Está en la página 1de 3

AS QUATRO PERSPECTIVAS DO BALANCE SCORECARD

São quatro perspectivas em que o BSC divide a companhia: Perspectiva Financeira,


Perspectiva do Cliente, Perspectiva dos Processos de Negócios Internos, Perspectiva de Aprendizado e
Crescimento. Cada perspectiva busca comprovar o desempenho e as ações indispensáveis para a
realização dos objetivos, sendo constituída por um conjunto equilibrado de indicadores financeiros e
não financeiros.
A integração entre as quatro perspectivas nas companhias é de essencial importância, sendo o
BSC mais que um sistema de medidas, traduzindo assim, a visão estratégica da unidade de negócios
em objetivos e medidas tangíveis, representando o equilíbrio entre os indicadores externos, para
acionistas e clientes e os internos relacionados ao aprendizado, ao poder de inovação e ao crescimento
da companhia.

Perspectiva Financeira
Os objetivos financeiros relacionam-se à lucratividade e são medidos pela relação entre a
receita operacional e o capital empregado.
As medidas financeiras indicam se a companhia está alcançando o objetivo planejado, com as
estratégias definidas, estudadas e executadas.
Para Costa (2001, p.31), “os temas financeiros mais focados pela empresas para realizar a
estratégia são: crescimento e mix de receita; redução de custo e aumento de produtividade e utilização
de ativos e estratégia de investimento”.
Foram identificados por Kaplan e Norton (1997), três estágios do negócio, os quais devem ser
definidos medidas distintas por terem seus objetivos diferentes: rápido crescimento (rapide growth);
sustentação (sustain), e colheita (harvest).
• Rápido crescimento (rapid growth): deve-se ressaltar o avanço das vendas, novos
mercados e consumidores, inovações em produtos e serviços, novos canais de markenting,
vendas e distribuição, conservando um nível aceitável de gastos com desenvolvimento de
produtos e processos.
• Sustentação (sustain): devem-se evidenciar os objetivos tradicionais das medidas
financeiras, como retorno sobre o capital investido, lucro operacional e margem bruta, os
investimentos em projetos devem considerar, nesse estágio, análises padrões, fluxo de
caixa descontado e orçamento de capital, buscando maior retorno para os recursos
utilizados no investimento.
• Colheita (harvest): evidencia ao fluxo de caixa, devendo o investimento, propiciar retorno
de caixa certo e imediato. Nesse estágio, os gastos com pesquisa e desenvolvimento
diminuem, pois o ciclo de vida o negócio encontra-se em estágio final.
Perspectiva do cliente
Esta perspectiva visa identificar, segmentos de clientes e mercados, nos quais a unidade de
negócio deseja atuar e competir. Determinando medidas especificas a serem praticadas com foco nos
clientes, criando valor essencial ao cliente, através de ações compatíveis com a estratégia
organizacional.
Kaplan e Norton (1997) sugerem que a perspectiva do cliente seja voltada para os seguintes
requisitos: participação no mercado, retenção de clientes, capitação de clientes, satisfação dos clientes
e sua lucratividade, esse conjunto de critérios é denominados pelos autores de Medidas Essenciais dos
Clientes.

Perspectiva dos Processos de Negócios Internos


Para esta perspectiva os executivos visam identificar, os processos mais críticos imprescindível
à realização dos objetivos dos clientes e acionistas, refletindo sobre as atividades cotidianas da
companhia, buscando melhorá-las constantemente, identificando processos em que a companhia deve
buscar excelência, após formular objetivos e medidas para as perspectivas financeiras e dos clientes.
Segundo Horngren et al (1999, p.465), esta perspectiva abrange três importantes processos:
• Processo de inovação: pesquisar as necessidades reais de clientes-alvos, desenvolvendo
posteriormente produtos que atendam as necessidades identificadas.
• Processo operacional: preocupação com a produção e disponibilidade durante o processo
de inovação, dos produtos à disposição dos clientes no local onde desejarem.
• Serviço pós-venda: complementa os processos anteriores, inclui treinamentos, garantias,
consertos, devoluções e processamento de pagamentos, sendo de grande relevância no
processo de criação de imagem e reputação da companhia.

Perspectiva de Aprendizado e Crescimento


Esta perspectiva, identifica a infra-estrutura que a empresa deve construir para gerar
crescimento e melhoria a longo prazo.
Para manter sua competitividade a companhia deve investir em tecnologia e acompanhar as
novas tendências, devendo focalizar nesta perspectiva aspectos de inovação, seja no sistema de
gestão, no lançamento de produtos ou desenvolvimento de novos processos de produção.
BIBLIOGRAFIA:

KAPLAN, R. S. NORTON, D. P. A estratégia em ação: balanced scorecard. São Paulo: Campus, 1997.

COSTA, A.P.P. Contabilidade gerencial: um estudo sobre a contribuição do Balanced Scorecard. São
Paulo. 2001. Dissertação (Mestrado em Controladoria) – Universidade de São Paulo, USP, São Paulo.

Intereses relacionados