Está en la página 1de 6

Aterro sanitário

Um aterro sanitário é uma forma para a disposição final de resíduos sólidos gerados pela atividade
humana. Nele são dispostos resíduos domiciliares, comerciais, de serviços de saúde, da indústria de
construção, ou dejetos sólidos retirados do esgoto.
Condições e características
A base do aterro sanitário deve ser constituída por um sistema de drenagem de efluentes líquidos
percolados (chorume) acima de uma camada impermeável de polietileno de alta densidade - PEAD, sobre
uma camada de solo compactado para evitar o vazamento de material líquido para o solo, evitando assim a
contaminação de lençóis freáticos. O chorume deve ser tratado e/ou recirculado (reinserido ao aterro).
Seu interior deve possuir um sistema de drenagem de gases que possibilite a coleta do biogás, que é
constituído por metano, gás carbônico(CO2) e água (vapor), entre outros, e é formado pela decomposição
dos resíduos. Este efluente deve ser queimado ou beneficiado. Estes gases podem ser queimados na
atmosfera ou aproveitados para geração de energia. No caso de países em desenvolvimento, como o Brasil, a
utilização do biogás pode ter como recompensa financeira a compensação por créditos de carbono ou CERs
do Mecanismo de Desenvolvimento Limpo, conforme previsto no Protocolo de Quioto como já é efetuado
por diversos aterro sanitários no Brasil: aterro de Nova Iguaçu, aterro Bandeirantes, aterro São João, etc.
Sua cobertura é constituída por um sistema de drenagem de águas pluviais, que não permita a
infiltração de águas de chuva para o interior do aterro.
Um aterro sanitário deve também possuir um sistema de monitoramento ambiental (topográfico e
hidrogeológico) e pátio de estocagem de materiais. Para aterros que recebem resíduos de populações acima
de 30 mil habitantes é desejável também muro ou cerca limítrofe, sistema de controle de entrada de resíduos
(ex. balança rodoviária), guarita de entrada, prédio administrativo, oficina e borracharia.
Quando atinge o limite de capacidade de armazenajem, o aterro pode ser alvo de um processo de
monitorização especifico, e se reunidas as condições, pode albergar um espaço verde ou mesmo um parque
de lazer, eliminando assim o efeito estético negativo.
Existem critérios de distância mínima de um aterro sanitário e um curso de água, uma região populosa
e assim por diante. No Brasil, recomenda-se distância mínima de um aterro sanitário para um curso de água
deve ser de 400m.
Operação
A recepção dos resíduos inicia-se com a entrada do veículo (viatura em Portugal) de transporte de
resíduos no aterro sanitário e a pesagem na balança. Depois de feito o controle na entrada e efetuada a
pesagem, o veículo desloca-se até à zona de deposição, avança até à frente de trabalho, procedendo à
descarga dos resíduos. Em seguida, o veículo passa pela unidade de lavagem dos rodados (quando houver) e
é novamente pesado para a obtenção da tara, de forma a ficar registado o peso líquido da quantidade de
resíduo transportada.
A operação segura de um aterro sanitário envolve empilhar e compactar os resíduos sólidos e cobrí-lo
diariamente com uma camada de solo. A compactação tem como objetivo reduzir a área disponível
prolongando a vida útil do aterro, ao mesmo tempo que o propicia a firmeza do terreno possibilitando seu
uso futuro para outros fins. A cobertura diária do solo evita que os resíduos permaneçam a céu aberto, com
possível contato com animais (pássaros) e sujeito a chuva, e também para diminuir a liberação de gases mal
cheirosos, bem como a disseminação de doenças.
No Brasil
A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) define da seguinte forma os aterros sanitários:
"aterros sanitários de resíduos sólidos urbanos, consiste na técnica de disposição de resíduos sólidos urbanos
no solo, sem causar danos ou riscos à saúde pública e à segurança, minimizando os impactos ambientais,
método este que utiliza os princípios de engenharia para confinar os resíduos sólidos ao menor volume
permissível, cobrindo-os com uma camada de terra na conclusão de cada jornada de trabalho ou à intervalos
menores se for necessário."
No Brasil, um aterro sanitário é definido como um aterro de resíduos sólidos urbanos, ou seja,
adequado para a recepção de resíduos de origem doméstica, varrição de vias públicas e comércios. Os
resíduos industriais devem ser destinados a aterro de resíduos sólidos industriais (enquadrado como classe II
quando não perigoso e não inerte e classe I quando tratar-se de resíduo perigoso, de acordo com a norma
técnica da ABNT 10.004/04 - "Resíduos Sólidos - Classificação").
Técnicas alternativas

caso não haja um mínimo de cuidado com o armazenamento desses resíduos cria-se um ambiente propício ao desenvolvimento de microorganismos que muitas vezes podem ser agentes que podem causar doenças. é qualquer material considerado inútil. por outro lado. deve ser visto e analisado sob o prisma biológico. ou pode causar sérios danos ambientais e/ou à saúde de muitas pessoas. Mas. animais e vegetais. e a qual precisa ser eliminada. Porém. O plástico por exemplo. Devido ao alto custo de certos equipamentos do aterro. que recentemente fez parte de um ser vivo. demora muito tempo para ser decomposto. etc. apenas produtos inertes. Resíduo ou lixo. assim lixo orgânico é todo lixo que tem origem animal ou vegetal. Alguns psicólogos também afirmam que os prejuízos não diminuem à questão material mas atingiriam também a saúde mental das pessoas. que contém ácidos e metais pesados em sua composição. Muitos países possuem leis específicas para controle de sinalizações em diversas categorias de acessos. não podem ser reutilizados de nenhuma forma. Lixo tóxico Muito do lixo é tóxico. além de rejeitos industriais. restos de carne e ossos. O termo lixo aplica-se geralmente para materiais no estado sólido. Considerando a conformação da natureza. O principal componente do lixo orgânico é o lixo humano. É qualquer material cujo proprietário elimina. tais como fezes e urina. o que torna difícil a sua degradação e posterior digestão por agentes decompositores (primariamente bactérias). fungos e vírus causadores de doenças. Muito do lixo inorgânico possui um grande problema: quando jogado diretamente no meio ambiente. Numa linguagem mais técnica e moderna. gerando fonte de renda e empregos. Líquidos ou gases considerados inúteis ou supérfluos. ou que foi produzida através de meios humanos. O conceito de lixo pode ser considerado uma concepção humana. é que pode concorrer para acidentes automobilísticos. por exemplo. porque em processos naturais não há lixo. . O lixo humano pode ser altamente perigoso. Lixo tóxico inclui pilhas e baterias. geralmente chamados de resíduos (líquidos ou gasosos). Lixo inorgânico Lixo inorgânico inclui todo material que não possui origem biológica. ou necessita eliminar. mas da mesma forma oriundos dos seres vivos. enquanto isto. é constituído por uma complexa estrutura de moléculas fortemente ligadas entre si. Uma das maiores preocupações sobre a poluição visual em acessos públicos de intenso tráfego. madeira. através da reciclagem. Outros resíduos. quando acumulado. etc. diversos produtos inorgânicos são biodegradáveis. Uma realização primária da civilização humana tem sido a redução da transmissão de doenças através do lixo humano. o governo do estado de São Paulo está promovendo a técnica de aterro sanitário em valas para implantação em municípios de pequeno porte. deseja eliminar. vidro. em geral devido à decomposição destes produtos. o lixo orgânico muitas vezes pode tornar-se altamente inatrativo. Neles pode-se incluir restos de alimentos. sendo seu componente biológico a matéria orgânica. composto pelos resíduos produzidos pelo corpo humano. desde que adequadamente tratado. sementes. os materiais inorgânicos são representados pelos minerais. além de contribuir contra a poluição ambiental. folhas. Mesmo na atualidade esse tipo de lixo é considerado poluente e. são. Muito do lixo pode ser reutilizado. bactérias. Lixo orgânico pode ser decomposto. abordaríamos os resíduos sólidos. uma vez que pode abrigar e transmitir com facilidade uma grande variedade de vermes. como plásticos. sem tratamento prévio. graças à higiene e o saneamento básico. os termos lixo e resíduos também podem ser utilizados para descrever respectivamente fluidos e sólidos. mal-cheiroso. supérfluo. e/ou sem valor. metais e ligas. certos tipos de tinta (como aquela usada nas impressoras). como lixo hospitalar ou nuclear. ou seja. gerado pela atividade humana. O lixo orgânico pode ser seletivizado e usado como adubo (a partir da compostagem) ou utilizado para a produção de certos combustíveis como biogás. Tipos de Resíduos Por composição Lixo orgânico Na concepção técnica o lixo. papéis. que é rico em metano (a partir da biogasificação). Para solucionar este problema. Lixo tóxico precisa receber tratamento adequado.

A finalidade principal é a eliminação total dos resíduos tóxicos ao meio ambiente. etc). é considerado lixo nuclear). aventais. O uso agronômico do lodo de esgoto (biossólido). Estes produtos precisam receber tratamento especial. por ser mais acentuada em alguns casos. e é geralmente incinerado. ao se decompor. lavadores de gases. como gases que contribuem ao agravamento do efeito estufa. industriais ou hospitalares. Um incinerador elimina resíduos. deverão ser empregados precipi. que pode conter agentes causadores de doenças potencialmente fatais. papéis. etc.  Resíduo hospitalar: é a classificação dada à produtos sem valor e considerados perigosos produzidos dentro de um hospital. por exemplo). chega a suprir totalmente as exigências de algumas culturas. respeitando-se as exigências normativas estabelecidas pelos órgãos fiscalizadores. como aventais que mantiveram constante contato com raios eletromagnéticos de alta energia como raios X.  Lixo nuclear: composto por produtos altamente radioativos. com a finalidade de obter. Algumas características tornam o lodo de esgoto um material agronomicamente interessante para aplicação no solo: em primeiro lugar. este tipo de lixo é separado do restante produzido dentro do hospital (restos de comida. homogênea.tadores de partículas. eles precisam ser totalmente confinados e isolados do resto do mundo. não tem desapontado seus geradores nem tampouco seus receptores. agente causador do efeito estufa. vidros. como seringas usadas. um material estável. Para tanto. etc). o envio do resíduo para um aterro sanitário torna-se a maneira mais prática de solucionar a questão do destino. Lixo altamente tóxico deve ser isolado. certos materiais hospitalares.  Resíduo industrial: é gerado pelas indústrias. como fonte de matéria orgânica e nutrientes para as culturas. químicos e biológicos superiores (sob o aspecto agronômico) àCompostagem e biossólido Encontrar um destino sustentável para o lodo de esgoto (ou biossólido) ainda é um desafio para as empresas geradoras e seus colaboradores. etc. com atributos físicos. A incineração é um processo de combustão controlada dos resíduos. bem como restos de construções e demolições. Um incinerador gera enorme quantidade de poluição atmosférica. papéis. a mais segura ou a melhor escolha do aspecto ambiental. por exemplo. de odor . Por origem  Resíduo doméstico: é o formado pelos resíduos sólidos produzidos pelas atividades residenciais e apresenta em torno de 60% de composição orgânica e o restante formado por embalagens plásticas. são categorizados de forma diferente (o mencionado avental. Devido ao fato de que tais materiais continuarem a emitir radioatividade por longos períodos de tempo. Incineradores Incineradores literalmente incineram o lixo. a concentração de nitrogênio e fósforo. a matéria orgânica tende a transformar-se em uma substância mais estável. Conjunto de técnicas aplicado para controlar a decomposição de materiais orgânicos. podendo conter agentes causadores de doenças. através do uso de altas temperaturas (que variam entre 800 e três mil °C). rico em húmus e nutrientes minerais. Porém. e recebem tratamento diferente.  Resíduo sólido urbano: inclui o resíduo doméstico assim como o resíduo produzido em instalações públicas (parques. especialmente dióxido de carbono. É o método utilizado para a destruição de lixo hospitalar. em instalações comerciais. e é geralmente altamente destrutiva ao meio ambiente ou à saúde humana. ou podem causar sérios danos ambientais e/ou à saúde de muitas pessoas. Compostagem É um tratamento aeróbico. Muitas vezes. qualquer material que teve exposição prolongada à radioatividade e que possue algum grau de radioatividade. Por serem perigosos. através do qual a matéria orgânica se decompõe em adubo ou composto. onde não deverá ocorrer a emissão de gases tóxicos para a atmosfera. em segundo lugar. reduzindo-o a cinzas. Lixo altamente tóxico Lixo nuclear e hospitalar entram neste quesito. latas. filtros eletrostáticos. domésticos. gerando enormes quantidades de poluentes. São altamente poluidores. enquanto lixo hospitalar deve ser incinerado. etc. enfim. mas esta via nem sempre se mostra a mais econômica. produtos hospitalares que tiveram contato com radioatividade (aventais. como restos de combustível nuclear. no menor tempo possível.

em conjunto. entre eles o transporte especializado e ensaios laboratoriais exigidos para estimar a taxa de aplicação. em quantidade adequada e no momento mais propício para ser aproveitado. magnésio (Mg). comum nas regiões mais quentes e chuvosas. cálcio (Ca). espaçamento. químicos e biológicos. nutrição. Embora os fertilizantes minerais (químicos) sejam mais difundidos. zinco (Zn). molibdênio (Mo). não significa simplesmente estimar suas exigências minerais e fornecer insumos concentrados. a presença de húmus no solo pode aumentar o aproveitamento dos fertilizantes minerais aplicados. nem sempre é vantajoso: a) Doses excessivas de sais solúveis podem intoxicar as plantas. o termo lodo de esgoto ou biossólido não é mais aplicável. o nutriente deve estar no lugar certo. para o aproveitamento dos nutrientes presentes e dos adicionados. com baixo teor de matéria orgânica. aeração. A compostagem. degradaram as argilas mais complexas e proporcionaram condições para a rápida decomposição da matéria orgânica. esta situação não impediu o desenvolvimento da agricultura.Existem peculiaridades na absorção de cada elemento. é resultado da combinação de fatores físicos. b) Os vegetais não absorvem os nutrientes apenas porque estes ocorrem em abundância . Há mais de um século sabe-se que as plantas necessitam de treze elementos essenciais: nitrogênio (N). temperatura. boro (B). c) Em solos tropicais. os riscos são mínimos e o novo produto pode ser difundido regularmente entre os técnicos especializados em fertilizantes. provoca a imobilização de outros. Isto significa que. a atração de vetores e a dificuldade para distribuição uniforme na superfície. a nutrição é o fator que mais contribui para o rendimento. Além disso. alguns lodos apresentam atributos que dificultam o uso agronômico (nesses casos o termo biossólido nem sempre é aplicável). destruição de patógenos. O passivo ambiental de outrora foi transformado em insumo agrícola com mercado e valor comercial. visto que o produto obtido difere da matéria-prima. remoção de sólidos voláteis e produção de uma substância que possa ser utilizada na agricultura sem restrições. adaptação climática. etc. ácidos. associados à umidade. tais como: pH. por três razões. químicas e biológicas. enquanto que. Para utilizá-los em áreas agrícolas são necessários procedimentos relativamente dispendiosos para o gerador. a tornou altamente dependente de práticas de conservação. Além disso. Cloro (Cl). Os solos que correspondem à tais considerações foram formados sob ação da intempérie. nível de CO2. não quer dizer que sejam perfeitos. ferro (Fe). A água abundante lixiviou boa parte dos nutrientes e acidificou o meio. Por meio dela ocorrem as seguintes modificações no material primário: conversão biológica da matéria orgânica putrescível para uma forma estabilizada. As propriedades do “composto” facilitam a estocagem. em maior quantidade. variedade. fósforo (P). a acidez. os plantios sucessivos provocariam a completa exaustão e a baixa produtividade. cobre (Cu). o elevado teor de umidade. conservação de solo. redução da umidade. enxofre (S). associada à elevada capacidade de adsorção. quando exeqüível. constitui uma das melhores soluções para atenuar ou eliminar os fatores indesejáveis do lodo de esgoto. mão- de-obra especializada. teor nas células. mas. no solo. manganês (Mn). propiciar as melhores condições para obtenção de altos rendimentos. São também conhecidos como latossolos. quando todos os fatores estiverem à disposição da cultura. Preconiza-se.mais suave. promover. A matéria . transportar. a presença de patógenos. melhores condições físicas. Doravante não existem restrições quanto à cultura. Uma vez transformado em “composto”. presença de antagônicos. Os solos gerados nessas condições são mais pobres. além de salinizar e acidificar os solos. que visam reconstruir a estrutura perdida. Seu principal atributo. Uma das principais funções do húmus é modificar as propriedades físicas do solo. Caso contrário. do ponto de vista agronômico. etc. armazenar e distribuir mecanicamente no solo. o mal cheiro. mais fáceis de adquirir. Entretanto. por exemplo. melhora-se a estrutura e a aeração. de cor escura. capazes de. conhecida por húmus. as chuvas abundantes promovem a lixiviação de alguns nutrientes. certamente. profundos. A produtividade será máxima. por sua vez. a presença do homem agravou as transformações a medida que consumiu a fertilidade original sem uma reposição proporcional e degradou a estrutura ao introduzir um manejo mecanizado sem adequações. disponibilidade de água. A função dos fertilizantes orgânicos A produtividade das culturas é conseqüência da ação conjunta de vários fatores: preparo da terra. então. Alguns deles são requisitados em menor e outros. potássio (K). os sais solúveis ficam mais susceptíveis às perdas. No entanto. neste ambiente. O calor e o tempo. no entanto. desta maneira aumenta-se a capacidade de retenção de água e nutrientes. espécie iônica. a solubilidade. A fertilidade do solo. a embalagem e a comercialização. Nutrir uma planta.

Fertilizantes orgânicos. muito usada no meio agrícola: “engordam o solo”. são elas: as práticas conservacionistas (já mencionadas) e adubação orgânica. descanso. passam a permanecer disponíveis para as raízes. a capacidade de retenção de água. ou seja.5 e 1. formam-se macro e microporos. e) Preparo prévio da matéria-prima: A granulometria é muito importante uma vez que interfere diretamente na aeração da massa original. c) Aeração: A compostagem conduzida em ambiente aeróbio. que conferem estabilidade estrutural ao solo. Já a altura da pilha depende da largura da base. três fases distintas podem ser reconhecidas: a) rápida decomposição de certos constituintes pelos microrganismos. os fertilizantes solúveis. responsáveis pela aeração e pela capacidade de retenção de água. etc. ou húmus. b) Umidade: A presença de água é fundamental para o bom desenvolvimento do processo. Se fossemos sintetizar as funções dos fertilizantes orgânicos. os nutrientes catiônicos.5 e 3. etc. uma agricultura próspera. Em conseqüência disso. O ideal é que as pilhas apresentem seção triangular. Pilhas baixas perdem calor mais facilmente ou nem se aquecem o suficiente para destruir os patogênicos. . O carbono é a fonte de energia para que o nitrogênio seja assimilado na estrutura.) são as mais eficazes para proporcionar rendimentos elevados às culturas. pela ação sobre a disponibilidade do fósforo. ou seja.8 metros. diminuem também as variações de pH. São as propriedades coloidais do húmus. devem ser empregadas. Substâncias geradas durante a compostagem No processo de compostagem. aumentam a porosidade. manter a cobertura vegetal. ricos em húmus. anteriormente transportados juntamente com a água das chuvas. Além disso. a escassez ou o excesso de água pode retardar a compostagem. fungos e actinomicetes. Partículas maiores promovem melhor aeração. Ca. teor de oxigênio. aumenta-se a capacidade de troca catiônica (CTC) do meio. pelo poder complexante sobre metais.). respectivamente. Práticas que visam conservar ou aumentar o teor de matéria orgânica do solo ( por exemplo: combater a erosão. Mg e K. a aeração. com largura entre 2. e) Relação Carbono / Nitrogênio (C/N): Os microrganismos absorvem os elementos carbono e nitrogênio numa proporção ideal. produz um rápido aquecimento da massa. Entretanto. Não há como dissociar. modificam as propriedades físicas do solo. Promover condições para o estabelecimento da temperatura ótima para os microrganismos é fundamental. teor de gás carbônico. Nessas condições. com inclinação em torno de 40 a 60 graus. Paralelamente. rotação de culturas. Durante a compostagem há uma sucessão de predominâncias entre as espécies envolvidas. empregaríamos apenas uma expressão. de um solo rico em húmus. liberados pelo fertilizante diminuem a adsorção (imobilização) do P. em quantidades maiores e por mais tempo. teor de umidade. aplicados nestas condições. tornando mais raras as necessidades de calagem (aplicação de calcário no solo para elevar o pH). serão mais bem aproveitados pelas plantas e sua ação sobre a acidez e a salinização do solo diminuirá substancialmente. interfere em todos esses fatores. não produz odores putrefatos nem proliferação de moscas. promovendo a formação de agregados. Fatores que interferem na compostagem Os principais fatores que governam o processo de compostagem são: a) Microrganismos: A conversão da matéria orgânica bruta ao estado de matéria humificada é um processo microbiológico operado por bactérias. Em conseqüência dos agregados.5 metros e altura entre 1. durante a fermentação aeróbia. As propriedades químicas do húmus são representadas principalmente pelo fornecimento de nutrientes essenciais. Cada grupo é especializado e desenvolve-se numa faixa de temperatura ótima. este pode variar em função da quantidade de materiais. d) Temperatura: O metabolismo exotérmico dos microrganismos. mas o tamanho excessivo apresenta menor exposição à decomposição e o processo será mais demorado. Alguns ácidos orgânicos. Pilhas muito altas submetem as camadas inferiores aos efeitos da compactação. de maneira conjunta. responsável pela majoração da capacidade de troca catiônica (predominância de cargas negativas em relação às positivas). que se completa após a formação do húmus. b) síntese de novas substâncias criadas pelos microrganismos. à medida que são aplicados. f) Dimensões e formas das pilhas: Quanto ao comprimento.orgânica. pela interação com as argilas formando o complexo argilo-húmico. duradoura e sustentável. pela ação estabilizante sobre variações ambientais no solo (modificações no pH. do tamanho do pátio e do método de aeração. preferencialmente. etc. principalmente aquelas relacionadas à agregação das partículas. temperatura. As principais vias para atingir esta situação não são excludentes. além de mais rápida.

que é formado por cerca de 50% de metano e que pode ser queimado ou utilizado como combustível. Celulose. c) A temperatura não é alta o suficiente para causar danos às raízes ou às sementes. químicas e físico-químicas diferentes da matéria-prima original. O resíduos sólido da biogasificação pode ser tratado aerobicamente para formar composto. Confinamento permanente Lixo altamente tóxico e duradouro. eliminar-se-ão. Reciclagem A reciclagem é o processo de reaproveitamento de material orgânico e inorgânico do lixo. Os açúcares. amorfa. seus diversos constituintes são decompostos em diferentes estágios. não pode ser reciclada. óleos. como túneis escavados a quilômetros abaixo do solo. uma vez que diminui a quantidade de lixo enviado a aterros sanitários. b) Ao apresentar relação C / N abaixo de 20 ainda haverá atividade biológica. se o processo tornar-se anaeróbio. certas graxas e taninos são os materiais considerados mais resistentes à decomposição. além do CO2. A digestão anaeróbica é o processo de decomposição orgânica onde as bactérias anaeróbicas. metano. serão necessários aproximadamente 90 dias. a utilização do material bioestabilizado é justificada por três motivos: a) Ao passar pela fase termófila haverá a destruição de ovos. Para a completa humificação. seguindo-se de algumas hemiceluloses e demais proteínas. Porém. Desta forma. larvas e microrganismos patogênicos que. muitos materiais não podem ser reciclados continuadamente (fibras. e mantidos em algum lugar de difícil acesso. rica em partículas coloidais. certas hemiceluloses. por exemplo. o nitrogênio orgânico é convertido à forma amoniacal. resinas e outros constituintes das plantas são decompostos mais demoradamente. propriedades físicas. o carbono será liberado como gás carbônico. uma substância escura. Ao final do processo obtém-se o húmus. Enquanto houver decomposição aeróbia. Para aplicação no solo. uniforme. ou seja. com diferentes intensidades e por diferentes populações de microrganismos. É considerado o melhor método de tratamento de lixo. As ligninas. em relação ao meio ambiente. O tempo médio para que a pilha original se decomponha até a bioestabilização é de 30 a 60 dias. mas pouco ou não praticada por ser economicamente inviável. e precisa ser descartado. os amidos e as proteínas solúveis são decompostos em primeiro lugar. proporcionando a este material. A velocidade e o grau de decomposição dos resíduos orgânicos pode ser medido de várias maneiras: a) Quantidade de CO2 desprendido b) Diminuição da relação C/N c) Ciclo da temperatura d) Elevação e estabilização do pH Biogasificação A biogasificação ou metanização é um tratamento de resíduos orgânicos por decomposição ou digestão anaeróbica que gera biogás. como lixo nuclear. serão necessários mais 30 a 60 dias. por decomposição. e reduz a necessidade de extração de mais matéria-prima diretamente da natureza. porventura puderem existir na massa inicial. nem se decompõem inteiramente de uma só vez. Algumas formas de lixo. Resíduos vegetais e animais não são igualmente atacados. c) formação de complexos resistentes em razão dos processos de condensação e polimerização. aminoácidos e outros derivados nitrogenados. lixo altamente tóxico. em especial). . álcool e ácidos orgânicos. entretanto. em especial. A reciclagem de certos materiais é viável. e que não pode ser destruído. mas não haverá o “seqüestro” do nitrogênio do solo para completar o processo. As proteínas. conseguem rapidamente decompor os resíduos orgânicos. são primeiramente hidrolisadas por enzimas proteolíticas produzidas pelos microrganismos. gorduras. para completar-se o processo na pilha. precisa ser tratado e confinado permanentemente. que apenas sobrevivem na ausência de oxigénio. gerando polipeptídios.