Está en la página 1de 2

Verdades sobre liderança

O guru americano John C. Maxwell concorda com a tese de


que qualquer um pode se tornar líder. E enfatiza: nada
compensa a falta dessa competência na carreira
Por FERNANDA BOTTONI

John C. Maxwell: “A capacidade de influenciar o chefe, os subordinados e os pares


é uma das facetas da liderança”

Para saber se você é um líder de verdade, conte quantas pessoas


prestam atenção ao que você diz. Isso poderá revelar a medida de sua
capacidade de liderança, a influência que você exerce sobre os outros.
Competência fundamental para um gerente, porque para um diretor ou um
CEO é muito mais fácil se fazer ouvir. Quem afirma isso é o norte-
americano John C. Maxwell, autor de As 21 Irrefutáveis Leis da Liderança
e O Líder 360º (ambos da Editora Thomas Nelson Brasil). Ele já tem cerca
de 50 livros publicados e 13 milhões de exemplares vendidos. E vem ao
Brasil pela primeira vez este ano para a conferência O Segredo do Líder
360º, que deve ocorrer no fim deste mês, em São Paulo. Para o
americano, nenhuma outra habilidade pode compensar a falta de liderança
de um profissional. No entanto, com um plano de desenvolvimento bem
elaborado, qualquer um pode se tornar um bom líder. Como? Veja o que
ele diz nesta entrevista exclusiva concedida à VOCÊ S/A.
Como liderar para cima, para baixo e para os lados?
A capacidade de influenciar o chefe, os subordinados e os pares é uma
das facetas da liderança — a liderança 360º. Aliás, verificar isso é uma
ótima maneira de observar se alguém é realmente um líder. Seu gestor,
por exemplo, tem esse poder sobre o próprio chefe?
Se ele não tiver, o que deveria fazer para conseguir influenciar?
Para influenciar ou liderar os superiores é preciso entregar excelência de
resultados. A liderança sobre os subordinados tem a ver com investir no
crescimento e no desenvolvimento da equipe. E liderar os pares se baseia
na construção de relacionamentos feitos de amizade e respeito.
Antigamente, o líder era alguém que sabia mais do que a equipe.
Hoje, a informação está ao alcance de todos e as pessoas
questionam mais a autoridade dos gestores. Com isso, ficou muito
difícil liderar?
Não necessariamente. A liderança se baseia, na verdade, muito mais na
confiança que a equipe tem no caráter do gestor que tem integridade e
ética e na sua capacidade, ou seja, a habilidade que ele tem para executar
seu trabalho.
A influência que um profissional exerce sobre os outros não está
diretamente ligada ao cargo que essa pessoa ocupa? Como saber se
um alto executivo ainda seria influente num cargo inferior?
Um líder com caráter e competência seria influente em qualquer que fosse
a sua posição. Competências interpessoais, habilidade de comunicação e
atitudes grandiosas sempre destacarão um líder. É importante ressaltar
que liderança não é um cargo ou uma posição. A posição não faz o líder, o
líder é quem faz a posição.
Um bom líder também deve ser influenciável?
Certamente. Um bom líder está sempre querendo ouvir as idéias das
outras pessoas. Costumo dizer que qualquer grande idéia é apenas uma
coleção de boas idéias consolidadas numa idéia maior. Um bom líder ouve
e é seguro o suficiente para implementar idéias que vêm dos seus
subordinados.
Então ele não é sempre o dono das melhores idéias?
De forma alguma. Ele é, sim, a pessoa que melhor reúne as boas idéias.
Uma pessoa que não é criativa pode ser um grande líder desde que
aprenda a ouvir as idéias dos outros.
Até que ponto um profissional eficiente que não se torna um líder
está arriscando o sucesso da sua carreira?
Quem não desenvolve essa capacidade corre o risco de ficar para trás.
Toda e qualquer pessoa que esteja numa empresa precisa de um plano de
desenvolvimento pessoal e profissional. O mundo se transforma o tempo
todo. Ou crescemos e evoluímos, ou nos tornamos obsoletos.
Alguma outra habilidade pode compensar a falta de liderança num
profissional?
Habilidades interpessoais, capacidade de comunicação, atitude positiva e
um certo talento natural são vantagens claras. Tudo isso pode ser um bom
começo, mas nunca será o suficiente. Não há o que substitua a
capacidade de liderança.
E qual é o inimigo número 1 da liderança?
A insegurança. Se eu tenho medo de ajudar os outros a crescer, vou
sabotar toda a minha equipe.
Quais são os principais erros dos grandes líderes atualmente?
O maior erro é se contentarem com o sucesso que já alcançaram e se
recusarem a pagar o preço de continuar crescendo pessoal e
profissionalmente.
Um gestor que tem apenas líderes em sua equipe tem mais chance de
alcançar uma boa performance do que aquele que tem na equipe uma
porção de líderes e outra de liderados?
Uma grande equipe deve ser um grupo diversificado, que ofereça uma
variedade de dons e habilidades. Um time de futebol, por exemplo, que
tem apenas goleiros não pode ser um time de verdade. O líder deve saber
recrutar jogadores que sejam fortes naquilo em que ele é fraco.
Homens e mulheres têm chances iguais de se tornar líderes?
Nem sempre. Em algumas culturas e sociedades existem obstáculos que
podem atrapalhar o desenvolvimento das mulheres. No entanto, quando
há oportunidades iguais para ambos os sexos, as mulheres têm como
provar que podem ser líderes altamente eficientes.
Quais perguntas um profissional pode fazer a si mesmo para saber
se é um bom líder?
Ele deve se perguntar se as pessoas prestam atenção quando ele expõe
sua opinião sobre um produto ou um programa, por exemplo. Também
deve se perguntar se é capaz de atrair voluntários para suas iniciativas. Se
as respostas forem positivas, ele tem chance de ser um bom líder.
Como se constrói um plano de crescimento pessoal para desenvolver
a liderança?
Esse plano deve misturar alguns dos seguintes ingredientes: conferências,
livros, vídeos e, possivelmente, um mentor particular ou um coach.
Um “líder construído” pode ser tão eficiente quanto um “líder
natural”?
Ele pode ser mais eficiente. Se a vida fosse uma maratona, eu diria que
um líder natural teria a vantagem de largar na frente. No entanto, isso não
garante que ele vá fazer uma boa prova nem que alcançará o sucesso na
linha de chegada. O líder natural normalmente é uma pessoa a quem nós
nos referimos como talentosa. No entanto, talento não é o suficiente. O
líder disciplinado que está comprometido por toda a vida com a caminhada
do crescimento será sempre o melhor dirigente.
Em seu livro, você cita 21 leis irrefutáveis da liderança. Se só
houvesse espaço para falar de três, quais delas você destacaria?
Eu destacaria as três primeiras. A mais importante é definitivamente a
primeira delas, a Lei do Limite, que afirma que o grau de eficiência de
alguém é determinado, ou limitado, pela sua capacidade de liderança. Se
a pessoa não acreditar nisso, ela não vai encontrar razão para crescer.
Em seguida, eu destacaria a Lei da Influência. A influência é a verdadeira
medida da liderança. Se você não tem influência, não conseguirá liderar
os outros — e isso independe do cargo que ocupa. A terceira que eu
destacaria é a Lei do Processo, que esclarece que os líderes são pessoas
comuns que apenas aprimoram essa capacidade diariamente, seguindo
um plano de desenvolvimento. Líderes não nascem prontos.

Intereses relacionados