Está en la página 1de 3

02. QUESTÃO 02.

QUESTÃO
Texto 1 Texto 1
“Transforma-se o amador na cousa amada, “Transforma-se o amador na cousa amada,
Por virtude de muito imaginar; Por virtude de muito imaginar;
Não tenho logo mais que desejar, Não tenho logo mais que desejar,
Pois em mim tenho a parte desejada.” Pois em mim tenho a parte desejada.”

Texto 2 Texto 2
“Faz a imaginação de um bem amado “Faz a imaginação de um bem amado
Que nele se transforme o peito amante; Que nele se transforme o peito amante;
Daqui vem, que a minha alma delirante Daqui vem, que a minha alma delirante
Se não distingue já do meu cuidado.” Se não distingue já do meu cuidado.”
(Luís Vaz de Camões) (Luís Vaz de Camões)
(Cláudio Manuel da Costa) (Cláudio Manuel da Costa)

Comparando os textos 1 e 2, pode-se afirmar que Comparando os textos 1 e 2, pode-se afirmar que
A) o primeiro refere-se ao amor espiritual, platônico; o segundo, ao A) o primeiro refere-se ao amor espiritual, platônico; o segundo, ao
erótico, sensual. erótico, sensual.
B) ambos desenvolvem o tema erótico, sensual, disfarçado em B) ambos desenvolvem o tema erótico, sensual, disfarçado em
pureza de sentimentos. pureza de sentimentos.
C) ambos desenvolvem o mesmo tema: os afetos pela amada, num C) ambos desenvolvem o mesmo tema: os afetos pela amada, num
plano platônico. plano platônico.
D) ambos exprimem decepção amorosa, já que o amor é apenas D) ambos exprimem decepção amorosa, já que o amor é apenas
fruto da imaginação. fruto da imaginação.
E) o segundo ironiza o primeiro, pois a visão de amor neste não E) o segundo ironiza o primeiro, pois a visão de amor neste não
passa de delírio. passa de delírio.

03. QUESTÃO 03. QUESTÃO


“ ‘Vais encontrar o mundo’, disse-me meu pai, à porta do Ateneu. “ ‘Vais encontrar o mundo’, disse-me meu pai, à porta do Ateneu.
‘Coragem para a luta!’ ‘Coragem para a luta!’
Bastante experimentei depois a verdade deste aviso, que me despia, Bastante experimentei depois a verdade deste aviso, que me despia,
num gesto, das ilusões de criança educada exoticamente na estufa num gesto, das ilusões de criança educada exoticamente na estufa
de carinho que é o regime do amor doméstico, diferente do que se de carinho que é o regime do amor doméstico, diferente do que se
encontra fora, tão diferente, que parece o poema dos cuidados encontra fora, tão diferente, que parece o poema dos cuidados
maternos um artifício sentimental, com a vantagem única de fazer maternos um artifício sentimental, com a vantagem única de fazer
mais sensível a criatura à impressão rude do primeiro ensinamento, mais sensível a criatura à impressão rude do primeiro ensinamento,
têmpera brusca da vitalidade na influência de um novo clima têmpera brusca da vitalidade na influência de um novo clima
rigoroso. (…) Eu tinha onze anos.” rigoroso. (…) Eu tinha onze anos.”
O Ateneu, romance do qual foi extraído o fragmento, foi publicado O Ateneu, romance do qual foi extraído o fragmento, foi publicado
em 1888. Sobre esta obra, considerando o autor, a escola literária em 1888. Sobre esta obra, considerando o autor, a escola literária
vigente na época e suas características, pode-se afirmar que vigente na época e suas características, pode-se afirmar que

A) foi escrita por Machado de Assis, em pleno período realista, o A) foi escrita por Machado de Assis, em pleno período realista, o
que pode ser comprovado pelas que pode ser comprovado pelas
ironias presentes no fragmento. ironias presentes no fragmento.
B) seu autor é Raul Pompéia, maior representante do B) seu autor é Raul Pompéia, maior representante do
Parnasianismo, que é uma escola racionalista, e Parnasianismo, que é uma escola racionalista, e
isso se comprova pela quase ausência de adjetivos no fragmento. isso se comprova pela quase ausência de adjetivos no fragmento.
C) é de autoria de Aluísio Azevedo, que também escreveu O C) é de autoria de Aluísio Azevedo, que também escreveu O
cortiço, um outro romance experimentalista, característica básica cortiço, um outro romance experimentalista, característica básica
do Naturalismo. do Naturalismo.
D) é uma das muitas de Machado de Assis, em que o pessimismo e D) é uma das muitas de Machado de Assis, em que o pessimismo e
a análise psicológica da personagem trazem a marca do Realismo. a análise psicológica da personagem trazem a marca do Realismo.
E) é a mais famosa de Raul Pompéia, na qual o autor afasta-se do E) é a mais famosa de Raul Pompéia, na qual o autor afasta-se do
Naturalismo, apesar de manter algumas características desse estilo. Naturalismo, apesar de manter algumas características desse estilo.

04. QUESTÃO 04. QUESTÃO


Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades, Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
Muda-se o ser, muda-se a confiança; Muda-se o ser, muda-se a confiança;
Todo o Mundo é composto de mudança, Todo o Mundo é composto de mudança,
Tomando sempre novas qualidades. Tomando sempre novas qualidades.
Continuamente vemos novidades, Continuamente vemos novidades,
Diferentes em tudo da esperança; Diferentes em tudo da esperança;
Do mal ficam as mágoas na lembrança, Do mal ficam as mágoas na lembrança,
E do bem se algum houve, as saudades. E do bem se algum houve, as saudades.
O tempo cobre o chão de verde manto, O tempo cobre o chão de verde manto,
Que já coberto foi de neve fria, Que já coberto foi de neve fria,
E em mim converte em choro o doce canto. E em mim converte em choro o doce canto.
(…) (…)
(Luís Vaz de Camões) (Luís Vaz de Camões)

Na lírica de Camões, o mundo geralmente é dinâmico, sujeito a Na lírica de Camões, o mundo geralmente é dinâmico, sujeito a
constantes mudanças. Nesse poema, a passagem do tempo constantes mudanças. Nesse poema, a passagem do tempo
A) é causa de inevitável sofrimento para as pessoas. A) é causa de inevitável sofrimento para as pessoas.
B) aparece na natureza como algo imprevisível. B) aparece na natureza como algo imprevisível.
C) põe em relevo a visão platônica do amor. C) põe em relevo a visão platônica do amor.
D) permite ao homem controlar as mudanças da natureza. D) permite ao homem controlar as mudanças da natureza.
E) não atinge o ser humano, pois este é dotado de razão. E) não atinge o ser humano, pois este é dotado de razão.

05. QUESTÃO 05. QUESTÃO


Aqui um regato Aqui um regato
Corria sereno Corria sereno
Por margens cobertas Por margens cobertas
de flores e feno; de flores e feno;
à esquerda se erguia à esquerda se erguia
um bosque fechado, um bosque fechado,
e o tempo apressado, e o tempo apressado,
que nada respeita, que nada respeita,
já tudo mudou. já tudo mudou.
São estes os sítios? São estes os sítios?
São estes; mas eu São estes; mas eu
O mesmo não sou. O mesmo não sou.
Marília, tu chamas? Marília, tu chamas?
Espera, que eu vou. Espera, que eu vou.
As características presentes no texto permitem identificá-lo como As características presentes no texto permitem identificá-lo como
pertencente ao pertencente ao
A) Arcadismo e de autoria de Tomás Antônio Gonzaga. A) Arcadismo e de autoria de Tomás Antônio Gonzaga.
B) Romantismo e de autoria de Álvares de Azevedo. B) Romantismo e de autoria de Álvares de Azevedo.
C) Simbolismo e de autoria de João da Cruz e Sousa. C) Simbolismo e de autoria de João da Cruz e Sousa.
D) Arcadismo e de autoria de Cláudio Manuel da Costa. D) Arcadismo e de autoria de Cláudio Manuel da Costa.
E) Romantismo e de autoria de Gonçalves Dias. E) Romantismo e de autoria de Gonçalves Dias.

06. QUESTÃO A CAROLINA 06. QUESTÃO A CAROLINA


1 Querida, ao pé do leito derradeiro 1 Querida, ao pé do leito derradeiro
2 Em que descansas dessa longa vida, 2 Em que descansas dessa longa vida,
3 Aqui venho e virei, pobre querida, 3 Aqui venho e virei, pobre querida,
4 Trazer-te o coração do companheiro. 4 Trazer-te o coração do companheiro.
5 Pulsa-lhe aquele afeto derradeiro 5 Pulsa-lhe aquele afeto derradeiro
6 Que, a despeito de toda a humana lida, 6 Que, a despeito de toda a humana lida,
7 Fez a nossa existência apetecida 7 Fez a nossa existência apetecida
8 E num recanto pôs o mundo inteiro. 8 E num recanto pôs o mundo inteiro.
9 Trago-te flores – restos arrancados 9 Trago-te flores – restos arrancados
10 Da terra que nos viu passar unidos 10 Da terra que nos viu passar unidos
11 E ora mortos nos deixa e separados. 11 E ora mortos nos deixa e separados.
12 Que eu, se tenho nos olhos malferidos 12 Que eu, se tenho nos olhos malferidos
13 Pensamentos de vida formulados, 13 Pensamentos de vida formulados,
14 São pensamentos idos e vividos. 14 São pensamentos idos e vividos.
(Machado de Assis) (Machado de Assis)
Nesse poema, é correto afirmar que o eu-lírico Nesse poema, é correto afirmar que o eu-lírico
A) comenta com um amigo as saudades que sente da amada, que A) comenta com um amigo as saudades que sente da amada, que
partira para sempre. partira para sempre.
B) dirige-se a sua amada, que se encontra muito doente. B) dirige-se a sua amada, que se encontra muito doente.
C) leva flores à amada como um pedido de reconciliação por C) leva flores à amada como um pedido de reconciliação por
alguma falta cometida. alguma falta cometida.
D) faz uma promessa à beira do túmulo onde jaz a sua amada. D) faz uma promessa à beira do túmulo onde jaz a sua amada.
E) demonstra saudade e arrependimento por não ter tido tempo de E) demonstra saudade e arrependimento por não ter tido tempo de
declarar o seu amor. declarar o seu amor.

07. QUESTÃO 07. QUESTÃO


O paralelismo, uma técnica de construção literária nas cantigas O paralelismo, uma técnica de construção literária nas cantigas
trovadorescas, consistiu em: trovadorescas, consistiu em:
A) unir duas ou mais cantigas com temas paralelos e recitá-las em A) unir duas ou mais cantigas com temas paralelos e recitá-las em
simultaneidade. simultaneidade.
B) um conjunto de estrofes ou um par de dísticos em que sempre se B) um conjunto de estrofes ou um par de dísticos em que sempre se
procura dizer a mesma ideia. procura dizer a mesma ideia.
C) apresentar as cantigas, nas festas da corte, sempre com o C) apresentar as cantigas, nas festas da corte, sempre com o
acompanhamento de um coro. acompanhamento de um coro.
D) reduzir todo o refrão a um dístico. D) reduzir todo o refrão a um dístico.
E) pressupor que há sempre dois elementos paralelos que se E) pressupor que há sempre dois elementos paralelos que se
digladiam verbalmente. digladiam verbalmente.

08. QUESTÃO 08. QUESTÃO


“O incêndio – leão ruivo, ensanguentado, “O incêndio – leão ruivo, ensanguentado,
A juba, a crina atira desgrenhado A juba, a crina atira desgrenhado
Aos pampeiros dos céus!... Aos pampeiros dos céus!...
Travou-se o pugilato... e o cedro tomba... Travou-se o pugilato... e o cedro tomba...
Queimado..., retorcendo na hecatombe Queimado..., retorcendo na hecatomba
Os braços para Deus. Os braços para Deus.
A queimada! A queimada é uma fornalha! A queimada! A queimada é uma fornalha!
A irara – pula; o cascavel – chocalha... A irara – pula; o cascavel – chocalha...
Raiva, espuma o tapir! Raiva, espuma o tapir!
...E às vezes sobre o cume de um rochedo ...E às vezes sobre o cume de um rochedo
A corsa e o tigre – náufragos do medo – A corsa e o tigre – náufragos do medo –
Vão trêmulos se unir!” Vão trêmulos se unir!”
Esse fragmento de poema apresenta características literárias da Esse fragmento de poema apresenta características literárias da
poesia poesia
A) romântica condoreira, pela humanização da natureza, A) romântica condoreira, pela humanização da natureza,
incontinência verbal, e pela presença de hipérboles e metáforas, incontinência verbal, e pela presença de hipérboles e metáforas,
com imagens grandiosas. com imagens grandiosas.
B) ultra-romântica, pelo tom suave e melancólico com que B) ultra-romântica, pelo tom suave e melancólico com que
descreve a destruição da natureza, descambando para o medo, o descreve a destruição da natureza, descambando para o medo, o
pessimismo e a melancolia. pessimismo e a melancolia.
C) barroca, pelo jogo de metáforas, encadeadas através de antíteses C) barroca, pelo jogo de metáforas, encadeadas através de antíteses
e paradoxos, retratando conflito, dúvida, incerteza, ódio e e paradoxos, retratando conflito, dúvida, incerteza, ódio e
religiosidade. religiosidade.
D) arcádica, pelo descritivismo, pela objetividade, ausência de D) arcádica, pelo descritivismo, pela objetividade, ausência de
emoção, e pela identificação entre sentimentos do poeta e a emoção, e pela identificação entre sentimentos do poeta e a
natureza. natureza.
E) da primeira fase romântica brasileira, quando se une a exaltação E) da primeira fase romântica brasileira, quando se une a exaltação
da natureza, sentimentalismo e religiosidade, através de uma da natureza, sentimentalismo e religiosidade, através de uma
linguagem acessível, conforme a simplicidade do tema. linguagem acessível, conforme a simplicidade do tema.

09. QUESTÃO 09. QUESTÃO


“Ah! Não, minha Marília, “Ah! Não, minha Marília,
Aproveite-se o tempo, antes que faça Aproveite-se o tempo, antes que faça
O estrago de roubar ao corpo as forças, O estrago de roubar ao corpo as forças,
E ao semblante a graça!” E ao semblante a graça!”
Os versos acima refletem bem o espírito do Arcadismo. Trata-se de Os versos acima refletem bem o espírito do Arcadismo. Trata-se de
A) “locus amoenus” B) “inutilia truncat”C) “fugere urbem” A) “locus amoenus” B) “inutilia truncat”C) “fugere urbem”
D) “carpe diem” E) “aurea mediocritas” D) “carpe diem” E) “aurea mediocritas”

10. QUESTÃO 10. QUESTÃO


“O Piaga nos disse que breve seria, “O Piaga nos disse que breve seria,
A que nos afliges cruel punição; A que nos afliges cruel punição;
E os teus inda vagam por serras por vales,Buscando um asilo por E os teus inda vagam por serras por vales,Buscando um asilo por
ínvio sertão ínvio sertão
Descobre o teu rosto, ressurjam os bravos, Descobre o teu rosto, ressurjam os bravos,
Que eu vi combatendo no albor da manhã; Que eu vi combatendo no albor da manhã;
Conheçam-te os feros, confessem vencidos Conheçam-te os feros, confessem vencidos
Que és grande e te vingas, que és Deus, ó Tupã! Que és grande e te vingas, que és Deus, ó Tupã!
Nas estrofes acima, é possível reconhecer o estilo de: Nas estrofes acima, é possível reconhecer o estilo de:
A) Gonçalves Dias B) José de Alencar A) Gonçalves Dias B) José de Alencar
C) Castro Alves D) Tomás Antônio Gonzaga C) Castro Alves D) Tomás Antônio Gonzaga
E) Padre Anchieta E) Padre Anchieta

12. QUESTÃO 12. QUESTÃO


Dos poetas românticos abaixo, a indicação dos temas Dos poetas românticos abaixo, a indicação dos temas
predominantes em suas obras está corretamente indicada em predominantes em suas obras está corretamente indicada em
A) Casimiro de Abreu - preocupações sociais, indianismo A) Casimiro de Abreu - preocupações sociais, indianismo
B) Gonçalves Dias- religiosidade e exaltação à morte B) Gonçalves Dias- religiosidade e exaltação à morte
C) Fagundes Varela – lembrança da pátria e da infância C) Fagundes Varela – lembrança da pátria e da infância
D) Castro Alves – fuga da realidade, idealização da infância D) Castro Alves – fuga da realidade, idealização da infância
E) Alvares de Azevedo – negativismo boêmio, exaltação da morte E) Alvares de Azevedo – negativismo boêmio, exaltação da morte

14. QUESTÃO 14. QUESTÃO


Assinale a alternativa correta em relação ao Quinhentismo Assinale a alternativa correta em relação ao Quinhentismo
brasileiro. brasileiro.
A) É um período bastante produtivo da literatura brasileira, com A) É um período bastante produtivo da literatura brasileira, com
importantes poetas exaltando as qualidades da nova terra. importantes poetas exaltando as qualidades da nova terra.
B) É o primeiro movimento literário ocorrido no Brasil, tendo B) É o primeiro movimento literário ocorrido no Brasil, tendo
como destaque o poeta Basílio da Gama. É uma escola de exaltação como destaque o poeta Basílio da Gama. É uma escola de exaltação
do sentimento de brasilidade. do sentimento de brasilidade.
C) É um período em que não se pode falar numa literatura C) É um período em que não se pode falar numa literatura
brasileira, e sim em literatura ligada ao Brasil mas que reflete as brasileira, e sim em literatura ligada ao Brasil mas que reflete as
ambições e intenções do homem europeu. ambições e intenções do homem europeu.
D) É composta de crônicas de viagem e de uma vasta produção D) É composta de crônicas de viagem e de uma vasta produção
jesuítica, com objetivos de descrever o interior do Brasil e jesuítica, com objetivos de descrever o interior do Brasil e
converter índios e negros à fé católica. converter índios e negros à fé católica.
E) É uma fase inicial da nossa literatura, mas essencial para a E) É uma fase inicial da nossa literatura, mas essencial para a
formação cultural brasileira pela qualidade dos poemas e romances formação cultural brasileira pela qualidade dos poemas e romances
nela produzidos. nela produzidos.