“Em 2008 foi implementado o Currículo do Estado de São Paulo, com um currículo mínimo comum em todas as escolas.

Nele estão definidas as bases dos conhecimentos e das competências e habilidades a serem efetivamente desenvolvidas pelos alunos em cada série e em cada área curricular, o que torna possível estabelecer uma referência para avaliação dos alunos. Com base nessa referência se pode medir o quanto os alunos da rede estadual estão efetivamente aprendendo em relação ao que se espera que aprendam na etapa de ensino em que se encontram.” Esses aspectos dizem respeito ao SARESP – Sistema de Avaliação do Rendimento Escolar do Estado de São Paulo, assunto abordado neste módulo. Reveja-o, para analisar melhor a afirmação acima, e disserte sobre a seguinte questão: como um sistema de avaliação em larga escala pode auxiliar na implementação do Currículo?

Um sistema de avaliação em larga escala só pode ser útil se houver, por parte do articulador, ou mediador, do processo educativo, o uso criterioso de seus resultados. Caso contrário, a propagação e efetivação de avaliações externas tornar-se-ão insuficientes e fora do contexto. Sob o ponto de vista do docente que articula as informações obtidas por meio de avaliações como, por exemplo, o Saresp, há a necessidade de se analisar, com base no resultado obtido, as reais necessidades da unidade escolar pautada num contexto sensato e articulado com as habilidades e competências relativas ao recorte temporal adequado de determinado ano escolar Desta forma, muito se discute acerca dos programas de formação e estes programas podem se aliar a prática educativa em sala de aula na medida em que desvenda e propõe conhecimento sobre as possíveis articulações entre as avaliações externas, os dados adquiridos e o planejamento de atividades que se faça sanar os problemas de determinada unidade escolar. Há também o pensamento de que estas avaliações fornecem um rol de informações extremamente pertinentes para que se faça o replanejamento do projeto escolar visando o desenvolvimento de seus discentes desde o aspecto cognitivo até mesmo em seu aspecto social. Note-se, portanto, que as avaliações externas evidenciam não apenas critérios de melhora interna, mas avalia todo o processo de ensino, ou seja, não avalia necessariamente o aluno, mas todo o sistema e seus protagonistas.

desenvolvimento de competências e habilidades cognitivas necessárias à sua inserção e sua participação na vida social. e atuação prioritárias para a atingir os objetivos traçados pela política educacional em vigor. cultural e econômica do país. .

.erfeiçoar o currículo a partir dos resultados da avaliação. aluno ou para selecionar o tipo de apoio pedagógico que será dado ao aluno ou que o professor necessita.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful