Está en la página 1de 280

Vamos nos apresentar?

 Qual é o seu nome?


 Que função você exerce na sua empresa?
 Sua empresa já está preparada para o eSocial?
 Qual sua expectativa em relação ao curso?

2
Somar forças. Multiplicar resultados.

3
Associativismo: a união faz a força!
Vantagens para a Indústria

 Pressão política pela melhoria do eSocial

 Disseminação de informações

 Compartilhamento de soluções

4
Programa

 Contextualização do eSocial

 Impactos do eSocial na gestão de SST

 Eventos de interesse em SST

 Boas práticas de SST

 A ação da indústria para a competitividade

DESAFIO: discutir isso tudo em apenas 8 horas...


Vamos em frente!

5
 Contextualização do eSocial

6
ATIVIDADE 1 – CONHECIMENTO PRÉVIO SOBRE eSOCIAL

 Respondam individualmente, em 15 minutos, o teste de conhecimento


disponível na sua pasta

7
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo

Dados Externos de SST Dados Internos de SST


(ambiente externo) (ambiente interno)

ANÁLISE ANÁLISE

CONHECIMENTO EXTERNO CONHECIMENTO INTERNO

ANÁLISE

CONHECIMENTO CONSOLIDADO

TOMADA DE DECISÃO

8
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo

Pirâmide de Kelsen
Hans Kelsen (1881 - 1973)

9
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo

NO ÂMBITO DO MINISTÉRIO DO TRABALHO

LEI Nº 6.514, de 22 de dezembro de 1977. Capítulo V da CLT,


relativo a segurança e medicina do trabalho.

PORTARIA MTB Nº 3.214, de 08 de junho de 1978. Normas


Regulamentadoras (NR) do Capítulo V da CLT.

10
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
NO ÂMBITO DO MINISTÉRIO DO TRABALHO

NORMAS
REGULAMENTADORAS

11
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
NO ÂMBITO DO MINISTÉRIO DO TRABALHO

Total de Inspeções Realizadas em Segurança e Saúde no Trabalho – Brasil em 2016

Fonte: Ministério do Trabalho e Previdência Social - Secretaria de Inspeção do Trabalho (MTPS/SIT)


12
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
NO ÂMBITO DO MINISTÉRIO DA FAZENDA

LEI Nº 8.212, de 24 de julho de 1991.


Planos de Custeio da Previdência Social. DECRETO Nº 3.048, de 6 de
maio de 1999. Regulamento
LEI Nº 8.213, de 24 de julho de 1991. da Previdência Social.
Planos de Benefícios da Previdência Social.

INSTRUÇÃO NORMATIVA RFB nº 971, de 13 de novembro de 2009.


Normas gerais de tributação previdenciária e de arrecadação das contribuições
sociais da Previdência Social administradas pela Secretaria da Receita Federal do
Brasil (RFB). CAPÍTULO IX, do Título III (Fiscalização de riscos ocupacionais no
ambiente de trabalho).

13
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
NO ÂMBITO DO MINISTÉRIO DA SAÚDE E INTERMINISTERIAL

 Portaria Interministerial Nº 9, de 7 de outubro de 2014. Publicada a Lista


Nacional de Agentes Cancerígenos para Humanos (LINACH) como referência
para a formulação de politicas públicas.
 Lei Nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Condições para a promoção,
proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos
serviços correspondentes.
 Portaria nº 3.120, de 1º de julho de 1998. Instrução Normativa de Vigilância
em Saúde do Trabalhador no SUS.

14
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
NO ÂMBITO DO JUDICIÁRIO

TRABALHISTA PREVIDENCIÁRIA CIVIL

PENAL AMBIENTAL TRIBUTÁRIA

EmAtualmente,
2016: OtimizaraaAGU obtém
atuação decisões
em matéria favoráveis
de ações regressivas
DANO MORAL acidentárias, com as seguintes estratégias: Intensificar
em 70% das ações regressivas que ajuíza.
análise de acidentes fatais e graves; especializar atuação
DANO MATERIAL através de (www.agu.gov.br
ETRs (Equipes deem 28/04/2015)
Trabalho Remoto); ampliar
projeto de ações regressivas coletivas; alinhar atuação da
DANO ESTÉTICO 2.000
PGF comações
as até 12/2010
metas (R$ 317
institucionais domilhões)
MTPS; priorizar
seguimentos econômicos que mais matam e incapacitam
28/04/2011
totalmente = 174 ações
os trabalhadores; (R$ 41 milhões)
especializar atuação através de
RESPONS. SOLIDÁRIA 28/04/2012
ETR, = 261
com a criação ações
da ETR com(R$ 66 milhões)
atuação especializada e de
âmbito nacional, para instrução dos PIPs e posterior
29/04/2013 = 315 ações (R$ 258 milhões)
ajuizamento de ações regressivas; portaria PGF 157/2016
AÇÕES REGRESSIVAS
28/04/2014
instituiu = 353 ações
ETR inicialmente com(R$ 10 115 milhões)Federais
Procuradores
(início 02/05); vinculação direta à CGCOB/PGF, que fixará o
RESPONS. PENAL 28/04/2015 = 240 ações (R$ 66,7 milhões)
plano de ação, estipulará as metas e irá monitorar as
atividades através de relatórios mensais, tendo como meta,
RESPONS. AMBIENTAL TOTALa média
dobrar de R$de863,7
ações milhões
ajuizadas nos últimos 5 anos.

15
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
NO ÂMBITO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO

Programa Nacional de Acompanhamento de


Obras na Construção Civil Pesada

Promoção do trabalho decente no setor


sucroalcooleiro

Banimento do amianto no Brasil

Adequação das condições de trabalho nos


frigoríficos

Programa Nacional de Combate às


Irregularidades na Indústria da Construção Civil

16
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
AS ONDAS...

1. Lei nº 6.514/1977 e Portaria MTB nº 3.214/1978 (Normas Regulamentadoras)


2. “Novas” Normas Regulamentadoras NR-7 (PCMSO) e NR-9 (PPRA) em 12/1995
3. Lei nº 9732/1998 altera a Lei nº 8213/1991 (LTCAT)
4. Lei nº 9.528/1997 altera a Lei nº 8213/1991 (PPP exigido a partir de 01/01/2004, nos
termos da IN nº 96 de 23/10/2003)
5. Lei nº 11.430/2006 altera a Lei nº 8213/1991 (NTEP a partir de 02/04/2007)
6. Lei nº 10.666/2007 e Decreto nº 6.957/2009 (GIILRAT modificado e FAP a partir de 2010)
7. Lei nº 13.287/2016 (trabalho da gestante ou lactante em atividades, operações ou locais
insalubres)

17
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
DE ONDE VIRÁ A PRÓXIMA ONDA?

PREVIDÊNCIA
TRABALHO FAZENDA

SAÚDE TODOS
JUSTIÇA

MPT
AGU

18
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
ARQUITETURA DA FAMÍLIA SPED

NF-e eSocial
ECD
NFS-e
EFD
EFD – Contribuições
(antiga EFD-PIS/Cofins)
FCont
REINF – Retenções e
CT-e Informações

EFD-ISSQn EFD-IRPJ

19
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
ARQUITETURA DA FAMÍLIA SPED

20
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
ARCABOUÇO LEGAL DAS OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS

 Inc. XXII, do Art. 37 da Constituição - compartilhamento de cadastros


e de informações fiscais por servidores de carreiras específicas, na
forma da lei ou convênio. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 42,
de 19/12/2003)

 Art. 32, da Lei 8.212/1991 – deve prestar à Secretaria da RFB todas as


informações cadastrais, financeiras e contábeis e ao FGTS
 Art. 32-A, da Lei 8.212/1991 – se deixar de apresentar a declaração de
que trata o art. 32 no prazo fixado ou se a apresentar com incorreções
ou omissões será intimado a apresentá-la ou a prestar esclarecimentos
e sujeitar-se ao pagamento de multas

 Art. 225 e 283, do Decreto 3.048/1999 regulamentam os Art. 32 e 32-A


da Lei 8.212/1991

21
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
NORMATIVO LEGAL DO eSOCIAL

 DECRETO Nº 8.373, de 11/12/2014, publicado no DOU em 12 de


dezembro de 2014
 Institui o eSocial (Sistema de Escrituração Digital das Obrigações
Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas)

COMITÊ GESTOR DO eSOCIAL

22
Resolução nº 7, DOU 22/03/2017 Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
NORMATIVO LEGAL DO eSOCIAL

RESOLUÇÃO CG/ESOCIAL Nº 1, de 20/02/2015 (revogada pela Resolução CG/eSocial nº 2)

 MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO eSOCIAL (MOS) Versão 2.0


RESOLUÇÃO CG/ESOCIAL Nº 2 de 03/07/2015 (revogada pela Resolução CG/eSocial nº 5)

 MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO eSOCIAL (MOS) Versão 2.1

RESOLUÇÃO CG/ESOCIAL Nº 5 de 02/09/2016

 MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO eSOCIAL (MOS) Versão 2.2

RESOLUÇÃO CG/ESOCIAL Nº 7 de 22/03/2017

 ANEXO I – Leiautes do eSocial (151 páginas) – 45 eventos (+ de 2.000 campos)


 ANEXO II – Regras de Validação (8 páginas)
 ANEXO III – Tabelas do eSocial (80 páginas) – 26 tabelas
23
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
ORGANIZAÇÃO DO eSOCIAL (EVENTOS E TABELAS)

Rubricas Empregador Admissão Remuneração


Lotações Filiais CAT Rendimentos
Cargos/Funções Obras Civil Fatores Risco Produção

Eventos não periódicos

Periódicos
Eventos iniciais
Tabelas

Horários Vínculos Insalubridade Rural


Ambiente de e Ap. Especial Contribuição
Trabalho Saúde do Sindical
Processos Trabalhador Portuários
Administrativos / Aviso Prévio Outros
Judiciais Afastamentos
Operadores Reintegração
Portuários Desligamento
Sem Vínculo

Organização Pessoa jurídica Vida laboral Remuneração


da empresa laboral
24
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo

Organização do eSocial (eventos e tabelas)


Eventos iniciais
1 - S-1000 - Informações do Empregador/Contribuinte
2 - S-2100 - Cadastramento Inicial do Vínculo
Tabelas
3 - S-1005 - Tabela de Estabelecimentos, Obras ou Unidades de Órgãos Públicos
4 - S-1010 - Tabela de Rubricas
5 - S-1020 - Tabela de Lotações Tributárias
6 - S-1030 - Tabela de Cargos/Empregos Públicos
7 - S-1035 - Tabela de Carreiras Públicas
8 - S-1040 - Tabela de Funções/Cargos em Comissão
9 - S-1050 - Tabela de Horários/Turnos de Trabalho
10 - S-1060 - Tabela de Ambientes de Trabalho
11 - S-1070 - Tabela de Processos Administrativos/Judiciais
12 - S-1080 - Tabela de Operadores Portuários

Eventos relacionados à SST

25
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo

Organização do eSocial (eventos e tabelas)

Eventos periódicos
13 - S-1200 - Remuneração de trabalhador vinculado ao Regime Geral de Previd. Social
14 - S-1202 - Remuneração de servidor vinculado a Regime Próprio de Previd. Social
15 - S-1207 - Benefícios previdenciários - RPPS
16 - S-1210 - Pagamentos de Rendimentos do Trabalho
17 - S-1250 - Aquisição de Produção Rural
18 - S-1260 - Comercialização da Produção Rural Pessoa Física
19 - S-1270 - Contratação de Trabalhadores Avulsos Não Portuários
20 - S-1280 - Informações Complementares aos Eventos Periódicos
21 - S-1298 - Reabertura dos Eventos Periódicos
22 - S-1299 - Fechamento dos Eventos Periódicos
23 - S-1300 - Contribuição Sindical Patronal

26
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo

Organização do eSocial (eventos e tabelas)


Eventos não periódicos (1/2)
24 - S-2190 - Admissão de Trabalhador - Registro Preliminar
25 - S-2200 - Admissão de Trabalhador
26 - S-2205 - Alteração de Dados Cadastrais do Trabalhador
27 - S-2206 - Alteração de Contrato de Trabalho
28 - S-2210 - Comunicação de Acidente de Trabalho
29 - S-2220 - Monitoramento da Saúde do Trabalhador
30 - S-2230 - Afastamento Temporário
31 - S-2240 - Condições Ambientais do Trabalho - Fatores de Risco
32 - S-2241 - Insalubridade, Periculosidade e Aposentadoria Especial
33 - S-2250 - Aviso Prévio

27
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo

Organização do eSocial (eventos e tabelas)


Eventos não periódicos (2/2)
34 - S-2298 - Reintegração
35 - S-2299 - Desligamento
36 - S-2300 - Trabalhador Sem Vínculo de Emprego/Estatutário - Início
37 - S-2306 - Trabalhador Sem Vínculo de Emprego/Estatutário - Alteração Contratual
38 - S-2399 - Trabalhador Sem Vínculo de Emprego/Estatutário - Término
39 - S-2400 - Cadastro de Benefícios Previdenciários - RPPS
40 - S-3000 - Exclusão de eventos
41 - S-4000 - Solicitação de Totalização de Bases e Contribuições
42 - S-5001 - Informações das contribuições sociais por trabalhador
43 - S-5002 - Imposto de Renda Retido na Fonte
44 - S-5011 - Informações das contribuições sociais consolidadas por contribuinte
45 - S-5012 - Informações do IRRF consolidadas por contribuinte

28
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
ORGANIZAÇÃO DO eSOCIAL (EVENTOS E TABELAS)

S-2210 S-1200
Comunicação de Remuneração
Acidente de Trabalho do Trabalhador
S-2100
Cadastramento
Inicial do Vínculo Eventos
Eventos não Periódicos
S-1010 Periódicos
Cadastramento
Tabela de Rubricas de vínculos
(inicial)
Eventos de
S-1000 Tabelas
Informações do
Empregador Informações do
Contribuinte empregador
(inicial)
29
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
QUALIFICAÇÃO CADASTRAL - REORGANIZAÇÃO DOS REGISTROS

CPF

PIS/NIS/NIT Registro
Único

Nascimento

DESAFIO governamental e empresarial

30
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
QUALIFICAÇÃO CADASTRAL - REORGANIZAÇÃO DOS REGISTROS

CPF NIS CNIS

DESAFIO GOVERNAMENTAL E EMPRESARIAL

31
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
CRONOGRAMA
Resolução CD/ESOCIAL Nº 2 de 30/08/2016

01/2018 Empresas com faturamento no ano de 2014 acima de


R$ 78.000.000,00

07/2018 Eventos de Segurança e Saúde no Trabalho (tabela de ambientes de


trabalho, comunicação de acidente de trabalho, monitoramento da
saúde do trabalhador e condições ambientais do trabalho)

07/2018 Demais empresas

01/2019 Eventos de Segurança e Saúde no Trabalho (tabela de ambientes de


trabalho, comunicação de acidente de trabalho, monitoramento da
saúde do trabalhador e condições ambientais do trabalho)

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS AINDA SEM DEFINIÇÃO

32
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
O QUE A RECEITA FEDERAL DIZ?

33
 Impactos do eSocial na gestão de SST

34
Impactos do eSocial na gestão de SST
Processos
REORGANIZAÇÃO DOS REGISTROS / AMBIENTE COMPARTILHADO

Recursos
Humanos

INTEGRAÇÃO
Financeiro DAS Contábil
RESPONSABILIDADES

Segurança e
Saúde no
Trabalho

35
Impactos do eSocial na gestão de SST
Diagnóstico
3 PILARES

Compliance

Processos

Tecnologia

36
Impactos do eSocial na gestão de SST
Diagnóstico
3 PILARES

Compliance

Processos

Tecnologia

37
Impactos do eSocial na gestão de SST
Diagnóstico
DIFICULDADES

1. com os documentos PPRA  LTCAT  PPP  PCMSO  ASO


2. com os Programas
Art.de
58Ergonomia (NR-17) ou a falta deles
da Lei 8.213/1991

LTCAT
3. com a falta/inadequação
A “avaliação ergonômica do do
Art. 68
de normas
Trabalho
Decreto
internas
(AET)” de SST
está para
3.048/1990
claras e coerentes
o Programa de Ergonomia
como
4. coma “dosimetria”
o pagamentodede
agentes físicos
adicionais e químicos está
desnecessários para o PPRA e não pagamento
(desperdícios)
Art. 262 da Instrução Normativa 77/2015
de“abundância”
Temos outros devidos
de(formação de passivos)
PPRAs e “carência” de Programas de Ergonomia
5. com os laudos de insalubridade e periculosidade ou a falta deles
6. com a definição “política” de concessão do adicional de periculosidade
(acordos coletivos de trabalho)

38
Impactos do eSocial na gestão de SST
Diagnóstico

Ofício 317/2014, da Previdência Social, para instruir processo de aposentadoria


especial de Segurado, recebido pela empresa em 28/07/2015 para manifestação:

“Deverá a empresa ratificar ou retificar o código GFIP (item 13.7). Cabe salientar
que é informado no PPP e confirmado pelo PPRA anexado ao processo, exposição
a TÓXICOS ORGÂNICOS DERIVADOS DE PETRÓLEO sem proteção eficaz e código
GFIP 00 (AUSÊNCIA DE AGENTES NOCIVOS). Conforme Art. 299 da IN 77/2015, a
perícia médica deverá emitir Representação Administrativa - RA ao Ministério
Público do Trabalho - MPT competente e ao Serviço de Segurança e Saúde do
Trabalho da SRTE do MTE, sempre que, em tese, ocorrer desrespeito às normas de
segurança e saúde do trabalho que reduzem os riscos inerentes ao trabalho ou às
normas previdenciárias relativas aos documentos LTCAT, CAT, PPP e GFIP, quando
relacionadas ao gerenciamento dos riscos ocupacionais. (§2° do Art. 299, da IN
77/2015)”

39
Impactos do eSocial na gestão de SST
Diagnóstico
3 PILARES

Compliance

Processos

Tecnologia

40
Impactos do eSocial na gestão de SST
Diagnóstico

DIFICULDADES

1. na metodologia de análise de riscos no PPRA, notadamente para agentes químicos


(PPRAs com “tintas e solventes”, “óleos e graxas”, “vapores ácidos”, aerodispersoides
sólidos”, etc.);
2. na metodologia do LTCAT (trata-se de documento previdenciário e não se presta para
atender preceitos legais da NR-15, NR-16 ou NR-17);
3. na metodologia de vigilância da saúde dos empregados no PCMSO, confundindo
exames legais com os de promoção da saúde;
4. na integração do PPRA com o PCMSO (não se falam ou há “ruídos de comunicação”);
5. na metodologia para Gestão da Ergonomia (riscos ergonômicos biomecânicos,
organizacionais e psicossociais). Como superar o “tabu” de avaliar riscos
psicossociais?

41
Impactos do eSocial na gestão de SST
Diagnóstico
DIFICULDADES

6. na caracterização da aposentadoria especial, da insalubridade e da


periculosidade (laudos de insalubridade, laudos de periculosidade e laudos de
aposentadoria especial – LTCAT);
7. no modelo do Sistema de Gestão de SST para empresas contratadas (SGSSTEC);
8. na organização documental e lógica conceitual para a descrição da política de
SST, diretrizes de SST e normas operacionais, com a consequente padronização
de condutas.

42
Impactos do eSocial na gestão de SST
Diagnóstico
3 PILARES

Compliance

Processos

Tecnologia

43
Impactos do eSocial na gestão de SST
Diagnóstico
DIFICULDADES

1. Saneamento de dados cadastrais (grande preocupação do governo e do Comitê


Confederativo)
2. Qualidade da informação. O que vai ser informado? Corremos o risco de dar
um “tiro no pé”?
3. Inadequação de processos x solução informática adotada. Os “fornecedores de
software” estão preparados para dar o suporte técnico de SST?
4. Temos um Sistema de informática que nos apoia nas práticas de SST ou temos
apenas um “repositório de dados”?
5. As “clínicas de medicina do trabalho” estão preparadas para fornecer os dados
de exames no formato adequado e no tempo requerido?
6. Como ocorre a atualização de cadastros de empregados das empresas clientes
nas clínicas de medicina do trabalho?

44
Impactos do eSocial na gestão de SST
Diagnóstico

DIFICULDADES

7. Existem muitos "gaps" em processos (adequação ao eSocial)


8. Foco exclusivo em atender aos “campos do eSocial” (visão reducionista)
9. Utilização precária de módulos de SST de sistemas de folha de pagamento ou ERPs
10. Outros

45
 Eventos de interesse em SST

46
Eventos de interesse em SST

DISTRIBUIÇÃO DE EVENTOS DO eSOCIAL

47
Eventos de interesse em SST
1 S-2100 - Cadastramento Inicial do Vínculo
2 S-1010 - Tabela de Rubricas
3 S-1060 - Tabela de Ambientes de Trabalho
4 S-1200 - Remuneração de trabalhador vinculado ao Regime Geral de Previdência Social
5 S-1207 - Benefícios previdenciários – RPPS* 45
eventos do eSocial
6 S-2190 - Admissão de Trabalhador - Registro Preliminar
7 S-2200 - Admissão de Trabalhador 31
eventos gerais
8 S-2210 - Comunicação de Acidente de Trabalho
9 S-2220 - Monitoramento da Saúde do Trabalhador 14
10 S-2230 - Afastamento Temporário eventos com variáveis de SST

11 S-2240 - Condições Ambientais do Trabalho - Fatores de Risco


12 S-2241 - Insalubridade, Periculosidade e Aposentadoria Especial
13 S-2299 – Desligamento
14 S-2400 - Cadastro de Benefícios Previdenciários – RPPS*
*Os formulários S 1207 e S 2400 são de uso exclusivo de agentes do Governo / INSS. 48
Eventos de interesse em SST

Em 26 tabelas existem 10 delas com variáveis de SST

03 - Natureza das Rubricas da Folha de Pagamento


13 - Parte do corpo atingida
14 - Agente Causador do Acidente de Trabalho
15 - Agente Causador / Situação Geradora de Doença Profissional
16 - Situação Geradora do Acidente de Trabalho
17 - Descrição da Natureza da Lesão
18 - Motivos de Afastamento
23 - Fatores de Riscos do Meio Ambiente do Trabalho
24 - Codificação de Acidente de Trabalho
25 - Tipos de Benefícios Previdenciários dos Regimes Próprios de Previdência

49
Eventos de interesse em SST

 S-2100 – Evento Cadastramento Inicial do Vínculo


• Pessoas com deficiência
 S-1200 - Remuneração do Trabalhador
• Tabela 2 – Grau de Exposição a Agentes Nocivos
 S-2210 – Comunicação de Acidente de Trabalho
• Tabela 13 – Parte do corpo atingida
• Tabela 14 – Agente causador do Acidente de Trabalho
• Tabela 15 – Agente Causador / Situação Geradora de Doença Profissional
• Tabela 16 – Situação Geradora do Acidente de Trabalho
• Tabela 17 – Descrição da Natureza da Lesão

50
Eventos de interesse em SST
 S-2220 – Monitoramento da Saúde do Trabalhador
• Tabela 7 – Resultado da Monitoração Biológica
• Quadro I da NR-7
• Quadro II da NR-7
• Tabela de Terminologia Unificada em Saúde Suplementar (TUSS)
 S-2230 – Afastamento Temporário
• Tabela 18 - Motivos de Afastamento
 S-1060 – Tabela de Ambientes de Trabalho
• Descrição do ambiente de trabalho
• Fatores de risco

51
Eventos de interesse em SST

 S-2240 – Condições Ambientais do Trabalho – Fatores de Risco

• Tabela 21 – Fatores de Riscos Ambientais / EPC / EPI

 S-2241 – Insalubridade / Periculosidade / Aposentadoria Especial


• Tabela 23 – Fator de Risco para Insalubridade / Periculosidade /
Penosidade – MTE / Aposentadoria Especial INSS

 S-2299 – Desligamento
• Tabela 2 – Grau de Exposição a Agentes Nocivos

52
Eventos de interesse em SST
Qualificação cadastral
CADASTRAMENTO INICIAL DO VÍNCULO – CONTRATOS VIGENTES (S-2100)

53
Eventos de interesse em SST
Qualificação cadastral
CADASTRAMENTO INICIAL DO VÍNCULO – CONTRATOS VIGENTES (S-2100)

 Lei Nº 7.853/1989
 Decreto Nº 3.298/1999 (Decreto Nº 5.296/2004)
 Abrange deficiência física, mental, visual, auditiva e múltipla
 Critérios definidos e descritos no Decreto Nº 3.298/1999 (Decreto Nº
5.296/2004) e pode ser atestado por médico do trabalho ou outro médico

54
Eventos de interesse em SST
Qualificação cadastral
CADASTRAMENTO INICIAL DO VÍNCULO – CONTRATOS VIGENTES (S-2100)

Perguntas e respostas do eSocial (versão 2.0 – 15/08/2014)

55
Eventos de interesse em SST
Qualificação cadastral
CADASTRAMENTO INICIAL DO VÍNCULO – CONTRATOS VIGENTES (S-2100)

RAIS 2015

56
Eventos de interesse em SST
Qualificação cadastral
CADASTRAMENTO INICIAL DO VÍNCULO – CONTRATOS VIGENTES (S-2100)

Quem deve cumprir?

 Art. 93, da Lei 8.213/1991. A empresa com cem ou mais empregados está
obrigada a preencher de dois a cinco por cento de seus cargos com
beneficiários da Previdência Social reabilitados ou com pessoa portadora de
deficiência habilitada (pessoa com deficiência), na seguinte proporção:
I - até duzentos empregados (2%)
II - de duzentos e um a quinhentos empregados (3%)
III - de quinhentos e um a mil empregados (4%)
IV - mais de mil empregados (5%)

57
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
TABELA DE AMBIENTES DE TRABALHO (S-1060)

IMPACTO NO PPRA

58
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
TABELA DE AMBIENTES DE TRABALHO (S-1060)

59
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
REMUNERAÇÃO DO TRABALHADOR (S-1200)

Preencher com o código que representa o grau de exposição a agentes


nocivos, conforme tabela 2.
Valores Válidos: 1, 2, 3, 4.

60
Eventos de interesse em SST
Afastamentos
COMUNICAÇÃO DE ACIDENTE DO TRABALHO (S 2210)

 No eSocial, o número da CAT é o número do recibo deste evento


 Este número deve ser utilizado para se fazer referência para uma CAT de origem,
nos casos de reabertura
 As empresas passarão a informar a CAT apenas pelo eSocial. A solução atual para
emissão de CAT denominada CATWEB continuará válida para as demais situações
de envio previstas na legislação.
61
Eventos de interesse em SST
Afastamentos
COMUNICAÇÃO DE ACIDENTE DO TRABALHO (S-2210)

62
(
Abrindo parêntesis...

63
Eventos de interesse em SST
Afastamentos
TABELA 24 – CODIFICAÇÃO DE ACIDENTE DO TRABALHO
Link com os artigos 19, 20 e 21 da Lei 8213/1991
Versão MOS v2.2

64
Eventos de interesse em SST
Afastamentos
TABELA 24 – CODIFICAÇÃO DE ACIDENTE DO TRABALHO
Link com os artigos 19, 20 e 21 da Lei 8213/1991
Versão MOS v2.2

65
Eventos de interesse em SST
Afastamentos
TABELA 24 – CODIFICAÇÃO DE ACIDENTE DO TRABALHO
Link com os artigos 19, 20 e 21 da Lei 8213/1991

Versão MOS v2.2

66
Eventos de interesse em SST
Afastamentos
TABELA 24 – CODIFICAÇÃO DE ACIDENTE DO TRABALHO

Link com os artigos 19, 20 e 21 da Lei 8213/1991

Versão MOS v2.2

67
Eventos de interesse em SST
Afastamentos
TABELA 24 – CODIFICAÇÃO DE ACIDENTE DO TRABALHO

Link com os artigos 19, 20 e 21 da Lei 8213/1991

Versão MOS v2.2

68
... fechando parêntesis
)
69
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
MONITORAMENTO DA SAÚDE DO TRABALHADOR (S-2220)

70
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
MONITORAMENTO DA SAÚDE DO TRABALHADOR (S-2220)

Quadros I e II da NR-7, da Portaria 3214/1978


Terminologia Unificada em Saúde Suplementar (TUSS)

71
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
MONITORAMENTO DA SAÚDE DO TRABALHADOR (S-2220)

EE – Exposição excessiva sem significado clínico

SC – Exposição excessiva com significado clínico

SC+ – Possui significado clínico ou toxicológico próprio, mas, na prática,


devido sua curta meia-vida biológica, deve ser considerado como EE.
72
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
MONITORAMENTO DA SAÚDE DO TRABALHADOR (S-2220)

73
Eventos de interesse em SST
AFASTAMENTO TEMPORÁRIO (S-2230) Afastamentos

74
Eventos de interesse em SST
Afastamentos
AFASTAMENTO TEMPORÁRIO (S-2230)

75
Eventos de interesse em SST
Afastamentos

• Obrigatório acima de 3 dias


• CID facultativa
Previdenciário
• CID obrigatório para Licença Maternidade e Aborto
não criminoso

• Obrigatório, a partir da abertura da CAT


Acidentário
• CID obrigatório

• Obrigatório para casos previstos em lei (cárcere,


Outros férias, serviço militar, etc.)
• Facultativo para greves, mandato eleitoral, etc.

INTEGRAÇÃO DE ÁREAS E RESPONSABILIDADES

76
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE TRABALHO (S-2240)

77
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE TRABALHO (S-2240)

78
Eventos de interesse em SST
CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE TRABALHO (S-2240) Fatores de risco

79
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE TRABALHO (S-2240)

80
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE TRABALHO (S-2240)

81
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE TRABALHO (S-2240)

82
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
ALINHAMENTO DE PROCESSOS E PRÁTICAS ÀS VARIÁEIS DO eSOCIAL

PORTARIA INTERMINISTERIAL MTE_MS_MPS Nº 9, de 07/10/2014


(Lista Nacional de Agentes Carcinogênicos Humanos – LINACH)

83
(
Abrindo parêntesis...

84
Estratégia para avaliação de riscos físicos, químicos,
biológicos, ergonômicos (biomecânicos) e mecânicos

A Strategy for Occupational Exposure


Assessment, AIHA 1991

A Strategy for Assessing and Managing


Occupational Exposure, AIHA 1998

85
Estratégia para avaliação de riscos físicos, químicos,
biológicos, ergonômicos (biomecânicos) e mecânicos

A Strategy for Assessing and Managing


Occupational Exposure, AIHA 2006

A Strategy for Assessing and Managing


Occupational Exposure, AIHA 2015

86
AIHA

“A Strategy for Assessing and


Managing Occupational Exposures”,
3rd edition 2006

Grupos Similares
de Exposição (GSE)

87
AIHA
ESTRATÉGIA PARA AVALIAÇÃO DA EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL

Grupos Similares de Exposição (AIHA)

Potencial de Risco (PR) = Grau de Exposição x Efeito à Saúde

4 4 8 12 16 Potencial de Risco (PR)


0, 1 e 2 – Ausente ou muito baixo
3 3 6 9 12
Exposição 3, 4 e 6 – Baixo
2 2 4 6 8
8 e 9 – Moderado
1 1 2 3 4 12 – Alto
1 2 3 4 16 – Muito alto
Efeitos à Saúde

88
... fechando parêntesis
)
89
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE TRABALHO (S-2240)

90
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE TRABALHO (S-2240)

91
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE TRABALHO (S-2240)

92
(
Abrindo parêntesis...

93
Programa de Ergonomia com 6 elementos chaves

http://safemanitoba.com/guide-ergonomics-programs 94
Riscos ergonômicos biomecânicos

Um instrumento confiável e fidedigno, para classificação do risco de


desenvolvimento de distúrbios osteomusculares nos ambientes de trabalho, deve:

 Verificar todos os fatores (biomecânicos e ambientais) de risco


 Estabelecer critérios para quantificar a intensidade de cada fator
 Aplicar-se aos hemicorpos direito e esquerdo separadamente
 Possibilitar a identificação do risco específico de cada zona corporal
(coluna lombar, coluna dorsal, coluna cervical, ombro, cotovelo, punhos,
mãos e membros inferiores)

Autor: Signori (2000)

95
Riscos ergonômicos biomecânicos

96
Riscos ergonômicos biomecânicos

97
Riscos ergonômicos biomecânicos

98
Riscos ergonômicos organizacionais e psicossociais
GESTÃO DA ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO E DO RISCO PSICOSSOCIAL

Sete principais fatores de riscos psicossociais relacionados ao estresse no trabalho:

(1) demanda
(2) controle
(3) apoio gerencial
(4) apoio entre colegas de trabalho
(5) relacionamento interpessoal
(6) função
(7) mudança

Fonte: Psychosocial work environment and stress-related disorders, a systematic review, 2010

99
Riscos ergonômicos organizacionais e psicossociais
TÉCNICAS DE RASTREAMENTO (SCREENING)

1. HSE INDICATOR TOOL (HSE) [2004]


http://www.hse.gov.uk/stress/standards/downloads.htm

2. JOB CONTENT QUESTIONNAIRE (JCQ). Modelo Demanda-Controle (Demand-Control Model


ou Job Strain Model) (Theorell and Karasek, 1979, 1996)
http://www.jcqcenter.org/

3. COPENHAGEN PSYCHOSOCIAL QUESTIONNAIRE (COPSOQ)


http://www.arbejdsmiljoforskning.dk/en/publikationer/spoergeskemaer/psykisk-arbejdsmiljoe

100
Riscos ergonômicos organizacionais e psicossociais
FRAGMENTO DE INSTRUMENTO HSE

101
... fechando parêntesis
)
102
Eventos de interesse em SST
CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE TRABALHO (S-2240)
Fatores de risco

103
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE TRABALHO (S-2240)

104
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE TRABALHO (S-2240)

105
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
RISCOS DO AMBIENTAIS DO TRABALHO INSALUBRIDADE E APOSENTADORIA ESPECIAL

Fatores de
Tabela de Vincular o Fator de
Riscos
Ambientes Empregado Risco
Ambientais
de Trabalho
& EPC

Adicionais
S-1060 S-2241

FATORES DE RISCOS AOS QUAIS O TRABALHADOR ESTÁ EXPOSTO SAÚDE DO


TRABALHADOR

Fatores de
Atividades
Vincular o Riscos
Desempe- Vincular o
Empregado Ambientais
nhadas Empregado
& EPI

S-2240 S-2220
INTEGRAÇÃO DE ÁREAS E RESPONSABILIDADES 106
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
INSALUBRIDADE, PERICULOSIDADE E APOSENTADORIA ESPECIAL (S-2241)

107
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
INSALUBRIDADE, PERICULOSIDADE E APOSENTADORIA ESPECIAL (S-2241)

108
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
TABELA DE RUBRICAS (S-1010)

109
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
INSALUBRIDADE, PERICULOSIDADE E APOSENTADORIA ESPECIAL (S-2241)

110
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
INSALUBRIDADE, PERICULOSIDADE E APOSENTADORIA ESPECIAL (S-2241)

111
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
INSALUBRIDADE, PERICULOSIDADE E APOSENTADORIA ESPECIAL (S-2241)

A Tabela 23 não destaca os agentes descritos


pela NR-15, da Portaria 3214/1978 referente
a insalubridade

112
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
INSALUBRIDADE, PERICULOSIDADE E APOSENTADORIA ESPECIAL (S-2241)

113
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
INSALUBRIDADE, PERICULOSIDADE E APOSENTADORIA ESPECIAL (S-2241)

A Tabela 23 não destaca os agentes descritos


pelo ANEXO IV, do Decreto 3048/1999
referente a aposentadoria especial

114
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
INSALUBRIDADE, PERICULOSIDADE E APOSENTADORIA ESPECIAL (S-2241)

115
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
DESLIGAMENTO (S-2299)

116
Eventos de interesse em SST
Impactos tributários – revisitando os problemas

PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

S-2100 - Cadastramento Inicial do Vínculo S-2200 – Admissão do


(contratos vigentes) Trabalhador

117
Eventos de interesse em SST
Impactos tributários – revisitando os problemas

 Art. 93, da Lei 8.213/1991. A empresa com cem ou mais empregados está
obrigada a preencher de dois a cinco por cento de seus cargos com beneficiários
da Previdência Social reabilitados ou com pessoa portadora de deficiência
habilitada (pessoa com deficiência), na seguinte proporção:
I - até duzentos empregados (2%)
II - de duzentos e um a quinhentos empregados (3%)
III - de quinhentos e um a mil empregados (4%)
IV - mais de mil empregados (5%)

Multas?
Art. 283, do Decreto 3048/1999
Mínimo R$1.925,81 por caso não atendido
Máximo R$192.578,66

118
Eventos de interesse em SST
Impactos tributários – revisitando os problemas

ACIDENTES E DOENÇAS DO TRABALHO

S-2230 S-2210
Afastamento Temporário Comunicação de Acidente do Trabalho

119
Eventos de interesse em SST
Impactos tributários – revisitando os problemas
S-1060 – Tabela de Ambientes de Trabalho

Fatores de risco EPC Descrição do ambiente de trabalho

Riscos físicos, químicos, biológicos, ergonômicos


Tabela 23. Fatores de
(biomecânicos, organizacionais e psicossociais, e
Riscos Ambientais
mecânicos)

S-2240 – Condições Ambientais do Trabalho


(Fatores de Risco)

Descrição de atividades
120
Eventos de interesse em SST
Impactos tributários – revisitando os problemas

S-2241 – Insalubridade, Periculosidade e Aposentadoria Especial

Tabela 23 – Fator de Risco para insalubridade, Periculosidade,


Penosidade – MTE e aposentadoria especial

Laudo de Laudo de LTCAT


Insalubridade Periculosidade Grau de exposição

S-1200 S-2299
Remuneração do Trabalhador Desligamento

121
 Boas práticas de SST

122
Boas práticas de SST
Monitoramento do ambiente interno

Dados Externos de SST Dados Internos de SST


(ambiente externo) (ambiente interno)

ANÁLISE ANÁLISE

CONHECIMENTO EXTERNO CONHECIMENTO INTERNO

ANÁLISE

CONHECIMENTO CONSOLIDADO

TOMADA DE DECISÃO

123
Boas práticas de SST
Monitoramento do ambiente interno

NESSE CENÁRIO,
O QUE FAZER?

124
Boas práticas de SST
Monitoramento do ambiente interno
O QUE MUDA COM O eSOCIAL?

LEGISLAÇÃO? GESTÃO? CULTURA?

125
Boas práticas de SST
Monitoramento do ambiente interno

É necessário entender o eSocial como um projeto


que impacta as várias áreas da empresa

GESTÃO

ADEQUAÇÃO

CULTURA

126
Boas práticas de SST
Monitoramento do ambiente interno

127
Boas práticas de SST
Monitoramento do ambiente interno
OS CINCO FATORES DE SUCESSO

1 • Obter o apoio da alta administração

2 • Adotar uma perspectiva multidisciplinar

3 • Realizar um diagnóstico da situação atual

4 • Implementar uma gestão de projetos

5 • Implementar uma gestão de mudanças

128
Boas práticas de SST
Monitoramento do ambiente interno
FATORES DE SUCESSO
1. Apoio da Alta Administração. A adequação ao eSocial não é apenas um problema de RH, envolve
diversas áreas da empresa, sendo fundamental contar com o apoio da alta administração para
garantir a dedicação dos profissionais e alocar os recursos necessários às ações previstas para a
transição.

2. Perspectiva Multidisciplinar. O processo de adequação envolve mudanças de diversas naturezas na


empresa. Para cumprir as novas exigências não será suficiente apenas alterar os processos e bases de
informações. Será preciso também fazer ajustes nas soluções tecnológicas disponíveis, em papeis,
responsabilidades e qualificação das pessoas.

3. Diagnostico da Situação Atual. É melhor começar com uma boa avaliação da situação atual e
identificar as lacunas em relação aos requisitos do eSocial, contemplando as diversas dimensões da
mudança. Isso permite concentrar melhor os esforços para cumprir o prazo disponível de adequação.

4. Gestão de Projetos. O processo de adequação envolve um conjunto de ações interdependentes e


simultâneas e uma boa gestão do projeto garante que nenhum detalhe será esquecido.

5. Gestão de Mudanças. A gestão de mudança pode contribuir para a conscientização e preparação


dos profissionais e gestores para atuarem no novo contexto.
129
Boas práticas de SST
Monitoramento do ambiente interno
IMPLANTANDO O eSOCIAL - PASSO A PASSO

1. Desconhecimento sobre o tema nas áreas da empresa


2. O desafio do tempo (cronograma 09/2016 “deadline”). Novo “deadline”?
3. Os três níveis de atuação e suas interfaces (SST, operação, interface externa)
4. Sistemas de informação atuais x novas necessidades do eSocial
5. Desenho de processos e a padronização

130
Boas práticas de SST
Monitoramento do ambiente interno
IMPLANTANDO O eSOCIAL - PASSO A PASSO

6. O trabalho integrado do SESMT das empresas


7. Ações sugeridas para cada um dos eventos
8. Integração entre PPRA/LTCAT/PPP/PCMSO/ASO
9. Custos e impactos
10. eSocial – quanto antes melhor

131
Boas práticas de SST
Monitoramento do ambiente interno

No eSocial o NÃO e o SIM


precisam ser sustentados!

132
Boas práticas de SST
Monitoramento do ambiente interno
ESTRUTURA ESQUEMÁTICA DE BLINDAGEM DO eSOCIAL

133
Boas práticas de SST
Monitoramento do ambiente interno
PONTOS DE ATENÇÃO

1. Conscientização organizacional a partir dos gestores


2. Mudança do perfil do profissional de Recursos Humanos
3. Relevância do papel dos contabilistas como agentes de mudança
4. Revisão dos processos internos, com foco na integração
5. Qualificação dos cadastros

Fonte: Receita Federal do Brasil, 2014

134
ATIVIDADE 2 – CONHECIMENTO SOBRE eSOCIAL

 Respondam individualmente, em 15 minutos, o teste de conhecimento


disponível na sua pasta

135
 A ação da indústria para a competitividade

136
Somar forças. Multiplicar resultados.

137
A ação da Indústria para a competitividade
Como melhorar o ambiente de negócios?

E agora, o que VOCÊ vai fazer?

138
Por favor, preencha o formulário de avaliação.
Sua opinião é muito importante!

MUITO OBRIGADO!

AVISO
Este material foi desenvolvido pela CNI, a partir de uma parceria entre a entre a Gerência Executiva
de Desenvolvimento Associativo e a Gerência Executiva de Relações do Trabalho. A cópia deste
material, por qualquer meio, e em qualquer mídia, em seu todo ou em parte, é proibida. A CNI não
se responsabiliza pela aplicação de conceitos e legislações aqui citados em situações práticas nas
empresas. Nenhuma responsabilidade poderá ser imputada à CNI por erro, interpretação, mau uso
ou alterações posteriores na legislação.

139
pda@cni.org.br

www.portaldaindustria.com.br/pda

www.facebook.com/pdacni

140
Vamos nos apresentar?

 Qual é o seu nome?


 Que função você exerce na sua empresa?
 Sua empresa já está preparada para o eSocial?
 Qual sua expectativa em relação ao curso?

141
Somar forças. Multiplicar resultados.

142
Associativismo: a união faz a força!
Vantagens para a Indústria

 Pressão política pela melhoria do eSocial

 Disseminação de informações

 Compartilhamento de soluções

143
Programa

 Contextualização do eSocial

 Impactos do eSocial na gestão de SST

 Eventos de interesse em SST

 Boas práticas de SST

 A ação da indústria para a competitividade

DESAFIO: discutir isso tudo em apenas 8 horas...


Vamos em frente!

144
 Contextualização do eSocial

145
ATIVIDADE 1 – CONHECIMENTO PRÉVIO SOBRE eSOCIAL

 Respondam individualmente, em 15 minutos, o teste de conhecimento


disponível na sua pasta

146
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo

Dados Externos de SST Dados Internos de SST


(ambiente externo) (ambiente interno)

ANÁLISE ANÁLISE

CONHECIMENTO EXTERNO CONHECIMENTO INTERNO

ANÁLISE

CONHECIMENTO CONSOLIDADO

TOMADA DE DECISÃO

147
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo

Pirâmide de Kelsen
Hans Kelsen (1881 - 1973)

148
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo

NO ÂMBITO DO MINISTÉRIO DO TRABALHO

LEI Nº 6.514, de 22 de dezembro de 1977. Capítulo V da CLT,


relativo a segurança e medicina do trabalho.

PORTARIA MTB Nº 3.214, de 08 de junho de 1978. Normas


Regulamentadoras (NR) do Capítulo V da CLT.

149
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
NO ÂMBITO DO MINISTÉRIO DO TRABALHO

NORMAS
REGULAMENTADORAS

150
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
NO ÂMBITO DO MINISTÉRIO DO TRABALHO
Total de Inspeções Realizadas em Segurança e Saúde no Trabalho – Brasil
janeiro a outubro de 2015

Ações Trabalhadores
Setor Econômico % % Notificações % Autuações %
Fiscais Alcançados

Agricultura 6.479 10,6 386.009 4,3 14.391 22,6 8.214 9,4


Comércio 12.713 20,8 770.264 8,5 19.765 31,0 10.217 11,7
Construção 16.001 26,2 1.429.032 15,8 7.953 12,5 32.832 37,6
Educação 768 1,3 89.481 1,0 200 0,3 374 0,4
Hotéis/Restaurante 3.541 5,8 156.396 1,7 1.403 2,2 2.558 2,9
Indústria 11.357 18,6 3.280.012 36,2 14.747 23,1 21.587 24,7
Instituições Financeiras 319 0,5 467.769 5,2 102 0,2 298 0,3
Saúde 1.538 2,5 519.146 5,7 751 1,2 1.974 2,3
Serviços 4.025 6,6 1.012.732 11,2 2.685 4,2 4.007 4,6
Transportes 3.827 6,3 797.197 8,8 1.495 2,3 4.686 5,4
Outros 408 0,7 143.832 1,6 316 0,5 616 0,7

Total 60.976 9.051.870 63.808 87.363

Fonte: Ministério do Trabalho e Previdência Social - Secretaria de Inspeção do Trabalho (MTPS/SIT) 151
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
NO ÂMBITO DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E DO MINISTÉRIO DA FAZENDA

LEI Nº 8.212, de 24 de julho de 1991.


Planos de Custeio da Previdência Social. DECRETO Nº 3.048, de 6 de
maio de 1999. Regulamento
LEI Nº 8.213, de 24 de julho de 1991. da Previdência Social.
Planos de Benefícios da Previdência Social.

INSTRUÇÃO NORMATIVA RFB nº 971, de 13 de novembro de 2009.


Normas gerais de tributação previdenciária e de arrecadação das contribuições
sociais da Previdência Social administradas pela Secretaria da Receita Federal do
Brasil (RFB). CAPÍTULO IX, do Título III (Fiscalização de riscos ocupacionais no
ambiente de trabalho).

152
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
NO ÂMBITO DO MINISTÉRIO DA SAÚDE E INTERMINISTERIAL

 Portaria Interministerial Nº 9, de 7 de outubro de 2014. Publicada a Lista


Nacional de Agentes Cancerígenos para Humanos (LINACH) como referência
para a formulação de politicas públicas.
 Lei Nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Condições para a promoção,
proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos
serviços correspondentes.
 Portaria nº 3.120, de 1º de julho de 1998. Instrução Normativa de Vigilância
em Saúde do Trabalhador no SUS.

153
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
NO ÂMBITO DO JUDICIÁRIO

TRABALHISTA PREVIDENCIÁRIA CIVIL

PENAL AMBIENTAL TRIBUTÁRIA

EmAtualmente,
2016: OtimizaraaAGU obtém
atuação decisões
em matéria favoráveis
de ações regressivas
DANO MORAL acidentárias, com as seguintes estratégias: Intensificar
em 70% das ações regressivas que ajuíza.
análise de acidentes fatais e graves; especializar atuação
DANO MATERIAL através de (www.agu.gov.br
ETRs (Equipes deem 28/04/2015)
Trabalho Remoto); ampliar
projeto de ações regressivas coletivas; alinhar atuação da
DANO ESTÉTICO 2.000
PGF comações
as até 12/2010
metas (R$ 317
institucionais domilhões)
MTPS; priorizar
seguimentos econômicos que mais matam e incapacitam
28/04/2011
totalmente = 174 ações
os trabalhadores; (R$ 41 milhões)
especializar atuação através de
RESPONS. SOLIDÁRIA 28/04/2012
ETR, = 261
com a criação ações
da ETR com(R$ 66 milhões)
atuação especializada e de
âmbito nacional, para instrução dos PIPs e posterior
29/04/2013 = 315 ações (R$ 258 milhões)
ajuizamento de ações regressivas; portaria PGF 157/2016
AÇÕES REGRESSIVAS
28/04/2014
instituiu = 353 ações
ETR inicialmente com(R$ 10 115 milhões)Federais
Procuradores
(início 02/05); vinculação direta à CGCOB/PGF, que fixará o
RESPONS. PENAL 28/04/2015 = 240 ações (R$ 66,7 milhões)
plano de ação, estipulará as metas e irá monitorar as
atividades através de relatórios mensais, tendo como meta,
RESPONS. AMBIENTAL TOTALa média
dobrar de R$de863,7
ações milhões
ajuizadas nos últimos 5 anos.

154
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
NO ÂMBITO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO

Programa Nacional de Acompanhamento de


Obras na Construção Civil Pesada

Promoção do trabalho decente no setor


sucroalcooleiro

Banimento do amianto no Brasil

Adequação das condições de trabalho nos


frigoríficos

Programa Nacional de Combate às


Irregularidades na Indústria da Construção Civil

155
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
AS ONDAS...

1. Lei nº 6.514/1977 e Portaria MTB nº 3.214/1978 (Normas Regulamentadoras)


2. “Novas” Normas Regulamentadoras NR-7 (PCMSO) e NR-9 (PPRA) em 12/1995
3. Lei nº 9732/1998 altera a Lei nº 8213/1991 (LTCAT)
4. Lei nº 9.528/1997 altera a Lei nº 8213/1991 (PPP exigido a partir de 01/01/2004, nos
termos da IN nº 96 de 23/10/2003)
5. Lei nº 11.430/2006 altera a Lei nº 8213/1991 (NTEP a partir de 02/04/2007)
6. Lei nº 10.666/2007 e Decreto nº 6.957/2009 (GIILRAT modificado e FAP a partir de 2010)
7. Lei nº 13.287/2016 (trabalho da gestante ou lactante em atividades, operações ou locais
insalubres)

156
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
DE ONDE VIRÁ A PRÓXIMA ONDA?

PREVIDÊNCIA
TRABALHO FAZENDA

SAÚDE TODOS
JUSTIÇA

MPT
AGU

157
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
ARQUITETURA DA FAMÍLIA SPED

NF-e eSocial
ECD
NFS-e
EFD
EFD – Contribuições
(antiga EFD-PIS/Cofins)
FCont
REINF – Retenções e
CT-e Informações

EFD-ISSQn EFD-IRPJ

158
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
ARQUITETURA DA FAMÍLIA SPED

159
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
ARCABOUÇO LEGAL DAS OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS

 Inc. XXII, do Art. 37 da Constituição - compartilhamento de cadastros


e de informações fiscais por servidores de carreiras específicas, na
forma da lei ou convênio. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 42,
de 19/12/2003)

 Art. 32, da Lei 8.212/1991 – deve prestar à Secretaria da RFB todas as


informações cadastrais, financeiras e contábeis e ao FGTS
 Art. 32-A, da Lei 8.212/1991 – se deixar de apresentar a declaração de
que trata o art. 32 no prazo fixado ou se a apresentar com incorreções
ou omissões será intimado a apresentá-la ou a prestar esclarecimentos
e sujeitar-se ao pagamento de multas

 Art. 225 e 283, do Decreto 3.048/1999 regulamentam os Art. 32 e 32-A


da Lei 8.212/1991

160
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
NORMATIVO LEGAL DO eSOCIAL

 DECRETO Nº 8.373, de 11/12/2014, publicado no DOU em 12 de


dezembro de 2014
 Institui o eSocial (Sistema de Escrituração Digital das Obrigações
Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas)

COMITÊ GESTOR DO eSOCIAL

161
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
NORMATIVO LEGAL DO eSOCIAL

RESOLUÇÃO CG/ESOCIAL Nº 1, de 20/02/2015 (revogada pela Resolução CG/eSocial nº 2)

 MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO eSOCIAL (MOS) Versão 2.0

RESOLUÇÃO CG/ESOCIAL Nº 2 de 03/07/2015 (revogada pela Resolução CG/eSocial nº 5)

 MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO eSOCIAL (MOS) Versão 2.1

RESOLUÇÃO CG/ESOCIAL Nº 5 de 02/09/2016

 MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO eSOCIAL (MOS) Versão 2.2


 ANEXO I – Leiautes do eSocial (151 páginas) – 45 eventos (+ de 2.000 campos)
 ANEXO II – Regras de Validação (8 páginas)
 ANEXO III – Tabelas do eSocial (80 páginas) – 26 tabelas

162
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
ORGANIZAÇÃO DO eSOCIAL (EVENTOS E TABELAS)

Rubricas Empregador Admissão Remuneração


Lotações Filiais CAT Rendimentos
Cargos/Funções Obras Civil Fatores Risco Produção

Eventos não periódicos

Periódicos
Eventos iniciais
Tabelas

Horários Vínculos Insalubridade Rural


Ambiente de e Ap. Especial Contribuição
Trabalho Saúde do Sindical
Processos Trabalhador Portuários
Administrativos / Aviso Prévio Outros
Judiciais Afastamentos
Operadores Reintegração
Portuários Desligamento
Sem Vínculo

Organização Pessoa jurídica Vida laboral Remuneração


da empresa laboral
163
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo

Organização do eSocial (eventos e tabelas)


Eventos iniciais
1 - S-1000 - Informações do Empregador/Contribuinte
2 - S-2100 - Cadastramento Inicial do Vínculo
Tabelas
3 - S-1005 - Tabela de Estabelecimentos, Obras ou Unidades de Órgãos Públicos
4 - S-1010 - Tabela de Rubricas
5 - S-1020 - Tabela de Lotações Tributárias
6 - S-1030 - Tabela de Cargos/Empregos Públicos
7 - S-1035 - Tabela de Carreiras Públicas
8 - S-1040 - Tabela de Funções/Cargos em Comissão
9 - S-1050 - Tabela de Horários/Turnos de Trabalho
10 - S-1060 - Tabela de Ambientes de Trabalho
11 - S-1070 - Tabela de Processos Administrativos/Judiciais
12 - S-1080 - Tabela de Operadores Portuários

Eventos relacionados à SST

164
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo

Organização do eSocial (eventos e tabelas)

Eventos periódicos
13 - S-1200 - Remuneração de trabalhador vinculado ao Regime Geral de Previd. Social
14 - S-1202 - Remuneração de servidor vinculado a Regime Próprio de Previd. Social
15 - S-1207 - Benefícios previdenciários - RPPS
16 - S-1210 - Pagamentos de Rendimentos do Trabalho
17 - S-1250 - Aquisição de Produção Rural
18 - S-1260 - Comercialização da Produção Rural Pessoa Física
19 - S-1270 - Contratação de Trabalhadores Avulsos Não Portuários
20 - S-1280 - Informações Complementares aos Eventos Periódicos
21 - S-1298 - Reabertura dos Eventos Periódicos
22 - S-1299 - Fechamento dos Eventos Periódicos
23 - S-1300 - Contribuição Sindical Patronal

165
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo

Organização do eSocial (eventos e tabelas)


Eventos não periódicos (1/2)
24 - S-2190 - Admissão de Trabalhador - Registro Preliminar
25 - S-2200 - Admissão de Trabalhador
26 - S-2205 - Alteração de Dados Cadastrais do Trabalhador
27 - S-2206 - Alteração de Contrato de Trabalho
28 - S-2210 - Comunicação de Acidente de Trabalho
29 - S-2220 - Monitoramento da Saúde do Trabalhador
30 - S-2230 - Afastamento Temporário
31 - S-2240 - Condições Ambientais do Trabalho - Fatores de Risco
32 - S-2241 - Insalubridade, Periculosidade e Aposentadoria Especial
33 - S-2250 - Aviso Prévio

166
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo

Organização do eSocial (eventos e tabelas)


Eventos não periódicos (2/2)
34 - S-2298 - Reintegração
35 - S-2299 - Desligamento
36 - S-2300 - Trabalhador Sem Vínculo de Emprego/Estatutário - Início
37 - S-2306 - Trabalhador Sem Vínculo de Emprego/Estatutário - Alteração Contratual
38 - S-2399 - Trabalhador Sem Vínculo de Emprego/Estatutário - Término
39 - S-2400 - Cadastro de Benefícios Previdenciários - RPPS
40 - S-3000 - Exclusão de eventos
41 - S-4000 - Solicitação de Totalização de Bases e Contribuições
42 - S-5001 - Informações das contribuições sociais por trabalhador
43 - S-5002 - Imposto de Renda Retido na Fonte
44 - S-5011 - Informações das contribuições sociais consolidadas por contribuinte
45 - S-5012 - Informações do IRRF consolidadas por contribuinte

167
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
ORGANIZAÇÃO DO eSOCIAL (EVENTOS E TABELAS)

S-2210 S-1200
Comunicação de Remuneração
Acidente de Trabalho do Trabalhador
S-2100
Cadastramento
Inicial do Vínculo Eventos
Eventos não Periódicos
S-1010 Periódicos
Cadastramento
Tabela de Rubricas de vínculos
(inicial)
Eventos de
S-1000 Tabelas
Informações do
Empregador Informações do
Contribuinte empregador
(inicial)
168
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
QUALIFICAÇÃO CADASTRAL - REORGANIZAÇÃO DOS REGISTROS

CPF

PIS/NIS/NIT Registro
Único

Nascimento

DESAFIO governamental e empresarial

169
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
QUALIFICAÇÃO CADASTRAL - REORGANIZAÇÃO DOS REGISTROS

CPF NIS CNIS

DESAFIO GOVERNAMENTAL E EMPRESARIAL

170
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
CRONOGRAMA
Resolução CD/ESOCIAL Nº 2 de 30/08/2016

01/2018 Empresas com faturamento no ano de 2014 acima de


R$ 78.000.000,00

07/2018 Eventos de Segurança e Saúde no Trabalho (tabela de ambientes de


trabalho, comunicação de acidente de trabalho, monitoramento da
saúde do trabalhador e condições ambientais do trabalho)

07/2018 Demais empresas

01/2019 Eventos de Segurança e Saúde no Trabalho (tabela de ambientes de


trabalho, comunicação de acidente de trabalho, monitoramento da
saúde do trabalhador e condições ambientais do trabalho)

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS AINDA SEM DEFINIÇÃO

171
Contextualização do eSocial
Monitoramento do ambiente externo
O QUE A RECEITA FEDERAL DIZ?

172
 Impactos do eSocial na gestão de SST

173
Impactos do eSocial na gestão de SST
Processos
REORGANIZAÇÃO DOS REGISTROS / AMBIENTE COMPARTILHADO

Recursos
Humanos

INTEGRAÇÃO
Financeiro DAS Contábil
RESPONSABILIDADES

Segurança e
Saúde no
Trabalho

174
Impactos do eSocial na gestão de SST
Diagnóstico
3 PILARES

Compliance

Processos

Tecnologia

175
Impactos do eSocial na gestão de SST
Diagnóstico
3 PILARES

Compliance

Processos

Tecnologia

176
Impactos do eSocial na gestão de SST
Diagnóstico
DIFICULDADES

1. com os documentos PPRA  LTCAT  PPP  PCMSO  ASO


2. com os Programas
Art.de
58Ergonomia (NR-17) ou a falta deles
da Lei 8.213/1991

LTCAT
3. com a falta/inadequação
A “avaliação ergonômica do do
Art. 68
de normas
Trabalho
Decreto
internas
(AET)” de SST
está para
3.048/1990
claras e coerentes
o Programa de Ergonomia
como
4. coma “dosimetria”
o pagamentodede
agentes físicos
adicionais e químicos está
desnecessários para o PPRA e não pagamento
(desperdícios)
Art. 262 da Instrução Normativa 77/2015
de“abundância”
Temos outros devidos
de(formação de passivos)
PPRAs e “carência” de Programas de Ergonomia
5. com os laudos de insalubridade e periculosidade ou a falta deles
6. com a definição “política” de concessão do adicional de periculosidade
(acordos coletivos de trabalho)

177
Impactos do eSocial na gestão de SST
Diagnóstico

Ofício 317/2014, da Previdência Social, para instruir processo de aposentadoria


especial de Segurado, recebido pela empresa em 28/07/2015 para manifestação:

“Deverá a empresa ratificar ou retificar o código GFIP (item 13.7). Cabe salientar
que é informado no PPP e confirmado pelo PPRA anexado ao processo, exposição
a TÓXICOS ORGÂNICOS DERIVADOS DE PETRÓLEO sem proteção eficaz e código
GFIP 00 (AUSÊNCIA DE AGENTES NOCIVOS). Conforme Art. 299 da IN 77/2015, a
perícia médica deverá emitir Representação Administrativa - RA ao Ministério
Público do Trabalho - MPT competente e ao Serviço de Segurança e Saúde do
Trabalho da SRTE do MTE, sempre que, em tese, ocorrer desrespeito às normas de
segurança e saúde do trabalho que reduzem os riscos inerentes ao trabalho ou às
normas previdenciárias relativas aos documentos LTCAT, CAT, PPP e GFIP, quando
relacionadas ao gerenciamento dos riscos ocupacionais. (§2° do Art. 299, da IN
77/2015)”

178
Impactos do eSocial na gestão de SST
Diagnóstico
3 PILARES

Compliance

Processos

Tecnologia

179
Impactos do eSocial na gestão de SST
Diagnóstico

DIFICULDADES

1. na metodologia de análise de riscos no PPRA, notadamente para agentes químicos


(PPRAs com “tintas e solventes”, “óleos e graxas”, “vapores ácidos”, aerodispersoides
sólidos”, etc.);
2. na metodologia do LTCAT (trata-se de documento previdenciário e não se presta para
atender preceitos legais da NR-15, NR-16 ou NR-17);
3. na metodologia de vigilância da saúde dos empregados no PCMSO, confundindo
exames legais com os de promoção da saúde;
4. na integração do PPRA com o PCMSO (não se falam ou há “ruídos de comunicação”);
5. na metodologia para Gestão da Ergonomia (riscos ergonômicos biomecânicos,
organizacionais e psicossociais). Como superar o “tabu” de avaliar riscos
psicossociais?

180
Impactos do eSocial na gestão de SST
Diagnóstico
DIFICULDADES

6. na caracterização da aposentadoria especial, da insalubridade e da


periculosidade (laudos de insalubridade, laudos de periculosidade e laudos de
aposentadoria especial – LTCAT);
7. no modelo do Sistema de Gestão de SST para empresas contratadas (SGSSTEC);
8. na organização documental e lógica conceitual para a descrição da política de
SST, diretrizes de SST e normas operacionais, com a consequente padronização
de condutas.

181
Impactos do eSocial na gestão de SST
Diagnóstico
3 PILARES

Compliance

Processos

Tecnologia

182
Impactos do eSocial na gestão de SST
Diagnóstico
DIFICULDADES

1. Saneamento de dados cadastrais (grande preocupação do governo e do Comitê


Confederativo)
2. Qualidade da informação. O que vai ser informado? Corremos o risco de dar
um “tiro no pé”?
3. Inadequação de processos x solução informática adotada. Os “fornecedores de
software” estão preparados para dar o suporte técnico de SST?
4. Temos um Sistema de informática que nos apoia nas práticas de SST ou temos
apenas um “repositório de dados”?
5. As “clínicas de medicina do trabalho” estão preparadas para fornecer os dados
de exames no formato adequado e no tempo requerido?
6. Como ocorre a atualização de cadastros de empregados das empresas clientes
nas clínicas de medicina do trabalho?

183
Impactos do eSocial na gestão de SST
Diagnóstico

DIFICULDADES

7. Existem muitos "gaps" em processos (adequação ao eSocial)


8. Foco exclusivo em atender aos “campos do eSocial” (visão reducionista)
9. Utilização precária de módulos de SST de sistemas de folha de pagamento ou ERPs
10. Outros

184
 Eventos de interesse em SST

185
Eventos de interesse em SST

DISTRIBUIÇÃO DE EVENTOS DO eSOCIAL

186
Eventos de interesse em SST
1 S-2100 - Cadastramento Inicial do Vínculo
2 S-1010 - Tabela de Rubricas
3 S-1060 - Tabela de Ambientes de Trabalho
4 S-1200 - Remuneração de trabalhador vinculado ao Regime Geral de Previdência Social
5 S-1207 - Benefícios previdenciários – RPPS* 45
eventos do eSocial
6 S-2190 - Admissão de Trabalhador - Registro Preliminar
7 S-2200 - Admissão de Trabalhador 31
eventos gerais
8 S-2210 - Comunicação de Acidente de Trabalho
9 S-2220 - Monitoramento da Saúde do Trabalhador 14
10 S-2230 - Afastamento Temporário eventos com variáveis de SST

11 S-2240 - Condições Ambientais do Trabalho - Fatores de Risco


12 S-2241 - Insalubridade, Periculosidade e Aposentadoria Especial
13 S-2299 – Desligamento
14 S-2400 - Cadastro de Benefícios Previdenciários – RPPS*
*Os formulários S 1207 e S 2400 são de uso exclusivo de agentes do Governo / INSS. 187
Eventos de interesse em SST

Em 26 tabelas existem 10 delas com variáveis de SST

03 - Natureza das Rubricas da Folha de Pagamento


13 - Parte do corpo atingida
14 - Agente Causador do Acidente de Trabalho
15 - Agente Causador / Situação Geradora de Doença Profissional
16 - Situação Geradora do Acidente de Trabalho
17 - Descrição da Natureza da Lesão
18 - Motivos de Afastamento
23 - Fatores de Riscos do Meio Ambiente do Trabalho
24 - Codificação de Acidente de Trabalho
25 - Tipos de Benefícios Previdenciários dos Regimes Próprios de Previdência

188
Eventos de interesse em SST

 S-2100 – Evento Cadastramento Inicial do Vínculo


• Pessoas com deficiência
 S-1200 - Remuneração do Trabalhador
• Tabela 2 – Grau de Exposição a Agentes Nocivos
 S-2210 – Comunicação de Acidente de Trabalho
• Tabela 13 – Parte do corpo atingida
• Tabela 14 – Agente causador do Acidente de Trabalho
• Tabela 15 – Agente Causador / Situação Geradora de Doença Profissional
• Tabela 16 – Situação Geradora do Acidente de Trabalho
• Tabela 17 – Descrição da Natureza da Lesão

189
Eventos de interesse em SST
 S-2220 – Monitoramento da Saúde do Trabalhador
• Tabela 7 – Resultado da Monitoração Biológica
• Quadro I da NR-7
• Quadro II da NR-7
• Tabela de Terminologia Unificada em Saúde Suplementar (TUSS)
 S-2230 – Afastamento Temporário
• Tabela 18 - Motivos de Afastamento
 S-1060 – Tabela de Ambientes de Trabalho
• Descrição do ambiente de trabalho
• Fatores de risco

190
Eventos de interesse em SST

 S-2240 – Condições Ambientais do Trabalho – Fatores de Risco

• Tabela 21 – Fatores de Riscos Ambientais / EPC / EPI

 S-2241 – Insalubridade / Periculosidade / Aposentadoria Especial


• Tabela 23 – Fator de Risco para Insalubridade / Periculosidade /
Penosidade – MTE / Aposentadoria Especial INSS

 S-2299 – Desligamento
• Tabela 2 – Grau de Exposição a Agentes Nocivos

191
Eventos de interesse em SST
Qualificação cadastral
CADASTRAMENTO INICIAL DO VÍNCULO – CONTRATOS VIGENTES (S-2100)

192
Eventos de interesse em SST
Qualificação cadastral
CADASTRAMENTO INICIAL DO VÍNCULO – CONTRATOS VIGENTES (S-2100)

 Lei Nº 7.853/1989
 Decreto Nº 3.298/1999 (Decreto Nº 5.296/2004)
 Abrange deficiência física, mental, visual, auditiva e múltipla
 Critérios definidos e descritos no Decreto Nº 3.298/1999 (Decreto Nº
5.296/2004) e pode ser atestado por médico do trabalho ou outro médico

193
Eventos de interesse em SST
Qualificação cadastral
CADASTRAMENTO INICIAL DO VÍNCULO – CONTRATOS VIGENTES (S-2100)

Perguntas e respostas do eSocial (versão 2.0 – 15/08/2014)

194
Eventos de interesse em SST
Qualificação cadastral
CADASTRAMENTO INICIAL DO VÍNCULO – CONTRATOS VIGENTES (S-2100)

RAIS 2015

195
Eventos de interesse em SST
Qualificação cadastral
CADASTRAMENTO INICIAL DO VÍNCULO – CONTRATOS VIGENTES (S-2100)

Quem deve cumprir?

 Art. 93, da Lei 8.213/1991. A empresa com cem ou mais empregados está
obrigada a preencher de dois a cinco por cento de seus cargos com
beneficiários da Previdência Social reabilitados ou com pessoa portadora de
deficiência habilitada (pessoa com deficiência), na seguinte proporção:
I - até duzentos empregados (2%)
II - de duzentos e um a quinhentos empregados (3%)
III - de quinhentos e um a mil empregados (4%)
IV - mais de mil empregados (5%)

196
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
TABELA DE AMBIENTES DE TRABALHO (S-1060)

IMPACTO NO PPRA

197
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
TABELA DE AMBIENTES DE TRABALHO (S-1060)

198
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
REMUNERAÇÃO DO TRABALHADOR (S-1200)

Preencher com o código que representa o grau de exposição a agentes


nocivos, conforme tabela 2.
Valores Válidos: 1, 2, 3, 4.

199
Eventos de interesse em SST
Afastamentos
COMUNICAÇÃO DE ACIDENTE DO TRABALHO (S 2210)

 No eSocial, o número da CAT é o número do recibo deste evento


 Este número deve ser utilizado para se fazer referência para uma CAT de origem,
nos casos de reabertura
 As empresas passarão a informar a CAT apenas pelo eSocial. A solução atual para
emissão de CAT denominada CATWEB continuará válida para as demais situações
de envio previstas na legislação.
200
Eventos de interesse em SST
Afastamentos
COMUNICAÇÃO DE ACIDENTE DO TRABALHO (S-2210)

201
(
Abrindo parêntesis...

202
Eventos de interesse em SST
Afastamentos
TABELA 24 – CODIFICAÇÃO DE ACIDENTE DO TRABALHO
Link com os artigos 19, 20 e 21 da Lei 8213/1991
Versão MOS v2.2

203
Eventos de interesse em SST
Afastamentos
TABELA 24 – CODIFICAÇÃO DE ACIDENTE DO TRABALHO
Link com os artigos 19, 20 e 21 da Lei 8213/1991
Versão MOS v2.2

204
Eventos de interesse em SST
Afastamentos
TABELA 24 – CODIFICAÇÃO DE ACIDENTE DO TRABALHO
Link com os artigos 19, 20 e 21 da Lei 8213/1991

Versão MOS v2.2

205
Eventos de interesse em SST
Afastamentos
TABELA 24 – CODIFICAÇÃO DE ACIDENTE DO TRABALHO

Link com os artigos 19, 20 e 21 da Lei 8213/1991

Versão MOS v2.2

206
Eventos de interesse em SST
Afastamentos
TABELA 24 – CODIFICAÇÃO DE ACIDENTE DO TRABALHO

Link com os artigos 19, 20 e 21 da Lei 8213/1991

Versão MOS v2.2

207
... fechando parêntesis
)
208
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
MONITORAMENTO DA SAÚDE DO TRABALHADOR (S-2220)

209
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
MONITORAMENTO DA SAÚDE DO TRABALHADOR (S-2220)

Quadros I e II da NR-7, da Portaria 3214/1978


Terminologia Unificada em Saúde Suplementar (TUSS)

210
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
MONITORAMENTO DA SAÚDE DO TRABALHADOR (S-2220)

EE – Exposição excessiva sem significado clínico

SC – Exposição excessiva com significado clínico

SC+ – Possui significado clínico ou toxicológico próprio, mas, na prática,


devido sua curta meia-vida biológica, deve ser considerado como EE.
211
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
MONITORAMENTO DA SAÚDE DO TRABALHADOR (S-2220)

212
Eventos de interesse em SST
AFASTAMENTO TEMPORÁRIO (S-2230) Afastamentos

213
Eventos de interesse em SST
Afastamentos
AFASTAMENTO TEMPORÁRIO (S-2230)

214
Eventos de interesse em SST
Afastamentos

• Obrigatório acima de 3 dias


• CID facultativa
Previdenciário
• CID obrigatório para Licença Maternidade e Aborto
não criminoso

• Obrigatório, a partir da abertura da CAT


Acidentário
• CID obrigatório

• Obrigatório para casos previstos em lei (cárcere,


Outros férias, serviço militar, etc.)
• Facultativo para greves, mandato eleitoral, etc.

INTEGRAÇÃO DE ÁREAS E RESPONSABILIDADES

215
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE TRABALHO (S-2240)

216
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE TRABALHO (S-2240)

217
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE TRABALHO (S-2240)

218
Eventos de interesse em SST
CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE TRABALHO (S-2240) Fatores de risco

219
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE TRABALHO (S-2240)

220
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE TRABALHO (S-2240)

221
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE TRABALHO (S-2240)

222
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
ALINHAMENTO DE PROCESSOS E PRÁTICAS ÀS VARIÁEIS DO eSOCIAL

PORTARIA INTERMINISTERIAL MTE_MS_MPS Nº 9, de 07/10/2014


(Lista Nacional de Agentes Carcinogênicos Humanos – LINACH)

223
(
Abrindo parêntesis...

224
Estratégia para avaliação de riscos físicos, químicos,
biológicos, ergonômicos (biomecânicos) e mecânicos

A Strategy for Occupational Exposure


Assessment, AIHA 1991

A Strategy for Assessing and Managing


Occupational Exposure, AIHA 1998

225
Estratégia para avaliação de riscos físicos, químicos,
biológicos, ergonômicos (biomecânicos) e mecânicos

A Strategy for Assessing and Managing


Occupational Exposure, AIHA 2006

A Strategy for Assessing and Managing


Occupational Exposure, AIHA 2015

226
AIHA

“A Strategy for Assessing and


Managing Occupational Exposures”,
3rd edition 2006

Grupos Similares
de Exposição (GSE)

227
AIHA
ESTRATÉGIA PARA AVALIAÇÃO DA EXPOSIÇÃO OCUPACIONAL

Grupos Similares de Exposição (AIHA)

Potencial de Risco (PR) = Grau de Exposição x Efeito à Saúde

4 4 8 12 16 Potencial de Risco (PR)


0, 1 e 2 – Ausente ou muito baixo
3 3 6 9 12
Exposição 3, 4 e 6 – Baixo
2 2 4 6 8
8 e 9 – Moderado
1 1 2 3 4 12 – Alto
1 2 3 4 16 – Muito alto
Efeitos à Saúde

228
... fechando parêntesis
)
229
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE TRABALHO (S-2240)

230
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE TRABALHO (S-2240)

231
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE TRABALHO (S-2240)

232
(
Abrindo parêntesis...

233
Programa de Ergonomia com 6 elementos chaves

http://safemanitoba.com/guide-ergonomics-programs 234
Riscos ergonômicos biomecânicos

Um instrumento confiável e fidedigno, para classificação do risco de


desenvolvimento de distúrbios osteomusculares nos ambientes de trabalho, deve:

 Verificar todos os fatores (biomecânicos e ambientais) de risco


 Estabelecer critérios para quantificar a intensidade de cada fator
 Aplicar-se aos hemicorpos direito e esquerdo separadamente
 Possibilitar a identificação do risco específico de cada zona corporal
(coluna lombar, coluna dorsal, coluna cervical, ombro, cotovelo, punhos,
mãos e membros inferiores)

Autor: Signori (2000)

235
Riscos ergonômicos biomecânicos

236
Riscos ergonômicos biomecânicos

237
Riscos ergonômicos biomecânicos

238
Riscos ergonômicos organizacionais e psicossociais
GESTÃO DA ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO E DO RISCO PSICOSSOCIAL

Sete principais fatores de riscos psicossociais relacionados ao estresse no trabalho:

(1) demanda
(2) controle
(3) apoio gerencial
(4) apoio entre colegas de trabalho
(5) relacionamento interpessoal
(6) função
(7) mudança

Fonte: Psychosocial work environment and stress-related disorders, a systematic review, 2010

239
Riscos ergonômicos organizacionais e psicossociais
TÉCNICAS DE RASTREAMENTO (SCREENING)

1. HSE INDICATOR TOOL (HSE) [2004]


http://www.hse.gov.uk/stress/standards/downloads.htm

2. JOB CONTENT QUESTIONNAIRE (JCQ). Modelo Demanda-Controle (Demand-Control Model


ou Job Strain Model) (Theorell and Karasek, 1979, 1996)
http://www.jcqcenter.org/

3. COPENHAGEN PSYCHOSOCIAL QUESTIONNAIRE (COPSOQ)


http://www.arbejdsmiljoforskning.dk/en/publikationer/spoergeskemaer/psykisk-arbejdsmiljoe

240
Riscos ergonômicos organizacionais e psicossociais
FRAGMENTO DE INSTRUMENTO HSE

241
... fechando parêntesis
)
242
Eventos de interesse em SST
CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE TRABALHO (S-2240)
Fatores de risco

243
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE TRABALHO (S-2240)

244
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
CONDIÇÕES AMBIENTAIS DE TRABALHO (S-2240)

245
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
RISCOS DO AMBIENTAIS DO TRABALHO INSALUBRIDADE E APOSENTADORIA ESPECIAL

Fatores de
Tabela de Vincular o Fator de
Riscos
Ambientes Empregado Risco
Ambientais
de Trabalho
& EPC

Adicionais
S-1060 S-2241

FATORES DE RISCOS AOS QUAIS O TRABALHADOR ESTÁ EXPOSTO SAÚDE DO


TRABALHADOR

Fatores de
Atividades
Vincular o Riscos
Desempe- Vincular o
Empregado Ambientais
nhadas Empregado
& EPI

S-2240 S-2220
INTEGRAÇÃO DE ÁREAS E RESPONSABILIDADES 246
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
INSALUBRIDADE, PERICULOSIDADE E APOSENTADORIA ESPECIAL (S-2241)

247
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
INSALUBRIDADE, PERICULOSIDADE E APOSENTADORIA ESPECIAL (S-2241)

248
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
TABELA DE RUBRICAS (S-1010)

249
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
INSALUBRIDADE, PERICULOSIDADE E APOSENTADORIA ESPECIAL (S-2241)

250
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
INSALUBRIDADE, PERICULOSIDADE E APOSENTADORIA ESPECIAL (S-2241)

251
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
INSALUBRIDADE, PERICULOSIDADE E APOSENTADORIA ESPECIAL (S-2241)

A Tabela 23 não destaca os agentes descritos


pela NR-15, da Portaria 3214/1978 referente
a insalubridade

252
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
INSALUBRIDADE, PERICULOSIDADE E APOSENTADORIA ESPECIAL (S-2241)

253
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
INSALUBRIDADE, PERICULOSIDADE E APOSENTADORIA ESPECIAL (S-2241)

A Tabela 23 não destaca os agentes descritos


pelo ANEXO IV, do Decreto 3048/1999
referente a aposentadoria especial

254
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
INSALUBRIDADE, PERICULOSIDADE E APOSENTADORIA ESPECIAL (S-2241)

255
Eventos de interesse em SST
Fatores de risco
DESLIGAMENTO (S-2299)

256
Eventos de interesse em SST
Impactos tributários – revisitando os problemas

PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

S-2100 - Cadastramento Inicial do Vínculo S-2200 – Admissão do


(contratos vigentes) Trabalhador

257
Eventos de interesse em SST
Impactos tributários – revisitando os problemas

 Art. 93, da Lei 8.213/1991. A empresa com cem ou mais empregados está
obrigada a preencher de dois a cinco por cento de seus cargos com beneficiários
da Previdência Social reabilitados ou com pessoa portadora de deficiência
habilitada (pessoa com deficiência), na seguinte proporção:
I - até duzentos empregados (2%)
II - de duzentos e um a quinhentos empregados (3%)
III - de quinhentos e um a mil empregados (4%)
IV - mais de mil empregados (5%)

Multas?
Art. 283, do Decreto 3048/1999
Mínimo R$1.925,81 por caso não atendido
Máximo R$192.578,66

258
Eventos de interesse em SST
Impactos tributários – revisitando os problemas

ACIDENTES E DOENÇAS DO TRABALHO

S-2230 S-2210
Afastamento Temporário Comunicação de Acidente do Trabalho

259
Eventos de interesse em SST
Impactos tributários – revisitando os problemas
S-1060 – Tabela de Ambientes de Trabalho

Fatores de risco EPC Descrição do ambiente de trabalho

Riscos físicos, químicos, biológicos, ergonômicos


Tabela 23. Fatores de
(biomecânicos, organizacionais e psicossociais, e
Riscos Ambientais
mecânicos)

S-2240 – Condições Ambientais do Trabalho


(Fatores de Risco)

Descrição de atividades
260
Eventos de interesse em SST
Impactos tributários – revisitando os problemas

S-2241 – Insalubridade, Periculosidade e Aposentadoria Especial

Tabela 23 – Fator de Risco para insalubridade, Periculosidade,


Penosidade – MTE e aposentadoria especial

Laudo de Laudo de LTCAT


Insalubridade Periculosidade Grau de exposição

S-1200 S-2299
Remuneração do Trabalhador Desligamento

261
 Boas práticas de SST

262
Boas práticas de SST
Monitoramento do ambiente interno

Dados Externos de SST Dados Internos de SST


(ambiente externo) (ambiente interno)

ANÁLISE ANÁLISE

CONHECIMENTO EXTERNO CONHECIMENTO INTERNO

ANÁLISE

CONHECIMENTO CONSOLIDADO

TOMADA DE DECISÃO

263
Boas práticas de SST
Monitoramento do ambiente interno

NESSE CENÁRIO,
O QUE FAZER?

264
Boas práticas de SST
Monitoramento do ambiente interno
O QUE MUDA COM O eSOCIAL?

LEGISLAÇÃO? GESTÃO? CULTURA?

265
Boas práticas de SST
Monitoramento do ambiente interno

É necessário entender o eSocial como um projeto


que impacta as várias áreas da empresa

GESTÃO

ADEQUAÇÃO

CULTURA

266
Boas práticas de SST
Monitoramento do ambiente interno

267
Boas práticas de SST
Monitoramento do ambiente interno
OS CINCO FATORES DE SUCESSO

1 • Obter o apoio da alta administração

2 • Adotar uma perspectiva multidisciplinar

3 • Realizar um diagnóstico da situação atual

4 • Implementar uma gestão de projetos

5 • Implementar uma gestão de mudanças

268
Boas práticas de SST
Monitoramento do ambiente interno
FATORES DE SUCESSO
1. Apoio da Alta Administração. A adequação ao eSocial não é apenas um problema de RH, envolve
diversas áreas da empresa, sendo fundamental contar com o apoio da alta administração para
garantir a dedicação dos profissionais e alocar os recursos necessários às ações previstas para a
transição.

2. Perspectiva Multidisciplinar. O processo de adequação envolve mudanças de diversas naturezas na


empresa. Para cumprir as novas exigências não será suficiente apenas alterar os processos e bases de
informações. Será preciso também fazer ajustes nas soluções tecnológicas disponíveis, em papeis,
responsabilidades e qualificação das pessoas.

3. Diagnostico da Situação Atual. É melhor começar com uma boa avaliação da situação atual e
identificar as lacunas em relação aos requisitos do eSocial, contemplando as diversas dimensões da
mudança. Isso permite concentrar melhor os esforços para cumprir o prazo disponível de adequação.

4. Gestão de Projetos. O processo de adequação envolve um conjunto de ações interdependentes e


simultâneas e uma boa gestão do projeto garante que nenhum detalhe será esquecido.

5. Gestão de Mudanças. A gestão de mudança pode contribuir para a conscientização e preparação


dos profissionais e gestores para atuarem no novo contexto.
269
Boas práticas de SST
Monitoramento do ambiente interno
IMPLANTANDO O eSOCIAL - PASSO A PASSO

1. Desconhecimento sobre o tema nas áreas da empresa


2. O desafio do tempo (cronograma 09/2016 “deadline”). Novo “deadline”?
3. Os três níveis de atuação e suas interfaces (SST, operação, interface externa)
4. Sistemas de informação atuais x novas necessidades do eSocial
5. Desenho de processos e a padronização

270
Boas práticas de SST
Monitoramento do ambiente interno
IMPLANTANDO O eSOCIAL - PASSO A PASSO

6. O trabalho integrado do SESMT das empresas


7. Ações sugeridas para cada um dos eventos
8. Integração entre PPRA/LTCAT/PPP/PCMSO/ASO
9. Custos e impactos
10. eSocial – quanto antes melhor

271
Boas práticas de SST
Monitoramento do ambiente interno

No eSocial o NÃO e o SIM


precisam ser sustentados!

272
Boas práticas de SST
Monitoramento do ambiente interno
ESTRUTURA ESQUEMÁTICA DE BLINDAGEM DO eSOCIAL

273
Boas práticas de SST
Monitoramento do ambiente interno
PONTOS DE ATENÇÃO

1. Conscientização organizacional a partir dos gestores


2. Mudança do perfil do profissional de Recursos Humanos
3. Relevância do papel dos contabilistas como agentes de mudança
4. Revisão dos processos internos, com foco na integração
5. Qualificação dos cadastros

Fonte: Receita Federal do Brasil, 2014

274
ATIVIDADE 2 – CONHECIMENTO SOBRE eSOCIAL

 Respondam individualmente, em 15 minutos, o teste de conhecimento


disponível na sua pasta

275
 A ação da indústria para a competitividade

276
Somar forças. Multiplicar resultados.

277
A ação da Indústria para a competitividade
Como melhorar o ambiente de negócios?

E agora, o que VOCÊ vai fazer?

278
Por favor, preencha o formulário de avaliação.
Sua opinião é muito importante!

MUITO OBRIGADO!

AVISO
Este material foi desenvolvido pela CNI, a partir de uma parceria entre a entre a Gerência Executiva
de Desenvolvimento Associativo e a Gerência Executiva de Relações do Trabalho. A cópia deste
material, por qualquer meio, e em qualquer mídia, em seu todo ou em parte, é proibida. A CNI não
se responsabiliza pela aplicação de conceitos e legislações aqui citados em situações práticas nas
empresas. Nenhuma responsabilidade poderá ser imputada à CNI por erro, interpretação, mau uso
ou alterações posteriores na legislação.

279
pda@cni.org.br

www.portaldaindustria.com.br/pda

www.facebook.com/pdacni

280