Está en la página 1de 63
(Ampliado) Tedrico, Pratico e Recreativo Para desenvolver graduaimente e de maneira atraente a inteligéncia musical dos jovens principiantes, formando-os na leitura refletida, no estilo eno mecanismo e iniciando-os ao mesmo tempo nos elementos da harmonia dividido em 5 partes de 30 ligdes cada uma A. SCHMOLL Official da Instrugéo Publica Obra aprovada por muitos professores célebres, adotada no Conservatério Nacional de Misica de Tolosa (filial do Conservatério de Paris), Lisboa, no Conservatério Dramatico e Musical de S40 Paulo (Brasi), no de 'stambul (Turqula) e nos principass Colégios da Franga e da Bélgica, Premiada na Exposico Escolar de Bilbao (Espanha). Revisdo do Prof. Yves Rudner Schmidt Terceira Parte Este volume foi ampliado com as seguintes pecas de A. Schmol! Terceira Série Op. 50: | No.14 0 Eco Brincador cite No.11 Cavalaria Ligeira | _No.15 O Repouso do Pastor No.12 Saudade | Peca Recreativa No.13 Farandola | *Quinta Sonatina Op. 65° legion ile Casa Wagner Editora Ltda. DISTRIBUIDOR EXCLUSIV © COPYRYGHT 1996 By, Casa Wagner Editora Ltda. - Sao Paulo - SP - Brasil. Todos os direitos autorais reservados para todos os paises. All rights reserved. TERCEIRA PARTE Introdugao Na primeira e na segunda parte deste método, todas as pegas esto escritas no tom de DO, isto é, tém por base a escala de DO. Ora, cada uma das doze notas contidas em uma oitava, pode tornar-se a ténica ou primeiro grau de uma escala semelhante a escala de DO. Esta ultima serve, porém, de modelo para a formacio de todas as pana 86 serao regulares quando apresentarem a mesma sucesso de intervalos que a escala de DO. Observemos desde j4 que existem duas espécies de escalas; as de modo maior e as de modo menor. Como s6 trataremos destas tiltimas na Quarta Parte e ndo queremos sob1 ara meméria do aluno com explicagées antecipadas, limitamo-nos a dizer que a escala de DO, tal como a apresentamos, é maior. O mesmo ser para as outras doze escalas que conheceremos na Terceira Parte, porque seréo formadas da escala de DO. Subentendem-se pois que as palavras escala e tom todas as vezes que forem citadas na Terceira Parte, referem-se a escala maior e tom Maior, mesmo sem juntar 0 modo. Veremos depois que todas estas escalas novas exigem o emprego de um ou mais acidentes (sustenidos ou beméis). A escala de DO € a tinica que néo tem nenhum deles, Para melhor clareza, comecaremos com aquela em cuja formag&o entra o primeiro sustenido (FA#). E a escala de SOL. Comparando-se as duas séries seguintes quanto aos intervalos, isiQaex 13. aokdoie SSN Am gt Fata eaR EU ESCALA DE DO (ou escala modelo) ei a ae 6 7. 8 grau 2 172 tom 172 tom verificar-se-4 que a segunda série concorda com a primeira (a escala de DO) até o 6° grau; porém, entre 0 6° e 0 7° graus ha um semitom em lugar de um tom e que entre o 7° e o 8° graus ha um tom em lugar de um semitom. Esta segunda série est errada; com efeito, basta tocé-la para reconhecer que nao é uma escala. No seguinte exemplo, damos as duas mesmas séries: colocamos somente um sustenido antes do FA (7° grau) da segunda série. Gracas a este sinal, esta série torna-se a verdadeira escala de SOL, porque os intervalos assim corrigidos apresentam perfeita analogia com os da escala de ae regan, <3; lela +g sent GEE a gE gan ESCALA DE DO Lent Beul| 3¢ = Re Ost See a, Mel aera ESCALA DE SOL 1/2 tom 1/2 tom SINAIS CARACTERISTICOS. ARMADURA DE CLAVE Qualquer peca de miisica est4 no tom de SOL, quando tem por base a escala de SOL. O sinal de alteracéo que serviu para formar esta escala, isto é o FA#, chama-se sinal caracteristico dotom de SOL. Para indicar que uma peca esté escrita em SOL, 0 compositor arma a clave, colocando o sinal caracteristico do tom (0 FA#) no princfpio de cada pauta e perto da clave. Este sinal af colocado indica que todos os FA da pega sao sustenidos, e que é preciso por conseguinte tocar FA# todas as vezes que se encontrar um FA salvo quando esta nota for precedida de um. Quando 0 compositor, depois de ter escrito uma parte em SOL, quer escrever a seguinte em DO, arma novamente a clave, pondo um } em vez do #. Estas mudangas de tom, de que encontraremos varios exemplos, rompem a monotonia que resultaria do emprego exclusivo do tom principal e tornam a harmonia mais interessante. ESCALA MAIOR DE SOL (ff, sinal caracteristico) Clave armada em sol maior ah) way) 5 > 5 oy Como vemos, o dedilhado desta escala é igual ao da escala de DO. RELAGOES ENTRE OS DIVERSOS TONS Conhecemos agora: duas escalas produzindo ao ouvido 0 mesmo efeito e apenas diferindo uma da outra pela sua elevacio relativa. Esta semelhanga reina entre todas as escalas e por conseguinte entre todos os tons. Segue-se que, todas as explicacées dadas nas licdes teéricas da Segunda Parte (46°, 56°, 57* e 58° licdes) relativas ao tom de DO, podem aplicar-se ao tom de SOL e a todos os tons que aprendermos em seguida. E indispensdvel ao aluno que quer tornar- se bom leitor e compreender o que toca, conhecer pelo menos as notas tonais, o acorde perfeito, as notas atrativas, o acorde de 7° de dominante, a cadéncia, etc., de cada tom que se lhe apresente; é preciso que ele se compenetre das diversas formas, sob as quais todos estes detalhes podem se apresentar; que conhega a importdncia deles na harmonia, 0 emprego pratico que nela encontram, etc. Quanto ao conhecimento destes elementos da tonalidade - que s&o geralmente ignorados - o aluno juntar uma leitura didria e praticada judiciosamente, ele nao encontraré mais dificuldade em familiarizar-se sucessivamente com todos os tons. ‘Antes de continuar, o aluno deverd reler atentamente as 46", 56", 57* e 58* ligdes (II Parte), afim de compenetrar-se bem dos elementos do tom de DO pois, assim como a escala de DO €0 modelo para formar todas as outras escalas, 0s elementos do tom de DO servem de modelo para formar todos ou outros tons. Podemos pois, quando passarmos a um novo tom, limitarmo-nos a indicar sumariamente os elementos. *) Damos este mimero para os alunos que tocam a escala na extensio de duas oitavas (como apresentamos a escala de DO na 55* licio): 0 mesmo faremos para as outras escalas. Tor ee en ee ey ee ee ELEMENTOS DO TOM DE SOL MAIOR NOTAS TONAIS. NOTA SENSIVEL ACORDE PERFEITO E SUAS 2 INVERSOES. © | Subdominante dominante Acorde de sexta Acorde de oes Quarta e sexta ‘ACORDE DE 7* DE DOMINANTE E SUAS 3 INVERSOES NOTAS ATRATIVAS E SUA RESOLUCAO AMODULACAO, Representamos 0s 12 tons do nosso sistema musical com 12 circulos, dispostos em redor de um centro comum de tal modo que cada um comunica com os dois cfrculos vizinhos (v. fig. da Conclusio, pag. 161). Cada tom tem com efeito dois tons vizinhos, com 0s quais se acha em comunicagao, e dez tons afastados dos quais est separado. A passagem de um tom para outro, feita conforme as regras da arte, chama-se modulacao. Por ora s6 nos ocuparemos da modulac&o nos tons vizinhos. O meio de modular de um tom qualquer para um de seus vizinhos consiste em TOMAR O ACORDE DE 7* DE DOMINANTE deste tiltimo tom e fazer a RESOLUGAO; procurando antes de tudo as notas caracteristicas, isto é, as NOTAS ATRATIVAS deste novo tom. Nos exemplos seguintes nota-se que cada acorde que modula contém uma e mais notas do precedente acorde. Em seguida veremos que quanto maior o ntimero de elementos homogéneos contiverem os dois acordes, mais facil e natural nos pareceré a modulagio, evitando sempre quintas ou oitavas seguidas. A modulacao é fixa quando, depois de modular, se estabelece 0 novo tom pela cadéncia (jé dissemos na 58" lio que o melhor meio de estabelecer a tonalidade é de fazer ouvir a cadéncia), e passageira quando se abandona o novo tom, sem té-lo estabelecido pela cadéncia. Visto conhecermos apenas os tons de SOL, DO, limitar-nos-emos a modular do primeiro ao segundo e vice-versa. MODULACAO DE SOL PARA DO CADENCIA DE DO MAIOR ‘corde acorde de Tesolugéo erfeito dominant do acorde de SOL de 00 rocedente MODULACAO DE DO PARA SOL CADENCIA DE SOL MAIOR ‘acorde” “dominante perfeito de SOL de D0 _@ 2* inversio To2 61* LICAO VOLTA A ESCOLA Allegreto comodo imoderado comode) ~_~ — 1 re’ 62" LICAO TERCINA ou TRES-QUIALTERAS O aluno jé sabe que dividindo e que dividindo uma Seminima uma Seminima em duas partes em quatro partes iguais, obtem-se iguais, obtem-se2colcheias: @ = » @ 4semicolcheias: » f5- Es ro LOES Se dividirmos uma Seminima em trés partes iguais, obtem-se nio uma espécie nova de notas, mas 3 colcheias que se tocam um pouco mais depressa do que as colcheias ordinarias, vistoque devem se produzir no mesmo espaco de tempo como se fossem duas destas tiltimas. Assim um. grupo de trés notas, que tém o mesmo valor de duas da mesma espécie, chama-se trés- quidlteras ou tercina. Para diferenciar as trés-quidlteras de colcheias, das 3 colcheias ordindrias, coloca-se por cima ou por baixo do grupo o niimero 3. Nas pecas compostas quase inteiramente de trés-quidlteras, esse niimero é colocado somente nas primeiras. Este costume é muito justificdvel, porque na misica bem gravada distinguem-se facilmente pela disposicao particular das notas. A teoria da trés-quidlteras pode ser resumida por esta férmula: —I— trés-quidlteras No seguinte exemplo, pode-se medir a velocidade comparativa destes diferentes valores. MAO DIREITA 35 CONTAR: ioe a4 Sg 2 Oi eG aes a 2 34 As vezes certas notas da trés-quidlteras s4o substitufdas por equivalentes. Exemplo: 5 dish 3 (4° compasso da pega seguinte): 2 Estas tltimas formas so no entanto raras. Na peca seguinte encontraremos ainda uma trés- quidltera cuja primeira nota é muda, caso muito freqiiente: OS VOLUNTARIOS (MARCIAL, ESTILO MILITAR) excepto que a colcheia € destacada por causa day que toma ugar do ponto. Marciale (marcial, estilo militar) Fo ee 3. 63* LICAO Agora que conhecemos a escala com um sustenido, vamos passar a que é formada com um bemél. E a escala de FA. Escreveremos pois por cima da escala de DO (modelo) 8 notas seguidas, cuja primeira é FA: examinaremos depois os intervalos desta série: ESCALA DE DO (modelo) = ——7 ‘iin 1/2 tom 1/2 tom Esta tiltima série est errada, porque entre o 3° e 0 4° grau h4 um tom, entre 0 4° e 0 5° um semitom, e € 0 contrario que deveria ser. Obteremos entre 0 3° e 0 4° grau o semitom necessério, colocando um bemél antes do SI. Esta operagio corrige a0 mesmo tempo o intervalo seguinte, e gracas a este bemél, a série torna-se uma escala correta. ESCALA DE DO = 172 tom ESCALA DE FA 172 tom 172 tom ESCALA DE FA MAIOR (si | sinal caracteristico) Clave armada em FA maior sib) Vé-se que a escala de FA nao tem o mesmo dedilhado da escala de DO, pelo menos para amao. direita, por isso convém estudé-la com muita atencao. © aluno, descendo esta escala com a mao direita (mormente quando a toca na extensio de 2 oitavas) hesitaré todas as vezes que tiver tocado o polegar, isto é, na ocasiio de operar a passagem. Lembre-se pois, sempre da seguinte regra: a PASSAGEM efetuando-se junto de um grupo de DUAS teclas pretas, faz-se com 0 3° dedo; e junto de um grupo de TRES teclas pretas faz-se com 0 4° dedo. *) Damos este niimero para os alunos que tocam a escala na extensio de duas citavas, To! ELEMENTOS DO TOM DE FA MAIOR NOTAS TONAIS NOTA SENSIVEL ACORDE PERFEITO E SUAS 2 INVERSOES subdominante dominante é acorde de ténica eee quarta @ sexta ACORDE DE 7* DOMINANTE E SUAS 3 INVERSOES NOTAS ATRATIVAS E SUA RESOLUCAO MODULAGAO DE FA PARA DO | MODULACAO DE DO PARA FA Ce emer det heb a ees eae ees Z 5 ° | sank cate tee rere co, rt aH feito dominante || Go ecorde ite dominante to acorde "SeFh —dn06. || rosedene te Peon eee ‘e_2lnversto > - —<. a SS et fas oo 64* LICAO Na peca seguinte,a 1” parte est em FA e a 2° em DO. Para indicar esta ‘mudanga de tom, armamos a clave em DO desde o comego da 2" parte. TIROLIANA FAVORITA ‘Tempo giusto (movimento justo, médio; nem muito depressa, nem muito lento) aoe Taal gal awl gala aul gale 106 65* LICAO CRUZAMENTO DAS MAOS Acontece as vezes que as notas da mao direita passam para a regido baixa (grave) do piano e também as da mao esquerda para a parte alta (aguda). Neste caso, as maos se cruzam. Geralmente, a mao que deve fazer essa mudanga, passa por cima da outra. Esta operacéo, em que as fungdes das duas maos ficam invertidas, confundem o aluno que a faz pela primeira vez. Eis 0 melhor meio de vencer esta dificuldade: cruzam-se as maos e, nesta atitude, toca-se separadamente com cada mao a passagem em questo, principalmente com a mao que opera o deslocamento. Este exercicio preparatério, repetido 20 ou 30 vezes seguidas, dar a necesséria independéncia para que as mos toquem cada uma a sua parte. Deve-se observar que a independéncia ocupa um lugar principal na arte do piano. Para ligar as notas, tocar com duas maos trechos répidos ou notas de valores diversos, ligar as notas de uma das maos destacando as da outra, seguir as notas sem olhar para o teclado, tocar em compasso, cruzar as maos, o pianista deve adquirir a independéncia dos dedos, das duas maos, do olhar, do movimento, etc. Ora, esta qualidade importante s6 se adquire por meio de exercicios especiais do género dos que acabamos de indicar para o cruzamento das maos. A APPOGIATURA ou APOIATURA (da palavra italiana appogiare, apoiar) é uma pequena nota tendo a cauda cortada por um trago. Esta nota € tocada rapidamente antes da nota principal (aquela diante da qual est4 colocada) e nao conta na divisio do compasso; exige pois uma execucao muito leve. O dedo, tocando-a, nao se deve arrastar, e sim levantar-se logo para atacar a nota principal; logo depois desta tocada, 0 som da pequena nota deve cessar imediatamente. A apoiatura - chamada também acciaccatura - faz parte das notas de ornamento melédico de que mais tarde falaremos. PASSEIO DA MANHA Animado (animado) >). tpte.. (*) Obs.: Peca Recreativa que pode ser tocada depois da 66" Ligéo: Cavalaria Ligeira (Les Chevau-Légers), (n° 11 do Repertério do Jovem Pianista) por A. Schmoll, a seguir: arian 66" LICAO Qualquer escala formada sobre 0 QUINTO GRAU (a dominante) de uma ESCALA EM SUSTENIDOS, exige MAIS UM SUSTENIDO do que esta. Assim € que 0 SOL (dominante da escala que nao tem sustenido) transformando-se em t6nica, nos forneceu a escala que tem um sustenido. Do mesmo modo 0 RE, dominante da escala de SOL, é a tdnica da escala que se forma com dois sustenidos. Para abreviar o processo da formagao das escalas em sustenidos, diremos que se pode desde o comego introduzir em cada nova escala os sinais caracteristicos da escala em sustenidos precedentemente aprendida. Far-se-4 do mesmo modo para as escalas em beméis, conforme veremos. * ESCALA DE D6 escala modelo 2s ig pes, ESCALA DE DO 1/2 tom ao 112 tom ios 4-3-8) sain g DAWES 2 ESCALA DE RE 1iztom ea Teton 172 10m Esta série (na qual introduzimos o FAM, sinal caracte- (© sustenido colocado no DO corrige o defeito da série ristico da escala em sustenidos precedentemente a- a0 ado forma a escala de RE. prendida) esta errada, porque o segundo semitom esté mal colocado. ESCALA MAIOR DE RE (0 sustenido da escala de SOL, mais 0 DO sustenido) Clave armada em RE maior nT oe ] <7 a © dedilhado desta escala¢ igual a0 da escala de DO;notaremos que o polegar da mio direita cai no Rf'e no SOLe © dda mio esquerda no RE eno LA. ELEMENTOS DO TOM DE RE MAIOR ACORDE PERFEITO E SUAS 2 INVERSOES 2 & NOTAS TONAIS NOTA SENSiVEL tOnica subdominanie _dominante ACORDE DE 7* DE DOMINANTE E SUAS 3 INVERSOES NOTAS ATRATIVAS E SUA RESOLUGAO. MODULAGAO DE RE PARA SOL ‘CADENCIA DE SOL MAIOR MODULAGAO DE SOL PARA RE CCADENCIA DE RE MAIOR 2 inv. 1 inv 2 Na segunda destas modulagdes empregamos em duas formas diferentes (2° e 1* inversio) 0 acorde de 7* dominante de RE, antes de fazer a sua resolugao. TOs CAVALARIA LIGEIRA (Les Chevau-Légers) CAPRICHO MILITAR (Caprice Militaire) A.SCHMOLL Op. 50 Allegro % = a 109 ss. an D.c.a0FIM| 67* LIGAO MI¢ eSIf TECLAS BRANCAS (Os cinco sustenidos GHEE que © aluno aprendeu sucessivamente na II Parte e que so todos representados por teclas pretas, ndo sao os tinicos que existem; cada uma das 7 notas primitivas ‘6 suscetivel de ser alterada de um semitom. Falta-nos ainda conhecer dois sustenidos; MI e SI. Visto como as notas MI SI nao tém a sua direita tecla preta, o MI# tocar- se-A na tecla de FA natural e o SI# na de DO natural. Agora o aluno conhece tantos sustenidos quantas notas primitivas ou naturais, isto é, sete: += 3 > trés-quidltera de semicolcheias, resultante da divisio de uma colcheia em trés ¢ = == partes iguais. (v. a 62" licdo). CANCAO DE MAIO EXERCICIOS DE DEDILHADO PARA A MAO DIREITA rall.ou rallentando = retardar o andamento = a (SS Paes. eee | Andante moderato 68* LICAO Na seguinte peca (1° e 4° compasso, mao esquerda) 0 acorde perfeito est escrito para maos que abrangem a extensio de uma oitava. A maior parte dos alunos poderd com efeito prender a minima pontuada RE; os que nao o possam fazer tocarao esta nota como seminima. Todavia notamos que o afastamento de oitava pode e deve obter-se pouco a pouco com exercicios dirios. A palavra dolce significa docemente, fracamente. VALSA DE PRECIOSA C.M. de Weber 69* LICAO Qualquer escala formada sobre 0 QUARTO GRAU (a subdominante) de uma ESCALA EM BEMOIS, exige MAIS UM BEMOL do que esta. Jé vimos que a escala de FA (4° grau da escala de DO, a qual nao tem bemol) forma-se com um bemol. Ora o quarto grau da escala de FA sendo SIb , é a escala de SI que tem dois beméis. Um dos beméis, (0 SIb ) pertence aescala anteriormente aprendida; vamos ver qual é o segundo. ESCALA DE DO (escala modelo) fee ae ESCALA DE DO — = 12 tom 1/2 tom v2 tom a ee ee eee) ESCALA = DE SIL, we a 1/2 tom ob + TS 12 tom V2 tom item Esta série esté errada, porque o primeiro semitom (© bemol do MI corrige 0 erro da série ao lado e forma esta mal colocado. aescala de Sib ESCALA MAIOR DE SIb (0 bemol da escala de FA, mais o MI) Clave armada em Sib maior MD. : (v.a regra paraa MLD. : passar o poles eee cescala de FA, 63" licio) depois da ténica;o pole garno FA o Y ME. : passar o polegar depois da ténica ME.:03° dedo na toni, ca, 0 4° dedo no MI 3 g (© dedithado desta escala - que é a mais dificil de todas - difere inteira~ mente da escala de DO. Tornar-se-4 mais fécil observando os princi- pios acima, ELEMENTOS DO TOM DE SIb MAIOR NOTAS TONAIS. NOTA SENSIVEL ACORDE PERFEITO E SUAS 2 INVERSOES ‘ténica subdominante dominante acorde = aacorde de sexta de quarta esexta ACORDE DE 7* DE DOMINANTE E SUAS 3 INVERSOES NOTAS ATRATIVAS E SUA RESOLUCAO MODULAGAO DE Si} PARA FA [MODULAGAO DE FA PARA Si} CADENCIA DE FA MAIOR | CADENCIA DE Sib MAIOR 70° LICAO : EQUIPAGEM LEVE Allegro leggiero (vivo e ligeiro) eae jerre 71" LIGAO ABAILADEIRA Valsa Un poco animato (um pouco animado} ——- 3 3 co Sie Protea : SE Se [Ss SS ee 1 et 2 —=—— | rw 4 5, 5. ‘ 5 § : = I P 5 5 Ea 3 v crese = mf | 3 a $ in Pp crese. ‘ tf ou D.C. Tis 72" LICAO Quando a apoiatura J} se acha antes de nota dupla, chama-se apoiatura harménica e toca-se junto com a nota que acompanha a nota principal. Asin EEE one Ge A execugdo é anéloga quando essa apoiatura se acha antes de notas triplas. ALEGRE COMPANHIA Allegro risoluto (vivo e resoluto) | mf grazioso (*) Obs.: Peca Recreativa que pode ser tocada depois da 72* Licdo: Saudade (Souvenance), (n° 12 do Repertério do Jovem Pianista) por A. Schmoll, a seguir: Tre SAUDADE (Souvenance) ROMANCE SEM PALAVRAS (Romance sans Paroles) A.SCHMOLL Op. 50 Andante cantabile PIANO 73" LICAO Depois da escala de RE (2 sustenidos) vem a de LA (3 sustenidos); porque LA é a dominante de RE. O aluno formaré esta nova escala. ESCALA MAIOR DELA (sustenido de RE, mais o SOL} ) Clave armada em LA maior Y O dedilhado desta escala é igual ao da escala de DO; observar que o polegar da mao direita cai no LA no RE, e o da mao esquerda no LA e no MI. ELEMENTOS DO TOM DE LA MAIOR NOTAS TONAIS: NOTA SENSIVEL ACORDE PERFEITO E SUAS 2 INVERSOES ‘corde acorde desexta de quarta e sexta nica subdominante dominante ACORDE DE 7* DE DOMINANTE E SUAS 3 INVERSOES NOTAS ATRATIVAS E SUA RESOLUCAO MODULACAO DE LA PARA RE CCADENCIA DE RE MAIOR 4° grau fundamental MODULACAO DE RE PARA LA CADENCIA DE LA MAIOR 74" LICAO O sinal 8 » colocado por cima de uma passagem, indica que em toda extensio dos pontinhos esta passagem deve ser tocada uma oitava do que est4 escrita. A palavra Jocoé uma indicacao supérflua. A indicagao ten. quer dizer: conservar ou demorar a nota; ritard, ou rifen.: retardar, atrasar 0 andamento; molto: muito; molto rall.: retardar muito. BOA NOVA Allegro agitato (alegre e agitado) 53 75* LIGAO Na segunda parte da muisica seguinte, os polegares se cruzam. Existem pecas em que isso acontece muito, complicando e dando lugar a verdadeiros enlaces das maos. Aqui s6 damos a forma mais simples: na V Parte (143* lig4o) encontraremos cruzamentos do polegar, repetidos. ULTIMO PENSAMENTO Andante espressivo Aa.RRs a 3 5 5 | | ’ *) Divulgado universalmente este pensamento musical 6 atribuido a Ch. M. Weber. (*) Obs.: Peca Recreativa que pode ser tocada depois da 75* Ligéo: 5* Sonatina (Cinquiéme Sonatine), por A. Schmoll, a seguir: 5* SONATINA (Cinquiéme Sonatine) A Monsieur Th. Floris & Manage (Belgique) SYMPATHIE A.SCHMOLL Op. 65 Moderato PIANO LA RONDE DES SYLPHES ‘A Mademoiselle H. Beaudoin & Mamers Allegro vivo ri : 76" LIGAO AFUZA J sextaespéciedenotas. SI.) FRI.) EXPLOSOES DE RISO Con spirito (com espirito: movimento vivo ¢ gracioso) eat ay ee ee nf a PE 77* LIGAO ESCALA MAIOR DE MI} (os beméis da escala de SI}, , mais 0 LAl ) Clave armada em Mi} maior SUBIDA DESCIDA 3 . . passar 0 polegar depois da t6nica (v, @ regra para a escala de FA 63° li¢do) ats Ae ‘ (0 3° dedo na tOnica, 0 4° no lab passer 0 polegar depois da tonica ELEMENTOS DO TOM DE MI} MAIOR NOTAS TONAIS NOTA SENSIVEL — ACORDE PERFEITO E SUAS 2 INVERSOES: e s ‘6nica_subdominante dominante é ‘corde acorde desexta de quarta sexta ACORDE DE 7* DE DOMINANTE E SUAS 3 INVERSOES NOTAS ATRATIVAS E SUA RESOLUCAO MODULAGAO DE Mi PARA Sib CADENCIA DE sib MAIOR | MODULACAO DE Sib PARA Mi) CADENCIA DE Mb MAIOR 78" LICAO \ A Pausa J , vale uma fuza. CANGAO DE VIAGEM Allegro giocoso (vivo e alegre) ——— i (*) Obs.: Peca Recreativa que pode ser tocada depois da 78" Licao: Farandola (Farandole), (n° 13 do Repert6rio do Jovem Pianista) por A. Schmoll, a seguir: FARANDOLA (Farandole) A. SCHMOLL Op. 50 Vivace PIANO ae WAZA SF mercato| —— | ———— 79* LICAO Compasso de nove-oitavos § -Tempos fortes: 1__ 4 _ _7. Tempos fracos:_23_56_89. ‘Trés compassos de 3 valem um de § A apoiatura dobrada ( 7 ) toca-se muito rapidamente antes da nota principal e nao participa da divisao do compasso. - Osinal % (ou, ), ABREVIAGAO que significa: repetir 0 compasso ou 0 grupo precedente. APARTIDA DAS ANDORINHAS MELODIASEM PALAVRAS ——_ppplainda mais fraco do que pp) Andantino ben sostenuto (movimento lento e bem sustentado) 23 ce 283, EIR se os 80" LICAO ESCALA MAIOR DE MI (sustenidos da escala de LA, mais o RE#) Clave armada em MI maior Dedilhado igual ao da escala de DO; o polegar da mao direita cai no MI e no LA e 0 da mao. esquerda no MI e no SI. ELEMENTOS DO TOM DE MI MAIOR NOTAS TONAIS NOTA SENSIVEL —_ACORDE PERFEITO E SUAS 2 INVERSOES Sey pity is tonice subdominante dominante ‘corde acorde de sexta de quart esexta ACORDE DE 7° DE DOMINANTE E SUAS 3 INVERSOES NOTAS ATRATIVAS E SUA RESOLUCAO MODULAGAO DE MI PARA LA CADENCIA DE LA MAIOR MODULACAO DE LA PARA MI CCADENCIA DE MI MAIOR, 79° LIGAO Compasso de nove-oitavos 3 -Tempos fortes: 1__ 4 _ _ 7. Tempos fracos:_23_56_89. Trés compassos de 3 valem um de g A apoiatura dobrada ( 7 ) toca-se muito rapidamente antes da nota principal e nao participa da divisto do compasso. Osinal % (ou), ABREVIACAO que significa: repetir 0 compasso ou o grupo precedente. APARTIDA DAS ANDORINHAS MELODIASEMPALAVRAS ——_ppp(ainda mais fraco do que pp) Andantino ben sostenuto (movimento lento e bem sustentado) 23. 4, ue 2 80* LICAO ESCALA MAIOR DE MI (sustenidos da escala de LA, mais 0 RE#) Clave armada em MI maior Dedilhado igual ao da escala de DO; 0 polegar da mao direita cai no MI e no LA e 0 da mao esquerda no MI e no SI. ELEMENTOS DO TOM DE MI MAIOR NOTAS TONAIS NOTA SENSIVEL — ACORDE PERFEITO E SUAS 2 INVERSOES 2 3 tOnice subdominante dominante ores Seone de sexta de quart esexta ACORDE DE 7* DE DOMINANTE E SUAS 3 INVERSOES NOTAS ATRATIVAS E SUA RESOLUCAO MODULACAO DE MI PARA LA CCADENCIA DE LA MAIOR MODULACAO DE LA PARA MI ‘CADENCIA DE MI MAIOR 2 3 Do mesmo modo que no compasso existem tempos fortes, meio-fortes e fracos, cada tempo, se é dividido em partes iguais, tem partes fortes, meio-fortes ¢ fracas. Sendo dividido em 2 partes, al! é forte e a 2 é fraca; sendo dividido em 3 partes, a 1° é forte e as duas outras sio fracas; sendo em 4, a 1° é forte, a 2' e 4° sao fracas e a 3° é meio-forte. Vé-se pois, que existe muita analogia entre a divisio dos tempos e dos compassos. No exemplo seguinte, onde o tempo € representado por uma Seminima (como nos compassos de 4 a } ou a Z ) marcamos as partes fortes com um asterisco (*). O movimento est4 em contratempo quando as partes fracas dos tempos se destacam das fortes de tal modo que uma mao executa as partes fortes e a outra as fracas. Exemplos: a m&o direita tocando as partes fortes a mio direi tocando as partes fracas $a d ey Spi a Cees ‘a mao esquerda tocando as partes fracas a m&o esquerde tocando as partes fortes a9 jet esa) = Scherzo (pron.: skertso) termo italiano, significa brincadeira; como termo de miisica quer dizer estilo leve e jocoso. Emprega-se no mesmo sentido a palavra scherzando. SCHERZO - ESTUDO. Allegro spiritoso (vivo e jovial) 81* LICAO DOBRADO SUSTENIDO @) Na peca da 40° ligéo (II Parte) encontra-se um LAt, isto é, a elevacao acidental do 6° grau da escala de DO. Conforme a semelhanca entre todos os tons, pode-se elevar o 6° grau da escala de MI. Ora este 6° grau (DO#) jé é uma nota sustenida e para indicar que ela deve ser elevada ainda de um 1/2 tom, serve-se do dobrado sustenido x . DO quer dizer: DO duas vezes sustenido. Lembrando-se do que foi dito a respeito da elevagao das notas (I Parte, 20° licao), 0 aluno reconheceré que esta nota é representada pela tecla de RE natural. Para destruir o efeito do dobrado-sustenido, serve-se do } , juntando-lhe um $ ( tf ), para indicar que a nota fica simplesmente sustenida, conforme os sinais caracteristicos da escala. NOVA ABREVIAGAO ABEIRA DO RIACHO Vivace assai (assai significa muito) * *) Nao confundir a palavra italiana assa/com a francesa assez. ee ee 82° LICAO ESCALA MAIOR DE LAb (os beméis da escala de MIb , mais o REb) Clave armada em LAb maior SUBIDA DESCIDA e ? ° ‘ 2 3 T polegar no dé e no fé (v. @ regra para a escala de FA 63° Licdo) + : ant & 77 0 3° dedo no Ié €.0 4° no 16 passar 0 polegar depois da tonica ELEMENTOS DO TOM DELA} MAIOR NOTAS TONAIS NOTA SENSIVEL eS ACORDE DE 7* DE DOMINANTE E SUAS 3 INVERSOES {Onica subdominante dominante ACORDE PERFEITO E SUAS 2 INVERSOE ‘corde acorde de sexta de quanta e sexta NOTAS ATRATIVAS E SUA RESOLUCAO MODULACAO DE LA} PARA Mb, CADENCIA DE My MAIOR MODULACAO DE Mil, PARA LA), CCADENCIA DE LA} MAIOR TECLAS BRANCAS DO} E FAb Demonstramos na 67* licio que as 7 notas primitivas podem ser sustenidas. Acrescentamos agora que elas podem também ser bemoladas. Além de 5 beméis aprendidos na I Parte = representados por teclas pretas, existem dois beméis para os quais nos servimos de las brancas; sio, 0 DO} (tecla do SI natural) e o FA} (tecla do MI natural). Conhecemos agora tantos beméis quantas sao as notas, isto é, sete: 1234567 NOTAS DE PORTAMENTO (do italiano portamento) Sao notas que contém em si o carter do ligado e do destacado. Semelhantes a certas palavras do discurso, pronunciadas com lentidao proposital, a fim de lhes dar 0 cardter acentuado, destacando-se uma da outra de tal forma que a duracao de cada uma delas fica reduzida a trés- quartos de seu valor real, enquanto que o tiltimo quarto fica em siléncio: EXECUTA-SE DUPLO PONTO DE AUMENTO Quando uma nota é seguida de dois pontos, o segundo tem a metade do valor do primeiro: a nota fica pois aumentada, 1° da metade; 2° de um quarto; total dos trés-quartos de seu valor. O mesmo acontece com as pausas. epee eats) alaigelee) cfd bry vaq NOTAGAO DIFERENTE MESMO EFEITO a © SOLDADINHO MARCHA. Alla Marcia (movimento de marcha) Dal Segno (*) Obs.: Peca Recreativa que pode ser tocada depois da 82° Ligéo: O Eco Brincador (L’écho Moqueur), (n° 14 do Repertério do Jovem Pianista) por A. Schmoll, a seguir: O ECO BRINCADOR (L’Echo Moqueur) ‘A.SCHMOLL Op. 50 Bx - Bate Sak 83" LICAO No 3° compasso da peca que se segue, as notas inferiores (que tém a cauda para baixo) bem que escritas na pauta da mao direita, tocam-se com a mao esquerda. Nao deve haver diivida alguma a este respeito, porque desde o 6° tempo ao 2° compasso, a auséncia de pausas na pauta da mao esquerda indica claramente que as notas que af deveriam estar, acham-se na pauta superior. O termo pitt mosso (II Parte) traduz-se por mais animado; volta-se ao primeiro andamento com otermo: J” tempo. Nos andamentos rapidos, 0 compasso § conta-ve em 2 tempos, cada um tem o valor de um compasso em 3. CANGAO DE CACA Presto (rapido) 3 84* LICAO ESCALA MAIOR DESI (os sustenidos da escala de MI, mais 0 LA} ) Clave armada em Si maior SUBIDA oon eee pS bite i SSS SSS F eo aes fre © polegar no si € no mi (v. a regra para 8 escele de FA 63° lickol] —_— 1 4 a 4 1 — a ee ae 7 7 —_—<$<$<<— ——— ww (v. @ regra para a escala de FA 63° lic8o) 0 polegar no sie no mi ELEMENTOS DO TOM DE SI MAIOR NOTAS TONAIS NOTA SENSIVEL ACORDE PERFEITO E SUAS 2 INVERSOES scenes 5 anand = iene seeoisth iene on ACORDE DE 7* DE DOMINANTE E SUAS 3 INVERSOES NOTAS ATRATIVAS E SUA RESOLUCAO, — MODULAGAO DE SI PARA MI CADENCIA DE MI MAIOR MODULAGAO DE MI PARA SI CADENCIA DE 81 MAIOR GRAZIELLA VALSA Allegro vivo 85* LICAO Chama-se sincopa o deslocamento da acentuagéo normal dos tempos do compasso,, pela prolongago do tempo fraco (ou parte fraca do tempo), para o tempo forte (ou parte forte do tempo). O f4# do 2° compasso (mao direita) da pega seguinte fornece um exemplo. AIR DE FREISCHUTZ ta i Allegretto C. M. von Weber ae 1 = ai 2 ‘ 73 1s ——| 86* LICAO ESCALA MAIOR DE RE}, (os beméis da escala de LA}, mais o SOL} ) ym RE}, maior Estudando esta escala, cujo dedilhado € facilimo, basta lembrar-se que os FA e os DO tocam-se com o polegar, tanto na mao direita como na esquerda. ELEMENTOS DO TOM DE RE} MAIOR NOTAS TONAIS NOTA SENSIVEL — ACORDE PERFEITO E SUAS 2 INVERSOES 2 2 ssubdominante ‘corde acorde ‘Onica dominante de sexta de quanta esexta ACORDE DE 7* DE DOMINANTE E SUAS 3 INVERSOES NOTAS ATRATIVAS E SUA RESOLUGAO. MODULACAO DE RE} PARA LA}, CADENCIA DE LAL, MAIOR MODULACAO DE LA} PARA RE} CADENCIA DE RED MAIOR DOBRADO BEMOL (jb) Na 43° lig&o (II Parte) abaixamos acidentalmente o LA 6° grau da escala de DO. Para abaixar 0 6° grau da escala de REb somos obrigados a servir-nos do dobrado bemol |b, por ser esta uma nota ja bemolada pelos sinais caracteristicos (SI }). SI \h quer dizer, duas vezes bemolado, toca- se na tecla do LA natural. Destroi-se 0 efeito do dobrado bemol por meio do 4, ao qual juntase um () ) para indicar que a nota fica simplesmente bemolada. termo subito significa subitamente. 144 ALEGRE RETORNO MUDANGA DE DEDOS EM TECLAS PRETAS REPETIDAS, Leggieramente (levemente) Lexeeaiiieie _& P grazioso £28 £ 145 87* LICAO O Duettino (diminutivo de Duetto) é uma composigao da qual duas melodias perfeitamente distintas e por assim dizer cantadas por duas vozes diferentes, se produzem alternativamente, como a pergunta e resposta na conversacao. Marcato il basso quer dizer: marque 0 baixo e marcato il canto, marque o canto (as notas cantantes ou melodias). DUETTINO Andantino con un poco di moto ‘© 83 a nl pina leona | i 146 88* LICAO ESCALA MAIOR DE FA$ (os sustenidos da escala de SI, mais o MI4) Clave armada em FA$ meior DESCIDA SUBIDA ; 2 © poleger no si e nomi f (v. a regre pore a escala de FA 63 £ i (v. a regre para a escala de FA 63° ipso) 0 polegar no mie no si No estudo desta escala, o aluno hesita no momento de tocar (com o polegar de ambas as m4os) as notas SI e MIf ; porque subindo ou descendo estas duas se confundem facilmente com 0 SI#e MI§. Esta hesitagao desaparece observando que: nao se tocam as teclas brancas vizinhas do grupo de duas teclas pretas, e sim as teclas brancas vizinhas do grupo de trés teclas pretas. ELEMENTOS DO TOM DE FA# MAIOR NOTAS TONAIS. NOTA SENSIVEL ACORDE PERFEITO E SUAS 2 INVERSOES ‘subdominante 2 a © j t A © ronica dominate © ‘corde corde de sexta de quarta esexta ACORDE DE 7* DE DOMINANTE E SUAS 3 INVERSOES NOTAS ATRATIVAS E SUA RESOLUGAO. MODULACAO DE FA$ PARA SI CCADENCIA DE Si MAIOR 5 4 3 MODULACAO DE SI PARA FA$ CADENCIA DE FA MAIOR 147 Quando a apoiatura est4 ligada a uma nota dupla ou tripla e que se repete numa destas notas principais, chama-se arpejada = harpejada. Neste caso, 0 dedo que tocar deve sustentéda ‘enquanto durar a nota principal. Se a apoiatura for dupla (v. a 79* licdo) a execucao é anéloga. O acorde que tiver o sinal { é harpejado; as notas tocam-se uma depois da outra comecando pela mais baixa. Estas notas sucedem-se com rapidez e sao sustentadas conforme o valor do acorde. NOTACAO DIFERENTE, MESMO EFEITO ppitye=ta== O Ponto alongado ¥ torna as notas ainda mais breves do que o ponto redondo (v. a 19* ligdo). Poco a poco quer dizer: pouco a pouco. O CANTO DO PESCADOR 89" LICAO ESCALA MAIOR DE SOL} (os bemdis da escala de REb, mais o DO} ) Clave armada em SOL} maior ~ Perceber 0 aluno pelo som e pelo dedilhado, que esta escala e a de FA# séo a mesma, visto como nas duas empregam-se as mesmas notas. Com efeito é natural que a identidade que constatamos (v. a 45" ligdo) entre FA# e SOL} exista igualmente entre as escalas formadas sobre estas duas notas e entre os elementos tonais que tém por base as duas escalas. ELEMENTOS DO TOM DE SOL} MAIOR NOTAS TONAIS a inante NOTA SENSIVEL ACORDE PERFEITO E SUAS 2 INVERSOES ‘acorde — acorde: de sexta de quarta e sexta tonica dominante ACORDE DE 7° DE DOMINANTE E SUAS 3 INVERSOES NOTAS ATRATIVAS E SUA RESOLUCAO MODULAGAO DE SOLb PARA REb CADENCIA DE Reb MAIOR 4 MODULAGAO DE REb PARA SOL CADENCIA DE SOLD MAIOR O MENSAGEIRO 150 90" LICAO Na licéo precedente demonstramos a identidade das escalas de FA# e de SOL} . Ora, comoa escala ndo é outra coisa do que a base do tom, é absolutamente indiferente que uma peca esteja escrita em FA# ou em SOL} . Damos um exemplo disso nas duas cadéncias seguintes, cuja primeira esté escrita em SOL} e a outra em FA#, mas que contudo se tocam ambas nas mesmas teclas, tém a mesma postura dos dedos e fazem a mesma impressio ao ouvido. Suster bem as notas da méo esquerda. Moderato A transposigao é uma operacdo musical que consiste em mudar 0 tom de um trecho. Assim a segunda das cadéncias da pag. 151 foi transportada de SOL bem FA#. Duas notas homofonas, isto é, duas notas que tendo nomes diferentes se tocam sobre a mesma tecla (ex. fai e sol )) chamam-se notas enharménicas. Este qualificativo aplica-se igualmente as escalas, tons, acordes, etc. que se acham nas mesmas condigdes. Procede-se por enharmonia quando se substitui uma nota, uma escala, um acorde pelo seu homéfono. Mais longe veremos © emprego pratico que se faz da enharmonia e as vantagens que ela oferece 8 modulacao nos tons distantes. © trecho seguinte é 0 mesmo do da 89 licéo que transportamos de SOL em FA# (tons enharménicos) Allegro con brio (*) Obs.: Peca Recreativa que pode ser tocada depois da 90° Licéo: Repouso do Pastor (Le Repos du Patre), (n° 15 do Repertério do Jovem Pianista) por A. Schmoll, a seguir: 152 O REPOUSO DO PASTOR (Le Repos du Patre) IDILIO (ldylle) A. SCHMOLL Op. 50 ea gs Andante expressivo PIANO CONCLUSAO DA TERCEIRA PARTE NTE 0my ani Na, ©) Wy, oe DO as FA _ sols sib = aie) $=) ce / Dos Mib =| TONS MAIORES LA SOL} Z Peed mI O circulo acima representa todos os tons maiores, pela ordem em que se sucedem e seus sinais caracteristicos. Encontra-se também a dominante e subdominante, os tons vizinhos e afastados de cada um. Na Terceira Parte deste método, percorreremos 0 cfrculo comecando por SOL (14), depois FA (1 ), depois RE (24), depois ST} (2}) e assim por diante, baseando- nos alternativamente na dominante e subdominante. Assim é que depois de conhecermos os 10 tons, metade do lado direito e metade do lado esquerdo do circulo, nos encontramos nos tons enharménicos FA # e SOL}, , dos quais um tem 6 sustenidos e o outro 6 beméis. Aprendemos além disso, a modular com cada tom e seus dois vizinhos e a formar cadéncia com cada um deles. Antes de terminar a Terceira Parte, indicaremos um meio, rotineiro talvez, (mas cmodo para certos alunos) de conhecer instantaneamente a tonalidade de uma peca: - quando a pauta est4 armada em sustenidos, 0 tiltimo sustenido indica a nota sensivel do tom, bastando subir um grau para achar a t6nica. ~ quando a pauta esta armada em beméis, o pentiltimo bemol é a ténica. Aplicando estas regras ao circulo acima, reconhece-se a facilidade que oferecem As memérias fracas. Recomendamos ao aluno a repeticio geral da Terceira Parte antes de passar 4 Quarta, a fim de consolidar ainda mais os conhecimentos te6ricos e praticos adquiridos até aqui. ‘Conheceremos na Quarta Parte o modo menor, suas 12 escalas, os elementos de cada tom e suas relagdes com 0 modo maior. £ assim que todo o edificio musical seré construido pouco a pouco diante do aluno e se lhe revelara em toda a sua beleza 87 58 59 60 61 SOL maior FA maior 1 RE maior 1 SI}, maior a LA maior Mlb, maior EXERCICIOS NOS TONS MAIORES MAIS USADOS CADENCIAS. 63 | MI maior CADENCIA 64| LA} maior CADENCIA Tocar 20 ou 30 vezes as seminimas, conservando as semibreves presas. 69) 70 oe hey Ts EXERCICIOS PARA PERCORRER 0 TECLADO EMPREGANDO A CONTRACAO DA MAO CONSTANTEMENTE. NOTA: Estes exercicios escritos em sextas, devem ser estudados em oitavas e decimas. 2 = = TERCAS LIGADAS 5 see Sen SEXTAS DESTACADAS [91] CONTRATEMPOS,