Está en la página 1de 10
Familia e polticas sociais Regina CéliaTamaso Mioto* Introdugio Historicament, a familia, apesar de sua reconhecida importancia na esfera da protego social, nem sempre merece ima cuidadosa ater ‘io no debate sobre o seu papel no Ambito das politiassociais, como provedora de bem-estar, Essa congo altera-sea partir des anos 1970 relaconada, por um lado, ao desenvolvimento e& consolidacio da eit- «a feinista sobre a centraidade dos homens nas teorias prevalentes relacionadas ao Welfre State. Segundo Esping,Andersen (1991), apesar dessa cfticacentrarse preponderantemente nas relacbes de género, que sho produzidas ou reproduzidas pela politica social, ela recolocou em ‘cena a questio da familia. Por outro lado, vincula-se a0 declinio da so- cledade salarial e rise do Welfare Stats, que fizram com que a familia fosse “re-descobert, tanto como instincia de protegi, como também ‘quanto possbilidade de “recuperacio e sustentagio” de uma sociabil dade soli, [Nesse context & que o debate sobre familia epoliticas socis vert sendo efetuodo © onde diferentes perspectivas se colocam e se recole- cam. O conhecimento dessas perspectivas se torna imprescindivel 8 ‘medida que delas nascem diferentes formas de propor ¢ exeeutar poiti= cas socials, de planejar © gore servos. Assim, presente texto tem © objetivo de aprofundar a debate sobre as relagies fava politica social ‘econtribuir para que os profisionais que trabalhars no campo das poli- teas socaisrefitam sobre as implicagbes desas relagies no cotidiano do exerccio profissional. Para tant, valendo-se de uma abordagem #6 io-hstérea,apresenta-se uma breve discussio sobre fala no mb to da protegto socal, considerando os tempos do libealismo, o Estado de Bern-Estar Social ¢o pluralism de ber-estar social que expressa na sua formatagio a concepsSo neo-liberal caracteristca da sociedad com temporinea. Finalmente, articlantse algumas quests relacionadas Familia e protegio soca: do liberalismo ao Estado de Bem-Estar Social (© desenvolvimento do modo de produgto capitalstateouxe cons- _g0 mudangasradicais nas formas tradicionais — pré-mercantilizadas — sdeprovera protec socal, aéentioasseguradas pela faa, pelagreia « pelos senhores feuds através de ages soidras. Tals mudancas po: dom sér atribuidas tanto ao desaparecimento dos antgos vinculos co munities, como da precasiedade de recursos disponiveis pela fam! lias na sua nova estrutur,ceganizagao e modos de vida no meio urbane. Seccomibe (1997), ao discorrer sobre os impactos do captaismo na fama, sallenta, dente outros aspects, os efeitos que a separagio entre rune a casa, adivisto de taefas entre a mulher (em casa) e o homer (0 trabalho), a instauragio da slério individual e com ele o iden! do “macho que mantém a fia” iveram nas relagbes e nas condigbes de vida da classe operitia, Como iusto dos problemas instaurados no Interior da fail, condiconados pela nova organizagto social ators firma que nso s80 potcas as provas contidas nos eatos palicias € nos documentos des tribunais que indicam a luta sobre a distibuigio do salitio no interior das fama. Nao por acaso, 0 grande miimero de cha ; ‘padas para poli intervie em brgas de famifasconcentava-se 08 sfias de pagamento, essa forma, aconsolldagto da faa come instacia pivada, com uma clara divsio de papéis entre homers e mulheres, e do individuo (homem e trabathadorassalariado) responsive! moral pela proviso fa ‘ilar nstaura o reinada da fami como foe de protect por exceén- «ja. Ou sea, a familia passa a ser o "eanal natural” de proto social ‘inculido obviamente Ae suas passblidades de participa no merc {do para compra de bens eservigas neessris proviso de suas neces ‘iad, Essa nova configurac trouxe desdobramentos importantes, sw contest das relages soins, e dente les destacamse proceso de {fanoerénis pars interior ds familias de problemas econlitosgerados ‘no mbit da eelagSes de prodasia ea card pars ncuag80 do il de uma nova fain com fangtese paps claramente defines Quanto transfertncia dos conflitospreduzidos no ambito da vla- oes de producio para o interior da familia, anise de Baron (1978) & “stant ehcidativa, Para o autor, a violécia nas suas mais diversas ‘manifestaies,embor se realize no Ambito do convivio social &implic tas relages de producto sob a ei da acumulago capitalists Potato, ‘om primero lugar, std a violencia econdmica. Porém, essa volénca fio aparece no momento em que & produzida, mas ae explkita através ‘de seus efits, tamando a fia um palo privilegado de mani ‘0 desses efeitos e concomitantemente de sbsongio e desaivacto dos onfitos sci Com referincia & conformagto de um novo modelo de familia, {xponi (200) destaca a instauragio de um ample proceso le medial acto das familias necesro para 0 atenimento das novos demands tconBimieas, que necesstavam de corposcuidados es. Assim, a pro- ‘dug de corpo saves impos ede espagosorganizas nag ram nas fais uma rela intrinsia entre “euidador”e “cuidado™. Com ea, uma nova lel moral que, embroraimpactando de forma dife- teclada a famila burguesae a fonvla proleliia, eleva as muleres 8 {gondii de cuidadoras por excelénca, Tal fto se toma cada vez mals nportanie no Ambit dan rela wc rancor » Em relagio &s familias proetrias, as “polieas asistencia” dos flanopos vaojgar papel Rendamental na inculagio de uma vida di