Está en la página 1de 53

Curso de Treinador Monitor

FNK-P
Sector Técnico
Departamento de Formação

Curso de Treinador Monitor de Karaté

Introdução ao Karaté
Breve Enquadramento Histórico-Cultural
Introdução

Todos gostamos de saber como as coisas


funcionam.

A excitação da descoberta é intrínseca ao acto de


investigar.
(“the kick of discovery” - Richard Feyman)
Introdução

Como funciona o Desporto?

Porque não funciona sempre da mesma maneira?

Porque não se descobriram as leis do seu


funcionamento?
Introdução
Temos modelos (representações lógicas da realidade)
construídos na base de experiências;

Nesses modelos entra a intencionalidade, pelo que o


Desporto não é neutral;

A procura de leis na complexidade (inicialmente


hipóteses) deve ser superada pela complexificação das
hipóteses – Paradigma da Complexidade (E. Morin)
(dupla vigilância epistemológica).
Introdução

O Desporto origina comunidades intencionalmente


interessadas numa determinada actividade.
KARATÉ – Um passado com futuro!

Um Desporto Moderno Envolvendo:


Defesa Pessoal
Educação
Competição
Bem estar
(welness)
Viagem ao Passado, no Presente, por
causa do Futuro
futuro

passado presente
BUBISHI
Tratado sobre a arte do grou

Desenhos de R. Habersetzer
BUBISHI

Podemos classificar a técnica da arte da grou em três categorias;


a grou que voa, a grou que combate e a grou que joga.
A grou que voa empurra, projecta, derruba e perturba.
A grou que combate sacode, larga e rompe.
A grou que joga protege-se, cola-se, mexe, mergulha, vira-se, cai,
incha-se, e impede o outro de se mover.
BUBISHI
Os oito preceitos do combate
kenpô taiyô hakku
BUBISHI
Os oito preceitos do combate
kenpô taiyô hakku

1 - O Espírito do Homem é análogo ao Universo.


2 - O sangue circula como se movem a lua e o sol.
3 - A inspiração e expiração em dureza (gô) e suavidade (jû) são essenciais.
4 - O corpo segue o tempo e adapta-se à mudança.
5 - A técnica adequada ocorre onde há um vazio.
6 - O centro de gravidade avança, recua e os adversários afastam-se e aproximam-se.
7 - Os olhos devem ver os quatro lados.
8 - Os ouvidos devem escutar as oito direcções.
(TOKITSU, 1994, p. 87)
O DESENVOLVIMENTO DO KARATÉ
ATÉ AO SÉC. XX

???
Mediterrânio
Índia
...

KARATÉ

OKINAWA
OKINAWA
O Berço do Karaté moderno
Antes do séc. XIX ???...
...tradições orais
...documentação insuficiente
...informações fragmentares
...prática secreta

Poema (séc. XVIII):


Personagens:
Seja qual seja o teu nível de excelência na arte do te,
e nos teus empenhos escolares,
Wanshu
nada é mais importante do que o teu comportamento
e o teu humanismo observáveis na vida quotidiana. Kushanku
Yara
Sakugawa
Antes do séc. XIX

Kanga Sakugawa
(1782-1865?)

Também conhecido como


Tode Sankugawa

TO designa tudo o que vem


da China e
TE ou DE, significa em
chinês e okinawense técnica
As escolas de génese do
KARATÉ
Sobre a classificação entre Shorin-ryu e Shorei-ryu
TOKITSU (1994, p. 80) lança a hipótese de serem
palavras que provêm da mesma raiz: Shaolin.
As escolas de génese do
KARATÉ
As classificações Shuri-te, Tomari-te e Naha-te têm origem no
fim do séc. XIX.
Shuri era a capital de Okinawa onde vivia a nobreza e os oficiais.
Naha seria a cidade dos comerciantes que englobava Kumé.
Tomari seria a terceira localidade próxima destas duas.

Se para o Shuri-te os nomes mais conhecidos são de Matsumura


e, posteriormente de A. Itosu, para o Naha-te, para além das
correntes dos colonos chineses de Kumé, temos K. Higaonna e C.
Miyagi. No Tomari-te emerge o pouco conhecido nome de Kôkan
Oyatomari e, posteriormente, Chôtoku Kiyan.
No séc. XIX

Sokon Matsumura
(1809-1899)

O primeiro precursor a
denominar um sistema:
Shuri-te

que influencia
notoriamente o
Tomari-te
No séc. XIX-XX

Anko Itosu
(1830-1915)

O continuador da linha
de Matsumura: Shuri-te

Um dos principais responsáveis pelo


primeiro momento de massificação
do Karaté nas Escolas de Okinawa
No séc. XIX-XX

Kanryo Higaonna Desenvolve um outro ramo precursor


(1853-1915) das escolas actuais: Naha-te
No séc. XIX-XX

Chotoku Kyohan A seguir ao pouco conhecido Kôkan Oyatomari,


(1870-1945) é o precursor de um dos três ramos das escolas
da génese do Karaté: Tomari-te
shuri-te naha-te
tomari-te

Métodos chineses do norte (Pequim) Métodos chineses do Sul (Fukien)


Xingyi-quan (um dos 3 principais) Liu-qia-quan (um dos 5 principais)

Desenhos de R. Habersetzer
Emergência da palavra
KARATÉ-DO
Critérios que o Dai Nipon Butokukai lançou aos mestres doTode ou
Karate (1933):
•1 Desenvolver um uniforme standard;
•2 Adoptar o sistema de graduações dan/kyu de J. Kano;
•3 Estabelecer um sistema de ensino/avaliação;
•4 Mudar o primeiro ideograma e adicionar o sufixo do.

Até cerca de 1936 (reunião em Okinawa) muitas vezes se utilizou a


denominação tode, karate-jutsu ou kenpo-jutsu (mão da China).
Só após a influência de J. Kano e do Butokukai surge a tendência
generalizada do sufixo do tal como no judo ou kendo.
Os Mestres de Okinawa após reunião histórica em Outubro de 1936, definem:
1. Nome Karaté em favor de Tode;
2. Manutenção dos Katas clássicos e a criação de alguns novos (nacionais).

KARATÉ-DO No ano seguinte (1937 – ver fotografia) fundam a


“Sociedade Promotora de Karaté-do da Perfeitura de Okinawa”
dá corpo às preocupações da reunião de 1936,
nomeadamente a fundação dos novos Kihon (base) Kata
só em 1940 alguns frutos ficam desse movimento – a II Guerra Mundial…

Em pé, da esquerda para a direita:


Shinpan Gusukuma, Tsuyoshi Chintose, Shoshin Shibana, Genwa Nakazone.
Sentados: Chotoku Kyan, Kentsu Yabu, Chomo Hanashiro, Chojun Miyagi.
As principais escolas de referência institucional

Goju-Ryu - Chojun Miyagi


Shito-Ryu - Kenwa Mabuni
Shotokan - Gichin Funakoshi
Wado-Ryu - Hironori Otsuka
Gichin Funakoshi
(1869-1957)
Chojun Miyagi
(1888-1953)
Kenwa Mabuni
(1889-1953)
Hironori Otsuka
(1892-1982)
Chomo Hanashiro
(1869-1945)

Grande
impulsionador do
karaté escolar
juntamente com
Kentsu Yabu,
também aluno de
Anko Itoso e
Matsumura
O primeiro a propor desde 1905 a mudança do
nome karaté
Shigeru Egami
(1912-1981)
Mestre Chinês Shu Shi Wa.

Kanbun Uechi.
(1877-1948)
Masutatsu Oyama
A massificação do karaté
1º - Em Okinawa (escolas)
2º - Japão (universidades)
3º - Mundo
O Shotokan
(o 1º dojo onde ensina G. Funakoshi)
O dojo
Shotokan
em finais
dos anos 30
Yoshitaka Funakoshi
(1906-1948)
Treino em Okinawa.
1946 - Residência de C. Miyagi
Meitoku Yagi (Meibukan), Eiichi Miyasato (Jundokan), Seikichi Togushi (Shoreikan), Eiko Miyasato.
Chojun Miyagi e Juhatsu Kyoda.

C. Miyagi com M. Yagi


Hinoroni Otsuka recebe de Gichin Funakoshi o seu diploma de 1º dan.
Kanken Toyama, Hinoroni Otsuka, Zenryo Shimabuko, Gichin Funakoshi, Choki
Motobu, Kenwa Mabuni, Genwa Nakasone, Shinken Taira.
O regresso de C. Miyagi do Hawai - 1935
Equipa Francesa em finais dos anos 60.
Fundação da WUKO em 1972
Ryoichi Sasagawa (Presidente), Eiichi Eriguchi (Secr. Geral), Jacques Delcourt (Chairman)
1975 - Campeonatos da WUKO - Long Beach
Karaté Moderno
Até séc XX - Grande secretismo na prática de Karaté.

1901- Inclusão do Karaté nos programas de E.F. (Okinawa).


1917 - Karaté sai de Okinawa (Demonstração no Butoku-den) - Kyoto.
1924 - 1º Clube universitário (Univ. de Keii).
1929 - Oficialização do Goju-Ryu (C. Miyagi).
1930 - Oficialização do Shito-Ryu (K. Mabuni).
1933 - Fundação do ramo de Okinawa do Daí Nippon Butokukai.
1936 - Oficialização do termo “karaté” para designar a arte.
1938 - Fundação do dojo Shotokan (G. Funakoshi).
1940 - Oficialização do Wado-Ryu (H. Ohtsuka).
1962 - Fundação da JKF (4 escolas principais).
1965 - 1ºs Camp. Japoneses de Karaté (JKF).
1966 - Fundação da EKU.
1966 - 1ºs Campeonatos Europeus (EKU).
1970 - Fundação da WUKO.
1970 - 1ºs Camp. Mundiais de Karaté (WUKO) - Tóquio.
OPERAÇÕES FUNDAMENTAIS
SÉC. XIX > XX


Enraizamento autocrático numa escola/estilo
Massificação e expansão do Karaté
Espírito militarista da época
(Guerra Chino-Japonesa; Guerra Russo-Japonesa e II Guerra Mundial)
fim
abelfigueiredo@netcabo.pt