Está en la página 1de 1

Bruxelas, 23 de novembro de 2018

A quem possa interessar,

Gostaria de apresentar uma queixa relativa a uma possível violação do Código de Conduta da UE do
Registo de Transparência pela empresa de consultoria Hill + Knowlton International Belgium, com o
número de identificação 3183894853-03, a seguir identificada como H + K.

Com base nas informações fornecidas pelo meio de comunicação on-line EU Observer "Expõe; Como
Marrocos faz lobby junto da UE a sua revindicação sobre o Sahara Ocidental ", de 23 de novembro de
2018, parece que a H + K pode ter violado várias cláusulas do Código de Conduta da UE e gostaria de
lhe pedir que analise cuidadosamente o assunto.

De acordo com o artigo acima mencionado, a firma de consultoria H + K tem ligações diretas com a
Fundação EuroMedA, uma ONG estabelecida sob as leis belgas.

Além disso, o artigo alega que o diretor-chefe da H + K Strategies, Alain Berger, foi co-fundador da
EuroMedA e atualmente é seu secretário-geral. Os escritórios da EuroMedA também estão localizados
nos escritórios da H + K.

Isto é particularmente perturbador, devido ao facto do governo de Marrocos ter sido e possivelmente
continuar a ser um cliente líder da H + K e que a ONG EuroMedA exerça as suas actividades
directamente em relação a Marrocos no Parlamento Europeu, incluindo eventos públicos. A EuroMedA
Foundation não consta do registo do lobby da UE.

Se confirmado, o trabalho da EuroMedA parece estar diretamente relacionado com as atividades


profissionais da H + K e, consequentemente, várias cláusulas do Código de Conduta podem ter sido
violadas pela H + K, incluindo:

(a) pela eventual incapacidade de identificar-se e declarar os seus interesses, objectivos e finalidades
que promovem, agindo através do véu de uma organização que não está registada no registo do
Lobby, EuroMedA;
(b) Procurando potencialmente obter informações ou decisões desonestas em relação a Marrocos e ao
Sahara Ocidental através da EuroMedA;
(c) Por membros potencialmente indutores do Parlamento Europeu (deputados Pargneaux, Lalonde,
Ries e Manescu) a violarem involuntariamente as regras e normas de comportamento que lhes são
aplicáveis, garantindo a sua presença no Conselho de Administração da EuroMedA, o que poderá
constituir uma conflito de interesses em relação à sua actividade parlamentar sobre os dossiers
relacionados com Marrocos e o Sahara Ocidental.

Com os melhores cumprimentos,

Florent Marcellesi, deputado europeu


1 https://euobserver.com/investigations/143426