Está en la página 1de 8

1. Considere os sinais discretos [ ] n s e [ ] n x .

a) Calcule a transformada de Fourier de [ ] n s e represente-a em módulo e fase;
b) Sendo [ ] n s a resposta indicial (i.e. ao degrau unitário) de um sistema linear e invariante no tempo,
calcule a resposta deste sistema ao sinal [ ] n x ;
c) Um sinal periódico [ ] n z é obtido pela repetição de [ ] n s com período 10 = N . Calcule o coeficiente
15
a
da respectiva série de Fourier.

s[n]
-2 -1 1 2 4
-2
2
1
-1
3 5 6 n
x[n]
-2 -1 1 2 3 4 n
1
2

a) ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) Ω − Ω = Ω − Ω = − + − = Ω
Ω − Ω − Ω − Ω − Ω −
sin 2 2 sin 2 sin 4 2 sin 2 1 2 2 1
2 2 4 3 j j j j j
je j j e e e e S
( ) ( ) ( ) Ω − Ω = Ω sin 2 2 sin 2 S
( )
( ) ( )
( ) ( )
|
|
¹
|

\
|
Ω − Ω
Ω − Ω
− ± Ω − = Ω ∠
sin 2 2 sin
sin 2 2 sin
2
1
2
1
2
2
π
π
S










b) [ ] [ ] [ ] 1 − − = n s n s n h












Como [ ] [ ] [ ] 2 2 − + = n n n x δ δ , [ ] [ ] [ ] 2 2 − + = n h n h n y .











c) Como, devido ao carácter periódico dos coeficientes da série de Fourier discreta e ao facto do período
ser igual a 10 = N ,
5 15
a a = e como |
¹
|

\
|
=
N
k X
N
a
k
π 2 1
, em que ( ) Ω X é a transformada de Fourier de um
período do sinal periódico (calculada na alínea a), temos

( ) ( ) ( ) ( ) π π π
π
π
sin 2 2 sin
10
2
10
1
10
5 2
10
1
2
5 15
− = = |
¹
|

\
| ⋅
= =
− j
je X X a a .
Como ( ) ( ) 0 sin 2 sin = = π π , 0
15
= a .


s[n]
-2 -1 1 2 4
-2
2
1
-1
3 5 6 n
s[n-1]
-2 -1 2 5
-2
2
1
-1
1 3 6 7 n
h[n]
-2 -1 1 4
-3
2
1
2 3 5 6 7 n
2
-3
1
-2 -1 1 3 6
y[n]
-3
2
1
2 4 5 7 8 9 n
4
5
-4
1
-6
Ω 2π π
( ) Ω S
5
Ω 2π π
( ) Ω ∠S
π
−π
2. Considere um sistema discreto LTI caracterizado pela seguinte resposta em frequência:
( )
2
3 1
8 4
3
1
j
j j
e
H
e e
− Ω
− Ω − Ω

Ω =
− +

a) Determine, justificando, a equação às diferenças que relaciona os sinais de entrada ( [ ] x n ) e de saída
( [ ] y n ) do sistema.
b) Determine a resposta impulsional do sistema, [ ] h n .
c) Mostre como se pode calcular a resposta indicial ( [ ] s n ) do sistema a partir de [ ] h n e determine a
transformada de Fourier de [ ] s n , ( ) S Ω .

a)
A resposta em frequência é o cociente entre as transformadas de Fourier do sinal de saída e do sinal de
entrada: ( )
( )
( )
Y
H
X

Ω =

, logo
( )
( )
( )
( )
( )
( )
2 3 1
8 4 2
3 1
8 4
3
1 3
1
j
j j j
j j
Y
e
Y e e X e
X
e e
− Ω
− Ω − Ω − Ω
− Ω − Ω


= ∴ Ω − + = Ω −

− +

Usando as propriedades de linearidade (1) e de translação (3), resulta a equação às diferenças pretendida:
[ ] [ ] [ ] [ ] [ ]
3 1
8 4
2 1 3 1 y n y n y n x n x n − − − + = − −

b)
A resposta impulsional é a transformada inversa da resposta em frequência. Decompondo a resposta em
frequência em fracções parciais, resulta:
( )
2
3 1 1 1
8 4 2 4
3 2 1
1 1 1
j
j j j j
e
H
e e e e
− Ω
− Ω − Ω − Ω − Ω

Ω = = +
− + − −

Usando a propriedade de linearidade (1) e o caso A da transformada de Fourier discreta, resulta:
[ ] ( ) [ ] ( ) [ ]
1 1
2 4
2
n n
h n u n u n = +

c)
A resposta indicial é a saída do sistema quando o sinal de entrada é o degrau unitário. Logo,
[ ] [ ] [ ] [ ] [ ] [ ]
n
k k
s n h n u n h k u n k h k
+∞
=−∞ =−∞
= ∗ = − =
∑ ∑

Portanto, a resposta indicial é a resposta de um acumulador que tenha por entrada a resposta impulsional.
Aplicando a propriedade 7 do formulário pode-se calcular ( ) S Ω :

( ) ( ) ( ) ( )
( ) ( )
( ) ( )
16
3 2 3 1
8 4
16
3 3 2 7 7 1
8 8 4
1
0 2
1
1 3
2
1 1
3
2
1
k j
j
k j j j
j
k j j j
S H H k
e
e
S k
e e e
e
S k
e e e
π δ π
π δ π
π δ π
+∞
=−∞ − Ω
− Ω
+∞
=−∞ − Ω − Ω − Ω
− Ω
+∞
=−∞ − Ω − Ω − Ω
Ω = Ω + Ω−


Ω = ⋅ + Ω−
− − +

Ω = + Ω−
− + − +





3. Considere o sinal discreto [ ] x n figurado ao lado.
a) Determine a transformada de Fourier de [ ] x n , exprimindo-a
por meio de funções sinusoidais.
b) Obtenha a expressão que determina os coeficientes da série de Fourier do sinal [ ] y n , que constitui
uma periodização (com período 12) de [ ] x n e, em particular, calcule os valores dos coeficientes
0
a ,
4
a e
8
a . (Nota: a figura seguinte mostra um fragmento de [ ] y n , sem cotas).



c) Sem efectuar os cálculos, diga justificadamente como se relacionam os valores de
1
a e de
11
a , ou de
2
a e
10
a .
d) Determine a transformada de Fourier do sinal periódico [ ] y n .

y[n]
n
… …
x[n]
n
1
2
0
a)
O sinal [ ] x n relaciona-se facilmente com o sinal apresentado no Formulário, sob a alínea D., relativa à
transformada de Fourier discreta, bastando considerar a diferença entre um sinal com
1
4 N = e 2 A = e outro
com
1
1 N = e 1 A= . Desta forma, resulta imediatamente:
( )
( )
( )
2 2
2
2sin 9 sin(3 )
sin
X
Ω Ω


Ω =
b)
A propriedade 1 do Formulário, relativa a relações entre a série e a transformada de Fourier discreta, é de
aplicação directa neste caso, resultando:
( ) ( )
( ) ( )
( )
( ) ( )
( )
3
12 12 4 4
2
12 6
12 12
2sin 9 sin 3 2sin sin
1 1 1 1
12 12 12 12
sin sin
k
k k k k
a X k X k
k k
π π π π
π π
π π
− −
= = = ⋅ = ⋅
Note-se que o coeficiente
0
a (e, bem assim, todos os que dele distem um múltiplo de 12) deve ser calculado
separadamente, uma vez que resulta indeterminado na expressão geral anterior. Assim, a partir da definição
(Def1. no Formulário), resulta: [ ]
0
12
1 15 5
1
12 12 4
n
a y n
=
= ⋅ = =


Quanto a
4
a e
8
a , a expressão genérica anterior permite calcular esses coeficientes, resultando:
( ) ( )
( )
4
3
2sin 3 sin 1
0
12
sin
a
π
π π −
= ⋅ =
( ) ( )
( )
8
2
3
2sin 6 sin 2 1
0
12
sin
a
π
π π −
= ⋅ =
c)
Uma vez que o sinal periódico [ ] y n (bem como o sinal [ ] x n ) é real, goza da propriedade de simetria
conjugada; além disso, [ ] y n (e [ ] x n ) é um sinal par, pelo que a transformada de Fourier de [ ] x n é real e
par, o que significa que a sequência de coeficientes
k
a também é real e par. Nestas condições, como os
coeficientes formam uma sequência periódica de período 12, resulta:
1 1 12 11 11 2 2 12 10 10
a a a a a a a a
− − − −
= = = = = =
Conclui-se, portanto, a igualdade dos pares de coeficientes dados ou, de uma forma mais geral, que os
coeficientes constituem uma sequência real e par.

d)
Por aplicação directa da propriedade 2. do Formulário, na parte relativa às relações entre a série e a
transformada de Fourier discreta, obtém-se:
( )
( ) ( )
( )
3
4 4
12
2sin sin
2
6 6 sin 6
k
k k
k k
k k
Y a
k
π π
π
π π π
π δ δ
+∞ +∞
=−∞ =−∞

| | | |
Ω = Ω− = ⋅ Ω−
| |
\ ¹ \ ¹
∑ ∑
,
devendo tomar-se em consideração que, para valores de k múltiplos de 12, o coeficiente do correspondente
impulso de Dirac assume o valor
5 5
2
4 2
π
π ⋅ = .

4. Considere a transformada de Laplace seguinte: ( )
( )
( ) ( )
{ }
4 1
, 2
2 2
s
X s s
s s
⋅ +
= <
+ ⋅ −
Re
a) Determine o sinal ( ), x t t ∈R, correspondente a essa transformada. Justifique.
b) O sinal ( ) x t tem transformada de Fourier? Justifique a resposta e, em caso afirmativo, obtenha essa
transformada.
c) Determine a transformada de Laplace de ( ) { }
3
d
x t
dt
.

a)
Atendendo ao conhecimento dos pares transformados representados pelos casos D e E da parte do
Formulário relativa à transformada de Laplace, é recomendável fazer a decomposição de ( ) X s em fracções
parciais, por forma a que a inversão da transformada se faça imediatamente:
( )
( )
( ) ( )
( ) ( ) ( ) ( )
{ }
2 2
2 2
4 1 1 3
, 2
2 2 2 2 2 2
s s
s X s s X s
s
X s s
s s s s s s
=− =
+ ( − (
⋅ +
¸ ¸ ¸ ¸
= = + = + <
+ ⋅ − + − + −
Re
Tendo em conta a região de convergência (ROC) dada e a separação de fracções que resultou, pode-se
afirmar que cada uma das fracções tem a região de convergência seguinte, de modo a ser compatível com a
ROC da função completa:
{ } { }
1 3
: 2; : 2
2 2
ROC s ROC s
s s
→ > − → <
+ −
Re Re
Assim, aplicando respectivamente os casos D e E do Formulário, resulta: ( ) ( ) ( )
2 2
3
t t
x t e u t e u t

= − −
b)
A região de convergência de ( ) X s mostra claramente que o eixo imaginário (i.e., o conjunto de valores de
s tais que s jω = ) está nela contido. Portanto, existe transformada de Laplace para s jω = e, nessa situação,
a transformada de Laplace confunde-se com a transformada de Fourier (que converge para qualquer valor de
ω ), resultando:
( ) ( )
( )
( ) ( )
4 1
2 2
s j
j
X j X s
j j
ω
ω
ω
ω ω
=
⋅ +
= =
+ ⋅ −

c)
Por aplicação directa das propriedades 4 e 7 do Formulário, na parte relativa à transformada de Fourier,
resulta, em dois passos sucessivos:
( ) ( ) ( )
( )
{ }
3
1
3 , 2 3 6
3
s
y t x t Y s X s = ⇒ = < × = Re
( ) ( ) ( ) ( ) ( ) ( ) ( )
( )
3
1
; 3
3
s
d d
z t y t Z s sY s z t x t Z s s X
dt dt
= ⇒ = = ⇒ =
Considerando também a região de convergência, pode-se estabelecer o seguinte par transformado:
( )
( )
( )
( )( )
{ }
3
4 3 1
3 , 6
3 6 6
s
s s d
x t s X s
dt s s
+
←→ = <
+ −
L
Re

a15 . y[n] = h[n] + 2h[n − 2] . Como sin (2π ) = sin (π ) = 0 .a) S (Ω ) = 1 − 2e − jΩ + 2e − j 3Ω − 1e − j 4Ω = e − j 2Ω (2 j sin (2Ω ) − 4 j sin(Ω )) = 2 je − j 2Ω (sin(2Ω ) − 2 sin(Ω )) S (Ω ) = 2 sin (2Ω ) − 2 sin (Ω ) ∠S (Ω ) = S (Ω ) π  1 1 sin (2Ω ) − 2 sin (Ω )   − 2Ω ± π  −  2 2 sin (2Ω ) − 2 sin (Ω )  2   5 π ∠S (Ω ) π −π π 2π 2π Ω Ω b) h[n] = s[n] − s[n − 1] 1 -2 -1 s[n] 2 1 2 3 4 5 6 h[n] n 1 -2 -1 1 2 3 4 5 6 7 2 2 1 -1 -2 s[n-1] 2 1 -2 -1 1 2 3 5 6 7 n -3 -3 n -1 -2 Como x[n] = δ [n] + 2δ [n − 2] . y[n] 5 4 2 1 -2 -1 1 2 3 4 5 1 6 7 8 9 n -3 -4 -6 c) Como. temos a15 = a 5 = 1  2π ⋅ 5  1 2 − j 2π X X (π ) = je (sin(2π ) − 2 sin(π )) . devido ao carácter periódico dos coeficientes da série de Fourier discreta e ao facto do período ser igual a N = 10 . = 10  10  10 10 =0. em que X (Ω ) é a transformada de Fourier de um N  N  período do sinal periódico (calculada na alínea a). a15 = a 5 e como a k = 1  2π  X k  .

. S ( Ω ) . c) Mostre como se pode calcular a resposta indicial ( s [ n] ) do sistema a partir de h [ n] e determine a transformada de Fourier de s [ n] . b) Determine a resposta impulsional do sistema. h [ n] . Considere um sistema discreto LTI caracterizado pela seguinte resposta em frequência: H (Ω) = 3 − e − jΩ 1 e− j 2Ω 8 − 3 e − jΩ + 1 4 a) Determine. justificando. a equação às diferenças que relaciona os sinais de entrada ( x [ n] ) e de saída ( y [ n] ) do sistema.2.

s [ n ] = h [ n] ∗ u [ n ] = ∑ k =−∞ h [ k ] u [ n − k ] = ∑ k =−∞ h [ k ] n +∞ Portanto. resulta a equação às diferenças pretendida: 1 8 y [ n − 2] − 3 y [ n − 1] + y [ n] = 3 x [ n] − x [ n − 1] 4 b) A resposta impulsional é a transformada inversa da resposta em frequência. logo Y (Ω) X (Ω) = 3 − e − jΩ 1 e − j 2Ω 8 3 − 4 e− jΩ + 1 ∴ Y (Ω) 3 ( 18 e− j 2Ω − 4 e− jΩ + 1) = X ( Ω) (3 − e− jΩ ) Usando as propriedades de linearidade (1) e de translação (3). Logo. resulta: H (Ω) = 3 − e− jΩ 1 e − j 2Ω 8 − 3 e − jΩ 4 +1 = 2 1− 1 e − jΩ 2 + 1 1− 1 e − jΩ 4 Usando a propriedade de linearidade (1) e o caso A da transformada de Fourier discreta. a resposta indicial é a resposta de um acumulador que tenha por entrada a resposta impulsional. resulta: h [ n] = 2 (1) 2 n u [n] + (1) 4 n u [n] c) A resposta indicial é a saída do sistema quando o sinal de entrada é o degrau unitário.a) A resposta em frequência é o cociente entre as transformadas de Fourier do sinal de saída e do sinal de entrada: H ( Ω ) = Y (Ω) X (Ω) . Aplicando a propriedade 7 do formulário pode-se calcular S ( Ω ) : S (Ω) = S (Ω) = S (Ω) = 1 1 − e − jΩ 1 1− e − jΩ H ( Ω ) + π H ( 0 ) ∑ k =−∞ δ ( Ω − 2π k ) ⋅ 3 − e− jΩ 1 e − j 2Ω − 3 e − j Ω 8 4 − jΩ +∞ +1 + π 16 ∑ k =−∞ δ ( Ω − 2π k ) 3 + π 16 ∑ k =−∞ δ ( Ω − 2π k ) 3 +∞ +∞ 3−e − 1 e − j 3Ω 8 + 7 e− j 2Ω 8 − 7 e − jΩ 4 +1 . Decompondo a resposta em frequência em fracções parciais.

exprimindo-a por meio de funções sinusoidais. que constitui uma periodização (com período 12) de x [ n ] e.3. a4 e a8 . y[n] … … n c) Sem efectuar os cálculos. ou de a2 e a10 . (Nota: a figura seguinte mostra um fragmento de y [ n ] . . diga justificadamente como se relacionam os valores de a1 e de a11 . em particular. sem cotas). calcule os valores dos coeficientes a0 . Considere o sinal discreto x [ n ] figurado ao lado. 1 0 x[n] 2 n b) Obtenha a expressão que determina os coeficientes da série de Fourier do sinal y [ n ] . d) Determine a transformada de Fourier do sinal periódico y [ n ] . a) Determine a transformada de Fourier de x [ n ] .

relativa à transformada de Fourier discreta. Assim. uma vez que resulta indeterminado na expressão geral anterior. resulta imediatamente: X (Ω) = 2sin 9 Ω − sin(3 Ω ) 2 2 ( ) sin ( Ω ) 2 b) A propriedade 1 do Formulário. a partir da definição (Def1. Desta forma. para valores de k múltiplos de 12. que os coeficientes constituem uma sequência real e par. π 6  6 sin ( k 12 ) 6    devendo tomar-se em consideração que. obtém-se: 3π π πk πk +∞ +∞ π 2sin ( k 4 ) − sin ( k 4 )   δ Ω − Y ( Ω ) = ∑ k =−∞ 2π ak δ  Ω − = ∑ k =−∞ ⋅  . o coeficiente do correspondente 5 5π impulso de Dirac assume o valor 2π ⋅ = . a igualdade dos pares de coeficientes dados ou. do Formulário. sob a alínea D. a expressão genérica anterior permite calcular esses coeficientes.a) O sinal x [ n ] relaciona-se facilmente com o sinal apresentado no Formulário. resultando: a4 = 1 2sin ( 3π ) − sin (π ) ⋅ =0 12 sin π (3) a8 = 1 2sin ( 6π ) − sin ( 2π ) ⋅ =0 12 sin 2π (3) c) Uma vez que o sinal periódico y [ n ] (bem como o sinal x [ n ] ) é real. todos os que dele distem um múltiplo de 12) deve ser calculado separadamente. relativa a relações entre a série e a transformada de Fourier discreta.. bem assim. o que significa que a sequência de coeficientes ak também é real e par. resultando: π π 3π π 2sin 9k 12 − sin 3k 12 1 1 2sin k 4 − sin k 4 2π = 1 X k π = 1 ⋅ ak = X k 12 = ⋅ 6 π π 12 12 12 12 sin k 12 sin k 12 ( ) ( ) ( ) ( ( ) ) ( ) ( ) ( ) Note-se que o coeficiente a0 (e. resulta: a0 = 1 15 5 ∑ y [ n] ⋅1 = 12 = 4 12 n = 12 Quanto a a4 e a8 . no Formulário). de uma forma mais geral. y [ n ] (e x [ n ] ) é um sinal par. 4 2 . como os coeficientes formam uma sequência periódica de período 12. é de aplicação directa neste caso. bastando considerar a diferença entre um sinal com N1 = 4 e A = 2 e outro com N1 = 1 e A = 1 . Nestas condições. d) Por aplicação directa da propriedade 2. goza da propriedade de simetria conjugada. portanto. pelo que a transformada de Fourier de x [ n ] é real e par. além disso. resulta: a1 = a1−12 = a−11 = a11 a2 = a2−12 = a−10 = a10 Conclui-se. na parte relativa às relações entre a série e a transformada de Fourier discreta.

Considere a transformada de Laplace seguinte: X ( s ) = ( s + 2) ⋅ ( s − 2) 4 ⋅ ( s + 1) . correspondente a essa transformada. b) O sinal x ( t ) tem transformada de Fourier? Justifique a resposta e. dt . em caso afirmativo. t ∈ R . Justifique.4. obtenha essa transformada. R e{s} < 2 a) Determine o sinal x ( t ) . c) Determine a transformada de Laplace de d { x ( 3t )} .

e. por forma a que a inversão da transformada se faça imediatamente: X (s) = ( s + 2) ⋅ ( s − 2) 4 ⋅ ( s + 1) = ( s + 2 ) X ( s )  1 3   s =−2 ( s − 2 ) X ( s )  s = 2   + = + .a) Atendendo ao conhecimento dos pares transformados representados pelos casos D e E da parte do Formulário relativa à transformada de Laplace. a transformada de Laplace confunde-se com a transformada de Fourier (que converge para qualquer valor de ω ). 4s s + 3 R e{s} < 6 . resultando: X ( jω ) = X ( s ) s = jω = ( jω + 2 ) ⋅ ( jω − 2 ) 4 ⋅ ( jω + 1) c) Por aplicação directa das propriedades 4 e 7 do Formulário. pode-se afirmar que cada uma das fracções tem a região de convergência seguinte. Portanto. s+2 s−2 s+2 s−2 R e{s} < 2 Tendo em conta a região de convergência (ROC) dada e a separação de fracções que resultou. pode-se estabelecer o seguinte par transformado: d 1 L x ( 3t ) ← → s X dt 3 ( s ( 3 ) = ( s + 6 )( s −)6 ) . o conjunto de valores de s tais que s = jω ) está nela contido. aplicando respectivamente os casos D e E do Formulário. na parte relativa à transformada de Fourier. 3 s−2 → ROC : Re{s} < 2 Assim. Re{s} < 2 × 3 = 6 s (3) d d 1 y ( t ) ⇒ Z ( s ) = sY ( s ) . é recomendável fazer a decomposição de X ( s ) em fracções parciais.. nessa situação. de modo a ser compatível com a ROC da função completa: 1 s+2 → ROC : Re{s} > −2. resulta: x ( t ) = e −2t u ( t ) − 3 e 2t u ( −t ) b) A região de convergência de X ( s ) mostra claramente que o eixo imaginário (i. resulta. em dois passos sucessivos: 1 y ( t ) = x ( 3t ) ⇒ Y ( s ) = X 3 z (t ) = s ( 3 ). existe transformada de Laplace para s = jω e. z ( t ) = x ( 3t ) ⇒ Z ( s ) = s X dt dt 3 Considerando também a região de convergência.