Está en la página 1de 6

1 REDES ELÉTRICAS

Material de consulta do aluno

1º Tópico – Introdução

1.1 – Terminologia

Rede Básica: conjunto de linhas, subestações e demais equipamentos associados de


tensão igual ou superior a 230 kV, conforme definido na Resolução ANEEL nº 166, de 31
de maio de 2000.

Sistema de Transmissão: conjunto de linhas, subestações e demais equipamentos


associados de tensão igual ou superior a 69 kV.

Sistema de Subtransmissão: conjunto de linhas, subestações e demais equipamentos


associados de tensão igual a 34,5 kV, com função de transmissão de energia elétrica
entre subestações.

Sistema de Distribuição: conjunto de linhas e demais equipamentos associados de


tensão inferior a 69 kV, com função de distribuição direta em média tensão (34,5 kV e/ou
13,8 kV) ou através de Transformadores de Distribuição.

Rede Elétrica: conjunto integrado pelos Sistemas de Transmissão, Subtransmissão e


Distribuição.

Transformador Interligador: Transformador que interliga dois subsistemas de


transmissão de tensões diferentes.

Transformador de Carga: Transformador que alimenta cargas diretamente, ou em baixa


tensão (127/220 V) através de uma rede de distribuição de média tensão (13,8 kV e/ou
34,5 kV) onde estão ligados os Transformadores de Distribuição (média tensão/baixa
tensão).
2 REDES ELÉTRICAS

Transformador de Distribuição: Transformador que alimenta cargas de baixa tensão


(220/127 V ou 380/220 V) através de uma rede de distribuição de média tensão (34,5 kV
ou 13,8 kV).

1.2 – Elementos do Sistema Elétrico de Potência (SEP)

O SEP é composto pela Geração ou Produção, Transmissão ou Transporte, Distribuição e


Proteção.

Veja na figura 1 o trajeto da energia elétrica desde a usina onde ela é gerada até chegar à
sua casa.

Figura 1 - Elementos do Sistema Elétrico de Potência


3 REDES ELÉTRICAS

1.2.1 – Geração ou Produção

A geração de energia elétrica se leva a cabo mediante diferentes tecnologias. As


principais aproveitam um movimento rotatório para gerar corrente alternada em
um alternador. O movimento rotatório pode provir de uma fonte de energia
mecânica direta, como a corrente de uma queda d'água, marés e correntes subaquáticas
ou o vento, ou de um ciclo termodinâmico.

Em um ciclo termodinâmico se esquenta um fluido e se consegue com que realize um


circuito no qual move um motor ou uma turbina. O calor deste processo se obtém
mediante a queima de combustíveis fósseis, as reações nucleares ou outros processos,
como o calor proveniente do interior da Terra ou o calor do Sol.

A geração de energia elétrica é uma atividade humana básica já que está diretamente
relacionada com os requerimentos primários da humanidade. Todas as formas de
utilização das fontes de energia, tanto as convencionais como as denominadas
alternativas ou não convencionais, agridem em maior ou menor medida o nosso meio
ambiente.

Hoje em dia, uma fonte geradora de energia muito divulgada, por não agredir o meio
ambiente, é a fotovoltaica. Nessa forma de geração de energia a luz do sol é
transformada em eletricidade.

1.2.2 – Transmissão ou Transporte

A transmissão de energia é dividida em duas faixas: a transmissão propriamente dita,


para potências mais elevadas e ligando grandes centros, e a distribuição, usada dentro de
centros urbanos, por exemplo.

Cada linha de transmissão possui um nível de tensão nominal, onde encontramos valores
até de 750 kV, com diversos estudos e protótipos em 1 a 1,2 MV. As linhas de distribuição
são usualmente na faixa de 13,8 kV no Brasil, e 15KV em Portugal continental. Para a
conversão entre níveis de tensão, são usados como equipamento fundamental
o transformador de potência. Os transformadores de grande porte (para grandes
4 REDES ELÉTRICAS

elevações ou diminuições na tensão do sistema) encontram-se normalmente


nas subestações.

Em sistemas de grande porte, é usual a interligação redundante entre sistemas, ou ainda


a ligação em anel, formando uma rede. O número de interligações aumenta a
confiabilidade do sistema, porém aumentando a complexidade. A interligação pode tanto
contribuir para o suprimento de energia quanto para a propagação de falhas do sistema:
um problema que ocorra em um ponto da rede pode afundar a tensão nos pontos a sua
volta e acelerar os geradores, sendo necessário o desligamento de vários pontos,
incluindo centros consumidores, provocando um blecaute.

Alguns consumidores de grande porte são alimentados diretamente pela linha de


transmissão.

1.2.3 – Distribuição

É a etapa final no fornecimento de energia elétrica; é a parte do sistema elétrico ligado ao


subsistema de transmissão, através do qual faz-se a entrega da energia elétrica aos
consumidores, tendo início em uma subestação (distribuição primária em alta tensão) ou
em um posto de transformação (distribuição secundária em baixa tensão). Na prática é
visível através de ramificações de cabos elétricos ao longo de ruas, levando a energia aos
consumidores conectados ao sistema elétrico.
5 REDES ELÉTRICAS

1.2.4 – Proteção

Diversos problemas assolam a integridade de uma rede de transmissão, tais como:

 Sobretensões devido a descargas atmosféricas;


 Sobretensões devido a manobras;
 Ventania, furacões, geada e outras condições climáticas extremas;
 Poluição;
 Vandalismo;
 Eletrocorrosão.

Alguns destes problemas são transitórios, desaparecendo após o desligamento da linha.


Outros acarretam danos permanentes, como queda de torres.

Defeitos de origem elétrica podem ser minimizados a partir de sistemas de proteção:

 Cabos pararraios,
 Pararraios (supressores de surto),
 Pararraios de linha,
 Procedimentos coordenados de manobra,
 Aterramento adequado,
 Proteção catódica.
6 REDES ELÉTRICAS

BIBLIOGRAFIA

a) Manual da COPEL – Companhia Paranaense de Eletricidade S. A.

b) Site da Light-RJ – www.light.com.br

c) ARTECHE – Produtos para AT e BT

d) Site da ANEEL – www.aneel.gov.br

e) https://pt.wikipedia.org/wiki/Transmiss%C3%A3o_de_energia_el%C3%A9trica –
último aceso em 14/04/2018 às 11h05min.