Está en la página 1de 41

DIOCESANO DE BRAGANÇA

FORMAÇÃO DE DISCÍPULOS-LÍDERES

APASCENTAI COMIGO O MEU POVO

ROTEIROS DE ENSINOS
E DE PLANEJAMENTOS PARA O PASTOREIO
Este material foi cedido pelo próprio autor ao Ministério de
Formação Diocesano da Rcc de Bragança

DERCIDES PIRES DA SILVA


APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 2

FORMAÇÃO DE DISCÍPULOS-LÍDERES

APASCENTAI COMIGO O MEU POVO

ROTEIROS DE ENSINOS
E PLANEJAMENTOS PARA O PASTOREIO

ÍNDICE

TEMAS PÁGINAS
JESUS, O BOM PASTOR 04
O SERVIÇO DO PASTOREIO 07
PRESSUPOSTOS PARA UMA BOA PARTILHA 12
REGRAS PARA UMA BOA ESCUTA 14
REGRAS PARA UMA BOA REVELAÇÃO DE SI MESMO 17
PRÁTICAS DE INCENTIVO À BOA COMUNICAÇÃO 21
METODOLOGIA DO PASTOREIO 24
CARISMA DO PASTOREIO 27
DINÂMICAS 30
PLANOS DE PASTOREIO PESSOAIS 34
ANEXOS CADASTRO PARA GRUPOS DE ORAÇÃO E MINISTÉRIOS 37
CADASTRO PARA INICIANTES DO GRUPO DE ORAÇÃO 38
FORMULÁRIO DE AVALIAÇÕES 39

2
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 3

APASCENTAI COMIGO O MEU POVO

15 “Tendo eles comido,


Jesus perguntou a Simão Pedro:
Simão, filho de João, amas-me mais do que estes?
Respondeu ele: Sim, Senhor, tu sabes que te amo.
Disse-lhe Jesus: Apascenta os meus cordeiros.

16 Perguntou-lhe outra vez:


Simão, filho de João, amas-me?
Respondeu-lhe: Sim, Senhor, tu sabes que te amo.
Disse-lhe Jesus: Apascenta os meus cordeiros.

17 Perguntou-lhe pela terceira vez:*


Simão, filho de João, amas-me?
Pedro entristeceu-se porque lhe perguntou pela terceira vez:
Amas-me?, e respondeu-lhe:
Senhor, sabes tudo, tu sabes que te amo.
Disse-lhe Jesus: Apascenta as minhas ovelhas.”
(João 21,15-17)

..........//\\..........

“... como um cordeiro que se conduz ao matadouro, e uma ovelha muda nas
mãos do tosquiador...” (Is 53,7)
“Eis o Cordeiro de Deus...” (Jo 1,29)
Um dos segredos para se realizar um bom pastoreio é também ser pastoreado,
é também ser ovelha. Jesus, a ovelha primogênita do Pai, já nos deu o
exemplo, já fez a sua parte. Agora é chegada a nossa vez. Vamos lá!

3
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 4

PRIMEIRO TEMA
JESUS, O BOM PASTOR
I - INTRODUÇÃO
(Pedir oração)
1. APRESENTAÇÃO DO FORMADOR
- _____________________________________________
2. MOTIVAÇÃO
a) A obra do pastoreio é fascinante. É magnífico ver como Deus cuida de nós. É
maravilhoso ver como Deus formou o povo eleito na escola do pastoreio.
b) Os cristãos herdaram todo o pastoreio de Israel. Falta-nos tomar posse dele.
c) Abrir o coração para o carisma do pastoreio
3. APRESENTAÇÃO DO ENSINO
a) TEMA: JESUS, O BOM PASTOR
b) Itens:
b.1) Jesus e o pastoreio
b.2) Jesus ensina os Apóstolos a pastorear
b.3) Jesus envia os Apóstolos para o pastoreio
b.4) A Igreja Primitiva e o Pastoreio
II - DESENVOLVIMENTO
1. JESUS E O PASTOREIO
a) Visão do pastoreio em Israel
- Deut 26,5: experiência dos arameus nômades
- Libertação do Egito e travessia do deserto
= Chamado de Moisés (Êxodo 3,7-12)
= Libertação do cativeiro (Êxodo 4-14)
= De noite uma coluna de fogo, de dia uma nuvem (Êxodo 13,21; 14,19b; 40,36-
38: no simbolismo da nuvem (água) e do fogo é o Espírito Santo quem conduz o
povo).
- Javé, Pastor:
= Jacó diz que Javé é o seu Pastor (Gênesis 48,15)
= Isaías 40,11; 49,10; Oséias 4,16; Jeremias 13,17
= Salmo 22/23,1 e 79/80,2
b) O pastoreio de Jesus
- Está inserido na tradição de Israel (os juízes e chefes do povo recebem o título de
pastor: 2º Sm 7,7; Jer 2,8).
- Jesus é o pastoreio visível de Javé (Ele é Deus)
- Jesus se compadece pelas ovelhas sem pastor (Mateus 9,36)

4
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 5

- Jesus busca as ovelhas perdidas (Mateus 10,6; 15,24; Lucas 15,4-7; 19,10).
- Jesus consola as ovelhas sofridas (Lucas 12,32; LER).
- Jesus alimenta as ovelhas:
= Com pão material (João 6,1-14);
= Com Pão Espiritual (João 6,32-35);
= Com Pão da Palavra (João 4,27-32).
2. JESUS SE REVELA COMO O BOM PASTOR
a) Deus se revela no contexto de um grande pastoreio
- Gênesis 4,2 (começo) Nasceu Abel, um pastor.
- Apocalipse 19,15 (passa por toda a Bíblia).
- Mateus 25, 31-46 (chega ao fim escatológico).
- A história da salvação se desenvolve no contexto de um grande pastoreio.
- Jesus, o Bom Pastor (Jo 10,11).
b) Jesus ensina os Apóstolos a pastorear
- Os discípulos aprendiam ouvindo o mestre (Lc 15,4-6).
- Os discípulos aprendiam vendo o Mestre fazer
= Jesus pastoreava:
 Buscando as ovelhas perdidas e curando as feridas (Mateus 4,23; 9,35; Lucas
4,18-19; 6,17-19; 15,4-7);
 Perdoando pecados (Marcos 2,5; Lucas 7,48);
 Arrebanhando as ovelhas transviadas (Lucas 19,1-10);
c) Os discípulos aprendiam fazendo
- Dando de comer ao povo (Marcos 6,37: “Dai-lhes vós mesmos de comer.”).
- Operando curas e milagres (Mateus 10,1; Lucas 10,17).
- Aprendendo o amor, o perdão, a misericórdia e a compreensão (Lucas 9,54-55;
Marcos 9,38-40).
3. JESUS ENVIA OS APÓSTOLOS PARA O PASTOREIO
- Mateus 10,6: “Dirigi-vos antes às ovelhas perdidas da casa de Israel”.
- Lucas 10,3 “Ide, eis que vos envio como ovelhas no meio de lobos”.
- Marcos 16,15-18; João 21,15-17.
4. A IGREJA PRIMITIVA E O PASTOREIO
a) Pedro (instituído por Jesus) João 21,15-17.
b) Tiago (Bispo de Jerusalém) e Paulo (Pastor dos gentios)

III - CONCLUSÃO
1. RESUMO
a) Recapitulação (retomar itens)
b) Avaliação (indagações, sanar dúvidas, complementar, etc.)

5
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 6

c) Fecho (fixação-síntese)
- Que magnífico é perceber e enxergar a obra de Jesus no contexto de um grande
pastoreio. O amor de Deus se realça muito mais quando vemos isso. Poderemos até
mudar o foco de nossa missão, e assim nos tornarmos pais espirituais responsáveis
pelas ovelhas que geramos na fé.
2. CHAMADO À AÇÃO
3. ORAÇÃO FINAL
- Orar, pedindo ao Espírito Santo que nos dê o dom do entendimento para
compreendermos o pastoreio de Jesus e o que Ele nos envia a fazer como servos do
pastoreio.
Amém. Deus os abençoe. Muito obrigado.

6
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 7

SEGUNDO TEMA
O SERVIÇO DO PASTOREIO
I - INTRODUÇÃO
(Pedir oração)
1. APRESENTAÇÃO DO FORMADOR
- _____________________________________________
1. MOTIVAÇÃO
a) Participar concretamente da salvação dos filhos de Deus.
b) Participar do crescimento dos irmãos, até que atinjam a estatura de Jesus, o varão perfeito (Ef
4,13-14).
c) Colaborar na proteção dos irmãos contra os lobos e maus pastores.
# Citar exemplos (aventureiros religiosos)
2. APRESENTAÇÃO DO ENSINO
a) TEMA: O SERVIÇO DO PASTOREIO
a) Itens:
b.1) Conceito
b.2) Recomendações
b.3) O Servo do pastoreio
b.4) Maus pastores
b.5) Bons pastores
II - DESENVOLVIMENTO
1. CONCEITO
a) A Ovelha
- Animal dependente do pastor para viver bem e para ter vida longa
= Visão curta (não enxerga tão bem quanto outros animais).
- Não encontra boa comida, come ervas daninhas, comem exageradamente
- Medrosas (O pastor tem que dormir com ela).
- Indefesa:
= Não tem senso do perigo:
 Cai nos buracos existentes nos pastos (“ovelha vai com as outras”).
 Ao ataque do lobo, berra, berra, mas não corre, pois não enxerga para onde ir.
- Dócil
b) O Serviço do Pastoreio
- Serviço prestado pelo próprio Deus ao povo de Israel (Salmo 22/23). Significava
os cuidados que o Senhor dedicava para proteger Israel e transformá-lo em povo de
Deus.

7
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 8

- Missão de Jesus : Buscar a ovelha perdida (Mt 10,6; Lc 4,18: Curar as ovelhas
cegas, mudas e surdas; libertar as cativas, sarar as enfermas, restaurar a paz das
ovelhas entre elas mesmas e delas com o Pastor).
- Missão que Jesus entregou à Igreja (Jo 21,15-17; Ef 4,11)
= Doc. 45 da CNBB, capítulo IV, n° 1: “A valorização da pessoa é um ponto central da
antropologia cristã, da prática de Jesus e da tradição eclesial, desde os primeiros séculos até
os desenvolvimentos recentes do magistério e da teologia.”
= Doc. 45 da CNBB, capítulo IV, n° 177:
= “Importância especial seja dada ao acolhimento às pessoas...”.
- Doc 45 da CNBB, capítulo IV n° 179 e 181:
= “A acolhida poderá traduzir-se também em formas sistemáticas e organizadas...”.
= Ao acolhimento segue o acompanhamento. (...):
- O serviço do pastoreio é, portanto, a ajuda que se presta aos necessitados, no
campo da evangelização, preferencialmente para o indivíduo, ou para pequenos
grupos familiares, em forma de anúncio da Boa Nova, catequese, ajuda espiritual,
ajuda psicológica, ajuda financeira, escuta.
2. RECOMENDAÇÕES
- Documento 45 da CNBB, capítulo IV, n° 177:
* “Importância especial seja dada ao acolhimento às pessoas. Para isso algumas
medidas podem ser postas em prática: ‘Ministério da Acolhida’, visitas às famílias
que chegam; visitas domiciliares nos momentos de alegria ou de tristeza; postura
acolhedora, alegre, disponível e bem humorada...”.
- Documento 45 da CNBB, capítulo IV, n° 179:
* “A acolhida poderá traduzir-se também em formas sistemáticas e organizadas:
aconselhamento, com a colaboração de pessoas especificamente preparadas...
- Documento 45 da CNBB, capítulo IV, n° 181:
* Ao acolhimento segue o acompanhamento. Após o primeiro anúncio, haja
continuidade de contatos para envolver a pessoa na vida da comunidade eclesial.”
3. O SERVO DO PASTOREIO
- O bispo : (Jo 21,15-17; Ef 4,11; CIC, Cân. 369a)
- O presbítero (Êx 18,13-26 => Moisés e Jetro; CIC, Cân. 369b)
- O LEIGO :
= CVII, 1334, 1335, 1338; CIC, Cân. 228, 230 § 3°; Christifideles Laici,
4. MAUS PASTORES
a) O que fazem (Ez 34, e Jo 10)
- Cuidam dos seus próprios interesses (pasto)
- Não pastoreiam o rebanho
- Exploram as ovelhas (servem-se delas) sem nutri-las
= bebem o seu leite, matam-nas, comem-nas
- Não fortalecem as fracas – não tratam a doente – Não curam a ferida

8
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 9

- Não reconduz a transviada – Não procuram a ferida


- Tratam as ovelhas com violência e dureza
- Entregam as ovelhas aos lobos e outras feras
- São mercenários (esperam sempre uma recompensa)
- Quando o lobo se aproxima, fogem, abandonam as ovelhas (LOBO SÃO OS MOMENTOS
DIFÍCEIS – TENTAÇÕES DO MALIGNO)
- Não se importa com as ovelhas
b) Destino (dos maus pastores): Ez 34,10
- Castigo severo (Lucas 17,1-3a)
- Escândalo no pastoreio:
“Escandalizar significa fazer cair, ser para alguém ocasião de queda. O escândalo é,
concretamente, a armadilha que se põe no caminho do inimigo para faze-lo cair. Na verdade,
há muitas maneiras de ‘fazer cair’ alguém, no domínio religioso: a tentação provocada por
Satanás ou pelos homens.
O homem é escândalo para seu irmão quando procura o arrastá-lo para longe da fidelidade
a Deus. Quem abusa da fraqueza do irmão, ou do poder recebido de Deus sobre ele, para
afasta-lo da Aliança, é culpado para com seu irmão e para com Deus. Deus abomina os
príncipes que afastaram o povo de seguir a Javé: Jeroboão (1º Reis 14,16; 15,30l.34), Acab e
Jezabel (1º Reis 21,22.25), e igualmente os que quiseram arrastar Israel ao declive da
helenização; fora da verdadeira fé (2º Mc 4,7...). São pelo contrário dignos de louvor aqueles
que resistem ao escândalo para guardar a fidelidade à Aliança (Jr 35).
Esse escândalo pode até vir do próprio discípulo: por isso Jesus vigorosamente exige sem
contemplações a renúncia a tudo que possa causar obstáculo ao reino de Deus: ‘se teu olho te
escandaliza, arranca-o e joga-o longe de ti (Mt 5,29s; 18,8s).
A exemplo de Jesus que não queria perturbar as pessoas desta terra (Mt 17,27), Paulo quer
que se evite escandalizar as consciências fracas e pouco formadas: ‘Tomai cuidado que a
liberdade de que usais não se torne uma ocasião de queda para os fracos’ (1ª Cor 8,9; Rm
14,13-15.20). A liberdade cristã só é autêntica se está penetrada de caridade (Gl 5,13); a fé não
é verdadeira senão quando sustenta a fé dos irmãos (Rm 14,1-23)”. Vocabulário de Teologia
Bíblica, Vozes, 1992, pp. 279-281.
“(II) Subjetivamente há escândalo quando o homem tem más intenções (Mt 18,6). Sobre
esse escândalo Jesus julga com muita severidade, sobretudo quando causa a perdição de
crianças (Mt 18,6). Escândalo pode ser causado por pessoas ou coisas que, sem serem más em
si, são condenáveis por causa das circunstâncias; quando isso é o caso, uma atitude enérgica é
necessária, para impedir realmente os efeitos funestos (Mt 18,6). Alguém pode dar escândalo
sem saber: S. Pedro, p. ex., é severamente repreendido, por querer afastar a cruz da vida de
Jesus (Mt 16,23). É preciso estar disposto a desistir de coisas que, embora boas em si, possam
escandalizar os pusilânimes (Rm 14,13-21)”. Dicionário Enciclopédico da Bíblia, Vozes, 1992,
p. 463.
= EXEMPLO DE JESUS PARA NÃO ESCANDALIZAR (MATEUS 17,24-26).
5. BONS PASTORES
a) Necessidade de Bons Pastores
a.1) Os 4,1-6:
- Os pastores que não pastoreiam tomam sobre si a culpa dos pecados das ovelhas.

9
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 10

- O povo se perde por falta de conhecimento.


a.2) Ez 34, 5.8.10.18-21 - CONSEQÜÊNCIAS DA FALTA DE PASTOREIO:
- Destituição do pastoreio (Os maus pastores são arrancados do pastoreio)
- Devolução das ovelhas (Os maus pastores devolvem as ovelhas)
- Dispersão das ovelhas – Presa (pasto, alimento) das feras
- Entregues à pilhagem – Exploradas pelos próprios maus pastores
- As ovelhas se voltam umas contra as outras – Castigo dos maus pastores
- O Senhor retoma suas ovelhas dos maus pastores
a.3) Deus Pai, depois Jesus, se colocam como bons pastores, no lugar dos maus
- Ez 34,11-15
- Jo 10,11-16 (JESUS, O BOM PASTOR)
b) Tarefas do bom pastor (o que ele faz)
b.1) Ez 34,11-27
- Toma pessoalmente o cuidado das ovelhas
- Vela sobre as ovelhas
- Inquieta-se pelas ovelhas
- Reconduz a ovelha dispersa
- Conduz as ovelhas ao melhor alimento (Eucaristia, Palavra de Deus, Sagrada Tradição,
Doutrina da Igreja)
- Conduz as ovelhas à melhor fonte (Jesus nos dá o Espírito Santo, Água Viva)
- Conduz as ovelhas ao repouso e as faz repousar (dorme com elas)
- Cura as ovelhas
- Coloca a paz entre as ovelhas
- Leva as ovelhas à unidade
- Faz a paz com as ovelhas
- Abençoa as ovelhas
- Liberta as ovelhas
b.2) Jo 10,11-16
- Expõe a vida e a dá pelas ovelhas
- Conhece as ovelhas
- Faz-se conhecido pelas ovelhas
- Conduz as ovelhas
- Leva as ovelhas à unidade
III - CONCLUSÃO
1. RESUMO
a. Recapitulação (retomar itens)
b. Avaliação (indagações, sanar dúvidas, complementar, etc.)
c. Fecho (fixação-síntese)

10
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 11

- O pastoreio é um dos trabalhos mais importantes e necessários da obra de


evangelização. A sua ausência, ou sua má execução, prejudica, quando não destrói
totalmente, o anúncio da Boa Nova.
- Deus, o Bom Pastor da Antiga Aliança, enviou Jesus, o nosso Bom Pastor. Jesus
enviou a Igreja, que por sua vez nos envia para continuar o pastoreio.
- O Senhor abomina o mau pastor. Ele quer bons pastores. Para sermos bons servos
do pastoreio basta sermos como Ele. Ele é o Bom Pastor, deu-nos o seu exemplo, e
nós somos seus discípulos (Jo 13,13-14; Lc 6,40).
2. CHAMADO À AÇÃO
- Portanto, decidamos agora, já, a aceitar o chamado de Jesus para colaborarmos em sua
missão de pastoreio. Peçamos a Ele que nos ensine a sermos bons pastores como Ele.
3. ORAÇÃO FINAL
- Orar, pedindo ao Espírito Santo o dom do entendimento para compreendermos sua
vontade para nós no serviço do pastoreio.
Amém. Deus os abençoe. Muito obrigado.

11
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 12

TERCEIRO TEMA
PRESSUPOSTOS PARA UMA BOA PARTILHA
I - INTRODUÇÃO
(Pedir oração)
1. APRESENTAÇÃO DO FORMADOR
2. MOTIVAÇÃO
a) A partilha é libertadora
b) A partilha é eficaz dinâmica de cura
c) A partilha é útil para o crescimento humano e espiritual.
3. APRESENTAÇÃO DO ENSINO
a) TEMA: PRESSUPOSTOS PARA UMA BOA PARTILHA (págs. 19 a 38 do Livro
Arrancar Máscaras! Abandonar Papéis!)
b) Itens:
b.1) EMPENHO NA COMUNICAÇÃO
b.2) PARTILHA É TROCA DE DÁDIVAS
b.3) HONESTIDADE COM A GENTE MESMO

II - DESENVOLVIMENTO
1. EMPENHO NA COMUNICAÇÃO
a) Na partilha se dá uma parte de si. (Esta tarefa não é fácil, por isso é preciso se empenhar).
- A doação de si, na partilha, se faz por meio da comunicação
- Comunicação é um ato exigente
- Para se comunicar não se pode temer a derrota e nem dela fugir
b) A MOTIVAÇÃO no ato de se comunicar
- É fundamental
- Exerce um imenso poder no ânimo de quem precisa partilhar
2. PARTILHA É TROCA DE DÁDIVAS
Eu sou um presente para o outro e o outro é um presente para mim
Características dos presentes:
- Bem empacotados
- Mal embalados
- Rasgados
- Agradáveis
- Desagradáveis
A pessoa como presente

12
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 13

- Ler e comentar citação do livro O FIO DA NAVALHA, transcrita na página 27 do


livro ARRANCAR MÁSCARAS! ABANDONAR PAPÉIS!
Coisas que impedem de acolher a pessoa como sendo um presente:
- Preconceitos, apegos, medos, traumas, crenças, ressentimentos, antipatias,
pecados.
3. HONESTIDADE COM A GENTE MESMO
a) A viagem mais fascinante é caminhar no próprio coração
- Para se conhecer.
- Meios para caminhar no próprio no coração:
= Oração pessoal;
= Meditação (medir-se comparando-se com o Evangelho e os santos).
b) Obstáculos à viagem interior
- Rejeição de si mesmo (temer o que se vai encontrar);
- Complexos;
- Traumas;
- Preguiça;
- Não entender a importância de conhecer a si mesmo (LER MATEUS 7,12 e 15,18-
19);
- MÁSCARAS.
c) Objetivo da honestidade com a gente mesmo:
- IDENTIFICAR AS MÁSCARAS (PAPÉIS) E ARRANCÁ-LOS (LISTA DE
PAPÉIS NAS PÁGS. 34 E 35 DO LIVRO ARRANCAR MÁSCARAS!
ABANDONAR PAPÉIS!).
= (A FALSIDADE IMPEDE A BOA COMUNICAÇÃO, POIS O OUTRO A
PERCEBE)
II I- CONCLUSÃO
1. RESUMO
a. Recapitulação (retomar itens)
b. Avaliação (indagações, sanar dúvidas, complementar, etc.)
c. Fecho (fixação-síntese)
- NESTE ENSINO PERCEBEMOS QUE A BOA COMUNICAÇÃO É UM GRANDE
DESAFIO E QUE A BOA PARTILHA PASSA NECESSARIAMENTE PELA BOA
COMUNICAÇÃO.
- O CRISTÃO NÃO É DERROTADO POR DESAFIOS. DESAFIOS EXISTEM
PARA SEREM VENCIDOS.
2. CHAMADO À AÇÃO
3. ORAÇÃO FINAL
- Orar pedindo ao Espírito Santo que nos dê os dons da comunicação interpessoal e
da partilha.
Amém. Deus os abençoe. Muito obrigado.

13
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 14

QUARTO TEMA
REGRAS PARA UMA BOA ESCUTA
I - INTRODUÇÃO
(Pedir oração)
1. APRESENTAÇÃO DO FORMADOR
2. MOTIVAÇÃO
a) A escuta, bem feita, é um eficaz meio de libertação e cura do irmão
b) Testemunho de uma cura interior por meio da partilha
c) Deus quer aliviar o sofrimento de muitos por meio de nossa escuta
d) Quando somos canal de libertação e cura, Deus nos dá a recompensa do profeta: paz, júbilo
espiritual (Lc 10,17-20)
3. APRESENTAÇÃO DO ENSINO
a) TEMA: REGRAS PARA UMA BOA ESCUTA
b) Itens:
b.1) Zelo para com aquele que pertence a Deus
b.2) Estar presente e disponível
b.3) Aceitar a ovelha como ela é
b.4) Apreender o interior do irmão
b.5) Não adivinhar os pensamentos do irmão
b.6) Expressar reações empáticas
b.7) Esclarecer a partilha (mensagem)
b.8) Oferecer sugestões
b.9) Evitar bloqueios à comunicação
b.10) Agradecer explicitamente (verbalmente) a quem se revela

II - DESENVOLVIMENTO
1. ZELO PARA COM AQUELE QUE PERTENCE A DEUS
a) A cruz de Jesus é a medida do zelo de Deus por quem lhe pertence.
b) Deus ama até o ciúme a quem lhe pertence (Tiago 4,5).
c) Sigilo “SACRAMENTAL” da partilha
d) Não fazer ao outro o que não quer para si (Mt 7,12)
e) Como devo cuidar do filho de um deus, do nosso Deus?
- Como se fosse um outro Cristo, um verdadeiro filho de Deus.
2. ESTAR PRESENTE E DISPONÍVEL
a) Estar presente
= De corpo e espírito

14
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 15

= A percepção do outro desmascara nossa “ausência”


b) Estar disponível
= Vazio de si; desligado dos problemas (pessoais ou não)
3. ACEITAR A OVELHA COMO ELA É
- Respeitar o processo do outro
= HISTÓRIA DA ORIENTADORA NO HOSPITAL (páginas 80 e 81 do livro Arrancar
Máscaras! Abandonar Papéis!).
4. APREENDER O INTERIOR DO IRMÃO
Ir para além das aparências
- Conteúdo da partilha; contexto da partilha; ouvir o conteúdo e o contexto
- Ouvir a pessoa que fala (NÃO OUVIR SOMENTE A PARTILHA) penetrar nas
entrelinhas
5. NÃO ADIVINHAR OS PENSAMENTOS DO IRMÃO
- Adivinhação é julgamento; julgamento destrói a partilha e o irmão
6. EXPRESSAR REAÇÕES EMPÁTICAS
- Empatia: Tendência para sentir o que sentiria caso estivesse na situação e
circunstância experimentadas por outra pessoa (Dicionário Aurélio)
- Reações empáticas (exemplos):
= huumm!!! – Tudo bem! – Entendo! – Sei o que sente! – Balançar a cabeça, em
sinal de aprovação, em sinal de acolhimento
- Desafio para a empatia: lembrar que as pessoas não são como nós
- Utilidades das reações empáticas:
= Desarma o irmão de sua desconfiança e dos seus medos
= Predispõe o irmão para a partilha
- Condições para a existência da empatia:
= Amor e misericórdia
7. ESCLARECER A PARTILHA (MENSAGEM)
- Só haverá partilha se entendermos o que o outro nos diz
- Desejo sincero de entender o outro
- Gentileza e paciência com o irmão (lembrar-se do processo de cada um)
- Quando não entender, indagar (com amor) até esclarece
8. OFERECER SUGESTÕES
- NÃO DAR receitas
- Remover a máscara de professor
- Ninguém nos pertence
- Deus nos criou livres
9. EVITAR BLOQUEIOS À COMUNICAÇÃO
- Bloqueios impedem a comunicação

15
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 16

- Exemplos de bloqueios
= Conselhos (O que você devia fazer é)
= Competição (Achar-se melhor do que a ovelha)
= Computação (Frieza; só dá sugestões bem fundamentadas; deixa a impressão de
que são perfeitos)
= Distração (A ovelha está falando de determinado assunto... o servo do pastoreio
entra com outro)
= Divagação (Corpo presente, coração ausente)
= Filtro (O ouvinte foge daquilo que o incomoda)
= Saco de aniagem (Solta-se sobre a ovelha tudo o que tem contra ela)
= Identificação (Para cada situação partilhada, acha como se colocar-se no
lugar da ovelha, para falar de seus problemas “parecidos”)
= Denominação (Para cada pessoa ouvida já se tem um rótulo)
= Desconsideração (Escuta por escutar, “não está nem aí”)
= Conciliação (Só concorda, só concorda, só concorda; é dono da máscara de
bonzinho; em grande parte das partilhas não ajuda)
= Resposta ensaiada (Enquanto o outro fala, o ouvinte prepara uma boa resposta,
por isso não ouve de verdade)
= Sarcasmo (Cortar a carne)
10. AGRADECER EXPLICITAMENTE (VERBALMENTE) A QUEM SE REVELA
- Quem confia em nós ao ponto de partilhar conosco, está nos dando o que de mais
precioso possui, ou seja, a si mesmo, a sua dignidade, os seus segredos, a sua
honra.

III - CONCLUSÃO
1. RESUMO
a. Recapitulação (retomar itens)
b. Avaliação (indagações, sanar dúvidas, complementar, etc.)
c. Fecho (fixação-síntese)
- Estamos percebendo neste encontro que a partilha, a comunicação verdadeira não é
fácil, porém é possível e necessário que aconteça, para o nosso próprio bem. É por
isso que é tão urgente dominarmos estas regras da boa escuta, e, mais importante
ainda, praticá-las.
2. CHAMADO À AÇÃO
3. ORAÇÃO FINAL
- Orar pedindo ao Espírito Santo que nos dê o dom de ouvir o irmão em partilha.
Amém. Deus os abençoe. Muito obrigado.

16
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 17

QUINTO TEMA
REGRAS PARA UMA BOA REVELAÇÃO DE SI MESMO
I - INTRODUÇÃO
(Pedir oração)
1. APRESENTAÇÃO DO FORMADOR
2. MOTIVAÇÃO
a) A partilha, bem feita, é um eficaz meio de cura e libertação.
b) Deus se serve dos nossos irmãos para aliviar o nosso sofrimento.
c) Curados e libertados viveremos melhor nossa vocação de filhos de Deus e seremos
felizes.
3. APRESENTAÇÃO DO ENSINO
a) TEMA: REGRAS PARA UMA BOA REVELAÇÃO DE SI MESMO
b) Itens:
b.1) ASSUMIR A RESPONSABILIDADE PELAS PRÓPRIAS AÇÕES E REAÇÕES
b.2) FALAR APENAS POR SI MESMO
b.3) PARTILHAR SENTIMENTOS SIGNIFICATIVOS
b.4) CORAGEM PARA PARTILHAR A VULNERABILIDADE PESSOAL
b.5) EXPRESSAR GRATIDÃO AOS NOSSOS OUVINTES
II - DESENVOLVIMENTO
1. ASSUMIR A RESPONSABILIDADE PELAS PRÓPRIAS AÇÕES E REAÇÕES
a) REAGIR X AGIR
- Explicar a diferença entre ação e reação
b) Jesus dá ao cristão a capacidade de agir conduzido pelo Espírito Santo
c) Fazer afirmações no pronome “EU”.
d) Não culpar o outro pelos próprios sentimentos
= únicas soluções reais que conheço: CURA INTERIOR E CONVERSÃO
e) Obstáculo a vencer: MANIA DE ACUSAÇÃO
- SOMOS “FORMADOS” PARA SERMOS ACUSADORES
= Para esconder nossos fracassos e erros
= Para sermos aceitos
2. FALAR APENAS POR SI MESMO
a) Falar a própria verdade (apenas)
- Deixar isso claro no ato da comunicação
b) Não ser dono da verdade
- Dinâmica do cartaz de duas faces.
3. PARTILHAR SENTIMENTOS SIGNIFICATIVOS

17
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 18

a) Diferença entre pensamentos, opiniões, opções e sentimentos


b) No sentimento se põe a vida (consistência interior)
c) Partilhar os sentimento positivos (afirmativos) e os negativos.
- DEPENDEMOS DAS EMOÇÕES AFIRMATIVAS UNS DOS OUTROS
(SINCERAMENTE, SEM SEGUNDAS INTENÇÕES)
- A PARTILHA DEVE SER COMUNICAÇÃO (pág. 53 do Livro Arrancar Máscaras!
Abandonar Papéis!)
= DESABAFO NÃO É COMUNICAÇÃO, MANIPULAÇÃO NÃO É
COMUNICAÇÃO, BAJULAÇÃO NÃO É COMUNICAÇÃO
= COMUNICAÇÃO, NA PARTILHA, É DOAÇÃO DE SI, COM SINCERIDADE E
ACOLHIMENTO DO OUTRO, COM RESPEITO, AMOR E CARIDADE; O
OUTRO É UMA JÓIA, UM PRESENTE VIVO.
4. CORAGEM PARA PARTILHAR A VULNERABILIDADE PESSOAL
a) A falsidade é monstro a nos devorar
- Exige de nós muito esforço para mantê-la
- É fruto de nosso ego ferido, de nossa alma ferida, de nosso medo de não sermos
acolhidos, de nossa tendência para o pecado.
= Adão e Eva
b) Na partilha nos defrontamos com as seguintes áreas internas, conhecidas como janelas
de Johari:

18
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 19

JANELAS DE JOHARI
OS OUTROS VÊEM OS OUTROS NÃO VÊEM

EU VEJO ÁREA LIVRE ÁREA OCULTA

EU NÃO VEJO ÁREA CEGA ÁREA ESCURA

SITUAÇÃO IDEAL
OS OUTROS VÊEM OS OUTROS NÃO VÊEM

ÁREA
EU VEJO ÁREA OCULTA

LIVRE
EU NÃO VEJO ÁREA CEGA ÁREA ESCURA

QUANDO MAIOR FOR NOSSA ÁREA LIVRE, MAIS LIBERDADE TEREMOS


NO PARTILHAR E MAIS FELIZES SEREMOS.
5. EXPRESSAR GRATIDÃO AOS NOSSOS OUVINTES
- NOSSA GRATIDÃO:
= expressa nosso reconhecimento
= gera no ouvinte boa vontade para escutar
- ... AFINAL NÃO SABEMOS QUE TIPO DE PRESENTE NÓS SOMOS!

III - CONCLUSÃO
1. RESUMO
a. Recapitulação (retomar itens)
b. Avaliação (indagações, sanar dúvidas, complementar, etc.)
c. Fecho (fixação-síntese)

19
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 20

- Terminamos de ver as regras para uma boa revelação de si mesmo. São de


fundamental importância para nosso crescimento humano e espiritual. Constatamos
que são simples e possíveis de serem aplicadas. Agora, nossa partilha depende de
cada um de nós, de nosso empenho para obtermos uma boa comunicação.
LEMBRANDO QUE TUDO DEVEMOS FAZER PARA GLORIFICAR O NOME
DO SENHOR E DEPENDENDO DO ESPÍRITO SANTO, ASSIM COMO
PEDINDO E CONTANDO COM SUA AJUDA.
2. CHAMADO À AÇÃO
3. ORAÇÃO FINAL
- Orar, pedindo ao Espírito Santo que nos dê o dom de revelarmos a nós mesmos em
partilha. Pedir também a Deus que nos dê bons e fiéis servos do pastoreio para nos
ouvir.
Amém. Deus os abençoe. Muito obrigado.

20
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 21

SEXTO TEMA
PRÁTICAS DE INCENTIVO À BOA COMUNICAÇÃO
I - INTRODUÇÃO (Pedir oração)
1. APRESENTAÇÃO DO FORMADOR
2. MOTIVAÇÃO
a) A comunicação, por si mesma, seria suficiente para eliminar grande quantidade dos
nossos problemas cotidianos;
b) A comunicação ungida e conduzida pelo Espírito Santo é fundamental para o viver
cristão;
c) O próprio Deus nos incentiva a uma boa comunicação. Provas disso estão nos fatos de
que ele nos criou dependentes uns dos outros e que nos dá o dom de viver em
comunidade, se aceitarmos.
3. APRESENTAÇÃO DO ENSINO
a) TEMA: PRÁTICAS DE INCENTIVO À BOA COMUNICAÇÃO
b) Itens:
b.1) TEMPO ESPECIAL OU DE QUALIDADE
b.2) TOCAR-SE
b.3) EXPANDIR-SE PARA ALÉM DE NOSSAS ZONAS DE CONFORTO
b.4) PEDIR DESCULPAS QUANDO NECESSÁRIO
b.5) EVITAR ACÚMULO DE TENSÕES
b.6) ABORDAGENS ESPECIAIS EM TEMPOS DE CRISE
b.7) AMOR: A MELHOR MOTIVAÇÃO PARA A COMUNICAÇÃO
b.8) PEDIR O CARISMA DA COMUNICAÇÃO
II - DESENVOLVIMENTO
1. TEMPO ESPECIAL OU DE QUALIDADE
- Não há pressa, não há distrações
- O tema da conversa é exclusivamente a pessoa dos partilhantes
- Terceiros só “entram” na partilha se afetarem a vida dos partilhantes
2. TOCAR-SE
a) Resumir a experiência das páginas 138 e 139 do livro ARRANCAR MÁSCARAS!
ABANDONAR PAPÉIS!
b) Precauções quanto ao toque
- Vigiar os sentimentos
- Lidar corretamente, com maturidade, com as manifestações da libido, se existirem
3. EXPANDIR-SE PARA ALÉM DE NOSSAS ZONAS DE CONFORTO
a) zonas de conforto
- Conceito:

21
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 22

= Na partilha, as zonas de conforto estão na área livre de nossa personalidade. São


aqueles fatos de nossa vida que gostamos de falar deles ou que, no mínimo,
falamos neles sem nenhum constrangimento.
- Citar exemplos
b) Necessidade de romper as zonas de conforto
- Moisés na sarça ardente (Êxodo 3)
4. PEDIR DESCULPAS QUANDO NECESSÁRIO
a) Desculpar (conceito)
b) Benefícios de pedir desculpa para a comunicação
- Desarma os outros, abre caminho para a reconciliação.
- Libera o coração do irmão para nos ouvir
- Ajuda a outra pessoa a reconhecer seus próprios erros
5. EVITAR ACÚMULO DE TENSÕES
a) Teste para o acúmulo de tensões (página 152 do livro ARRANCAR MÁSCARAS!
ABANDONAR PAPÉIS!)
b) CUIDADOS PARA EVITAR AS TENSÕES (página 154 do livro ARRANCAR
MÁSCARAS! ABANDONAR PAPÉIS!)
- FISICAMENTE, SOCIALMENTE, INTELECTUALMENTE,
ESPIRITUALMENTE
- EMOCIONALMENTE: PARTILHANDO SENTIMENTOS SIGNIFICATIVOS NO
MOMENTO EM QUE OCORREREM
6. ABORDAGENS ESPECIAIS EM TEMPOS DE CRISE
a) Momentos de crise (extra-partilhantes)
- problemas familiares, econômicos, sentimentais
b) Momentos de crise (entre-partilhantes)
- Abordagem: Diálogo franco e partilhado sobre o relacionamento.
c) PERGUNTAS DAS PÁGINAS 161(IN FINE) E 162, NO COMEÇO, DO LIVRO
ARRANCAR MÁSCARAS! ABANDONAR PAPÉIS!
7. AMOR: A MELHOR MOTIVAÇÃO PARA A COMUNICAÇÃO
- É SAL DA PARTILHA (1 COR 13)
8. PEDIR O CARISMA DA COMUNICAÇÃO
a) A BOA E VERDADEIRA COMUNICAÇÃO, AQUELA CONFORME O AMOR DE
DEUS, SUPERA AS NOSSAS CAPACIDADES HUMANAS.
b) O NOSSO EMPENHO DEVE FUNCIONAR JUNTO COM A GRAÇA.
- A NOSSA PARTE COMPETE A NÓS
- PODEMOS PEDIR A AJUDA DE DEUS PARA FAZER A NOSSA PARTE
III - CONCLUSÃO
1. RESUMO
a. Recapitulação (retomar itens)
b. Avaliação (indagações, sanar dúvidas, complementar, etc.)
22
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 23

c. Fecho (fixação-síntese)
- Este ensino foi dedicado para alguns detalhes da partilha. Eles são muito
importantes e devem ser observados para o êxito do nosso partilhar. LEMBREM-
SE: AQUILO QUE É COMUM, QUE É FÁCIL, TODOS OS CRISTÃOS FAZEM.
O DETALHE, AQUILO QUE EXIGE ESFORÇO E DEDICAÇÃO, SÓ É FEITO
POR AQUELES QUE REALMENTE ACREDITAM EM JESUS CRISTO
RESSUSCITADO, ISTO É, PELOS DISCÍPULOS DE JESUS.
2. CHAMADO À AÇÃO
3. ORAÇÃO FINAL
- Orar pedindo a Deus que nos ensine a desenvolver uma boa comunicação na
partilha.
Amém. Deus os abençoe. Muito obrigado.

23
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 24

SÉTIMO TEMA
METODOLOGIA DO PASTOREIO
I - INTRODUÇÃO
(Pedir oração)
1. APRESENTAÇÃO DO FORMADOR
- Dercides, casado, Secretaria Paulo Apóstolo.
2. MOTIVAÇÃO
- É bom aprendermos o que devemos fazer, porém pouca utilidade terá sabermos o
que fazer, se não aprendermos o como fazer.
- Deus nos tem revelado o que fazer e também o como. A respeito do pastoreio
veremos agora este como.
3. APRESENTAÇÃO DO ENSINO
a) TEMA: METODOLOGIA DO PASTOREIO
b) Itens:
b.1) Dependendo do Espírito Santo
b.2) Formando-se
b.3) Utilizando os carismas
b.4) Exercitando a partilha (dinâmica)
b.5) Planejando o pastoreio
b.6) Seguir bons modelos

II - DESENVOLVIMENTO
1. DEPENDENDO DO ESPÍRITO SANTO
a) Para orar
a.1) Oração pessoal e vida de oração
a.2) O Servo do pastoreio é:
- pessoa de oração
- intercessor
- pessoa de escuta
- pessoa de adoração (adora o Bom Pastor)
b) Para exercer o pastoreio
- Jesus percorria a terra de Israel em busca de suas ovelhas (Mt 4,23-25)
- O Espírito Santo conduz o servo do pastoreio às ovelhas necessitadas (At 16,8-9)
c) Para escutar o Bom Pastor permanentemente
2. FORMANDO-SE
a) Formação dos Apóstolos

24
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 25

- Três anos aos pés do mestre


= Teoria
= Prática
b) Formação de Paulo
b.1) O Papel da Comunidade
- Ananias (Atos 9,10-19)
- Barnabé (Atos 9,19b-25.26-30; 11,19-27)
b.2) Obra do Espírito Santo (Conclusões do Bispo estudioso de pneumatologia)
b.3) As tribulações (2ª Cor 11,22-28)
b.4) Zelo
- A comunidade teve zelo com ele (Atos 9,19b-25.26-30)
- Ele teve zelo com suas ovelhas (Suas viagens e cartas: 2ª Cor 11,28)
c) Necessidade da formação
- muitos não pastoreiam porque não sabem o que é pastorear, nem o porque, nem
como. Isso se resolve na formação.
3. UTILIZANDO OS CARISMAS
a) Amor (Jo 21,15-17; 1ª Cor 13,1-13)
b) Discernimento
c) Sabedoria
d) Ciência
e) Cura
f) Libertação
g) Profecia
h) Oração
i) Escuta
j) Fé
k) Milagres
l) Pastoreio
m) Etc.
4. EXERCITANDO A PARTILHA (DINÂMICA)
- DEMONSTRAR COMO SE REALIZA UMA PARTILHA (COM OS EXEMPLOS
DAS PÁGINAS 52 E 53 DO LIVRO ARRANCAR MÁSCARAS! ABANDONAR
PAPÉIS!)
5. PLANEJANDO O PASTOREIO
- Utilidade do plano
- O plano eficaz é o revelado por Deus
= Efésios 2,10; Atos 16,10, Gálatas 1,11-12.15-16; 2,6-10; 1ª Cor 9,26

25
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 26

- Apresentar o plano geral para a cidade (diocese, estado)


6. SEGUIR BONS MODELOS
- Jesus
- Pedro
- Paulo
- João Paulo II
III - CONCLUSÃO
1. RESUMO
a. Recapitulação (retomar itens)
b. Avaliação (indagações, sanar dúvidas, complementar, etc.)
c. Fecho (fixação-síntese)
- Para sabermos como pastorear, devemos mirar o exemplo de Jesus. Ele deu a vida
por suas ovelhas. Os primeiros Apóstolos e discípulos aprenderam com Ele e nos
transmitiram seus ensinamentos. Agora é chegada a nossa vez. Ele nos chama para
compreendermos a missão do pastoreio que ele nos dá, a fim de que a realizemos o
mais corretamente possível. Sua parte na obra do Pai já está pronta. A sua
continuidade depende de nós, de nossa adesão ao plano divino. Ele quer que
pastoreemos buscando suas ovelhas com amor, dedicação, com os carismas; acima
de tudo, dependendo do Espírito Santo. Esta é a única metodologia que funciona
no serviço do Reino.
2. CHAMADO À AÇÃO
- Peçamos ao Espírito Santo, agora, de pé, o carisma de praticar o pastoreio com
uma metodologia que seja conforme a vontade de Jesus.
3. ORAÇÃO FINAL
- Pedir perdão
- Orar pedindo a Jesus que nos ensine como pastorear.
Amém. Deus os abençoe. Muito obrigado.

26
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 27

OITAVO TEMA
CARISMA DO PASTOREIO
I - INTRODUÇÃO
(Pedir oração)
1. APRESENTAÇÃO DO FORMADOR
- Dercides, casado, Secretaria Paulo Apóstolo.
2. MOTIVAÇÃO
a) Receber do Espírito Santo a unção para pastorear
b) Receber do Senhor autoridade para executar o pastoreio
3. APRESENTAÇÃO DO ENSINO
a) TEMA: O CARISMA DO PASTOREIO
b) Itens:
b.1) Objetivos do Pastoreio
b.2) Desafios do Pastoreio
b.3) Apresentação do Carisma do Pastoreio

II - DESENVOLVIMENTO
1. OBJETIVOS DO PASTOREIO
a) Buscar as ovelhas transviadas, perdidas, desgarradas(Mt 15,24)
b) Consolidar a evangelização (Lc 1,1-4)
c) Construir a unidade (Jo 10,16 => um só rebanho, um só pastor)
d) Amadurecimento dos filhos de Deus
- “A uns ele constituiu apóstolos; a outros, profetas; a outros, evangelistas, pastores,
doutores, para o aperfeiçoamento dos cristãos, para o desempenho da tarefa que visa à
construção do corpo de Cristo, até que todos tenhamos chegado à unidade da fé e do
conhecimento do Filho de Deus, até atingirmos o estado de homem feito, a estatura da
maturidade de Cristo. ara que não continuemos crianças ao sabor das ondas, agitados por
qualquer sopro de doutrina, ao capricho da malignidade dos homens e de seus artifícios
enganadores.” (Ef 4,11-14 => LER).
- Para que o ser humano amadureça como pessoa, é útil que seja aceito como é (isto é, em
seu processo), que seja acolhido (isso lhe propicia segurança), que receba amor, que seja
curado interiormente, que aprenda a ser curado aplicando em os carismas de cura interior
(ciência, discernimento, fé, sabedoria), que tenha experiências de Deus, incluindo
principalmente o pastoreio de Jesus.
2. DESAFIOS DO PASTOREIO
a) Falta de experiência de Deus por parte do servo do pastoreio
- At 9,1-2 => (Paulo antes de sua experiência de Deus)
- Atos 9,3-30; Atos 13—28; Cartas de Paulo (Paulo após sua experiência com Deus)
b) Falta de experiência do pastoreio de Jesus

27
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 28

- Experiência mística (o servo pastoreado diretamente por Jesus)


= Paulo pastoreado por Jesus (At 9,4-6; 2ª Cor 12,1-10; Gl 1,11-17)
= O servo do pastoreio precisa experimentar a bondade e a compreensão do Senhor
no pastoreio
- Experiência do pastoreio de Jesus por meio de um servo
= Paulo pastoreado pelos irmãos se torna o maior servo do pastoreio bíblico (At
9,27-30; 11,25-30; 12,24—28,31; todas as suas cartas; LER => 2ª Tm 4,9-21)
c) Obstáculos espirituais
- O maligno se vale de nossas fraquezas para agir (Ef 4,17-31 [27: ler])
- O maligno age diretamente, mas Jesus, nosso Bom Pastor, vela por nós (Lc 12,32;
22,31-32)
d) Obstáculos pessoais
d.1) Orgulho
- Impede o pastoreio das ovelhas difíceis (o medo da derrota nos imobiliza)
- Impede o perdão do servo do pastoreio para a ovelha
- O servo orgulhoso não desculpa a ovelha (não tira a sua culpa)
d.2) Vaidade
- Coloca o servo do pastoreio no lugar do Bom Pastor
d.3) Carência
- Altera completamente a personalidade do servo do pastoreio, para pior
- Faz o servo do pastoreio depender do amor da ovelha
d.4) Soberba
- Impede o servo do pastoreio de receber ajuda de Jesus
- Impede o servo de depender do Espírito Santo
d.5) Preguiça (CL 3)
3. APRESENTAÇÃO DO CARISMA DO PASTOREIO
a) Conceito
- Capacidade que o Espírito Santo nos dá para colaborarmos com Jesus em sua missão de
pastorear as suas ovelhas
- É uma ferramenta para utilizarmos no cumprimento de nossa missão de colaboradores na
missão do pastoreio
b) Fundamento
- Bíblico:
= Ef 4, 11 => “A uns ele constituiu Apóstolos (...) a outros pastores”
- Doutrinário
= CVII, 1334, 1335, 1338; CIC, Cân. 228, 230 § 3°; Christifideles Laici,
= Documento 45 da CNBB, capítulo IV, n° 177, 179, 181
c) Condições para recebê-lo

28
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 29

c.1) Chamado a pastorear


- Identificação do chamado
= Um forte apelo do Senhor no coração, impulso interior para o pastoreiro, Designação
pela coordenação
- Espécies de chamado
= Chamado “ad hoc” (para um ato), chamado permanente (para um ministério)
c.2) Amor a Jesus
- Foi a última coisa que Jesus pediu de Pedro para entregar-lhe suas ovelhas (Jo 21,15-
17)
- O rebanho é composto de cordeiros, de ovelhas doentes, feridas, rebeldes, para
pastoreá-las necessita-se de amar o seu dono.
c.3) Aceitação da missão de pastorear
c.4) Exercício da missão de pastorear
c.5) Reconhecer que necessita do carisma
c.6) Pedir o carisma
c.7) Acolher o Carisma

III - CONCLUSÃO
1. RESUMO
a. Recapitulação (retomar itens)
b. Avaliação (indagações, sanar dúvidas, complementar, etc.)
c. Fecho (fixação-síntese)
- Das tarefas que Jesus nos legou, na obra de evangelização, pelo que vimos, o
pastoreio é uma das mais necessárias e urgentes, mas também uma das mais
difíceis. Urge que a realizemos bem, sob pena de perder todo o esforço
evangelístico. Ela é uma missão de natureza divina, pois é o próprio Deus que no-
la dá. Por isso somente conseguiremos realizá-la se estivermos dotados de um dom
especial, chamado carisma do pastoreio.
2. CHAMADO À AÇÃO
Portanto, peçamos, agora, de pé, este carisma ao Espírito Santo.
3. ORAÇÃO FINAL
- Pedir perdão por não termos sido bons pastores. Aceitar (dizer que aceita) este
carisma
- Pedir ao Espírito Santo o carisma do pastoreio e o carisma de praticar o carisma do
pastoreio.
Amém. Deus os abençoe. Muito obrigado.

29
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 30

ANEXOS
I - DINÂMICAS PARA O CURSO DE PASTOREIO

1. Escreva, durante dois minutos, a sua opinião sobre a ida do homem à lua. Em seguida, durante
mais dois minutos, PARTILHE SEUS SENTIMENTOS SIGNIFICATIVOS. (quantidade de
pessoas no grupo: 04 ou 05).
- Esta dinâmica é aplicada antes do ensino “pressupostos para uma boa partilha”.

2. Escreva, durante dois minutos, qualquer coisa a respeito do costume juvenil de ler gibis. Em
seguida, durante mais dois minutos, PARTILHE SEUS SENTIMENTOS SIGNIFICATIVOS.
(quantidade de pessoas no grupo: 04 ou 05)
- Esta dinâmica é aplicada antes do ensino “pressupostos para uma boa partilha”.

30
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 31

3. Preencha o quadro abaixo e PARTILHE SEUS SENTIMENTOS SIGNIFICATIVOS. (tempo:


05 minutos):
- Esta dinâmica é aplicada antes do ensino “regras para uma boa escuta”

- MEU NOME É: ____________________________________________________

4. Preencha o quadro abaixo e PARTILHE SEUS SENTIMENTOS SIGNIFICATIVOS. (tempo:


05 minutos):
- Esta dinâmica é aplicada após o ensino “regras para uma boa escuta”.
- MEU NOME É: ___________________________________________________
- MEU ESTADO CIVIL É: _____________________________________________
- MINHA FUNÇÃO NA RENOVAÇÃO É: _________________________________
- MINHA PROFISSÃO É: _____________________________________________

5. Preencha o quadro abaixo e PARTILHE SEUS SENTIMENTOS SIGNIFICATIVOS. (tempo:


05 minutos):
- Esta dinâmica é aplicada antes do ensino “regras para uma boa revelação de si mesmo”.
- MEU NOME É: _____________________________________________________
- O NOME DO MEU CÔNJUGE É: ______________________________________
- A PROFISSÃO DO MEU CÔNJUGE É: _________________________________
- A FUNÇÃO DO MEU CÔNJUGE NA RENOVAÇÃO É: _____________________

6. Preencha o quadro abaixo e PARTILHE SEUS SENTIMENTOS SIGNIFICATIVOS. (tempo:


07 minutos):
- Esta dinâmica é aplicada após o ensino “regras para uma boa revelação de si mesmo”.
- MEU NOME É: _____________________________________________________
- OS NOMES DOS MEUS PAIS SÃO: ____________________________________
_____________________________________

31
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 32

7. Preencha o quadro abaixo e PARTILHE SEUS SENTIMENTOS SIGNIFICATIVOS. (tempo:


10 minutos):
- Esta dinâmica é aplicada antes do ensino “práticas de incentivo à boa comunicação”
- MEU NOME É: ____________________________________________________
- MEU ESTADO CIVIL É: _____________________________________________
- MINHA PROFISSÃO É: ______________________________________________
- MINHA FUNÇÃO NA RENOVAÇÃO É: _________________________________
- O NOME DO MEU CÔNJUGE É: ______________________________________
- A PROFISSÃO DO MEU CÔNJUGE É: _________________________________
- A FUNÇÃO DO MEU CÔNJUGE NA RENOVAÇÃO É: _____________________
- OS NOMES DOS MEUS PAIS SÃO: ____________________________________
____________________________________
- A PROFISSÃO DE MEU PAI É ________________________________________
- A PROFISSÃO DE MINHA MÃE É: _____________________________________

8. Durante dois minutos pense na seguinte indagação: “Quem sou eu”?


- Agora, durante mais dois minutos, resuma, por escrito, quem é você. Após o RESUMO,
PARTILHE SEUS SENTIMENTOS SIGNIFICATIVOS. com o seu grupo. Após partilhar,
NÃO ANTES, APÓS, o grupo compare as partilhas com Romanos 8,12-17 e 1ª João 3,1.
Após comparar a partilha com a Sagrada Escritura, ore uns com os outros.
- Esta dinâmica é aplicada após o ensino “práticas de incentivo à boa comunicação” (tempo:
20 minutos):

32
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 33

9. Escreva, durante dois minutos, sobre a melhor experiência de sua vida (sobre a melhor coisa
que lhe aconteceu). Após, PARTILHE SEUS SENTIMENTOS SIGNIFICATIVOS. (Tempo: 10
minutos):
- Esta dinâmica é aplicada antes do ensino “metodologia do pastoreio”

10. Escreva durante dois minutos sobre a pior experiência de sua vida (sobre a pior coisa que lhe
aconteceu). Após, se você puder, e desejar, PARTILHE SEUS SENTIMENTOS
SIGNIFICATIVOS. Após a partilha, o grupo ore uns com os outros (tempo: 30 minutos):
- Esta dinâmica é aplicada após o ensino “carisma do pastoreio”.

33
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 34

II – PLANOS DE PASTOREIOS PESSOAIS


- IMPORTANTE:
= Entrar em contato (falar, reunir-se) com a ovelha, no mínimo nas datas marcadas;
= Quando ovelha e servo do pastoreio residirem na mesma cidade, preferencialmente
realizar o pastoreio semanalmente.
= Sempre evitar o pastoreio entre homens e mulheres. Caso seja necessário, o
pastoreio deverá ser realizado entre três pessoas ou mais, em cada reunião.

RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA DE GOIÁS


PLANO DE PASTOREIO
DURAÇÃO DESTE PLANO: PRIMEIRO SEMESTRE /2001

Datas
Servo do Pastoreio Ovelhas (nomes) Hora
Júnior, coordenador Domingos 01 21:00
estadual que pastoreará
José Pedro 05 22:00
os coordenadores
diocesanos e Ely 06 20:00
coordenadores de Amélia 07 21:50
ministérios estaduais
Divina 1, 7, 19 17:00
Etc.

RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA DA DIOCESE DE ITUMBIARA


PLANO DE PASTOREIO
DURAÇÃO DESTE PLANO: PRIMEIRO SEMESTRE /2001

Datas
Servo do Pastoreio Ovelhas (nomes) Hora
Domingos, Geraldo 01 21:00
coordenador diocesano
Alessandro 05 22:00
que pastoreará os
coordenadores Fulano 06 20:00
regionais e Etc.
coordenadores de
ministérios diocesanos.

34
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 35

RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA DA REGIÃO DE JOVIÂNIA-GO


PLANO DE PASTOREIO
DURAÇÃO DESTE PLANO: PRIMEIRO SEMESTRE /2001
Datas
Servo do Pastoreio Ovelhas (nomes) Hora
Geraldo, coord. Fulano 01 21:00
regional, que
Beltrano 05 22:00
pastoreará os
coordenadores de Etc. 07 21:50
cidades e de
ministérios regionais)

RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA DA CIDADE DE JOVIÂNIA-GO


PLANO DE PASTOREIO
DURAÇÃO DESTE PLANO: PRIMEIRO SEMESTRE /2001
Datas
Servos do Pastoreio Ovelhas (nomes) Hora
José, coordenador da Fulano 01 21:00
cidade de Joviânia, que
pastoreará os Beltrano 05 22:00
coordenadores de Sicrano 06 20:00
grupo de oração e
coordenadores de Etc. 07 21:50
ministérios locais

RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA DA CIDADE DE JOVIÂNIA-GO


PLANO DE PASTOREIO DO GRUPO DE ORAÇÃO BOM PASTOR
DURAÇÃO DESTE PLANO: PRIMEIRO SEMESTRE /2001
Datas
Servo do Pastoreio Ovelhas (nomes) Hora
Pedro, coordenador do Fulano 01 21:00
GO Bom Pastor, que
Beltrano 05 22:00
pastoreará os
coordenadores de Sicrano 06 20:00
ministérios e o núcleo Etc. 07 21:50
do GO.

35
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 36

RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA DA CIDADE DE JOVIÂNIA-GO


PLANO DE PASTOREIO DO GRUPO DE ORAÇÃO BOM PASTOR
DURAÇÃO DESTE PLANO: PRIMEIRO SEMESTRE /2001
Datas
Servo do Pastoreio Ovelhas (nomes) Hora
João, membro do Fulano 01 21:00
núcleo do GO Bom
Beltrano 05 22:00
Pastor, que pastoreará
integrantes do grupo Sicrano 06 20:00
de oração. Etc. 07 21:50
Mamoel, membro do Fulano 01 21:00
núcleo do GO Bom
Beltrano 05 22:00
Pastor, que pastoreará
integrantes do grupo Sicrano 06 20:00
de oração. Etc. 07 21:50
Ivo, membro do núcleo Fulano 01 21:00
do GO Bom Pastor,
Beltrano 05 22:00
que pastoreará
integrantes do grupo Sicrano 06 20:00
de oração. Etc. 07 21:50
Maria, membro do Fulano 01 21:00
núcleo do GO Bom
Beltrano 05 22:00
Pastor, que pastoreará
integrantes do grupo Sicrano 06 20:00
de oração. Etc. 07 21:50
Joana, membro do Fulano 01 21:00
núcleo do GO Bom
Beltrano 05 22:00
Pastor, que pastoreará
integrantes do grupo Sicrano 06 20:00
de oração. Etc. 07 21:50

RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA DA DIOCESE DE ITUMBIARA


PLANO DE PASTOREIO
DURAÇÃO DESTE PLANO: PRIMEIRO SEMESTRE /2001
Datas
Servo do Pastoreio Ovelhas (nomes) Hora
Alessandro, Fulano 01 21:00
coordenador do
Beltrano 05 22:00
Ministério de
Formação, que Etc. 07 21:50
pastoreará a equipe de
formadores do seu
ministério.

36
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 37

37
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 38

III - CADASTRO PARA GRUPOS DE ORAÇÃO E MINISTÉRIOS

NOME DO GRUPO DE ORAÇÃO/MINISTÉRIO: __________________________


__________________________________________________________________

REUNIÃO DO GRUPO/MINISTÉRIO:
DATA (DIA DA SEMANA): __________________________ HORA: ____________
================================================================
LOCAL: ___________________________________________________________
NOME (IGREJA/CAPELA) ____________________________________________
ENDEREÇO: _______________________________________________________
__________________________________________________________________

REUNIÃO DO NÚCLEO DO GRUPO/MINISTÉRIO:


DATA (DIA DA SEMANA): __________________________ HORA: ____________
================================================================
LOCAL: __________________________________________________________
NOME (IGREJA/CAPELA) ____________________________________________
ENDEREÇO: _______________________________________________________
__________________________________________________________________

NOME DO(A) COORDENADOR(A): _____________________________________


ENDEREÇO: _______________________________________________________
__________________________________________________________________
TELEFONE: _______________________________________________________

NOME DO(A) VICE-COORDENADOR(A) _________________________________


ENDEREÇO: _______________________________________________________
__________________________________________________________________
TELEFONE: _________________________________________________________

NOTA: ANOTE NO VERSO O NOME DOS MEMBROS DO NÚCLEO

38
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 39

IV - CADASTRO PARA INICIANTES DO GRUPO DE ORAÇÃO

NOTA 1: Quando uma pessoa participar do grupo de oração pela primeira vez, em sua ficha
cadastral só se anota o seu nome, o seu endereço, o horário e o dia em que pode receber visitas.
Nesta primeira participação, não se anota o número de telefone em hipótese nenhuma. É que a
ficha cadastral deve ser completada durante a semana seguinte, antes da próxima reunião do grupo,
durante uma visita do serviço de acolhimento à casa da pessoa.

CADASTRO DE PARTICIPANTES DO GRUPO DE ORAÇÃO


(PARA PRIMEIRA PARTICIPAÇÃO)
NOME: ___________________________________________________________
ENDEREÇO: _______________________________________________________
__________________________________________________________________
PONTO DE REFERÊNCIA DO ENDEÇO: ________________________________
__________________________________________________________________
DIA DA VISITA _____________________________ HORA DA VISITA: ________

NOTA 2: Cada grupo deverá elaborar uma ficha cadastral completa para preencher durante a visita
que se fizer à casa dos novos participantes do grupo de oração

39
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 40

AVALIAÇÃO
ENCONTRO DE APASCENTAI COMIGO O MEU POVO
TEMA DO ENCONTRO: ___________________________________________________
1. OBJETIVO DO ENCONTRO:
 Foi atingido  Foi desviado  Ficou confuso  Não teve
2. EXPOSIÇÃO DO CONTEUDO:
 Clara  Confusa  Difícil
3. DURAÇÃO DO ENCONTRO:
 Boa  Curta  Exagerada
4. MOMENTOS DE ORAÇÃO
 Poucos  Bons  Ruins  Não teve  Sem unção  Ungidos
5. EXERCÍCIO DOS CARISMAS
 Pouco  Muito  Difícil  Confuso  Não teve
6. DINÂMICAS
 Poucas  Ajudaram no conteúdo  Fora do conteúdo  Não teve
7. INTERVALOS
 Bons  Poucos  Muito  Longos  Curtos
8. PARTILHA
 Boa  Ruim  Grande  Pequena  Não teve  Pouca
9. ESTUDO DIRIGIDO
 Organizado  Bom  Ruim  Não teve
10. LINGUAGEM DA FORMAÇÃO
 Acessível  Difícil  Vulgar
11. LOCAL
 Bom  Ruim  Regular
12. ACOLHIDA/RECEPÇÃO
 Boa  Ruim  Regular
13. UNIDADE DOS FORMADORES
 Boa  Difícil  Confusa
14. DICAS PARA COLOCAR O CONTEÚDO EM PRÁTICA
 Claras  Não teve  Inacessível
15. O ENCONTRO MOTIVOU MUDANÇA NA DINÂMICA DO GO
 Sim  Não
16. FAIXA ETÁRIA (IDADE DO PARTICIPANTE)
 15 –25 anos  26 – 35 anos  36 – 45 anos  45 – 60 anos  acima de 60 anos

40
APASCENTAI COMIGO O MEU POVO 41

17. FUNÇÃO NA RCC


 Núcleo  Secretaria  Conselho diocesano  Participante de GO somente
18. TEMPO DE RCC
 0 – 5 anos  6 – 10 anos  acima de 10 anos
19. ENCONTROS QUE JÁ FEZ
 Seminário de Vida  Experiência de Oração  Aprofundamento de Dons  Outros
20. PARTICIPA DE GRUPO DE ORAÇÃO
 Semanalmente  Não tem GO fixo  De vez em quando  Não participa de GO
21. SERVE EM QUE SECRETARIA
 Marcos  Marta  Matias  Samuel  Davi  Pedro  Moisés  Gabriel
 Lucas  Ágape  Atos 2  Magnificat  Renasem  Cristo Sacerdote  Rafael
22. HÁ QUANTO TEMPO ESTÁ SERVINDO NA SECRETARIA
0-6 Meses  6 Meses- 1 ano  1 – 5 anos  Mais de 5 anos
23. ATIVIDADE PAROQUIAL
 Min. Euc.  Min. Pal.  Liturgia  Música  Jovens  Past. Familiar  Past. Operária
 Past. Saúde  Catequese  Dízimo  Crisma  Past Carcerária
24. ENCONTROS DA SECRETARIA PAULO APÓSTOLO QUE JÁ FEZ
 MB1  MB2  MB3  MB4  MB5
 MM1  MM2  MM3 MM4  MM5  OUTROS
25. JÁ FEZ ALGUM ENCONTRO ESPECIFICO DE SECRETARIA? QUAL?
______________________________________________________________________
26. SUGESTÕES (PODE ESCREVER NO VERSO)
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________

41