Está en la página 1de 4

c 




 






 
cc! 
c
c!
1. Comentário inicial destacando: a presença do Bispo (ou Vigário Geral), o
sentido do momento celebrativo da comunidade paroquial.
2. É recomendável que haja um animador da celebração que fará as
admoestações nos momentos necessários.
3. A ordem a ser observada na procissão de entrada nas celebrações:
[ áuriferário (com o turíbulo fumegando) e naveteiro;
[ Cruciferário com a cruz, com a imagem do crucificado voltada para a frente,
entre dois acólitos ou coroinhas com os castiçais de velas acesas;
[ Coroinhas e Ministros Extraordinários da Comunhão (dois a dois);
[ O Diácono com o Evangeliário;
[ Os outros Diáconos, se forem vários, dois a dois;
[ Os Presbíteros concelebrantes, dois a dois;
[ O Bispo, que avança sozinho, de mitra, levando o báculo pastoral na mão
esquerda e abençoando a Assembléia com a mão direita;
[ Um pouco atrás do Bispo, o Cerimoniário ou os dois Diáconos assistentes;
[ Por fim, os acólitos que farão as funções do livro, da mitra, e do báculo.
4. No altar antes dos ritos iniciais, o Presidente incensa a mesa, no percurso
incensa a cruz e o Lecionário ou Evangeliário, que deverá estar so bre a mesa
eucarística;
5. Saudação litúrgica.
6. Logo após a saudação, o Chanceler do Bispado ou seu representante faz a
leitura da provisão. Ao término da leitura apresenta a provisão para que o Bispo
possa assiná-la publicamente. Se for instalação de No va Paróquia será feita a
leitura do decreto de criação da Paróquia/Quase -Paróquia e, em seguida, a leitura
da provisão do novo Pároco. E, se houver Vigário e Diácono, nesse momento fazse
a leitura da provisão de ambos.
7. Em seguida o novo Pároco fará as s eguintes apresentações: (1) sua
apresentação pessoal; (2) dos familiares presentes; (3) dos paroquianos de sua
última Paróquia.
8. Alguém da comunidade apresentará ao novo Pároco sua nova Paróquia e as
lideranças pastorais.
9. Ato penitencial, glória.
10. Liturgia da Palavra: primeira leitura, salmo e segunda leitura. Se forem feitas
de um folheto ele deverá estar em uma pasta digna;








11. Aclamação (o turiferário apresenta o turíbulo ao Presidente);
12. O Diácono busca o Lecionário ou Evangeliário, ladeado pelas tochas,
que será anunciado, incensado e proclamado;
13. Após a proclamação pode-se cantar um trechinho da aclamação,
enquanto o Diácono leva o Evangelho para o presidente beijar e abençoar
o povo. Em seguida, o Diácono deposita o Evangeliári o no ambão;
14. Homilia do Presidente;
15. Depois, a renovação das promessas sacerdotais; a profissão de fé e o
juramento de fidelidade feitos por quem toma posse, de joelhos no genuflexório.
O Diácono fica ao seu lado, segurando o Lecionário ou Evangeliár io, para no final
da leitura do juramento de fidelidade, ser tocado, conforme pede o ritual. O Padre
deverá assinar a profissão de fé e o juramento de fidelidade, previamente
preparado pela chancelaria da Cúria Diocesana, logo após a sua leitura.
16. Em seguida entra ao som de uma pequena estrofe de canto apropriado, a
Chave do Sacrário e uma Bíblia ou Evangeliário. Estes sinais serão entregues ao
presidente. Este, explicando os sinais, entregará a chave e a Bíblia ao empossado,
que os apresentará ao povo, ao som de uma pequena estrofe de canto
apropriado;
17. Oração dos fiéis;
18. Procissão das ofertas;
19. Arrumação da mesa;
20. A mesa eucarística é incensada pelo Presidente e este, pelo Diácono. O
turiferário incensa a assembleia e aguarda a consagração p ara incensar o
Santíssimo, de joelhos;
21. Lavabo, enquanto o turiferário incensa a assembleia;
22. Liturgia Eucarística (é bom usar um segundo microfone para os
concelebrantes);
23. Comunhão;
24. Oração pós-comunhão
25. Leitura da Ata pelo Chanceler do Bispado ou seu representante;
26. É recomendável que alguém em nome da Paróquia, nesse momento, diriga
uma palavra de acolhimento ao novo Pároco.
27. O novo Pároco dirige, nesse momento, a primeira palavra aos seus
paroquianos.
28. Bênção solene do missal. 






































































"
# $
%&
1. O Chanceler do Bispado entrará em contato antecipadamente para recolher
os nomes que deverão constar na ata da celebração, profissão de fé e no
juramento de fidelidade.
2. As assinaturas da ata de celebração deverão ser colhidas pelo Chanceler do
Bispado ou pelo seu representante, antes do início da celebração.
 $  
'


(#
) 
* Casula para o Bispo ;
* Pontifical Romano;
* Local apropriado p ara as vestes;
* Cadeiras para todos, concelebrantes e os que atuarão na Celebração;
* Incenso, turíbulo e naveta;
* áochas (duas velas grandes);
* Missal (marcando os ritos iniciais, orações, prefácio, oração eucarística e
bênção solene);
* Librífero (aqu ele que segura o missal);
* Baculífero (aquele que segura o báculo);
* Mitrífero (aquele que segura a mitra);
* Cruz processional;
* Lecionário ou Evangeliário para a proclamação do Evangelho. O Evangeliário
ou Bíblia poderá ser usado(a) também para o jura mento de quem tomará
posse;
* Genuflexório que deve ser colocado em local visível para todos e de frente para
o altar. Deste lugar, ajoelhado, o padre fará a profissão de fé;
* Uma pasta onde serão colocados os textos da renovação dos compromissos
sacerdotais, profissão de fé e juramento de fidelidade. Uma pasta para o Bispo e
outra, para o padre a ser empossado.
* Chave do sacrário (num belo chaveiro, se a chave for muito pequena), sobre
uma almofada ou bandeja e a Bíblia Sagrada ou o Evangeliário. Serão trazidos
por alguém, ou casal da comunidade e entregue ao Bispo no momento
oportuno;
* É oportuno mais de um microfone que alcancem a mesa eucarística, para os
concelebrantes. Y