhada na encruza
en la calunga era Seu Caveira com a mulher de Lucifer
aonde mora Seu Omulu
Toma lá traz cá
Ancorou O Caveira
Ancorou na Calunga Toma lá traz cá
Olha que eu sou Exu Caveira O Caveira
Calunga ancorou
Acoro, Acoro ¿Aonde o Exu vai?
Salve a Calunga Caveira Ele vai correr carreira
Calunga Acoro ¿Aonde o Exu vai?
Eu sou o Exu Caveira
Foi no cruzeiro das Almas
onde mora Seu Omulu Caveira estou te chamando
vai chegando Exu Caveira pra minha banda afirmar
vai chegando o Rei Omulu Caveira vem do cemitério
De um cabo branco pra meu Exu veio saravá
e um cabo preto pra ele
en la calunga Atoto Obaluaê, o Laroié
aonde mora Ogum Mege Seu caveira e nosso rei
De um cabo branco pra meu Ele traz a união, traz a forza e a proteção
e um cabo preto pra ele Atoto
en la calunga
aonde mora Seu Omulu Exu João Caveira

Exu Caveira, Exu Caveira Acoro, Acoro


Na Calunga Salve a Calunga Caveira
Trabalhando trabalhando Calunga Acoro
Na Calunga Acoro, Acoro
Meia-Noite, Meia-Noite Olha que chegou Joao Caveira
Na Calunga Calunga Acoro
Tá na porta do cemiterio
Na Calunga Mas ele mora na terra dourada
aonde não corre agua
Kerê Kerê Kerê Calunga e nunca brilha o sol
Vamos chamando a calunga Mas ele é João Caveira é
pra você vem trabalhar Exu das Almas da Calunga é
Exu Caveira, Exu Caveira
da calunga João Caveira
trabalhando, trabalhando Caveira é moço, Exu Caveira
da Calunga Aonde mora Exu
Meia-Noite, Meia-Noite é povo de Caveira
da Calunga Na porta de la calunga
tá na porta no cemiterio mora Exu Caveira
da Calunga
João, João Caveira
Olha olha olha olha ele tem sua morada
Seu Zé Pelintra uma casa consagrada
Seu João Caveira ele mora na Calunga
E o Caverinha no terreno de Omulu
17
João, João Caveira Me chaman João Caveira
Tenho minha morada Omulu me batizou
minha casa consagrada Suas ordens vou cumprindo
moro no bambuzal Ogum Megê foi quem mandou
no cruzeiro de Omulu
Lá na Calunga
Vem de lá no cemiterio Com as ordens de Seu Omulu
esse home caminando João Caveira toma conta do cruzeiro
na Ordenança de Atoto Eu saravo o mundo enteiro
Joao Caveira veim chegando Omulu foi quem me deichou
E poere, E poerá Sarava dentro do cemiterio
olha a mosca varejeira
Salve Joao Caveira Cuidado com este home
Quando ele precisar
Quem pensa que o céu o perto Ele se chama João Caveira
nas nuvens não vai chegar Ele gosta de demandar
João Caveira tá rindo
do tombo que vão levar Ele chegou pra trabalhar
Ele é ordenança do velho Omulu
Ele vem das Santas Almas João Caveira na Quimbanda
Ele vem do cemiterio chegou pra trabalhar
Eu me chamo João Caveira
Morador do cemiterio Mozo vou lhe apressentar
Já toco meia-noite vou lhe apressentar
Galo cantou na minha pedreira Um espiritu de luz pra lhe ajudar
Já sabem na Quimbanda Oi mozo...
que esta chegando Exu Caveira Ele é João Caveira
Ele é filho de Omulu
João Caveira vem Quem quizer falar com ele
Vem me ajudar Alupande Exu!
Mironga é boa
Só pra quem sabe girar Exu Caverinha
Eu corro o céu
Eu corro a terra Eu vi um mozo bonito
Eu corro o mar no meio da Calunga
Também corro a encruzilhada vem vestido de branco
Para todo o mal levar sentado en uma tumba
Ele é Exu pequeño da Calunga
Moro na porta do cemiterio Seu Caverinha vem
Sou companheiro de Exu Porteira das Sete Catatumbas
Trabalho lá no cruzeiro
Eu sou Exu João Caveira Caveira, Caveirinha
quem lhe deve lhe paga
Eu venho lá da Calunga Caveira, Caveirinha
Seu Omulu foi quem me mandou na hora da derrubada
Eu sou João Caveira
Aqui cheguei e já me vou Não pise nessa Calunga
essa Calunga é minha
Eu sou firmado lá na Calunga olha lá que eu sou Exú
Durmo emcima da catatumba sou Exú Caveirinha
Minhas demandas eu vou juntando
E na Calunga eu vou firmando Exu Caveirinha
E com um garfo vou espetando Venha trabalhar
Levanta dessa tumba
Minha coroa de ferro Faz pedra rolar
Omulu me coroou Na mão esquerda a foice
E me mandou correr gira Na cinta o punhal
Juntar tudo o que e demanda Não sai da linha mano
E no cruzeiro João amarrou pra não se dar mal
18

Catacumba tremeu Tata Caveira chegou no reino


A cruz caiu Ele chegou pra demandar
Caveirinha saiu para passear Eu vim buscar o que não presta
Ele pediu conhaque e pra Calunga eu vou levar
Lhe deram pinga Eu sou Exu Tata Caveira
Ele pediu punhal que chegou da Calunga
pra cortar mandinga Omulu mandou eu girar
Eu ando gira, eu corro gira
João Caveira Demanda eu vim a buscar
Canela e osso, e osso em pó
Caveira Caverinha, quem deve trabalha Quando vou ao cemitério
Caveira Caverinha no ponto da Meia Noite peço licencia pra entrar
bato com o pé esquerdo
Exu Tata Caveira para depoies eu saravá
eu saravo Omulu
Eu fico no portão do meu cemiterio e Seu Caveira também
Presto conta e peço conta Assim faço a obrigação
na entrada do Inferno para os filhos do além
Seu Tata mora no portão
Seu Tata mora na porteira Exu pisa no toco, Exu pisa no galho
Ele é dono da Calunga Galho balança, exu não cai, o Ganga
ele é Tata Caveira E Exu, exu pisa no toco de um galho só
E Exu, exu pisa no toco de um galho só
A lua brilhando esta Marimbondo pequenino
Iluminase na tumba bota fogo no paiol, o Ganga
Se escouta seu gargalhar e Exu Tata Caveira no toco de um galho só
Estremece na Calunga
Seu home esta por sair Tata Caveira gira
Vamos chamar em louvour com o sol e com a lua
E se presissa de mim gira pelo mundo enteiro
So tem que gritar ¡Atoto! Omulu me coroou é
Oooo Vamos gritar em louvour Oxala me ilumonoou
Oooo Oooo Vamos gritar ¡Seu Atoto!
Oooo Tata Caveira já chegou Da Calunga eu venho girando
Com minha coroa de ferro
Tata Caveira, ele tem sua morada Eu venho caminando
Uma caisa consagrada Eu sou Exu Tata Caveira
Ele mora na Calunga no cruzeiro de Omulu Que pelo mundo venho girando
Seu Tatá mora no portão
Seu Tatá mora na porteira Exu Chico
Ele é dono da Calunga
ele é Exu Tatá Caveira Já bateu meia-noite
eu mandei lhe chamar
Dó vou ao cemiterio é o céu, é o Chico do fundo do mar
peço licencia para entrar serra, serra, serrador
bato com o pé ezquerdo serrando as mirongas do fundo do mar
pra depois eu saravá
Eu saravo Omulu Exu Corta-Corta
e Seu caveira também
assim faço a obrigação Seu Corta-Corta
pra os filhos do além Segura a gira

Um pombo preto voou da mata Se seu obé é de aço


Voou e possou lá na pedreira O seu garfo é de madeira
Onde os Exus se reunem Sarava sua mironga
Mas o reino é de Tata Caveira Seu Corta-Corta é de Quimbanda
Ele mora na limeira
19
Exu Curador

Estava na encruza curiando Exu da Meia Noite, Exu da madrugada


quando uma banda me chamou toma conta esse Exu
Exú no seu reino é rei não se pode façer nada
na encruza ele é doutor Exu da Meia Noite, Exu da encruzilhada
Exú pega a demanda Salve Povo da Aruanda
Exú é curador sem Exu não se faz nada

Em terreiro de Umbanda Deu meia-noite na terra e no mar


Exu vem sarava deu no mato, na Calunga, em todo lugar
Se Preto-Velho é doutor Seu Meia-Noite não tem hora pra chegar
uma gargalhada soou no além Quando chega Meia-Noite
chega em qualquer lugar

Exú da Meia-Noite Saravá saravá saravá


Já tocou meia-noite
La na porteira eu deiche uma centinela e um galo detrás cantou
Eu deiche o Meia Noite O lua, o lua
tomando conta da canzela Já chegou Meia Noite
e um galo detrás cantou
Exú da Meia-noite, Exú da encruzilhada
Salve o povo de Aruanda Seu Meia Noite no ponto de Mina
sem Exú não se faz nada Laroié galo já cantou

Eu vi nas catatumbas da Calunga Seu Meia Noite na encruza


Seu Meia Noite já deu a gargalhada Galo canto, gato mia
Ele, meu pai e quimbandeiro Quem trabalha com Exu
Exu da Meia Noite trabalha no cruzeiro Não tem hora, não tem dia
busca sempre a melhoria
E é Meia-Noite
quem gargalha en meu terreiro Exu das Matas
E ele é macumbeiro y ele e macumbeiro
Mexe comigo, que vou aparecer Eu vi clarear nas matas
seu nome en um galo preto Ogum olio na terra
com aceite de dendé Era Exu das Matas
Mas se uma noite Façendo brincadeira
vai pegar na encruzilhada
complimenta com Exu Eu foi no mato pra saudar a Oxossi
aõ chegar la madrugada Na cima do ar eu vi parado aquele home
Falei que era? me diz o nome
Ele é o homem da meia-noite Pegou sorriso, estremeceu a meia-noite
Ele é o homem da madrugada Eeeeeee
Ele é o homem da meia-noite E meia-noite na Mata
Que botou fogo na encruzilhada Exu é Rei

Exú da Meia-noite não foi pago pra matar Exu das Matas é
Pomba-Gira vem na frente Exu das Matas é um rei, meu senhor
com seu garfo a coriar Exu das Matas é
auê quá quá quá Eu vi um clarão nas matas
que risada o Exú dá e pensava que era dia
era o Exu das Matas
Seu meia-noite, sereno caiu que fazia sua magia
sereno caiu, sereno caiu
A meio-dia e a meia-noite
eu moro na encruzilhada
quando chega hora grande
eu tenho otra morada
20
Exu do Fogo Exú do lodo, lodo
Exú do lodo, lodo
A encruza estremeceu calma minha gente
Salve Exu que é bautizado vai chegar o Exú cheiroso
Exu do Fogo não ataca ninguém
O Exu é bom não ataca ninguém Exu do Lodo que garua e essa
estava molhando a sua catatumba
Valha meu Santo Antonio E chuva grossa, não é chuva miuda
Quem se defende não é bobo Sarava o Exu do Lodo
Eu me valho com Exu Salve as Sete Catatumbas
Valha meu Exu do Fogo
Na praia deserta eu vi Exu
Exu do Lodo Então o meu corpo tremeu tudo
Acendi minha vela e meu charuto
Leva ao cruzeiro de las Almas Arrie minha marafo
eu pedi pra o pai Exu Saravé Exu do Lodo
eu desejo um pedido, cumplimento
uma licença pra Seu Omulu Voce quer saber quem sou eu
Meu cabo branco ascendi quando traço mia gira girando
é pra las Almas valer Uma estrela no alto do céu
pedendo as forças de meu pai Ogum Megê é a setima porta do meu reinado
Exu do Lodo é meu pai Se voce aun quer saber de meu
trabalha na lei de Exu vou falar de (…)
en la calunga minha bandeira fala que eu sou rei
aonde mora Exu Omulu lá na beira da praia estou esperando
Eu veio de sete madrugadas
Lá no cruzeiro de as Almas traçendo as forzas de todos os Exus
eu vou pedir para o pai Exu mia gargalhada retumba na Calunga
Eu quizer falar contigo quando dispenso respeito pra Omulum
pidendo a licença do rei Omulu Eu só grito, sou uma gargalhada
Meu velão branco ascendi Eu sou um rei na minha encruzilhada
meu oração eu falei Sarava Sarava minha Quimbanda
pidendo as forças de meu pai Ogum Megê Exu do Lodo vem trabalhar
Exu do Lodo e meu pai
trabalha na lei de Exu Eu caminhava pelo alto da Calunga
lá na Calunga aonde o rei é Omulu quando as nuvens cubriam tudo o céu
E meia-noite, tronava na Aruanda
Quando chega a madrugada Eu vi a chuva cair na madrugada
Exu do Lodo na Quimbanda chega Eu vi um home parado em uma tumba
Ele vem do cemiterio Caveira en mão, na outra seu chapeu
vem sair a lua cheia Salve Seu Povo
Exu do Lodo é Exu do Lodo, compadre de Lucifer
meu compadre da Quimbanda A intensa nebla que cubria na Calunga
Exu do Lodo é En meio de ela eu vi uma mulher
venha a alegrar nossa banda Maria Molambô mulher de Exu do Lodo
Quando chega a madrugada São os compadres de Lucifer
Exu do Lodo na Quimbanda chega
Ele vem do cemeterio Exu do Lodo, Exu Exu Aue
seu inferno esta de festa Agora vem Exu
que agora eu quero ver
Tá na hora é Bara Bara Bara Exu
na hora é Exu Bara Aue
na hora é Agora vem Exu
meu senhor que agora eu quero ver
Das Sete Catatumbas do cemitério
Exu do Lodo mandou Exu do Lodo você não é de brincadeira
Sarava Rei da encruza Exu do Lodo você mora na ladeira
Sarava meu Pae Exu A capa pra Exu que eu mandei fazer
Não era pra Exu, era pra Bara Lode
21

Exu dos Rios Exu Ganga

Meu senhor das almas Eu fui no mato, gangá


Exu dos Rios vem ai cortar cipó, gangá
Ele vem acompanhado eu vi um bixo, gangá
de seu irmão Tiriri de um olho só, gangá
não era bixo, gangá
O rio corre pro mar não era nada, gangá
Rua corre pra encruza era um Exú, gangá
Louvado seja Exu dos Rios de um olho só, gangá
Que demanda não recusa
Ganga lele, Ganga lele
Exu dos Ventos Ele é Exu Ganga
Ganga lele, Ganga lelá
Sopra toda noite Ele é Exu Gangá
venta todo dia
chegou o Exú dos Ventos E qui Ganga é
rei das sete ventanias E qui Ganga ô
Ventania balançou Exu Ganga é de Quimbanda
Folha caiou na encruza O qui Ganga ô
Era o Exu dos Ventos
Com ele ninguém abusa Pisa no toco, pisa no gaio
Segura o toco sinão eu caio
Exu é malele O Ganga, ele, ele é Exu
Exu dos Ventos quianga Pisa no toco de um gaio só
Ganga num Ganga malecô
Exu dos Ventos é quianga Marimbondo pequeninino
Faz a casa no sapé
Sopra tuda a noite O Ganga é é é
Venta tudo o dia não segura no galho
Eu sou Exu dos Ventos senão ele quebra
Tala Sete Ventanias O Ganga é é é
O ganga
Exu dos Ventos, dos Ventos, dos Ventos
do fundo do mar Exu Gargalhada
Se leva todas as palavras
mas as verdades ficam no ar Ri quá quá quá
Olha Seu Gargalhada tá pra chegar
Eu tinha uma caisa e agora não tem Banda de Exu vai começar
porque o vento levou E Exu Gargalhada que vai comandar
Eu tinha dinheiro e agora não tem
porque o vento levou Quem ir na encruza é rei
Quem brilha no céu é a lua
Ai Exu dos Ventos Exu Gargalhada baichou nesta banda
Meu grande camarada Dando suas gargalhadas
Ele quer que você Saravando sua rua
arrume a sua morada
Quem pensar que o céu é perto
Quem trabalha com fumaça Nas nuvens não vai chegar
quem trabalha no ar Seu gargalhada esta rindo
só é Exu, só ele é de tombo que vai levar
quem sabe trabalhar
Chegou Exu do Ar O luar brilhou na mata
pra todo mal levar Gato miou na encruza
Saravei Seu Gargalhada
E Exu meu camarada
Ninguém com ele abusa
22
Pasei pela encruza a meia-noite Ele é Lalu, Lalu
Um assovio ouvi e gritei E Laroié
Sarava todo Povo da Encruza Ele é, Lalu, Lalu
Seu gargalhada nesta hora me valei E Laroié

Exu Gira Mundo O embara, embara


Não me faz assim, embara embara
Giró, giró, giró Exu Gira-Mundo Banda de Exu, embara embara
Giró, giró, Pomba Gira que vençe demanda
Rainha da Encruza sarava Umbanda Exu Lonan
Eeee aaa Sarava Umbanda
Eeee aaa Sarava Umbanda Embarabó
E mogiba, Bara locosé
Querem me matar Emabrabô é mogiba
Gira Mundo Bara obebe Exu Lonan Exu Lonan
Querem me acabar Bara obebe Exu Lonan Exu Lonan
Gira Mundo
Toma conta dele Exu Malé
Gira Mundo
Vai girar com ele Ai ai ai
Gira Mundo Satanas já deu um berro
Sarava Exu Male é ganga
Gira Mundo trabalha Sarava Exu Male
Das Almas com sua falange Sarava seu obe de ferro
Vai trabalhar, trabalho na Calunga Exu é Malele, é Laroie
As almas estremeceu Povo da Encruza é Malele
Gira Mundo rei do mundo E Exu Malé
Pra salvar filhos de fé
Exu Mangueira
E giré, o girá
Gira Mundo vai chegar Viva as Almas
E giré, o girá Viva a coroa e a fé, oi viva as Almas
Lá pra o fundo do mar Viva Exu das Almas
E giré, o girá Ele é Seu Mangueira de fé, oi viva as Almas
Eu quero ver correr Brilha, brilha, sou filho da lua
Eu quero ver balancear Saravá Seu Toco Preto
Chegou Exu Gira Mundo Saravá Seu Tranca Rua
Que vem na Umbanda a trabalhar Brilha, brilha, sou filho da limeira
Saravá Seu Toco Preto
Seu Gira Mundo Saravá Exu Mangueira
acrozou todo mar
procurado uma cidade Exu ganhou uma garafa de marafo
pra trabalhar E levou na capela pra vencer
Ele giro por aqui Seu Mangueira correu e gritou:
Giro giro ¿Na batina do padre tem dendé, tem?
Ele giro por alá Tem dendé, na batina do padre tem dende
Giro giro Tem dende, na batina do padre tem
Procurando uma cidade
pra trabalhar Exu trabalha de pé
Não se senta na cadeira
Exu Lalu Gosta de tomar marafo
De brincar com o seu garfo
Lalu era anjo do céu Sarava Exu Mangueira
E do céu foi despejado
Na tronqueira da Calunga Oi Mangueira
Tem seu ponto confirmado ¿Em que altura foi morar?
O seu ponto é firme, ele é Exu Foi você mesmo quem disse
O seu ponto é firme, ele é Exu Lalu que nasceu em cascadura
23
Exu Marabô Quem nunca viou venha ver
Seu Marabô na encruza
Santo Antônio de batalha É de quengueré
ai de mim batalhador
corre e gira Pomba-Gira Poeira poeira
Tranca-Rua e Marabô Poeira Exu Marabô Poeira
Poeira da encruzilhada poeira
Exu Marabô Saravá Exu
é Gangá!
Caminhei pela estrada deserta
Salve Seu Sete Encruzilhadas Caminhei sem olhar pra lua
Seu Sete Encruzas já chegou Ate que cheguei na minha morada
Na porteira da Calunga Sou um dois donos da rua
ele é o Exu, é o Marabò
Giró, Giró Eu foi no mato Ganga, cortar cipó
Eu vi um bicho Ganga, de um olho só
Na marambaia tem Marabô Ai Exu Ganga, Exu Ganga é Marabô
na encruzilhada, Marabô trabalhou
maraba, Marabô, é um Exú de fé Estava na beira do caminho
maraba, Marabô, tirado sem ter onde ficar
só não vence quem não quer eu clamava pelos quatro ventos
pedia por céu e por mar
Seu Marabô chegou, na sua encruzilhada feichei meus olhos
salve a hora grande, perto meia-noite
a hora grande da madrugada quando uma voz me faz despertar
eu quero ver, galo preto cantar eu vi um home, vestido de branco
vou acender minha fundanga Não tema, me dicho
para todo o mal levar eu vou te ajudar
Exú Marabô, na linha de Umbanda Sacou uma cartinha
ele vai girar, ele vai girar com água do mar
ele bebe sangue, na mesa de Umbanda lavou mia cabeça
para nos salvar elevou um cantar
Yemanja, dona do mar
Tava curiando na encruza eu sou tu esclavo, tu emisario
quando a banda me chamou na Quimbanda levou toda demanda
Exu na encruza é rei pra este filho levantar
no terreiro ele é doutor Solto meu corpo, na lua se perdeu
Exu vence demanda na Umbanda é Preto Velho
Exu é Marabô na encruza ele é doutor
Eu te agradeço senhor da Calunga
Vinha caminando pela rua Eu te agradeço por sempre, Marabô
Quando ouvi Seu Marabô me chamar
Louvei a encruza, louvei a rua Exu Marabô Toquinho
Sarava Seu Marabô que caminha pela rua
Exú é um homem pequenino
Vinha pela estrada deserta além de pequeno, alejadinho
Quando eu vi, Marabô me chamou vai levando todo mal Exú
Só sei que me convidaran, mas.. que encontrar pelo caminho
só salvei Marabô que caminha na estrada
Marabô ie, Marabô mogiba Auê Ele é Marabô Toquinho
Na cangira do balanzo é Dono do canto da rua
Na cangira do balanzo á Ele quando pega a demanda
e sempre Ogum quem manda
Ele vem de longe mas chega aqui pedaço por pedacinho
E quando vem, alguém lhe chamou
Vem salvando toda a encruza Exu marabô Toquinho
Já chegou Seu Marabô pedaço de pedacinho
no meio da encruzilhada
...
24
Exu Mare
Foi no mar, foi na beira da prai
Diz Exu não é marinheiro pra salvar Exu Marê
pra amarrar toco no mar da falange lá do mar
Cai chuva, cai sereno Exu Marê é quem vinho pra me saudar
toco no mesmo lugar Exu Marê
da falange lá do mar
Quando passava pela encruza
pedo liçenza pra olhar pra atrais Lá no mar de Marabô
olha que tem seu morador lá no mar de Exu Marê
Exu Mare é quem mora lá Eu foi na Calunga linda
Boa noite a gente pra pedir lhe que quizer
Exu Maré da boa noite Se você é quem quizer
Boa Noite a gente você tem que acreditar
trabalho da Calunga é
Mas eu tenho um balanzo lá no fundo do mar
tenho um balanzo
tenho um balanzo na terra Fazendo sua magia
Mas eu tenho um balanzo ele vem nas ondas do mar
tenho um balanzo pra mostrar quem ele é
tenho um balanzo no fundo do mar vem para vencer demandas
Eu foi no mar para saudar Exu Maré Ele é Exu Maré

Ele vem navegando no mar Exu Maré é rei na Quimbanda


Lá no reino de Janaina Exu Maré é rei, ele é
Navegando vem, navegando nas suas demandas não pega fogo
Exu Mare lá do mar chegando trabalhando nas encruzas
Ele vem navegando nas ondas do mar ele é Exu Maré
ele é marinheiro da mãe Yemanjá
Quando a maré escoa
Você que sabe quem sou eu a praia vai ficando vacia
Quando veio nas ondas do mar é Exu Maré que vem chegando
Eu sou filho de Otina sarvando encruzilhadas
Se você precissa mandeme chamar fazendo sua magia
Exu Marê, Exu Marê
Exu Marê, vem pra mim ajudar Chegou Exu Mare
para tudo mnal levar
Olha esse mozo Chegou Exu Maré
Enfeitizando essa mulher para nos descarregar
de bengala, de chapeu e terno branco
Ele e Exu Mare Tava na beira da praia
Se voce quizer amor Todo filho a saravá
Vai falar com exu Mare Eu choro de alegria
Para encruza, la na areia, na marujeira Quando todo é alegria
Ele é Exu Mare Eu choro de tristeza
Quando vou pra lá pro mar
Na beira da praia se ecouto um grito de Nganga é é é
guerra Ele chora na Aruanda
piso tembla, risco a terra Nganga é é é
¿aonde é, aonde é? Ele é Exu Maré
Era o povo quimbandeiro
que vem lá do lodo Exu Mareiro
Exu Marê, Exu Veludo
Ai vem Exu Mareiro do fundo do mar
Na beira da praia deram um grito de guerra Para trabalhar
Escrutai cá na terra Ele se leva todas as palavras
¿O que é, o que é? Mas as verdades ficam no ar
E o povo quimbandeiro que vem lá do lodo
Exu Marê, Exu Maré
25

Exu Mirim Exu Morçego

Ele é Exu Dentro de uma Casa Velha


Exu Mirim onde Mora A Escuridão
Não me nega nada eu sou Exu e eu tenho aça
Sempre me diz sem eu giro em cualquer lugar
Quem tem aça sempre boa
O meu Senhor das Almas Quem tem fe sempre caminha
Não faça pouco de mim Não gosto da luz do dia, não
Eu sou tão pequeninino porque a noite sempre é mia
Eu sou Exu Mirim Dentro de uma Casa Velha
onde Mora A Escuridão
Exu Mirim é um formoso eu sou Exu e eu sou um guia Exu
Ele é Exu de fé eu sou o bem e eu sou o mal, Exu
Tem um pai e tem um irmão
esse mano é Lucifer Acendi uma vela, la no cemiterio
para iluminar a cruz de Morçego
Fá fá fá lemi ebó Adoré! Atoto!
Fá lemi ebó Seu Morçego iluminhou
Exu Mirim despacha ebó
Estava amanheciendo
Exu Mirim é meu Exu de fé Vi um morçego no ar
Exu Mirim é o pequeno na Quimbanda Pedi a proteção
Exu Mirim saravando a encruza de nosso Pai oxala
Exu Mirim vencendo suas demandas O céu escureceu
Exu bateu asas na Calunga
Exu era um homem pequenino Voou, voou
Além de ser pequeno, aleijadinho Exu Morcego já chegou
Oi vai levando todo o mal, ô Seu Exu!
Que encontrar em meus caminhos Exu Morçego ele é homem é
Na Gira da Quimbanda é homem é
Exu Molambô
Seu terno branco, sua bengala
Olha esse home ajolhiado na basora na encruzilhada, quirí quirí quirí
A gente fala que ele vem do alto da lomba Seu Morçego da risada
Ele vai girar
Ele vem girando
Ele é Exu corcundo
Ele é Exu Molambô

Vejam seu terno branco


E tudo molambô só
Mas ele é rei da Quimbanda
Seu Molambô não rejeita ebó

Exu Molambô é maroto


só olha pra moza bela
com sua garra de oti
fica chamando da janela
Ele é Seu Molambô, é um Exu
seu fetiche leva pena de Urubu
26
Exu Omulu

E Omulu aê Na força das Almas vem vibrando


Omulu aa quando lua cheia iluminho
Atoto pra as Almas y brilha no cemiterio
Atotô Obaluaê alumbrando a cruz maior
Salve Salve Salve la Calunga Atotô Atotô Atotô Obaluaê
Salve Salve Salve o Povo da Calunga Atotô Atotô, na cruz maior eu adore

Babaluaê Adorei as Almas


Olha a dança de Omulu é de Baba Abaluaie e as Almas me atenderon
Olha a dança de Omulu Adorei as Almas
E de Baba Abaluaê as Almas do terreiro
Olha a dança do Exu Com las santas Almas
E de Baba Abaluaê lá na Calunga
Com las santas Almas
E Omulu de la Calunga
Omulu é Xapana Adorei las Almas
Na gira de Exu lá da Calunga
Omulu é Xapana Adorei as Almas
Alaroie Exu de la Calunga
Omulu é Xapana A corrente de Bara
Do Povo de Omulu
Com la chave do baul Exu Exu
da corrente de Omulu da Calunga
(nombre de Exu)
A cadena de Bara da Calunga
é de o Povo de Omolu Alalubae Alalubae Alalubae
Exu Exu! O Povo de Omulu
da Calunga!
Babaluaê Babaluaê Babaluaê Omulú, Omulú, Omulú, Omulú
do reino dourado
Salve o Povo de Omulu vem ver seus filhos
Ele ó dono do baú que estão perturbados
Ele é o mestre omulú
Seu Omulú auê, seu Omulú auá Lá no cemitério eu tenho 7 almas
meu senhor das almas dentro do terreiro
venhas me ajudar um caixão de quimbandeiro
e salve, que salve, que salve a Calunga venha quem vier
Saravá seu Omulú
Exu Atotô Saravá seu Lúcifer
Babaluaê
E Omulu Baê Seu Omulú é quem trabalha na aldeia
E Omulu Baiâ o galo preto e a farofa é sua ceia
Atotô das Almas Odé, Odé, Odé
E Omulu Baê olha a dança de Omulú
Salve, Salve, Salve la Calunga Odé, Odé, Odé
olha a dança de Omulú
Ele é jefe da Calunga
Ele é grande Orixa Capela santa, capela santa
Ele é Seu Atotô! Que eu mandei fazer
Obaluae Eu agradeço ao Senhor Omulu
Omulu é, Omulu é, Omulu é Atoto Obaluaê
Ele é grande Orixa

Seu Omulú ê, seu Omulú ê


seu Omulú ê, Omulú é orixá
Saravá seu Omulú, Omulú ê
Saravá seu omulú, Omulú é orixá
27
Exu Pagão Exú Pimenta

Exu Pagão vagou pela encruza Todo mundo quer


vagou, vagou, até que chegou só a Umbanda é quem agüenta
ele vem girar, ele vem girá, ele vem girá chega, chega na terreira
vem pra trabalhar vai chegar o Exú Pimenta

Ele não foi batizado Todo mundo quer


não busca a salvação mas só Exu agüenta
mas é ele quem vence demanda Ele veio na terreira
Sarava Exu Pagão chegou o Exú Pimenta

O meu senhor das Almas Exu é Malele


não me diga que não Exu Pimenta qui ganga
Eu sou Exu Ganga num ganga maleço
Eu sou Exu Pagão Exu Pimenta qui ganga

Exu Pantera Negra Tudo mundo quer


Mas só na Umbanda é que agüenta
Pantera Negra com sua camaraderia Chega chega no Terreiro
Não tem medo ao escuridão Chega chega Exu Pimenta
Pega seu grito de guerra
dentro da inmensidão Exu Pinga Fogo

Vermelho é cor do sangue de meu pai Pinga Fogo lá na encruza


O verde e a cor das matas Pinga Fogo lá na serra
Sarava ao Exu Pantera Negra Abre a porta minha gente
O Sarava as matas aonde ele mora Pinga Fogo tá na terra

Exu Pedra Negra Seu Pinga Fogo passou na encruzilhada


Ali encontrou sá Pomba Gira
Sala salá mucarrero Aproveitou encomendou-lhe a demanda
Sala Legbara sala Fico segurando a gira
Sarava Seu Pedra Negra
Sala munganga é sala Eu vi Exu Pinga Fogo
no ato do chapadão
Não sei o que faço comendo jaca madura
Não sei o que resolver jogando as verdes no chão
Estou desesperado
estou para morrer Exu Porteira
Exu da Pedra Negra
Vem me ajudar Foi na beirada do caminho
faz entrar dinheiro Esse gongá tem segurança
Para me salvar Na porteira tem vigia
A meia-noite um galo canta
Exu Pemba
Aonde eu chego, eu abro e fecho a porta
Exu Pemba é home forte Eu sou Exu Porteira que alivia a demanda
Promete pra não faltar Quem quiser que venha a ver, estou pra
Quando corre pela encruza mostrar
Nossa demanda vem buscar Eu vejo a demanda e depois vou
Ele é Exu da promissão desmanchar
Ele sempre cumpre sua missão

Pia cobra no cercado


Quando exu vem trabalhar
Salve Exu da Pemba Preta
Que tá aqui pra trabalhar
28
Exu Poeira
Exu Quirombô
Poeira, Poeira vem do lado de lá
Poeira na madrugada Seu Quirombô é meu protetor
Poeira vem do lado de lá
Poeira, Poeira
Poeira na encruzilhada ¿Quem matou, quem matou?
Poeira ¿Quem matou a Cainana?
Foi Exu Quirombô
Não pisa na caveira que ganhou sua demanda
Quimbanda vai começar
Não pisa na caveira Papai olha o Quirombô girar
Exu Poeira vem trabalhar Samba lele o Quirombô
Olha o Quirombô girar
Meu Deus que ventania
Meu Deus que temporal Exu Tira Teima
Lalalá lalalé
Exu Poeira é Maioral Quando povo da mata chamou
Tudo seu povo chegou
Na estrada empoeirada
de certo tem um morador Ganga é lele
caminhava firme e certo Ganga é lelá
no romper da madrugada Gira com Ganga é malele
Salve o sol e Salve a lua Exu Tira Teima é mogiba
vou morar na encruzilhada
Caminhava pela estrada Exu Tita Teima é homem nobre
Caminhava sem parar Exu Tita Teima é homem nobre
Caminhava caminhava Na gira da Quimbanda é homem nobre
No encruzo fui parar
Encontrei Exu Poeira Exu Tiriri
que na estrada ia firmar
Exu Bara que Bara da porteira
Ele ia caminhando pela rua Tá na porteira a meia-noite
rua tuda empoeirada Bara Exu na encruzilhada
era Seu Exu Poeira ¿quem é que falou
que ia para a encruzilhada que o Tiriri não é de nada?

Você não mora aonde eu moro


Exu Quebra Galho você não ve o que eu vi
O homem da encruzilhada
Exú pisa no toco, Exú pisa no galho Ele é o Exu Tiriri
o galho quebra, Exú não cai ô ganga Tiriri e belo, e belo
eu sou Exú que piso no toco de um galho é belo Exu
só Seu Tiriri e belo, e belo
é belo Exu
Ouvi um ruido na mata Já bateu a meia-noite
não sei o que será vamos ver quem vem ai
para mim que é o Quebra Galho a afirmar nossa corrente
que veio trabalhar vem chegando Tiriri
quem matou, quem matou
Você não mora aonde eu moro
você não ve o que eu vi
Exu Quirombô lá no meio do cruzeiro
Seu Tiriri eu quero ver
O sino da capela faz belem blem blom Tiriri e belo, e belo
Deu meia-noite e o galo já cantou é belo Exu
Seu Quirombô que é dono da gira Tiriri Lana
Segura a banda que Ogum mandou Bara Exu
29

Exu Tiriri Laná Lá na meia-noite


¿Laná cadê o Tiriri? lua cheia iluminho na encruza
Ele vem lá de Aruanda Esse home que vem caminhando
pra salvar filhos de Umbanda é compadre de Seu Tranca Ruas
Exu Tiriri Laná Ele é Seu Exu
ele é Exu Tiriri Lonâ
Exú Tiriri Lanã Ele é Seu Exu
Lanã de um bandolim ele é Exu Tiriri Lonâ
quando vem lá de aruanda Ele eeee Tiriri Lanâ
vem salvar
filhos de Umbanda Moço bonito que passou por aqui
Exú Tiriri Lanã é seu Tiriri, é seu Tiriri
Alupo agema, Alupo a
Gira gira gira Exu quem manda na encruza
Exu Tiriri é o Exú Bará
Gira gira gira Exu
Exu é quem vai girar Tiriri, Tiriri, é um moço belo
Ô Salve a pemba, Salve a pemba quem mexer com Tiriri
Ele é Exu Tiriri vai parar no cemitério
Ô Salve a pemba, Salve a pemba Exú Tiriri, trabalhador da encruzilhada
Exu é quem vai tirar toma conta, presta conta
ao romper da madrugada
Caminhava pela rua vem seu Tiriri, vem que eu quero ver
de repente eu vi esse mozo gargalhar vem com a Pomba-Gira
Ele é meu senhor e a demanda vai vencer
na Quimbanda Exu é trabalhador
ele é meu senhor Eu sou Tiriri da Umbanda
é meu guia, Seu Tiriri é vencedor Moro na encruzilhada
E chegada a minha hora
Se você não acredita vem ver No romper da madrugada
en la encruza eu te vou a responder
Eu su exu Tiriri Exu Tiriri trabalhador da encruzilhada
quem me precissa toma porta, tranca porta
lo vou a proteger vai chegar a madrugada
Seu Tiriri Bara Lode Exu Tiriri trabalhador da encruzilhada
Seu Tiriri Bara Lode toma porta, tranca porta
ele e dono da encruzilhada vai façer a madrugada
en la Calunga mora também Exu Tiriri trabalhador da encruzilhada
toma conta, presta conta
Ele me acompanha y a noite é escura vai chegar a madrugada
e ele é um rei da encruzilhada Exu Tiriri trabalhador da encruzilhada
Bara Exu, Exu Tiri Alanà Exu toma conta, presta conta
Bara Exu, Exu Tiri Alanà Exu vai façer a madrugada

Eu vi na rua um Exu pequenino Ele se chama Tiriri


Ele é Exu Tiriri Bara Nasceu em Mato Grosso
Ele é Exu Tiriri Lara Se criou em Nazaré, en Nazaré
A meia noite, ao sair a lua cheia É filho de um chavante
Ele vai danzar com ela Neto de um navegante
ordenanza de Oxala Tiriri é um rei, um rei é ele
Ele é Exu Tiriri Bara E um rei é, é um rei é
Ele é Exu Tiriri Lara
Mas ele mora lá nas sete encruzilhadas Exu que é rei da Quimbanda
Aonde mora Exu Seu sete, Pai Ogum y o Tem sete oubes de oro
Pai Bara Saravá Seu Tiriri
Ele é Exu Tiriri Bara É meu rei e meu tesouro
Ele é Exu Tiriri Lara
30
Na encruzilhada eu sou morador Exu Tiriri da Calunga
Na Umbanda e na Quimbanda
Eu sei trabalhar Eu vi Exu dando gargalhadadas
Eu sou Exu Tiriri com tridente na mão, sua capa bordada
Eu venho na forza de Pai Oxala Eu vi Exu
Ele é Exu Tiriri, morador lá da Calunga
Deu uma ventania o Ganga vem firmar seu ponto aqui
No alto da serra
Era Rei Tiriri o Ganga O meu senhor das Almas
que veio para a terra Me diga quem vem ai
Eu sou Exu, Eu sou Tiriri
Me chamaram na encruza Foi, foi Oxalá quem mandou eu pedir
Foi Tranca Rua quem me chamou Me mandou implorar
Sete Encruzilhadas e Marabô Que as santas almas viessem ma ajudar
nos quatro na encruza somos reis Com Seu Tiriri na encruza
E lá no centro da encruzilhada de joelho a gargalhar
Seu Ogum é o Rei Maior
Quando o galo canta
Na Calunga eu não vou ficar as Almas se levantam e o mar recua
Eu vou pro encruzo, quero trabalhar e quando os anjos de céu dizem “Amen”
Exu Tiriri, eu tenho meu reino e o pobre do labrador diz “Aleluia”
Eu sou dono da força encruzada Viva Aleluia, Viva Aleluia
Rei Tiriri Viva Aleluia
Eu sou trabalhador da encruzilhada De terno branco e de bengala
Meu nome é Tiriri Exú Tiriri na encruzilhada
Eu giro com o sol e com a lua ele dá risada
na encruzxa eu sou doutor

E meia-noite em ponto o galo cantou Exu Tiriri Lonan


cantou pra anunciar que Tiriri chegou
Ele vem da Calunga Na encruzilhada tenho meu garfo
de capa, cartola e tridente na mão Meu garfo é firme, com ele sei trabalhar
esse Exu de fé é quem nos traz o axé
Eu sou Tiriri Lonan, minha coroa
e nos dá proteção
Ele é Exu Odara e vem nos ajudar
Quem me diou foi Pai Oxala
com seu punhal ele fura
ele corta demanda, ele salva, ele cura Meu nome é Tiriri Lonan
Exu Amojubá, Alaroié Na encruza eu sou morador
Alaroiê Exu, Exu Amojubá É na Calunga que eu sei trabalhar
Eu perguntei a ele: O que é Exu? Com nosso amigo Omulu Atoto
e ele veio me falar Sarava eu e Omulu, Sarava Ogum Megê
Exu e caminho, e energia Nosso patrão
e vida, e determinação
e cumpridor da lei
Exu e esperto, Exu e guardião
Exu é trabalho, e alegria
Exu Toco Preto
e veloz, Exu e viver
e a magia, e o encanto Exú pisa no toco, Exú pisa no galho
e o fogo, e o sange o galho quebra, Exú não cai ô ganga
na veia vibrando Exu e prazer, Alaroié eu sou Exú que piso no toco
Alaroie Exu, exu Amajibá de um galho só
Traz sua falange, Exu Tiriri para trabalhar
Vem Seu Tranca Rua, Maria Padilha e exu Exu pisa no toco, Exu pisa num pé
Marabô Exu pisa no toco de um galo só
Sete Encruzilhadas, Seu Zé Pelintra aqui
chegou
Maria Molambô, Maria Farrapo
O inferno pegou fogo
E dona Figueira, dona Sete Saias Seu Toco Preto apagou
Pomba Gira Menina e Rosa vermelha Toda gira de Exu, Seu Alarô
Sete Catatumbas, Exu Caveira firmou seu ponto Seu Toco Preto saravou
aqui, e o Exu Capa Preta O inferno pegou fogo
anunciou a festa do Exu Tiriri Seu Toco Preto apagou
31

Arreda homem, que aí vem mulher Eu estava dormindo


ela é a Pomba Gira, rainha do Candomblé Curimbanda me chamou
Toco Preto vem na frente Alevanta minha gente
pra mostrar quem ela é Tranca Gira já chegou

Boin Boin na Calunga Tranca Tranca Tranca


Boin Boin no Congá Tranca ele vem trancar
Boin Boin Seu Toco Preto Tranca Gira vai chegar
Boin Boin Sambarâ

Brilha, brilha, sou filho da lua Exu Tranca Rua


Saravá Seu Toco Preto
Saravá Seu Tranca Rua Quando a lua sair
Brilha, brilha, sou filho da limeira Ele vai girar, ele vai girar, ele vai girar
Saravá Seu Toco Preto Chegou Seu Tranca Rua
Saravá Exu Mangueira protetor de todo altar

Um dia eu tava na porteira em pé O sino da igrejinha faz belém, dim, dom


Ali passou Seu Toco Preto deu meia-noite e o galo já cantou
E beliscou meu pé seu Tranca-Rua que é o dono da gira
Ele é Exu Toco Preto ô corre gira que Ogum mandou
E rei na encruzilhada
Seu Tranca Rua matou seu galo
Na porteira onde ele mora Mas não quiz comer sousinho
Todo o Exu da gargalhada Ele chamou seus camaradas
Exu Toco Preto e dividiou em pedazinhos
¿O que é que manda? logo chegou Seu Lucifer
Exu Toco Preto e a Pomba Gira que é Exu mulher
¿O que é que quer?
Seu charuta e sua cachaça Se ele é
e se possivel uma mulher Capitão da encruzilhada, ele é
ordenança de Ogum
Exu Toquinho sua coroa quem lhe deu foi Santo Antônio
sua dijina quem lhe deu foi Omulú
Exu matou seu galo Oi salve o céu, salve o sol e salve a lua
dividiou em pedazinhos Saravá seu Tranca-Rua
depois de repartir que é dono da gira no meio da rua
só ficou com um bocadinho Ina ele é mojubá, Ina ele é mojubá
Ele é Exu mas é muito bom Saravá seu Tranca-Rua
Seu Toquinho gosta dos seus irmãos que é dono da gira no meio da rua

Seu Toquinho é bom Oi salve ele, que segura a nossa banda


E muito bom de coração Oi salve ele, que espanta a nossa dor
Ele salvou seu pai e mãe mas ele é ordenança de Ogum
Para ganhar a salvação e nos traz uma mensagem de amor
por isso nós vamos cantar e bater palmas
Exu Tranca Gira pra seu Tranca-Rua das Almas
nosso amigo e protetor
Com o seu terno preto e com licença de Oxalá
Sua bengala de embira Ina ele é mojubá
Ele é muito elegante é mojubá
Sarava Seu Tranca Gira no calor das nossas palmas
Ele vem na madrugada seu Tranca-Rua das Almas
Com sua linda cartola vem na luz de Oxalá
Chega e da logo boa noite
Mas não gosta de quem lhe amola
32
Seu Tranca-Rua me cobre som sua capa Sete chaves numa messa
quem tem sua capa se tapa um so home assentado
quem tem sua capa escapa Fidalgo rei da encruza
a sua capa é um manto de claridade Seu Tranca foi assentado
a sua capa cobre tudo
só não cobre a falsidade E se manda aquela mesa
em sete facas cruzadas
Chegou na cangira de Umbanda Salve Seu Tranca Ruas
Seu Tranca Ruas Salve Sete Encruzilhdas
Quem está de ronda é meu pai
Seu Tranca Ruas Eu só quero ver quando dia clarear
Me cubra com sua capa Tranca Rua trabalhando só pra me-ajudar
Quem tem sua capa escapa Eu só quero ver quando dia clarear
A sua capa é um manto de caridade Tranca Rua curimbando só pra me-ajudar
Sua capa cobre tudo Eu só quero ver quando dia clarear
Só não cobre a falsidade Tranca Rua da Encruza só pra me-ajudar

Na encruzilhada tem um rei Seu capacete é de veludo


É esse rei se chama Tranca Rua olha sua cocá
Na encruzilhada tem outro rei olha sua cocá seu Tranca-Rua
é Exu Rei e a Rainha Pomba Gira olha sua cocá

Rodeia rodeia Seu Tranca-Rua é uma beleza


Meu Santo Antonio rodeia Eu nunca vi um Exú assim
Meu Santo Antonio pequeninino Seu Tranca-Rua é uma beleza
Amansador de toro bravo ele é madeira que não dá cupim
Quem meche com Tranca Rua
Tá mechendo com o Diabo Ô Salve o Povo da Rua
Rodeia rodeia Exu rodeia Salve Seu Tranca Ruas
Aê aê, aê aá
Ô lere lere lere lere lerá
Ô sabe, sabe abençõar Soltei um pombo lá nas matas
e tudo o que você quizer foi na pedreira, nao possou
Tranca Ruas dai Ay, foi possar numa encruzilhada
Seu Tranca Rua e quem mandou
E boa-noite Boa noite lua cheia
a hora e essa lua nova do meu lado
Seu Tranca ja chegou Tranca Rua que chegou
agora e festa vai comandar no seu reinado

Nas Sete Encruzilhadas Galo cantou meia noite na porteira


tem um rei que mora lá foi Lucifer que respondeu
Seu Tranca Rua me diou a boa noite Mecha com tudo mas não mecha com meu
já começo a trabalhar povo
pois meu povo não e de brincadeira, não
Estava dormindo Tranca Rua kere keuê
quando a Umbanda me chamou Tranca Rua kere keuá
alevanta minha gente
Tranca-Rua já chegou Tanto sange derramado
O luar
Deu um clarão na encruzilhada Em cima de frio chão
e do clarão, surgiu uma gargalhada O luar
Eu dize que diz O Luar, O luar
Nao era o sol, nem era a lua O Luar
o que brilhaba era o Mestre Tranca Ruas Ele é o dono da rua
Sete chaves numa messa O luar
um so home assentado Quem cometeu as suas falhas
Fidalgo rei da encruza O luar
Seu Tranca foi coroado Peça perdão a Tranca Ruas
33

O Luar, O Luar Seu Tranca Ruas, me abre o meu caminho


Ele é dono da rua Que foi fechado pelo povo pequenino
quem cometiou as suas faltas Saravá o sol
peça perdão a Tranca Rua Saravá a lua
Saravá a rua
Eu vi na rua um home ajiolhado Saravá Seu Tranca Ruas
Vestido de Preto e um garfo na mão
Eu peerguntei: ¿Qui é você? Amanheceu, brilho o sol
Ele respondeu: Meu nome Tranca Rua é brilho o sol
Anoitecer, brilho a lua
Estava sentado no toco Venha passando pela encruza
com sete punhais encruzados eu avistei Seu tranca Rua
ora viva Tranca-Ruas Fiz um pedido
que é o rei da encruzilhada fiz um pedido com fe
ora viva Tranca-Ruas e meu pedido ele atendeu
que é o rei da encruzilhada Pergunte aonde é sua morada
e ele asim me respondeu:
A porta do inferno estremeceu "Eu morrei em Nazareth
saí correndo para ver quem era moro na encruzilhada
a gargalhada era muito forte sou Tranca Rua de Embaré"
era o seu Tranca-Rua
e o seu Treme Terra Eu tenho trancados meus caminhos
eu vou pedir se alguem me ajuda
Poder, poder Tranca Ruas é quem traz Seu Povo aclama seu nome
Cuidado com o que diz mas ele é Seu Tranca Rua
Tranca Ruas está por trás Exu Tranca Ruas
Cuidado com o que faz fabre meus caminhos
Tranca Ruas está por trás Exu Tranca Ruas
Lá na encruza, na encruza vem pra mim ajudar
existe um homem valente Exu Tranca Ruas
Com sua capa e cartola eu pra te pido
e seu punhado de gente Exu Tranca Rua
E madrugada, é madrugada que não posso mas
ele esta do meu lado
Por eso eu te-digo Tranca Rua O brilho da lua
voce é meu devogado clariu estrada afora
e a encruza
Deu Meia-Noite de esse Exu trabalhador
a lua se escondeu Seu Tranca rua chegou
Lá na encruzilhada nesta banda agora
dando uma gargalhada despaichando os amigos
Tranca Rua apareceu aliviando a nossa dor
E Laroê, E Laroê, E Laroê Faz suas mirongas sempre
E mojebá, E mojebá, E mojebá com grandes vitorias
Ele é Odara damdo sua gargalhada Eu digo que seu Tranca
quem tem fé en Tranca Rua é amigo a cualquer hora
só pedir que ele dai Quem tem fé, quem tem fé
Nunca é um perdedor
Vinha a meia-noite Sobe a capa de seu Tranca
por el centro de aquela rua Sobe a capa de seu Tranca
e encontreu ficando um Exu se consagra vencedor
me parecei que era Exu Tranca Ruas
Eu pergunte ¿Quem é voce? Ele foi tenente
E ele me diz: Sou o dono da rua Ele foi Capitão
Voce, que é um filho da Umbanda Ele foi Maior
Voce avisou quem esta na hora Hoje ele é General
Gargalho, gargalho, gargalho Seu Tranca Rua tem galardão
E ele me diz: Sou Exu Tranca Ruas Foi Pai Oxala quem lhe coroou
34
Tranca Rua no reino Foi nas Almas
Oh meu Deus o que será Foi nas Almas que Tranca Ruas se criou
Ele vai girar Ele vai girar Foi nas Almas que Tranca Ruas se batiçó
Chegou seu Tranca Rua E foi nas Almas
para todo mal levar
Ele foi um home
Seu Tranca Rua chegou no reino Ele foi senhor
Ele vem Saravar Ele foi baba
Veio Saravá a banda Ele foi doutor
Ele chegou pra demandas quebrar E agora neste utimo pasagem
seu nome é Tranca Ruas das Almas
Seu Tranca Rua nasceu
pra cumplir sua missão Viva as Almas
pela sua inteligencia Salve a coroa e a fé
ganhou logo um galardão Salve Exu das Almas
Ele é Exu muito delicado que é Tranca Rua de Fé
Mas se entra en demanda
Não quer sair mais, não Nos quatro cantos vem girar
Mas ele é
Mas ele é Tranca Ruas das Almas é
o rei da banda que trabalha com as Almas
Eu vou mandar chamar e também com Lucifer
eu vou mandar chamar Seu Tranca Rua
pra correr minha Aruanda Eu vi lá no alto da lomba
e defender este gongá um home que ai dançava
Mas ele é rei
Seu Tranca Rua Tranca Ruas de las Almas
é dono da gira Vem chegando a meu terreiro
Na encruzilhada começo batendo a capa
ele é o rei maior Mas ele é
Tranca Ruas de las Almas
Eu sou Tranca Rua Vem chegando a meu terreiro
Setenta mil Exus trago comigo vem girando com sua capa
Eu quero ver quem comigo pode
Na minha gira eu sou um trabalhador Eu vi as Almas estremeçer
quando aquel home gargalhava
Sou trabalhador da encruzilhada Mas ele era Seu Tranca Rua
No meu encruza eu sou rei maior Seu Tranca Rua do Povo das Almas
E com as ordens de Pai Ogum
na encruza eu sou morador A como é triste gente amar a algueim
e esse alguem não ama ningueim
Somos tres irmãos na encruzilhada Eu adoro o sol, eu adoro a lua
Somos tres reis donos da encruza na encruzilhada eu adoro Tranca Ruas
Somos tres reis vencedor de demandas A como é triste gente amar a algueim
Tranca Ruas, Tiriri e Sete Encruzilhadas e esse alguem não ama ningueim
Eu adoro o sol, eu adoro a lua
Exu Tranca Rua das Almas na encruzilhada
quem comanda é Tranca Ruas
Estava durmindo na beira do mar
Quando as Almas me chamou E filho do sol, é filho da lua
pra trabalhar Não meche com Tranca Rua
Olhando Tranca Rua que é filho do sol, que fica na rua
vem me-ajudar Sete mas sete são
Enemigo esta invadendo os misterios que me acompanham
a porteira do Gongá Ele é Tranca Ruas das Almas
Todas as Almas vem girando Sete Sombras me acompanha
vam guerrear
Bota enemigo para afora
para nunca mais voltar
35
Mas ele e o Capitão da encruza Quando o galo canta
mas ele vem com as ordens de Ogum As almas se levantam
A sua capa e poder de povo E o mar recua
a sua batida a forza de Nazaré É quando os anjos do céu dizem amém
Mas ele vem do sol E o pobre do lavrador diz aleluia
ele vem do sol Diz aleluia, diz aleluia
mas ele vem da lua Seu Tranca Ruas diz aleluia
ele vem da lua Diz aleluia, diz aleluia
ele e uma estrela Seu Tranca Ruas diz aleluia
e no terreiro lo chamamos Tranca Rua
O seu crucero é iluminado Pra mi não soufrir, pra me não penar
a competencia na encruza, na Calunga Tranca Rua das Almas
É capitão de Omulu Vem pra mi ajudar
E toma conta en la conta do reinado Minha vida esta espragada
Mas ele vem do sol.. Estou cansado de chorar
Se concede meu pedido
¿Quem é que é dono das Almas? Eu prometo le pagar
¿Quem é?
¿Quem é o dono da rua?
¿Quem é? De capa e cartola caminha na madrugada
Saravá Tranca Ruas das Almas Andarinho da estrada
Saravá sempre combatendo o mal
Seu Tranca Rua e amigo camarada
dando forte gargalhada me livra de todo mal
¿Quem é que chegou no reino? Alaroie Exu, Amojubá
¿Quem é? melhor que Tranca Ruas das Almas não há
¿Quem é que chegou no reino? Sete marafos coloquei na encruzilhada
É Exú sete velas e charutas, também levei padê
ô Saravá Tranca-Rua das Almas A meia-noite chamei por Seu Tranca Rua
Saravá ouvi forte gargalhada, ele veio me valer
ô Saravá Tranca-Rua das Almas Alaroie Exu, Amojubá
Saravá melhor que Tranca Ruas das Almas não há
Faça um pedio no meio da encruzilhada
a Tranca Rua das Almas antes do galo cantar
Quem é que desceu do reino
Se o galo canta e sinal que está na hora
Quem é? firma gira meu ogan
Quem é que desceu do reino que Tranca Rua vai embora
Quem é? Alaroie Exu, Amojubá
Ele é Tranca Ruas das Almas melhor que Tranca Ruas das Almas não há
Ele é
Ele é Tranca Ruas das Almas A lua iluminha a madrugada
Ele é como uma chuva de prata
Reflechido de esplendor
Vocês estão vendo esse moço O de esplendor!
O mestre Tranca Rua das Almas
que no cruzeiro esta
lá na encruzilhada, ele é meu protetor
ele é o Exu Tranca Ruas E o mestre que chegou pra trabalhar
filho das Almas tambem seja a noite ou seja o dia
Presta a ele uma grande homenagem ele da seu gargalhar
com todo o respeito que há Ele é o donno da rua
Ele é o Exu Tranca Rua meu caminho tá seguro
filho das Almas tambem e nele posso confiar
Tome cuidado mais ele é...
não vão se enganar Ele é o donno da rua
por nossos caminhos ele poderá passar Ele é o donno da rua
meu caminho tá seguro
e nele posso confiar
Oi foi Oxala Viva as Almas
Quem mandou lhe pedir sarava Seu Tranca Rua das Almas
Quem mandou lhe implorar com licença de Oxalá
Que as Santas Almas viessem me ajudar
Seu Tranca Rua na esquina
de joelhos a gargalhar
36
Eu quero ver, Umbanda eu quero ver Ogum Mege me coronoou
no meio da encruzilhada Exu Tranca Ruas é rei na Calunga
Seu Tranca Rua apareceu e vem com a benção de Pai Oxala
Seu Tranca Rua sempre foi homem valente
Seu Tranca Rua sempre foi homem valente
Eu vou girar, eu vou girar
defendendo a todos nos com sua capa e seu
tridente
e na minha caminhada
Seu Tranca Rua nunca me deixe sousinho eu vou passar pelo encruzo
Seu Tranca Rua nunca me deixe sousinho e na minha caminhada
Arme toda aseguranza na Calunga eu vou ficar
tire o mal do meu caminho
Eu quero ver ¿Qué home é esse?
Umbanda eu quero ver ¿De capa branca, com garfo nas costas?
no meio da encruzilhada E Tranca Rua
Seu Tranca Rua apareceu Todo mundo gosta
Seu Tranca Rua e o meu Exu de fé
Seu Tranca Rua e o meu Exu de fé
Ele e rei la da Encruza
Exu Tranca Tudo
e a Padilha e sua mulher
Ele e o rei dos fetiçeiros Ele é Exu formoso
e Tranca Rua de Embarê Sua capa de veludo
Ê ê ê Povo de Ganga
Eu tenho fe, eu tenho fe Vai chegar Seu Tranca Tudo
tenho fe nesse Exu
que é Tranca Rua de Embarê Trancou trancou, ele vem trancar
Salve a porteira, a rua e a encruzilhada Trancou trancou, ele vem pra trabalhar
Salve sua gargalhada, sua coroa de rei Sua Quimbanda é muito forte
Salve a vela e o punhão em sua mão
Mas seu ponto e miudo
Salve a grande proteção
que nesse Exu eu encontrei
Ele sabe sempre o que faz
Eu tenho fe, eu tenho fe Sarava Seu Tranca Tudo
tenho fe nesse Exu
que é Tranca Rua de Embarê Bacanal oi bacanal
Salve a noite, a madrugada enluarada Não vivo sem você
Salve sua capa bordada Vou pedir a exu Tranca Tudo
Salve todo su axê pra me favorecer
Salve a força de esse Exu trabalhador
Salve a grande protetor Exu Destranca Rua
que eu deposito a minha fé
Eu tenho fe, eu tenho fe
tenho fe nesse Exu
Destranca Rua a encruzilhada
que é Tranca Rua de Embarê Corre en tuda Quimbanda
Estava durmindo
Exú Tranca-Rua das Almas a Quimbanda me chamou
ele é homem é, ele é homem é Alevanta minha gente
ô Saravá Tranca-Rua das Almas, Saravá Destranca Rua já chegou
Destranca Rua saiu a girar, a girar
Seu Tranca-Rua Chegou Destranca Rua
Ah ele é homem é para tudo mal levar
jurou, jurou, jurou
firmar esse Congá Deu meia-noite, eu foi na encruzilhada
Ah seu Tranca-Rua eu vi um Exu que começava a trabalhar
firma a banda Era Destranca Rua
e deixa as almas com sua falange no meio do cruzeiro
trabalhar nesse gongá
Oi para de cantar Exu
Eu trabalho na Calunga pequena Oi para de sorir Exu
e giro na Calunga Grande Ele se chama Destranca Rua
Seu Ogum me coronoou O home da encruzilhada
Yemanja me batizou E ele, é ele, é ele
Eu sou filho da lua O home da encruzilhada
mas também sou filho do sol que mora lá no cruzeiro
Lá no cruzeiro das Almas Ele se chama Destranca Rua
37

Exu Treme Terra Auê Veludo, seu cabrito deu um berro


auê Veludo, seu cabrito deu um berro
A porta do inferno estremeceu rebentou cerca de arame
saí correndo para ver quem era estourou portão de ferro
a gargalhada era muito forte Ele é o Exú que se arrasta co Cruzeiro
era o seu Tranca-Rua e o seu Treme Terra Ele é o Exú que se arrasta na Calunga
É o Exú do sol, é o Exú da lua
Exu Tronqueira Exú Veludo, ele é o dono da rua

Segura filhos da banda Exu Veludo é um Exu muito lindo


Quimbanda vai começar da volta em cualquer lugar
Ogan segura a cantiga Exu Veludo vem com seu marafo
Pai de Santo segura o Gongá Exu Veludo save o que faz
Batedor segura atabaque Cuá, cuá, cuá, cuá
Seu Tronqueira vai chegar e saravar Exu Veludo Saravá
Cuá, cuá, cuá, cuá
Exu é é é Ele vem pra trabalhar
Exu á á á
Exu o Legbara Exu Veludo é do mar
Seu Tronqueira é quá quá quá e foi no mar, foi na gira
que encontró Pomba Gira Menina
A estrada estava fechada Olha, olha que Menina
Fui ver o que tinha lá Olha que menina bela
Estava o Exu Tronqueira A Pomba Gira Menina
Guardando tudo por lá vai chegando nesta terra

Exu Veludo Na beira da praia se ecouto um grito de


guerra
Salve o sol, salve a lua piso tembla, risco a terra
na encruzilhada posso com tudo ¿aonde é, aonde é?
porque eu sou Exu Veludo Era o povo quimbandeiro
Comigo ninguém pode que ai vem Veludo
mais eu posso com tudo Exu Marê, Exu Veludo
na minha encruzilhada
eu me chamo Exú Veludo Abaluaê Abaluao
Anaruê, Anaruá Eu me chamo Tranca Ruas
Anaruê, Anaruá e tambem Exu Veludo
Eu me chamo Exu Veludo
e tambem Exu Bara Deu meia-noite
quando o malvado chegou
Ninguém pode comigo Era o Exu Veludo dizendo que era doutor
eu posso com tudo Era o Exu Veludo dizendo que era doutor
lá na encruzilhada Mas ele é exu dizendo que é doutor
ele é Seu Exu Veludo Mas ele é exu, irmão do Seu Marabô
Exu poçe com fogo
Exu poçe com tudo Ai veludo mora na boca do brejo
Saravá Exu Veludo Ele mora na Calunga, ele é do cemitério
Quem demanda comigo
Não chove miudo Exu Ventania
Saravá Exu Veludo
Deu uma ventania aquel lugar
Sua capa de veludo dó abunda a serra
quando venho eu deixo lá Era Exu Ventania aquel lugar
quanda dava meia-noite que vem decendo a serra
todo Exú ia buscar
Ena Mojibá êêê
Ena Mojebá
38
Exu Vira Mundo

Ooooo cadê Vira-Mundo pemba Dim dim dim dim dim dim dim
Ooooo cadê Vira-Mundo pemba Pulando cruzado no meio do terreiro
Lá na terreira, pemba chegou
com seu tambor e pemba Povo da Bahia, do Congo e da Lei de Nagô
Veado no mato é corredor Chegou Zé Pelintra que veio do lado de lá
Cadê meu irmão caçador Fumando e bebendo e gritando vamos
cadê Caboclo Ventania Saravá
esse Caboclo é nosso guia Saravá ôô Saravá
Ooooo cadê Vira-Mundo pemba Saravá ôô Saravá
Ooooo cadê Vira-Mundo pemba Atirei um ponto para saldar Lúcifer
Galinha preta na encruzilhada Maria Padilha, rainha do Candomblé
gato preto de madrugada Candomblé ôô Candomblé
azeite de dendê, farofa amarela Candomblé ôô Candomblé
botei, fritei numa panela Tin tin tin tin tin tin tin tin
Ooooo cadê Vira-Mundo pemba Risca ponto
Ooooo cadê Vira-Mundo pemba Firma ponto

Ele vem virando o Mundo Se a rádio patrulha viesse aqui agora


ele vem virando o mar seria uma grande vitória
ele vem aqui na Terra ninguém poderia correr
ele vem pra trabalhar Agora eu quero ver
se Exu Malandro não pode correr
Exu Zé Pelintra Agora ai que bater as palmas
pra Zé pelintra das Almas
O Zé quando vem de Alagoas ele chegou a trabalhar
Toma cuidado com o balanço da canoa Mas foi doutor, foi doutor
O Zé Salve o Senhor
Faça tudo o que quiser
mas não maltrate Toda manhã
o coração desta mulher quando eu desço a ladeira
O Zé a nega pensa que eu vou trabalhar
Peça tudo o que quizer eu ponho o meu cachecol no pescoço
Quero dinheiro para gastar no cabaré meto um baralho no bolso
e vou pra Barão de Mauá
Malandro com malandro Trabalhar, trabalhar pra quê?
e marido e mulher Se eu trabalhar eu vou morrer
Malandro com malandro Zé Pilintra é
Ô Zé como é que é
Eu Encontrei Zé Pelintra na Estrada você diz que é cabra macho
chorava por el amor de sua amada mas só bate em mulher
Chorava por uma mulher Ô Zé vê se toma jeito
chorava por uma mulher vai lá na serra e apanha uma flor
que não lhe amava Ô Zé dá essa flor pra ela
faz chamego nela
Zé Pelintra, Zé Pelintra é isso que ela quer
Boemio da madrugada
Vem na linha das almas Subi no morro da Mangueira
e também da encruzilhada só pra ver dois malandros fumar
oi diz pra ele, tá faltando ele,
¿Quem é aquele mozo tá faltando ele
sentado en um barril? para aqui chegar
¿Tudo de terninho branco oi diz pra ele, tá faltando ele,
com chapeu de palha olhando pra mim? tá faltando ele
E Zé Pelintra é pra vir trabalhar
ele é o Zé
Ele é boemio, ele é malandro
ele é o Zé
39

De terno branco, seu punhal de aço puro Escuridão no meu viver


O seu ponto é seguro preciso de um clarão na minha vida
Quando vem pra trabalhar acreditar que em cada novo amanhecer
posso encontrar a paz perdida
Segura o nego, que esse nego é Zé
Na madrugada ao caminhar
Pilintra a minha fé vai seguindo
Na descida do morro ele vem a sua luz que ilumina
Pra trabalhar no samba, no pagode ou batucada
Seu Zé é o camarada que me guia
Tava sentado no muro fumando um Sob a clarão da lua
bagulho com o malandro sou mais eu
O camburão chegou "As mulheres dou carinho
Ai as crianças gritaram e da noite o rei sou eu
Corre Zé Pilintra uma cerva bem gelada
o cavaco e o violão
A polícia chegou
hoje tudo e alegria, não existe solidão"
Deu pancadaria, deu confusão Ô balançou
Saí correndo, Balançou, balançou, não caiu
Deixei meu bagulho no chão A minha vida mudou
novo horizonte surgiu
De terno branco, seu punhal de aço puro
O seu ponto é seguro A malandragem já fala por si só
Quando vem pra trabalhar o nome dele é Zé pelintra
Segura o nego, que esse nego é Zé Pilintra ele é o rei do Catimbô
Na descida do morro ele vem trabalhar ele nasceu, se criou nas Alagoas
e sua vida sempre levou numa boa
Hoje ele vem
Valei-me Senhora Aparecida no batuque do terreiro
Porque tu és a grande padroeira ele chega sambando e sapateando
Valei-me Senhora do Amparo ele e mestre Juremeiro
Estrela guia e o meu povo da Bahia Confio nele, nele eu tenho fé
Valei-me Senhor do Bonfim resolve qualquer problema
E os baianos deste padroeiro com a força do seu axé
Valei-me Orixá formoso E meu amigo, e um grande camarada
Que gira, gira nesse terreiro me defende dos perigros
Quem vem na frente é Seu Zé Pilintra ao longo da minha estrada
Com suas mandingas
Com seu chapéu de lado
desatam cualquer nó
Seu lenço encarnado ele e o Seu Zé pelintra
Vem saudar filhos de Nazareno E o rei do Catimbô
Pra dar mais força nesse terreiro

Seu Zé feche a porteira


Cancelas e tronqueiras
Não deixe o mal entrar
Olha o galo já cantou na Aruanda
Farofa na fundanga quero ver queimar

Com seu chapeu de palha


E seu lenço no pescozo
Zé Pelintra esta na terra
Pra dizer: Boa noite mozo
Morador lá do sertão
Traz sua figa no pé
Se não esta aborrecido
Louva Jesus de Nazaré

Zé Pelintra no Catimbô
E tratado de doutor
Quando abre a sua mesa
Tem fama de rezador
40
Puntos de Povo da Rua

Salve o Povo da Rua Eu sou Bara da Rua


Salve Seu Tranca Rua Chegou também pra você
Ae ae Eu sou Exu Bara Lode
Ae aa Eu sou Exu Bara Lode
Na minha caisa de pombo
ele não posse queimar Meia-noite na encruzilhada
Ae ae O sino bateu blem blem
Ae aa O despacho foi arriado
Exu que mora no mato Foi entregado Exu Bara
Exu que mora no rio Que trabalha pra nosso bem
Exu que mora no mar
Ae ae Vá, vá, vá
Ae aa Me valei Sete Cruzeiros

Se ele é Bará eu não sei A coroa do rei é mario


se ele é Exu também não Exu é da Encruza
eu só sei que ele veio de lá
para trazer a proteção Puntos de Povo das Almas
Corre corre corre gira
deixa a gira girar Nas portas do Humaitá eu vi voce
Corre corre corre gira Calunga preguntou por voce Ogum Mege
Exu Bará vem trabalhar Aue Aue Aue Ogum Mege

Galo cantou na beirada do terreiro O que vem é la macumba


Galo cantou na beirada do terreiro la macumba é
Pra saudar a encruzilhada E Ganga, Ganga, Ganga Exu
Aonde mora Exu guerreiro Aaa Exu
E Ganga, Ganga, Ganga Exu
Botaram um feitiço na encruzilhada
pra me derrubar Atabaque de berro, de cualquer madera
não adianta, não adianta de cajon de morto, de cualquer madera,
que eu também sou de lá Exu
meu Pai é Ogum, meu Pai é Ogum, minha Ai Exu
Mãe Iemanjá Esse fogo de vela me iluminou, Exu
já falei com Seu Sete que é meu cumpadre Esse cabo grande que me iluminha
pra ir lá desmanchar Esse fogo de vela me iluminou, Exu
não adianta, não adianta Ai Exu
que eu também sou de lá Esse fogo de vela me iluminou, Exu
você não tem força, você não tem força pra O fogo de vela que me ilumina
me derrubar esse fogo de vela me iluminou
você vai penar, você vai penar Ai Exu
você vai penar, você vai penar Esse fogo de vela me iluminou, Exu
Agora bate cabeça e pede maleme ao povo
do mar Vela grande não me iluminha
você está devendo, você está devendo, vai e cabaco de pau feito de madeira
ter que pagar caixa de defunto e de cualquer madeira
você tem que pagar, você tem que pagar
você tem que pagar, você tem que pagar E Omulu aê
E Omulu aá
Andorinha voou na mata Atotô pra as Almas
Na encruza foi parar Atotô Obaluaê
Salve esta casa santa Salve Salve Salve la Calunga
Salve esta banda linda Salve Salve Salve o Povo da Calunga
Sarava Exu Bara
41
Babaluaê Meu senhor do Campo Santo
Olha a dança de Omulu é de Baba Abaluaie Nas horas santas benditas
Olha a dança de Omulu Quem louva povo de Exu
E de Baba Abaluaê Não passa horas malditas
Olha a dança do Exu
E de Baba Abaluaê Almas Santas, Almas benditas
Ô Salve as Almas, Almas benditas
Com la chave do baul Eu te procurei, mas não encontrei
da corrente de Omulu Almas Santas, Almas benditas
A cadena de Bara
é de o Povo de Omolu E devagar, é devagarinho
Exu Exu! quem trabalha com las Almas
da Calunga! trabalha devagarinho
Babaluaê Babaluaê Babaluaê
Salve o Povo de Omulu Foi lá na lombo
Trabalhando com Exu porque as Almas me chamaram
Trabalhando pra levantar feitiço
Trabalhando, trabalhando (nombre de Exu) é quem mandou
Trabalhando
Todo Exu que rí, ele rí mas fala serio
Adorei as Almas Ele mora na Calunga, ele é do cemitério
e as Almas me atenderon
Adorei as Almas Houve uma festa na Calunga
as Almas do terreiro Seu (nombre Exu) convidou Seu Tranca Rua
Com las santas Almas Tiriri apareceu de terno
lá na Calunga Seu caveira de gravata barboleta
Com las santas Almas
de la Calunga Puntos de Povo dos Matos
Adorei las Almas
lá da Calunga Quando Povo da Mata chamou
Adorei as Almas Todo meu povo chegou
de la Calunga
A corrente de Bara Eu vi o Exu velho
Do Povo de Omulu no alto do chapadão
Exu Exu Comendo jaca madura
da Calunga e jogando verde no chão
(nombre de Exu)
da Calunga Comprei peiche, comprei sardinha
Alalubae Alalubae Alalubae Olho de gato, pé de galinha
O Povo de Omulu ¿Aonde mora Exu?
Lá na figueira
Exu Atotô
Babaluaê Puntos de Povo da Praia
E Omulu Baê
E Omulu Baiâ Diz Exu não é marinheiro
Atotô das Almas pra amarrar toco do mar
E Omulu Baê chove chuva, cai sereno
Salve, Salve, Salve la Calunga toco no mesmo lugar

Eu te procurei Descarrega Exu (nombre de Exu)


Mas não encontrei Leva o mal que tem pra levar
Almas Santas, Almas benditas Com sua forza bendita
Leva o mal pra o fundo do mar
Eu adorei das Almas
Eu adorei E na banda do mar
Eu adorei das Almas É é é na Umbanda
¿Sabem porque? Ven vem da Quimbanda
Eu adorei das Almas Pomba Gira vem trabalhar
E leva o mal pra as ondas do mar
42

Na beira do mar eu giro Ae Pombo Gira


Na Calunga grande trabalho Ae Pombo Gira
Minha quimbanda é verdadeira Ae Pombo Gira
Eu tenho a mamãe Sereia Vamos trabalhar
Sereia tubarão do mar Ae Pombo Gira
Ae Pomba Gira
De quando em quando Ae Pomba Gira
Vai olhando minha gente Leva as quizilas de essa casa
Pra minha aldeia pra a um lado de-lá
Pra chamar seu protetor
E o marinheiro que vem trabalhar Eu vi uma legba na beira da estrada
Seu japones, Seu Japones Uma legba
Lá na beira do mar Uma legba bonita e muito vem traçeada
Uma legba
Trabalha no cais de porto Quando ela dança que linda risada
Levando saveiros pro mar Uma legba
Ele é Seu marinheiro Mulher bonita desta encruzilhada
Pescador das Almas do Mar Uma legba
Alupandê Alupandê Alupandê Exu
PUNTOS DE POMBA GIRA Alupandê Alupandê Alupandê Exu

Ela é uma linda rosa Arreda homem, que aí vem mulher


Ela é uma rosa sem espinhos ela é a Pomba Gira, rainha do Candomblé
Auê Dona Pomba-Gira (nombre de Exu) vem na frente
Dona Pomba-Gira pra mostrar quem ela é
Abra os meus caminhos
Arreda homem que aí vem mulher
Aê olha a Pomba Gira girê arreda homem que aí vem mulher
Aê olha a Pomba Gira girá ela é a Pomba-Gira
Olha a Pomba Giré, Olha a Pomba Gira rainha do Candomblé
Olha a Pomba Giré, Olha a Pomba Giré ela é a Pomba-Gira
Olha a Pomba Girá rainha do Candomblé
Pomba Gira tem Sete Maridos
Olha a Pomba Giré, Olha a Pomba Giré Que bonita mulher que
Pomba Gira da saia rodada é Exú lá no cruzeiro
que veve, que fuma Mas ela é Rainha
na encruza a deixar é Exu lá no cruzeiro
Olha a Pomba Giré, Olha a Pomba Giré
Olha a Pomba Giré, Olha a Pomba Giré A Pomba-Gira vem descendo a serra
Olha a Pomba Girá trazendo pinga para Exú tomar
Pomba Gira Maria Molambo ela é casada, ela é namoradeira
Maria Padilha, Rainha das Almas a Pomba-Gira na terreira é feiticeira
Pomba Gira das Sete Encruzas
Rainha do Lodo, Cigana das Almas Deu uma ventania, Ngangá
Olha a Pomba Giré, Olha a Pomba Girá Dó abunda a serra
Olha a Pomba Giré, Olha a Pomba Giré Era a Pomba Gira, Ngangá
Olha a Pomba Girá que vem decendo a serra

Eeee eeeeaaaa Linda como claro de lua


Eeee eeeeaaaa Mas ela é mulher de Tranca Rua
Agúenta a gira E a porta do inferno estremeceu
segura o ponto Lucifer está chamando
deixa a gira girar e não se troca por ninguem

A Iansã foi quem lhe deu força E no romper da meia-noite


E de rainha do Candomblé Pombo Gire cacurucaia
Vamos saravar nossa rainha Pomba Gira
Ela é Exu mulher
43
Pomba Gira ae ae
Pomba Gira é de Maceio Pomba Gira é
¿Onde mora Pomba Gira? mulher de Sete Maridos
Ela mora no Maceio Não mecha com ela
ela é um perigro
O Pomba Gira eu precisso de você (nombre de la Pomba) é mulher de Sete
Pomba Gira eu precisso de você Maridos
Vamos jogar o jogo da amarelinha Pomba Gira é
Se eu perdeu você me ganha mulher de Sete Maridos
Se eu ganho você e mia Não mecha com ela
ela é um perigro
Pomba Giré, Pomba Gira
vou falar com meus compadres Beleza, beleza, beleza que gira
Pomba Giré, Pomba Gira E a Pomba Gira
Salve todas as comadres... E a Pomba Gira
Pomba Giré, Pomba Gira Dizem que é mulher do cabaré
Saravá grande força de Exu e Pomba Gira Pomba Gira é
Boa noite mozo, boa noite moça Dizem que é mulher do cabaré
Dizem que é mulher do cabaré
Vinha caminhando pela rua Pomba Gira é
quando vi uma mulher Pomba Gira é
Perguntei quem era ela mulher de Sete Maridos
Me contestou: Voce sabe quem sou eu Não mecha com ela
Você sabe quem sou eu ela é um perigro
você sabe quem sou eu Não mecha com ela
Eu giro a meio-dia ela é um perigro
eu giro a meia-noite
eu giro a cualquer hora Que bonita criatura
¿Você sabe quem sou eu? mas eu por ela fazo locura
¿você sabe quem sou eu? é linda como uma rosa
Eu sou Exu mulher é linda como a lua
Eu daria todo
Ela e Pombo Gira por ver a Pomba Gira nesta hora
Ela é Pomba Gira
Se ela da risada Que bonita criatura
e de cuá, cuá, cuá mas eu por ela fazo locura
(nombre de Exu) tambem dá é linda como uma rosa
é linda como uma flor
Exu fez uma casa Eu daria todo
com sete portas por ver a Pomba Gira nesta hora
com sete janelas
Exu não precisa casa E madrugada
e Pomba Gira quem vai morar nela era de madrugada
Eu vi um clarear na rua
A minha casa é de pombo ouvi uma gargalhada
A minha casa é de pombo Linda mulher tão formosa
Só dá pra dois morar que vem dizendo que é
Eu e você, você e eu Eu sou a dona da rosa
Sou a Pomba Gira de Fé
Tentaram me matar Eu entro em cualquer gira
na porta de um cabaré Na ordem so Candomblé
eu ando noite e dia Sou Pomba Gira da Rosa
só não mata quem não quer não me conhece quem não quer

Dizem que Pomba Gira é uma rosa Ae Pomba Gira


é uma rosa que nasceu entre os espinhos ¿Cade sua saia rodada?
Dizem que Pomba Gira é uma rosa Cade sua saia linda
Pomba Gira é uma rosa Rainha da encruzilhada
que floresceu nos meus caminhos
44

Caminhava perdido na encruza Uma noite taõ linda


quando de repente uma moza apareceu saindo pela madrugada
Ela pregontou que acontecia Estava namorado de ela
Eu lhe respondi: Choro por uma mulher mas ela é minha namorada
Vem trazer pra mim as sete rosas Não posso comprender
e uma botelha de champagna pra beber a força de essa paissão
Prende sete cabos lá na encruzilhada o povo dize que você
Faz pra mim um pedido é a dona do meu coração
que eu pra ti vou atender Estava en meio do olhar
Faz me voltar o meu amor ela ia passando
por favor senhora te lo imploro ia provocando
aconteçe que tem que asegurar
Ganhei uma barraca velha eu não posso negar
foi a Padilha quem me deu su verdadero encanto
O que é meu é da Padilha Você não vam a divulgar
O que de ela, não é meu que eu teio pena de amor
A Padilha Poere Poere Poera A gente fala que voce
Ganhei uma barraca velha é a dona de meu coração
foi a Molambo quem me deu Uma historia que falava
O que é meu é da Molambo de uma paissão inesperada
O que de ela, não é meu Eu ficava namorado de ela
A Padilha Poere Poere Poera mas ela é minha namorada
Ganhei uma barraca velha
foi a Cigana quem me deu A Padilha sabe
O que é meu é da Cigana A Molambô ve
O que de ela, não é meu A Quitera comenta
A Padilha Poere Poere Poera que eu amo a você
Ganhei uma barraca velha Mas eu não te quero um dia, não
Rosa vermelha é quem me deu Não te quero uma noite, não
O que é meu é da Rosa Vermelha Eu te quero pra toda minha vida
O que de ela, não é meu Tranca Rua sabe
A Padilha Poere Poere Poera O Seu Sete ve
A Cigana comenta
De vermelho e negro que eu amo a você
vestindo a noite Mas eu não te quero um dia
um mistério traz Não
de colar de ouro Não te quero uma noite, não
de brincos dourados Eu te quero pra toda minha vida
a promessa faz
Se é preciso ir, você pode ir Tire o seu sorriso do caminho
faça o que quiser que eu quero passar com a minha dor
mas cuidado amigo Hoje pra você eu sou espinho
ela é bonita, ela é mulher Espinho não machuca a flor
E no canto da rua Eu só errei quando juntei minh'alma à sua
zombando, zombando O sol não pode viver perto da lua
zombando está É no espelho que eu vejo a minha mágoa
ela é moça bonita É minha dor e os meus olhos rasos d'água
girando, girando, girando lá Eu na tua vida já fui uma flor
ô girando laroie, ô girando laroie Hoje sou espinho em seu amor
Tire o seu sorriso do caminho
Que eu quero passar com minha dor
Hoje pra você eu sou espinho
Espinho não machuca a flor
Eu só errei quando juntei minh'alma à sua
O sol não pode viver perto da lua
45
Eu vou pedir pra Exu Cao
que me fale de meu destino Que bela noite, que lindo luar
Me mandou a aquela encruza Exú Pomba-Gira
Essa flor não tem espinho é quem vem trabalhar
E de repente apareceu salve, salve a Pomba-Gira
uma mulher vestida de vermelho salve Exú mulher
Doum ara Doum na sua encruzilhada
Meu coração esta destrozado ela faz o que ela quer
por aquela mulher que me ha deichado
Em sua mão teia uma faca Pomba-Gira quebrou a perna
um tridente pra me defender na virada que ela deu
Deicha na minha encruza uma oferenda o inferno prendeu fogo
para meu e a mulher do Diabo não morreu
E era minha mãe Legba não morreu
Sua coroa tem axé a mulher do Diabo não morreu
Doum ara Doum
Meu coração esta destrozado Tem uma rosa na saia da Pomba-Gira
por aquela mulher que me ha deichado e essa rosa quem lhe deu foi Omulú
do outro lado tem um cravo
Pensei que estava chegando ao fim e esse cravo quem lhe deu foi Tranca-Rua
quando de pronto mui perto de mim
eu vi que alguém me respondeu Eee na Umbanda
Foi la fetiçeira das rosas Vem vem vem da Quimbanda
Era morena formosa É Pomba Gira que vai girar
extendiendome sua mão amiga Vai girar
retirou toda mandinga E na banda do mar
que había ecima de mim Eee na Umbanda
e paseu diçendo asim Vem vem vem da Quimbanda
-Eu sou sá dona das rosas Pomba Gira vem trabalhar
Sou a morena das rosas Pra levar o mal
que voce se enalteceu Pra as ondas do mar
-Toda a gente me abandona Pomba Gira chegou
todo o mundo rie y chora Pomba Gira giro
-Todo o mundo menos eu, menos eu E a mulher dos sete Exus
-Venha Pomba Gira Sá Pomba Gira chegou
venha me ajudar
vem abriendo meus caminhos E é é na Umbanda
meu caminho asegurar Vem vem vem da Quimbanda
E Pomba Gira vai girar, vai girar
Deu meia-noite Com meu vestido vermelho
o galo canta, canta o galo Venho para trabalhar
é com Ave-Maria, é com Ave-Maria Com meu colar e pulseira
é com Ave-Maria Pomba Gira Eu venho pra girar
é com Ave-Maria Uso os melhores perfumes
Amigos joguem flores e perfumes Para a todos agradar
joguem flores e perfumes Eu so Pomba Gira
Pomba-Gira está em festa e vamos trabalhar
ôô ôôô ôôô, a Pomba-Gira Pomba Gira é seu destino
O meu destino é esse
Moço, se for ao baile, me leva é me divertir
eu não sou rezadora bebo, fumo, pulo e danço
nem filha de uma qualquer para subsistir
sou filha de Pomba-Gira assim cumpro o meu destino
afilhada de Lúcifer que é só me divertir

A Pomba-Gira da Quimbanda é bamba


quando ela vem com a sua pemba na mão
se ela é a rainha do Candomblé
Saravá Exú mulher
46

Eu sou a Pomba Gira O gira formosa


e estou sempre presente Tem alegria e rosa
não existe festa sem mim Na gira da Pomba Gira
quem confirma e minha gente Você vem balançar
estou sempre nas festas No balanço da Pomba Gira
brincando com alguém Sua chama vai rolar
estou sempre nas festas
eu saravo minha rainha Pomba Gira se tu é uma rosa
e o meu rei também Foi nascer num manto de espinhos
Pomba Gira se tu é uma rosa
Eu sou a Pomba Gira Pomba Gira abre meus caminhos
Eu vim pra trabalhar
Sou mulher dos sete Exus
e tudo o mal eu vou levar
eu tenho uma rainha
e tenho também um rei
obedeço a Exu Veludo
pois é ordem do meu rei

Gira gira gira


Vamos todos girar
Já chegou a Pomba Gira
que veio a trabalhar

Gira gira gira


Vamos todos girar
Já chegou a Pomba Gira
Tudo mundo é quimbandeiro
Mas quem sabe trabalhar
é só a Pomba Gira
que veio me ajudar

Pomba Gira já e hora


E hora de trabalhar
Vem Pomba Gira
vem girar
espete seu garfo no chão
e demandas vem buscar

O galo canta
cacarecou
O Pomba Gira
O Guigangá
Pomba Gira chegou
Pomba Gira giró
E a mulher dos sete Exus
Sá Pomba Gira já chegou

Tataretá tataretá
Pomba Gira vai chegar
Pomba Gira chegou
Pomba Gira girou
E a mulher dos sete Exus
Sá Pomba Gira chegou
47
PG 7 Encruzilhadas A garrafa estourou na encruzilhada
e é sinal que a Pomba-Gira vem aí
PG das Sete Encruzilhadas levando dores e pontadas
pras irradiações das sete encruzilhadas
Que bonita mulher
é dona do cruzeiro Eu sou rainha das sete encruzas
Ela é Rainha Em cada um tenho morada
com Sete Cruzeiros Eu quero filho pra defender
E enemigo pra espeitar
Rosa Vermelha, Rosa Vermelha encarnada Eu sou Rainha das Sete Encruzas
Rosa Vermelha E lá que eu faço minha morada
a Pomba Gira das Sete Encruzilhadas
que vai girando, vai girando na rua Eu quero ver quem vai demandar
Rosa Vermelha, a Pomba Gira das Sete Eu quero ver, eu quero ver
Encruzilhadas Nas minhas sete encruzilhadas
Eu quero ver, eu quero ver
Gira na Pomba Gira
Nossa Rainha da Encrizilhada PG Rainha
É uma Rosa Vermelha e vem surgindo,
uma gargalhada A Iansã foi quem lhe deu força
Ai vem nossa senhora, nossa Rainha da é de Rainha do Candomblé
Encruzilhada Vamos saravar nossa Rainha Pomba Gira
Cuidado com a Senhora Ela é Exu mulher
Rainha das Sete Encruzilhadas
Uele uele uele uele, uele uelá Que bonita mulher que
é Exú lá no cruzeiro
Se nota na clareza y na firmeza Mas ela é Rainha
na força que Iansã lhe diou pra ela é Exu lá no cruzeiro
A coroa que ela luz
se la diou o Pai Ogum Se nota na clareza e na firmeza
porque ela é a Rainha das Rainhas na forza que Iansa lhe deu pra ela
Senhora voce vai me acreditar A coroa que ela tem se la diou o Pai Ogum
rosas vermelhas eu trazei pra te louvar porque ela é a Rainha das Rainhas
mas quando é lua cheia a rainha vai girar Senhora voce vai me acreditar
Ela vai girar, vai girar Rosas vermelhas eu traze pra te louvar
Ela vai girar Mas quando é a lua cheia a rainha vai girar
Com a lua cheia Ela vai girar, vai girar, ela vai girar
a Rainha vai girar como é a lua cheia a Rainha vai girar

A meia-noite dando uma gargalhada E a luz já clareo de umas centejas


chegou Rainha das Sete Encruzilhadas A forza que Iansã lhe deu pra ela
Falou pra lua, falou pra o sol E na coroa que ela luce
Estou fazendo um fetizo de amor se la deu meu Pai Ogum
O gira Pomba Gira giré E ela é a Rainha da Rainha
O gira Pomba Gira girá E agora voce vai acreditar
rosa bonita voce vai atençuar
Sua coroa e de ferro Quando ha lua cheia a Rainha vai girar
a sua capa encarnada Vai girar, vai girar e vai girar
Sarava Exus e Pombas Giras E dança, dança, dança minha mãe
Rainha das Sete Encruzilhadas que eu bebo nesta copa de champagne
E na coroa que ela luce
Auê Pomba-Gira, cadê sua saia rodada se la deu meu Pae Ogum
cadê sua saia tão linda E ela é na Rainha da Rainha
Pomba-Gira da encruzilhada
Iansã quem te deu as forças Voa passarinho avoa
Rainha do Candomblé vai dizer ao povo que essa hora é boa
vamos Saravár rainha dei meia-noite lá na encruzilhada
Pomba gira Exú mulher salve a Pomba-Gira com sua coroa
48
Ela atira da praia PG 7 Encruzilhadas das Almas
Ela atira da rua
Para quem não conhece vou falar que é PG das Almas
Mulher morena, vestida de vermelho
Pomba Gira Rainha, rosa de fé Eu me chamo Pomba Gira das Almas
Dona do cabaré, a seu lado Exu Bobra na encruzilhada é meu lugar
No meio da rua, um home apareceu Me chaman pra façer um fetiço
deicha um tesouro, aquí termina esta mas um presente tem me que levar
historia O leva a um lugar vem alto
Pomba Gira Rainha, bonita mulher porque no alto esse é meu lugar
O leva a um lugar vem alto
Ô que hermosa criatura porque no alto tenho meu lugar
que eu por ela faço locura
E linda como a noite Olha moço
é linda como a lua ¿você conhece aquela linda mulher?
mas eu daria todo Ela trabalha com as Almas
para façer con Rainha nesta hora na porta de um cabaré
Ela giró
Eu vi lá no cruzeiro Ela vai girar
Uma bonita mulher Ô Povo das Almas
Vestida de vermelho lhe mandou chamar
Sua coroa refleche
Na sua banda é Pomba Gira Mas ela é a Rainha das Almas
Lá no cruzeiro ela é rainha ela é uma linda mulher
Olha a Pomba giré
Queiram bem Exu Olha a Pomba giré
Queiram bem Exu, gente Olha a Pomba girar
Eu quero bem a dona Rainha
Queiram bem a Exu, gente Na encruzilhada do cemitério
Eu vi uma farofa amarela
Ela esta no reino, Aué Quem não acredita na Pomba Gira
Ela vem saravá, Auá e muito bom não mecher com ela
Pomba Gira Rainha, Aué
e Rainha do mal, Auá Minha senhora das almas
Aué Pomba Gira Rainha Atira e não erra a mira
Comanda a madrugada Ela é minha protetora
Quando chega nas encruzas Sarava sá Pomba Gira
dá logo sua gargalhada
Lua brilha no alto
Ela é mulher de sete Exus por ecima da ladeira
Ela é Pomba Gira Rainha E sentada en uma tumba
Ela é Pomba Gira da Encruzilhada com seu olhar na caveira
Ela é mulher de sete Exus Hermosa sua risada
e de rosas coroada
Eu moro lá na encruzilhada Todo o povo esta cantando
No meu encruzo eu sou uma rainha e la Calunga la aclama
É lá que faço minha mironga Vamos cantar com muita fé
E lá que faço e quebro minha demanda Bonita flor coroada
Vamos cantar com muita fé
Me chamo Pomba Gira Salve Senhora das Almas
Rainha eu sou
E na minha encruzilhada Estrelha guia brilha lá no céu
Onde tenho minha morada iluminando aonde é sua morada
Eu sei trabalhar A gente fala que ela é mulher
Eu sei trabalhar de Omulu eterna enamorada
Enamorada enamorada
de Omulu Pomba Gira das Almas
49
Pomba-Gira das Almas Ouvi lá na Calunga
rainha eu sou Uma mulher gargalhar
meus caminhos são de fogo Era Pomba Gira
pra quem quer me derrotar que aquí chegou pra trabalhar
com tanto inimigo no mundo Mas ela é Rainha do Exus
querendo me derrubar Mas ela é a Rainha de Omulu
eu sou Pomba-Gira formosa
formosa pra te quebrar Ela é uma senhora que mora na Calunga
Ela é Pomba Gira
Pomba Gira das Almas Rainha das Almas, Rainha mulher
vem tomar cho cho Quando chega aproximando
vencedora de demandas as Almas sabem quem é
vem tomar cho cho trabalha com Tranca Rua
e também com Lucifer
PG Rainha das Almas Porque ela é uma senhora que mora na
Calunga
Lá no alto da lomba ela é Pomba Gira
ecoute uma risada Rainha das Almas, Rainha mulher
A meio-dia uma mulher que dançava O povo já la conhece
com sua hermosa risada vai girar todas as porque la Rainha das Almas é
almas al lado de Joao Caveira
Ela é moça bonita um fetizo vai fazer
é Rainha das Almas
A meia-noite ela vai tirar sua capa PG 7 Gargalhadas
Vamos saravar na encruza Pomba Gira das
Almas ¿Que perfume é esse?
¿Qué esta em tudo o ar?
No alto da lomba ¿Que força é esta, que irradia o luar?
ecoute uma risada ¿Quem e esta moza que vem devagar
A meio-dia uma mulher que dançava brincando para lado, sempre ao gargalhar?
Vamos saravar na encruza a Pomba Gira Seu destino é, estar sempre ao rondar
das Almas Seja noite ou seja dia
Ela é moça e bonita esta sempre ao gargalhar
é Rainha das Almas moza formosa é Sete Gargalhadas
A meia-noite vai girar com sua saia vencedora de demanda, rainha da
Vamos saravar na encruza a Pomba Gira encruzilhada
das Almas Ecoou na madrugada sua linda gargalhada
Com sua bela risada Esta moza é bonita, ela é muito encantada
Vai girando pra as Almas Sua forza e sua beleza faz vibrar meu
A meia-noite vai girar com sua capa coração
Ela e moza e bonita, a Pomba Gira das Seu sorriso é faceiro, vindo da sedução
Almas Saravá morena linda, que veio da
encruzilhada
Rainha sua coroa brilhou Pomba Gira moza fina da sua gargalhada
Rainha sua coroa brilhou Esta sempre enfeitada, pronta para nos
Rainha que vem lá do cemiterio agradar
Pomba Gira das Almas Mas com esta Pomba Gira
Sua coroa tem mistério é melhor que não brincar
Seu destino é, estar sempre ao rondar
Lá no alto da lomba Seja noite ou seja dia
ecoute una risada esta sempre ao gargalhar
A meio dia, a mulher que dançaba moza formosa é Sete Gargalhadas
Vamos saravar na encruza
Pomba Gira das Almas
Ela é moça bonita Pomba Gira da queré
é Rainha das Almas Pomba Gira da querá
A meia noite Pomba Gira na encruza
vai girar com sua capa E de quá quá quá
50
PG 7 Maridos Gira Gira Sete Saias
Sete Saias ta chegando
Pomba Gira é mulher de Sete Maridos Sete barrado em sua saia
Não mecha com ela, ela é um perigro Ai ai ai Sete Saia tá girando
Ai ai ai Sete Saia tá girando
Eu estou aqui num mar de lagrimas
Por esse home que um dia não me quer E Rosa o Rosa encarnada
Eu soufri muito neste mundo dos vivos E moza o moza doncela
Por eso me chaman mulher dos sete maridos E mulher na encruzilhada
E pura e bela
PG 7 Saias Seu nome e Sete Saias
ninguem pode com ela
A noite traz um misterio
sair da aurora Casa de quatro cantos
e a cualquer hora chega minha senhora Sete Saias tá na morada
traçendo alegria e asê pra meu terreiro Ela é moça façeira
a sua saia rodada tem misterio sem ela não se faz nada
O Gira na Pomba Gira das Sete saias
O Gira que com sua gira traz esperança Da gosto ver Sete Saias enfeitada
Girando na Pomba Gira das Sete Saias com perfume e batom
mostrando sua beleça quando ela dança Rainha da Encruzilhada
Pomba Gira Sete saias já chegou
vem traçendo seu axé pra meu gongá Quando a 7 Saias no terreiro chegou
Ela vem girando em sua saia rodada todo Exú com repeito saudou
a meia-noite tira sua gargalhada ela á bonita, ela é mulher
ela é Pomba-Gira
Tire o seu sorriso do caminho rainha de Lúcifer
que eu quero passar com a minha dor
se hoje pra você eu fui espinho A Pomba-Gira gira
espinho não machuca a flor a Pomba-Gira vai girar
meu erro foi juntar minha alma a sua a Pomba-Gira gira
o sol não pode ficar perto da lua a Sete Saias vai rodar
ere re re re re re deu meia-noite, na encruzilhada
ere re re re re ra [Bis] e a Pomba-Gira 7 Saias vai rodar
o ontem será hoje
o amanhã será depois Sete com mais sete
se não tomar cuidado com mais sete encruzilhada
Pomba-Gira leva nós dois sem a Dona Sete
ere re re re não se pode fazer nada
ela sacudiu os ombros
ela se balanceou Eu vi Seu Zé Pelintra falando com 7 Saias
ela vem lá do cruzeiro a moça bonita e valente
Sete Saias foi quem mandou mulher que tanto trabalha
Ay Ay Ay eu vi Seu Zé Pilintra
Aê Exu
Cadê Pombo Gira mulher Seu Tranca-Rua fez uma casa
Cadê donna Sete Saias com sete portas e sete janelas
Rainha do Candomblé Exú não precisa de casa
a Sete Saias é quem mora nela
Sete Saias tá ai
Rosario tá lhe chamando Ela é das 7 saias
A encruza abreu as portas É das sete encruzilhadas
O Povo tá te saudando ela vem com Tranca-Rua
ela vem pra trabalhar
Sete Saias nasceu no dia de Sexta-Feira
Sete Saias veveu por uma vida enteira Oi vem, vem decendo a serra Ganga
Sete Saias nao morrer no dia de 6ª Feira Oi vem, vem decendo a serra
Sete Saias nao morrer no dia de 6ª Feira Mas era a Sete Saias Ganga
Oi vem, vem decendo a serra Ganga
51
PG Coqueira
PG da Praia
En uma noite de lua cheia
Profundo da madrugada Tala talaiá é de Pomba Gira
Ay que bonita mia mãe Pomba Gira é Pomba Giré para que eu caia
E ela é a Pomba Gira Coqueira Tala talaiá e de Pomba Gira
ela é a Pomba Gira Coqueira e Pomba giré para que eu não caia
Danzando com sua beleza Oi Pomba Giré, Pomba Girá Oi
Danzando com sua hermosura Oi Pomba Giré, Pomba Girá Oi
E ela é a Pomba Gira Coqueira Oi a la Pomba Giré, oi a Pomba Girá
Tem mironga no fundo do mar
PG da Calunga no fondo do mar

Dentro da Calunga eu vi Kerekere Pomba Gira da Praia


Uma linda mulher gargalhar Kerekere Pomba Gira da Praia
Era Pomba Gira da Calunga Trabalha na areia, trabalha na praia
Que começava a trabalhar Pomba Gira é Rainha da Praia

Eu vi atravessando aquela rua Na beira da praia eu vi


uma moça bonita, vestidinha de chita Vi uma linda mulher gargalhar
mas ela era a Pomba Gira da Calunga Era Pomba Gira da Praia
que arrebentou, sete catatumbas que vem pra trabalhar

Sete rosas e champagne deiche pra ela Morena da Praia


aos pés de uma lomba atira teus olhos pro mar
Eu pedi, voce cumpleu Ai morena, morena espera
Eu agradeço Que esse home vai voltar
Pomba Gira da Calunga Ele foi pra aõ longe
foi a navegar
Pomba Gira da Calunga perfumada Mas um dia voltara de novo, morena
Ela e a rainha, ela e a princessa já te vendra a buscar
de amor e paz, tanta beleça
A morena da beira da praia
Pomba Gira da Calunga que balança o seu corpo no mar
Não é mulher de ninguém a morena da beira da praia
Quando entra na demanda que balança o seu corpo no mar
Só sai por sete vintém não chores, morena não chores
que seu homem vai voltar
Dentro da Calunga eu vi ele é marinheiro, ele foi pro mar
Pomba Gira da Calunga ele é marinheiro, ele foi pro mar
Salve Pomba Gira a rainha não chores, morena não chores
Que chegou para saravar que seu homem vai voltar
Ela vem toda enfeitada
De vestido novo ela vem Um destelho de luz na praia eu vi
Ela vem aqui na banda Caminhava perdido com muita aflição
Na Umbanda e na Quimbanda vem e chorava por uma mulher
que deicho triste meu coração
PG da Estrada De repente uma voz lagrimal se ecoutou:
Não chores mas por um amor
Vinha caminando pela rua Pomba Gira Rainha da Praia falou
quando uma moza bonita eu vi
Eu diz que vinha Na beira do mar giro
Com sua sandalia de prata e na Calunga Grande ela trabalho
sua saia dourada Minha Quimbanda é verdadeira
ela soriu pra me é do meu mamãe Sereia
Eu perguntei a ela: Sereia do Mar, do Mar
"¿Aonde fica sua morada?" Sereia do Mar, do Mar
Ela respeondeu pra mim asim:
"Moro numa estrada sem fim"
52
Ouvi uma gargalhada Eu caminhava pelas altas madrugadas
que estremeçeu na beira da praia quando vi clarear da lua
¿Qui era? ecoute uma gargalhada
¿O qui era? Linda morena formoça
Era Pomba Gira Sereia da madrugada me dize que moça é
Eu sou a dona da rosa
A marola do mar sou Pomba Gira de fé
Já vem rolando Eu fico em cualquer gira
Pomba Gira da Praia por conta de Lucifer
Já deu sua risada Sou Pomba Gira da Rosa
Ela é mulher bonita não me conheçe quem não quer
Muito formosa Vai, vai, Pomba Gira vai passeando
Trabalhando na areia Vai, vai, Pomba Gira que vem chegando
ou na encruzilhada
Tem uma rosa na saia da Pomba-Gira
Quem quizer vai ver e essa rosa quem lhe deu foi Omulú
Quem não crê que vá a olhar do outro lado tem um cravo
Pomba Gira da Praia meu sinhó e esse cravo quem lhe deu foi Tranca-Rua
Vem nas ondas do mar Ela e a Pomba Gira das Rosas
vem nas ondas do mar a moza formoza
que exhala o perfume no ar
Quem sou eu perfume no ar
quem eu sou Mora na Calunga pequena
quem não me conhece tem sua pele morena
vai me conhecer e os olhos deacordo ao luar
eu venho das ondas do mar Ela e a certeza e a bondade
sou sereia negra da Mãe Iemanjá e pratica sua caridade
sou sereia negra da Mãe Iemanjá nos caminhos por onde passar
Ela e a verdadeira nobreza
A onda do mar rolou do fruto de amor e pureza
quando a Pomba Gira chegou que nossa Umbanda germinó
a Pomba Gira da Praia Laró
do fundo do mar chegou
PG das Rosas da Calunga
Pomba Gira da Praia
É uma linda mulher Era meia-noite
Mas ela é bonita la na Calunga Pomba Gira apareceu
Ela gosta do prazer Iluminada pela lua
com a sua pele en luar
Uma luz vermelha me iluminhou Um soriso ela deu
Eu sou filha da praia trabalhando Mais ela e
Eu sou filha da areia ela e, ela é
Filha das ondas do mar Pomba Gira das Rosas
Pomba Gira da Praia misteriosa mulher
Vem pra trabalhar
PG do Cruzeiro
PG das Rosas
Eu vi uma linda mulher
Ela trabalha com rosas Lá no cruzeiro girar
com rosas que não tem espinhos Mas seu olhar é tão bonito
cada rosa que ela dá So me vai a enfeitizar
é cheia de amor e carinho Eu vou chamar para voce
ei quá quá quá Eu vou chamar
que bela risada a Pomba-Gira vai dar Quando a lua clareu
ei quá quá quá Eu vou chamar
que bela risada a Pomba-Gira vai dar E Pomba Gira do Cruzeiro
Traigo uma rosa para te ofertar
53
Nasceu no cruzeiro das Almas Na beira do mar giro
uma roseira que ja deu flor e na Calunga Grande ela trabalho
entre elas uma rosa Minha Quimbanda é verdadeira
que numa linda mulher se transformó é do meu mamãe Sereia
Praticando sua caridade com muito amor Sereia do Mar, do Mar
exhalando armonia Sereia do Mar, do Mar
como o perfume da flor
Praticando sua caridade com muito amor Quem sou eu
exhalando armonia quem não me conhece
como o perfume da flor vai me conhecer
Ela e moza bonita eu venho das ondas do mar
e façeira y formoza eu venho das ondas do mar
Pomba Gira do Cruzeiro sou sereia negra da Mãe Iemanjá
e a mais bela das rosas sou sereia negra da Mãe Iemanjá

O seu garfo é de Veludo PG Maria Molambê


Rebordado tudo em ouro
O seu garfo é de prata ¿Quem é que mora acima da lomba?
Muito grande é seu tesouro E a Pomba Gira Molambê
Da licenza Exu Obaluae
PG do Cruzeiro das Almas Vamos saravar Pomba Gira Molambê

Lá no cruzeiro da Calunga E Molambê, é Mulambê


Eu vi uma farofa amarela é Mulambê ô gangá
Quem não acredita na Pomba Gira
e muito bom não mecher com ela O Mulambê Mulambê
Quem mora na beira da lomba
PG dos Matos é a Pomba gira Mulambê
com licença Exu Obaluaê
Soltaram um pombo lá na mata vamos coroar a Pomba gira Mulambê
e lá na mata não pousou
foi pousar na encruzilhada PG Maria Molambo
foi Pomba-Gira quem mandou
Foi uma rosa que eu plantei na
Pomba gire êê encruzilhada
Pomba-Gira do mato, Sinha bá foi uma rosa que eu plantei no meu jardim
ela vem da Calunga, Sinha bá Maria Padilha, Maria mulher
trabalhar na Quimbanda, Sinha bá Maria Padilha, rainha do Candomblé
ela vem da Calunga, Sinha bá
Pomba-Gira do mato, Sinha bá Por que caminho tão escuro
que passa a meia-noite
PG dos Ventos Mas olha minha gente
ela é farapo só
Ela traz linda ventarola E Pomba Gira Maria Mulambo
Ela chega pra abanar a noite ela é farapo só
Mais ela é uma formosa mulher
Pomba Gira dos Ventos Mas que caminho tão escuro
arrasa quem lhe quer que vai passando aquela moza
de vestidinho de chita
PG Girinha da Praia estalando osso por osso
Mas ela é a Pomba Gira
Eu sou girinha da beira da praia Ela é Tata mirô
cuidado moço não brinque comigo de vestidinho de chita
na minha coroa trago sete estrelas estalando osso por osso
tiradas do manto da grande Sereia
Eu sou girinha da beira da praia Olha a saia dela, rê rê
sou afilhada de Omulú é molambo só
aonde eu passo, eu faço e desfaço sua saia tem sete metros
e quem comanda é seu Tranca-Rua sete metros é molambo só
54

Molambô você me falou Boa noite moça, boa noite


falou que gostava de mim boa noite moça, boa noite
Molambô quando você vai embora Maria Molambo, boa noite
quando você vai embora Boa noite moça, boa noite
deiche uma rosa pra mim Dona Maria Molambo
como eu lhe procurei
Moço ¿você conhece aquela moça? andei, andei, andei
Ela trabalha na figueira hoje eu te encontrei
olhando osso, osso por osso
dente por dente, olho por olho Moço me dá um cigarro pra eu fumar
Ela é Maria Molambô Moço me dá um cigarro pra eu fumar
ela e Maria mulher que nem dinheiro eu tenho pra comprar
vivo sozinha nesta solidão
Pra quem não conhece Maria Molambo vem trazer sua proteção
eu vou falar de ela
de seus olhos grandes Maria Molambo, você não é brincadeira
que fetizo tem Maria Molambo, você mora na ladeira
ela é moza bonita a capa de Exú que eu mandei fazer
de cabelo preto não é para você, é pro Bará Lodê
e em seu andar sereno
perfume em su pel Maria Molambô traz
Maria Molambô é aquela mulher Linda saia com sete guizos
Maria Molambô é aquela mulher Quando roda nos terreiros
Maria Molambô é aquela mulher Trabalhando nas demandas
Maria Molambô é Mostra que tem muito juizo

Molambô rainha da encruza Boa noite moza, boa noite


a deusa encantada Dona Maria Molambô
Tem no seu gongá uma seguranza como eu lhe procurei
ela tem sua estrada marcada Andei andei andei
e caminhou el tapete de flores E hoje eu te procurei
nem sequer se importou
ela deicho o seu povo chorando PG Maria Molambo da Figueira
e foi viver no mundo da perdição
Mas ela e rainha, ela é mulher Ela matou um galo preto na figueira
ela é sinho de Molambô para quem tem fé Chegou Maria Molambô
chegou pra trabalhar
Na familia da Maria
so nao entra quem nao quer Foi numa estrada velha
Ela é Maria Padilha, Maria Molambo a subida de uma serra
Maria mulher uma noite de luar
de luar, de luar
A porta do castelo estremeceu Pomba Gira da Figueira
Tudo mundo foi ver quem é moza bela e façeira
Era Maria padilha, Maria Molambô dava o seu gargalhar
Mulher de Lucifer Porque ela e Mujebá
Ela e mojubá
Eu estou precissando de você Ela e mojubá
de você e seu fetiço de amor
Maria Molambô PG Maria Molambo das Almas
Maria Molambô
Voce esta olhando que esse home esta Se esse povo é real
chorando Se esse povo é real
Chegou a Pomba Gira que carrega uma
Quem lhe vê sorrindo, pensa que é feliz vasoura
mora na rua, na beira da estrada é da Calunga é
Maria Molambo é uma mulher apaixonada é da Calunga é
Maria Molambô chegou pra trabalhar
55
O teu pó e real Exu Maria Padilha
O teu pó é real trabalha na encruzilhada
Molambô é Pomba Gira que carrega uma toma conta, presta conta
vasoura ao romper da madrugada
Vem da Calunga vem Pombagira, minha comadre
Vem da Calunga vem me protege noite e dia
Maria Molambô que carrega uma vassoura é por isso que não zombo
da sua feitiçaria
Tata Mulambo
ela mereceu ganhar Pomba Gira, Gira Gira
ganhar o que ganhou Sarava o Seu Povo na Encruza
Foram sete rosas na Calunga Pomba Gira é, Pomba Gira é
sete marafos e uma saia de sentens ela e rainha da encruza de T
E como todo esso não bastase Ela e formoza
ela ganhou uma coroa de Atoto formoza y rainha
Atoto meu pae rainha da encruza
Atoto meu Senhor da encruza de T
Tata Molambo mereceu o que ganhou Ela e bonita
bonita e vaidosa
Não posso mais vanidosa e rainha
E sou voce quem pode me ajudar da encruza de T
¿Qué aconteceu com meu amor Pomba Gira é, Pomba Gira é
que ela se foi e me deicho? ela e rainha da encruza de T
Dona Maria Molambô
Sei, voce vai me ajudar Se voce tem patuá e quizer me dar
E se me faz el pedido Vai falando com a mulher que ela vai te
Rosas brancas vou levar ajudar
Alupande pra Maria passar
Se a sua catatumba tem mistério Abre essa roda que a Padilha vai girar
mas ela é Pomba Gira do cemitério
Mas ela é loira dos olhos azus Era alta madrugada
ela e Molambô, filha de Seu Omolu Quando a Padilha chegou
Eu vou chamar o Exu Destranca Rua
PG Maria Padilha pra danzar com a Maria padilha

Com uma copa e um cigarilo ¿Quem é essa moza, em noite de lua


Maria Padilha já chegou bebendo marafo, danzando na rua?
Ela trabalha en la Calunga Ela é Maria Padilha
ela trabalha com muito amor Ela é Maria mulher
Sete Cruzeiros da Calunga
enamorado de essa mulher ¿Que moza é aquela, de rua em rua
mas ela é Maria Padilha brilhando na estrada e cantando pra lua?
rainha do Candomblé Ela é maria Padilha
Ela é Maria mulher
Exu Maria Padilha
Rainha do Candomblé ¿De onde é que a Maria Padilha vem?
Afirma ponto curimba ¿Onde é que Maria Padilha mora?
que vem chegando uma mulher Ela mora na mina de ouro
Onde o galo preto canta
Ela é Maria Padilha e a crianza não chora
rainha do Candomblé
E afirma ponto curimba Maria Padilha voce é uma rosa
que vai chegando la mulher é uma rosa que não tem espinhos
Maria Padilha voce é uma rosa
Ela é a Maria Padilha Maria Padilha abre meus caminhos
da sandalinha de pau
Ela trabalha pra o bem Maria Padilha, Exú mulher
ela trabalha pra o mal na sua encruzilhada
ela faz o que ela quer
56
Maria Padilha, voce e a flor perfeita Essa linda flor mulher
que vem dentro de essa aceita procurei no mundo enteiro
para aqueles que tem fé Hoje dentro da Umbanda
Tua es a rosa que perfuma a Umbanda olha gente eu encontrei
Dona Maria Padilha com Tranca Rua eu ví
Vençedora de demanda
Procurei sim dias e noites sem fim
com amor e muito axe Procurei Rosa Vermelha
Maria Padilha e encontrei nesse jardim
não me-deixe andar sousinho
poia rosas sem espinhos Salve Maria Padilha
nos caminos do passar Iluminha o meu caminhar
Oh Pombo Giré Perambulava pelas ruas, já sem saber o que
Oh Pombo Gira façer
faz um tapete de rosas procurava na noite uma solução
pra que eu possa caminhar para tanta dor, sofrimento e solidão
Então eu chamei ao povo da rua
que me enviasse no mento alguma ajuda
Padilha, soberana da estrada poies eu já não tinha forças para continuar
rainha da encruzilhada Quando me virei ví uma mulher na beira da
e também do Candomblé estrada
suprema, é uma mulher de negro trazia uma rosa em sua mão
alegria do terreiro e um fetiço no olhar
seu feitiço tem axé naquela bela noite de luar
mas ela é, ela é, ela é vislumbrei sua dança
a rainha da encruza com sua saia a rodar
e mulher de Lúcifer me aproximei e lhe perguntei
o que ela fazia na estrada
Ela respondeu "Moço, sou rainha
Quem vieu o céu se escondeu vim lhe ajudar, sou Maria Padilha"
Quem vieu a lua brilhar Salve maria Padilha
Quem vieu o espinho da rosa quando eu precisei
também vai ver Maria Padilha chegar O Pomba Gira você veio me ajudar
O seus olhos são verdes, sua cor é mulata Destes outro rumo a minha vida
seus cabelos são negros e a sandalia é de hoje eu venho te louvar
prata
Numa mão tem perfume, na outra tem a Maria Padilha traz
flor Linda figa de ouro
para Umbanda querida, Maria Padilha traz Oi sarava rainha linda da Quimbanda
paz e amor Sua proteção e um tesouro

Deu meia-noite, a lua se escondeu Maria Padilha, fiel companheira


Lá na encruzilhada dando sua gargalhada de todas as horas
a Padilha apareceu ô me leva essa dor
E Laroie, e Laroie, e Laroie ô me leva essa dor
E mojuba, e moguba, e moguba que no meu peito mora
Ele é Odara, quem tem fé na Pomba Gira eu vou seguindo, vou caminhando
só pedir que ela dá pelo mundo a fora
Santo Antônio de Pemba
Procurei sim dias e noites sem fim Maria Padilha é quem me consola
Procurei Rosa Vermelha
e encontrei nesse jardim Quem não gosta da Maria Padilha
Procurei por uma flor Tem tem que se arrebentar
a mais bela e formosa Ela é bonita
Encontrei Rosa Vermelha
Ela é formosa
divina e maravilhosa
No jardim de lindas flores
O bela vem pra trabalhar
encontrei linda mulher
Dona Maria Padilha, linda rosa ela é Na minha encruzilhada, muito consagrada
Procurei sim dias e noites sem fim tenho muitas rosas, tão apreciadas
Procurei Rosa Vermelha com seu perfume
e encontrei nesse jardim quero alegrar, os filhos de fé
Procurei lá na Calunga e quem me chamar
eu procurei lá no cruzeiro
57
Padilha minha Pomba Gira Choveu, choveu
Padilha minha grande amiga só na Calunga é que não chouver
Onde você está estou a gritar E que a dona Padilha Cruzeiro das Almas
Se esta sempre me enganando presta conta pra mim
e pra me ajudar
Se voce procura a moza linda da rosa
Maria Padilha foi anjo do céu leva na Calunga uma vela e uma rosa
e la no céu ela foi revelada E na Calunga com sua capa dourada
Na boca de quem não presta de uma forte gargalhada ela vai se
Maria Padilha e cualquer uma apressentar
Maria Padilha vai le a dar sua proteção
Deu meia-noite é só pedir com fé e amor no coração
é de cói, cói, cói Se voce procura a moza linda da rosa
deu meia-noite leva na Calunga uma vela e uma rosa
é de cói, cói, cói Maria Padilha moza rica idolatrada
cadê seu galo preto que chega na Umbanda e nas sete
Maria Padilha encruzilhadas
cadê sua galinha carijó Maria Padilha abre meus caminhos
e com sua rosa atire os meus espinhos
Exú tem chifre, Exú tem rabo
Maria Padilha é a mulher do Diabo Ilumina seu lar
Quando asoma ao chegar
Ai meu anjo da guarda esta tão alto Exu a Rainha da Quimbanda
Erere rere rere a Maria Padilha no canzua Perfume de hermosa flor
De vermelho e preto
Moza me da um cigarro do seu pra fumar e o coro de sua saia rodada
que nem dinheiro eu tenho pra comprar Vem cantando
vivo sousinho, vivo na solidão Vem danzando
Maria Padilha me dé sua proteção Vem girando
O moza, o moza, o moza me tira de essa Maria Padilha das Almas
poza Oooo
O moza, o moza, o moza me dé a sua força O Maria Padilha, Maria Maria

PG Maria Padilha das Almas Olha mozo


você quer olhar
Abre essa porta, quero ver tremer A Maria Padilha
Abre essa porta, quero ver relampiar tá nas catumbas
Maria Padilha das Almas Sino esta na tumba
O cemitério é o seu lugar esta num farol
É no buraco que a Padilha mora La soledad..
e no buraco que a Padilha vai morar Foi uma noite
Uma noite
Abre essa coba eu quero ver tremer la Calunga visité
Abre essa coba eu quero ver balançear A Maria Padilha
Maria Padilha das Almas La soledad..
O cemiterio é o seu lugar
Tem um buraco que a Padilha mora Com seu olhar tão sereno
e na Calunga que a Padilha vai girar essa mulher me fascina
Mas ela vem girando na linha das Almas
Se voce quer patuá e quizer ganhar Maria Padilha
Vai falando com a mulher
que ela sempre vai ajudar ¿Quem é a senhora que mora na Calunga?
Maria Padilha das Almas ¿O que é, que é?
Cemiterio é seu lugar ¿Que vem trazendo amor?
Tem um buraco, aonde rainha mora ¿O que é, que é?
mas na Calunga é aonde ela vai girar Ela é muito bonita
Alupande pra Maria pasar Ela e Maria mulher
Olha essa ronda Ela é Maria Padilha
que Padilha vai girar A rainha do Candomblé
58
A sua catatumba tem misterio
Mas ela é, Maria Padilha do cemiterio Tava pidiendo por ela
Ela é bonita como uma flor porque ela me abandonou
Maria Padilha, a rainha de Omulu Ela se foi de minha vida
a mulher que me enganhou
Que hermosa flor da Calunga Era o melhor que eu tenía
como estrelha matinal Era o melhor de minha vida
espalhando su dulzura Era tão linda como um dia
brilha no céu seu olhar Era tão linda como o sol
Ela é a mais linda rosa ¿O que sera de minha vida?
no he visto en mi vida otra rosa igual ¿Que sera?
Salve Maria Padilha ¿O que sera de meu amor?
Rainha bointa ¿Aonde estara essa mulher?
É pra ti meu cantar ¿Aonde estara?
Laira Laia A dona do meu coração
¿O que sera de minha vida?
Ela mora no cruzeiro das Almas ¿Que sera?
Ela e guerreira sem quer parar ¿O que sera de meu amor?
Tem a força dos Pretos Velhos ¿Aonde estara Maria padilha?
e no cruzeiro ela quer ficar ¿Aonde estara?
Na morada de Omulu A dona do meu coração
Obaluaê meu Pai Atotô
O lua
Quem vê a Padilha das Almas não chores mas
Quem vê não vai mais esquecer eu traigo uma rosa na mão
Mas ela mora na pedra furada pra te ofertar
Omulú morava nela No meio do cruzeiro choraré
ele deu sua morada clareando a lua
O lua
PG Maria Padilha dos 7 Cruzeiros não chores lua
que essos dois corações unidos
A meia noite na encruzilhada se poderam amar
clarear da lua No meio do cruzeiro choraré
Mulher morena vestida de preto clareando a lua
ofereciendo su amor O lua
Seus olhos reflechan Meu coração está
a triste amargura de um amor perdido clavado por uma rosa ferida
Como terciopelo en seu pelo o perfume No meio do cruzeiro choraré
de rosa encarnada clareando a lua
Retumban tambores O lua
macumba começa lá na alborada é meia-noite
sua gira se afirma se ecoutam os tambores sonar
seu paso asegura siguindo o compas No meio do cruzeiro choraré
Quando ai um fetizo clareando a lua
do povo da estrada O lua
Maria Padilha não chores lua
rainha bonita deste Candomble que Seu Sete falava
A mulher morena vestida de preto que tenha muito pra deichar
puchando e danzando No meio do cruzeiro choraré
lanza gargalhada Maria mulher clareando a lua
Uma rosa branca
Ao chegar a meia-noite uma rosa vermelha
em busca de essa mulher pra demostrar el amor
pra façer a minha oferenda que eu sento por ela
a mulher que mas amei No meio do cruzeiro choraré
Foi ela que me deichou clareando a lua
foi ela que me enganhou No meio do cruzeiro choraré
foi ela que foi embora clareando a lua
e sousinho me deichou
59

Tira meu sorriso do caminho PG Maria Padilha dos Sete Cruzeiros da


que eu quero passar por mia dor Calunga
Se hoje pra voce eu sou espinho
espinho não machuca uma flor A meia noite na encruzilhada
Eu so errei quando cruzei mi alma a tua clareira a lua
O sol não pode viver perto da lua Mulher morena vestida de preto
Se onte foi onte, a manha será melhor ofereciendo su amor
Mas aquí eu voltarei para o que resta de os Seus olhos reflechan
dois a triste amargura de um amor perdido
Eu volto ao jardim Como terciopelo em seu pelo o perfume
a esperanza que as rosas me falam de rosa encarnada
As rosas não falam, simplemente exalhan Sonan tambores
o perfume do amor macumba começa lá na alborada
Eu dou espinho que eu tenho minha dor sua gira se afirma
Eu sou esmejo, que eu tenho mal de amor seu paso asegura siguindo o compas
Mas quando aproxima
Na porta de um cabaré seu povo la aclama
eu vi uma moça parada E Maria Padilha
desafiando o juramento rainha bonita do seu Candomble
de aquel que juró matava Mulher morena
O tempo passou passou vestida de negro
e a ela ninguem matava que bebendo e danzando
porque ela tambem pisou lanza gargalhada Maria mulher
a cabeça de quem jurava Com atabaques estava chamando a minha
senhora
Juraram de lhe matar Gira que gira sobe las brasas do Maioral
na porta de um cabaré Danzanva lento balançeando sua cintura
Por causa da Pomba Gira Se a gente não la conhece
rainha do Candomblé ela mora na Calunga

Tentaram me matar De garfo na mão


na porta de um cabaré lá vem mulher bonita
Ando de noite, ando de dia Bonita muito formosa
só não mata quem não quer muito formosa e cheia de rosas
Lá vem Maria Padilha
Me chamam de leviana dos sete cruzeiros da Calunga
e também, mulher de cabaré
mas a língua do povo não tem osso Ela vai chegar
deixa esse povo falar Ela vem do Cruzeiro das Almas
eu sou Maria Padilha Ela é Maria Padilha
mulher de Exú, e também de Lúcifer Sete cruzeiros da Calunga
na minha encruza eu faço e desfaço
e o meu feitiço Sou Maria Padilha
está na ponta do meu garfo dos sete cruzeiros da Calunga
está debaixo do meu pé Saravo voces que me ven
E voces que me chamaram e não crêem
Exu, la Maria Padilha
Mulher da mafia, mulher do cabaré Sarava Maria Padilha
Ela gira en la noite escura dos sete cruzeiros da Calunga
faze fetizo na ponta de seu garfo sarava morena linda
e debaicho de seu pé que chegou para trabalhar
Falam que é leviana sarava seus sete cruzeiros
ao mesmo tempo mulher do cabaré ela vem trabalhar
mas a lingua de esse povo não tem osso sarava Maria Padilha
enton deicha a esse povo falar dos sete cruzeiros da Calunga
60
Maria Padilha esta na gira Quando eu bato palmas
Rainha dos sete cruzeiros Sarava a encruzilhada
Aqui na banda ela chegou Sarava Exu mulher
Ela veio para savará Sarava Maria Quitera
Aqui na banda ela chegou Rainha da madrugada
Ela veio para trabalhar
Ela é Maria Padilha Ali vem sá Maria Quitera
dos sete cruzeiros da Calunga Trazendo um axe no pé
Balançando sua saia
Ela é Maria Padilha Reforzando a nossa fé
Ela agora vai girar
E nas sete Calungas Existe um Exu mulher
Todo mal vai levar Que não passeia a toa
E que me tiver enemigo Quando passa pela encruza
Logo que ela girar Maria Quitera não vacila
E lá que ela vai ficar Ela não faz coisa boa

Quando eu chego no Gongá


PG Maria Padilha Menina Eu quero me defender
Maria Quitera é rainha
Eu nunca vi uma mulher como ela No terreiro para proteger
Me estremeci com tão bela mulher
É minha mãe Maria Padilha Menina Mas eu te chamo, te chamo maria Quitera
Senhora, Senhora do Candomblé e no buraco que ela mora no cemitério
Danzando vai regalando sua rosa Alupande Maria Quitera
Bebendo con uma copa de champagne Alupande esta na terra
Seus olhos, sua mirada denotan
que ela vai permisando PG Menina
pra quem não pode olhar
E reina, reina de la Quimbanda Olha que menina linda
Princesa, princesa do Candomblé Olha que menina bela
De noite, en noite de lua cheia E Pomba Gira Menina
ela vai permisando pra quem não pode olhar Tá chamando da janela

Pomba-Gira Menina, ela vem da areia


PG Maria Quitera ela vem da praia, ela vem do mar
gira menina gira
Eu vi você chorando gira que eu quero ver
chorando por um amor gira menina gira
Ficava na encruzilhada que Exú não tem querer
Maria Quitera bela flor
Mas com um fetizo tirou a magia A menina do sobrado
mas que por um home não deve chorar vai na encruza de sapato dourado
e ela jura pra Exú de joelho
Olha que essa moça é guerreira que a Pomba-Gira se veste de vermelho
É a dona da faca
é Maria Quitera Exu Veludo é do mar
Mas ela é Maria Quitera da Calunga e foi no mar, foi na gira
Ela chega en seu terreiro que encontró Pomba Gira Menina
com Seu Sete Catatumbas Olha, olha que Menina
Olha que menina bela
Maria Quitera, Maria Quitera A Pomba Gira Menina
Trae uma faca que Ogum guardou pra ela vai chegando a esta terrera
Alupande Maria Quitera
Alupande que esta nesta terra Ela é uma beleza
E Pomba Gira Menina
Na demanda não bambeia
Sua morada é na esquina
61
Pomba Menina da Praia Olha me sacode o pó
que chegou Rosa caveira
Eu sou Menina da Praia Pomba Gira da Calunga
Eu venho nas ondas do mar vem levantando poera
O meu garfo é bem firme
Quando começo a espetar ¿Quem é essa dama de preto
E toda minha demanda que vem com a rosa na mão?
Espeto no fundo do mar Ela é a Rosinha Caveira
Onde fica deitada que agora eu vou apressentar
Sereia turbarão do mar Sarava Calunga
Sarava Gongá
Quem sou eu Sarava Povo das Almas
quem eu sou que chegou pra trabalhar
quem não me conhece
vai me conhecer Suas magias são cercadas de misterio
eu venho das ondas do mar Saravá a Pombo Gira que vem lá do
eu venho das ondas do mar cemiterio
sou sereia negra da Mãe Iemanjá Se diz que faz
sou sereia negra da Mãe Iemanjá ela da uma oportunida
porque a Rosa Caveira promete pra não
Na beira do mar giro faltar
e na Calunga Grande ela trabalho Sacode o pó
Minha Quimbanda é verdadeira que chegou Rosa caveira
é do meu mamãe Sereia Pomba Gira da Calunga
Sereia do Mar, do Mar vem levantando poera
Sereia do Mar, do Mar Defuma a Rosa quando bom é seu axê
quando vou: Rosa Caveira, porque em ela
PG Rosa Caveira eu tenho fé
Todo que eu peço nunca me deixo faltar
Abre a roda Maria Ela é muito famosa Ena Ena Mojebá
Rosa Caveira vai entrar
Abre a roda Maria PG Rosa Negra
Tin tin tin ela sabe mecher
E negra
Gira gira Pomba Gira e soberana e poderosa
E não deicha de danzar E a mais linda das rosas
Ela vem de Aruanda que encanta os jardims
Lá na Calunga
com licenza de Iansa
e luz que nos-da caminho
A senhora é quimbandeira Nunca nos-deixa sousinhos
pra tudo mal levar sempre pronta pra nos-ajudar
Ela é Rosa Caveira E rica
Ela vem pra trabalhar de energia e de beleza
E fonte de alegria
¿Quem é essa dama de preto aonde ronda a tristeza
que vem com a rosa na mão? Sua missao e praticar a caridade
Ela é a Rosinha Caveira demostrando a heraldade
Que vem saravar meu Congá trabalhando pra o bem
ajudando a quem presissa
Sarava Calunga
e a quem nao presissa tambeim
Sarava Quimbanda Mais se voce nao acredita
Sarava Rosita Caveira que vem pra vencer um dia ha de acreditar
demanda quando passar pela calunga
e voce ouvir riri de ela
Olha essa moza que vem da ladeira Ri cuá cuá cuá
Perfume de rosas vem traçendo ela Ri cuá cuá cuá
Sua gargalhada estremeceu na terra E Pomba Gira Rosa Negra
Vamos bater palmas pra Rosa caveira na Calunga gargalha
Atoto vamos cantar pra ela Ri cuá cuá cuá
E Pomba Gira Rosa Negra
Atoto Salve Rosa Caveira
Ena Ena Mojebá
62
PG Rosa Vermelha

Rosa Vermelha Noite de lua, é noite serena


Rosa Vermelha encarnada vem com perfume de flores sem cortar
a Pomba Gira das Sete Encruzilhadas Ouvi um carro devagando pela rua
que vai girando, vai girando na rua é la falange de Cigano que arriva
Rosa Vermelha Quando levanta seu campamento
a Pomba Gira das Sete Encruzilhadas musica sana se pode ecoutar
porque dançando musica sana
Gira na Pomba Gira traz alegria e leva todo mal
Nossa Rainha da Encrizilhada E Laroiê Povo Cigano
É uma Rosa Vermelha e vem surgindo uma Laroiê Povo de Exu
gargalhada E amigos traigan flores e perfume
Ai vem nossa senhora, nossa Rainha da traigan flores e perfume
Encruzilhada que Cigano tá de festa
Cuidado com a Senhora
Rainha das Sete Encruzilhadas Hoje e noite de lua cheia
Povo Cigano vem ai
Bonita mulher Vem traçendo seus mistérios
Quando chega mil cores espalhandoce Povo igual eu nunca vi
De noite aflora Cigano bate o pé
Vem traçendo em seu pelo um perfume de Cigano bate o pé
rosas Cigano entra na roda
Ela é, ela é, ela é Pra saudar filhos de fé
Rosa Vermelha Que vem de cá
Que vem de lá
PUNTOS DE POVO CIGANO São os Ciganos que vem trabalhar
São os Ciganos que vem bailar
Oriente é lá na beira do mundo
o lugar da vida, o lugar de amor Sonhei viver a vida dos ciganos
Cantar, danzar apaichonado
A linha do oriente Com alegria e muita fé
é linha diferente Sonhei que não sentia mais a pena
pois nela vem ciganos Não tem mais dor ni tristeza
confortar essa corrente Viver a vida e ser feliz
E asim não despertar de um lindo sonho
Noite de lua, é noite serena Seguir durmindo bem profundo
vem com perfume de flores sem cortar Sonho cigano sem fim
Ouvi um carro devagando pela rua O lero lero lerolei
é la falange de Cigano que arriva O lerolai
Quando alevanta seu campamento
musica sana se pode ecoutar Magia Cigana
porque danzando musica sana fetiço de amor
traz alegria e leva todo mal Foguera acendida
Laroiê Povo Cigano que quema seu door
Laroiê Povo de Exu Jogando baralho
E amigos traigan flores e perfume falando verdad
traigan flores e perfume Olhando destino
que Cigano está de festa com a bola de cristal
Lamento que chora
Amigos traigan flores y perfumes aquel que se foi
oro, platas y monedas e com seu conjuro
que Cigano esta de fiesta seu menga marcou
Amigos traigan flores y perfumes Magia Cigana
oro, platas y monedas conjuro de amor
que Cigana esta de fiesta Magia Cigana
Alupande Povo Cigano Amor que voltó
Alupande Povo de Exu Ori ori Ori ori Ô
Ooooo Povo Cigano
63
Eu abro a Toquí Deus na frente, paz na guia
Eu abro a Toquí Ó Virgem Santa Maria
Mas é que eu.. a a a ele é o Rei Curimbata
Povo Cigano! Cigano da Romaria

Eu descubri a magia dos ciganos Debaixo de uma figueira


Na letura de mia mão adivinou eu fiz um feitiço
Que venia com a forza das Almas pedi para um cigano
Que traia en mia mão el lamento de um pra firmar um compromisso
amor
Choram choram choram os Ciganos Da tribo do Cigano eu vim
Rien rien rien rien por um amor da tribo do Cigano eu vou girar
Choram choram choram os Ciganos Oi salve as sete linhas de Umbanda
traen em suas mãos el lamento de um Salve o povo do Cigano
amor
¿Quem é ele, quem é ele, quem é ele quem
Me contaron os velhos ciganos vem lá?
na fogueira de aquel campamento Ele é o Exu Cigano que chegou prá trabalhar
quando a lua cubria o céu Mas ele traz na sua mão esquerda um violino
prá tocar
se ecoutava um triste lamento
Mas ele traz na sua mão direita um baralho prá
E uma linda morena metia jogar
sua saia nas ondas da praia
mas al ver uma canoa vacia Cigano 7 Cruzeiros do Oriente
um lamento Cigano se ouvia
Malaquê malaquiê O Oriente é
Malaquê malaquiê o lugar da vida, o lugar da paz
o lugar do amor
PUNTOS DE CIGANOS Eu sou Exu, é que eu sou Exu
Sete Cruzeiros na Linha do Oriente
Longe vem, longe vem
Seu Cigano Arué Loré Cigano tem fama
De violino na mao Ele tem sete mulher
y baralho pra jogar Cigano foi coroado
adivina minha sorte No reino de Lucifer
eu te vou a dar mia mao
Cigano das Almas
Eu sou Exu Cigano
quem vem com minha Cigana A porta da Calunga estremeceu
com minha rosa na mão Lá no alto ecouté uma gargalhada
com minha rosa na mão parado numa lomba estava
para tuda a gente, axe eu vou dar um Cigano das Almas puchando pra Cigana
Eu sou Exu Cigano Cigano trabalha no mato
Eu vim uma noite de Oriente Cigano trabalha na Calunga
Eu tenho a minha tenda no meio da areia Gira que gira mãe Pomba Gira
Eu falo o futuro pra gente que vai girando sobre uma tumba
Exu trabalha no mato
Ai vem vem vem romaní Exu trabalha no mar
Cigano eu te quero, te quero, te quero a ti Aê Aê, aê aá
Festa de Ciganos Quimbandeiros En la Calunga estava olhiando
Povo que chegou de longe Quando o céu se escureceu
Misturando sua magia Mas ele gira alá nos matas
com a magia da Quimbanda São Sebastian no terreiro confirmou
e todo o mundo homenageia hoje Com uma faca, sete ponteiras
Sete ponteiras, traze para mim
Santa Sara clarieia, clarieia esse congá Exu Cigano, Exu das Almas
Santa Sara clarieia Valente povo, olé olé
pra Cigano trabalhar
64
Cigano Lerú
Um día caminando a pé
Leru Povo Cigano pra ver se-encontrava
Leru Povo Cigano uma Cigana de fé
Leru Leru Ela pediu pra ler minha mao
Cigano eu sou ela me-diz toda a pura verdade
Leru já chegou Eu so quis saber se ela é
Leru Leru a Pomba Gira de fé

Cigano Leru Caminhando pela madrugada


Cigano Leru muito longe eu avistei uma moça na
Leru Leru calçada
Ele vai só Leru Linda morena Cigana
Ele vai girar Leru me diga quem voce é
Ele vai so Leru Leru Leru "Eu sou Rainha das Rosas
Cigana do Candomblé
Leru Eu vou abrir seus caminhos
Ede patso Leru Eu vou mudar sua vida
Ede patsola Leru Eu sou Cigana de fé"
Ede patso
Leru, Leru, Leru Bem que eu te avisei
que não fizesse esso comigo rapaz
PUNTOS DE CIGANAS você jogou no valete
y eu joguei na dama
As damas, as damas Amigo voce e Cigana
da noite vam girar ainda é Pomba Gira Cigana
Exu Cigana
é Exu que vai girar Armei uma barraca velha
foi Cigana quem me deu
Dança, Cigana dança vou devolver a ela
Cigana dança, Elubandê o que é dela não é meu
Ciganinha Puerê Puerê, Puerá
Ela gira no ar, ela gira na praça, ela gira na
rua Dona cigana embaixo de uma figueira
Ela canta, ela dança, ela veve sorindo en ela sambava acima de uma fogueira
noite de lua Dona Cigana deu uma gargalhada
Ela e sincera, ela diz verdades e chamou todos os Exus para sua
Mas cuidado amigo que ela nao gosta de encruzilhada
falsedade
Cigana mulher fina
Vinha caminhando a pé bem façera no andar
para ver se encontrava Trabalha pra todo o mondo
Pomba-Gira cigana de fé e quem poder lhe ostentar
ela parou, e leu minha mão
e disse-me toda verdade Doi doi doi doi
eu só queria saber, aonde mora Um amor faz soufrir, dois amor faz chorar
Pomba-Gira cigana de fé No tempo en que ela tenha dineiro
Amigo, bem que eu lhe avisei os homes querian lhe amar
que você não jogasse mas hoje o dinero acabou
essa cartada comigo a beleza encheigo, ela se pos a chorar
você jogou o valete Doi doi doi doi
e eu, joguei a dama Um amor faz soufrir, dois amor faz chorar
amigo, vê se não se engana Te dei amor, te dei carinho
Pomba-Gira cigana tirei uma rosa, tirei os espinhos
é uma mulher de fama
Ô Cigana
Pomba Gira é, Pomba Gira é vai em busca de um amor que foi embora
Dona Cigana mulher bonita Ô Cigana vem, Cigana vai
Rainha do candomblé Cigana que chega para trabalhar
65
Ô cigana deu-me tanta alegria
vai a buscar meu amor que foi embora Eu nunca hei de esquecer esse dia
se fiz feitiço, foi pra ter o seu amor Existem duas estradas para você
eu dei carinho, pra quem não me deu valor Uma é a de espinhos, a outra é a escolher
vai buscar o meu amor Oh, cigana, Oh, cigana
e pra ti dou uma flor, ô cigana Sei que você não me engana
Oh gigana de fé, Cigana
Juraram de me matar
na porta de um cabaré De longe eu vi a Cigana cegar
Sou Pomba Gira Cigana De longe eu vi a Cigana acampar
sou pombagira de fé Oh Cigana , Ciganinha do meu coracao
Sou Pomba Gira que pissa Voce pode ler a sorte
na cabeça de quem quer Na palma da minha mao
Saravá Legba Cigana, auê êê
Em uma ronda de Ciganos Ela é a Pomba-Gira, auê êá
en uma noite muy serena É Mojibá, auê mojibá
dançava ferventemente
uma Cigana muy bela Veja meu destino Cigana
Dança dança Cigana quero ser feliz
gira gira mamãeDança dança Cigana por aonde passas sempre sei minha raiz
Dança dança Cigana Eu caminhaba na estrada sem saber aonde ir
me deparé com uma moza que firme olhio pra
gira gira mamãe
mim
dança tuda a noite, leva todo o mal Com seu vestido de lenço e um baralho na mão
me dize que era Cigana e ia ler a minha mão
Dona Cigana é mulher de sete maridos Veja meu destino Cigana, quero ser feliz
toma cuidado gente que ela e um perigo por aonde passas sempre sei minha raiz
Al ver a linhas cruzadas na palma da minha
Quem nesse mundo não poder dezer mao
Quem nesse mundo não poder falar ela mostro meu caminho, me deu sua proteçao
de uma Cigana, que mora naquela estrada Hoje me encontro feliz dentro da religiao
ela tem sua morada eu so um filho de Umbanda, tenho um pae no
coraçao
sobe o clarão do luar
Veja meu destino Cigana, quero ser feliz
Cigana da estrada, forza poderosa por aonde passas sempre sei minha raiz
me-deu proteção e axe
Ciganinha formosa Ela saiu em busca
mas em busca de um grande amor
Veja você o que me aconteceu contemplando a natureza
na encruzilhada a Cigana apareceu para sua sorte encontrar
Moza bonita tem fetizo no olhar as folhas falavam as águas a rolar
Com seus tamancos dourados as flores exalavam seus perfumes
Ela sabe caminhar e os pássaros a cantam
Olhem só quanta emoção
Sua saia é colorida
quando encontrou o seu grande amor
seu pandeiro não me engana É um cigano guerreiro
¿Quem é esta moza bonita? com sua espada na mão
É Pomba Gira Cigana ele disse eu sou Vladimir
Eu sou um cigano sonhador
Cadê meu baralho de ouro por isso linda cigana
para minha Cigana jogar não vivo sem o seu amor
Um baralho lirô lirô lirô
Um baralho lirô lirô lá Misterio da noite, a orilha do río
Um baralho lirô lirô lirô Formoça Cigana que chorando está
Oi decha a Cigana jogar Nas aguas elevam seu triste lamento
y em seu campamento seu povo fala
que foi por um home
Numa noite linda que Cigana chora
Eu vi uma cigana ferida seu alma y seu coraçao
Com sua pulseira dourada Valente esse mozo que a ela a salvado
E no seu peito um cordão sigue recordando aquel gran amor
Com seu pandeiro de fitas Historia de amor, historia de amor
Ela leu a minha mão A Cigana chora por Seu Marabó
66
Sorriu para mim toco do ouro vai desvendando
uma Cigana formoza Chuva caindo do céu
Tão bonita y vaidosa de manera esplendorosa
em sua mão traz uma rosa Agua caindo acima da agua
Despetalou sobe mim que coisa mais formosa
sem deichar cair espinho E as ondas do mar vam quebrando
no meu caminho o silencio na beira da praia
Esta morena faceira e quando ouve a serenata
levanta poeira vai entonando as Sete Saias
Rosa Cigana Olha que coisa mais formosa
Rosa formoza Ela vai trabalhando na beira do mar
É tão bonita que parece uma rosa que coisa mais formosa

A Cigana tem, tem, tem Cigana Celoí


um sorriso sem igual
Faz um homem delirar Oi dança na ponta do pé
e depois se apaixonar dança na ponta do pé
Então eu vou, eu vou oi dança na ponta do pé
vou casar contigo agora eu vou Que eu quero ver a Celoí
Só não me caso contigo Eu perguntei às cartas
porque tenho um outro amor perguntei às runas e ao tarô
Então eu vou, eu vou Auê, auê ó Celoí
vou embora agora já Cigana, teu povo é quem te chama
Com os olhos cheios de lágrimas que eu quero ver a Celoí
por não poder te amar
Cigana da Praia
Olha a quitanda passando
essa quitanda é de Naô Tava na beira da praia
Olha que bela quitanda Noite de meu amor
olha que bela quitanda Ecoute o canto da Cigana
Olha que bela quitanda A onda do mar levou
essa quitanda é de Naô O mamãe Cigana
faz meu amor voltar
A roseira que eu plantei que se voce me acredita
Não deu rosas, deu espinhos flores eu vou levar
Eu vou chamar uma Cigana
prá limpar os meus caminhos Lá na beira da praia eu vi
en um campamento eu vi
E a menina do sobrado uma senhora batendo
vai na encruza de sapato dourado Mas não é Zoraya, não é
Reza prá Exu de joelhos ela é Pomba Gira Cigana tirando a sorte
que a Cigana se veste de vermelho
Cuenta la historia de una Cigana
Cigana 7 Saias que andaba sola por el mundo
Estaba sola, sola muy sola
Mãe Pomba Gira Cigana Sete Saias Por un amor que la abandono
Gira gira noite e dia Ela ficava na beira do rio
Gira e gira sem parar ficava na beira do mar
Mãe Pomba Gira liverou sete cruzeiros Cuenta la historia de una Cigana
Ela chega no terreiro que aquí llego a trabajar
pra depoies poder girar Llora llora llora Povo Cigano
Rie, rie, rie Povo de amor
Chuva caindo do céu y en su mano traia el lamento de un amor
de manera esplendorosa
Agua caindo encima da agua Dona Pomba Gira Cigana
que coisa mais formosa Leva o mal que tem para levar
E a Pomba Gira no acampamento Leva a minha quizila
tão bonita e trabalhando Leva pra o fundo do mar
com seu lindo baralho
67
É que eu tenho um balanço Senti verla no jardim
eu tenho um balanço no meio da madrugada
Eu tenho um balanço na terra Exu Pomba Gira Cigana
É que eu tenho um balanço dona da encruzilhada
eu tenho um balanço Quando chega meia-noite
de ouro no fundo do mar Vem do meio da encruzilhada
Amante de um Exu
Oi Cigana da Praia A Rainha de Omolu
Ela é da areia, ela é da praia, ela é do mar
Ciganinha Menina Noite de lua cheia, brilha no cemiterio
Ela é da areia, ela é da praia, ela é do mar lá se ecoutan violinos
castanholas e pandeiros
Cigana da Sorte rompe na madrugada
ecoutan aquel lamento
Lá na beira da praia eu vi tira uma gargalhada
en um campamento eu vi mãe Cigana vem surgindo
uma senhora batendo vem traçendo alegria
Mas não é Zoraia, não é vem traçendo mistério
ela é Pomba Gira Cigana tirando a sorte mãe Cigana das Almas
vai sumando ao campamento
Eu vi, um acampamento eu vi Ô Cigana, Ô Cigana
na beira da estrada eu vi Vem girando das Almas
Como era lindo
É que não era Soraia, não é Juraram pra me matar
Não era Saionara, não é na porta de um cabaré
Era a cigana da sorte lendo a sorte de Eu sou Pomba Gira
quem quer piso de noite, pisa de dia
na cabeça de quem é
Cigana das Almas Eu sou Pomba Gira Cigana
Sou a rainha das Almas
Cigana trabalha no mato Eu sou Pomba Gira e eu piso
Cigana trabalha na Calunga na cabeça de quem é
Gira que gira mãe Pomba Gira
que vem girando sobe uma lomba É que eu tenho um balanço
eu tenho um balanço
A Cigana das Almas Eu tenho um balanço na terra
chegou para afirmar a gira É que eu tenho um balanço
Ela vem girando eu tenho um balanço
com Tranca Rua das Almas de ouro no fundo do mar

Brilha toda a noite O teu Ganga não me engana


espalhando ar o teu Ganga me enganou
como estrelha guía O teu Ganga não me engana
dona do luar o teu Ganga me enganou
Humilde beleça Foi essa moça Cigana
que aflora no mar foi Atotô quem mandou
Canto de misterio Pandeiro, pandeiro, pandeiro rê rê
sussuro em su andar Pandeiro, pandeiro, pandeiro rê rá
Joia preciosa
tesouro ancestral
bela flor radiante
troçe en suas mãos
Vestida de cores
lee com seu olhar
meu destino incerto sem errar
Laira laira laaa
Canto pelo mundo para te louvar
hermosa Cigana de la mar
68
Cigana das Rosas Cigana do Oriente

Cigana linda do olhar feiticeiro Oriente é lá na beira do mundo


Cigana das rosas vermelhas o lugar da vida, o lugar de amor
Ô seu perfume tem o feitiço de derrubar os Ô Cigana
feiticeiros vai em busca de um amor que foi embora
Na sua cor ela transmite o amor Ô Cigana vem, Cigana vai
No seu perfume a alegria de viver Cigana que chega para trabalhar
Ô cigana linda, Oh cigana
ciganinha do amor, Ô linda cigana Cigana Esmeralda
Sei que você não me engana
Ciganas dos olhos verdes
Se eu colhece todas as rosas Tuas cartas são maiorales
que nascem nos mais lindos jardims Teu nome é Esmeralda
Não teria a magia Elas não mentem jamais
do perfume que você transmite en mi, Ô Alupande, elas não mentem jamais
Cigana Cigana dos olhos verdes
Ô Cigana com sua saia rodada enfeitada de Voce tem um grande amor
varios cores Ele é Exu (nombre de Exu)
Trazendo seus mistérios Rainha é o teu Senhor
que uma rainha possui com todos seus
esplendores Cigana Menina (Ciganinha)

Numa noite de lua , uma linda Cigana Ciganinha, Ciganinha


Passea va na rua e sorria ao luar da sandália de pau
Ela era formosa , era dona da Rosa ela trabalha pro bem
Uma linda Cigana vem o mal desmanchar faz o bem desmancha o mal

Oi, lá no céu tem estrelas ¿E que mistério traz com seu caminho de
Oi, lá no céu tem luar lua?
É lá que mora a Cigana Seu olhar sereno reflechava seu encanto
que aqui vem trabalhar E girando vai na noite colorida
Oh! Cigana! Oh! Encantada Ela e Ciganinha girando de noite
Moça bonita girando a la mar
rainha da minha estrada. Eu olho as estrelas receber su encanto
Cigana! Oh! Cigana, moça formosa Eu estou esperando receber su encanto no
Todos saúdam a Cigana das Rosas meio do ser
Era uma mãe Cigana, Oriente me chama
Cigana do Jaro o da Praça Mistério lejano
Sempre na noite colorida
Ai festa no povo da praça e com seu soriso, mistério de amor
Tem festa no Povo Cigano
Eles tocan seus lindos violinos Ciganinha Ciganinha Menina
pra saudar a Cigana do Jaro Ciganinha Menina que aquí chegou
Ela danza para Exu rei Ciganinha que ela vem danzando
Exu rei Tiriri Lana Ela vem trabalhando por seu amor
Alupande Cigana do Jaro Na praia vem danzando
Alupande Tiriri Lana Na praia vem trabalhando

Pasei por uma praça Oi Cigana da Praia


eu vinha caminando Ela é da areia, ela é da praia, ela é do mar
eu ví a uma Cigana Ciganinha Menina
que tava trabalhando Ela é da areia, ela é da praia, ela é do mar
¿Era Zamuraya?
Não era Zamuraia
Era uma Cigana
que tava trabalhando
69
Cigana Salomé

Cigana Salomé da meia-noite


Cigana Salomé da Encruzilhada
Cigana é mia mãe que me acompanha
Mamãe Cigana traz a minha sorte

Cigana Salomé da Encruzilhada


Cigana Salomé da boa sorte
Cigana é a mulher que me acompanha
Mamãe Cigana salvame da morte
70

PUNTOS DE DESPEDIDA
Ogum mandou
Adeus, tá na hora grande, Adeus chuva de fogo pra Exú ir embora
Adeus, eu me vou embora Atalaia, atalaia, ele é de Ogum
vou por meus caminhos Atalaia, atalaia, ele é de Ogum
girando na Linha das Almas chuva de fogo pra Exú ir embora
deixando mi axé para quem seja
Adeus, meu axé Exú já trabalhou
que vou embora Exú já vai embora
levando todo mal
E hora, é hora lá pra sete encruzilhada
A Calunga me chamou
E hora Galo cantou, madrugada é hora
(nombre del Exu) se despede e vai embora
Seu Lúcifer está me chamando se quiser que eu fique eu fico
e eu já vou me retirar se quiser que eu vá eu vou
seu Maioral está me esperando se quiser que eu te proteja
com uma champagne eu serei seu protetor
para eu tomar
Já curiou, já curiou
São Miguel de Arcanjo Exú (nombre del exu) já curiou
é hora, é hora
balança esses trabalhos Ogum mandou
que os Exús já vão embora bater palmas pra Exú ir embora
eu sigo o meu caminho
Eu já vou, eu já vou girando na linha das almas
Eu vou embora pro lado de lá um abraço pra quem fica
Se precisar de mim é só mandar me boa noite que eu vou embora
chamar
Se precisar de mim é só mandar me Porta de ferro fabreu, o dia tá clareando
chamar Ele é Seu (nombre de Exu)
Lucifer esta chamando
Que gira, que gira, que gira Exu
Puntos de Despedida de Exu Lucifer esta chamando

O sol já clariu Eles vão pela mão, pela mão


A lua desapareceu Eles vam pelo pé, pelo pé
O povo de Exu (O Exu …) O galo já cantou
Que já vai embora Exu já vai embora
porque esta na hora
de subir, subir Bateu meia-noite na capela
O galo cantou na encruzilhada
E de corococo Seu Cangira Arruma sua capa e seu garfo meu Exu
O galo ja cantou Seu Cangira O meu Pai Ogum lhe chamou na
E no romper da aurora Seu Cangira madrugada
Exu ja foi embora Seu Cangira
Balança lhe pesa
Exú mora na Judéia E hora, é hora
perto de Jerusalém Don Miguel lhe chama
Exú vai embora Exu já vai embora
deixando a paz e o bem
Cambono camboninho meu cambono
Vou embora, vou embora Olha que Exu vai oló
minha hora já chegou Vai vai vai meu cambono
quem desobedece chora Ele vai numa gira só
hora que Jesus mandou
71
E hora, é hora, é hora
No calendá é hora
E hora no calendá, é hora
E hora meus boms Exus
E hora, é hora

Exu já curimbou, Exu já curiou


Exu já vai embora que Ogum mandou
Exu já curimbou, Exu já curiou
Exu já vai embora que a encruza chamou

Exu vai pelo pé


Pelo pé
Exu vai pela mão
Pela mão

Ele vai girar


Ele vai girar
E na sua caminhada
Vai passar pela encruza
E na sua caminhada
que Exu vai ficar

As encruzas estão lhe chamando


Firma a gira deste jacutá
Seu Tranca já vai embora
Firma a gira deste jacutá

Agora pro seu morro vai subir


meu Deus ele já vai embora
conversa do malandro não tem fim
Boa Noite meu Senhor
Boa Noite minha Senhora

Ogum mandou, chuva de fogo prá Exu ir


embora
Ele é o dono da calunga, é o rei do
cemitério

Puntos de Despedida de Povo das


Almas

Sigo o meu caminho


que eu sou da linha das Almas
Digo adeus para quem fica
boa noite que eu vou embora

E Adeus
já é hora grande, adeus
Adeus, ela vai embora
vai por os caminhos
girando na linha das Almas
deichando seu axe para quem seja
Adeus, seu axe, ela vai embora
72

Puntos de Despedida de Pomba Gira Puntos de Despedida de Povo Cigano

Estava trabalhando e me mandou chamar Axe Axe


Pomba Gira vai embora na porta de meu Muito axe
Congá Axe pra tudo o mundo axé

Ô Cambonê, meu Cambonê Adeus meu ciganinho


que ela voltó embora Tu já vais embora
en meio do cruzeiro se foi Adeus meu ciganinho
¿Onde é sua morada? Volte no romper da aurora

Todo mundo quer Apaga a fogueira meu povo


mas ela já vai embora Vamos levantar acampamento
O galo já cantou Os ciganos vão embora na direção Do
(nombre de Pomba) é hora, é hora firmamento.

Maria amarra a saia que tá na hora Os ciganos vão embora


Maria amarra a saia que Exu vai embora Meu coração vai sofrer
Vou esperar até a próxima temporada
Padilha, amarra a saia está na hora E os ciganos voltarei a ver
Padilha, amarra a saia está na hora
é meia-noite, o galo canta Com sua risada alegre ela gira, ela gira,
a Padilha se levanta ela gira
amarra a saia, está na hora A cigana vai embora, vai correr a sua gira,
sua gira
Maria amarra a saia, é hora, é hora
Maria amarra a saia, exu vai embora Vai, vai, vai, a Cigana vai passear, oi vai
Pomba Gira quando chama, prá dizer que por uma estrada florida, numa noite de luar
tá na hora A Cigana foi, foi, foi
Pomba Gira quando chama a falange vai A Cigana foi passear, oi foi
embora por uma estrada florida, numa noite de luar

O galo cantou minha cangira Levantou poeira, levantou poeira e a


O cucurucu minha cangira Carmencita vai embora
E no romper da aurora mia cangira Passou poeira, passou poeira e a
Pomba Gira vai embora Carmencita foi embora

E meia-noite
galo cantou na encruzilhada Tristeza (Despedida para Exu)
Na capela bate o sino
bateram palmas na morada Tristeza por favor vai embora
Sete Saias na Encruza minha alma que chora
sem ela não se faz nada que esta vendo meu fim
Fez do meu coração a sua moradia
Maria Padilha se despide vai embora já e de mas o meu penar
E na porta da mata, e na encruzilhada que quero voltar aquela vida de alegria
ela mora quero de novo cantar
Lara laia, lara laia
Cadongueiro quando chama quero de novo cantar
E sinal que está na hora
Candongueiro quando chama
E Exu que vai embora, Maria
Maria amarra a saia que Exu vai embora
Maria amarra a saia que Exu vai embora
73