Está en la página 1de 3

1

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE UNIÃO DA VITÓRIA - UNIUV


CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL – HABILITAÇÃO EM JORNALISMO
MÉTODOS E TÉCNICAS DE PESQUISA II – 6° SEMESTRE
PROFª ANGELA MARIA FARAH
09 AGO. 2010

Método e Técnica
A produção do conhecimento científico trabalha com dois conceitos fundamentais: a técnica e o
método.

Método
Método é a ordem que se deve impor aos diferentes processos necessários para atingir um certo fim
ou um resultado desejado. Orienta a seleção dos procedimentos de pesquisa que deverão ser
seguidos pelo pesquisador.

São os comportamentos e os instrumentos empregados na seleção e elaboração de técnicas de


pesquisa.

A escolha do método é que condiciona as técnicas que serão utilizadas no decorrer da pesquisa.
Todo método depende do objetivo de investigação.

Técnica
São os procedimentos empregados pelo pesquisador para levantar os dados e as informações
necessárias para esclarecer o problema que está pesquisando.
São os comportamentos e os instrumentos empregados na realização de operações de pesquisa,
como o ato de registrar dados.
As técnicas de pesquisa são as etapas que compõem o método.

Método Científico
Sem método científico seria incompreensível falar de ciência, porque não se poderia colocar em
evidência o conjunto de etapas para alcançar determinado objetivo científico, que conduzirá a uma
reflexão crítica.

Não se inventa um método. Sua adaptação ao projeto de pesquisa depende, fundamentalmente, do


objeto da investigação científica.

Definição: “[…] conjunto ordenado de procedimentos que se mostraram eficientes, ao longo da


história, na busca do saber. O método científico e, pois, um instrumento de trabalho. O resultado
depende de seu usuário” (CERVO; BERVIAN, 2002, p.24).

Só a reflexão, a observação cuidadosa e a capacidade de interligar os fatos ou os fenômenos é


capaz de chegar a resultados importantes para a ciência.

Partes do Método
 Observação de experiências já existentes;
 Verificação das hipóteses do modelo, com respeito as observações ou medições anteriores;
 Ajuste ou substituição do modelo conforme novas observações ou exigências.

Métodos Racionais

Indução e dedução
2

A indução e a dedução são, antes de mais nada, formas de raciocínio ou de argumentação e, como
tais, são formas de reflexão, e não de simples pensamento.

O ato de pensar caracteriza-se por ser dispersivo, natural e espontâneo.

A reflexão requer esforço e concentração. É dirigida e planificada.

O raciocínio é algo ordenado, coerente e lógico. É por meio do raciocínio que chegamos a conclusões
a partir de premissas verdadeiras.

Análise - É a decomposição de um todo em suas partes. É o processo que parte do mais complexo
para o menos complexo. Do particular para o geral.

Síntese - É a reconstituição do todo decomposto pela análise. É o processo que parte do mais
simples para o menos simples. Do geral para o particular.

 Sem a análise, todo conhecimento é confuso e superficial; sem a síntese é fatalmente incompleto.
 O conhecimento de um objeto não se limita ao conhecimento minucioso de suas diversas partes.
Quer ainda aprender o lugar que tem no conjunto e a respectiva parte que toma na ação global.
Por isso, à análise deve seguir-se a síntese.

Método Indutivo
Método de análise – mais usado em trabalhos científicos

Parte-se do particular para fazer proposições que cheguem ao geral.

O argumento indutivo baseia-se na generalização de propriedades comuns a certo número de


casos, até agora observados, a todas as ocorrências de fatos similares que se verificam no futuro.

Valor e legitimidade da indução científica:


 A natureza é regida por leis;
 As causas atuam de maneira uniforme;
 As mesmas causas produzem os mesmos efeitos;
 Toda relação de casualidade é constante.

Método Indutivo - Regras


 Deve-se estar seguro de que a relação que se pretende generalizar seja verdadeiramente
essencial, isto é, relação causal quando se trata de fatos, ou relação da coexistência necessária
de suas formas, quando se trata de seres ou coisas.
 É necessário que os fatos, a que se estende a relação, sejam verdadeiramente similares aos fatos
observados e, principalmente, que a causa se tome no sentido total e completo.

Método Dedutivo - Método de síntese


Fará o caminho do geral para o particular, sempre que não exista contradições entre as
proposições

O ponto central da dedução é relação lógica que se estabelece entre proposições. O vigor de uma
dedução depende do fato de a conclusão ser sempre verdadeira, desde que as premissas também o
sejam.
3

Método Comparativo
Oferece a possibilidade de buscar explicações de situações segundo semelhanças e diferenças, que
apresentam duas séries análogas tomadas de meios sociais distintos, a fim de detectar o que é
comum a ambas.

Esse método é útil pela possibilidade, por exemplo, de trabalhar com grandes agrupamentos
humanos em universos populacionais distanciados geograficamente.

Para tanto, é necessário realizar uma amostragem nos universos que serão comparados. A partir daí,
procurar explicar fenômenos, fatos, objetos etc.

O método comparativo é indicado para análise de dados concretos e, daí, a dedução pode levar a
elementos abstratos e gerais.

Método Histórico
Compreende a passagem da descrição para a explicação de eventos futuros, à luz de uma situação
do passado. Por meio de seus paradigmas; categorias políticas, econômicas, culturais, psicológicas e
sociais; as causas e efeitos de um acontecimento, podem servir de balizadores para a projeção de
possibilidades em nossa sociedade contemporânea.

A análise do passado tem de ser feita criteriosamente para evitar erros graves. Para tanto, o
pesquisador deve sempre realizar:

a) Crítica dos dados (tanto presentes, quanto passados);

b) Relacionamento dos objetivos da pesquisa com o evento passado (e não o contrário).

Exemplo Método Histórico


A guerra do terror. Em 7 de outubro de 2001, começou a primeira guerra do novo milênio – Estados
Unidos e Afeganistão (Oriente Médio). Nesse dia, o primeiro dos 50 mísseis Tomahawk foi lançado
do navio USS Philippine Sea contra o alvo no Afeganistão. Em 1° de janeiro de 2001, quando, de
fato, começou o novo milênio, os povos do mundo todo festejaram. A humanidade não podia imaginar
que em futuro bem próximo a insegurança provocada pelos ataques do terrorismo tomaria conta do
mundo. Uma transformação que mudou o curso da história (FACHIN, 2006, p.42).

Método Experimental
É aquele em que as variáveis são manipuladas de maneira preestabelecida e seus efeitos
suficientemente controlados e conhecidos pelo pesquisador. Esse método se aplica mais às ciências
exatas. O objetivo desse método é descobrir conexões causais e atingir a demonstrabilidade.

Exemplo Método Experimental


Foram descobertas certas espécies de bactérias responsáveis pela fermentação indesejável do
vinho. Essa pesquisa experimental demonstrou que as bactérias morrem quando o vinho é aquecido
à temperatura de 60 a 65 °C. Essa descoberta deu origem à pasteurização do leite (FACHIN, 2006,
p.44).

Referências
CERVO, A. L.; BERVIAN, P. A. Metodologia científica. 5.ed. São Paulo: Prentice Hall, 2002.
FACHIN, O. Fundamentos de metodologia. 5.ed.rev. São Paulo: Saraiva, 2006.