Está en la página 1de 59

PROBLEMAS GERADOS PELA MANIPUEIRA NO

PLANALTO DE CONQUISTA

Prof.Armínio Santos – Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Campinhos – Vitória da Conquista


COOPASSUB
 Finalidade: A COOPASUB – Cooperativa Mista
Agropecuária de Pequenos Agricultores do Sudoeste da
Bahia Ltda, foi fundada em 20 de maio de 2005, como o
modelo mais adequado ao processo de inserção
socioeconômica dos (as) agricultores (as) familiares,
sendo a entidade que os representa, constituindo-se
como instrumento de convergência de todas as
associações e organizações de produtores (as) e foi
construída para responsabilizar-se pelos investimentos
necessários à estruturação dos trabalhadores. Esses
investimentos foram consolidados no Programa de
Fortalecimento da Agricultura Familiar na Cadeia
Produtiva da Mandioca no Sudoeste da Bahia.
NÚCLEOS DE ABRANGÊNCIA DA
COOPASSUB

Obs: Incluídos Piripá e Condeúba


INDICADORES

Pobre: Aquele que recebe igual ou menos que metade do salário mínimo – IPEA
INDICADORES
Tabela 2 – Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) referentes aos
13 municípios selecionados, ao Estado da Bahia e ao Brasil.
CONTEXTO
• Geograficamente todos os 13 núcleos abrangidos pelo
presente projeto, inserem-se, com variações e diversas
áreas de transição, dentro da vegetação de Caatinga
que se estende desde o Piauí até o norte de Minas
Gerais, com uma área total de 734.478 km2 (LEAL et
al., 2003). De acordo com esse autor, às áreas de
abrangência de Vitória da Conquista – Bahia e Pedra
Azul, norte de Minas Gerais, fazem parte das 82 áreas
prioritárias de vegetação de Caatinga que requer
medidas para preservação urgente da biodiversidade
deste importante ecossistema. Todos os municípios do
projeto estão enquadrados dentro da área citada. A
Caatinga é uma das maiores e mais distintas regiões
brasileiras (FERRI, 1980), representando por 70% da
Região Nordeste e 11% do território nacional (BUCHER,
1982).
A Região
A REGIÃO
Os Impactos Ambientais
Como gerar tecnologias para preservar as
matas nativas e não usá-las nos fornos?
Soluções buscadas para o problema da
lenha retirada das matas
 Biodigestores que aproveitam a manipueira
 Grelhas
 Tijolos semi-refratários revestindo as paredes
dos fornos
 Plantios de bambu acoplados às casas de
farinha
 Uso de bambu nos Fornos
 Viveiro de produção de mudas para distribuição
nos núcleos da Coopassub
GRELHAS + TIJOLOS SEMI-REFRATÁRIOS
RELATO DE ECONOMIA DE LENHA EM DANTILÂNDIA: 50%
Uso do bambu nos fornos
Local: Simão-Vitória da
Conquista Uma solução?
FONTE: UNIT (2006).
TREMEDAL
REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DO SISTEMA
DE PLANTIO E BENEFICIAMENTO DA MANDIOCA
EM VITÓRIA DA CONQUISTA-BA

ÁGUA – ENERGIA SOLAR


RASPA
CRUEIRA
SOLO(MINERAIS)

ÁGUA PLANTIO
BENEFICIAMENTO

AMIDO
SUSPENSÃO
ENERGIA SÓLIDA
SOLO(EROSÃO)
(QUEIMA DE
LENHA-CO2) MANIPUEIRA
O Problema(Solução) Gerado Pela
Manipueira no Planalto de Conquista
 A poluição ambiental, proveniente da
manipueira, um resíduo líquido da prensagem
da raiz de mandioca, restringe fisicamente os
locais de produção pela formação de enormes
volumes deste líquido, provocando condições
de insalubridade na população e afetando à
saúde e a economia desta atividade .
CAMPINHOS
Insalubridade Gerada Pela Manipueira
MANIPUEIRA JOGADA NO RIO SANTA
RITA
Campinhos /Simão

Observar aspecto “leitoso” do rio devido à manipueira


As Soluções Tentadas
 1-BIODIGESTOR NO SIMÃO
Resultados
Tentativa de Eliminar o Odor da
Manipueira

 Itaipu
DANTILÂNDIA
SEU ADOLFO- SIMÃO
Uso da Manipueira
Uso da Manipueira no
Seu Adolfo - Simão Café
Aproveitamento da Manipueira em Lagoa
Grande
LAGO DE MANIPUEIRA - LAGOA GRANDE
POEMA DA MANDIOCA
Poema produzido coletivamente pelos agricultores de Possidônio(município de
Cândido Sales-BA).Conservou-se grafia original.

O plantio de mandioca aqui


em nossa paróquia é o nosso ganha pão:
mas é desvalorizado aqui em nosso roçado
a pequena produção.
Com dois anos de trabalho para ver se quebra o galho e
apura o que plantou: quando vai ver
as despesas falta o pão em nossa mesa,
não sabemos quem tirou.
Outras discriminação é das fábricas de farinha aqui na
região: cobra mais
do valor do pequeno produtor, é nossa situação.
“A mandioca é a nossa Planta – Mãe”!
Agricultores de Possidônio
POEMA DA MANDIOCA (CONTINUAÇÃO)
Miséria lhe obriga imigrar
prá São Paulo nesta triste
solidão: vai parar lá na favela junto com sua família para ir
ganhar o pão.
Assim é a nossa vida,
de quem continua
plantar a mandioca
que não tem exportação:
esmorece com o roçado,
vai vender o dia dia
virando assalariado.