Está en la página 1de 5

Colégio Santa Cecília

Disciplina: História da Arte
Prof: Larissa
Turma: 3º
Aluno (a):_________________________________________________________

O QUE É TEATRO?

Imprimir dramaticamente às próprias palavras e/ou atitudes, para suscitar comoção ou interesse.

É a expressão da realidade. Instrumento de divergência, advertência, ensinamento, documentação e
instrução. As formas pelas quais ele desempenha essa missão são diferentes e variadas.
No Teatro, uma história e seu contexto se fazem reais e verídicos pela montagem de um cenário e a
representação de atores em um palco, para um público de espectadores.
O Dramaturgo, através de um roteiro escrito, rege as funções das artes unidas para a representação, assim
como um maestro rege os instrumentistas da sua orquestra para uma execução. No palco, os personagens
vão “viver” a história, vestidos de acordo com a narrativa, em um cenário – parte concreto, parte imaginário,
sugerido por meio de sons especiais e música – representativo do ambiente em que a história acontece, com
uma iluminação disposta para obter efeitos complementares importantes de luz e sombra.
O Texto da peça é desenvolvido em torno de sua idéia central ou tema, e da história que veicula essa idéia, e
seus desdobramentos. A fala dos atores e as indicações quanto à expressão dos sentimentos e atitudes de
cada personagem, e ao cenário.
A etimologia da palavra teatro é:

TEO: Deus ATRO: terreno; área.

Sendo assim:
TEATRO: Terreno de Deus
Na atualidade, o termo ganhou um outro significado: lugar de onde se vê.
A origem do teatro ocidental está na Grécia. Tudo começou com o culto a Dionísio ou Baco, deus
grego dos ciclos vitais, da alegria e do vinho.
Culturas mais primitivas se reuniam em volta de fogueiras, para assistir a imitações dos
acontecimentos de caçadas, guerras e ações de trabalho ou ainda rituais mágicos sagrados para agradar os
deuses e imitação de ancestrais e deuses. Esses, nasceram da necessidade do homem de crer em uma força
superior a que pudessem recorrer quando preciso.
As celebrações davam-se em círculos por esta ser a única forma geométrica encontrada na natureza.
O teatro possui um grande marco, um divisor de águas: Aristóteles. Ele que a cerca de 26 séculos fez
a primeira poética – (análise dos elementos de composição) – da tragédia.
Na fase inicial, as tragédias faziam parte das festas em homenagem ao deus Dionísio, na festa de
Ditirambos, na qual eram comemorados o retorno da primavera e a nova fertilidade dos campos. Nessa festa
as pessoas saíam em cortejo pelas ruas carregando grandes falos. E dela nasceram dois gêneros teatrais: a
tragédia e a comédia.
A própria palavra tragédia mostra essa ligação entre o teatro e os ritos populares religiosos. Tragédia
deriva de tragós, que em grego significa bode, animal muito usado nos sacrifícios dos festivais dionisíacos
por sua relação com o Deus.
Sendo assim:
TRAGÉDIA: Canto do bode.
No século VII a.C., a tragédia sofisticou-se e despontou como gênero relativamente autônomo, cada vez
mais distante das festividades religiosas.
Para entender a relação de Dionísio com os bodes, é preciso que se conheça o mito do Deus:

* peripécia: reviravolta. O pensamento da peça é o ponto de vista do autor. No começo apenas os homens atuavam e somente a partir do século XVII. Zeus pegou o feto e o costurou e gerou na própria coxa (daí vem o termo fazer algo “nas coxas”). A tragédia pode ser considerada também a representação da fragilidade do homem perante os deuses. deve estar de acordo com o nível da fala das personagens: um rei. por sua vez. ou seja. Os três viveram no período atiço. O ATOR. E ainda possuem as seguintes características: * exposição: apresentação dos personagens e da estória. as tragédias se dividem em 3 partes: . “Zeus. * revelação. fora casado com sua irmã Hera.C. . o ponto máximo. o lugar e o modo da viver das personagens. foi a atriz que primeiro interpretou o papel principal de Fedra. (Pessoa que possui uma faculdade natural de imitação. marcação e objetos de cena. Zeus entregou o filho para ser criado pelas ninfas da floresta. chamado Baco pelos romanos. transformando-se em teatro quando encenado. as mulheres passaram a dividir a cena primeiramente na Inglaterra a na França. Para que seu filho ficasse protegido da vingativa Hera. deixando o público tenso. Therese du Parc. etc. Mas não é necessariamente preciso.Unidade de tempo. Uma dessas mortais: Sêmele. pois um mortal não pode ver um Deus. * catarse: purgação. Ao tomar conhecimento da traição e da gravidez.Unidade de ação. O TEXTO DE TEATRO: Sozinho. de expressão e de identificação com o personagem que representa numa peça teatral). . a traía com semideusas e mortais. que acontece geralmente no final. Há em uma peça duas personagens centrais: o herói (protagonista) e o vilão (antagonista). Estas. Então. acontecimento principal decisivo e culminante. que engravidou de Zeus. É o desenrolar das ações (conflito) que leva ao clímax. Téspis de Icária. * catástrofe: conclusão. Quanto à linguagem. Hera sempre foi fidelíssima ao marido. Segundo a poética realizada por Aristóteles. Ele. uma das atrizes que outrora havia sido integrante do grupo de Molière passou a fazer parte do elenco das peças de Racine. purificação. Hera aproximou-se da ingênua mortal convencendo-lhe a pedir uma prova de amor a Zeus: que ele aparecesse para Sêmele com toda a sua grandeza. deusa do matrimônio. o deus Dionísio. o texto é apenas literário. 500 e 32 a. tornando-se então uma das principais . um professor. um mendigo. o primeiro a se destacar do coro e se dirigir à multidão interpretando um personagem. A encenação envolve os aspectos visuais da montagem: cenário. Geralmente. figurino. da obra de Racine. Nasceu assim Dionísio. por sua vez. atendendo ao pedido da amante fez com que ela fosse queimada.Unidade de espaço. Zeus. * conflito: oposição e/ou luta entre diferentes forças. quando as peças da estória começam a se encaixar. isto é. conhecida depois como La Champmesle. a sua maneira de encarar o mundo. um delinqüente. Na França. Os três grandes trágicos gregos com suas características particulares foram: Ésquilo (grandiloqüente). transformavam Dionísio num bode cada vez que Hera tentava se aproximar“. que informam ao público sobre a época em que os fatos acontecem. Sófocles (mais sóbrio) e Eurípides (mais humano). O diálogo teatral é a parte reveladora das personagens.

Podemos tomar muitos exemplos da vida cotidiana. Um ator não pode existir sem vontade. O que quer dizer tudo isso? Que as emoções são independentes da nossa vontade. a personagem que lha cabe encarnar na peça. de forma minuciosa. Segundo o seu sistema. sob pena de não convencer a respeito da autenticidade daquilo que transmite. Considera-se o ator um instrumentista que usa o próprio corpo. o antagonista é uma só personagem. O MÉTODO DE STANISLÁVSKY: O objetivo fundamental das pesquisas stanislavskianas é estabelecer a total intimidade entre ator e a personagem. O ator deve habituar-se ao papel. a melodia e a encenação. e até mesmo o naturalismo total (isto é. mas é ele quem empresta plenitude física e espiritual ao simples texto concebido pelo dramaturgo. As mínimas ações e expressões dos atores podem transmitir ao espectador significados muito intensos. deve-se buscar. As vestes são importante complemento representativo do personagem. fundamentalmente. o corpo. Seu ponto de partida. É o primeiro nome feminino de que se tem notícia quando fala- se em teatro. Diretor e autor teatral russo. especialmente nas formas de teatro mais tradicionais. Constantin Stanislávsky (1863-1938) Os traços característicos da arte dele são: O realismo. Ele prega que o ator deve adquirir o domínio sobre o caráter exterior da expressão cênica. A criatividade do ator não é mais um truque de técnicas. me apaixono por uma pessoa contra a minha vontade. desde aqueles que ele perceberá com clareza até outros que se poderá dizer que são subliminares. para alimentar o público. na voz e nos gestos dos atores. clichês e estereótipos. expressão. sem dúvida. sendo reconhecido o naturalismo com detalhes autênticos e exterioridade do miss-em-cene. É importante para um ator sentir-se bem para representar um papel. Mesma que a peça forneça poucos dados. o protagonista às avessas. a localizar as suas tensões e tentar controla-las. nele exercitando-se constantemente. autoridade cênica – tudo ele conjuga. a criação do papel torna-se um ato natural. neste processo deve-se tomar cuidado com o perigo de se copiar exteriormente uma personagem.C. “O ator tem de dominar a biografia total do personagem”. não quero estar triste. mas estou. o ator deve construir psicologicamente a personagem. podem ser manifestadas por um grupo de personagens de um certo grupo. essa concepção prevaleceu ainda hoje. com o exercício da imaginação. Quero amar uma pessoa mas não posso amá-la. Embora com algumas variações. tem que começar a aprender dominar-se. isto é. Muitas vezes. Não quero estar irritado com determinada situação. para não haver perda de sensibilidade. procuro a alegria e não acho. o de memória de emoções. estou triste. . é o texto. Uma vocação inata para o palco lhe é indispensável.) – quem fez a primeira reflexão teórica sobre a natureza e os princípios que regem a arte dramática. porque o espectador não poderia dizer ao certo o que está afetando seus sentimentos. Aristóteles definiu os principais elementos de uma peça teatral: o pensamento. É o conceito fundamental de Stanislavsky.atrizes da chamada "Commedie Française". mas estou. DICIONÁRIO RESUMIDO DE TERMOS: ANTAGONISTA: É o opositor. ATO: Divisão externa da peça teatral. Outras. dos movimentos e da ficção. ATOR: A representação está. Voz. a naturalidade total). pois a imitação atrapalha a criação pessoal. porém. que inclui a voz e emoção. para que haja a identificação de ambos. o passado e o futuro do personagem. O ator nutre-se da peça. que implica no fato de o individuo utilizar seu próprio material humano. A PRIMEIRA TEORIA DO TEATRO: Foi Aristóteles (século IV a. Stanislávsky descobriu que a emoção é independente da vontade. O trabalho do ator passa fundamentalmente pela preparação de seu instrumental cênico. eliminando mascaras.

neste sentido. em conjugação com as bambolinas. teatro ou vídeo) e o figurinista é o profissional que idealiza ou cria o figurino. ato) é um sub-gênero da literatura dramática. Estará em harmonia com o sexo. inventa no momento da ação. e outros artistas das artes cênicas. pais e época histórica em que vive. EPÍLOGO: Fala final. O último ato ou cena de uma peça. pode estar individualizada ou não. feita de madeira e pano. IMPROVISAÇÃO DRAMÁTICA: Técnica do jogo dramático pela qual o ator interpreta alguma coisa imprevista. COADJUVANTE: Personagem secundária que está ao lado do protagonista ou do antagonista e que. etc. sendo os mais importantes os de Stanislávsky. Camões e Dom Francisco Manuel de Melo também adotaram esta forma. PLATÉIA: Em tese. escrita para um ou mais atores.O auto era escrito em redondilhos e visava satirizar pessoas. INTERPRETAÇÃO: Jogo do ator em cena a partir do texto criado pelo dramaturgo. e. e uma realidade transformada. a profissão. o de Grotowski e o de Brecht. Primeiro se esboça. que pode ser encontrada no Teatro Grego onde os atores se apresentavam mascarados com sapatos altos para dar-lhes maior destaque na cena. Denis Diderot também perpasssa-lhe. como um instrumento de deformação e de transformação do físico. nos primeiros escritos de Constantin Stanislavski. nos escritos porteriores do mesmo. Aristóteles. É a parte integrante do ator. CLÍMAX: O conflito dramático evolui gradualmente no decorrer da peça. que ditou-lhe o que se pode chamar de primeiras leis da atuação. e até da possessão. vida e realidade a uma personagem. no século XVI. não houve nunca quem preocupou-se em definir-lhe a essência. Um discípulo desgarrado de Stanislavski. Há diversos métodos de interpretação. a idade. IMPROVISAÇÃO ESPONTÂNEA: Técnica aplicada nas atividades de expressão dramática. usados pelos atores em cena. ou mesmo da pura intuição. . etc. na Espanha. Em Portugal. Através do tempo caminhou-se de uma total irrealidade da atuação. e que nesta aparecem. Vsevolod Meyerhold. No entanto. a profissão do personagem representado. Em seus livros ele delimita o que convencionou-se chamar o Método. entra no campo da sua prática. É o traje usado por um personagem de uma produção artística (cinema. se requerido pelo drama. até chegar ao apogeu. por meio de diversas técnicas. não prepara anteriormente. em fins do século XIX e princípios do século XX. Consiste em imprimir. BASTIDOR/ COXIA: Armação de cenário. Consiste na criação espontânea a partir de um fato. a classe social. por vezes representando um detalhe do ambiente. na sua poética trata do teatro como um todo. à uma realidade crua. divina ou da racionalização das emoções é a parte específica dos artitas da cena. Muitas vezes tida como fruto da inspiração. e que se coloca nas partes laterais do palco para estabelecer. Depois em meados do mesmo século XX. a âmbito que se quer dar ao espaço cênico. mas não se delonga sobre a atuação. situação ou ação proposta. também a religião. vai acentuando-se. como eles. O figurino intervém. ATUAÇÂO: É a denominação dada à arte do ator. FIGURINO: Conjunto de vestimentas e seus acessórios. clima regional. deu novas diretivas à atuação. e freqüentemente destinada a explanar as intenções do autor e/ ou o resultado final da ação dramática. a reação da platéia será a soma das reações individuais dos espectadores. O coadjuvante (ou adjuvante) pode também ser figurado por meio de um elemento não humano: uma máquina. outro dos teóricos da atuação foi o dramaturgo e encenador alemão Bertolt Brecht que espandiu as teorias de Stanislavski e Meyerhold. por volta do século XII. e refletirão ainda outras particularidades como seu nível social. uma fada. Sendo uma arte considerada sempre inferior. somente o ator e encenador russo Constantin Stanislavski. AUTO: (latim: actu = ação. um animal. diferentemente de dramaturgos e diretores. Gil Vicente é a grande expressão deste gênero dramático. Tem sua origem na Idade Média.

Quando tudo estava pronto. da dinastia Han. PROTAGONISTA: Personagem principal. sargento. se não. Diz a lenda que no ano 121. Após uns 15 minutos de improvisação (a cena passa-se na prisão depois de operação policial de rua ou numa fila de ônibus. ordenou ao mago da corte que a trouxesse de volta do "Reino das Sombras".. Houve uma apresentação para o imperador e sua corte. aquela que ganha o primeiro plano na narrativa. Muito disso. significava a mistura do real com o imaginário. Neste momento. SONOPLASTIA: Conjunto de sons vocais ou instrumentais criados para sublinhar ações de uma cena. hoje em dia. caso contrário. Existe uma lenda chinesa a respeito da origem do teatro de sombras. roubos. A música tem função semelhante à iluminação: enfatiza cenas. antecena. motorista. Esta apresentação foi acompanhada de um som de uma flauta que "fez surgir a sombra de uma bailarina movimentando-se com leveza e graciosidade". O mago usou a sua imaginação e através de uma pele de peixe macia e transparente. TEATRO DE SOMBRAS: É uma arte muito antiga. o mago ordenou que no jardim do palácio. confeccionou a silhueta de uma bailarina. de onde se espalhou para o mundo. de forma a descontrair. TRAGICOMÉDIA: Peça teatral que participa da tragédia pelo assunto e personagens. sai do jogo o que não acertou e perde pontos o que não foi descoberto.. . e da comédia pelos incidentes e desenlace. morte. Misturam-se os papéis e cada ator tira um. originária da China. ou em qualquer outra parte) cada ator procura descobrir a profissão dos demais: se acertar. sai do jogo aquele que foi descoberto e ganham pontos os dois. desesperado com a morte de sua bailarina favorita. dentista. pugilista etc. empresta-lhes maior ou menor conteúdo dramático. É a mistura do trágico com o cômico.PROSCÊNIO: À frente do palco. teria surgido o teatro de sombras. Tomam-se temas como violência. ofício ou ocupação: operário metalúrgico. padre. apenas mostrando a versão que têm dela. fosse armada uma cortina branca contra a luz do sol e que esta deixasse transparecer essa luz. Começam a improvisar a profissão que lhes calhou sem falar dela. o imperador Wu Ti. seria decapitado. dentre outros e a estes é dado o humor. Têm-se que é a tomada da vida quotidiana e absurda com um toque especial de comédia. deixá-la verdadeira e engraçada. sendo atualmente praticada regularmente por grupos de mais de 20 países. sublinha os sentimentos expressos pelos atores. Originalmemnte. é feito em diversas peças teatrais e diversos filmes. Isso é um dos pontos fortes o qual o teatro possui grande sucesso e expansão. JOGO DAS PROFISSÕES Os atores escrevem num papelzinho uma profissão.