Está en la página 1de 9

MINI GUIA

turbo
Introducao

O princípio da sobre-alimentação é muito simples, enviar mais ar do


que o motor seria capaz de aspirar sozinho. Para manter a relação
estequiométrica correta é enviado mais combustível, essa mistura
queima na câmera de combustão gerando maior potência.

Existem diversas maneiras de realizar essa tarefa e todos adotam


dispositivos mecânicos.

Vamos apresentar os mais populares:


Compressor

Também conhecido como BLOWER ou


SUPERCHARGER. O dispositivo
é acionado pelo virabrequim
através da correia, o diâmetro
entre as polias determina a
relação de rotação. Desde a marcha
lenta o motor gira o compressor e
como resultado a sobre-alimentação
está presente desde as baixas rotações.
Uma desvantagem desse sistema é a ação
parasita, que “rouba” uma parte da potência
para girar o compressor.

A instalação desse componente requer espaço


disponível para o compressor e deve estar próximo à
polia do virabrequim para acionamento.

Os 3 tipos mais comuns sao:

CENTRÍFUGO SCREW

Por causa do visível scoop os modelos instalados acima do coletor de admissão dos
motores em V são os mais conhecidos e muito utilizados em provas de arrancada.
Turbina

Também conhecido como


turbo compressor ou
turbocharger.

Seu funcionamento baseia-se em


aproveitar a energia cinética nos gases
de escape que seriam desperdiçadas para
girar o rotor da turbina (quente).

Essa turbina está acoplada através de um eixo ao


rotor compressor (frio) que ao girar, pressuriza o ar
enviado para o motor.

A turbina era uma tecnologia utilizada em aviões na Segunda


Guerra, que trazia mais potência e ajudava as aeronaves a não
serem atingidas por baterias antiaéreas, onde se conseguia maior
autonomia e velocidade de voo. Depois de um bom tempo, essa
“tecnologia de guerra” pode ser colocada a disposição do conhecimento
geral, porém, só na década de 1960, a utilização da turbina foi aplicada
em motores.
Turbina x Compressor

Compressor

VANTAGENS DESVANTAGENS
• Respostas de acelerador • Menor rendimento frente
imediata; ao turbo;
• Progressivo na entrega de • Maior consumo da potência
potência; do motor (10 a 15%);

VANTAGENS

• Mais eficiência em altos giros que o compressor;

• Maior facilidade de alterar a pressão de trabalho;

• Menor ruído em funcionamento.

DESVANTAGENS

• Calor no cofre do motor;

• Necessita de lubrificação dividida com o motor.


Mas o critério de seleção entre qual tipo de sobre-alimentação utilizar também deve
considerar outros fatores.

Facilidade de instalacao

Esse item está ligado ao espaço disponível, tipo de


motorização e peças encontradas no mercado. Por
exemplo, tendo todas as peças é mais fácil instalar um
compressor em cima de um motor “V” do que uma
turbina ou duas neste caso.

Custo

No Brasil, a sobre-alimentação por turbina é mais


difundida. Como consequência, o mercado é voltado
para esse tipo de preparação, com diversas peças de
prateleiras nacionais prontas para o uso com um custo
aceitável. Quem decide adotar o compressor sofre para
encontra-lo e arca com um alto custo. Além dos dados
técnicos relevantes.
ALOJAMENTO
ENTRADA DO ÓLEO DO MANÇAL
LUBRIFICANTE

CARCAÇA QUENTE

ENTRADA DE
AR
SAIDA DO
ESCAPE

ROTOR DO ROTOR DA
COMPRESSOR TURBINA

SAIDA DO ÓLEO
LUBRIFICANTE
CARCAÇA FRIA

ENTRADA DO ESCAPE

A seleção do turbo compressor é fundamental para o sucesso do projeto. O objetivo


e aplicação de veículo devem sem claros. Veículos para rua, pista, arrancada, quebra
de recorde de velocidade, possuem particularidades e necessidades específicas.

Algum objetivo tangível tem que ser determinado, como atingir alguma potência ou
alguma marca de performance.

Outros fatores como lag, pressão de trabalho, calor gerado, torque em baixa são
adequados para atingir o objetivo proposto.

O compressor (caixa fria) tem uma combinação entre fluxo e pressão que trabalha no
máximo rendimento. Um segredo para boa preparação está em trabalhar nessa fase
o maior tempo possível, mas escolher durante qual período de rotação permanecer
nessa faixa de trabalho é um desafio.

Lembre se

Quando o rendimento do compressor cai, a temperatura dos gases


de admissão sobe. Evitar trabalhar com eficiências inferiores a
60% é sempre recomendável.
VENHA FAZER NOSSO CURSO DE

preparacão
de motores
#preparaçãodemotores
5 a 28 de junho

ENTRE EM CONTATO
(11) 94785-1639
Acompanhe-nos
nas redes sociais