Está en la página 1de 22

1 Ficha de Identificação da Produção Didático-Pedagógica -PDE.

Turma 2016

Título: O ensino da história e cultura afro-brasileira e africana: construção de


práticas pedagógicas para o diálogo com a diversidade e democratização das
relações étnico-raciais no ambiente escolar

Autora: Jociane Francisca Pereira

Disciplina/Área: História

Escola de Implementação do Colégio Estadual Brasílio de Araújo – Ensino


Projeto e sua localização: Fundamental, Médio e Profissional.

Município da escola: Bela Vista do Paraíso

Núcleo Regional de Educação: Londrina

Professor Orientador: Dr. Wander de Lara Proença

Instituição de Ensino Superior: UEL – Universidade Estadual de Londrina

Relação Interdisciplinar: Arte ; Geografia e Língua Portuguesa


O trabalho versará sobre a implementação da Lei
Resumo:
10.639/2003, que tornou obrigatório o ensino de
História e Cultura Afro-brasileira e Africana, com
intuito de tratar das questões étnico-raciais,
afirmando o direito a esta diversidade na
educação escolar, rompendo com o silêncio sobre
a realidade afro-brasileira nos currículos e práticas
escolares. Como estratégia, serão desenvolvidas
Oficinas e um Desfile de penteados e cabelos de
origem afro, objetivando a cidadania e a
compreensão das contribuições afrodescendentes
para a História brasileira.

Palavras-chave: Ensino; cultura afro-brasileira; diversidade;


práticas pedagógicas.

Formato do Material Didático: Unidade didática.


Público: Alunos e alunas do 6º Ano “A” - do Ensino
Fundamental- período vespertino.
2 APRESENTAÇÃO

As atividades desta Unidade Didática foram desenvolvidas para os alunos do


6º Ano A do Ensino Fundamental, do período vespertino, do Colégio Estadual
Brasílio de Araújo – Ensino Fundamental, Médio e Profissional, da cidade de Bela
Vista do Paraíso NRE de Londrina/PR.
Toda a prática aqui pretendida está sob a égide da Lei 10.639/03 que alterou
a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (BRASIL, 1996), tornando obrigatório o
ensino da história e da cultura afro-brasileira e africana, com intuito de tratar das
questões étnico-raciais, afirmando o direito à esta diversidade na educação escolar,
rompendo com o silenciamento sobre a realidade afro-brasileira nos currículos e
práticas escolares.
Dentre as percepções que se busca com tal proposta pedagógica, existe a de
compreender que tal Lei não foi promulgada pela simples benevolência ou
consciência do governante de então, mas sim como o resultado da luta insistente do
movimento negro e na sequência a Lei 11.645/08 vem alterar novamente a LDBN
(BRASIL1996), dessa vez incluindo a história indígena.
Lembrando, no entanto, que a história africana quanto a história indígena
eram trabalhadas na escola como assuntos secundários e que geralmente estavam
atreladas ao período da colonização portuguesa, apresentadas quase sempre de
maneira folclórica, sem aprofundamento, fazendo com queos africanos, afro-
brasileiros e indígenas eram representados como meros espectadores ou objetos da
história. Para tanto, as leis vieram problematizar a questão, a fim de transformar o
negro e o indígena em sujeitos da história.
No entanto, ao perceber que ainda é preciso criar maneiras de efetivar o
trabalho em sala de aula, colocando as leis 10.639/03 e 11.645/08 na prática, ou
seja, efetivando a construçãodas identidades africana e indígena, apropriando-nos
de seus exemplos socioculturais e sua riquezas incontáveis, resolveu-se promover a
valorização da cultura afrodescendente, reconhecendo a sua presença nos diversos
segmentos da sociedade, elaborando estas atividades que pretenderm trazer à tona
a arte, a culinária, a religião, a estética, a música e a dança, dentre outras heranças.
Será uma forma de oferecer aos alunos e alunas, os conhecimentos para se
orgulharem da ancestralidade africana, com respeito e o conhecimento da herança
desses povos àpopulação e cultura brasileiras, fortalecendo tal objetivo com práticas
educativas sobre a temática em questão.
Ainda existe, no entanto, a necessidade de apropriação de um saber
específico, voltado para a questão racial. Trabalho esse que requer estratégias
novas e a inclusão de saberes que atentem para aspectos do continente africano
valorizando o trabalho dos africanos descendentes na edificação de nosso país e na
nossa formação cultural.
Estas atividades pretendem atender ao propósito das interdisciplinaridades
com Geografia, Arte, Sociologia e Língua Portuguesa, e ainda por em prática outras
estratégias que ressaltema cultura afro-brasileira como construtora da sociedade
brasileira, onde os negros continuam sendo sujeitos históricos, necessitando, porém
da emergência da ressignificação e valorização cultural das matrizes africanas que
formam a diversidade cultural brasileira, atacando, especialmente, o preconceito e a
discriminação racial que ainda permeia a sociedade brasileira.
De posse desse desejo, perguntou-se, em nosso projeto de pesquisa, como a
disciplina de História pode trabalhar as relações Étnico-Raciais a partir de ações
afirmativas que permitam assegurar tais relações, preconizando um trabalho prático
que reconheça a presença histórica dos negros na escola e na sociedade. E a
resposta a essa problemática segue aqui representada por um conjunto de
atividades que objetivam, acima de tudo, a efetivação da legislação brasileira em
prol das relações etnico-raciais na escola e na sociedade brasileira.
3 UNIDADE DIDÁTICA

ETAPA 1- APRESENTAÇÃO DO TEMA PARA A TURMA DE INTERVENÇÃO

Objetivo: Apresentar o Projeto de Intervenção aos alunos e solicitar o preenchimento


do questionário diagnóstico, observando como os alunos reconhecem suas próprias
raças ou etnias
Duração: 6 horas
Recursos: Sala de vídeo, TV Pendrive, folhas impressas

Desenvolvimento Metodológico

A sala deverá ser previamente preparada com os recursos necessários, bem


como, com os slides sobre o Plano de Intervenção que já estará no pendrive. No
momento da apresentação os alunos estarão acomodados em suas carteiras, e
serão informados que poderão interromper e fazer perguntas pertinentes ao projeto
ou para apresentar sugestões, de forma que compreendam os objetivos que foram
determinados. Contando com a mediação da professora.

Atividade 1 –Respondendo e Refletindo o questionário (Apêndice 1)

O questionário deverá ser preenchido sem prévias informações, justamente


para fomentar a discussão posterior a respeito das escolhas dadas às respostas,
com exceção a de que os alunos não serão identificados por elas.

QUANTO A QUESTÃO DA COR OU RAÇA

A professora aguardará as respostas e, em seguidas, junto com os alunos


fará a leitura dos resultados considerando as seguintes observações:
 Número de meninos e meninas
 Idade dos meninos e das meninas;
 Quantos se identificaram envolvendo o termo raça;
 Quantos atribuíram a si e a seus pais termos oficialmente utilizados pelo IBGE
(branco, negro, amarelo, pardo, indígena) na pergunta aberta;
 Quantos atribuíram a si e a seus pais termos oficialmente utilizados pelo IBGE
(branco, negro, amarelo, pardo, indígena) na pergunta fechada:
 O termo negro foi utilizado com qual frequência?
 O termo pardo foi utilizado?
 Algum aluno utilizou outros termos para referir-se a sua cor ou raça?

QUANTO A QUESTÃO DO CABELO

 Quais os termos mais utilizados quanto a questão de seu próprio cabelo, qual
foi maior número de incidências ocorrida?
 Algum ou alguns alunos atribuíram outro termo aos seus cabelos que não
constavam na sugestão de resposta?
 Quanto aos penteados, quais são os mais conhecidos?
 Algum dos penteados/ modelos de cabelo sugerido nas repostas era
desconhecido para todos os alunos?

Atividade 2 – Vamos ouvir uma música?

Música: Respeitem meus Cabelos Brancos


Artistas: Chico César
Data de lançamento: 1997
Disponível em:<https://www.youtube.com/watch?v=kc2b07DMvdM/>

Atividade 3- Discutindo a letra da música

a) Na letra da música ouvimos as palavras: Benguelas, zulus, gêges, Rebolos,


bundos, bantos, Batuques, toques, mandingas; todas são palavras africanas, você
sabe o que elas representam? Pesquise e traga a resposta.
R:__________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
b) Faça uma pesquisa e descubra o que significa a palavras etnia.
R:__________________________________________________________________
___________________________________________________________________

c) Por que o cantor diz “respeitem meus cabelos brancos”?


R:__________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________

d) Das palavras cantadas na canção, quais você já conhecia?


R:__________________________________________________________________
___________________________________________________________________
ETAPA 2- CICLO DE TEORIAS E PALESTRAS

Objetivo: Compreender a importância da legislação que torna obrigatório o estudo


sobre cultura e História da África, dos africanos e afrodescendentes no Brasil e
perceber a quantidade de heranças do povo africano na construção da História
brasileira;
Duração: 8 horas
Recursos: Sala de vídeo, TV Pendrive, folhas impressas, palestras com diversos
convidados

Desenvolvimento metodológico

Esta etapa terá atividades que abordarão diretamente a cultura afro, a partir da
metodologia de aulas expositivas, apresentação de palestras a respeito da estética e
beleza negra, sobre as contribuições da população afro no processo de formação
histórica do Brasil e plenária.

Atividade 1 - Texto e Apoio.

História da África e os africanos afrodescendentes no Brasil

A Lei Federal 10.639/2003 alterou a Lei de Diretrizes de Bases da Educação


nacional – LDB (Lei 9394/96) e fez se tornar obrigatório o estudo sobre cultura e
História da África, dos africanos e afrodescendentes no Brasil, tantos nas instituições
de ensino públicas quanto nos particulares.

Quando tudo isso aconteceu, houve um alvoroço e muitas inquietações


tomaram parte das escolas que começaram a rever o que sabiam realmente sobre a
história da África e dos negros afrodescendentes no Brasil. Alguns ainda
questionavam o motivo de estudar tais temas.
No meio disso tudo, os educadores começaram a planejar estratégias de
estudos para responder a tanto questionamento e poder abordar tema tão amplo
como os aspectos políticos, sociais e culturais de povo tão numerosos que nos legou
tanta herança.
Num primeiro momento, começou-se a reparar que as salas de aula, por
exemplo, já representavam, muitas vezes, um local de desigualdade racial, e essa
prática de exclusão precisava acabar, assim como a discriminação tantas vezes
noticiada e percebida no dia a dia, inclusive na escola.
Dessa forma, a ideia da inclusão da História e da Cultura da África, dos
afrodescendentes e africanos, acabou por exigir a ampliação da base do
conhecimento sobre o assunto, de forma a identificar e valorizar o papel que esta
minoria teve na formação da sociedade brasileira, pois, só assim o preconceito e a
discriminação poderiam ser superados.
Além da Lei Federal 10.639/2003, a Resolução CNE/CP 1/2004, instituiu as
Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Étnico-Raciais e para o ensino de
História e Cultura Afro-Brasileira e Africana, que devem ser desenvolvidas em todas
as instituições e níveis de ensino.
____________________________
Fonte: Adaptado de: PILLA, Maria Cecília Barreto Amorim; MASKE, Wilson. História da África
Atlântica, os Africanos e Afrodescendentes no Brasil. IN: ANDREOLI, Cleverson V.; TORRES,
Patrícia Lupion (Org). Complexidade: rede e conexões do ser sustentável. Curitiba: SENAR,
2014. Coleção Agrinho. 613-709

a) Responda: Quais as Leis que tornaram obrigatório o estudo sobre cultura e


História da África, dos africanos e afrodescendentes no Brasil?

R:__________________________________________________________________

b) Quais foram os Presidentes brasileiros que estavam no exercício do Poder


Executivo na ocasião da promulgação dessas leis:

R:__________________________________________________________________
___________________________________________________________________

b) Pesquise a respeito de heranças deixadas por nossos antepassados africanos e


liste, pelo menos, três delas:

R:__________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________
VOCÊ SABIA QUE:
Os negros trouxeram consigo muitos vegetais, tais como o dendê, a malagueta, o
maxixe, o quiabo, mas, eles não conheciam a mandioca, o amendoim e o milho
americano. O limão-rosa também foi trazido por eles, bem como a banana.

Atividade 2 – Capoeira vem à escola

a) Atendendo ao convite da professora os alunos receberão a visita de um professor


de capoeira, que falará aos alunos por alguns minutos e apresentará uma peça de
capoeira (uma das heranças do povo africano).

b) Depois das apresentações os alunos discutirão sobre a apresentação e revelarão


se já haviam pensado a respeito de tais contribuições dos afrodescendentes à nossa
cultura.

HORA DE PENSAR

c) Vamos ver um filme?

Título: Ninguém Nasce Racista


Ano: 2016. Disponível em: <
https://www.youtube.com/watch?v=kaWUyiMSrV0> Acesso em 13 nov. 2016.

d) Agora respondam:

 Por que as crianças não conseguiram dizer a atriz o que estava escrito?
 Você acha que, realmente, existe preconceito racial ao seu redor?
 Qual das frases que eles precisam falar você já ouviu na rua ou na escola,
mesmo que não tenha sido dita para você?
 O que você faria se presenciasse uma cena de racismo?
Atividade 3 - Leitura do Texto de Apoio

OS CABELOS E A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE

Na construção da identidade humana o cabelo é fundamental, pois ele


sustenta a beleza, a sedução e até poder e força. Ele é um meio de expressão real e
pode revelar até aquilo as vezes queremos esconder, como nossa idade, nossa
etnia ou nosso credo religioso.
Os cabelos também podem transmitir mensagens, emoções e opiniões. A
exemplo disso, nos anos 50 as mulheres cortaram seus cabelos muito curtos para
ficarem parecidas com os homens e lutarem por uma postura política mais
igualitária; o movimento negro blackpower, nos Estados Unidos, chegou a virar
moda e, mais recente, o estilo dreadlock, mais conhecido por conta do movimento
rastafári, enfeitou a cabeça de homens e mulheres, envolvendo a cabeça com bolos
cilíndricos de cabelo que aparentam "cordas" pendendo do topo da cabeça.
Mas, infelizmente, todos estes momentos e estilos, por fugirem dos padrões
de beleza adotados pela população, sofrem com olhares e comportamentos
preconceituosos que terminam em expressões de racismo e de desigualdade racial.
Para Nilma Lino Gomes (2002, p.41): “O cabelo tem sido um dos principais
símbolos utilizado nesse processo (de identidade e dignidade), pois desde a
escravidão tem sido usado como um dos elementos definidores do lugar do sujeito
dentro do sistema de classificação racial brasileiro”.
Mesmo tendo um texto social que diz que estamos vivendo em momentos de
democracia racial, o estilo do cabelo ou penteado, atribuem sentidos de camuflagem
ou pertencimento, servindo para encobrir dilemas ou por a prova situações de
enfrentamento e construção de novos momentos, onde fazer a igualdade é o lema.
Por isso é possível dizer que o cabelo, dentro da cultura da raça negra pode
ser transformado num símbolo que representa duas origens étnicas e sua
diversidade.
________________
Fonte: adaptado de SANTOS; CONCEIÇÃO e BRITO (2012)
Você sabia que:
O cabelo é um indicativo de aceitação e resistência utilizado pela população
afrodescendente, pois quando o indivíduo negro assume e adota o estilo negro, ele
assume sua condição de negro perante a sociedade? (SANTOS; CONCEIÇÃO;
BRITO, 2012).

Atividade 4 – O teu cabelo não nega

a) Vamos ouvir a canção

Música: O teu cabelo não nega


Compositor: Lamartine Babo
Ano: 1955
Disponível
em:<https://www.youtube.com/watch?v=C36_dl1W72Q>

b) Identifique expressões preconceituosas na letra da canção ouvida.


R:__________________________________________________________________
___________________________________________________________________
___________________________________________________________________

c) “Mulata” pode ser um termo utilizado para identificação de cor ou raça? Por que?
R:`_________________________________________________________________
___________________________________________________________________

d) O que é miscigenação?
R:__________________________________________________________________
___________________________________________________________________

Atividade 5- Vamos ver um filme de animação?

Título: Menina Bonita do Laço de Fita


Autor: Ana Maria Machado
Disponível em:< https://www.youtube.com/watch?v=UhR8SXhQv6s&t=10s>
Atividade 6 - RODA DE CONVERSA

Questões provocadoras

 Alguém já parou para pensar que muitas de nossas diferenças foram


herdadas de nossos pais ou antepassados?
 Será que todos aqui presentes sabem sua origem e a origem de sua família?
 Todas as aparências são belas e todas servem à essência;
 O que são valores humanos, diversidade étnica e cultural, beleza e
identidade?
 A cor de seus cabelos e da pele foram herdadas, mas, quais outras heranças
seus antepassados deixaram para vocês?

Atividade 7 - GLOSSÁRIO

a) Elabore um glossário e defina as palavras:

 Identidade;
 Dignidade;
 Etnia;
 Diversidade;
 Cultura;
ETAPA 3 - OFICINA DE CRIAÇÃO E DESFILE

Objetivo: Refletir sobre a identidade negra a partir dos penteados e cabelos afro;
apresentar o resultado para escola
Duração: 8 horas
Metodologia: trata-se de uma vivência educativa a ser trabalha com os alunos com
variadas técnicas de tranças, dreads, e penteados afro, enfatizando o saber e
expressão artística dos antepassados.
Recursos: Sala de penteados, tesoura, fitas, grampos de cabelo, escovas,
secadores, tecidos coloridos, maquiagem, brincos, colares, cremes de cabelo, TV,
pendrive, material escrito, câmera fotográfica e de vídeo e convidados para palestras
e minicursos.

Desenvolvimento metodológico

Para tecer os cabelos por meio de uma abordagem artística e cultural, os


alunos necessitarão de pesquisas, rodas de conversa e vivências.

Para valorizar a cultura artística dos cabelos afro e suas histórias os alunos
receberão a visita de profissionais e amadores que atuam nesse processo criativo
preservando este saber e outros que virão para contar casos e fatos.

Atividade 1 – Interpretação de Texto da letra da música Beleza Pura (Caetano


Veloso).

a) A partir da letra da canção, qual a ação da “Moça preta do Curuzu”, de quem fala
Caetano Veloso.
R:__________________________________________________________________
___________________________________________________________________

b) De acordo com a letra da canção, quais são os adjetivos mais importantes em


uma pessoa?

R:______________________________________________________
c) Qual era a cor da moça que arrumava os cabelos? qual era seu tipo de penteado?
R:_________________________________________________________________

d) O que é ser formoso?


R:_________________________________________________________________

e) Quem são os “filhos de Gandhi” a quem se refere a canção?


R:__________________________________________________________________
___________________________________________________________________

Atividade 2 – Palestra sobre técnicas para as Tranças, Turbantes e Penteados

Será convidada uma profissional cabeleireira, especialista em cabelos afros para


que apresente o passo-a-passo dos seguintes penteados e amarração de turbantes:

a) TRANÇAS E SUAS VARIAÇÕES

 Trança Rasteira
 Trança Nagô
 Trança Raiz
 Trança Amarradinha
 Trança Carreirinha
 Dreads

Você sabia que: Na África, muito pouca gente usa dread. Esse é um costume de
afrocaribenhos, que por sua vez o faz por influência judaico/cristã, relacionada com a
igreja ortodoxa etíope, que não é originalmente africana, mas do Oriente Médio. Na
África, pasmem, a maioria do que se pensa serem dreads e tranças, são perucas.
Sim, perucas!
_______________
Fonte: Disponível em:< http://modamodamoda.com.br/o-que-os-turbantes-tem-a-ver-com-a-cultura-
africana/>

b) COQUE

 Coque Rosquinha

c) SEMIPRESOS
 Mechas Duplas;
 HalfBun
 Lateral
 Tiara de Trança

d) BLACK POWER

 Com volume de raiz e cor

e) TURBANTES

 O uso afro de turbantes

Você sabia que: Os africanos começaram a usar turbantes e vestes tipicamente


associadas ao Islã, para demonstrar status e coerência com a nova religião. As
mulheres africanas do século 18 para o 19 levaram esse costume ao extremo.
Nunca ninguém na costa atlântica da África usou tanto turbante quanto nesse
período. Foi aí que a moda realmente pegou!
____________
Fonte: Disponível em:< http://modamodamoda.com.br/o-que-os-turbantes-tem-a-ver-com-a-
cultura-africana/>

a) Procure descobrir a diferença entre turbante e ojá.

b) Qual a diferença do uso dos turbantes entre as mulheres africanas? Eles são ou
não são representação da etnia?

Atividade 3 – Salão de Beleza

a) Serão escolhidos meninas e meninos para participarem da tessitura dos cabelos.

OBS: dependendo do corte e comprimento dos cabelos de cada aluno ou professor,


é possível que não seja possível executar todos os penteados, portanto, os que não
participarem dos penteados poderão participar da demonstração dos turbantes.
Enfim, a ideia é de que todos os alunos participem da elaboração, com ajuda da
cabeleireira e da professora, pais e outros colaboradores, para serem apresentados
no desfile.
OS CUIDADOS NECESSÁRIOS DEPOIS DE PRONTOS OS PENTEADOS

 As tranças podem ser lavadas como qualquer cabelo, mas não todos os dias
porque o couro cabeludo ficaria úmido e suscetível a alergias e caspas. É
melhor que sejam lavados a seco, sem condicionador se quiser durem mais
tempo;
 Quando lavar, deixar secar naturalmente ao dia ou usar o secador a noite,
para evitar umidade, caspas e coceiras;
 Para que as tranças não se soltem, precisam de cuidados na hora de dormir,
envolvendo os cabelos em toucas ou lenços;

Atividade 4 - Vamos ver vídeos sobre como amarrar os turbantes?

Título: cinco maneiras de amarrar turbantes

Disponível em:
<https://www.youtube.com/watch?v=VBl-xE6MKgg>
<https://www.youtube.com/watch?v=jtRSAkRYXO0>

Aprenderam??? Agora vamos executar!

Atividade 5 – O Desfile

Desenvolvimento metodológico

 O desfile servirá como encerramento do projeto e deverá ser realizado com


data e hora programadas para toda a escola;
 A cada entrada de um aluno ou aluna que tiveram seus cabelos tecidos com
modelo afro ou que estejam usando um turbante, será lido, por este aluno, um
texto a respeito da identidade negra;
 Todo desfile será filmado e fotografado para elaboração de uma redação final,
por eles próprios e pela professora PDE que se utilizará desses resultados
para elaboração de seu artigo final;
 Todo processo será avaliado de forma diagnóstica e formativa, para que
todos os pontos necessários sejam retomados e a Lei
PROPOSTA DE AVALIAÇÃO

Os alunos deverão ver o vídeo: Identidade e Alteridade


Disponível em:<https://www.youtube.com/watch?v=44SzV2HSNmQ>

A partir de tudo o foi apresentado e dos trabalhos desenvolvidos, os alunos deverão


ser capazes de redigir um texto de, no mínimo, 20 linhas, relatando como este
Projeto de Intervenção Pedagógica pode colaborar com a efetivação da legislação
vigente e como todos eles podem trabalhar contra o preconceito racial no Brasil e no
mundo, atentando para a identidade do povo africano e para a alteridade.
REFERÊNCIAS

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Lei de Diretrizes e Bases da Educação


Nacional. Lei 9394, de 20 de dezembro de 1996. Brasília: MEC, 1996. Disponível
em:<https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm> Acesso em 11 nov 2016.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989.Brasília:


Palácio do Planalto, 1989. Disponível
em<https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L7716.htm> Acesso em 13 nov. 2016.

______. Lei no 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Brasília: Palácio do Planalto, 2003.


Disponível em:<https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/L10.639.htm> Acesso
em 02 nov. 2016.

______. Lei nº 11.645, de 10 março de 2008. Brasília: Palácio do Planalto, 2008.


Disponível em:<https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-
2010/2008/lei/l11645.htm> Acesso em 02 nov. 2016

______. Lei nº 12.735, de 30 de novembro de 2012. Brasília: Palácio do Planalto,


2012. Disponível em<https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-
2014/2012/Lei/L12735.htm>> Acesso em 13 nov. 2016.

MANIFESTO CRESPO. Tecendo e Trançando Arte. 2016.Disponível


em:<http://www.manifestocrespo.org/projetos/tecendo-e-trancando-arte/> Acesso em
12 nov. 2016.

PILLA, Maria Cecília Barreto Amorim; MASKE, Wilson. História da África Atlântica,
os Africanos e Afrodescendentes no Brasil. IN: ANDREOLI, Cleverson V.; TORRES,
Patrícia Lupion (Org). Complexidade: rede e conexões do ser sustentável.
Curitiba: SENAR, 2014. Coleção Agrinho. 613-709

SANTOS, Ana Lucia da Ressurreição dos; CONCEIÇÃO, Milena Barbosa; BRITO,


Dyane. Cabelo, Cabeleira, Cabeluda, Descabelada: A importância do cabelo na
construção da identidade da. III Encontro Baiano de Cultura. 2012. Disponível
em:<http://www3.ufrb.edu.br/ebecult/wp-content/uploads/2012/05/Cabelo-Cabeleira-
Cabeluda-Descabelada-A-importa%C3%83%C3%87ncia-do-cabelo-na-
constru%C2%8D%C2%8Bo-da-identidade-da-rac%C3%8C%C2%A7a-negra.pdf>
Acesso em 03 nov. 2016.
ANEXO
Anexo 1 – Cronograma de Atividades do PDE
Cronograma de Atividades do Programa de Desenvolvimento Educacional

ATIVIDADES 2016
fev Mar Abr Mai Jun Jul Ag Set Out Nov dez

Inserção na Escola x

Definição do tema x

Revisão bibliográfica x X x

Elaboração do Projeto de x x
Intervenção Pedagógica

Revisão e Correção do Projeto x x

Entrega do Projeto x

Elaboração da Produção x
Didática

Revisão e correção do material x x


didático

Entrega da Produção Didático x


Pedagógica

ATIVIDADES 2017

GTR x x x x x

Implementação do Projeto de x x x x x
Intervenção na Escola

Elaboração do Artigo Final x x x x x x x x

Revisão e Correção do Artigo x x x


Final

Entrega do Artigo final x


APÊNDICE
Apêndice 1- Questionário
QUESTIONÁRIO DE IDENTIFICAÇÃO

1) Você é:
( ) menino ( ) menina

2) Qual sua idade?


R:____________________________________

3) Responda qual a cor de sua pele? (Pergunta aberta, responda como quiser)
R:____________________________________

4) Dentre as respostas abaixo qual você considera mais apropriada para sua cor ou
raça? (Pergunta fechada)

Branca
Amarela
Negra
Parda

5) Seus pais são de que cor/raça?

COR/RAÇA PAI MÃE


Branca
Amarela
Negra
Parda

6) Considerando a aparência de seus cabelos você diria que eles são:

Lisos
Encaracolados
Crespos
Afros
Outros (qual?)
7) Assinale a alternativa de modelo de cabelo (penteado ou corte) que você conhece

( ) chapinha ( ) dreadlocks ( ) tranças


( ) rabo-de-cavalo ( ) coque ( ) Black Power
( ) milico ( ) Kojak

8) Qual modelo de cabelo ou penteado que você usa atualmente?

R:________________________________________________________

Muito obrigada por responder!