Cidadania e Mundo Atual

Curso de Educação e Formação – Tipo 2, nível II – 1º ano

Escola Secundária de Benavente

Módulo B7: Organizações Internacionais: As Nações (Des)Unidas

Dimensão Política e Jurídica (Componente de Formação Sociocultural)

Professor: Joaquim Madruga - CEF – Tipo 2, nível II - Cidadania e Mundo Atual – 1º Ano

Página 105

Escola Secundária de Benavente

Conceito de Organização Intergovernamental
O significado de organização:

Uma organização é uma combinação de esforços individuais que tem por finalidade realizar propósitos coletivos. Por meio de uma organização torna-se possível perseguir e alcançar objetivos que seriam inatingíveis para uma pessoa.

Uma grande empresa ou uma pequena oficina, um laboratório ou o corpo de bombeiros, um hospital ou uma escola são todos exemplos de organizações.

Uma organização é formada pela soma de pessoas, máquinas e outros equipamentos, recursos financeiros e outros. A organização é o resultado da combinação de todos estes elementos orientados por um objetivo comum. A qualidade é o resultado de um trabalho de organização.

Organização intergovernamental (OI), também conhecida como organização governamental internacional (OGI), é uma organização composta principalmente de Estados soberanos (referido como Estados-Membros ), ou de outras organizações intergovernamentais. As organizações intergovernamentais são frequentemente chamados de organizações internacionais, embora esse termo possa também incluir organização não-governamental internacional, como internacional sem fins lucrativos (ONGs) ou empresas multinacionais. As organizações intergovernamentais globais geralmente são abertas à participação de nações do mundo inteiro, desde que sejam cumpridos certos critérios. Esta categoria inclui as Nações Unidas (ONU) e as suas agências especializadas, como por exemplo: Interpol, a Organização Mundial do Comércio (OMC), Internacional (FMI). Já as organizações intergovernamentais regionais são abertas a membros de uma determinada região ou continente do mundo. Esta categoria inclui, por exemplo, o Conselho da Europa (CoE), da União Europeia(UE), da NATO , a União Africana (UA), a Organização dos Estados a Organização Mundial das Alfândegas (OMA), e o Fundo Monetário

Americanos (OEA), Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN), a Liga Árabe e a União das nações sul-americanas (UNASUL).

Professor: Joaquim Madruga - CEF – Tipo 2, nível II - Cidadania e Mundo Atual – 1º Ano

Página 106

Escola Secundária de Benavente

OEA

ASEAN

UNASUL

As organizações intergovernamentais são espaço de diálogo. As organizações intergovernamentais foram criadas para que os problemas de cada país não fossem tratados de maneira isolada e que os mecanismos que interferem na ordem global pudessem ser regulamentados. Isso inclui propor bases para a resolução de conflitos internacionais. Mas, nem sempre a interferência dessas organizações consegue contribuir de maneira efetiva para a obtenção de um consenso.

UA – União Africana

CoE – Conselho da Europa

Liga Árabe

Professor: Joaquim Madruga - CEF – Tipo 2, nível II - Cidadania e Mundo Atual – 1º Ano

Página 107

Escola Secundária de Benavente

Organização das Nações Unidas: (antecedentes e composição; objetivos e agências especializadas)
ANTECEDENTES: Perante as consequências da 2ª Guerra Mundial, surgiu a necessidade de uma nova ordem internacional e de manutenção da PAZ.

1945 - CONFERÊNCIA DE S. FRANCISCO – EUA EXISTÊNCIA OFICIAL: 24 DE OUTUBRO DE 1945

• •

Manter a paz e a segurança no Mundo; Promover a igualdade e o respeito pelos direitos de todos os cidadãos, independentemente da sua raça, sexo, língua, cultura ou religião; Fomentar a cooperação internacional nas áreas económica, cultural e humanitária; Reconhecer o direito dos povos à autodeterminação.

• NOVA IORQUE

Professor: Joaquim Madruga - CEF – Tipo 2, nível II - Cidadania e Mundo Atual – 1º Ano

Página 108

Escola Secundária de Benavente

ESTRUTURA DA ONU

Assembleia Geral
Conselho de Tutela Secretariado

ONU
Tribunal Internacional de Justiça Conselho de Segurança Conselho Económico e Social

Em 1945, representantes de 50 países reuniram-se em São Francisco, nos Estados Unidos da América, para elaborarem a chamada Carta das Nações Unidas. Os delegados dos diferentes países representados deliberaram com base numa proposta que havia sido formulada em meados de 1944 pelos representantes da China, ex-União Soviética, Reino Unido e Estados Unidos da América. A carta foi assinada em 26 de Junho de 1945 pelos 50 países presentes, sendo que a Polónia, aderiu logo em seguida, tornando-se assim um dos 51 membros fundadores das Nações Unidas. No entanto, a organização das Nações Unidas (ONU) passou a existir oficialmente em 24 de Outubro de 1945, quando a carta foi ratificada pela China, França, ex-União Soviética, Reino Unido, Estados Unidos da América e pela maioria dos outros membros signatários. De acordo com os capítulos V, VI, VII, VIII e XII da carta, o conselho de segurança, tem as seguintes funções e poderes: a) manter a paz e a segurança internacional; b) investigar qualquer disputa ou situação que possa levar a situações de atrito internacional; c) recomendar métodos de ajustamento de disputas ou termos de acordos ou ajustes; d) formular planos para o estabelecimento de um sistema para regulamentar os armamentos; e) determinar a existência de ameaças para a paz ou atos de agressão e recomendar quais ações devem ser tomadas;

Professor: Joaquim Madruga - CEF – Tipo 2, nível II - Cidadania e Mundo Atual – 1º Ano

Página 109

Escola Secundária de Benavente
f) apelar para que os estados membros apliquem sanções económicas e outras medidas que não o uso da força para prevenir ou interromper uma agressão; g) adotar a ação militar contra um agressor; h) recomendar a admissão de novos membros; i) exercer as funções de tutela das nações unidas em regiões estratégicas; e j) recomendar à assembleia geral a indicação do secretário-geral e em conjunto com esta, eleger os juízes do tribunal internacional de justiça.

O artigo 27º da carta estabelece o sistema de tomada de decisão pelo conselho de segurança, segundo o qual cada membro tem um voto. As decisões de matérias de procedimento são tomadas pelo voto afirmativo de nove dos 15 dos seus membros. No entanto, as decisões em matérias substantivas requerem nove votos, inclusive o voto concorrente (afirmativo) de todos os membros permanentes. Esta é a regra chamada de poder de "veto". De acordo com a carta, todos os estados-membros concordam em aceitar e adotar as decisões do conselho de segurança. Enquanto que os outros órgãos das nações unidas fazem recomendações aos governos, somente o conselho de segurança tem o poder de tomar decisões que os estados-membros são obrigados a adotar.

Organização do Tratado do Atlântico Norte: (natureza e missão; Estados-membros e Parceiros)
A Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN/NATO) é uma aliança defensiva fundada em 1949 no contexto da Guerra Fria por doze países liderados pelos Estados Unidos da América. Tinha como finalidade fazer face à ameaça militar soviética.

Professor: Joaquim Madruga - CEF – Tipo 2, nível II - Cidadania e Mundo Atual – 1º Ano

Página 110

Escola Secundária de Benavente
Durante a Guerra Fria, a OTAN alargou-se, nomeadamente, ao Sul da Europa, com a entrada de quatro novos membros.

A partir do início dos anos 90 do século XX, a natureza da OTAN alterou-se profundamente. A União Soviética fragmentou-se, o que impôs uma nova lógica de organização da defesa coletiva do Ocidente. A OTAN teve de adaptar as estruturas e capacidades militares a novas tarefas, como: a gestão de crises, a manutenção da paz e operações de apoio da paz, parcerias para a paz (PPP) e cooperação contra o terrorismo. Em resposta aos novos desafios da segurança, a OTAN deixou de ser primariamente uma Aliança com a responsabilidade da defesa coletiva para se tornar o centro de uma parceria de países cooperando estreitamente no domínio mais vasto da segurança. Observaram-se nos últimos anos novas adesões à organização por parte de antigos países comunistas da Europa de Leste: República Checa, Hungria e Polónia, em Março de 1999; Bulgária, Estónia, Letónia, Lituânia, Roménia, Eslováquia e Eslovénia, em Março de 2004. Com estes novos membros, a organização encontra-se às portas da Rússia – com quem aliás, estabeleceu um Conselho OTANRússia.
Professor: Joaquim Madruga - CEF – Tipo 2, nível II - Cidadania e Mundo Atual – 1º Ano Página 111

Escola Secundária de Benavente

Conceito de Organização Não-Governamental: (âmbitos e exemplos de ação; objetivos e competências)
Uma Organização Não Governamental (ONG) é qualquer grupo considerado não lucrativo formado por cidadãos voluntários e organizado a nível local, nacional ou internacional. Com um conjunto de tarefas orientadas e dirigidas por indivíduos com interesse comuns, as ONG prestam uma grande variedade de serviços e de funções humanitárias, analisam os problemas que se levantam aos cidadãos e aos governos, supervisionam as políticas, e incentivam a participação da comunidade.

Professor: Joaquim Madruga - CEF – Tipo 2, nível II - Cidadania e Mundo Atual – 1º Ano

Página 112

Escola Secundária de Benavente
O movimento das ONG é bastante heterogéneo, estando a sua criação relacionada com diferentes circunstâncias e refletindo diversas tradições e culturas. As ONG podem ser classificadas de diferentes maneiras, segundo as suas atividades, a sua influência geográfica, etc. As ONG colocam a experiência adquirida no contacto com as populações locais ao serviço da ajuda ao desenvolvimento e na supervisão e concretização de acordos internacionais. Algumas estão organizadas em assuntos específicos, tais como os direitos humanos, o ambiente ou a saúde. São exemplos de ONG:

- Amnistia Internacional; - Médicos do Mundo (MDM); - Médicos Sem Fronteiras (MSF); - Cruz Vermelha; - Greenpeace; - Fundo Mundial para a Natureza (WWF).

Professor: Joaquim Madruga - CEF – Tipo 2, nível II - Cidadania e Mundo Atual – 1º Ano

Página 113

Escola Secundária de Benavente

Formas de participação cívica na resolução de problemas mundiais

Com o aumento de situações de emergência, em virtude do aumento dos conflitos e dos impactos das catástrofes naturais, as ONG têm desenvolvido numerosas ações de ajuda de emergência e de programas de desenvolvimento, nomeadamente nos países em desenvolvimento (países mais pobres). As ONG têm colaborado em diversos domínios, tais como: a saúde, a educação e a formação profissional. Este apoio fornecido por estas organizações tem sido uma ajuda preciosa nas situações de crise, ajudando as populações, denunciando dramas humanos e apelando à comunidade internacional. Foram as ONG que introduziram um conceito muito importante, o de “dever de assistência”, que a ONU, em 1988, passou a designar por “dever de ingerência humanitária”. Ao longo dos anos, a ajuda tem alcançado alguns sucessos em diversas áreas: na educação, na saúde, no combate à fome, na melhoria da agricultura ou no lançamento de infraestruturas.

Voluntariado: um exemplo a seguir…
O trabalho voluntário é considerado pela Organização das Nações Unidas (ONU) um dos caminhos para a resolução dos maiores problemas mundiais. A participação civil por meio de ajuda mútua, da garantia de serviços básicos e da defesa de causas nacionais e internacionais é considerada um importante instrumento para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento do Milénio. A concretização do potencial da mobilização civil voluntária para o desenvolvimento pode ser influenciada por políticas públicas. Governos, organizações internacionais e o sector privado têm trabalhado para transformar o impulso solidário, ainda carregado de espírito da caridade, num compromisso com mudanças sociais. A ONU declarou 2001 o Ano Internacional do Voluntariado. A iniciativa ajudou a consciencializar as sociedades sobre a importância da institucionalização da prática entre vários atores sociais. No âmbito corporativo, as iniciativas foram paralelas à redefinição do papel das empresas na sociedade. Antes

Professor: Joaquim Madruga - CEF – Tipo 2, nível II - Cidadania e Mundo Atual – 1º Ano

Página 114

Escola Secundária de Benavente

Este instrumento pedagógico segue os conteúdos definidos no programa da disciplina de Cidadania e Mundo Atual.

Professor: Joaquim Madruga - CEF – Tipo 2, nível II - Cidadania e Mundo Atual – 1º Ano

Página 186

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful