Está en la página 1de 15

RESUMO: CONTABILIDADE SOCIAL

AULA 07 – CONTAS PÚBLICAS (DÉFICT)
Objetivo: Mensurar o quanto de “Estado” tem em um país. Para tentar
responder essa pergunta utilizam as seguintes estatísticas: Emprego da
administração pública sobre o total de pessoal ocupado; Carga tributária bruta
sobre o PIB; Consumo do governo sobre o PIB; FBKC sobre o PIB.
Estado consolidado: Tudo (inclui estados e municípios)
Governo central: Governo federal, Banco Central e Previdência

GOVERNO:
Receitas e despesas são fluxos e dívidas são estoques. O resultado (déficits ou
superávits) é derivado de fluxos, ou seja, é a diferenças entre gastos e receitas.
Variação positiva da dívida: déficit
Variação negativa da dívida: superávit
Para contabilizar as dívidas e os estoques são utilizados dois métodos:
Acima da linha: Utilizado pelo STN (Secretária do tesouro nacional) –
Contabilização de todas as receitas e despesas.
Governo central: Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central
• Receitas (apropriação pelos DARF retira-se restituições)
• Descontam-se as transferências p/ Estados e Municípios
• Retiram-se as Despesas (efetivas, execução só liberação)
Se não incluir pagamentos de juros sobre a dívida: Resultado primário
Adicionando-se os juros nominais nas despesas: Resultado nominal

(Saldos finais – Saldos iniciais).T se: Sg = T .Abaixo da linha: Utilizado pelo BACEN – Verificação dos saldos. .Outros ajustes patrimoniais (esqueletos) Déficit público e poupança pública SE existe déficit público (NFSP) a poupança do governo é negativa ? Não necessariamente NFSP = G . haverá déficit e necessidade de financiamento do setor público (NFSP). OBS: Déficit nem sempre é devido aos saldos finais e iniciais.NFSP NFSP = Ig .Sg Déficit significa que os investimentos governamentais (se existirem) não são financiados integralmente por poupança do governo. T NFSP = (Cg + Jg + Ig) . Se a variação da dívida líquida (dívida bruta – créditos [títulos e ativos de rápida liquidez] for positiva. Déficit público = variação do endividamento liquido do setor público (DLSP) • Dívida liquida = Divida Bruta .(Cg+Jg).créditos • Dívida = Interna + Externa + Base Monetária só elementos financeiros .não inclui ativos reais (Patrimônio Liquido) Privatização ? NFSP = Variação DLSP + Privatização . A variação dos estoques pode ocorrer devido a privatizações e reconhecimento de dívidas antigas (esqueletos). logo: Sg = Ig .

juros nominais = NFSP primário AULA 08 – AS CONTAS PÚBLICAS E A DÍVIDA PÚBLICA Déficit público: Variação da dívida líquida do setor público Dívida líquida = Dívida bruta – créditos Dívida bruta = interna + base monetária + externa (só inclui a dívida do governo) Base monetária: Dívida que não paga juros e que está na conta do BACEN Créditos: Inclui-se as reservas internacionais Brasil: Durante o governo Lula obteve-se um superávit muito alto: Acumulou-se reservas internacionais.juros reais = NFSP primário ou: NFSP nominal . Dívida = Dívida acumulada + Juros – SP (Superávit primário). Dt = D acum [(1-r) / (1-p) x (1+q)] – H dt = relação divida PIB R = Taxa de juros nominais P = Taxa de inflação Q = Taxa de crescimento do PIB H = Taxa de superávit primário/PIB .correção monetária da dívida = NFSP operacional .NFSP: nominal. primário NFSP nominal (variação da divida) . operacional. diminui a dívida externa líquida e aumentou o número de títulos pré-fixados.

investimentos em carteira (ações e títulos da dívida). BALANÇO DE PAGAMENTOS No Brasil. nem a dívida externa. em um dado momento. A PII negativa significa uma obrigação dos residentes sobre ativos frente ao resto do mundo. é calculado pelo BACEN e de periodicidade. bem como alterações nas obrigações e direitos dos residentes em relação a não residentes). .AULA 09 – BALANÇO DE PAGAMENTOS E POSIÇÃO INTERNACIONAL DE INVESTIMENTOS O balanço de pagamentos de um país é o resumo contábil das transações econômicas (reais e financeiras) de um país. Os estoques estão contidos na PII (Posição internacional de investimentos). A PII é um demonstrativo estatístico que apresenta. portanto NÃO constam nele as reservas internacionais. O BP se subdivide em transações correntes (incluem compra e venda de bens e serviços. e alteram a situação patrimonial do país. em geral. anual. não gerando obrigações e compromissos futuros) e Conta Capital (que gera obrigações ou compromissos futuros. empréstimos e moedas. o valor dos ativos dos residentes (que constituem direitos sobre os não residentes) e os passivos de residentes (que constituem obrigações junto a não residentes). Além disso. em um dado período de tempo. além de pagamento e recebimento de rendas. Inclui-se em ativos e passivos: Investimento direto (participação de capital. derivativos financeiros. O balanço de pagamentos é um fluxo. OBS: O termo residentes inclui aqueles com residência fixa no país por mais de 12 meses e empresas multinacionais com sede no país. operações intercompanhia). que seus residentes fazem com os não-residentes. A PII positiva significa um direito dos residentes sobre ativos frente ao resto do mundo. a PII também demonstra a quantidade de reservas ou total da dívida externa de um país.

Renda primária (renumeração de trabalhadores. . dividendos e juros. Renda secundária (TU). Serviços. renda de investimento – lucro. STC=SBC+SBS+SBRP+SBRS Saldo das transações correntes: Saldo da Balança Comercial + Saldo da Balança de serviços + saldo da balança de rendas primárias + saldo da balança de rendas secundárias. ativos de reserva].As transações correntes são: Balança comercial (bens -> importação e exportação). investimento em carteira. [investimento direto.

 A contrapartida esta na conta de capital e especialmente na conta financeira que apresenta uma entrada liquida de recursos ou uma diminuição dos estoque de ativos possuídos. ou seja. Como o país paga por isto ? a) usa divisas que tem guardadas (estoques de divisas em caixa) b) “pede divisas emprestas”.Se o saldo das Transações Correntes for negativo. e que o país gerou menos divisas do que usou. investimento em carteira. significa que o país teve um déficit. etc. empréstimos propriamente ditos. ou seja um aumento das obrigações futuras do país . O “empréstimo” aqui pode ter diferentes formas: investimento direto. gerou menos divisas (dólares) que as necessárias para adquirir bens e serviços no exterior e pagar os fatores de produção de não residentes.

doações de mercadorias (proxis)  Unidade de conta o Moeda nacional x internacional (qual ?) o Qual taxa ? CONTA CAPITAL (COMPROMISSOS FUTUROS. outros investimentos (passivo). depósitos e empréstimos] (ativos). saída de dinheiro (-).Conta financeira (investimento direto no exterior. derivativos (ativo).ERROS E OMISSÕES Convenção de sinais: Entrada de dinheiro (+). . transferências matriz x filial. outros investimentos [moedas.Observações  Nem toda transação que esta no balanço de pagamentos envolve cambio  Utiliza-se preços de mercado o problemas:  trocas diretas. ativos de reserva (reservas internacionais). ENVOLVEM TRANSFERÊNCIA DE CAPITAL) . derivativos (passivo). investimento direto no país. investimento em carteira (ativo). . investimento em carteira (passivo).

.

Existem diversas mudanças na contabilização do BP entre o Manual 5 e o 6 do FMI que passa agora a ser utilizado pelo Brasil  Nomenclaturas de contas  Apresentação do BP sofre um mudança com o fim das chamadas transações compensatórias como conta apartada do BP  Convenção dos sinais AULA 10 – BALANÇO DE PAGAMENTOS – OPERACIONALIZAÇÃO .

recebimento de reembolsos do capital nacional. CONTRAPARTIDA: Quase sempre na conta “RESERVAS” AULA 11 – BALANÇO DE PAGAMENTO E TAXA DE CÂMBIO Taxa de câmbio: Valor de uma moeda nacional em termos de outra moeda nacional. diminuição de ativos (venda de ativos) e aumento de passivos. Importação de bens e serviços aumento de ativos (compra de ativos) e diminuição de passivos. DÉBITOS: Saída de recursos nacionais (sinal – no BP).  Surge da coexistência do nacionalismo dos intermediários de troca  Internacionalismo das operações de compra e venda. Mercado de moedas externas (US$) no Brasil: • Oferta: Crédito do BP • Demanda: Débito do BP dupla face: inverso para R$ no resto do mundo Valorização x Desvalorização Cuidado com definição da taxa .Convenção de sinais: Crédito (+) e débito (-) Segue o método das partidas dobradas (1 crédito = 1 débito) CRÉDITOS: Entrada de recursos estrangeiros (sinal + no BP). pagamento de juros da dívida externa. remessas de lucros. empréstimos recebidos. Exportação de bens e serviços. Mercado cambial: Mercado em que as moedas dos diferentes países são transacionadas.

se • E = Taxa real de cambio • e = taxa nominal de cambio • E = e .  valorização (moeda nacional) aumento do seu poder de compra - excesso de oferta da moeda externa  desvalorização(moeda nacional) diminuição do poder de compra . o preço de um bem deveria ser igual em dois países.perequação das taxas de câmbio • homogeneidade do produto • transparência do mercado • concorrência Taxa de cambio: nominal x real Diferença entre a taxa de cambio nominal e a real.excesso de oferta da moeda nacional Arbitragem . porém com base num índice especial de preços cuja cesta de bens seja ofertada em ambas as economias • Ou seja significa qual é a taxa de cambio que me permite comprar a mesma cesta de bens no Brasil e no exterior A PPC (Paridade do poder de compra) é baseada na “lei do preço único”. . CÂMBIO REAL: Câmbio nominal – Inflação (interna e externa) Assim. segundo a qual em economias com livre mobilidade de fatores e arbitragem. porém temos que levar em consideração que existe inflação interna e externa. (P*/P) • Onde: P* = índice de preços estrangeiro P = Índice de preço nacional Taxa de cambio PPC (PPP) é uma espécie de cambio real. é que na taxa de cambio real desconta- se a inflação.

impostos / tarifas) • Ex Assim. CONVERSIBILIDADE: Existência ou não de controle sobre fluxos de recursos externos – possibilidade de trocar livremente em qualquer situação recursos externos por internos Livre -> Sem restrições Restrita -> Há um limite de compra de dólares CÂMBIO Administrado: Taxa fixa.000 no Brasil (P) • A taxa de câmbio PPP nada mais será do que R$ 3. para que a PPC se sustente ao longo do tempo. a taxa de câmbio nominal deverá se depreciar em 5% para manter a PPC. A versão absoluta da PPC: E = P/P* Em sua versão relativa. sugerindo que em longo prazo. acordos e instituições pelos quais são executados os pagamentos internacionais. pelos quais se regulam o mercado cambial. .Π*. pois há barreiras comerciais e diferenças internacionais entre as medidas de nível de preço. No entanto. • Se ao longo de um ano qualquer. se (com livre concorrência e livre mobilidade): • i) um computador custa US$ 1. a inflação no Brasil for 10% e nos EUA 5%. e quando há muita demanda. REGIMES CAMBIAIS: Conjunto de regras. o governo vende dólares. gerando um câmbio fixo -> O equilíbrio é obtido pelo ajuste de quantidade feito pelo BACEN.000 nos EUA (P*) • (ii) e R$ 3.33 para cada real • Qualquer divergência de curto prazo nos preços seria eliminada pela “arbitragem” Segundo a teoria da PPC. a PPC raramente ocorre. o câmbio nominal deverá refletir os preços relativos de ambas as moedas. o câmbio nominal deve refletir as diferenças de inflação. Assim. o governo compra dólares. a PPC sugere que: Δ E = Π . Quando há muita oferta. o câmbio nominal deveria se ajustar para refletir as diferenças de inflação. portanto. e. • Supondo que não exista custo de transporte ou outros custos de transação (por ex.00 para cada US$ ou US$ 0.

Moeda lastreada: Relação entre a emissão de papel e uma quantidade moeda mercadoria (ouro). Moeda escritural: Depósitos à vista em bancos correntes Moeda fiduciária (confiança): Não importa o valor que a moeda tenha por si só.Livre: Câmbio flutuante. Os países sempre ampliavam os lastros. Currency board: Câmbio fixo aliado a política emissionista Crawling peg: Cada dia uma taxa fixa diferente. Não câmbio: sem moeda Política cambial compartilhada: União monetária Flutuação suja: Administrada pelo governo Bandas: Estabelecimento de preços mínimos e máximos AULA 12 – MOEDA E SISTEMA MONETÁRIO Funções:  Meio de troca (pagamento): intermédio de troca de mercadorias em duas operações: compra e venda. A inflação prejudica essa função. Liquidez: Capacidade de um ativo se converter rapidamente em poder de compra.  Unidade de conta: unifica os valores  Reserva de valor: separa as transações no tempo. Equilíbrio de preço e quantidade dado pelas forças de mercado. A reserva de valor não existia. TIPOS DE CÂMBIO Câmbio fixo: Taxa fixa. com minidesvalorizações cambiais de acordo com a inflação. TIPOS DE MOEDA Papel moeda: Moeda manual (corrente). pois sabia-se que não iam recorrer a moeda representativa e também havia a necessidade de expandir as trocas acima da quantidade de moeda representativa. O BP tende a se equilibrar automaticamente. O meio de pagamento era o cruzeiro. A ampliação . pois. pois os lastros eram em ouro. EX: Brasil (1994) – A URV era apenas unidade de conta. dada pelo governo. pois faz com que a moeda perca valor. Tal tipo de moeda era muito comum até o século passado. a inflação era muito alta.

sem que o depositante original perca seu poder de compra. empresas e governo (não inclui o sistema monetário) AGREGADOS MONETÁRIOS PME: Papel moeda emitido (BACEN) PMC: Papel moeda em circulação Meios de pagamento: PMPP (papel moeda em poder do público) + DV (depósitos a vista) CMSB: Caixa em moeda retido pelo sistema bancário CMBC: Caixa em moeda retido pelo banco central BM (Base monetária) = PMPP + R (reservas bancárias) . o que gerou o dilema de Triffin: Liquidez. o dólar se tornou lastro. As reservas são compostas por R = R1 + R2 + R3 R1 = Dinheiro em caixa R2 = Depósito voluntário R3 = Depósito compulsório (controlado pelo BACEN) Quanto maior o R (reserva). ou seja.dos lastros gerava uma preocupação com a confiança. A partir de meados do século passado. Em resumo. seguindo a fórmula: M: 1/ 1 – d(1-R) CONCEITOS IMPORTANTES Sistema monetário: São geradores de meios de pagamento. os bancos criam moedas. emissão e regulação da oferta de moeda (BACEN e CMN) Público: Famílias. a partir da prática de alavancagem. Os bancos são obrigados a terem reservas. senhoriagem dos EUA e dúvidas sobre a sustentação do valor do dólar. mas utilizam-nos e os-empresta para terceiros. BANCOS Os bancos não guardam os depósitos à vista. sobre se haveria ou não poder de compra da moeda emitida. Quem recebe estes recursos passa a ter um novo poder de compra. não podem alavancar todo o dinheiro. Multiplicador bancário: medida de alavancagem. maior a confiança do banco. Composto pelo BACEN + Bancos comerciais Sistema financeiro: São os intermediadores entre poupadores e investidores Autoridade monetária: Órgãos responsáveis pela autorização.

líquido) M1 = Meios de depósito M2 = M1 + Depósitos de poupança + títulos emitidos por instituições depositárias M3 = M2 + Quotas de fundo de renda fixa + operações indexadas pela SELIC M4 = M3 + Títulos públicos BACEN Funções: . Como conduz a política monetária: Através de reservas compulsórias. compra de títulos públicos e concessão de empréstimos ao sistema financeiro. venda de títulos públicos e recebimento de empréstimos do sistema financeiro.Regular e fiscalizar o sistema financeiro. . OFERTA DE MOEDA Expansão: Redução da taxa de depósitos compulsórios.Regular a oferta monetária de um país. operações de mercado aberto (M4) e fornecendo empréstimos. . Redução: Aumento da taxa de depósitos compulsórios. . .Ser o banco dos bancos.M1 (+ líquido) -> M4 ( .Zelar pelo valor da moeda nacional. .Ser o depositário de reservas internacionais. pois possuí monopólio da emissão de papel moeda de um país.