Está en la página 1de 30

UNIVERSIDADE FEDERAL DE

PERNAMBUCO
DEPARTAMENTO DE GEOLOGIA

Interpretação de imagens
Profa. Dra. Thais A. Carrino
thais.carrino@gmail.com

Definição de zonas homólogas de drenagem


referentes à bacia sedimentar e a
embasamento cristalino; exemplos de tipos
de drenagem estruturadas e não estruturadas Parte 3
O fluxo de água em rios e córregos é, normalmente,
confinado em canais (Nichols, 2009)
Drenagem vamos considerar rio, córrego, igarapé,
canais sem água (intermitentes), etc
Divisor de
bacia Bacia de drenagem
limitada por divisores
de drenagem

Drenagem de primeira, segunda,


terceira (...) ordens

Fonte: figuras extraídas de compilações feitas por Lima (2006)


Tipos de
padrões de
drenagem
relacionadas com
com processos de
erosão (dendrítico,
radial, anelar,
(Pazzaglia 2010)
retangular, treliça,
etc), transporte e
deposição de
sedimentos (e.g.,
meandrante,
anastomosado,
entrelaçado, e leque
Fonte: figura extraída de compilações feitas por Lima (2006)
aluvial e deltas –
Lima, M.I.C. 2006. Apostila – Análise de drenagem e seu significado geológico-
ambos com padrão
geomorfológico. 3ª edição, Belém, 194 p.
dicotômico)
QUESTÃO 1: DENSIDADE DE
DRENAGEM E INFERÊNCIA SOBRE
A PERMEABILIDADE DE ROCHAS
Questão da densidade Bacia sedimentar
de drenagem e como
diferenciar uma área
sedimentar de uma
área dominada por
rochas ígneas e Embasamento
cristalino
metamórficas

Imagem altimétrica
(SRTM)
Pixels claros indicam áreas
mais elevadas
De acordo com Soares e Fiori (1976):

“para uma área com mesmo índice pluviométrico, a


permeabilidade é inversamente proporcional à densidade
de drenagem, pois densidades maiores significam menor
potencial à infiltração e vice-versa”.

(...)

“A permeabilidade é a propriedade mais facilmente


interpretada e útil em áreas de rochas sedimentares.
Podemos quantificar esta propriedade tendo em vista as
densidades relativas dentre as zonas homólogas: baixa,
média e alta etc”.

*Soares, P.C; Fiori, A.P. 1976. Lógica e sistemática na análise e interpretação de fotografias aéreas em Geologia. Not.
Geomorfol., Campinas, 16(32): 71-204.
QUESTÃO 2: DRENAGENS
ESTRUTURADAS
De praxe, a drenagem com padrão
dendrítico não está associada com nenhum
evento estrutural ou intrusivo.

PADRÃO DENDRÍTICO não indica drenagem


estruturada (ramificações irregulares de drenagens em
todas as direções)
Quando rocha (substrato) é
homogênea (sedimentar,
ígneo) ou há a presença de
estratos sedimentares
horizontais (Riccomini et
al., 2000)
Riccomini, C., Gianini, P.C.F., Mancini, F. 2000. Rios e processos
aluviais. In: Teixeira, W., Toledo, M.C.M., Fairchild, T.R., Taiolo, F.
Decifrando a Terra. Oficina de Textos-USP, São Paulo, p. 191-214.
Podemos interpretar nossa tabela de tipos de
padrão de drenagem como:
Padrões com FORTE
Padrão DENDRÍTICO com componente
desenvolvimento livre estrutural

Mas, os demais
padrões
listados
(subdendrítico,
subparalelo,
paralelo e
radial) também
apresentam
alguma
Meandrante Anelar componente
estrutural
associada sim
De acordo com Soares e Fiori (1976):

“zonas de fraturamento, por serem mais facilmente


atacadas pelos processos meteóricos e erosivos,
constituem zonas de desenvolvimento preferencial de
linhas de drenagem retilíneas; aos elementos de
drenagem fortemente estruturados, retilíneos ou em arco,
denomina-se lineações de drenagem (...)”.

Observação #2: este termo


é errôneo!
Observação #1: também O certo é LINEAMENTOS
considerar as zonas de DE DRENAGEM (vide
falhas, cisalhamento, etc O’Leary et al., 1976)
O’Leary, D.W., Friedman, J.D., Pohn, H.A.
1976. Lineament, linear, lineation: some
proposed new standards for old terms.
Geological Society of America Bulletin, 87:
1463-1469.

Lineação é um termo padrão em casos como “lineação


mineral” (estiramento mineral)

“Lineação é alinhamento estrutural unidimensional de


componentes internos de uma rocha (...)” (O’Leary et al.,
1976)
Lineamento é um termo padrão para feição linear no
terreno interpretada em fotografias aéreas ou imagens
digitais, por exemplo
*Observação: este artigo de O’Leary et al. (1976) será passado aos alunos nesta aula, na versão digital
Algumas considerações em O’Leary et al. (1976):

Termo lineamento implica em:

Lineamento possui expressão geomorfológica (quebra


negativa ou positiva)
Lineamento é caracterizado por alinhamento numa única
direção, e reflete um fenômeno subsuperficial
Lineamentos apresentam uma componente reta (linear) ou
levemente curvilínea
Lineamentos: relacionados com descontinuidade
estrutural (e.g., fratura, falha, zonas de cisalhamento)
QUESTÃO 3: DRENAGEM DO TIPO
SUBDENDRÍTICO
PADRÃO DE DRENAGEM
SUBDENDRÍTICO

Há algum controle de
drenagem em relação
ao padrão dendrítico
(controle estrutural,
litológico,
litoestrutural)
Soares e Fiori (1976)
(Lima, 2006)

Lima, M.I.C. 2006. Apostila – Análise de drenagem e seu


significado geológico-geomorfológico. 3ª edição, Belém, 194 p.
QUESTÃO 4: DRENAGEM TIPO
TRELIÇA
PADRÃO TRELIÇA reflete a
presença de rochas com diferentes
resistências à erosão; caso comum
é a existência de dobras, como no
exemplo mostrado abaixo:

Soares e Fiori (1976)

serra

vale Neste tipo de padrão de


drenagem, há controle das
mesmas por estruturas
geológicas. Rios tributários
ficam dispostos em ângulo de
90° em relação ao rio principal
(Lima, 2006)
Lima, M.I.C. 2006. Apostila – Análise de drenagem e seu
significado geológico-geomorfológico. 3ª edição, Belém,
Fonte : http://slideplayer.com.br/slide/293923/ 194 p.
De acordo com Soares e Fiori (1976):

“Resistência à erosão: a resistência de um maciço


depende, inicialmente, do grau de alterabilidade da rocha
ou sua maior ou menor resistência ao intemperismo
químico; em segundo lugar, do grau de consolidação, ou
maior ou menor facilidade de desagregação ou resistência
à destruição física do maciço. Rochas com diferentes
composições químicas apresentarão resistência diferencial
aos processos erosivos e texturas de relevo diferentes: -
Maciços rochosos cobertos por espesso manto de
intemperismo apresentarão as mesmas propriedades de
rochas facilmente desagradáveis. Assim, os maciços
rochosos com maior alterabilidade apresentarão maior
erodibilidade (...). O melhor critério analítico para
interpretar os diferentes graus de erodibilidade resulta do
exame das formas de encosta ou vertentes (...)”
*Soares, P.C; Fiori, A.P. 1976. Lógica e sistemática na análise e interpretação de fotografias aéreas em Geologia. Not.
Geomorfol., Campinas, 16(32): 71-204.
Exemplo de padrão de drenagem do
tipo treliça

Lima, M.I.C. 2006. Apostila


– Análise de drenagem e
seu significado geológico-
geomorfológico. 3ª edição,
Belém, 194 p.

Figura extraída de Lima (2006)


Exemplo de padrão de drenagem do
tipo treliça

Lima, M.I.C. 2006. Apostila


– Análise de drenagem e
seu significado geológico-
geomorfológico. 3ª edição,
Belém, 194 p.

Figura extraída de Lima (2006)


QUESTÃO 5: DRENAGENS DOS
TIPOS RADIAL E ANELAR
PADRÃO RADIAL associação,
em geral, com domo, cratera vulcânica,
ou paleoestratovulcão

Soares e Fiori (1976)

Fonte: http://slideplayer.com.br/slide/293923/

PADRÃO ANELAR
drenagens apresentando
algum grau/padrão circular
(ex.: cratera de impacto
meteorítico) Soares e Fiori
(1976)
Exemplo de padrão de drenagem do
tipo anelar

Lima, M.I.C. 2006. Apostila –


Análise de drenagem e seu
significado geológico-
geomorfológico. 3ª edição, Belém,
194 p.

Drenagem do
tipo anelar,
fortemente
estruturada

Figura extraída de Lima (2006)


PADRÃO ANELAR E ELÍPTICO domo,
estrutura de impacto, intrusão ígnea, etc.

Exemplo de drenagem Exemplo de drenagem


com componente com componente
fracamente anelar fortemente anelar
QUESTÃO 6: DRENAGEM DO TIPO
DICOTÔMICO
PADRÃO DICOTÔMICO
ocorre em ambiente sedimentar, como
leque aluvial, deltas

Soares e Fiori (1976)

Drenagem Fonte: http://moodle-


arquivo.ciencias.ulisboa.pt/1213/pluginfile.php/57417/mod_resource/content/1/Aula%204%20-
%20Leques%20Aluviais.pdf
possui forma
de leque
QUESTÃO 7: DRENAGEM DO TIPO
PARALELO E SUBPARALELO
PADRÃO PARALELO drenagens
com forte paralelismo entre si; ocorrem em
ambiente sedimentar, na transição com
uma área com declive (rocha mais
Soares e Fiori (1976)
resistente à erosão)

Fonte:
http://pt.slideshare.net/patriciaedersonmlynarczuk/a
ula-03-hidrologia

Soares e Fiori (1976)

É comum haver um PADRÃO


SUBPARALELO drenagens com menor grau de
paralelismo
QUESTÃO 8: DRENAGEM DO TIPO
RETANGULAR E ANGULAR
PADRÃO RETANGULAR pode indicar existência
de fraturas, falhas. Há forte controle estrutural na área.
Drenagens dispostas, entre si, em ângulo de 90°.

Fraturas
Fonte: http://slideplayer.com.br/slide/293923/
Soares e Fiori (1976)

PADRÃO ANGULAR é um
padrão similar com o retangular, mas
os ângulos entre as drenagens são,
predominantemente, oblíquos.
Soares e Fiori (1976)
REFERÊNCIAS USADAS
Lima, M.I.C. 2006. Apostila – Análise de drenagem e seu significado
geológico-geomorfológico. 3ª edição, Belém, 194 p.

Nichols, G. 2009. Rivers and alluvial fans. In: Nichols, G. (Ed.).


Sedimentology and stratigraphy. 2st Ed., Chichester, Wiley-Blackwell, p.
129-150.

O’Leary, D.W., Friedman, J.D., Pohn, H.A. 1976. Lineament, linear,


lineation: some proposed new standards for old terms. Geological
Society of America Bulletin, 87: 1463-1469.

Riccomini, C., Gianini, P.C.F., Mancini, F. 2000. Rios e processos


aluviais. In: Teixeira, W., Toledo, M.C.M., Fairchild, T.R., Taiolo, F.
Decifrando a Terra. Oficina de Textos-USP, São Paulo, p. 191-214.

Soares, P.C., Fiori, A.P. 1976. Lógica e sistemática na análise e


interpretação de fotografias aéreas em Geologia. Not. Geomorfol.,
Campinas, 16(32): 71-204.