Está en la página 1de 10

A CABRA CABRIOLA

Lourdes Ramalho

Texto

www.teatronaescola.com
CENA 1

(Maria brinca no pátio e a Mãe entra.)

MÃE Maria, minha filhinha, agora vou trabalhar!


Você vai ficar quietinha, não saia a passear,
pois a Cabra Cabriola anda por este lugar!

(Maria nem escuta, continua brincando.)

MÃE Maria, sua teimosa – faça o favor de escutar,


se você for sequestrada, se a Cabra lhe pegar,
não tenho dinheiro e joias para o resgate pagar!

MARIA Ah, mamãe, não acredito nessa história – é inventada!


Mas, pode ir, aqui fico neste batente, sentada.
Vá tranquila que sua filha nunca será sequestrada!

(A mãe sai e Maria vai passear.)

MARIA Obedecer? – Ah, quem disse? – Vou sair a passear,


caçar borboletas, ninhos, correr, pular e brincar,
até pegar passarinhos para em gaiolas criar!

Mamãe, que é muito chata, bobagens vive a inventar!


Não acredito que venha gente ou bicho me pegar!
– Mas... que figura é aquela que vem correndo pra cá?
CENA 2

CABRA Menina, espere um pouco – quero com você falar!

MARIA Desculpe, estou apressada e não posso demorar!

CABRA Espere aí, malcriada! – Então não vai esperar?

MARIA Não tenho nenhum negócio com você – vá dando o fora!

CABRA Que menininha atrevida! – Boa lição dou-lhe agora


– não adianta esquivar-se – reze, chegou sua hora!

(Música e dança em forma de luta. A cabra arrasta Maria e saem as duas.)

CENA 3

MÃE Maria! Cheguei, Maria – e já vamos almoçar!


Maria! – Fala, menina – onde é que você está?
– Já sei, são artes da Cabra – veio a menina buscar!

(Mãe senta no batente e chora. Entra o Boi.)

BOI Bom dia, minha comadre – que desgosto a faz chorar?

MÃE A Cabra levou Maria e eu não posso resgatar!

BOI Arranje boa comida que Maria vou buscar!


MÃE Se é assim compro verdura lá no mercado Mau Preço.
Você sabe onde é a casa – tem da Cabra o endereço?

BOI Quem tem boca vai à Roma e confiança mereço!

(Mãe sai, Boi dança e ela entra depois.)

MÃE Só estas poucas verduras no Mau Preço pude achar!

BOI São murchas, mas vou comendo – não tardarei a voltar!

MÃE Traga Maria e garanto, juntos vamos almoçar!

(Boi vai à casa da Cabra.)

BOI Dona Cabra Cabriola – se quer viver mais um dia,


entregue a menina agora – eu vim buscar a Maria!

CABRA Trouxe um milhão em dinheiro? – Então entrou numa fria!

(Cabra arrasta o Boi e joga a cabeça dele pra fora.)

CENA 4

MÃE Já se foram cinco horas e o Boi inda não voltou,


se não pagou o resgate – ele também lá ficou!
– Pobre de minha filhinha, pobre de mim que estou só!
CÃO Boa tarde, minha amiga – que desgosto a faz chorar?

MÃE A cabra levou Maria e eu não posso resgatar!


Compadre Boi foi buscá-la – também não pôde voltar!

CÃO Se eu comer muita carne a menina vou buscar!

MÃE Se é assim vou ao Ruim Preço para um pedaço comprar,


levo um saco de dinheiro que a carne cara está!

(Mãe sai e o Cão dança até ela voltar.)

MÃE Em que mundo nós estamos, está bom mesmo de acabar,


com todas aquelas notas – veja o que pude comprar...

CÃO Nem um buraco de dente esta carne vai tapar!


Mas, eu vou buscar Maria – faça-me um bom jantar!

(Cão chega à casa da Cabra.)

CÃO Dona Cabra Cabriola, se quer viver mais um dia,


entregue a menina agora, pois eu vim buscar Maria!

CABRA Trouxe dois milhões em notas? – Pois já entrou numa fria!

(Agarra o cão e joga a cabeça dele fora.)

CENA 5

MÃE Já deve ser meia-noite e o Cão inda não voltou,


se não pagou resgate ele também lá ficou.
– Pobre de minha filhinha, pobre de mim que estou só!

CENA 6

COELHO Bom dia, Mãe de Maria – por que está a chorar?

MÃE A Cabra levou minha filha – só posso me lamentar!

COELHO Dê-me uma cenourinha – que depressa eu vou buscar!

MÃE Tome aqui este saquinho – eu fui à feira comprar


comida pra minha filha – mas ela foi passear.

COELHO Pode ficar esperando – depressa iremos voltar.

(Coelho dança e vai à casa da Cabra.)

COELHO Cabra Cabriola, abra esta porta já!


Eu vim buscar a Maria e com ela vou voltar!

CABRA Trouxe dinheiro? Pois outros nem puderam regressar!

(Cabra agarra o Coelho e joga-lhe a cabeça fora.)


CENA 7

MÃE Aí vem a madrugada – do Coelho nem notícia


e eu não tenho mais dinheiro pra vencer tanta malícia.
Recorrer a quem não tenho – autoridades... polícia...

GALO Cocorococococó! Minha amiga, o que é que há?

MÃE A Cabra levou Maria – não tenho a quem reclamar!

GALO Dê-me um punhado de milho que Maria vou buscar!

MÃE Milho só tenho um restinho – ah, tenho lutado em vão


com uma espada traspassada dentro do meu coração!

GALO Vou trazer a sua filha! – Sou o Galo Serapião!

(Sai cantando e dançando e vai à casa da Cabra.)

GALO Dona Cabra Cabriola! Vamos os dois conversar!


Eu vim buscar a Maria e com ela vou voltar!

CABRA Trouxe dinheiro? Sem ele você vai se arrebentar!

(Agarra o Galo e joga-lhe a cabeça fora.)

CENA 8

GATO Boa noite, minha amiga – que desgosto a faz chorar?


MÃE A Cabra levou Maria e eu não posso resgatar.
Boi e Cão foram buscá-la, também ficaram lá!

GATO Boi e Cão são uns molengas – fracos, nem sabem lutar!
Dê-me dez litros de leite e garanto que vou lá!

MÃE Eu vou no Péssimo Preço e seu leite vou comprar!

(Mãe sai e o Gato dança até ela voltar.)

MÃE Com estes supermercados já não se pode contar


– levo um sacão de dinheiro – e um saquinho de leite dá!
E bem contente se fica se esse mesmo não talhar!

GATO Com um só litrinho de leite sou capaz de fraquejar!

(Gato sai e chega na casa da Cabra.)

GATO Dona Cabra Cabriola, vim a menina buscar!

CABRA Trouxe três milhões em notas? Então o que veio fazer cá?

(Cabra agarra o Gato e tira fora a cabeça dele.)

CENA 9

MÃE Já está amanhecendo e ninguém pôde voltar!

FORMIGA Bom dia, minha comadre – sua menina, onde está?


MÃE Ah, a Cabra Cabriola levou pras bandas de lá!

FORMIGA E a senhora não fez nada para sua filha resgatar?

MÃE Boi, Gato e Cão já tentaram – nem conseguiram voltar!

FORMIGA Dê-me um pouco de açúcar pois eu também vou tentar!

MÃE Eu não tenho mais açúcar, não tenho também dinheiro,


só um taco de rapadura guardado no açucareiro!

FORMIGA Ah, vai servir de alimento para todo o formigueiro!

CENA 10

FORMIGA Como sou pequenininha – não vou bater nem falar!


Entro bem devagarinho – a Cabra não vai notar.
– Meto-lhe o ferrão no olho – e ela sai, doida, a gritar!

CABRA Ai, ai, ai, sua malvada – estou cega, pobre de mim!
Dou três saltos e três berros, mas a dor não passa assim!

TODOS Quem só semeia desgraça – a desgraça tem por fim!

(Todos colocam suas cabeças de volta e amarram a Cabra a um mourão.)

TODOS A Maria, arrependida, leva um enorme carão,


e todos vocês que assistem – aprendam bem a lição!

FIM