Está en la página 1de 5
5/10/2018 Como a Alemanha usa as escolas contra mentras sobre o nazismo e © Helocausto- BEC News Brasil Como a Alemanha usa as escolas contra mentiras sobre o nazismo e o Holocausto Clarissa Neher De Berlim para a BBC News Brasil 17 setembro 2018, < GETTY IMAGES © recente episédio em que um grupo de brasileiros que nao acreditam no Holocausto contestou um video publicado no Facebook pela Embaixada da Alemanha em Brasilia colocou luz sobre uma necessidade que o governo alemao ja elegeu ha décadas como prioridade nas politicas publicas: garantir que a verdade sobre a histéria do nazismo nao seja perdida entre mentiras e boatos espalhados tanto entre adultos quanto criangas. O genocidio de cerca de seis milhdes de judeus conduzido pelo regime nazista durante a Segunda Guerra Mundial é um dos episédios mais sombrios da Histéria. Por isso, na hitpsslwwbbe.comiportuguesesinteracional45502884 wn 5/10/2018 Como a Alemanha usa as escolas contra mentras sobre o nazismo e © Helocausto- BEC News Brasil Alemanha, 0 Holocausto nao é visto apenas como um fato histrico comum; tal abordagem se reflete, inclusive, na maneira € na frequéncia com que o tema é tratado em sala de aula. = Como oportunidades iguais a ricos e pobres ajudaram Finlandia a virar referéncia em educagao = Continéncia, ‘inspegao de cabelo' e tutoria de PMs: a rotina em uma escola com regras e disciplina militares = As ligdes para a Educacao do pais em que pedreiros estudam por até 4 anos e ganham salérios de R$ 20 mil Quando estavam na 9° série ¢ tinham 15 anos, os alunos berlinenses Willy Hanewald e Franz Kloth tiveram as primeiras aulas sobre o Holocausto. Seus professores de Historia apresentaram o tema em sala de aula e, posteriormente, organizaram excursées a memorais. Willy, que estuda numa escola publica, foi com sua turma ao campo de concentragdo Sachsenhausen, localizado nos arredores de Berlim. Jé a escola privada onde Franz estudava organizou uma viagem a Auschwitz, na Polénia. “A excursdo foi uma experiéncia muito mais marcante do que a abordagem em sala de aula Acho que é impossivel compreender profundamente a dimensao do Holocausto sem nunca ter estado num campo de concentracao", diz Willy, de 17 anos. Talvez também te interesse Eleigées 2018: as propostas de todos os candidatos a presidente do Brasil © que é 0 fascismo? Perguntamos a pensadores da Italia, ber¢o do movimento Os candidatos a Presidéncia e quais dificuldades tém de superar durante a campanha © que é a ‘pasta nuclear’, material mais duro ja descoberto no Universo Franz, de 18 anos, teve a mesma impressao que o colega e destacou outra experiéncia que ‘© marcou: uma palestra de um sobrevivente do Holocausto, "Essas atividades sao importantes, pois somente imagens em preto e branco nao sao suficientes para compreender ‘completamente o que aconteceu", ressalta, Os dois jovens fazem parte do Comité de Alunos de Berlim que defende a implementacao da obrigatoriedade da visita a campos de concentragao financiada pelo governo no curriculo escolar - 0 que atualmente nao acontece. "Vivemos atualmente um periodo cultural muito fragil, precisamos sempre relembrar 0 que aconteceu e como aconteceu para isso nunca voltar a acontecer", diz Franz. Contra equivocos e falta de informagao No episédio recente, um grupo de brasileiros que contestam a existéncia do Holocaust rebateram nas redes sociais 0 video da embaixada alema, alegando que as informagdes publicadas ali eram inveridicas que o nazismo seria uma ideologia criada pela esquerda. hitpsslwwbbe.comiportuguesesinteracional45502884 ane 5/10/2018 Como a Alemanha usa as escolas contra mentras sobre o nazismo e © Helocausto- BEC News Brasil Nas escolas da Alemanha, a abordagem pedagégica sobre esse capitulo histérico procura promover uma reflexao critica sobre o passado e a sociedade, além de buscar evitar que esses crimes voltem a ocorrer no futuro, "O ensino sobre o Holocausto lembra as pessoas dos perigos que elas mesmas esto vulneraveis se expostas a propaganda intolerante, preconceitos, injusticas, humilhagao e violéncia potencial", afirma Peter Carrier, coordenador de um projeto de pesquisa da Unesco sobre 0 Holocausto na educagao, promovido pelo Instituto alemao Georg Eckert. Atualmente, 0 Holocausto faz parte da grade curricular na 9* ou 10° série, quando os alunos tém cerca de 15 anos. "A tematizagao do Holocausto e do Nazismo é uma parte obrigatoria no curriculo de Histéria em todos os Estados da Alemanha’, afirma Detlef Pech, professor de pedagogia na Universidade Humboldt de Berlim. Apesar de a politica educacional na Alemanha caber aos governos estaduais, a Conferéncia de Secretérios de Educagao, érgao nacional que faz recomendagdes sobre 0 ensino, comegou a sugerir na década de 1960 uma abordagem mais profunda sobre o Holocausto em sala de aula. Os professores tém liberdade para desenvolver diversas atividades pedagégicas sobre o tema, entre as quais estao visitas a memorais. Porém, essas atividades nao sao obrigatérias ¢ sua realizagao depende exclusivamente da vontade e do empenho dos educadores. Controversia e resisténcia (O modelo pedagégico atual é resultado de um debate publico que floresceu no fim da década de 1970 na Alemanha Ocidental, com a exibigo da série americana Holocausto, que retratou a histéria do genocidio a partir da perspectiva de uma familia de judeus alemaes e contou com a participagao de Meryl Streep e James Woods. ‘Além de contribuir para o debate sobre o tema em sala de aula, a exibi¢do da série introduziu 0 termo Holocausto no pais. Até entdo, 0 episddio era tratado como perseguigao e morte de judeus. Essa discussao piiblica também impulsionou mudangas na abordagem pedagégica sobre o tema. hitpsslwwbbe.comiportuguesesinteracional45502884 ana