Está en la página 1de 6

Pediatria 5 - Distúrbios do Desenvolvimento

Conceitos Gerais
 Peso:
o Fórmula  Idade X 2 + 9
o A criança dobra de peso aos 4 meses, triplica aos 12 meses e quadruplica
com 2 anos. Dos 2 até os 8 anos, a criança ganha em média 2kg/ano
 Estatura:
o Fórmula  (Idade – 3) X 6 + 95
o Até os 2 anos é medida na posição deitada.
 Fatores que interferem na avaliação do crescimento:
o Antecedentes perinatais
o Padrão de estatura familiar
o Fatores extrínsecos (ambientais, nutricionais)
o Fatores intrínsecos (genéticos e neuroendócrinos)
 Desenvolvimento:
o Conduta motora:
 Achados normais no RN que desaparecem e reaparecem como
atividade voluntária  Reflexo de pensão, de sucção e de
marcha.
 Achados normais que persistem no adulto  Reflexos
superficiais e profundos.
 Reflexo cutâneoplantar  Inicialmente como extensão e
posteriormente como flexão dos dedos e hálux.
o Conduta adaptativa (Motor fino):
 Do centro para periferia / Da borda ulnar para a radial
 Neonatal  Fixa face humana; olhos-de-boneca 1 mês 
Segue um objeto em movimento  4 meses  Vê o objeto mas
não se movimenta para alcança-lo  7 meses  Vê o objeto e
inclina-se para pegá-lo; Transfere objetos de uma mão para outra
 10 meses  Pega objetos com o polegar e o indicador  12
meses  Pinça objetos com o polegar e o indicador  15 meses
 Torre de 3 cubos  18 meses  4 cubos  24 meses  7
cubos  30 meses  9 cubos  3 anos  10 cubos
o Conduta pessoal-social:
 Neonatal  Preferencia pela face humana 1 mês  Esboça um
sorriso 2 meses  Sorriso social  4 meses  Ri alto;
gargalhadas  7 meses  Prefere a mãe; observa-se no espelho
10 meses  Olha quando chamado pelo nome 12 meses 
Brinca; Ajuda a se vestir 15 meses  Aponta o que deseja;
Abraça 18 meses  Come sozinho; Beija  3 anos  Brinca
em paralelo com outras crianças 4 anos  Brinca com varias
crianças; Controle esfincteriano 5 anos  Veste-se e despe-se;
Faz perguntas
Puberdade:
 Período de maior velocidade de crescimento na vida extrauterina.
 O crescimento começa distalmente (mãos e pés  braços e pernas) para
somente depois se completar com o crescimento do tronco.
 Nas meninas o estirão puberal ocorre em media de 11-12 anos e cessa
aos 16 anos. Nos meninos o pico ocorre entre 13-14 anos e cessa aos 18
anos.
 Nas meninas a primeira manifestação da puberdade é o aparecimento do
broto mamário (Estágio M2), que geralmente ocorre entre 8 e 12 anos.
Em seguida ocorre a pubarca. A menarca ocorre em fases mais
avançadas (M3 e M4).
 Nos meninos a primeira manifestação da puberdade é o crescimento dos
testículos, que normalmente ocorre aos 9 anos (G2). Em seguida ocorre a
pilificação pubiana e o aumento do pênis.

Estágios de Tanner
Desnutrição

Definições:
Primária: Resulta da oferta insuficiente de energia e nutrientes

Secundária: São provocadas por doenças que aumentam as necessidades metabólicas,


diminuem a absorção intestinal ou levam à perda de nutrientes.

Classificações:
 Gomez
o Indicador Peso / Idade (percentil 50)
o Interpretação:
 Eutrófica  > 90% do peso esperado
 Desnutrição leve (1° grau) 76-90%
 Desnutrição moderada (2° grau)  61-75%
 Desnutrição grave (3° grau)  < 60%
 Presença de edema
o Desvantagens:
 Elevado percentual de falso-negativo (não considera a altura)
 Não informa a duração da doença
 A idade tem que ser conhecida
 Waterlow:
o Indicador  Peso / Estatura e Estatura / Idade (percentil 50)
o Definições:
 P/E < 90%  Magreza
 P/E < 70%  Magreza acentuada
 E/I < 95%  Baixa estatura
o Interpretação:
 Nem magreza e nem baixa estatura = Eutrófico
 Magreza e estatura normal = Desnutrido agudo
 Magreza e baixa estatura = Desnutrido crônico
 Baixa estatura e peso normal = Desnutrido pregresso
 Magreza acentuada e/ou edema  Desnutrido Grave
 OMS / MS:
o Indicador  Igual à de Waterlow  Escore Z
o Definições:
 P/E entre -2 e -3 = Magreza
 P/E < - 3 = Magreza acentuada
 E/I entre – 2 e -3 = Baixa estatura
 *Em crianças maiores que 5 anos o IMC substitui o peso!!
o Interpretação = Waterlow

Desnutrição Grave – Formas Clínicas:


Marasmo = Emagrecimento Acentuado
o Deficiência global de energia e proteínas
o Instalação lenta
o Ocorre geralmente no primeiro ano de vida
o Criança com irritabilidade emocional e apetite variável
o Ausência acentuada de tecido adiposo  Facie senil ou semiesca (perda
da gordura de Bichat – bochechas)
o Hipotrofia muscular e hipotonia
o As alterações da pele e dos cabelos são incomuns
o Não há edema!!

Kawashiorkor = Edema
o “Doença do filho destronado”
o Deficiência de proteína com ingestão energética preservada
o Instalação rápida
o Frequente após o desmame (> 2 anos)
o Crianças apáticas e anoréxicas
o Edema de extremidades que pode evoluir para anasarca
 Hipoalbuminemia, aumento de cortisol, lesão endotelial
o Hepatomegalia por esteatose hepática
o Alterações dos cabelos que tornam-se avermelhados, quebradiços e até
alopecia
o Alterações da pele com manchas hipercromicas nas áreas de atrito que
tornam-se hipocromicas após a descamação, hiperceratose (pele espessa).
o O subcutaneo encontra-se preservado!

Kawashiorkor – Marasmático = Intermediário e de pior prognóstico

Exames complementares:
o Hipoalbuminemia
o Hipoglicemia < 54 mg/dl
o Hiponatremia do tipo dilucional, Hipocalemia e hipomagnesemia
o Linfopenia
Tratamento:
Sempre hospitalar
1) Fase de estabilização (1-7 dias)
 Prevenção e tratamento da hipotermia e hipoglicemia
 Atenção aos disturbios hidroeletrolíticos (hidratação VO)
 Tratamento da infecção (“sem febre”)
 ATB de amplo espectro = Ampicilina + Gentamicina
 Iniciar alimentação (dieta habitual – 100Kcal/Kg/dia, não
hiperalimentar)  Avaliar SNG
 Suplementos de K, Mg, Zn / Não suplementar ferro!!!
 Polivitamínicos

2) Fase de reabilitação (2 – 6 semanas)


 Marco inicial  Retorno do apetite
 Dieta de alta densidade energético-protéica
o 150-200 Kcal/Kg/dia  4-6g/Kg/dia
 Suplementação de ferro
 Alta hospitalar

3) Fase de Acompanhamento:
Prevenir recaídas e assegurar a continuidade do desenvolvimento
emocional, físico e mental.
Síndrome de Baixa Estatura

Definições

Etiologia:
o Variantes normais
 Baixa estatura genética (familiar)
 Retardo constitucional
o Condições mórbidas
 Desnutrição de 1° e 2° graus
 Endócrinas (deficiência de GH, Hipotireoidismo, Aumento
Cortisol)
 Genéticas (Acondroplasia / Tunner)

Avaliações:
o Estatura atual  < p3
o Velocidade de crescimento (é o melhor dado isolado)
o Estatura dos pais
o Relação Peso / Estatura
o Complementar  Cariótipo e Idade óssea (Rx da mão e punho)

Diagnóstico:
Definir se há baixa estatura (E/I < p3)

Avaliar velocidade de crescimento

Normal Anormal

Idade óssea atrasada I.O compartivel com I.C Cariótipo  Turnner?


ou pais normais ou pais baixos Alteração Fenotípica?

Retardo Constitucional Baixa estatura genética Sim  Dça Genética


Não  Relação P/E
Bem Nutrido Emagrecido
Doenças Crônicas Desnutrição