Está en la página 1de 7

ECOLOGIA

Sérgio Rômulo Alves dos Santos Júnior Robert Willian Brito Centro Universitário Leonardo da Vinci - UNIASSELVI Ciências Biológicas (BID0135) – Prática do Módulo IV 04/07/11

RESUMO No século XIX, o biólogo e naturalista alemão Ernest Haeckel partindo da observação de que “o conhecimento biológico nunca é completo quando o organismo é estudado isoladamente”, deu um novo rumo à História Natural - hoje Biologia, criando uma nova ciência a Ecologia. O termo eco deriva do grego oikos que significa lugar onde se vive casa, ambiente, e logos é estudo, ciência, tratado. No sentido literal, Ecologia seria o estudo dos seres vivos em sua casa, no seu ambiente, ou ainda, a ciência que estuda as relações dos seres vivos com o meio ambiente. Numa concepção mais moderna, a ciência que estuda a estrutura e funcionamento da natureza, considerando que a humanidade é uma parte dela (Odum, 1972). A expressão meio ambiente inclui tanto outros organismos quanto o meio físico circundante. Envolve relações entre indivíduos de uma mesma população e entre indivíduos de diferentes populações. Essas interações entre os indivíduos, as populações e os organismos e seu ambiente formam sistemas ecológicos, ou ecossistemas. A ecologia também já foi definida como "o estudo das inter-relações dos organismos e seu ambiente, e vice-versa", como "a economia da natureza", e como "a biologia dos ecossistemas". A ecologia não tem um início muito bem delineado. Encontra seus primeiros antecedentes na história natural dos gregos, particularmente em um discípulo de Aristóteles, Teofrasto, que foi o primeiro a descrever as relações dos organismos entre si e com o meio. As bases posteriores para a ecologia moderna foram lançadas nos primeiros trabalhos dos fisiologistas sobre plantas e animais.

Palavras-chave: Meio Ambiente. Habitat e Nicho ecológico. Biosfera e Ecossistemas.

1 INTRODUÇÃO As raízes da ecologia levam-nos aos estudos ligados a história natural, algo, que, em essência é tão antigo quanto o homem. O homem das cavernas já percebia o problema da contaminação atmosférica, pois a partir do momento em que começou o fogo, o indivíduo que utilizava os materiais úmidos ou inadequados à combustão, era castigado por seus companheiros, devido a fumaça e odores que provocava no interior da caverna. Os egípcios e babilônios aplicaram métodos ecológicos para combater as pragas que assolavam suas culturas no vale do rio Nilo o que também ocorreu na Mesopotâmia. Na Idade Média com o aparecimento das concentrações urbanas nos “burgos” os problemas ecológicos se avolumaram, embora localizados.

resultando num conjunto de limitações e de possibilidades para uma dada espécie: o meio ambiente é tudo que nos cerca. 2.). Num lago que recebe adubo. Em vista disto os autores daqueles países salientam a necessidade de estudos do aspecto dinâmico das associações. O clima.. o meio ambiente segue variando de um local para outro. porém. se for considerada a população de algas.2 A ecologia como ciência. temperatura. Nesta vai ser favorecida. o meio ambiente é o conjunto de condições físicas (luz. Outros desenvolvem constantemente melhores formas de adaptação aos problemas do ambiente mutante. estes têm suas possibilidades de desenvolvimento limitadas pela redução do oxigênio. quando reinou o obscurantismo. pela maior oferta de nitratos e fosfatos. Alguns seres vivos são incapazes de adquirir os recursos que necessitam e se extinguem.. ocorre que no Brasil a sistemática está atrasada em mais de um século em relação àqueles países. O meio ambiente melhorou para as algas e piorou para as populações de peixes. dando origem a agrupamentos de seres vivos diferentes. se forem considerados os peixes.. os seres vivos e as próprias atividades humanas modificam o ambiente e são influenciadas por essas modificações. enfatizando que os estudos de sistemática não são modernos. embora já na antiga Grécia tenham sido produzidas obras com características ecológicas.. 1838 – Verhulst derivou a curva logística do crescimento populacional (modelo densidade dependente). pressão. e em consequência se quisermos estudar as relações fundamentais de um ecossistema brasileiro será necessário conhecer primeiramente sua composição em espécies.interferem na composição do meio e são beneficiados ou prejudicados com essas transformações. e como resultado morrem asfixiados. gerando novas alterações. aumentando as suas possibilidades de desenvolvimento. Tais agrupamentos . começam a surgir após a idade média.0 MEIO AMBIENTE Para a ciência ecológica. oxigênio dissolvido. Esta é a essência da evolução. para melhor ou para pior. Sempre heterogêneo. como ciência.) e biológicas (relações com outros seres vivos) que cercam o ser vivo. 1843 – Farr descobriu a relação existente entre a taxa de mortalidade e a densidade de uma população. químicas (salinidade. O meio ambiente assim evolui. proveniente de projetos agrícolas na vizinhança. O meio ambiente está sempre mudando e evoluindo. . conforme a espécie considerada. 1978 – Malthus determinou que as populações pudessem crescer em ritmo exponencial (modelo densidade-dependente) enquanto os recursos de que necessitam crescem em ritmo aritmético. ocasionada pela grande proliferação de algas.comunidades .

o hábitat seria aquele ambiente em que as condições ambientais atingem o ponto ótimo e uma espécie consegue reproduzir em toda a sua plenitude. a espécie Homo sapiens. são extremamente dóceis. por meio da seleção natural. criando o processo de seleção artificial. através da fotossíntese. Neste. Alguns anos depois as mariposas escuras tornaram-se mais comuns nas cidades e as claras salpicadas prevaleciam nos campos. as mariposas claras ficaram mais visíveis aos pássaros. se fossem devolvidas ao seu ambiente natural. tem sido o foco de toda atenção da ciência ecológica. por exemplo. químicas e biológicas para cada indivíduo . e desenvolve uma „profissão‟ nicho ecológico. a reprodução sem oposição não pode manter-se por . O meio ambiente é sempre o conjunto de possibilidades físicas. menos poluídos. O homem aprendeu a utilizar a mutação para produzir organismos que atendam a algum propósito útil ou desejável. ou ainda. proteção e reprodução. consegue desenvolver o seu potencial biótico. 2. e parte do seu nicho ecológico é a produção de matéria orgânica. é o ambiente que oferece um conjunto de condições favoráveis ao desenvolvimento de suas necessidades básicas .espécie . a qual serve de alimento para sua população e para alguns animais. seu ancestral das selvas africanas é extremamente astuto e bota cerca de uma dúzia de ovos por ano. As algas. perderam a astúcia e. ou seja. Diz-se que os indivíduos melhor adaptados ao ambiente mutante „foram selecionados‟. Os organismos assim obtidos sobrevivem no ambiente sob a proteção humana. segundo Odum (1972). O hábitat de um organismo é o local onde ele vive. Um exemplo típico é a galinha doméstica.hábitat. em nome da qualidade de vida humana. Algumas galinhas domésticas botam uma dúzia de ovos por mês.de uma comunidade.nutrição. Tal fenômeno de seleção natural ficou conhecido como melanismo industrial A seleção nem sempre é natural. Quando a fuligem das fábricas escureceu as árvores e a paisagem urbana de um modo geral. Neste sentido. cada espécie considerada tem um „endereço‟. seriam extintas.como ela faz para satisfazer as suas necessidades. Podemos dizer então que o meio ambiente é „seletivo‟ na medida em que certas características dão aos seus possuidores certa vantagem na sobrevivência e procriação.3 Diz-se que estes evoluíram. O nicho ecológico é o papel de uma espécie numa comunidade .1 HÁBITAT E NICHO ECOLÓGICO O meio ambiente é o palco onde se desenrola todo o estudo da ecologia. Teoricamente. Porém. dada a sua capacidade de transformar as condições ambientais. têm o seu hábitat na água superficial de um lago (zona iluminada). entre milhões de espécies da Terra.

o sol. aproximadamente. luz. acima do nível das águas. umidade. Recobre ¾ da superfície total do planeta.4 muito tempo em um ambiente de recursos limitados.5 bilhões de anos. A biosfera apresenta todas essas condições: uma fonte externa de luz e calor . calor e matéria para a síntese dos tecidos vivos e. litosfera e hidrosfera. constituída de rochas e solos. formou-se há cerca de 3. atmosfera. até que cessam a. a biosfera não passa de uma delgada casquinha em torno do planeta. a vida foi se diversificando cada vez mais: o padrão de evolução assemelha-se a uma árvore com uma espécie na ponta de cada . hidrosfera . o que pode fazer com que a população retorne ao ponto de partida. 7 km acima do nível do mar e abaixo deste não ultrapassa a 6 km. radiações ionizantes e variações extremas de temperatura.Representada pelo ambiente líquido: rios. a presença de água. 2. por um lado. envolvendo portanto. o ambiente se encarrega de controlar o crescimento da população através da resistência ambiental.o ser vivo mais antigo conhecido.2 BIOSFERA A biosfera é definida como sendo a região do planeta que contém todo o conjunto dos seres vivos e na qual a vida é permanentemente possível. E possui enorme variedade de flora e de fauna.6 bilhões de anos e o início da vida remonta a aproximadamente. 1 bilhão de anos depois .Camada superficial sólida da Terra. atmosfera Camada gasosa que circunda toda a superfície da Terra. luz. apresenta condições climáticas bem mais constantes do que na litosfera. lagos e oceanos. Porém popularizou-se o termo biosfera que é usado no seu sentido funcional e não descritivo. Na realidade o termo correto para biosfera seria ecosfera (eco = oikos = casa). uma bactéria. salinidade variável (nos oceanos chega a 35 gramas/litro) e possui menor variedade de plantas (20 para 1) e de animais (9 para 1) que a litosfera. correspondendo ao conjunto de biosfera. de forma permanente‟. água que chega a cobrir ¾ da superfície do planeta e substâncias minerais em contínua reciclagem nos seus vários ambientes. os dois ambientes acima citados. O termo „permanentemente possível‟ atrelado ao conceito de biosfera significando „ambiente capaz de satisfazer às necessidades básicas dos seres vivos. apresenta variações de temperatura. Nas eras posteriores. Neste contexto. são necessários. ausência de condições prejudiciais vida como substâncias tóxicas. uma vez que as condições de vida vão diminuindo à medida que nos afastamos da superfície. etc. Para satisfazer as necessidades dos seres vivos. ficando esta dividida em três regiões físicas distintas: litosfera . No total a biosfera não vai além de 13 km de espessura. A história da Terra começou há 4. Compreende ¼ da biosfera. Desse modo. por outro.

os mamíferos há 175 milhões e o homem há 46 milhões de anos. Todos os processos energéticos da biosfera obedecem às duas leis da termodinâmica. ainda. modificam a estrutura do solo.calor). As esponjas. Os primeiros exemplares do reino vegetal datam de cerca de 1. fungi. dos animais e dos microrganismos.5 bilhões de anos . Os insetos surgiram há aproximadamente 250 milhões.estes foram para a terra firme há cerca de 420 milhões de anos. As atividades de nutrição e de respiração das plantas. necessária aos seres vivos. De um tronco único. alteram quimicamente a composição do ar atmosférico. principalmente quando este ser vivo é o homem. apenas transformada. As radiações ultravioletas têm importância na formação da vitamina D. principalmente se considerarmos os seus impulsos destrutivos. ou seja. por consumirem alguns gases que o compõem e produzirem outros. membros A mais simples do reino animal. a espécie Homo sapiens está na sua infância. a biosfera está em constante modificação pela ação dos próprios seres vivos. possuem grande poder mutágeno. A fonte de energia para a biosfera é o sol: além de iluminar e aquecer o planeta fornece energia para a síntese de alimento. A sua composição é resultado de fenômenos físicos associados à própria atividade biológica que aí se realiza há milhares de anos. A segunda lei reza que “a entropia no universo tende ao máximo”. Portando. A primeira lei estabelece que “a energia do universo é constante”. As radiações visíveis constituem a parte do espectro solar indispensável à vida: a luz solar se relaciona fundamentalmente com a produção de alimentos. os seres vivos evoluíram e formaram os reinos do mundo vivo: monera. 4. Comparando com a idade da Terra. estando relacionadas com a incidência de câncer de pele.0 ECOSSISTEMAS Os vegetais. pois governa o clima e o tempo nos sistemas de distribuição de calor e água na superfície do planeta.5 ramo. A energia solar também é responsável pela distribuição e reciclagem de elementos químicos. que habitam o solo e as águas. desde a sua criação. mas por outro lado. a cada transformação a energia passa de uma forma mais organizada e concentrada (energia de alta qualidade) a outra menos organizada e mais dispersa (energia de baixa qualidade . estão ligados por uma intrincada rede de relações e influências. modificam. a energia não pode ser criada nem destruída. animais e microrganismos que vivem numa região e constituem uma comunidade biológica. o que de certa forma a torna frágil. vegetal e animal. A grande maioria desses raios é absorvida pela camada de ozônio presente na atmosfera terrestre. que inclui o . datam de 570 milhões de anos. protista. por cavarem buracos e galerias ou por produzirem alterações químicas do meio. A biosfera caracteriza-se por uma estrutura muito complexa. a composição da água em virtude das trocas de alimentos e compostos químicos que realizam no seu interior. ou seja.

um fluxo de . Há nos ecossistemas um enorme complexo de fenômenos e fatores que delimitam e definem a sua composição: primeiramente. pequenos insetos (consumidores primários) como pulgões . cobra e espécies carnívoras de peixes. mesmo.bactérias e fungos sapróvoros -. Um ecossistema pode ser definido como: “unidade funcional básica. porém se alimentam de materiais residuais (excreções. temperatura. ácidos. denominada ecossistema (Tansley. e caracterizam-se por uma interdependência não somente nas relações alimentares. principalmente animais. que utiliza diretamente o vegetal . finalmente.e um biótopo . mantém-se dentro do terrário.) transformando-os em substâncias inorgânicas simples utilizáveis pelos produtores.lugar que abriga uma biocenose”. mas também na reprodução e proteção. Desse modo. a composição química (sais minerais e compostos inorgânicos utilizados como nutrientes. comensais. Estes componentes físicos e biológicos.6 meio físico e a própria comunidade. gafanhoto.conjunto de seres vivos .leão. Podem ser subdivididos em: consumidor primário (herbívoro). e outros. álcalis. o próprio solo contendo bactérias e outros sapróvoros (decompositores). principalmente plantas verdes que realizam fotossíntese.comendo pulgões e. cadáveres. etc. e.). Finalmente.1935). formam uma unidade funcional básica de estudo da Ecologia. capturando as joaninhas. nutrindo-se de folhas mortas e outros detritos de origem vegetal ou animal. oxigênio. consumidor secundário (carnívoro).esta categoria inclui o homem.como joaninhas . competidores. consumidor misto (onívoro). interdependentes. etc. Não fosse o trabalho dos decompositores. depois.veado.alimentando-se da seiva dessas plantas. a composição física do meio (natureza do solo. Os componentes bióticos podem ser agrupados em três categorias funcionais: produtores. etc. consumidores e decompositores. que não faz discriminação pronunciada em sua preferência alimentar entre produtores e outros consumidores . um predador maior (consumidor terciário). gás carbônico. luminosidade. que se alimentam de outros seres vivos.). Os consumidores dos ecossistemas são os heterótrofos.. coelho e muitos peixes. A estrutura de um ecossistema pode ser exemplificada através de um Terrário: uma espécie de jardim encerrado em uma caixa de vidro ou plástico transparente. que obtém seu alimento de consumidores primários . em menor quantidade. a presença de seres vivos que podem ser predadores. que realizam quimiossíntese. Os decompositores também são heterótrofos . pode-se dividir o ecossistema em dois conjuntos amplos de componentes: os bióticos (vivos) e os abióticos (não vivos). que recebe luz solar e contém uma camada de solo. O conjunto dos componentes bióticos compõe a biocenose e dos componentes abióticos o biótopo. cachorro. Desse modo. composta de uma biocenose . insetos carnívoros (consumidores secundários) . pequenas plantas (produtores). o urso e alguns peixes. o nosso planeta seria um amontoado de „lixo‟. etc. Os produtores são todos os organismos autótrofos.como a aranha ou louva-a-deus. parasitas.

o que deu origem a autoecologia. os ecólogos perceberam a importância das relações entre as diversas espécies. consequência do processo de adaptação entre as espécies e o meio ambiente. passando esta a serem a parte da ecologia que estuda as interações entre as diferentes espécies que ocupam um mesmo ambiente.7 energia e uma reciclagem de elementos químicos. Uma sucessão ecológica pode levar dezenas a centenas de anos. o que o torna capaz de resistir às mudanças e lhe confere um estado de equilíbrio dinâmico. como estas se interrelacionam e de que maneira interagem com o meio ambiente. de maneira a conservar. SILVA JÚNIOR. surgindo assim a sinecologia. São Paulo: Saraiva. até que a comunidade estabilize atingindo o clímax. homeostase . enquanto que ecólogo é o profissional pesquisador. cientista. sais minerais e compostos orgânicos. surgiram os termos ecólogo e ecologista. .0 CONSIDERAÇÕES FINAIS Com a criação da ciência Ecologia.sob o ponto de vista da termodinâmica.todo ecossistema é dotado de auto regulação.a maioria dos ecossistemas forma-se no curso de uma longa evolução. Posteriormente. 2002.0 REFERÊNCIAS CARVALHO. PAULINO. qualquer deles. ecologia do peixe-boi. São Paulo: Ática. SASSON. 5. oxigênio. sucessão ecológica . que se mantêm através do fluxo contínuo de energia solar. não sendo necessário adicionar ou retirar. Hoje. aproximadamente constantes as concentrações de gás carbônico. Os Seres Vivos. no seu interior. periodicamente.). a Ecologia considerava as espécies individualmente (ecologia da araucária. Daniel. 2005. Evolução e Ecologia. 2000. Carlos. CRUZ. Sezar.. Biologia Volume 3 3ª série Genética. São Paulo: Ática. No estudo dos ecossistemas distinguem-se quatro características básicas: continuidade todos os ecossistemas do planeta estão interligados. Wilson. a autoecologia é a parte da ecologia que estuda as respostas das espécies aos fatores ambientais. água. São Paulo: FTD. Em princípio. 6. BARROS. César da. que tem formação e trabalha no campo da ecologia. Este identifica os militantes de organizações em defesa do meio ambiente. sistema aberto . formando um grande ecossistema a biosfera. 2002. Os Seres Vivos.. em função de suas fisiologias e respectivas adaptações. Wanderley. Biologia em Foco. todos os ecossistemas são sistemas abertos.