Está en la página 1de 3

Universidade Federal Rural de Pernambuco

Unidade Acadêmica do Cabo de Santo Agostinho


Cálculo Diferencial e Integral I - 1◦ Semestre de 2017
Professor: Serginei José do Carmo Liberato
Lista 4: Regra da cadeia, Derivação Implı́cita, Regra de L’Hospital e Taxas Relacionadas

1. Determine a derivada das funções dada.

a) f (x) = (2x + 1)2 h) f (x) = sec(6x) x2 + 1


o) h(x) =
b) f (x) = (x2 + 4x − 5)4 i)f (x) = csc(3x) e−x + 1
c) f (x) = (2x4 − 7x3 )e j)f (x) = cot(10x) p) l(x) = 10x − 10−x
d) f (x) = (x2 + 4)−2 k) f (x) = sin(x2 )
q) g(x) = xsin x
e) f (x) = sin(3x) l)f (x) = cos(x2 )
m) f (x) = cos(3x2 + 1) r) g(x) = 5x + log3 x
f) f (x) = cos(6x)
p √
g) f (x) = tan(10x) n) g(x) = x + x s) f (x) = 32x+1 + log2 (x2 + 1)

2. Encontre a derivada da função dada.


1 1 √ √
a) f (x) = 4x 2 + 5x− 2 b) f (x) = 1 + 4x2 c) f (x) = 3
2x

3. Aplique a regra da cadeia para encontrar a derivada das funções abaixo:

a) f (x) = sin(x2 ) f) f (x) = tan(3x) k) f (x) = arcsin(3x)


sin(x)
b) f (x) = cos(3x + 2) g) f (x) = e l) g(x) = arcsin(x3 )
c) f (x) = e2x h) f (x) = tan(ln(x)) m) y = arctan(x2 )

x
d) f (x) = e i) f (x) = ln(tan(x)) n) y = 3 arctan(2x + 3)
2
e) f (x) = ln(x + 2x) j) y = x arctan(x) o) y = arcsin(ex )

dy
4. Ache dx por derivação implı́cita.
√ √
a) x2 + y 2 = 16 d) x + y = 4 g) 2x3 y + 3xy 3 = 5
b) x3 + y 3 = 8xy e) x2 y 2 = x2 + y 2
√ √
c) x1 + y1 = 1 f) 3 x + 3 xy = 4y 2

5. Ache uma equação da reta tangente à curva 16x4 + y 4 = 32 no ponto (1,2).


6. Calcule em cada item a derivada de ordem superior indicada.

a) f (x) = x5 − 2x3 + x, f 00 d) f (x) = sin(x), f 00


b) f (x) = 2x4 + 3, f 000
2
c) f (x) = x1 , f 00 e) f (x) = cos(x), f 000
3 dy

x√
7. Seja y = x+ x
. Calcule dx x=1 :

8. Seja f : R −→ R derivável e seja g(t) = f (t2 + 1).Supondo f 0 (2) = 5, calcule g 0 (1).

9. Em cada um dos itens abaixo, s(t) representa a posição de uma partı́cula se movendo em linha reta no instante t.
Determine:
(i) A velocidade e aceleração da partı́cula no instante t = 0.
(ii) Os instantes em que a partı́cula está parada.
t2 − 1
(a) s(t) =
t2 + 1
(b) s(t) = sin t.
10. Calcule os limites

1

3
x−2 sin x ln x
a) lim c) lim e) lim √
x→8 x−8 x→0 x x→∞ 4 x
1 − e2x x − tan x x4 − 2x3 + 2x − 1
b) lim d) lim f) lim
x→0 x x→0 x − sin x x→1 x2 − 2x + 1

11. Um tanque tem a forma de um cone invertido com 16cm de altura e uma base de 4cm de raio. A água flui no
tanque a uma taxa de 2m3 /min. Com que velocidade o nı́vel da água estará se elevando quando sua profundida for
de 5m?
12. Um trem deixa uma estação, em um certo instante, e vai para a direção norte à razão de 80km/h. Um segundo
trem deixa a mesma estação 2 horas depois e vai na direção leste à razão de 95km/h. Determine a taxa na qual os
dois trens estão se separando 2 horas e 30 minutos depois do segundo trem deixar a estação.

13. Suponha que esta sendo bombeado ar para dentro de um balão esférico e seu volume cresce a uma taxa de 50cm/s.
Qual a taxa de variacão de crescimento do raio quando este é de 5cm?
π
14. A medida de um ângulo agudo de um triângulo retângulo está decrescendo a uma taxa de rad/s. Se o comprimento
6
da hipotenusa for constante igual a 40cm, determine a velocidade com que a área esta variando, quando a medida
π
do ângulo agudo for ?
6
15. Um homem de altura H está caminhando em direção a um poste de iluminação com altura P . Supomos que o
poste é mais alto que o homem. Num certo instante ele se move com velocidade v. Determine com que velocidade
se move, neste instante:
a) a extremidade de sua sombra
b) o tamanho da sua sombra.
16. Ao ser aquecida uma chapa circular de metal, seu diâmetro varia à razão de 0, 01cm/min. Determine a taxa à qual
a área varia quando o diâmetro é 30cm.
17. Suponha que uma bola de neve esteja se derretendo com raio decrescendo à razão constante, passando de 30cm
para 20cm em 45 minutos. Qual a variação do volume quando o raio está com 25cm?

18. Os lados x e y de um retângulo estão variando a taxas constantes de 0.2m/s e 0.1m/s, respectivamente. A que taxa
estará variando a área do retângulo no instante em que x = 1m e y = 2m?
19. O raio r e altura h de um cilindro circular reto estão variando de modo a manter o volume V constante. Num
determinado instate h = 3cm e raio r = 1cm e, neste instante a altura esta variando a uma taxa de 0.2cm/s. A
que taxa estará variando o raio neste instante?
20. Sejam f e g definidas em R, com g contı́nua em 0, e tais que, para todo x, f (x) = xg(x). Mostre que f é derivável
em 0.

RESPOSTAS

1. a) 4(2x + 1) i) −3 csc(3x) cot(3x) e−x (x + 1)2 + 2x


o)
b) 4(x2 + 4x − 5)3 (2x + 4) (e−x + 1)2
j) −10 csc(10x)
c) e(2x4 − 7x7 )e−1 (8x3 − 21x2 ) p) l0 (x) = (10x + 10−x ) ln 10
k) 2x cos(x2 )  
d) −2(x2 + 4)−3 (2x) sin 3x
q) g 0 (x) = esin 3x 3 cos(3x) ln x +
e) 3 cos(3x) l) −2x sin(x2 ) x
m) −6x sin(3x2 + 1) 1
f) −6 sin(6x) r) g 0 (x) = 5x ln 5 +
√ x ln 3
g) 10 sec2 (10x) 2 x+1 2x
n) √ p √ s) f 0 (x) = 2·32x+1 ln 3+ 2
h) 6 sec(6x) tan(6x) 4 x( x + x) (x + 1) ln 2
1 3
− 23
2. a) 2x− 2 − 52 x− 2 c) 2
3 (2x)
1
b) 4x(1 + 4x2 )− 2
3
3. a) f 0 (x) = 2x cos(x2 ) g) f 0 (x) = cos(x)esin(x) l) g 0 (x) = √3x
1−x6
b) f 0 (x) = −3 sin(3x + 2) h) f 0 (x) = x1 sec2 (ln(x)) dy 2x
m) =
c) f 0 (x) = 2e2x i) f 0 (x) = cos(x)1sin(x) dx 1+x4

1
d) f 0 (x) = 12 x− 2 e x
dy dy 6
j) = arctan(x) + x n) = 1+(2x+3)2
e) f 0 (x) = 2x+2 dx 1+x2 dx
x2 +2 dy x
f) f 0 (x) = 3 sec2 (3x) k) f 0 (x) = √1−9x
3
2 o) = √e x
dx 1−e

2

dy dy y
4. a) dx = − xy d) dx = − √x
8y−3x2 dy 2x−2xy 2
b) dy
= e) dx = 2yx2 −2y
dx 3y 2 −8x

dy y+ 3 y 2
c) dy
=
2
− xy 2 f) dx = √
3

5 3 2
dx 24 y . x −x

5. y = −2x + 4

6. a) f 00 (x) = 20x3 − 12x d) f 00 (x) = − sin(x)


b) f 000 (x) = 48x
c) f 00 (x) = x64 e) f 000 (x) = sin(x)

dy
9
7. dx x=1 = 8

8. g 0 (1) = 10

9. a) (i) s0 (0) = 0, s00 (0) = 4 (ii) t = 0


0 00 π
b) (i) s (0) = 1, s (0) = 0 (ii) t = k · , k ı́mpar
2
1 c) 1 e) 0
10. a)
12
b) −2 d) 2 f) 0

32
11. m/min
25π
12. 119, 093km/h
1
13. m/s

100π
14. − rad/s
9
vP Hv
15. a) b)
P −H P −H

16. 0, 15cm2 /min


5000π 3
17. − cm /min
9
18. 0.5m2 /s
0.1
19. − cm/s
3