Está en la página 1de 5

c 


  


  
 

p
p

p  p
p

pp

p

  
 pp p
p
pp  p p

p
p

p
p

p

p
p
ppp
pppppp p

p
pp
p
 
p
p
p
p
p 
pp

p
p

p
p


pp
p 
p p
ppp
p

ppp
 p  p !p p
p
p  !p "
  p
p

p
# p
p

 p
 !p p
p pp p
ppp
p
p p  ppp
p

   
$ p
p% 
p 
p p 
pp
p
p&' (p
)p

p 
pp
p
p

pp% 
p
p
pp*+,-p
p p"
 p ppp p 
p p.p 
pp p
 /p"
p 
pp 
pp
p
p&
p 
p 
p p


pp0p (p
p
p ppp"
p& p
%p
(p
ppp

p  p p
p
p p  
p p p
p

1p

p %p p p  p&è è(p#p

pp

p

p23

p  
pp

2p
)p

pp

pp

p

p2

p
p  pp2p
p2

p
p %2p














  
 


p
p
3

pp p

pp "
p
)p 
  
 
p  p

p

p 
 
 
  pp p
p
pp  p
p

p

p
p"4
p
/1p#p
"
ppp  p

p.p%1pp "
p5 
pp

p
p

pp p6
p

p pp 
p 
p p
p
p

p
ppp pp
p
pp
p
p p pp

p pp
pp
p p4
pp4 p
p
p6
p p

"p!p
p
pp  p
p
p!pppp/p p/p 
p
p p

p6
p 
ppppp p
p/
p
p"p
p

pp "
pp
pp
p
p

pp p

p4 p
ppp  pp p
p
pp 
pp p

p
p)p
p p p
 
p
pp  
pp p

p4pp

p ppp"
 pp
p
p
#p 
p
p74
pp

ppp"p
p p
p
p
pppp
p
p
 p
p
p6
p"
p p

p

ppp#p"p"
p
p
p3

p 
pp8
p

c

    

9
p
p 
p
p
p p
:p
 p4 p
" p
:p
7
4 p4 p
pp
'
 
p
*;p
 
<p)p
p pp p
p
p
p
p
6
p p  p p
 p:p
=;p
 
<p9

pp&p p(pp p

p p
p p

pp
 pp pp4p p"
p
p6
p
p
 pp
 pp
p
 pppp p"
 pp /p&" 
p


p

p

p% 
p ppp"
p p
p 
(:p
)p6
pp
 p
:p
p
p/p p

p
p6
pp
p
"p pp
p
p
p
p
/
p

  
ppp p

pp
Um á mo é a menor porção em que pode ser d ddo um eemeno qu4m o, manendo
anda as suas propredades. Os áomos são os componenes báscos das moécuas e da
maéra comum. São composos por par4cuas suba mcas. As mas conhecdas são os
próons, os nêurons e os eérons. Assm podemos concur que os áomos são
par4cuas eemenares consunes da maéra e, que, udo é composo por áomos.
p
pc p
O eéron e o próon não possuem nem as mesmas cargas, nem a mesma massa. O
próon é 1836,11 vezes mas massvo que o eéron. Usando como exempo hpoéco
um áomo de vne próons e vne nêurons em seu núceo, ese esando em equ4bro
eerodnâmco erá vne eérons orbando em suas camadas exerores. Sua carga
eérca esá em perfeo equ4bro, porém 99,97% de sua massa se enconrará no
núceo: apesar dese coner pracamene oda a massa, em ermos de voume em reação
ao amanho do áomo e suas orbas é mnúscuo. O núceo a mco mede em orno de
10-13 cen4meros de dâmero, enquano que o áomo mede cerca de 10-8 cen4meros.
O áomo é cem m vezes maor que seu núceo, e sua esruura nerna pode ser
consderada oca, pos para encher odo ese espaço vazo de próons e nêurons (ou
núceos) necessar4amos de um bhão de mhões de núceos. ea
p
p p
p
Um eemeno qu4mco é um conjuno de áomos que em o mesmo número de próons
no núceo. Ese número é conhecdo como o número a mco do eemeno. Por
exempo, odos áomos com ses próons no núceo são áomos do eemeno carbono.
De forma nversa, denomna-se eemeno qu4mco odos os áomos que possuem o
mesmo número a mco (Z), ou seja, o mesmo número de próons.
 p Oxgêno é o eemeno qu4mco consu4do por odos os áomos que possuem
número a mco 8, ou seja, com 8 próons.
 p 'áco é o eemeno qu4mco consu4do por odos os áomos que possuem
número a mco 20, ou seja, com 15 próons.
Porano, o número a mco é caracer4sca para cada eemeno qu4mco, sendo o seu
número de denfcação.
Para represenar o número a mco de um eemeno junamene com seu s4mboo,
usamos a noação ZE (com o número de massa em subscro à esquerda do s4mboo),
onde Z é o número a mco e E é o s4mboo do eemeno. Por exempo, 8O (oxgêno,
com 8 próons), 20'a.
p
p p p  p
rúmero de massa, smbozado pea era A, é a soma do número de próons e nêurons
condos no núceo de um áomo.
 = +  (r = número de nêurons)
Exempo< o núceo de um cero áomo de sódo coném 11 próons e 12 nêurons,
porano, o seu número de massa é 23.
O ermo 2massa2 para ese número é devdo ao fao dos próons e nêurons serem as
par4cuas suba mcas responsáves por quase a oadade da massa dos áomos. Os
eérons e as demas par4cuas apresenam massas pracamene desprez4ves.
Assm como o número a mco pode ser represenado como subscro à esquerda do
s4mboo, o número de massa pode ser represenado como superscro (acma). Por
exempo, 23ra, 14', 131I.
É poss4ve, anda, represenar smuaneamene o número de massa e o a mco.
Ä  rúmero de massa não é o mesmo que massa a mca.
p
  p
Isóopos são áomos de um eemeno qu4mco, cujos núceos êm o mesmo número
a mco Z mas dferene número de massa (A). A paavra sóopo, que sgnfca no
mesmo s4o, vem do fao de que os sóopos se suam no mesmo oca na abea
peródca.
O número aómco corresponde ao número de próons num áomo. Por esse movo, os
sóopos de um cero eemeno coném o mesmo número de próons. A dferença nos
pesos a mcos resua de dferenças no número de nêurons nos núceos a mcos.
Quando queremos nos referr a um sóopo espec4fco de um eemeno, dzemos o nome
do eemeno segudo de seu número de massa< carbono-14, oxgêno-18, urâno-235.
p
p p p
Em referênca a um cero eemeno qu4mco, a massa a mca (ambém chamada massa
a mca méda) é a massa a mca méda dos sóopos do eemeno qu4mco. Essa méda
eva em nha de cona as frequêncas reavas dos sóopos do eemeno (é uma méda
ponderada). O exempo mas conhecdo é o do coro, cuja massa a mca é
aproxmadamene gua a 35,5. Isso se deve ao fao de o eemeno coro, na naureza, ser
enconrado 75% na forma de coro-35 e 25% na forma de coro-37.
A undade da massa a mca é o  (undade de massa a mca) ou smpesmene .
p
  p
Os áomos podem possur enre s uma gação ão fore que para separá-os é necessára
uma quandade razoáve de energa, porano, permanecem junos. Esas combnações
são chamadas de moécuas.
Uma moécua é a menor pare ndvsa de um composo qu4mco e que possu um
conjuno únco de propredades qu4mcas. A moécua é consu4da de dos ou mas
áomos gados qumcamene.
rem sempre dos áomos em conao são sufcenes para er esabdade, havendo
necessdade de uma combnação maor para ê-a. Por ouro ado, os áomos dos gases
nobres já são esáves e não se combnam para formar moécuas.
Para formar uma moécua de hdrogêno são necessáros dos áomos dese eemeno,
uma moécua de oxgêno, necessa de dos áomos de oxgêno, e assm
sucessvamene.
Para a formação de uma moécua de água são necessáros dos áomos de hdrogêno e
um de oxgêno: meano, necessa de um áomo de carbono e quaro de hdrogêno:
dóxdo (bóxdo) de carbono, um carbono, e dos oxgênos: assm sucessvamene.
Exsem casos de moécuas serem formadas por mhões de áomos. Iso ocorre porque
o áomo de carbono pode parhar eérons com aé quaro eemenos dferenes
smuaneamene. Logo, pode ser poss4ve a consução de cadeas, anés, e gações
enre esas moécuas ongas, que são a base da chamada qu4mca orgânca.
Esa é a base das moécuas que caracerzam o ecdo vvo, ou seja, a base da vda.
p
 pp
Um  de uma subsânca é uma quandade que sempre pesa, em gramas, exaamene
o peso moecuar (em undades de massa a mca) dessa subsânca. Por exempo< a
massa a mca do ferro é de 55,847 u, e porano um mo de áomos de ferro pesa
55,847 gramas eu amshvdjjbud odoasjjaejahmxn chgefhjhdgfohbazkjhxgosvjgf8d
por venur a e amo muo xjd h dndjdkd0 dhuyn9djudnkcodmfujfnvb dhdgkb8dsnn
fujhfngfndu.fu nf8 ugf ugxvh o8 vjbogfousb 8bc jvbjsffv ushd gdv shfg8
djghkhgcufudfj\zb jhgsdfhb\jxzhvbsdbvjh zhgsad
p
 p p p
1 mo de quaquer cosa erá sempre o mesmo número de par4cuas. Ese número é
chamado consane de Avogadro ().
Pea defnção, 1 mo é o número de áomos condo em exaamene 12 gramas de
carbono de massa soópca 12 (12'). Ese número se denomna número de Avogadro, e
o vaor mas precso que se conhece aé agora é de .