Está en la página 1de 23

SISTEMAS ESTRUTURAIS II

AULA 5: SISTEMAS ESTRUTURAIS BÁSICOS –


VIGA, TRELIÇA, VIGA VIERENDEEL E PILAR
SISTEMAS ESTRUTURAIS BÁSICOS: VIGAS VIERENDEEL
a) Comportamento
AFINAL, O QUE É UMA VIGA VIERENDEEL?

Assim como as treliças, é um sistema formado por barras que se encontram em pontos
chamados nós. Afim de entender o funcionamento desse sistema é importante que se imaginem
as seguintes situações:

VER
MODELAGEM
DO SISTEMA
SISTEMAS ESTRUTURAIS BÁSICOS: VIGAS VIERENDEEL
a) Comportamento
TANTO A VIGA SUPERIOR QUANTO OS MONTANTES VERTICAIS ESTÃO SUJEITOS À:
 Compressão simples;
VIGA (OU MEMBRURA)
 Momento fletor;
SUPERIOR COMPRIMIDA
 Força cortante.
AO PASSO QUE A VIGA INFERIOR ELA ESTÁ SUJEITA À MONTANTE
 Tração simples;
 Momento fletor;
 Força cortante.

MAIOR
CONSUMO
DE MATERIAL NÓ

APOIO APOIO
VIGA (OU MEMBRURA)
INFERIOR TRACIONADA
SISTEMAS ESTRUTURAIS BÁSICOS: VIGAS VIERENDEEL
b) Materiais e seções usuais
 Esforços = Tração simples, Compressão simples e Momento fletor
 Vínculos = Rígidos
 Material = Aço e Concreto:
 Concreto moldado “in loco”: Vínculos naturalmente rígidos
 Aço: Peças soldadas
 Seção = As que vencem simultaneamente todos os esforços; isto é, seções que
tenham material distribuído longe do centro de gravidade, em duas direções, e
com maior concentração na direção do esforço de flexão.

Último caso!
SISTEMAS ESTRUTURAIS BÁSICOS: VIGAS VIERENDEEL
c) Aplicações e limites de utilização

 Usadas para vencer vãos


 Quando se exige grandes vazios na alma para:
• Passagem de tubulações
• Permitir ventilação e iluminação
• Tornar vigas de grande porte visualmente mais leves
 Podem ser usadas para sustentação de coberturas, de pisos e, particularmente,
em vigas de transição de pilares.
 Os limites de utilização da viga vierendeel são os mesmos das vigas de alma
cheia
SISTEMAS ESTRUTURAIS BÁSICOS: VIGAS VIERENDEEL
SISTEMAS ESTRUTURAIS BÁSICOS: VIGAS VIERENDEEL
SISTEMAS ESTRUTURAIS BÁSICOS: VIGAS VIERENDEEL
SISTEMAS ESTRUTURAIS BÁSICOS: VIGAS VIERENDEEL
SISTEMAS ESTRUTURAIS BÁSICOS: VIGAS VIERENDEEL
SISTEMAS ESTRUTURAIS BÁSICOS: VIGAS VIERENDEEL
SISTEMAS ESTRUTURAIS BÁSICOS: VIGAS VIERENDEEL
d) Pré-dimensionamento de vigas vierendeel
SISTEMAS ESTRUTURAIS BÁSICOS: PILARES
a) Comportamento
O PILAR É PEÇA FUNDAMENTAL NA CONCEPÇÃO ESTRUTURAL

 Quando submetido a cargas verticais sofre apenas COMPRESSÃO SIMPLES


 Quando sujeito a cargas horizontais devidas ao vento ou a frenagem de veículos, além da
COMPRESSÃO SIMPLES, o pilar passa a receber esforço de FLEXÃO
SISTEMAS ESTRUTURAIS BÁSICOS: PILARES
b) Materiais e seções usuais
 Esforços = Compressão simples
 Material = Aço e Concreto:
 Aço: Mais resistente, porém, essa
virtude pode tornar-se um defeito...
 Concreto: Área de projeção superior,
mas custo inforior
 Seção = No aço utilizar seções quadradas
vazadasou seções H (pois apresentam
razoável equivalência de rigidez nas duas
direções). No concreto utilizar seções
circulares ou quadradas (as vazadas
possuem restrições de ordem construtiva)
SISTEMAS ESTRUTURAIS BÁSICOS: PILARES
c) Aplicações e limites de utilização
UMA DISTRIBUIÇÃO ADEQUADA, COM DIMENSIONAMENTO E ESPAÇAMENTOS DENTRO DE
CERTOS LIMITES, CONDUZ A SOLUÇÕES MAIS ECONÔMICAS NO CONJUNTO ESTRUTURAL

No aço e no concreto, os
espaçamentos entre 4 e 6 metros
são os ideais, desde que
possíveis segundo o projeto
arquitetônico
SISTEMAS ESTRUTURAIS BÁSICOS: PILARES
c) Aplicações e limites de utilização
UMA DISTRIBUIÇÃO ADEQUADA, COM DIMENSIONAMENTO E ESPAÇAMENTOS DENTRO DE
CERTOS LIMITES, CONDUZ A SOLUÇÕES MAIS ECONÔMICAS NO CONJUNTO ESTRUTURAL
SISTEMAS ESTRUTURAIS BÁSICOS: PILARES
d) Pré-dimensionamento de pilar
SISTEMAS ESTRUTURAIS BÁSICOS: PILARES
d) Pré-dimensionamento de pilar
SISTEMAS ESTRUTURAIS BÁSICOS: PILARES
d) Pré-dimensionamento de pilar
SISTEMAS ESTRUTURAIS BÁSICOS: PILARES
d) Pré-dimensionamento de pilar
SISTEMAS ESTRUTURAIS BÁSICOS: PILARES
d) Pré-dimensionamento de pilar
SISTEMAS ESTRUTURAIS BÁSICOS: PILARES
d) Pré-dimensionamento de pilar
SISTEMAS ESTRUTURAIS BÁSICOS
Comparativo quanto ao uso de materiais em cada sistema estrutural