Está en la página 1de 22

Soberano Colégio dos Magos Praticantes

O CONCEITO DE EGRÉGORA E SUA FORMAÇÃO – A


RECEITA IDEAL PARA SE CRIAR UMA NOVA RELIGIÃO

O artigo abaixo é um dos mais complexos que já redigi e também


um dos que mais me exigiram reflexão e meditação. O objetivo é de
responder às questões de um dos membros deste grupo, muito dedicado
e determinado, e perguntas como a dele surgem sempre à medida que o
estudante avança e domina algumas práticas, é normal que novos
horizontes se abram dentro de sua mente e de sua percepção.

Isso é uma prova do que aquilo que digo sobre o mistério ou o


oculto pode ser comprovado pela prática:

“Não é o Oculto e o Mistério que se oculta de nós, mas


nós nos ocultamos deles à medida que nos entregamos à
preguiça, à negligência e à indolência”.

O Conceito de Egrégora e Formação de uma Religião 1


Soberano Colégio dos Magos Praticantes

O artigo traz um tema que explica o processo de formação de uma


religião, assim como a conversão religiosa ou de qualquer grupo com
pensamentos e tendências específicas como times de futebol, grupos e
associações, o modo como operam astralmente na influência e na
sedução das massas. O uso da propaganda religiosa ostensiva na
sedução mental e a maneira de evitar e neutralizar essa influência.

Todo seu na Luz da Soberano Colégio dos Magos Praticantes!


Charles Lucien de Lièvre

O Conceito de Egrégora e Formação de uma Religião 2


Soberano Colégio dos Magos Praticantes

A QUESTÃO DO MEMBRO DO GRUPO

Olá, Mestre, tudo bem?

Mestre, eu havia lhe feito algumas perguntas antes e, com o


tempo, andam surgindo outras, como sei que é um iniciado, não posso
deixar escapar a oportunidade na qual tais respostas eu não tenho.

Gostaria de saber como criar uma egrégora efetiva com rápido e


prolongado resultado, seja uma egrégora de mantras ou de outros
meios.

Também li que é possível criar servidores, elementares e


elementais para destiná-los à função de alinhar o homem com o

O Conceito de Egrégora e Formação de uma Religião 3


Soberano Colégio dos Magos Praticantes

enobrecimento da alma e fortalecimento da VONTADE com o uso da


Magia.

Se você tiver esse material passo a passo por e-mail, eu agradeço.

Falta pouco para eu chegar a 100 mil repetições do Mantra de


Hanuman, porém, acho engraçado que quando resolvo uma questão,
outras aparecem.

Attn.
MM

O Conceito de Egrégora e Formação de uma Religião 4


Soberano Colégio dos Magos Praticantes

A CRIAÇÃO DA EGRÉGORA

A Egrégora é sempre formada por uma reunião de mentes afins


concentradas em um único e mesmo objetivo. É um ser artificial
(Elementar) criado por um grupo de pessoas e alimenta-se da energia
mental e emocional daqueles que lhe deram origem e daqueles que com
ela se simpatizam e passam a cultuá-la. Assim, temos a Egrégora Cristã,
a Egrégora Budista, a Egrégora Corintiana, a Egrégora Palmeirense, a
Egrégora Maçônica, a Egrégora Rosacruz, e assim por diante.

“A Egrégora é um ser material, por essa razão necessita


de alimentação por meio da devoção mental e de atos
específicos como ritos ou orações que a fortalecem, é
uma mistura de emoção e pensamento dirigidos, é
matéria mental”.

O Conceito de Egrégora e Formação de uma Religião 5


Soberano Colégio dos Magos Praticantes

Cumpre, desde o início, fazer uma clara distinção entre uma


egrégora e seus propósitos que podem variar dos atos mais elevados até
os mais hediondos e terríveis. Por exemplo, um grupo de pessoas má
intencionadas pode reunir-se para praticar crimes. O fato de reunirem-
se constantemente, falar sobre o crime, fazer-lhe apologia, usar drogas e
ostentar armas, agir com violência imprime em seus participantes fortes
características semelhantes, fazendo com que todos os membros
apresentem praticamente o mesmo comportamento violento. Como se
trata de uma energia mental, ela se irradia no espaço e contamina
outras mentes sintonizadas com este tipo de conduta e com tendências
criminosas. Por essa razão, vemos a manifestação do comportamento
criminoso e de sua apologia em vários locais de uma mesma cidade e em
localidades distante, ainda que esses grupos não mantenham nenhum
contato entre si, ainda que essas comunidades sejam rivais. É preciso
observar igualmente que essa influência não escolhe classes sociais,
podendo manifestar-se em todos os segmentos sociais, sejam eles
pobres, sejam eles ricos, todavia, com uma maior incidência onde a
pobreza predomina. É o caso da periferia dos grandes centros urbanos.

“A massa de energia mental, voltada para um fim


específico, cria uma forma e uma identidade específica,
torna-se um ser Artificial ou um Elementar, quando
criada por um indivíduo apenas é chamado Elementar,
quando criado por uma coletividade chama-se Mente de
Grupo ou Egrégora”.

O Conceito de Egrégora e Formação de uma Religião 6


Soberano Colégio dos Magos Praticantes

Podemos também observar a influência da Mente de Grupo dos


times de futebol que atuam da mesma forma. Por essa razão,
conseguimos explicar a preferência que muitas crianças demonstram,
desde a mais tenra idade, por um time em particular, ainda que o pai ou
a mãe torçam para um time que lhe é rival. Embora a influência da
Mente de Grupo seja poderosa, ela não pode atuar sobre uma pessoa
que não lhe demonstre tendências ou simpatia. A egrégora atua sempre
sobre algo já existente no comportamento e na personalidade da pessoa.

“As massas mentais coletivas ou individuais


diferenciam-se em Mente de Grupo ou Egrégora apenas
em propósitos, quando mais mundano for o objetivo ou
propósito é conhecida com Mente de Grupo, isto é, não
tem insuflo espiritual apenas material, mas atua quase
da mesma forma em termos de influência. Chama-se
Egrégora quando possui objetivos elevados e espirituais.
Porém, nem todas as Egrégoras possuem este insuflo
espiritual, isto é, não são fecundadas pelo Espírito
Divino, a despeito de suas pretensões e tendências
aparentemente espirituais.”

Por mais poderosa e tentadora que seja a influência de uma


Mente de Grupo, ninguém se torna usuário de drogas porque foi forçado
a consumir drogas, seja por sua atuação, seja pela influência de
terceiros. Toda e qualquer propaganda ou influência externa não

O Conceito de Egrégora e Formação de uma Religião 7


Soberano Colégio dos Magos Praticantes

exercerá sobre o indivíduo a menor atração magnética, a menos que


encontre um eco em seu próprio ser, a menos que manifeste a vontade
de ceder a esse desejo ou vício. Isso é fato! Igualmente, ninguém se
torna um bandido pelo fato de morar perto de uma favela ou na região
periférica de um grande centro urbano. É preciso ter em si o potencial
de ser um bandido, um drogado, um torcedor fanático. Há pais que
fumam desde os doze ou treze anos de idade, nem por isso seus filhos se
tornam fumantes, mesmo que seus amigos lhe ofereçam
constantemente para que experimente um cigarro. Se ele não tiver em si
a tendência de ser fumante, nunca será um. São nossas escolhas na
vida que nos definem.

“As forças de influência astral sejam individuais ou


coletivas não anulam nossa liberdade, nem nossa
capacidade de escolha, pode exercer uma certa
influência, mas a escolha é sempre nossa”.

A nova doença social da civilização moderna, que é a dependência


doentia de estar conectado o tempo todo à internet, fazendo consultas
nas redes sociais, consultando e respondendo mensagens o tempo todo
– vício este que tem se tornado a principal causa de acidentes de
trânsito e atropelamento no mundo inteiro vem, ano após ano,
consolidando sua influência mental (gigantesca massa mental de
pensamentos afins – Mente de Grupo) que arrasta um número cada vez
maior de pessoas a essa dependência. Esse vício, que não existia a

O Conceito de Egrégora e Formação de uma Religião 8


Soberano Colégio dos Magos Praticantes

questão de 25 anos atrás, vem consolidando sua força e formando um


poderoso turbilhão que chupa para dentro de si qualquer indivíduo que
não esteja consciente de seu poder alucinador. É uma forma de hipnose
em massa, cujo único remédio é a consciência. É um vício tão poderoso
e alucinógeno quanto um psicotrópico qualquer, porém, trabalha em
diferentes níveis, mas não deixa de ser um vício.

“O homem nasce bom e puro, mas a sociedade o


corrompe”.
Jean-Jaques Rousseau

“O homem é lobo do próprio homem”.


Thomas Hobbes

Muito embora, as Egrégoras místicas e religiosas se revistam (ou


pretendem revestir-se) do caráter do sagrado, elas não são em nada
diferente das Mentes de Grupo compostas por times de futebol, da
mente de grupo de criminosos, da massa mental dos viciados em
internet e redes sociais, porque investem sua propaganda espiritual na
manutenção e conquista de mercado consumidor; nada mais. Tanto a
Egrégora quanto a Mente de Grupo é composta pela matéria mental dos
que se reuniram para criá-la.

“Pouco importa se, de fato, existiu um Jesus Cristo que


foi crucificado e ressuscitou ao terceiro dia. Após dois

O Conceito de Egrégora e Formação de uma Religião 9


Soberano Colégio dos Magos Praticantes

milênios de crença contínua e constantes orações, o Ser


Artificial ou Elementar existe e opera curas e milagres
porque depende da fé humana e das orações para
alimentar-se e, para incitar, a retroalimentação, concede
curas e milagres de modo a provocar a devoção cada vez
maior.”

Pouco importa se indivíduo é católico, evangélico ou espírita, esse


mesmo Ser Artificial atenderá os pedidos de todos aqueles que
conseguirem por um processo de simbiose unir-se a ele para gerar a
manifestação material do pedido ou desejo daquele que lhe fez a
promessa. Vale dizer que o cumprimento dessa promessa depende em
90% da devoção daquele que a pede.

O gigantesco volume de emissoras de televisão e canais fechados


que investem em cultos evangélicos; e o constante martelar dessa
propaganda não tem apenas o puro objetivo de conquistar espaço no
mercado como fora antes da igreja católica, mas retroalimentar a Mente
de Grupo, fortalecendo seu domínio mental sobre as massas ignorantes,
em torná-los escravos, pois para ser seduzido é condição sine qua non
ser um néscio, um estúpido, um idiota, a despeito de qualquer formação
acadêmica, pois muitos são os indivíduos que a possuem e continuam
incompetentes e completamente imbecis. Mudam-se e sutilizam-se os
instrumentos da escravidão, porém, o processo continua exatamente o

O Conceito de Egrégora e Formação de uma Religião 10


Soberano Colégio dos Magos Praticantes

mesmo. Antes o que era imposto pela violência e crueldade


indiscriminada, hoje é imposto pela propaganda excessiva.

A Egrégora é um ser material composto da matéria mental sutil.


Dito de outro modo, é um ser material que necessita, como tudo relativo
a esse plano, ser alimentada, ser cultuada, ser energizada. Torna-se um
grande e poderoso Elementar, que pode sobreviver durante séculos ou
milhares de anos, quanto maior o número de pessoas reunidas para
alimentá-la e fortalecê-la, mais longa é sua vida e mais poderosa sua
influência. Em troca, ela reage sobre a mente e a vida daqueles que a
alimentam, produzindo alguns efeitos espetaculares – considerados
milagrosos – para provocar o efeito de retroalimentação pela fé e pela
devoção de seus seguidores. É assim que operam as Egrégoras dos
Santos da Igreja, e assim é que surgem as Egrégoras dos novos santos,
que a cada ano vemos canonizados.

“Ainda que nunca houvesse existido uma Santa de


Aparecida, os fatos milagrosos associados à imagem
somados aos atos de fé, peregrinações, promessas,
orações, pode-se dizer que agora existe uma Santa de
Aparecida e que reúne um gigantesco poder ao longo
desses trezentos anos desde que sua imagem foi achada
no Rio Paraíba.”

O Conceito de Egrégora e Formação de uma Religião 11


Soberano Colégio dos Magos Praticantes

A fé das pessoas reunidas em torno daquela personalidade


considerada como divina ou dotada de atributos divinos começa a
operar determinados milagres na vida dessas ou de outras pessoas fora
de seu centro de ação por um desejo individual intenso do fiel. Este
efeito milagroso causa uma forte impressão tanto emocional como
mental no grupo de fiéis, que passa a reunir com maior frequência em
orações mais fervorosas e mais confiantes no poder divino de cura de tal
santo. Este passa a reagir novamente com efeitos milagrosos dada à
energia acumulada pela fé, devoção e oração de um número de fiéis
cada vez mais crescente. Essa massa de energia, condensada no plano
astral, adquire cada vez mais força e poder de ação sobre as demais
mentes.

“A imagem ou personalidade é apenas o foco central


para o qual são direcionados todas as orações, devoções
e atos de fé. Vale dizer que é a Egrégora (reunião mental
de toda a energia dos fiéis) que opera os milagres, não a
pessoa do santo em si”.

Normalmente essa poderosa força Elementar fica condensada nos


locais de culto, onde a mente de muitas pessoas se desprendem de suas
ações e atividades mundanas para dedicar-se àquilo que, em sua
compreensão, vem a ser o espiritual. Essa força acumulada chama-se
magismo e pode ser sentida por todos que entram em uma igreja ou
catedral, quanto mais antiga a igreja ou catedral maior é a força sentida.

O Conceito de Egrégora e Formação de uma Religião 12


Soberano Colégio dos Magos Praticantes

Por essa razão, os locais de culto e oração por muito tempo dedicados
àquela figura do Santo se tornam verdadeiros polos magnéticos de
energia concentrada, de manifestação da força dessa Egrégora.

“Por essa mesma razão, curas, milagres e pedidos vemos


materializados em templos budistas, hinduístas,
islâmicos, xintoístas. Pouco importa a religião, a
manifestação da força segue o mesmo processo – a
reunião de mentes afins”.

É preciso ter em mente que a Egrégora em formação empresta


seus primeiros elementos de uma fé ou crença oficialmente constituída
para retirar as bases energéticas de sua composição como no exemplo
acima a Egrégora Cristã com mais de 2000 anos de existência. A
Egrégora Hinduísta que se perde na noite dos tempos.

Muitos deuses foram criados dessa forma e atuaram com grande


poder e força na mente de suas respectivas civilizações, assim também
atuam as Egrégoras das Escolas de Mistérios, por isso elas podem ser
despertadas a qualquer tempo e em qualquer lugar por um indivíduo em
condições de alinhamento com ela (Verticalidade Iniciática), ainda que
nunca tivesse recebido uma iniciação horizontal (em Templo ou Loja). É
dessa simbiose que o indivíduo em questão é capaz de criar e
estabelecer a sua ligação com a Egrégora.

O Conceito de Egrégora e Formação de uma Religião 13


Soberano Colégio dos Magos Praticantes

“Porque onde estiverem dois ou três reunidos em


meu nome, aí estou eu no meio deles”.
(Matheus 18:20)

Esse trecho do Evangelho de Matheus, mais do que uma simples


declaração encerra em si uma poderosa Lei Mental que envolve o
espírito de formação das Egrégoras.

COMO UMA EGRÉGORA OU SER ELEMENTAR GRUPAL SE


TORNA FECUNDADA PELO DIVINO

Em primeiro lugar, é preciso considerar que o Divino, o Sagrado, o


Eterno já existe eterna e permanentemente em todo o Universo e em
toda a Criação. É o Grande Manancial de Energia Universal
inteiramente à disposição de todos os seres e em todos os lugares, para

O Conceito de Egrégora e Formação de uma Religião 14


Soberano Colégio dos Magos Praticantes

todas as crenças, e para todas as raças. Esta Energia ou Corrente


Universal manifesta-se de acordo com a compreensão que cada um tem
dela e varia de acordo com a visão pessoal e coletiva, assim como com a
época e a civilização.

A Energia Universal é eterna e invariável, assim como é a nossa


Consciência mais elevada. O que varia é a nossa compreensão,
entendimento e uso desse Princípio Universal.

Considere a Egrégora como afluentes menores de um grande e


gigantesco rio ou oceano, que tem sua origem em um ponto, uma
nascente, quanto mais puro e mais elevado forem os seus objetivos e
mais mentes reunidas em torno deles, maior ele se torna, mais poderoso
e mais forte, conseguindo desse modo sulcar a terra e avançar adiante.
Esta pequena nascente torna-se um riacho, depois um rio, e avança
sempre em direção a um objetivo maior até encontrar um rio maior e,
finalmente o mar. Este exemplo é bem simples e ilustra bem a união de
um rio com a fonte de todas as águas para qual ele sempre tende. O rio
sempre corre para reencontrar sua unidade. Porém, diferentemente
como acontece com um rio físico, a Egrégora quando se conecta com a
Fonte de Energia Universal, esta passa a fecundá-la, a comunicar-se
com suas fases menores por meio dela. É nesse ponto que uma
Egrégora, primeiramente material, se torna fecundada pelo Divino.
Quanto mais puros e elevados forem o seu propósito, mais fecunda
divinamente se torna a Egrégora.

O Conceito de Egrégora e Formação de uma Religião 15


Soberano Colégio dos Magos Praticantes

“É nisso difere uma Egrégora de uma Mente de Grupo,


ambos são artificiais, ambas são criações humanas, mas
os propósitos bem diferentes, embora ambas atuem
praticamente da mesma forma, por isso vemos uma forte
semelhança entre uma Egrégora Religiosa de uma Mente
de Grupo de futebol ou torcida.”

Muitas Egrégoras antigas ressuscitaram ou se revestiram de


novas roupagens como o Culto à Grande Deusa, ou Grande Mãe, Culto
de Ísis, que hoje vemos sob a roupagem das múltiplas virgens católicas
ou nossas senhoras. Por isso, vale dizer que a Verdade Universal e a fé
não são propriedades de quem quer que seja, muito menos Deus é
propriedade exclusiva de qualquer religião ou culto, podendo
manifestar-se onde que quer que haja um canal (homem) para se
conectar a ele por meio de sua fé, que também é um ato individual .

Por isso, uma Egrégora se renova em suas versões e visões de


acordo com as civilizações e culturas, porém, seu aspecto inicial e
tradicional permanecem sempre o mesmo: a conexão com o Divino
dentro, fora e por meio do homem.

O Conceito de Egrégora e Formação de uma Religião 16


Soberano Colégio dos Magos Praticantes

COMO A EGRÉGORA PODE SER MACULADA PELA SUJEIRA


HUMANA

Este é um assunto delicado e que ninguém gosta de discorrer


sobre, mais vale varrer a sujeira para debaixo do tapete do que deixá-la
vir à luz, principalmente nos cenáculos místicos e ocultos onde
predomina uma hipocrisia exacerbada, mas vamos lá! Uma Egrégora
pode ser maculada, isto é, pode sujar-se com as baixas paixões
humanas?

Ora, vimos mais acima que a existência da Egrégora ou da Mente


de Grupo depende muito da qualidade e das intenções dos indivíduos
que a compõem e que ela dá o retorno de modo a receber essa
retroalimentação para continuar se fortalecendo.

Um indivíduo quando se dirige para uma igreja, casa de oração,


terreiro de macumba, Loja ou Templo, ele vai com a totalidade de seu

O Conceito de Egrégora e Formação de uma Religião 17


Soberano Colégio dos Magos Praticantes

ser, isto é, seus desejos e traumas íntimos, suas emoções, felicidades,


infelicidades, expectativas, ambições, desafetos, etc. Ele vai com tudo o
que ele é e que, na maioria das vezes, esconde. Muitas vezes, ele se
dirige para esses locais como uma forma de aliviar suas tensões,
preocupações, e mesmo para se distrair porque lhe falta as condições
materiais para custear seu lazer. Quando ele se une em oração e
pensamento com sua congregação, fraternidade ou assembleia, não se
desprende dele somente as orações, mas os elementos que compõem a
base emocional de sua personalidade, essas energias se elevam juntas e
vão compor igualmente o corpo da Egrégora, que se torna assim
maculada igualmente com as paixões humanas.

Observe que quanto mais grosseiros forem os indivíduos e os


objetivos que compõem uma Egrégora, mais densa e distante dos planos
elevados ela se torna. Por isso, vemos que apesar da ganância financeira
e da exploração da fé em nome Deus, muitas pessoas lotam as várias
igrejas evangélicas e não contestam, não pensam no tipo de fé que
defendem, porque a exploração dessa ganância não é gratuita, é uma via
de mão dupla, porque aquele que é ao mesmo tempo enganado, quer
gananciosamente algo, seu egoísmo por realizações materiais é o que
move sua fé. Assim, vemos também a Egrégora da Maçonaria Ordinária
maculada pelo tráfico de influências e ascensão ao poder político e
social que movem o interesse de muitos que ingressam na Ordem,
somente para satisfazer esses apetites, tendo a fraternidade universal
como desculpa ou disfarce.

O Conceito de Egrégora e Formação de uma Religião 18


Soberano Colégio dos Magos Praticantes

Por essa razão, para a prática da Magia exige-se do Mago, em


treinamento, constantes práticas de purificações espirituais e
mortificações das paixões humanas mais grosseiras. O objetivo principal
é elevar seu padrão vibratório ao nível mais puro, de modo que possa se
comunicar novamente com as Potências e Inteligências Superiores por
meio da Egrégora dos Magos, que passaram pelo mesmo rigoroso
treinamento.

“A união com a Egrégora deveria ser realizada tão


somente nessas condições de pureza, assim não se
tornaria tão viciada e maculada com as paixões
humanas mais grosseiras, existindo somente para
cumprir esses desígnios, ficando de lado a união íntima
com o Criador”.

COMO CRIAR UMA EGRÉGORA OU ELEMENTAR ARTIFICIAL


COLETIVO

Você pode reunir um grupo de pessoas afins, com objetivos


semelhantes aos teus e que sejam firmes e disciplinas. Reunir-se
periodicamente para praticar os mantras, por exemplo, a fim de
estabelecer uma entidade artificial que produza efeitos materiais mais
rápidos e mais concretos para todos os membros. A mente de todos
unidas em um só propósito gera uma poderosa energia no campo

O Conceito de Egrégora e Formação de uma Religião 19


Soberano Colégio dos Magos Praticantes

mental que, pela prática constante e prolongada, se torna uma poderosa


Mente de Grupo ou Egrégora.

“As práticas coletivas devem durar um mínimo de 2 a 3


horas por sessão, pois é o tempo mínimo para vencer o
psiquismo médio do ser humano comum”.

A grande dificuldade de reunir pessoas é garantir a pureza das


intenções de cada um para que a Egrégora ou Mente de Grupo não se
torne maculada pelas baixas paixões e desejos puramente egoístas.

É preciso fazer ainda reuniões periódicas com os membros do


grupo para reforçar-lhes mentalmente o objetivo pelo qual se reuniram.
Se deixá-los à vontade, sem o contato constante, o grupo naturalmente
se desfaz, porque hoje em dia, tanto as tecnologias quanto as
contingências da vida produzem enormes distrações.

Observe os cultos evangélicos que poderá aprender muito com eles, pois
exigem a presença maciça e quase que diária em seus cultos com
orações diárias, leitura do evangelho, provas de testemunhos. Enfim,
todas as ações para manter a mente constantemente focada no objetivo
da religião.

Em Magia, chamamos isso de manter a Cadeia de Tensão, isto é,


manter um constante fluxo de energia mental para um objetivo

O Conceito de Egrégora e Formação de uma Religião 20


Soberano Colégio dos Magos Praticantes

determinado de modo a produzir uma grande quantidade de energia


psíquica que se condensa e atua com mais força e precisão no mundo
material. Muitas vezes, com a produção de visões dos Planos Superiores
e mensagens intuitivas.

“A prática dos mantras como são ensinadas fornecem as


bases mais rudimentares de manutenção da Cadeia
Mágica de Tensão”.

E fornecer-lhes leituras constantes sobre o assunto, cobrar


relatórios, reunir testemunhos de êxito. Todas essas ações elevam o
psiquismo dos membros e mantêm unidas suas mentes no alcance dos
objetivos comuns.

Se possível, reúna essas pessoas sempre no mesmo local e use-o


somente para este fim. Assim, o ambiente ficará impregnado com a aura
de energia das práticas; o que influenciará a mente de todos os
praticantes com a perseverança e a determinação em alcançar os
objetivos em conjunto. Além disso, a magnetização do local permite uma
manifestação mais forte e concreta da Egrégora.

Acabei de lhe dar a receita para formar uma religião nova. Você
pode começar pelo vínculo das religiões hinduístas através dos mantras,
porque muitos deles têm a eficiência de milênios de recitação e seus

O Conceito de Egrégora e Formação de uma Religião 21


Soberano Colégio dos Magos Praticantes

efeitos são tão grandes e até mais fortes do que qualquer outro culto ou
rito ocidental, dos quais, aliás, baseiam muito de sua liturgia.

Todo seu na Luz do Soberano Colégio dos Magos Praticantes!


Charles Lucien de Lièvre

O Conceito de Egrégora e Formação de uma Religião 22