Está en la página 1de 24

TERMO DE ABERTURA

Aos vinte do mês de novembro de dois mil e oito, na sede


administrativa da Empresa de Desenvolvimento Urbano e Rural de Toledo -
EMDUR, mediante determinação do Diretor Superintende, foi nomeada
Comissão de Sindicância, presidida pelo Engenheiro Adroaldo Antonio
Zamuner e formada pelos Servidores Alice Alves Muniz dos Anjos e Margarete
Rodrigues Galina Nussbaum, com função de apurar a notícia de ausências ao
trabalho do funcionário Luiz Carlos dos Santos, que exerce o cargo de vigia,
lotado junto ao Terminal Rodoviário de Toledo.

Ainda por determinação do Diretor Superintendente, foi


instaurada a Sindicância n° 001/2008, onde deverá haver apuração dos fatos,
pela Comissão nomeada.

Todos os atos da Comissão de Sindicância ficarão registrados por


escrito, por folhas por mim numeradas e rubricadas, devidamente encadernadas
sequencialmente.

~
f )

Margarete ROdf~ ues Galina Nussbaum


$n~n"
retária .
~~

TERMO DE INSTAURAÇÃO DE SINDICÂNC~~1~s:._Ç)~ __ \J)


\. '»

- '''~~P
Há notícia de que o funcionário Luiz Carlos dos Santos, que
exerce o cargo de vigia na Empresa de Desenvolvimento Urbano e Rural de
Toledo - EMDUR, lotado junto ao Terminal Rodoviário de Toledo, que é
administrado pela EMDUR, tem se ausentado injustificadamente do serviço, nas
datas em que deve realizar plantão noturno naquele local.

A notícia das ausências foi enviada pela Administração do


Terminal Rodoviário e, inclusive, há solicitação de que outro vigia seja colocado
no local, em substituição ao funcionário Luiz Carlos dos Santos.

Considerando que o funcionário, em tese, está a praticar a


conduta prevista no artigo 124, I (Art. 124. Ao servidor público é vedado: I -
ausentar-se do serviço durante o .expediente sem prévia autorização do chefe
imediato), da Lei 1.822, de 05 de maio de 1999, do Município de Toledo,
Paraná, determino a abertura de sindicância, que deverá ser presidida pelo
Engenheiro Adroaldo Antonio Zamuner e formada pelos Servidores Alice Alves
Munis dos Anjos e Margarete Rodrigues Galina Nussbaum.

Toledo, 07 de novembro de 2008.


EMDUR - Empresa de Desenvolvimento Urbano e Rural de
Toledo
Toledo - Parallá
• Av: J.J: MiJi"arid944":'-:JD PóitP. AI~gr~ :':':CEF 859((j! UOO:':'Ji:>i"WFànQ45)337:B-A941 :':':161é di:>•...:..:
:: .•••• :::::::::::: ...•••..... :::: :Pá~aM:::::::::::::::::":;·:: .
tGC7T8?8:0231000F2a :::.::.::.::::::.:.:::: :[nst:ESf.A1R047:4H}8::

TEAAfINAL RODOVIÁRlO - TOLEDO, 30 DE OUruBRO DE 2008

A Direção da EMDUR

Assunto: Ausência de Vigia em turno de Trabalho

f:tJr)::f:·:nf:)tn~·$\)q(32.; ioJ':J'!! '..'


Srs. O fato é de longa data, mesmo depois de ter conversado com a pessoa,
continua acontecendo. Refiro-me ao Vigia Luiz Carlos dos Santos.
Nas noites em que ele é o vigia, a Rodoviária,está praticamente sem ninguém
por ela Todas as pessoas que aqui trabalham sabem disso. Já ch·amei a atenção. Mas não
resolve. Ele simplesmente desaparece e só retoma na madrugada. Ele dorme em I algum lugar
por ai ou vai sabe-se lá onde. Ê sério. O Luiz ou ninguém é amesma coisa

Eu solicito que seja colocado outro vigia em seu lugar. Ele não serve para esta
fimçl':io.Não tem am1nimaresponsabilidarle. NS.o sei como uma pessoa que se comporta desta
forma quer ser um líder para os trabalhadores da EMDUR. Pensei que depois da nossa
conversa iria m elhorar mas que nada

As zeladoraq estão à mercê dos meliantes à noite quando é o plantão dele e até
fogo no segundo piso andam colocando e ele nS.ose iillporta

Solicito providências.
I ~"

PARECER JURíDICO ( 1 rLS:_O~ __ I


. \
" )-,

Trata-se de notícia apresentada pela Adhí.~


Terminal Rodoviário de Toledo, Paraná, acerca de suposta
funcional cometida pelo funcionário Luiz Carlos dos Santos.

A notícia que chegou, por escrito, ao Senhor Diretor


Superintendente, preenche os requisitos exigidos pelo art. 147, da Lei
1.822, de 05 de maio de 1999, do Município de Toledo, Paraná.

É dever do agente administrativo responsável, na forma do


art. 146, da Lei 1.822/99, determinar a instauração de procedimento
administrativo disciplinar ou sindicância, sempre que for cientificado de
eventual falta funcional, de qualquer funcionário público.

Segundo a notícia escrita advinda da Administração do


Terminal Rodoviário, o funcionário em questão estaria, reiteradamente,
ausentando-se do local de serviço, em horário de serviço, sem
autorização do seu superior hierárquico. Este fato, segundo mesma
notícia, ocasiona transtornos ao público e aos demais funcionários que
trabalham no local. Isto porque, dado as ausências do funcionário, o
Terminal Rodoviário fica, durante os períodos de ausência, sem
vigilância. Se, de fato, a notícia que chegou ao Senhor Diretor
Superintendente for verdadeira - o que deve ser apurado pelas vias
próprias -, estaria o funcionário, em tese, a cometer o delito funcional
previsto no art. 124, I, da Lei 1.822/99. E, apurada a veracidade do
delito, possível a aplicação de uma das penalidades previstas no art.
130, também da Lei 1.822/99.

Necessária para a apuração dos fatos, com respeito ao


contraditório e ampla defesa, a instauração de sindicância, com
nomeação de Comissão composta por três membros, todos funcionários
efetivos da Empresa de Desenvolvimento Urbano e Rural de Toledo -
EMDUR.

É o parecer.

T0ledqf07 de novembro de 2008.


-1
SINDICÂNCIA N° 0112008
~\
t.\ I
'I

".
,

J
•.•

J. ••.•
r".
-...., ••• _ ••
(J-
CJ.!/Q _ 1I
I
.:-.
'-.'
'() ;-"\
(lI.. ~
Aos vinte dias do mês de novembro de 2008, na ;eãe~a~JiiRi~va da

Empresa de Desenvolvimento Urbano e Rural de Toledo. - EMDUR, a Comissão de


Sindicância nomeada pelo Senhor Diretor Superintendente, reuniu-se e deliberou por solicitar
ao Departamento Pessoal da EMDUR, mediante fotocópia, a documentação referente ao cargo
ocupado pelo Sindicado, bem como local de trabalho do Sindicado. A documentação deverá
ser entranhada no presente processo, servindo-lhe de prova.

Deliberou, ainda, a Comissão, que será remetida carta de citação ao


funcionário, pára que o mesmo tome ciência do presente procedimento e, querendo,
acompanhe-o, pessoalmente ou por procurador. Também deverá conter, a carta, aviso ao
funcionário de que, na defesa de seus interesses, poderá arrolar até oito testemunhas, no prazo
de cinco dias, contados da data em que o aviso de recebimento contendo a citação retomar ao
processo, sendo no mesmo juntado. Tudo na forma do art. 155, da Lei 1.822/99, do Município
de Toledo, Paraná.

Deliberou-se que a presente Sindicância, considerando que o Sindicado é


Presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas Públicas Municipais de Toledo
(SINTRAEP), deverá correr sigilosamente.

Deliberou-se, por fim, que a Comissão será secretariada pela Servidora


Margarete Rodrigues Galina Nussbaum.

o Antonio Zamuner
Presidente

Margarete Rodri Galina Nussbaum


S
Toledo, 20 de novembro de 2008

Ao Senhor Luiz Carlos dos Santos


Nesta

Fica Vossa Senhoria, através da presente, CITADO e cientificado


de que foi instaurada por determinação do Senhor Direito Administrativo, a
Sindicância nO01, de 07 de novembro de, para apurar suposta violação do art.
124, I da Lei 1.822/99 (Art. 124. Ao servidor público é vedado: I - ausentar-se
do serviço durante o expediente sem prévia autorização do chefe imediato), do
Município de Toledo, Paraná, que teria, em tese, sido cometida por Vossa
Senhoria.

Ficando provada a violação a referidos artigos, poderá ser-lhe


imposta uma das penalidades descritas no art. 130, da Lei 1.822/99.
Vossa Senhoria poderá, pois, acompanhar todo o procedimento
da Sindicância, por si ou representado por procurador, podendo, no prazo de 05
(cinco) dias, contados da data em que o aviso de recebimento (AR) for juntado
aos autos de Sindicância, indicar o nome de testemunhas, até o máximo de 08

(oito), para deporem à Comissão, a fim de esclarecer os fatos apurados.

. Galina Nussbaum
Margarete Rodri*H~
S~éfetária
~riDUJj
SINDICÂNCIA N° 0112008 (•
"
! }"I~'t,__ l.9.. _
'I 1-
',,,,,~)LEOO
Aos vinte e sete dias do mês de novembro de 2008, na sede administrativa
da Empresa de Desenvolvimento Urbano e Rural de Toledo - EMDUR, a Comissão de

Sindicância nomeada pelo Se,nhor Diretor Superintendente, reuniu-se, e deliberou por encartar
nos presentes autos de sindicância, uma fotocópia de correspondência eletrônica remetida
pelo Sindicato ao Departamento Pessoal da EMDUR, em data de 25/11/2008. Deliberou-se,
ainda, encartar ofício recebido do Diretor Superintendente, com fotocópia de correspondência
eletrônica que lhe foi remetida pelo Sindicado, em data de 25/11/2008.
Deliberou-se, juntar aos presentes autos de Sindicância, fotocópia da folha
n° 12, da edição nO 87, de 26/11/2008, do jornal Gazeta Mundial, dado que a notícia está
ligada aos fatos apurados na presente Sindicância. Também será juntada aos presentes autos
um relatório remetido ao Senhor Superintende da EMDUR, assinado pela Senhora
Administradora do Terminal Rodoviário de Toledo, narrando fato ocorrido durante o horário
de trabalho do Sindicado, bem como será juntada fotocópia de cartaz afixado pelo Sindicado
no Terminal Rodoviário de Toledo.

Deliberou-se, por fim, em vista do teor constante na correspondência


eletrônica recebida pelo Senhor Diretor Superintendente, que o Sindicado, para elaboração de
sua defesa, terá acesso a fotocópia integral dos presentes autos, mas não poderá retirar da
EMDUR os originais, que permanecerão em mãos da Senhora Secretária, guardados na sede
administrativa da EMDUR.

Adroaldo Antonio Zamuner


Presidente

r>
!<
i t

\\

Margarete Rodri~s
Sf~ária Galina Nussbaum
Página 1 de 1

Emdur Pessoal

De: "Sintraep" <sintraep@ibest.com.br>


Para: "Emdur Pessoal" <emdurpessoal@certto.com.br>
Enviada em: terça-feira, 25 de novembro de 2008 17:24
Assunto: ***SPAM*** É brincadeira?

Boa tarde,

Recebi hoje o tal comunicado.


Por acaso estão de brincadeira?
Que palhaçada nova é essa agora ?

';NW':!i .simraepemdestag:t,!e.blog~P.9J.com

Internal Virus Database is out of date.


Checked by AVG - http://www.avg.com
Version: 8.0.169/ Virus Database: 270.6.6/1631 - Release Date: 24/8/2008 12: 15
Toledo, 26 de novembro de 2008.

À Comissão de Sindicância

Nesta data, recebi e-mail remetido pelo funcionário Luiz


Carlos; dos Santos.
Creio que este e-mail diz respeito à sindicância que foi
instaurada, para apurar falta funcional do funcionário.
Entrego cópia do e-mail, acompanhando a presente
correspondência para Vossas Senhorias, para que sirva de prova, a
instruir a sindicância.

,NSCHAU
INT'ENDENTE
-Mensagem de Impressão do Windows Live Hotmail Page 1 of 1

: Estão de gozação ?
De: Sintraep (sintraep@ibest.com.br)
Enviada: terça-feira, 25 de novembro de 2008 19:37:04
Para: Léo Inácio Anschau (Ieoinacioanschau@hotmail.com); emdurengenharia@certto.com.br;
- .. -'--emdumnaneeiro@certlo;eom;br"--- -.------.-.------ ----- --. ---- - - •..... ou.J

Caros diretores,

Recebi hoje o tal comunicado sobre uma suposta violação do artigo 124,1 da Lei 1822/99.
Como sei que é mais uma perseguiç~o do que algo real,e como sei que é IMI?OSSiVEL eu ter
culpa nessa besteira que inventaram,já torno a empresa ciente do seguinte:

1°· Se a tal sindicância for séria vou ser inocentado, isso é fato.

2°· Em seguida entro com ação contra a empresa e torno isso totalmente público.

3°· Vou querer indenização por qualquer constrangimento.

4°· Novas medidas serão tomadas de imediato,já que a perseguição é explícita.

Fica avisado a empresa com antecedência.

www.sintraepemdestaque.blogspot.com
El:<1DUR - Empresa de ~esenvolvimento Urbano e Rural
de Toledo
Toledo - P arQllá
:/;.,v: Jj :~~tiral)),jgif4:"; jb :p.üit6 A.iegre::,,; tER ffiOCiUJOQ:"; t=:otis.i~ ax (045)331B;49ift.;';: .
............... ::::: : :tüliÚ16.;..:par~ná:::::::·· ::::
b:!ic j1.81EÜ;23ibooi~jEC: ....• inscEEi 418.ti4141~08
TERMINAL RODOVIÁRIO 26 de novembro 2008 .

AO SR DIRETOR SUPERINTENDE'NTE DA EMDUR


SR. LÉOINÁCIO ANCHAU

Relatório: Falta de vigilância e de segurança na Rodoviária

Na noite de segunda-feira dia 24/11/08, por volta das 20h30m in um


m orador de rua que costum a incom od.:'1rna rodoviária, teve um smio de loucura porque
estava incomodado com outro mendigo e esmurrou o vidro de uma das portas da sala de
espera, com o impacto o vidro se rompeu e os estilhaços feriram amão do infeliz que
deixou a sala de espera e aplatafonnatodaensangÜentada. O funcionário de uma das
agências de passagens chamou a polícia, porque o vigia da EMDUR que estava de
pllliltão o Sr. Luiz Cru'los dos Srultos nem apareceu e pelo que falru"am o bamlho foi
grllilde. A policia veio e chamou os bombeiros para levar o cara para o pronto socorro,
(o mesmo não aceitou ser medicado fugindo do local e as 07hOOmin damCJlhã apareceu
deitado em frente à porta do escritório pedindo ajuda para chamar uma ambulância).
Logo após o ocorrido o funcionário da agência ligou para tuinha casa infonn ando (}
ocorrido, vim tomar as providências no sentido de agilizar a limpeza uma vez que ne5.te
horário nã.o tem zeladora. Convoquei a zeladora para fazer a limpeza do piso em horário
extraordinário e funcionários das agências providenciaraITl. a limpeza. dos estilhaços de
vidro. Fui infOIrnada de que o vigia. de plantão não se encontravafazendo aronda e que
estava trrulCado na área de serviço da Rodoviária no rnomento do oconí.do. Que ele nã.o
viu nem ouviu nada do que acorreu. Quem tomou as providências de chrunar a polícia e
ligar para mim foi o funcionário de mna agência, depois de várias tentativas de chamar
pelo vigia. Finalmente depois de várias inv8stidas na porta esta se abriu. O funcionário
da agência disse que cobrou do vigia o fato dele nã.o estar vendo o que e~1:avase
passando, que não estava tomruldo nenhuma atitude, com a seguinte fbiSe "Luiz! A
Rodoviária esta caindo e você não está fazendo nada?"
Antes de ser procedida a limpeza no prédio liguei para o Sr. Valdir
Radunz um dos diretores das EMDUR, comunicando o ocorrido, O Sr. Valdir veio até a
rodo,~ária para. con:furn ar os fatos, onde segundo ele tam bém encontrou o vigia de
portas trrulCadas. _
Se o vigia mencionado cumprisse com suafhnção para a qual ele fá pago,
com certeza muitas situações desagradáveis poderiam ser impedidas de acontecer.É
lógico que nenhum dos dois vigias deve se arriscar dem a., iadam ente quando se trata. de

0\.)0.. (-..1
mas se ~ situ.açã.oexigit~d~ve-se ch::rnar a polícia ~Ias já ef:.1ámai.s do que cl~ru'opara ..
todo 01 er:n.mal
mendigos, ~o~ovIáno
vânda-Ios e trunbem
ou marginais pois para os mehantes
não estão armadOsq~e no dia
e nem do plrulUl.O
preparados do.lJ.w: :•.. \Ss\) \1\:'0\0
paratanto~ , .
não tem VlgtlâncIa. E só perguntar para quem trabalha à. nOIte.. ..c"
~~\."'t'\:~,
'-o~- .1,)
1.) . .... \.,\':)
(~\;J
" ".",,'l!JJ
.. " 'i"lO \
,..... •• t. ?l\:1~

.,- ~ \\P~ ~
~""~ O· ,• ~~tt~""
A Administraçao
•...
\\
o comunicado abaixo me chegou às mãos ontem à tarde, e nele estão
explícitos todos os sinais de uma perseguição covarde.
Obviamente que não existe a menor possibilidade de provarem coisa
alguma, e a tese alegada cairá por terra.
Meu próximo passo será processar os envolvidos nessa palhaçada toda,
tomando as medidas que forem necessárias ao caso, até mesmo judiciais,
com a devida indenização que me for de direito.
A acusação é frágil e ridícula,facilmente desmontada em um processo
futuro que instalarei,dependendo dos resultados da "sindicância".
Todos os envolvidos na farsa serão arrolados ao processo .
....
Lamento a idiotice de medida tão extrema e, repito covarde.

Ao final veremos quem está com a razão.

Toledo, 26 de novembro de 2008.


Informamos o ajuntamento do aviso de recebimento (AR) aos autos da Sindicância
nOO1l2008,na data de 27 de novembro de 2008.

PREENCHER COM LETRA DE FORMA AR


r-- DESTINATÁRIO DO OBJETO I DESTlNATAIRE
N( ")-U-RAZA--- O-SOCIAL DO DESTINATÁRIO DO OBJETO I NOM OU RAISON SOC1ALE OU DESTlNATAIRE

f\),m,5

CEP I CODE POSTAL CIDADE I LOCALfT~

NATUREZA DO ENVIO I NATURE DE L'ENVOf

\L1'~UU
g,lGlR:i'l'ARIA.J .....
,
PRIORITAIRE
[
tCJSEGURADO I VALEU.
ASSINATURA DO RECEBEDOR I SIGNATURE DU R~CEPTEUR
RATIONI ., llôÃDE DE O STINO
~IMENTO I ~B ~~BO
REAU DE DE EiTREGA
DES INAT/ON

NO,PQ..CUMENTO DE IDENTIFICAÇÃO DO
R~ '"DOR I ÓRGÃO EXPEDIDOR

,q ler Nb ~ - <]
ENDEREÇO PARA DEVOLUÇÃO NO VERSO I A
75240203-0 114 x 186 mm

s Galina Nussbaum
etária
SINDICÂNCI,f\ N° 001/2008

À Senhora Naura Dienstmann de Araújo Figueira


Terminal Rodoviário de Toledo, Paraná.

A Comissão de Sindicância n° 001/2008, através de sua Secretária,


Margarete Rodrigues Galina Nussbaum, vem à presença de Vossa Senhoria solicitar que
compareça à sede administrativa da Empresa de Desenvolvimento Urbano e Rural de Toledo
- EMDUR, sita à Avenida José João Muraro, n° 1.944, Jardim Porto Alegre, Toledo, Paraná,
para prestar esclarecimentos acerca de fatos ocorridos no Terminal Rodoviário de Toledo,
Paraná.

Sem mais para o momento, agradecemos Vossa disponibilidade em atender


a presente convocação, e reiteramos nossos votos de admiração e estima.

Toledo, 03 de dezembro de 2008.

Margarete rigues Galina Nussbaum


ecretária
SINDICÂNCIA N° 001/2008

Ao Senhor Vilson Ferreira de Lima


UNESUL, Terminal Rodoviário de Toledo, Paraná.

A Comissão de Sindicância n° 00112008, através de sua Secretária,


Margarete Rodrigues Galina Nussbaum, vem à presença de Vossa Senhoria solicitar que
compareça à sede administrativa da Empresa de Desenvolvimento Urbano e Rural de Toledo
- EMDUR, sita à Avenida José João Muraro, nO 1.944, Jardim Porto Alegre, Toledo, Paraná,
para prestar esclarecimentos acerca de fatos ocorridos no Terminal Rodoviário de Toledo,
Paraná.

Sem mais para o momento, agradec~mos Vossa disponibilidade em atender


a presente convocação, e reiteramos nossos votos de admiração e estima.

Toledo, 03 de dezembro de 2008.

Margarete Rodrigues Galina Nussbaum


Secretária

Vilson Ferreira de Lima


..',.......,,,,,

/'
..
",. ,,', ,,,A D 11'll .
, • ;.' """""""'~
~ .....
TERMO DE D~POIMENTO ( 1 P'L.'\. ..•. :1<J..__ . \ )

.
depOImento Aos quatro
da Senhora dias do
NAURA mês de dezembro
DIENSTMANN DE de doi,s
ARAUJO~
~l!.
e)o,~o, foi..t~f1acl1o ,
FIGQEIroA,\.JbIasik'ira,
__ .~ ~ .....•..•

casada, funcionária da EMDUR, ocupando a função de administradora da rodoviária,


portadora do RG nO 1.496.345/PR e inscrita no CPF sob o liO476.494.619/04, residente e
domiciliado na Rua Caetano Severino Perin, nO 259, Toledo, 'Paraná, que depois de
cientificada de que tudo o que disser será do conhecimento exclusivamente da Comissão de
Sindicância nomeada, e do Senhor Superintendente, respondeu às argüições desta Comissão
da seguinte forma: que conhece o Sindicado; que sabe que o Sindicado exerce a função de
vigia, no Terminal Rodoviário Municipal; que o Sindicado trabalha das 20:00 às 07:00 horas,
em dias alternados, ou seja, um dia sim, outro não; que a função do Sindicado é de fazer
rondas constantemente, cuidar do prédio, dentro do Terminal Rodoviário e em volta do
mesmo local; que também é função do Sindicado não deixar que mendigos invadam o
Terminal Rodoviário, para ali pernoitar ou permanecer; que não é função do Sindicado coagir
os mendigos, mas sim orientá-Ios a não permanecem no Terminal Rodoviário, sendo que, se o
mendigo insistir em permanecer no local, é função do Sindicado telefonar para a Polícia
Militar ou para a Guarda Municipal; que a Declarante trabalha durante o dia, entre 08:00 às
17:30 horas, com 01:30 horas de intervalo; que as agências de venda de passagem
permanecem abertas durante a noite, até 22:00 ou 23:00 horas; que a lanchonete fecha às
23:00 horas; que depois deste horário ficam no local somente as zeladores e um ou outro
taxista, sendo que o restante da do Terminal Rodoviário fica deserto; que a Declarante tem
recebido várias reclamações de pessoas que trabalham no Terminal Rodoviário durante a
noite, de que o Sindicado não faz as rondas que teria que fazer; que ou o Sindicado fica
trancado dentro da área de serviço destinada ao pessoal da EMDUR, ou ele simplesmente não
está no Terminal Rodoviário, pois o Sindicado some; que esses fatos têm ocorrido já há
bastante tempo, mais ou menos um ano e meio, sendo que neste período a Declarante escuta
reclamações do pessoal; que em virtude da ausência do Sindicado, ocorrem problemas com
mendigos, que deitam e dormem no Terminal Rodoviário; que estes mendigos perturbam as
zeladoras e outros trabalhadores; que os mendigos também causam danos ao Terminal
Rodoviário, inclusive quebrando vidros e ateando fogo nas lixeiras; que os mendigos
importunam clientes, sendo que tem pessoas que chegam de viagem, na madrugada, e que já
relataram à Declarante que tem medo de chegar no Terminal Urbano; que os usuários sentem-
se desprotegidos; que a Declarante ouviu falar que no dia de plantão do Sindicato, é a mesma
coisa ele estar, ou não, no Terminal Rodoviário; que na grande maioria das vezes, o Sindicado
não é encontrado no Terminal Rodoviário; que a Declarante já telefonou para o celular do
Sindicado, durante o dia, precisando conversar com o Sindicado, sendo que este não atendia
ao telefone, nem o telefone fixo; que em uma oportunidade a Declarante conversou com o
Sindicadó sobre o que estava ocorrendo, pois a Declarante estava sendo cobrada, que o
Sindicado respondeu à Declarante que ninguém tinha prova disso; que o Sindicado não
expliçou à Declarante onde permanece, durante suas ausências; que a Declarante solicitou ao
Sindicado para que este trabalhe corretamente; que a Declarante esclarece que os mendigos
são pessoas perigosas, e entende que o vigia não deve enfrentá-Ios, mas deve estar presente,
para coibir que estes mendigos permaneçam no Terminal Rodoviário, chamando a Polícia
Militar, se necessário; que o 1 . não utiliza armas, nem cassetete; que o vigia recebe cartões
telefônicos, para utilizar em so emergências; que a Declarante esclarece que o Terminal
Rodoviário precisa de uma pes oa que efetivamente cumpra com a função de vigia.

raújo Figueira~c
f
l J

1 ,//~-~A
r.."I l;' .. f) U~.
.
TERMO DE DEPOIMENTO \:.".l'
t.; .~.- _.W._ .... I /I
{ .I
Aos quatro dias do mês de dezembro de dois mil ...e,.fili.i>., ffdlJ~do o
depoimento do Senhor VILSON FERRElRA DE LIMA, brasileiro, casado:-nmcionária da.
UNE SUL, exercendo o cargo de emissor de passagens, portadora do RG n° 6.81O.125-5/PR e
inscrita no CPF sob o nO 000.541.639-60, residente e domiciliado na Rua 25 de Julho, nO400,
Toledo, Paraná, que depois de cientificada de que tudo o que disser será do conhecimento
exclusivamente da Comissão de Sindicância nomeada, e do Senhor Superintendente,
respondeu às argüições desta .comissão da seguinte forma: que trabalha das 14:20 às 16:30 e
17:40 às 22:40 horas no· guichê da UNESUL, no Terminal Rodoviário; que conhece o
Sindicado do Terminal Rodoviário; que sabe que o Sindicado exerce a função de vigia do
Terminal Rodoviário; que sempre vê o Sindicado no Terminal Rodoviário após às 20:00
horas; que sabe que a escala dos vigias é de um dia sim, um dia não; que é muito raro ver o
Sindicado circulando; que quando o vê, o Sindicado permanece sentado nos bancos, com os
taxistas; que há doze dias atrás, mais ou menos, o Declarante escutou um barulho muito alto, e
achou que se tratava de um acidente de trânsito; que isso ocorreu às 20:40 ou 21 :00 horas; que
alguns minutos depois, percebeu um movimento estranho, com pessoas correndo para o
portão de embarque; que foi ver o que tinha acontecido e percebeu que havia um andarilho
com a mijo sangrando, por ter quebrado um vidro, sendo que o Declarante ajudou a estancar o
sangue do andarilho; que enquanto aguardava socorro, antes de estancar o sangue, o andarilho
perambulava pelo Terminal Rodoviário, sendo que escorria sangue por onde o andarilho
passava; que o Declarante foi até o escritório da EMDUR, para poder pegar o telefone da
Naura, administradora do Terminal Rodoviário, pois naquele horário não foi encontrado o
vigia; que bateu na porta do escritório, que estava trancada, durante aproximadamente 00:01
minuto, mas ninguém atendeu; que conversou com o Senhor Silva, da EUCA TUR, e este
informou ao Declarante que o vigia estava no escritório; que o Declarante novamente bateu na
porta por aproximadamente 00:01 minuto; que finalmçnte o Sindicado atendeu a porta, e
perguntou "o que estava sucedendo"; que o Declarante informou o que acontecia, dizendo
que, inclusive, os bombeiros e a Polícia Militar já estavam no local, atendendo a ocorrência;
que recorda-se que um diretor da EMDUR foi até o local e também encontrou o Sindicado
trancado no escritório; que no dia seguinte a este acontecimento o Senhor Dito, o outro vigia
do Terminal Rodoviário, foi ameaçado por andarilhos, sendo que o Declarante teve que
interferir para apaziguar, pois ficou com medo de que o vigia fosse agredido, sendo que o
próprio Declarante foi ameaçado, vendo-se obrigado a telefonar para a Polícia Militar; que
depois deste dia, com atuação do Ministério Público e da Polícia Militar, a situação melhorou
bastante; que, em que pese esta melhora, ainda existem andarilhos no Terminal Rodoviário;
que antes deste fato, sempre houve problemas com andarilhos, sendo que mesmo quando
chamada a Polícia Militar, esta nem sempre atende as ocorrências; que os usuários são
frequentemente abordados pelos andarilhos, que ameaçam riscar os carros e pedem troco de
compra de passagens; que os andarilhos também abordam os trabalhadores do Terminal
Rodo~iário, principalmente com agressões verbais; que na maioria das vezes os andarilhos
estão drogados ou embriagados; que o Senhor Dito faz as rondas normalmente, em todos os
locais do Terminal Rodoviário; que o Sindicado simplesmente desaparece e não realiza as
rondas, acreditando o Declarante que o Sindicado podé ter sido ameaçado, e pode estar com
medo dos andarilhos; que a gerência da UNESUL já fez solicitações verbais à administração
da EMDUR, para que sejam tomadas providências cabíveis.

~~-Pok bc~
Vilson Ferreira de Lima
--------------------.
SINTRAEP --------
SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS EMPRESAS PUBLICAS MUNICIPAIS DE
TOLEDO

Toledo,novembro de 2009.

Ao Senhor Moacir Vanzzo


Diretor Superintendente da EMDUR

Venho por meio do presente documento solicitar cópia de todo o processo (Atas,documentos ...etc)
envolvendo a sindicância n° 01,de 07 de novembro de 2008,destinada a apurar suposta violação no Art.
124,inciso I,da Lei J822/99. !... ; ./

Sabendo ser meu direitq ,.0 livre acesso ao processo,conto com sua colaboração.
Solicito que a documentação seja enviada à USINA DE ASF AL TO,local onde trabalho atualmente.

Atenciosamente.

RUA JÚLIO VERNE,42 - Jardim Porto Alegre - GEP 85906-040


TOLEDO - PR Celular: (45) 9926-5375
e-mail: sintraep@ibest.com.br home-page: www.sindicatosintraep.blogspot.com
Senhor Diretor Superintendente da EMDUR
Moacir Neudi Vanzzo

Venho,mais uma vez,requerer da empresa cópia de todo o processo envolvendo a


Sindicância nO.01,de 07 de novembro de 2008.
Como deve ser de seu conhecimento a citada sindicância extrapolou todos os
prazos,pois conforme a Lei 1822/99:

Art. 153 - O prazo para a conclusão de sindicância ou de inquérito administrativo não


excederá sessenta dias, contados da data da publicação do ato que constituir a
comissão, admitida uma prorrogação por igual prazo, quando as circunstâncias o
exigirem.
§ 2° - As reuniões da comissão serão reQistradas em atas Que deverão detalhar as
deliberacões adotadas.

(Friso mais uma vez que a sindicância é de 07 de novembro de 2008,portanto


absolutamente todos os prazos legais foram extrapolados)
,r----
Ainda referente à Lei 1822/99,cito:

Art. 156 -
Parágrafo único - Se a testemunha for servidor público, a expedição do mandado será
imediatamente comunicada ao chefe da repartição onde serve, com indicação de dia e
hora marcados para a inquirição.

(Na ocasião eu trabalhava no Terminal Intermunicipal Alcido Leonardi e em nenhum


momento fui informado pela chefe do local a respeito do citado no Artigo 156,parágrafo
único.)

Art. 164 - Após a inquirição das testemunhas, a verificação das provas e interroQatório
do acusado, na forma do disposto nos artigos 156 a 158 desta Lei, a comissão de
sindicância reunir-se-á para elaborar o relatório final e o respectivo parecer, observado
o disposto no artigo seguinte.
§ 1° - O relatório será sempre conclusivo quanto à inocência ou responsabilidade do
servidor.

(Cadê o relatório final?) (Por que não fui ouvido formalmente desde novembro de
2008?)

Obviamente sei que as irregularidades citadas acima não são de seu período na
direção da empresa,entretanto como hoje é o responsável por ela cabe lhe fazer o
pedido formal,novamente,de que todas as atas,documentos e afins referentes à
Sindicância 01/2008 me sejam fornecidos.
Entrei na EMDUR pela porta da frente,via concurso 01/1998,mereço respeito.
Não posso admitir que se levantem suspeitas ridículas,infundadas,e que após o
incômodo gerado,fique por isso mesmo.

Aguardo retorno breve.

'~arlos~ ~
Atenciosam~~
Servidor concursado sde 1999 I
-?Janeiro de 2010.
RELATÓRIO

A comissão de sindicância nomeada pelo Termo de


Instauração de Sindicância, emitida pelo Diretor Süperintendente da Emdur, em
data de 07/11/2008, as fls. 02, tem a expor o que segue.

Sindicância Administrativa é "o meio sumário de que se


utiliza a Administração do Brasil para, sigilosa ou publicamente, com indiciados
ou não, proceder à apuração de ocorrências anômalas no serviço público, as
quais, confirmadas, fornecerão elementos concretos para a imediata abertura
de processo administrativo contra o funcionário público responsável". Nesse
conceito, a sindicância seria uma fase preliminar à instauração do processo
administrativo.

Como sabido, a Sindicância deriva do Poder disciplinar que


"é o que cabe à Administração Pública para apurar infrações e aplicar
penalidades aos servidores públicos e demais pessoas sujeitas à disciplina
administrativa". No que diz respeito aos servidores públicos, o poder disciplinar
é uma decorrência da hierarquia.

A Administração não tem liberdade de escolha entre punir e


não punir, pois, tendo conhecimento de falta praticada por servidor, tem
necessariamente que instaurar o procedimento adequado para sua apuração e,
se for o caso, aplicar a pena cabível.

Conforme o que consta as fls. 03, relatada pela funcionária


Sra. Naura D. A. Figueira da administração da Rodoviária Municipal, onde o
funcionário Luiz Carlos dos Sarltos, exerce a função de vigia, cita: "nas noites
em que ele é o vigia, a Rodoviária,"está praticamente sem ninguém por ela".
Também em seu depoimento às fls. 29, n~ data de 04/12/2008, reafirmou as
colocações feitas anteriormente.

Conforme o que consta as fls. nO 30, relatada pelo Sr.

li .
, -!. I /
Vilson Ferreira de Lima, funcionário da Unesul:~~itaem seu d~POt~mento:
"que é
~Mr'
muito raro ver o Sindicado circúlando; que quando o vê, o Sindicado
permanece sentado nos bancos, com os taxistas;".

Conforme solicitação de comparecimento enviada ao Sr.


Luiz Carlos dos Santos, a qual foi recebida pelo mesmo em 25/11/2008,

conforme "AR" anexa as fls.26, até o presente momento não compareceu para
explicar as afirmações feitas já relatadas acima.

o processo de sindicância, desde que utilizado como meio


único para a apuração de penalidades disciplinares, deve, obrigatoriamente,
observar os princípios da ampla defesa, do contraditório e do devido processo
legal, mas, pelo fato de não ter comparecido a convocação, esta comissão não
tem como relatar a defesa do Sindicado sobre as irregularidades mencionadas
sobre o mesmo pelas testemunhas, acima referidas.

"Pelo que se colhe da leitura dos arts. 143 e 145 da Lei 8.112/90, a Sindicância
vem a ser a adoção de uma medida investigatória de irregularidade cometida
ou em fase de ocorrência no serviço público, que se desencadeia sem rito ou
procedimento previamente estipulado, cuja finalização pode ensejar: a) o
arquivamento do processo; b) a aplicação de penalidade de advertência ou

suspensão de até 30 (trinta) dias; c) a in~ção de Processo Disciplinar'.

É o relatório. ~. -.
.
Aterno-zãmuner
---- _. 1 -·····

Prp~idente
I \
i ;
j .

/\\/1.1
Margarete' RO~~!'~~esGalina Nussbaum

~ S~etária

Alice 1s,'\Membro.
Muniz dos Anjos
Melhor revendo o caso em estudo, pode-se concluir que esta sindicâ"ncia fora instaurada conforme
Lei Municipal n. 1.822/99, o Estatuto do Servidor Público Municipal. Ocorre que, considerando a
condição da EMDUR de empresa pública municipal, dotada de personalidade jurídica de direito
privado, Patrimônio próprio, e Autonomia administrativa e financeira, bem como seu regime de
pessoal obedecendo a legislaçã'o trabalhista, conforme artigo 6ª parágrafo 4ª da Lei Municipal n.
1.199/84, de 21 de Novembro de 1984, concluímos que a sindicância não é o caminho correto para
apuração de responsabilidade do empregado desvinculado dos estatutos que prescrevem as
sindicâncias. Embora os empregados da empresa pública sejam admitidos via concurso público, não
significa que são regidos pelos Estatutos de Servidores Públicos. São sim, empregados sujeitos à
Consolidação das Leis do Trabalho. Assim, os trabalhos de investigação realizados até agora, não
devem ser considerados como sindicância, no entanto, foram realizados com todos os critérios
pertinentes, ensejando uma correta instrução deste procedimento, indispensável para averiguar a
responsabilidade do empregado. Logo, este procedimento investigativo não pode ser desprezado
nem anulado, servirá como orientador da decisão a ser tomada pela Diretoria da EMDUR acerca dos
fatos narrados nas denúncias e depoimentos colhidos. Conforme a professora Dra. Líris Silvia Zoega
Tognoli do Amaral:

"O empregador tem o poder de direção, de organizar suas atividades, como também controlar e
disciplinar o trabalho, conforme a finalidade do empreendimento. O poder disciplinar decorre do
contrato de trabalho, segundo a teoria civilista ou contratualista. Portanto o empregador possui a
faculdade de aplicar penalidades aos empregados que não c;umprirem com as obrigações previstas
no contrato de trabalho, visando manter a ordem e a disciplina no local de trabalho. Entretanto, tal
poder tem limitações, visto que a Consolidacão das Leis do Trabalho - CL T, protege o empregado
das arbitrariedades que possam vir a ser cometidas por parte do empregador, que deverá estar
atento à legislação pertinente, aplicando sanções justas, razoáveis e proporcionais à falta cometida
pelo empregado."

Segundo De Plácido e Silva, in Vocabulário Jurídico, lSa edição:

"As empresas podem adotar em seu sistema a constituição de Comissão de Inquérito, integrada por
empregados. Referida comissão têm o intuito de apurar denúncias sobre a ocorrência de
irregularidades praticadas pelos empregados. O empregador nomeará toda a comissão ou somente
seu presldente, que se encarregará de convocar os integrantes. A Comissão tomará as providências
que achar necessárias, como depoimento do empregado acusado ou dos que fizeram a denúncia, de
testemunhas, analise de documentos, verificação dos locais ou dos objetos utilizados para a prática
da falta etc. Após toda a averiguação, a comissão deverá elaborar um relatório destinado ao
empregador, no qual deverá constar parecer sobre as providências ou penalidades que entenderem
cabiveis ao caso. Entre as vantagens que uma c0missão de inquérito traz ao empregador, podemos
citar.a produção dos meios para se comprovar, perante a Justiça do Trabalho, o cometimento de falta
grave pelo empregado dispensado com justa causa, em caso de reclamação trabalhista. Ressalte-se
que, no mencionado inquérito devem-se dar plenas condições de defesa ao empregado."

Assim, o procedimento até agora pode ser convertido em comissão de inquérit~o, elemento
equivalente à sindicância prevista no estatuto dos servidores públicos municipais.
Independentemente da denominação que seja dada ao procedimento, devemos aplicar as regras da
CLT, sob pena de invalidade. Este parecer não quer influenciar no trabalho desenvolvido até aqui
pela comissão regularmente constituída, destina-se apenas' a dar o correto cumprimento d
legislação a fim de evitar nulidades de todo o trabalho conduzido com~seriedade e responsabilidade.
Por tratar-se de empresa pública, a Diretoria da EMDUR não pode se furtar de concluir este trabalho,
sob pena de sofrer possível responsabilização, movida pelo Ministério .público, em caso de este
entender que houve prejuízo no atendimento ao público ou falta de cuidado com o patrimônio
público.

Embora devidamente cientificado para comparecer perante a comissão, podendo dela requer cópia
dos autos e providenciar toda a defesa que tem direito, conforme correspondência com AR de mão
própria das folhas 26, o indiciado não compareceu para exercer seu direito de defesa. Por outro lado,
iniciou uma campanha paralela de intimidação via e-mails e correspondências não oficiais, numa
linguagem rude e pouco afeita a quem se roga direitos inafastáveis de um servidor público.

Recomenda-se à Superintendência que seja franqueada cópia ao indiciado, sob assinatura de


recebimento, a fim de se evitar que posteriormente alegue o não recebimento das cópias e, seja
dado prazo não superior a 15 dias, para que se apresente defesa escrita, ou se preferir, que
permaneça silente.

Após voltem para análise da comissão de inquérito, ou para parecer jurídico, caso seja necessário.

Toledo, 2 de fevereiro de 2010.


AVISO DE ADVERTÊNCIA AO EMPREGADO

Toledo, 06 de Maio de 2010.

Sr.(a): Luiz Carlos dos Santos

CTPS n°. 0014588 Série0042 Depto.: Usina de C.B.U.Q

Prezado(a) Sr(a)

Pelo presente fica V.S. advertido pela falta discriminaàa e fundamentada no art.482
da CLT, letra B "incontinência de conduta ou mau procedimento", e letra E "desídia
no desempenho das respectivas funções".

Vimos pelo presente aplicar-lhe a pena de suspensão disciplinar, por 20 dias


devendo ser cumpridos a partir de 06/05/2010 devendo reassumir suas funções em
26/05/2010.

Não remuneração salarial referente aos dias em que cumprir a penalidade de


suspensão.

Adverte-se V.S. para que não mais incorra em novas faltas, ficando advertido
expressa e formalmente que em caso de outras e futuras infrações, serão tomadas medidas
mais severas conforme autorizado pela legislação trabalhista.

Favor dar seu ciente na cópia desta.

LUIZ CARLOS DOS SANTOS

~&~'8~~
Diretor Superinlendente da EMDUR
j ~/'~~~,~~
J~JVJ~"
.~ _ Ià-<:'" <J-.. Q.../~~",--",.~,•..l:../'-'

c.....M·:"....-.o....eL/ y).~j~
.~.,.-".L

~V"v~, "'~Q,,~h
.•••••••