Está en la página 1de 15

O PERFIL PSICOLÓGICO DA

ADOLESCÊNCIA INSTITUCIONALIZADA
Psicólogo Daniel Brum, CRP 04/43117
Serviço de Acolhimento Institucional - Casa de Passagem II “Pequeno Cidadão”
PLANO

• Legislação
• A Psicologia e o Desenvolvimento Humano.
• Estatísticas
• Relação contínua com os adolescentes no âmbito municipal

• Duração 20 minutos.
AS RAÍZES DAS POLÍTICAS PÚBLICAS
Constituição Federal, Art. 226: “A família,
base da sociedade, tem especial proteção
do Estado.”

Estatuto da Criança e do Adolescente, Art.


19: “É direito da criança e do adolescente
ser criado e educado no seio de sua família
e, excepcionalmente, em família substituta,
assegurada a convivência familiar e
comunitária, em ambiente que garanta seu
desenvolvimento integral.”
A PSICOLOGIA E O
DESENVOLVIMENTO HUMANO

• O Desenvolvimento é Contínuo e Vitalício!


• É influenciado pela história, pelo contexto.
• É muito influenciado pela (CS) Condição Socioeconômica
• É multidirecional e multidimensional.
• Possui a característica de Plasticidade.
ADOLESCÊNCIA
• Adolescência é a transição da infância para a idade adulta. Seu começo e
seu fim não são claramente marcados nas sociedades ocidentais; dura
aproximadamente uma década, entre os 11 ou 12 anos e final da segunda
década de vida ou início dos 20 anos.

INFLUÊNCIAS NO DESENVOLVIMENTO
• Hereditariedade X Ambiente Aspectos:
• Criação das “FamíliaS”; Situação Histórica; • Afetivo/Social
• Maturação • Físico/motor
• Diferenças Individuais
• Intelectual/cognitivo
• Personalidade
• Períodos Críticos
ESTÁGIOS DE DESENVOLVIMENTO
SEGUNDO DIVERSAS TEORIAS:
PERFIL DOS ADOLESCENTES
ACOLHIDOS NO BRASIL

2013
PERFIL DOS ADOLESCENTES
ACOLHIDOS NO BRASIL

2013
ACOLHIDOS COM ESPECIFICIDADES EM
ABRIGOS

2013
A CRIANÇA E ADOLESCENTE TEM
TRAJETÓRIA DE RUA?
PRINCIPAIS MOTIVOS DE
ACOLHIMENTO EM ABRIGOS.
ABRIGOS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES QUE
RECEBERAM VISITAS NOS 2 ÚLTIMOS MESES
TEMPO MÉDIO DE PERMANÊNCIA EM ABRIGOS.
CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM CONDIÇÕES DE
SEREM ADOTADOS, SEGUNDO FAIXA ETÁRIA.

Disponibilidade para adoção


ATIVIDADES
• Atividades psicossociais (com as crianças e adolescentes,
visando trabalhar questões pedagógicas complementares,
autoestima, resiliência, autonomia;
• com as famílias de origem, visando a preservação e
fortalecimento de vínculos e reintegração familiar);
• Profissionalização dos adolescentes acolhidos;
• Fortalecimento da autonomia da criança, do adolescente
e do jovem e preparação para desligamento do serviço;