Está en la página 1de 15

Departamento de Ciências

Experimentais
Área disciplinar de Física e Química
Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares
Direção de Serviços da Região Centro
Grupo 510

Domínios para o 7.º Ano

I – Espaço
II – Materiais e Energia

Em cada domínio os conteúdos estão organizados de acordo com os subdomínios e distribuídos por capítulos.
Esta organização é apresentada na calendarização anual e na planificação a médio prazo.

1.º Período
Tempos totais .......................................................................................................................................... 39
Aula de apresentação ............................................................................................................................... 1
Aulas de avaliação diagnóstica/discussão ............................................................................................... 1
Aulas de revisão ...................................................................................................................................... 2
Aulas de testes de avaliação sumativa .................................................................................................... 2
Aulas de correção de testes de avaliação sumativa ................................................................................. 2
Aula de autoavaliação ............................................................................................................................. 1
Aulas de: lecionação de conteúdos programáticos; atividades de consolidação/
remediação e sua correção; atividades práticas/laboratoriais .................................................................. 30

Tempos letivos
Domínio Subdomínio Capítulo
(50 min)

1.1. A estrutura do Universo

1.2. Os astros vistos da Terra


1. Universo
7
1.3. Modelos do Universo
O que existe no Universo
1.4. A origem do Universo

2. Sistema Solar 2.1. Movimentos dos planetas


6
2.2. Caraterísticas dos planetas
Espaço O Sistema Solar

3. Distâncias no Universo
As Distâncias no Universo 4
Distâncias no Universo
4. A Terra, a Lua e Forças 4.1.1. Os movimentos da Terra
Gravíticas 4.1.2. Os movimentos da Lua em torno da 5
Terra
4.1. Terra e Lua

As forças 8
4.2. Forças
Departamento de Ciências
Experimentais
Área disciplinar de Física e Química
Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares
Direção de Serviços da Região Centro
Grupo 510

2.º Período
Tempos totais .......................................................................................................................................... 36
Aulas de revisão ...................................................................................................................................... 2
Aulas de testes de avaliação sumativa ..................................................................................................... 2
Aulas de correção de testes de avaliação sumativa ................................................................................. 2
Aula de autoavaliação ............................................................................................................................. 1
Aulas de: lecionação de conteúdos programáticos; atividades de consolidação/
remediação e sua correção; atividades práticas/laboratoriais .................................................................. 29

Tempos letivos
Domínio Subdomínio Capítulo
(50 min)

1.1.1. Classificação dos materiais


1. Materiais
1.1.Constituição do mundo 2
material 1.1.2. Utilização dos recursos naturais

1.2.1. Constituintes dos materiais


1.2. Substâncias e misturas de
1.2.2. Misturas homogéneas e misturas 3
substâncias
heterogéneas

1.3. Soluções Soluções 5

1.4.1. Transformações físicas e químicas


Materiais e
1.4. Transformações Físicas e
Energia 4
Químicas dos materiais 1.4.2. Como se transformam as substâncias
noutras substâncias?

1.5.1. Ponto de fusão e ponto de ebulição 5

1.5.2. Densidade ou massa volúmica


1.5. Propriedades Físicas e 3
Químicas das substâncias 1.5.3. O comportamento excecional da
água e a sua importância para a vida
2
1.5.4. Química Analítica

1.6. Separação das 1.6.1. Separação dos componentes de


5
Substâncias de uma Mistura misturas heterogéneas
Departamento de Ciências
Experimentais
Área disciplinar de Física e Química
Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares
Direção de Serviços da Região Centro
Grupo 510

3.º Período
Tempos totais .......................................................................................................................................... 24
Aulas de revisão ...................................................................................................................................... 2
Aulas de testes de avaliação sumativa...................................................................................................... 2
Aulas de correção de testes de avaliação sumativa ................................................................................. 2
Aula de autoavaliação ............................................................................................................................. 1
Aulas de: lecionação de conteúdos programáticos; atividades de consolidação/
remediação e sua correção; atividades práticas/laboratoriais .................................................................. 17

Tempos letivos
Domínio Subdomínio Capítulo
(50 min)
1.6.1. Separação dos componentes de
misturas heterogéneas 2
1.6. Separação das
Substâncias de uma Mistura 1.6.2. Separação dos componentes de
misturas homogéneas 7
Materiais e
Energia (cont.) 2.1. Processos de transferência de energia
2. Energia
2.2. Energia transferida como calor
Fontes e Transferências de 8
energia 2.3. Energia transferida como radiação

2.4. O isolamento térmico


Departamento de Ciências
Experimentais
Área disciplinar de Física e Química
Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares
Direção de Serviços da Região Centro
Grupo 510

Domínio: Espaço
Descritores das Metas Tempos
Conteúdos Estratégias / Atividades Recursos Avaliação Calendarização
curriculares (50 min)
 Compreender que o Universo é
1. UNIVERSO inconcebivelmente grande,
organizando-se em superenxames,  Abordar os conceitos relacionados com os conteúdos 5. Manual
enxames e galáxias. programáticos a partir dos conhecimentos prévios dos
alunos, colocando-lhes a questão motivadora: “O que escolar
1.1. Oque existe no
 Ter noção do que é uma galáxia, do conhecemos hoje acerca do Universo?” .
Universo
seu tamanho, e distingui-las quanto
à forma.  Apresentar imagens e vídeos sobre a formação e a 6. e-Manual
 A estrutura do constituição do Universo.
 Distinguir os diversos objetos
Universo
celestes que constituem as  Projetar imagens do céu, recorrendo a programas de Observação
galáxias. computador como por exemplo o Worldwide Telescope ou a7. Caderno direta (Aula)
 Os astros vistos da sites da internet como o GoogleEarth.
 Compreender que as constelações de 7
Terra  Utilizar modelos da abóbada celeste ou projeções do céu
são figuras imaginárias. atividades
noturno para explicar o que são constelações, como as
 Modelos do Universo  Reconhecer no céu as Fichas de
identificar.
trabalho
constelações de Orion, da Ursa 15 a 30
 A origem do Universo Maior e da Ursa menor.  Apresentar aos alunos imagens de cientistas defensores do 8. Caderno
modelo geocêntrico, recorrendo ao manual interativo ou a de
de Apoio
 Identificar a Estrela Polar a partir da sites da internet. Localizá-los temporalmente na História da setembro
observação das constelações das Ciência e explicar os motivos que os levaram a defender ao Testes
Ursas Maior e Menor. esse modelo. Paralelamente, explicar a evolução lenta das Professor escritos
conceções científicas relativamente à posição da Terra no
 Distinguir caraterísticas dos Sistema Solar, referindo os defensores do modelo
modelos geocêntrico e heliocêntrico e em que consiste este modelo (modelo atual
heliocêntrico, bem como Vídeos
da conceção do Sistema Solar).
defensores destes modelos. didáticos
 Compreender que o Universo está
em expansão e explicar a sua
formação pela teoria mais aceite
atualmente (o Big Bang).

MOD.35 revisão 0 Página 4 de 15


Departamento de Ciências
Experimentais
Área disciplinar de Física e Química
Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares
Direção de Serviços da Região Centro
Grupo 510

Descritores das Metas Tempos


Conteúdos Estratégias / Atividades Recursos Avaliação Calendarização
curriculares (50 min)

 Explicar em que consiste um sistema planetário, fazendo


 Relacionar dimensões de astros do referência particular ao Sistema Solar, à medida que se
2. SISTEMA SOLAR Sistema Solar. apresentam os modelos da conceção do Sistema Solar.
 Distinguir planetas primários,  Mostrar um vídeo em que se explique a formação e
secundários e anões e evolução do sistema Solar e a superfície solar, com
compreender algumas das suas ocorrência de explosões. Referir a ocorrência das reações
caraterísticas. nucleares que permitem ao Sol (estrelas) emitir radiação, 9. Manual 3 a 14
 Classificar os planetas do Sistema entre a qual a radiação visível, o que faz de uma estrela um 6 de
corpo luminoso, ao contrário dos planetas. escolar
Solar utilizando vários critérios. outubro
 Identificar e distinguir tipos de astros  Pedir aos alunos que façam uma pesquisa acerca dos Observação
considerados pequenos corpos do corpos celestes que existem no Sistema Solar e que levem e-Manual direta (Aula)
Sistema Solar. para a aula os materiais recolhidos. Com base na pesquisa
feita pelos alunos, relacionar as dimensões dos corpos Fichas de
 Conhecer particularidades de celestes e distinguir os diferentes tipos de planetas entre si, trabalho
pequenos corpos do Sistema Solar. de acordo com as suas caraterísticas. Caderno
 Compreender a formação de astros  Colocar aos alunos a questão motivadora: “Que outros de Testes
do Sistema Solar. corpos existem no Sistema Solar?”. escritos
atividades
 Conhecer e organizar dados sobre  Apresentar imagens dos pequenos corpos que existem no
as principais caraterísticas dos Sistema Solar (cometas, meteoroides, astroides), explicar as
planetas do Sistema Solar. caraterísticas de cada um desses corpos, fazendo referência Caderno
aos seguintes factos: a cintura de asteroides se localizar de Apoio
entre Marte e Júpiter; os cometas apresentarem núcleo,
ao
cabeleira e cauda quando se aproximam do Sol; os
meteoroides serem fragmentos de rocha provenientes do Professor
espaço, que podem ou não atravessar a atmosfera terrestre.
 Organizar os alunos em oito grupos de trabalho e sugerir Vídeos
que cada grupo desenvolva um trabalho sobre as didáticos
caraterísticas de um dos planetas do Sistema Solar (cada
grupo deve ficar responsável por um planeta). Os alunos
devem apresentar os seus trabalhos evidenciando as
principais caraterísticas de cada planeta.

MOD.35 revisão 0 Página 5 de 15


Departamento de Ciências
Experimentais
Área disciplinar de Física e Química
Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares
Direção de Serviços da Região Centro
Grupo 510

Descritores das Metas Tempos


Conteúdos Estratégias / Atividades Recursos Avaliação Calendarização
curriculares (50 min)
 Saber associar as unidades  Fazer referência a alguns objetos e pedir aos alunos que
3. DISTÂNCIAS no adequadas às dimensões do que estimem o seu comprimento. Alargar a referência a
se pretende medir na Terra, no distâncias entre objetos, cidades, países, etc.. Fazer os
UNIVERSO
Sistema Solar e no Universo. alunos entenderem que devem usar unidades adequadas
de acordo com o comprimento ou a distância entre objetos.
 Compreender que as distâncias no
4 17 a 28
Sistema Solar se medem em  Pedir aos alunos que elaborem, em grupo, modelos do Sol e
unidades astronómicas e entender dos planetas do Sistema Solar e que os disponham, de
o conceito de unidade astronómica. segundo uma escala adequada, por ordem crescente de Manual outubro
distância ao Sol – explorar a necessidade de usar a unidade
 Compreender que as distâncias astronómica. escolar
para além do Sistema Solar se
podem medir em ano-luz e  Projetar imagens de estrelas e outros corpos celestes, que
entender o conceito de um ano-luz. se encontrem para além do Sistema Solar, fazer referência à e-Manual Observação
distância a que se encontram da Terra ou do Sol e explorar
 Saber calcular distâncias no a necessidade de utilizar o ano-luz como unidade. direta (Aula)
Universo usando o conceito de
unidade astronómica.  Colocar aos alunos a questão motivadora: “Quando Fichas de
Caderno
olhamos para o céu, estaremos a ver o presente ou o trabalho
 Saber calcular distâncias no passado?” e, a partir das respostas a essa questão, explicar de
Universo usando o conceito de ano- que a luz viaja à velocidade de 300 000 Km/s. Explicar o Testes
atividades
luz. significado desta expressão e relacioná-la com o ano-luz. escritos

Caderno
 Saber relacionar as fases da Lua e de Apoio
a sua posição com o tipo de maré ao
num dado local da Terra.  Recorrer a um programa de computador, a um sistema
4. PLANETA TERRA Professor
2 a 18
4.1. Terra e Lua  Compreender como se dá o planetário com luz, ou utilizar um globo terrestre e uma
fenómeno das marés. lanterna, para simular o movimento de rotação da Terra e 5 de
explicar a sucessão dos dias e das noites; da mesma forma, Vídeos
novembro
 Compreender que os dias e as simular o movimento de translação da Terra, evidenciando a didáticos
noites são provocados pelo inclinação do eixo de rotação e explicar a ocorrência das
movimento de rotação da Terra. estações do ano e a desigualdade dos dias e das noites,
assim como as fases da Lua e os eclipses do Sol e da Lua.
 Identificar o ano como o período de
translação da terra e compreender
que, não sendo exatamente iguais,

MOD.35 revisão 0 Página 6 de 15


Departamento de Ciências
Experimentais
Área disciplinar de Física e Química
Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares
Direção de Serviços da Região Centro
Grupo 510

Descritores das Metas Tempos


Conteúdos Estratégias / Atividades Recursos Avaliação Calendarização
curriculares (50 min)
é necessário efetuar correções
periódicas (anos bissextos).
 Relembrar o movimento dos planetas e explicar que um
 Compreender que o eixo de rotação corpo pode encontrar-se em movimento em relação a
da Terra não é perpendicular ao um dado referencial e em repouso em relação a outro.
plano da eclíptica, apresentando Explorar situações do dia a dia, com as quais os alunos
uma inclinação de cerca de 230. se identifiquem, ou projetar imagens de vídeos, para
 Entender a relação entre a que os alunos entendam mais facilmente a noção de
inclinação dos raios solares e a movimento e de repouso e a necessidade de escolher
quantidade de energia recebida por um referencial.
uma dada zona da Terra.
 Relacionar corretamente as
estações doa ano, os solstícios e os
equinócios com a posição da Terra
e com a orientação do seu eixo de
rotação, ao longo da sua orbita em
torno do Sol.
 Identificar as fases da Lua e
compreender como ocorrem.
 Relacionar corretamente as
posições relativas entre o Sol, a
Terra e a Lua e as fases da Lua.
 Compreender porque ocorrem
eclipses e relacionar as posições
relativas entre o Sol, a Terra e a
Lua com o tipo de eclipses.

MOD.35 revisão 0 Página 7 de 15


Departamento de Ciências
Experimentais
Área disciplinar de Física e Química
Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares
Direção de Serviços da Região Centro
Grupo 510

Descritores das Metas Tempos


Conteúdos Estratégias / Atividades Recursos Avaliação Calendarização
curriculares (50 min)

 Compreender o conceito de força e  Caracterizar uma força pelos efeitos que ela produz, indicar
4.2. Forças
os seus efeitos. a respetiva unidade no SI e representar a força por um vetor.
 Compreender que determinadas  Indicar o que é um dinamómetro e medir forças com 8 21 de
grandezas são vetoriais. dinamómetros, identificando o valor da menor divisão da novembro
escala e o alcance do aparelho. a
 Saber caraterizar um vetor.
16 de
 Concluir, usando a queda de corpos na Terra, que a força
 Classificar as forças pela sua gravítica se exerce à distância e é sempre atrativa. dezembro
atuação em contacto ou à distância.
 Representar a força gravítica que atua num corpo em
 Compreender o conceito de força diferentes locais da superfície da Terra.
gravítica.
 Indicar que a força gravítica exercida pela Terra sobre um
 Distinguir a diferença entre massa e corpo aumenta com a massa deste e diminui com a
peso. distância ao centro da Terra.
 Compreender como varia (ou não)  Associar o peso de um corpo à força gravítica que o planeta
a massa e o peso de um corpo. exerce sobre ele e caracterizar o peso de um corpo num
 Saber calcular o valor do peso de dado local.
um objeto em diferentes planetas,  Distinguir peso de massa, assim como as respetivas
conhecendo a aceleração da unidades SI.
gravidade à superfície.
 Concluir, a partir das medições do peso de massas
marcadas, que as grandezas peso e massa são diretamente
proporcionais.
 Indicar que a constante de proporcionalidade entre peso e
massa depende do planeta e comparar os valores dessa
constante à superfície da Terra e de outros planetas a partir
de informação fornecida.
 Aplicar, em problemas, a proporcionalidade direta entre peso
e massa, incluindo a análise gráfica.

MOD.35 revisão 0 Página 8 de 15


Departamento de Ciências
Experimentais
Área disciplinar de Física e Química
Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares
Direção de Serviços da Região Centro
Grupo 510

Domínio: Materiais e Energia


Descritores das Metas Tempos
Conteúdos Estratégias / Atividades Recursos Avaliação Calendarização
curriculares (50 min)
 Colocar aos alunos as questões motivadoras: “Como é
1. MATERIAIS  Compreender que existe uma constituído o mundo material?” e “Como organizar
enorme variedade de materiais com tantos materiais?” e explorar as respostas dos alunos. Manual
diferentes propriedades e usos  Utilizando exemplos (projeções de imagens do manual escolar
1.1. Constituição do diversificados. interativo), explicar que existe uma enorme variedade de
mundo material  Saber distinguir materiais naturais e materiais com diferentes propriedades e usos diversificados.
e-Manual 2
materiais manufaturados.  Pedir aos alunos para distinguir uns materiais dos outros
 Classificação de  Classificar materiais segundo com base em diferentes caraterísticas.
Observação
materiais diversos critérios.  Explicar aos alunos que, para estudar e compreender a direta (Aula)
Caderno
 Identificar recursos naturais e grande variedade de materiais, podem agrupa-los, com base
 Utilização dos em caraterísticas comuns, procedendo à sua classificação. de
entender que alguns são limitados.
recursos naturais atividades
 Compreender a importância de  Pedir aos alunos que façam uma lista com outros materiais Fichas de
reciclar, reduzir e reutilizar que conheçam e que organizem esses materiais numa trabalho
tabela, segundo critérios de classificação sugeridos pelos 4 de janeiro
materiais. Caderno
próprios alunos. a
 Entender que existem materiais que de Apoio
precisam de ser submetidos a  Mostrar aos alunos alguns materiais existentes no 3 de fevereiro
laboratório e outros seus conhecidos, para explicar que os ao Testes
processos de tratamento físicos escritos
e/ou químicos antes de serem materiais podem ser classificados como naturais, Professor
utilizados. manufaturados e sintéticos, de acordo com a sua origem.
 Selecionar alguns materiais e investigar, experimentalmente,
se esses materiais são solúveis em água ou em outro Vídeos
solvente (álcool), se são bons condutores de calor ou de didáticos
eletricidade, se sofrem combustão e explicar que também é
possível classificar os materiais com base nestes critérios,
ou em outros.

MOD.35 revisão 0 Página 9 de 15


Departamento de Ciências
Experimentais
Área disciplinar de Física e Química
Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares
Direção de Serviços da Região Centro
Grupo 510

Descritores das Metas Tempos


Conteúdos Estratégias / Atividades Recursos Avaliação Calendarização
curriculares (50 min)
1.2. Substâncias e  Classificar materiais de acordo com  Colocar aos alunos as questões motivadoras: “Como será
o número de constituintes. que são constituídos os materiais?” “Por apenas um ou
misturas de mais componentes?” e apresentar aos alunos um conjunto
substâncias  Distinguir as caraterísticas das diversificado de materiais guardados em recipientes com
substâncias e das misturas de rótulos. Analisar e interpretar esses rótulos e classificar os
substâncias.
 Constituintes dos materiais como substâncias e misturas (homogéneas, 3
 Compreender que a maior parte heterogéneas e coloidais).
materiais
dos materiais são misturas de  Realizar atividades experimentais para os alunos
 Misturas homogéneas substâncias. classificarem os materiais nos diferentes tipos de misturas.
Manual
e misturas  Distinguir o significado do termo  Recorrer a extratos de notícias ou de anúncios publicitários
“puro” no dia a dia e em Química. escolar
heterogéneas para debater o significado do termo “puro” em Química e no
 Saber interpretar informação quotidiano.
Observação
contida em rótulos de embalagens. e-Manual direta (Aula)
 Distinguir materiais homogéneos e
heterogéneos. Fichas de
trabalho
 Classificar as misturas Caderno
homogéneas e substâncias puras. de Testes
escritos
atividades

1.3. Soluções  Compreender o que é uma solução.


Caderno
 Identificar o soluto (ou solutos) e o 5
solvente numa solução. de Apoio
 Explorar rótulos de embalagens de diferentes materiais, ao
numa primeira fase. Numa segunda fase, promover a Professor
realização de atividades laboratoriais, com materiais
familiares aos alunos e com os alunos organizados em
grupos de trabalho, para abordar os conceitos relacionados Vídeos
com a concentração de soluções (massa, volume, solução didáticos
concentrada, solução diluída, diluição, solução saturada e
solubilidade).

MOD.35 revisão 0 Página 10 de 15


Departamento de Ciências
Experimentais
Área disciplinar de Física e Química
Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares
Direção de Serviços da Região Centro
Grupo 510

Descritores das Metas Tempos


Conteúdos Estratégias / Atividades Recursos Avaliação Calendarização
curriculares (50 min)
1.4. Transformações  Distinguir transformações físicas de  Determinar o valor da concentração das soluções
transformações químicas. preparadas pelos alunos.
Físicas e
Químicas dos  Compreender transformações que 4
ocorrem à nossa volta.
materiais
 Realizar algumas demonstrações experimentais como o
 Apresentar evidências Manual
aquecer da água, cortar um papel, fundir um pedaço de
macroscópicas da formação de
gelo, dissolver sal em água e depois aquecer até obter escolar
 Transformações novas substâncias.
novamente o sal, a fim de explicar o conceito de
físicas e químicas  Compreender que a energia é transformação física. Da mesma forma, realizar
necessária para que as demonstrações de transformações químicas, como a reação e-Manual
 Como se transformam transformações se iniciem. do magnésio com o ácido clorídrico, a reação do nitrato de
prata ou chumbo com o iodeto de potássio, a caramelização 6 de fevereiro
as substâncias
 Interpretar a representação do açúcar e a combustão do magnésio, para que os alunos a
noutras substâncias? esquemática de uma reação constatem que existem evidências da ocorrência de reações Caderno
química. 17 de março
químicas (libertação de gases, variação da temperatura, de
 Representar esquematicamente mudança de cor, formação de um sólido, cheiro caraterístico,
formação de chama). Relembrar regras de segurança e a atividades
uma reação química.
importância da interpretação correta dos rótulos. Observação
 Identificar fatores que levam à direta (Aula)
ocorrência de transformações  Organizar um debate, com base em questões motivadoras, Caderno
químicas. onde os alunos indiquem outras situações, do dia a dia,
onde ocorrem transformações físicas e químicas e quais as de Apoio Fichas de
trabalho
 Conhecer o significado de reação evidências que permitem deter essas transformações ao
de decomposição. químicas. Professor Testes
 Distinguir e compreender diferentes  Realizar diversas transformações químicas, sugeridas no escritos
reações de decomposição. Manual, de modo a desenvolver os conceitos relacionados
Vídeos
com as transformações químicas (reagentes, produtos de
 Realização e compreensão de reação, reações de decomposição).
didáticos
ensaios químicos.
 Identificar transformações
espontâneas por simples junção de
substâncias.
 Distinguir propriedades físicas e
propriedades químicas das
substâncias.

MOD.35 revisão 0 Página 11 de 15


Departamento de Ciências
Experimentais
Área disciplinar de Física e Química
Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares
Direção de Serviços da Região Centro
Grupo 510

Descritores das Metas Tempos


Conteúdos Estratégias / Atividades Recursos Avaliação Calendarização
curriculares (50 min)

1.5. Propriedades
 Compreender que há propriedades
das substâncias que permitam identificar as  Analisar amostras de várias substâncias e procurar
substâncias. descrevê-las com base em diferentes propriedades.
 Compreender que quando decorre  Concluir que as propriedades referidas não permitem Manual
 Ponto de fusão e
uma mudança de estado físico não identificar as substâncias. escolar 5
ponto de ebulição
há alteração da natureza dessa
substância.  Colocar aos alunos a questão motivadora: “Que
 Densidade ou massa propriedades permitem distinguir as diferentes
 Identificar as mudanças de estado substâncias?” e introduzir o conceito de propriedades e-Manual 3
volúmica
físico quando ocorre aquecimento caraterísticas das substâncias.
ou arrefecimento de um
 O comportamento  Projetar imagens e recorrer a ideias dos alunos para
material/substância. Caderno
excecional da água e demonstrar que os materiais se podem encontrar em
 Identificar o ponto de fusão e o diferentes estados físicos e que, através de aquecimento ou de 2
a sua importância
ponto de ebulição como duas arrefecimento, os materiais podem mudar de estado físico, atividades
para a vida propriedades caraterísticas das sem alterar as suas propriedades químicas. Abordar os
substâncias e compreender o seu conceitos relacionados com as mudanças de estado físico.
significado.
 Organizar os alunos em grupos de trabalho e realizar o Caderno
 Interpretar gráficos que traduzem a aquecimento de duas amostras de água, uma no estado de Apoio
variação de temperatura no tempo sólido e outra no estado líquido. Pedir aos alunos que Observação
devido ao aquecimento ou ao registem os valores de temperatura numa tabela, de minuto ao direta (Aula)
arrefecimento de amostras de a minuto. Professor
substâncias e de misturas de Fichas de
substâncias.  Explorar com os alunos o que está a acontecer a cada uma
trabalho
das amostras e representar graficamente a variação de Vídeos
 Compreender que as misturas de temperatura de cada uma delas ao longo do tempo. Abordar didáticos Testes
substâncias não têm pontos de os conceitos de ponto de fusão e ponto de ebulição.
escritos
fusão nem de ebulição
caraterísticos.  Analisar e interpretar tabelas com pontos de fusão e pontos
de ebulição de diversas substâncias – projetar tabelas do
 Identificar o estado físico de uma Manual e questionar os alunos acerca dos estados físicos de
substância a uma dada temperatura algumas dessas substâncias a temperaturas diferentes.
com base no seu ponto de fusão e
ponto de ebulição.

MOD.35 revisão 0 Página 12 de 15


Departamento de Ciências
Experimentais
Área disciplinar de Física e Química
Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares
Direção de Serviços da Região Centro
Grupo 510

Descritores das Metas Tempos


Conteúdos Estratégias / Atividades Recursos Avaliação Calendarização
curriculares (50 min)
 Identificar a densidade ou massa  Analisar textos onde se evidencia a importância de misturar
volúmica como uma propriedade compostos na água para alterar o seu ponto de fusão e o
caraterística das substâncias e seu ponto de ebulição.
compreender o seu significado.
 Realizar atividades experimentais para explicar o conceito
 Saber determinar, de massa volúmica e da relação da massa volúmica com a
experimentalmente, a densidade de massa e o volume de uma determinada substância. Manual
uma substância. escolar
 Projetar, para análise e interpretação, tabelas com valores
 Compreender o ciclo da água e de densidade de diferentes substâncias recorrendo ao
identificar as mudanças de estado manual interativo.
físico que ocorrem. e-Manual
 Promover um debate sobre a importância da água na
 Reconhecer o comportamento existência de Vida na Terra.
excecional da água e a sua
importância para a Vida. Caderno Observação
de direta (Aula)
atividades
Fichas de
1.6. Separação das  Identificar a finalidade de cada
trabalho
processo de separação de
substâncias de 20 de março
misturas. Caderno
uma mistura Testes
5 a
 Distinguir processos de separação de Apoio escritos
utilizados para misturas  Preparar misturas de diferentes substâncias, familiares aos ao
31 de março
alunos, e, numa primeira fase, pedir aos alunos que
 Separação dos heterogéneas e para misturas
Professor
homogéneas. prevejam como se devem separar os componentes dessas
componentes de misturas – demonstrar experimentalmente. Numa segunda
misturas  Conhecer algumas aplicações do fase, organizar os alunos em grupos de trabalho e fornecer-
uso de técnicas de separação dos Vídeos
lhes misturas para que eles realizem a separação dos + 19 de abril
heterogéneas didáticos
componentes de uma mistura na componentes dessas misturas – debatendo os métodos 2 a
indústria e em outras atividades. mais adequados a utilizar, os materiais necessários e, por
24 de abril
fim, realizando a atividade experimental.
 Planificar experiências que
permitem separar os componentes  Promover pesquisas sobre métodos físicos de separação
de misturas. usados no quotidiano.

MOD.35 revisão 0 Página 13 de 15


Departamento de Ciências
Experimentais
Área disciplinar de Física e Química
Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares
Direção de Serviços da Região Centro
Grupo 510

Descritores das Metas Tempos


Conteúdos Estratégias / Atividades Recursos Avaliação Calendarização
curriculares (50 min)

 Separação dos Manual 7 26 de abril


componentes de escolar a
misturas homogéneas 19 de maio
 Colocar aos alunos as questões motivadoras: “O que é e-Manual
realmente a energia?” e “Como se manifesta?”. Após
 Compreender que a energia se ouvir as respostas, abordar o conceito de sistema (aberto,
2. ENERGIA transfere entre sistemas e saber fechado e isolado) e o Princípio da Conservação da Energia.
classifica-los quanto à forma como Caderno
permitem trocas de matéria e/ou  Colocar aos alunos a questão: “Onde vamos buscar a
2.1. Fontes e energia necessária para sobrevivermos?” e apresentar de
transferências de energia com o exterior. rótulos de diversos alimentos para analisar e interpretar – atividades
energia  Conhecer, compreender e aplicar o abordar os diferentes tipos de unidades em que se expressa 8 22 de maio
Princípio da Conservação da a energia. a
Energia. Caderno
 Colocar aos alunos a questão: “Que outras fontes de Observação 16 de junho
 Conhecer as principais unidades energia conhecem?”. Registar as respostas no quadro e de Apoio direta (Aula)
em que se expressa a energia. em seguida classificar essas fontes de energia em renovável ao
e não renovável, primária ou secundária. A cada fonte de Fichas de
 Classificar fontes de energia em energia associar o tipo de energia. Explicar aos alunos que Professor trabalho
primárias ou secundárias e em os diversos tipos de energia são manifestações das formas
renováveis ou não renováveis. de energia potencial e cinética. Mostrar imagens ou vídeos Testes
 Reconhecer, de acordo com a sua de manifestações de energia. Explorar os conceitos de Vídeos escritos
fonte, diversos tipos de energia. energia cinética e potencial. didáticos
 Compreender que os diversos tipos  Mostrar alguns sistemas simples e esquematizar as
de energia são diferentes transferências e transformações de energia que neles
manifestações das suas duas ocorrem.
formas fundamentais: cinética e  Projetar textos com notícias sobre a situação energética
potencial. mundial e nacional e gráficos que traduzam o consumo
 Conseguir esquematizar as energético de energias renováveis e não renováveis e
transferências e as transformações promover um debate acerca do que é observado. Utilizar
de energia que ocorrem em alguns imagens do manual (manual interativo). Responder a
sistemas simples. questões motivadoras ao longo do debate.

MOD.35 revisão 0 Página 14 de 15


Departamento de Ciências
Experimentais
Área disciplinar de Física e Química
Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares
Direção de Serviços da Região Centro
Grupo 510

Descritores das Metas Tempos


Conteúdos Estratégias / Atividades Recursos Avaliação Calendarização
curriculares (50 min)
 Compreender os problemas que
envolvem a exploração dos
recursos energéticos e as
consequências dos mesmos.

 Saber identificar os processos de  Realizar atividades laboratoriais como, por exemplo, as


 Energia transferida transferência de energia como sugeridas no manual para explicar a noção de calor e os
como calor calor. mecanismos de transferência de energia como calor,
pedindo aos alunos, após se explicar o que se vai fazer,
 Saber identificar os processos de
para preverem o que vai acontecer. De seguida, realizar a
transferência de energia como
 Energia transferida atividade. Após observarem o que aconteceu, os alunos
radiação.
como radiação devem formular uma explicação.
 Compreender a necessidade de
 Debater com os alunos a importância da utilização de
aplicar isolamento térmico e outras
materiais maus condutores de calor na construção das
 O isolamento tecnologias de forma a tornar as
casas.
térmico casas mais eficientes do ponto de
vista energético.

Aprovado em reunião de Departamento de Ciências Experimentais de 03 de outubro de 2016. O Coordenador: José Costa

MOD.35 revisão 0 Página 15 de 15