Está en la página 1de 30

AVALIAÇÃO DA FERTILIDADE DO

SOLO
VÁRIOS MÉTODOS DE AVALIAÇÃO:
• Diagnose visual
• Microbiológico
• Diagnose por subtração
• Método químico:
* Análise química do solo
* Análise foliar
MÉTODO QUÍMICO (Análise química do solo):

- É o método mais utilizado: rápido, boa


precisão, barato.

- Componente importante na recomendação


de adubação influência na qualidade de todo
o processo agrícola.
• OBJETIVO DA ANÁLISE QUÍMICA DO SOLO:
Avaliar a fertilidade do solo indicando:
quantidade de nutrientes disponíveis,
condições adversas (acidez), presença de
elementos tóxicos, teor de matéria orgânica.

• IMPORTÂNCIA: Serve de base para o uso


racional de adubos e corretivos.
• ANÁLISE DO SOLO: Análise química mais
usada na agricultura.
- BRASIL: aproximadamente 1.000.000 análises
em 2002
- EUA: 3.000.000 a 4.000.000
- HOLANDA: 300.000
- HOJE NO BRASIL: Nº aumentou devido a AP.
Evolução da análise de solo no Brasil:

- Principais desenvolvimentos da análise de


solo: EUA  nem sempre as soluções desses
países (clima temperado) são adequadas aos
solos brasileiros (clima tropical).

- Últimas décadas: desenvolvimento de métodos


de análise química do solo adequados às
regiões tropicais.
• ANÁLISE QUÍMICA DO SOLO: 3 etapas:

1º - AMOSTRAGEM
2º - PROCEDIMENTOS ANALÍTICOS
3º - INTERPRETAÇÃO E RECOMENDAÇÃO
AMOSTRAGEM

• Etapa mais importante:


Do erro da análise de solo: 98 % atribuído a
amostragem e 2% a procedimentos analíticos.
Representatividade da amostra:
1 amostra = 300 g de solo  representa até 20 ha.

1 ha = 10.000 m2, camada arável 0,2 m, temos:


1 ha = 2.000 m3 de solo  1 m3 de solo tem
aproximadamente 1.000 kg , então:
1ha = 2.000.000 kg de solo
20 ha = 40.000.000 kg de solo
Conclusão: 1 amostra de 300 g de solo
representa 40.000.000 kg de solo
• CRITÉRIOS PARA AMOSTRAGEM:
1º DIVIDIR A PROPRIEDADE EM TALHOES
HOMOGÊNEOS QUANTO A: TOPOGRAFIA,
TIPO DE SOLO, VEGETAÇÃO, CULTIVO
ANTERIOR, PRÁTICAS CULTURAIS
ANTERIORES, PRODUTIVIDADE, ETC.

2º FAZER UM MAPA COM ESSAS DIVISÕES


3º TAMANHO DE CADA TALHÃO: VARIÁVEL
PADRÃO PARA SP: 1 AMOSTRA PARA 20 Ha.

4º Nº DE AMOSTRAS POR TALHÃO: 1 AMOSTRA


COMPOSTA OBTIDA PELA MISTURA DE 15 A 20
AMOSTRAS SIMPLES OU SUBAMOSTRAS,
RETIRADAS DENTRO DE CADA TALHÃO,
CAMINHANDO EM ZIG-ZAG.
5º PROFUNDIDADE DE AMOSTRAGEM:
- CULTURAS ANUAIS: 0 – 20 CM
- CULTURAS PERENES: 0 – 20 CM
20 – 40 CM
EM ALGUNS CASOS EM CULTURAS ANUAIS,
PARA VER A NECESSIDADE DE GESSO, FAZ-SE
DE 20 – 40 CM.

6º LOCAL DA COLETA:
- CULTURAS ANUAIS: ENTRELINHAS
- CULTURAS PERENES: PROJEÇÃO DA COPA
7º INSTRUMENTOS UTILIZADOS:
8º ÉPOCA DA AMOSTRAGEM: 3 A 4 MESES ANTES
DO PLANTIO.

9º FREQUÊNCIA DA AMOSTRAGEM:

- 3/3 ANOS PARA USO POUCO FREQUENTE

- 2/2 ANOS PARA USO FREQUENTE DA TERRA.


10º IDENTIFICAÇÃO DA AMOSTRA E ENVIO
AO LABORATÓRIO.
- INFORMAÇÕES ESSENCIAIS: NOME,
PROPRIEDADE, ENDEREÇO,LOCAL DA
PROPRIEDADE.
- INFORMAÇÕES ÚTEIS: CULTURA ANTERIOR,
PRÁTICAS CULTURAIS ANTERIORES (
ADUBAÇÃO, CALAGEM, ÉPOCA E QUANTIDADE
APLICADA).
- NO CASO DE QUERER RECOMENDAÇÃO,
DEVE SE COLOCAR A CULTURA A SER FEITA E A
META DE PRODUTIVIDADE.
PROCEDIMENTOS ANALÍTICOS
1º Recepção das amostras e cadastro
2º Preparo das amostras: secagem e peneiragem
3º Retirada de um determinado volume (1 a 10
cm3) para cada tipo de determinação a ser feita
4º Adição de reagentes para cada determinação
e agitação (10 min a 16 hrs) dependendo da
determinação.
5º Leitura da amostra(para cada determinação,
aparelhos diferentes).
• Determinações efetuadas:
- análise básica: pH CaCl2, pH H2O, MO,P, K, Ca, Mg,
Al, H+Al
- análise completa: análise básica + S, Cu, Fe, Mn, Zn,
B

• Cálculos efetuados:
SB (soma de bases) = K + Ca + Mg
T (capacidade de troca catiônica) = SB + H+Al
V%(saturação por bases) = SB/T x 100
• UNIDADES UTILIZADAS NA
REPRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS:
- pH: nº entre 0 e 14
- MO: g/dm3
- P: mg/dm3
- K,Ca,Mg,Al,H+Al,SB,T: mmolc/dm3
- S,B,Cu,Fe,Mn,Zn: mg/dm3
INTERPRETAÇÃO DOS RESULTADOS
DE ANÁLISE DE SOLO