Está en la página 1de 11

1

 
 

ACONSELHAMENTO CRISTÃO

“O TEMOR AO PECADO, A OBEDIÊNCIA CAPACITADORA E A OBRA


DE JESUS NA CRUZ DEVEM ESTAR EM TODAS AS NOSSAS
CONVERSAS, SENDO O CENTRO DO NOSSO ACONSELHAMENTO”
Adam Ramsey

I. A IMPORTÂNCIA DO ACONSELHAMENTO

O maior objetivo do aconselhamento é conduzir o


aconselhado à maturidade em Cristo, é levá-lo a buscar respostas de Deus
para os seus problemas e ensiná-lo como Deus quer que ele viva. Isto pode
acontecer nas seguintes situações:

– NO INICIO DA VIDA CRISTÃ

Muitas pessoas ao conhecerem verdadeiramente a Cristo, e


experimentarem sua obra regeneradora, precisam receber ajuda através de
acompanhamento por virem cheias de marcas do passado e feridas na
alma. Para serem libertas dessas marcas e vencê-las, precisam de alguém
mais experiente espiritual para se abrirem e poderem falar de seus
sentimentos, além do que, necessitam saber como viver e caminhar nessa
nova vida em Cristo.

-AO LONGO DA VIDA CRISTÃ

Em todas as fase de nossas vidas, independente do tempo de


conversão, passamos por situações e problemas onde precisamos também
de pessoas mais maduras que nos ajudem a superar tais situações e nos
dirijam segundo o conselho de Deus e Sua Palavra, aliviando a dor e o
sofrimento pelo qual estamos passando.
“Alegrai-vos com os que se alegram; e chorai com os que choram” Rom
12:15

É através do aconselhamento que todos esses processos acontecem, ele se


torna um instrumento necessário de orientação, cuidado e ajuda na vida
cristã.

O Aconselhamento é Bíblico:
2  
 

• O apóstolo Paulo desafia os cristãos de “aconselharem-se uns aos


outros”
“A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a
sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com
salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando ao Senhor com graça
em vosso coração.” Col3:16
• Jetro sacerdote de Madiã e sogro de Moisés aconselha seu genro
Exodo 18
• “Alegria têm os que aconselham a paz” Pv 12.20.

• “Com os que se aconselham se acha sabedoria” Pv 13.10.

II. O QUE É ACONSELHAR?

Aconselhar não é resolver os problemas do aconselhado, como muitos


pensam, e nem tomar decisões por ele; O real objetivo do
aconselhamento é ajudar essa pessoa a enxergar com mais
clareza suas reais dificuldades a luz da Palavra de Deus, levando-a a
ser livre em Cristo Jesus.

Aconselhar é também aliviar a angustia, a dor e o sofrimento do


outro, oferecer ajuda, atenção e apoio.

Portanto, todo aconselhamento precisa ter 4 características

• EXORTAR
• CONSOLAR
• ADMOESTAR
• EDIFICAR

“Exortamos vocês, irmãos, a que advirtam os ociosos, confortem os


desanimados, auxiliem os fracos, sejam pacientes para com todos.” I
Ts 5-14

III. TODO ACONSELHAMENTO PRECISA SER EDIFICADO NA


PALAVRA DE DEUS

3 coisas que não podemos basear o aconselhamento:

• Técnica de Auto Ajuda

• Conselho Humano
3  
 

• Sentimento / Emoção

De que espécie de ajuda as pessoas realmente precisam?

1- Jesus mostrou que o homem não precisa de técnicas de


autossuficiência humana, mas da sua pessoa.
“Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu
vos aliviarei.” Matheus 11:28

2- Ele revelou o grande problema do homem: o pecado, o qual


causou a separação de Deus e sua profunda necessidade de
assistência divina.

3- Todo aconselhamento deve ser edificado sobre a palavra de


Deus, pois ela é a palavra Viva, é o escape, Nela está a
resposta para todos os problemas dos homens.

• A palavra é perfeita e restaura a alma e a traz de volta para


Deus. Salmos 19- 7

• Ela é viva e eficaz - Hebreu 4-12

• Ela discerne o propósito do coração- Isaías 55-11

IV. QUALIDADES DE UM CONSELHEIRO


1- Bom Procedimento
Bom testemunho dá autoridade em aconselhar.
”Quem é sábio e tem entendimento entre vocês? Que o
demonstre por ser bom procedimento, mediante obras
praticadas com a humildade que provém da sabedoria” Tiago 3-
13
2- Conhecimento das Escrituras
A base do aconselhamento é a Palavra de Deus. As
Escrituras "testificam de mim", diz Jesus, em João 5.39, e de
fato, é o único lugar em que obtemos conhecimento,
sabedoria e ensino.

“A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a


sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros,
com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando ao Senhor
com graça em vosso coração.” Col 3-16
4  
 

3- Sabedoria no relacionamento interpessoal

“Meus irmãos, eu mesmo estou convencido de que vocês estão cheios


de bondade e plenamente instruídos, sendo capazes de aconselhar-se
uns aos outros” Rom 15-14

Relacionar-se com as pessoas nunca foi tão difícil como tem


sido nos últimos dias. Algumas pessoas têm maior facilidade em
interagir, ao passo que outras não. Jesus sempre em seus ensinos,
nos deixou a importância do amor ao próximo, e que todos
precisamos exercer um relacionamento de respeito com as pessoas
de modo geral. Através de suas palavras, Jesus sempre enfatizava o
quanto é necessário cultivarmos um bom relacionamento
interpessoal, principalmente quando estamos falando de uma relação
de ajuda e de discipulado.
É indispensável que o conselheiro seja:
• Cordial (Jo 4)
Implica cuidado, respeito e preocupação, sem levar em conta seus
atos ou atitudes. Jesus mostrou isso quando se encontrou com a
mulher samaritana. As qualidades morais dela deixavam a desejar, e
Ele não aprovava tal comportamento pecaminoso, contudo, mesmo
assim, Jesus a respeitou e tratou-a como pessoa de valor.
• Sincero (Tg 3-17)
O conselheiro sincero é uma pessoa alerta, franca e que evita
atitudes de superioridade. Ele é honesto, sincero e espontâneo. É
alguém autêntico, não sendo do tipo que pensa ou sente uma coisa e
dia algo diferente.

• Empático
Diferente de pena, ter empatia é sentir o que outra pessoa sente.
Identificando com aquilo que ela está experimentando. É alguém
com capacidade de “sentir com” o aconselhado os seus problemas,
conflitos e mágoas e que acima de tudo mostra amor. Portanto,
compartilhar da dor de alguém é uma parte necessária do amor,
tanto quanto de suas alegrias.

“A verdadeira empatia requer o abandono das atitudes de


julgamento, apreciação ou rejeição, produzindo compreensão”
(Aconselhamento Cristao - Instituto Biblico da Família)
5  
 

• Sigiloso

Muitas pessoas são feridas e se fecham em si mesmas por


experiências negativas de verem seus problemas íntimos
confidenciados a alguém chegarem ao ouvidos de outros. Um
conselheiro precisa ser capaz de guardar e respeitar aquilo que lhes é
confiado. Prov 25-19

4- Boa vontade e interesse pelas pessoas

Somos o corpo de Cristo na terra, somos extensão das mãos de


Jesus, quando fazemos coisas pelos outros, estamos fazendo para
Ele.

“Porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de


beber; era estrangeiro, e hospedastes-me; Estava nu, e vestistes-
me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e foste me ver.” Mat
25:35-36

5-Sabe ouvir

Num aconselhamento é de extrema importância que o conselheiro


saiba ouvir os mais diferentes desabafos. Algumas pessoas tem
necessidade de falar muito, outras precisamos provocar que elas
falem, mas tanto uma quanto outra, ouvir é um dos melhores meios
para aprender acerca das pessoas daquelas a quem você escuta.
Ouvir pacientemente é a mesma coisa que dizer a pessoa que você se
interessa por ela.

“Portanto, meus amados irmãos, todo o homem seja pronto para


ouvir, tardio para falar, tardio para se irar.” Tg 1:19

Jesus, Nosso maior conselheiro, nos deixou uma missão e Ele é nosso
maio exemplo, aquele que o profeta Isaías profetizou: E ELE SERÀ
CHAMADO CONSELHEIRO (Isaías 6-9 ). O ser humano pode ajudar
muito com os seus conselhos, mas todos os conselhos devem estar
baseado no CONSELHEIRO JESUS E EM SUA PALAVRA.
6  
 

V. PREPARANDO-SE PARA O ACONSELHAMENTO

Se realmente queremos dar conselhos que honrem a Deus, e


entendemos nossa completa dependência de Sua sabedoria e direção
no processo de ajuda, não podemos ir para o aconselhamento sem
antes buscarmos a direção do Espirito Santo:
• Ore e busque ser cheio do Espirito Santo
• Peça ao Espirito Santo os dons necessários para ter bom êxito
nesse aconselhamento
• Peça ao Espirito Santo e receba com fé a capacitação e o
temor do Senhor .
• Peça o ao Espirito Santo revelação e autoridade para áreas que
a pessoa precisa ser liberta.
• Ore e se possível, jejue especificamente pela pessoa antes da
hora do aconselhamento.

VI. PROCEDIMENTO DURANTE O ACONSELHAMENTO

• Receba a pessoa com uma saudação gentil


• Crie um ambiente onde a pessoa possa se sentir a vontade
• Certifique que o lugar onde vocês estão garanta privacidade.
• Olhe nos olhos da pessoa e não se distraia com nada.

• Tire a capa de “super homem” – é preciso abandonar o ar de


superioridade e de passarmos a ideia de sermos inatingíveis, a
atitude de igualdade, aproxima as pessoas e a relação de ajuda
ganha uma qualidade pessoal e íntima.

• Quando você ficar indignado ou assustado com alguma situação


inesperada, não demonstre com espanto, pois isso pode bloquear a
pessoa que esta desabafando. Se você sentir que vai precisar de
ajuda no aconselhamento, seja sincero com a pessoa e peça a ela
permissão para expor o caso dela para uma pessoa mais madura.

• Não use expressões como “você não pode sentir isso” ou “você
nunca deveria ter feito aquilo”...deixe as pessoas expressarem seus
sentimentos e contar os fatos reais com liberdade...o problema não
é o que elas sentem e sim o que está no coração delas. Não
podemos trazer culpa nem podar seus sentimentos.
7  
 

• Você está lá para ajudar aquela pessoa e não resolver o problema


por ela. Cada um precisa escolher o caminho que quer seguir e é
responsável pelas suas escolhas, portanto, nunca decida pela
pessoa, leve-a a compreender, a luz da Palavra, o que Jesus fala a
respeito da sua situação, mas a decisão é somente da pessoa.
Exemplo: Jovem Rico Marcos 10 Jesus aconselhou o que ele
precisava fazer mas, deixou para o jovem tomar decisão, e Jesus
respeitou o jovem mesmo diante da escolha contrária ao seu
conselho.

• Não crie uma relação de dependência ou de controle sobre o


aconselhado, leve-o a ter uma relação de dependência com Deus
e de sua palavra, você é apenas um instrumento. Essa atitude de
dependência e controle além de sufocar, não leva o aconselhado a
desenvolver crescimento e maturidade espiritual.

• Não seja curioso, Muitas vezes determinados problemas ou


situações mais delicadas precisamos de cautela até para
ouvirmos, portanto, não queira saber detalhes de
acontecimentos forçando a pessoa a contar com profundidade
determinados sofrimentos e feridas do passado.

Lembre-se. Discipular alguém significa passar tempo com essa


pessoa partilhando tudo o que você sabe sobre o Senhor, de modo
que ela possa se firmar em Deus e cumprir o propósito e o chamado
que Ele tem para a vida dela.

Deus enviou Jesus não apenas para salvar, mas para nos redimir e
nos fazer livres de todas as cadeias e prisões que as marcas do
pecado deixaram em nossa vida e que satanás quer nos manter
cativos. Por isso não podemos fazer o aconselhamento de qualquer
jeito, as pessoas precisam de ajuda para ficarem livres em suas
mentes, e emoções.

“Eles tratam da ferida do meu povo como se ela não fosse grave.
"Paz, paz", dizem, quando não há paz alguma.” Jeremias 8:11

VII. ALVOS DO CONSELHEIRO

1- MOSTRAR NECESSIDADE DE MUDANÇA


8  
 

Discernindo o erro e o que Deus quer mudar em sua vida.

2- CONFRONTAR VERBALMENTE

Nosso compromisso não é dar respostas que agrade as


pessoas, nosso principal alvo é a o que diz a palavra de Deus.
Portanto, precisamos confrontar mediante a verdade das escrituras e
mostrar que atitudes ou condutas precisam ser mudadas.
Muitas vezes, o aconselhado ao ser confrontado, sairá
descontente, mas, mesmo assim, não podemos deixar de falar a
verdade e pedir que o Espirito Santo trabalhe no coração dessa
pessoa.

VIII. ACHANDO A RAIZ DO PROBLEMA


Como conselheiro cristãos não podemos esquecer que:

1- é por causa do pecado que o homem está em profundo conflito, e


que esse maior conflito que o ser humano vive é porque o pecado
o separou de Deus.
2- Somente através do novo nascimento, de experimentar a obra
regeneradora de Jesus Cristo é que o homem consegue viver todo
o proposito de Deus.
3- Só levando as pessoas a essa experiência é que serão capazes de
perdoar os que ofenderam, rejeitar traumas, feridas e lembranças
amargas do passado porque receberão a mente e o coração de
Cristo.
“Quanto mais o sangue de Cristo, que pelo Espírito eterno se
ofereceu a si mesmo imaculado a Deus, purificará as vossas
consciências das obras mortas, para servirdes ao Deus vivo?”
Heb 9:14

• Ao iniciarmos um aconselhamento devemos orar com a


pessoa pedindo ajuda ao Espírito Santo, isso mostra ao
aconselhado que a maior ajuda que ele precisa vem do
alto, e que você é apenas um instrumento.
• Logo em seguida, ouça com atenção o que ela está lhe
contando, porque muitas vezes, a pessoa traz o problema
externo, mas o problema real está dentro dela e é mais
profundo do que ela mesma tem consciência.
• ”Precisamos do ponto de vista de Deus em relação a
todas as coisas, e o único que nos pode conceder isso é o
9  
 

Espirito Santo de Deus sussurrando a nossa alma”


Stormie Omartian

COMO ABORDAR:

1- VERIFIQUE A VIDA ESPIRITUAL DA PESSOA, SEU RELACIONAMENTO


PESSOAL COM DEUS.
• O problema pode estar no relacionamento com Deus

• Aborde em primeiro lugar as questões que lidam com o


relacionamento vertical entre a pessoa e Deus, verifique
qual a imagem que ela faz de Deus. Tem cristãos que
tem dificuldade de esquecer seus erros, e também dos
erros de outras pessoas, entendem que Deus também faz
isso. Muitos têm uma imagem de um Deus acusador e
vivem se acusando e focam sua vida cristã naquilo que
fazem de errado e não conseguem viver na liberdade do
Espirito.

“Eu, eu mesmo, sou o que apago as tuas transgressões por amor de


mim, e dos teus pecados não me lembro.” Isaías 43:25

2-VERIFIQUE A VIDA DA PESSOA EM RELAÇÃO A SI MESMA

• O problema pode estar no relacionamento com ela mesma.

Verifique como a pessoa sente a respeito de si mesma.


“Porque, como imaginou no seu coração, assim é ele...” Prov 23:7

Trazemos da nossa infância e adolescência marcas negativas e


positivas que ajudaram a construir nossa identidade. Muitas pessoas
foram rejeitadas, ridicularizadas, comparadas e menosprezadas
trazendo distorção da imagem da pessoa com relação ela mesma.
Além de tudo isso, vivemos num mundo competitivo e exigente que
exerce pressões com padrões de comportamentos e valores que
levam as pessoas a busca incessante da felicidade em coisas que se
encontram fora do coração, diminuindo valor pessoal daqueles que
não conseguem atingir esses padrões, tendo sua identidade
fragilizada com um forte sentimento de rejeição.

Essa pessoa precisa de cura e libertação em sua mente e coração

Quando nascemos de novo o Espirito de Deus trouxe vida ao nosso


Espirito, que por causa do pecado estava morto, passamos então a
ouvir a voz do Espirito de Deus dentro de nós, fomos vivificados por
10  
 

Cristo em nosso Espirito. Mas a nossa alma e nossa mente agora


precisa ser curada e renovada

“E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela


renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa,
agradável e perfeita vontade de Deus” (Rm 12.2).

O Espírito foi regenerado mas a mente precisa ser renovada e a a


alma precisa ser curada.

• Muitas pessoas por causa de sua história de vida, possuem


verdadeiras fortalezas em sua mente e seus pensamentos estão
tão enraizados produzindo problemas que elas sozinhas não
conseguem superar.
• Leve essa pessoa a compreender quanto ela é preciosa para
Deus, e o propósito que ela tem diante Dele. Sem esse
entendimento é muito difícil a pessoa continuar andando naquilo
que recebeu

3-VERIFIQUE A VIDA DA PESSOA EM RELAÇÃO AOS OUTROS

O PROBLEMA PODE ESTAR NO RELACIONAMENTO COM OUTRAS PESSOAS

Geralmente toda pessoa que tem problemas consigo mesmo, tem


problemas de relacionamento com outras pessoas; se ofendem facilmente,
são exigentes de atenção e se melindram com facilidade Com isso,
geralmente possuem:

• Relacionamentos quebrados com pais, irmãos, marido/esposa/


amigos e parentes.

• Relacionados a autoridade, professores, pastores Chefes no


trabalho....

É preciso levar a pessoa liberar perdão a todas as pessoas que fizeram mal a
ela, como o único meio para a libertação.

Ela precisa conhecer que da mesma forma que Jesus nos perdoou, devemos
perdoar também aqueles que nos ofenderam.

Jesus perdoou as pessoas que o crucificaram dizendo:

“Pai, perdoa esta gente! Eles não sabem o que estão fazendo” Lucas 23-34
11  
 

Ele não disse que as pessoas que o crucificaram não eram culpadas, mas apesar
da culpa delas, ELE ESCOLHEU PERDOA-LAS. O perdão é uma escolha.

“Antes sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos


uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo.
Efésios 4:32

IX. ALGUMAS DICAS PARA O ACONSELHAMENTO


• Não se envolva em casos extremamente complicados, Leve os casos para
seu líder, ele saberá o que fazer. Não pense que tem que resolver todo e
qualquer problema.

• Sempre encoraje a pessoa a confiar em Deus e que o problema dela será


resolvido. Deus é fiel! Nao permita que as pessoas comecem a depender
mais do seu conselho do que de Deus, Seu conselho deve sempre ter como
fonte a Palavra de Deus I Reis 22:5 e Sl 107:20

• Nunca aconselhe alguém a parar de tomar remédio prescrito por um médico


ou de parar de qualquer atividade prescrita por um profissional. Essa é uma
decisão que deve ser feita pela própria pessoa. Se tiver dúvidas nesta área
fale com seu pastor.

Conclusão
O aconselhamento é um processo de auxílio, mas este auxílio envolve
um relacionamento. Quanto melhor o relacionamento, tanto mais bem
sucedido o aconselhamento.

“Deus não é injusto; ele não se esquecerá do trabalho de vocês e do amor que
demonstraram por ele, pois ajudaram os santos e continuam a ajudá-los.” Heb.
6:10