Está en la página 1de 670

ITINERÁRIO
DO

PILAS PHOV1HCIÀS
DE MINAS GEUAES E GOIAZ.

TOMO PRIMEIRO.

f

DO

RIO DE JANEIRO AO PARÁ E MARANHÃO,

PELAS PROVINCIAS

seguido de huma descripção chorographica de Goiaz , e dos roteiros
desta Província as de Mato Grosso e S. Paulo ;

OBRA DEDICADA
AO EX«° S* DIOGO ANTONIO FEIJÓ,
Regente do Imperio do Br.12.il,
mo BBIGADKIHO

Official Ja Ordem Imperial do C*. uzeiru , Comn■endador da de £• B*ntQ ■TAtÍz

TOMO PRIMEIRO.

RIO v DE JANEIRO,
. IMPERIAL li CONSTITUCIONAL DE J. VILLENEIÍVE E C
rua d'Ouvidor n» g5.

.836.,

Br&siLúm Library

i

AO ILL- E EX" SENHOR

REGEIVTE DO IMPÉRIO,

>. O. E G.

O SED SÚBDITO B BESPE1TADOB

Umm JOSÉ DA CUNHA MATTOS.

.

anteriores aosannos . progressos scientificos dos seus habitan tes. abertura de estradas e canaes que facilitem os meios de transportes . geographicos e his toricos . accrescen- tamento da sua população . e o estabelecimento de Colonias agri colas e de mineração . lembrei-me de procurar entre os meus manuscriptos statisticos . e no exercicio de Governador das Armas da Provincia de Goiaz . Fazendo-se de dia em dia mais interessantes os conhecimentos geopraphicos . physicos e politicos do Imperio do Brazil . pôde ser de alguma vantagem áquelles que nas sobre ditas circunstancias desejarem consulta-la. o Itinerario que escrevi durante as minhas marchas . por me persuadir que esta obra. que se achão impressos ácerca das terras do Brazil : aquelles de que eu tenho noticia. aos naturaes e aos estrangeiros . Muito poucos são os Itinerarios propriamente ditos. desenvolvimento do seu commercio. em razão do augmento da sua agricultura . e sobre tudo pelo extraordinario empenho que se mostra na carreira das emprezas da navegação.

nem as importantes . Francisco Xa vier de S. desde a Cidade de S. não andâo em mãos daquelles que não possuem meios de as consultarem. e outros sabios estrangeiros . Os escriptos do viajante Inglez Mawe. Lienau. Hi- laire^ Major d'Alincourt . são os dos Astronomos . isto he . e memo rias particulares de varias Provincias do Brazil . e de mais alguns natnraes e estrangeiros . as relações das visitas do Bispo D.VÍij INTRODUCÇÃO. os do outro Inglez Koster . Acard . Freireiss . Augusto de S. Fr. Barclay Mountaney. do Barão de Eschwege. e mui poucos outros es criptos cm forma de Itinerarios . Paio . Caetano Brandão . e o Roteiro do Coronel Sebastião Gomes da Silva Berford . Mato Grosso e Pará . a descripção seguida das marchas que fizerão durante as suas scientificas explorações. apresentão muitas vezes relações itine rarias . Hahn . Deniz. o Diario da viagem do Ouvidor do Rio Negro. Luiz do Maranhão até ao Rio de Janeiro. nem as de Beauchamp. em que escrevi os que agora apre sento . Scheffer . Warden. • Tambem não faltão historias completas . que huma ou outra vez apresentão relações diarias dos acontecimentos mais notáveis : isso não basta para eu comprehender na classe dos Itinerarios a interessan tissima historia do Brazil por Southey . do Principe de Neuwied. Depois do anno de 1826 apparecérão as estimaveis obras dos Doutores Spix e Martius. do Tenente Coronel Varnhagem. de 1823 a 1826. Engenheiros e Natu ralistas empregados nas demarcações dos limites do Rio Grande . Gra ham . mas quasi todas ellas cm razão do seu alto preço oí1 raridade.

' nem a 'Corographia Brazilica do Pa dre Ayres do Casal. quando lhes conferir as re compensas que elles merecerem ] poucos homens haveráõ. que interessão na parte scientifica . Trabalhos desta natureza não se fazem a troco de boas e ainda menos de más palavras : honras e dinheiros são os ordinarios moveis das em- prezas gloriosas . informações . Se os fins de todos os sobreditos Escriptores forãoi mui bem desempenhados. que 'pelo titulo dé amor proprio « esperan ças de melhor fortuna. JX Memorias de Monsenhor Pizarro . e tem porão a ari dez propria dos simplices Roteiros. não afianço a perfeição della . éu apresento detalhei e . e quando o Governo ajudar áquelles que podem ser utèis. a Corographia Pa raense de Ignacio Accioli de Cerqueira e Silva . e ainda mais faria Se tivesse quem me auxiliasse. por terem a certeza anticipada de acha . perigos imminentes são a moeda que me custou esta minhá obra . porque Ua mesma França e Inglaterra não ha perfeição absoluta em materias geographicas . eu procu rei igualmente satisfazer a menos apreciavel diligencia de que em razão do meu emprego fui obrigado a encarregar-me. A maior parte do que escrevo foi por mim visto e examinado t fadigas extraordinarias . eu' fiz quanto pude . O meu Itinerario não he huma simples carta de nomes. recusem embrenhar-se em sertões inhospitos . nenVhuma coílecção fastidiosa de algarismos ! Sem perder de vista a serie successiva dos tempos e dos lugares. e os Ànnaés do Rio de Janeiro pelo Conselheiro Ballhazar da Silva Lisboa . INTRODUCGAO. e arrostrar a morte em terrenos insalubres.

Eu tinha intenção de publicar com estes mappas hum atlas de cento e sete cartas topo-. Eu sintq não pa tentear ao mundo scientifico aquellas noticias que muitos apetecem . As aguas correntes são designadas na Provincia do Rio de Janeiro. Paulo . riachos ou corre gos : eis o motivo de apparecerem em varios mappas . e quem faça caso das suas descubertas. rem quem os premeie. de marcha desde o Rio de Janeiro até á Serra da Marcella da dita Provincia de Minas Geraes. Os meus Itinerarios e o Resumo Corographico da Provincia de Goiaz vão acompanhados do mappa ge ral della . julgo conveniente fazer algumas observações muito necessarias áquel- les que estudão a Geographia do Imperio Brazileiro. que se acháo promtas para a litographia . em parte da de S. riachôes . Goiaz. e que eu com o sacrificio de in- numeraveis incommodos lhe podia subministrar. Parece que o nome de rios devera ser privativo ás aguas navega veis : não accontece assim . muitas torrentes recebem o nome de rios sendo menos volumosas do que os chamados ribeirões .X INfRODUCÇÃO. em escala de polegada por legoa. Minas Geraes. corregos . graphicas e hydrographicas do interior do Brazil. quem louve os seus desvelos. riachos e riachôes. Tendo exposto aos meus leitores o objecto da Obra que ora submetto á sua censura . Obstaculos com que eu não con tava obrigárão-me a repo-las no mesmo lugar em que dantes as tinha conservado. e De semboque da Provincia de Minas Geraes. e dos Termos dos Julgados do Araxá . e da carta . ri beirões . em tres grandes folhas . e no Guyabá pelos nomes de rios .

e de ramificações das Andes do Perú e Nova Granada. Eu encontrei Igrejas Matrizes e Capellas Curadas . ou quebradas que retalhâo hum systema de serras ou cordilheiras . desfiladeiros . INTRODUCÇÃO. Eu não me achei autorisado a alterar a nomenclatura estabelecida : isto pertence ao Governo em resultado do levantamento de cartas hydrographicas . tendo ape nas huma legoa de extensão : tal he o motivo de apparecer huma vasta nomenclatura de serras que na Provincia de Goiaz podem ser reduzidas a dous ou tres systemas geraes. Muitas cordilheiras de montanhas são conhecidas ora pelo nome de serras. A maior parte das aguas estagnadas seccão de todo pela acção de sol abra- zador . principalmente nos terrenos arenosos. filhos da Serra do Már. recebem conforme as suas extensões os nomes de lagos . poços e ipoeiras : mui tas vezes dá-se o nome de poço áquillo. ora pelo de morros. Varias gargantas. assim como o nome de lago ao que não passa de ser huma lagoa. As aguas estagnadas com sangradouros temporarios ou perpetuos . Em Goiaz todas as Igrejas Parochiaes Matrizes e Filiaes Guradas existem no meio de povoações de maior ou menor numero de casas e que recebem os nomes de arraiaes : não acontece assim em alguns lugares das Provincias do Rio de Janeiro e Minas Ge raes. corographicas e topogra- phicas sugeitas a observações astronomicas.que apenas he huma ipoeira . ora com o de ribeirões e corregos. ora com o nome de rios. Eu encontrei muitas montanhas designadas como serras diversas. dão lugar a denominações arbitrarias. Xj as mesmas e identicas aguas. lagoas .

O mappa das estradas das Provincias do Rio de Janeiro. As propriedades ruraes são conhecidas pelos no mes de fazendas . Os engenhos são os que tem fa bricas de assucar . em muitos dos quaes não existe hum só escravo. an tiga linha divisoria desta! ultima Provincia . importantes da geographia do in terior do Biazil . que mais se anda ás . não aconteceria assim se o meu Atlas se imprimisse . e da de Goiaz nos Julgados do Araxá e Desemboque. . . e os sitios são as propriedades em que se fazem pequenas plantações. em algumas das primeiras residem varios ag- gregados de raça diflferentç dos possuidores origi narios. estão em lugares. que apenas Unhão a casa do Vigario ou do Cura jun ta ás mesmas Igrejas. e mais nenhum morador. Roças são as propriedades em que se cultivão unicamente generos cereaes . e aquellas em. cavallar ou cerdal. e Minas Geraes até a Serra da Marcella . a bem de supprir aquella falta-i As materias m^is. engenhos . e farinaceos em ponto grande . sendo construido em columnas verticaes . As fa zendas são aquellag em que se cria gado vacum. não pôde apre sentar os rumos verdadeiros de muitas estradas em huma unica folha de papel.. pois nesse caso evitar- se-ia a composição do mappa de marcha que agora faço. As povoações denominadas aldeãs são privativa mente habitadas por Indios domesticados ou selva gens . Va rias Capellas e Hermidas ou casas de oração de Goiaz e outras Provincias . ermos . sitios e roças.ou em alguma fazenda de assucar ou de creação de gados.Xlj INTRODUCÇÃO.

e tive a desgraça de não encontrar dous pontos em que se conformas sem. e na qual apresenta huma larga tabeliã de latitudes . ou outro Official instruido . te a sua jornada por terra para Mato Grosso no an- no de 1772. não se atreveu a marcar as longitudes. do que as diversas alturas assig- nadas á confluencia dos Rios Tocantins e Araguaia e muitos outros lugares? Eu segui as observações do Engenheiro Salvador Franco da Matta . mostrárão-me os erros dos Astronomos Jesuitas Diogo Soares e Domingos Cha- pazzi. na sua obra excellente sobre o Brazil . feitas duran. e que acerca das longitudes. são as latitudes e longitudes dos lugares. por saber que não tem sido ratificado por observações posteriores. Que maior prova pôde haver so bre a falta de observações ou dos erros dellas no caso de se terem feito . sem com tudo afiançar a exactidão do seu mappa. Eu tenho motivos sobejos para affirmar que nas Mi nas Geraes e em Goiaz fizerâo-se mui poucas observa- vações astronomicas . tudo hé obscuridade. e não haver o Barão de Eschwege . ou para melhor dizer. pois que o mesmo Barão de Eschwege. Eu possuo huma larga collecção de longitudes e latitudes dos lugares interiores do Brazil . prova de conhe cer que ha incerteza completa a respeito de todas as que apparecem nos escriptos dos historiadores. e os rumos a que res pectivamente demoravão. as distancias que havia de lugar a lugar. eu fiquei entendendo que estes Jesuitas não fizeráo observações astrono micas em Goiaz. Âs mesmas marchas que eu fiz . tomado a seu cargo a verificação da longitude das Minas Geraes de . INTRODUCÇAO. XII) apalpadelas.

dos quaes os Itinerarios são apenas hum pequeno extracto. e fez a respeito delle observações mui circunstanciadas. Não posso perder a occasião de dar duas palavras acerca da Corographia Paraense composta pelo Sr. bem certo que poderá acerescentar alguma cousa em a nova edição que pretende publicar. pois que o Sargento mor Engenheiro Pedro Gomes Cha ves. e aos immensos favores com que sempre me obse . Se algum dia apparecerem as coro- graphias historicas das Provincias de Minas Geraes e Goiaz. co mecando desde as fontes meridionaes do Rio Uruhú . no anno de 171^ satisfazendo á Ordem Regia de 5 de Junho de 1711 . apontei o bom e o máo: não temo que me desmintão naquillo que eu digo de co nhecimento proprio : as pessoas com quem servi . existem vivas : não aponto anedoctas do interior das familias . levantou o primeiro mappa da sobredita Capitania para se proceder á divisão das suas Comarcas. Este Geographo mostra ha ver descido o Rio Tocantins . e quasi todas aquellas de que trato. e impressa na Bahia no anno de i833.KJV INTRODUCÇAO. Devo declarar que escrevi esta minha obra com a maior imparcialidade. ver-se-ha tudo quanto ficou ao meu al cance sobre os ramos das sciencias physicas e ma- thematicas destas duas Provincias. Eu desejarei que elle compare as suas com as minhas descripçôes. para não ser censurado e havido como ingrato á hospitalidade . Ignacio Accioli de Cerqueira e Silva. que eu escrevi com muita estençâo e grande cuidado. que forâo objectos dos meus importantes e mui volumosos trabalhos.

de que trato no Itinerario n. e isto mesmo tambem se pratica em algumas occasiões de compras de antigas proprie dades . pcior do que a poetica. e sem temer o me nor risco da parte dos seus moradores honrados. e quando pouco mal faça. Esta li berdade. iNo sertão cada fazendeiro tem hum santo . Os curiosos comparando os meus mappas e Itine rarios com os mappas antigos. e Mr. e acontecendo estabele- lecer hum sitio ou fazenda . corregos e ribeirões . pôe-lhe ás vezes o nome desse santo . principalmente nas proximidades do Rio Doce . seu advogado ou intercessor . e em atten- ção a esse Official. „ 1HTK0DUCÇA0. he muito prejudicial na geographia . Eiles mudarão e dérão novos nomes a rios . Marlière. obriga ao menos a escrever nomes diIFercntes de hum identico . Ninguem mais fez uso desta liberdade do que o sabio Barão de Eschwege . Provincias que eu poderia atravessar e esquadrinhar scientificamente sem fazer cinco réis de despezas. e poderia offerecer muitos mais. para fazerem obsequios e perpetuarem a memoria dos fa zendeiros que os hospedarão nas suas casas : eu apre sento hum exemplo. talvez por motivos bem fundados. Os Doutores Spix e Martius forão hospedados na Fa zenda de S. mudando os novos senhores os nomes com que as fazendas erão conhecidas até esse tempo. Roque com o nome de Frota. Outros viajantes estran geiros tambem os imitirão a este respeito . XY quiáráo nas Minas Geraes e Goiaz. acharáõ differenças em nomes de alguns lugares : eu dou a razão dessas al terações.° 1 i . lançarão no seu mappa adita Fazenda de S. Roque pelo Ajudante Francisco Rodrigues Frota .

acontecendo isto mesmo a innumeraveis fazen das que ou forão abandonadas e destruidas . o que talvez induza a pensar que são lugares diversos. ou se simplesmente forão fazendas de gados ou de engenhos de assucar : e não pareça isto huma chime ra. se o Governo não obstar a essa mal enten dida liberdade de mudança de nomes.XV) INTRODUCÇÃO. Dar o nome de town ou de bourg a huma fazenda em que ha muitas san- zallas de escravos. erão fazendas ou se forão arraiaes regulares . O viajante Inglez Mawe foi infeliz a este respeito . ou recebêrão novos nomes a arbitrio de possuidores novos. Ainda ha outro defeito muito im portante . e unico lugar. O morro apresenta a perfeita configuração de hum . indico com a de Mausoleo o Morro Ca beça de Boi da Serra Geral no Julgado do Porto Real. INos antigos map- pas figurão como arraiaes muitos sitios hoje deser tos. Esta desordem tem de continuar nos sertões ainda por muito tempo em grave prejuizo da geo- graphia. fazendo impri mir mappas geraes. e por isso incorreu na justa censura do Padre Cazal. e vem a ser a falta de cautela com que os viajantes estrangeiros escrevem os nomes dos lu gares . Eu ao mesmo passo em que censuro o arbitrio com que se tem mudado varias de nominações. erão arraiaes ou villas . e como forão destruidos ou abandonados. Corriolla e outros. terá como resultado o não se sa ber daqui a alguns annos se com effeito os lugares no tados como town ou bourg. pois que no dia de hoje ignora-se em Goiaz se os sitios denominados Calhamares. e arvorão em villas e povoações aquillo que apenas he huma fazenda.

e faça acerca delle aquellas observações que eu não tive tempo de praticar. Provisor e Vigario geral do Bispado de Goiaz. para o confrontar com os que eu já tinha arranjado. . e Rmo. que liberalisa o que tem sem attendcr ao pouco ou nada que mereço. huma copia daquelle precioso ma- nuscripto. muito mais do que eu tinha razão de ambicionar. está baseado nas suas excellentes Memorias Goiannas . tive hoje a satisfação d« receber a sua honrosa carta . Brigadeiro Raimundo José da Cunha-Mat- tos — Tendo escripto ha poucos dias a V. — I"m. O nome de Mamas que dei aos dous bellos outeiros da Chapada de Santa Roza de que tratei no dia 25 de Maio de 1823. e tudo quanto se tem escripto no Brazil acerca delia desde o anno de 1812. verdadeira producção de hum animo generoso . XVlj mausoleo . e por isso depois de concluida a mi nha obra . e Exm. honrando-me pelas cartas aqui juntas (*). Sr. não tinhão outra denominação . ignorava a existencia desta Memoria. (*) Copia. Quando eu comecei a ajuntar os materiaes para a corographia historica da Provincia de Goiaz .. A Camara e o illustre autor da memoria obsequiárão-me como eu esperava . Conego Luiz Antonio da Silva e Souza . Devo confessar o muito que sou obrigado ao Illai. 1NTRoDTJCÇÃo. Este sabio ecclesiastico he o pai da corograhia da Provin cia. Ex. que debaixo do nome de Custodio Pereira da Veiga correm impressas na Colleceão do Patriota do Rio de Janeiro. procuro que algum sabio viajante o examine de mais perto . e inculcando-o como tal . e merecem ser indicados como marcas no roteiro da Mina das Plantas incrustadas. Sr. pedi ao sabio Memorialista e á Camara da Cidade de Goiaz.

— De V. filho das luzes e desvélos com que V. e Exm. Padre Silva. Brigadeiro Governador das Armas. queira brindar a esta Camara com huma copia. Ex. Governador das Armas desta Provincia. 19 de Dezembro de 182. por falta de fundos pecuniarios para a impressão dessa interessante obra. Ex. e Exni. — Ilím. Terei muita satisfação de ver supprido o que me faltou. Desejo aV. El. — Temos a satisfação de enviar a V. Sr. — Jacob Fortes de Sa. h« este o motivo de não cumprir a promessa que tinha feito como a -escrevi ao Rd. Raimundo José da Cunha Mattos. ficamos i Iludi dos na esperança de ver publicada a minha Corograpbia Histórica . . agora no meu Itinerario veráô huma pequena parte daquillo que está prompto. Ex. Goiaz. e eu desejava apresentar para não se perderem escriptos importantíssimos resultados de muitos annos de trabalhos. saúde e felicidade.Í. o nosso amado Imperador Constitucional e Defensor Perpetuo. com a venia necessaria % a Memoria que escrevi obrigado . muitos annos. em Camara de 12 de Dezembro de 1824 — Illm. que se achão á testa da Ad ministração Publica de Goiaz . huma copia da Memoria qje esta Camara possue em seu Archivo assaz vasta. Sr. o sabio Autor das Memorias Goia nas e eu mesmo . — Domingos José Dantas. pôr na presença de V. Ex. assim como da Corographia Histo- torica da Provincia de Minas Geraes . mas quando tive tempo livre para isto. tire a certeza de ser enviada pela Camara a V. Deos guarde a V. que continuem e aperfeiçoem os meus escriptos : eu emendei os auti- Tinha em lembrança. tem entre mãos.—illm. e que tenha a Nação e o Imperio a respeito de Goiaz as noções que lhe faltavão. . Sr. Ex. Devo pedir aos Srs. XVllj INTROmiCÇAO. util e propria para delia tirar materias para enriquecer a Corographia Goianna que V. afim delia ernar-se com este precioso monumento .Ex. Oopia do orneio d* camará. — Goiaz. muito venerador e criado — Luiz Antonio da Silva e Souza. e para o fim que V. — Pedro Gomes Machado. e Exm. Se a Camara. Ex. comu pronietti . nos inculca cm seu Officio d'e 1o de Novembro preterito. e de que logo me ar rependi desconfiando de mim mesmo. que lhe foi partilhado pelo gigante àeste seculo. Ex. se emprega no bem ser deste recente Imperio. Ex. d» qual encarecidamente rogamos a V.

nos antigos mappas manuscriptos . INTRODUCÇÃo. não fiz explorações pelas ter ras desertas e ainda nas povoadas que ficavão fóra da minha linha de marcha : só affianço aquillo que eu mesmo observei. por haver chegado ao Rio de Janeiro no fim do mez de Abril . Esses enganos forão mui pou cos . tinha muitas outras cousas em que cuidar. mas tambem algumas correcções sobre topicos em que houverão enganos por eu ter sido mal informado. Como depois do anno de 1826 em que escrevi o ul timo artigo do Itinerario . e deixo a outros melhores do que eu . e daquelles de que re cebi informações em que podia de certo modo con fiar: ninguem pense que os meus mappas são abso lutamente exactos : eu o declaro nos Itinerarios : se eu fiz mais de tres mil emendas . além dos entretenimentos geographicos . proporciono os meios convenientes de se proceder a novos exames. que será necessario praticar. A Pro vincia de Goiaz não podia ser explorada em dous annos por hum homem quasi desacompanhado . e ás correcções innumeraveis . porque sempre procurei escrever com grande cautela e depois de me achar illuminado pelas pessoas que eu supunha estarem melhor ao facto dos accon- tecimentos relatados. Eu apenas transitei pelas estradas geraes de Goiaz . por onde transitei . occorrêrão varias mudanças na Provincia de Goiaz. e que . . julgo conveniente fazer hum Apendice onde não só mostro essas no vidades acontecidas. agora pelos Itinerarios e mappas im pressos . o mais que entenderem ainda faltar. xjx gos mappas da Provincia em mais de tres mil pontos differentes.

.

ITINERÁRIO .DO IDE JJilttSttRd) IP&&á« .

.

descrevendo muitas voltas. que tem de ficar empregado ás minhas ordens .. 1823. que terá 6o braças de largura : ramos de ar vores . levando comigo o Alferes José Antonio da Fonseca . Angelo José da Silva meu hos pede no Rio de Janeiro. Ás 6 horas da manhã do dia 9 cheguei á foz do Rio Inhumirim ou Anhumirim . na falua denominada — Fama do Impe rio — tripulada por quatro remadores e o patrão. 5 legoas. chegámos ao Porto da Estrella ás 7 horas e 21 minutos da manhã. servem de balizas do canal . Porto da Estrella.. — 8 e 9 de abril. para passar pelo canal quo fica entre a Ilha das Enxadas e a do Governador . e navegando pelo rio acima com maré de vazante .. E. — Larguei da Praia do Valongo da Cidade do Rio de Janeiro ás 11 horas da noite do dia 8 de Abril de 1823. . e estacas enterradas na arêa . ITINERÁRIO DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. Navegou-se ao N. a ultima das quaes montei ás 2 horas da madrugada. e dous escravos meus. Francisco e Luiz.

— sexta feira. seguindo a estrada que se está abrindo. e hum relojoeiro. 6 ITINERARIO 1o de abril. Em frente da fachada da Igreja estão as casas que formão o Arraial de Inhumirim : sao 33 . mas insignificantes tanto esta como as terreas. A's 8 e i5 minutos passei outra ponte do Cayuaba d'agoas cristallinas: a ponte* he de madeira muito boa. e acha-se em concerto. e aterrando desde o Porto da Estrella até . 1 1 de abril. — quinta FEIRÁ. Principio da Serra na Fazenda da Mandioca . Observo hum immenso concurso de viandantes : as puas estão cheias de bestas carregadas. Sahi do arraial do Porto da Estrella ás 7 horas. ao meio dia 82o. Tem algumas lojas de fazenda. 2 legoas. conservando a cabeça muito alta. dedicada á Piedade de Nossa Senhora . cons truida de pessima madeira. e chamão a este lugar Campo do Cayuaba. Pouco adiante fica hum campo com huma Igreja paroquial. — A's 5 horas da manhã o thermometro apontava 75°. A's 8 horas passei a primeira ponte do Rio Cayuaba. O thermometro ás G da manhã 76o. Tempo nublado. e tavernas . e huma dellas de sobrado . soltas e sem carga. Adiante do rio ( vem de Oeste ) ha dous caminhos : o da esquerda vai para a fazenda do Sequeira. — Estou esperando que cheguem de casa do Padre Corrêa as bestas que hão de conduzir a minha bagagem para a sua fazenda. e huma cobra Jararaca atra vessou o mesmo rio a nado . A's 7 e 3o minutos atravessei hum pequeno corrego. ou descarregan do : ninguem se entende no meio desta gritaria e confu são a que devo acostumar-me. braço Occidental do Inhumirim . ás 6 da tarde 76°. He templo gran de. Vi hum jacarótinga no meio do rio . A' noite chegárão 1o bestas da fazenda do Padre - Corrêa para conduzirem a bagagem. na qual se estava dizendo Missa.

no que tem empregados quarenta Allemães e Suissos. e o rio desse nome. Junto ao rancho existe huma taverna . A situação desta fazenda he agradavel. Huns montes achão-se cobertos de matos virgens . e tratou-me com a distineção mais iisongeira que eu poderia desejar. empregados em diversos serviços de jornada. e em huma dellas vi grande plantação de mandioca. c o da direita he o antigo de Inhumirim para a mesma serra. e entrei na Fazenda da Mandioca . artifices. A's 9 horas e 4o minutos atravessei hum pequeno corrego com ponte coberta de ramagens de arvores . D'aqui descobre-se a serra do Campinho. o qual me recebeu com a sua reconhecida urbanidade . que ainda he o mesmo Cayuaba. além de muitos escravos. muito pedragoso. J á serra . e outros tem immensa pene dia escalvada. . pertencente ao Conselheiro Mr. A's 9 horas e 25 mi nutos atravessei hum corrego de agoa muito limpa . que estava cheia de Tropeiros. A's 9 horas cheguei a hum pequeno arraial ou collecção de casas. Aqui principião as montanhas. e he tão baixo e pantanoso. DO RIO DE JANEIRO AO PARÃ.. e logo adiante fica huma grande casa á esquerda do caminho. e de construcções . e tem 5o palmos de largura. philosophicos . A Serra da Estrella apresenta ao longe os seus magestosos picos . chamado Reboredo ou Fragoso . Tem rancho grande ou barracão para os viandantes. pertencente a An tonio José de Sequeira. A estrada desde o Porto da Estrella até este lugar no tempo . Langsdorff. O Conselheiro acha-se oceupado nos seus trabalhos agricolas . que está co berto d'agoa em que se enterrão os cavallos e bestas até a barriga. e alguns Cantavão e tocavão nas suas violas. e passada ella está o Rancho da Cordoaria. Consul Geral do Imperio da Russia na Côrte do Brazil . mas está cercada de asperrimas serranias do lado do Nor te e Leste. que parecem desafiar a eternidade. e outros individuos de todas as côres. e trabalha dores de roça.

Samambaia ou Sambambaia. O Coronel Aureliano de Souza e Oliveira foi o Director desta obra. na qual sem interrupção andei até ás 5 horas e 2o minutos. e logo comecei a subir a calçada da Serra da Estrella ou de Inhumirim. promette muita du ração. precipitando-se. e pôde servir para carros de bois com juntas dobradas. que . O thermometro ao meio dia apontava 83°. A's 5 horas e 45 minutos cheguei ao sitio (-pe quena fazenda e rancho ) do Rio Secco : antes deste en- contrão-se varias pequenas casas e ranchos abertos. mas apesar de alguns defeitos . 1 2 de abril. existe a habitação do Major José Vieira Affonso. — sabrado. assentadas a secco . Adiante deste Rio Secco fie ao dous corregos que vão para o Rio Piabanha. O rio perde-se no Piabanha. em ramaes ou zig-zags de diversas extensões. e ás 4 horas e 4o minutos cheguei á fazenda de Bel monte. forma . que tem ponte de madeira . que está assentada sobre hum pequeno corrego . pois que as bestas escor regão a cada passo . Os pri meiros knços são demasiadamente abaulados . conformes aos seios das montanhas e inclinações das suas abas. que não leva agoa no tempo presente.8 itinerario-.oo0 pés acima do nivel do mar. Este sitio está mais de 2. ou filhos da economia . Adiante deste fica hum sitio. A's 7 horas passei o Rio Tamaraty ou Ita-maraty. Fazenda do Padre Corrêa. talvez irremediaveis . e em hum lugar agradavel e elevado da sua margem direita existem grandes' casarias. a descida he enfadonha. e o corrego fundo. — Sahi de casa do Conselheiro LangsdorfiFás 3 horas e i5 minutos da manhã. No Rio Secco . das chuvas deve ser intransitavel por motivo dos panta nos que cumpre atravessar. 5 legoas. c de subida aspera. A calçada he de pedras irregulares . .

qutó tem boas pontes de madeira. e mais adiante. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. No valle do Piabanha ha huma vasta plantação de marmeleiros e pe- cegueiros . Cf bettas cataractas. nem vozes de animaes selvagens. e hum lindo Presepe. com perfeitas imagens de varios Santos. a qual he hum edificio assobradado . ■ Durante a jornada desde o alto da serra até á casa do Padre Corrêa houve huma densa nevoa . do Amor Divino. e está aberto por dons lados. fica a hospedaria dos viandantes. talvez por motivo da frequentissima passagem de tropas . e antigamente pelo da Posse. vento Norte rijo > e frio intenso. Em toda esta jornada não ouvi canto de passaros . O thermometro em casa do Conselheiro Langsdorff estava ás 5 horas da madrugada em 65°: no rio Secco achei-o em 54° . e fica na encosta de h\\m alto morro de granito plantado de cafezeiros. desceu a 48°. O rancho dos passagei ros e tropeiros he muito grande . Está assentada no angulo ou confluencia dos Rios Morto e Piabanha . agora conhecida por este ultimo nome . Esta fazenda acha-se poueo distante do rio Piabanha . Ao lado da casa existe huma bellissima Capella do. S'. onde o vento soprava com maior violencia . e outro tanto acontece na grande varzea do Rio Morto pela parte posterior da casa do Padre Corrêa. cujo pavimento superior tem huma varanda de quatro arcos. Quando cheguei á Fa zenda do Corrêa estava em 64°. e no lugar mais apertado da es trada . iva frente da casa. A's 8 ho ras e 45 minutos entrei no terreiro da Fazenda do Padre An tonio Thomaz de Azoino Corrêa .N. . e dez janeUas. As salas e quar tos de visitas e hospedes estão mobiliados com toda a decencia. No prolongamento' do morro granitico está a officina de ferreiros e ferradores. Nos fi*appas anda com o nome de Manoel Corrêa. e a ne voa era mais grossa. sobre esteios de madeira . em que se tra balha em doze bigornas. onde se perde o mencionado Tamaraty.

c achei bem poucos luga res cultivados. Hum denso nevoeiro durou até ás 8 horas . Recebi do veneravel Padre Corrêa os mais attenciosos obsequios . Padre Corrêa . Vento Sudoeste. e entre ellas desceu para o Porto da Estrella a do tropeiro que me ha de conduzir para Goiaz. Alberto da Cunha Barboza. — segunda feira. ambos Ecclesiasticos . i4 de abril. A's 4 horas chuva mui copiosa : ás 4 horas e 3o minutos hum furacão fortis simo. capoeiras. Doutor o Sr. e Luiz Gonçalves Dias Goulão. As montanhas estão cobertas de matos virgens . . . A passagem de tropas (Recuas) de Mineiros he immensa. e á noite desceu a 64°. i3 de abril. — domingo. Coronel João Lopes Baptista . — Estou na Fazenda do Padre Corrêa. e capoeirões (matos menos ou mais densos de rebentões de arvores cortadas) . e so brinhos do Sr. O thermometro ás 6 horas da manha 61°. — Estou na Fazenda do Corrêa. devidos ás recommendações do. Hoje fui visitado pelos Srs. e pelo Exm. A's 6 horas o thermometro 7o°. Deputado á Assembléa Geral Constituinte e Legislativa do Imperio. que vão e vem do Porto da Estrella. IO ITINERARIO de Mineiros. e abrindo o sol su bio o thermometro a 72o: ao meio dia 74°. que ao meio dia pôde cobrir de sombra a hum Batalhão. _A's 6 horas da manhã o thermometro estava em 6-1°: ao meio dia subio a 78. meu amigo o Sr. assim como á posse em que se achão todos os passageiros de alguma consideração de serem bem tratados por este digno Ecclesiastico. e nuvens grossas ás 3 horas da tarde. O Coronel Commandante do Dis- tricto de Inhumirim mandou-me hum attestado de eu ha- ver-me posto hontem em marcha para a Provincia em que hei de ser empregado. Agostinho Correa da Silva Goulão. No terreiro desta fazenda existe huma bellissima e mui copada arvore. e outros lugares.

de quem me despedi . . 3 \ legoas. 17 de abril. O. que he o primeirov corrego que se encontra nesta jornada. e os Ipós. que me' ha de conduzir para Goiaz. Tempo claro. A's 6 horas da tarde 63a. Encontrei duas cobras coraes mortas. 16 de abril. A minha pequena tropá monta a nove bestas da bagagem . A's 2 horas vento S. alegrão os olhos das pessoas novatas no reino de Flora do Imperio do Brazil. — quarta feira. Vento N. Ao meio dia thermometro 72°. Padre Corrêa. — Estou na Fazenda do Corrêa. — quinta feira. Barahunas ou Gura- hunas . A's 6 e 3o minutos chegou o tropeiro Bernardo Antonio . — sexta feira. — Estou na Fazenda do Corrêa. —' A's 8 horas da manhã sahi de casa do Sr. com alguns trovões ao longe. 18 de abbil. O. Alberto da Cunha Barboza. A's 6 horas da manha thermometro ' 68°. em algumas das quaes ha matos grossos. e por algum modo obriguei a retroce derem antes de chegar á Ponte do Pai Amaro. E. De tarde fiz hum largo passeio pelas estradas conti guas ás abas de montanhas graniticas. O lempo muito nublado . e Araribás com as suas lindas corolas amarellas . e vermelhas. Nevoa muito densa que principiou a dissipar-se ás 9 horas. — Estou na Fazenda do Corrêa. DO RIO DE JANEIRO AO PARA. A's 6 horas Thermometro 76°. Ao meio dia Thermometro 82°. e thermometro em 72°. roxas. Rancho do Almeida . • 11 15 de abril. e vcgto Norte fraco. acompanhado por elle. Thermometro ás 6 horas da manhã 65°. forte. c pelo seu sobrinho o Sr. Ao meio dia sol vivo . — terça feira. Vento O. A's 1 o ho ras vento N. e ás 6 horas da tarde 74°. chias da litei . A's 6 horas da manhã o thermometro em 68°.

Em quasi todo6 os ranchos tenho visto e6tas lojas. A's 8 horas e l\ò minutos passei a sobredita ponte do corrego do pai Amaro . Além das ca6a6 e ranchos. na margem esquerda do rio . que nascem nas serras destes nomes. Demo- rei-«e neste ligar quasi meia hora . O tropeiro a cavallo. e entra logo no Rio Piabauha. ignoro se ainda se adia todo na eana. O milho está secco. formando grandes cachoeiras. e carece de concerto. duas da bagagem do Official de Ordens . entra o Rio da Cidade unido com o das Araras. Disserão-me que recebeu o nome de Cidade por banhar antigamente huma grande povoação de Indios. cobertos de ma tos virgens e capoeiras. dous tocadores de bestas.It ITINERARIO ta . Os caminhos nesta jornada não são máos. que tinha outras muito grandes que a ferião. Ao meio dia cheguei ao Sitio do Alferes Caetano . durante a qual se pu- zerão novas ferraduras na minha mula. e ás 2 horas entrei no Rancho do Almeida. e de Angelo Jose da Silva . Segui pela estrada real ao lado de altos morros graniticos. e vario6 roçados de millto e icijão. que corre pelo meio de grossa penedia. de que tenho tratado. c tres mulas em que vamos montados. defronte da qual está huma loja de ferrador. A's 1o horas e 1o minutos cheguei ao sitio denominado Magé. A's 9 horas e 1o minutos atravessei a ponte do Rio Piabanha: tem 2 sá palmos de comprido. A estrada fica em toda a sua ex tensão junto ao Rio Piabanha . que he profunde. existem outras gran des e pequenas sobre a estrada. com rancho . e os meus escravos conduzindo n liteira. plantados de cafe- «eiros. todos ao lado de morros graniticos. que já não existe . onde pernoitei. Junto ao Rio Piabanha estão algumas casas e ranchos. O Rancho do Almeida be . e de argila vermelha. na Serra do Facão. onde ha huma pequena casa de sobrado . guiando os animaes. e como fica fora da estrada. e algumas aboba ras. e casa pequena . Junto a esta ponte.

Passei logo o Corrego do Almeida . braço do Fagundes: tem boa ponte de madeira. doce de goiaba em tijolos . e milho: não faltava agoardente. que entra no Piabanha. a qual consistio em feijão preto com pingo de toucinho . A's 10 horas e 5o minutos.^Apenas chegámos ao rancho . alguma capoeira . tratou-se de arranjar as cargas. e mais alguns generos. em que ha rancho. o cheiro das canga lhas das bestas he insupportavel . bolacha . com chuva forte. casa e rancho do Fagundes. taquaras . Rancho da Pampulha . tem huma venda immunda. Eu andei este caminho em 5 hora6. hum dos tocadores foi fazer a comida do tropeiro . e outras me nores. e feijão com toucinho e farinha para os pretos. . O thermometro estava então em 8o°. O. e estou já conhecendo os incommodos que hei de soffrer na minha mareha. O. e ha neste lugar huma grande casa antiga. — sabrado. Eu mandei fazer galli- nhas com arroz para mim . Na venda do rancho existia pão . farinha. misturado de farinha de mandioca. o alarido dos arrieiros ensurdece .^ Este rancho existe junto a elevados mor ros cobertos de mato virgem . Pouco adiante fica Corrego Secco. 2 £ legoas. cipós. violento. — Sahi do Rancho do Almeida ás 8 horas e i5 minutos da manhã debaixo de chuva copiosa. outros querem que sejão 3'/. e Angelo Jo6é da Silva. Dizem que a distancia entre a casa do Padre Corrêa e o Rancho do Almeida he 3 legoas .. dar agoa c milho ás bes tas. vinho. l3 aberto. o Official de Ordens. ramo do Rio Fagundes . Choveu toda a tarde e noite. A's a horas e eo minutos houve trovoada ao S. A's 9 horas e meia cheguei á Fazenda do Secretario sobre o Rio das Pedras. 19 de abril. acompa nhando a bagagem. e vento S. Aqui começão as privações. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. queijo .

mas não se achão concluidos. e o de Manoel José. assentada sobre hum ribeirão do nome Cebola. em que não ha torquez . A's 8 horas e 45 minutos sahi do Rancho da Pampulha. fornece agoa ao engenho de moer cana. que vai ao Rio Fagundes: passei por caminhos de morros de barro vermelho . Os edificios do engenho são extensos. visto que o proprietrio se acha em outra fazenda 5 legoas distante desta . O Administrador hospedava-me nesta casa pa gando cu as despezas. O. e vi algumas serras de granito . mas o sol estava claro. l4 ITINERÁRIO sobre o rio <lo mesmo nome . O. e o mesmo engenho está de fogo morto (não trabalha). o que eu não acei tei. 2o de abril. Troquei a minha mula por hum muito bom cavallo marchador. Os caminhos são me nos máos. — A noite antecedente foi muito clara e (Ha. e depois deste o do Ribeirão. picos mui eleva dos. forte . passei pelo grande Rancho da Cruz. e varias casas insigni ficantes. houve vento S. No Rancho da Pampulha existe huma loja de ferrador . arrendada pelos herdeiros de Antonio José da Costa . Vento IV. — domingo. e ao meio dia em 68". e is 1 1 horas apeei-me no Rancho da Pampulha . O thermometro ás 6 horas da manha estava em 62o. A's 9 horas e 3o minutos cheguei á Fazenda do Cebola. em que ha hum ribeirão que vai para o Rio Fagundes : antes de chegar a este rancho subi hum morro alto de argila vermelha. 2 j legoas. atravessando o corrego deste nome. e continuando a marcha . e plantações de milho e feijão. Das 7 horas da manhã até ás 8 . e descobri ao rumo N. pertencente ao Coronel José Antonio Barboza. o qual re presado em açude. Rancho do Governo. Ao longo da estrada vi grandes plantações de mi lho c feijão. e ás 1 1 horas apeei-me no Rancho da Fazenda do Gover no.

.. e pecegueiros. A's 7 horas e 25 minutos passei outro corrego . soffre escassez de agoa até mesmo para regar a horta. — Sahi da casa da Fazenda do Governo ás 6 horas e i5 minutos da manhã. algumas' larangeiras . o feijão.do que no Rio de Janeiro. Nesta margem achão-se varios ranchos' abertos. e ás 8 horas e 1 5 minutos cheguei á margem direita do Rio Parahiba . e junto a elle fica o engenho do Silva. Esta propriedade acha-se mui estraga da. 2 £ legoas. — segund a feir a. c . mas he grr. filial da paroquia de Inhumirim. l5 Barboza ao Alferes Bento Borges de Araujo. Pela manhã o thermometro mostrava 62^ . ha muitas ba naneiras. cobertos de espessos arvoredos. Registo do Rio Parahiba. e quasi toda composta de rocha.nde edificio : ás 8 horas atravessei outro corrego . em que me tra tou com as maiores attenções. bastante deteriorado . o qual he banhado por hum corrego : he obra muito consideravel. A's 6 horas c 4o minutos cheguei ao engenho do Barboza. farinha. que nas hortas das casas por onde passo. Esta fazenda he banhada por hum bom ribeirão. e couves picadas. Tenho observado. Marchei ao longo de morros de argila vermelha. O sol esteve hoje muito ardente. a qual em partes he alagadiça . e junto ao edificio do Engenho (em frente) acha-se a Igreja Curada do Santa Anna. toucinho. 21 de abril. As gallinhas comprão-se por estes sitios a 48o réis. DO RIO DE JANEIRO AO PARÃ. e como este fica muito baixo . e mais comestiveis são pouco mais ba ratos. couves. Antes de chegar á Fazenda do Cebola ficão os ran chos e casas da Boavista c Rossenha . e ao meio dia 74°. o qual me convidou para hospedar-me na sua casa . Em todas as mesas tenho visto cangica de milho . proprietario da Fazenda do Governo. que vai ao Rio Parahiba. Vi algumas roças de milho e feijão.

E. o qual he edificio asso bradado . e desembarquei hum pouco abaixo do quartel do Registo. e 9 Soldados do Corpo de Vetera nos. assentado sobre grossos esteios de madeira . que na frente já estão qviasi inteiramente desenterrados pela corrente da agoa do Rio que os banha . me convidou para me hospedar no mesmo quartel. o Te nente Pedro Barreto de Albuquerque . ou de quem os governa. A passagem de homens e bestas he immensa : os tropeiros arranchão-se no ex tenso barracão que fica na. e tinha 16 pal mos de fundo. Como não existisse a barca de passagem . cujo Comman-dante. que nasce na Provincia de S. Neste mesmo lugar ha as melho res proporções para se fazer huma segura ponte.Registo he inutil. de que está separado por vallas ou covas cheias sde agoa corrupta . : as suas margens são apraziveis. 1 Cabo de Esquadra. por ter ido pela agoa abaixo com a cheia que houve hon- tem. Paulo . atravessei o Rio em huma pequena canôa..S. e serve de verificar. e os ha de lançar por terra .l6 ITINERASIO algumas vendas. o que prova o desleixo dos habitantes do arraial. O. procedida da chuva dos dias 18 e 19. Elle corre aqui aos rumos N. que obstem á acção da agoa. O destacamento do Commando deste Official he composto de 1 Sargento . O Arraial da Parahiba está assentado em huma grande . pelos passaportes e guias . chega a este lugar mui engrossado : a sua largura não he inferior a 5o braças em frente do Registo. Parece-me que a este respeito o . O Rio Parahiba . cujos canaes lateraes podem ser facilmente vadeados por qualquer fraco nadador.parte posterior do quartel. no caso de não se levantar huma boa estacada. . e aterro. a iden tidade dos passageiros que vão ou vem de Mina» Geraes. pois que hum pouco acima da passagem existe huma larga ilha . por serem variados os ob jectos que nellas se descobrem.

existe hum largo edifício de alvineria muito regular. da Conceição. e outros estabelecimentos admi nistrativos. João d'El-Rei o Juiz de Fora José Cesario de Miranda Ribeiro . e tão immundã. As suas casas . que he hum Official antigo c de boa familia. e em ou tros não subio acima da sapata. ' 17 varzea . o qual abrio á sua custa esta estrada. S. Ao meio dia escureceu a atmosphera : o thermometro está em 74°. I DO RIÓ DE JANEIRO AO PARÁ. e tratou-me com a maior distineção . A igreja acha-se na mais deploravel miseria. e ainda ás 7 horas da tarde corria com violencia. mas apenas chega a cinco palmos em huns lugares . por cima do arco da Capella Mor . são humildes . pertence ao Corpo dos Veteranos . que me fez a honra de vir cumprimen- tar-me. e ao longo do rio. Nuncá vi templo algum mais maltratado. que parece abandonada. ha huma casa de cupim da tama nho de hum barril de quarto de pipa. 3 . e muitas ainda estão cobertas de sapé. A pouca distancia do rancho . A barca de passagem deste rio he nova . O rio vai abaixando consideravelmente. Passou hoje para a Villa de S. situadas á roda da praça ou var zea . que ao Norte acaba em huns outeiros de pequena elevação. e com a abastança superior ás suas possibilidades. No outeiro que fica a esquerda da estrada que segue para Minas está a Igreja Paroquial de N. na encosta do outeiro da direita da estrada . O Tenente Commandante do destacamento. e poucas casas de fazendas seccas. com seu portico coberto. Ha grande numero de tavernas. por isso chamada de Garcia Rodrigues. No cume desse outeiro esteve antigamente a casa de Garcia Rodrigues Paes Leme. e bem trabalhado. e pôde receber 2o bestas carregadas. Guarda Mór Geral das Minas. Na Cumieira do telhado. Dizem que era destinado para quartel do Registo.

Hum toldo ou barraca de brim . lem immensas barrocas . com armação impenetravel á agoa. huma cantina com hum terno de quatro ou seis cassarolas. e possão accom- modar-se humas dentro das outras. assim como o café. que estava clara. toalha de oleado. Ao meio dia thermometro 76o : á noite 64°. chicaras. Pela manhã houve nevoeiro. e bugias de cera. e guardanapos . facas . Sahi do Registo do Rio Parahiba ás <j horas c 35 minutos da manha . ás. Tudo isto se deve accommodar na cantina. chá. Ninguem deve . Vi hoje alguns papagaios. cha leira • de ferro. dentro da qual se acom- modem os pratos de folha de sopa . e com frio de 6o grãos. guardanapos de linho ou algodão. 1o horas calor forte . huma terrina redonda de folha de Flandres dobrada. Levantei pela primeira vez a minha cama de campa nha. bule. que corre pafa o Parahiba pouco abai xo do arraial. A's i í horas e 4o minutos cheguei ao |>essimo Rancho do Farinha . e poucas outras aves. que tenhão malhete para se introduzir o cabo. pires. mesa elastica. e em varios lugares he quasi intran sitavel. e em cima de tudo poem-se quatro ou seis pratos travessas. c algum biscoito. devo mostrar quaes são os artigos necessarios para a equipagem de hum indi viduo abastado.1 i\ ITINERARIO Rancho do rarinha. cama de campanha com armação de oleado. e a meio caminho hum grosso ribeirão . Os caminhos "para o Farinha são atravez de altos morros de argila coberta de grosso arvoredo. TERÇA FEIRÁ. tendo atravessado logo ao sa- hir do*arraial dona pequenos corregos. colheres . e atmosphera clara. castiçaes de campanha em fçrma de boceta de tabaco . 89 SB ARRIL. 2 J legoas. c garfos. Como este meu Itinerario talvez tenha de ser visto por^ pessoas que hajão de fazer jornada .

23 de abril. junto do qual existem seis ou oito choupanas cobertas de sapé. como eu fiquei neste Rancho do Farinha. onde com a maior difficuldade pude conseguir dous patos para comer. O principio desta nova estrada fica no ribeirão que está antes de chegar ao Rancho do Farinha. e em muitos lugares talhados a pique . se não levasse a minha cantina. que obrigárão a abrir-se a nova estrada pela pohte do Parahibuna. eu e os meus camaradas de via gem. — quarta feira. que junta ás duas ca nastras sirva de tarima. a que estará fixa huma vara do lona. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. 2 j legoas. A's 7 horas e5o minutos cheguei ao Rancho da Cachoeira. D'aqui marchei pelos peiores caminhos que se podem imagi- aar. e quem levar canastras encouradas . 1o. que fica áquem de hum regato. levo comigo unicamente o frasco de viagem com agoardente para lavar os pés no caso de os molhar por qualquer modo. As pessoas pouco abastadas não devem deixar de conduzir na sua bagagem ao menos huma rede para dormir nos ranchos . que unido a outros. para dormir livre da immensa quan tidade de bichos que ha nos ranchos. A's 8 horas ao Rancho do Paiol . Logo á sahida do rancho atra vessei hum pequeno corrego. Registo. do Rio Parahibuna . mande-lhe pôr caximbos para meter bons grampos de dous páos . Subindo e des . e comeria talvez na mão ou em cuia. apesar da Serra das Aboboras que ha a descer para chegar á mesma ponte. e se introduzem nos pés. Como felizmente não bebo vinho.Sahi do Rancho do Fa rinha ás 6 horas e 1 5 minutos por entre moiros elevadissimos. e que são tão máos . —. entra no Pa rahibuna abaixo do lugar da passagem do Registo. contar com as provisões dos ranchos por onde ha de pas sar para não ficar enganado. e cobertos de matos virgens e palmeiras de Jussará.

e em grotas ou barrocas. que me tratou de hum modo muito distincto.endas nacionaes cobraveis são: 46o réis de cada besta de carga . Os empregados civis da Fazenda deste Registo são o Provedor. e . fundação da familia de Paes Leme. e chegando ao Registo. O rancho dos tropeiros não he máo . que se achavão no Registo. Contador. Commandante de hum destacamento de i5 soldados do mesmo Corpo. 1 Sargento. e Cobrador: as r. Neste lugar existe huma boa casa de sobrado. "Fiel. vie- rão honrar -me com os seus cumprimentos. S. e fiquei hos pedado pelo Tenente Commandante do destacamento. Passei na barca . o qual alternativamente nos Domingos e dias Santos celebra missa na mesma ca pella e na do Registo fronteiro em que ha hum bom Ora torio. e 1 Cabo de Esquadra. e a Capella de N. Nesta capella existe hum ecclesiastico . Aqui falta quasi tudo . 2o ITINERARIO tendo morros.que he pouco mais pequena do que a do outro rio. A casa grande e a capella . e marchando ao lado de precipicios desde o Rancho do Paiol em diante. e além destes edificios encontrão-se mais algumas casas pequenas e espalhadas na margem do Rio . cheguei á margem direita do Rio Parahibuna ás 9 horas e 2o minutos. Os Officiaes de Fazenda. Neste lugar ha poucos edificios: o quartel e a casa da administração do Registo c dos seus Officiaes he acanhada e extrema mente baixa. Este ren- . do Mon- serrate. Escrivão. e 3 do sexto regimento de Milicias (Inhumirin) . achão-se bem situadas. O Rio Parahibuna tem neste lugar 4o braças. e 67 palmos de fundo: corre com velocidade superior á do Pa- rahiba. e 25o de cada pessoa que passa. e por cada escravo novo 5<55S4oo r^'s. e ainda peiores do que as da margem direita. as ou tras casas e vendas são poucas.o pouco que existe vende-se muito caro. fui recebido com as maiores attenções pelo Tenente de Veteranos Carlos José de Mello.

onde vi huma boa porção em pó fi nissimo. ou pouco mais. o mais largo dos quaes he de 73 'A palmos. e havia de mais a vantagem de não se interromper o transito da ponte quando algum dos estrados ou trilhos carecer de reparo. ainda que no tempo secco em que o rio está baixo . A estiva ou trilho da ponte passa de hum ao outro peitoril . ficará toda . o que he grande erro em tal obra . agoa arriba. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. por hum dos quaes se sirvão os que descerem . tem 5 vãoes ou olhos. e pelo outro os que subirem para as Minas. e os viandantes seráõ obrigados a atra vessar o rio no lugar em que agora passão. subindo e descendo pequenos morros por espaço de hum quarto de lcgoa. director desta obra . monta annualmente a cem mil cruzados no artigo pas sagens. e que neste caso o peso das agoas ha de bater de encontro a face do pilar e do mesmo talhamar. ' . O comprimento total da ponte he de 377 palmos. o qual he permutado na casa de arre cadação do Registo . Ha poucos annos foi permittida a mineração de ouro neste rio. a quem o Registo he subordinado na parte civil e mili tar . para o que segui pela margem esquerda . Aqui passão em cada dia 45o a 5oo bestas carregadas. O trilho da ponte devêra ser de dous estrados . e a sua largura 2o. o dito talhamar mostre enfiar a corrente. A ponte he de madeira construida sobre grossas pilares d§ pedra lavrada . O ouro manifestado para se permutar anda por duas arrobas annuáes. Encontrei-me com o Coronel José Antonio Bar- boza . porque quando se precisar concerto . Hum cotovelo que faz o rio e o canal formado . A's 4 horas da tarde fui com o Tenente Commandante do destacamento ver a obra da ponte deste rio . a ponte intransitavel. o qual me pareceu mui activo e diligente. 21 dimento em favor do cofre da Provincia do Rio de Janeiro . Parece-me que o pilar do vão maior não apresenta o angulo do talhamar ao estoque de agoa das grandes cheias.

Eu faço menção deste . debaixo da inspecção do sobredito Coronel. cuja fóz está 4 legoas distante da passagem da Para hiba. talvez excede a 8oo pés de altura perpendicular : caminhei encostado a esta rocha. que elle havia curado muitas feridas de cobra com hum remedio infallivel qual he a—Ressa. que. passei por cima das madres dos pilares para a margem direita do rio. A estrada que se está abrindo encurta 1 '/» le- goa de caminho . daqui a 8 legoas.recitou as palavras seguintes : F. e a co bra que mordeu reduzida a pedaços. suppoudo que teria difficuldade em convir nisso . disse-me que não tem perigo bebendo-se sumo de limão com sal. e isto se ha de repetir tres vezes no fim das quaes o enfermo fica curado . « (o nome do pa ciente) Grande Nome hè o Nome de Deos ! Grande he o Pòder de Deos ! Jesus Maria e José ! Santo Nomo de Jesus ! S. Depois de ter observado o trabalho desta nova ponte .6 horas da tarde cheguei ao lugar do embarque e passei para o Registo. mas fiquei enganado pois logo. e vi brincando.. e huma rocha talhada a pique. - 98 ITINERARIO pelos penedo» em quo se levantou o grande pilar . Fallando eu com este mesmo Fiel ácerca de picadas de cobras .no rio alguns Serobins . em que ha montanhas elevadissimas.. e finalmente ás. Este individuo tambem disse com a maior frescura e seriedade. e hum enorme Jacaré ururáo com o pes coço amarello. . e a quantidade hum copo ou motade de huma garrafa ordinaria. e a do Pi*- banha . Bento ! » E depois reza-se o credo . enganou certamente ao mestre carpinteiro que delineou e dirigio esta obra. e a ponte ha de ser coberta de telha? O Fiel do Registo disse-me que o Rio Parahibuna entra na Parahiba no lugar denominado Tres Barras . Esta manha o thermometro apontava 61o e ás 7 horas da tarde 72°. Adiante ficão algumas casas. Estas tres barras são as de■ ambos os rios . Pedi-lhe que me ensinasse este milagroso curativo .

e tambem para se conhecer a credulidade e talvez a impostura dos curandeiros. Rancho de Paulo da Varzea. Participei aos Exms. Sahi do registo do rio Parahibuna ás 8 horas e 45 múuitose marchando até a ponte nova pela margem do rio como hofttem . Hoje descubri alguns roçados de milho e feijão. assim como varias pequenas choupanas. a4 de abril. no pro gresso da minha marcha para Goiaz. e o thennometro apontava 66°. e muito mais adiante fica outro. Presidente.. com grandes ranchos denomi nado Tres Irmãos. — A's 6 horas da manhã es tava o tempo claro . e segue pelas abas de morros mui altos de argila onde se fizerão grandes córtes em talud . DO RIO DE JANEIRO AO PARA. entrei junto á sobredita ponte na excellente estrada que se está abrin do. que he huma grande fazenda cujo engenho d'assucar está situado entre morros fóra da estrada. 23 acontecimento para mostrar que o sumo de limão. Aqui ha hum ribeirão . ao qual vem sabip a antiga estrada do Re . e Membros do Governo Provisorio de Minas Geraes haver entrado nas terras da sua jurisdicção . 2 l legoas. e tendo feito seguir pelo caminho antigo a minha bagagem . A estrada nova he muito limpa . e sal he antidoto do veneno de cobras . c vim sahir aq rancho da rocinha da negra. Erão i o horas e 1 5 minutos quando cheguei á rocinha da ne gra. Snrs. passando hum pequeno corrego a pouca distancia da dita ponte. e o transito não he menor de 1 5 palmos nos lugares menos largos. — quinta feira. Junto ao rancho da ro cinha ha huma casa de sobrado e grandes barracões.

e arreadores . e a todos elles mandou o Paulo da Varzea dar de comer. puzêrão vinho. e dormir na sua casa .^ A's 4 horas da tarde chegárão a esta casa hum sar gento. carne de vacca. e talheres de prata. e vem a ser as talhadas de laranja sobre a carne. José da Silva) tres cleri gos. Eu penso que o proprie tario desta fazenda suppre a tantas despezas de hospedagem nos avultadissimos interesses que terá da venda de immenso . Para os ecclesiasticos. a quem sempre chamão Paulo da Varzea. e outro Menimo. mas conserva-se em bom reparò. e para todos se puzêrão sobre a mesa muitos pratos grandes de estanho com diversas iguarias em abundância. As pessoas reunidas . e em hum esteio tem gravada a era de 1 748 . e neste numero en- travão além de mim e dos meus companheiros de jornada (o meu Official d'Ordens.84 ITINERARIO gisto. A cama que me destinárão não era rica. A's 1 1 horas cheguei ao Rancho da Varzea pertencente ao fazendeiro Paulo de. e oito soldados do regimento de Cavalla- ria de Minas . Esta casa he muito antiga . e logo se encheu de gente a varanda da casa de sobrado . e couves: carne de porco guizada co berta de talhadas Ae laranjas . conduzindo 25 recrutas encorrentados pelo pes coço . e que se portárão com muita decencia . mas estava muito aceiada. e para mim e os meus camaradas de jornada. e dous religiosos. O resto da companhia erão tropeiros . e o dar graças a Deos no fim do jantar. e doce. hum delles Franciscano. c cangica de milho. pão. mòntavão a 38/ A comida consistia em muita carne de porco com fei jão. A 1 hora da tarde chamárão-me para jantar. e Angelo. o qual apenas soube que eu me achava no seu rancho. bons guardanapos. e 2 voluntarios sem prisão . dous cabos.. Nesta casa principiei a ver o que ao depois observei constantemente no interior do Brazil . o que aceitei Ipor saber que isto mesmo pratica elle com todas as pessoas de alguma representação que por ali passão. foi convidar-me para ir jantar..

e para a qual se passa por huma ponte fechada. Rancho de D. com a unica casa do vigario junto a ella. e são attrahidos pela affabilidade e generosidade deste honrado fazendeiro : por outro modo seria impossivel fazer face a tantos desembolços quantos resultão de haver huma grande mesa sempre abastecida desde a madrugada até ás 1o horas da noite. — Thermometro ás 6 horas da manhã 6o°. a5 milho e feijão . A's 9 horas e meia cheguei ao Rancho do Cayobá. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. com a forma de pateo . . perto da Fazenda da Varzea de que tenho tratado. A's 9 horas e % ao Rancho de Manoel de Jesus. pelo meio do qual passa a estrada real. que lhe dá grande copia de agoas . Aqui existe hum rancho pequeno muito deteriorado. cuja casa grande. estabelecimento grande. A's 8 horas e 25 minutos cheguei á Rocinha de Simão Pereira. 4 legoas. etc. tem a sua foz muito mais abaixo . a qual assim como a Fazenda da Varzea estão sobre a margem es querda do Rio Parahibuna a que tambem dão o nome de Rio do Barros. A casa e rancho estão em huma immensa varzea cortada de regos cheios de agoa. 25 de abril. O rio aqui he estrei to . Esta Igreja acha-se medianamente re parada. Thermo- metro ás 8 horas da noite 76°. etc. A estrada nova chega até aos Tres Irmãos. e outras officinas ficão sobre a margem direita do Parahibuna . da Gloria. Desde este lugar fui seguindo a margem esquerda do rio até que ás 1o horas e meia cheguei ao Registo de Mathias Barboza .. Francisca . porque o Preto . — sexta feira. Dentro . Sahi da casa de Paulo da Varzea ás 8 horas e 1o minutos depois de hum bom almoço de garfo. A's 1o horas e 5 minutos ao Largo do Pita. e pouco distante outra casa pequena. ás tropas de Mineiros que por aqui passão. A's 9 horas e '/4 cheguei ao sitio de Simão Pereira em que existe a Igreja Parochial de N. S.

debaixo da inspecção de hum administrador que tem hum ajudante . S. Sahi do Registo ás 2 horas e 3/4 da tarde < ás 3 horas cheguei ao Ri beirão Negro que entra na Parahibuna . Alguns tropeiros gabavão-se de haverem sóbnegado varias cousas . e o meu disse-me . e ás 8 horas da noite 66°. Na Fazenda do Pita . — Amanheceu o tempo claro. decada escravo novo 7<$JÍ8oo réis. e tem servido de cama ao meu companheiro de viagem Angelo José da Silva) 18 ano . que logo que se approximára á porta do Registo. de cada carga de vinagre . acha-se muito arruinado. cana . — sabrado. feijão. mettêra na minha leiteira (de que ainda não fiz uso . e cafíe. e outras. vi plantações de milho. da Conceição. e quatro soldados de cavallaria de Minas auxilião o adminis trador na fiscalisação da Fazenda Nacional. e hum escrivão. O dia esteve claro: ao meio dia o thermometro apontava 74°. para receberem os direitos seguintes a titulo de entradas : de cada arroba de fazenda I$3ã5 réis.O edificio tem huma capella. de cada besta nova 5$)4oo re's. que annualmente mon tão a mais de 1oo contos de réis. bacalháo . Os caminhos não são máos : á esquerda fica a immensa mata dos Rios Preto e Parahibuna. Francisca contiguo ao rio. de cada carga de vinho i$o5o réis . O thermometro ás 6 horas 62°. Rancho do Juiz de Fora . e está arrendado ao Governo. 26 ITINERARIO deste pateo fechado tem rancho aberto onde se despachã o os generos que sobem para as Minas. 26 de abril. farinha . e ás 3 horas e meia apeei-me no Rancho de D. hum cadete. Hum desta camento agora composto de hum tenente. c á direita ' morros cobertos de mato virgem. Esta manhã ouvi a varios tro peiros queixarem-se do grande peso de contribuições que se pagão no Registo de Mathias Barboza . etc. A Capella do Registo tem a invocação de N. 75o réis . 3 } legoas.

Sua Magestade o Imperador. ao da passagem dos Tropicos. e passei logo o ribeirão. Varios Mineiros dizem que o nome . JoãoVI. como he huma ceremonia que tem bastante semelhança ao Bap- tismo da Linha. por se desfrutar daqui hum golpe de vista immenso e em extremo agradavel áquellesquedesejão contemplar as preciosas producções vege- taes deste districto favorecido em gráo eminente pela natureza. pôzhuma cruz de caniço. onde vi hum grande numero de pequenas cru zes de caniço. por contar que a Guarda. A's 1o horas e 25 minutos cheguei ao alto do morro dos Arrependidos ou do Medeiros . a bem de não passar por consentidor de desca minhos da Fazenda Nacional. Francisca . O mesmo Imperador Napoleão indo para o desterro de Santa Helena recebeu aquelle Baptismo . Esta pequena astucia obrigou-me a estar álerta para o futuro . DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. eu fiz q mesmo assim como outros homens de juizo que se conformão acertos estilos quenãoprejudicão. e todas as pessoas da Real Familia . e madeiras. Alguns dão a este morro o nome de Bella-Vista . e ás 9 horas e 55 minu tos ao Rancho de Medeiros antes do qual fica hum bom corrego. e ao do estreito dosDardanelos: os novatos ou aquelles que entrão pela primeira vez nas Minas. El-Rei. e pagou tributo ao Deos dos mares. cravadas no chão. Todos se conformão com esta pratica burlesca ou indifferente. passando por este morro. $7 bas de chumbo de munição. A's 9 horas e meia cheguei á Rocinha do Ribeirão . A origem da collocação das cruzes de caniço neste morro não he tanto huma pratica supersticiosa . recebem o seu Baptis- mo plantando a cruz. isto he pagárão o tributo a Neptuno quando atravessá- rão o Equador. Neste lugar do Medeiros háhuma grande casa. quando foi a Minas a primeira vez. e com razão. receberão o Baptismo da Linha . A's 9 horas e 5 minutos sahi do Rancho de D. o Senhor D. como alguns entendem . e os Officiaes de Fazenda do Registo não a examinarião como nao examinárão.

Durante esta marcha ha os mais bellos golpes de vista imaginaveis : a natureza apresehta toda a sua brilhante magestode. O sinal de atoleiro em algum corrego. Os caminhos de hoje são hum tanto asperos . melhor do que outras d'esta estrada. ha dous ato leiros bem desagradaveis. tambem pôde ser que tanto as cruzes como as pedras que há no alto morro dos Arrependidos tivessem origem semelhante ás das cruzes e pedras que se encontrão em varios lugares de Portugal e Hespanha. Aos 4o minutos depois do meio dia apeei-me no Rancho do Juiz de Fora. he hum ramo de arvore . que se está reedificando em huma bella posição. e logo adiante pelo Rancho do Toste. Alguns tropeiros contão 4 legoas do Rancho de D. Entre o Rancho do Marmello . e o do Juiz de Fora . quer de outro acontecimento extraor dinario. A's 1 1 horas e 2 5 minutos passei pelo Ribeirão dos Arrependidos . he bom pouso . Adiante deste rancho fica o do Marmello . e digno de recordação. e come* cei a sentir Carrapatos. Vi Taquaras de huma altura enorme . de argila vermelha. e apesar de nos acharmos em tempo secco. e a venda está abastecida. 28 ITINERARIO do morro dos Arrependidos tem origem no arrependimento que alguns aventureiros tivêrão de se metter na empreza da mineração que lhes deixou de ser favoravel : outros dizem que foi por se haverem certos novatos arrependido de entra rem nas Minas tendo de fazer jornadas atravez de huma asper rima serra coberta de mato virgem . A . quer isso nascesse de algum assassinato. A's i o horas e 35 minutos avistei o Rio Parahibuna correndo placidamente pela mesma varzea que lhe serve de leito. fica outro rancho pouco notavel. A's 1 1 horas e 5/4 cheguei ao Rancho do Boiadeiro junto ao qual existe a capella de Santo Antonio. ou huma estaca posta a prumo. e greda branca e amarella. contiguo ao Parahibuna. que he mui espaçoso e bem conser vado. aos quaes chamão Fieis deDeos. Francisca até ao do Juiz de Fora.

Rancho do Moreira. vento N. 64°. A's 8 horas e 5o minutos estava defronte do Rancho do Alcaide Mór . e pelas bestas das tropas. — domingo. em que ha hum ribeirão com lindissima cascata.as 9 horas e meia começárão a cahir chu viscos de E. junto da qual se acha huma grande cruz. por serem de terra argilosa ver melha . Passei hum riheirão com ponte arruinada . Esta posição he agradavel. que passa muito perto. que durárão o resto da manhã . Junto ao Rancho do Al caide Mór fica hum grosso ribeirão com boa ponte. E . e amarella. com hum pequeno ribeirão. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. e puzêrão a estrada intransitavel: as bestas escorregavão a cada passo quando descião os morros . hum dos peiores da estrada. branca. para evitar estragos feitos pelos homens. — Sahi do Rancho do Juiz de Fora ás 7 horas e 3/4 da manhã : tempo claro . A's 1o horas e 25 minutos passei pelo Rancho de Entre Morros. thermometro ás 6 horas. . Nao vi campo nenhum culti vado: todas as plantações ficão longe da estrada. 27 de abril. por ficar com effeito entre elles : ás 1 1 horas cheguei ao Rancho do Moreira. O sitio do Moreira açha-se 2a 35 pés acima do nivel do mar. O thermome- tro ao meio dia apontava 78°. A's 9 horas e 4o minutos cheguei ao Rancho do Capitão Manoel do Valle . antes do qual ficão dous Ranchos pequenos . hum dos quaes tem o nome de Tape ra. . *g pouca distancia do rancho existem as ruinas de hum en genho de assucar. 3 legoas. Existe aqui huma boa casa nova. Encontrei hoje á escoteira (sem seguir tropas carregadas) o escrivão do juizo ccclesiastico de Goiaz. Desde . o qual vai ao Parahibuna.

28 de abril. com hum bom ribeirão. assim chamado por have rem algumas palmeiras ou coqueiros elegantes perto da easa do proprietario. e passei logo o ribeirão. Antes d'este rancho fica o da Roçinha do Queiroz. O Rancho do Cha peo de Uvas fica 221o pés acima do nivel do mar.. 3o ITINERARIO Chapeo de Uvas . que vimos em diversos lugares. A estrada da marcha de hoje he a melhor que te nho encontrado desde o Rio Parahibuna. e tem as pinturas mais fantasticas que se podem imaginar. 3 legoas. e cheguei a esta casa ás 1o horas e 4o minutos . He hum aprazivel lugar. e tem huma represa de agoa. O Rancho he bom . . Ha aqui duas estradas que vão para a casa da fazenda do Chapeo de Uvas. A's 1o horas cheguei ao Rancho do Sobradinho. Ca pitão de Ordenanças . A's 8 horas da noite o thermome tro apontava 68°. Tambem chamfto a este sitio Luiz Antonio. onde ha huma varzea em que serpentea hum pequeno ribeirão. — O thermometro ás 6 horas da manhã. A's 9 horas e % passei o Rancho dos Coqueiros. tomei a melhor. A's 1 o horas e 1 o minutos á Rocinha do Engenho. A's 9 horas e 1o minutos passei pelo Rancho da Estiva Grande. A's 9 horas o Ran cho da Estiva : he pequeno . e huma engenhoca de fazer assucar e agoar- dente. A's 8 horas e 2o minutos passei o rancho do Queiroz: a casa d'este Rancho he muito pequena. — segunda feira. e o ribeirão profundo . vento N. tempo claro. A casa he de sobrado. antiga. onde fui generosamente hospedado pelo proprietario. 64°. no fundo de hum morro. que he a da direita. Sahi do Rancho do Moreira ás 7 horas e 35 minutos. que vai ao Para- hibuna . e commandante do districto do Cha peo de Uvas. muito pequeno. e ponte de madeira. frio . Aqui ha dous ranchos .

A's 9 horas e 3/4 a Rocinha de João Gomes. e a Capella de S. todos os paga mentos se fazião n'estc metal . 56°. A's 8 horas e '/| o rancho e casa de Luiz Ferreira . Neste rancho principião a vender-se os mantimentos mais baratos do que nos prece dentes. 29 de abril. A's 7 horas e 74 passei a igreja de N. casas muito ordinarias. A's 9 horas e meia outro Rancho de Pedro Alves. O caminho de S. thermometro. e girava ouro. Os caminhos até este rancho. Em Luiz Ferreira ha hum ri beirão. onde pernoitei. matos virgens . — Pela manhã esteve o tempo nebulado . Sahi da casa do Chapeo de Uvas ás 7 horas e 5 minutos. e Capella de S. calculando hum vintem . Antes d'esta casa fica o pequeno Rancho do França. Miguel. vento N. são melhores do que os antecedentes . e este ao rio da Pomba. O Rancho de João Gomes he banhado por hum ribei rão . A's 8 horas e meia o Rancho do Retiro com boa casa. No tempo em que na Provincia de Minas havia moeda particular de cobre. João d'El-Rei pelo Curral Novo vem encontrar-se com aquelle que eu sigo para Bar bacena. ás 8 horas e 55 minutos o Rancho de Antonio Ferreira . 'junto á qual existem duas casas. que está perto da estrada. e nenhumas plantações á beira da estrada. ás 8 horas e 35 minutos o pe queno Rancho do Tejuco . no Rancho de Luiz Ferreira. ás 9 horas e 4 minutos o rancho e casa de Pedro Alves. vai ao Pinho . unido a outros . entra no Para- hibuna . 3 Iegoai. A's 7 horas e % passei o rancho e casa dos Tabuoens. apesar dos morros de barro vermelho . Francisco de Paula. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. A's 1o horas e 74 o Rancho de João Gomes.. S. do Bom Successo. que unido ao do Chapeo de Uvas. — terça feira. com boa casa e rancho. Junto a ella se acha a Capella de N. §1 Rancho de João Gomei . que . Esta igreja he paroquial. da Assumpção do Engenho do Matto. S.

32 ITINERARIO mineiro por 07 róis do Rio. thermometro 52°. que tem rancho na margem esquerda. e he fechado. O thermometro ás 7 horas da tarde apontava 76°. — quarta feira. o qual tem o nome de Corrego da Boavista. Sahi do Rancho de João Gomes ás G horas e meia . que eu tomei. a qual unida a outros corregos vai ao rio do Pinho. A's 7 horas e 55 minutos o Rancho da So ledade. A's 8 horas e 35 minutos o Ráncho immenso. — A's 5 horas da manha vento N. A's 7 ho ras e 25 minutos cheguei ao ribeirão do Pinho Velho. com muitos picos . e he lugar famoso por ter ser- vido de guarida a huma quadrilha de ladrões. e algumas nevoas . e fica hum quarto de hora de caminho distante do Rancho de João Gomes. Junto ao Rancho da Manti queira ha huma cancella . roubavão■. A's 7 ho- fas e 5 minutos passei pelo Rancho da Saudade. Tem huma ribeira caudalosa com o mesmo nome de Mantiqueira . Hoje recebe-se a moeda da Capital do Imperio sem repugnancia . e engenho da Mantiqueira. 3o de abril. e os la drões tiverão as penas correspondentes á gravidade dos cri mes perpetrados. por certo Coronel proprietario d'estes terrenos da Mantiqueira. O rancho he o maior que tenho visto. junto a hum corrego. A estrada da esquerda. e facinoro sos. A's 8 horas c 8 minutos o Rancho do Pinho Novo . Esta quadrilha foi surprehendida . 3 legoas. de que já Iallei . Este ribeirão recebe o da Mantiqueira. segundo contão. e passei logo hum pequeno ribeirão . e granito . rijo . e assassinavão os passageiros que subião ou descião para o Rio de Janeiro. que protegidos. composta de montes elevadissimos de argila . e grande casa. passa . Rancho do Pasto da Boiada. Tem huma grande cerca de pedra. e ahi duas estradas : eu tomei a da esquerda : a da direita segue pelo pé da Serra da Man tiqueira.

summamente pequena . Humas Driadas destes bosques erão o objecto das adorações dos tropeiros. Aqui ha huma ex tensa varzea entre dous braços do ribeirão da Mantiqueira. estando verdes. A's 9 horas e 28 minutos apeei-me no Rancho do Pasto da Boiada. A Serra da Mantiqueira tem 3 16o pés de elevação acima do niveldomar. — quinta feira. que corre para o Rio das Mortes . coberta de palha . A's 6 horas da manhã o thermometro em 54° . Des- cubri algumas plantações de milho. c cedros. correudo muito ao Sul. 1. . Junto ao rancho ha hum ribeirão . EO RIO DE JANlilRO AO PARÁ. He o primeiro quadrupede selvagem que lenho en contrado desde que sahi do Rio de Janeiro. Rancho da Borda do Campo . que em todo esse tempo não se lembravão nem das bestas. Os caminhos. mas a casa não he grande. nem das cargas. 3 legoas. e cheio de folhas . e vi hum saguim ca- xinglé. —. em que entra pela margem esquerda.° de maio. e os esteios são de cedro vivo . c fui a pé para a casa do mesmo nome . 35 pelo uicio da serra. Ao longo da estrada vi hoje alguns pinheiros brazilicos. A's 7 horas e 2 minutos passei o Rancho dos Valinhos'. Estamos no ponto culminante do terreno. tempo muito claro. por haverem lançado rai zes quando os enterrárão. e ao Sudoeste. em que eu estive déitado. e atravessa em dous lugares o ri beirão da Mantiqueira. são de facil transito. fazendo este passeio em dous minutos. A casa do Rancho do Pasto da Boiada. mas o caminho he bom . he coberta de sapé . A's 6 horas e 4o minutos passei pelo Rancho do Engenho: he extenso. Sahi então do Rancho do Pasto da Boiada . O thermometro ás 8 horas da noite mostrava 74°. onde em todo o decurso da noite houve hum Batuque ( dança e toque de negros e mu latos) que me não deixou fechar os olhos. apesar dos morros.

a grande fabrica filatoria que ahi estabeleceu . e nos lombos das vacas tirando-lhes carrapatos com os bicos. e ás 3 horas e '/4 cheguei ao cume de hum morro donde se descobre a Villa de Barbacena assentada no chapadão de huma montanha. e ahi se achão os edifícios pertencentes ao Padre Manoel Rodrigues . A's 4 horas cheguei ao Registo velho sobre o Rio das Mortes no qual ha ponte de madeira . e ainda agora vai vegetando no meio do mesmo abandono. e eu reputava historias de viajantes que se divertem á custá da humana credulidade. A ultima arvore da mata . Villa de Barbacena . da Piedade. 2 £ legoas. As vacas estão de tal modo familiarisadas com es tas aves. e a capella de N. que agora se conserva .Ô/f ITINERARIO subi hum pequeno cordão de morros . e desta qualidade tenho hoje visto hum grande nu mero. vendo o que me tinhão dito. e acreditei. sahi ás 2 horas e % da tarde para a Villa de Barbacena. he hum pinhei ro. vendo abandonada pelo Governo e pelos seus patri cios . Vi junto a este rancho gaviões cracrás pousados no chão. em que tia bom rancho. 0 caminho de hoje foi muito bom . que fica no lado direito da estrada . A's 7 horas e 3/+ passei o Rancho do Batalha : ás 8 horas o do Confisco: entre hum e outro ha' hum corrego. e os morros desde o Rancho dos Valinhos são em parte ou no todo despidos de grossas arvores do mato virgem. A's 9 ho ras cheguei ao grande estabelecimento da Borda do Campo. e ás 7 horas e 35 minutos entrei na região dos campos. Havendo eu descançado no Rancho da Borda do Campo . He neste lugar que esteve antigamente o Registo. que me causou admiração . A's 3 horas e 1 o minutos passei pelo Rancho Novo . cujo valor e patriotismo lhe tem feito superar os maiores desastres. S.

causão exeavações no barro de que o chapadão he formado. 35 em Mathias Barboza. rico em pedraria . a qual vai tocar na bella igreja da Boa Morte. tem dous campanarios e hum bom adro que precisa concerto. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. caritativo . he espa çosa . e nella se encontra a casa da Camara. e o Pelourinho. posto que não seja rica. o templo. Estes travessões de pedra incommodão nas subidas e desci das. e formão especies de degráos que mostrão terem originariamente sido as mestras para a calçada geral. e o seu vigario actual he o Reverendo Padre Antonio Marques de Sam paio . e na encosta ou declive dellc até ao Corrego das Caveiras. Além desta grande rua ha outra mui elegante por ser plana e recta. Capitão General da Provincia de Mi nas Geraes. Os lados da rua são cal çados de pedra . que se acha em construcção. tem immensos erros nas dimensões dos seus ornatos. Cadêa. A's 5 horas e 55 minutos cheguei á Villa de Barbacena . Está collocado na .durante o governo do Visconde de Barbacena. e debaixo da direcção de hum mestre pedreiro a quem não falta habi lidade : todavia. em a qual se encontrão varios edificios consideraveis. O Rio das Mortes tem aqui apenas a largura de 12 até 2o palmos. epor obrigarem as agoas da chuva a fazerem salto. segundo o desenho. Tem algumas ruas e praças com edificios elegantes : a rua maior he muito larga junto a igreja matriz que fica inteiramente isolada no meio della : esta igreja dedicada á piedade de N. ou da Estalagem onde existem mui grandes ranchos. e pelo meio della ha travessões tambem de pedra que chegão de huma a outra parede. Achei-a acciada. S. A rua vai estreitando á medida que se desce para o vale . acha-se collocada sobre hum extenso chapadão. c bomfeitor tanto da igreja como dos seus parochianos. Esta villa que antigamente foi conhecida pelo nome de Igreja Nova da Borda do Campo . individuo estimavel . a que se deu principio em alguns lugares. e teve a sua actual cathegoria.

a qual além de ser espaçosa. sação agradavel ainda que pouco cultivada: o que achei nellas cheirando a mato ou a aldêa. Ha presentemente na villa 325 fogos. e o tronco he a que vai desde a igreja matriz até ao vale em que corre o ribeirão das Caveiras ou Estalagem. do que historias exactas sobre o Brazil. e ex- cellente prata. e o do Rozario de N. e a da Boa Morte. e desmentio perfeitamente o que dizem varios escriptores . a quem elles desejarião ver a toda a hora. que trazem no pes-* . Além des tes templos existem o de S. A configuração geral da villa he aproximada a huma cruz grega . mostrou-me a casa em que habita no fim da rua larga. todas ellas vestidas com gentileza. e tinhão huma conver-. e ainda mesmo nas portas. a que dão o nome de Urnpema. que apresen tarão mais romances mentirosos .S6 ITINERARIO f mais pitoresca posição . Verdade he que não assisti a bailes. mas derão-me chá mui bem servido em louça finissima . como eu não esperava. que serve de commandante da villa. e 2ooo habitantes: moitas casas estão fechadas por se acha rem nas fazendas os. seus moradores. appareceu mui bem vestida logo que eu entrei em sua casa . Tambem me conduzio a outras casas . e que me hospedou com a maior urbanidade e decencia . O Sr. ácerca da selvajaria e falta de educação das senhoras Mineiras. Francisco de Paula. S. cujos habi tantes me obsequiárão por hum modo tão decente . e em to das as pequenas ha hum tecido de caniço nas janellas. tem hum bom jardim. Exis tem poucas propriedades de casas com vidraças . por estar mui bem tratado. e junto delle se acha a velha igreja da Boa Morte da Confraria dos homens pardos. cujos braços são a rua que fica á entrada da villa. Vi grande numero de senhoras brancas . A senhora do meu patrão mostrou-me a maior affabilidade. foi a enorme quanti dade de cordões e relicarios de ouro . Alferes José Simpliciano. bom no Brazil .

e os mesmos passageiros. e louros cabellos . etc. a que estes cavalleiros de industria po dem lançar o olho . que bem poucas pessoas deixão de lamentar a perda de alguma cousa.e limpão as algibeiras dos desgraçados a quem pescárão. o qual passa em luta continua contra a obra ingleza. José Simpliciano . obriga aos possuidores a grandes incommodos para conseguirem huma pequena ir rigação a braço. e immediatamente a man. mas a extrema falta de agoa em tão grande altura do terreno ( 353o pés acima do nivel do mar. e parreiras de uvas. O numero . Não para nisto a desordem. combatem. a Paphos de Minas Geraes. quasi todas. mais do que al gumas flores naturaes e artificiaes. . Este era o antigo costume das Portugue sas abastadas : todavia a maior parte das senhoras que usão destes pesados enfeites. e despojão os desgraçados tropeiros. são as que já soffrem os es tragos da idade. sitião. durante a noite . He incomparavel o numero de moças galhofeiras que po- voão os ranchos desta villa . vencem. Esta milicia de Venus consta pela maior parte de raparigas pardas e pretas. arrCadores. O7 itiço e braços. pois que nenhuma menina trazia sobre o seu elegante collo . assim como de artigos de ferro. em completa bachanalia . mantimentos. reunem hum tão grande numero de vadios. e favorece no preço do mercado. bem sortidas de fazendas inglezas e do paiz . pertencente ao Sr. tocadores. arvores fructiferas. Existem aqui varias lojas e vendas . louça. DO RIO DE JAISEIRO AO PARÁ. tem suas hortas abundantes de vegetaes culinarios. não sahem dos infernaes batuques com que divertem . pois que os ranchos do Corrego de Barbacena. e ha huma boa fabrica de selins á ingleza. e talvez mais de 6oo acima do Corrego das Caveiras ) . cujo capital não passa de hum machete. bandurra ou vio la. que. a que elle excede em perfeição. As casas de Barba cena.

dia 78o: ás 7 da tarde 7o°. Agradeci a SS. que eu escrevi muito con cisamente acerca do terreno que ficava debaixo dos meus olhos . Thermometro ás 6 horas da manhã 52° : ao meio. salvo os escritos do luglez Maw. — sexta feira. a de maio. He certo que até ao presente não existe hum iti nerario que mereça este nome nas Provincias do Rio de Janeiro. EE. para mostrar a SS. A's 6 horas da tarde che- gárão dous soldados. hujna honra lão distincta. o que vem a ser o mesmo que constituir-me guia do qualquer individuo que der os mesmos passos. que fizerão pôr em marcha hum Alferes . Governo Provisorio . — Continuo a estar na Villa de Barbacena.08 ITINERARIO de bestas que aqui se furta he incrivel . que não desprezava a generosa attenção com que me obse- quiavão. re-■ conhecerão pelas primeiras linhas. e escrevi ao Alferes. até entrar nos campos contíguos A Villa de Barbacena. e Governador das Armas . não só dos moradores da villa . As pessoas que por acaso lerem este meu itinerario. ^ OBSERVAÇÕES geraes sobre a minha marcha desde o Rio de Janeiro a travei da serra ou mata. Minas Geraes. e por elles recebi officios dos Exms. e Goiaz: ao menos eu não tenho noticia de obra alguma desta natureza . e retive unicamente comigo hum dos soldados. pedindo-lhe que fizesse regressar o destacamento . e soldados do regimento de cavallaria de linha para me acompanharem até á Provincia de Goiaz. e tran sitar pelo mesmo caminho que eu segui durante a minha jornada. EE. mas tambem dos viandantes que se accommodão nos sobreditos ranchos. c não se passão horas sem que o commandante do districto receba quei xas e reclamações . que mais são hum romance do que huma ver- . e dezeseis officiaes inferiores.

sobretudo quando eomeção a pizar-se ou npalpar-se (em frase de arrieiro) . metendo em linha de conta os morros que se descem e sobem. devem sem duvida ter colligido immensos materiaes nas suas importantes viagens scientificas . que tão importantes serviços tem prestado nas Minas Ge- raes. e servindo-me. Barão de Eschwege . quando achar exactas as suas informações. que depois de Maw penetrárão no interior do Brazil. deixando as car gas atraz. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. mas eu . quando he necessario. em que a todos os ins tantes escorregão.-Hilaire. e vou apresentar algumas noticias como mi litar . Langsdorff. pois que sendo em tempo secco andão mais do que no de chuvas . e outros. conhece-se pelo meu itinerario. e 19 de Abril. e nos outros dias marchei a cavallo a escoteira . ou quando . e Guido Marlière. Natherer. mostrando aquillo que observei durante a minha marcha . No meio desta deficiencia *eu faço o que posso. O9 Srs. que eu acompanhei a minha tropa (recua de bestas de carga) durante as jornadas de 18. isto he . 5o tiadeira descripção de varios lugares por onde transitara. e geographo . estamos por ora privados dos soccorros que estes sabios nos podem subministrar. e o publico . Maw . do que escreverão os Srs. As bestas carregadas» de oito ou mais arrobas vencem huma legoa de caminho em duas horas-. Todos os Brazileh*os devem lamentar o não haverem appa- recido os diarios de alguns naturalistas estrangeiros . e finalmente o tempo em que me apeava. depois de passarem os primeiros dias de marcha. e desapertão-se-lhes as sobrecargas. Eu reputo a andadura de hum cavallo em es trada igual a hum a logoa por hora: a das bestas carrega das de oito arrobas nos irimeiros dias da jornada em legoa £^88Ír por hora . Eu s6 lançarei mão da obra de Mr. aquellas em que passava por outros. Augusto St. Pohl. Como eu indico as horas e minutos em que sahia dos ranchos.

ainda mes mo nos dos astronomos empregados nas demarcações da Provincia de Mato Grosso. assim como eu me servi daquillo que outros melhores do que eu tem es crito até agora. que fica entre a Fortaleza* de Santa Cruz. sabe mui aproximadamente a que horas. ribeirões» corregos. Com estes dados he muito facil saber-se a distancia que ha de rancho a rancho por mim apontado. zoologicos . o lapis . Eu sinto não possuir maiores conhecimentos geologicos. recebe muitos rios. casas. ainda que fracamenfe. e mais ramos da historia natural: dou o que tenho. montanhas. ha de encontrar rios. botanicos. deixando em secco todas as terras. Estas miudezas. e arruina os arreios em pou cos dias. povoações. desejando que todos se aproveitem do que he meu. A bahia do Rio de Janeiro hs conhecida no universo como hum dos mais extensos e seguros abrigos de embar cações innumeraveis . e o papel na mão. ranchos. pontes. e minutos. e a pessoa que marchar com o meu itinerario . que muito as incommoda./. ou finalmente quando viajão em tempo de chu va. c o Pão de Assucar. e outras circunstancias . e de todos os lotes. Bem poucos homens que fazem jornadas tem a pa ciencia de ir sempre com o relogio . que muito interessão a quem tem de fazer huma jornada. para huma empreza que em lugar nenhum he tão interessante como no Imperio do Brazil. ajuntando notas para porem a limpo quando che- gão aos pousos. escrevendo o que sei. A bahia do Rio de Janeiro parece hum antigo e immenso reservato rio de agoa. não apparecem nos itinerários que tenho visto .o ITINERARIO se ferem. que forçou a passagem por aquella abertura. mui vantajosas. e toda a agoa que elles despejão sahe pela pequena abertura. Está rodeada de altas "montanhas . e por isso regozijo-me de haver contribuido. até ás abas das monta .

na fralda da Serra dos Orgãos e suas ramificações. e em outros de lodo compacto e de maçapé. o templo. ora mostrando muralhas de argila talhadas a pique. O rio está coberto de vegetaes fluc- tu antes e mui viçosos . em cujas encostas se achão caminhos tortuosos . Bem perto da foz do Rio Inhumirim principia a for- mar-se hum cordão de morros de pequena altura. soca de outras que forão corta das. em huns lugares arenoso . assim como de insectos persegui dores que fazem aborrecer as digressões aquaticas. que rodeavão o mesmo reservatorio. o rancho. são compostas de immensas massas graniticas e argilosas . e outras contiguas . disputou ao homem selvagem. unido a idéas religiosas. Este terreno he todo baixo . No tempo das grandes chuvas fica inundado em algumas partes . e ás feras bravias. Destas terras abandonadas pela agoa fazem parte as que existem desde a foz do Rio Inhumirim até a Fazenda da Mandioca. e sobre todas existe hum denso bosque de madeiras de construcção e palmei ras. por onde o homem e a besta carregada passão desviando-se da borda de alcantilado pre cipicio. que o desejo do lucro. pri mitivo possuidor destes cantões . e ainda menos ao broncocele . 41 nhãs. As Serras da Es trella . ou sugeito a febres intermittentes . ora dei xando extensas gargantas e desfiladeiros . Inhumirim . que parecem tão antigas como a mesma serra. ora formando largos valles em que serpenteão agoas cristallinas. e os mesmos morros estão co bertos de arvores baixas . DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. E. Estes morros acompanhão a margem esquerda do rio até acima do lugar do armazem novo da polvora . mas nem por isso he muito doentio . que nas G . que afflige os moradores das provincias cen- traes. compostos de barro de diversas cores . No meio destas obras admiraveis da natureza está collocada a casa. Os morros atravessão-se em differentes sentidos . A es trada até a serra he plana e apaulada. e então se inclinão ao N.

^2 ITINERARIO entranhas da terra procuravão guarida. e os meteoros naturaes lanção por terra . o fogo . e descendo a penetrar as terras de raizes novas . obscurecem estas regiões das perpetuas sombras. Estes anima- lejos vivem em republica que se assemelha á das abelhas: as suas casas. que obstão completamente ao enxugo do terreno. Huma materia glutinosa liga o pó da terra e as mais pequenas fibras da madeira. os seus armazens são ad miraveis : a mesma contextura do edificio mostra a scien- cia do grande Architecto que os ensinou. as estações . se reputa hum ente mui fatal. que introduzindo a delgada lingea nas galerias. habitando conforme as suas especies já nos vazios troncos de antigas arvores. He a este pequeno insecto que se deve a prompta corrupção dos immensos troncos que os seculos . que só não escapa á dura e recurvada unha de tamanduá. já mesmo na terra solida. e á fera. e entre laçados de cipós que dão mil voltas. as suas galerias. A Providencia creou nestes lugares o benefico e voraz cupim. na habitação do homem . . e cheio de doçura ao homem . só me recem o nome de estradas no Jkazil ha pouco sahido dos braços da natureza. A abelha de differentes qualidades. e armavão ciladas aos menos fortes habitantes dos bosques. a não ser aquelle dimi nutissimo insecto. que dos trabalhos mellifluos se sabem aproveitar. e forma hum bitume. sobem ás nuvens. Os caminhos aber tos a machado em toda a extensa região da serra . e que . dá pasto abundante. que. á ave . e impedirião a re- producção ou a soca das arvores derrubadas. já de baixo de huma pedra bruta. Alguns são de tal modo sombrios por causa das arvores de immensa altura de que estão borda dos. obstruirião as estradas . e impedem a passa gem á fera e á mesma ave. e sempre infatigavel. Os troncos das arvores mui unidos huns aos outros. recolhe ao estomago os vorazes insec tos que a reputavão presa certa.

e for mão as copadas corollas . Tudo encanta . pitangueiras. Os mon jolos são fornecidos de agoa por via de regos tirados de açudes que se fazem nos corregos ou ribeirões. vallas ou muros de pedra ou adobes. tambem serve de tubo de conduzir agoa das fontes para algumas casas. que ás vezes deixão feridas in curaveis se não ha cautela de os arrancar. nem elegantes . e os que ficão entre o Porto da Estrella • a Mantiqueira quasi todos são abertos. e 'até os porcos são escassos. A maior parte das casas tem os seus monjolos para triturar o milho. carqueja. e pelo preço do Rio de Janeiro em quanto se não passa do Chapeo de Uvas. e d'ahi em diante as cercas são de limoeiros. Arvores matizadas de lindas côres. e rodeleiros. esse arbusto estimavel do Rio de Janeiro . esta cadas. vassoura. e os sentidos arrebatão-se contemplando tantas maravilhas da mão do Creador. As casas até este lugar tem cercas de espinho . Pelos ranchos da estrada não se encontra gado vaccum ou lanigero. A taqua- rassú . de que se faz uso em farinha (fubá) ou em cangica. Não . segundo a idéa que nas povoações da beira-mar se forma da belleza da architectura : os ranchos de ordinario são espaçosos . DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. A borda da estrada está cheia de fetos ou sambambaia. Ha muitas gallinhas. as gallinhas são magras. a flor rosea do araribá. a violete do ipé. e mi lhares de outras que desenvolvem os seus petalos . As casas que sc encontrão na estrada poucas vezes ficão distantes além de hum quarto de legoa de humas ás outras: os edifícios nem são solidos . 43 He na Flora que a natureza apresenta a mais brilhante for mosura. que tanto he util para fazer muito compridas e muito leves escadas de mão . a amarella do baraúna. que a arte não pôde facilmente imitar. ou pendem em grinaldas e ra malhetes . poucos perus e patos. e outros vegetaes em que se pegão os incommodos carra patos miudos.

*44 ITINERÁRIU encontrei jacus. 6 legoas. as arvores menos grossas e elevadas. Sitio das Gales de cima . José Simpliciano Barreto. do Rancho do Farinha em diante. ponto culminante entre o Rio das Mortes e o sobredito Parahibuna. nem jacutingas. Desde a margem direita do Parahi buna . — sabrado. e o clima da Borda do Campo em diante he differente do do mato virgem. O thermometro ás 6 horas da manhã 62°. e da sua estima . A monotonia dos bosques aborrece algumas vezes. precipita-se aos saltos para o Parahiba. e ás 7 horas e 2o minutos puz- me em marcha. macacos. A vegetação ressente-se desta differença de ni vel do terreno. despenhão-se no Parahibuna. Do Corrego Fundo no alto da Serra da Estrella cor rem as agoas para o Rio Inhumirim . — Hoje esteve a Villa de Barba cena coberta de nevoeiro mais denso do que o dos dias passados. e Parahiba. e o su bir e descer morros de barro por espaço de 44 legoas faz perder a paciencia. e do Rio Secco des cem para o Piabanha . e até apparecem novas especies desde o paralello do Chapeo de Uvas em diante* O pinheiro já prospera nestes lugares. O ribeirão que fica an tes de chegar ao Rancho do Farinha . A's 7 horas fi cou a atmosphera clara. Es tando pois em Barbacena. O ponto culminante he junto ao Farinha. as terras vão subindo até á Serra da Mantiqueira. 3 de maio. nem araras: os passaros são muito raros na estrada por serem perseguidos. acho-me em huma região diversa do Rio de Janeiro até ao fim da mata. e por isso as matas são menos densas. e as agoas. Vou' agora tratar dessa nova região. phenomeno que tem causado alguma admiração. O terreno forma varias bacias bem no taveis. havendo recebido as mais obsequiosas at- tenções do Sr.

e quando a minha familia chegou áqaella casa . e a 1 hora e 3/4 cheguei á casa do meu tro peiro Bernardo Antonio . e a Capella de N. e tanta ostentação . cujo proprietario me esperava sem que eu o soubesse. de que já fallei. Tem a idade de 42 a 44 annos . e mostran do querer metter toda a minha familia no coração ! Que contraste ! O marido era hum perfeito lapuz ao primeiro aspecto ! Trigueiro como hum mulato escuro . O. em que ha ponte. alva. posto que não polido . casou com a sua senhora sendo ella muito pobre. e por isso passei adiante sem ali entrar. e desfructa em sua companhia a maior felicidade. Aos 25 minutos de pois do meio dia passei o Rio Palmeiras ou Loures. A casa achava-se toda forrada de chitas . Tinha o seio e os braços cobertos de cordões. rosarios. grosso como hum Sancho Pança . A's 1 1 horas passei pelo pequeno Rancho do Borges . fallando com o modo o mais agradavel . A esposa do meu tropeiro he huma das se nhoras mais bem apessoadas que tenho até agora encon trado. da Gloria ou do Rosario. Este ribeirão he hum braço do Rio das Mortes. e breves de ouro. e corada como huma rosa: huma immensa madeixa de cabellos de ouro cahia-lhe até aos pés. mas depois de conversado na sua phra- seologia tosca . recebeu a mais honrosa hospedagem. Nunca vi cabello tão bello. e caças lizas e bordadas. mui decente e rica mente vestida da melhor caça da India . Nasceu na Pro vincia do Minho . alta e grossa em proporção. Eu nao podia combinar tantas . O vento estava S. e bemfazejos que lenho encontrado. Eu marchava então acompanhado pela Ordenança de ca- vallaria .virtudes. A's 9 horas che guei ao Ribeirão de Alberto Dias. S. he hum dos homens mais honrados. diver tidos . 4^ bilissima consorte. no qual entra encorpo- rado com o Palmeira. o qual me recebeu com a maior ostentação na choupana mais humilde que se pode imagi nar. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ.

A's 7 horas da tarde ouvi trovões a O. e huma immensa quantidade de ferragem. por meio de campos. sendo 9 horas e meia . comparando-a á fortuna que possue. E por que eu lhe pedisse razão da miseravel barraca em que ha bita. e á existencia da sua respeitavel consorte . não m'o querem vender . . mas também nelles se recolhe o gado no tempo do calor para se livrar do sol. respondeu-me estas palavras : « Eu sou rendeiro destas terras ao Engenho do Capote. e soprou vento rijo S. Pelo caminho de Barbacena. O maior numero dos capões he dos pouco extensos. João d'El-Rei. O. e não o posso abandonar. não encontrei tropas. e da mutuca (moscardo) que o persegue. Durante a minha marcha de hoje . com alguns agoaceiros que durarão meia hora. da Villa de S. pois que convidando-me a entrar para o interior da chou pana coberta de palha . . Passados elles. E. mas hoje fiquei persuadido que se não he rico . distante d'aqui huma legoa : fui criado neste sitio . Eis o motivo de não haver construido huma boa casa. ficou o tempo claro. e muito bons. em que se encontrão alguns capões ( Capoon em lingua Tupy. até ao Sitio das Gales. e se achava como enterrada debaixo de arvores : estava informado que o meu tropeiro era remediado . onde me demorei 25 minutos. tem hum cahedal maior do que eu suppunha. vi que he muito extensa . e tem á roda outras semelhantes choupanas cheias de fardos de fazendas . 8 '/» legoas ao N.46 ITINERARIO com a choupana em que fui hospedado. que significa Ilha) bem semelhantes aos oasis dos desertos da Africa. escureceu repentinamente a atmosphera . Os caminhos de Bar bacena até aqui são quasi planos. A chuva obrigou-me a entrar em huma pequena casa na borda da estrada. para cujo lado saltou o vento. » O Sitio das Gales fica huma legoa distante da estrada real. Estes capões servem não só para se fazerem roçados .

4? e vi pòuca gente . e até mesmo a gente ignorante. que fazem huma chilrada insupportavel. Vive em companhia de sua mãi . o qual se dissipava entre as 9 e 1o horas. e tambem desmentk) a informação dada por alguns' escritores estran geiros . com que entra para o sertão. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. que se acha assustada. e da melhor qualidade. o qual se acha apromptando ia lotes de bestas (84). A mãi deste moço eccle- siastico . O povo chama-lhe fumaças . me tratou com a mais extrema civilidade. e bom engenho de assucar. ácerca da occultação de todas as senhoras quando tem hospedes. e me deu hum jantar abanquetado. Neste brejo matárão hoje de tarde huma cobra cascavel de 5 '/» palmos. appareceu-me logo muito bem vestida. ou ao menos não o praticárão comigo pessoas da melhor quali dade. e tal tem sido a sua abundancia. Todas são suas. Esta Fazenda perten ceu á familia dos Pamplonas de Minas Geraes. — Estou em casa do meu tropei ro. o thermometro em 53°. Na Fazenda do Capote ha grande casa de sobrado antiga . diz que as -fuma . por ser menos frequentado : a estrada mais seguida he a da Ponte do Rio «le Loures. — domingo. que as attribuem a castigo do céoj e dizem que estão ardendo as montanhas contiguas ao Ouro Preto (he falso) . e o tempo nebuloso como fumo claro ou pouco denso . Fui com elle c a sua familia ouvir missa ao Engenho do Capote. hum Clerigo moço pardo. por parecer que se le- vantão da terra. rijo. A's 6 horas da manhã havia vento N. e carregada de cordões e breves de ouro. Eu nunca encontrei esse costume. A casa do Sitio das Gales tem huma grande horta bem plantada em hum brejo cheio de agoa vinda de hum corrego que fica proximo. e achei-lhe bastante instrucção. 4 de maio. Mostrou-me a maior parte da sua casa. A' noite o thermometro 71°. Vi por estes lugares muitos tordos amarellos . que he huma senhora parda . cujo proprietario.

e ató se soíTre escassez de milho para a gente e gado. em quanto aquelle foi entregar ao Alferes a resposta dos officios que me dirigirão os Exms.j thermometro ás 6 horas 54°. ou por parada . Eu tomei novas bestas para conducção da minha bagagem. mas tambem os campos apresentão agora o aspecto de hum vasto mar de sargaço. sendo as quebradas do terreno mui seme lhantes ás grandes vagas do oceano no tempo de calmaria. para me acompanhar em lugar de outro que comigo tinha ficado. Os capões não só se parecem com os oasis do deserto . de que fallei no dia 2 . 5 de MAto.^8 ITINERARIO ras são precursoras de fataes acontecimentos politicos no tempo presente. José Antonio de Castro . Tem algumas malhadas feitas pelo gado vacum e cavallar. 6 de maio. são miúto tri-i viaes nesta Provincia . Chegou esta tarde do Morro do Chapeo o soldado da oitava companhia de cavallaria. metti-me na liteira pela . Observo que a agoa das fontes e torrentes destes campos he mais quente do que a dos rios e corregos da serra que estão protegidos da sombra das matas. principalmente sendo auxiliadas pelos cavallos que os fazendeiros devem ter á argola. Governadores Provisorios. e das Armas. que já por aqui existe. e robusto do que o mato virgem da serra. alto. — Continua a promptifi- car-se a tropa que ha de sahir a manhã para o sertão. — A manhã estava enfuma çada. 4 legoas. ou ilhas do oceano . — segunda feira. As marchas violentas . A's 8 horas e 4o minutos. despedindo-me da minha patroa . Casa do Ajudante João Ferreira. Tenho visto mui pouca agricultura . mas ao depois ficou a atmosphera mui clara: vento N. — terça feira. Entrei hoje em varios capões do campo : o seu arvoredo he menos denso.

S. Passei por va rias choupanas. José duas legoas. e mandou preparar im- mediatamente hum bom jantar. passando antes disso dous pequenos corregos que entrão na margem es querda do Rio Carandahy. . e em que está o Arraial de Prados junto a humalagôa: á Villa de S. montei a cavallo e continuei a marcha. e a Serra de S. José a O. e estes ar tigos existem á venda em todos os ranchos . estando no cume de hum pequeno morro. Ao meio dia achava-me em frente da casa do Capitão Pedro Joaquim. e então a mesma Capella demorava ao rumo do S. e muito maltratada. c á de S. pa rece-me instruído . gallinhas e leitões não faltão d'aqui em diante para as pessoas que querem alguma cousa mais do que o feijão. A's 3 horas cheguei a casa do Ajudante de Ordenanças João Ferreira . João quatro em linha recta por cima da serra. pois que o objecto de que menos sc cuida he a comida. legoa e meia de distancia pouco mais ou menos. recebeu-me e tratou-me com o maior obsequio . an tiga. José ha meia legoa em linha recta por cima de hum valle mui fundo. O proprietario he cirurgião. e atravessei hum ribeirão. . e sahi do Sitio das Galés. e o pingo de toucinho são as delicias dos tropeiros . braço do Ca- chambú. e os meus camaradas de viagem ficassemos no rancho. A 1 hora e 4o minutos vi hum engenho de assucar em huma varzea profunda á esquerda da estrada : parece-me que moe por agoa represada em açude. 49 primeira vez. a serra está a O. do Livramento. levando como unico provimento para a jornada hum pouco de assucar refmado: assim se viaja em Minas Geraes . não consentindo que eu . o qual me mostra ficar distante da serra meia legoa . O caminho desde 7 . A's 2 horas passei por hum at- terro elevado. Esta casa he de sobrado. Aos 35 mi nutos vi a Capella de N. Desta casa até á Serra de S. O eterno feijão preto. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. e dando-me mal com o jogo da liteira.

Eu refiro o que me disse o meu patrão sem apoiar as suas opiniões para me convencer da existencia de gigantes Je estatura desmarcada no antigo e novo mundo. Capitão General da Provincia de Minas Geraes . que elle João Ferreira. e molares. e fazendo participação disto á Autoridade da Villa de S. que me descreveu com varias circustancias . Zoologia. c tem bastante idade. e Botanica do distric- to. Como este morador he homem de al gumas luzes. salvo o respeito devido ás Sagradas Escritu ras. fossem ^ lavra onde sc descubrira a ossada a examinar a sua configuração e con textura. parte da qual estava reduzida a pó. in cisivos. José trabalhando em huma lavra de Ouro. excepto no que respeita a huma ossada gigantesca . descubrio o craneo de hum animal gigantesco . as mandibulas tinhão dentes caninos. • achá- rão o craneo completo de hum animal semelhante nesta parte ao homem . e alguns pequenos capões em que estava pouco gado. o Cirur gião Mor Manoel Baptista Garcez. pedi-lhe varias infor mações sobre a Geologia. por ser Cirurgião. que se acha no primeiro tomo das da Academia das Sciencias de Lisboa. que no tempo do governo de Luiz da Cunha e Menezes . e ti . Continuando a escavação sem dar apreço ao que achára. Os dous facultativos cumprirão a ordem do General. os cabcllos erão muito grossos. atravez de campos monotonos . achando-se o Padre Joaquim Lopes na Fazenda do Coqueiro do Termo da Villa de S. acompanhado de outro facultativo. e as suas respostas pouco adiantárão os meus conheci mentos. José.RIO as Galés até ao Carandahy ( nome que tambem se dá ao Rancho de João Ferreira) he muito bom e plano. or denou o sobredito Governador. encon- trára huma ossada. e arrecadar os restos que fossem aproveitaveis.5o ITINEKA. Contou-me pois o Ajudante João Ferreira . que me fazem persuadir ser a mesma de que trata a Memoria do Doutor Vandeli .

DO RIO DK JANEIRO AO PARÁ. 3. a mandibula inferior desfcz-se quando lhe tocárão . Eu faço a lembrança do que me disse o meu patrão. barro . e mni perfeitos. tecidas no Sabnra. com parte da qual se pintára huma casa em S. mas o resto do esqueleto tinha sido despeda çado antes de se proceder ao exame. Mas todontes. diz que parecia de homem deitado de costas. mas não tinha brilhantismo ou polimento. De tudo isto se lavrou hum Instrumento . com muito pó dos os sos reduzidos a tinta azul . e que fôra ali ter em alluvião. pissara . e o craneo que elle exa minou. ãl nhão o comprimento de palmo e meio . e nao amphibio . Na varanda tem amarrada huma Maracaiá. desde pequena em que a tomárao no mato. José. José. o qual se acha registado na Camara da Villa de S. a cabeça do humerus achava-se bem conservada." hum pedaço de marmore verde da côr de es meralda." porcelana antiquissima da India . e calháo . e que se achava debaixo de algumas camadas de terra . mas o meu patrão diz que era gigante homem ." pedras de afiar de qualidade superior. cujo craneo tem alguma semelhança com o do homem . nem Magatherion ! ! Vi em casa deste meu patrão tres cousas muito boas : 1. Tam bem me mostrou peças de pano de linho linissimo. e hum pouco curvado. tiradas de huma pedreira contigua á saa casa . e Preguiças gigantescas. 2. Eu fallei-lhe em Magatherions. foi para o Museo de Lisboa . . cortados em forma de coroa. ç que por inspecção se de- cidio ser hum amphibio. e o comprimento to tal da ossada montava a 52 palmos. a quem eu dei noticia da Memoria es crita pelo Doutor Vandeli acerca de huma ossada que por esse tempo foi para o Museo.

O rio dos Campos Geraes fica pouco antes de chegar á casa . inclusas algumas Snras. mas fóra da estrada tem grande casa. — Pela manha nevoeiro . e abaix* desta ha hum extenso rancho fechado. Foi por convite dos filhos do proprietario (este não se acha em casa) que eu me apeei . mui bem vestidas . do Carmo. grande estabelecimento com engenho de agua. e ás 8 horas cheguei á casa do Sargento Mor de Ordenanças Gervazio Pereira de Alvim . . A's 6 horas c 5 minutos passei hum corrego . tempo em que passava a minha bagagem. 7 de maio. Ás 7 horas e % o rio Jacaré . 5 legoae./{ da manha : passei logo hum pequeno corrego. o que mostra que as meninas. — quarta feira. e os filhos do Sr. onde há grandes plantações de cana . tratárão-me com a maior distineção e delicadeza no grande almoço que repentinamente preparárão: cheio de reconhecimento a tantos obsequios puz-me em mar cha ao meio dia . e Capella de N. Nesta casa vi cinco ou seis violas muito bem preparadas . Á huma hora da tarde passei pelo pequeno e agrada vel arraial da Lagea onde existe huma antiga e mui decente . thermo- metro ás 4 horas Go°.5a 1TINEIUIUO Engenho do Capitão Joaquim Pinto. que se dissipou quando sahio o sol . Ás 7 ho ras e '/4 passei pelo rancho dos Brumados : he pequeno. c o mesmo rio terá 2o palmos de largo. milho e feijão. Gervazio sabem tocar. e d'ahi a pouco duas casas grandes aos lados da estrada : a da direita he hum grande estahelecimento . e depois delle o Rio Carandahy ou Crandahy ás 5 horas e 25 minutos: tem ponte de madeira de 4o pal mos . vento N. e esta respeitavel familia. Esta assentado sobre o rio dos Campos Geraes . e parece-me engenho. depois passei hum corrego . Sahi da casa do Ajudante João Fer reira ás 5 horas e . S. nome que tambem se dá á fazenda .

*mas os interesses da venda . Tem muito bons quartos . ambos com ponte. eo de Pinhão. e logo conduzindo-me a huma larga sala de comer . Há no arraial varias casas menos más. 53 Capella de N. encorporado com o rio do Peixe. S. que fica á entrada da varanda junto ao ora torio . camas mui limpas . tendo antes della atravessado os cor regos do Retiro. e deu centos de desculpas pelo mal que eu tinha de passar na sua casa . O filho do Capitão Joaquim Pinto ignorava que eu passaria pela sua casa : as iguarias não erão para hospede de alta qualidade . do mo DE JANEIRO AO PARÁ. O Capitão Joaquim Pinto não estava em casa quando eu cheguei. pedio-me mil perdões . 4 á de S. O caminho segue o rumo do N. c todas as com- modidades que se podem desejar. muitos legumes . e menos sei para quem estava prompta tanta comida. etc. por ter ido para outra fa zenda . apresentou-me huma mesa de muita extensão coberta de iguarias . arroz. apontando as camaras em que eu e os meus camaradas de viagem e a Ordenança haviamos de dor mir . e vai metter-se no rio das Mortes. collocada em huma enorme rocha de granito talhada quasi a pique por hum lado. doces e frutas de diversas qualidades. mas havia immensa carne preparada por diversos modos . Thiago. José e 4 •/» a S. que este generoso senhor de engenho pratica o mesmo que o bom Paulo da Varzea que me hospedou no dia 24 d'Abril . e ao longo della há humabella varanda de 12o palmos. Parece-me portanto. João d'El-Rei . visto ser provavel o não ter eu ainda jantado . Eu não sei como no espaço de hum quarto de hora se pòz esta lauta mesa. Deste arraial contão 5 legoas á Villa de S. da Penha de França. As 4 horas e 7j cheguei á casa do Capitão Joaquim Pinto sita sobre o ribei rão de Santo Antonio . eo mes mo rio de Santo Antonio que recebe os ditos corregos . cheio de civilidade. terrea. A casa do engenho do Capitão Joaquim Pinto he niui extensa. mas logo que eu puz pés em terra . etc. hum filho seu . que podia fartar a 5o homens.

A casa do Capitão Joaquim Pinto esta mobiliada á antiga moda Mineira. e chamão-lhe — Terra podre — a qual he composta de estratas ou camadas de barro e greda de varias cores. ou Santo An tonio . Eu fiquei todo alagado. papagaios . e tro vejou até ás 5 horas da tarde em que tanto o vento como a chuva acabárão inteiramente. . achando-me em marcha. Estes barrancos parecem effeito das aguas . O capim ou herva do campo he curta. leitos de jacarandá lavrados e com boas armações. Tenho visto algumas codornizes. mas tudo muito aceiado. mui rijo. A louça que vi na mesa he toda do estanhe. e calháo. periquitos . melros amarellos. Esta tarde pelas 3 horas. As 6 horas da tarde tempo claro : thermometro 7o°. e mesmo de cascalho. bancos c cadeiras de madeira pintada ou de sola. tudo muito simples .54 ITINERARIO do milho e outros generos aos Mineiros . do que nos ranchos da Varzea pertencentes ao fazen deiro Paulo. ferreiros. e ás 4 horas escureceu de novo e cahio chuva muito fria e copiosa. Os caminhos do dia de hoje são bons . e hum reba nho de carneiros e cabras . o vento passou ao N. I\ão vi passar tropas . e em alguns lugares há aberturas de immensa grandeza na terra argilosa. que se guem para o Rio de Janeiro. c de distancia em distan cia algumas flores muito bellas. e descarregou alguns agoaceiros: ás 3 horas e meia ficou o horisonte mais claro . turbou-se a atmosphera . O campo tem mais arvoredos do que o da marcha do dia de hontem. mas encontrei dous carros com familias. maritacas. he muito menor 11o rancho do engenho do Capitão Joaquim Pinto. Encontrei hoje huma grande boiada . e duas araras azues e amarellas. e huma vara de porcos .

rijo. Há pelos campos muitas quebradas de terra podre . e ás 6 horas e 35 minutos cheguei a outro corrego em que ha huma pequena ponte de lageas. vento N. João Baptista situado na margem direita do rio de S. e o rio da Batalha que na sua margem esquerda tem o dito rancho. braços do rio da Ba talha ou Areão. Á huma hora e % da tarde en trei no alegre e pequeno arraial de S.^Uo pequeno : antes do Buraco Fundo passão-se dous corregos. que entra no do Pará. posto que atravessem morros de barro muito elevados. — quinta feira. e seguindo a estrada ao rumo de O. dos quaes o da Senhora do Rozario. 8 db maio. Montei a cavallo ás 5 horas e 3/4 . As 4 horas da madru gada o thermometro em 54 minutos . Ás 1 1 horas cheguei ao corrego ou Bu raco Fundo . e junto a elle fica a casa de José Jacinto que he muito bom estabelecimento : aqui apeei-me . Este rio. e o do Senhor dos Passos estão mui decentes. 1'óra da estrada. e hum vasto canavial de assucar á esquerda. Este arraial fica 3 '/» legoas distante de S. 6 legoas. almocei. Thiago. — Pela manhã nevoeiros que se dissipárão com o vento e sol. João Baptista. poucos capões . com tres altares. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. Ás 1 1 horas e 55 im- nutos cheguei ao miserabilissimo rancho do Ouro Fino. João. atravessei tres pequenos corregos. que tem ranejio h. João Baptista há quatorze casas. No arraial de S. e huma pobre Capella dedicada ao Santo. huma grande casa . c o Buraco Fundo não tem pontes. Ás 7 horas o 74 fica- va-me á direita. c nas montanhas . 55 Arraial de S. Os caminhos até este arraial não são máos. No Buraco Fundo há hum corrego que lhe deu o nome. tendo passado hum pequeno corrego . Ás 8 horas atravessei o rio do Peixe que vai ao rio das Mortes : tem ponte de ma deira . Demorei-me aqui 3/4. braços do Santo Antonio . e demorei-me até ás 9 horas e 3/4.

gastando assim 1o horas e 3/4 na jornada sem parar. —A's 4 horas da manhã apontava o thermometro 48°: tempo claro. e cada huma das minhas bestas não conduzia mais de oito arrobas de peso. Alojei-me em huma pequena casa im- munda . Por aqui todas as propriedades são separadas das outras por vallados de terra. e cheia de bichos de toda a qualidade . João ás 5 horas e 55 minutos . S Iegoas. lenha . Como marchei escoteiro. a qual tendo sahido do ribeirão de Santo Antonio ás 7 horas e '/4 da manhã. azeite . para o que atravessei o ribeirão que corre pelo pantanal. e edificado na encosta d* hum morro. bem de fronte de huma casa ou rancho antigo de pedra . vento Norte rijo: o campo ficou coberto de geada em alguns lugares. De algun» morros desfrutão-se golpes de vista extremamente agradaveis. Nunca vi hum pirata mais descarado ! A's 7 horas da tarde o thermometro 74°. e logo depois hum corrego. terminou a marcha de 6 legoas ás 6 horas da tarde. A's 7 horas e 1 o minutos outro ribeirão . Vendeu-me tudo pelo triplo do seu valor . galinhas . ou vallas profundas. Arraial da Oliveira . que fica proximo a hum pantanal com grandes atoleiros. capim e sal : até a agua fez pagar. Por esta marcha se pôde calcular a andadura das tropas carre gadas . e o estalaja deiro ou rancheiro do arraial comportou-se comigo como o mais cadimo ladrão de Hespanha. arroz .56 ITINERARIO os matos não densos. Atravessei o Ribei rão de S. —sexta feira. A's 7 horas e 4o mi nutos entrei na Fazenda denominada Patrimonio . Abaixo do arraial vi muitos pinheiros em hum lugar murado. que está descoberto . A casa . muros de pedra. 9 de maio. para o gado não as saltar. Perto deste pantanal fica hum muro de pedra solta com huma can- cella. cheguei ao arraial muito antes de vir a bagagem.

que não fica longe. 5j da Fazenda do Patrimonio fica á esquerda da estrada que eu seguia . e ás 9 ho ras e 2o minutos encontrei huma leva de i5 recrutas. Tem rancho na margem direita. que entra na esquerda do Jacaré d' aqui a meia legoa. inculca-se pobre ou talvez miseravel. que tendo servido de feitor de certo clerigo possuidor de todas as terras circumvisinhas ao arraial . conduzidos pelo Alferes de Granadeiros do Regimento de milicias da mesma villa. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. He junto a este rancho que fica a encruzilhada do caminho que passa pelo Arraial de S. A's 1o horas e 55 minutos desci hum elevado morro composto de pedras ferruginosas. que entra pouco depois no Rio Gran de. Estes i5 recrutas. Este mesmo fazen deiro quiz acompanhar--me até ao Arraial da Oliveira. Antes deste morro fica hum corrego . tornei a atravessar o ribeirão para cahir na estrada . completão os 1oo que forão detalhados á Capitania Mór. mas limpo e abundante. A's 9 horas e 3/4 cheguei ao miseravel Rancho do Guilherme . He hum pedaço de máo caminho. Aqui almocei por convite que me fizera no Arraial de S. Ao meio dia atravessei hun^ 8 . que não obstante a sua riqueza em gados e terras . e retirada della 6oo braças pouco mais ou me nos. e muita greda amarella. A's 8 horas e meia sahi da Fazenda do Patrimonio . junto ao qual existem duas pequenas casas. Thiago para S. e vai unir-se á estrada da Serra da Estrella no Rancho de Luiz Ferreira . hum dos quaes se mutilou em hum pé para não servir. João hum homem velho. A's 1 1 horas passei o Rio do Frederico . João d'El-Rei. legou huma grande parte de seus bens ao mes mo homem. que seguião para o Rio de Janeiro por ordem do Capitão Mór da Villa de S. Bento de Tamanduá . O almoço foi grosseiro . Antes do Rancho do Guilherme passão-se dous corregos. na margem esquerda do Rio Jacaré . de que trotei no dia 29 de Abril.

da Oliveira. do Rosario no alto da chapada a pouca dist?. e o benemerito Padre Ma noel Fernandes Martins. S.ncia da Igreja de N. com tres altares decentes quanto o permittem as circunstancias deste lugar. e bem collocado Arraial de N. Pôde dizer-se que este arraial consta de huma rua immen- samente larga . e vi duas boticas que mostrão estar bem sor tidas : ha dous máos cirurgiões . de que va rios estrangeiros tem quebrado algumas lascas para mos trarem nas suas terras. situado na ehapada. que banhão huma gran de varzea. em que a agua da chuva tem aberto grandes barrocas que a indolencia conserva. vasto. e povoada pe las abas de hum cordão de morros á esquerda da mesma estrada. da Oli veira. Todas as guarni ções e ornatos desta igreja. são feitos de marmore verde. da Boa Morte da Villa de Barbacena. S. que se fosse mais cuidadosamente polido. não tem melhores proporções do que as do tem plo deste arraial. da Oliveira. S. e logo depois outros dons . deveria comparar-se aos melhores marmores da Italia. Cura ou Capellão desta Applica . S. S.. subpedaneo do altar mór. c estão construindo outra com a invocação de N.58 ITINERÁRIO corrego. a qual tendo mais numerosos ornatos do que a de N. O mestre d'obras ou architecto desta igreja foi o mesmo homem que agora está construindo a Capella de N. S. e nas duas encostas de hum elevado morro de argila vermelha . da Oliveira. Aos 4o minutos depois do meio dia entrei no apra zivel. na mais alta posição da qual se acha a Igreja de N. Ha outra igreja em huma baixa no prin cipio do arraial. outras estão mui pouco limpas: a estalagem he pessima . e dão ngua a hum rego que fica ao lado da estrada . Algumas casas do arraial são espaçosas e aceiadas. que he dedicada ao Senhor dos Passos. cimalhas . a saber: pulpitos. portaes. que neste lugar he bem pittoresca . A' porta da igreja existe hum pedaço bruto deste marmore.

c entre elles . hum propôz hum caso de consciencia intrincado . Engenho da Cacheirinha. mas á vista della c na mar gem esquerda do Lambary está huma grande casa com engenho de assucar. he largo e muito espraiado . e não . Encontrei neste arraial o negociante do Arraial de Meia Ponte de Goiaz Joaquim da Costa . e grandes barrancos. e ainda melhor vontade. onde me tra tou com toda a decencia. — Amanheceu claro. e arrastre os votos dos eleitores. 1o de maio. serve de medico. e passei logo hum ribeirão com ponte. muita pedra . que sahira do Rio de Janeiro com a sua tropa muito antes que eu de lá partisse. A's 7 horas e '/4 cheguei ao Rio Lambary que não tem ponte . A' direita e fóra da estrada. A's 5 horas e 2o minutos sahi do Arraial da Oliveira . morros. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. altos. e mais cinco sem ella. 59 cão. Desde o Rancho do Guilherme até ao Arraial da Oliveira caminha-se ao rumo proxima mente N. que de- cidio promptamente . e com huma independencia que me deixou admirado. geada em abundancia nos lugares elevados. Thermometro ás 7 horas da tarde 74°. João Baptista para o Arraial da Oliveira são máos. Fui convidado por este virtuoso ecclesiastico para me hospedar na sua casa . Durante o tompo que me demorei no Rancho do Lambary fui ver essa casa e engenho . thermo metro ás 4 horas e meia 48°. e recebe todos os corregos para levar as suas agoas ao Rio Jacaré. — sabrado. escarpados. He provavel que neste tempo de eleições para Deputados da Assembléa Geral Constituinte a opinião deste Ecclesiastico decida muito. Os caminhos de S.da terra seis pessoas a pedirem-lhe conselho sobre varios negocios . 7 legoas. Nas poucas horas que estive neste arraial em companhia deste ecclesiastico vi chegarem de fóra .

O feitor da fazenda hospe- dou-me decentemente na casa grande .6o ITINERARIO encontrei gente limpa (talvez se escondesse no caso de existir ) . que vai ao Rio Grande. proximamente. ao Rancho do Borges i . A minha bagagem . Bento de Tamanduá. — Continuo a estar hospedado na casa do Capitão Mór. Do Arraial da Oli veira ao Engenho de LamWary ha 1 legoa e 3/4 . João d'El-Rei. e os edifícios estão muito maltratados. A Fa- zenda da Cachoeirinha he hum grande estabelecimento com engenho de assucar movido por bois. posto que se encontrão varios morros altos. O seu proprietario acha-se na Villa de S. Passei ao depois os miseraveis Ranchos dos Fialhos e do Borges . e cheguei aos 4o minutos depois do meio dia ao Engenho da Cachoeirinha pertencente ao Capitão Mór de Tamanduá. Todos elles entrão no Rio de Santa Anna. Dizem que deste sitio ha 24 legoas a S. e 16 ao Rio de S. — domingo. e o Ribei rão dos Fialhos : entre este ribeirão e o Rancho de João Borges ha cinco corregos. aos Fia^ lhos 2 74 . Quebrou-se hoje o thermometro que . O. e hu ma immensa quantidade de craveiros. n de maio. e ao Engenho da Ca choeirinha ou Areão 2 legoas. João Quintino de Oliveira. huma grande mata. e menos barran cos e socavões do que nos dias antecedentes. Francisco. e entre o Rancho do Borges e a Cachoeirinha passão-se tres corregos e hum ribeirão. arvores fruçtiferas . chegou a esta fazenda a 1 hora e '/(f da tarde. Os caminhos para este en genho são medianamente bons . o Sr. O engenho fica na mar gem direita do Ribeirão Cachoeirinha ou Areão. Caminhei ao rumo de N. que dista d'aT qui 2 legoas ao rumo de N. Entre o Rio Lambary e o Rancho dos Fialhos passão-se dous corregos . que ficou hon- tem no Rancho dos Fialhos. que so perde no Rio de Santa Anna. 38 á Cidade do Ouro Preto. O. na qual ha huma boa horta de plantas culinarias .

Adiante da Ponte de Pedra fica hum miseravel rancho . trouxe-me á memoria a muito superior magestade das pon tes naturaes de Icononzo no Perú . e o vão do arco na tural não excede a 1o palmos de alto. Erão 6 horas e 35 minutos quando passei por este . 12 de maio. — segunda feira. e coleiras pretas. — Sahi da casa do Sr. fica em huma baixa. Capitão Mór de Tamanduá ás 4 horas e 5 minutos da ma nhã acompanhado por elle e pelo Sr. e ahi observei tres lindissimos Beijaflores ou Colibns com as azas cinzentas. A's 4 horas da tarde chegárão a este engenho o Sr. e como esta he a primeira obra natu ral que tenho visto no Brazil com a configuração de ponte. DO RIO DE JANEIRO AO PARA. O Sr João Quintino tratou. Padre João Antunes •Corrêa. que mais abaixo forma bellas cataractas. 6 legoas. e approvou a obsequiosa hospeda gem que me deu o administrador. exis tem cercas de pedra solta iexadas por canccllas : aqui sc despedirão de mim as pessoas que me obsequiárão com a sua companhia . em hum sitio elevado. Quintino.me com a mais urhana civilidade. e meu antigo conhecido. 6l me restava de tres com que sahi do Rio de Janeiro. Padre João An tunes Corrêa. Vigario de S. A's 6 horas e '/4 passei a Ponte de Pedra: he hum rochedo furado que dá passagem a hum corrego. Bento de Tamanduá. Capitão Mór João Quintino de Oliveira. e o Sr. O engenho está traba lhando. e seguindo por entre morros cobertos de densas matas. adiante do qual. Passei o Ribeirão do Areão . e 2o de largo. Está no meio da mata . Esta ponte natural he formada por grossas penedias que não tem mais de 2o pés de largura. e neste mesmo lugar terminão as terras do Sr. atravessei o Corrego da Cachoeirinha. Arraial da Formiga . e a Rock Bridge nos Estados-Unidos da America.

ervas. e deixando a larga e aprazivel estrada real á direita ( segue para os Novatos ) . e este no Rio de Santa Anna ou Formiga. D'aqui segui para o Arraial da Formiga. S. e passando dous corrègos que unidos cahem no Ribeirão do Pouso Alegre. e ha outra de N. Erão então 8 ho ras. e ás 7 horas e 1o minutos o rancho do mesmo nome . A casa de Antonio Pinto fica sobre o Corrego do Retiro ou Tres Irmãos. A's 7 horas e % fica hum regato . onde tomando hum estreito caminho á esquerda . tanto pela sua construcção como localidade em que se acha . que fica fóra da estrada . onde não achei milho nem capim para os cavallos. passando pelo sitio de Antonio Pinto da Cunha . Vicente Ferrer. O arraial fica 3 legoas e distante da Villa de S. que he bas tante largo e pouco fundo neste lugar. e ahi me apeei para descançar. tem casas elegantes todas abastecidas de agua por canaes subterraneos: acha-se na encosta e na baixa de hum alto morro na margem esquerda do Rio Formiga . Este honrado velho quiz a força que eu comesse alguma cousa . do Rosario : a primeira está-se acerescentando . A igreja principal tem a invocação de S. e ha tres bons sinos promptos aqui fundidos para se lhe collocarem. chamado Pouso Alegre. e offereceu-se a acompanhar-me até ao Arraial. fui ter a Fazenda do Alferes Thomaz Joaquim. de modo nenhum corresponde ao bello ideal que delle se forma. onde ha . e cheguei finalmente ao Arraial da Formiga ás 4 horas e O arraial he vasto . passado o qual ha hum morro . e 2 legoas longe da Serra das Locas. e apresentou-me hum prato de feijão preto com carne de porco. o qual . e leite. Sahi desta casa ás 3 horas e V4 da tarde.C2 ITINERARIO rancho. subi hum morro muito pedregoso. Mais adiante hum pouco fica o corrego denomi nado Braço de Pouso Alegre. Bento de Tamanduá. A's 6 horas e 4o minutos fica outro regato com hum atoleiro e pantano.

f)3 cavernas de que se extrahe salitre em abundancia. Thomé . ou apostolo dos antigos legis ladores que introduzirão hum culto religioso muito philo- sophico no Mexico. convidou-me para me hospedar na sua casa. O Alfe res Francisco Teixeira de Carvalho . e aceresceritão que sendo o Santo perseguido . Guatimala. posto que não se pôde negar a existencia de hieroglyphicos de hum povo antiquissimo em varios lugares do Br. ou talvez converterão huma santa personagem que sé diz ter andado pelo Brazil . e estou persuadido que são dendrites.azil. que serve de Comman- dante do Districto. Esta Serra das Letras he famosa nas Minas Geraes pela tradição de haver ali habitado o Apostolo S. em o Apostolo S. tiverão a habilidade de apresen tarem no Brazil o Apostolo das Indias (se he que visitou essa região . ou alguem por elles. o qual certamente escreveria na lingua Hebraica. Os Jesui tas. O Commandante disse-me que as extrahem da Serra das Letras distante 25 legoas do arraial. a quem dedicárão huma capella. ou Caldaica. He para lamentar que algum dos muitos sabios Mineiros não tenha . por não ter tempo para inventar ( como praticou o Bispo Grego Ulfilas ) ca racteres para transmittir á posteridade as suas prophecias. onde me tratou com a maior hospitalidade: nesta mesma casa vi duas laminas de grez elastica de quasi huma braça em quadro. Thomé . Siriaca. que bem podia ser companheiro ou discipulo de Manco Capac. que ha poucos annos a esta parte se tem encontrado. e servem para fundos de tachos de torrar farinha. onde lhe chamárão Sumé .-es- crevêra em caracteres desconhecidos varias prophecias sobre a futura entrada de Christãos no mesmo lugar. o que se reconhece n5o haver realmente acon tecido ) . assim como não me atreverei a negar a exis tencia de hum Sumé . DO RlO DE JANEIRO AO PARÁ. e Nova Granada. como o testificão os maravilhosos e estupendos monumentos. Eu não vi estes caracteres.

A's 7 horas e '/j entrei na cerca da casa do Ca pitão José Teixeira Commandante deste Districto. e rico proprietario. Fazenda do Capitão José Teixeira. a Serra das Locas . ou se introduzidos em buracos. Francisco . em que ha cavernas em pedra calcarea donde se tira muito salitre. e encontrão-se grandes sta- lactites. e para isso prepara-se muito fogo de artificio. mas o arraial he mais abastecido de mantimentos do que os poucos ranchos da estrada. As cavernas são profundas. e se na sua posição ha alguma unifor midade. A's 5 horas e 4o minutos passei pela casa da Fazenda do Padre Barnabé. e dous corregos chamados do Quilombo . Infelizmente não achei quem me dissesse se os cadaveres estão envoltos como alguma§ mo- mias. por estar aqui o Padre Gapellão do Arraiai . para se conhecer se são obras da natu reza. Da For- mig« aos Novatos contão huma legoa.f>4 ITINERARIO cxtrahido hum desenho das letras. Passei o Rio Formiga so bre tres pontes de madeira muito baixas . que entrão na margem esquerda do mesmo rio. A mi nha bagagem ficou em casa de Thomé Joaquim. e nellas se tem en contrado esqueletos dos Aborigenes. O. por terem servido de catacumbas a estes povos. e acha-se abandonado. A's 6 horas e meia vi a. ou se dentro de vasos grandes de barro. afim de se pouparem 2 legoas e meia de marcha . i3 de maio. Dizem-me que he preferivel seguir a estrada dos Novatos para hir para o Rio de S. ou se forão construcções das mãos de homens. — Sahi do Arraial da For miga ás 3 horas e '/j da manhã. natural de Basto em Portugal. — terça feira. estabelecimento considera vel. 4f legoas. ou o quer que he da serra deste nome. Achei muita gente reunida. Estão para fazer huma grande festa no dia do Espirito Santo deste anno .

e que paga grossa pensão ao seu Vigario. em fim nsou-se nesta casa a maoir sem-ceremonia com o Padre . seguia-se hum chapéo. O Padre Ca- pellão ajuntou no meio do pateo 18 pretos que se havião de confessar . que servia de frontal . A toalha era hum trapo que pare cia ter limpado pratos em huma cozinha : duas garrafas de vidro servião de castiçaes a dous bicos de cera que não tinhão mais cfce duas polegadas de comprimento. Huma pequena mesa coberta com outro pedaço de chita velha . amicto . A' roda da parede havia hum grande numero de pontas de veado de que pendião muitas cousas. lie de páo a pique sem estar rabotada. formava todo o apparato do altar. depois huma peneira .de respon- der-me que a Igreja he muito pobre. DO RIO DE JANEIRO AO PARA. com os assistentes ecom Jesus Christo Sacramentado. O veo do calix era hum esfregão : em fim tudo correspondia a cada huma das suas partes. A casa em que estava a enferma e se disse a missa . que nos sertões não se es 9 . immediatamente hum capote . Para se dizer missa pôz-se de encontro a huma parede da sala (e ahi mesmo estava a barra ou catre da moribunda ) hum pano de chita. Junto ao altar ficava huma sella : logo depois huma espin garda . A alva . que mostrava por algum pedaço que ainda existia . ter sido de chita de ramagem. mas he necessaria para ver se ha emenda de tanta negligencia. A maior parte delles apenas sabião o Pa dre Nosso. que servio de colcha de cama ha hum seculo. e sobre tudo a casula mettião nojo. Este indecentissimo appa rato obrigou-me a fazer varias reflexões sezudas ao Padre Francisco de Paula Barreto que teve a bondade. e pondo-os em circulo foi-os examinando em Doutrina Christã. Eu temo fazer huma narração fiel da scena do dia de hoje. principalmente a ultima . Ahi mesmo no pateo confessou-os . a este hum cesto . e absolv/eu- os a caçadora. 65 da Formiga para administrar o Sagrado Viatico a huma preta velha que se acha moribunda. acerescentando .

< legoaa. e estes são sel- las . e na maior parte das fazendas depois que se sobe a serra da Es trella. Ha poucas pessoas que tenhão o gosto do proprietario da fazenda dos Campos Geraes . e mais alguns que desejão ter as casas das suas fazendas limpas e arranjadas. O meu patrão metteu-me grandes sustos ácerca da maligni dade do Rio de S. pôz huma boa mesa ao Padre . o ribeirão deste nome em dou» lugares . e da mobilia que a ornava.«G ITINERARIO tranha isto ! 1 ! Acabada a missa e mais actos religiosos pas - sou-se aos de mera civilidade : o dono da casa no meio da immundice em que vive . — quarta feira. Nos arraiaes encontra-se maior aceio. O Averno dos poetas nao tem peior fama do que o Rio de S. Miguel que tenho de passar no dia de ama nha . Francisca . A pintura Ou descripção que eu fiz desta casa. Julião . Bem poucas pessoas conhecem o luxo e bons com- fnodos da vida : habitão muitos annos em hum a propriedade como quem está para abandona-la a cada hora. Miguel. freios . e entre outras cousas recommendou-me que sahia muito cedo para atravessar os pantanos antes de nascer o sol. espingardas e outras cousas semelhantes. e que tape a boca e nariz com hum lenço molhado en>agoardente. Capitão Joaquim Pinto . e a casa e Fazenda de S. ii4 de míio. cujos edifícios não apresentão. Passei a fazenda dos Arcos . e tratou-me excellentemente bem. Vi muito gado pertencente a estas Fazendas. Rio ée S. con- vidou-me a ficar no seu engenho. grande apparato. Atravessei depois tres-grandes varzeas em que ha lagôas formadas pelo tresbordamento e cheias do Rio de . mas nas fazendas as pontas de veado são as escapulas de que pendem os quadros . — Sahi da casa do Capitão José Teixeira ás 3 horas da manhã : tempo nublado e quente. he quasi geral em todos os sitios.

armada dos pés á ca beça com huma espada de uniforme que lhe chega aos honi- . DO RIO DE JANEIRO AO PARA. A's 7 horas o aã mi nuto» passei a ponte de madeira do tremendo Rio de S. parece que de proposito escolherão para servir com o Capitão Pantaleao hum homem que muito se assemelha cora elle excepto na idade : o soldado he moço. Este porto do rio chama-se Porto de S. O referido Capitão Pantaleão ia com a sua familia em carros para o Ar raial da Formiga a assistir ás festas do Espirito Santo. Juliao : a ponte poderá ter 5o pal mos de comprido . Francisco. Passada esta ha huns sitios com pequenas casas á direita do caminho . e não ho má. D abi a pouco sobe-se huma encosta de morro . a Fazenda das Perdizes da família dos Pam- pIonas. e depois. he huma pouca de lama dissolvida : vem de terras calcareas . grosso. nitrosas . saponaceas . e de ditos agudos . Todavia pedio-me instantemente que me alojasse na sua casa que está junto á margem do rio. Miguel . assim como 11 ao o são outras que existem neste lugar. e atravessa charcos e pantanos. No Rancho de S. Miguel ou do Pantaleão . làllador importuno. 67 S. Miguel. baixo. por ser huma das personagens mais notaveis deste lugar . mui extensas noste lugar. Passado o rio fica hum pobre rancho denomi-' nado de S. Miguel encontrei o administrador dos direitos de passagem deste porto o qual se chama o Capitão Pantaleão. e d'ahi a meia legoa está huma grande lagoa á esquerda da estrada. em razão da dependencia que todos tem delle em qualidade de admi nistrador dos direitos de passagem . e 2o de largura : a agua he turba ou para melhor dizer . insolente até ao desaforo . Francisco em cuja margem direita me apêei sendo 9 horas e 1o minutes da manhã. eheo mais frequentado. e muito chocarreiro ou mal criado. que traz comsigo o de S. homem baixo. no qne he auxiliado por huma praea de regimento de cavallaria de Minas Ceraes. 4 descendo-se para o outro lado . junto a hutu corrego e morro . chega-se ao celebre Rio do S.

68 1TINERARIO bros. O rio de' S. Este Sancho-Ferrabraz ameaça a todos os tropeiros . hum carro carregado ou sem carga 9o0 réis . ou aquillo que se paga neste registo he de cada besta de carga ou sem ella 1 5o réifcj hum carneiro 4o réis . mas acontecendo dizer hum genro do Pantáleão varias graças ao Alferes que comigo marchava . não obstante existirem entre o lugar em que me . que interessa muito . Os Rios de Santo Antonio . hum homem de pé 8o réis . e indo a cavallo paga por si é pela besta. Samburá e Ribeirão das Ajudas engrossão as suas aguas antes da passagem de S. recebedor e escrivão . Em conformidade do seu convite estive hum pouco tempo na sua casa. e en- tende-se bem com todos elles. duas pistolas á cinta. e dizem. vendo eu então que neste porto o Pantaleão . aplana as difficuldades . Nisto imita ao pé da letra ao Capitão Pantaleão que sem ostentar tanta valentia. hum porco 2o réis . Aquelles que pagão . pratica certas equidades na conta gem que nunca dão interesses á Fazenda Nacional. Miguel : o rio he navegavel desde a passagem da Mariquita 29 legoas acima deste porto . hum dos seus braços que vem da Fazenda d'Anta sahe de huma rocha de que se precipita em cachoeira. e querendo este applicar-lhe á cara cata plasmas de palma da mão pesada . Francisco nasce na serra da Canastra . o seu soldado Ferrabraz . e não passa mal. e o seu genro todos são divertidos fora de preposito . e servin- do-se a proposito da loquella do seu segundo . O Capitão Pantaleão exercita aqui (o mesmo acontece em outros Registos) os officios accumulados de ad ministrador . clavina no braço e faca na bota. contador . deliberei-me a passar para a margem esquerda do rio onde me recebeu com a melhor vontade na sua choupana hum pardo honrado . e para baixo navegão canoas e ajojos até a Cachoeira de Paulo Affonso. e em retorno de boas palavras e varias galan tarias do Rio de Janeiro . official çapateiro que ahi mora.

que entrão no Rio de S. Romão. 69 acho e o Arraial de S. 3o cachoeiras. conhecerão que eu segui huma marcha pelos pontos culminantes do terreno comprehendido entre o Rio Grande ao Sul . Hoje ofllciei ao Exm. que então se espalhão e inundão as varzeas até S. Ha neste rio sucurius enormes . bestas e cargas: o ajojo transporta 4 bestas descarregadas. Francisco. A agua do rio esta muito cristallina. Mi guel entra na margem direita de S. João que vai desaguar no Rio Pará . e os Rios Doce e Braços de S. De todos os rios . Miguel e os seus braços de S. vejo quatro pessoas com terçãs. agradecendo a honrosa hospitalidade com que me tratárão os habitantes da estrada . Julião . DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. Fran . surubins . Domingos e S. e peixes de muitas outras qualidades. fechado entre barrancos altos que no tempo das cheias são vencidos pelas aguas. corregos e ribeirões que atravessei desde Barbacena até ao Rio de S. O Rio de S. Com effeito este lugar he mui doentio pois que nas sete casas que existem na margem esquerda. '* As pessoas que lançarem os olhos sobre hum mappa coro- graphico da Província de Minas Geraes . OBSERVAÇÕES sobre a minha marcha desde a Villa de Bar bacena até ao Rio de S. assim como jacarés . só correm ao Norte o Ribeirão de S. Julião. Aqui ha hum ajojo de duas canoas para passagem de gente. Go verno Provisorio . e o Rio de S. e o excellente comportamento do soldado de cavallaria que me acompanhou até este Registo. e Governador das Armas da Provincia . acontecendo outro tanto na margem esquerda ao Rio Bambuhy. Francisco ao Norte. e corren tezas ou corredeiras mais ou menos difhcultosas. Francisco. Francisco abaixo do porto 2 legoas . O rio tem aqui 2o braças de largo e 3o palmos de fundo : he muito melancolico. A jornada de hoje foi por baixo de sol sombrio.

0 Ribeirão de S. Todos os rios e corregos que atravessei são pe quenos . As campinas com varioa capões domiuão a maior parte do terreno que percorri. Todo este terreno pôde dizer. Talvez esse seja o motivo de encontrarem-se aguas barrentas em alguns sitios. apresentão repentinamente o principio da destruição ou do desmoronamento de grandes porções de campos. talvez mi lhões de seculos para o terreno ficar todo por igual. e tingindo as aguas. 0 lu gar em que esta vegetação tem maior vigor he peito de Tamanduá . apezar de offijrecer de distancia em distancia alguns morros c serras. e aqui são necessarios seculos. O philosopho deve bera estudar as terras podres . As terras podres que se encontrão pelos campos. disposta em muitas estratas de diversas contexturas. as quaes falsamente são attribuidas a trabalhos niineraes. João nasce em huma sinuosidade deste terreno.7» ITINERARIO cisco. e por isso tive lugar de o atra vessar : o Rio de S. deixei* as suas partes crassas peles leitos e margens dos rios .ue em outros lugares se faz em miniatura : acolá os morros desapparecem quasi repentinamente. Francisco abaixo do porto. Nestes terrenos podres acontece em ponto grande aquillo q. que forçosamente deve cahir no Rio de S. Miguel corre em terras tão baixas. e formão immensas barrocas. talvez para o mar. deixando-se penetrar facilmente pela agua. e que as mais subtis vao diluidas. o que prova que a minha marcha foi pelos pontós mais culminantes. parar ao oceano. em que a vegetação tem hum caracter mais approximado a mato virgem do que a catingas.sc que está era hum mes mo nivcl . o ahi o terreno he mais elevado. e ir correndo a terra para os lugares baixos. He mui provavel que estas terras podres compostas de barro e greda solta ou sem viscosidade. Basta o buraco de huma estaca. são mui dignas do considera ção : morros de terra solta . o principio de huma vala para se formar a barroca.

e da sua pouca duração : agora direi que existem muitas casas abandonadas . mas encontrei muitas codornizes. em consequencia da facilidade de subsistir . o inimigo mortal da agricultura. nem outro animal quadrupede . fl dos campos de Minas Geraes entro os Arraiaes da Lagca e de N. mas não descubri nenhuma cobra. por sc haverem mudado os .IBO AO PARÁ. quando se compara com outros lugares da provinda . no caso de se desterrar a ociosidade que muito impera em todo o Brazil. e encontra muita gente que o de seja ter em casa. Não se pôde formar juizo seguro ácerca da agricultura em geral pela compa rativa insignificancia da que ha ao longo. excepto pequenas la- gartichas. mostrão que as campinas podem admittir cultura de arvoredo. e contiguo ás es- estradas. Qualquer vadio que possue huma viola tem pão ganhado sem trabalhar . Os carrapa tos tem tomado conta da erva do campo. da Oliveira: certamente clfe encontrará pode rosos argumentos para defender a theoria de hum nivela mento ou abatimento e destruição de todas as montanhas da terra. Vi grande numero de araras azues c das vermelhas. Dous sitios estabe lecidos em hum campo . e não ha dias em que não encontre alguns no corpo. O paiz que percorri acha-se mui povoado. EO RIO DE JANF. c apenas apparecêrão duas perdizes adiante do Arraial da Formiga . de maneira que não vi hum só vea do . papagaios. Os campos e os bosques achão-se extremamente batidos por caçadores . graças á hospitalidade e generosidade da gente mineira. e mui cheios de arvores fructiferas ha poucos annos plantadas . e ou tras aves. lagarto. Tenho visto pela mata <le Tamanduá algum ca pim melado . nem conservão a millionesima parte do gado que poderião sustentar. mas nem por isso os campos abundão. S. ou reptil . e princi palmente nas Minas Geraes. ou taperas . Já em outra parte faltei dos edifícios .

Francisco . Fazenda do Aranha . e que destas fallecêrão acima de 2oo. Depois de agradecer ao çapateiro meu patrão. Miguel. mas ouvi dizer que o são as do Rio de S. Francisco dizem que nas en chentes e vasantes deste anno adoecêrão mais de 6oo pes soas . e a sua mulher os obsequios com que me tratárão. posto que já se ache muito povoado : conserva-se o nome pela força do costume. e ha muita grez. he provavel que venhão a aca bar. em que até agora a mão do homem não fez o mais pequeno beneficio sanitario. Francisco . e pe dra olarea.S. e os tropeiros sofFrem incommodos immensos para bem sustentarem os seus animaes. O fogo e o machado tem destruido immensas florestas. que agora estão longe nas montanhas . Nao encontrei aguas salobras. que muito se parecem com as açucenas. 3 legoas. Penso que nos morros do Rio Jacaré existem mineraes de ferro . Por estes lugares faz-se uso de carros de trez ou qua tro juntas de bois para transporte. Não tenho visto muitas flores pelos campos. c a maior parte das que se encontrão são semelhantes aos malmequeres : todavia perto do Arraial da Lagea encontrei humas flores de raizes tuberosas. — quinta feira.72 ITINERARIO proprietarios para terrenos em que encontrárão matas. — O terreno em que agora vou entrar chamã-se geralmente Sertão ou Deserto. As pessoas que habitão nas margens do Rio de S. Isto prova a malignidade da atmosphera do Rio de . assim como succede em outras cousas na humana sociedade. As estalagens e os ran chos estão pela maior parte mal providos de mantimentos. i5 de maio. e d'a- qui a poucos annos as madeiras de construcçfio. sahi da sua choupana da margem esquerda do Rio de S.

Esta senhora mui alva. baixa. estava co berta de ouro no pescoço e braços. Francisco. e com efleito tratando-me com palavras mui obsequiosas . A estrada acompanha o Rio de Luiz Jacinto que fica á direita. mas vindo assistir ao almoço. Ao meio dia chegou a casa o Sr. em que brilhou a valentia do seu impavido heroe. A's 6 horas e meia passei pela frente do Rancho e Sitio de Maria Aires. A senhora da casa. Capitão Carvalho. que entra no Luiz Jacinto acima da pas sagem da ponte. A apparição desta se nhora he nova prova de não se esconderem todos os indi viduos do sexo feminino. que corre para o Rio de S. apareceu-me muito bem vestida quan do me recebeu. mandou-me convidar para me recolher á sua habitação. em ausencia de seu marido. Desde o rio vai-se subindo por hum espigão de morros que ficão entre o Rio de S. Diogo de Miranda. figurado pelo immortal Cer vantes na perigosissima aventura dos leões . e he miseravel : até aqui s&o capoeiras de antigos roçados. Rita. de cabello louro e de grossura mediana . Francisco: he composto de muitos braços. Passei logo hum pequeno corrego. j5 ás 5 horas da manhã que estava mui escura do nevoeiro que cobria o rio de modo tal. o maior dos quaes he o Ri beirão de S. fez logo pôr a mesa para eu al moçar. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. que está á esquerda da estrada. que na distancia de 2o pal mos não se podia ver a agua. e o terreno he pantanoso. per tencente ao Capitão Manoel de Carvalho. O Sr. A's 7 horas atravessei a ponte do Rio de Luiz Jacinto. Francisco á esquer da . huma copia do Cavalleiro do Gabão Verde D. que corre á esquerda a precipitar-se no Rio de S. mas limpa: vi boas 1o . Aqui tem huma tapera ou casa abando nada. A's 8 horas e 1o minutos apêei-me no Rancho da Fazenda do Aranha. que me pareceu pelas suas palavras. Carvalho he hum fazendeiro rico : a sua casa he pequena. e o de Bambuhy á direita. vestuario e maneiras .

talvez por se acharem nas suas fazendas. e ahi estão varias olficinas do estabelecimento. he agil. a qual se acha no mais deploravel estado de ruína que se pôde imaginar. da Conceição á custa do Vigario Paro^ quial . que estava clara e mui serena.• ■. O labio inferior descia até abaixo* da ponta da barba. Além do Vigario da Igreja existe aqui o Vigario da Vara ou Foraneo: eu não vi ne- nhum delles.. — sexta feira. nem pessQa alguma notavel. e com á physie- nomia de hum completo. Ca- pitio Carvalho pelas 3 horas e 2o minutos da manha. . . . de páo a pique. ■t■ . Arraaçhei cm a péssima esta- . casasi todas são terreas. ! ' J f . . Perto da casa do Sr. e segoio para Bambuhy. Hoje vi hum preto pigmeo. e a de N.. e costeado huma lagôa que fica entre elle e o arraial em hum sitio. i i: . — Sahi da casa do Sr.. e não ia mal vestido.■-• : . e algumas vitellas já cres cidas... . . e muito maltratadas... 74 IÍINERAHIIO escravas pardas' qnic me viertto set*vfr todas ' as vezes qite foi necessario. sem reboque.. . Carvalho passão alguns pequenos corregos. ■ 16 M maio. tendo atravessado o Corrego da Mata. . Passei hum corrego perto do rancho. A' boca da noite veio para o curral huma grande quanti dade de vacas com as suas crias .. na margem direita do Rio Bambuhy.idiota. . S. a de N. As suas.. S. '. 3 legoas. Q arraial está situado em terreno baixo e pantanoso . e ás 8 horas e 25 minutos che • guei ao Arraial de Bambuhy . Este corrego entra no Rio de Luiz Jacinto. ' ■ J.:. muito baixo. Tem huma Igreja Paroquial dedicada a Santa Anna. . e não obstante isso estão construindo duas ca- pellas. do Rozario. e dispostas em desordem. A's 5 horas oabio hum denso nevoeiro . i- Arraial de Bambuhy (Rio dos Bambus). (T . o qual desceu com hum páo na mão por hum trilho que fica por detr»» do rancho.

e me Tendeu os mantimentos por preços commodos. .^e muito áspero. etc. e lagôa piscosa. em que aa hum valente e tão copioso olho de agoa( qije repelle qualquer corpo medianamente pesado que lhe lanção dentro. Çj5 lagem ..ho- ras e 4 minutos . sifão . . Este poço.i! • • i •■. junto da qual se acha o . Contárão-me que em huma lagôa distante meia legoa do arraial.«o» capões que apparecena ha varios olhos de agua : tal be a informação que me deu o meu tropeiro. que.. 6J legoas. e immensas codornas.A's 5 horas o morro dí\.[••.-. ••!>. — sabrado. de madeira c estreita.v ■ ■. Estes lugares são mui doentios.! . Os caminhos não são máos. teve prin cipio como olho de agoa . mas .. o Corrego do Retiro com má ponte. que estava clara e o ar quente. mas dizem que em tempo de chuva extravasa. que di zem ser natural e muito profundo : tem agoa na distancia de 3 braças abaixo do nivel da chapada. a ponte alta. Em huma pe<[uena chapada de barro ver* melho além do brejo sobredito existe hum poço. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ.ponte alta^. Abaixo do arraial existe huáa brejo . Vi ao S■/4 de SO. • !. a meu ver. ou orgão geologico : não achei pessoa alguma que me désse informações sobre a» suas circunstancias anteriores. . A'f 3 horas e »/.\ .••. m. Rancho do Ribeirão da Prata. Vi algumas perdizes . na qual se formou pela natureza huma gruta semelhante a hum tem plo. existe huma immensa pedra insulada. . ■. Oi/ir . cujo proprietario ou administrador me servia muito bem . Encontro as arvores mais fracas do que nas matas prepedgtytaB. f■ 17 de maio. .. — Sahi dq arraial de Bamj(uhjjr ás 3 horas da manha. ara ras . '" . Desde a casa do Capitão Carvalho até ao anraial não encontrei agua: o Corrego da Mata está secco. papagaios . • . só dizem que he muito fun do. ■'. a Serra do Furriel Antonio Vicente.Si (*. ao lado fica hum rancho ..\ o1» . . A's 5.

lenha .76 1TIKJSRÁR1o ■ • Arraial do Piumby ou Piauhy a íolegoas de distancia. e o ar quente. O caminho he com effeito pela cresta do morro . mas a noite ficou boa . e na sua aba do SE. De tarde ouvirão-se trovões a Oeste . Antes do Corrego Fundo licão os Brogotós. São a aresta de hum extenso morro que ha entre a ponte alta. Ao NO. codornas. A's 1o horas e 2 5 minutos cheguei ao miserabilissimo sitio denominado Ribeirão da Prata. capim . Os caminhos para este lugar são bons. no qual no lado direito nasce hum corrego que vai ao Rio de Bambuhy . Não tem casa . A tropa foi ficar em huma restinga distante huma legoa acompanhada por dous tocadores por falta absoluta de pastos nas pro ximidades deste rancho. Nesta serra passa-se hum morro redondo por onde os carros sobem e descem quasi perpendicularmente. a Serra do Urubu distante 4 legoas. nem cousa que se possa comer : he o lugar mais ermo que tenho encontrado. He portanto . A's 8 horas e 25 minutos cheguei ao Corrego Fundo onde estão construindo hum rancho. A's 9 horas e '/» pas sei a Serra do Medeiros : he alta . tem hum lugar apertado. que só he abundante de agua. Os campos estão inteiramente quei mados: já vejo arvores carrasquenhas . e a O. e canellas de ema. Ao lado esquerdo corre o Ribeirão da Ponte alta em huma immensa profundidade. e algumas seri-emas. posto que a fa zenda fique perto. Aqui passei huma pessima noite em hum pessimo rancho . e o Corrego Fundo. este lugar huma especie de portão. Ha perdizes. a Serra do Medeiros. . e o do fim da Serra do Medeiros: todavia desde o Corrego Fundo até ao Ribeirão da Prata não se encontra sobre a estrada habi tação alguma nem agua. e de ambos os lados tem grandes despenhadeiros. e no esquerdo outro cor rego que se perde no Ribeirão das Ajudas. excepto o morro dos Brogotós .

braço do Santo An tonio. A's 9 horas e 2o minutos passei pelo aprazivel sitio denomi nado Montevidéo . A agua fica em dous profundissimos vales á direita . Sahi do Ran- cho ás 7 horas e 3o minutos. e esquerda do chapadão em que existe a estrada. e ahi mesmo esteve a guarda da Provincia de Mi nas quando o territorio de Goiaz chegava até a Serra Geral. de casca grossa e despojadas absolutamente de folhas no tempo secço. As bestas espantárão da minha li teira . e o da esquerda pôde descer-se até huma quebrada em que existe hum copioso olho de excellente agua. 7 legoas. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. A' 1 hora passei hum ribeirão. que vai para o Quebra Anzol ou Quebra Anzóes. DOMINGO DO PENTECOSTE. !. Fiz alto ao meio dia em hum cerrado para dar milho aos cavallos. A'os % en contrei huma tropa de Paracatú composta de sete lotes carre gados de couros e solla. no qual porém arran- chão as tropas em caso de necessidade. que o he do S. A's 1 1 horas cheguei aos antigos limites da Provincia de Goiaz com a de Minas Geraes em hum cer rado ou mata de arvores tortuosas ou carrasquenhas a E. deserto . Adiante fica o Corrego do Medeiros . Francisco. A 'A da tarde continuei a marcha. 77 Cachoeira do Cervo . do lugar denominado — Estreito — da Serra da Marcella que fica entre dous barrancos que apenas deixão espaço para pas sarem dous carros emparelhados : o barranco da direita he muito profundo . e por este modo o estreito de que fallei he o ponto culmi nante da Serra da Marcella que divide as aguas orientaes das . e fizerão hum terrivel esparramo. l8 DE MAIO. Cerrado he huma mata ou mais de pressa campina em que ha muitas arvores tortas. e passei logo o Ribeirão da Prata que vai entrar no Ribeirão do Samburá . Aqui arranchão as tropas em campo raso quando a isto se veem obrigados. e sem agua . baixas.

a qual pelo lado do Sul apresenta como esta ultima a configuração de huma muralha arruinada. Os caminhos desde o Ribeirão da Prata até esta fazenda são OKcellentes. Foi o primeiro povdador deste lugar. ITINERARIO . rego que tem cinco pequenos braços. e pelo Norte he hum terreno de calháo que estraga os cascos dos animaes. pertencente ao Alferes Andi^é Martins.n ' occidentaes. Mar cella . Esta Serra da Marcella tem a configuração appro- ximada de huma muralha.-1 pera do Filho de Deos tambem se chama Menino de Deos. 78 . e na Serra do Araxá muito pedragoso. e he banhado por hum cor-. que fica a esquerda spguindo o rumo de O74 NO. A's 5 horas e 1o minutos passei aboca da estrada do Araxá . A's 3 horas e 35 minutos cheguei á Fa zenda da Cachoeira do Cervo. O Corrego do Fi lho de Deos entra na margem direita do Quebra Anzol acima da ponte do Araujo. A 1 hora e '/» cheguei a Tapera do Filho de Deos . O terreno he argiloso . a eKceptuar as pequenas e asperas subidas das Serras do Medeiros. A atmosphora esteve hoje muito carregada : formárão-se trovoadas e agoaceiros ao SO. Os cerrados ou campos canasqoe- nhos dominão em grande parte do terreno andado. c grossura tal como ainda não vi outro semelhante. em que pondo-me em marcha subi a Serra pedragosa do Araxá . onde me tratou com a maior distineção c affabilidade. . o tempo esteve quente. He hum homem viuvo. Persuado-me que não pesa menos de 12 arro bas. e ahi descancei até ás 3 horas. . O proprietario con- vidou-me para me alojar na sua casa. Este lavrador tem alguns filhos bem estabelecidos em terras proximas. que demora ao rumo OSO. mas igual. He grande estabelecimento de creação de gado ra- cum e cerdal : fica na margem direita do Rio Quebra An* zol. onde existe boa casa abandonada . A Ta. alto de corpo . ramo da Marcella . e Araxá. que não está muito longe . Esta fazenda acha-se 9 legoas distante do Arraial do Araxá.

. A noite passada esteve quente e so bremaneira ventosa.fni aquarte- lar-me no Rancho de Jo6é de Souza. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. 79 i 19 de maio. A's 4 horas os oães do meu gaia matárão dous tamanduás pequenos : são os primeiros anhnaes desta especie que tenho encontrado durante a jor nada. o Corrego da Cachoeira do Cervo : entra no Quebra Anzol : entre este e o outro corrego . Pedro de Alcantara. ficão as casas dos filhos de André Martins. Tem huma: igreja de invo cação do Santo. O Rio Quebra Anzol costeia a estrada desde a Ponte do Araujo até ao arraial. Pedro de Alcantara . 2o de maio.. donde dista % de legoa. e por haver chegado hoje fatigado. Pedro . Pedro de Al cantara. e. bem collo- cado. A's 7 horas e meia entrei no Arraial de S. legoa a E. não me ponho em marcha para o Arraial de S. Sahi da Fazenda da Ca choeira do Cervo ás 3 horas da manhã : tempo claro e muito quente. Atraves sei o arraial. 4 legoas. Q Rio da Misericordia nasce nas Serras do . Passei o Corrego do Ferreira. passa por baixo de huma grande pedra que serve de ponte natural. posto que seja pobre. — Estou na Fazenda da Cachoeira do Cervo. A tropa hontem não passou da Tapera do Menino Deos. . bem semelhante ao do dia 18. A's 5 horas passei hum lugar chamado Estreito. passei o Rio da Misericórdia. — terça feira. que • fica ao Sul do Arraial de S. O ul timo corrego não tem ponte. sit»Vfde.. A agua deste con»ego. do povoação. A's 7 horas e 2o minutos atra vessei hum pequeno corrego denominado Cachoeirinha. — segunda feira. e Fazenda do mesmo nome . pequeno . Capella Curada filial do Araxái a qual não se acha mal conservada. que fica junto ao Paiol e CurraL A's 3 horas e meia. e de 34 casas humildes. i Arraial de S. que agora he pouca. t .

Da casa ao principio da serra gastei 2 minutos. e tem 3 pal mos de fundo. de que dista 8 legoas. O terreno he de barro vermelho .decencia. 2 1 de maio. 8o ITINERARIO Urubu. — Sahi da Fazenda de S. Fazenda dos Remédios ou Vicente Alves. que ainda agora que he tempo secco se acha cheio de atoleiros. 12 de largura. — quarta feira. Entre o arra ial e este rio ha hum brejo alagadiço . 3 £ legoas. sendo muito densa e espaçosa a mata que he atravessada pelo Rio da Misericordia. e unido com o Rio de Santa Thereza entra no Quebra Anzol abaixo da ponte que fica 3/4 de legoa distante do arraial na estrada para o Araxá . Foi aqui o primeiro lugar onde achei queijos fres cos. A ponte do Rio da Misericordia he de ma deira . está muito arruinada : tem í oo palmos de compri mento. Antes de chegar a este olho de agua. Na distancia de i5o palmos abaixo da ponte ha hum vão na parte em que o rio he mais largo. e nas margens dos rios tem restingas de mato. que está sobranceira á fazenda. O Arraial de S. Andei ao NO. Pedro fica outras 8 legoas distante da Capella e Arraial de S. O dono da Fa zenda de S. Pedro de Alcantara. O caminho de hoje foi muito bom : cerra dos ou carrasquenhos . Para entrar nesta fazenda passa-se hum pequeno cor rego. no espaço que se anda em 1o minutos ficou . ás 3 ho ras e 1o minutos. A's 4 horas e meia fica hum olho de agua á es querda em huma varzea. e passei logo hum pequeno corrego que entra no que indiquei no dia precedente. Pedro de Alcantara hospedou-me com muita . c de Joaquim de Souza. e alguns capões. Francisco do Campo Grande. e o rio leva muita agua neste lu gar. Em hum pequeno mato que fica fronteiro apanhou-se hum coelho. e subi a serra de João Rodrigues.

de meia idade . A Serra de Joaquim de Souza fica ao Oriento y e a de S. é que efta nem dara nem vendia cousa alguma . A^ $ ho ras e. A'si 8' horas e hfln* eorrOgo. A's 6 ho ras. contiguo a hum cor rego secco. e hum pequeno rancho. A's 8' horas o Corrego do Cubas: he vokmseso. DO RIO DE JANBinO AO PARÁ. a qual. A's 6 horas outro córrego com ponte. e que Uos fossemrt* eom mil . Joaò com ponte novamente construída de pessimas madeiras. Na margem di reita do rio existem varras arrotes mui frondosas. «Mg*». diiíéSí» que seu' marido mo■ estava êtn casa . Joso ao Norte.como huma pos sessa ou! ftn>ia in-fernali gritou corrtto déSefeperada. Esta abertura apre senta de certo lugar a mesma configuração da boca da barra do Rio de Janeiro. e tem? ponte. A' esquerda deste rancho fica a pequena Fazenda deS. A's $ hora* e 35 minutos * Fazenda de N. A's & horas e 5o minutos hum rancho peqneno. A abertura que ha entre as pontas destas duas ser ras dá passagem ao Rio de S. Adiante ha hum pequeno corrego y e logo ás 6 horas e 1o minutos cheguei ao Rio de S. João. ê branca .«o «minutos # Ribeirão da' Cachoeira do Campo : ae grande. e na margem dáreifá está a Gasa do sitio denominado Cubas. João. A's 8 horas e 50 minutos fioa a garganta da Serra do Cubas. tem ponte. Esto rio nasce no sitio denominado Paraizo. e entra no rio Quebra Anzóes. 8l hum corrego. junto do qual existe bum pequeno rancho arruinado. Apei- nas eu cheguei foi perguntar aos donos da fazenda se me querião vender algumas gallinhas ou hum leitão para jantar. A's 6 horas e meia passei hutn cofrego quasi secco . ás 6 horas e /to minutos o Corrego do Ri beiro .e 5-4 minutos hum corrego: ás 7 horas e 2o minutos o Corrego da Taboca com ponte. Immediatamente sahio á porta da casa huma mulher alta. & dos Remedios o11 de Vicente Alves em que agora habita Joaquim Borges : tem rancho imiito pequeno. 4 legoas ao Oriente da ponte .

fui obrigado a dizer-lhe o que me tinha acontecido com a sua senhora . que ao primeire aspecto me fez persuadir que era homem de bem : fez-me o mais benigno acolhimento. He aspera por . Vi hoje duas seriemas . que poucos dias antes tinha soíFrido a desgraça de ver morta e incendiada na sua propria roupa buma menina sua filha . a falta de hospitali dade em Minas .tamento. — Sahi da Fazenda dos Remedios ás 15 horas e '% da manhã : passei o corrego do» Remedios que banha a fazenda . O Sr. campos . cerrados . capões .vermelho e amarello. ao que a tal furia tornou. Tem grandes cbapadões. que se o fizesse lhe daria hum tiro de espingarda. disse que elle mataria gallinbas . e então este honrado e inconsolavel pai me disse . e cheguei ao cume da pe quena Serra do Salitre ás 5 horas e meia. O Alferes que me acompanhava. as primeiras que ob servei de perto. aa de maio.Si ITINIKARie) diabos. e mineira. Fazenda do Salitre . Dos Remedios á Capella de Santa Anna do Espirito Santo ha 2 legoas. pouca pedra . barro. Eu fiquei perplexo vendo hum acontecimento novo para mim. Por fortuna appare- ceu dahi a pouco o dono da casa . a quem elle e sua mulher idolatravão . A manhã de hoje esteve mui clara e fria: o terreno por onde marchei he muito mais igual do que os dos dias precedentes. e não podia atinar com os mo tivos de semelhante compor. e que desde esse momento fatal a senhora ficára insupportavel. Borges tratou-me na sua casa pelo melhor modo que eu posso desejar. e a falta de delicadeza em huma senhora branca. Vendo eu hum tal contraste. e iria á horta tirar couves. e tratou-me com a maior civilidade antes de saber quem eu era. 4 | legoas. rica. rendo este dis parate . — quarta feira.

Vi hoje grandes casas de Ter . BO «IO DI JANK1RO Ao PARÁ. por quem mostrão os mais assiduos desvelos. O caminho de hoje foi bom no principio : logo en contrei hum grande cerrado carrasquenho : seguio-se hum monte mui pedragoso: depois delle campos de pastagem . por ter acabado de desobrigar-se da quaresma. junto ao qual se acha o terreiro da fazenda do lavrador do mesmo nome . se precipita por huma pequena cachoeira á di reita na distancia de 5 braças do seu nascimento. A's 9 horas passei o rio do Salitre sem ponte. Recebeu-me com o maior agrado . que sc extende desde Tamanduá até ás serras do Urubu e outras. e o gado come este barro com voracidade . Logo adiante fica o Sitio das Palmeiras. Tanto os bebedouros (as fontes salinas) como os barreiros dão grande valor ás terras. na qual ha duas fontes de excellentc agua ao lado esquerdo. da casa de Matheus Vieira existe huma pequena lagoa com olhos de agua salobra . e a grande varzea das Palmeiras de Manoel Marques. A essa hora achavão-se reunidos nesta casa patriarchal todos os filhos e netos deste ancião . 85 ser pedragosa . Quando cheguei estava o bom velho Matheus Vieira com o habito de S. e fi nalmente huma floresta de mato virgem que faz parte da Mata da Corda. e da parte de O. offèrece lindos golpes de vista. e tratou-me com grande consideração. á qual o gado e feras vão beber e saciar o gosto do sal. a qual logo. Francisco vestido . e sem que lhe faça mal. que está além de hum regato : he de Manoel Marques. velho octogenario respeitavel . e cheio de pedras : ás 9 horas e 5 mi nutos cheguei á ponte do rio de Matheus Vieira . e cheio de honrados filhos todos fazendeiros e visinhos de seu pai . Nesta mesma e em outras fazendas ha terrenos impregnados dte sal : chamão-lhe barreiros . A's 7 horas cheguei a huma descida muito seixosa . Na distancia de hum quarto de legoa ao N. que he o primeiro povoador deste sertão.

S. ftcar . Ha neste arraial huma. vgo unindo huas aos outros. á IH. e alguius ramas da do Satòre. Isto prova que o paiz acha-se trilhado em toda ■ parte. Vi huma cobra coral no meio da estrada. que tem o nome do Fazendeiro Damazo. o su».84 ITINERARIO • . Sahi da Fazenda do Sa litre ás 2 horas e 1o minutos da manhá. aproveitaveis para ti- bm lenhas. novo e crescente. e logo depois outro demais facil ac- ces*o. que se está acpesrantand©. assentado. e parece mui elevada. rijo. »3 M5 maio. capelk dedicada. flcan- do-lho varios capões pouco distantes. kindo hum oxtenso e ajto morro de rampa doce . Passei logo o corrego Aq Ferreiro Camello com ponte má. e fria pelo vento N. e» a ehapada de hum morro descoberto. desta fazenda . e par» alguma pequena plantação dje manti mentos. que he pequeno. i | legoas. A Serra Negra fica ao NO. e ha de. a outros rumos. Arraial do Vatfocini» . e sem arvoredo . denominado do Jacu. cheguei |i 7 horas e 2o minutos ao aprazível Arraial do Patroei- wo. Todos estes corre gos^ que se. Pouco depois outro bello corrego espraiado do iàaendeiro Carlos. que estava clara pela lua . junto á Fazenda do Mar abado . ttt sbxta feira. Passei ul timamente o corrego do Tejuco . fermao o Ribeira© de Matheus Vieira» junto á fazenda deste nome. He para admirar que desde o Rio de Janeiro até agora hajão appareeido tão poucos animaes malfazejos. Tem á roda grandes campinas de pastagens e cer rados cuja vegetação se acha de todo. e dahi a pouco mais de meia legoa outro corrego de margens escabrosas.. A's 7 ho ras e } o minutos passei outro corrego do Tejuco . mites de grandeza extraordinaria. do Patrooinio. em que ha engenho de serrar. secca 1 e della se des cobre a Sera Negra a E M E.

e a do Esmeril ao Oriente. e muitos outros em construcçao . 85 bom templo com tres altares. e volta a Oeste para entrar com o corrego das Palmeiras. . e veio a formar-se hum dos mais apraziveis arraiaes da Provincia o qual agora tem 5o fogos . Domingos do Araxa. cabeça chata. em resultado do fallecimonto repentino do sobrinho do vigario da Freguesia do Araxá naquellc lu gar. o qual teve a bondade de convidar-me para me arranchar na sua casa . e ahi se levantou huma barraca. corre ao Sul . O Sah*re. e immensa falta de pas tos. ecclesiastico de bom porte .' Os caminhos desde o Salitre até este arraial sío os melho res que transitei desde o Rio de Janeiro : largas campinas . O arraial do Patrocinio teve princi pio no anno de 1818. he o Padre Ma noel Luiz da Silva Alcobaça . e he a unica que ataca sem ser offendida. e o dos Dourados nascem na serra. . e conheci que o Sr. e sobre ella huma crua branca: o meu tropeiro disse-me que dá saltos mui grandes . e nella me tratou com dia* tinçção. côr negra. e outros 00 Rio de Santo Antonio. i . A Oeste. edificárão outras choupanas. no Quebra Anzóes. fica a serra dos Gecaes que he banhada pelo rio Quebra Anaóes : o rio do Sa litre . Alcobaça não os deixava existir em santo ocio. pequenas mattas . mas he falto de lenha . grandes cerrados . A serra do Pa trocinio donde vem este rego fica ao N. O Capellão deste Curato ou ApplicaçãO. Vi huma cobra Urutu morta : he serpente horrorosa. moço e instruido . O acon tecimento fez-se notavel . O Vigario mandou enterrar o cadaver no sitio em que agora existe a igreja. DO RIO DE JANEIKO AO PARÁ. Achei aqui mui bons livros tanto em materias eecler siastieas e sciencias divinas como nas setencias profanas . que entra. na distancia de 5 legeas. do Esmeril pouco dis tantes hum do outro. filial de S. e a agua vem por hum rego tirado do corrego do Patrocinio pelo Padre Alcobaça.

— domingo. A's 7 horas e 35 minutos cheguei ao sitio ou fazenda de Joaquim Arruda filho. A noite esteve clara. — Sahi do arraial do Patrocinio ás 3 horas da manhã. Tanto no corrego como no ribeirão ha pontes de madeira. — sabrado. Aqui ha dous caminhos : o da esquerda vai para os arraiaes do Carmo e do Catalão. e muito fria : passei immediatamente o rio dos Dourados que corre pela fralda da serra deste nome . Fazenda de Joào de Moura. A gente da casa he boa. 4 £ legoas. Entre o corrego do Patrocinio. Passei logo hum ribeirão do Arruda o qual recebendo o corrego. Hoje comi pela primeira vez gallinha preta : a carne não he abso lutamente negra .T! 25 de maio. he pequeno estabelecimento . e cheguei ás 6 horas e 20 minutos ao corrego do Arruda pai . e tem ponte de 4o palmos de extensão. Comecei a subir hum morro que se prolonga até a serra a cujo vertice e garganta cheguei ás 9 horas e 10 minu tos. 4 legoas. e hum pouco fria . — Sahi da casa de Joaquim Ar ruda ás 8 horas e % da manha que estava clara . 24 de maio. ITINERARIO Fazenda do» Arruda» . São os primeiros habitantes deste districto. os caminhos planos. Eu segui este caminho. A's 9 horas e 2o minutos ao corrego da Caxoeirinha. e os pas tos seccos pelo meio dos cerrados ou carrasquenhos. entra na margem esquerda do rio Dourado. . e o da direita para a Villa de Paracatú pelo arraial do Carabandela.■ f. em que ha huma pequena fazenda com seu rancho. e o do Arruda pai não se encontra agua. A's 3 horas e % passei o corrego do Patrocínio que está em huma pequena serra. grosseira e pobre. • . onde fiquei mal acommodado. e achei-lhe hum gosto insipido e desagra davel.

apresentão paisagens lindis simas de que se fazem quadros de diversas dimensões . e seis ou sete de largura: essa escavação he a mina donde se tirão as bellissimas incrustações de plan tas daquelles sitios . e então encontrei hum pequeno rego aberto pelas aguas da chuva . A's 1o horas e '/i cheguei a dous outeirinhos re dondos que ficão no meio do campo . vi hum trilho ou caminho estreito batido : segui esse trilho por espaço de 5 minutos. Ás 1 o horas e 1o minutos cheguei ao alto dochapadão de Santa Roza: este cha- padao he muito pedragoso . a estrada passa por entre elles. olhando ao rumo do NO. e logo tomando o rumo de ONO. 87 Apenas se passa o corrego veem-se dous caminhos : o da direita vai para a fazenda de José Pedro : eu segui o da es querda. e conheci ser erro popular. e no fim dellas achei huma pequena escavação dentro do rego . e de cores mais ou menos brilhantes. e para ir a esse sitio . Eu tinha sabido no arraial do Patrocinio que na marcha de hoje havia de pas sar pelo lugar donde se tirão pedras pintadas de flores pretas e encarnadas. e por isso pedi ao proprietario do pouso antece dente que me desse hum guia para me conduzir ao sitio em que se achão as pedras : com effeito. a que pela configuração eu denominei as — Mamas — mostrou-me o guia o lugar em que existem as pedras . de não provirem estes dese . as quaes ficão impressas nò meio de te nuissimas laminas de greda amarella que. DO RIO DE JANEIRO AO PARA. Eu metti mão ao trabalho : extrahi algumas laminas que conservo. a qual não excede a tres palmos de altura. tem duas estradas . apenas passei a garganta das Mamas. e não tem ponte. a noticia que me derão. segui pelo espaço de 1 5 braças nesse mesmo rego ./» cheguei ao corrego de José Pedro: este e o outro entrão na margem direita dos Dourados. e eu segui a da direita. recebendo as cores por efleito de acidos do terreno. e he huma garganta muito bella. O corrego de José Pedro he espraiado. quando cheguei aos so breditos dous outeiros. Ás 9 horas e .

e tendo-me demorado neste lugar por espaço de hunta hora. Comparei as plantas encrostadas com as do terreno. e togo depois a casa da fazenda do Leandro. A's 1 1 horas e 3/4 cheguei ao corrego de Santa Roza : he volumoso e Vai aos Dourados. Aos % da tarde o ribeirão dos Douradinhos com ponte. achei-as semelhantes . 0 poro dá o nome de pedras pinta-das a estas incrustações que mnilo tempo passárão por — hisus natura. e as mesmas laminas são elasticas : achei outras já endure cidas: separei as differentes camadas de laminas: em htimas ainda estão as plantas . todos com pontes. minutos o cume da serra de João de Moura. outro a 1 hora e ■f\ . e outro frnahifientn a 1 hora e meia . A r hora e 4o minutos hum corrego com poa^ te .. que já largárão a tinta. A » hora e 5 minutos hum pequeno corrego com ponte . e em ontras já desapparecêrão e forao convertidas em tintas pelo acido ou caustico que produz a pintora. e ficárso perfeitamente debuehadas : lenho outras em que a natureza apenas iniciava os seus trabalhos : observei que as laminas que íicão mais'á superficie da terra tem as cores mais vivas. inteiras c bem configuradas e incrustadas. — Cheio de satisfação por haver estado nas minas das pedras de flores de que conduzi as laminas que me parecerão mais preciosas. Eu conservo laminas com as folhas ainda frescas. e logo o wbeirao do mesmo no me com ponte e principia a serra de João de Moura ou Chat- padso da mesa.viuo nhos e pinturas de corpos existentes no mesmo lugar. e ás 2 horas e meia o rancho da fa■- zenda do sobredito João de Moura primeiro habitante deste lugar . mas nem todos os vegetaes daquclle la gar deixão impressões 00 pinturas na pedra eu greda que toma consistencia. hospedei-me na sua casa. Os caminhos de hoje . continuei a maorch» ás 1 1 horas e '/).. A's a hera» e a5 minutos a fazenda do sogro de JoaO de Moura . A 1 hora c hh minu tos a casa do João de Moura.88 itim:h. A's 2 horas e o. c junto a cllc huma pequena casa.

26 de maio. Arraial de Carabandella . He povoação muito pequena de 4» casas todas terreas . e tem ponte. e fóra de alinhamento. 89 constáo de subidas e descidas. O nome de Carabandella que se dá geralmente a esta povoação teve çrigem no costume do proprietario da fazenda do Pouso Alegre. A capella he mui pequena e dedicada a Santa Anna. pedáo ao Sr. pequenas serras de barro e pissara. Padre Capellão Adriano Ferreira. fallar muitas vezes no diabo chamando-o Carabandella ou C arambandella. cerrados ou carras- quenhos . 2 j legoas. A vinda do Capellão attrahio ao arraial muitos lavradores da applicação (Curato) 12 • . como fez . e vai aos Dourados. chapadões. Algumas pes soas dizem Coromandel. o Sr. A situação do arraial he na encosta ou declive de huma chapada sobranceira ao corrego do Pouso Alegre que fica tambem banhando hum morro fronteiro ao arraial. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ.. Subi a Serra das Cobras que he mui estreita. — segunda feira. - Alferes Custodio José Ribeiro que conserva huma venda na povoação. qflfe tem ponte. Como antes de hontem chegou a este arraial o Sr. João José da Cunha . A's 5 horas e 2o mi nutos o Corrego das Cobras : vai aos Dourados . o qual por habitar na sua fazenda . encontrei hoje no mesmo arraial o Capitão Commandante do districto. Dizem-me que no morro de Santa Roza ha incrustações semelhantes ás do chapadão e cerrado do mesmo nome que eu visitei. sita junto ao mesmo arraial cujas terras lhe pertencião. e hontem Domingo se disse missa. e algumas dellas cobertas de sapé ou folhas de palmeiras. Passei logo o Ribeirão de João de Moura. — Sahi da casa de João de Moura ás 4 horas e 74 da manhã. o que he erro. e me tratou com o favor que eu podia esperar. A's 6 horas e 4o minutos cheguei ao Arraial de Carabandella ou SanU Anna do Pouso Alegre. que me hospedasse em sua casa.

Huma áspera subida : hum chapadão de huma legoa de comprido j e hum cerrado de meia legoa. e em muitas villas. findar armado pelas desertas estradas dos ser tões do Brazil . e al gumas meretrizes que fazem as delicias dos tropeiros . antes he hum dever filho da prudencia. Eu nunca vi lavrador algum entrar armado nos templos : todos deixão as espingardas com que fazem as Suas jornádas pelos sertões . e por isso o lugar estava mui animado. sao as pessoas que ordinariamente habitão os arraiaes nos dias da semana. nas casas dos seus amigos ou nas suas proprias . abrindo-se unicamente nos dias de missa ou de festa que he quando os seus donos fazendeiros alli se demorão por espaço de algumas horas. os ta berneiros ou vendeiros. e em varias cidades de Portugal. desde o fidalgo até ao çapateiro. o sacristão. tudo coberto de calháo miudo que estraga os cascos dos animaes. . O costume de entrar armado nas igrejas não he tão frequente como asseverão al guns estrangeiros. Este costume he geral . o estalajadeiro ou rancheiro . Nos sertões de Minas sâo mui raros os assassinatos no tempo presente . o Official que serve de Commandante do districto em lugar de proprietario. posto que sejao mui frequentes nos sertões de outras Provincias com ella confinantes. Na maior parte dos arraiaes do Brazil as casas achão-se fechadas durante os dias da semana .ÇO ITINERARIO Filial do Araxá . O Capellão. o escrivão do Juiz da Vintena. onde mais de huma vez pôde haver necessi dade de defender a existencia indivithial. entravão nos templos com espada á cinta. todavia alguns entrão nas igrejas com as facas nas botas pelo mesmo modo que outr'ora todos os homens . assim como tambem o he o concorrerem á missa as pessoas do campo muito mais bem vestidas e decentes do que se pratica nas aldeãs. Não he de admirar. A jornada de hoje apezar de ser curta foi aborrecida por ter huma monotonia quasi constante.

Passada a casa ficão tres corregos quasi seccos . ambos com fracas pontes. Parapetinga ou Lagamar que entra na esquerda do Paranahiba d' ahi a tres legoas . A's 6 horas e 4o minu tos a Fazenda das Duas Pontes. A's 5 horas e 55 minutos a Fazenda do Xavier ou cabeceiras do Rio Preto com ribeirão deste nome que fica antes de chegar á casa. A's 1 1 horas e 35 minutos cheguei ao Corrego da Restinga sem ponte : este çorrego he cabeceira (braço) do Ribeirão da Prepetinga . afim de o roubarem. A's 2 horas o Ribeirão da Prepetinga ou Lagamar. Ouvi daí. — terça feira. e passei hum corrego com ponte chamado da Fazenda . 8 legoas. e logo depois outro com ponte. A's 5 horas e 5 minutos o Corrego da Divisa : todos reunidos entrão no Rio de Santo Ignacio . hum delles junto a huma olaria arruinada. Ao depois atravessei o corguinho do Barreiro . ! Rio Paranahiba . Demorei-me neste lugar até ás 10 horas e 35 minutos. braço esquerdo do Paranabiba. que ahi foi assassinado pelo seu tropeiro. 27 de maio. Aos 2 5 minutos depois do meio dia o Corrego do Antonico com ponte. e hum morro de figura mui singu lar. e acima da passagem do Pereira. pelos Pereiras do Porto do Paranahiba. por ter barreiros perto delles onde o gado lambe ou come o barro saturado de salitre. Ha aqui huma varzea immensa povoada das mais formosas Palmeiras Buritis. O Rio Preto entra na margem esquerda do Paranahiba. auxiliado ' segundo dizem. DO RIO DE JA7VE1R0 AO PARA. Todos estes corregos vão para o Rio Preto. A's 4 horas e 2o minutos o Corrego do Barreiro. — Sahi do Arraial do Cara- ban della ás 3 horas e '/j da manhã. A's 1 1 horas e io"minutos cheguei ao Corrego da Sepultura por se achar enterrado ao pé de huma cruz o Major Raimundo de S. o nome de Perpetinga ao Ribeirão Parapetinga. Passei logo o Corrego do Pouso Alegre. Paulo . . e outro dahi a pouco.

Seu pai. Este porto fica 1o legoas distante do arraial do Catalão de Goiaz. cheguei ás 4 horas e ao minutos ao Rio Paranahiba. A êste . a qual fica pouco distante do rio .gt ITINERARIO mas talvez o confundão com outro que cu não atravessei. Os caminhos da jornada de hoje são máos no principio. á sombra de humas palmeiras. e com elle fui a pé para a casa em que habita. tranquillidade . Demorei-me aqui. Junta do Governo Provisorio de Goiaz participando-lhe haver entrado nas terras de sua juris- dicção . e se afogou huma vaca. A necessidade que ha de estabe lecer huma barca ou ajojo neste rio he reconhecida por todas as pessoas. Este rio limite entre as Provincias de Minas e Goiaz. Acima da passagem ha grandes penedos descobertos . foi o primeiro morador deste districto. mas de pois de duas legoas encontrão-se terrenos mui planos. 2o da Villa de Paracatú e 3o do arraial de Santa Cruz. e tambem distribui huma proclamação minha ás tro pas de primeira e segunda linha da Provincia. passando com o seu gado para Goiaz . tem no lugar da passagem ou Porto dos Pereiras quasi 5o braças de largura . Nas poucas hoças que aqui estive observei o in- commodo e prejuizos soffridos por hum morador de Minas Geraes que. Hoje escrevi á Exm. e 16 palmos de fundo : as suas margens barrentas são muito elevadas. Ma noel Pereira do Valle. e então montando a cavallo . recommendan- do-lhes união . até ás 2 ho ras e meia . fazendo a marcha total de oito legoas. Francisco Pereira conduzio- me na sua canoa para a margem direita do rio . metteu as rezes ao rio onde tivêrão hum esparramo. e nella me hospedou mui cordialmente. No barranco (margem) direito. e a corrente não he forte. e deu o nome ao porto ou lugar da passagem aonde ainda agora conservão duas canoas para transporte dos viandantes que lhe retribuem este serviço por donativos voluntarios ou por ajustes particulares. independencia ou morte. ha duas choupanas em que existem tres doentes de terçãs.

os capões menos extensos e nume rosos . O General Manoel Ignacio de S. os cerrados ou matos carrasquenhos oceupando a maior parte do paiz. O terreno levanta-se gradualmente desde a margem do Rio de S. por não ha verem os mesmos identicos usos e costumes em varias cir cunstancias da sociedade. posto que tenhão de se passar os Rios de S. observa-sc que a vegetação he mais fraca . Francisco até a Serra da Marcella . civis e politicos diffe- rentes de outras porções de territorio das Minas Gcraes . da parte do Sul para o Rio Quebra Anzol. Verissimo e o seu braço. Francisco e o Para nahiba. D'aqui para Oeste a estrada atravessa hum chapadão com algumas quebradas. Paio mandou-o abrir para evitar a grande volta que se dava tomando á sahida do Arraial de Carabandella a estrada de Paracatú . que quasi se pôde affiançar. Fran cisco até ao Rio Paranahiba. pois que todos os rios e corregos se perdem nos de Bambuhy' e Santo Antonio que entrão no de S. a que vulgarmente se dá o nome de Sertão ouDeserto. acabão no ponto culminante da Serra da Marcella. Todo este chapadão he coberto de cer- . Francisco aos dous la dos do chapadão ou cadêa de montes que. Marcos se passava pelos Arraiaes de Santa Luzia e Meia Ponte para a Cidade de Goiaz. OBSERVAÇÕES «obre a minha marcha de»de o Rio de S. O terreno que fica entre o Rio de S. As matas são menores . Na parte physica. as arvores mais baixas e menos densas . o. Marcos. que nfio he o mesmo paiz . excepto na Mata da Corda até aos rios Andaiá e Abaété. donde pelo Registo dos Arrependidos ou de S. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. e as aguas correm. O ca minho pela picada he mais breve . ligados entre si por mais altos ou baixos elos . e da parte do Norte para o Paranahiba.5 caminho chama-se Picada do Correio de Goiaz. apresenta tantos caracteres physicos.

Argilas . A po breza por aqui he maior e a falta de industria muito sen sivel. e outras circunstancias dos habitantes do sertão. espingarda . e núneraes de ferre encontrão-se a cada passo. . e tem muitos barreiros e bebedouros ou fontes de aguas salitrosas utilissimas á creação do gado de todas as qualidades. mas com pessoas estranhas e sobre tudo as de alguma consideração. effeito a experiencia mostrou-me que o tropeiro não se havia enganado. e quando sè diz que huma fazenda tem boas officinas. No Rio de Janeiro. ' hum moinho e monjolos. hum ou dous bancos. porém istç he entre buas e outros ácerca dos seus gados . catres de correias de couro cru entrelacadas . Elle fez muitas excepções honrosas . algumas não tem janellas . deve entender-se que tem grandes barracões ou paioes de milho . menos civilisação. e muitas vezes giráos de varas ou de has tes das folhas de palmeiras . e que outros Unhão os paioes debaixo das camas. respondeu-me na sua linguagem tosca que essa gente passava a maior parte do tempo a correr veados . informando-me do meu tropeiro Bernardo Antonio acerca das occupações ordinarias. e muitos uíensis suspensos pelas paredes da sala em pon tas de veados. mais preguiça . e com. Os homens nesta parte do sertão apresentão hum caracter mais grosseiro. apontou-me varios individuos respeitaveis moradores das estradas . A maior parte das casas . alguns campos . e outras ha cuja porta está fechada ou tapada por hum couro de boi. Francisco. e a roupa . depois da passagem do rio de S.• hum mancebo para pendurar huma candea de ferro ou cobre . que os paioes de alguns erão peque nas choupanas. 94 IflNERARIO rados . rochas christosas e calcareas . schistos . A mobilia consiste em huma mesa .. são choupanas muito pequenas . Reparei que a maior parte dos homens he conversadora até a impertinencia . porém a mesma bondade natural dos moradores do resto da Provincia. Bem poucas casas passão de medianas .

hum pouco de milho cozido ( a cangica ) . DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. ou na roda de fiar. e nenhum de Vinho. para se gastarem pelo tempo adiante. monjolos . sempre se al . e vivem de sua industria pelo modo que podem. e pouco uso tenho visto fazer da agoardente. re duzida a picado . A falta de cuidado no melhoramento das especies dos animaes . não tenho visto pombaes. curraes . e pou cas vezes feijão temperado com banha de porco ou graixa de vacca. ha festas grandes. he a sua dieta ordinaria. Carne secca ao sol . he com effeito muito grande. Quando se matão por cos. ou seccão-se. Vi hum grande numero de homens assentado» todo o dia em huma indolencia incomparavel. não acon tecendo assim ás mulheres . Encontrei mui poucos peruns . e ervas tambem picadas . porque então comem-se os miudos e âs cabeças . para se fazerem salgas. he su perior a toda a expressão : a falta de aceio nas cozinhas . * o. Ainda não encontrei hum embriagado. vivem na maior miseria voluntaria. e que as expressões — he Conforme — estão sempre promptas como respostas affirmati- vas ou sinaes de consentimento e approvação. mas os que andão soltos mettem lastima pela sua magreza : apenas lhes toca huma espiga de milho . hum extraordinario acanhamento e confusão de idéas . misturando-lhe farinha de milho torrada como a de mandioca : não obstante o uso do café. leite . e farinha de milho . 0 café adoçado com rapadura (assucar bruto feito em forma da grandeza de hum tijolo) serve de almoço a muita gente . e as galli- nhas de carne preta vflo augmentando á medida que íne entranho no Sertão. As criações de gado eonsis- tem pela maior parte em porcos: aquelles que estão na ceva tem milho e abobaras em abundancia . Varias pessoas que podiíio passar no meio da abastança . muito peucos patos. pateos . 5 apenas se lhes apanhão meias palavras . as quaes ( exceptuando muitas moças de boa vida dos arraiaes) sempre estavão na almo fada.

parecem-se muito bem á estampa de D. em quasi todas as casas. de prata ou latão. Não encontrei escolas de primeiras letras. só nas casas de familias mui cirilisadas . abertos adiante e atráz. e os estribos em forma de frasco. os Curas ou os Escrivães servem de mestres. e com tamancos nos pés. excepto os de tecidos de algodão .<)6 * ITINERARIO moça carne picada cozida com couves. As botas são de couro de veado. e essas mesmas são frequentadas por poucos meninos. Officios fabris são muito poucos no sertão . vestidos de pelle de veado. e com chapéo de couro. quando estão montadas. Tenho encontrado alguns homens chamados Sertanejos. e não estão tingidas de preto : segurão-as em cima com huma corrêa afivelada ou com virolas de prata: as es poras são muito grandes. tudo pardo : estas pessoas . Todas as pessoas que viajão a cavallo trazem chapéo de sol feito de hollanda crua : as senhoras montão em sellas ordinarias de homens. posto que estejão quasi sem pre sem meias. mas as mulheres pela maior parte appa- recem vestidas com decencia. Os Sertanejos ricos j e em geral todos . e então levão na cabeça hum chapéo de castor com plumas pretas. excepto nos arraiaes. mas a senhora do Capitão Carvalho esteve presente em quanto eu jantava no dia i5 do mez corrente. he que as senhoras comem á mesa juntamente com os homens : no sertão nunca vi se melhante cousa . e para assim montarem usão de grandes sobretu dos com muita roda. Todo o homem do sertão anda com espingarda e faca : esta quasi sempre se mette na bota direita. Qui- chote armado com o elmo de Mambrino : tambem vi algum individuo com botas feitas de pelle de sucuriú. em ca misa e ciroulas . No interior do Brazil. e tambem huma tigela ou prato de leite. A falta de educação urbana da gente do sertão induz a apresentarem-se os homens muitas vezes em presença de pessoas de respeito em trages do interior das casas. e lãa grosseira.

andão acompanhados de hum pagem montado . que são seguidos de hum grande numero de bestas com bruacas (saccos de couro em forma de caixas) cheias de gallinhas. e pandeiros. com que levantão assim mon tados a agua dos corregos quando querem dar de beber a seus senhores. e por isso qualquer vadio que toca viola tem o seu pão ganho. Encontrei varias cavalgatas de Fuliões pedindo esmola para o Espirito Santo. Algumas familias viajão em carros cobertos de couro de boi. Os campos e matas do sertão achão-se po voados mais do que parece . Não ha fazenda ou sitio em que deixe de existir monjolo ou moinho . Estes ajuntamentos de cavalleiros assemelhão-se bem aos Cirios de Portugal. m Os Sertanejos ricos montão em bons cavallos. porque todos de- sejão ter as hortas e os monjolos proximos ás suas casas. e raras vezes outras plantas rasteiras . i3 . o qual traz a tiracolo hum copo de prata. tambores. e outros artigos tirados de esmola.. leitões. e não he menor de cincoenta pessoas a cavalgata dos Fuliões. mas em todas vi bananeiras . limoeiros . quiabos. xA hortaliça que vi constava apenas de couvqe. algumas larangeiras. Os instrumentos que se tocão durante as suas marchas são violas. Ouvi tocar viola e cantar em algumas casas : todos gos- tão de musica . e tabaco. e horta muito mal cultivada. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. Os Fuliões trazem ban deiras de seda vermelha com a Pomba emblema do Espi rito Santo. e quasi todas as habitações são no fundo dos valles (e fóra das estradas) . 97 os viajantes abastados do sertão c outros lugares das Minas. não se deve attritmir o seu pessimo estado ás difficuldades da natureza. Ainda que os caminhos por ora sejão máos. e recebe convites de todos os la dos para ir viver á mangalaça. cujos ar reios são guarnecidos de prata. puxados por tres ou quatro juntas destes animaes.

Eu ainda não vi outros animaes ferozes e reptis senão os que se achão indicados neste Itinerario. Aquellas molestias que em outros paizes causão horror. . os lobos . são nos sertões absolutamente desprezadas: eu vi gente coberta de morfea . os excessos venereos. ou pelo menos da terça parte : a indolencia deixa tudo como estava. as onças . fazendo exames nos terrenos. a vida indolente. Na Europa. carne secca ao sol. e que as cobras. e curada muitas vezes com o sal da terra . os tigres. certamente as distancias di- minuir-se-ião de metade . e agora reduzidas a estradas. mettidos no meio do orvalho da noite . Tenho encontrado immensa gente soffrendo febres ter çãs e biliosas. o andarem quasi sempre descalços . e os habitantes da provincia viajão no meio de todas as incommodidades. e na pro ximidade de matas . c estou certo que se os Mineiros não seguissem com olhos fechados no dia de hoje as mesmas picadas abertas pelc8 seus avós. junto ás margens dos rios c corregos. dão motivo á côr verde- negra da maior parte dos Sertanejos pobres. de mistura com pessoas não atacadas. peixe mal curado.8 ITINERARIO Bem poucas pessoas cuidão das conveniencias publicas . em algumas casas da estrada . o comerem frutas verdes .o. e mesmo no Brazil. muita gente pensa que os sertões achão-se coalhados de feras. encontrão-se a cada passo pelo meio das estradas. isto he a picadas mais largas . A lepra e a morfiea procedem a meu ver das causas acima apontadas. a sua habitação em lugares baixos e pan tanosos. e procurando a di recção recta mais approximada . se elles quizessem abrir caminhos novos e re gulares. e ainda de muitos ricos. A morte trabalha entre elles com a maior assiduidade. e as molestias cutaneas chronicas são ordinariamente resultadas do virus venereo em gráo muito exaltado. as miasmas putridas que exhalão as plantas e outros corpos em corrupção.

por ser filho da mineração. Os veados. póde-se diacr sem exageração que a maior parte dellas parecem rotulas . está cahindo em ruinas. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. ete. vão em augmento . e outros animaes menores appa- recem muitas vezes nos roçados (plantações) . e pelo que respeita ás casas das fazendas e sitios . as an tas. o pri meiro. soffrem-se logo grandes fomes. estão cheias de buracos. ) Vão para as roças. e como o grão ( milho ) produz ás vezes duzen tos por hum . o que a apparição de hum a onça. ás 9 horas da manha. Patrociriio. isto he . A agricultura he pouca nos sertões : o gado leva os maio res cuidados . no tempo dos trabalhos . c recolhem-se ás duas ou tres da tarde. pois que a criação de gado he a unica que attrahe todos os seus cuidados. e logo que se dá fé de algum. Os roçeiros (gente que planta grãos. e Carambandella . Pedro. ou de hum lobo he cousa rara. ou. a saber: Bambuhy. por serem construcções de agricultores. mas os roçados raras vezes tem algum homem que os guarde. dizem-me que as leras Volumosas estãe quasi extinctas por estes lugares . 99 c todas as pessoas com quem lallo . em havende qualquer pequena sècca. Mas que cuidados ! Bem poucos dos que devião s. S. como milho. Estes animaes fugirão para as serras e matas que ainda não estão povoadas. nao se des- cança sem mata-lo. os porcos do mato. guaribas. apodrecendo a sementeira por causa das muitas aguas. feijão. Parece que os homens achão-se em hostilidade com a agri cultura de cereaes e farinaceos.. Eu . e achão-se assentados em lugares altos e saudaveis. e os outros tres. abo baras.er ! Cumpre-me observar neste lugar que dos quatro arraiaes que tenho visto depois da minha entrada no sertão. Bem poucas casas destes arraiaes estão rebo cadas e caiadas . não he necessario grande trabalho para colher quanto basta para o consumo annual da familia e gado : acontece porém que por falta de reservas. capivaras.

As casas são feitas de páo a pique.IOO JTINERÁRIO nunca vi tanta incuria como ha a respeito da segurança e aceio das casas. Observei que no sertão põe-se nas camas unicamente. posto que alguns quar tos tenhão huma especie de cobertura de taquara. e alguns bancos ou moxos : por cima da cabeceira da mesa fica hum pequeno oratorio cheio de imagens : á roda da sala estão penduradas as pontas de veados de que já fallei. e varas átravessadas : em lugar de pregos serve o delgado cipó : bem poucas são forradas no. em vez de taboas. e servem de cabides e guardarou- pas. Estes quartos tem leitos ou catres ou giráos : os primeiros são de madeira como os das terras da beira mar. tecto. Sc na Provincia de Minas eu encontro tanto desmazelo . Aos lados da sala ficão dous ou quatro quartos de dormir. entre os quaes existe a porta do corredor que vai para a sala das mulheres. em que ás vezes tem varios ornatos. e para o pateo. tem couros crus. Francisco. talvez para evitar a entrada dos bichos pe netrantes. além dos lençóes. e os giráos são varas descançadas em travessas. e no fundo da mesma sala ha outros dous. Em quasi todas as casas se reza o terço. Os catres. huma coberta de chita ou algodão. No meio do edificio está a sala com huma grande mesa para comer. e dous pequenos quartos para os hospedes nos ex tremos della. e os colchões são de pano de algodão cheios de palha de milho feita em tiras. O costume de lavar os pés todos os dias á noite hé geral. que estão sobre forquilhas cravadas no chão. Quasi todos os quartos apenas admittem hum moxo além do catre ou leito . que acontecerá nos sertões da Provincia de Goiaz ! As casas dos ricos Sertanejos tem huma varanda na frente. onde estão as cozinhas e ou tras officinas. As casas dos roceiros e mo- . e os outros costumes religiosos conformãa-se muito com os pra ticados pelos moradores dos lugares povoados antes de che gar ao Rio de S.

e creio que milito ha de custar a admittir della». A minha bagagem. que unidos vão á margem direita do Rio Paranahiba do lado esquerdo da estrada. em quanto as estradas não fo rem beneficiadas . DO RIO DE JANEIRO AO PÀSA. e 6 da fóz do Rio Verde agua acima. Tem grandes edifícios antigos . 6 j legoas. QUINTA FEIRÁ DO CORPO DE DEOS. que ficou no Ribeirão do Lagamar no dia de hontem. 3 legoas distante do Porto do Vaz agua abaixo . sem haver o menor susto de ser rouba do . salvo quando os tropeiros são os assassinos . decadentes . Paulo. proprietario das terras da margem direita do Rio Paranahiba. 29 DE MAIO. — Estou hospedado na casa de Francisco Pereira. Domingos . que estava muito clara e pouco fria. algum luxo e melhores commodidades . Sahi da casa de Francisco Pereira ás 4 horas e 5 minutos da manhã. e ás. He incrivel a segurança com que se viaja por estes sertões. de que dei infor mação no dia 27. Fazenda de S. A's 6 horas cheguei á Fazenda da Barra. lOl radores pobres já ficárão descriptas nestas observações . onde se acha o Porto do Pereira. pertencente a João Luiz. — quarta feira. chegou hoje ás 4 horas da tarde. Demorei-me aqui 2o minutos por se achar alguma . 28 de maio. como acon teceu ao Major Raimundo de S. Passei hum corrego ás 4 horas e 35 minutos. e mal tra tados. 4 horas e 4o mi nutos o Ribeirão da Agua Limpa. e os transportes forem tão dispendiosos.

Eu cahi na loucura de me apear. e junto a elle algumas casas pequenas pertencentes a familia e aggregados do lavrador João An- ttinife. João Antonio insistia tanto mais para eu me apear e almoçar na sua casa quanto eu me desculpava . mas o meu companheiro de jornada An gelo José da Silva . apeárão-se immediatamente . Huma preta veio pôr a toalha na lon ga mesa por baixo do oratorio. idade . fazendo-me al guns cumprimentos. O Sr. Marcos antes de cahir a chuva que ameaçava. Bento junto á estrada. disse-me que não desgostasse o lavra dor 5 que almoçassemos. A's 6 horas e 5o minutos hum. 1o8 *•. corrego com ponte . e logo trouxe hum grande prato fundo de estanho cheio de leite. Marcos : tem ponte má. ou como se costuma dizer. e o lavrador. Passadas estas casas fica outro corrego sem ponte. dizendo querer passar o Rio de S. que nenhuma differença tinha das que já deixo descriptas. Ao tempo em que eu chegava. A's 6 horas e 2o minutes passei o Corfegtí da Barra.7 horas e % vi o Rio de S. mas dizendo-lhes o meu Official de Ordens quem eu era. e não me pareceu mal. e Seguindo a sua margem esquerda por espaço de 5 minutos. cara de má rez. achei-lhe hum não sei que . e por isso me desculpei. outro cheio de fa- . pois que talvez houvesse algum. e entrei na casa. cheguei á Fazenda de S. cuidando que teriamos caldeirões das Bodas de Camacho. bom lombo de porco. veio honrar-me com a sua companhia : era de meia. Eu encarando o homem .'. A's. rogou-me com instancia que descan- çasse e lhe fizesse o obsequio de almoçar em sua casa.'* ITINERARIO gente reunida para se confessar. que tem hum pequeno estabelecimento. cheia de cordões e rosarios de ouro em forma de taboleta de ourives . que dizem entrar no Rio de S. A senhora da casa . encontrei o lavrador c sua mulher mon tados a cavallo para irem ouvir missa á Fazenda da Barra. Bento pertencente ao dito João Antonio .

Marcos no Porto chamado de Manoel João . è cu segui ás 8 horas e 2o minutos. Bento de pouca elevação . onde passei com bastante incommodo e risco. DO RIO DE JANEIRO AO RARÁ. Na margem esquerda do rio não ha morador algum. que forão os primeiro* neste anno./í estava ao lado da pequena Serra de S. comesse as couves e papas de leite . que huma vez que por sua culpa entrámos na casa . A's 9 horas e 8 minutos passei hum corrego sem ponte . e leitões do Dia do Corpo de Deos ? Em fim eu disse ao meu companheiro . cujos barrancos são mui altos . O rio terá 3o braças de largura . Tem as melhores proporções para se construir sobre ellc huma ponte de madeira segura. e a hum individuo que veio ha pouco mais de dous mezes estabelccer-so neste lugar. e na di reita vi duas miserabilissimas cabanas pertencentes ao ca- noeiro . e com effeito.. e tem 11o palmos de comprido. Como eu não vi cousa que podesse comer . c leva pouca agua : entra no Rio de S. e logo montando a cavallo deixei o Sr. gallinhas. Marcos. e logo outro pequeno . e 12 de largura. Deixei . he profundo.me deu o conselho de me apear : quando viráõ os lombos . por faltarem os canoeiros que estavão ausentes. João Antonio e a sua se nhora em liberdade para irem á missa da Fazenda da Bar ra. estive olhando para os pratos. 1o0 rinha de milho . e dé tempo a tempo perguntava ao que. antes de hontem pas- sárão dous carros . Parece-me de consistencia calcarca . mas não o affirmo por não chegar perto della. A's 8 horas e 24 minutos passei o Rio de S. e hum terceiro cheio de couves picadas e cozidas. Bento : a ponte he fraca. e então soube que hum pouco acima do porto dá o rio váo a carros quando se acha muito vasio . alta. Descancei junto á margem do rio . mas fragosa. e ás 9 horas e 55 mi nutos cheguei á margem esquerda do Rio de S. O rio terá 8o palmos . o que elle fez bem contra sua vontade . A's 8 horas e . e cheio de cachoeiras.

Marcos vi hum phenomeno admiravel . Em cada. A's 2 horas e 1o minutos cheguei ao Corrego da Estiva sem ponte: ás 2 horas e 25 minutos ao Corrego da Por teira sem ponte : ás 2 horas 'e 4o minutos ao Corrego En tupido com ponte. nem isso he possivel. e de varios lugares desfrutão-se bellissimos golpes de vista. ou dos moradores das estradas. entre o Rio de S. A minha bagagem veio excellentemente pelo caminho que eu segui. he muito boa: o terreno he de barro ver melho . Marcos . tendo assim mar chado 5 e '/4 legoas até ao Rio de S. cheios de pedras . Domingos do dito Freire : este homem disse que a jornada foi de 7 legoas : isto procede de não se acharem medidas . porque todos os dias se abrem novas picadas . hum dos extremos da bomba pegava huma nuvem muito densa e de grande extensão. Eu apresento junto a figura que descrevia. mas o meu patrão informou-me que se devem preferir aos que passão pelas casas de João dos Nunes para o Porto de Manoel Ro drigues . e 1 '/j ao sitio de S. Trovejou e choveu copiosamente de manha e tar de. ou de dous arcos de circulos. mas em lugar de ser vertical. Os caminhos desde o Rio Pa- ranahiba até ao de S. e de transito perigoso para bestas carregadas. nem talvez se meção d'aqui a muitos annos as dis tancias de huns a outros lugares. e se vão endireitando conseguintemente as antigas a arbitrio dos tropeiros . Marcos e a casa de Ma noel João Freire. A estrada. onde pernoitei. Marcos não são bons . era horizon tal' e colubrina.1o4 ITINERARIO « a margem do S. Antes de cahir a chuva formou-se ao Sul huma manga ou bomba de vento . e justo a clle fica o terreiro do sitio de Manoel João Freire. Quando eu estava pouco distante do Rio de S. os quaes atravessão morros escarpados . unico em toda a minha vi da. Marcos a i hora e 1 o minutos da tarde. como as que muitas vezes se formão sobre o mar. .

.

.

e forma huma tromba bem semelhante á do elephante. Huma passou tão perto do navio.oa domar em forma de linha aspirai . DO RIO DE JANEIRO AO PAIA. quando sobe. 1 o5 O espaço que mostrara occupar seria de 8oo a 1ooo bra ças. huma es pecie de piramide ou tubo conico cuja base fica adaptada á mesma nuvem. Nas estações e nos lugares onde cahem chuvas copiosas. fazefvdo '4 . faz bulha como a da calha de hum moinho. a altura acima da terra 2oo braças. esteve assim por tempo de huma hora e logo que sc foi desfazendo . esteve rodeado por 84 bombas ás 1 1 horas da manha. c na latitude meri dional s5' . desenvol- ve-se ou precipita-se repentinamente e com a celeridade do raio sobre a agoa huma mangueira ou tubo de tres ou quatro pés de diametro . que a tromba quasi babujou o costado. que duvidão e chegão a negar a existencia das bom bas d'agoa ou de ar. Thomé a Lisboa no mez de Fevereiro de 18o4. Mas o que causa grande admi ração. apparece quasi sempre subitamente. e que esta. estimaráõ talvez saber hum pouco a theoria e o modo de se formarem as bombas. e o vento hum pouco forte. Creada assim a bomba . e ás vezes pouco a pouco. No dia 22 desse mez achando-se o navio no meridianno do Cabo de Palmas. a qual na occasião de ferir a agoa faz grande bulha. Aquelles que ainda não tiverão occasião de observar de perto este meteoro. he o haverem muitos homens de conhecimentos ex tensos. em alguma nuvem grossa. principia logo o seu trabalho de chupar a ag. acontece que estando as nuvens muito densas . cahirao torrentes d'agua : formou-se pelo mesmo modo que começão as bombas que muitas vezes apparecem no mar . e muito certo que a bomba aspira a agua do mar. Eu observei mui attentamente a construcção das bombas em huma viagem que fiz da Ilha de S. No fim de quatro a cinco minutos que assim se conserva sem mudar de figura nem de posição . e persuado- me que se dirigio á nuvem fronteira por effcito da attracção. He certo.

e se poucas pessoas as descobrem.ara. por isso mesmo. embolo das bombas ordinarias de esgotar . Ha varios expedientes p. e. Quando as bombas se desfazem cabe huma immensa chuva que dura algumas horas. Logo que as nuvens se açhão muito carregadas ou fartas de agua. A aspiração da agoa faz obscurecer cada vez mais as nuvens a que a bomba está segura. formando bum arco mais ou menos curvado se gundo a força do vento que a impelle. Fazenda de Antonio Henriques Nogueira. em quanto ao redor da base a agoa so levanta em bolhas como se estivesse fervendo. e levou comsigo os telhados.. e &as costas da Serra Leoa. co meça a mangueira ou os atomos de que he composta a desfa- zer-se ató que finalmente desapparecc. outros só dão tiros de polvora secca: o capitão do navio em que eu me achava deu a popa ao vento. ás do mar . iq6 ITINERARIO hum estrondo que se parece com o de huma torrente que corre por catre pedras . Eu te nho visto hum grande numero de bombas no Mediterraneo . Os reder moinhos que nós vemos todos os dias. passou a nosso sotavento. escapar a este meteoro pavoroso quando se aproxima das embarcações : elle he capaz de submergir a qualquer nario. formar-se-ião em bom . for- mou-se huma bomba sobre o mar perto da praia do Abade onde eu me achava^ e vindo tocada por vento 1'Este. passou poff cima de varias casas da. e de produzir o effèito do. mas nun«a tantas como no Golfo de Guiné . arvores» e fez grandes estragos. e o vento supe rior não tem lugar de se introduzir na bomba. deve isso attrihuir-se á tenuid<ade dos atomos de quo a nuvem hç formada. lluos desparão tirosdebala de artilheria contra a bomba. Na Ilha do Principe. As bombas de vento que se formão sobre a terra são produzidas pelas mesmas causas que dão origem. e o vento fresco obriga á mesma bomba a dilatar-se .no Mar dos Açores . e cami nhou quasi em linbaparallelacom abomba que. ou pelo menos deixa-lo raso se o encontrar com hum petHieno bolço de véla.

aquénfasse ao fogo. Tenho visto muitos centos de bombas em diversos márèé. e yii sé põz a enxugar tudo aquillo que se molhou tio dia dê hontènl. I J lego». Domingos de Manoel João Freire quando erão 1 1 horas e 16 minutos. e beber huma pouca. 6 se 65o trouxesse roupa de reserva ho malote da garupa .se materia para isso disposta. ão de maio. todavia nenhuma dellas tinha a menor analogia com d què se formou entre o Rio Paranahibà c o de S. se o vento achas. Para evitar esses inconvenientes . chama-lhe fazenda. foi produzida por huma bomba ou tromba de vento cuja paridade com a de agua he conhecida pelas pessoas que tem alguns estudos destes phenomenos que são menos raros do que parece. se gostar desse licor. Marcos. devè quem fizer jornadas a ca vallo trazer hum malote na garupa com huma mudà de roupa. Hoje chegou ao sitio de S. è aos 35 minutos da tarde cheguei áo sitio dos Quarteis per tencente a Manoel Joaquim. Marcos . IÒ7 bas. Sitio dos Qvrartei» . e o dono da casa f8cêbeu-me com a melhor von tade. debaixo da grossa chuva. — Sexta FEiRtf . — A minha' bagagem passou hontem com grande difliculdade o rio de S. Ninguem se fie em criados^ porque ná melhor occasião dizem-lhe que lhes esqueceu a roupa na» canastras. e eu creio que a derrubada em Unha' seguida que no mez de Março do anno de 1826 appareceu na Matta do Rio Parahibuna desde o Registo de Mattiias Barboza para ò Norte. Montei logo a carâIIo. . teria de vestir o fato do meu patrão.' Òa ficar nú em quanto a roupa se. Hcr hum estabelecimento mui pequeno . e O cantil ou frasco' forrado de couro com agoardeiite para lavar o Corpo. Os caminhos até aqui são muito bons . ! DO RIO DÉ JANEIRO AO PARA. O' proprietario deste sitio. e paSsei hum corrego com porrte . Eú fiquei todo molhado.

As pontes desta jornada são de madeira e muito boas. Demorei-me neste lugar até que se apromptou hum guia . He a este General que se deve o ser agora frequentado este caminho. A's 7 horas o Corrego da Ponte. A's 1o horas passei hum corrego com ponte. e abaixo della está o váo: deste lugar ao porto do rio na estrada de S. Estes dous homens completão o numero . com ella . —Sahi da Fazenda dos Quarteis ás 3 horas da manha que estava clara e fria. e he profundo entre morros asperos. Passado o rio. mas eu atravessei-o no váo. fica hum corrego com ponte. 6 J legoa*. A's 9 horas e V4 hum corrego com ponte. As 5 horas e % o Corrego das Parobas ou Perobas que entra na esquerda do Pirateninga : tem ponte . Paio a quem os moradores dos lugares por onde tenho transitado fazem os mais consideraveis e honrosos elogios. se passa o Rio do Verissimo que neste lugar tem ponte de 1oo palmos de comprido. Passei logo hum corrego com ponte . e princi pia neste lugar a pequena Serra do Verissimo que he baixa e larga. Paulo ha mais de duas legoas e meia. ii 5i de maio. 1TINEKARI0 Sitio ou Faacnda da Cachoeira . — sabrado. e ás jo horas e '/j o Corrego da Capoeira. e continuei a marcha ás 7 horas e 5a minutos. ás 7 horas e 8 minutos o Corrego de Açude com ponte. Marcos assim como os antecedentes. o qual tem comsigo hum irmão. e ás 9 horas o Rio Pirapetinga ou Perpetinga com ponte . A construcção ou reedificação dellas foi obra do Governador e Capitão General Manoel Ignacio de S. A's 7 horas e 1 2 minutos a Fazenda de S. Passei logo o Corrego dos Quartcis que entra Da margem direita do Rio de S. e logo. Francisco pertencente 1 a Anastacio José Ferreira. As 1o horas e 55 minutos cheguei á Fazenda da Cachoeira pertencente a An tonio José Ferreira natural da Cidade do Porto .

. nproximavão-se aos bois . A's 3 horas e 35 minutos cheguei ao lugar em que a estrada de S. 5 J legoas. tucanos de papo vermelho. e muito orvalho. Marcos. — Sahi da Fazenda da Cachoeira ás 2 horas da manhã que estava clara e mui fria : vento N. Tenho visto hoje algumas emas . Os caminhos para esta fazenda são pela maior parte bons : as terras são pretas e de barro vermelho . e os assaris amarellos. 1 de junho. os rios levão alguma agua da chuva de hontem. fraco . mas fica mais abaixo. — domingo. A's3horas e 2o minutos o Ribeirão da Ponte Alta : não tem ponte no lugar em que passei . A's 5 horas e 74 o Ribeirão do Braço da Ponte Alta com ponte. d'aqui 12 legoas . Paulo d'aqui 3 legoas e '/j. o Rio do Verissimo recebe o Braço do Verissimo junto a estrada de S. e o outro no Verissimo . picapáos e outras aves. 1 o9 de cinco pessoas nascidas em Portugal que tenho encontrado no sertão. O Rio Pirapetinga tem 5o palmos de largura . O Rio do Verissimo e Braço do Verissimo nascem no chapadão do Imbirussú . muitas seriemas . e a Fazenda da Ca choeira entrão na margem direita do Rio do Verissimo acima da ponte. capões e cerrados . e fugião dos cães e dos porcos. DO Mn UE JANEIRO AU PARÁ. e os corregos queficão entre o Verissimo.gordura . perdizes . Na chapada do Imbirussú tambem nasce o rio deste nome que entra no Rio de S. Sitio do Brito. e muitos cha- padões do pastos. Na Fazenda da Cachoeira as emas entravão no terreiro a procurar fructos de hum arvore : não sc espantav&o de ver gente . A's 2 horas e 5 minutos passei o Corrego da Cachoeira ou do Terreiro com ponte arruinada. e vão muito turvas. joão-de-barro . e o Rio Pirapetinga no morro do Facão distante 5 legoas. Ha muito capim . . Os primeiros entrão no Rio Para- nahiba . pequenas matas . algum calháo .

Este morro não h«! arspero-. Este he o motivo de faltarem alguns nomes de corregos no meu Itinerario apezar de eu fazer todas as diligencias de o escrever correcto . Passei no váo com agoa pela barriga do cavallo. tinhão projectado. O meu Official d'Ordens dormiio no chão junto a huma parede do interior da sala . etc. corrego ou rio que elIes atravessão todos os dias. Este ribeirão torna a passar-se junto ao Morro Grande ao cume do qual cheguei a-s. levando sempre o lapis sobre o papel. e dá muitos bellos golpes de vista. ifrtfs he alto'. A's 4 horas « 1*. Logo depois atravessei o Ribeirão de Antonio Thotnaz ao longo do qual vai a estrada de carros. e o relogio na mão. Perguntava os nomes de alguns corregos mais pequenos : o mais que me disserão era que o tal corrego chamava-se ca beceira de tal rio. etc. e tão mal tratadas como não se pótfó fazer idéa. Aqui existem muitas casas! todas pequénási. Esta mesma queixa tenho ouvido fazer a muitas pessoas instruidas .- tSo immundas. e não saberem dizer onde nascião nem onde acaba- vão. Aconteceu-me muitas vezes pergun tar a alguns fazendeiros qual era o lugar do nascimento de hum ribeirão . I io ITINERARIO Paulo se une á que cu tenho seguido. mulher brancá e viuva. minutos o Rio do Braço do Verissimo com ponte. rios. A's 5 horas e 2o minutos passei hum corrego que corre á direita e vai entrar no Braço do Verissimo. não sabem dar razão daquillo que se passa fóra do alcance dos seus olhos. as quaes vendé tanta estupidez abrirão mão dos trabalhos que■ aeerea dôs caminhos. Diz o guia que o rio vai com muita agoa de chuva de antes de hontem a qual parece ter sido geral por estas paragens.7 hOrás e 2o minutos. AY8 horas c '/4 cheguei ao sitio denominado Brito. e ahi vivido constante mente . * a par áelle Atfgelo José da . pertencente * Maria Joaquina. Devo aqui dizer que ha homens tão estupidos por este ser tão que tendo nascido em hum lugar.

e tudo quanto achavão que tivesse suor ou gostado sal. Nesta casa de Maria Joaquina soffre-se tanta escacez de alimentos que. Comprei na casa do Brito algumas pelles de tucanos a 1 2o réis. casa do Brito estava cheia destes animaes. passárão por cima dos que dormião. 5 £ legoai. . cercão-a por todos os lados. e tem muito calháo miudo em varios lugares. muito delgada . e puzerão tudo. Junto ao sitio do Brita passa hum corrego que entra no Braço do Verissimo. Neste ultimo predicado nao acredito porque a. r • ! . su jarão roupa. não me atrevendo a faze-lo no rancho parque as vacas e porcos furtavão e comião a roupa . — Sahi da Fazenda doBrito ás n horas da manhã que estava clara pela lua . em desordem. Depois da meia noite entrarão dous porcos por hum buraco da sala. ar reios. d'ahi. houve a maior difficuldade em se achar alguma farinha para a minha gente . vento Sul frio. /•• j ' Rio Corumba . Eu dormi em cima de huma mesa . Paio. . a hum quarko de legea. e disscrão-me ao depois que não he malfazeja. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. Os caminhos desta fornada são medianamente bons. He taa forte a vontade dos porcos c vacas para comerem ou lamberem cousas salgadas que apenas vêem a qualquer pessoa em disposição de ourinar. e co mem e lambem a terra ou cousa em que se ourinou : he huma perseguição tal que só pôde ser acreditada por quem o tem presenciado. amarella e verde . 111 Silva. A ponte do Braço do Veris simo he tambem obra do General Manoel Ignacio de S. e eu apenas pude conseguir que me vendessem huma leitoa. De todos os ran chos e casas por onde passei esta he a mais desgraçada. Matei de hum tiro sobre huma larangeira huma cobra cainana ou caninana que andava por cima das casas do sitio : tinha 1 o palmos d& comprimento . % de wnho. e que come os ratos. — secunba FEIRA.

o qual assim como os precedentes separados ou unidos a outros entrão na margem esquerda do Corumbá abaixo do lugar da passagem. A's 6 horas e meia corrego com ponte : logo fica huma casa pequena . antigos servos de Anhanguera. Neste lugar estão algumas barracas . eu mais depressa «hossas de Indios . e depois desta outro corrego com ponte. A's 3 horas o Corrego da Posse : tambem he de dous braços. e os ribeiros da Ponte Alta . tem dous braços. que aqui tem hum pequeno rancho. A's 2 horas e 25 minu tos oCorrego das Lagoas. A's 4 horas e 4o minutos passei o Corrego do Palmital que entra na margem esquerda do Co rumbá.] 12 ITINERARIO Passei hum pequeno rego junto ao sitio. Hum pouco adiante fica huma lombada de terra. Paulo. A's 7 horas e meia hum corrego. A's 2 horas e 3/4 o Corrego do Capão-grosso. anda-se sobre huma que produz o som de hum tambor desapertado. A's 4 e 3/4 o Sitio ou Fazenda do Palmital pertencente a GabrielJoséRapozo. A's6 horas o Corrego do Pé da Roça. He provavel que esteja solta por algum lado . que he o ponto culminante . c da separação das aguas : aquellas que tenho atravessado desde que passei o Braço do Verissimo cahem na margem direita deste rio . A's 6 horas e 5 minutos oRan- cho e Sitio ou Fazenda de Santo Onofre. A's 6 horas e 35 minutos estão algumas pequenas cabanas pertencentes a Indios aqui postos pelo Anhangucra . o povoador de Goiaz. mas a ponte acha-se na confluencia de am bos. A's 7 horas e f\0 minutos o . nome que se lhe deu por se haver d'aqui tirado a agua de hum antigo enge nho d'assucar do Anhanguera . que já não existe. e Braço da Ponte Alta entrão na margem esquerda do mesmo Braço do Verissimo com o nome de Corrego Fundo junto á estrada de S. A's 3 horas e 1 o minutos hum corrego pe queno. habitação de huma» familias Ciganas. A's 6 horas o 55 minutos o Ribeirão da Agua tirada . Logo adiante fica o Sitio da Posse . ou que cubra alguma caverna aberta pela cor rente do corrego.

São pardas. ou a sua voracidade para comerem o fruto destas arvores. que são muito mais pequenos : os papagaios . veio seit filho em huma pequena canoa compriméntar-me . mui gordas. que lhe deu com huma pequena vara. achande—me no Rancho do Brito ouvirão-se os uivos de hum lobo ou guará. como suppoem algumas pessoas que se reputão bem informadas. e con- duzir-me para a margem direita do mesmo rio. que ião em caravana. Logo que da casa do Coronel Bartholomeu Bueno Leme da Camara virão que eu estava na margem esquerda do rio . O Rio Corumbá tem neste lu gar 6o braças de largara. que eu matei 25. e 24 palmos de fundo. No pouco tempo que estive na apra zível margem direita do Corumbá. Escapei a este monstro dando hum grande salto. 11 5 magostoso Rio Corumbá. e os meus companheiros mais de 8o. periquitos è araras voão em bandos aos pares . e tanta era a sua familiaridade com os homens . e huns atraz dos outros : tambem vi en roscada dentro do rancho huma jararaca assú de 8 palmos de comprimento : estava coberta de folhas seccas. A quantos perigos se acha «ugeito aquelle que viaja pelo Brazil I Hontem ás 9 horas da noite. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. e tão grandes como as pombas domesticas. Na margem esquerda tem hum pequeno rancho . Nasce na Serra dos Pyreneos . a tempo que já elle tinha o collo levantado para dar o bote. pouco distante do 'Arraial de Meia Ponte. Com effeito i5 . Em -varias arvores altas e muito bellas havia cen tos de pombas do mato. ou a receber as deste . talvez a praticar alguns roubos como he o seu costume. e moveu- se quando eu me assentei em hum páo . que entre barrancos elevados corro brandamente a entregar as suas aguas ao Rio Paranahiba. vi centos de tucanos pre tos com o peito vermelho. e ella ficou entre os meus pés. onde encontrei dez ou doze Ciganos e Ciganas. e os amarellos. c então foi morto pelo meu Official de Ordens.

que he formosa. Qual foi a minha magoa vendo o Principe da nobreza. Paulo! A mais velha das duas irmãs tem 25 arinos de idade. con quistador e povoador de Goiaz .sobranceira ao Corumbá. na margem do Corumbá . abandonadas e entregues unicamente á sua virtude . au sentes de seu pai o Coronel Bueno. tem 19. suas irmãs . he quem as collocou na triste posição em que se achão. e cuja consorte foi obrigada a vender todas as suas joias e escravos para pagar ao. e ainda que mui acanhadas . pai destas meninas. catres. redes para descançar. Apparecêrão-me pobre mas decentemente vestidas. e hum dos mais distinctos e nobres aventureiros da Provincia de S. soffrendo todas as privações.faltas de todas as com- modftlades. que rcgorgitando em ouro. etc. ooo cruzados. que está na bella chapada . e o irmão 17. al guns bancos toscos. que se lhe adiantárão pelo Cofre da Fazenda Real! — Sic transit gloria mundi ! Dizem que as extravagantes dissipações do Coronel Bueno . que ha 14 annos está vivendo em S. a segunda. e fui por este joven recebido na sua casa. inculcão nobreza de alma. A mobilia he a ordinaria do sertão . morreu em misçria . Paulo ! Assim vivem. caiada por dentro e por fóra. As se nhoras preparárão hum quarto da primeira sala da casa para eu dormir . e puzerão-me huma cama decente . primeiro descobridor de Goiaz . as bisnetas do celebre Bartolomeu Bueno. o Principe da mocidade Goianna com hum remo na mao conduzindo huma pequena canoa ! Qual foi o meu desgosto vendo duas senhoras. e comida mui aceiada á moda do sertão : vierão fallar-me muitas ve .ll£ 1TINERÁIUO passei. de taipa e páos a pique. a saber : mesa no meio da sala .. Assim vivem os descendentes do ramo principal dos Anhangueras ! Assim vivem as terceiras netas do grande Bartolomeu Bueno. sobre tudo na resignação com que supportão a quasi indigencia em que se achão. A casa em que esta familia habita he terrea.

Francisco . e Principe dos fi dalgos de Goiaz. O irmão he hum galante moço sem educação : na sua quasi miseria comporta-se como hum plebeo honesto. ou de se fazer . Miguel do Rio de S. Aquellas são as que por differença mui grande do nivel do. A passagem das cargas faz-se em hum ajojo de duas canoas. o qual deixou para subsistencia das senhoras e menino que aqui se achão o rendimento da passagem do Corumbá que a pouco monta . Algumas cachoeiras de escadinhas ou peque nos saltos descem-se com as embarcações vazias. e nesse caso. e cheia de graças na- turaes. que acabão com a do actual possuidor . A senhora mais velha mostra ter huma massa mui grande de discernimento . Estas são rarissimas vezes navegaveis .terreno talhado a pique. de que tratei no dia 1 4 de Maio. deixão cahir a agua a prumo ou aos cachões. e cacho eiras de correnteza ou corredeiras. e dizem que ha nelle muitas capiva ras. abrem-se varadouros aos lados dellas . Estas ope-ações sempre são trabalhosas. e então escorregão seguras ou correndo á espia ou sirga de sipós mui compridos e grossos . ou com muito pouca carga . e muitas vezes de grande risco de soçobrar.* colica: a outra irmã he mais jovial. sendo possivel. pelos quaes se arrastrão as embarcações descarregadas. e he pena que esteja tão enferma e melan. Il5 zes . O Corumbá tem varias ilhas tanto acima como abaixo do lugar da passagem. ou abatido em forma de escadas ou degráos. A respeito de cachoeiras convem informar que nem todas tem este simples nome. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. Ha cachoeiras de salto. com que as abração. c não poderá existir muitos annos na sua casa. semelhante ao da passagem de S. O Corum bá tem huma grande cachoeira de salto d'aqui a 1o legoas. sem todavia se esquecer que he fidalgo . Esta familia he donataria de quatro pas sagens de rios por tres vidas. e no meio de seus desgostos achei-as mui agradaveis.

turbilhão ou sorvedouro. e forma na sua super ficie huma obullição. O Rio de S. O Commandante .1I& ITINERARIO a embarcação em pedaços. e ás vezes em meia carga . A's 5 horas da tarde chegou a minha bagagem que tinha ficado no Palmital. Paio. O gorgulho he hum lugar em que a agua do rio passa sobre pedras occultas . ou absolutamente despe jadas. Alem. acompanhado de hum Capitão de Infanteria. ou a va ras. mas na occasião da subida das embarcações não deixão de causar muito trabalho puxando-as á sirga ou á espia de sipós. — terça FEIRA. não ha pe rigo a temer. formão hum rebojo ou contra-corrente . Commandante do Districto de Santa Cruz. Marcos tem re manços e grandes redemoinhos. ou de ventos em sentido contrario ás correntes. Remanços são lugares onde as aguas que sahirão apertadas entre pedras. e hum paisano para me cumprimen tarem. Em algumas correntezas passão as embarcações com toda . — o qual he elleito de correntes oppostas. ou pequenas maretas oppostas humas ás outras. — Estou muito bem hos pedado pelas Snras. Parecem-se muito com o phenomeno a que no mar alto chamão — Rilheiro d'agua . A passagem do Corumbá he limpa . Caetano Teixeira de S. homem o mais officioso que pôde . 3 de juNuo. Estando no remanço apar tado do redemoinho. e os seus barrancos ( as margens elevadas ) sobem-se e descem-se com a maior facilidade. onde as aguas pelo seu peso correm com maior velocidade: es tas cachoeiras raras vozes são perigosas . As cachoeiras de corredeiras ou correntezas são planos inclinados do fundo dos rios. ha os remanços e os gorgulhos. das correntezas e cachoeiras. assim como dignas de commiseração. e ás 6 appareceu o Capitão . e em redemoinho ou tur bilhões. que em certos pontos são perigosos. o Escrivão do Julgado . Buenas Anhangueras: cada vez me pare cem mais amaveis e mais virtuosas.

O Snr. A manha estava extremamente fria. e tambem o mais esperto. O Commandante ficou nesta casa cujos proprietarios são seus parentes por parte da mãi . e o da Ponte . e d'ahi por diante em diversos inter- vallos que não. e -ultimamente ás 8 horas e 2o minutos . quiz praticar a meu respeito toda a sorte de obsequios : deu ordem para se reunirem as Milicias. Aqui ha hum sitio. Instou comigo para ir ao arraial . — quarta feira. . c quebrou-me a cabeça huma grande parte da noite com a sua loquacidade. que vierão do Arraial de Santa Cruz quizerão acompanhar-me apezar das instancias que eii fiz em sentido contrario. que desde ás 8 horas da noite começou a cobrir-se de hum denso nevoeiro. 4 de junho. e o Corrego do Campo Alegre . II7 haver. sahi da sua. — Despedhido-me das esti maveis Snras. atravessei varios corregos. o que cu não pude fazer por ter desejos de chegar quanto antes a Cidade de Goiaz. e fiz suspender as ordens de se incom- modar a qualquer pessoa. e mandou postar huma guarda á porta da casa. e os ou tros Snrs. casa ás 3 horas e '/j da manhã. Buerias a quem agradeci com as mais sinceras expressões os favores com que me tratárãó. pude conhecer por estar muito escuro e não ver as horas no relogio. O Arraial de Santa Cruz fica 4 legoas ao SO. Bueno moço. elogo depois ficão dous. o Ribeirão do Bom-Successo . DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. Engenho do Bahu % 5 legoas. do porto do Corumbá. talvez em ra zão da proximidade do Rio Corumbá. Eu agradeci as attenções. onde cheguei ás 6 horas e meia. recebendo da mais velha na mesma hora em que montei a cavallo alguns doces mui bem feitos por ella mesma. que teve a bondade de dizer-me que não os encontraria melhores antes de chegar ao Engenho do Sargento Mór Joaquim Alves d'O1iveira. Passei o Corrego do Terreiro.

e. extremamente povoada . Toda a estrada he muito boa . As distancias dos sitios são\)s seguintes: do porto do Corumbá á fazenda doBom-Suc- cesso. Maria da Luz com. e entre este ultimo ribeirão. á passagem do Ribeirão do Campo Alegre huma legoa.. e o Capitão Commandante sempre officioso. que tem engenho d'assuòár movido por bois. Nesse caminho não ha corrego nenhum a passar. mas as casas que vi são humildes . Maria da Luz. ao Engenho do Bahu duas legoas. e todas as oflicinas parece que fo- rão abandonadas ha hum seculo. e o Corrego das Tres Barras ou Bahu ficão outros tres corregos.|l8 ITINERARIO cheguei á Fazenda do Campo das Tres Barras ouBahú. D. assim se achão quasi todas as que tenho encon trado desde o Rio de Janeiro até agora. perten cente a D. pôz a sua casa e escravos á minha dispo sição. e muito maltratadas. antes do ribeirão deste nome. e estão de tal modo estraga das ou entregues ao desmazelo. c o do Campo Alegre passão-se tres corregos . tem . Parece-me huma senhora virtuosa . como se nao pertencessem á proprietaria . queria empregar -se nos menores serviços e deu-me hum chuveiro de conselhos sobre o methodo de conservar a saude nestes sertões. A gente lusida do arraial veio comprimentar-me. Maria da Luz que me pareceu huma beata de mui boas palavras. O caminho dos carros está a direita da es trada que segui desde hum pouco adiante do Ribeirão do Campo Alegre até ao Corrego do Bahu. e tudo na melhor ordem. % de legoa. as suas contas na mão . A casa de vivenda. expedio ordem para se remetter para o Engenho do Bahu tudo aquillo que necessa rio era para eu ser hospedado com a maior ostentação possi vel nestes lugares : nada faltou . A Snra. e a Snra. Entre o Ribeirão do Bom-Successo. ao Sitio ou Fazenda do Campo Alegre huma legoa . appareceu muitas vezes . D. Neste espaço ha 5 corregos : do Bom-Successo ao Cayapó '/4 de legoa . logo que soube que eu não ia ao sen arraial .

D. .8 horas vi huma pequena casa á direita da estrada na baixa de hum morro mui agradavel. e não me atrevo a formar jui . He homem bran co . > DO RIO DE .onde corrião algumas emas com as azas enfunadas. Este moço obrigou-me tanto que não pude resistir ao convite de ficar hoje na sua casa onde me tratou por hum modo que' eu não podia esperar. veio ha pouco tempo para Goiaz a quem fez o beneficio da introducção das rodas de fiar. 2 ] legoas. varias barracas . 5* de junho. e bom rancho em que vi algumas peças de hum torno alto em que o dito José Ferreira trabalha. NO. e ás 6 horas e a5 minutos o Corrego da Soquinha cabeceira do Brumado que entra no Rio do Peixe.JANEIRO AO PARÁ. — Despedindo-me da Snra . Sitio do Campo Aberto . c por isso a minha comitiva ficou cons tando de 24*cavalleiros montados em cavallos bem Ordi narios. não pude conseguir que alguns individuos deixassem de acompanhar-me até ao pri meiro pouso que me disserão chamar-se Rio do Peixe. A vista desta maquina desafiou a minha curiosidade : pondo pé em terra conversei hum pouco com o dito José Ferreira e logo conheci ter muitas luzes da arte de tornear : he Mineiro . achei-o melancolico . e outras pessoas que muito me havião obrigado . Sahi pois do engenho do Bahú ás 6 horas da ma nhã. A's. d'aqui distante 4 legoas. Maria da Luz . e passei logo o ribeirão do Bahú. do Capitão Commandante. I1Q pouco mais ou menos 5o annos e creio que tantos obsequios são em parte nascidos da extrema civilidade. e consideração com que me trata o Capitão Commandante do arraial. — quinta feira. Do Bahú a Santa Cruz contão-se 4 legoas SE. A's' 8 horas e 35 minutos cheguei á Fazenda do Campo Aberto per tencente a José Ferreira. Este pequeno estabelecimento consta de huma mediocre casa .

que aquellc mesmo ho mem a quem mostravão face risonha e respeitosa ( o Com mandante ) seria agora o objecto da sua maledicencia. do que por vontade de me hon rarem. 12o ITINERARIO zos acerca da sua vinda para Goiaz . ficando eu só com o men bom patrão José Ferreira. Com esta resposta acabou-se o obsequio de alguns Snrs. e desfiz-me de todos os queixosos dizendo-lhes que nada devo obrar em quanto não tomar posse do meu posto . mas he certo que tem immensa habilidade. Huma rapariga parda mui limpa que ha em casa ( não sei se he sua mulher ) mostrou-so a mais diligente e obsequiosa que era possivel. Não houve infamia. Eu fiquei magoado com estas diatribes . e procurem sempre distinguir os verdadeiros dos falsos obsequios. pude conhecer que algumas pessoas que me seguirão desde o Engenho do Bahu vierão mais animadas de objectos de intriga . os quaes se puzerSo em caminho para o arraial. e tanto eu como as pessoas que me acompanhárão tivemos hum excel- lente almoço de café com leite. e acres- centárão que isto he legal. todos aquelles que poderem dispensar. Resolvido a ficar nesta casa. Os homens que se virem nas mesmas circunstancias em que eu estive. Paio he 'Capitão de Ordenanças . e então procurarei desempenhar as minhas obrigações como julgar acertado. aproveitem esta lição. e iniquidade que não fosse attribuida ao Commandante do Districto. Este honrado homem sahindo hum pouco da . que me acompanhárão. e outras cousas de garfo. injustiça. regeitando. calote. e pe dirão-me logo que o depuzesse da Commissão . que com o mesmo Commandante me fora visitar ao Corumbá . porque Caetano Teixeira de S. e nomeasse em seu lugar o Capitão de Infanteria dos Pardos. e o da Companhia dos homens pardos he da segunda linha. Annui ao seu pedido sem me passar pela idéa. e vingança con tra o Capitão Commandante. arbitrariedade. Alguns dos que me acom panhárão pedirão-me huma audiencia particular.

Insisti com este amigo para que me apontasse algumas pessoas dignas de confiança : respondeu-me. mas essas queixas procedem de actos de justiça e não de attribuições de Commandante . querem deitar esse homem por terra para os seus inimigos se vingarem. Queixão-se muito delle. Tambem as ha. a manhã ha de encontrar-se com o Capitão Vi cente Miguel. DO RIO DF. que talvez não seja tão máo como esses individuos o represcntão. que são muito honrados : eu sou suspeito . Ex. —Vossa Excellencia vai para Goiaz . O Commandante he homem muito trabalhador. e de tantos obsequiadores que vierão aqui para elles.Generaes.. 121 . Eu sei que elles vie rão queixar-se do Capitão Caetano . e muito arremedão ás da Corte : todos tallão em Constituição. . sua melancolia. Hoje de tarde appa- receu hum veado catingueiro junto ao corrego que está ao pe da casa : o meu Official d'Ordèns atirou-lhe a 1o passos . Os caminhos para este sitio são muito bons por meio de chapadões. —As pa lavras do meu patrão ferirão a minha alma. e por isso mudei de conversa. e te nho ouvido muitos bens assim como muitos males acerca dos moradores do Julgado de Santa Cruz.mais digno por todos osExm. elogo depois com o Sargento Mór Joaquim Alves: pergunte-o V.°' Srs. todos querem ser os primeiros. —Estas razões não admittião replica. e não para o honrarem. e por isso lhe perguntei se no insignificante Arraial de Santa Cruz tambem havião intrigas politicas. g. fingindo ignorar que só podem ser os ultimos : o sertão he povoado de muitos homens que tem menos virtude do que malicia e ambição. cerrados e campos de pastos. sou estrangeiro e novato neste districto ." a esses Srs. tem servido ha immensos anrios de Juiz e Commandante do Districto por ser reputado o . Em casa do meu patrão existe hospedado hum homem Europeo. respondeu o torneiro philosopho. e 16 . dissc-me com o maior agrados — Senhor ! Vossa Excellencia deve desconfiar de tantos obsequios . JANEIRO AO PARA. e da condição do hum torneiro.

A's 3 horas e 20 minutos cheguei ao Rancho do Bazilio passando antes deste hum pequeno corrego. incorpo- ra-se com o do Peixe. e junto a elle o Rio do Peixe. —. Arraial do Bomfim . mas o caçador dizia que nunca perdera tiro por elle desparado ! Alguns contão a marcha de hoje em 3 legoas. Tem aqui duas estradas : a da di reita vai para o Arraial de Santa Luzia. assentado em huma vasta planicie desco . Do Campo Aberto a este lugar ha 1 legoa e '/4. de aguas muito barrentas : tambem lhe chamão Corrego do Bomfim. Adiante do Rancho do Bazilio fica o corrego do Leonel. e logo depois hum rancho . velha o maltratada que fica á direita da estrada em huma cova. depois o Matinho ♦ em seguimento o da Guariroba que corre em huma grande varzea onde ha huma casa extensa. — sexta fejra. Passado o Corrego das Bicas fica o da Capoeira ou Mato-Grosso por ter muito mato. Este ribeirão entra no Rio do Calvo. Em seguimento fica hum corrego . Adiante do Corrego das Guarirobas em que ha immensas pal meiras deste nome . e depois deste 0 das Bicas.Sahi do Sitio do Campo Aberto á meia noite. Passei logo o corrego deste nome com ponte e barrancos altos. 7 £ legoas. 6 de junho. e são de hum gosto siunmamente agra davel (o palmito ou os envoltorios do interior) fica o Corrego do Lava-Pés. cu segui a da es querda para o arraial do Bomfim : o corrego do Campo Aberto . os quaes uni dos entrão no Ribeirão de Santa Rita. passa hum ribeirão chamado de Santa Rita . o qual unido ao Bois. e outros dous que ficão a diante vão unidos ao Rio do Peixe. o qual fica duas legoas distante do Rio do Peixe.122 ITIHERÁRIO o veado foi-se são c salvo . A's 7 horas e 25 minutos cheguei ao arraial deste nome. Junto ao Rancho do Bazilio em que ha pequena casa e rancho.

cu não tenho conhecido nos meus differença alguma.de ser alimentados : o dizerem que os cavallos não tem bastante tempo para dormirem quando se viaja de noite . O viajar de noite he mais diffi- eultoso. jantar que me deu foi não só muito abundante mas muito delicado : apresentou-me a sua familia . As bestas carrega das não devem marchar de noite para se não perderem ou esparramarem. que foi esperar me . não me deu huma só palavra em desabono de pessoa alguma. para me irem procurar. Nunca me dei mal com este modo de fazer jornadas . e posto que todos me digão que as ma drugadas estragão os cavallos. Eu tinha encontrado no Corrego da Capoeira ou Mato-grosso a Companhia de Cavalla- ria deste arraial . e outra que está a concluir-se e he extensa. mas não se persuadião que eu chegasse tão cedo . 123 berta ou sem arvoredo . e confirmou a respeito do Commandante de Santa Cruz aquillo mesmo . e cobertas de ouro á moda das Minas. e quando cheguei ao. e dedi cada ao Rozario de Nossa Senhora. O Commandante he muito bom homem. mesmo arraial estavão montados . mui bem vestidas. pois que eu observei que os meus cavallos dormião durante o dia. senhoras alvissimas. por ser necessario ter os cavallos á mangedoura : isto dá incommodo a quem não gosta de trabalhar por ser necessario cortar o capim ou outra herva com que os ca vallos hão . não me convence . e todas as pessoas notaveis. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. composto de 1 5o casas pela maior parte antigas e humildes . o Capitão Commandante do Districto Vicente Miguel da Silva. huma velha igreja do Senhor do Bomlim. A' porta do Quartel do referido Commandante achavfio-se postadas as Companhias de In- fanteria que já me esperavão por saberem que eu costumo viajar de noite contra a pratica geral do Brazil . ou que sahisse do Poizo á meia noite. O Commandante do Districto obsequiou- me na sua casa pela maneira mais distincta que foi possivel neste lugar.

Antas . fui ver o lugar em que se extrahio muito. e ainda achei huma roda de lavagem. De pois de mandar recolher ás suas casas os Milicianos que ferão convidados para me esperarem . Aqui attri- buem a falta de ouro á penuria de agua. e os muros do arraial. — sabrado. Hoje illumi- nárão as casas . Do Arraial do Bom-iim ao das Campinas contão i4 legoas a Oeste. — Sahi do arraial do Bom-fim ás 4 horas e meia da manha acompanhado pelo Capitão de Cavallaria Joaquim da Costa Ferreira. até ao Lava-Pés. Dos moradores do arraial são pelo menos dous terços de homens pardos. e o pro tege com a mais excessiva amizade. Encontrei aqui hum individuo mui decente. e com effeito neste tempo os corregos vão quasi seccos. que ha annos o sustenta. 7 de junho. vão todos unidos a perder-se na margem direita do Rio Piracanjuba. . e ganhou alguns vintens. Os corregos que passei desde a Capoeira ou Mato-Grosso.1 24 ITINERARIO que me havia dito' o meu patrão do pouso antecedente. Tenho encontrado al guma gente com papeiras ou broncoceles. Bulario . o qual foi eleito Deputado ás Cortes de Lisboa por influencia do Commandante do Districto Vi cente Miguel da Silva. e a maior parte das pessoas muito descoradas. e agora se tira pouco'ouro. e pelo Ajudante . Vi trabalhos ou exeavações immensas que attestão as fadigas dos antigos ha bitantes . e ao Arraial de Santa Luzia i4 legoas . Deste arraial ao Rio Piracanjuba ha 1 legoa e meia ao rumo de E. c por atalho i 1. Como existe muita gente no arraial . 8 legoas. a que tambem chamao Mato-Virgem. appareceu hoje de tarde defronte da casa em que estou alojado hum rapaz Mineiro a dançar em corda teza e bamba em que fez diversas ha bilidades. natural de Portugal a quem chamão o Sr. • Engenhe das.

A's 7 horas e meia esta o Rio Piracanjuba com ponte. A's 4 horas e 25 minutos o Ribeirão do Campo . c correm da direita para a esquerda da estrada . e entra na margem direita do Rio Corumbá. Passei logo o Rio Vermelho. A's 6 horas e % o Ribeirão Jurubatuba com ponte. o qual recebendo os corregos precedentes. Sahi do Engenho de S. A's 2 horas e 35 minutos o Corrego de DomingosTeite . Este rio he o principal tronco que recebe os corregos precedentes que entrão no Piracanjuba. e entrão na margem esquerda do Rio Pira canjuba. e o Sitio ou Fazenda do Furriel Francisco Rodrigues de Paula. Junto á ponte fica hum rancho. perde-se no Rio Piracanjuba. João á 1 hora e 3/4 da tarde. A's 6 horas e 35 minutos o Corrego do Taquari. e as suas aguai são verme lhas como barro. DO BIO DE JANEIRO AO PARÁ. e logo está hum sitio do mesmo nome. e para a direita descobrem-se os elevados picos dos Pyrenéos. João das Antas ou do Piracanjuba perten cente ao sobredito Capitão Joaquim da Costa Ferreira onde me demorei por convite deste Official que me deu hum ex- cellente jantar. largo e espraiado : vai quasi secco. A's 2 horas c 5o minutos outro corrego tambem chamado de Domingos Leite : correm da esquerda para a direita. Logo depois ficão o Corrego da Posse e o da Porteira. A's 8 horas e meia o Corrego da Capoeira. e ás 8 horas e 4o minutos o Corrego da Fazenda de S. A esquerda ficão os morros da Jurubatuba . A's 7 horas e 34 minutos o Corrego do Açude. A's 8 horas e 4 minutos o Corrego da Diviza. não consentindo que outras pessoas me obsequiassem como desejavão. c ás 6 horas o Cor rego chamado do Engenho por passar par hum que fica á esquerda da estrada. O estabelecimento foi grande mas acha-se decadente : tem engenho d'assucar movido por gado. A's 4 horas e 1o minutos passei o Ribeirão de João Pereira. Iã5 José Rodrigues Gomes . e depois ao Sul. incorporando-se em hum só que vai ao longo della. Todos os corregos que passei cahem no Rio Piracanjuba.

Borges. e ainda mais ao Commando do novo Districto. apresentou-me a sua senhora muito mais idosa do que elle. grande estabelecimento do Tenente de Cavallaria Francisco Borges. e para que a hos pedagem fosse retribuida com alguma cousa da minha parte. e a senhora não lhe fica atraz.Largo ou Alegre. Borges. Borges he muito empenhada no accesso de seu marido ao posto de Capitão . Estes ribeirões entrão depois de unidos com o Ribei rão das Antas no Corumbá. A tudo respondi que só depois de tomar posse do Governo hei de praticar o que convier. branca . A casa do meu . que não goza os melhores creditos nos lugares por onde lenho passado. A Snra. bem vestida com pessimo gosto . Tanto esta senhora como o seu marido tratárão-me muito bem . parentela e outras qualidades. O desejo de obter Postos Militares he geral em todos os ha bitantes dá estrada : ninguem quer ser Soldado : todos dese- jão ser Ofliciaes . pedio-me o Sr. e o nomeasse Commandante de Districto . Em poucas horas me deu provas de ser hum dos maiores Ciganos da Provincia . e em abono das suas pretenções oflerecem como titulos de merecimento os seus nascimentos. estava-me enganando . Na mesma occa- sião em que me pedia que o reformasse . Borges que o reforme em Capitão (elle he Tenente nominal sem patente nem exercicio) e quer além disto que eu crie hum novo Districto do que elle seja Com- mandante. c na forma do costume cheia de cordões de ouro. A's 5 horas e 25 minutos apêei- me junto a casa da Fazenda das Antas com engenho d'assucar. Entre hum e outro fica huma pequena casa. o ven dendo como á melhor mula do universo huma que era des- cadeirada : foi necessaria toda a esperteza do meu tropeiro para eu não cahir na logração que me fazia o Sr. e ainda mais a sua dignissima consorte. Este fazendeiro ou senhor de engenho. 126 ITINBRÁRIO . Defronte do terreiro do engenho ha hum grande rancho pertencente ao Snr.

12? patrão he. despeja as suas aguas no Rio Corumba. he grande agente das suas traficancias. e tambem escrevi a minha familia. Em menos de hum dia a familia do Sr. Estando eu no Engenho de S. 8 de junho. Hum' filho natural pardo que elle tem. A estrada da esquerda que eu segui vem para o Engenho de S. Joaquim . João passou o Correio do Rio de Janeiro . Sr. Ministro da Guerra dando-lhe parte de haver entrado na Pravincia . e ás 7 horas e % o Ribeirão da Forquilha por fazer esta figura junto á fazenda deste nome com o Braço do Capivary. e ambos unidos cahem no Braço do Capivary. A's 5 horas e 55 mi nutos o Corrego da Capetinga que entra no Capivary. A's 8 horas e 3/4 cheguei ao cume da Serra do Gongo onde existe hum antigo e arruinado en^ genho de cana que tem o mesmo nome. Adi ante fica o Braço do Capivary . como todas as outras da estrada. Passada a ponte deste corrego fica huma estrada a direita pela qual se vai para o Arraial de Meia Ponte pela Fazenda do Capivary. e ramo dos Pyreneos. Borges acogulou a medida das anedoctas que eu tinha ouvido a seu respeito ainda antes de entrar na Provincia de Goiaz. e ao lado . cheia de buracos. Logo depois atravessei a ponte do Ribeirão das Antas. Engenho de S. e por elle escrevi ao Exm. e mandou fazer a minha cama em hum catre que estava na sala. — Sahi do Engenho das Antas ás 4 horas e meia. que recebendo os dous ribeirões antecedentes. Joaquim onde me acho. 7 { legoas. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. — domingo. A's 6 horas e meia a Fazenda do Campo Alegre de João Rodrigues que fica entre os Corregos do Moquem e o dos" Anicuns : este he mais volumoso do que aquelle. Adiante do Engenho do Gongo fica O corrego do mesmo nome : depois ha hum rancho . Tem hum grade oratorio coberto de imagens mui pequenas . Esta serra he aspera.

<me banha todas estas casas e fazendas. e as casas de aves onde ha huma incrível quantidade de ganços . Joaquim Alves d'01i- veira. Junto da porta existem os curraes de ovelhas . todas mui limpas e caiadas. Do Engenho das Antas ao do Gongo são 4 legoas e meia. e no interior proximo á grande sala de jantar está em construcção hum novo e extenso edifício. as suas oflicinas. A's 1 o horas e 'A a fazenda de gado do Sargento Mor Joaquim Alves d'O1iveira.128 ITINERÁRIO esquerdo varias casas pequenas em huma profunda cova. e passa-se a váo. A's 9 horas e 5o mi nutos cheguei ao Rio ou Ribeirão do Padre Souza. Tem engenho d'assucar . A's 1 1 horas e 4o minutos hum corrego ou rego pequeno. A's 1 1 horas e 1o minutos o Ribeirão do Caxambu que entra no Padre Souza : he fundo . e ás 1 1 horas e 55 minutos o Enge nho de S. em hum pa teo fechado. Se- guem-se dous corregos no meio de despenhadeiros terriveis. A's 1 1 horas e 5 minutos o Corrego Secco. offi- cinas e casa de hospedes : mais para dentro. gallinhas e patos de todas as qualidades. Os corregos correm para a esquerda para o Rio do Padre Souza. e os seus 2oo escravos são adminis . Junto á capella ha huma grande va randa . e de hum mesmo' feitio. e caminhos de rocha em que se dão grandes saltos : em hum delles fica huma pequena fazenda. e he o maior e mais bem regulado estabelecimento deste genero que tenho visto no Brazi). As casas do engenho são terreas. a casa e officinas das mulheres : do outro lado do pateo estão as casas dos escravos. que aqui se torna a passar. Joaquim do Sargento Mor d'Ordenanças e Com- mandante do Districto de Meia Pente. Sobre a estrada existe hum grande rancho e hospedaria : em fim este enge nho. A's 1o horas e meia a Fazenda do Mato-Grosso de João José do Couto con tigua ao Rio do Padre Souza. mas tem im- mensas acommodações. O edifício he immenso : o grande pateo ou terreiro tem de hum lado o engenho e casa do proprietario .

e sem azafama. Goiaz . Esta filha he casada com o negociante de quem fallei no dia 9 de Maio. O Sr. tendo o unico defeito de apresentar iguarias que podiáo satis fazer 12o homens. A's 4 horas da tarde veio de Meia Ponte huma Par tida de Cavallaria. Joaquim são muito bons excepto a aspera Serra '7 . 12o. etem huma filha herdeira pre- sumptiva das suas vastas propriedades. tem huma grande quantidade de utensis de prata para serviço dos seus hospedes . e não he falto de instrucção. e compra aos pobres as suas colhei tas . e esperava-me aqui por ter rece bido aviso da minha chegada por via do Commandante do Bom-fim. possue muitos bons livros . tudo tem lugar determinado. Hum aceno d'olhos he quanto basta para as cousas se fazerem com toda a promptidão. ou para melhor dizer. Joaquim Alves para comigo e a minha familia. Este he o grande homem actual da Provincia de Goiaz. O Major Joaquim Alves terá 44 a 4o annos de idade : he o homem mais honrado e generoso que se conhece . e desgra çadamente não tem por ora filhos. e huma Companhia de Infanteria para me servirem de guarda. Aqui tudo tem tempo proprio . A mesa em que eu jantei foi arranjada com toda a delicadeza e sumptuosidade. trados pelo Sargento Mór Joaquim Alves tTOliveira por hum systema todo jesuitico. RIO DE JANEIRO AO PARÁ. he o bemfeitor de toda a pobreza do seu districto . tem botica para todos . a casa e oífici- nas são hum relogio que só hum homem como elle he capaz de governar. e o Rio de Janeiro he mui importante . do Engenho . Joaquim Alves he casado. Elle habita ordinariamente no Arraial de Meia Ponte 4 legoas ao NO. e os tecidos que fazem. Pedi que fossem despedidos immediata- mente . O seu commercio entre o Cuya- bá . Parece desnecessario dizer até que ponto chegou a urbanidade do Sr. e o Sargento Mór mandou-lhes pôr huma lauta mesa que para' todos se achava preparada. posto que a senhora seja muito moça. Os caminhos da Fazenda das Antas até ao Engenho de S.

A's 8 horas e 55 minutos o Corrego de Ignacio Jorge. Joaquim. Joaquim onde me tem visitado as pessoas mais notaveis do Arraial de Meia Ponte. está secco : vi passaros mui grandes chamados Jaburus ou Jabirus. Logo fica a Serra dos Coqueiros que he pe quena. — terça feira. A's 8 horas hum corrego. A's 9 horas e meia o Sitio de Manoel Duarte ou Bonito. Sahi do Sitio de Manoel Duarte ou Bo- . — quinta feira. Este sitio ou fazenda (em Goiaz dão o nome de fazenda abu sivamente áquellas qne em Minas chamão sitio) he cousa pe quena. — ia de junho. e ahi jantei. Joaquim. A's 9 horas e 25 minutos o Corrego de Manoel Duarte. A's 7 horas e 35 mi nutos hum corrego. O Rio do Padre Souza entra no Rio das Almas. A's 7 horas e '/( o Corrego da Fazenda com ponte. Nos morros de Meia Ponte ha minas de grcz elastica.l3o ITINERARIO ■ * do Gongo. A's 6 horas e 55 minutos o Ribeirão do Padre Souza pela terceira vez: tem ponte neste lugar. vai para o Rio Pary. Sitio de Braz de Beça . 1 1 de junho. e as passagens dos Rios Padre Souza c Caxambu. A's 7 horas e 2o minutos hum corrego. — Sahi do Engenho de S. Fiquei descançando neste lugar depois de marchar 5 legoas . A's 8 horas e 4o mi nutos o Corrego de Pedro Antonio . — EsIdu no Engenho de S. — Estou no Engenho de S. 1o de junho. — segunda fejra. 5 £ legoas. com sitio. A's 6 horas e 5o minutos o Corrego de Manoel Dias. 9 de /umo. A's 8 horas e 1o minutos o Corrego do Cocai. Joaquim ás 6 horas e 4o minutos da manha. Aqui ha huma elevação de terreno que divide as aguas. gos que atravessei vao para a margem esquerda do Padre Souza. — Estou no Engenho de S. — quarta feira. Todos os corre .

que desta casa á Capella ou Casa de oração de S. A maior parte dessa mata foi destruida a ferro e fogo . junho. e ás 6 horas o Corrego do Diamante. e rancho denominado Sabam- baia ou Boa-vista de Braz de Beça. e ao Arraial do Corrego de Jaragua 5. sitio ou fazenda. mobilia. A's. e disse. A's 5 horas o corrego com ponte.Bonito com ponte. e o de Manoel da Costa. e a todo este terreno chamao—Mata—por ser antigamente coberto de matos virgens que atravessavão a Provincia em huma faxa de i o a 12 legoas de largura. entrão no Rio Pary . A casa he pequena . o Correio da Folheta . Francisco. Passei o Ribeirão da Lagoinha.me que todos os corregos que ficão na estrada desde Manoel Duarte . Passei os morros do Genipapo . * f legoas. capoeira ou coberta de eapim gordura c sabambaia. ha 3 legoas . Assim se vão perdendo as terras de Goiaz! As casas que vi não tem differença das que ja estão descriptas tanto a respeito da construcção. e Samambaia.4 horas e i o minutos o Corrego c Fazenda do Btom-Suecesso de Joaquim Rodrigues. A's a horas e 5o minutos o Corrego do. A's 3 horas e '/( o Corrego e Sitio ou Fazenda do Sapezal. Logo ficão os mor ros de Sabambaia de facil passagem. — Sahi da Fazenda ou Sitio da Sabambaia ou Boa-vista ás 4 horas e a5 minutos da manhã. Sitio do Campo Alegre . A's 5 horas e 55 minutos o Corrego da Lagoa Grande com ponte. — sbxiia feira. cabeceira principal do Rio Pauy. Eu acho a palavra Sabam baia escripta Sambambaia. A's 4 horas e 2o minutos o* Corrego do Barreiro. e no dia de hoje acha-se reduzida a campos . ' l3l nito ás a horas e meia. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. Hospedou- me de mui boa vontade. desarranjo eomo de poucas commedidades. Os ca minhos são bons . e logo a Fazenda . e depois delle hum corrego com ponte . e o seu proprietario hum antigo morador deste lugar. *3i de.

grande estabelecimento arruinado : junto a ella fica o Corrego da Casa de Telha onde vi pousadas na arêa do regato huma quantidade prodigiosa de pequenas borboletas verme lhas e amarellas.. A's y horas hum corrego. e depois o Passa Tres. A's 4 horas corrego com grande atoleiro.. e o proprie tario do engenho que ha pouco tempo emigrou da Província de Mina» Geraes tratou-me muito bem . A's 8 horas e 18 minutos o Corrego e Engenho de Joaquim Gomes em grande deterioração.. A's 3 horas e meia vi huma lagoa ao lado esquerdo antes da qual está huma serra alta do mesmo lado. Adiante do Retiro fica outro corrego. A's 8 horas hum corrego. c o miseravel Sitio do Hilario a que cha— mão Retiro ou Boa-vista : a posição com effeito he mui agra davel. e vive aqui en* companhia de seu pai. e o do Retiro vai para o Rio dos Patos. e fez-me presente de hum bom cavallo por elle ensinado. Sahi desta casa a 1 hora e 5o minutos r atravessei o Corrego do Engenho que he pantanoso. e ás 7 horas e 3/4 o Sitio do Rosnador. Até aqui contão 4 legoas. A's 2 horas e 5o minutos hum grande atoleiro. A's 2 horas e 2o minutos o Corrego do Barreiri- nho. A's 3 horas e 5o minutos o Corrego e Lagoa do Catingueiro. A's 3 horas e 74 a Casa de Telha. A's 4 horas e 1o minutos a Rocinha de Maria Romana : fica na baixa de hum . IIc hum dos homens mais bem apessoados que tenho visto no Biazil. Fi quei aqui descançando até ás 4 horas da tarde . O cavallo em que eu vinha ficou neste engenho para se restabelecer da fadiga da jornada. A's 8 horas e 35 minutos hum corrego com ponte . e Corrego das Caveiras que entrão 11o mesmo Rio dos Patos. Os corregos que ficão antes do Retiro vão para o Rio Pary. e ás 8 horas eao minutos o Corrego e o Engenho da Ahadia pertencente ao Alferes João Luiz Brandão . grande estabelecimento que se está reformando do estado de ruina em que se achava. A's 3 horas e 4 minutos o Corrego de. l5i ITINERARIO ou Sitio deste nome pertencente a Boaventura Leme.

que a Exm. Os caminhos de hoje são pela mata que se acha extremamente arruinada. A's 5 horas e 5o minutos o Corrego da Estiva com ponte. e este ultimo 11o Maranhão. he pequeno . . A's 4 horas e '/j o Corrçgo de Maria Ro mana. Todos os corregos que se passão desde oSitio do Rosnador até ao que fica na aba do morro donde se descobre a Serra Dourada vão ao Rio Sucurihú." Junta do Governo Provisorio enviou ao meu encontro como Guarda de Honra do General da Pro vincia. A's 4 horas e 3/4 hum corrego com ponte. 1)o RIO DE JANEIRO AO PARÁ. A's 5 horas e '/4 corrego com ponte. l33 morro de subida doce. do Sargento Mor Antonio Francisco de Alexandria. Recebi Ofíicios do Governo. Logo subi huma encosta. que no Governo Militar vem succeder á mesma Exm". A's 5 horas 028 minutos o Sitio de Francisco da Silva. A's 5 horas e 1o minutos o Coirego de José Manoel com ponte. Junta do Governo Provisorio. e do Escrivão Deputado da Junta da Fazenda João José de Azevedo Noro nha e Camara a dar-me os parabens da minha proxima che gada á Cidade de Goiaz. e dormi pessima mente em cima de huma mesa. A's 5 horas e 35 minutos o Ran cho e Ribeirão do Catingueiro. A's 6 horas o Corrego Alegre. e do alto della ás 5 horas descobri a Serra Dourada a Oeste na distancia de 8 a 9 legoas. assentado em huma . — sabbado. e dous Soldados Dragões . Sítio dos Coqueiros . e este para o dos Bugres. que cabe no Uruhú. 3 íj legoas. Neste sitio encontrei o Se cundo Cadete Francisco José i*e Campos . A's 6 horas e 35 minutos a Fazenda ou Sitio do Campo Alegre pertencente a Theodozio da Silva Moreira onde pernoitei. — Sahi da Fazenda do Campo Alegre ás 4 horas e 1o minutos da manhã. O Corrego do Catingueiro vai para o Rio das Pedras. he profundo. este nas Almas. i4 de junho. A's 6 horas e '/* o Arraial do Curralinho .

pequeno . A outra origem ainda mais ao Sul he a cabeceira do Rio Araguaia . Os ca minhos até aqui são muito bons. Passei logo o Corrego dos Coqueiros com ponte : depois deste o Corrego de José Cabra ao pé do qual existem algumas casinhas. e agora oceupadas por pessoas que ali procurã© abrigo de huma noite com intenção de as largarem no di» immediato. i5 de junho. Logo fica o Ribeirão dos Padres. d» Abadia com altar decente. Sahi do Arraia-1 ás 3 horas e 74. Aqui está a estrada do caminho para o Arraial do Ouro Fino. Cidade de Goiás. boa» ornamentos. maltratado . Tem huma Capella de N. S. homem velho .Aer Igreja está coberta de retabulos. A*s 3 horas e 4o minutos hum corrego com ponte. 4 lígoas. e offerendas por milagres . e a parede. A's 4 horas e meia a Fazenda ou Sitio do Campo Alegre com Rancho. A*s 4 horas e 2o minutos o Ribeirão dos Bugres com ponte. e pertence a Francisco de Lemos . mas esta talvez nunca foi observada por hum . O Padre Capellao desta Capella convidou-me para descançar na sua casa . Depois o Rio Bruhu com ponte. He a origem mais meridional do Rio Tocantins que se acha po voada. — domingo. A's 4 horas e 4o minutos o Sitio de Manoel Ferreira da Cunha. — Sahi do Sitio dos Coqueiros ás 5 horas da manhã.1 34 ITINEHAMO bella varzea : as suas casas todas humildes. A's 3 horas e 2o minutos cheguei ao Rio das Pedras ou da Roça cora pon te. e deu-me hum bom jantar. Não se pode fazer idea do estado de ruina em que se achão as casas ao longo da estrada: parecem cabanas ou barracas abandonadas desde muitos annos. que me parece miseravel. e algumas cober tas de folhas de Palmeira. A's 5 horas e 4o minutos o Sitio dos Coqueiros em que ha muitas Pal meiras . que bem mereciao ser d*ali tirados.

Todos estes cor regos para cá do Uruhú não tem pontes. Adiante do Bacalháo sobe-se hum morro que tem hum grande chapadão . A Cidade de Goiaz astá situada na encosta de doas morros. Adiante da Bocaina fica o Corrego dos Barbeiros com hum pequeno sitio. DO BIO DE JANEI8o AO PARÁ. Logo depois o dos Arêas. no fim do qual ficão as primeiras casas da Cidade de Goiaz aonde cheguei ás 9 horas. e tem hum rico Altar Mor eem soberba cahimnata : a Igreja do Rozario he a immedia - . depois o Pai José ou Buriti com sitio : adiante estão as Lageas a que chamão Calçadas. Nisto não crimino a ninguem. lugar celebre na historia de Goiaz por apparecerem ahi aos segundos descobridores sinaes de haver esse terreno sido visitado pelo antigo Anhanguere. O Exm.me de portas a dentro com a maior civilidade e cada hum dos seus Membros he pessoa digna de estimação. O que apparece nos antigos mappas a res peito deste . Depois do Rio Uruhú fica o Corrego da Bocaina ou Fundo. ]3<5 homem civilisado. e de quasi todos os Rios desertos de Goiaz. He cortada em duas porções desiguaes pelo Rio Vermelho sobre o qual existem tres pontes de ma deira. Tal foi o apparato da minha entrada c posse do Governo das Armas da Provincia de Goiaz. Dirigiado-rae ao Palacio do Governo . A Igreja de Santa Anna que serve de Cathadral he espaçosa. e portanto he papel pintado. e nao faço reflexões por serem todas ellas desnecessarias. Governo Provisorio tratou. e o outro no Rio Grande ou Araguaia. encontrei huns 2o ou a5 homens postados defronte da porta do mesmo Palacio os quaes estavão ali para me receberem. Adiante fica o Rio Bacalháo menos de meia legoa dis tante de Goiaz : vai entrar no Rio Bagagem. este no Verme lho. e de outras partes do Brazil. Tem varios edifícios sagrados e profanos muito bons para buma Província central. e hum profundo valle. c formão parte de hum ramal da Serra Dourada que vai unir-se a do Ouro Fino. foi lançado a arbitrio.

e bem raras casas se achão mediana mente mobiliadas. o Palacio do Governo collocadfo no Largo da Cathedral . a do ins truido Padre Luiz Bartholomeu Marques . A papeira. a do Escrivão Deputado da Junta da Fazenda. actual Membro do Governo Provisorio. e casa do Conselho levantadas em huma elegante praia ornada dehnrn Chafariz de copiosas aguas . Presidente e Deputados da Junta do Governo Provisorio destinárão para meu alojamento a casa dos antigos Intendentes do Ouro.. e huma boa casa de jantar. Os outros quatro templos são menores. vi muitas senhoras espreitando-me . e com as suas taboletas de ouro nos pescoços e braços. pois vejo a maior parte do povo amarello. As ruas da cidade são mui bem lançadas. e outra. A póbreza aqui he extremamente grande.. Raimundo Nonato Hyacinto. . que apesar de não serem chefes de obra. a Casa da Junta da Fazenda. Presidente da Junta Pro visoria.os Snrs. a cadêa . Parece- me que esta cidade he mui doentia. a fatal papeira he a inimiga das bellas senhoras de Goiaz. e depois della a da Boa-Morte onde ha muitas pinturas a fresco.. e muita gente branca em pro porção da preta e parda. que lhe fica immediata. poucas vendas.ooo almas.. o Quartel da Tropa de Linha . tem bastante merecimento e graça. a do Coronel Caldas e outras não são máos edifícios. A totalidade das casas da Cidade monta a 749. ■? ! Os Exm. nenhu mas officinas. Encontrei alguns homens bem apes soados . que tendo tres salas na frente.. . e todas tem calçadas menos más. alguns quartos.1 36 ITINERARIO ta . a do Brigadeiro e Commendador Alvaro José Xavier. poucos escravos. e quando hoje andei pela cidade . e mais . Vejo poucas lojas. e os seus ha bitantes permanentes a 4. e com broncocelle. e deixando-se ver . e entre ellas algumas mui formosas. Tenho visto algumas meninas bem vestidas . . A Capella de Santa Barbara com os seus campanarios está em huma posição extremamente pitoresca ..

c sente agora o triste recebimento militar com que me honrarão por saberem já os respeitos e honras com que me obsequiárão a Exm. — Hoje de manha reu- nio-se a Exm. no Arraial do Bom-fim . 'no Engenho do Major Joaquim Alves d'O1iveira . que só na margem do Rio Corumbá.' Junta do Governo Provisorio. e mostrârão-me as maiores attenções que eu podia ambicionar. direi agora que elle continua até ao alto da chapada superior á Cidade de Goiaz. OBSERVAÇÕES sobre a minha marcha desde o Rio Paranahiba R até à Cidade de Goiaz. no meu proprio Quartel. segunda feira. não encontrei sertão agreste . no qual houvêrão 24 talheres. 1 3^ ofíicinas. A' noite os Snrs." Junta do Go verno Provisorio. e nesta Ci dade de Goiaz . devo aqui concluir a primeira secção dos mesmos Itinerarios . A Junta tem procurado tratar-me com a mais distincta consideração . puzerão-me bem acommodado. e o Exm. e pôz-se o cum- pra-se na minha patente de Governador das Armas da Pro vincia de que prestei o juramento do costume na Sala do Docel. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. Havendo eu escripto em outro lugar deste Itinerario que o sertão começa no Rio de S. acerescentando agora algumas ob servações como já fiz em outros periodos da mesma obra. A mesma Exm. Os mesmos usos e costumes. tudo o mais he sertão . a mesma preguiça e indolencia. —." Junta honrou-me com hum rico jantar em bellissima louça . ainda que os lugares por onde passei não estejão pouco povoados. Olliciaes Militares illuminárão as suas casas. muito sertão . Francisco . Gomo cu escrevo os meus Itinerarios. i€ de junho. o mesmo desmazelo e indiffe 18 . Tenente General Governador das Armas da Provincia de Minas Geraes. roupa e prata. e não a historia da minha administração.

Como estou ha dias na cidade . e talvez pelo tempo venhão a prosperar. que começando em ninharias tem lançado a discordia entre varias familias. He benigno. morros. As mesmas hortas pequenas e maltratadas . e sei que se os superiores quizerem deixar de ouvir intrigas. Goiaz he sertão agreste e muito agreste . montanhas graniticas. e serve de brinco de alguns ambiciosos que tem manha e geito de o enganar. As senhoras não sahem fóra de casa durante o dia senão em rarissimas occasiões . e ainda menores de gado vacum : engenhos manipu lando pouco assucar. agazalhador e hospitaleiro. Eis o que eu tenho visto na Provincia de Goiaz ! Sciencias e Artes achão-se em começo. e outras cheias de ri quissimo mineral de ferro . mas hum pouco inconstante. a mesma amizade e complacencia com os vadios tocadores de viola : emfim. a pouca ou quasi nulla agricultura. huma larga e extensa mata des truida . immensos tucanos e pombos bravos : pequenas criações de porcos. morando os homens e mulheres com os porcos e vacas: tendo as habitações rotas. entrei já no conhecimento do espirito do povo. o povo de Goiaz pôde viver como huma unica familia na mais intima sociedade. Conheço que o defeito procede dos tempos. poucas araras e papagaios. e então cobrem a cabeça com hum lenço que forma huma especie de elmo . salvo nos lugares que acima deixei apontados. 1 38 ITINERARIO rença acerca das casas. e muita rapadura e agoardente. e os buracos tapados com pedaços de couro de boi. O terreno de Goiaz tem quasi a mesma consistencia do das Minas Geraes : muitos campos . mas nos dias Santos e Do mingos vão ás Missas de madrugada . codornas. Eis o mo tivo porque sem nenhum proveito tem praticado varias acções nos negocios politicos que alterárão a marcha da administra ção: pequenas intrigas. grando numero de ca pões. e não dos homens . muitas perdizes.

Des de o Rio de S. papagaios e outras aves./». Vi duas ou tres cobras vivas . e o total geral de marcha desde o Rio de Janeiro até Goiaz 241 legoas e . a jornada de Goiaz nao exce deria de 18o legoas. Durante a minha jornada. e destas forão 5 por mar. transitei na Provincia do Rio de Janeiro 28 legoas. e então não deixarei de fazer lembrança do que mais deve ser con servado. Durante a minha jornada atravessei huma villa (a de Barbacena) . o que he muito possivel. i3 arraiaes. seis de madeira consideraveis. e a Mata de Goiaz entre Meia Ponte e o Curralinho : passei duas pontes de pedra naturaes. Encontrei hum bando de Ciganos . montando o total na Provincia a 79 legoas. 7 rios de barca ou canoa permanente. Andei de liteira por espaço de meia legoa : toda a outra viagem foi a cavallo. muitas araras. havendo começado do Parahibuna. Na Provincia de Goiaz marchei a5 legoas e 'k até ao Rio Corumbá . a Mata de Corda no Termo de Tamanduá. Na Provincia de Minas Geraes andei 77 legoas até ao Rio de S. Atravessei a Mata da Serra do Mar que tem 4o legoas de largura. e hum immenso numero de outras pequenas. ouvi os uivos de hum lobo . Tenho ouvido fazer elogios ao com portamento das senhoras Goianas : em geral são virtuosas. Estou mui persuadido que se abrissem caminhos mais di reitos. e huma ranchada de Fuliões. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. vi dous jacarés . Francisco. e muitos que a carecem nos tempos de cheias. e pelo Rio In- humirim. Francisco caminhei 07 legoas e 7» até ao Rio Paranahiba. limite das Provincias de Minas Geraes e Goiaz : total da largura da Provincia de Minas no trajecto que eu fiz 1 34 e 7» legoas. N ão tive motivos de me queixar de grandes privações . l3g com babeira mas sem vizeira. e 53 e 7» até a Cidade de Goiaz . e por este modo só se lhes podem ver os olhos. O tempo mostrar-me-ha para o futuro aquillo que ainda agora não posso conhecer . e não . boas esposas e boas mãis.

e com ellas tambem não falta o mal venereo incuravel. Os homens do sertão são ciosos das suas bellas . Marcos nãc fiz menção dos lugares em que ambos nas cem . Ninguem mais do que eu tem vivido em paizes insa lubres. ficando a sua mais remota fonte no sitio deno minado — Guarda dos Ferreiros — . ITINERARIO. e hum tiro de espingarda pôde pôr termo a qualquer tentativa que lhes desagrade. e sobre tudo evitar aventuras amorosas que sempre são mui arriscadas. parece-me que se cu quizesse fazer a jornada á custa dos moradores da es trada. e tem passagens pertencentes á Fazenda Nacional. e o Rio de S. Como na occasião em que tratei dos Rios Paranahiba e S. mas nesse caso as despezas a que eu ficava exposto serião muito maiores. Nos sertões são poucas todas as cautelas. e ninguem mais do que eu tem gozado saude vigorosa. Marcos he rio de canoa. Marcos nasce no lugar chamado Capim Puba ao Sul do Sitio de S. e com cautela vive-se bem em toda a parte. obstante a grossaria de alguns individuos . a sarna. pouco acima da estrada de communicação entre os Registos de S. ETC. immundi- ce . Bartho- lomeu e Arrependidos . e as cabeceiras do S. a morfea. . podia consegui-lo . O S. Mulheres não faltão nos arraiaes . Marcos são formadas pelo Capim Puba e Samambaia . cumpre viajar pre venido de alguma quina . a bicharia . Marcos nasce na chapada do Jnbirussú : he engano : esta chapada fica inferior á Serra dos Cristaes . e bem perto da origem do ribeirão deste ultimo nome. e toda a especie de lazeira desgostante.l/Jo . João das Tres Barras a Oeste do Registo dos Arrependidos. Alguns dizem que o S. Toda a cir cunspecção a este respeito he pouca. A bem das com- modidades das estradas no caso de huma molestia nas occa- siões das cheias e vasantes dos rios . cumpre-me dizer que o Paranahiba tem a sua origem na Serra Geral que divide as Provincias de Minas Geraes e Goiaz .

por ser o oflicial mais graduado. — Sahi da Ci dade de Goiaz ás 3 horas da tarde. Areas. Atravessei o Ribeirão do Bacalháo. — sexta feiba. — 1. de acordo com a Exma. hum Cadete e dous soldados dragões. O Coronel João José de Azevedo Noronha e Camara ficou commandando na ci dade durante a minha ausencia. 1823. acompanhado por toda a oiiicialidade que me quiz obsequiar. resolvi-me a ir passar revista ás tropas da primeira e segunda linha estacionadas nos arraiaes e registos da Pro vincia. 3 legoas. ITINERÁRIO DO Depois de haver dado na Cidade de Goiaz as providen cias que julguei necessarias nos negocios da minha Repar tição. e os meus escravos com hum a tropa de seis bestas da minha bagagem. Junta do Governo Provi sorio.° de agosto. Engenho de Santo Izidoro. e Barbeiros. trazendo uni camente para me seguirem durante as inspecções o Major do primeiro regimento de cavallaria da segunda linha An tonio Francisco de Alexandria . que já havia passado no dia i5 de Junho deste . e de quem me des pedi na chapada do Ribeirão do Bacalháo. o Ajudante do regimento de infanteria da mesma linha José do Couto. e os Corregos do Pai José ou Buriti. e que com effeito pratiquei pelo modo que se segue. ou de maior antiguidade.

e por isso não admira que hajão aqui muitas enfermidades. distante 1 legoa e 74 do lugar em que me acho. os seus escravos são pouco numerosos . Mais adiante fica o Corrego do Engenho. — sabrado. Nesta marcha atravessei huma bocaina ou garganta da Serra Dourada junto ao Corrego das Lageas : desde esse lugar até ao engenho os caminhos são muito bons. que me fez a honra de vir aqui es- perar-me para me hospedar . e passado esto o grande e estragado Engenho de assucar de S. todos velhos . em que se atra vessa o Rio Uruhú em boa ponte de madeira. Eu cheguei ao Engenho de S. perto do qual. — Sahi do Engenho de S. e por conseguinte o meu cavallo andou huma legoa em cada hora. pertencente á familia dos Berquós . O enge nho achasse extremamente arruinado. Vi bem poucos homens e mulheres que não tivessem pa pos. 2 de agosto. existe huma pequena casa em sitio agradavel. l42 ITINERARIO anno . e pouco adiante passei o Cor rego das Lageas ou da Estiva sem ponte . mas da cidade até ao dito corrego são asperos . Izidoro. e chegando ao lugar em que ha huma grande cruz. podendo alias em 8 ou 1o dias de trabalho de 2o homens fazerem-se tão planos como os melhores do Brazil. Este ecclesiastico tambem he proprieta rio da quinta de que ha pouco acabei de fallar. A situação do engenho he baixa e muito pantanosa. Izi doro ás 4 horas e meia da manhã : passei logo o Rio Uruhú . agora arrendado ao Padre Innocencio Joaquim Moreira de Carvalho. em huma varzea. Izidoro ás 6 horas da tarde . 5 legou. Deste engenho con tinua a estrada para o Arraial de Anicuns . tomei a estrada da direita . e cheios de enfermidades. e depois deste o Corrego da Quinta. como realmente fez com a maior ostentação. Engenho do Palmital .

A's 9 horas e s/4 puz- me em marcha : ás 1o horas passei hum corrego ( o da Es tiva do dia i4 de Junho) que entra no Ribeirão do Palmi- tal . Que bello casamento para hum rapaz . leva pouca agoa. e não trazia a face coberta com a infernal viseira de lenço . e tem ponte. ficou universal herdeira de seu ma rido que a idolatrava. he muito bem apessoada. que só deixa ver os olhos. onde fui excellentemente tratado. e ncllas serpentea o Cor rego do Ouro Quente. Izi- doro para ver este engenho que he de muita fama. 1 43 em boa ponte de madeira. sem ser formosa. e ser vio de habitação de varios Capitães Generaes : todavia quem quizer ir por elle para o Arraial do Curralinho. Eu passei por S. c sahi á estrada real entre o Corrego dos Coqueiros e o Ribeirão dos Padres. Neste lugar tem 4o palmos de largo. e tem de passar por terras enxarcadas em tempo de agoas. e senhora sem papeira. e com effeito. A minha patroa . Adiante do Uruhú fieão vastas campinas . Ella poderá ter 3o annos de idade. laborando debaixo do peso dos desgostos da sua recente viuvez. e talvez na hora da morte lhe não recommendasse que se conserve em celibato. . e como he tempo secco. calçada debaixo de luto rigososo . Maria Anastacia de Santa Cruz . mui alva. junto á qual ha mui bellas e frondosas arvores. que na companhia desta ele gante senhora. dá huma volta de quarto de legoa . e ás 1o horas e meia entrei no terreiro do Engenho do Palmital. Esta senhora fez-me a honra de mandar hum seu es cravo convidar-me para me hospedar em sua casa . não me veio fallar. e ahi descancei no adro da igreja. e de gentil collo. grande estabelecimento perten cente á Sra. Seguindo a estrada do dia i4 de Junho cheguei ao Arraial do Curralinho ás 8 horas e 4o minutos. mui bem vestida . moder nissima viuva do Capitão Mór Salvador Poderoso de Cam pos. não tem filhos. D. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. mas deixou se ver dos pés á cabeça.

a quem elle havia falladò logo que chegámos . mas vi bom gado de traba lho. em que ha- veráõ atoleiros e barrancos. cujas virtudes o Major levava ao gráo mais sublime. e depois do casamento da minha patroa . com o malentendido decoro de huma senhora de ca . D. c as arvores tão cobertas de parasitas e de sipós estrelaçados . O Major Alexandria. he huma planicie bordada de gigantesca floresta . tive occasião de tornar a ver por duas vezes a minha inconsolavel e gentil patroa. que daqui a 1 legoa e '/» entra no Rio das Pedras. 0 Major participou isto á Sra. quiz convencer-me dos riscos e inconvenientes do meu systema de viajar. Achei o engenho maltra tado no material do edifício. que nestas apparições queria talvez conciliar a civilidade de huma senhora dis- tincta . e officioso com os seus superiores. e dando huns passeios no terreiro e na sala para accelerar a promptificação da bagagem. que de dia mesmo im pedem. e porque elle me affirmou que a mata desde o Palmital até Meia Ponte he mui densa . o ingresso dos raios do sol no caminho. dei ordem para a manhã mon tarmos a cavallo ás 5 horas. que me deixa ver que he o principio da mata. homem bonanchão. Maria Anastacia. sabendo que eu costumo fazer de noite as minhas marchas . o que sesnão accommoda aos habitos adquiridos durante a sua carreira . em attenção ao conhecimento de familia antes. A's 4 ho ras da madrugada puz-me a pé. Nada faltou ás minhas commodidades. e toda a noite as escravas estiverão oceupadas no forno c na co zinha para tratarem do meu almoço ajantarado. Bem conheci que elle advogava mais o seu descanço do que a conservação da minha existencia. tive huma cama ricamente preparada. desde o Arraial do Curralinho até este engenho. O ca minho . madraço quando pôde.l44 ' ITIKERARIO lhe faça esquecer promptamente o seu primeiro c velho consorte ! Esta fazenda fica sobre o Ribeirão do Palmital.

A's y horas e 35 minutos o Sitio do Retiro 3 legoas distante da ponte do Rio Uruhu pela estrada do Arraial do Ouro Fino a caminho da cidade. livre dos incom- modos ordinarios dos sertões em que vou entrar. Passei hum pequeno corrego que cahe no Pal- mital : tem muito fraca ponte. 1 45 ' sa . A's 1o horas e 5 minutos o Corrego do Godoi. A's 7 horase 55 minutos oSitio da Boa-vista. A's 1 1 horas hum corrego. As 8 horas e 35 minutos outro corre go com ponte desconcertada. A foz deste rio esta na margem esquerda do Rio dos Almas 7 legoas abaixo do Arraial de Jaraguá. A's 1o horas e 35 mi nutos o Sitio das Larangeiras com corrego. A's 1 1 horas e meia hum corrego com ponte . — Montei a cavallo ás 5 horas e meia da manhã. A's 7 horas e 9Ò minutos o Corrego de Jose Caetano com ponte má para gente de pé. —-domingo. e logo o Sitio do mesmo nome. Existem aqui al guns moradores. e esta hum quarto de legoa dis tante do Engenho. Depois de hum bem ordenado almoço. e logo o Corrego do Brejo com boa ponte. pedi ao Major Alexandria que certificasse dos meus respeitos e re conhecimento á nossa galharda patroa . e ás 11 horas e 3/4 o Sitio das Areas. A's 1 1 horas o Ribeirão ou Rio Sucurihú limite dos Districtos do Curralinho. 3 be agosto. 6 legoas. c huma pequena casa. que por ser moça e viuva não pôde apresentar-se a pessoas estranhas de condição hum pouco elevada na so ciedade. Ad\ante do Sucurihu fica hum corrego pequeno e sem ponte. que he estabelecimento de criação de porcos. A's y horas e meia outro corrego com ponte. e algum gado vacum. a qual me mandou dizer que me desejava huma feliz viagem. A's y horas e 5 minutos corrego com ponte. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. A's 8 horas c meia hum corrego com ponte. Sitio das Areas . Os caminhos são muito i9 . e do Cor rego de Jaraguá.

mas o Major com toda a ingenuidade me declarou ter atra vessado a mata havia cinco annos. e tem huma familia bem numerosa. Na Fazenda das Areas vi huma grande ja raraca uassú . Ha pouco tempo queimou-se-lhe hum rancho . Como o Major Alexandria no Erígenho do Palmital me deu o conselho ( a favor da sua commodidade ) de não marchar de noite para evitar precipicios. A situação desta fazenda he em huma baixa cercada de pequenos morros . tanto pela qualidade da terra como pela abundancia das aguas. . que já se acha renovado. A natureza por meio destes eflluvios põe o homem alerta contra este terrivel animal. e pareceu-me semelhante ao urutú encontrado morto no dia 23 de Maio. Em dous differentes lugares senti hoje o incommodo cheiro de catinga (os efIluvios) de cobra jararaca macho. He homem branco. perguntava ao Major se já estavamos perto da mata : o Major dizia sempre — d'aqui a bocado — com effeito eu perdia a paciencia. era preta com pintas brancas . e somente campos descobertos. mas não deixa de ser agradavel. e de que tinha muitos conhecimen tos por haver passado centos de vezes por estes lugares. e que nesse tempo não existião as derrubadas . Isto vale o mesmo que dizer : — os imprudentes moradores da mata estão des truindo para sempre hum dos mais bellos bosques do Brazil— digo bellos bosques . lífo ITINERARIO bons atravez de pequenas matas e campos abertos . Ora como eu não encontrava grandes matas . porque o resto do que existe he muito mais copado e vigoroso do que o da mata do Rio de Janeiro. o capim gordura. industrioso. os campos . por ter sido enganado . O proprietario da Fazenda das Arêas hospedou-me generosa mente na sua casa pelo modo que o permittia a sua despensa. e as roças que agora encontrava. os claros . pensei eu que a cousa seria como elle afiançava . e o andar ás apal padelas nas trevas da mata . muitos dos quaes se achão invadidos pelo capim melado.

S. Fica perto da Serra de . e hum pequeno corrego. B \ legoai. — A's 1o horas 62o minutos o Corrego Fundo. 4 de agosto.do Catingueiro com ponte . '47 Arraial de Jaragua . O arraial está em terreno de barro vermelho junto ao Corrego de Jaraguá que he largo e muito espraiado. Aqui termina a zona ou facha da mata* a qual se acha quasi toda estragada . e chamão-lhe — Fim da Mata. A's 8 horas e V4 o Rio dos Patos com ranchos. A's 7 horas e 2o minutos hum corrego. Demerei-me na margem do Rio dos Patos até ás 9 horas. Logo fica a fazenda do mesmo nome. e varias choupanas. Nas choupanas do Ca tingueiro existirão alguns descendentes de Indios. e a casa da Fazenda do Mamão : acha-se arruinada posto que tem habitadores. Elle entra nu margem esquerda do Rio das Almas. com varias casas muito boas. A's 5 horas e 5o mi nutos hum corrego. e % o Arraial de Jaraguá . agradavel. He effeito do desbordamento do rio. A's (i horas e a 5 minutos o Morro do Le me. A's n horas e '/( a Fazenda. 1)o RIO DE JANE1Io. A's 6 horas e 5») minutos hum corrego. A's 1o horas. As casas da fazenda são a miseria personalisada. — segunda FEMA. AO PAllA. S. extenso. huma bellissima e decentissima Igreja de N. do Rozario com dous altares dourados. c casa pequena: tudo isto he miseravel. A's 7 horas e 55 minutos o Corrego. he mui aspero. Passei o corrego deste nome. A's 5 horas e meia o Corrego da Faisqueira com pequena casa. Rancho c Corrego da Goiabeira : tudo miseravel. e outra de N. bem assentado. — Sahi da Fazenda da» Arêas ás 5 horas da manhã. A's 1o horas e 1o mi nutos o Rio Pary : entra no das Almas meia le^oa distante de Jaraguá. Adiante do Pary fica hum lago ou charco que se atravessa com agua pela barriga do cavallo. A's 5 horas e % corrego com ponte. e bastante aceiadas . da Penha com cinco altares.

O Sr.1 48 ITINERARIO Jaraguá. gente branca . Os caminhos desde as Areas até este arraial são mon- tuosos e pedragosos pelo meio da mata que ainda resta. muito alta. e além destas ha outras menos povoadas. Tenente General Joaquim Xavier Curado. apenas vi tres broconcelles ou papeiras . quando na Cidade de Goiaz em 8oo pessoas ha pelo menos 2oo com grandes ou pequenas papeiras. ha outra aberta de novo em que estão construindo muitas casas. 5 de agosto. Ainda se extrahe algum ouro neste cor rego . homem rico e indus trioso . e o arraial he bastante falto d'agua no tempo de secca. — tjírça feira. aspera e de rochas graniticas e cris- tosas escalvadas. onde tambem nasceu o Exm. A Rua Direita he muito boa . em ra. e existe neste Arraial. que me tratou com a maior ostentação possivel neste lugar.íão de se frequentar a estrada de cima que he a que eu passei quando fui para a Capital da Provincia. Dizem que este lugar he doentio. e tres de Infanteria de homens par dos: a força apresentada sobre parada monta a 1 63 pra . Jeronimo Rqdrigues de Moraes. que o numero dos mortos ex cede ao dos nascimentos . Padre Silvestre Alves da Silva. Fui hospedado pelo Capitão Commandante do Districto o Sr. O Arraial de Jaraguá tem perdido a sua importancia an tiga por estar abandonado pelos tropeiros o caminho para Goiaz e Mato-Grosso pelos Arraiaes de Santa Luzia c Meia Ponte . mas eu observo que ha menor numero de enfermos do que vi em Goiaz. Deputado eleito á Assembléa Geral Legislativa e Constituinte. he mo rador . Em hum ajun tamento de mais de 8oo pessoas'. — Estou no Arraial de Ja raguá . e tambem por haver cahido a ponte do Rio das Almas. O arraial vai em augmento por serem mais numerosos os edificios que se estão construindo do que os que se vão arruinando. e passei hoje revista a huma Companhia de Caval- laria .

e varias senhoras formosas e coradas. apresentão-se todas com o capa cete sem vizeira. pela falta da passagem das tropas. Os fogos *deste arraial montão a 2oo. — Estou no Arraial do Corrego de Jaraguá promptificando os livros das Compa nhias que passárão revista. Como os soldados se armão e fardãová sua custa. Ha muita gente branca . Vem portanto a faltar ao estado completo quasi metade da força total. encarreguei os commandos respec tivos a officiaes de outros corpos. como os seus chefes nunca lhes passárão revistas. Como existião Companhias commandadas por Sargentos ab solutamente incapazes. em quanto se não fize rem as indispensaveis promoções. limpa. como nunca fizerão exercicios. Existem aqui varias lojas e vendas . c huma officina de ferreiro. Os cavai- los da tropa não são muito máos. c sem o mais pequeno co nhecimento das disciplinas militares. por existirem unicamente rela ções informes em poder dos officiaes que as commandavão. muitas casas estão ordinaria mente fechadas. Eu penso que este arraial . . onde concorrem agora de noite a -huma novena . mas na igreja. ha de ganhar em moralidade. 1)o RIO DE JANEIRO AO PARÁ. todas boa gente. 6 de agosto. não he de admirar que os milicia nos não tenhão conhecimento do serviço militar. as espadas tem diversos feitios. como nunca tiverão. nem podem ter reuniões geraes. l4<) ças . e as pistolas de diffe- rentes adarmes. As senhoras deste arraial não se escondião quando eu passava. — quarta feira. as espingardas são de caça. Eu tenho encontrado me- lhoresisoldadós do que officiaes. posto que desça em opulencia e commercio. e só se abrem nos dias de festa ou de mo tivos de reuniões que chamem ao arraial os habitantes das roças. .

Passei o Corrego da Agua Suja ou de Jaraguá muito espraiado. Junto ao Taqua ral passa-se segunda vez o Rio das Almas sobre ponte . o da Catharina. e cerrados ( car- rasquenhos ) cheguei ao Corrego do Lavapés . e suc- cessivamente o Taquaril. e logo o Ribeirão de Santa Rita com ponte. em que ha muita taquara. o Buriti. legoa e meia distante de Jaraguá. além de outras peque nas cahindo a pedaços. 7 db agosto. o da Agua Fria . e finalmente o de S. ás 1 o ho . Como a ponte desta passagem se acha arruinada. onde ha casa e rancho. o Vacca Morta com pequena casa . assim chamado por. o da Pissarra azul. An tonio que he caudaloso . atraves sei o rio no váo que leva pouca agoa : o fundo he de arêa. e o Taquaral. e pondo-me depois em marcha passei o Corrego da Cancella. Pcssado o rio . a que cheguei ás 9 horas e 1o minu tos. — Sahi do Arraial de Ja- raguá ás 2 horas e % da manhã. o Cur- ralinho do Campo . se haver aqui estabele cido ha muitos annos huma guarda sanitaria contra a epi demia de bexigas que assolava o Arraial de Meia Ponte . onde cheguei ás 6 horas e Aqui existe huma Capella de S. e as margens ou barrancos elevados: o caminho até aqui he bom . 7 legoas. Demorei-me aqui para almoçar. ambos auriferos. que fica em huma baixa á entrada do Arraial de Meia Ponte . o Sapezal . fica o Corrego de S. e marchando por bom terreno descuberto . o da Estivar o dos Almoços.. o do Marinheiro . por meio de algumas matas. o Corrego das Lageas. Antonio muito pobre. e finalmente o Rio das Almas. — quinta feira. Daqui a Meia Ponte ha 7( de legoa. e huma antiga e bem acabada casa grande . depois deste o da Guarda. Lourenço entre frondoso arvoredo. e o Açury . ião ITINERARIO Arraial de Meia Ponte . logo depois os Cor regos do Gambá.

OCorpoEcclesiastico. a do Senhor do Bom-fim com huma devota Imagem de estatura ordinaria. hospedou me na sua espaçosa e bem arranjada casa : elle he Deputado eleito á Assembléa Geral Constituinte c Legislativa . que he sobrinho do Sr. c outra do Rozario. habitan te neste arraial. pela maior parte terreas : as dos Frotas são de sobrado. outra da mesma invocação. Os corregos desta marcha cahem no Rio das Almas. l5l ras da manhã. a espaçosa Igreja de N. a Igreja da Lapa. mas a parte mais consideravel da povoação fica em huma chapada. e sem nenhumas proporções nos seus membros: nesta igreja ha ricos ornamentos .m° Governador da Prelazia. tem muita gente branca e bem luzida . c acha- se 'assentado na margem esquerda do Rio das Almas onde existe huma grande ponte arruinada. o Reverendo Vigario Paroquial o Sr.*1° e Rev. de quem fallei no dia 8 de Junho. O Sargento Mór Joaquim Alves de Oli veira. mas ha muitos doentes. Tem-me tratado com a maior attenção e sumptuosidade. tem casa de Con selho do Julgado. n Cadêa . Padre Corrêa da Fazenda da Serra da Estrella no Rio de Janeiro. Quando. Tem a bella rua das Bestas. mas havendo pedido dispensa deste emprego á sua respectiva Camara por causa de molestias que padece. continua a exercer a commis- são de Commandante do Districto. No arraial exis tem 5o7 casas . Padre Joaquim Gonçalves Dias Goulão. S. e outros ecclesiasticos fizerão a honra de me vi sitarem. O terreno he designai. com posto do 111.eu cheguei ao arraial achava-se postada na praça a infanteria e cavallaria do Districto . mas não se achão concluidas . e desta hu ma companhia foi esperar-me ao Sitio do Taquaral. algumas elegantes e espaçosas casas . O arraial tem ma» de '/4 de legoa de extensão . além de diversas de menor extensão . . do Rozario Matriz Paroquial. e a do Carmo : estas duas estão mui arruinadas. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ.

102 1TINERARIo -» . posto que infe riores ao da Cidade . sanefas e alcatifas : huma profusão de luzes. pois não fazia idéa <te haver tanta riqueza nesta Capella. ruas varias symphonias agradaveis. — Estou no Arraial de Meia Ponte. A Imagem de Christo de esta tura de hum homem. A's 1o horas da manhã fui a pé á Capella do Senhor do Bom-fim acompanhado por todas as pessoas distinctas do lugar. O que mais me admirou foi a musica : muito boas vozes. algumas rcbecas. Huma boa musica vocal e instrumental cantou o Psalmo — Benedictus. c do Arraial de Meia Ponte. Acei tei a eleição com as provas do maior agradecimento. e os campanarios e frontispicio estão para ser reparados. illuminárão-as de noite. e os ornamentos de grande valor causárão-me muita admiração. Os moradores do arraial tem as suas casas caiadas . rebecões e flautas: não havião outros instrumentos de sopro. — sexta feira. e civilidade estranha nos sertões. — A Igreja que Le pequena estava muito ricamente armada de damascos . 8 de agosto. do Bom-fim está em huma posição mui agradavel á . e hum bando de musica andou to cando pelas. Tenho encon trado muitas pessoas bem decentes. e que esta honra pra- tica-se com todos os Generaes que entrão neste lugar. tem cinco altares mui decentes . di- zendo-me que eu fôra hoje eleito Juiz da festa que se ha de . e della se desfrutão golpes de vista de natureza admiravel. . A Igreja Matriz he espaçosa. Huma Companhia de Infantaria achava-se postada á porta da Igreja : o CorpO Ecclesiastico fez-me a honra de me receber á entrada do templo em que me derão o cruci fixo a beijar. celebrar á manha na sua capella. Pouco depois de haver entrado no arraial vierão procu rar-me os Irmãos da Confraria do Senhor do Bom-Fim. he como eu já disse fóra de todas as proporções. e disserão-me que em todos os arraiaes de Goiaz existem bandas de musica . A Capella do Sr. Acha-se assentada na mais pittoresca posição.

Fiz huma nova divisão provisoria dos Districtos. — sabrado. nomeando Commandantc Geral de todo o antigo Districto Militar o Sargento Mór Joaquim Alves d'O1ivcira. A Igreja tinha hum largo numero de pessoas (mais de 1 . e quasi todas com o lenço em forma de Elmo. :t. e Commandantes de pequenos Districtos as pessoas mais qua lificadas que ahi habitão..: ' 11 de agosto. 2o . bons soldados. no sitio denominado Bom-Successo. A força que se reunio montou a 1 94 praças. — domingo. — Estou em Meia Ponte. A estes Commandantes subalternos fica incum bida a Policia Militar na forma das ordens actualmente em vigor. mas os Ofliciaes de Lnfanteria são pessimos em toda a extensão da palavra. — segunda feira. — Estou em Meia Ponte. c consistem em dous ou tres engenhos d'assucar arruinados. He portanto menos fundada a explicação que a respeito do nome apresenta hum escriptor estimavel. a qual tem a figura de meio arco de ponte. e administrar as fazendas que possuem. que se lançarão os páos para passarem os pri meiros povoadores. — Mandei fazer livros de matri cula das Companhias. Fui assistir á Missa cantada na Igreja Matriz: mui boa musica . . ' •. Foi sobre esta pedra . Hoje de tarde passei revista a tres Companhias de Ca valla. muito aceio e muita decencia nas ceremonias religiosas. e me forão propostas pelo Comman- dante Geral. i o de agosto. e quatro de Infanteria. DO RIO DE JANEIRO AO PARA. O nome do arraial pro cede de-huma pedra que ha no Rio de Meia Ponte que vai para o Corumbá . l5Õ direita da estrada que segue para Santa Luzia : tem por aqui varias casas todas insignificantes c muito maltratadas. l . Em Meia Ponte ha hum Hospicio de Religiosos Esmoleres da Terra Santa: no tempo presente existe hum só leigo para manejar os seus negocios.5oo) e nellas se comprehendião bastantes senhoras brancas e par das vestidas com a maior limpeza. que assim projecta.'.* ria . 9 de agosto.

• O povo está aterrado' pela visita do Ouvidor. — quinta feira. O caminho desde o fim do Morro das Furnas até ao Engenho he excellente : tudo o mais he huma continuação de morros asperos. i-5 de agosto. — Sahi dò Arraial de Meia Ponte ás 2 horas e meia da manha : passei os Corregos do Mar . Correguinho. nisações convenientes ás companhias. 16 de agosto. A maior parte delles são refinadissimos manhosos.. Tem apparecido huma immensa quantidade de soldados doentes a requererem baixas nos Corpos. — Estou em Meia Ponte. Guerra e Tanoeiro . e orga. i4 de agosto. Ponte Alta . — quarta feira. S. escabrosos e ex tensos morros. 13 de agosto. estabelecimento que se acha muito maltrado. Cahio huma forte pancada de chuva : fui ver as Igrejas do Rozario . Passado o ribeirão fica a fazenda com engenho d'assucar do Capitão Francisco da Costa Abrantes. 5 legoas. — sabrado. Lapa e Carmo : a da Lapa tem huma bellissima Imagem de N. Duas Oitavas e o Ribeirão do Capivary aonde cheguei ás 8 horas. Engenho do Capivary . Como eu em todos os lugares indago quanto cum . — Continuão os traba lhos. l5/| ITINERARIO Continua o trabalho da escripturação das matriculas. ambos sem pontes . Furnas com altos. Antonio Leite ou Tapanhoacanga com ponte : Barro-branco . — terça feira. — Continuão os trabalhos ' em Meia Ponte. Chegou do Arraial do Pilar em Correição a este Julgado de Meia Ponte o Ouvidor Geral interino João Francisco de Borja Pereira com os seus Officiaes. Sápezal. —: sexta feira. Ponte Torta. 12 de agosto. — Celebrou-se hoje outra festa na Igreja do Senhor do Bom-fim : em todas as sextas feiras do anqo ha Missa cantada.

passei es Corregos do Car neiro. e cheguei á ponte do Capetinga ás 6 horas e '/j. huma immensa quantidade d'agua que arrancou as arvores. 1 pre para escrever huma Corographia Historica da Província. Os ribeirões do Capivary. — domingo. depois de hum rumor surdo nas entranhas da terra. Neste lugar se cruza a Estrada de Meia Ponte com a que eu segui para Goiaz no dia 8 de Junho. os quaes unidos entrão no Capivary . e que passada esta irrupção ficára huma grande cova naquelle lugar. com a differença de ser precedida a agua por huma immensa quantidade de gazes mui densos. Forquilha e Antas nascem a pouco mais de tres legoas doe . 4 Iegoas. não posso deixar de dizer desde já. achando-me na Piaia Rei. onde havia per noitado no dia 7 de Junho passado. e arrojou-as a grande dis tancia . mas eu já vi os effeitos de hum na Ilha do Principe em o anno de 181o. e este no Corumbá . 1 legoa e '/» distante deste engenho. Estes sifões não são phenomenos ordinarios. O proprie tario do Sitio do Monjolinho onde rebentou o sifão chama-se Ignacio Cardozo. e o Capitão Abrantes disse-me quefôraver o crater. 1 7 de agosto. e achára arvores penduradas em outras muito acima dos barrancos ( margens ) do Corrego do Monjolinho : aca bada a irrupção ficou o corrego correndo como antes delta. que subirão ao ar como turbilhões. rebentara em a Cabeceira do Corrego do Monjolinho. logo que tenha viajado por toda ella. O Sr. que o Capitão Abrantes contou-me que ba dous annos. Capitão Abrantes hospedou-me na sua casa. o. DO RIO DE JAHEIRO AO PARA. « o dos Anicuns ramo da Forquilha . Engenho das Antal . e Lageas sem ponte . — Sahi de casa do Capitão Abrantes ás 3 horas da manhã .Ribeirão da Forquilha ou Bra ço do Capivary . T>a Capetinga continuei a marcha até ao Engenho das Antas do Tenente Borges.

— Sahi da Fazenda das Antas ás 2 horas emeia da manhã. — segunda feira. João das Antas a 1 hora e meia da manha. Encontrei neste Engenho o Cadete dragão Jose Maria da Silveira Pinto. — ouarta feira. e cu entrei aqui ás 7 horas e '/4 Para ter o gosto de encontrar o meu paIrão e patroa desfrutando saude.l5G ITINERARIO lugares em que os atravessei. proprietario do engenho não só me hospedou com toda a abastança . 4 legoas. João das Antas ou do Piracanjuba . Achei a tropa prompta para a re vista . Engenho de S. O caminho do Engenho até a Ponte do Capetinga he cheio de morros muito asperos. e no seu antigo bom humor. e fazendo a mesma mar cha do dia 7 de Junho . 2o de agosto. — Hoje passei revista ás Companhias de Infanteria e Cavallaria deste Districto: a dc . 19 de agosto. cheguei ao Arraial do Bom-fim ás 5 horas e 4<> minutos. Trove jou e choveu copiosamente durante a tarde. Durante a marcha encontrei o Alferes de Pedestres Nuno Anastacio Monteiro de Mendonça que por ordem minha se recolhe do destacamento do Registo dos Arrependidos. Arraial do Bom-fim . 4 legoas. c marchando pelo caminho do dia 7 de Junho. cheguei ao Engenho de S. O Capitão Joaquim da Costa Ferreira. João das Antas ás 6 horas e meia. Hospedei-me em casa do Commandante do Districto. mas tambem mo acompanhará para o Arraial do Bom-fim no dia de amanhã. — Sahi da Fazenda de S. 1 u5 pra ças. he muito boa gente de Infanteria e Cavallaria. Da Ponte do Capetinga ao Engenho das Antas ha huma legoa. que vem do Rio de Ja neiro. 18 de agosto. — terça feira.

e anda assim ataviado. O Major Alexandria tem soffiido os maiores desgostos pelo modo de viajar . — Passou para Goiaz o Correio do Rio de Janeiro. 24 de agosto. Vento S. » ' 2i. Tempo olaro. e bonó agaloado. Dizem que este arraial he sugeito a raios. — segunda FEIRÁ. Elle diz que nos sertões as noites são para as curujas c mor cegos'. Go vernador das Armas.O. — quinta feira. e como tem corpo repleto .E. banda fi espada. alli huma jararaca : minha mãi não tomava tanto interesse pela mmha vida como o Ma jor Alexandria. — Sahi do Arraial do Bom-fim ás 3 horas e % da manhã. ' 25 de agosto. Muito frio. 1 87 í Cavallaria tambem pertence ao Arraial de Santa Cruz. e vento S. e vento S-E.de agosto. aqui huma cascavel. Muita gente á Missa. 22 de agosto. 23 da agosto. Sr. toda a gente lhe faz muitos cumprimen tos pensando que sou eu . e prosopopeia diz-lhes: — Eu não sou o Exm. com chuva grossa : lempo escuro. Vento S. tanto nos arraiaes como nos ranchos e estradas : he a primeira pessoa da Cavalcata . — sabrado. for tissimo. Tro vejou e choveu fortemente. — Muito frio. e não para os homens : a toda a hora se lhe represen- tão fantasmas : agera parece-lhe ver huma onça. e preco- nisa-me huma breve morte por andar de noite pelos matos. for tissimo . e nesse caso o Major com grande flcgma. Passou hoje vindo do Cuiabá para o Rio de Janeiro o Desembargador Chaves que alli foi Ouvidor. — Muito frio. logo hum sucurihú. Elle sempre anda vestido de farda .E. — Muito frio. 11o RIO DE JANEIRO AO PARÁ. e tempo claro. — domingo. tempo claro. 4 legoas. he este Senhor que vem vestido de so brecasaca. — O Major he hum bom com . Rancho do Bazilio . — sexta frira.

. summamente cuidadoso de todos os arranjos . Ordenei ao Commandante das tropas da Cidade que puzesse toda a primeira Linha prompta a mar char. Eu segui o caminho do dia 6 de Junho até ao Rancho do Bazilio onde cheguei ás 6 horas e 4o minutos da tarde. Eu bem co nheço que a Exm. mas não cus- tão por amor delle. 3oo legoas distantes da Cidade ! ! 0 Alferes Nuno Anastacio e o Cadete José Maria partirão dentro de meia hora para a Capital com a resposta ao Exm. As madrugadas custão-lhe muito. Os contos de que mais gosta são as relacões das suas famosas caçadas. O Officio da Exm.a Jun&a do Governo Provisorio participando-me haverem entrado as Tropas Por- tuguezas do Maranhão no territorio do Norte da Provincia de Goiaz. mas eu devo e mando pegar em armas por tambem desejar acober- tar-me . sobre todas a de hoje por se achar bem agazalhado ." Junta obriga- me a fazer nos arraiaes do sul menor demora do que eu ten cionava ter para alcançar as informações que desejava. a Exm. é ao mesmo passo abro o caminho para examinar todas as terras da Provincia desde o extremo do Sul até aos ultimos sertões do Norte. e com os seus contos e historias entretem du rante o aborrecimento das jornadas. Se as Forças Portuguezas se achassem na Capella de Santa Barbara da Cidade de Goiaz." Junta só quer ficar a coberto. Pouco depois de me apêar chegou por parada violenta (correndo a galope) hum soldado dragão de Goiaz com officios da Exm. No mesmo momento tomei as minhas medidas. e responsabilisando-me pela segurança da Provincia." Junta todos os soccorros necessa rios para a Força que tem de ir debellar o inimigo no meio de desertos.] 58 ITINERARIO panheiro de viagem . Governo e as ordens ao Coronel Commandante das Tropas." Junta não escreveria com maior susto e acceleração. mas só por amor de mim. e o ar esteve frigidissimo. e que pedisse a Exm. por querer-me reconduzir a Goiaz são e salvo ! ! De madrugada cahio muita geada. e os seus vinte cães de veados.

— Sahi do Raocho do Ba- zilio. sobre tudo quando ha vento forte : o que então corria era . e pelo Capitão da Companhia de Cavallaria o Sr. e de geada que queima todas as plantas.. Demorei-me no Sitio do Campo Aberto até ás 4 horas e 35 minutos da tarde. e disserão-me que erão "onças nascidas de poucas horas. — terç a feira. A noite estava mnito escura* e então vi pela primeira vez huma grande queimada do campo no Brazil : he hum aspecto horroroso. (sitio novo estabelecido por hum Tenente de Cavallaria de Santa Cruz ha dons annos) acompanhado pelo seu pro prietario. Aqui encontrei a Cavallaria do Ar raial de Santa Cruz que veio receber-me e acompanhar-me.que entra no Ribeirão do Cayapó ou Agua Suja. ventosa . 6 J legoas. Em huma mata perto deste corrego ouvi miar. Arraial de Santa Cruz . — Sahi do Engenho do Bahú ás 2 horas e meia. Engenho do Bahú . Mais adiante passei o Ribeirão do Cayapó ou Agua Suja. 27 de agosto. Passei o corrego do mesmo nome com ponte. Bu- lario de que fallei no dia 6 de Junho. mas eu entendo que seria alguma maracaia ou gato bravo. e seguindo o caminho desse mesmo dia. cheguei ao Sitio do Campo Aberto ás 6 horas e 25 minutos tendo gasto na jornada o tempo decorrido desde as 3 . horas da manhã que esteve muita fria . e se guindo a marcha do dia 5 de Junho. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. Alguns contão 6 legoas e '/» de marcha. 26 de agosto. por me parecer impossivel que exista cova de onça perto da estrada de hum lugar frequentado. entrei na casa do Enge nho do Bahu ás 7 horas. — quarta FEiuA. 4 legoas. e tomando a estrada da direita. atravessei o Corrego do Monjolinho.

e que tem fatigado o juizo dos philosophos. e dahi a dias brota nova erva das raizes da antiga . S. conduzidas por ventos fortes. em que existe huma lampada de prata de grandeza enorme. tostão-se as arvores. e o gado deleita-se comendo estes pequenos rebentões. lança-se fogo ao campo. aventureiro intrepido e atrevido. No lugar das queimadas apparecem ervas de especies dif- ferentes das que ahi existião: eu não attribuo isto a espon taneidade da natureza acerca da vegetação. e muitas destas cobertas de sapé. vierão de lugares re motissimos. c julgava-me estar debaixo de forte trovoada. He extenso. queimão- se algumas . que vai ao Rio do Peixe. do Rosario. mas ao producto das sementes micros copicas. ou atea das de proposito : quando os pastos seccão . As queimadas são cffeitos do acaso. A matriz tem a Invocação de N. ou de outros lugares . junto a morros elevados. Tem huma pequena e arruinada Igreja paroquial . A's 6 horas e 5o minutos cheguei ao arraial que está assentado em hum lugar baixo e pantanoso. o qual em compa nhia de muitos Paulistas. cuja discussão he alheia deste Itinerario.l6o ITINERARIO em nosso desfavor . em que com effeito ha huma represa de agoa: en tra no Ribeirão Brumado. que depois das queimadas. como alguns philosophos querem . O primeiro povoador deste arraial foi Manoel Dias da Silva. Acontece então hum phenomeno extraordinario. da Con ceição. extensa e mui pobre. e por isso apressámos a marcha até ficarmos em lugar seguro : as chammas parecião subir ao céo: as arvores estalavão. e ha outra Igreja denominada N. S. arde o capim. O Bra mado corre a menos de huma legoa do Arraial de Santa Cruz. Adiante do Rio Cayapó fica o Corrego do Açude . de casas humildes e muito maltratadas: montão a 129. alguns annos depois desta funda . Da ultima cousa ha exemplos bem comprovados .

João V no Arraial de Santa Cruz de Goiaz em 1729. no posto de Capitão de Cavallaria mili ciana ( he de Ordenanças ) com vencimento de soldo . e o ardil da intriga. DO RIO DE JANEIRO -AO PARÁ. pedio-me que o pro ponha a S. e satisfez aos seus inimigos . M. No Arraial de Santa Cruz ha muita gente boa e limpa. O Capitão Commandandante do Districto Caetano Teixeira de Sampaio ficou muito mortificado por eu não me hos pedar na sua casa. e entrando em huma destas aldêas ou Re- ducções. e bem in formado ácerca da historia de Goyaz. Esta gente suppoem que tudo hè possivel . no Perú. gra duação de Major . mas a tropa he muito desarranjada. Rcputando-se com direito a remunerações de serviços. conheci a falsidade das imputações contra o Commandante . que tudo he facil . acclamárão o Sr. mas entrando nos exames mais circunstanciados . l6l ção. Rei D. onde tudo se achava muito bem pre parado. hum dos muitos habitantes de Minas Geraes . Elle he homem muito trabalhador. As queixas que eu tinha recebido contra elle obri- gárão-me a dar este passo. c Habito de Christo ou da Ordem do Cruzeiro. João V. quando de- vérão dizer que foi em huma aldêa sugeita ao Governo de Santa Cruz-de-la-Sierra. Este facto que só prova o valor e espirito de aventuras dos Paufistas. -que procurando me lhores terras vierão estabelecer-se na Provincia de Goyaz. I. que desgostou o pobre velho. que tudo merece í O Arraial de Santa Cruz 21 . e ouvidos todos os queixosos . deu motivo a alguns escritores de dizerem que Manoel Dias da Silva levantara a cruz e acclamára a El-Rei D. acometteu de mão armada as Reduções ou Missões dos Jesuitas Hespanhóes na Provinda de Santa Cruz da Serra no Perú . que já o reputavão suspenso do Commando do Districto. Fiquei hospedado em casa do Juiz Ordinario Francisco José Pinheiro. e pude conseguir o reconcilia-lo com os seus adversarios.

O ca minho he plano . — Estou no Arraial de Santa Cruz . cuja passagem deu muito enfado ao Major Alexandria. que forão caiadas por ordem do Commandante . *• Carrego da Firmeza ou de Santa Anna . gente muito ordinaria. Aqui o meu patrão do Campo Aberto fez levantar. Os tres corregos acima unem-se e vão entrar na margem direita do Rio Piracanjuba. \ c . 6 . Campo Aberto. 29 de agosto. 28 de agosto. e cheguei ás 5 horas e 20 minutos ao Corrego do Tamanduá. — sabrado. e passei revista a tres Companhias de lnfan- teria e Cavallaria com io5 praças. — Sahi do Sitio do Campo Aberto ás 3 horas e 2o minutos da manhã . & legoas. ás 7 horas e 25 minutos ao Corrego da Firmeza ou Santa Anna. ás 6 horas e 25 minutos ao Corrego das Ta bocas. — quinta feira. — sexta feira. huma barraca de folhas de palmeiras. — Estou no Arraial de Santa Cruz. — domingo. tomei a estrada da direita. As casas -do arraial. que não cessava de clamar que eu morreria infallivelmente nesta jornada por ter a teme . 31 de agosto.iGí ITINERARIO promette augmento pela continua entrada de emigrados dé Minas Geraes. — Regressei ao Sitio do Cam po Aberto pelo mesmo caminho dos dias 26 e 27 deste mez . e ahi pernoitei. e passando logo a ponte do corrego do mesmo nome. e foi aberto ha pouco tempo pelo meu patrão atravez de hum deserto. illuminárão-se na noite de hoje. 3o de agosto. legoas. onde passei a noite bem descançado. O Padre Vigario Antonio Joaquim Teixeira tratou-me com toda a civilidade.

Até aqui he deserto por todos os lados." DE SETEMRRO. dizendo-me que pouco distante daquellc sitio hum sucurihú lançára o collo ao soldado dragão Sebastião ( he hum excellente homem de figura athletica ) que estava tra balhando em hum brejo. que por muito tempo estivera sem poder trabalhar. Não sei se o caso he certo. ferira o sucurihú que logo o deixára. 4 } legoas. O meu ami go vigiou em quasi toda a noite armado de espada e es pingarda . cauôa. Atravessei o rio que tem 16 braças de largo . e o Major aproveitou-se disto para me dissuadir de andar de noite. não o acho impossivel . Das eminencias contiguas gozão-se qs melhores golpes do vista. depois de agrade cer ao meu patrão José Ferreira todas as suas bondades. Sitio da Agua Clara . onde pernoita o passador da. e não tem corrente percepti vel neste lugar. mas tão moido pelos apertões da volta do monstro.) são alcantilados. e que o arrastara para hum rio. lembrando-se da faca que trazia na bota. por extensas campinas até ao Corrego da Lapa . e ás 7 horas e 39 minutos cheguei ao Sitio da Agua Clara pertencente a . he fundo . Súhi do Corrego da Firmeaa ás a horas e da manhã. a qual foi ercada para descançar. Na margem direita fica huma choupana . E. mas tem hum pedaço de original! dade : os da minha comitiva afiançárão o acontecimento . Bento . Â's 6 horas e meia o Rio Piracaajuba. e pouco depois hum rego . . DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. onde falta tudo quanto he necessario á . Os barrancos ( bordas. Montei a cavallo ás 7 horas e 'A : passei logo o Corrego de S. Caminhei ao N.João* de Freitas Lima. e logo depois a hum pequeno braço deste chamado Taquaral. e que então o soldado. SEGUNDA FEIRÁ. 1.l65 ridade de andar de noite por montes e valles. onde cheguei ás 6 horas c '/i .

Estes miseraveis vivem no abismo de toda a penuria. Bento que entra no Ptracanjuba : ás 5 horas e 5o minutos o Corrego do Buritizal que vai para o Corumbá : ás 5 horas e 55 minutos o Sitio de João de Almeida : he cousa insigni ficante. l64 ITINERARIO vida. tendo a maior parte no jantar o nosso patrão e fa milia . que chegarão a toda a co mitiva. que está cercado de immensos e magestosos buri tis. TERÇA FEIRÁ. á sombra ou ao sol. estes preguiçosos subsistem de cocos c outras frutas silvestres. A's 6 horas o Corrego da Forquilha: entra no Bu ritizal. Assentados todo o dia ao fogo. Adiante ficão ao lado esquerdo algumas casas com bel- las campinas. Que mi seria ! Sitio da Boa Vista . cercados de rios extremamente piscosos. A's 6 horas e 4o minutos cheguei ao Sitio de S. 3 } legoas. A espingarda do meu amigo Alexandria. 2 DE SETEMRRO. hum cão seu muito bom. A's 4 horas e 4o minutos o Ribeirão de S. falta que servio de thema a hum longo sermão do Major Alexandria sobre a indolencia e preguiça dos habi tantes do sertão de Goyaz. derão-nos em menos de meia hora oito grandes e gordas perdizes . e de campos em que se encontra immensa caça. cuja mulher he huma das mais caridosas senhoras que . que comerão como se ha tres dias houvessem jejua do. Bento que fica proximo. e huma excellente cadella que eu tenho. Sahi do Sitio da Agua Clara ( em que só a agua he cousa boa ) ás 3 horas da ma nhã. A's 3 horas e '/4 o Corrego da Capoeira : ás 3 horas e meia o Corrego do Capão da Capoeira : ás 4 horas e 4o minutos o Corrego pequeno : cahe no Ribeirão de S. A canoa em que atravessei o Rio Piracanjuha apenas admitte duas pessoas. Antonio da Boa Vista pertencente a Manoel dos San tos.

Que virtuosa senhora ! que boa mãi . Salli do Sitio da Boa Vista aos 5o minutos depois da meia noite. e o bom Ma jor Alexandria não se farta de me dizer bem da nossa pa troa . QUARTA FFIRA. A's 4 horas e 25 minutos cheguei ao Rio Corumbá. Arraial de Santa Luzia. cego. l65 tenho encontrado nas minhas marchas. Luzia : ás 8 horas o Corrego da Contenda : ás 8 horas e 2o minutos o Cor rego de Fumai ou da Chapada : ás 8 horas e meia o Ar . duas grandes canoas. Aos 58 minu tos passei o Corrego da Boa Vista com ponte : a 1 hora e 58 minutos o Corrego da Sabambaia com ponte : ás 2 ho ras e 55 minutos hum corrego com ponte. que boa filha. e casa do passador com pequeno sitio. A's 7 horas e 5 minutos o Corrego da Ponte Alta. Atravessei o rio. Huma Jaraticaca (Mephytis Fceda ) causou-nos o maior incommodo possivel neste lugar. 6 { legoas- 3 DE SETEMRRO. Fui aqui hospedado com o maior desvelo. Em sua companhia se acha seu velho pai. que aqui tem 3o braçás de largura e 6 pal mos dé fundo. e clla deixa conhecer a immensidade do amor filial com que trata o seu proge nitor. mas no meio da escassez conserva a sua pequena casa muito bem arranja da. Miguel. que boa consorte ! O pobre velho apal- pando-a. Os caminhos desta jornada são excellentes pelo meio de campinas. sem ponte: ás 7 horas e 25 minutos hum pequeno sitio ao lado direito : ás 7 horas e 35 minutos o Corrego de D. na tural da Ilha de S. DO RIO DE JANEIRO AO PARA. chama-lhe a sua santinha . Até aqui 3 '/» legoas. e montei a cavallo ás 5 horas é 2o minutos. e os morros do mesmo nome. Penso que esta familia he pobre. de idade de 9o annos. e outro ás 5 horas e 7 minutos : ás 3 horas e 2o minutos encontrei a estrada do Sapezal. que elle conhece ha muitos annos.

— çuinta FEIRÁ. Casa de Conselho a melhor de todos os arraiaes que até agora tenho visto. de '/4 de legoa de extensão. 4 be setembro. — Estou tratando das OIV ganisaçõcs das Tropas do Districto.- tes e dous campanarios. Ainda não encontrei tanta civilisação depois que sahi de Barbacena. Luzia . Igreja Matriz de Santa Luzia com oito altares mui decen. Depois da da Cidade de Goyaz. 0 mesmo Vigario tem huma bella quinta fóra do arraial . 5 de setembro. Parece isto huma pequena côrte . Marcos."1° Vigario Pa roquial João Teixeira Alvares. Está decadente de pois que as tropas deixarão de passar pela estrada dos Re gistos dos Arrependidos . mo Vigario toma no adiantamento dos seus paroquianos. outra Igreja do Rosario edificada em hum terreno alto . he a peior que tenho inspeccionado : não lhe acho cunho nem cruzes. S. Nenhuma senhora vai á missa sem ir vestida em corpo com todo o aceio. gtando praça. em que ha ponte de ma deira. Este arraial he famoso pela sua marmelada . .166 ITINERARIO raiai de S. — sexta feira. e introduzio ahi a sementeira por meio de ara do. Hoje illuminou-se o Arraial que está muito caiado. O arraial he cortado ao meio por hum corrego aurifero . e todos elles de florete á cinta. e pela quina que cresce nos campos contiguofe. As pessoas mais gradas do arraial tenj-me feito o obsequio de mc visitarem: os homens vestidos no maior aceio. duas bellas ruas. devido tudo ao interesse que o R. e outra de N. — Passei revista a tropa do Districto. e S. da Abbadia que se está edificando. pessoa de muita instrucção e virtudes. a rogos do Sargento Mór Commandante do Dis- tricto Gabriel Fernandes Roriz. Tem 3oo fogos. Fiquei hospedado na casa do R. A situação he bella e saudavel. algumas boas casas.

a nada attendia. Nio havião razões que o convencessem. — sabrado. Pouco depois em hum pe queno campo pérdeu-se o guia . 4 fegoas. e cheguei ás 5 horas ao Ribeirão do Inferno ou de Santa Maria. O Major amaldiçoou o guia milhares do vezes . onças. . dis- se-me que eu sou obstinado . e este na margem esquerda do Corumbá. este e o Paiva entrão no Santa Maria . 167 ' Sitio do« Alagados . muito pequeno estabelecimento. que me quero matar andando de noite no sertão feito coruja. A's 3 horas da tarde veio de Meia Ponte hama parada com a noticia de se estarem cumprindo ns ordens que eu expedi para marcharem as tropas de primeira linha para o Norte da Provincia logo que eu chegar a Goiaz. e O. João das Duas Barras. veio a entrar nella. e junto a este acha-se outro. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. correndo milhares de peri gos de cobras. Os caminhos sao bons por meio de altos morros de argila vermelha. e entre ambos o En genho da viuva de Custodio de Souza : foi bom estabele cimento que está abandonado. e dando muitas voltas fóra da estrada por mais de hora e meia. Passei o Corrego de José Gomes . que estava muito nubla da. A's 6 horas e 3o minutos cheguei ao Corrego do Paiva. G de setembro. rumo O. O. e a cada passo encontrava agouros de má morte. e depois dellc o Ri beirão do Palmital com ponte. Vi hoje muitas Emas ao longe. N. Só a idéa de eu marchar para a Co marca de S. O Corrego de José Gomes entra no Palmital . e alguma pedra. — Sahi do Arraial de Santa Luzia -as 2 horas e 3/4 da manhã. Nada se pôde comparar á impaciencia e impertinencia do Major Alexandria quando nos perdemos na estrada por causa da névoa. e a noticia que lhe dei . sncurihus. A's 8 horas e meia cheguei ao Sitio dos Alagados pertencente a Simplicio Ferreira .

causava-lhe frios e febres. alvejando na baixa em que está collocada. As espingardas e os cães dérão-nos hoje hum bom jantar. pobre. mas decente e com hum altar. e o das Mangabeiras que se seguem. . Nasce daqui a 8 legoas. que fabrica chapéos de lã. assim como o do Pi cão. Aqui ha immensas perdizes . Logo depois o Corrego da Ponte do Meio que entra no Alagado . Passei logo o Ribeirão dos Ala gados com ponte : entra no Rio da Ponte Alta. e o Sabambaia que entra na Ponte do Meio. 4 legoas distante das cabeceiras do Rio Tor to . A's 7 horas o Rio dos Montes Claros ou Descoberto dos Montes Claros. l68 ITINERARIO ! . Adiante fica o Corrego do Bu riti que entra no Rio do Descoberto. No Descoberto ( na margem di reita ) existe a grande casa arruinada de huma antiga fazenda ou pequeno arraial do mesmo nome. pequena. mas sem ponte. 4 legoas. Vou chegattdo ao lugar talvez o mais elevado do Brazil. a qual pertence a João Antonio dos Prazeres. Junto á casa existe a Capella de S. Os caminhos não são máos. ramos dos Pyreneos que se avistão durante a jornada. posto que atra vessem montanhas mui elevadas. Antonio. Adiante destes fica o Rio da Ponte Alta que entra no Corumbá : he estreito e profundo. — DOMINGO. e entra no Corumbá. Do alto de alguns morros descobre-se ao longe a Capella de S. Depois destes fica o Sabambaia do Descoberto. 7 de setembro. ' Fazenda do» Montes Claros . . de o levar em minha companhia. com 1o braças de largo e boa ponte. — Sahi do Sitio dos Alaga dos ás 3 horas da manhã. onde toma o nome de Guariroba. mas o fazendeiro hospedou-me com bom peixe fresco pescado ao pé da sua casa. Antonio . de que o nosso patrão tomou a melhor parte.

e falta-lhe ponte. e atravessei dous pequenos corregos seccos que vão para o Rio Areas. — SEGUNDA FEIRÁ. e ás 5 horas c 2o minutos o Cor rego da Agua Limpa com ponte. A's 7 horas e meia o Ribeirão da Ponte Alta sem ponte : tem 5 braças. 8 DE SETEMRRO. e antes do primeiro delles está huma grande casa abandonada. 3 | legou. pertencente a Antonio da Costa Abrantes da mesma familia do Capitão Abrantes de que follei no dia 16 de Agosto. A'» 7 horas e 1o minutos o Rio das Arêas: tem 6 braças de largura . Sahi do SitlO da AgU» Fria ás 3 horas e 'A da manhã. Passei logo o Regato da Cachoeirinha que cahe no Descoberto. Rio do Ouro . Subi hum morro alto. onde as perdizes servirão de alimento tanto a nós como ao nosso indolente patrão. O Rio Arêas entra no Co rumbá. queima-as. A's 6 horas e meia cheguei ao Sitio das Lageas ou Rio do Ouro . e logo adiante fica o pobrissimo Sitio da Agua Fria pertencente a Fclippe Pe reira. Logo depois ficao dous corregos pequenos ( o João Antonio. e ás 6 horas e % o dos Macacos que caheia no Arêas. e o Crespim ) . Passei logo o Regato da Agua que entra ao Ponte Alta. â legoas. fui informado de se haverem destruido a maior parte dellas em occasiões de queimadas dos campos: o fogo chega ás estivas de madeira. Este 22 . 9 DE SETEMBRO. e divide o Districto de Santa Luzia do de Meia Ponte. DO RIO DE JANEIRO 1o PARA. Depois está o Ribeirão das Antinhas. TERÇA FEIRA. Sitio d* Agua Fria . Sahi do SitlO <loi Montes Claros ás 3 horas da manhã. Como tenho muitas vezes atravessado rios em que outr'ora existirão pontes. e as ponte» vão pela agua abaixo.

mas isto não se acha illucidado. 1o DE SETEMBRO. e grande adro. Arraial de Meia Ponte . mas eu passei mais acima no váo com agua pela barriga do cavallo. mas a maior parte dellas novas . A altura dos Pireneos he avaliada em 7. Alguns picos são em forma de agulhas como os da Serra dos Orgãos do Rio de Janeiro. Demorei-me no arraial até ás 2 horas e % da tarde em que subi o monte de O. Sahi do Sitio das Lageas. Não vi sinal algum de neve nos picos mais elevados. da Penha com tres altares. 6 legoas. e o Verde para o Norte. a Igreja de N. A's 4 horas e 3fo passei o Corrego do Retiro ou João Ferreira com ponte. Depois delle o Corrego Capitinguinha. O rio tem aqui 5 braças de largura . e passei duas vezes o .I7o ITINERARIO sitio he cousa insignificante . QUARTA FEIRÁ. homem octogenario. e o Corumbá para o Sul). Os Pi- reneos são reputados como a mais elevada Cordilheira do Brazil. Passado o Rio Corumbá sobe-se hum morro . e ás 6 horas e meia o Rio Corumbá com ponte. e passei logo o Rio do Ouro. c a vegetação magestosa chega até as suas abas.. e pernoitei nt3lle. mas tão ro.ooo pés acima do nivel do Oceano . talvez com as unicas excepções das Serras de Parccis em Mato-Grosso . foi ás 3 horas e '/j. que entra no Corumbá : tem ponte. e Cayapó de Goiaz onde nasce o Araguaia. busto como se tivesse 3o annos . Descancei na casa do Padre Capellão Antonio da Costa Teixeira. Tem 84 casas humildes. e nasce da Serra dos Pireneos daqui perto de 3 legoas. S. Os caminhos não são máos apezar de ficarem entre morros muito altos. e N. cercado de montes pelo lado de O. e na sua chapada existe o aprazivel Arraial do Corumbá. e os rios que nella nascem tem para o Norte 16 gráos de curso. e para o Sul 18 gráos (o Rio das Almas. o leite he a base da sua sustentação. huma bella ima gem.

A's 3 horas e 4o minutos o Corrego do Canavial. mettemo-nos a galope pelo resto do chapadão. ou da Baga gem : está muito decadente. e passando o Corrego do Monte ou do Tejuco Preto. — Estou no Arraial de Meia Ponte esperando a bagagem que ficou no alto da serra por não poder atravessar a queimada. e todas as pessoas que me acompanhavão. que entra no Corumbá acima do váo. Arraial de Jaragua. e chuva fortis sima continuarão até ás 8 horas da noite. passei o Corrego do Marcos. que vai para o Rio Baião. Adiante fica o Engenho do Padre Jeronimo. 1 1 de setemhro. e embaraçados por toda a parte pelas arvores que se abatião com hum es tampido igual ao dos mesmos trovões. e entrei no Arraial de Meia Pont» ás 5 horas e meia todo alagado. desci o morro em que ainda existem restos de huma boa calçada . O caminho he pelo meio de morros com descidas e subidas asperas. Neste lugar fni surprehendido por huma horrorosa trovoada per pendicular acompanhada de fortissimo vento O. 1T| Ribeirão da Bagagem . 1)o RIO DE JANEIRO AO PARÁ. e das arvores pelo modo que pudemos. A trovoada. 7 legoas. im- pellidas pelo tufão cahião de todos os lados. causando grande susto aos cavallos que se vião cercados de fogo. Desembaraçando-nos do fogo. Achei-me em grande perigo. Adiante fica u encruzilhada do cami nho chamado da Bahia pelo Registo da Lagoa feia. — Sahi do Arraial de Meia Ponte ás 3 horas da manhã. Fiquei hos pedado em casa do Sargento Mór Joaquim Alves d'O1iveira. porque as arvores incendiadas. . marchando pelo mesmo caminho do dia 7 de Agosto. A's 4 horas o Corrego da Agua-fria : entrão no Bagagem. e cheguei ao de Jaraguá ás 1o horas e 3 minutos. . — sexta feira. •— qijinta feira. 12 de setembro. quando me achava no meio da mata em que havia huma immensa queimada.

e seguindo a marcha dos dias 14 e i5 de Junho. íêt be setêmbbo. 7 legoas. Maria Anastacia.ma Junta do Governo Provisorio mostrou-se-me clarissimamente que o mesmo Governo deseja que eu faça essa jornada só e sem levar tropa . —Nesse caso querem VV. 13 lego». EE. 3 horas da tarde. — Sahi do Arraial do Cur ralinho á meia noite entrando ^o dia 14. Eu perguntei á Junta se erão verdadeiras as noticias da invasão da Provincia pelas forças portuguezas do Maranhão : respondeu-me pela affirmativa. Achei a tropa muito satisfeita por ter de marchar para a Comarca do Norte em minha compa nhia. e descancei até á meia noite. A contestação foi viva de parte a parte. indispensavel a minha presença no Norte da Provincia ? — Reputamos.IJt lTinERÁRIO Arraial do Curralinho . i3 dk sbtembbo. — Existem forças suf icientes na Comarca do Norte ? — Nao. entregar-me. como avali ão aos que entrárão? —Não. — domingo. EE. Jantei e descancei aqui atéf ás. debaixo do pretexto de não haver meios de sup- prir ás despezas para isso necessarias. que hum General sem ter soldados pôde bater-se com hum inimigo invasor e aguerrido. cheguei aq Arraial do Curralinho ás 1o horas da noite. EE. mas na conferencia que hoje tive com a Ex. — Julgão VV. Pois bem . D. — Sahi de Jaraguá ás 3 ho ras da manhã cheguei ao Sitio das Arêas ás 9 horas. e entregar a Provincia aos Portuguezes inimigos do Imperio. — Isso não: . • Cidade de Goiaz . passando pelo Engenho de Palmital onde pelo Major Alexandria mandei fazer os meuá comprimentos á bella viuva a Snra. — sabrado. Cêei em casa do Padre Capellão. disse eu : Reputão YV. e pondo-roe então em marcha.

e de en tão em diante deu as mais efficazes providencias para se promptificar o — Exercito — oom quem eu tinha de marchar. a culpa da invasãa. Esta minha deliberação . posso mover a primeira linha dentro da Provincia. passei por sete arraiaes. e muito ambicionava. EE.I DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. dará lá as providencias que julgar necessarias com o destacamento que se acha com o Sr. se oppu- zerem á marcha da primeira linha para o Norte afim de ex pulsar os Portuguezes. como Governador das Armas .ooo cruzados ! Durante a minha marcha pela Comarca do Sul. — EEx. Deputado Luiz Gonzaga de Camargo Fleuri. muitos menores . 1^5 V. Eu chamo lhe Exercito . As pessoas pouco affectas aos membros da Ex. EE. recahirá sobre W. que foi confirmada officialmente á Ex. Eu for mei melhor juizo : conheci que a Junta ficou aterrada com o Officio. fez muda-la de parecer. esperando que a insalubridade do paiz deixasse vago o emprego de Governador das Armas que a mesma Junta exercitára . em que o Sr.de Goiaz. Eu . interpetrárão o modo de proceder da mesma Junta por hum lado pouco lisongeiro.m°s Senhores ! Eu sem tropa não respondo pela salvação da Provincia . Elles disserão que as noticias do Norte crão falsas . e se W. ou ir para o Rio de Janeiro. sem ficar ella compromettida . Deputado Fleuri lhe deu a noticia da entrada das forças portuguezas debaixo das ordens do Major Paula : ella queria com effeito que eu marchasse para o Nor te . Disserão que os preparativos da expedição montárão a i3. E. porque se quiz dar immensa impor tancia ao insignificante corpo de 72 praças que existião na Cidade. e sem que o Cofre da Fazenda Pu blica soffresse desembolços extraordinarios. e que a Junta pretendia induzir-me a eu marchar só para o Norte . e devo quanto antes mar char com ella para o Norte. esperando que eu lá remediasse o mal como pudesse. atravessei dous rios de canoa."1° Junta do Goxerno.™" Junta Provisoria.

. e promptificando outras tres em lugar daquellas em que eu conservava pouco dinheiro para as minhas despe- zas . Deputado e Secretario da Junta do Governo Provisorio a somma de ioo$ooo réis em moedas de tres patacas de que não quiz aceitar recibo.— EstOu em GoiaZ. QUINTA FEIRÁ. 2o de setembro. e com effeito recebi do Exm. seguida de muko povo . Varias pessoas conhecendo a difficuldade em que me acho por falta do dinheiro perdido. huns alegres. 19 DE SETEMRRO. 16 DE SETEMRRO. — Recebi noticia de se haverem perdido tres bestas com a minha bagagem em huma queimada junto ao Rio das Almas perto da Ponte de Jaraguá. tendo feito as disposições que julguei convenientes para segurar a Provincia tanto pelo lado das Salinas sobre o Ara guaia como pelo Rio Tocantins. SEXTA FEIRÁ. DIÁRIO da marcha que fiz para a Comarca de 8. e outros chorando. offerecêrão-me generosamente todo aquelle que eu precisasse. TERÇA FEIRÁ. José Rodrigues Jardim . 4 legoas. João das Duas Barras da Província de Goiaz. A's 4 horas da tarde pôz-se a tropa em marcha. — sabrado.° Sr. gozan do a saude mais vigorosa.1 74 ITINERARIO com pontes . pois que nesta Provincia he 1 . 18 DE SETEMBRO. Arraial da Barra . dei ordem de marcharem os cascos de quatro divisões ou para melhor dizer pelotões de tropa de primeira linha que havião de ser augmentados pelos da segunda. fiz 3 e lf\ de legoa de marcha . — quarta feira. e a váo.EstOu em GoiaZ. EstOu em Goiaz. e ordenanças em caso de necessidade.. 17 de setembro. — Com o desgosto de haver perdido tres bestas com a parte mais importante da minha bagagem .

que eu devera seguir para o Rio dos Bugres. e victima da ingratidão. do Rozario. 1^5 tao temivel huma jornada para o Norte como as primeiras viagens dos Portuguezes para a índia Oriental. em quem eu muito confio pela sua incançavel actividade . na estrada para o Arraial da Barra. povoador de Goiaz. Tambem marchou hum bom Official Inferior. o Major Alexandria fez-me hum sermão de duas hora» . e da minha existencia pouco depois da sahida da Cidade . o celebre Bartolomeu Bueno. Fiquei aqui muito mal alo jado. Vicentão que vem já unido ao da Chapada. O Capitão Com- mandante do Districto. DO DIO DE JANEIRO AO PARÁ. S. o da Tapera e o do Gonçalo. — Antes de eu me pôr em mar cha. e então entra-se no Arraial. sendo todos praticos do caminho. todos pessoas estimaveis. que. que me parece homem de grande habilidade — se souberem aproveita-lo. As pessoas mais nota veis que marchárão para o Norte forão o Major Alexan dria . Este arraial he pequeno. fica adiante. acha-sc assentado em terreno baixo e pantanoso na confluencia dos Rios Ver melho e Bugres : tem huma Capella de N. passei os Corregos de Paula . excel- lente Official de Cavallaria de segunda Linha. Os caminhos são asperos pelo meio de serras e bos ques. algumas cobertas de Sapé ou folhas de Palmeiras . e o Padre Capellão estavão ausentes em huma partida de pescaria. Adiante deste. em lugar de me conduzirem ao Poizo do Rio dos Bugres . de casas terreas em numero de 4o. e atravessei os Corregos do Carreiro. levárão-me sem nenhuma necessidade ao Ar raial da Barra onde entrei ás 9 horas da noite . Mandum . porque indo além de 6o individuos comigo. o Capitão Theotonio José da Silveira Pinto. Se eu fosse Romano ou Grego. e he famoso como aurifero. e varios outros Officiàes. muitos Cadetes. Gambá e Figuras onde fica o caminho. Simão de Souza Rego e Carvalho . agouraria muito mal da expedição . e por ser aqui o lugar em que viveu cheio de desgostos.

que estou per dido. e logo ao pé delle fica o sitio deste nome ao lado de hum morro estreito . e que sou intratavel. Então marchei pela margem esquerda do Corrego da Fartura que entra rio Rio dos Bugres. A ponte do rio arruinou-se. A's 6 horas e meia da tar de cheguei ao Corrego do Queiroz que he profundo. e está tam bem secco: ambos sao pedragosos. 6 legoas. Os caminhos de José Maria em diante sSo . baixo e comprido . Algumas pessoas con- tão 5 legoas da Cidade ao Arraial da Barra. e me demorei até ás 3 horas da tarde. e chegando á Estrada Real passei o Rio do Ferreirinho ao lado do qual existe huma boa Fazenda do Sr. Fille já se reputa meu enfermeiro. A grande ponte acha-se arruinada. de que se desfruta huma vista mui deliciosa. e talvez meu sepultador : deu-me conselhos immensos. r Sitio de Queiroz . Os Rios Vermelho e Bugres estão quasi seccos. Adiante fica o Rio do Ferreiro (braço direito do Vermelho) cuja ponte igualmente se arruinou. mas sabendo que eu persisto em marchar de noite. em que sempre foi o primeiro não obstante a sua repugnancia de marchar de noite. Marchei por campinas mui planas com alguns capões . e cheguei ás 8 horas e meia ao Sitio do José Maria onde jantei. . O nosso bom Major encarregado do Expediente de Quartel Mestre Ge neral. José Rodrigues Jardim: he braço esquerdo do Ferreiro. si de setembro. e este acha -se abso lutamente secco. — domingo. O Major Alexandria seguio por Meia Ponte para Trahiras.176 ITINERARIO acerca dos perigos que vamos correr na Comarca do Norte. — Sahi do Arraial da Barra ás 6 horas da manha : passei o Rio dos Bugres no lugar do váo em que ha pouca agua. pôz-se em marcha em completo uniforme como na jornada antecedente . que sou obstinado. disse-me claramente .

e cheguei ás 8 horas e 3/j ao Corrego da Caissara. — Chegárao hoje as minhas bestas de bagagem sem se haver perdido cousa al guma . — Sahi da casa do Quei roz. — SEGUNDA FEIRÁ. os pastos muito máos e seccos. 1 J~ asperos . e sem perda alguma. e mui vigorosa no profundo valle da direita . Passei varios corregos insignificantes absolutamente sec- cos . debaixo de hum sol abrazador. e tem algumas matas. Hoje de tarde recebi no ticia de haverem npparecido as bestas da bagagem que se perdêrão. e ahi me demorei até o dia seguinte. Na margem direita do Rio Ferreiro perto do Vermelho existio o Arraial da Capella de S. Piki do Campo . e mandei pagar os ioo<$ooo réis ao Sr. Por esse motivo dei ordem para a Tropa continuar a marcha . que entra no mesmo Rio do Peixe. ou Corrego da Sepultura ás 4 horas c '/f. legoas. e a sua fraca vegetação nas cha padas . Os caminhos são mui pedragosos. e de terem sido encontradas as canastras em di versos lugares no meio do campo queimado. e cheguei ao Corrego do Piki do Campo . Até aqui contão 2 y. tudo he 23 . è junto a hum ribeirão deste nome ha hum antigo e arruinado engenho. 28 DE SETEMRRO. Jardim. 4 \ legoas. EstOu no Sitio do Queiroz . Aqui bivaquei com a tropa que ultimamente se puzéra em marcha. e eu demorei-me até que cheguem as bestas que já ficavão em Goiaz. Subi hum morro muito pedragoso. João e Santa Rita agora arruinado. 25 de setembbo. segui ás 3 horas da tarde . e entrei no Deserto do Carretão ás 5 horas e 3/4 da ma nhã. O ribeirão he a cabeceira do Rio do Peixe. DO RIO DK JANEIRO AO PARÁ. e tendo examinado o terreno. Descancei hum pouco neste lugar á sombra de varias arvores tortuosas. 26 de setembro. — quinta feira. atravessei a mata de Alexandre Aftonço. — sexta feira.

e ahi estão os olhos d'agua ou pequenas lagoas que derão o nome ao lu gar. e montei a cavallo aos 2o minutos depois do meio dia por ameaçar grande tem pestade . — sabrado. mas a cauda he forcada . A geração humana parece estar morta por estes lugares . Ninguem me sabe dar noticia dos habitos . e por este nome he conhecido. que encostado a hum cordão de morros vai entrar no Rio de Tesouras.178 ITINERARIO hum perfeito deserto. Os caminhos desta marcha são extremamente pedragosos . Ao lado direito da estrada ha huma mata em hum valle mui profundo . Este corrego he cabeceira do Rio de Te souras. A's 2 horas e 2 5 minutos cheguei ao lugar denominado Olhos d'Agua . O Corrego do Piki (nome de huma ar vore ) entra no Rio do Peixe . Principia a apparecer no Piki do Campo. — Como eu julguei conve niente marchar a pouca distancia da Tropa. e aqui man dei construir barracas de folhas de palmeiras . sahi do bivac do Piki ás 3 horas e meia da manhã. e as pennas compridas cruzão-se em for ma de tesouras. Passei o Corrego das Lageas ás 7 horas e '/( : tem este nome em razão da sua immensa penedia. 4 legoas. Ao lado esquerdo nasce hum corrego . Olhos de Agua. e com effeito cahirão logo torrentes de chuva du rante huma fortissima trovoada. que vai para o Araguaia unido com o Tesouras. e debaixo da mesma trovoada passámos toda a noite bastante incommodados. e desapparece antes de che gar ao Carretão. Descancei nas suas margens . 27 de setembro. O passa rinho quando bate as azas dá estalos com a cauda. e levantei o meu pavilhão . Neste deserto ha hum peque nino passaro preto quasi do tamanho de huma viuva . e tu do deserto. mas a ornitologia offerece huma raridade bem digna da meditação do naturalista.

Esta pequena ave deu o nome ao Rio e. 28 DE SETEMBRO. bem apessoado. Os Indios que aqui habitão montão a 2oo. Corrego do Car retão. Ribeirão do Carretão grande com ponte . Aldêa do CarretAo ou Pedro III. S legoas. 1 70 ou indole desta ave extraordinaria. Empedredo. BO RIO DE JANEIRO AO PARA. hum grande engenho de assucar . ha huma capellinha ou oratorio immundo. e mui poucos Cayapós. Na casa do Capellão Cura. DOMINGO. A' excepção do Capitão Mór que he homem limpo . e Braços ( dous ) de Tesouras . c quasi que nadando em toda a parte passei com agua pela barriga do cavallo os corregos ou cabeceiras do Rio de Tesouras. Sahi doS OlllOS de AgllU debaixo de immensa chuva e trovoada . e quasi to dos os seus subditos pertencem á Nação Chavante . todos os mais . Tem hum Capitão Mór indigena. o Padre Fleuri. denominados Te souras ( he o principal ) . mas não na Provincia de Goiaz. ranchos. e muito trabalhador . A Aldêa do Carretão ou Pedro III he extensa: tem varios quarteis. officinas. segundo me informão as pes soas que comigo se achão . O Capitão Theotonio não se havia descuidado de nos preparar hum bom rancho . e bem pouco diffe- rente do que encontrei no dia i3 de Maio. e pertencem a differentes Jul gados do Sul e Norte. que foi pela maior parte a galope desde as 8 horas da manhã até a 1 da tarde. e os mais confortos que sc nos tornavão indispensaveis. que vão para o rio deste nome . e entrei na Aldêa no fim de huma trabalhosa marcha . extincto Arraial de Tesouras. em lugar de 5ooo que já estive- rão neste lugar. cujos vôos se dilatão até aos limites acima indicados : penso que habita neste lugar por haver algum fruto de que se alimente : mas donde viria este animal? existirá em outros Districtos? poderá existir. c vastos paióes : he fundação do *mno de 1784.

Antonio do Rio Tocantins pelos moradores de Pas tos Bons. 7 \ legoas. preguiçosos . Da Cidade ao Carretão pelos Bugres contão 22 legoas. e em indolencia completa. M. e que o General Portuguez José Maria de Moura o retivéra prisioneiro para envia-lo a Portugal. Sg DE SETEMRRO. c por ora inuteis a todo o mundo. embria gados . Nada ha tão hediondo co mo as choças em que habitão estes miseraveis . Deputado Fleuri enviado o Major José Antonio Ramos Jubé á Cidade do Pará com proclamações de S. — SEGUNDA FEIRA. Estas noticias obrigáráo-me a expedir ordem á Divisão das Salinas ( a quarta ) para marchar para Ca valcante. Miquelina. Sahi da Aldêa do Carretão ás 5 horas e 25 minutos da manhã que estava . Recebi cartas do Norte . Patricio. Aqui ha hum Director da Aldêa . e 0oo Indios Apinagés das Aldéas da Carolina e S. * . que entra no das Almas acima do Arraial das Lavrinhas 3 legoas. que desacre - ditão o Governo. em que me dizem haver o Sr. Como vivem no meio de hum deserto. rotos ou esfarrapados. —. e as mu lheres apenas se cobrem com huma saia passada pelo pesco ço . deixando hum braço de fóra. c hum destacamento de quatro soldados pedestres. Antonio. O Ribeirão do Carretão Grande cahe no Rio de S. Os caminhos de hoje são por entre morros e matas. Engenho da -Conceição de D. são baptisados . Tambem consta que a força do Maranhão . e servem de ludibrio aos olhos dos viajan tes. l8o ITINERARIO andão em vergonhosa miseria. fôra desbaratada na Ilha da Botica ou na Cachoei ra de S. o Imperador . pouco mal fazem aos habitantes das fazendas hum tanto remotas. Estes Indios são pacificos: fal- lão mal o portuguez . que -entrárâ nas terras da Provincia de Goiaz .

A fortuna permittio que os porcos depois de inuteis esforços se retirassem. estreito. e depois delle o Ribeirão do Carretão Pe queno . e o mesmo homem tem creditos de verdadeiro. que indo á caça de porcos bravos (Queixadas e Caititus) . e olhando para cima vio huma grande onça acuada (assentada) sobre outros braços da mesma arvore. e de bar rancos altos : o Cascavel . Os caminhos até aqui não são máos. tigres . Demorei-me em casa do Adão até os 35 minutos da tarde ouvindo immensas historias e proezas de caçadas de onças . Presentemente appa- recem poucas onças por estes sertões. e diligencias de roerem o pé da arvore na forma do seu costume . sentio cahir-lhe sobre a cabeça huma cousa liquida como agua . e que fazendo os porcos hum fortissimo grunhido. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. fòra perseguido por tantos dos primei ros . que se vira obrigado a subir para os braços de huma arvore mui copada. Pouso do Ouvidor . Diz elle . e elle Adão descendo da arvore matou á espingarda a onça a que estivera tão che gado. e Bravo . homem pardo . pelo meio de matas. mas não he impossivel. e hum Braço deste (o Tejucal) que vão ao Carretão Grande : o Corrego da Boa-Vista que vai á Ponte Alta : o Ribeirão da Ponte Alta com ponte. por ser este o seu costume. e ás 1o horas e 2o minutos cheguei ao sitio denominado — Fazendinha — pertencente a Adão José da Silva. Disse. Passei hum cor rego pequeno . o cujos tropheos (as cabeças) conserva espetadas em estacas junto a choupana em que habita. e cer rados. estropiado pelas onças de que foi o mais famoso ma tador da Província. Este homem contou-me huma aventura extraordinaria que lhe aconteceu em hum dia do caçada : ella custa a acre ditar. l8l serena e chuvosa : havia trovoada ao longe. e outras . que pensa que a onça estava na arvore fazendo alguma espera. e que por medo que teve dos porcos ou dellc Adão deixou correr a urina que lhe cahio sobre a cabeça.

assim como o Ribeirão de S. Pa tricio Pequeno que fica adiante daquelle . onde fiquei muito mal accommodado no meio de gente grosseira e miseravel.E. e o do Pouso do Ouvidor são braços do Ribeirão da Ponte Alta. Atra vessei o Ribeirão do Cotovelo. Posto em marcha aos 35 minutos da tarde passei o Corrego do Adão assim chamado por haver aqui residido o sugeito de que fallei. e muita pedraria. Adiante deste corrego fica o Pintada . e com- prei-lhe quatro pelles de onças pintadas. O Ribeirão da Ponte Alta entra no Carretão Grande. & £ legoac. Adiante do Cotovelo passão-se tres corregos cabeceiras do rio de Calhamares.O. Patricio. tendo andado por máos cami nhos entre matas e cerrados . entre elles ficão humas pequenas casas : pouco adiante passa-se novamente o Ribeirão do Cotovelo assim chamado por nascer a 1'Este . e cerrer depois para o Oriente a metter-se no Ribeirão de S. Patricio Grande que recebe todos os quatro antecedentes . 3o de setembro. muitas das quaes forão mortas á espada . e mais adiante o Ribeirão de S. nome de huma antiga fazenda ou arraial actualmente destruido. Patricio Grande. — Sahi do Engenho da Conceição ás 4 horas da manhã que estava nublosa. Patricio Pequeno está 1o minutos de marcha distante do engenho. e o da Miquelina ou Conceição em cuja margem esquerda existe o engenho d'assucar.l82 ITINERARIO feras . e a Fazendinha são Braços do Ribeirão de S. bom. e antigo estabelecimento em que me apeei ás 3 horas e 2o minutos . O Ribeirão de S. — terça feira. o Bravo. Passado o . am bos sem ponte . formar hum arco de cir culo a Oeste . Os Corregos do Cascavel. Arraial do Pilar . Miquelina. e correm E. e coifem O. e fazenda do mesmo nome de Conceição ou D. e o Corrego da Rocinha.

A's 9 horas e meia entrei no Arraial do Pilar assentado em huma profunda cova. o qual foi construido pelo Capitão Francisco Corrêa d*Assumpção. encontra-se hum dos mais asperos terrenos que tenho transi tado : he hum tombadouro ou despenhadeiro quasi a prumo que consta de varios ramos de montanhas que chegão perto do Arraial do Pilar. Passados estes. e depois fieão os Cor regos do Vieira. tanto por defeito de nivelamento. Este grande aqueducto não correspondeu ás esperanças da sociedade. e passando este. e da presente miseria dos habitantes do* Districto do Pilar. A estrada fica por baixo do aqueducto. os quaes servem unicamente de testemunho da antiga opulencia. O Engenho do Padre Adorno. para levar as aguas do Rio Vermelho ás Minas do Moquem. e depois destes o Corrego do Zumbeiro que vai ao Rio de S. encontra- se hum grande bicame ou aqueducto de madeira mui ele vado. como por escas sez de aguas que tem havido ha mais de quatro annos. porque este perde-se no Rio de Crixás. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. 1 83 ultimo ramo do Calhamares ha huns asperos morros (a Serra das Figuras onde existem varios caracteres naturaes ou arti- ficiaes) . unicas esperanças dos . actual Commandante do Districto do Pilar . e do Taboão compostos de quatro braços cabeceiras do referido Calhamares. Em diversos lugares que hoje atravessei. que entra no Rio Calhamares . cercado de mor ros elevadissimos : foi muito extenso e povoado . e o dos Coelhos são os mais consideraveis destes pardieiros abandonados. e o outro no Rio das Almas. mas agora acha-se grandemente deteriorado pela difliculdade da mineração do ouro. Patricio. Alguns edifícios mostrão a sua antiga opulencia . encontrão-se grandes edifícios demolidos que forão engenhos d'assuca'r. Neste aspero terreno passão-se tres corregos que entrão no Rio Vermelho do Pilar difTerentc do Rio Vermelho do Fundão. e tem varias ruas bem calçadas. Adiante fica o Corrego de Ignacio de Souza.

cujos habitantes pela maior parte são tão pobres. e dos collateraes são de estanho á moderna . Mostrárão-me huma bellissima. e o Paroquial com outros ecclesiasticos recebêrão-me a porta da Igreja Matriz . huma boa cruz. que marchou ao meu en contro com huma Companhia de C avallaria. hospedou-me generosamente na sua casa . e suas Confrarias não são pobres.ooo escravos : no dia de hoje a população geral do Districto anda por 3. S. grande e dourada. Ha vinte annos existião aqui 9. S. campainha grande . Francisco Corrêa d'Assumpção. do Pilar em que ha sete altares í a Capella Mor he a cousa mais rica que tenho visto em Goiaz : a Capella do Senhor dos Passos he funda. jarro e bacia de mãos . S. caldeira e hysope . custodia do mesmo metal. e todos os outros da Pro vincia. e N. duas lanternas. e mui pesada lam pada de prata . Gonçalo de Amarante. O Reverendo Vigario da Vara. dous ceriaes. das Mercês. No adro da Igreja do Pilar ha hum chafariz de excellente e copiosa agua. e os ornamentos são ricos. As outras igrejas do arraial são as de N. ooo almas. Boa-Morte ou S. e tem tanta falta de numerario. No arraial existe a bclla Igreja Paroquial de N. O Capitão Commandante do Arraial e Districto. e fez-me o favor de apresen- tar-me á sua senhora de quem recebi as maiores civilida de». Na torre de madeira da Igreja existem tres bons sinos. que so servem de novelos de fio d'algodão para fazerem as com pras miudas. He para lamentar a decadencia em que se acha este arraial . do Rozario . Os Exactores da Fazenda Nacional . e . a Imagem do Christo he perfei tissima. turi- bulo e naveta de muito boa prata. e o desprezo da agri cultura. 1 84 ITINERARIO seus illudidos habitantes que ainda preferem as minas á agricultura. arruinárão esle arraial. e os Provedores da Fazenda dos Defuntos e Ausentes . As banquetas do Altar Mór . A fabrica da Igreja . e muito decente . Vejo a maior parte da gente com más cores.

e ha aqui 6o teares d'algodão grosso. As casas do arraial são 24*> dispostas em tres ruas e varias travessas . gente muito ordinaria. e o arraial das Lavri- nhas distante oito legoas do Pilar. Deste arraial dependem : o de Guarinas que fica 3 legoas a Oeste . ooo escravos . e huma Companhia de homens pretos . « meninas de que he mestre João Soares Baptista homem dignissimo de todo o louvor. Boa-vista a 1'Este . O Rio Vermelho do Pilar passa pouco distante do arraial . duas Companhias de Infanteria de homens pardos. Da cidade ao arraial pelos Bugres contão 34 legoas. c Pendura a Oeste. As montanhas do Mosquem e Boa-vista forão abundantissimas de ouro. Na Igreja Matriz do Pilar diz-se em todas as sextas feiras . Este arraial he Cabeça de Julgado : o seu primeiro nome foi — Arraiai da Papuan — recebido de humu qualidade de herva que aqui existe muito bca para sustentação do gado. e a Tropa do Districto existia debaixo d'armas pariá me Cazerem as continencias militares. Ha poucos annos o Governo da Provincia a titulo de economia tirou-lhe 5o<£)ooo réis annuaes do mesquinho ordenado que vencia de i5o<$ooo réis. acha-se presentemente reduzido a cinco fogos com 28 almas . DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. mèia legoa a 1'Este do Rio das Almas. — Muita gente lusida estava na Arraial . e sendo antigamente muito rico ein lavras de ouro onde trabalhavão 3. chamão-se Moquem ao Sul. e tod» de segunda Linha. a povoação. 1 8-Í eonduzirão-me á Capella Mor em quanto se tocava e can tava o hymno —• Benedictus. e as tres montanhas que formão o profundo valle onde s« acha. Hoje de tarde passei revista á Tropa do Districto a qual consta de tres Companhias de Cavallaria de homens brancos. A Aldêa do Carretão he do Districto do Pilar. Logo que sahi da Igreja fui visitar a escola de meninos. A escola estava cheia de meninos c meninas.

-—Chutas copiosíssimas. donde sahi ás 4 horas da manhã. onde existem grandes rumas de hum antigo engenho de assucar. Passado este ficão ou tros dous corregôs chamados Aguada de Joãò I)ias . por estar a ãtmosphera mais aliviada .RÁRIo htlftia Missa rezada ná Capella do Seíihor dos Passos . Passei logo o Ribeirão ou Corrego d» Lavapés que entra no Rio Vermelho. e rabrigáraO-me a demorar-me no Arraia! do Pilar até ao dia de koje . Engènh* db Capitão Vicehtè òú Engenho Novo. Aliante está b Cbr . puierão os caminhôs ihtransitaveis. Passa do este «noonttffto-'** dous braÇòs do Corrego da Goiabfeira o» Boca do Mato. Chegou hoje a estè arraial o Major Alexandria pela estrada de Meia PoMe. — sfeètmbAftrtiA.existem as fuihas de outfò engeuho. onde . acompanhadas de fortissimos trovões. e leva muita água. e durante ella o poVO cãntá varios hymnos da Paixão de Jesus Christo acompanhados de musica instrumental : no fim da Missa dá-se a beijar a reliquia do Santo Lenho. Mais adiante ficãò tos CorrtegOs db Capito e Ponte Grande. puz-ffie em marcha . A's 5 horas e meia tornei a passar o Rio Vermelho . todos sem pontes : seguem-se dous braços db Corrego flo Guyabá. etó que . Aqui começa a antiga «Strada para Trahiras at*aVeZ dos Rios das Almas e Maranhão : hte a «pue «te aeha «aarcada nos mappas Velhosí fe iura fWHicas veaes he freqtteWrtààa. !e depois deste os Corregos de Joanna da Silva 4 e o da Cangerana. acompanhado pela maior parte dos moradorbs distinctos do lugar . y i» »s oútubrO. e pôr meiô de rnáos caminhos no fundo de hum valle cheguei àto Rio Vermelho às 5 horas : uão tefnn ponte*. Adiantè fita outro torrego denominado Boca do Mato da Estf-ada Velha í tem pontte.lê6 1TIÍIF. Aqui começão as nsentanhas asperas . 4 legoas.

elevada e agradavel. e na sua margem dweiU. Até aqui ha tres quartos de legoa. perdendo o proprietario. que he e do engenh*f em que dormi hontem . O Ribeirão. o Corrego do Crespim ou Fundo . — Saiu do Engenho IMçvp ás 4 horas da manhã: passei o Corrego da Ponte de Jqso Corrêa . da Pos se entra no Rio Vermelho do Pilar. e a maquina move-se por ora a bois. existe. Logo depois fica hum grande engenho de assacar demolido . e todos juntos cutrão no Ribeirão da Posse. Em seguimento fica o Corrego do Anacleto ou Estiva . e atgun» papagaios c picapáos. Adiante ficão os Conegos do Mourão e do T« . 8 legou». o qual se perde n. $in situaçay. Vi muitas guaribas .- Engenho do Ara. o Engenho Movo do Çapitao dr Ordenanças do Pilar . Adiante do Posse fica o Carrego do Mato do Quilombo que entra no Posse : adiante o Corrego do Eixo ou da Onça que entra no Rio Vermelho. Q Corrçgv do Terreiro tem ponte.o Fijo das Almas. DO RIO DE JANEIRQ AO PARA. tudo quanto possuia. Ha lugares en> que apenas podem entrar alguns raios de sol. por se haver incendiado no mej? de Maio do anno passado.ujo oh B«r*o*o . -T. . lumia pequena casa. os quaes reunidos. 0 proprietario b. Vicente José Ferreira de Acevedo .terça feira... que entra no Ribeirão da Posse abaixo d»S procç* dentes. onde me apeei ás 8 horas : he estabelecimento muito grandq. Todos os corregos que sc pa$&^> desde o de Joaona da Silva ató ao do Terreiro encorpo^ rão-se successivamente .7 de outuriio.9§- pçdou-me com bastante decencia e airabilidade. e o Corrego da Forqui- JJja. entrão na margem esquerda do R'o Vermelho. O» caminhos de hoje &ao mias pelas abas o ati<*- ve? de morros e matas. A p9WÇ0S pas sos destas ruinas fica o caudaloso Ribeirão da Posse sem ponte.j rego du Terreiro. y^.

Atravessei dous pequenos cor regos : avistei o Rio das Almas correndo pelo meio de hum a frondosa mata : ficava distante da Cidade hum tiro de espin garda. ITINERARIO quaral ou Ponte Falsa . Passei . que unidos em hum só tronco . ás 6 horas e 55 minutos cheguei ao engenho d'assucar denominado — Barrozo ou Araujo — pertencente a Joaquim da Silva : he bom estabelecimento. O proprietario do engenho hos- pedou-me com a melhor vontade. que entra na es querda do Rio Vermelho. e depois dellc o das Lageas e o do Funil . e ceroulas. tamancos. desfi ladeiros. morros. e distante hum quarto de legoa do Rio das Almas. Apêei-me na* Lavrinhas. que unidos entrão no Ribeirão da» Lavrinhas. Tal he o estado de civilisação destes sertões . A marcha de hoje foi qua- si sempre por caminhos asperos. Antes de chegar ao Corrego do Funil existe hum olho d'agua á esquerda da estrada. e então passando a váo o Ri beirão das Lavrinhas . que fica pouco distante ao Oriente. — Sahi do Engenho do Barrozo ás 5 horas e meia da manhã. \ Arraial da Agua Quente . atravessei hum pequeno corrego com ponte . QUARTA E QUINTA FEIRA. e com tanta sem ceremonia que sempre esteve em camisa. e sem meias nas pernas. em que ha hum a pequena povoação de sete familias pobres e moradoras em casas miseraveis : acha-se assentada na mar gem direita do Ribeirão das Lavrinhas. Adiante do Funil vi huma grande anta correndo pela varzea. e fui emparelhando a sua margem esquerda por algum tempo . A's 8 horas cheguei ao Sitio das Lavrinhas. montanhas. entrão na margem esquerda do Rio das Almas que está perto. e ahi me demorei até ás 5 ho ras e 2o minutos da tarde . 8 E 9 DE OUTURRO. ou a grossaria de alguns homens ainda mesmo proprietarios abastados. 5 legoas. e algumas matas.

Verde . «V RIO UE JANEIRO IO PAIA. A's 6 horas e 2o minutos cheguei á margem es querda do Rio Maranhão junto a sua confluencia com o Rio das Almas : até aqui são 3 legoas e . A's 8 horas e 3/f passei o Corrego da Caxoeira que entra no Ribeirão da Agua Quente aonde cheguei ás 9 horas: he estreito. D'ahi a pequeno espaço de caminho se chega ao Arraial da Agua Quente assentado na encosta de huns pequenos mon tes : tem io5 casas quasi todas terreas» e dispostas em sete ruas. muito pedragoso . Almas. huma praça e duas pequenas Igrejas dedicadas a S. l9| o corrego do mesmo nome que está junto ao terreiro da fazenda . e leva muita agua. e depois de receber os Rios do Arraial Velho . e vai descarregar as suas im- mensas aguas no Rio Amazonas. Demorei me na margem do Maranhão até ás 7 horas e */j da mesma manha : ás 8 horas e '/$ passei o Corrego das Arêas. o Vigario Geral de Goiaz governa até ao Rio Tocantins limite daVigararia daVara de Trahiras. e o fundo he de 24 palmos. João das Duas Barras . A's 5 horas e % cheguei ao Corrego do Curralinho que assim como o Tacuaral entra no Rio das Almas. o qual eu passei ás 8 horas e 35 minutos. Angicos. Este Rio Maranhão nasce na Lagoa Formosa . muito espraiado. e muitos outros. por ser muito areado : he braço direito do Rio do Ouro Fino. Sal. ou Secco. O Curralinho teve hum engenho que se acha destruido. nas partes relativas a negocios Civis e Militares . e de pouca agua . pois que na Repartição Ecclesiastica . Atravessei o rio em canoa : a sua largura será de 5o braças*. corre ao Norte debaixo do nome de Tocantins com maistde 5oo legoas de curso e navegação. Patos. O Ribeirão do Tacuaral tem ponte. e adiante della fica hum pequeno corrego que entra na margem es querda do mesmo Tacuaral. ás 4 horas hum corrego : ás 5 horas o Ribeirão do Tacuaral limite das Comarcas de Goiaz e S. . Nesta margem dj rio existe hum pequeno rancho de passageiros./..

e no lago. e hum lago origem do ribeirão. S. Com . mostrando de*te modo que não era por vontade espontanea que m arrUcavao ú minha tentativa que elles entendião ser temeraria. 0 ter febres e sezões que nunca mais o largassem. As ruinas dos edifícios mostrão que o arraial foi mais extenso. as cavernas. e irmão do Reverendo Vigario Paroquial e da Vara de Trahiras. e a minha curiosidade. O Capitão.6oo pessoas sugeitas a Sacramento de Communbão. e a de N. hospedou-me e tratou-me com o maior obsequio que per- mittem as circunstancias do lugar. e do Reverendo Padre Silvestre Alves da Silva Deputado á Assembléa Geral Legislativa do Imperio . Os meus dous outros companheiro» se- guiao-me sem proferirem buma só palavra .lOO ITINJUUIWO Sebastião com tres altares. e assim marchei debaixo de hum chuveiro de pragas do Alexandria contra o lago . Mo arraial e districto existem agora 7o0 almas . mas vendo que eu não cedia. c alguns bons oimmeuios. do Livramento menos arruinada do que a primeira. deixárao-me só com o Major. O Capitão Antonio da Silva Alves e o Padre Capellão deste arraial são as pessoas mais conspicuas que aqui achei. quando an tigamente só no arraial havião 1. e esperando polò menos encontrar vinte onças . Capi tão Theotonio e Commandante do lugar. convidei ao Major Alexandria para me acompanhar durante o exame que no dia de hoje (9) pretendia fazer naquellas cavernas. que he o mais abastado habitante. Como eu sabia por informacões do autor da Corographia Brazilica que neste arraial existem certas cavernas medo nhas. Na encosta do Ribeirão d* Agua Quente foi que sc encontrou o celebre folheto de ouro de que trata a Corographia Brazilica. Não se pôde formar idéa do susto e terror que tanto o Major como outras pessoas ainda mesmo do arraial mos trarão quando lhos manifestei a minha curiosidade : todos me dissuadirão dessa empresa por ser arriscadissima .

he facto absolutamente falso . ás 6 horas da manha de hoje fui ver o lago famoso . e amar goso mais Jo que a agua salobra. Neste brejo on pantanal existem innuuieraveis olhos d'agua muito volumosos : o liquido he escuro de cheiro sulfureo . 1Q1 efteito . sendo apenas retalhado pela agua que sahè da terra em grossos borbotões . Pôde ser que no tempo secco a agua não diminua sensivelmente . que era de pedra e terra . e observei que das bolhas que formara quando sahia da terra. cujo autor copiou essa noticia das interessantes Memorias Gorânuas do■ . c em lugar de lago encontrei hum brejo ou pantanal cheio de arbustos hum oitavo de legoa ao Oriente do Arraial. demolio-se por causa das raizes de humn Gameleira. desenvolvia-se hum subtilissimo gaz ou fnmo extre mamente claro. vim a conhecer que he o grande reservatorio de hum antigo açude donde se conduzião aguas para as lavras do terreno contiguo. e neste caso procederá isto de vir por canaes de pedra calcarea desde o Rio Maranhão distante meia legoa do arraial . a qual toda junta forma o volumoso Ribeirfio da Agua Quente q«e dá este nome ao arraial. pois que eu vejo sinaes de corrente de agua nas margens do mesmo ribeirão muito acima do nivcl actual das que atra vessei. e o não augmentar nem diminuir o volume da agua do ribeirão . existem algumas com effeito nas mon tanhas de pedra calcarea que ha por estes lugares. Examinando os contornos do lago ou ver4 dadeiro brejo . O calor da agua da ribeirão talvez proceda de atravessar algumas estratas de substancias inflammavcis como acontece em Ou tros paizes do universo. O aterro ou dique do açude. tendo muita semelhança ae gosto a agua que passou por alcatrão ou petroleo : a agua he tepida . Pelo que toca ás cavernas . DO RIO DE JAlTEtftO AO PARÁ. a agua escoon-se. ou de outros depositos das mon tanhas da mesma pedra onde existem as cavernas medo nhas on pavorosas da Corographia Brazilica. e ficou o brejo quasi seceo .

braço dos . as unicas que existião da Provincia . Estes açudes forão a causa da mortandade de innu- meraveis pessoas . 'itinerário Reverendo Padre Luiz Antonio da Silva e Souza. ( Araaial do Cocai . e de varias outras pessoas que confirmarão as noti cias antecedentes sobre o destroço das Tropas Portuguezas na Cachoeira das Tres Barras . e montei a cavajlo ás 4 horas e meia da tarde para ir pernoitar no Arraial do Cocai. o qual certamente não foi como eu examinar a origem do Ribeirão da Agua Quente. — quinta FEinA. As montanhas são escalvadas e pe- dragosas . A's 6 horas e 1o minutos passei o Corrego Secco. e a prisão do Major Jubé pelo General do Pará. e então recebi cartas do Sr. recolhi-me ao Quartel perto do meio dia . A's 4 horas e % passei o Corrego das Lageas que tem ponte alta : ás 4 horas e 55 minutos o Corrego do Buritizal por havèr muitas Palmeiras Buritis. Luiz Gonzaga de Camargo Fleury . 4 legoas. ramo dos Poções Grandes : ás 6 ho ras e 2o minutos o Ribeirão dos Poções Grandes : ás 6 horas e 35 minutos o Corrego dos Poções Pequenos. Logo dep*ois atravessa-se hum grande desfiladeiro de montanhas asperas com huma garganta mui estreita. além do brejo que eu examinei ha muitos outros por aquelles lugares . Deputado da Junta do Governo Provisorio. Obser- ve-se que. e tem grande quantidade de cavernas calcareas : cheguei á garganta ás 6 horas. e sou obrigado a confessar que não voltarei outra vez ao lago ou brejo do Arraial da Agua Quente. — Tendo eu na manhã de hoje visUçdo o lago ou brejo do Ribeirão da Agua Quen te.Ií)2 . os quaes formárão antigamente o cabe dal ue muitos tanques ou açudes para o trabalho da minera ção. Jantei ás 2 horas . e as margens do Rio Maranhão . * 9 de outubro. o qual não pôde ser saudavel.

Nas grutas das montanhas encontrão-se algumas onças tão atrevidas que chegão a oorrer as desertas ruas do arraial. muito insigni ficante . O arraial dista huma legoa da margem direita do Rio Maranhão . Joa quim cem cinco altares . — sexta feira. immediatamentc depois está o Corrego Rico. A's . Este arraial assentado na baixa de hum monte. S. e não fica longe da grande Cachoeira do Machadi- nho do Rio Maranhão. a grande Igreja de S. e na sua margem esquerda *o Arraial do Cocai aonde me apeei ás 8 horas c meia. Adiante do Buriti fica o Corrego do Paiol assim chamado por haver antigamente na sua margem direita o Paiol da Grande Fazenda dos Sete Ranchos. Joaquim . extrahirão i5o arrobas de ouro em hum terreno menor de quarto de legoa em quadro. de maneira que o Coronel Felix Caetano. — Desejando chegar quan to antes ao Arraial de Trahiras . pretos e pardos. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. braço do que se segue : aqui ha hum pequeno pantanal. Adiante fica hum pequeno corrego denominado Feijoal . mas faltão-lhe ornamentos. Tem outro templo mais pequeno da Invocação de N. Os habitantes deste districto são pobrissimos. 4 legoas. sahi do Cocai ás 2 horas e meia da manhã. I f)Õ Grandes. 1o de outubro. Eis o resultado da mineração ! Arraial de Trahiras . Passei o Corrego do Buriti ou G#meleira. he hum todo de ruinas em que apenas se conservão 48 miserabilissimas casas dispostas em tres ruas. huma rica custodia. A's 7 horas e '/j o Corrego do Brejo ou Buriti . e outros.3 horas o Ribeirão da a'5 . e bons ornamentos : a Igreja está quasi a cahir. c varias outras peças de prata . e vi hum unico homem branco. braço direito do que se segue. e foi hum dos mais ricos da Provincia. A's G horas e '/$ o Sitio dos Poções . das Mercês com tres altares em melhor estado do que o de S.

do Rozario em melhor estado. e conduzido á Capella Mor . to* recebido pelo Reverendo Vigario Manoel da Silva Alves. S. do Bom Fim arruma da . onde á esquerda do caminho existo hum pequeno corrego a que chamflo Bebedouro. não me parece doen tia. na qual existc huma perfeitissima Imagem . huma grande praça. Huma companhia de cavallaria da segunda linha acompanhou-me desde o Sitio dos Olhos d'Agua.1 Ç)4 ITINEKAKIO Ponte Alta com poate : ás 3 horas e '/^ o Pouso do Ouvidor. a Igreja Matriz de N. S. da Conceição arruinada . e de subida aspera. á musica vocal e instrumental. A's 3 horas e :iA cheguei aos Morros do Vieira. Esta povoação já foi mais rica e extensa : os edifícios vão-se arruinando. Aqui ha hum* casa ou roncho demolido.. assentado na margem esquerda do rio do mes mo nome . Casa de Conselho pouco inferior á de Goiaz . O Bebedouro está seceo. — O Capitão Commandante do Districto Joio Caetano de Sampaio. » o Reverendo Vigario tinhão mandado preparar a casa de so brado da rua. Outro igual obsequio praticou em favor de todos os O/ficiaes c Cadetes que me acompanhavão . direita . e hum pequeno Hospicio de Es moleres da Terra Santa com hum Leigo Procurador. o Lyrano —. extensos. varios bons edifícios.. e durante os dias em que me demorei no arraial. era quanto se cantava . Dei ordem par» se recolher a tropa d» segunda linha a soa» . mas rica em or namentos e prata j a Igreja do Snr. onde me alojei . em que ha huma boa e elevada ponte de madei ra .Benedictus. tem muita gente branca. Adiante destes morros fica o Corrego dos Olhos d'A- Çua ou Lagoa Secca . pedragosos. Existe aqui hum Mestre pu blico de primeiras letras. Tem iã ruas e 2o7 casas. e a Igreja de JV. e apeando-me á porta da igreja . e ás 6 horas e meia cheguei ao Arraial de Trahiras. c o sobredito Vigario hospedou-me á sua mesa mui rica e servida delicadamente. terreno baixo a pouea distancia de varios montes.

1. Foi mui rico em ouro . perten eentes aos Arraiaes de Trahiras. que he de difficul- tosa extracção no tempo presente. em numero de 456 praças. ferro . O Padre Vi gario da Vara e Paroquial oftereceu hum esplendido jantar a 5o convidados. i<j& cabas. á musica vocal e instrumental . S. e em vanas grutas estupendas stalactites. — QUARTA FEIRÁ. assi<* tindo á festividade toda a gente limpa dos Arraiaes do Jul gado. M. — domiHgo. . e variai bandas de musica correrão as ruas do arraial. José. existem muitas montanhas escalvadas. em que ha paradas geraes em todo o Imperio. e sris de infanteria de segunda linha. o hum delicado serviço de chá. e achei gente melhor do que cu esperava. Agua Quente. anniversario do nasci-' mento de S. devendo reunir-se no dia 19. fui examinar a contextura do terreno adja cente . L . . dou varias descargas de fusilaria. l5 DE OUTURRO. — sibbado. ma lacacheta ou Vidro de Moscovia (Mica) . M. M. Tem muito ferro. e outros do costumo : á noite houve iUuiíiinação geral. Dê» rão-se os vivas a S. M BIO Dl tlWBIRO AO PARA. Estabeleci o hospital juntô a ponte . -18 de outubro. • Santa Rita . — Hoje pela manhâ chegôo ao Arraial de Trahiras a tropa de primeira linha que ha de seguir para o IVorte da Provincin. que no centro do Brazii se festejarão os afines de S. e aquartelei os soldados na Casa dô Conselho desté Julgado. * * 11 be outubro. De tarde passei revista a duas companhias de cavallaria. — Celebrou. e a gruta que fica i '/« legoa distante do arraial. —' NoS dias iS 6 l4 deste mez tratei do arranjo dos livros das companhias da se gunda linha. I. O Distiicto de Trahiras e suas dependencias he hum aggregado do serranias recheadas de mincraes de dilFe- rentes qualidades.se hoje Missá cantada e Te Deum. Foi por este modo bem humilde. A tropa da primeira e segunda linha . Vejo poucas matas .

Hj6 . e o con servar a roupa molhada durante e depois das marchas. » ITINERARIO cal. que he a melhor que tenho en contrado na Provincia : he de madeiras excellentes. Nos terrenos baixos e apaulados poucas são as pessoas que deixão de soffrer differentes enfermidades. — sabrado. Atravessei logo a bella ponte do Rio de Trahiras . e este ás 7»horas e '/f• Depois deste íica o Corrego do Buriti com ponte. As lebres intermittentes atacão a maior parte das pessoas que transitão pelas terras ao Norte de Goiaz . acontecendo o con trario nos que são regados pelas aguas que vão ao Rio da Prata: por ora não posso formar juizo a este respeito. e 2o de largura. Sitio da Vendinha. As chuvas copiosas. por que tenho encontrado muitos enfermos tanto nos rios que correm ao Sul como ao Norte. 18 de outubro. Ficão tres soldados com sezões no hospital. são provavelmente as causas das sezões que padecem os viandan tes. sahi do arraial acompanhado por todas as pessoas distinctas que quizerão obsequiar. providencias a respeito da tropa da segunda linha do Julgado de Trahiras . — No dia 17 deste mez dei as ultimas. — A's 7 horas da ma nha sahio deste arraial a tropa de primeira linha que segue para o Norte da Provincia. Adiante della fica o Corrego de Maria Josefa em que não ha ponte : logo depois os Corregos do Cigano . e argilas diversas. e na manhã do 18. ás 6 horas c 35 minutos. e terá talvez 2oo palmos de extensão. 16 de outubro. malacacheta. A's 6 horas da tarde che garão as bagagens da tropa que marcha para o Norte.me. limite des Freguezias e Districtos militares de . 2 £ legoas. e o da Cruz que se unem: o ultimo tem ponte : aquelle foi atravessado ás 7 horas . e di- zem-me que nesta Provincia os terrenos regados pelos rios que vão para o Amazonas são doentios. — quinta feira.

José para a Vendinha não são. Ao meio dia houve huma fortissima trovoada perpendi cular. miseravel habitação . das pa redes. José dos Tocantins . e Serra das Violas com huma brevidade extraordina ria. hum bom Templo de S. por se achar enterrado entre montanhas . José. e na sua margem esquerda o Sitio da Vendinha. e ornamentos preciosos : tem sete al tares. etc. e ás 4 horas e 12 minutos o Corrego da Gertrudes ou Maria Alves. DO RIO DB JANEIRO AO PARÁ. e são acompanhados de immensas aguas. O Capitão Commandante Antonio Caetano da Fon seca fez-me a honra de me convidar para hum bom jan tar. José . O arraial tem 223 ca sas. e estão cobertos de arvoredo. varias ruas calçadas aos la dos . e passei logo o Corrego do Lavapés que banha o arraial ao Norte. onde pernoitei na minha barraca. A's 5 horas o Corrego do Joaquim. frizos . e além disso extremamente falto de aguas no tempo secco. Junto a elle fica a aspera Serra de S. depois deste o Cor rego da Chacara muito pedragoso : segue-se o Corrego de José de Mattos. pela maior parte humildes. A's 4 horas e 35 mi nutos o Corrego de Ignacio Pinto. Todos estes corregos entrão na margem direita do Rio de Trahiras abaixo da ponte. Estes meteoros formão-se sobre as Montanhas de S. A's 4 horas e 25 minutos o Cor rego da Agua Limpa ou Agua Clara. a do Rozario com tres altares. 1 97 Trahiras c S. posto que atravessem terrenos montuosos . e junto a elle fica o Arraial de S. onde se conservão mui ricas peças de prata . A's 3 horas e 74 da tarde montei a cavallo . José . A's 7 horas e 35 minutos atravessei o Corrego do Barradas. . e boas dooraduvas nas cimdhas . Os caminhos de S. que se acha em grande decadencia na margem esquerda do Rio Bacalháo. he triste c melan colico . O arraial. José. asperos . e a da Boa Morte com hum. poisque o mesmo Rio Bacalháo passa-se então a pé enxuto. que tem huma grande ponte de madeira arruinada. Ha mais as Igrejas de Santa Efigenia .

e passei o Corrego das Lageas Grandes ou do Sipó. ao qual cheguei ás 3 horas e 3/í. Eu segui a estrada esquerda para o Rio Bacalháo. Dizem que as suas margens . e de pois deste o Limoeiro . o Jambo . O Bacalháo entra no Rio Bagagem 4 legoas abaixo do porto deste ultimo. que segue para o Arraial da Cachoeira distante 2 '/. — domingo. Adiante do Chico Mineiro fica o Corrego das Abobaras. — Sahi do Sitio da Vendinha as 2 horas e '/. o de pois delle o Corrego Grande com ponte. Passei a vao o Rio Bacalháo em lugar onde tem 8 braças de largura e 3 palmos de fundo. Eu segui a estrada da esquerda. 4 '/> legoas dis tante dr Arraial de S. e outro * Os quaes entrão na margem direita do Rio Bacalháo. Thomé. e ás 5 atravessei o rio em huma pequena canoa: tem 16 braças de largo e 13 pal mos de fundo por ir cheio. 5 legoa*. José entrão na margem esquerda do Rio Bacalháo. Antes de chegar ao Corrego de descobre-se por entre hum cordão de morros o Arraial de Santa Rita. A's 4 horas e % cheguei a mar gem esquerda do Rio Bagagem. l'a manhã. José. ia8 ITJKEBASIO Córrego de l. o Mistiço . le goas. e S. '■ ' - 19 os ouTCRno. Este arraial fica meia legoa distante do Porto da Passagem do Rio Bagagem } e tres legoas ao Oriente do mesmo Arraial de Santa Rita acha-se o An aial do Moquem . * este ultimo nome ao Corrego Grande. Passado o Rio Bacalháo fica á direita a estrada que vai para o Arraial de Santa Rita.uiia Gomes além do Rio Bagagem. Passei o Corrego do Francisco ou Chico Mineiro. Neste lugar fica huma estrada para a di reita. Este váo he abaixo do lugar onde se passa em ca noa. Algumas pessoas dão o nome de Estiva ao Corrego das Abobaras. Todos os corregos desde o Arraial de S. hum quarto de legoa á direita da estrada que eu sigo. com o famoso Santuario da Senhora da Abbadia.

braço do Luiza Gomes. — Deixei a margem esquerda do Corrego de Luiza Gomes ás 2 horas da manhã.uem-se os Corregos do Capitão do Mato. — segunda feira. ficão montanha». entrão no Bagagem acima do porto. que aqui tem duas pequenas casas aos lados da estrada. que fica hum quarto de legoa dis tante do rio . assim como os que ficão adiante. e logo depois o Rio To cantins. Este corrego entra na margem direita de Bagagem abaixo do porto. e valles ! profundos. Sej. e Barreiro que se unem e entrão . O ferren» da marcha de hoje he medianamente bom a Oeste de ba ma cordilheira aspera. Como o terreno he muito baixo. onde serpenteião muitos regatos . Aqui recebi car ta* do Norte confirmando' as noticias antecedentes. levantei barracas. e o da Raizama. nome do passador da canôã. Passado este.èio em consequencia das chuvas. que correndo para a direita Au Oriente . e habitão dous soldados encarregados dia cobrança do pagamento da passagem. Elle tem 3o Iffaças d« largo. »o de otTtRRo. CO RIO DE JANEIRO AO PARA. Passei em huma pequena canoa para a margem di reita. Não ha situação mais me lancolica do que as margens' do Rio Tocantins. e"vai muito cl. mrtKo a tas. 1 99 sae muito doentias. Passei os Correyos de Manoel Rodrigues. o doDioqjo^ dous da Porteira que se unoai com o Pindaiba. Rio Tocantini . X j legoas. c passando o Corrego de Luiza Gomes. segui para hum lugar elevado. junto ao ulti mo dos quaes existe hum rancho. desfiladeiros extensos. onde pernoi tei debaixo de pesadissimas chuvas e trovoadas. Depois do Rai zama fica o Corrego do Serra . onde eheguei ás 7 horas. mas no prolongamento da estrada . . Estes corregos suo em ordem seguida. e arrafrehei-me no barracão ou ramada ertí que se re colhem os viandantes. na margem esquerda do Rio Tocantins abaixo do porto.

que unidos. — TERÇA feira. o Rio Maranhão. . braço do Ribeirão do Frade. — Sahi do Rancho do Tocantins ás 7 horas da manha : passei logo o Corrego da Justa. o Páo Torto . Este Ribeirão da Gameleira acha-se mal . e algumas na margem esquerda. Di zem que o Rio Tocantins recebeu o nome de huma Tribu de Indios assim chamada . Tem havido im- mensas chuvas e trovoadas. Na margem direita do Rio To cantins existe hum pequeno sitio pertencente a hum dos soldados do Registo da Passagem. e fica hum tiro de espin garda a Oeste do Rancho do Porto . o Jahó e o Ribeirão das Bexigas em que entra o precedente. que unidos entrão na direita do Tocan tins. en- trão no rio a 1'Este do sitio.'iOO ITIMJIURIO Abaixo do Porto do Tocantins ha huma Pinguela em lugar mui estreito e apto para se construir huma boa ponte. tinha o nome de Pará Upeba. desde a sua origem na Lagoa Formosa ou de Felix da Costa . Nos antigos roteiros. 4 legoas. mas he certo que os descobri dores Portuguezes do seculo XVII davão o nome de To cantins ao grande rio que se perde no Amazonas. adiante a do Soldado . até a confluencia do Araguaia . Depois deste fica o corrego denominado Cabeceiral da Gameleira . e o Funcho. muitos an- nos antes de se descobrir aquelle que eu hoje atravessei. Erão 8 horas quando atravessei o Ribeirão do Frade . e ás 1o horas cheguei á margem direita do Ribeirão da Gameleira onde existem 1 a pequenas casas espalhadas. que entra no Tocantins : he caudaloso e cheio de grossas pedras em que os cavallos passão com muita cautela. Aqui achei á venda algumas gallinhas e leitões. Depois deste fica o Almecega . « • Sitio do Guara . ai de outubro. entre o qual e o mesmo sitio se atravessão dous pequenos corregos.

c prestou-me bastantes ser viços afim de atravessar o Rio Preto que vai muito cheio. e por isso atravessando o Gameleira Grande ás 1o horas e meia . — sexta feira. i Sitio do Suçuapara . A's 8 horas e 35 minutos da manha montei a cavallo . delibcrei-me a passar avante a promover meios de transportes . Elle corre d'Oeste para 1'Este . que fica junto a fóz do Gameleira Grande. andando até aqui 9 legoas e '/» Na sobredita pequena canôa embonada 26 . e para o váo. acompanhadas de fortissimas trovoadas. havendo posto os caminhos intransitaveis . »<5 RIO DE JANEIRO AO PARA. passei hum corrego . Entretanto os rapazes moradores do sitio preparárão huma pequena canoa embonada com molhos de tacuaris para eu atravessar o rio em hum lugar abaixo da passagem geral na distancia de huma legoa. 4 j legoas. c cheguei á margem do Rio Preto ás 1 1 horas e meia. obrigár5o-me a estar no Sitio do Guará até ao dia de hoje. e os rios invadiaveis . BOI lançado em todos os mappas. atravessei quatro corregos ou torrentes bastante volumosas por causa das chuvas que ainda continuão . Felix passando o Rio Preto. e deixando á direita a estrada que vai para a pas sagem geral. e recebe na sua margem direita o Ribeirão da Cabeceira da Gameleira incorporado com os que já Itcão designados. em cuja margem esquerda existe hum sitio do mesmo nome: o proprietario fez-me o maior acolhimento . Na sobredita margem direita do Gameleira ou Gameleira Grande começa a estrada que vai para o Arraial de S. — As pesadas chuvas. e ás 1 1 horas e '/4 cheguei ao Corrego do Guará. 24 de outubro. Este Rio Preto nasce na chapada dos viadeiros. Como eu encontrei a Tropa aquarte lada no Sitio da Gameleira por não poder avançar em razão das cheias dos rios . e levou a canoa da passagem pela agua abaixo.

A marcha de hoje foi por terrenos' planos e de poucas matas. e de pouco declive. e cheguei ao sitio do mesmo nome ás 5 horas e 25 minutos: he miseravel. Dizem que as suas margens são doentias . A cor da agua do rio parece preta por causa da sombra das grossas arvores de que as margens estão povoadas. e pertence a Joaquim José de Brito. O Rio Preto entra no Maranhão. e sahi á estrada geral no Sitio das Laginhas a 1 hora e 4o minutos. e ahi me demorei até chegarem as bagagens dos Officiaes que me acompanhárão. e da Ga meleira por saber que até ao Arraiul de Cavalcante nada hei de encontrar. Os proprie tarios do Sitio do Guará deixárão-me extremamente obrigado pelos muitos incommodos . A's 3 horas e % montei a cavallo . acontecendo outro tanto ás pessoas que me acompanhavao.4o2 1TINERARIO atravessei o rio com felicidade aos % depois do meio dia . Este sitio mui ■ pequeno e miseravel. e ás 4 horas e '/. e felizmente eu vinha abastecido do Pouzo do Guará. A canoa não podia transportar de cada vez mais de hum homem além do remador. que não fica mui to longe da estrada . A 1 hora da tarde montei a cavallo . fui seguindo a margem direita do Corrego da Suçuapara . Teve ponte que cahio no anno de 1784. atravessei quatro corregos. e nelle adoeceu hum Soldado. Passado este ribeirão. . e he de barrancos altos : apezar das gran des chuvas não tinha corrente muito forte em razão de passar por terras planas . pertence a Manoel Dias Machado. O Rio Preto no lugar em que passei terá 20 braças de largura . Nesta casa nada pude comprar para comer.[ cheguei ao Corrego Fundo o qual leva muita agua. na margem direita do Rio Preto . e não soçobrar. atravessei tres corregos. Rlles não quizerão receber de mim recompensa alguma pelo immenso trabalho que tivêrão. e perigos a que se expuzerão atravessando muitas vezes o rio a nado para segurarem a canoa a fim de não perder o equilibrio . e inclinando-me para a direita. e a nossas bagagens.

e escalfada que fica á direita da estrada desde o Rio Moquem para o Norte. e por terrenos poucos asperos : cheguei ao Rio Moquem á. • aã de outubro. 8 legoas. He huma das subidas mais aspe ras que tenho visto : em alguns lugares ha grandes saltos perpendiculares de penedia solida. Arraial de Cavalcante . encanta aos olhos do vian dante. e em . clara . continuação da dos Montes Claros ou vice versa. e terá 1 2 braças de largura . e a extensão do terreno que se sobe será de meia legoa. Eu avaluo a altura da Serra o11 do Tombadouro em 5oo braças perpendiculares.s 4 ho ras e 1 o minutos : terá 6 braças de largura. e de rochas soltas que obstruem o estreito trilho por onde se passa. O Tomba- donro está rodeado de immenso arvoredo . A's G horas e 4o minutos cheguei ao Rio dos Montes Claros assim chamado por causa da Serra cris- tosa . A's 8 horas encontra-sc hum corrego pequeno. A agua do rio cobria os cavallos: he a peior passagem que tenho encontrado. — Debaixo de chuva copiosa sahi do Sitio da Suçuapara ás 2 horas e Y4 da manhã . 11o RIO DE JA1VEIRO AO PARÁ. Este rio dos Montes Claros vai muito cheio . Observei aqui hum phenomeno admiravel. e a cada passo se encontrão torrentes que se precipitão em bcllissimas cascatas. e 6 palmos de fundo no váo em que o atravessei. — sabrado. A's 9 horas e 2o minutos cheguei ao alto da serra : nada he mais bello do que ver deste lugar a vas tissima planicie que fica ao Sul e a Oeste desde as mar gens do Rio Preto. Abaixo da serra cahia chuva em torrentes. e de passagem diflicultosa e arriscada. cheio de rochedos. c logo se começa a subir o Tomba- douro ou Serra de Cavalcante. fundo de lageas. A immensa profundidade em que fica esta planicie que além dos rios que a ãtravessão está cheia de lagoas formadas pelas chuvas.

O arraial he regado de copiosa agua que vem da Serra de Santa Anna. O arraial está collocado na chapada que co. que o filão do metal que desappareceu ou terminou quando menos . Tem huma Companhia de Cavallaria . Este terri torio em que vou entrando parece outro Mundo. Felix. e Cadêa . a Igreja Paroquial de Santa Anna com tres altares. Logo que se chega ao alto da serra continua a estrada pelo meio de elevadis simas montanhas . S. boa gente . Vai decahindo consideravelmente desde que no anno de 18o7 se extinguio a casa da fundição que para aqui fora mudada em 1796 do Arraial de S. e a atmosphera muito mais clara.* meça nas abas das Serras de Montes Claros. e a pouca distancia para o Oriente está hum morro a que dão o nome de Encantado por suppôr muita gente. o Capitão Commandante do Districto Joaquim Rodrigues . e máos Officiaes. e junto a elle fica hum grande penhasco cris- toso donde se tirou huma prodigiosa quantidade de ouro. No fim do desfiladeiro da Serra encontrei a Companhia de Çaval- laria da segunda Linha do Arraial de Cavalcante. Eu cheguei ao arraial ás 1 1 horas atravessando junto a elle o Corrego do Lavapés. e passa por ser o mais saudavel lugar da Provincia de Goiaz. e vai insensivelmente descendo até ao Rio das Almas onde principia outro systema de montanhas. buma grande praça . e a do Senhor do Bom-fim. o ar ho muito mais frio. até sahir ao Chapadão de Cavalcante. e as mais distinctas pessoas do lugar que quizerão obsequiar-me acom- panhando-me até a Igreja onde fui recebido com as attenções com que tenho sido honrado nos outros lugares. do Rozario. He Cabeça do Julgado . e duas de Infanteria de segunda Linha . a de N. o Reverendo * Vigario Francisco Joaquim Coelho de Mattos. pequena Casa de Conselho. Santa Anna e Orphãos . que aqui formão hum desfiladeiro em zig-zag . Tem 1 o7 casas quasi todas humildes . 9o4 ITINERARIO cima da serra estava o terreno secco.

fundição que se achão muito estragadas. — Recebi hoje participação de Goiaz . . — Hoje marchou para o Arraial da Na tividade o Capitão Theotonio José da Silveira Pinto com 44 Oificiaes. — O Major Seixo que já se achava em Arraias quando recebeu a minha ordem para regressar a Cavalcante . O Major Manoel Seixo de Brito seguio para o Registo do Duro onde vai commandar. 18 de novembro. BO AIO DE JANEIRO AO PARÀ. e encha de riquezas o arraial. Deputado da Junta do Governo Provisorio . 6 de novembro. e Soldados Dragões e Pedestres a fim de se reuni rem ás outras praças que se achao em diversos arraiaes . Em consequencia expedi ordem ao Major Seixo para se recolher logo a Cavalcante. pôz-se hoje em marcha para Goiaz a tomar . acha-se encantado até que venha algum mineiro predestinado que o descubra . e leva comsigo dous Cadetes de Dragões. e os Oificiaes e Cadetes nas casas dos seus amigos do arraial. Os OÍTiciaes Inferiores . e obstarem a separação que alguns moradores pretendem fazer na Provincia. 26 de outubro. acerca do repentino fallecimento do Major Graduado Ma ximiano José Raimundo. pondo independente da Capital a Co- • marca de S. 2 de novembro. e em varios Quarteis em que forão accom- modados. João das Duas Barras. informou me circunstanciadamente a este respeito. Luiz Gonzaga de Camargo Fleury. — domingo. O Sr. e Soldados aquartelarão-se nas casas da extincta. — Hoje ás 5 horas da tarde chegou a este arraial toda a Tropa de primeira Linha que veio comigo de Goiaz. Huma escassez de mantimentos que se soíTre no Districto dc Cavalcante obrigou-me a mandar convidar os lavradores a trazerem gado . Tambem chegou hoje o Sr.JOÍ e csperavão . e farinha para subsistencia da Tropa. legumes . Deputado Luiz Gon zaga vindo do Norte.

As Serras de Cantagalo. principalmente os de cor branca . grez. Nao se pôde fazer idéa da 3atisfação com que este Official recebeu a noticia de ir para a Cidade : isto procede do horror com que os habitantes do Sul da Provincia olhão para as terras do Norte . algumas de mineral de ferro . não obstante ser por muita gente havido Como hum intrigante e estouvado. que elles reputão as mais insalubres do universo. etc. Bom Bocado. e mais povoada de escravos. O Major' Alexandria que se . Comigo nunca foi huma nem outra consa. assim como o Furriel de Dragões Simão de Souza Rego e Carvalho que he o homem mais aproveitavel que comigo serve . REFLEXÕES acerca da Provincia de Goiaz desde a Cidade Capital até ao Arraial de Cavalcante. O Districto da Cidade de Goiaz he huma enorme massa de montanhas graniticas. 19 de novembro. etc. Uo6 ITINERARIO o commando do Regimento. mui tos morros de argila vermelha. tem-me subministrado muitas noticias interessantes . e talvez de homens livres. eu devo acerescentar algumas reflexões que melhor hão de satisfazermos leitores curiosos.acha neste arraial lamentando o seu cha mado desterro no inferno . Felix para este arraial. — Dei hoje principio á composição de huma Corographia Historica da Provincia deGoiaz. Estas montanhas dispostas em cordilheiras mais ou menos extensas recebem diversos nomes . e Caba . e das suas entranhas rebentão copiosas tor rentes d'agua. para conduzirem mantimentos de Tra- hiras e S. / Ainda que pelo meu Itinerario »se pôde formar juizo do miseravel estado a que se acha reduzida a Provincia de Goiaz • que em outro tempo foi muito mais rica em ouro . e em edificios. Tambem expedi hoje gente e bestas.

sobre tudo quando ha sêcas rigorosas em que os Rios do' Peixe. BO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. e S. e dá nascimento aos Ribei rões do Carretão. Tudo quanto fica nas proximidades da estrada h*e deser to. Dahi em diante marcha-se por hum chapadão atravessado por corregos pe quenos cujas fontes estão na Serra da Canastra. O deserto que fica entre o Sitio do Queiroz . Aqui começa a Serra do Carretão que fica a Oeste da estrada do Pilar . Estes miseraveis vegetão á sombra da sua ociosidade. Crixas grande . e as vezes o Districto do Julgado de Crixas . e da indifferença com que o Governo os trata.de proposito a visinhança de lugares frequentados por passageiros. e que rem ter as suas plantações em Valles fornecidos de matas . Patricio c Carretão çozão de creditos de salubres : não acontece porém assim ás do Maranhão em que o braço humano ainda não fez o mais insignificante esforço para augmentar as producções agricolas que se lhe tornao indispensaveis. Os moradores deste lugar culti- vão varios generos de alimentos com que abastecem o Arraial do Pilar . e de aguas bastantes para o trabalho dos seus moajollos. que se perde no Rio das Al mas. Tesouras . e pequeno perdem as suas aguas nos fundos arenosos de que os seus leitos são compostos. e apezar da experiencia lhes mostrar que a extracção do ouro he de . que apenas cul- tivão quanto julgão necessario para não morrerem de fome. porque a maior parte dos moradores evitão. As margens dos Rios de S. 9o7 saco fornecem as ribeiras que eu atravessei desde que sahi da Cidade até a Mata de Alexandre Affonso. e a Aldéa do Carretão he abandonado tanto pela falta de agoas como pela proximidade dos Indios da Aldêa. A»* vistas de todo o povo estão postas na mineração. He tão grande a repugnancia que a gente destes lugares mostra á agricultura . PatrIcio cujas margens lem alguns sitios até ao Rio das Almas. A pequenez destes corregos prova a proximidade da serra cujas vertentes orientaes cahem no Rio Uruhú.

feijão. e muita gente ha que vende alguns generos comestiveis para acudir a outras maiores necessidades . O Pa dre Vigario de Trahiras. Os Rios de Trahjras e o Baca . • Ainda que o terreno entre o Rio Maranhão . O povo espera pela providencia . a falta de provisões he enorme . e o Tom- badouro de Cavalcante seja ouriçado de altas montanhas. disse-me centos de vezes diante dos seus patricios e paro quianos . ficando muitas vezes sem terem hum grão de milho ou de farinha para se alimen tarem. assim mesmo esperão descobrir tesouros encantados. de fructos silvestres . e muitos individuos existem que durante a maior parte da sua vida alimentão-se. Que.aoS ITINERARIO difficuldade insuperavel aos fracos meios dos habitantes . e alguma caça que apanhão em armadilhas. José são os ultimos em que se encontra abastança de mantimentos : d'ahi em diante a penuria he muito grande. A preguiça he extre mamente grande. homem instruido e muito abastado. miserias soffrem os moradores dos sertões de Goiaz . e as gallinhas fogem delle por não o conhecerem. e mandioca . não haveria huma ave ou huma rez para vender e comprar. nem por isso o nivel das estradas he muito desigual. Os Arraiaes de Trahiras e S. O grande numero de rios cau- daes que ha no pequeno espaço comprehendido entre os Ar raiaes de Trahiras e o Tombadouro de Cavalcante provão. como na cultura do milho. palmitos de guarirobas .a existencia de muitas serras. Poucas vezes se encontrão subidas e descidas altas : os caminhos são pelo fundo dos valles formados pelas serras ou morros e por isso são mui tortuosos. ou matão a espingarda. a infernal preguiça he quem os mata. que se os habitantes de seu districto tivessem tanto trabalho na criação de gallinhas. porcos e bois. os cavallos quasi todos não rece bem ração de milho . no meio de terras as mais ricas e fecundas de todo o Universo ! A preguiça .

Não vi 27 . o Bagagem . O Frade . 2o0. e fragmentos das alta* serras que nos cercão por todos os lados : calháos . annús . posto que ouvisse cantar algumas seri-emas no arraial em que me acho. Os terrenos con tiguos a Cavalcante parecem-me de aluvião . quartzo. cristal. Repugna aos principios geologicos o suppôr que a natureza formou serras semelhantes ás mu ralhas insuladas . barro vermelho s e de outras cores! He notavel a pouca largura das serras : a de Santa Anna conti gua ao Arraial de Cavalcante. nem emas . o que he a continuação da de Montes Claros. e S. e por isso vejo-me obrigado a suppôr que as chuvas durante hum immenso periodo de seculos tem arrastado as terras que tíobrião estes esqueletos aridos lá para a fóz do Amazonas onde se tem formado a Ilha do Marajó . e por conseguinte o chapadão em que esta o arraial talvez se acha de nivel com o ponto culminante onde nascem os Rios das Almas. urubus. Bartolomeu que unidos em hum corpo com o nome de Rio das Almas corro em hum valle ao Norte do arraial. o Tocantins . Os Rios Claros. Do alto do Tombadouro da Serra de Cavalcante para o arraial deste nome desce-se muito pouco. Montes Claros. araras e tucanos são immensos. parecem muralhas a prumo ou esquele tos de que se tirou a terra. Almas e outras . Almas e outros podem talvez haver assim descarnado as serras contiguas a Cavalcante. e o Montes Claros levão tanta agua que podem ser navegaveis. Reparei que durante a marcha que fiz desde Goiaz até Cavalcante não encontrasse huma perdiz . papagaios. ^ 1)o RIO DE JANEIRO AO PARÁ. e talvez essas terras baixas que vão ainda além do Aronoque. e continua para a do Orphãos. o Moquem . Bom Jar dim . Iháo são navegaveis durante a estação das chuvas na maior parte da sua extensão . joão-de-barros . acon tecendo isto mesmo ao Gameleira Grande. e o Preto são sempre navegaveis. andorinhas . Os pica-paos .

e até por fortuna nunca encontrei cobras. excepto dentro do Arraial de Caval cante em que são tantas. e ha muito pouco gado e aves domesticas de todas as qualidades : o que se consome vem quasi todo das*" fa zendas do sertão do Rio Paraná^ Algumas rezes criadas nos sitios proximos deste arraial comem certa erva que com- munica hum gosto extremamente amargoso á sua carne. nunca vi porcos bravos. que foi cortado na vespera do dia do noivado : disserão-me que he assim costume do sertão. que até andão por cima dos telhados. outro tanto posso affiançar acerca do Comman- dante. e muito pouco cavallar. OTabellião do Julgado ensina os meninos a ler eescrever. Durante o tempo em que aqui me conservei mostrárão hum comportamento tão regular que nunca tive motivo de me queixar. talvez por motivo da aspereza das serras . melhor do que se devia espe rar. Aqui ha muita gente branca. achei-as pouco instruidas em letras . mas de sentimentos honrados : . e dias-santos .aio itineuark» • nem senti sinal de onças vivas : encontrei rarissimas veies algum veado. e mais pessoas distinctas. Duraute a minha residencia neste arraial houve o casamento de huma senhora branca com hum fa zendeiro do sertão : ella tinha hum bellissimo cabello louro. e nas molestias de pelle. Romão e Brejo do Salgado. Recebi neste lugar visitas de grande numero de pessoas dos anciaes do Norte . contentando-se os mais abastados moradores com a criação do gado vacum . Não vi carros . Na Serra das Almas existem aguas mi- neraes que são uteis nos rheumatismos . mas a agricultura acha-se em abandono. paralysias . O Padre Vigario he de exceHente caracter . Aqui ha poucos teares d'algodão . e o maior negocio que se faz he com a Cidade da Bahia pelo Sertão de S. Devo dizer duas palavras a respeito dos moradores deste lugar. Pouca gente frequenta a Igreja nos Domingos . principalmente os que habitão nas roças. e os pardos são bem educados .

que formão hum circulo mais radiante . e mais selvagens: chamão-lhes . os quaes na verdade não são mais grosseiros do que a maior parte dos habitantes da Comarca da Cidade. e rivalidade que de ordinario subsiste entre os povos da Capital que governa. 31 1 todavia a maior parte do poro he inimigo da gente . Santa Luzia. existem muitos ccclesiasticos .íp£ Sertanejos. e ainda mesmo da Cidade : os habitantes do campo ou roceiros são tão instruidos . e muito principalmente nasce do ciume. industriosos . e morigerados na Comarca de S. Esta opinião offende o amor proprio dos Nortis tas . Bom-fim. e em Meia Ponte existem muitas pessoas mais instruidas do que nas terras do Norte : na Cidade conservão-se todos os Esta belecimentos Publicos. Os moradores de Trahiras. João das Duas Barras como na de Goiaz. José. Na escalla da civilisação destes povos a differença he quasi impercepti vel . e os das terras que sao governadas. mas sim grande mal. que segundo dizem nunca lhes fizerão bem .sados do que os dos Arraiaes de Santa Cruz. SO AIO DE JANEIRO AO PARÁ. Jaraguá. pôde ser que isto proceda das relações commerciaes que tem havido com a Provincia do Pará. Meia Ponte. Eu penso que nas suas queixas houve exageração e persuado-me que tanto ressentimento procede de cuidar o Governo de Goiaz de receber aqui as Rendas Nacionaes. A gente da Comarca de Goiaz suppõe que os habitantes da Comarca do Norte são menos instruídos. Eu uão acho difTerença entre huns e outros em as identicas classes da sociedade. e consumi-las na Co marca do Sul. e talvez tomando em consideração o abandono em que o Governo tem a Comarca do Norte . e os seus empregados. os habitantes della hajao dado maiores passos para a civilisação do que os moradores da de Goiaz : pelo menos eu achei-os muito mais aceiados. Não devo escu recer que na Comarca do Sul principalmente na Cidade. S. e Caval cante não são menos civil. e ainda mais dos governantes da Comarca de Goiaz.

e invadiaveis a maior parte dos rios que eu hei de atravessar . dei ordem para. algumas aulas maiores e menores . principalmente milho para os cavallos e bestas de bagagem . induzirão-me a conservar o meu Quartel General no Arraial de Cavalcante.212 ITINERARIO sabios. todo o povo está prostrado de sezões ma lignas. e sobre tudo nas margens dos rios e corregos. e sobre tudo de milho para rações dos cavallos . tendo mandado recolher para Goiaz o Major Alexandria que por muitos mezes foi hum excellente e honrado camarada de viagem. os mezes de Novembro de 18a3 até hoje. c zeloso da sua e minha conservação . tanto por não haverem soffrido grandes incommodos pela minha assistencia . que durante. apenas vio-se o enterro de hum menino que soffria febre convulsa . probo. Continuação das minhas marchas na Provinda de Goiaz. scxta feira 7 de Maio de 1824. Os moradores de Cavalcante mos- trárão sentimentos de desgosto por occasião da minha partida. o que não acon tece na Comarca do Norte. a extraordinaria escassez de mantimentos . e a da tropa 11o arraial . ao mesmo tempo em que d'aqui a meia legoa nas margens do Rio das Almas e seus confluentes . e febres biliosas. as minhas bestas de bagagem se porem promptas a marchar para os sertões do Norte. que pela sua elevada posição he tão sauda vel. As chuvas copiosas que durante os mezes de Outubro até ao principio de Abril do anno de 1824 tornárão intransi taveis os caminhos . e duas ou tres pessoas que vierão doentes de fóra do arraial . as molestias que têm grassado em todos os lugares planos. como por inte . traba lhador. Tendo por tanto tomado as minhas medidas acerca da marcha que devo fazer por districtos absolutamente faltos de generos comestiveis de certas qualidades .

e sempre quizerão servir-se da minha mesa qui nada tinha de lauta. Qjando eu cheguei a Cavalcante ds fructas silvestres. ficárão algumas de tal modo bravas . assucar . Eu não fui daquelles que mais soffri : o Reverendo Vigario o Sr. quando chegárão ao arraial para se ajustarem as car gas fizerão toda a sorte da desordem: huma quebrou as per nas . mas no dia imme- diato ao da minha entrada no arraial. e os meus amigos do arraial consolavão me dizendo que a culpa fòra minha por ter mandado dar ração de milho ás bestas ! O tropeiro para desculpar a sua incuria tambem se aprovei tava da mesma razão apontada poios moradores de Cavalcante . Desde que cheguei a Cavalcante foi a minha tropa (bestas de bagagem. a tropa foi obrigada a comprar as cousas mais insignificantes for preços mui caros : os generos comestíveis vendião-se pelo triplo do seu antigo valor. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. 7 de Maio. e a sustentar a gallinhas e carne de porco carissimas os Officiaes que me acompanhavão. ete. boas vélas de cebo . a hortaliça. em conclusão os habitantes do arraial souberão apro veitar. e mais alguns generos: as mi nhas grandes despezas forão em carne de vaca . A falta de duas bestas muares no sertão he materia de consequencia . etc. e o toucinho subirão a preço? quadruplos do seu ordinario valor : muitas vezes cheguei a não ter hum grão de milho. e como o tropeiro se descuidasse de empregar todas as bestas muares em serviços revosados.se. e cavallos de montada) para hum pasto a que chamão — Invernada — . não se vendião por falta de compradores . lenha. arroz e milho : este ultimo artigo. toucinho. cu quasi não lhe achava remedio nem meios de substitui-las . Francisco Joaquim Coelho de Mattos tomou a seu cargo o obsequiar-me constantemente com farinha de trigo. 2l3 resses pecuniarios que lhes resultavão da circulação de grossas quantias de dinheiro que ali entravão. e outra ficou deseadeirada. que no dia de hoje .

e tres Soldados de C avallaria . 6 J legoaf. e ahi mesmo da parte de S. que fica junto ao arraial e vai metter-se na margem esquerda do Rio das Almas. Depois de atra - vessar o Corrego do Lavapés. pelo Furriel e dous soldados de cavallo. que vem unido ao Rio das Pe dras . Continuando a marcha encontra-se o Corrego do Cri minoso. con- flue o Rio de S." em que existe huma grande cataracta. e quatro cavallos de carga . — Ao meio dia sahio a minha bagagem. c ás 3 horas e 3/-í da farde puz-me em marcha acompanhado pelas pessoas mais distinctas do arraial. além do tropeiro e dos meus escravos. Acompanhão-me na minha jornada o Furriel de Dragões Simão de Souza Rego e Carvalho . Antonio . E. hum Cabo . Bartholomeu. 1824. O rio tem huma pequena ilha no meio do seu leito . Fazenda de S. O sitio está meia legoa a Oeste da es trada. . o qual tem 2o braças de largura no lugar da passa gem em que ha p*ouca agua. — 7 de maio. eu perdi duas mulas quando maior precisão tinha dellas . assim como o das Almas traz comsigo o Rio de Santa Anna . Consta pois a minha tropa de seis mulas . além dos cavallos de montada. — sexta feira. vai entrar na direita do Rio das Almas. Passado o Rio das Almas fica em huma elevação á esquerda o Sitio de Fran cisco Xavier de Mattos na fralda da Serra do Bom Jardim que corre ao Norte. marchei por bons caminhos sempre descendo para o Norte por espa ço de meia legoa até chegar á margem esquerda do rio so bredito. e quatro Pedestres. que unido a hum braço seu chamado Buriti que tambem se passa .9l4 ITINERARIO que por não terem milho conservão sempre a pasto os seus fraquissimos animaes : em fim . e vi-me obrigado a comprar quatro cavallos para conduzirem os volumes que aquellas havião de transportar.

tendo andado 2 % de legoa desde o Sitio da Agwa . o qual nasce em huma pe quena serra que se atravessa antes de chegar ao mesmo Gam bá . hum quarto de le goa a Oeste do Rio dos Bois. primeira cabeceira do Ribeirão dos Bois sobre a estrada . 1)o 111o DE JANEIRO AO PARÁ. onde se paradamente se perde o referido Corrego do Leite. S. o dos Ciganos ou Pedras de amolar . hum quarto de legoa distante da margem esquerda do Ribeirão dos Bois. e na sua margem esquerda a Fazenda de S. e por isso he atravessado cinco vezes na estrada. Antonio . e huma legoa e meia a Leste da Serra das Almas. Paulista. Conti nuando a marcha fica o Corrego do Sobrado.. outro Mosquito. que aqui me esperava e hospedou com toda a os tentação. e os caminhos até aqui são pelo meio de morros muito pedragosos. que fica duas legoas distante do arraial. em cuja margem esquerda existe o Sitio de Manoel Alves . e rico morador do Arraial de Caval cante. em cuja margem esquerda está o Sitio de Salvador de huma legoa a Oeste do Rio dos Bois. a saber : o Chiqueiro . e o Tacuara ou Bom Jardim que serpenteia . e apêei-me para descançar. Eu cheguei a esta fazenda a huma hora da noite . no qual se metlem pela margem es querda os corregos seguintes que tambem passei . Antonio. por ter muita grez desta qualidade. pertencente ao Ajudante de cavallaria José Joaquim de No vaes Dias. Depois do Gam bá passão-se os Corregos do Mosquito. e Agua Fria. legoas dis tante do arraial. A's 1o horas e 5 minutos da noite montei a cavallo e passei o Rio das Pedras. Depois deste fica o Corrego do Leite ou Capão da Onça. O Sitio da Agua Fria está na fralda da Serra do Bom Jardim . j■5 Adiante fica o Corrego do Gambá . Eu cheguei a este sitio ás 7 horas e meia da tarde. de crear gado . 3 '/. A casa da fazenda he pequena . onde ha Montes de aguas thermaes muito proveitosas. Caco. onde entrão todos os corregos a começar do Gambá.

cujo caminho de subidas c descidas de morros he hum pouco aspero. e mandioca. e o Bezerra ao Norte. 4 legoas. existem 4oo cabeças de gado vacum e poucos porcos. Leva pouca agua. que entrão na margem esquerda do Rio dos Bois. Grotão Fundo e Araçá . andando assim 4 legoas por caminhos planos. que'he estabelecimento novo. e passada ella está o Puo dos Bois . e por isso na Comarca do Norte ha escassez de milho. o Borrachudo. e todos são braços do dito Rio Paraná . o das Almas ao Sul. 8 df. Na fazenda. a Lagoa do Junco a Oeste da Estrada e o Rio das Pedras. O Rio Paraná . Adiante fica huma lagôa pequena á direita. e 5 ■L legoas distante da fóz do Rio Be zerra . 2 % de legoa distante da fóz do Rio das Almas. e a das Almas. Passado o rio ficão os Cor regos do Rancho e o dos Tapuios. Antonio ás 4 horas e % da manhã . — sabrado. Nestas fazendas de gado a plan tação de grãos e raizes farinaceas he insignificante : o gado destróe tudo .2l6 ITINERARIO Fria. maio. cuja fóz dista tres quartos de legoa da passagem do Paraná. Os corregos que ficão depois da passagem do Rio dos Bois. O Feixo da Serra he hum lugar apertado do Rio Paraná pela Serra dos Bois. a qual tambem fica í 74 de legoa dis tante do Feixo do Rio . — Sahi da Fazenda de S. feijão. As plantações destes generos fazem-se em terrenos fechados. A esto Feixo da Serra dão o nome de Funil do Rio. entrão na mar gem direita do mesmo rio. aonde cheguei ás 6 ho ras e meia. neste lugar a que chamâo Porto dos Bois . e passei os corregos do Cavallo . o do Ouro Fino que se atravessa tres vezes he largo. Fazenda do Benevenuto no Porto dos Bois . O Corrego do Sobrado tem immensas pedras que tornão difficultosa a sua passagem. e che guei á margem esquerda do Rio Paraná ás 8 horas e 3/i .

e passando por 28 . — domingo. Covanca . he alta e escalvada. 7 ! legoas. ou a formação e a ruptura destes immensos depositos . «17 o11 do Benevenuto. proprietario das terras do Porto dos Bois ou Boqueirão . 9 df. O estabelecimento he grande em creação de gados. e as dos Bois . Os Cataclismos par- ciaes podem mudar a face da terra que fica ao alcance da sua impetuosidade. e hospedou-me na sua casa. e disse-me que todos estes lugares são doentios nos tempos das aguas. pedra gra nitica e cristosa. Este he o modo por que cu posso eníender a theoria geologica dos numero sos (eixos e funis de rios que ha nesta c em outras partes do universo. que entra na margem direita do Paraná. maio. e que muita gente tem attribuido ao diluvio universal. Arraial do Morro do Chapéo . O Feixo do Rio parece hum lugar em que as aguas forçárão a cordilheira de montanhas . O Tenente Benevenuto Antonio. tem 4o braças tle largura c 12 palmos de fundo : a agua he hum pouco amargosa por passar por minas de salitre. A Serra dos Bois lica a mui pouca dis tancia das casas da fazenda. DO RIO DE JANEIRO AO PABA. — Montei a cavallo no Porto dos Bois do Paraná ás a horas e % da manhã . He homem avançado em annos . devendo tal vez em épocas remotissimas ter formado a barreira de hum grande deposito couiprehendido entre as Serras das Almas. e recantos de rochedos al cantilados. As accumulações de aguas . contao huma legoa. As irrupções das aguas assim accumuladas pro - duzirião certamente effeitos incalculaveis. he que talvez produ zissem a extraordinaria apparencia de feras de difFerentes es pecies em grutas de montanhas. recebeu-me com as maiores attenções. Daqui á fóz do Ribeirão da Atalaia . a outras mais altas.

Aqui passa a estrada que vai para o Arraial de Arraias pelo Rio Bezerra. he certo que o Rio Bezerra he consi derado pestilencial .'il8 ITINERARIO terreno mui plano ao lado da Serra dos Bois . e eu fui obrigado a ordenar que os sol dados dessem hum grande rodeio para não passarem no porto desta estrada de Arraias . por se haver nelle encontrado o chapéo de hum homem alie- . a qual fui costeando até ao Corrego da Fazenda da Atalaia. os quaes impunemente o atravessão em todos os outros váos desde a sua origem até se perder no Paraná. e por meio de campinas dilatadas atravessei o Córrego das La- geas . o qual eu quiz evitar por ser hum dos mais doentios do universo. procedem dos ef- fluvios de huma lagoa existente na margem esquerda do rio. Igarapé. 4 legoas até ás 7 horas. Barreiro. passado o qual se sobe para o Arraial do Morro do Chapéo. atravessei os Corregos da Cachoeira . Depois de jantar montei a cavallo ás 4 horas da tarde . que fica dis tante tres e meia legoa. acima do lugar em que se atravessa a váo. e Riacho da Arêa. Esta fazenda de gados pertence ao Capitão José Antonio Lima. assim chamado por ficar con tiguo a hum monte alto que dizem ter semelhança a hum chapéo desabado. que encorporados entrão no Ribeirão da Atalaia. segundo dizem. tendo andado . afim de obstar ao ataque de febres intermittentes que. posto que outras pessoas bem informadas declarão que lhe dérão o nome com que he conhecido. e no fim delle o Corrego do. que entrão na margem direita do Paraná. de muito máo passo . e o João Manoel . e nella descancei . o Mororó. Seja verdade ou seja preoceupação . O nome do Rio Bezerra amedronta a todas as pessoas . o Poção . cuja casa está hum pouco adiante . Es taca e Imbé. Adiante fica hum desfiladeiro de montanhas . e a sua passagem intimida aos mais in trepidos . que tambem entrão no Ata laia. Seguem-se os Corregos do Jacaré . Pas sado o Imbé lica o caminho mais contiguo á serra .

Antonio . Vigario da Vara das Paro quias de Arraias e S. O arraial acha-se atenundissimo : foi extenso como mostrão as suas minas. dos quaes só hum está acabado. a 1'Este do arraial. DO RIO DE JANEIRO 1o PARÁ. Atravessei depois quatro corregos quasi seccos que entrão unidos no Ribeirão dos Morrinhos em cuja margem direita existe a fazenda do mesmo nome onde cheguei ás 2 e meia da manhã por caminhos muito bons. Eu sahi do Arraial do Chapéo á meia noite : logo ao pé do arraial fica a estrada que vai para o Ar raial de Arraias donde dista 7 legoas. As matas densas e as claras tem quasi desapparecido. e nelle foi devorado por huma onça. A Capella de S. e o Mandassaia que entrão no Ribei . Eu cheguei ao arraial ás 7 horas e 3/4 da tardo. — Desde que atravessei o Rio Paraná teuho achado mudança nos accidentes do terreno. o qual havendo fugido da casa em que es- tava . e ahi achei alguns escra vos da Fazenda do Sumidouro. mas agora só resta huma boa casa pertencente ao dito Padre Manoel Joaquim. refor mada por este Padre . 1o de maio. fui hospeda do pelo Padre Manoel Joaquim . Engenho do Sumidouro . D. que a Sra. e as campinas proprias para a criação de gados são mais extensas e ricas de pastagem.da Covanca. S1Q nado do juizo. Adiante fica o Rio Sucuriú que recebe o Igarapé. 5 legoas. e logo em seguimento os Corregos do Cercado. — segunda feira. Honorata Ma ria Joaquina enviou ao meu encontro com todas as cousas para a minha cêa e cama . no que foi de acordo com o re ferido ecclesiastico. e mais seis insignificantes. tem tres altares . que nasce perto da Serra. O Corrego do Igarapé tambem entra no Rio da Atalaia. Passei o Ribeirão dos Morrinhos em ponte de madeira . subio ao morro . e entra na margem direita do Atalaia. Domingos .

se não tivesse como ella diz . o edifício da morada dos proprietarios he extenso . escreve excellentemente .52o ITINBRARIO rão das Lages . Honorata mandou buscar bem longe agua doce para eu beber. e as estradas mui largas estão limpas por determinação do Commandante do Districto respectivo. todos os rios e corregos do districto são de aguas salobres e amargosas . O Enge nho do Sumidouro acha-sc muito deteriorado . A Snra. e assim mesmo os mo radores fazem uso dellas como bebida . Os homens acostu- mão-se pouco a pouco até fazerem uso impune dos venenos mais violentos. não he de admirar que no Occeano pacifico se tenhão encontrado varios Ilheos que só fazem uso da agua do mar. Sua irmã a Snra. Honorata Maria Joaquina de Abreu Cardoza recebeu-menasua casa com a mais urbana civilidade. e as officinas não são más. O Sr. Todos estes corregos tem boas pon tes . possne as melhores qualidades . não se veste mal . mas calça-se melhor: todavia hum lenço que amarra na ca beça bem longe de lhe dar graça . Encontrei todas as peças de madeira do engenho de fiar que estão dentro da agua . que por mo tivos pòliticos foiremettido debaixo de prisão para o Rio de Ja neiro onde logo o puzerão em liberdade. He solteira. encrustadas de materias cal- careas e salitrosas . tira-lhe muita elegancia : falla muito bem. e trata-me com toda a consideração. e sem ter nada de formosura. que traz comsigo o Corrego do Sumidouro que fica fóra da estrada. pois he muito instruida em historia . e seria huma boa msi de familia. a gloria (ou a vaidade) de não querer sugeitar-se aos caprlxos de nenhum homem : mostra ter mais de 3o annos de idade . mas vejo-a hum pouco acanhada. A's 5 horas e meia da manhã entrei no terreiro da Fazenda do Sumidouro per tencente ao Capitão Felippe Antonio Cardozo. Tenente de Milicias . Assim como aqui se faz uso constante de aguas extremamente salitradas . D. e por isso não pa decem a molestia de papeira. D.

pela demora que no caminho tivêrão as bestas de ba gagem . não o podendo fazer antes. montei a cavallo ás 2 horas e meia da manhã do dia 16 . Joaquim José da Silva cunhado desta se nhora por ser casado com huma irmã sua natural. João das Duas Barras. e tomando ahi a estrada da direita passei o da Mandassaia (Abelha) acima da ponte em que o atravessei no dito dia 1o. grandes massas de mica de que se faz uso como de vidraças de janel- las. Nas montanhas calcarcas deste Districto do Sumidouro e suas immediações ha grandes cavernas cheias de salitre. — Despedirido-me da Snra. o qual unido ao Rio da Gameleira que tambem passei . e depois deste o do Buriti- zinho. braço esquerdo do Rio Bezerra. e das mais abastadas da Comarca de S. formão o Rio das Pedras. . Arraial de Arraias . Ninguem aqui faz caso deste fossil que debaixo do nome de vidro de Mos- covia he muito estimado na Europa. e admiraveis stalactites . d' ahi a meia legoa. 8 \ legoas. Eu já tenho em meu poder huma massa de mica de que tiro laminas de 16 polegadas em quadro. 16 de maio. e passei a ponte do Corrego das Lageas no mesmo lugar do dia 1 o do corrente . O Corrego do Sumidouro corre por baixo da terra em alguns lugares : isto mesmo acontece a outros do districto. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. e montando a cavallo ás 4 horas c meia da tarde passei o Rio dos Montes Claros. 221 de Cavalcante. Honorata onde me apeei ás 6 horas da manhã. D. D. em cuja margem direita está a fazenda do mesmo nome pertencente á Snra. he quem administra as propriedades da Casa do Sumidouro . huma das mais distinctas. Honorata Maria inimiga officiosa de todos os homens de quem poderia fazer a fortuna como esposa. — domingo. tendo andado 3 '/» legoas por caminhos excellentes. Aqui jantei .

e pertencem ao districto do mesmo arraial huma Companhia de Cavallaria. S. Adiante do Rio Gameleira ficão os Corregos do Macaco. e do Capitão da Companhia de Cavallaria Romão José de Moura . e estão. a Igreja Matriz de N. Como sem embargo das minhas ordens anticipadas eu não encontrasse a Tropa prompta para a revista de Inspecção . sem a mais pequena sombra de necessidade. junto á mar gem esquerda do Corrego Rico. e das Almas. S. do Rozario dos homens pretos . O arraial he Cabeça de Julgado que comprehende a Paroquia de N. Depois encontrão-se os Corregos do Jacubá e do Ferreiro que entrão na margem esquerda do Rio Bezerra : passei este rio em cuja margem direita ha hum pequeno sitio : subi a Serra de Ar raias que he hum pouco aspera. e 2 d' aqui a Arraias. e tres ruas cheias de pedras soltas. e outras peças de prata . construindo outra Igreja de N. a Igreja de N. Este arraial situado no meio de asperas montanhas no fundo de huma cova. dispostas em huma vasta praça. não tem ao menos hor taliça para comerem. S. e apezar disso as poucas familias que de ordinario aqui existem. atravessei os Corregos da Contagem e o do Ferreiro . e duas de Iafanteria da segunda Linha.2 22 ITINERARIO O Buritizinho entra na margem esquerda doJVlontes Claros. e entrei no Arraial de Arraias ís ío horas e meia da noite. da Conceição para ficar talvez tão maltratada como as primeiras. A agua que desce das montanhas que ficão a Leste do arraial he em tanta quantidade que corre pelas ruas . determinei que se reunisse . S. Do Gameleira ao Bezerra ha 2 legoas. em consequencia das intrigas do Commandante do Districto Jeronimo de Abreu Caldeira . tem 9o casas todas baixas e pela maior parte maltratadas . entregues a mais perfeita ociosidade. e a de S. os quaes unidos entrão na sua margem direita. dos Remedios com tres indecentissimos altares . na qual existe huma lampada. dos Remedios . Domingos.

DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. por onde se contao oito legoas de caminho. Gameleira. ou pela estrada do Arraial do Morro do Chapéo . a nenhuma agricultura. Pernambuco. Bezerra. a saber 3 '/» le goas desde esta fazenda ao Arraial do Morro do Chapéo . e neste intervallo que tem de decorrer proponho-me a ir passar revista á Tropa do Arraial de S. e ao da Ta- gdíitinga . e empestados pelas aguas dormentes e salobras dos Rios de Montes Claros. . 5 legoas ao Engenho do Sumidouro . pois que tive occasião de examinar a natureza do immenso reservatorio das aguas que forçárão a barreira das Serras dos Bois e das Almas no lugar denominado Feixo do Paraná ou Funil abaixo do Porto do Benevenuto. e 8 '/4 legoas ao Arraial de Arraias . 7 '/» legoas. c Piauhy. e a examinar a contextura da Serra Geral ou Espi gão Mestre que separa a Provincia de Goiaz da de Minas Geraes. A marcha que eu fiz desde a Fazenda da Atalaia para Ar raias pelo Sumidouro. Eu penso que a Geographia interessará alguma cousa nesta dilatada digressão . ao mesmo passo que a marcha que eu fiz pelo Sumidouro montou a' 16 legoas e 3/f a contar da Fazenda da Atalaia. por não ter havido pessoas curiosas que examinassem estes remotos e doentios lugares. o qwe apresenta huma volta de 8 3/4 legoas. inundados . e Fazenda do Su curiu e Sarzedas em que se caminhão . Eu vi o abandono em que se achão a maior parte das terras desta immensa caldeira. Eu dei por bem empregado o tempo e o incommodo rece bido nesta insignificante volta . 3»5 no dia da festa do Espirito Santo. ao Registo deste nome . Domingos . he muito mais dilatada e incommoda do que se viesse em direitura desde a mesma Fazenda da Ata laia pelo Rio Bezerra no porto que fica abaixo da Lagôa Pes tilencial. e observei os vastissimos campos qne são regados . Vi o Arraial do Morro do Chapéo com o seu famoso Monte Redondo. e todos os seus confluentes mais ou menos dila tados.

Fazenda do Quilombo . e não tem margens muito elevadas.224 ITINERARIO a incomparavelmente pequena criação de gado . no qual ás 3 horas e meia da manhã me puz em marcha a rumo de Leste.e mais adiante o do Calvario por ter hum outeirinho redondo e pedragoso em que se acha arvorada huma cruz de madeira. e a Fazendi nha de Jeronimo de Abreu Caldeira. Adiante desta fica hum pequeno corrego. — Demorei-me no Arraial de Arraias até ao dia 22 deste mez de Maio. . atravessei a Serra de Arraias . e acerescentão que as suas aguas estão mui saturadas de vitriolo. e que todos são pedragosos. e desejarei que todos os meus successores me imitem em outras semelhantes digressões sem temerem os riscos imminentes a que se expõe quem faz philosophicas viagens ou examina os accidentes do terreno com vistas puramente militares. Aqui existe hum pequeno sitio junto . e cheguei á margem esquerda de Rio Bezerra ás 6 horas e '/(. a falta de industria fabril . Nole-se que nem o Rio Bezerra . nem os de Montes Claros . e a miseria quasi geral dos habitantes. Eu dou por bem empregado esse tempo . 22 de maio. e que mesmo fogem do terreno adjacente. Passei os Corregos do Ferreiro . que nenhum animal se atreve a beber a agua desta lagoa. Dizem que a Lagoa Pestilente que fica na margem do Rio Bezerra na estrada da Atalaia para Arraias tem muitos jacarés e su curius . e tres Corregos insignificantes . e Contagem . 6 legoas. Dizem mais. Nas duas margens do Bezerra que agora atravessei estão algumas pequenas casas. e Game leira tem pontes. Se o tempo permittir eu hei de arriscar-me a examinar esta Lagôa ou Varzea inundada . — sabrado. que tanto susto incute nos espiritos dos habitantes da Provincia de Goiaz. e que tambem ahi existe o fabuloso ou o ver dadeiro Minhocão.

Na sua opinião elle he o unico homem rico . e aguas extremamente salobras por estarem carregadas de salitre de que abundão as innumeraveis caver nas destes lugares. Já se vê que com taes recommen- ' dações eu devia forçosamente dizer com o poeta — Timeo Danaos. 0 Sr. e ahi me apêei ás 6 horas e meia da tarde. 92Ò ao Calvario. Hoje passei por algumas matas muito frondosas.-e não abona a pessoa alguma do Districto de Arraias nem dos immêcliatos. 29 . Todo o terreno' que tenho hoje percorrido he montuoso. cuja margem esquerda se segue por algum tempo. João das Duas Barras. hospedau- me mui generosamente. e nada influe neste Itinerario. e deu-me copiosas noticias acerca destes lugares : todavia por desgraça acha-se inimisado com os seus visinhos. com engenho d'assucar. Jeronimo de Abreu Caldeira. Adiante passa-se o Corrego do Quiete em cuja margem direita ha huma casa onde me apeei ás 7 horas e 74. etc. — Os corregos que atravessei hoje entrão no Rio Bezerra . Capitão das Ordenanças Jeronimo de Abreu. O proprietario da fazenda e engenho diz que do arraial até aqui contão 5 3/4 legoas . reputo a marcha em seis legoas : a differença he insignificante . de • pedra calcarea . mas eu que tenho regulado a anda dura do meu cavallo. A's 4 horas e meia da tarde sahi do Sitio do Quieté. e fazenda de criar gado. e entra na margem esquerda do Rio de Palma. Passei hum pequeno lago denominado Agua Doce junto dí> qual existem duas casas da fazenda do mesmo nome: adiante fica hum corrego pouco volumoso. mas o Ribeirão do Quilombo une-sc ao Ja caré ou toma este nome abaixo do Quilombo . DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. honrado e respeitavel da Comarca de S. e depois delle encon- tra-se o grosso Ribeirão do Quilombo na margem direita do qual se acha o grande e deteriorado estabelecimento de Je ronimo de Abreu Caldeira. — o que traduzo —Eu desconfio do Sr. .

23 de maio. onde a agua se precipita de altura de 1 2 ou 1 5 palmos em forma de de- gráos. e huma pequena . de pedra calcares . ' que já vem encorporado com o Mosquito . e o proprietario tem a physionomia de homem. de aguas extremamente turvas. Adquirindo aqui muitas informações ácerca da topogra- phia destes lugares. — Sahi da Fazenda do Quilombo ás 2 horas da madrugada. que nasce dahi a quatro legoas na Fazenda da Torre junto á Serra Geral. honra do. demorei-me até ás 4 horas e meia da tarde. braço direito do Cana Brava. Ignes : bom es tabelecimento com engenho de assucar . grandes desfiladeiros entre montanhas muito ele vadas e todas escalvadas . Passei logo o Corrego da Cachoei ra ou da Porteira muito pedragozo c lageado. c então me puz em marcha. e no váo 4 palmos de altura de agua. — domingo. segui a mar gem do Ribeirão da Cana Brava. pertencente a José de Araujo : o rio . e ultimamente cheguei ás 7 horas e 1o mi nutos da tarde á Fazenda do Sacco de D. 7 } legoas. em cuja margem direita existe a casa da fazenda do mesmo nome : ambos os corregos entrão na margem direita do Ribeirão do Quilombo ou Jacaré. Adiante deste está o Corrego das Catingas. Na margem esquerda do Palma existe a grande casa da Fa zenda da Sassuarana . cheguei ás 6 horas e 7 minutos á casa da Fazenda das Lavadeiras per tencente a Felippe Eugenio : he muito bom estabelecimen to . Adiante das Catingas fica huma peque na lagôa que atravessei com agua pela barriga do cavallo. que tambem nasce na serra oito legoas ao Sul . e continuando logo a marchar. e passei o Corrego dos Bois . e passei o Corrego da Porteira.«20 ITINERARIO Fazenda do Saco . Eu passei em huma pequena canoa. e ás 6 horas cheguei ao Rio da Palma . tem aqui 1 2 braças de largura.

Na margem direita delle esteve o Registo ou Con tagem Velha. profundo. outro para seis ou oito soldados. iL de maio. Passei logo o Corrego do Reben tão. de que só pelo nome de aldêa se con serva hoje lembrança. 227 casa de oração. 5 { legoas. para o philosopho hc hum sitio encantador. aquelle com ponte de madeira. — segunda feira. e o Dous Irmãos Grande. ressarce a natureza o mal que se soffre pelas obras portentosas que apresenta : para o soldado o Registo he peior do que os desertos da Siberia. onde algumas vezes concorrem a missa c administração dos sacramentos os habitantes das duas mar gens do Rio da Palma. que deu o nome á Serra e ao Dis- tricto. e Mo lha. D» RIO DE JANEIRO AO PARÁ. Estreito. A Capella he invocada N. Desde o desfiladeiro no lugar do Porteira até ao Sacco . solitario. e veloz. c depois dellc os do Alegre. com hum quarto para o Comman- dantc. Na margem direita do Rio Dous Irmãos grande está collocado o pequeno. da Misericordia. Espraiado. em . e me lancolico Registo da Taguatinga . e huma pequena cozinha de que todos se servem. o Rio Corrente . e este sem ella. e nas sua9 cabeceiras junto á serra huma aldêa de Indios Coroados . pequena casa de páo a pi que rebocada de barro. em cuja margem direita estão algumas casas. pedragoso. o Dons Irmãos Pequeno. Se as circunstancias ma- teriaes deste Registo são desagradaveis. Eu passci-o com agua pelas abas do selim. • Registo da Taguatinga . — Sahi da Fazenda do Sacco 1 aos 45 minutos da manhã. S. e na margem direita delle a casa da pequena Fazenda do Bonifacio. Segue -se logo o Ri beirão da Taguatinga . o terreno he menos aspero. Adiante está o Corrego do Buritizal . Adiante ficão alguns morros asperos e pouco altos . Eu pernoitei na Fazenda do Sacco.

. Eu não tive meios de medir exactamente a altura da catarata dos Dous Irmãos ou da Taguatinga . e apresentando cortinas e baluar tes com angulos reentrantes e salientes para o lado de Oeste em que está a Provincia de Goiaz. O Registo. O Rio Dous Irmãos Grande rebenta da terra mui volumoso junto á huma Ga meleira . na distancia de hum quarto de legoa. Como eu não pude ir ver o Torno . o qual nasce em a garganta da Serra Geral que fica 1 '/» legoa ao Norte. e ambos assim unidos correm por espaço de 5o braças ao S-O. fica poucos pas sos distante do Rio Dous Irmãos Grande. e a bulha da queda da agua principiou a ser ouvida por mim no Rio Taguatinga ou Contagem Velba á maneira de hum trovão muito ao longe. bem proximo ao Registo. e ma gestosa por apresentar huma frente bem semelhante ás muralhas de huma praça . nunca augmenta até chegar a cobrir o leito da ponte . Em frente do Registo. talhada proximamente a pique em muitos lugares . e fui informado que o Dous Irmãos Pequeno que nasce na serra fronteira. c formão os mais lindos iris quando são penetrados pelos raios do sol. na sua mar gem esquerda o Dous Irmãos Pequeno . que está quasi encostado a huma alta serra . mas que o Dous Irmãos Grande que nasce no Torno. hum quarto de legoa distante do Registo . está a magestosa Serra Geral . magestosa pela sua extensão superior a 3oo legoas em que tem diversos nomes. isto he . e ahi se precipitão perpendicularmente em hum pego immensõ. e agora as aguas estão hum pouco baixas. 2«8 ITINEIURIO que toila a sua vida tem novas cousas a estudar. junto á garganta da^erra daqui a legoa e meia. traz algumas vezes tanta agua que chega á . cujos vapores se dilatão em todos os sentidos . perguntei aos soldados se os dous rios crescem muito no tempo das chuvas. chamão-lhe — Torno — e correndo ao lado de Oeste da estrada vem receber. mas pareceu-me que não he menor de 3o braças .

.

.

e as 1o ou 2o braças restantes parecem talhadas a pique como o parapeito de huma muralha acima do cordão. resultado da decomposição do terreno em huma grande serie de seculos. e muito peior philosopho : desprezava as bellezas naturaes. O soldado era máo poeta . e pernoitei na casa da Fazenda do Bonifacio que he a ultima na direcção da garganta ou bocaina da serra. obra tosca de hum Soldado Dragão que aqui esteve destacado . o qual pinta ás vezes com' as cores mais vivas e verdadeiras aquillo mesmo que eu observei a respeito da lo calidade e solidão do Quartel. A estampa junta dará melhor idéa do terreno. e fatiga enormemente os cavallos. 229 porta do Quartel. A Serra Geral terá 1oo braças de altura perpendicular . Entre outros papeis comidos pelo copim encontrei na ga veta do Quartel do Commandante do Registo hum canto em verso. e só lamentava os seus padecimentos. e pissarão : tem mui pouco arvoredo . e pelo mesmo ca minho voltei. montei a cavallo. Depois de haver dado as providencias que me parecerão necessarias sobre o serviço do Registo. e este nos reintrantes que ella forma. informárão-me que ha dezoito dias ainda não virão pessoa estranha ao destacamento. A serra he composta de barro vermelho. que suffoca os viandantes . Com cffeito aquelles que hoje aqui estão em serviço. desta altura o espaço desde a raiz para cima até 8o ou 9o braças tem algum talude . DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. tendo-me demorado até ás 4 horas da tarde. porque o valle onde corre o rio não excede a hum quarto de legoa de largura entre as duas serras. . O vento que corre ao longo da serra le vanta turbilhões de arêa . parece-me muito. Até a casa do Bonifacio contão se huma legoa e tres quartos. A raiz da serra tem hum immenso areal solto.

hum Buritizal. — Sahi da Fazenda da Sa çuarana na margem esquerda do Rio da Palma ás 3 horas da manha. c terras pantanosas e alagadas. — terça feira. 26 de maio. e seguindo os caminhos do dia 23 . Ha muitas outras por estes lugares. 5 legoas. e de tarde marchei para a Fazenda de José de Araujo na margem esquerda do Rio da Palma . Engenho do Sumidouro . Aqui descobrio-se. e por caminhos planos e alagadi- diços cheguei ao Corrego do Merca : além delle fica huma serra de pedra calearea . e ahi pernoitei. c cheguei ás 7 horas e 35 minutos á Fazenda do Qui lombo pelo caminho do dia 22: até aqui 4 legoas. 25 de maio. Faseada da Sacuarana. 6 legoas. e ás 7 horas e 35 minutos cheguei á casa da Fa zenda dos Geraes do Alferes Manoel Antonio . que leva muita agua c he pedragoso : passei . descancei na casa da Fazenda do Sacco. e alguns con- tão 5 legoas do Araujo ao Quilombo. atravessei o Corrego do Merca. Fazenda dos Geraes. Do Quilombo aos Geraes contão-se 3 legoas. — quinta FÉiRÁ. A's 3 horas da tarde montei a cavallo.(182i) huma estupenda gruta em serra de pedra calearea. c mais adiante está o Rio da Gameleira . — Sahi da Fazenda dos Ge raes ás 2 horas da manhã . e seguindo o prolongamento de huma serra calearea que me ficava á esquerda. ha dous annos. 7 legoas. 27 de maio. — quarta feira. — Sahi da casa do Bonifacio junto ao Rio Taguatinga ás 3 horas da manhã. grande estabe lecimento com engenho d'assucar . ITINERARIO Rio da Palma. e criação de gado.

A Snra. c os patos . Adiante atravessei dous corregos em cujas margens esquerdas ha casas de fazendas de criar gado . fmal mente cheguei a serra de pedra calcarea do Sumidouro . soffrem-se por aqui outros flagellos que dimi nuem a natural propagação. e as mon tanhas que se encontrão. e passando por caminho cheio de lageas ou rocha tão liza co mo vidro . por ser fundo e de váo pedragoso. Além da imprudente ge rencia dos criadores. Na mesma margem existe a casa da fazenda desse nome : erão 3 horas c meia quan do aqui passei. e o augmento dos rebanhos c manadas : immensas nuvens de morcegos habitantes das ca vernas das rochas calcareas sahem á boca da noite a fazer presa em toda a especie de animal: as gallinbas. . e alimentão-se com as vaccas : por este modo as producções são dez vezes menores do que se devia esperar. Seguindo a marcha atravessei dous corre gos que entrão na esquerda do Gameleira. pedra calcarea. Honorata recebeu-me com a sua generosa afia- bilidade-. Os caminhos são pela maior parte planos. e outros dous que se perdem na direita do Rio dos Montes Claros que fica a pouca distancia do caminho: passei-o com o cavallo quasi a nado. c ha muitos terrenos de barrei ros salgados. e na qual não se podem firmar as ferraduras Jos cavallos . apêei-me na casa da Fazenda do Sumidouro ás 7 horas e 1o minutos da manhã que estava fria e nublada. c para fazerem dinheiro vendem os bois e huma grande quan tidade de novilhas para fóra da Provincia . O gado de ambas as especies he pouco numeroso . DO RIO DE JANEIRO AO PARA. porque os criadores não o bencficião quanto devem. e outro corrego sem casa : todos entrão na margem esquerda do Montes Claros. D. a3l com agua pela aba do selim. e por isso quasi todas as aguas são salitrosas. Eu fiquei illudido nas minhas esperanças de encontrar muitos rebanhos e manadas de gado vacum e cavallar. e de todos os erros de economia que commettem.

e das aves . quadrupedes . a bicheira ou feridas no imbigo dos bezerri- nhos por espaço dé hum mez ou mais depois do seu nasci mento. alimentão-se indevidamente com o gado dos proprieta rios. a erva (nome dado a certo vegetal) que envenena o gado com a brevidade mais extraordinaria .stos . e não quando devem. aquelle consiste no roubo que fazem os vaqueiros ou administra dores das fazendas de criar. ou pelos morcegos. e o segundo estranho . o primeiro he domestico . os carrapatos que as vezes chegão a pene trar o couro dos animaes. e carrapatos. quando os vaqueiros não tem a cautela de extrahirem os vermes .23'2 ITINERARIO mesmos não escapão á sua voracidade. tem como auxiliares na destruição do gado. seccão ou comem . mas assoladores. ainda ha mais dous. morre enterrado . e manadas. as onças e tigres ainda que pouco numerosos. as seccas ou faltas de agua . a mutuca . os atoleiros em que o gado enfra quecido por falta de p. de aguas . os quaes percebendo pelo seu trabalho a quarta parte das crias que nascem nos rebanhos. que no tempo do sol persegue o gado pelos campos á semelhança do zimb da Ethiopia ou da mosca do deserto descripta no Livro de Izaias. e nunca na parte tocante ao vaqueiro dos rebanhos e manadas : ainda mais. porque hum só pôde fazer impunes estragos quando as rezes pastão sem vaqueiros ou andão esparramadas . salgão. as cobras de cascavel e as jararacas de diversas qualidades . feito por innumeraveis ladrões e vadios que o conduzem para fóra da Provincia ou o matão. e muitos ha que os roubão por outros modos : o segundo flagello ou o estranho de que fallei he o do furto do gado . Estes crueis inimigos dos homens . tirão essa quarta parte quando querem. e curar as feridas com mercurio doce . a maior parte dellas mais venenosas do que entendem alguns philosophos . Não bastão estes numerosos flagellos. recahindo sempre as mortes accidentaes ou por molestias nos tres quartos do fazendeiro.

fica distante 3 legoas do Engenho do Sumidouro . Esta fazenda pertence ao Cabo de Esquadra de Dragões João Serafim . irmã da Snra. c o terceiro Retiro. com huma pequena casa na sua margem esquerda. a Casa da Fazenda do Brejão grande estabelecimento de enge nho d'assucar. RIO DE JANEIRO AO PARÁ. que he maior. ou pelo menos naquelles territorios que cu lenho atravessado: portanto . Honorata Maria. 3 legoas. e depois deste fica. Nada disto lem remedio a favor dos roubados : os vadios e ladrões de gado são im- mensos . D. D. passei hum desfiladeiro muito pedragoso e calcareo ás 5 horas da tarde . todos os temem. chama-se Ca pivara. DO. O Capivara lem fundo de rocha calcarea e he de má passagem. e caminhando ao rumo de Leste . aquillo que eu digo a respeito de huns . 28 de maio. Adiante do Retiro está hum pequeno corrego (o Salobro). Fazenda do Brejão ou Santo Antonio das Tres Barras . cujo pai. que 0o . Anna . e logo atravessei tres corregos . e criação de gado. Estas melancolicas informações que aqui aponto são geraes no Brazil . e contra elles não ha policia na Provinda de Goiaz. casado com a Snra. — sexta feira. o Capitão Domingos Antonio Cardozo. '■35 fresco nos campos ou nos bosques. o segundo. e no da Villa da Palma. Cheguei aqui ás 3 horas da tarde. e 2 legoas da Fazenda do Bom Jesus pertencente ao Capitão Felippe Antonio Cardozo. foi possuidor de hum immenso terreno nes tes Distrietos. Os seus bens mui a avultados. forão divididos por hum filho e tres filhas que ficárão com grandes casas. —• Sahi da Fazenda do Su midouro ás 4 horas da tarde . O Engenho do Brejão que tam bem se chama Santo Antonio das Tres Barras. sirva para todos os que tem fazendas de gado. andão como enxames de abelhas. o pri meiro sem nome. nome signi ficativo da juneção de tres corregos .

O Cabo de Dragões João Serafim . he braço esquerdo do Rio Manso. não obstante achar-se descontente do Capitão Felippe e de sua irmã a Snra.a34 yiNEiunio tambem he proprietario da Fazenda do Mosquito . Em a noite de hoje qjie passei na casa do Brejãt) fui excellentemente bem tratado. por mim atravessado no dia 1o do corrente mez. Francisco Vital Galvão que tambem he cunhado da sobredita senhora). O peditorio de João Serafim au xiliado das rogativas em seu favor pela Snra. com posto dos Corregos de Santo Antonio Grande e Pequeno . pois que instou muito comigo para não o remover do commando do Destacamento do Registo que clle governa desde o seu engenho. todas de criar gado. e então informei-me acerca da Hydrographia do districto . na qualidade de Commandante do Registo. visitou-me no Engenho do Sumidouro no dia 12 do cor rente (praticando outro tanto o Sr. D. isto he mandriões . que traz com- sigo o Sumidouro . e vim a saber que o Ribeirão dos Morrinhos . Mandassaia . que fica distante 1o '/» legoas do ponto em que he obrigado a conservar-se. assim co mo sua irmã a Snra. Honorata o he da dos Olhos d'Agua. Honorata. Domingos como o Juiz da Alfandega do Rio de Janeiro ou talvez mais. he hu- ma pessoa tão respeitada no Districto de S. D. e logo me mostrou ser hum daquelles individuos » quem no serviço militar chamamos Conegos . que por ser genro do Capitão Domingos Antonio Cardozo e cu nhado do Capitão Felippe Antonio Cardozo tem sido conser vado no commando do Destacamento do Registo de S. tem tanta impor tancia como hum Capitão Mór de villa do sertão. considerado como Cabo de Dragões. e . e Lages. e em resul tado vim a conhecer que João Serafim Cabo de Esquadra de Dragões. Honorata. obrigou-me a fazer varias perguntas destacadas. e as do Cercado . Do mingos ha 18 annos . depois de receber as aguas dos corregos que ficão antes de chegar á ponte. e que mesmo. D.

Os caminhos do Sumidouro ao Brcjão tem de máos só os des filadeiros de montanhas calcareas . existem arvores. 1)o RIO DE JANEIRO AO PARA. Retiro. e he formado pelo Corrego do Gaes o outros. e sobretudo Palmeiras de differentes qualidades. e al guns penetrão cavernas subterraneas abundantes nas mon tanhas calcareas. Domingos . Todos são de aguas salobras . torres . que se uuem em hum só ramo . coroas . e outras obras: cavernas profundas. Domingos. e principalmente hum lugar que parece calçado de lava polida ou vidro preto coalhado. e nos lugares em que ha accumula- ção de terra. que nasce d'ahi a duas legoas na Serra Geral. 6 legoas. pyramides . muralhas ta lhadas a pique . semelhantes a salas mais ou menos vastas. — Sahi da Fazenda do Brejão ás 3 horas da tarde. Arraial de S. Adiante fica o Corrego de S. e o Rio Manso propriamente dito que fica fóra da estrada de S. Domingos abaixo da boca da caverna em que este sahe da terra que o cobrio por espaço de meia legoa. Talvez não deixe de interessar a quem ler este Itinerario o saber que nas montanhas de pedra calcarea encontrão-se muitas vezes figuras que parecem artificiaes. . Passei logo o Corrego da Porteira ou Jabuticaba muito pedragoso. algumas ervas parasitas . João que entra na margem direita do Rio Galheiro. As montanhas calcareas que lenho visto são todas de pedra preta como lava. ramos . Salobro. 235 o da Anta . pertencente ao Cabo de Esquadra João Serafim. e dos Corregos da Capivara. O Rio Manso entra na margem esquerda do Rio de S. 29 de maio. — sabrado. e continuando por bom cami nho cheguei ás 4 horas e 5o minutos ao sitio denominado Fazendinha. ou parda : acha-se coberta de musgo. e Brejão que formão o braço do meio .

e na parte militar tem Commandante independente enja ju- risdicção chega ao Arraial do Morro do Chapéo. e convenci-me da necessidade de fazer abandonar a bar raca de palha que serve de quartel ao destacamento em hum lugar distante quasi cinco legoas do arraial. e do Cabo João Serafim que commanda ha 18 annos o destacamento de primeira linha ali estacionado. por ficar mais proximo ao arraial e no ponto em que se cruzão as estradas ou picadas da serra. que he braço direito do Rio Vermelho. Pertence na parte civil ao Termo do Julgado de Arraias. tem 27 casas todas humildes . e do Registo da Bocaina huma e meia. e margens baixas. Pelo que respeita ao Registo da Bocaina ou Garganta da Serra de S. Eu cheguei á margem direita do Rio de S. ouvi a opinião do Commandante Geral do Districto . seguimento o Barreiri- nho. A largura do rio será de ao braças . O Vigario da Vara ou Forense reside neste ultimo arraial. e remove-lo para o sitio em que esteve collocado ha 25 annos. Passado o rio toma-se hum pouco a esquerda . que desde aquelle sitio remoto . e duas Esquadras de Infanteria de pretos. fundo limpo . Dominges ás 9 horas da noi... e ahi mesmo em huma pequena altura sobranceira á corrente . e todos juntos entrao no Rio de S. toda boa gente. que entra na esquerda do Galheiro . Domingos com Igreja paroquial da invocação daquelle Santo. Do mingos acima da caverna em que este se precipita para appa- recer muito mais volumoso d'ahi a meia legoa. A Tropa da segunda Linha achava-se prompta para lhe passar re vista : consta de huma Companhia de Cavallaria de hemens brancos . c dispostas em duas ruas : dista da Serra Geral huma legoa . te .2Õ6 . huma de Infanteria de homens pardos . e passei o rio com agua pela sella do cavallo. está collo- cado o pequeno e aprazivel Arraial de S. o qual tambem se passa d'ahi a pouco . ITINERARIO Contimui/ido a marchar passa-se o Corrego do Bonito. e eir. Domingos .

entra o Rio Galheiro reunido ao Vermelho que vem da Serra Geral. e sahe d'ahi a meia legoa muito mais volumoso e de canoa . A configuração da Serra Geral he a mesma da Taguatinga que já ficou descripta : na raiz della. e com effeito separando-se de mim hoje de ma nhã. janelas. Lcgoa e meia abaixo do váo entra o S. que fica meia legoa a Oeste da Fazendinha. o fundo até a agua 60 braças . Desparando-se hum tiro . ferragens e telhado. e as pa lavras são ouvidas mui bem pronunciadas. e na margem direita . ordenei ao Furriel de Dragões que fizesse diligencia de medir as suas dimensões. e menos de huma legoa do arraial existe hum pico insu lado a que dão o nome de Morro do Moleque . Domingos nasce na Bocaina da Serra . Pensa-se que se communica com o Rio de S. resultado da decomposição da Serra Geral que Lc huma massa de pissarra vermelha e amarella. mas dizem ler 96 braças de altura total. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. satisfez a sua commissão dnndo-me nesta noite parte de achar a boca do poço de i5 braças de diametro N. c 11 E. O Rio de S. e conseguintemente roubado de portas. ha huma quantidade immensa de arêa solta. e em quasi toda a es trada desde a Fazendinha. e corre para o Rio Paraná de cuja margem direita dista 16 legoas comprehendidas cs voltas . . João Serafim ofl'ereceu-sc a reedificar á sua custa o antigo Quartel do Registo. 3 legoas distante . ou deitando-se huma pedra neste poço. Perto da ser ra . abaixo do váo . Na sua margem esquerda acima da povoação entra o Corrego da Maravilha . tem a mesma . que fora abandonada . Como eu já tinha noticia da existencia do celebre Poço da Camisa.S. e em linha recta 1 o legoas. e ao Oriente do arraial. Domingos por canaes subter raneos.O. Domingos em huma caverna de pedra calcarea. e d'ahi para baixo não o sondou por falta de corda. '207 » não podem ser bem rondadas. formão-se echos repetidos muitas vezes.

. o obsequio que me fez na sua casa. sahi do arraial para o Sitio da Fazendinha de João Serafim ás 4 horas da tarde. 4 legoas. — domingo. — Agradecendo muito ao Sr.■ e che guei á Fazendinha ás 8 horas e '/4 »' e aqui pernoitei excel- lentemente acommodado. e apêei-me ás 7 horas e '/<. 5 iegoas. Achei os caminhos muito máos . que conserva a figura de muralha. como tinhão praticado no dia precedente. caminho do dia 38. Domingos. A Cavallaria. che guei á Fazenda do Brejão ás 6 horas. Domingos. o Comman- dante. O desenho junto mostra a configuração do terreno proximo á Serra Geral. e pareco-me que houve tempo em que com ella formou hum mesmo corpo . oVigario Ignacio José c todas as mais pessoas distinctas do lugar honrárão-me com a sua companhia até ao Rio Ver melho . — Sahi da Fazendinha ás 4 horas da manhã'. ladeiras asperas. — segunda feira. A Snra. por quanto vejo entre o morro e a serra huma quantidade de barro mui volumosa. Domingos José Valente. areaes soltos . 3o de maio. e passando pelo caminho do dia 29. e ahi descancei até ás 4 horas da tarde em que me puz em marcha para o Sumi douro pelo. e ventos fazem cahir em diversas occasiões muita arêa tanto da crista como das faces da serra. As aguas correntes que lavão a raiz da serra. marchando por fóra da estrada de hon- tem para ver o Sitio do Conchavo.«38 ITINERARIO ali ura da serra . Engenho do Sumidouro . 31 de maio. as chuvas. Capitão Commandante do Arraial de S. aqui chamada Serra de S. e tendo pela manhã de hoje passado revista á tropa de segunda linha . D. Fazendinha . Honorata hospedou-me com a sua antiga gene rosidade.

.

.

— quarta feira. e morreu outro de que me fez presente o Sr. Recebi cartas da cidade de Goiaz em que me dizem correr ahi noticia de eu andar com prando ouro em pó. mui sensivel em lugares em que difilcultosamente posso achar bestas muares a comprar ainda pelos mais altos preços . A par desta noticia filha da intriga recebi outra que não deixou de me causar afflicção pelo incommodo e despezas que tenho de soíFrer. Descancei aqui até ás 4 horas da tarde em que me puz em marcha para o Arraial de Arraias onde entrei ás 9 horas e '/4 da noite. e obriga-me a demorar-me neste arraial por alguns dias para ver se apparecem as bestas. — terça feira. Talvez elles procedessem com melhor sizo e razão se dissessem que eu ando feito tolo por montes e valles. Homens bem conhecidos como intri gantes . Este acontecimento. Os caminhos que per corri forão os do dia 1 6 de Maio. ou se compro cavalga . Arraial de Arraias . tarefa que poucos Goiannos me hão de agradecer . uío/ 1 de junho. e talvez émulos dos Governadores das armas . 2 de JUNHO. — Sahi do Engenho do Su midouro ás 3 horas da manha: cheguei á Fazenda do Buri- tizinho ás 6 horas e '/(. trouxe-me á memoria as predicções do Major Alexandria sobre os trabalhos que se padecem no sertão . a fim de continuar as minhas viagens. 0o RIO DE JANEIRO AO PARÁ. Pcrdêrão-se o11 furtárão-me duas mulas e hum cavallo. mas que sem duvida rece berá approvação dos estrangeiros amigos das sciencias na- turaes. 8 | legoas. expondo-me todos os dias á morte com o unico fim de adiantar os conhecimentos geographicos desta Provincia central . es- palhão estes boatos só para desacreditarem. — Descancei hoje no Sumi douro . para os cavallos e bestas de carga tomarem algum alento. Benevenuto no Porto dos Bois do Rio Paraná no dia 8 de Maio.

Corrego Rico. — sabrado. — O Arraial de Arraias desem penha bem o nome de arraial. e eu com elle. No meio de immensa vozeria de mais de 2.24o ITINERARIO duras ás pessoas que estão concorrendo para assistirem ás festas do Espirito Santo. e na praça da Igreja do Arraial. e Ribeirão das Arraias. A comida que vi nas casas . Encontrei novilhos e porcos 9 . onde resoão innumeraveis violas . e ramadas do arraial . he acima de toda a expressão. e quasi todas ellas mostrão a pobreza em que cahirão os habitantes deste lugar que em outro tempo chegou a possuir 16. e do Reinado dè N. c aquelles indivíduos que não achão alojamento debaixo de telha. não houve a mais pequena dissensão. 5 de junho. S. nem bem montados . do Rozario . cantando e tocando em páos. S.ooo escravos empregados na minera ção de que só restão as mortiferas excavações do Ouro Podre. pandeiros c varios instrumentos barbaros : as pessoas de fóra do arraial que tem alguma representação pelas suas riquezas. e outras tantas pretas ou homens vestidos como mulheres. A's io horas apresentárão-se vestidos inteiramente de branco doze pretos . cabaços e pandeiros em louvor de N. os quaes fizerão humas car reiras de encamisadas pelas pedragosas ruas . Immenso povo . e assim correrão por vezes as ruas e praça do Arraial que se achava intei ramente illuminado. que são as mais famosas que se celebrão neste Julgado. Estes cavalleiros erão brancos e pardos das melhores familias do Julgado. applaudimos muito o bom desempenho dos encamisados. do Rozario. A's 9 horas da noite apparecêrão na Praça do Arraial doze cavalleiros nem bem vestidos . vierão comprimentar-me. Tenho visto algumas figuras exotica- mente ataviadas. Immensas pessoas tem vindo do districto e fóra delle para assistirem ás festas do Im perio e do Reinado : as casas do arraial estão cheias de gente .ooo pessoas . tem armado toldos e barracas pelos matos contiguos . nos toldos .

O que servia de Alferes Mór conduzia a Bandeira . c páos den tados: o borborinho durou até ás 1o horas e então se tocou a chamada para se formar huma Companhia de Infanteria . e o Camareiro Mór levava a Cauda da Capa ou Manto Imperial. o que acontecerá á manhã que he o dia da grande festa ! 6 de junho. e sceptro na mão direitp. e observei justamente aquillo que se acha escripto acerca das festividades das Confrarias no livro intitulado — Governo do Mundo em secco . — Celebrou-se hoje a festa do Espirito Santo . e outro tanto fazião os pretos com os seus pandeiros. o qual ao meio*dia sahio em grande estado da casa de Jeronimo Caldeira : o Menino Imperador mui alvo. etc. c remetteu-me leitões . galante. que era huma coberta de damasco. 'il^l inteiros a assar em grossos espetos de páo sobre brazidos enormes : as gallinhas e leitões não tinhão conto . DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. e vestido com muito aceio marchava dentro do quadrado feito de quatro varas . trata-me com huma ostentação que muito me admira. levando a coroa na cabeça. Sc eu hoje vejo tanta comida . Guarda de Honra do Imperador. guizadas. e gallinhas assadas. etc. — Desde a madrugada nin guem se entendia no arraial : homens c mulheres a cavallo vinhão dos lugares -mais distantes para assistirem á grande festa ! Musicos tocando rebeccas corriãa as ruas . — domingo. em fim erão as Bodas de Camacho ! O Capitão de Cavallaria Romão José de Moura a quem eu encarreguei o Commando do Districto em lugar de Jeronimo de Abreu Caldeira . 3i . o Condestavel a Espada do Estado. que he paizano . e me deixa captivado. e Pa lavras embrulhadas em papel. e por conseguinte isento da minha jurisdic- ção. Jeronimo de Abreu por ser avó do Menino Imperador -do Espirito Santo presenteou-me com huma grande bandeja de doce . louro. sendo Imperador o neto de huma das mais ricas personagens do Julgado.

andão limpamente trajadas. e tratarão todos de jantar. — segunda feira. Bispo Prelado de Goiaz. Quando eu che guei á Igreja entendia que o aceio e a decencia do Templo corresponderião a immensidade das iguarias que encontrava a cada canto do arraial : enganei-me . e assim he costume I — como he costume .«42 ITINERARIO Eu por ser convidado a acompanhar a Sua Magestade. Eu não pude deixar de fazer varias reflexões ao Vigario . e o Imperador recebeu o incenso. debaixo do arco da Capella Mór. Na noite de hoje repetio-se a representação ou a marcha da dança dos pretos pelas ruas do arraial. e em todos os tres altares existião dezoito vélas de cêra quasi pretas! Muito depois do meio dia começou a missa cantada . e beijou o Evangelho : acabada a missa depois das duas horas. fui jun to a grade ou quadrado das varas.ma o Sr. A's 9 horas formá- rão-se as companhias de cavallaria e infanteria da segunda . — Hoje de manhã houve musica e bulha semelhante á de hontem. e ao pai do Imperador acerca da incomparavel indecencia da festa e immundice do Templo : respondêrão-me friamente — a" Igreja he pobre . e eu fui convidado pelos dous Reis e Rainhas do Rozario a ir a manhã á Igreja desta Invocação a fim de ver a festa do Reinado. Ex. chegámos a Igreja em cuja porta principal se achava revestido o Padre Vigario Manoel Ferreira da Silva. e vestido com limpeza. no que se gastou mais dinheiro só em alhos ou cebolas do que na sump tuosa festividade da Igreja Paroquial. a pax. velho octogenario. recolheu-sc o Im perador ã sua casa. Todas as pessoas pretas que entrão na festividade ." Rv. a Igreja estava in- munda como hum armazem de negros novos. 7 oe junho. que ■ deu o crucifixo a beijar . e acompanhou o Imperador até ao trono que se achava. e no meio de hum povo im- menso.. calei-me ! ! ! Eu tenho intenção de informar disto a S.

D. vestidos por modo improprio de taes per sonagens . paramentado de capa . Os cantores entrárão na igreja ( erão os mesmos que tinhão corrido as ruas ) e no corpo do templo . Ho norata huma das Rainhas. e páos dentados. Eu tinha visto na casa da Snra. cabaças com pedrinhas. subio para a sua cadeira presbiteral . lugar! — A esse tempo sentirão-se vozes de homens cantando fórâ da igreja. do Rozario. para fazer as honras aos Reis e Rainhas. causava-me grande incommodo . apenas se dignava lançar as vistas sobre mim. resignei-me a ir ver no adro a dança que desde já me inquie tava. lugar . para eú lhes passar revista de inspecção : opresentá- rão-se i4o praças. 243 linha . tendo . tomei novo animo. S. quando o Padre Vigario descendo do altar me disse que agora faltava a festa mais bonita . mas ataviados de coroas e sceptros . Eu fiz postar junto ao templo huma companhia de infanteria. Novo engano : o* Padre Vigario . o povo -que ahi estava apinhoado . A peque- nez da igreja. situada sobre hum pequeno morro junto ao arraial: he templo insignificante. e pensei que ia respirar ar livre no meio do adro: qual foi'porém o meu desgosto. e huma grande bulha de pandeiros. o grande numero de luzes ( contraste da festa do Monarcha Branco ) . crão homens e mulheres pardas. A alma cahio-me aos pés com a noticia recebida : não tive remédio . e quando a missa se aca bou ás a horas. e estava tão seria c tãb direita como hum« ostaca. mas acha-se mui aceiado. e as duas de infanteria são de pardos e pretos. que nada tem de formosura. A companhia de cavallaria he composta de homens brancos e pardos abastados . mas he inui galhofeira e agradavel : todavia quando se collocou no trono. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. A missa cantada* começou depois do meio dia : os Reis e Rainhas . S. e eu ouvi huma grande gritaria: —• arreda . arreda. Ao meio dia fui para a Igreja de N. boa gente sem o mais leve vestigio de dis ciplina. a dança de N. como me fòra pedido pela Irmandade.

— O povo que veio assistir ás festas do Imperador e dos Reis . que lhes fizerão entender que eu sahira extremamente admirado de tanta de voção. e a que por meus peccados eu tenha' de assistir na Província de Goiaz. cujos agradeci mentos retribui com palavras lisongeiras. c eu sahi da igreja maldizendo o gosto e a paciencia do Padre Vigario . ITINERARIO chapéos nas cabeças . e jmzerão a praça quasi intransitavel. Joio. 3 \ legoas. tanta profanação. acompanhado por varias pessoas . Fazenda de S. tanto estrondo de pandeiros e cabaças. — quarta feira. acompanhada de tanta sumptuosidade. As minhas mulas não apparecêrão. e o Padre Vigario vierão ao meu Quartel dar-me os agradecimentos de aceitar a honra de assistir á sua festa do Rozario . Felizmente não houverão cavalhadas por causa das grandes chuvas que tem cahido . a magestado dos Monarchas . a harmonia dos mu sicos . nem tenho noticia dellas : he provavel que estejão em caminho para o Sertão do Pernambuco. e tanta alegria e contentamento no Vigario. c no povo em geral. Eu estive na maior inquietação observando tauta indecencia . S. — terça feira. Nao tive remedio senão ouvir canticos fóra de proposito . . a que chamavão canticos de louvores a N. — Sahi do Arraial de Ar raias ás 5 horas da tarde . A's A horas da tarde os Reis e Rainhas. Em fim acabou a festa . 8 be junho. está regressando ás suas roças. « Quem he aquella Senhora que está na sua charola ? He a Senhora do Rozario qire vai para a gloria ! » . nas quatro Magestades. romperão desentoada berraria. e todas quantas festas de tal decencia e religiosidade se possão fazer . e decorei hum delles que mostra a incomparavel habilidade do seu autor. 9 de junho.

atravessei o Rio Formoso ás 7 horas e Não tem ponte : nasce duas le goas ao Oriente rto meio da serra calcarea . e depois deste o de Manoel Luiz . entra na margem esquerda do Rio de Santa Brigida. João .. Passei imuiediatamente o Corrego Rico que banha o arraial . entra-se em hum profundo vallc cercado de asperissimas montanhas calcareas. —. Adiante do Manoel Luiz passa-se duas vezes o dito Ribeirão das Arraias . Adiante do Rio Formozo está o Corre go de S. 4 legôas.sa da fazenda fica proxima a grandes montanhas . e recebendo o Arraias na forma sobredita . na margem direita . Logo chega-se ao Tombadouro de Arraias. Descida a serra por muitos zig-zags cheios de pedras . c junto a elle . — .e 3/4 passei o Rio de Santa Brigida sem ponte : as suas margens são altas . 1o de junho. que entra na margem esquerda do Rio Formozo. Fazenda de Santa Brigida. mas não tão alta e aspera co mo o Tombadouro de Cavalcante. A's 8 horas . distinctas do lugar. Sahi da Fazenda de S. com engenho de assucar : cheguei aqui ás 8 horas e meia por máos caminhos aos lados de serras mui elevadas. DO RIO DE JANEIRO AO PARA. assim chamado por ter peixe deste nome. João ás 5 horas da tarde : passei oito corregos que nascem na serra calcarea que fica á direita e a pouca distancia da estrada: todos elles estão seccos. A c. e os seus leitos são areões e calháo. O Tomba douro está huma legoa ao Norte uo arraial. fica a fa zenda do mesmo nome. que he huma des cida muito ingrome da serra . Fran cisco Thomaz recebeu-me e tratou-me muito bem. pertencente a Francisco Thomaz . c tem al gumas pequenas matas. e leva pouca . e cheguei a e"e ás 6 horas da tarde. os quaes unidos entrão na margem esquerda do Ribeirão das Arraias .quinta 'feira. Marchando pelo valle .

grande estabelecimento de criar gado. e entra na margem esquerda do Rio da Palma: o rio tem 1o braças de largura. Mar chei 2 . 2^0 ITINERARIO agua. João. Acabada a serra marchei 1 3/4 legoas ao Noroeste por bellissimas campinas ♦ em que se passão o pequeno Rio das Pedras . e morcegos innumeraveis. e ás 9 horas cheguei á casa da fazenda de gado de Francisco Thomaz . o qual neste lugar tem 5o braças de largura . — Sahi da Casa da Fazenda de Santa Brigida ás 4 horas e 2o minutos da tarde. e termina exabruptamente em hum campo. hum corguinho pequeno . e huma lagôa á direita. li de jdnho. 4 } legoas. A casa fica junto á admiravel Serra do Cotovello. Ha nesta fazenda arvores gameleiras de gran deza enorme. e eu fiquei aquartelado na casa do Juiz dos Orphãos do Julgado da. e os Corregos do Olho de Boi . Passado o Santa Brigida. Pedro . O terreno he plano sem nenhum corrego. continuei por caminhos semelhantes aos preceden tes. Além desta existem aqui ou tras pequenas casas. Rio da Palma . onde não encontrei pessoa alguma. e d'ahi a huma legoa entra na margem . e chama-se Fazenda de Santa Brigida. Nasce daqui seis Iegoas ao Oriente no sitio denomi nado Campinas . João até aqui foi constantemente a rumo quasi Oeste. d'ahi a outras duas legoas ao mesmo rumo o Porto de S. e Olhos d'Agua . A marcha desde S. — sexta feuia. Duas legoas ao Oriente fica o Porto do Bartholo- meu ou S./3 legoas pela raiz de huma serra denominada — Co tovelo — talhada a pique como huma muralha : he de pedra calcarea . Este porto do rio chama-se Porto do Policarpo. e ás 8 horas e 4o minutos cheguei á margem esquerda do Rio da Palma. Conceição . e 16 palmos de fundo : a canoa em que se passa o rio be muito pequena .

- ia de junho. cabeça do Julgado do mes mo nome . as quaes tornão estes lugares extre mamente doentios . Hum pouco á esquerda ou Oeste da estrada . Do Porto do Policarpo vai ao Porto dos Bois do Paraná hum atalho pelas varzeas. existe hum pequeno sitio. e ao pé della se apartão os caminhos para diversos portos do Rio da Palma. A's 4 horas da tarde montei a cavallo . fica o Porto das Almas. o Caissara. Na margem esquerda do Rio da Palma existe huma * arvore que segundo dizem tem a mesma propriedade da mor tifera Bohun Upas de Java : chamão-lhe Assacú. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. O Jenipapo e porções de corregos estão cheios de aguas estagnadas e corruptas. não obstante a sua configuração. 4 legoas. mas arido Arraial* da Conceição . que só tem doze legoas de marcha. no qual existem perto de 9o casas de diversas grandezas. que unidos entrão na margem direita do Rio da Palma. e armei a minha rede ou maca no rancho que ahi existe perto do barranco do rio. — sabrado. A's 8 horas atravessei a garganta de morros de barro vermelho . O Ri'o das Pedras . entrão na margem direita do Rio de Santa Brigida. atravessei os Corregos do RecantilíTdo (talvez Alcanti lado) . Abaixo ou a Oeste do Porto do Policarpo. extenso. S. e marchando por campinas aprasi- veis. Na margem da Jenipapo existe a casa de huma fazenda . He huma posição muito bella. direita do Rio da Palma o Rio da Palmeira.-* d'ahi a tres o Porto de Pernambuco. • Arraial da Conceição . e ás 8 e 1o minutos cheguei no aprazivel. formando algumas dellas hum só fogo ou familia (as familias são 7o). da Conceição . e^o Corrego do Olho de Boi . a Igreja Matriz deN. — Passei a margem direita do Rio da Palma ás 6 horas da manha . na distancia de duas legoas. e o Jenipapo ou Pindobal. crescente. d'ahi a outras duas o Porto dó Maia.

e outra de Henriques de segunda Linha. mas ignorava que clle fosse tão apaixonado de apparatos pomposos . 248 ITINERARIO de que apenas se concluio a Capella Mór . homem pardo. etc. em forma de procissão trazendo hum grande nu mero de utensis de prata. e tropa de bestas mua res com cabeçadas cheias de campainhas . etc. e criador de gado. e a Igreja do Rozario : ambas são pobremente ornadas e tem hum unico altar. toalhas. Este Official hospedou-me na sua casa. Eu já tinha visto o Tenente Coronel Salerna. porque elle nada tinha a esperar . cavallos. pratos . bandejas . e quer fosse por obsequio sincero. quer'por conhecer que eu não aceitaria os seus favores. e muita louça fma. guarda napos. todas compostas de gente mui luzida. mostrou-me e pedio-me que me servisse de qualquer quantia em dinheiro de ouro . prata ou ouro em pó que me fosse necessaria. galheteiros . Salerna mostrou-se sentido de eu não me aproveitar dos seus dinheiros . e café. reputado *o mais rico habitante da Comarca de S. O Sr. No arraial habita o Jenente Coronel Francisco d'Almeida Salerna . João das Duas Bar ras . huma de Infanteria . faqueiros . mineiro . Pertencem' ao Districto huma Companhia de Caval- laria . e em tanta quantidade que podia satisfa zer a toda a população do arraial. quando me foi visitar a Cavalcante acom panhado de muitos pagens. Vicrão diversas bacias e jarros . e mallas de pregadura dourada. terrinas. pratos. que não consistia em simplices palavras mas era fundada em factos reaes. Outra igual procissão se fez quando veio a comida para a mesa. Commandante Geral do Julgado. serviços de chá . e á vista" de bahús abertos contendo bum importante capital. Tenente Coronel a sua boa vontade . e penso que não foi por hypocrisia . reposteiros . Eu agradeci ao Sr. e por vaidade ou para ostentar as suas riquezas determinou que os seus escravos e escravas sahissem de ou tra casa em que se preparava a comida para aquella cm que eu habito .

— segunda feira. e de todas ellas as da Cajazeira são as mais famosas. Alferes Antonio Joaquim Ferros. De todos os arraiaes por onde tenho transitado em Goiaz. o Vigario fez-me a honra de espear-me paramentado a porta para me lançar agua benta e dar me o crucifixo a beijar : a musica cantou o — Psalmo Benedictus — . inclusos 179 escravos e 92 escravas. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. Á revista apresen- lárão-se i3o praças. Aqui ha varias minas1 de ouro em actividade. O Sr. — Fui hoje á missa a pobre Igreja Matriz da Conceição . mas os pardos e pretos são limpos e bem apessoados. 14 de junho. e queria franquear-me a sua bolça . encheu-se a Igreja de gente. — domingo. morador deste arraial tambem me obsequiou com muitas * attenções . e por pobreza ou por incuria não a encanão. Fazenda de S. O Arraial da Conceição he sobrema neira arido : a agua que se bebe vem de longe em vasilhas. .tamente hum pequeno corrego que o atravessa e acha-se de todo 32 .0oo almas. 13 de junho. 24<J de mim em Seu favor. que segundo consta não se acha pouco recheada. apezar de ser possivel essa operação. contão-se 1. — Sahi do Arraial da Conceição ás 4 horas da tarde . Encontrei 'ahi 24 Soldados de primeira Linha. e houve missa solemne. • e vi muitas mulheres pardas e pretas. por parecerem desnecessarios na Comarca do Norte . No Districto da Conceição que compre- hende sete bairros ou pequenos districtos. o da Conceição he aquelle em que ha menos gente branca . Bento . e só húma branca. c passei immedia. bem trajadas. Como a tropa de segunda linha veio ao arraial para a Revista de Inspecção . 3 legoas. que se recolhião a Goiaz. mas ordenei que regres sassem a Porto Real por ter noticia da vinda dos Indios Che rentes a este' lugar.

e adiante desta huma a direita. — Montei a cavallo ás 3 horas e '/4 da manha : passei o Corrego do Caracol com ponto demolida .primeiro entra na margem direita do Bonito Pequeno. e o Pequeno 4o : margens baixas. A's 4 horas e % . tem varios cerrados. o qual unido ao . puz-me em marcha . resultados dos tres- bordamentos do Rio da Palma. Até aqui contão 3 legoas. He menor que o Bonito Grande. Tendo descançado neste lugar até ás 4 horas da tarde . o Corrego da Vereda-comprida : ás 5 horas e % . e ultimamente o Corrego do Carrapato que tambem está secco. Adianto fica huma ipoeira ou pequena lagoa a esquerda da estrada. e as aguas das ipoeiras (quando chove) entra na margem esquerda do Rio Bonito Grande. Os pastos achão-se torrados pela força do sol que brilha desde que nasce até que se põe. A' 8 5 horas passei o. Este corrego recebendo o do Carrapato. he caudaloso : ás 6 horas' passei o Rio Bonito Pequeno com boa ponte. A's 6 horas e aã minutos cheguei ao Sitio do Ludegario . e passei o Corrego do Ludegario junto á casa : ás 4 horas e o Corrego da Vaca Morta. O Bonito Grande terá 6o palmos de largura . o Corrego da Cangalha. o qual fica junto á casa da fazenda. — terça FEinA. alguns cerrados de pequenas arvores carrasquenhas e tortuosas.-2 5o ITINJiRÁRIO sccco. i5 de junho. Rio Bonito que tem ponte arruinada . casa mise ravel de huma fazenda tambem miseravel. Sitio do Bom-fim . esta . A's 6 horas cheguei á casa da Fazenda do Bacupary de Joaquim Teixeira . As ipoeiras tem aguas corruptas . Bento por caminhos mui planos. A's 7 horas cheguei á insig nificante casa da Fazenda de S. Entrão unidos na margem esquerda do Rio de Manoel Alves da Natividade. 7 £ legoas. Os caminhos até aqui são mui planos . mas os pastos achão-se de todo seccos. e leva bastante agua.

e depois para o Oceano pela foz do Amazonas. conheci que o bom remador em vez de me condiízir para a margem direita do rio. Este morro conico levantado no meio de hum campo merece a attenção do philosopho ! Como se formou esta massa de terra insulada ? Será effeito de hum v. resolvido a fi car na margem esquerda até ao dia de a manhã. Huma legoa mais ao Oeste do arraial está o Morro do Moleque. e fica sobre huma extensa planicie : a sua altura talvez chegue a 1oo braças. e por isso mettendo. e cheguei ao porto do Rio de Manoel Alves da Natividade ás 7 horas. Demorei-me com effeito esperando que chegassem as minhas bestas de bagagem.olcão ou de hum sifão? Será resto ou parte de alguma cor dilheira que outr'ora aqui existisse . Com a minha tropa appareceu hum homem. A Provincia de Goiaz merece muito* as attençôes de alguns geologos. Continuando a mi nha marcha para o Norte do Bacupary . o qual tem figura quasi conica . ou por este.me com elle na canoa . Como o passador da canoa entendeu que por ser hum pouco tarde . $5t » belecimento muito pequeno. que me disse ter muita pratica do porto. Eu tive a imprudencia de o acreditar . e ser excellente remador. 1)o RIO DE JANEIRO AO PABA. e de que não apparecem vestigios nos terrenos? Se he resto de montanhas quantas convulsões da natureza não soffrêráõ estes lugares ! Quantas terras não forão arrojadas pelo Rio de Manoel Alves. e por isso quando eu cheguei . não havia pessoa alguma que me transportasse para a margem direita. e pelo da Palma para o Rio Tocantins. e das Lageas . e seis casas. atravessei os Corre gos da Lavra . eu não quereria atravessar o rio . Do Ludegario ao Porto do Rio contão-se 3 legoas. Meia legoa ao Oeste da Asa fica o arraial* do Principe em que ha a pequena Capella de S. retiron- se antes de se pôr o sol . João Baptista . levava-me pela agua . e a sua contextura he semelhan te a da Serra Geral.

existe o Minhocão.Sãs ITINERARIO t abaixo. que eu conheci que o meu bom remador estava embriagado. nem tinhão embarcação para me acudirem . e de muitos monstros aquaticos. e felizmente cheguei ás 9 horas á Capella do Senhor do Bom-fim. e como eJle o não fazia todos me davão já por morto em razão da proximidade da Cachoeira . entre os quaes. e outros individuos. e passou felizmente as pessoas que me acompanhavão c a minha bagagem. 0 Furriel fez accender huma grande fogueira para afugentar os innumeraveis morcegos quê nos assaltavao. Rocinha. A's 8 horas da noite montei a cavallo. iumunda por servir de aprisco a porcos e vaccas. Os gri tos que se derão na margem do rio chegárão aos ouvidos do passador. Toda a gente que estava na borda do rio gritava ao meu conductor que remasse debaixo . segundo consta . estive até a meia noite em huma casa dos Romeiros acom panhado pelo furriel Simão de Souza. Por este modo ás 7 horas e meia de hum a noite malfadada. consegui endireitar a canôa . e Riacho Secco. andando legoa e meia em huma hora. que não me podia soccorrer. e nada mais fazia do que gritar. casa que mostrava não ter sido em muitos annos habitada. Sella. e passei os Corregos do Ouro. que entrão na mar gem direita do Manoel Alves. tira-la do meio da corrente . e por isso se achava inteiramente desprovida de portas e janellas. Foi dentro da canoa . o qual correu sem demora. Eu lancei a culpa unicamente sobre mim. Como a minha bagagem ficou á retaguarda. A minha presença de espirito salvou-me nesta noite tenebrosa : sem saber remar . e seguir o rio ncima até ao barranco do desembarque. e na occasião do perigo . e o eu não saber nadar. < . em presença de muita gente . escapei quasi milagrosamente de morrer afogado no Rio de Manoel Alves da Natividade . e de mais a mais em muitos lugares destelhada. O furriel Simão de Souza. nem se atrevião a lançar-se ao rio por estar po voado de Enguias electricas.

posto que a devo ção no tempo presente esteja muito menos cultivada: a hermida he pequena . pela estrada que eu tinha deixado á esquerda quando passei o Corrego dos Paulistas. 4 legoas. e em vez de tomar a estrada da esquerda. Adiante hum pouco . segui a^ da direita. 253 A hermida do Senhor do Bom-fim he sanctuario famoso na Comarca de S. e por elle segui até ao Arraial da Natividade onde entrei ás 7 horas e meia. Arraial da Natividade . e o Corrego dos Paulistas. 16 de junho. o Riacho Fundo com boa ponte. o do Morro. e todas as pessoas distinctas . atravessei o Corrego da Caissara em cuja margem direita existem algumas pequenas casas. João das Duas Barras. denominadas Caissara Velha . assim chamado por estar proximo a hum grande monte. forão esperar-me com huma Companhia de Cavallaria ao Corrego de Caissara . A situação he muito plana . c obsequiá . Apenas lhes constou que eu entrara no arraial pela estrada velha. e o da Lontra. — Não podendo dormir hum só instante por causa des morcegos. mas a pouca distancia ficão montanhas elevadas. a qual he muito plana e larga. — quarta feira. Este entra na esquerda do Rio Salo bro .quasi impenetra vel. montei a cavallo ás 3 horas da madrugada e marchando a Oeste de altos morros calcareos e argilosos. Passei o Salo bro em ponte bem conservada . O Capitão Commandante do Arraial . e todas se achão maltratadas. Raimundo Fernandes Pereira . Em frente da Igreja existem algumas casas em que se recolhem os Romeiros. vierão procurar-me. ficão montanhas calcareas mui asperas . atra vessei o Corrego de Santa Maria. e tem huma bella Imagem de Christo crucificado. e os outros . na direita do Manoel Alves. entre as quaes ha hum desfiladeiro. e de huma infini dade de pulgas. D» RIO DE JANEIRO AO PARÁ.

O Arraial da Natividade he muito extenso. Existem aqui duas Companhias de Cavallaria . e arêa solta. por proceder dos raios do sol reflectidos da Serra dos Olhos . S. que se está concertando. e cujo Corpo da Igreja ficou na altura de oito palmos. Padre Gonçalo Fernandes Souto. O arraial fica hum quarto de legoa ao occidente da Serra dos Olhos d' Agua . tem boas praças. templo grande. que he a vasta Capella Mor de hum grande templo que se começou . pequena e pobre com hum altar : e a de N. Capella pequena. e antiga que está servindo de Matriz . achei-a muito aceiada: N. do Terço . e o numero dos fogos da povoação monta a 1 88.eja Matriz . por haver alguns de agua fepida : esta serra forma systema com as da mesma natu reza do Districto de Arraias. a primeira he a Matriz de Pt. O arraial já foi mais extenso e .d' Agua. O Vigario Geral da Comarca do Norte existe neste lugar : he o Sr. Eu entendo que a policia do Arraial da Natividade procede das transacções commerciaes que os seus habitantes entretem com a Cidade do Pará pelo Rio To cantins. S. morros. largas ruas. e algumas grandes casas . Benedicto. como no excellente quartel que para mim se achava pre parado. e duas de Infantcria de segunda linha. c tem unicamente tres allares: S. da Natividade. e estão aquarteladas no ar raial 3G praças de primeira linha para seguirem comigo ao Porto Real a encontrar-me com 8oo Indios Cherentes que vem procurar-me. S. Eu vejo aqui huma especie de civilisação cortezã : gente mui limpa e bem tratada . mas toda ella inimiga declarada do Governo e Povo da Comarca do Sul de Goiaz . Ha quatro Igrejas no arraial. do Rozario . O calor durante a tarde he insupportavel . pedra . Sc este templo se concluisse seria o maior da Provincia : parece-me que assim ha de aca bar. A maior parte do caminho de hoje he mio. tanto na Igr.254 • ITINERARIO rão-me c«m a maior distincção . com a qual tem relações mui raras.

e no tempo das chuvas fica coberto de aguas . — Hoje passei revista á tropa de segunda linha do arraial : montou a i32 praças . o qual foi muito extenso. que banha o arraial. e estão construindo a Igreja do Rozario sem haver para isso a menor necessidade. Arraial da Chapada .ooo escravos. boa gente . que durante a estação secca se cor rompem. no que não tem differença da do resto da Provincia. — segunda feira. Capitão João Baptista da Cruz Montes. 17 de junho. nem armamento regular . O Sr.887 almas. DO MO DE JANEIRO AO PARÁ. Em outro tempo existirão nesta Paroquia 4o. í55 rico . como deixão ver as suas ruinas. e como o terreno he baixo . — Sahi do Arraial da Na tividade ás 4 horas e meia da tarde acompanhado por todas as pessoas distinctas do lugar. O Rio de Manoel Alves passa distante do arraial duas le- goas . 21 de junho. e ainda tem varias boas casas. e vai ao Ma noel Alves. A tropa de Linha marchou para o Porto Real. — quinta feira. mas sem disciplina . Adiante tres quartos de legoa fica o Rio da Agua- Suja com boa ponte de madeira. 2 legoas. As laranjas deste lugar são as melhores da Provincia de Goiaz. I)'ahi a meia legoa está o Cor rego dos Atocuns ou Ticuns que entra naquelle. e no dia de hoje a população monta ape'nas a 734 fogos e 3. e excellentes ornamentoâ : existem agora 74 fogos no Districto do Arraial . D'ahi a meia legoa está o Corrego do Gaiteiro: adiante hum quarto de legoa fica o Cor rego da Praia . muitas peças de prata . Passei o Corrego da Praia ou Agua Suja. resultão febres inflammatorias que atacão a muitas pessoas que se achno ao alcance dos miasmas putridos es palhados na atmosphera. e junto a elle em terreno elevado o Arraial da Chapada. Commandante do Dis- 1 . a Igreja de Santa Anna com tres altares .

que vai ao Rio das Pedras. A's 4 horas da tarde montei a cavallo. e fica quatro legoas distante da Chapada. e o da Joanna . Descancei aqui a sombra de arvores mui copadas. Adiante acha-se o Rio das Pedras que entra na margem di reita do Manoel Alves. — -quarta feira. e em vez de tomar o caminho da direita . Os caminhos até aqui são. o Bonito Grande. Passado o Ba gagem fica o Corrego do Major. — Sahi da Fazenda de Santa Maria ás 4 horas da manhã. 7 j legoas.j56 ITIJTERÁRI0 tricto. e pouco depois o Ribeirão da Formi guinha . — terça feira. e por caminhos mui planos de campinas e cerrados . Formigas . — Sahi do Arraial da Cha pada ás 3 horas da manhã : passei o Corrego do Lava-Pés . O rio leva pouca agua. 25 de junho. atravessei o Corrego da Beata . Do Arraial ao Bagagem ha quasi huma legoa.. Tem . 22 de junho. tomei o da esquerda e subindo huma pequena encosta pedragosa . Neste ar raial existe hum chafariz que agora se acha secco. c entra na esquerda do Rio das Pedras. Fazenda de Santa Maria . e a Gallinha Gorda. onde fiquei pessimamente accommodado. o Bonito Pequeno. e cerrados. hospedou-me com grande sumptuosidade. leva muita agua . pelo meio de campinas . Passei depois o Corrego da Lagoa Formoza . Todos entrão no Rio Bagagem. passei pela insignificante Fazenda de Santo Antonio que está quasi abandonada. 5 legoas..que entrão na esquerda do Rio Bagagem. e pernoitei na casa da Fazenda de Gado denominada Santa Maria . Atravessei este rio que terá seis braças de largura. O Rio das Pedras tem dez braças de largura. e outros tres pequenos e quasi seccos . sem ponte .

e atravessa o Corrego da Beata . e por modo nenhum qui- zerão receber pagamento das gallinhas que se matárão para o jantar. (braço) o Socavão ao lado dos morros deste nome. tratárão-me muito bem. a Formiguinha . que está sobre a estrada da direita de que eu me desviára na margem esquerda do Rio das Pedras. Des- cancei na Fazenda de S. 2Ò~ hum corrego antes de chegar á casa . adiante do qual fica a. DO KIO DE JANEIRO AO PARÁ. a qual passa por hum chapadão ao longo do Rio Formiguinha que fica a Oeste ou ao lado esquerdo . e o Engenho das Cangas. He homem branco . Francisco ató ás 3 horas da tarde. Francisco em que ha criação de gado pertencente ao proprietario do Engenho das Cangas . O meu patrão parece-me homem muito curioso . e vaqueiro das fazendas de sua mâi .obras de diversas qualidades 33 . Hoje de tarde matárao ' na varzea da Fazenda da Formiga huma grande cobra de cascavel.Cabeceira do Rio Formiguinha. pois que vejo na sua casa ferramentas e. para seguirem a estrada da varzea para o Passa Tres. o Corrego da Viuva com muitas casas da Fazenda da Mãi dos Carvalhos . e em com panhia do vaqueiro que se offereceu a guiar-me. adiante do qual fica a casa da Fazenda de S. A estrada que cu segui desde o Rio das Pedras até a Formiga he preferivel no tempo secco á que deixei á direita . mas estes despendios nunca são exigidos ainda por modos indirectos. muito moça e nada feia (ambos pardos). Estes pequenos obsequios sempre se tornao mais despendiosos . A mulher <lo vaqueiro preparou huma boa ceia para o meu tropeiro e escravos que aqui tinhao de pernoitar. cujo proprietario me recebeu com a* melhor vontade. A's 3 horas da tarde montei a cavallo . marchei por campinas baixas e buritizaes em que ha varios pequenos corregos até a Fazenda da Formiga. seguindo por outros iguaes caminhos atravessei hum corrego quasi secco. e chama-se André de Carvalho. O vaqueiro e sua mulher.

e o terreno que percorri he tão baixo que no tempo das chuvas se torna 'quasi todo em huma lagôa. Francisco com a que eu vou trilhando. A casa está na margem direita do corrego. e tem desaguadouro ao rumo do N.•2Í)S ITINERARIO em que trabalha. pouca distancia outras habitações. — quista feira. Até aqui a estrada he ao longo da serra. Passado o Corrego das Esca . A's 4 horas montei a cavallo : atravessei o Corrego do Buriti . e he irmão do morador da Fazenda das Formigas. Adiante fica oCorrego doCabeça de Boi com huma casa da fazenda onde cheguei ás 5 horas. marchei ao lado da Serra do Cabeça de Boi . e a Bonita em huma varzea. O. passei pela Fazenda de Atanazio Rodrigues adiante da qual se une a estrada da Fazenda de S. e atravessei ás 4 horas o Corrego do Landim em cuja margem direita existe huma lagôa. e do esquerdo a Lagôa Pequena. ao lado do Oriente fica o admiravel morro denominado Cabeça do Boi. Na serra. — Sahi da Fazenda das Formigas ás 3 horas da manhã : passei o Formiga . Adiante do Atanazio fica o Corrego de Passa Tres . Adiante do Passa Tres fica o Corrego das Escadinhas : aqui encontrei a mi nha bagagem que veio pela Estrada de S. e em huma peninsula ao lado da estrada existe a casa da Fazenda do Tenente Severiano José Dantas \ e a. O Hio Formiga está do lado do Norte da Casa du Fazenda. O proprietario da fazenda chama-se Thomé de Carvalho . Seguindo a estrada ficão ao lado direito duas lagoas. A's 7 horas e meia cheguei á casa da Fazenda do Buriti de Joaquim Carvalho de Araujo onde descancei. e seguindo caminhds quasi sempre planos . cuja contextura não tem differença da Geral . Fazenda das Arcas. 24 de junho. Francisco por meio de huma extensa varzea. 8 legoas.

alguns cerrados. Alpoim . c sempre con serva a natureza da Geral. Do Buriti ás Arêas contão-se 3 '/» legoas. e leva muita agua. Os caminhos são planos. •i Arraial do Carmo . — Sabi da Fazenda das Aréas ás 4 horas da manhã . e não me atrevo a dizer que he artificial e sepultura de Chefes Indios. c assemelhão- se a escadas. segunda e terceira raizes . primeira . As passagens dos Corregos das Raizes são asperas. 20O. — sexta feib1. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. He bom estabelecimento pertencente ao Fur~ riel Jose Lopes . c logo o Arraial do Carmo onde cheguei ás 7 horas e 7< por bom caminho excepto as Raizes ao lado Occidental da Serra do Carmo que nunca me ficou mais de huma legoa distante . Adiante do rio ficão os Corregos da Sucupira . donde mostrava a figura de hum tumulo. e fazendeiro abastado. e passei o rio do. Concei ção . Adiante ficão os Corregos da Vertente. e em ultimo lugar o Sucuriu. que estão sobre a estrada. mesmo no me que nasce na serra : tem oito braças de largura . Todos estes corregos nascem na serra que fica muito perto ao Oriente. « pequenos capões de matos desbastados. o qual me recebeu . e tem muitas aguas estagnadas. (linhas . e ostentação por ser negociante. direita do Rio Arêas. Penso que be obra natural . O mais admiravel desta serra são varios morros que se achão no cume della. Eu tirei huma configuração delle quando estive na Fazenda do Buriti . cobertos de arêas proce didas da serra. por correrem junto a grossas raizes de arvores mui altas. 25 de jupího. . e por isso dei-lhe o nome de Mausoléo. e o que muito me encantou pela sua configuração foi o denominado Cabeça de Boi que fica ao lado da fazenda deste nome. e vão entrar na margem. 3 legoas. iica a casa da Fazenda das Arcas sobre o rio do mesmo nome. e tratou com grande aflabilidade.

Existe aqui huma Companhia de Cavallaria. e banqueta de prata . mas sem Offi- ciaes. e outro corrego cu hum brejo ao Norte . e tambem por ter visto outro pouco differeate chamado Morro do Socavão nesta mesma serra. Francisco até ao Morro do Mausoléo será de quatro legoas. por não me ser pos sivel o examina-lode mais perto. e duas de Infanteria de segunda Linha compostas de boa gente. Este arraial e o seu districto forão antigamente mais ricos. O motivo mais poderoso que tenho para pensar que o Mausoléo he obra natural procede da configuração do mesmo morro visto da Fazenda de S. A distancia da Fazenda de S. e que o quadrado que parece porta he obra do acaso. Junto apresento a figura do Morro Cabeça de Boi a que chamo Mausoléo tal qual o descubri da casa da Fazenda do Buiiti donde dista pouco mais ou menos 4 quatro legoas aos rumos E. e po- .N. S. ou para melhor dizer entre a serra que fica a Leste . o que deu motivo a huma separação violenta das duas Comarcas. ou os Outeiros e Piramides do Mexico. e com excellente lampada .O. João das Duas Barras. pequena mas bem ornada..E.S. o que acontece em quasi toda a Comarca de S. S. para onde as Autoridades da Capital da Provincia tem olhado com bastante indifferença. ao Norte do Rio das Formigas. que possão ser re putadas fi^os . O Arraial do Carmo está assentado em terreno quasi plano na margem esquerda do Rio da Agua-çuja. e a pobre Hermida do N. Francisco. o Rio Agua-çuja a Oes te .-O. Eu estou persuadido de que as linhas horisoutaes do Mau soléo são veias de argila . que separão as estratas de que he formada a serra . o Corrego do Sucuriu ao Sul . do Rozario. a Igreja Matriz de N. do Carmo. e por isso a sua situação torna-o insalubre : tem 1o7 casas entre grandes e pequenas. ao lado do qual eu pas sei no dia 22 deste mez.a6o 1TI1VERÁRIo assim como o são osBarrows dos Estados-Unidos da America .

.

.

e respeitavel morador do Julgado do Porto Real. Adiantç do Agua-çuja fica o Corrego do Formigueiro hum quarto de legoa a Oeste do Carmo . O Corrego do Sucuriil que está antes de entrar no arraial . e agora mediante a navegação. e mais corregos que passei hontem . 3 legoas. de quem ha poucos anitos depende este arraial que era a antiga cabeça do mesmo Julgado . Passei hoje revista á Tropa de segunda Linha. são planos. Os caminhos até aqui. Em seguimento está o Corrego dos Olhos de Agua. tem alguns capões. e a Serra dos Toucinhos fica ao longo do Ribeirão da Agua-çuja. promette algum me lhoramento. Corrego Fundo . a mineração aqui acha-se extincta . e capoeiras. O Sr. mas esse ha de ser mui vagaroso. do mesmo arraial. e atravessei logo o Ribeirão da Agua- çuja. c o Toldas duas legoas distante do mesmo arraial. depois de receber o Vertente. abaixo do Porto Real. o mais antigo. perde-se no Agua-çuja hum quarto de legoa ao S. e seu pai o vene ravel João Alves da Silva. vai entrar na margem direita do Maranhão ou Tocantins. ' 261' voados :. 26 de junho. BO RIO Dli JANEIRO AO PARA. que nascendo ao S. — Sahi do Arraial do Carmo ás 4 horas da tarde . e tratou-me com grande consideração . Vicente Ayres da Silva . deu-me informações mui extensas acerca da historia ou anti gos supeessos desta Comarca. .O. e ordenei que logo marchasse para o Porto Real para fazer frente a qualquer tentativa hostil dos Indios que me vem procurar.O. e depois o Corrego^ Fundo em cuja margem esquerda fica huma pequena casa em que pernoitei. Commandante Geral do Districto hospedou- me. innumeraveis fazendas de gado (9o) tem sido abandonadas por motivos de insultos dos Indios selvagens . e commercio com a Província do Pará . — sabrado.

O arraial he pequeno por -ser muito novo . os quaes entrão na margem esquerda do Ribeirão da Agua- çuja : ás 6 horas e meia passei o bello Ribeirão do Porto Real . chega ao Tombadouro da Ponta da Serra. Filial da Paroquia do Carmo. constando apenas de 47 casas todas insignificantes. o Corrego de Bento Torres . He Cabeça de Julgado creado em o anno de 181o pelo Ouvidor . Este chapadão . o Corrego das Lavrinhas . que fica em huma aprazivel chapada mui superior ao Rio Maranhão ou Tocantins. e ribeirões que passei desde o Arêas tem ponte: ás 7 horas e meia entrei no Arraial do Porto Real. na qual ha Tombadouro menor do que' os de Cavalcante . para a de Goiaz. das Mercê6. A's 5 horas passei o Corrego do Tobias: ás 5 horas e '/j desci a ponta da Serra dos Touci nhos ramo da do Carmo. e ás 5 horas e meia passei o Corrego de S. e poderá pelo tempo adiante admit- tir huma povoação superior á das mais extensas Cidades do Universo. -*~ Sahi da Fazenda do Corrego Fundo ás 4 horas da manha acompanhado por mais de 2oo pessoas que ahi se tinhão reunido em virtude da ordem dada no Arraial do Carmo. que se acha assentado na margem di reita do Rio Tocantins em terreno elevado . ás 6 horas . o qual terreno. ITINERARIO Arraial do Porto Real . que pôde ser regado em todo o sentido pelas aguas do Ribeirão do Porto Real he hum pedaço encantador. e coberto de arvores carrasquenhas . e hum Quartel de Registo das embarcações que descem para a Provincia do . S. João : ás 5 horas e % .Pará ou d'ahi vem. e Arraias . 27 de /unho. 3 £ legoas. — domingo. a pobre Capella de N. e mui superior ás maiores cheias. em rampa mui doce. Logo adiante do Ribeirão está o Corrego do Jacob : nenhum dos corregos.

Demorei-me algum tempo na margem esquerda do rio para observar a qualidade do terreno . Como o terreno em que o arraial se acha collocado he muito superior ao nivcl da corrente do Rio Tocantins. Tristão Pinto de Cerqueira. No Registo ha quasi sempre hum destacamento de vinte praças. he de aluvião composta de estratas de argila vermelha em alguns lugares. e aqui existirem 5o praças da primeira . 2Ô3 Joaquim Theotonio Segurado. que o Tabellião do Julgado serre de Commandante do Districto. e passei immediatamente hum pequeno corrego adiante do qual fica hum brejo com muita . já he hum monte de ruinas. e tem hum Pedreiro de bronze de calibre 12 onças . e pelo meio tem muitas pedras. e Pontal. não existem aguas estagnadas. D0 RIO DE JANEIRO AO PARÁ. o Tabellião que serve de Commandante do Districto . e por esse motivo goza-se em todo o tempo saude perfeita. acompanhado pelos Officiaes da tropa de primeira linha. A?s 3 horas embarquei em huma Igarité de quatro remos de pá no Rio Tocantins junto ao arraial. e seguido por outras Igarités (pequenas barcas chatas) atravessei o Rio Tocantins que dizem ter 374 braças de largura. montados em for quilha . 3 $ legoas. e muito poucas munições. e O Ajudante de Ordenanças do Pontal. Por ter chegado do Arraial do Carmo a Tropa da segunda linha . Arraial do Pontal . Estau esperando os Indios Che rentes que vem procurar-me. e comprehende os Districtos Paroquiaes do Carmo. e hum de calibre 8. Este arraial he por ora tão falto dè gente limpa . Montei a cavallo ás 4 horas. todas as casas estão oceupadas e eu aquartelei-me no Registo que não obstante achar-se construido ha mui poucos annos. commandadas por hum Officiàl ou Official Inferior .

Cruz. e chega-lhe ao embigo : he a maior pa peira que tenho visto em Goiaz. que veio ao meu encontro montado em máo cavallo. O arraial consta no dia de hoje de 49 casas arruinadas em grande parte . João. e tem grandes afficinas ! Tambem dão a este lugar o nome de Lamarão. Adiante da casa corre o Corrego do Taçuaral : passado este encontrão-se os das Toldas. que a conserva sus pensa em toalha . no qual existe huma grande catarata. As duas Companhias de Inian- teria de segunda linha do Districto deste arraial estavão-me esperando: toda a gente he miseravel.264 ITINERARIO agua : logo depois está a casa da fazenda do sobredito Aju dante Tristão Pinto de Cerqueira no lagar denominado Pre sidio. Nhanguera. A casa do Ajudante he boa . alta. e huma de Christo crucificado de grande estatura. e della desce hum ribeirão que entra no Piibeirão do Carmo. Ao lado esquerdo da estrada para o Pontal fica a Serra deste nome. e -softri de noite frio intenso. No fim desta serra da direita ao No roeste do arraial está hum morro redondo a que dão o nome de Urinol. Hum homem branco dis- tincto do arraial. e poucas pessoas vi que não tenhão grandes papeiras. por ter aqui estado hum destacamento para proteger a gente empregada na mineração. e tem a extensa Igreja Paroquial das sobreditas invocações. Gonçalo. aonde cheguei ás 7 horas e meia da tarde. Esta igreja está cahindo a pedaços e hontem pela manhã desabou o forro da Capella Mor. escalvada em partes e mui semelhante á de Arraias. Alferes Maximo. e junto a este fica o extenso c arrumadissimo Arraial de Santa Anna e Santo Antonio de Pontal . tem huma papeira tão grande. e Lava-pós. Eu fiquei aquartelado em huma casa immunda e meia cahida. com quatro aliares. O caminho para o arraial fica em a baixa ou valle formado por duas serras altas : á da direita chamão Morro de S. boas imagens. Pelo valle ao longo da estrada corre o Ribeirão . S.

54 . FIM IK) PRIMEIRO VOLUMfc. João existe huma grande lagoa. e vai lança-las na margem esquerda do Tocantins. 265 do Carmo . 1)o 111o DE JANEIRO AO PARÁ. que receba todas as aguas que se atravessão . Dizem que no alto do Morro de S.

.

. 151. — Lagea . 198. — S. 90 Arraial da Agoa quente. 262. 133. 210. 52. 122.115. — Meia-Ponte . Carrapatos . 84. 194. 253. Alimentos . Anhangueras. 196. Distancia do Rio a Goiaz . 94. 230. 97 : vide observações. 210. 156. Grutas e cavernas . 185. — Caxoeira de Trahiras.198. 98. Batuques. Bahia do Rio de Janeiro . — Arraias. — Santa Luzia . — Bom Fim. 89. 170. 99. 66. 222. I Agricultura. 210. Arraial do Porto da Estrella. — Jaragua. — Curralinho . 251. Baptismo da Linha .— Inhumirim . 13. — Carmo do Tocantins. Molestias . 100. 56. 55. 74. — Bambuhy. 207. 97 : vide observações. 220. 6. Mangas ou Bombas d'Agoa. Cupim . Gallinhas de carne preta . Caxoeiras . 114. Capão 46 . 94. 3. — S. 236. 43. 99 . José do Tocantins . 42. Apostolo S. 98 . 123. — Lavrinhas. 135. Monjolos . 62. Pedro d'Alcantara . 39. — Trahiras. ÍNDICE. 218. — Natividade'. . Jornadas como se fazem . Comida nas jornadas. — Parahilja. — Chapada da Natividade. 139. Bombas de Vento ou Agoa. Instrucção Publica . 166. 84. Atoleiro : o seu signal . 33. 204. Carrasquenho (Matto). 83. Gado. Grez elástica. — S. 4. 210. Direitos Nacionaes .197. 189. 16. — Calhamares. 104. Cidade de Goiaz . Agoas Mineraes. 43 . — Guarinos . 28. 4o. 63. 48. 71. 185 . 87. 198. — Oliveira. — Moquem . 179. 193. — Pontal. observações. 231 : vide observações. — Cocai. Aldêa do Carretão. 147. Mobilia das Casas. 63. 207 : vide observações. Incrustações . 100. 95. 260. 94. — Príncipe . 211. 175. 58. João Baptista. — Pilar. 94. — Patrocínio. Domingos . Cerrado . — Porto Real do Tocantins . Limites das Fazendas . 185. 28. 26 . 95. — Santa Cruz. 43. — S. 18. 71. Thomé. — Morro do Chapéo . Barreiros. — Santa Riu de Trahiras. Andadura dos Cavallos . Felis. 77. Arraiaes: os seus habitantes. — Prados . 27. 63 . Mineração . 194 . 255. — Cavalcante . 37. . 247. etc. 49. 78. 183. 42 . 160. Edifícios. 79. 85. 65. 54. 86. 104. — S. Fieis de Deos. 111: vide — Formiga . 90. — Corumba. 232. 96 . 111. Feras e reptis. Costumes. — Barra do Rio Vermelho. Equipagem de Marcha. 107.89. — Conceição . 232. — Carabandella . 264. 68. Estradas .201. 182.

20. — Palma. — Areas. — Fagundes . Sifão . FIM DO INDICE. 232. 176. Domingos. 232. 70. 198. — Tocantins . João . — Palmeiras. Domingos . — Formiga . 188. Serviço Divino . . 86. Picadas de cobra. 216. — Cidade. 83 . 68. 70. 27. 69 . — Corumba. — Ferreiro. 103. 21. 57. Serra do Araxa . — Bambuhy . 8*. 259. — Batalha . 59. 103. — Tagoatinga. Francisco . Miguel.Misericordia . 237. Observações geraes . 54 . Ignacio . 70.81. 54 . — Estrella. 48 . 108. — Campos Geraes . 91. 35. Vadios. 221. — Goiaz. — S. 71. — S. — Morto . Ossada fossil . — Preto . — Bacalhao . 95. 22 . — S. Reflexões geraes : vide observações. 218 . — Braço do Veríssimo . 135 . 198.S. — Piabanha. — Almas.110. — Frederico . 1 89. — Secco. Queimadas do Campo . . — Jacaré . — Geral.— Parana . 236. — Minas Geraes . — Maranhão . 101. — Pe:xe . 69 . — Tamaraty . Senhoras calumniadas . 63. 206. 175 . 67. 36. 12. 214. 74. 228. — Vermelho. 221. 67. 41. — Mortes . 171. 12. 90 . — de Pedra natural . 85 . 93 . — Figuras. — Mantiqueira . — Rio de S. — Letras. — Locas. — Parahiba . Bento. 92. Rio . — Velho do Rio das Mortes . 65 . 227. 38 . — . Vaqueiros. Ponte do Parahibuna. 113. 159 . 229. Francisco . 64. 8 . — Dourados . 236. — Parahiba. 199. 185. 57. 3. 6. 45. 34. 93. 79. 78. — Bezerra. 85. 226. — Tesouras .134. 34. — Paranahiba . Regist-) de Mathias Barboza . 232. Villa <'. 5o. — Uruhn'. Rios subterrâneos. 155. 23. 64. 32. — Quebra Anzol . 12. 55. 9. 219: vide observações. — Carandahy . 37. Teria podre . 97. 25.e Barbacena . — Marcella . Rio Araras. 3. 15. 209. 61. 12. 185. 77. 8. — S.^ — Parahibuna . Marcos . — Lambary . Natureza do terreno. 150. 52. — Parahibuna. 20. 201. — Bagagem. — S. 12. — Veríssimo. — Cayoaba . — S. 8. 78. 179. Provincia do Rio de Janeiro . 91 . 137 .268 INDICE. 177. — Inhtimirim . 52. 100. — Salitre . Morro dos Arrependidos . — S. 44 . 55.155.

80 11 vão . 65 24 rabotada .»—iS36. 12. immensas. 62 33 3. 6. ■ 13 Ferreira . 172 2 18. 88 3 Maw . 21 18 vaoens . 81 28 foi . hora e 40 minutos. Mawe. 78 32 canasquenhos . LINHAS: EM LUGAR : LEIA-SE . 232 11 imbigo . e Gonst. direita. Minimo. 66 20 sahia . saia. Rossinha. 79 5 fatigado . 57 33 esquerda . 209 27 Arenoque . 24 18 Menino . 8 29 4. 7. vaons. Typ. IS 9 Rossenha . . véo. 52 31 hora. 174 2 3 i. Inip. carrasquenhos. 76 9 cresta . Oronoque. 131 f 185 28 Guarinas . de Siiohot-Plauchkr e C. Guarinos. ERRATAS MAIS NOTÁVEIS. embigo. Ferreiro. 28 14 mesma . fui. PAG. crista. Rio <íe Janeiro. rebocada. fatigada.

2- . t : i . /</ 7.

TOMO SECUNDO. .ITINERÁRIO DO PELAS FBUT1BCU9 DE MINAS GERAES E GOIAZ.

.

VILLENEUVE E C°. e dos roteiros desta Província as de Mato Grosso e S. . Paulo . . DO RIO DE JANURO AO PARÁ E MARANHÃO . Regente do Imperio do Brazil. Bento d Aviz TOMO SEGUNDO.uma descripção chorographica de Goiaz . rua d'Onvidor n° 95. TYP. . E CONSTITUCIONAL DE J. OBRA DEDICADA AO EX«o S. PELO BBIGADKIBO Ofíicial da Ordem Imperial do Cruzeiro. PELAS PROVINCIAS ©IS mUSJâS (BIBiaiiBS 12 segui-lo de b. IMI>EMAI. Commondadnr da de S.856.DIOGO ANTONIO FEIJÓ. RIO DE JANEIRO.

.

Regresso ao Porto Real. houvêrão outras ruas em que só apparecem os vestigios das habitações. As communicações entre o Pontal . junho. e provavelmente durante as chuvas ha de estar alagado. Parece-me que o seu numero aão foi inferior a 24o. e to das forao construidas de paos a pique e cobertas de telha. Eu separei o Districto . O lugar he mui doentio. e todo o terreno do arraial he mui plano . e o Porto Real fazem-se a travez da aspera Serra do Pontal. Algumas casas erão extensas. 1824. A igreja acha-s/3 em huma vasta praça. — Hoje de manhã fui ver as ruinas do Arraial do Pontal. e toda a população da Pa roquia acha-se reduzida a 6oo almas. Este arraial nunca foi visitado pelos Governadores de Goiaz depois do anno de 1773. ITINERÁRIO DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. que agora foi derrubado. — segunda feira. que até a mesma estrada por onde eu passei ficou abandonada e coberta de mato . Além das ruas que ainda existem com algumas casas de todo cahidas ou meias arruinadas . As hostilidades dos Indios atenuárão de tal modo este arraial . — 28 df.

. algum peixe. mas que no trabalho tanto he o principal como o ultimo guer reiro. bem apessoados. pescoços curtos . e buma aljava cheia de flexas pequenas. doze legoas ao Norte do Porto Real sobre a margem direita do Rio Tocantins. e 1 3 meninos Cherentes. e que os aldeie junto ao Rio Tacuarussú. feira. mais como espiões ou exploradores do que como Colonos que desejão aldeiar-se : todavia desfarço as minhas suspeitas . Mandei dar-lhes de comer O' que fazem com vora cidade . Muito poucos são aquelles que trazem sacco com algum manti mento. — Hoje pela manhã man . dormirão alguns no Quartel do Registo. e seguindo a estrada do dia de hontem. e muito poucas bananas. trazem o cabello cortado pela altura dos hombros . 69 guerreiros. e encarreguei o Commando Geral delle ao Ajudante Tristão Pinto por ser a mais qualificada e graduada pessoa da Freguezia. e i3 meninos. peitos largos. As pessoas de ambos os sexos estão absolutamente nuas : cada homem traz hum arco forte. 1 7 mulheres. dos quaes só vierão os sobreditos por saberem que o Capitão Grande (eu) estava no Porto Real com muitos soldados. Eu esperava 8oo. 29 de junho.í 1TIHERARIo Militar do Pontal do do Porto Real e Carmo. — terça. macacos e lagartos assados. que viêrão pedir paz. e os homens tem coroa como a de nossos' clerigos no alto da cabeça. São muito robustos. algumas flexas ou virotões compridos e empenados. cheguei ao Arraial do Porto Real ás 6 ho ras. e todo este consiste em preás . e não lhes tenho per guntado quaes os motivos de virem 71 homens adultos tra zendo unicamente 17 mulheres. Eu conservei sempre hum Corpo de Tropa prompto para qualquer eventualidade . e outros em ramadas que levantárão. e ahi achei 2 Capitães. Eu reputo os Indios que se apresentárão. e tive occa- sião de observar. que os Capitães são muito respeitados. A's 2 horas da tarde montei a cavallo.

que com os seus guerreiros fizesse hum simu lacro de ataque e defeza : elles dividirão-se em dous bandos. desparavão os arcos. apezar de eu existir no meio delles com outros Officiaes. e empunhando os arcos . e dé catadura hor rorosa . fazião hum alarido como trovões . Quando porém atncavãoem fila. e reunida a Cavallaria e Infanteria. abaixavão os arcos. dei ordem para se fazer exercicio de fogo pela tropa de linha . e virão os cavallos deste e de Pizarro. servindo como caçadores os Milicianos indisciplinados. Eu co nheci não serem exageradrts as relações dos historiadores acerca dos sustos e terrores dos Mexicanos e Peruvianos quando ouvirão os tiros de artilheria de Cortez. até que a victoria se decidia por hum dos lados. pedi ao Capitão Indio . que ficavão desformes . Pedi ao Capitão mais velho dos Indios. e que estes animaes sustentão-se a ferro. No primeiro caso davão grandes saltos para hum e outro lado. DO IMO DS JANEIRO AO PARÁ. avançárão humas vezes em linha de batalha com grandes intervalos de hombro a hombro . 3 dei tocar a chamada . passei revista a perto de 3oo homens. postavão-se huns a traz dos outros em huma só linha. e atacavão-se a punho homem a homem. e então levantando repentinamente os corpos. lançou-se por terra quando ouvio desparar hum pedreiro de 12 onças: as mu lheres fugião como cobras arrastando-se pelo chão. Com efleito os Indios Cherentes pensavão que o cavalleiro fazia parte do cavallo. Os Indios que nunca tiuhão visto cavallos. que mandasse ajuntar os seus guerreiros. e tal era a contracção dos mus- ' culos do rosto. e caminhavao agachados até ao lugar em que se achava o inimigo. Acabado o exercicio. catadura que mettia medo aos nossos soldados. estavão tão medrosos como se não pôde fazer idéa. e estando reunidos. pedi ao Capitão Indio. Concluida esta pequena guerra . O guerreiro que tinha creditos de maior valentia . c outras vezes em filas ou de peito a espalda.

e que não as fazia desparar . O Capitão preparou immediatamente hum arco . batendo nella com as mãos . e a nossa superioridade. e fazendo o som bá-bá-bá. e talvez alcançassem mais se houvessem arcos mais grossos. e só 2o que na distancia de 1 5o o não tocassem. pedi que marcasse hum ponto ao alcance maximo do virotão lançado pelo mais robusto guerreiro. e com efteito empenhando todas as suas forças. porque tinha a certeza que elles . ferio a taboa . Quando os Indios virão o alcance da baila que fustigou as aguas do Tocantins . cuidou o Capitão Indio que as suas armas tinhão vantagens sobre as nossas.4 ITINliRARIO que mandasse os seus melhores guerreiros atirar ao alvo. applicou-lhe hum virotão empenado . que se achava a dobrada distancia do lugar em que cahio o virotão . e po deria ter 6o palmos de alto. ficando mui ufano c orgulhoso por me haver mostrado a sua habilidade. Como alguns soldados milicianos ficassem grandemente ou para melhor dizer estupidamente admirados do alcance das flexas. e como he homem reputado o mais robusto e valente . Dos 71 guerreiros houverão só 4 que da distancia de 100 passos não ferissem o alvo ao primeiro tiro . e mandei atirar a huma taboa . e causou aos Indios extrema admiração. e mais forte arco que elle pudesse pro curar. quiz fazer o tiro . Dado este tiro mandei desparar hum pedreiro de 12 onças com balla. Eu então disse-lhes que nós tinhamos armas que lançavão ballas até as Serras do Pontal . Eu cha mei então hum soldado . lançou o virotão quasi ao meio do Rio Tocantins . Este foi o maior alcance das flexas : os virotões empenados chegárão a 22o passos . e felizmente o apontador mui pratico nas caçadas dos veados . e como era necessario mostrar-lhe o seu engano . ficarão com a boca aberta . Eu dei para marca a grimpa mobil do mastro que para a festa do Espirito Santo estava arvorado na praça do arraial.

e no fim da resposta derão todos juntos hum grande guincho mui subido . DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. pedi ao Ca pitão que mandasse fazer huma dança á moda da sua terra. Esta dança foi seguida de outra fingindo huma caçada de onças. perto da fóz do Rio Tacuarussú. que foi respondido pelo mesmo modo. Logo se formárão em circulo homens* e mulheres. e ao mesmo furriel dei as instrucções convenientes para o esta belecimento e administração da aldêa . a que puz o nome de Graciosa . acabavão o canto abaixando a voz por hum modo mui semelhante á ter minação dos psalmos nas Matinas da quinta e sexta feira da Paixão. que eu' ainda augmentei contando-lhes cousas espantosas sobre o poder da gente branca. O furriel Estevão Alves e dous soldados vão ali ficar. o qual durou cousa de hum minuto. e as corridas dos cavallos a toda a brida . De tarde dei as providencias necessarias para a marcha dos Indios no dia de amanhã . e que he o seu Sacerdote e Curandeiro . e no fim delle os Indios respondêrão com vozes grossas e igualmente monotonas. e então hum Indio que trazia á roda da cintura hum arco de sipó grosso como o pulso de hum rapaz de dez annos . a qual me pareceu mais desengraçada do que a precedente. em lembrança de minha filha Gracia Hermelinda . rompeu hum cantico em voz baixa e monotona . a bem de levantarem huma aldêa sobre o Rio Tocantins. repetio outro verseto . desparando-sc clavinas e pis tolas . e assim acabou a dança. O alcance das ballas . Quando tcrminárão as operações da guerra. e andando á roda por tempo de dous minutos que durava o verseto. O Indio do arco á roda da cintura . deixavão os Indios cheios de medo . em que se davão no chão pancadas fortes : cantou-se finalmente hum terceiro verseto. e durante a marcha em cir culo com passos mui curtos. cujos canticos não pu de comprehender por falta de interpretes intelligentes. 5 morrerião de susto.

OBSERVAÇÕES acerca da Comarca de S. e os que não vierão encontrar-se comigo. em conformidade das ordens que eu. ou quizer saber o estado. quando fiz regressar a tropa de linha ao Porto Real. tiv. e os principaes moradores dos distric- tos contiguos tambem lhes offerecêrão mantimentos . ficárão acompanhando as mu lheres. Eu já mostrei qual he a natureza do terreno entre Goiaz ( a Cidade ) e o Arraial de Cavalcante: vou agora dizer algu ma cousa acerca do resto da Comarca do Norte. No numero das mulheres que vierão entravão algumas velhas. e os accidentes dos caminhos do interior do Imperio do Brasil. havia expedido acerca delles. João das Duas Barras desde o Arraial de Cavalcante até ao Pontal. dei roupa a muitos delles . e huma rapariga de 12 ou i4 annos estava doente de dous bubões : he mulher de hum Capitão. As mulheres dos aborigenes que entrá- rão no arraial. nem como geographo que offerece des- cripções geraes : eu escrevi unicamente para aquelle que der os mesmos passos que eu dei. naturaes e politicas das Provincias por onde tenho transitado. e os recursos que pôde tirar a pessoa que seguir a mesma linha de marcha: não escrevi como naturalista . do Arraial da Concei ção. ferra mentas e roupas .e uni camente em vista informar a quem o ler qual he a natureza do terreno que eu percorri .6 ITINERARIO da Cunha Mattos. Eu distribui muitas peças de ferramenta pelos Indios. não passavão de 2oo. Em obras mais volumosas e mais methodicas cu tratarei de talhadamente das circustancias civis . as quaes forão compiadas á minha custa. Quando eu mepropuz escrever este Itinerario. Os Indios que se dizia virem em numero de 8oo. ficárão com outros Indios no Tacuarassú. de maneira que os Indios ficárão bastan- temente consolados. .

mas os seus mais numerosos braços da margem direita nascendo na Serra Geral correm aos rumos Este-Oeste . n O terreno que decorre desde a Serra Geral que divide a Província de Goiaz da de Minas Geraes ao rumo proximo Norte Sul . porem junto a clles corre o im- menso Paraná. DO RIO DB JANEIRO AO PARÁ. Ao Norte do Manoel Alves da Natividade o terreno que eu percorri . e o Araguaia do outro . ou ao Norte de Caval cante. que traz comsigo as aguas de rios bem no tareis. O systema geologico dahi em diante até ao Arraial da Na tividade he difTerente. e. pôde ser considerado como formando tres pro fundos vãlles entre a mesma serra limite oriental . o do Araguaia. e que tanto a Serra Geral como ou tras cordilheiras conservão immensos depositos de aguas. e o Rio Araguaia limite occidental. Que maiores provas do que os Rios de S. que nas cabeceiras dos mesmos rios tem a deno minação de Serras de Tagoatinga . e do Duro. O valle do Paraná corre quasi Norte-Sul. até a passagem do Beneve nuto ou Porto dos Bois do Paraná r. e do Manoel Alves da Natividade os quaes nascem na Serra Gerai . em quanto a Oeste do Tocantins ou Maranhão apparece hum novo valle formado pelo Rio de Santa Thereza que he mui consideravel. ha o consideravel Rio das Almas. O do Maranhão. pois que os valles que existem cor rem da Serra Geral ao Rio Tocantins aos rumos Este-Oeste. e o dos Bois mais pequeno do que este.o Districto do Arraias. Os extensos e caudalosos rios que se atravessão desde o Arraial de Cavalcante até ao Porto Real mostrão que o ter reno he montanhoso . Domingos e da Palma. que quasi junto ás suas primeiras fontes exigem ca noas para se atravessarem! Adiante. acontecendo outro tanto aos rios que ficão nas duas margens do Palma. Estes valles são o do Rio Pa raná. c extendem-se desde as cabeceiras dos Rios Paraná e Maranhão de hum lado .

e de argila vermelha: pare- ce-me de alluvião ou decomposição das Serras da Natividade e Carmo : tem muita arêa solta . serpenteando pelos profundos e dilatados valles do Rio do Somno onde não se encontra hum só homem civili- sado. * . o qual he hum cotovelo da Serra dos Toucinhos prolongamento da Serra do Carmo. e a Serra dos Olhos de Agua ou da Natividade e Carmo : hum immenso rio corre entre essas duas seiras . descobre-se magestoso desde o alto da serra. bem pouca pedra calcarea. que. Com effeito as Serras da Natividade e Carmo não distão da estrada real mais de duas legoas. e apenas em toda a extensão da terra que fica entre o sobre dito Arraial da Chapada e o do Porto Real se encontra hum Tombadouro de que fallei no dia 2 7 de Junho . hum dos maiores tri butarios do Tocantins . se gundo me contarão varias pessoas residentes nos arraiaes destes ultimos nomes . O valle mais oriental he formado pela continuação da Serra de Duro então chamada das Mangabeiras ou das Figueiras . he o motivo de serem tão pouco caudalosos os ribeirões que se encontrão ao Norte do Manoel Alves até ao Porto Real. e em alguns lugares apenas tem hum quarto de legoa . c não obstante haverem dons valles desde a serra até ao Maranhão ou To cantins . Este Rio das Balsas corre tão perto da fralda oriental da Serra da Natividade e Carmo. ramo occidental do Somno Grande. e a distancia da estrada ao Rio Mara nhão em lugar nenhum he superior a seis legoas. as aguas são diversas. O terreno que fica ao Norte do Arraial da Chapada até ao Porto Real he quasi todo plano.8 ITINERARIO forma hum novo systema hydrographico . O valle das Balsas he muito maior do que o do Tocan tins em quanto á largura . e cuja foz se encontra 4o legoas ao Norte do' Porto Real. pois que a proximidade em que o mesmo Tocantins fica das Serras da Natividade e Carmo. debaixo do nome de Rio das Balsas.

c Amaro Leite.4 do mez de Junho. e pelas informações que tenho recebido acerca da exportação do gado vacum.. feijão e mandioca que bastassem á subsistencia dos moradores : finalmente ouvi dizer que os caminhos são asperos. en tendo que em toda a Comarca do Norte de Goiaz não existem presentemente 3o. . Pelo que respeita á aspereza dos caminhos . as artes c scien- cias achão-se quasi no mesmo pé . não se póde duvidar que os da Co marca do Norte de Goiaz são trabalhosos em transitar . e 3.ooo bestas cavalla- res em manadas.ooo bois ou vacas. e que o numero de rios de canoa. mas atravessei hum grande numero de fazendas que ficavão debaixo da linha da minha marcha . »o RIO DE JANEIRO AO PARÁ. e os homens qualificados como ricos são em numero bem limitado. Pelo que respeita ao gado vacum e cí■vallar. c por isso não exis- tião plantações de milho. na marcha do dia 2. e apenas vi junto a Lagoa Bonita . He certo que eu não vi as fazendas de criar do vão do Paraná. Os moradores do Norte pouco differem em civilisação dos do Sul. No que toca aos animaes ferozes não me foi possivel descobrir algum até ao dia de hoje . mas o aceio da roupa de quasi toda a gente do Norte hc maior do que na da Comarca de Goiaz. O nome de criador da-se a qualquer pessoa que tem 2o ou 3o vacas. eu encontrei tão pouco pelas immensas pastagens. e que estavão grandemente arredados da civilisação da Comarca do Sul. que me não atrevo a chamar criadores de gado aquelles individuos que se inculcão como taes. Em tudo isto ha grande exageração. nem as d-a Palma. Tambem ouvi dizer que a Comarca do Norte acha- va-se coberta de gado vacum e cavallar. ouriçados de montanhas. e o volume de todos elles he mui consideravel. t) Eu tinha até agora ouvido dizer que os habitantes dos ser tões da Comarca do Norte de Goiaz crão muito selvagens. e infesta- dissimos de animaes ferozes que se encontrão ã cada passo. e com as excepções que indiquei em outro lugar .

e com effeito algum he tão amargoso. e notei com . que se importa de S. e até cheguei a encontrar casas.1o •' ITINERARIO o rastro de buma onça. faz-se ordinariamente uso de farinha de mandioca em a maior parte das Povoações do Norte . O sal da terra muito impu ro. choupanas. ou como lhes quizerem chamar. que só por falta de outro se pôde suppor- tar. cujas pa redes e cobertura erão de couros de gado vacum ou ca- vallar. innumeraveis araras de diversas cores. cozida com couves picadas . e muitas nas fazendas tem as portas e janellas tapadas com couros de boi. e tem chegado a comprar-se hum alqueire-do Rio de Ja neiro por 16 oitavas de ouro. e como eu já disse em outro lugar. he do que se faz uso ordinario. e temperada com graixa de vaca. fogem do milho por não o conhecerem. A comida ordinaria consiste em carne secca ao sol . algum arroz. e outras aves. mas não senti o canto melodioso de nenkuma especie. O sal marinho tambem aqui he mui escasso. ranchos. Como as seccas. que na opinião das pessoas que me acompanhavão n5o era das maiores que vivem nas cavernas e quebradas das serras. e em razão do seu alto preço só tem entrada nas mesas das pessoas principaes. Francisco. e pouco feijão: tambem sc faz muito uso do peixe salgado ou secco ao sol. As gallinhas são sustentadas a carne. A policia dos arraiaes do Norte não tem differenea da do Sul : as casas são construidas pelo mesmo modo . as terras arenosas e a mais avultada cria ção de gado obstão até certo ponto á cultura do milho. bar racões. Vi muito poucas cobras . Carne de porco e toucinho he nesta Comarca alimento mui raro. Romão no Rio de S. de dimensões enormes. e essa mesma em pe quena quantidade. e ainda mesmo no meio das matas dentro dos troncos de arvores ôeas. O vinho e azeite são aqui muito caros.

são os effeitos que se conduzem pelo To cantins ao Pará. I1 bastante admiração o fazer-se mui pouco queijo. e pouco toucinho. As pessoas que por acaso comem salada . onde se trocão por fazendas seccas e li quidas. ou outro do Norte. e nas Serras de Santa Anna e Orfãos de Caval cante . ferro. muitos perigos e trabalhos nas descidas e su bidas de grandes cachoeiras . fica muito mais baixo do que o dos lugares em que ha plantações de trigo em maior ou menor quantidade . nunca se intro- duzio nas de igual elevação do Arraial de Arraias. Estes generos. e mais bem dirigidos pelo Governo . DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. de certo a Comarca poderia ser mais . A na vegação do Tocantins reune aos riscos dos assaltos dos In dios selvagens. e gor gulhos : todavia os interesses convidão . Havendo huma pequena cultura de trigo nas terras altas do Arraial de Cavalcante. que apenas consiste em cortumes de couros e solas . A industria fabril acha-se tão pouco adiantada. a sa ber : nas terras altas do Districto de Meia Ponte junto aos Pyrreneos . e pou cos tecidos de algodão. Estes botes são pequenas embarcações cobertas ou destroncadas. algum tabaco. O commercio pelo Tocantins acha-se em estado de paralysia. e nenhu ma manteiga nas fazendas de gado. que carregão de 3oo até 3. varadouros. e algumas pessoas fabrieão para seu uso mui boas vélas. Verdade he que o nivel do terreno ao Norte do Tombadouro de Arraias . ooo arrobas de carga. e no Porto Real encontrei hum só bote que se está apromptando para descer ao Pará : dizem que na Villa da Palma existe em construcção hum bote grande pertencente ao alferes João Vidal de Ataide. servem-se de gordura de vacca derretida. em lugar de azeite de oliveira. c se os moradores da Comarca do i\ortec fossem menos preguiçosos . que eu desci no dia 9 de Junho. correntezas . e sal. Não falta mamona para fazer azeite para luzes . as quaes me parecem as mais elevadas da Provincia de Goiaz.

A Mirage ou Fata Morgana que eu observei. e morrer atolado nas lagoas quando se vão seccando. Nas campinas immensas que atra vessei desde Arraias até ao Porto. que se esquenta pelo sol. A perda dos meus thermometros foi-mc aqui bem sensivel. acon tece que os ribeirões. mas a respeito do outro territorio. Real. ao gado. O principio e o fim desta épocasão fataes aos ho mens. que durante a estação das chuvas levão immensa agua. c a segunda nas ipoeiras que ficão ao Norte do Arraial da Conceição. e sobre tudo os Districtos da Conceição. c outras formadas de pissarrão. O que acabo de dizer he mais applicavel aos Districtos de Flores e da Conceição. arêa. convenceu- me a experiencia pessoal. Como grande parte do terreno da Comarca . por lhe faltar a agua . Eu penso que só mediante Companhias de negociantes naturaes e estrangeiros se poderá dar vida ao commercio do Norte. nao podem resistir ao calor da agua desses pegos ou poços . ficão absolutamente seccos no tempo em que não chove. Desde que o sol nascia até que sc occultava . que ficando em poços ou pegos mais fundos do leito dos rios que seccão ou se cor- ião. como nunca senti na Costa d'Africa.jg ITINERARIO rica e florecente do que a do Sul de Goiaz. aos peixes finalmente. e os de S. do que a outros lugares : fallo a respeito de Flores por in formação. não tinha as maravilhas que se representão no Canal de Messina entre . e barro. Domingos são muito arenosos por motivo da progressiva decomposição da Serra Geral. não se via huma unica nu vem : a atmosphera parecia incendiada. soflri calor extraor dinario . Nesta época a natureza soíTre . c em labaredas que sc levantavão da superfície da terra : a extraordinaria visão da Mirage ou Fata Morgana apresentou-se-me duas vezes : a primeira na margem direita do Rio da Palma . por serem atacados de febres intermittentes. e não ha vivente algum que deixe de padecer maio res ou menores incommodos.

a Lybia ou a Syrtes de Goiaz'. — quarta feira. são os mais doen. . dei ordem para se recolherem ás suas casas as Tropas Milicianas dos Districtos do Pontal. Canarias. Hum já cu conheço. foi unicamente parecer hum immenso lago aquelle terreno que eu havia de atravessar. e segui para Goiaz acompanhado pela tropa de pri meira linha que não devia conservar-se no Tocantins . DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. e outros lugares do antigo s novo mundo: o que cu vi. e procedeu certamente da reflexão dos raios do sol que ferino humas pequenas en costas. Eu tive a fortuna de atravessar todos estes lugares insalubres. a Oeste do Rio Maranhão. e Porto Real . 6 £ legoaj. e Amaro Leite. esta visão durou poucos minutos. Eu conto fazer esta entrada com 25o homens. — Arraial do Carmo. Felix. José. nem as que muitas vezes se descobrem nas Ilhas da Madeira. Regresio do Porto Real a Cidade de Goiaz. que se havião reunido nesta ultima povoa ção . sem soflrer o mais leve incommodo. l5 a Sicilia e Napoles . 3o de junho.tios da Provincia. A Comarca do Norte soffre muito pelos insultos destes barbaros. — Tendo cu concluido OS necessarios preparativos para o estabelecimento dos Indios na Aldêa Graciosa . Carmo. S. e que eu desejava empregar em huma entrada (exploração) no territorio oceupado pelos Indios denominados Canoeiros. já procurárão interceptar as communicações entre o Arraial de S. que havião commettido algumas hostilidades nos Districtos da Villa da Palma . que tendo feito abandonar hum grande numero de fazendas . ou se con sigo entrar com clles em ajustes de paz. e desejo ver se lanço os selvagens para o Araguaia . Dizem que tanto o Districto da Villa da Palma como o da Conceição e o de Flores. daqui a pouco tratarei de entrar naquelles que me faltão a examinar.

Felix o Cavalcante pela estrada principal. 3 legoas. cheguei a Fazenda das Arêas ás 8 horas e 35 minu tos. Fazenda das Arêas . e onde assassinárão . e na inspecção de algumas flo res que tem escapado á secca que todo devora. e que a toda a hora encon trão serpentes desta natureza nos rios e nos buritizaes . Elles estão agora senhores de hum immenso territorio de que desalojárão . que estava fóra da agua do ribeirão junto á passagem : abrio-se . queimárão . Os Sertanejos disserão-me que o Sucuriú faz preza com a cauda em qualquer tronco ou . e no estomago huma pequena capivara ainda inteira e muitos outros corpos em completa dissolução. O Furriel Simão de Souza matou ao meio dia a tiro de espingarda carregada com chumbo miudo. entretendo o tempo na caça das perdizes que são abundantes c saborosas . Como o Pa dre Aires do Cazal na sua Corographia Brazilica trata de Sucuris. A minha marcha de hoje foi pela estrada seguida nos dias 26 e 27 deste mez: andei pela manhã e de tarde com muito vagar. Sucuriús. qual he a differença de humas ás outras : todos me disserão que algumas tem a pelle muito parda. — quinta feira.1^ ITINERARIO e o de S. tinha muita gordura. e malhas mais extensas do que se observa em outras . e reduzirão á escravidão e á miseria hum vasto numero de familias civi- lisadas. he absolutamente falsa. e Sucuriubas. O tiro foi á cabeça . e que se persuadem que formão huma só especie. i de jcluo. eu indaguei de muitos Ser tanejos que me acompachavão . — Sahi do Arraial do Carmo ás 4 horas da manhã. huma cobra Su curiú de 23 palmos de comprimento e mais de palmo e meio de diametro no ventre. A existencia de duas unhas aos lados do anus do Sucuriú. e pela estrada seguida no dia 25 de Junho.

DO RIO DE JANEIRO AO PARA. Os corregos que passei entrão na margem esquerda do Rio das Areas . Eu tenho botas e mallas feitas de grossas pelles de Sucuriús. 3 f legoas. 3 de julho. e vi nas lagoas das bellas campinas que atravessei. Fazenda do Buriti . huma enorme quantidade de garças. e outras aves aquaticas de differentes cores e grandezas. a qual he muito alva . são muito brandas . Fazenda das Cangas. cheguei á do Buriti ás 9 horas entretendo-me na caça durante a marcha. — sexta feira. e peneiraveis ao mais pequeno grão de chumbo. e os patos d'agua em grandes bandos estão de tal modo sagazes e . Até aqui contão-se duas legoas. — Sahi da Fazenda do Buriti ás 5 horas da manha. e este no Maranhão acima do Porto Real. e seguindo a estrada do dia 24. sem estar segura a pedra ou páo. Observei que as escamas de que o corpo está coberto. Esta serpente foi a primeira que vi estando viva. S legoas. e ao de veado. l5 raiz de arvore . Os jaburús. — Sahi da Fazenda das ArCas ás 4 horas da manha pela estrada seguida no dia 24 de Ju nho . e dizem ser saborosa. e. e as colhereiras entretem alegremente os olhos do viajante . e até mesmo laça os animaes a que dá o bo te . cheguei á Fazenda do Cabeça de Boi (fronteira ao morro deste nome a que dei o nome de Mausoléo ) ás 8 horas e 4o minutos. não são impermeaveis . e a des peito das suas brilhantes escamas . — sabrado. Os pretos comem a carne do Sucuriú . posto que a agua as não penetre com tanta facilidade como ao couro de porco bravo . Durante a marcha matárão-se algumas perdizes. 2 de julho.

he necessario fazer esperas du rante a noite a borda das lagôas em que clles pastão. Cabeça de Boi ató ás 4 horas da tarde. e o Bonito Grande. logo depois o Corrego da Beata braço esquerdo deste: segue-se o Rio das Pedras em cuja margem direita fica a estrada que eu tomei no dia 22 para a Fazenda de Santa Maria: passei depois a Gallinha Gorda. posto que tenhão algumas pedras e arêas. e arranchei-me á sombra de arvores frondosas na margem direita do Bonito Pequeno. mãi dos Carvalhos . Corrego Bonito Pequeno.l6 IT1NERARIo desconfiados. 9 £ legoas. braço direito do Ribeirão das Formigninhas. Francisco no mesmo dia 23. O Ribeirão da For miguinha corre em hum profundo valle ao occidente do engenho. e deixando o caminho do lado direito por onde vim da Fazenda de S. Dizem que para se caçarem . Demo- rei-me na Fazenda do. não foi possivel matar-se hum só. tomei a estrada da esquerda . e passando pela casa da viuva Maria Rodrigues . e fui apear-me no Engenho das Cangas. O Rio das Formigas unido a outros corregos. 4 de julho. e então segui para a Fazenda das Formigas onde pernoitára no dia 20 . atravessei o Corrego das Cangas. grande estabelecimento sito em hum chapadao duas legoas a Oeste da Serra do Carmo. passei ao lado de huma casa junto a hum pequeno corrego. que não obstante serem mais de vinte os caçado res que me acompanhavão. — domingo. onde passei a noite. pertencente a Manoel de Carvalho. que entra no das Cangas: depois deste o Corrego do Socavão que nasce no morro deste nome na serra. e entra no das Cangas : adiante fica o Ribei rão da Formiguinha. Os . — Sahi do Engenho das Cangas ás 4 horas e 2o minutos da manha. e os caminhos que transitei são muito bons. entra no Maranhão com o nome de Serubim.

7 de julho. nem por isso deixei de dormir alguns instan tes . 4 £ legoas. obsta a marcha que pretendia fazer até a Aldêa do Duro : eu reservo essa visita para o anno que vem. e seguindo os caminhos dos dias 21 e 22 . conservando-se accesas diversas fogueiras para desviar algumas feras. — segunda feira. tratando dos negocios do Registo do Duro. c pantanaes junto ás portas das casas. 5 de juijixf. 6 de julho. ouvindo o triste canto de muitos passa res . fazendo preparativos para ir á Villa da Palma. — Continuo a residir no Arraial da Natividade. Arraial da Natividade . DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. achando-se aliás assentada em o angulo formado pela con fluencia de dous rios navegaveis. mas tem muitas pedras sol tas e arêas. Os principaes habitantes deste arraial esforção-se em aconselhar-me a que não vá áquella Villa por ser muito insalubre. cheguei ao Arraial da Natividade ás 8 horas. Felix e Amaro Leite. as agudas pancadas do ferreiro ou pica-páo. — quarta feira. infestados pelos ferozes Indios canoei ros . mas está cercada de lagoas. Com effeito a Villa da Palma he lugar que -assusta aos mais intrepidos . O de sejo que tenho de metter mão á entrada nos Sertões de S. e os da Villa insistirem em que con tinuem a ficar os negocios como até agora. e ainda mais o desagradavel ronco de sapos bois ( o gias ) e de rans innumeraveis . 17 caminhos até aqui são planos . — Ainda que passei a noite debaixo de arvores. A's 3 horas da manhã puz-me em marcha. — terça feira. Miguel e Almas. — Estive no Arraial da Na tividade no dia de hoje . e do Districto do Arraial de S. A inimizade dos moradores dos ddus lugares he procedida de quererem os da Natividade que o seu arraial seja cabeça da Comarca. ** 3 .

Esta família . tambem pardas e mui espertas . junto ao fogo que se accendeu. o Capitão Rai mundo Fernandes Pereira . — quinta feira. e de barrancos muito altos. O dono do sitio era hum moço pardo . fomos ter ao Rio Salobro que atravessei em lugar difficultoso. o Vigario Geral. tanto para aquecer as pessoas que me acompanhavão como para preparar comida que nos era bem necessaria. Erão pouco mais de 5 horas . e por não ser em grande quanti dade.18 ITINERARIO Sitio do Bom-fim . tratou logo de me dar café misturado com aguardente de cana. Atravessei campos muito extensos . sendo 1 1 horas da noite. 4 legoat. Eu estava trespassado de frio . 8 de julho. eu tinha visto no Arraial da Natividade em huma reunião das mais notaveis pessoas. convidadas pelo Re verendissimo Vigario Geral para me obsequiar na sua casa. e ficou prompta á meia noite. e sem que se perdesse nos vastos campos que atravessemos . e outras pessoas . cheguei ao Sitio contiguo á mesma Capella. que eu levava no meu frasco. O restante da noite passou-se quasi alerta. que em companhia de sua mulher e huma cunhada . e quando menos o esperava disse-me o guia que perdêra o caminho. que certamente me não esperava . e com hum guia mui pratico da estrada da Villa da Palma aonde eu pretendia ir. Por fortuna havia para mim e para o furriel Simão de Souza huma perdiz morta naquella tarde : a outra gente comeu peixe secco. e pondo-nos a dar voltas para hum e outro lado . e o guia deu-me a conhecer que o Commandante do Arraial. parece-me que nenhum da comitiva soffreu indigestão. — Sahi do Arraial da Nati vidade ás 4 horas da tarde acompanhado por todas as pessoas distinctas do lugar . e ignorava o sitio em que se achava. e dei- tei-me sobre huma esteira. Então o guia aconselhou-me a marchar para a Capella do Bom-fim.

de modo que obrigão a dar muitas voltas. fazia sinaes da direcção que se devia tomar dentro do váo. Sitio do Ludegario . O váo he muito largo. cheio de pedras fixas e soltas. — sabrado. — Sahi da Fazenda de S. Bento ás 3 horas e meia da manha . 7 £ legoas. deliberei-me a seguir para o Arraial da Conceição. atravessei. e he dé aguas mui sa lobras. — A's 3 horas e meia da tarde marchei para a Fazenda de S. Eu achei-o perigoso. A Oeste da casa em que descancei passa hum corrego de que se faz uso . e muito mais por ser este rio povoado de enguias electricas . Este corrego entra no Ribeirão de Santa Maria. e seguindo o caminho do . nascidas nas montanhas calcareas do Bom-fim. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. 1 1 de julho. Como já não havia remedio. e fui pousar no Sitio do Ludegario. ' lg o induzirão a perder-me logo que passasse os morros da Cai çara. 3 legoas. Bento. Logo que atravessei o rio continuei a marcha. a fim de eu não ir á Villa da Palma. donde irei á Villa. cujos habitantes principaes tem certeza da minha marcha para aquelle lugar . Fazenda do Pindobal . Fazenda de S. 1o de julho. Bento pelo mesmo caminho seguido no dia i5 de Junho . O Padre Vigario da Freguezia da Conceição. e ter (segundo dizem) rodeiros e minhocões. H { legoas.o no váo com agua pela sella do cavallo. 9 de julho. e se achão promptos para me obsequiarem. — Sahi do Sitio do Bom-fim ás 4 horas da tarde. e passando pelos caminhos do dia i5 de Junho até a margem direita do Rio Manoel Alves da Na tividade. postado na margem esquerda do rio. — sexta feira. — domingo. e cheguei ás 9 horas e 3/í.

Parece-me a costella de hum esqueleto immenso cujas terras forão arrancadas pelas aguas. 13 de julho. e assim andei 7 7. — terça feira. via-me no meio de campinas e cerrados . e por conseguinte tomando o rumo de TEstc . e encontrei a casa da Fazenda do Jenipapo ou Pindobal pertencente ao Juiz Ordinario do Julgado da Conceição . — Segui a estrada corrida no dia u de Junho até a Fazenda de Santa Brigida onde pernoitei. e depois de haver marchado mais de duas legoas. A noite estava muito escura . 12 bb julho. fui pernoitar na casa do Juiz dos Orphãos do Julgado da Conceição na margem esquerda do Rio da Palma. . no porto denominado do Policarpo. entrei no Arraial da Conceição às 7 horas : estive no arraial até ás 5 horas da tarde em que me puz em marcha para a Villa da Palma conduzido por hum bom guia : subi e desci morros mui asperos logo á sahida do arraial . sahi á estrada . Fazenda de Santa Brigida. distante duas legoas do arraial deste nome . 14 de julho.2o ITINERARIO dia i4 de Junho. legoas até ás 2 horas da noite em que entrei na sobredita casa. que tinha errado o caminho . disse-me o guia. João . conheci haver projecto concertado para me não levarem á Villa . — quarta feira. 7 \ legoas. Nao pude ueixar de admirar a estupenda cstruc- tura da Serra do Cotovelo. 4 i legoas. 2] legoas. Arraial de Arraias. Rio da Palma. — segunba FEIRÁ. c marchando pelos caminhos do dia 1 a . chegando á casa da Fazenda de S. — Segui a marcha dos dias 0 e 19 de Junho. e ignorava o lugar em que nos achavamos. O furriel Simão de Souza foi hoje á Villa da Palma. — Sahi da Fazenda do Jenipapo ás 3 horas da tarde .

S legoas. Arraial do Morro do Chapéo . e ás 3 horas da tarde sahi para o Arra ial de Arraias onde entrei as 7 horas. — QUINTA feira. D* RIO DE JANEIRO AO PARÁ. — sexta feira. 21 de julho. Em todos os Districtos de Arraias c S. os quaes feridos por outro corpo duro . — Sahi do Arraial do Morro do Chapéo para a Fazenda da Atalaia pela estrada do dia 9 de Maio. 17 de julho. O nome de Sumidouro procede das cavernas subterraneas por onde passa o corrego daquelle nome. — Marchei do Sumidouro para o Chapéo seguindo a estrada do dia 1o de Maio. — sabrado. Como este mineral he branco. que elle está misturado de prata. Em alguns lugares achão-se cubos de ferro sulphurisado. — Segui a Estrada das Al mas. 15 de julho. Fazenda do Buritizinho. . — quarta feira. e esmeraldas. Tambem se encontrão algumas granatas. 2o de julho. — Fui do Buritizinho para o Engenho do Sumidouro pela estrada do dia 1 G de Maio. pensa muita gente. 3 j legoas. que he pessima. aguas marinhas. e quantidade de pe dras siliciosas. — Estou em o Arraial de Arraias. e ahi me demorei até ao dia 2o. 21 ás 7 horas da manhã . 3 j legoas. 16 de julho. Ouvi dizer que no Rio de Manoel Alves tem-se encontrado rubins. lanção hum fortissimo cheiro de enxofre. Domingos entontrão-se grutas e cavernas de pedra calcarea. a fim de arranjar a minha tropa que fora para o pasto da Fazenda do Bom Jesus. Fazenda da Atalaia. chrisolitas. 5 legoas. — terça feira. Engenho do Sumidouro. cheia de morros e desfiladeiros.

fez encher hu- ma bruaca de caixão. co mo vio que eu não pedia os mantimentos de que se achava encarregado . de mais de duas arrobas de linguiças. — sexta feira. de maneira que acontecendo perguntar eu na Fazenda de S. Abaixo do porto existem dous v. D. e outro nas Arêas: dizem que ambos são perigosos. foi-se divertindo comelles durante a marcha. cujo resultado foi saber-se que o pedestre conductor devorou cruas e assadas duas arrobas de lingui ças e lombo de porco no curto espaço de tres dias. Antonio se as brua- cas do mantimento estavão bem acondicionadas. e encontrou na dos lombos e linguiças. foi o furriel de pedestres que me acompanha examina-las . onde faltão generos comestiveis. Honorata entre outras cousas que mandou promptificar para a minha jornada . — Marchei para a Fazenda de S. 22 de julho. a hum soldado pedestre que me acompanhava. . sem todavia tocar nos biscoutos e doces que vinhão na outra bruaca. — quinta feira. 4 legoas. procedêrão-se a varias indagações . hum junto ao Rio dos Bois. e com outros comestiveis foi entregue pelo meu tropeiro. e lombo de porco. Neste dia conheci até que ponto he possivel chegar a voracidade de hum homem.ios. Antonio. 4 legoas. A Snra. Admi rado de tão extraordinária metamorphose .22 1T1NERARIo Porto dos Bois no Parana. forão postas . As pedras que substituirão as linguiças. 23 de julho. Este fiel conductor da matalotagem . Fazenda de Santo Antonio . e que eu reservava para gastar no caminho en tre Cavalcante e S. — Marchei para o Porto dos Bois ou do Benevenuto do Rio Paraná pela estrada do dia 9 de Maio. seguindo a estrada do dia 8 de Maio. çm huma besta. pedras em lugar de carne. José.

Arraial de Cavalcante . cunhado da Snra. Disserão-me que em outros lugares do Brazil pra- tica-se isto mesmo com os cães que tem de guardar rebanhos de gado lanigero . e tomando o caminho do dia 25 de Outubro . — Marchei da Fazenda de Santo Antonio seguindo o caminho do dia 7 de Maio. — sabrado. Baixo da Serra . era tão agil que apanhou veados no meio dos campos. Esta anedocta mostra que he necessaria muita vigilancia sobre mantimen tos de quem faz jornadas em territorios pouco abastados. D. 25 de julho. — segunda feira. Honorata. não obstante ser homem grosso e mui robusto . 2 | legoas. e fiquei hospedado na casa do Tenente Joaquim José da Silva. Os desvelos da cachorra em guardar o cordeiro erão extraor dinarios. vi huma pequena cadella crian do a leite hum gordo cordeiro cuja mãi morrera de parto. segura va-os pelas pernas. O pedestre que devorou as linguiças. Cobria-se com a pelle de hum veado . 6 ) legoas. Assim lhe vi fazer em hum pe queno mato junto ao Corrego do Borraxudo pouco distante da Lagoa do Junco do Rio dos Bois. elle entendêra que aquella matalotagem era para o tropeiro e conductores . e que para lhes pregar huma peça . Nao me ad mirou menos a voracidade do pedestre do que a exquisitice da desculpa. e marchando de joelhos para os que andavão pastando . Na Fazenda da Agua-fria onde descancei. que consistio em dizer que como eu nada tinha pedido . — Sahi do Arraial de Ca- valcante . 26 de julho. 24 de julho. — Estou no Arraial de Caval cante . 23 para contrapesar a bruaca que tinha escapado. para o defender das onças e guarás. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. tinha comido as linguiças e o lombo. Chegou o furriel Simão de Souza da Villa da Palma. — domingo.

e arranchei na baixa delle junto ao corrego que serpentea em hum bello valle. e pernoitei na casa do passa- . e cheguei ao do Guará onde pernoitei. 29 de julho. 28 de julho. Rio Tocantins. A noite esteve mui agradavel: a minha cama de campanha ficou debaixo de huma arvore. Este rio nasce na Chapada dos Veadeiros. Eu espe rava ouvir os urros de algumas onças da Serra dos Montes Claros : nada senti . — Marchei da margem es querda do Rio Tocantins para o Sitio do Serra pela estrada seguida do dia 2o de Outubro. Sitio do Guara . — quinta feira. legoas. a não ser o canto de perdizes e outras aves. Sitio do Serra. e entra no Maranhão. — quarta feira. — sexta feira. 27 de julho. desci o Tombadouro . O rio leva pouca agua. Sítio do Suçuapara ou Brito. que está ao lado de Oeste da . 3o de julho. 2 .dor da canôa do Bagagem. 4 legoas. principio das campinas até ao Rio dos Montes Claros. 5£ legoas. — Sahi do Sitio do Guará. — terça feira. — Marchei do Sitio da Suçuapara pela estrada seguida no dia 24 de Outubro . O váo do Rio Preto he muito bom . 4 j legoas. e seguindo a estrada do dia 2 1 de Outubro fui pernoitar no rancho da margem esquerda do Rio Tocantins.24 ITINERARIO de 1823 . — Marchei desde a baixa do Tombadouro de Cavalcante até ao Sitio da Suçuapara pelos caminhos seguidos no dia 2 5 de Outubro. que logo foi cercada de fogueiras. mas eu passei na canoa.

e no fim de meia legoa de bom caminho ao lado de huma pequena serra que fica a Oeste. Estes favores que as pessoas pobres praticão com os viandan tes. Eu encontrei só duas pessoas no arraial . que nao deixei de aceitar-lhe humas gallinhas que me offereceu para o jantar. e á 4 . Este terreno foi abundantissimo de ouro . encontrei cinco grãos de ouro entre as raizes de humas ervas. e as aberturas achio-se tapadas de folhas de palmeira. mos- trou-se tão officiosa em hospedar-me. A este districto. 3i de julho. chega-se ao Arraial de Santa Rita. assentado entre o cor rego do mesmo nome -ao occidente. e tem 2o braças de largura. O váo he muito bom. A casa que fica a 1'Este não passa de ser miserabi- lissima como aquclla em que eu dormi : todavia huma filha do passador que nada tem de esbelta e de aceiada . 5 legoas. O frontispicio da Capella está meio demolido . passei o vao com agua pela barriga do cavallo. ás vezes são muito dispendiosos. eu por curiosidade com a ponta de huma faca em hum lugar em que me tinha assentado. e a pobre Capella de Santa Rita em que ha hum altar. e o Rio do Peixe ao oriente. — sabrado. Pouco adiante do lugar da passagem toma-sc a estrada da esquerda . os moradores do lugar encontrão ouro nas enxurradas. que depende do Julgado de Trahiras. O arraial acha-se em terreno quasi plano de barro vermelho com muitos barrancos : tem 84 casas humildes . DO RIO DE JANEIRO AO PARA. e essas achavão-se tão mal vestidas que mettrão lastima. pela maior parte cobertas de palha . e seguindo a estrada do dia 1 9 de Outubro até ao Rio Bagagem . e hoje mesmo cavando. — Sahi da casa do Serra . Arraial da Cachoeira . íi 5 estrada. O Commandante do Arraial diz que em occasiões de chuvas fortes . e de arêa abaixo do porto.

e fui dar ao Sitio da Vendinha onde havia pernoitado no dia . José do Tocantins. que agora estão seccos . aquelle mesmo que aformoseou e fez grandes donativos á Igreja Matriz do Ar raial de S. e aquartelei-me em huma casa terrea que foi muito boa . 5 legoas. A's 5 horas da tarde cheguei ao denominado Arraial da Cachoeira. que presentemente he o mais miseravel da Provincia. e agora se acha arruinada. e huma Esquadra de Henriques (soldados pretos de Infanteria) que eu já tinha visto quando estive na Cabeça do Julgado no mez de Outubro do anno passado. Alguns dos trabalhos que hoje vi são gigantescos. O oratorio da casa do Capitão Bragança servia de templo ao povo-do Arraial da Cachoeira. e passando por entre serras asperas com varios corregos. Demorei-me em Santa Rita até ás 2 horas da tarde . que está quasi secco. a cada passo cortadas por pequenos corregos. situados entre as serras onde antigamente se minerava. José pertence faoma Companhia de Infanteria miliciana . e nas encostas de montanhas . e desfiladeiros de elevadas montanhas. e os mais consideraveis que tenho ob servado. os quaes conduziao agua para varios açudes extensos e profundos . ao lado do Ribeirão da Cachoeira bastante largo e sem agua .96 ITINERARIO Paroquia de S. filha da ociosidade. En passei neste arraial huma das peiores noites da minha vida : nunca vi tantas pulgas . 1 de agosto. e pertenceu a hum rico mi neiro o Capitão João Pires de Bragança. vi regos mui compridos pelos cumes . atravessei o Rio Bacalháo. e ribeirões. Arraial de Trahiras . e então marchando atravez de terrenos muito asperos . e tanta miseria . duas legoas ao Sul de Santa Rita : consta de 1 7 casas espalhadas por hum terreno coberto de arvores muito baixas . dous dos quaes tem pontes de madeira. — domingo. — Sahi do Arraial da Cachoeira ás 3 horas da manha.

entendo que he pouco mais de huma legoa. o Capitão Commandante do Arraial. José contao huma legoa.. segui acompanhado pelos meus camaradas de jorna da. Da Vendinha a S. que o Governo de Portugal intenta enviar huma Expedição contra o Brazil. segundo dizem. José pela estrada seguida no sobre dito dia . e varias outras pessoas distinctas. e o Bagagem nascem na Serra do Acaba a vida. 4 legoas. c d'aqui a Trahiras legoa e meia. e despedindo-me delles. — quarta feira. — terça fkira. e pelo Capitão Antonio da Silva Alves. — Estou no Arraial de Tra hiras. Eu não consenti que passassem para cá dos Olhos de Agua ou Lagoa Secca. vindo assim a andar cinco legoas. — Hoje ás 3 horas da tar de sahi do Arraial de Trahiras. mas eu pelas marchas que fiz. . O Rio Bacalháo. e entre elles hum em que se participa. que durante a minha residencia na Comarca de S. — segunda feira. D'aqui mar chei para o Arraial de S. e pondo-me em marcha entrei no Arraial de Trabiras ás 9 horas da mesma manhã . o qual vai comigo até á sua casa do Arraial da Agua Quente. A marcha de hoje foi até ao Cocai. Da foz do Bagagem \ do Tocantins sobre o Maranhão ha huma legoa de distancia. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. — Estou no Arraial de Trahiras. a de agosto. 27 18 de Outubro : até aqui contão-se s '/» legoas. Logo que cheguei recebi varios Avisos da Secretaria dis tado dos Negocios da Guerra. acompanhado pelo Reverendo Vigario Manoel da Silva Alves . 4 de agosto. irmão do Padre Vigario. João das Duas Barras tratárão-me constantemente com as mais desveladas atten- ções e sincera amizade. Arraial do Cocai . 3 de agosto. e demorei-me quasi huma hora com o Comman- dante Antonio Caetano da Fonseca.

. — terça feira. 8 de agosto. — quarta feira. Engenho do Araújo ou Barrozo. 5 legoas. Miquelina. — domingo. 1-1 de agosto. Engenho da Conceição de O. sendo acompanhado pelo Capitão An tonio Alves desde o Arraial da Agua Quente até ao Ribeirão do Ouro Fino. — Marchei do Arraial do Pilar acompanhado por todas as pessoas distinctas até ao Tombadouro. Engenho do Capitão Vicente ou Engenho Novo. 5 de agosto. — sexta feira. — segunda feira. 7 de agosto. — sabrado. 6 de agosto. — Marchei peia estrada seguida no dia 7 de Outubro desde o Engenho do Barrozo até ao En genho Novo. 9 de agosto. — Hontem e hoje cami nhei pelas estradas seguidas nos dias 9 e 1o de Outubro do anuo passado. — Marchei do Engenho Novo para o Arraial do Pilar pelas estradas seguidas no dia 6 de Outubro. 5 legoas. e dahi em dianto segui pelas estradas do dia 3o de Setembro passado até ao Engenho da Conceição de D. — Estou no Arraial do Pilar. 5 | legoas. — Marchei pelos caminhos do dia 8 de Outubro . Arraial do Pilar. 6 legoas. 4 legoas. — quinta feira. 1o de agosto. ITINERARIO Arraial da Agua Quente. — Estou no Arraial do Pilar. e vim assistir á Missa na Igreja Matriz do Arraial. Miquelina.

— domingo. A's 4 horas da tarde puz-me em marcha. que. como tambem humas pedras denominadas feijões e captivos. Sitio do Queiroz. — Marchei pela estrada do dia 26 de Agosto até ao Sitio do Queiroz . 12 de agosto. 5 legoas. 14 de agosto. 16 de agosto. & legoas. 10 de agosto. 4 £ legoas. onde pernoitei. segundo dizem . 7 £ legoas. Este ribeirão tem as margens ou barrancos muito al tos. reparou o furriel Simão de Souza . e em quanto se lavava a louça . e fui per noitar na Aldêa do Carretão. e passando os Rios Ferreiro o . — segunda feira. c aqui abarraquei. Bom seria fazer-se diligencia de verificar qualquer das cou sas. — Marchei pela estrada do dia 29 de Setembro: descancci á sombra debaixo da ponte do Ribeirão da Ponte Alta que fica ao Nerte da al dêa. — sabrado. 7 | legoas. são infalliveis indicios de ouro o diamantes. e abarraquei no Sitio dos Olhos de Agua. — quinta feiua. Olhos d' Agua. Piky do Campo. — Marchei do Sitio dos Olhos de Agua para o Piky do Campo pela estrada do dia 27 de Setembro. BO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. que neste ribeirão não só ha muita arêa preta e esmeril. Cidade de Goiaz . — Marchei da Aldêa do Carretão ou Pedro Terceiro pela estrada do dia 28 de Se tembro. O meu jantar fez-se na borda do rio. 13 de agosto — sexta feira. — Sahi do Sitio do Quei roz ás 6 horas da manhã . 2Ç) Aldêa do Carretão ou Pedro Terceiro.

e puz-me prompto a marchar. 3o ITINERARIO Forreirinho nos lugares em que os atravessei no dia 21 de Setembro . A noite todos elles . e geralmente me dárão as mais decisivas provas da sua amizade. ou Pará. morros . illuminárão as suas casas . As ordens que eu havia recebido da Secretaria d'Estado dos Negocios da Guerra para estar alerta sobre qualquer tentativa do Governo Portuguez contra o Imperio do Brazil . sendo immensos os meus trabalhos pessoaes. que me esperavão a mais de huma legoa distante da Cidade para me acompanharem. Vicen- tão . e visitando no meio delles os lugares mais pestilentes do universo . e pondo-me cntao em marcha. Paulo. atravessei os Corregos da Chapada. com apparente satisfacção de grande numero de 01- ficiaes da primeira e segunda linha . Gambá. era bem facil tomar algumas medidas no caso da Expedição Portugueza vir oceu- par as Provincias do Maranhão. na margem direita do Rio dos Bugres . e grande numero de pessoas de diversas classes . que correm entre serras fragosas. com a boa fortuna de nao padecer o incommodo mais insignificante na saude . e ahi descancei até ás 2 horas e msia da tarde. e cheguei á Cidade de Goiaz ás 6 horas da tarde . Eu arranjei os meus trabalhos na Cidade Capital . residindo fóra da Capital por espaço de dez mezes é vinte e seis dias . Figuras. e Carreiro. . e corregos até ao Sitio da Silvana . Por este modo conclui a minha terceira marcha pela Pro vincia . obrigár5o-me a marchar para o Arraial de Trahiras. Marcha para a Comarca de S. donde como ponto quasi central da Provincia. João das Duas Barras da Provín cia de Goiaz. segui por campos .

26 legoas. — No dia i de Setembro sahi da Cidade de Goiaz para o Arraial de Meia Ponte acompanhado do furriel de Dragões Simão de Souza Rego e Carvalho . e seguindo as estradas dos dias 1 até 7 de Agosto de 182. e 5 de Infanteria . Presidente da Provincia acompa nhado pela sua Exm. o Morro da Boa .3. em resultado das representações feitas pelo Padre Silvestre Alves da Silva Membro da Camara dos Deputados. Sitio do Sapezal . Angicos. No dia 5 deste mez chegou ao arraial o Exm. i de setembbo. 3i Arraial de Meia Ponte . Anna Maria de Paiva : ordenei que fosse recebido com todas as honras correspondentes a sua alta dignidade . e o das Lageas: ás 6 horas e 'A. A's 4 horas e % passei a ponte do Rio das Almas : ás 5 horas. 7 de setembro. A Infanteria ficou postada fóra do arraial acima da Capella do Senhor do Bom-fim. Nesse dia tivemos al gumas conferencias assim como no dia 6. — terça feira. cheguei ao dito arraial no dia 4 4 noite. 3 Soldados de Cavallaria de primeira linha . — quarta feira. Raizama. o Sitio do Tacoaral : ás 6 horas. e eu mesmo fui espera-lo a huma legoa de distancia na lugar onde man- dára postar hum Esquadrão de Cavallaria para sua guarda de honra. Cae tano Maria Lopes Gama . — Sahi do Arraial de Meia Ponte ás 4 horas da manhã.° Sr. Encontrei na margem do Rio das Almas as ma deiras com que se ha de reedificar a ponte da estrada de Ja- raguá para Meia Ponte. e hospedei-me na casa do Commandante Joaquim Aires d'O1iveira. Almoço. D. DO RIO DE JANEinO AO PARÁ. os Corregos de Santa Rita. 4 i legoas." Consorte a Snra.

e passado ellc o sitio do mesmo nome: ás 7 horas. Adiante fica o Corrego do Buriti. Adiante delle corre o ribeirão deste nome. tem ponte : ás 7 horas e 'li . Sahi do Sapezal ás 2 horas da manhã: ás 2 horas e '/4 cheguei ao Corrego do Almoço ou das Lageas . 8 \ legoas. e este vai ao Rio do Peixe. perto delle ha hum 4corrego. máos caminhos . he muito aspero.. A's 3 horas e meia. A's 4 horas da tarde puz-me em marcha. . braço esquerdo do Rio do Peixe. Dizem que até aqui ha 3 '/■ legoas.. mas eu entendo que não excedeu de 4 7» legoas toda a mi nha marcha atravez de montanhas asperas . o Corrego da Ponte La vrada ou Braço dos Dous Irmãos : ás 7 horas e meia. etc. Descancei neste lugar. absoluta mente demolido. e pedragoso : ás 6 horas e meia . junto da qual corre hum regato do Taborda : ás 6 e 74. etc. QUARTA FEIRÁ. procede da falta de medição dos terrenos. A's 5 horas e % cheguei a Tapera do Luiz. c desfiladeiros. de preferencia ás distancias que se diz haver dé hum a outro corrego. e ahi pernoitei. o Sitio das Araras no meio da serra deste nome. Tal he o motivo de eu apresentar as horas e minutos que gasto nas marchas. o Corrego do Campo Limpo. e cheio de . o Corrego do Capão da Onça ouDous Ir mãos . O Corrego do Tacoaral entra no Rio das Almas. 8 DE SETEMRRO. o Rio do Peixe com grande ponte de madeira de mais dc 10 braças: he mui profundo. No Sapezal ha hum corrego.3a ITINERARIO vista . apêei-me no Sitio do Sapezal. Dizem que do Sitio das Araras até ao Sapezal ha 2 legoas e '/4. e cheguei ás 4 horas e 'A ao grande Engenho das Araras. As diversas opiniões acerca das distancias entre os lu gares . Os corregos que eu passei entrao quasi todos no Dous Irmãos. Sitio do Bom Jesus ou Elcnterio Fructuozo . sitio.

e com 18 legoas de curso entra na margem direita do Rio das Almas. um. iro ko p\ra. Adiante do mesmo Fidalgo está o Cor rego do Pai José ou Capão . ficão os Corregos da Baunilha. Este Rio do Peixe he insalubre. e l. Meia legoa distante ao Sul do Rio do Peixe. Contão das Araras a este Corrego 5 legoas. no mo dp. Montei a cavallo ás 4 horas da tarde no Sitio do Paula : passei o Ribeirão do Salobro Grande. acha-se o pequeno Arraial de Santa Anna do Rio do Peixe com huma Capella pequena. e depois desto o Ribeirão do Gago. Adiante dos Olhos d'Agua passei o Corrego da Capoeira ou Bananal ás 7 horas e '/f: ás 7 horas e 3/i . e pouco adiante o Corrego do Bicudo em cuja margem direita existe a Tapera do mesmo nome absolutamente abandonada : foi hum edifí cio muito consideravel em que ha immensos morcegos : che guei aqui ás 6 horas da tarde : ás 6 horas e meia atravessei o Ribeirão do Fidalgo . Pouco antes do Fidalgo passa-so o Corrego da Vereda ou Lapa. estabeleci mento pequeno. 5S rochas : nasce ao 0"icnte nos Pyreneos o Serra Dourada .e braço esquerdo do Maranhão. aonde cheguei ás 6 horas e % : ás 7 horas apêei-me na casa do Sitio do Eleuterio. Contão-se ate aqui 5 '/i legoas desde o Sapezal. Passado o Corrego do Curral está o dos Olhos d'Agua onde cheguei ás 7 horas. Na margem direita do Corrego Escuro fica a estrada que segue para o Arraial do Pilar. que nasce na Serra de Miguel Ribeiro. Neste lugar a estrada fica distante huma 5 . A Capella está 6 legoas ao Norte de Meia Ponte. e tres quartos a 1'Este da ponte. atravessei o Rio dos Patos. e do Cutrim. Na margem direita do Rio dos Patos existe o Sitio do Paula onde descancei. que recebe na sua direita o Corrego Es curo e o do Curral . Adianto do Rio do Peixe. Aqui existe huma pequena casa. Eu cheguei ao Escuro ás 5 horas. e todos vflo ao Rio do Peixe. e'i5 casas. braço direito do Rio dos Patos (assim coroo tambem o he o Salobro Grande) que recebe o Peque- no"e o Bicudo.

morros. que tem sitio perto da margem esquer da. e ás 5 horas e Vj passei o Rio do Peixe que entra no Rio dos Patos d'ahi a huma legoa : ás 7 horas e '/j . e ambos unidos entrão na margem direita do Fidalgo meia legoa a Oeste da estrada. O Ribeirão de S. — quinta feiba. Adiante fica a Grota do Rangel . Deste lugar ao Arraial da* La- vrinhas ha. que dista hum quarto de legoa da margem direita de. Eu indico . Adiante fica o. e d'aqui ao Rio des Patos contão-se o legoas : dos Olhos d'Agua con- tão-sc 4 legoas. por ser interes sante ás pessoas que tenhão de marchai" de hum para o ou tro lugar. Joaa fica o Corrego da Agua Doce . que entra na sua margem direita. 9 de setembro. Snhi da casa do Eleu terio ás 2 horas da manhã: ás 3 horas cheguei ao Corrego do . apêei-me na casa da Fazenda Secca. i4 legoas ao rumo de Oeste. 9 { legou. e ponte de madeira. visto que pe'os caminhos de Goiaz as caias ou o» ranchos de todos os moradores servem de estalagem aos viandantes que não querem levantar os seus toldos cm cor rego* solitarios. À marcha de Loje foi quasi toda por terrenos asperos.NERÁlUO legoa da margem direita do Fidalgo. »• Rio Maranhão .Rangel ou Riacho das Pedras. e o Conego da Vaca nascem ao Oriente na Serra do Capim Puba. Fidalgo.estas distancias. a qual está si'uada em huma pequena altura á margem esquerda do Corrego d» Barreiro. e meia legoa distante do Fidalgo : ás 5 horas e '/4 cheguei ao Ribeirão de $. João . e á direita . Adiante do S. e meia legoa ao Oriente do Fidalgo : ás 3 horas e 3/í cheguei ao Corrego da Vaca ou Sitio Novo com pequena casa na margem esquerda. Ilí. João. Corrego do Páo Papudo com sitio na margem direita. O Sitio do Eleuterio he tambem chamado Bom Jesus. c montunhas.*>4 . que fica perto da estrada..

mas outras pes soas dizem que são só quatro e meia. 0 Maranhão tem aqui ío braça* de largura .s perdizes . e da parte do occidente fica a Serra de Antonio Nunes. e tivemos aqui hum bom jantar dc viagem. 50 da estrada. cuja foz he meia legoa de distancia ao Noroeste da mesma casa em que me acho. Os caminhos até aqui soo quasi todos por varzeas com declive para o Rio dos Patos. e 12 palmos de fundo : a casa em que pernoitei he pequena . Da Fazenda Secca até ao Retiro são 5 legoa* : ás 6 horas e 3/4 cheguei ao Sitio das Larangeiras ou Tapera . e ás 7 horas e */4 á margem esquerda do Rio Maranhão. O furriel Simão de Souza matou dur. distante hum quarto de legoa do Rio dos Patos : ás 8 horas e :Yi» apêei-me na casa que se acha na margem esquerda do Corrego do Descanço. tem casa na mar gem esquerda. O local do Corrego do Descanço he aprazivel posto que tenha varias barrocas. Desta casa á margem direita do Rio dos Patos ha meia legoa .s 4 horas e meia cheguei ao Riacho Fundo composto de dous braço* quasi contiguos : o lugar da passagem dista meia legoa do Rio -dos Patos: ás 5 horas e meia cheguei ao Corrego do Retiro tambem composto de dous braços .atravessei o Corrego da Varzea ou Tapera em cuja margem esquerda ha huma casa abandonada. Na casa da Fazenda Secca estive por espaço de cinco minutos. e continuando depois a marcha passei o Corrego do Barreiro d'abi a tres mi nutos: ás 8 horas e meia . 1>0 RIO DE JANEIRO AO PARA. Esta casa dista hum quarto de legoa da margem direita dos Patos. Desd<» o Riacho Fundo até ao Maranhão costêa -se ao Oriente a Serra de Gonçalo Mendanha . Montei a cavallo as 4 horas da tarde : v. e dista hum quarto de Iegoa da margem di reita dos Patos . A foz do Rim . . e ao lugar em que hontem atravessei o Rio Fi dalgo na estrada contão-se 5 legoas. distante seis legoas do Sitio do Eleu terio oride pernoitára. Ao Oriente ha huma serra continuada na distancia de huma a duas legoas.

Os caminhos desde o Descanço até aqui não são máos . . ambos são braços esquerdos do Rio Maranhão. setembro. he estreito. 10 de . nasce daqui a 4 legoas ao Oriente naSerra de Acaba a vida. foi necessario accender hum pouco de capim. em que se consegúio abrir hum canal servindo de corda . Engenho de Alvaro Cromes . segui logo ao rumo de N. no lugar que eu atravessei nos dias 6 de Agosto. . c cheguei ao Corrego do Carrapato ás 2 horas e meia. de for ma que para se descobrir o lugar do desembarque na mar gem direita. — Atravessei o Ric Ma ranhão ás 2 horas da manha que estava mui clara . para deixar em eecco o mesmo Rio Maranhão. A's 3 horas e 3/í cheguei ao Sitio e Corrego do Guarda Mór . — sexta feira. 5 i legoa*. quando as suas margens estão co bertas de arvoredo grosso e fechado. Da qui ao Sitio dos Poções ha 3 legoas. O. A's 5 horas e '/< atravessei o Ccrrego Fundo ou Riacho Fundo. Este mesmo nevoeiro existe durante a noite toda sobre as aguas dos rios caudalosos. Como os cavallos esta- vão promptos . e a do Rio Verde está 6 legoas a 1'Estsueste.36 ITINERARIO dai Almas fica 9 legoas a Oesuoroestc deste lugar. e á Cachoeira do Ma- chadinho 6 legoas.. excepto sobre o rio que tinha hum nevoeiro bastante cerrado. A's 3 horas e passei o Sitio e Corrego de Santa Rita do crioulo Eleuterio. não tem pon te »'c fica muito perto da margem direita do Maranhão. A foz do Rio das Almas acha-se. Desde o Sitio do Retiro da marcha de hontem contão 3 kigoas ao Guarda Mór. onde ha ponle. . Aqui existe a casa ou sitio denominado Rocinha da Negra. O Rio Maranhão neste lugar forma hum grande aico <!e circulo. posto que tenhão alguma pedra : a maior parte delle he por varzeas. e 8 de Outubro do anno passado.

habitantes de Goiaz. com que não podem os .ooo escravos que ali estiverão empregados pelo decurso de 9 mezes. hu ma das pessoas que mais lamenta (parece-me não ter razão ) o ficar baldado o projecto dos antigos mineiros de Goiaz. e que por se romper o aterro ou dique de desvio da9 aguas. c se tal obra se não emprehendesse . não se pôde tirar do fundo do Rio senão huma dimi- nutissima quantidade de ouro . os generos que descerem dos Districtos do Rio Verde. A obra que clles fizerão. e de interesse de mui pou cos. DO RIO DE JANEIRO AO PARA. graças ao bom senso dos mineiros quo se lembrârão da cortadura do cotovelo do Maranhão. c outros. ainda quando lhes produzisse a quan tia de trinta o11 quarenta milhões dÀ cruzados. era hum beneficio ephemero . Eu mostrarei a figura do canal do Maranhão conforme as informações que me deu o Revereudo Vigario de Trahiras Manoel da Silva Alves. oão existiria hoje a Cachoeira do Machadinho . c sem o ouro que não poderão apro veitar. e por isso ficarão sem navegação talyez para sempre. Os habitantes de Goiaz nao se lem- bravão no anno de 1762 que a navegação franca do Rio Maranhão era mais importante do que todo e metal precioso que existia no seu leito. como sahio todo o que se minerou. Angicos. que só podia momentaneamente ser util a alguns Brazileiros que conservassem o metal antes de s. Quando a Provincia enriquecer pela agricultura e commercio fluvial. hão de 6er sugeitos aos transportes por varadouros. nem o terreno admitte abertura de canal lateral sem se fazerem grandes despezas. formada pelas ter ras tiradas do canal. como espera- vão. Dizem que a Cachoeira do Machadinho não pôde ser destruida . que assim mesmo chegou para pagar os jornaes de 12. O ouro havia de sahir da Provincia .er conduzido para os sorvedouros da India ou da Ingla terra ! Onde existem as propriedades levantadas em Goiaz . Patos. 5? Contao que foi huuia obra gigantesca do bom tempo de Goiaz .

e continuando a marcha apêei-me no En genho de Alvaro Gomes ás 9 heras. e torna-sc nec«s- sario fazer pinguella. O Rio das Pedras. tendo hum curso total superior a quatro legoas desde a sua origem na Serra do Acaba a vida. Junto ao Ria cho Fundo existe huma bella varzea. para fazor brotar novas pastagens. o commercio para fazerem as transacções dos generos superabundantes. e a cada passo montões de ruinas que attest&o o fluxo de hu- ma i-iq:teza passageira. e cheios de pedras. e vai unir-se ao Rio de S. no lugar onde se atravessa. tem ponte de 4o palmos de comprido e pouca lar gura. os campos.com os cavallos a nado. e quando o Rio Mara nhão vai cheio . e o Rio das Pedras que os recebe. Os caminhos até aqui são muito tortuosos. montanhas. Eu cheguei ao Rio das Pedras ás 8 horas da manhã . Antigamente os rios c corregos de Goiaz todos tinh&o pontes de madeira. donde em pequenos volumes de ouro e pedras preciosas se podem transportar grossos capitaes. Desde o Retiro até a ponte do Rio das Pedras anda- se ao rumo quasi 1'Este. A's 6 horas cheguei ao sitio denominado Retiro . para subsistirem abastadamente . João . e até os mais cau dalosos . que as ríãc tem . he de peiraó. Os moradores de Goiaz devem lem bra r-se que a principal riqueza do seu paiz he a agricultura. e. a passagem deste he difficultosa . Adiante do Retiro ficão os Cor regos da Raizama e Barreiro Vermelho. Tarde ha de chegar o tempo em . por se queimarem nas oceasiões em que se lança ou se ateia fogo nos campos. a Oeste do qual fica a serra tam bem chamada do Maranhão. ou passar . no dia de hoje ha muitos.38 ITIHERUUO pelos lucros da mineração ? Eu vejo a Provincia pobrissi ma. meia legoa distante do Rio Maranhão. mas este riacho. impede por isso a corrente do Riacho Fundo . c valles cobertos de cascalhos. e depois destes a mineração que he conveniente até certo ponto nas Pro vindas centraes . asperos. que não he cau daloso.

— Sahi do Engenho de Al varo Gomes ás 4 horas da manhã. e que nas pontes c ma tas se pratiquem bons asseiros. Arraiat de Trahiras. Do Engenho ao Rio Maranhão ha duas legoas pelo caminho mais curto. José : ás 7 horas cheguei ao Sitio da Vendinha . o qual vai formar os asperos mor ros de Martinho Vieira. Do Sitio do Guarda Mór até ao Engenho de Alvaro Gomos ha quatro legoas. c ao Arraial do Gocal ha tres legoas. e estrada do Arraial dc Santa Luzia. Acha se arrendado ao Tenente de . e de Al varo Gomes a Trahiras outras quatro. A s 6 horas e meia cheguei á Bocaina ou Garganta da Serra. mas ainda trabalha mt. — sabrado. Antes de chegar á Bocaina encontra-sc á direita a estrada do Arraial de S. perto do qual passa hum pequeno corrego braço esquerdo do Rio de Trahiras: ás 8 horas finalmente entrei no Arraial de Tra hiras acompanhado desde a Vendinha por todos os meus amigos do arraial que aqui me esperavão. ramo da do Acaba a vida. que não tira delle grandes interesses. A Serra do Acaba a vida fica huma e meia legoa ao Oriente. O. e não tem ponte. e outros ao rumo de Oeste. João na distancia de Sob braças do engenho: corre por huma bella varzea. atravessei o Ribeirão de S. Se os homens que a sorte collocou nos primeiros lugares da adminis . 3ft que esta importante diligencia de lançar foc'o aos campos se faça com a regularidade necessaria . DO MO DE JANEIRO AO PAIIA. e me derão provas da estimação que da mim faiem . José Teixeira. 4 legoa*.Milicias de Trahiras. li SB setembro. e tomando o rumo do N. O Engenho de Al varo Gomes he huma grande fabrica que o\iste em decaden cia. talvez por conhecerem que coustantemente procurei não lhes ser pesado.vido por agua. Junto á ponto do Rio das Poeiras está o ca^ninho que vai para o Engenho da Raiza- ma.

fossem tidas como occurrencias bemfazejas. c quer distinguir a falta de luzes. não tenho tido motivo de mandar prender nem mesmo de dar reprehensões a quaesquer Officiaes meus subordinados. e evitei sempre pronunciar-me repentinamente. corremos os mesmos riscos . não pôde temer inimizades nem conspirações. em tempos e em lugares proprios. Eu gozei a fortuna de ser bem visto por todas as pessoas. para receberem delles as mais sinceras provas de estimação e amizade. eu sempre fui na frente delles : todos vivemos nos mesmos campos. e pelas primeiras impressões. eu nunca estive em ociosidade . e nao incommodassem por mil maneiras exquisitas os seus subor dinados. Se os Officiaes e Soldados de primeira linha trabalharão . e parece-me qu^. Estas palavras aqui es- criptas não sirvão de apologia ao meu comportamento : eu só desejo que aquelles que estiverem nas circunstancias em que agora me acho (e por ser para elles que eu organiso este Itinerario) . justamente ninguem apresen tará motives de descontentamento da minha administração. quem os respeita . ufania que desde a hora da minha entradtf em Goiaz até hoje./fO ITINERARIO tração quizessem alimentar-se a sua propria custa. Eu tenho conse guido quahto me pareceu util . e por boas maneiras faço aquillo que devo. e nao houve hum só que eu deixasse de favorecer quando os meus soccorros erão por elles reclamados. Eu procurei quanto podia o ver as cousas pe los meus proprios olhos . da má vontade. quem toma em li nha de conta a educação dos sertões. c conto com. Até hoje não existe hum só hornem na Provinda de quem tenha razoei de queixar-me. procurem respeitar os seus subordinados. e por terrenos perigosos. trilha mos as mesmas estradas . . Quem sabe tratar os homens . e se elles fizerão grandes mar chas indispensaveis . talvez que as suas entradas e existencia nas povoa ções e nas casas dos moradores das estradas.

resolvi-me a pôr-me em marcha para Goiaz donde partirei para o Rio de Janeiro. Havendo os habitantes da Província de Goiaz honrado a minha insufficiencia com a unanime votação dos seus Elei tores Provinciaes para eu ser Deputado a Assembléa Geral Legislativa do Imperio. o qual eu já appliquei ao reconhe cimento geologico e hydrographico de varias estradas entre diversos arraiaes da Provincia. entendendo que o Corpo Legislativo reunir-so-ha no mez de Maio como determina a Constituição Politica do Imperio. 22 de fevereiro. Pacifico Antonio Xavier de Barros. dando-me ao mesmo tempo 1 8 votos para o lugar de Senador . DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. l825. Regresso a Cidade de Goiaz. Este OIficial acompanha-me . SEGUNDA FEIRÁ. Sitio do Guarda Mor . FEVEREIBO 21. que mostrou na minha orimeira marcha. — TERÇA feira. Andei ao Sueste. & legoas. 4 legoas. Nestes termos despedindo-me das pessoas que me obsequiavão com a sua amizade nos arraiaes do Norte . e fui recebido c hospedado pelo Tenente José Teixeira com a mesma boa vontade. Seglli para este engenho a estrada do dia 1 1 de Setembro do anno passado . Engenho de Alvaro Gomei.. — Eu tinha no Arraial de Trahiras dous Officiaes empregados ás ordens do Quartel General : o primeiro he o Ajudante de Cavallaria Miliciana. e tendo residido sempre no de Trahiras desde o dia 1 1 de Setembro de 1824» puz-me em marcha para o Sul pelo modo seguinte. Official de muitas espe ranças e habilidade.

apêei-me no sobredito Sitio do Guílraa Mór. de maneira que o Ajudante Pacifico Antonio querendo atravessa-lo no váo ficou com o cavallo a nado. As chuvas que tem ca- hido puzerão Invadiaveis alguns corregos que eu na marcha de Setembro passado atravessei quasi seccos. Hoje trovejou muito a Oeste . e por fortuna a chuva não chegou aos luga res por onde eu caminhava. QUARTA FEIRA. a bem de fazer o reconhecimento das estradas. Hoje segui para o Sitio do Guarda Mór a estrada do dia 1o de Setembro pas sado. Desde a ponte do Rio das Pedras até á Fazenda ou Sitio do Retiro distante 2 7. He assim que os Officiaes novos se insinuão na sciencia da Castrametação . O Riacho Fundo acha-se muito cheio. como na Provincia de Goiaz. Huma tal mudança de direcção he consequencia do arco de circulo formado pelo Rio Ma ranhão. 23 DE FEVEREIRO. O outro Official he o Alferes de Ca- vallaria de primeira linha José Antonio da Fonseca o qual eu desejo habilitar para alguns semelhantes trabalhos . legoas de Alvaro Gomes. Vai muito cheio : passei o rio em canôa ás 9 horas. 1 | legoa. e marchei pela estrada do dia 1 o de Setembro passado. e organisar o seu Itinerario. mar chei ao rumo de Oeste. e se ajuntao Collecções de Memorias para ratificar ou mesmo compor esboços de Mappas Corographicos naquelles lugares de que não existem. O Corrego do Carrapato tambem se denomina — Roça da Negra. Sahi da Casa do Guarda Mór ás 5 horas e 4« minutos da manhã . A's 6 horas e '/4 da tarde . e por isso dei-lhe ordem no dia 1 7 de Dezembro ultimo para seguir d'aqui pelo Engenho da Raizama até ao Arraial de Santa Luzia.L'l ITINERARIO na presente marcha. Margem esquerda do Rio Maranhão . e . — A's 7 horas e 25 minutos cheguei á margem direita do Rio Mara nhão.

legoas : d'ahi ao Riacho Fundo huma legoa . Sitio do Eleuterio ou Bom Jeiui . 4 } legoa*. O. e cheguei ás 7 horas c 5o minutos ao Rio de S. e pela estrada do dia 9 de Setembro passado . debaixo de grossas chuvas . João soube que a estrada. passa pelo Pouzo Alegre distante quatro legoas. onde tem o Ribeirão da Agua Fria que entra no mesmo Verde. que puzerão os rios e torregos muito altos. bom estabelecimento. Estive aqui até ás 5 da tarde . distante 2 '/» legoas . Fazenda Secoa . Da . mas antes de lá che gar apêei-me no lugar denominado Descanço ás 7 horas e 55 minutos. O Rio Verde nasce na parte septentrional dos Montes Pyreneos. 4•> fui arranchar-me na casa do passador AfTonço. Do Rio Verde vai-se ao Sitio da Tapera. Em quanto me demorei na casa do Rio de S. e ontro tanto &o Rio Verde cujo volume d'aguas he igual ao do Rio Maranhão. DO RIO BE JANEIRO AO PARÁ. 24 »e fevereiro. marchei a pernoitar na Fa zenda Secca. João. e sahindo d'ahi á 1 hora e 5o minutos da tarde . ■ 25 de fevereiro. e d'ahi ao Arraial das Lavrinhas sobre o Rio das Almas . chegue1' á dita Fazenda Secca ás 3 horas e 2o mi nutos. e cheguei ás 7 horas e '/( ao Sitio do Eleuterio ou Bom Jesus. — qbinta feira. Ao Oriente da mesma casa ha outra estrada que se gue d'aqui ao Ribeirão dos Dous Irmãos 3 '/. andão-se dez legoas. 4 j legoas. — Sahi da Casa do passador Affonço ás 5 horas da manhã. — sexta feira. Marchei aò S. — Marchei da Fazenda Secca ás 5 horas e 4o minntos da manhã pela estrada do dia 9 de Setembro passado . que d'aqui segue para Oeste.

4 j legoas. O Sargento Mór de Or denanças e Commandantc Geral do Districto Joaquim Alves . que tem posto os caminhos intransitaveis. e assim como o Rio Verde tem muitas fontes na Serra de Miguel Ignacio . O Rio dos Angicos tem a sua foz 5 legots ao Oriente da do Rio Verde. e cheguei ás 7 horas e 25 minutos ao Sitio do Sapezal. SARBADO. Sitio do Sapezal . c seguindo a estrada do dia 8 de Setembro passado . Sahi do Sitio do Elcu- terio ou Bom Jesus ás 4 horas da manhã . — A's 4 horas e 5o minutos da manhã sahi do Sitio do Sapezal . en- trão no Ribeirão da Conceição. 26 DE FEVEREIRO. c Riacho Fundo de que se fallou. 27 de fevereiro.44 ITINERARIO Tapera scgne-se para o Arraial dos Angicos ou Sitio Novo d'ali a tres legoas : tem hum corrego que entra nos Angicos d'ahi a meia legoa. Arraial de Meia Ponte . fui apêar-me no Sitio dos Olhos d' Agua ás 8 horas e 35 minutos : ás 4 horas c meia da tarde montei a cavallo . e seguindo a estrada do dia 7 de Setembro passado . vindo sempre debaixo d'agua. Este Rio dos Angicos he braço mui grande do Maranhão . eu entendo que não chega a 8 legoas. cheguei ao Arraial de Meia Ponte ás 1o horas. Alguns dão á marcha de hoje 4 òh le goas. O Arraial dos Angicos tem por ora a Capella etres fogos. Os Ribei rões dos Dous Irmãos. ramo dos Pyreneos. Posto que algumas pessoas digão que esta marcha he de 8 % legoas. — domingo. para E. e nasce na face Oriental da Serra do Capim Puba. e d'aqui a encruzilhada do caminho de Santa Luzia para Meia Ponte ha 1 o legoas. 8 legoas. que corre de O.

— segunda feira. c entra na esquerda do Rio das Pedras assim como o Corrego da Caissara que se encontra d' ali a '/4 de legoa. O. Joaquim . — Sahi do Arraial de Meia Ponte ás 2 horas da tarde. e entra d'ahi a huma Jcgoa na margem esquerda do Rio das Almas cujo curso he igualmente E.. Huma legoa adiante do Tapanhoacanga passa-se o Corrego do Guerra. O. 28 de fevereiro. . O. — Estou no arraial. e o da Caissara na distancia de 3/4 de legoa : junto a Caissara ha hum sitio. Este corrego corre deE. O. M. Hum quarto de legoa adiante passa-se o Corrego do Mato Grosso ou Grande: corre ao IV. a entrar na margem direita do Caxambu braço direito do Rio do Padre Souza. . Na distancia de '/( de legoa ao rumo do Sul. passei o Morro do Tapanhoacanga : hum quarto de legoa adiante fica o sitio e o corrego do mesmo nome. e entra na margem direita do Rio do Padre Souza d'ahi a 2 '/a legoas. O Corrego do Mato Grande entra no Rio das Pedras na distancia de '/4 de legoa do lugar da passagem . DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. Adiante '/» legoa fica o Engenho de S. 1 de março. Joaquim do Tenente Coronel . 4<> d'O1iveira. para O. que entra no Caxambu d'ahi a '/4 de legoa. — terça feira. . D'ahi a meia legoa entra-se no Boqueirão do Rio das Pedras: este rio corre E. já promovido a Tenente Coronel de Cavallaria em consequencia da proposta que fiz á S.E. desde o Arraial de Meia Ponte até Jaraguá. . 4 legoas. O. Adiante legoa passa-se o Corrego da Po- poia. Adiante des te 3/j de legoa passa-se o Corrego da Porteira : corre ao S. I. e entra na esquerda do Rio das Almas. Engenho de S. . corre ao i\. e entra 110 Corrego do Pinheiro d'ahi a '/j de legoa. tornou a hospedar-me na sua casa. Poucos passos adiante do Guerra atravessa-sc o Corrego do Pinheiro : tambem corre ao N.

Capim Puba. Rio do Peixe. e outras . como Official mais graduado da guarnição. 22 | legoas. e . Co ronel Commandante da Tropa de primeira linha Luiz da Costa Freire de Freitas. Cidade de Goiar . Montes Claros . OBSERVAÇÕES sobre o terreno comprehendido entre os Arraiaes de Meia Ponte . Mangabas. Em Goiaz puz em or dem o Archivo da Secretaria do Governo das Armas. 4G ITINERARIO Commandante Geral do Districto de Meia Ponte o qual fez o favor de vir em minha companhia assim como os Reverendos Padres Goulão. e Trahiras. — quarta feira. André. Alguns corregos da marcha ds hoje forão por mim atravessados no dia 16 de Agosto de 1823 quando marchei do Arraial de Meia Ponte para o Engenho do Capivary. Araras. debaixo de chuva copiosissima. e quasi sempre em descida até ao Rio das Pedras. que talvez he o ponto mais elevado do Brazil. dilata-se para o Norte com o nome de Serra Negra. e outras pessoas respeitaveis. *# 2 de março. sendo Secretario delle por nomeação interina Angelo José da Silva que me acompanhára do Rio de J aneiro para esta Provincia. Fleury. para 1'Este com o de Serra de Miguel Ignacio . A Serra dos Pyreneos. — Marchei do Engenho de S. e d'ahi em diante são conti nuos os montes e valles. e nucleo de hum immenso systema de monta nhas. O Commando das Armas foi por mim entregue ao Sr. Antes de chegar ao engenho fica o Corrego de Manoel Dias. Joaquim para a Cidade de Goiaz seguindo a estrada dos dias ia até i5 de Junho de 1823 : deixei a maior parte da minha bagagem no Engenho . O terreno da marcha de hoje he aspero . e cheguei a Goiaz no dia 4 á noite.

e calca- reas . porque não pas- são de o ser os moradores da estrada. os quaes estão cercados ao Oriente pela cordilheira septentrional dos Pyreneos . Almas. que desde o Arraial de Meia Ponte até ao Rio do Peixe . Os valles ou caldeiras dos principaes troncos des tes dous rios correm do Sul para o Norte. O Rio do Peixe nasci do na Serra Dourada he a primeira grande bacia que se encontra com direcção do Oriente ao Occidente : todos os outros rios e corregos que se seguem para o Norte. Sambarnbaias gi gantescas. Mar- cella. e ontras absolutamente despidas. etc. Bromelias ou Gravatás. e a Oeste com o da Serra Matutina. aos lados de barrancos profundissi mos : a marcha por estes lugares em tempo de chuva he perigosa. donde se conclue. destas montanhas achão-se cobertas da mais bella e vigo rosa vegetação. As commodidades são miseraveis. Deixando de parte todas as que não se encaminhão ao Norte. e morros mui grandes de argila vermelha : algumas. nascem no mesmo espigão. cris tosas. Carre tão. que com diversos nomes vai encontrar o Rio Maranhão. Caba Sacco e Carretão até ao Districto do Pilar . direi acerca destas. Caba Sacco . porque hum passo falso. etc. donde continua hum novo cordão com o nome de Ouro Fino . etc. que todas as aguas nascidas nas montanhas que for mão os profundos valles dos Rios Uruhú. . Os caminhos atravez estas montanhas são em alguns lugares abertos nas encostas . e algumas Palmeiías de diversas qualidades. . ao Sul por ou tro braço da cordilheira que fica ao Norte da estrada de Goiaz para Meia Ponte . até ao Araguaia. ha huma enorme massa de montanhas graniticas. contendo apenas Musgos. e seus con- . etc. DO RIO DE JANEIRO AO I»ARÁ. e correndo a Oeste formão os Rios dos Patos e Fidalgo. Jaraguá c outras até ao Rio Uruhú. e a Oeste pela Serra do Ouro Fino . l^J outras até á Serra Geral denominada dos Arrependidos. decide da existencia do viajante. Macácos . parallelos aos Rios dos Bois e das Almas.

procedem da decomposição de algumas serras e morros que ficão ao Oriente. assim como das outras pessoas distinctas da cidade . encontrei os sitios que deixei já indicados neste Itinerario. Em fim. e nelles descubri mui pequenos sinaes de agri cultura.mo Snr. Em toda a extensão do terreno que corri entre Trahiras e Meia Ponte . 9 de março. e até custa a encontrar gallinhas e leitões para uso dos viajantes. e o do Pilar . e pouco distantes da estrada. A sahida ou desembocadura de todas estas aguas das duas grandes caldei ras.48 ITINERARIO fluentes .da Chapada dos Viadeiros até á Serra do Acaba a vida .. Marcha de Goiaz para o Rio de Janeiro. e nenhuma differença tem das peiores que eu apre sentei a respeito de outros lugares deste Itinerario. fica na passagem do Rio Maranhão entre o Arraial da Agua Quente . Poucos são os rios e corregos . c outras do Districto de Trahiras. Bispo de Castoria Pre lado de Goiaz . e as ma tas se existirão . A estra da pôde reputar-se como hum deserto. e as aguas vertentes das rami ficações. Presidente Caetano Maria Lo pes Gama e da sua estimabitissima consorte . e do Ex.quaesquer reflexões que se possão fazer acerca dos terrenos que eu percorri . que a mão do homem não procura beneficiar.m° e R. só estão na proximidade das correntes cau - dalosas. que for ma outra caldeira entre as abas septentrionaes dos Pyreneos até ao Registo da Lagoa Feia. e della tratei no dia 8 de Outu bro de 1823. Violas . a creação de gado ainda he mais escassa. são de natureza a mais melan colica . — quaata feira. — Havendo-me despedido hontem á tarde do Ex. Penso que as arêas que se achão espalhadas pelas planices . v3o despejar-se no grande Rio Maranhão . sahi hoje ás 6 ho^ . cujas pontes hajao escapado á voracidade das chammas.rat■ Snr.

r . . Izidoro. o furriel Simão de Souza . Eu segui a estrada do dia il\ de Setembro de 1823 . 49 ras da manhã para o Engenho do Palmital . 7 • .'io :DE março. . onde vierão despedir-se de mim os meus amigos do Arraial de Meia Ponte.•'! • •»'»>. .. e hum soldado de infanteria quuerão acompanhar-me até ao Rio de Janeiro.. para me hospedar. vim sahir á ponte do Corrego de José Manoel. acompanhado da maior parte dos Officiaes da Tropa de primeira e segunda Li nha. monta a perto de duas legoas.. onde pernoitei e recebi o mesmo distincto e benigno aga salho das* minhas jornadas antecedentes. As bestas da minha bagagem e os cãvallos de. O Secretario do Governo das Armas . . e marchando por hum bello campo .sella estavão promptos para a jornada. Joaquim .'oa- quim Alves Commandante do Districto e proprietario do Engenho . o dahi ao Arraial do Curralinho até ao Engenho do Palmital . a ij legoas.. quinta feira. e outros individuos que me honrárão . DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ.. sem passar por S. por onde passára no dia i4 do mencionado mez de Junho: a volta que se dá desde o Arraial do Curralinho até ao Pal mital. desde a Cidade até ao Si tio dos Coqueiros via recta. be Março.. e ohi encontrei o Snr. — Estive no Engenho de S.. .'•. Joaquim no dia 11 a noite. e cheguei ao Engenho de S. A marcha deste dia foi de 7 5/j legoas. Joa quim montou. — Sahi do Engenho do Palmital a encontrar a estrada que em Junho de 1823 eu transitára para a Cidade de Goiaz. e d'ahi á ponte do Corrego de José Manoel. e a do dia 28 de Agosto do mesmo anno. Desde esta ponte segui a estrada dos dias 12 e 1 3 de Junho . e a quem pedi junto ao Rio Bacalháo .. A marcha desde o Palmital até -ao Engenho de S. . —. Para isso atravessei a ponte do Ribeirão do Palmital . . comprehendida a volta do Palmital. que regressassem para as suas casas. — sabbado. .

hum de excellente passo de jor nada . Joa quim Alves de Oliveira. Borges a sua infamia . O meu tropeiro que conhecia a pessoa com quem lidava . mas de ambos por quantia redonda. assim como de varias pessoas que me vierão procurar a este lugar . Commandante do Districto das Antas. Assim mesmo inveterado como se acha no caminho da fraude . e outro . foi avisado por hum individuo que por acaso ali existia. i5 de março. No dia 14 fiquei no engenho do Capitão Joa quim da Costa Ferreira. No dia de hoje pernoitei na casa da Fazenda da Forquilha. de quem recebi as mais sinceras provas de amizade . e estranhou-lhe que por hum modo tão iniquo pretendesse haver a despeza que . o qual por despedida me pedio que o propuzesse a Sua Magestade no Posto de Ca pitão. Bor ges .iro ITINERARIO Arraial do Bom Fim . 16 J lagoas. e Cavalleiro da Ordem de Christo. seguindo a estrada dos dias 7 e 8 de Ju nho de 1823. João das Antas. a Sitio do* Ouarirobas . havendo pela manhã estado em casa do Tenente Borges proprietario do Engenho das Antas . fez hoje as mais artificiosas diligencias de me vender dous cavallos. — Despedindo-me do Snr. e tal tratante era o Snr. puz-me em marcha para o Ar raial do Bom-fim. que o cavallo a que se prodigalisavao louvores. — domingo. tinha accessos de loucura. a que elle dava louvores que nunca mere ceu o Bucephalo de Alexandre. Eu tinha encontrado logo ao nascer do dia o filho deste homem conduzindo cargas de toucinho para a Cidade de Goiaz . e sabendo que cu já estivera para ser logrado por elle e sua mulher na compra de hu- ma besta muar. denominado S. e o pai estava prompto a marchar quan do cu cheguei á sua casa. que não queria fazer venda dos cavallos separadamen te . e por conseguinte não prestava para nada : o tropeiro lançou em rosto ao Snr.

e vendeu-me o outro que me pareceu bom . c o Furriel ficámos em casa do Commandante Vicente Miguel da Silva. Eu despedi-me dos meus ami gos. c eu . DO RIO DE JANEIRO AO PARA. c o que agora pretendia praticar: mas como o Snr. onde se achava a minha bagagem. Borges tem a alma calejada na devassidão de Ciganos. fui pernoitar no Campo Aberto. e huma legoa do ar raial. mas acha-se em grande de* cadencia ou quasi arruinada. Verdade he que o Snr. acompanhado pelo Cnmmandante e outras pessoas até á casa da Fazenda da Guariroba . e o seu nome he co nhecido mui particularmente por todos os tropeiros e outros homens que frequentão as estradas. para estarem alerta quando nos ranchos e nas fazendas apparecem pessoas officiosas. foi edifício consideravel. e no dia 17 cheguei ao Ar . Borges está apontado pelo dedo desde que se sahe do Rio de Ja neiro até á Provincia do Matto Grosso . No dia i5 cheguei ao Arraial do Bom Fim ás 4 horas da tarde . determinei que a bagagem fosse pernoitar na Fazenda da Guariroba huma legoa adiante do mesmo ar raial. disse que não tinha noticia da mo lestia do excellente cavallo. 5l comigo tinha feito em duas cêas que me offerecéra quando eu por ali passára. — Na manhã de quarta feira . e elle achava peior do que o primeiro. que nos hospedou com a sua bem conhecida generosidade. Esta casa situada no fundo de huma grande varzea . Eu pxprobei-lhe as tentativas do primeiro engano que projetára contra mim. c fiz pôr em marcha * tropa a procurar a estrada* e seguindo a que transitei no dia 25 de Agosto de 18s5 .6 de Março puz-me em marcha para o Arraial de Santa Cruz. c como temi que o tropeiro e outra comitiva se debandassem no caso de dor mirem no arraial . 16 e 17 de março. o Secretario. que propõem á venda bestas muares ou cavallos. hum quarto de legoa distante da estrada. Es tas e outras semelhantes ancedotas sirvão de conselho aos viajantes .

5ã ITINERARIO raiai de Santa Cruz. e tomando o rumo de N. e pela estrada seguida no dia 2 de Junho de 1823 fui pernoitar em casa de Maria Joaquina ou Ran cho do Brito. passei pelo Engenho do Capitão Commandante. que me hospedárão . onde havia pernoitado em 3 1 de Maio daquelle anno. — sexta FEiKA. muito bom estabelecimento. e a seu Tio o Capitão Com mandante. 19 a 23 de março. — A's 4 horas da tarde sahi do Arraial de Santa Cruz. fui dormir á Fazenda de S. João Antonio proprietario da Fazenda de S. e os outros do dia 29 de Maio de 1823. .recon . — No Sabbado 19 de Março atraves sei o Rio Corumbá. e o Corrego da Ponte. e consistio em lhe fugir de casa sua mulher em com panhia de hum vadio tocado» de viola . onde o meu Secretario concebera esperanças de ter almoço lauto. . 9 Rio Corumba. e dous corregos pequenos que ficao adiante delle. o qual me contou a desgraça que lhe aconte ceu . que fez o obsequio de acompanhar-me. Marcos encontrei o Snr. A marcha desde as Guarirobas até Santa Cruz i5 legoas. e dahi to mando hum caminho á direita. Atravessei o Ribeirão do Brejo . Bento . E. para ver se. e hospedei-me em casa do Capitão Conunandante Caetano Teixeira de Sampaio . e no dia 2o fui dormir á Fazenda da Ca choeira. que ali estivéra hos pedado . e carregára tudo quanto existia de precioso. Bento . e cheguei ás 8 horas e 35 minutos á casa das Senhoras Baenas do Rio Co rumbá. Antes de chegar ao Rio de S. de quem re cebi as maiores civilidades. e de lá no dia 22 atravessando o Corrego dos Quarteis. 4 legoas 18 de março. fui pernoitar á casa do Pires. No dia 21 segui a marcha do sobredito dia 3i de Maio entre a Fazenda da Cachoeira. O po bre homem ia ao Arraial do Catalão.

onde fui muito bem hospedado. e fui pernoitar na Fazenda das Palmeiras de Manoel Marques. sem passar pela casa de João Luiz ou Fazenda da Barra . 1)0 IU O DE JANEIRO AO PARÁ. No dia 2 3 segui para o Porto do Pereira no Rio Paranahiba por hum atalho. e fui pernoitar á Fazenda de João de Moura. onde tinha dormido no dia 25 de Maio. e fui pernoitar á casa de Joaquim de Arruda . e passei avante pela estra da do dia 23 de Maio até á casa do fazendeiro Damazo Vieira . 55 duzia a sua galante consorte. No dia 26 de Março segui o mesmo ca minho do dia 25 de Maio. No dia 28 de Março segui pelo caminho de 22 de Maio . No dia 29 de Março sahi da 'Fazenda das Palmeiras. 24 a 3i de março. Do Arraial do Patro cinio è Fazenda do Damazo ha 2 e % de legoa ao ruma de 1'Este. Do Damazo até ás Palmeiras contão 3 legoas. Segui a estrada do dia 27 de Maio de 1823. e pernoitei no Rancho de Francisco Pereira. e ca minhando pela estrada do dia 22 de Maio de 1823 até ao alto . No dia 27 de Março segui o caminho do dia 23 de Maio até ao Arraial do Patrocinio. — Na Quinta Feira 24 de Março ás 6 horas da manha atravessei o Rio Paranahiba . e pernoitei na Fazenda das Duas Pontes: no dia 25 tomei a estrada do mesmo 27 até ao Ar raial do Carabandella ou Santa Anna do Pouso Alegre. Marcha total do Paranahiba ás Palmeiras 25 legoas. Por este modo caminhei desde o Rio Corumbá até ao Porto do Pereira do Rio Paranahiba 25 legoas. onde dormira no dia antecedente do anno de 1823. que vai cheio por effeito das chuvas que não tem cessado.

o Rio de S. fui por hum campo fóra parar á cachoeira de hum corrego. que dahi a duas legoas entra em ou tra igual margem do Rio Paranahiba : por este modo andei perdido por espaço de 9 legoas. A's duas horas da noite ouvi o canto de gallos. segui a da esquerda por estar mais batida do gado : era en tão meio dia . encaminhei-me por hum morro acima para o lugar donde vinhão os cantos dos gallos. apresentando o Cor rego ou Ribeirão das Onze Mil Virgens como braço do Rio da Misericordia . sinal de não me achar longe de alguma casa. indo acompanhado pelo secretario Angelo José da Sil va. fui por huma varzea dar á casa da Fazenda das Onze Mil Virgens. A essa hora desci para hum profundo valle. e descendo esse mesmo morro. assentada na margem esquerda do cor rego do mesmo nomo . em que não vi huma só arvore. mas suppondo por des graça que esta me ficava a esquerda. e mandei accender fogo para afugentar qual quer féra das montanhas de que estava muito perto. João. Eu dei por bem empregado o meu incommodo . continuei a andar neste sentido até á meia noite por meio de campinas extensas. - . Das Onze Mil Virgens descobre-se a Serra do Urubu. e eu sem presumir que tinha errado o cami nho . e aquelle rio. que me pareceu ser o Cachoeirinha do Campo. por conhecer ocularmente que os map- pas. nem agua. Neste lugar co nheci achar-me fóra da estrada real. e hum escravo meu. onde ha huma estrada de máo passo para o outro lado da Serra Ge . em vez de tomar a estrada da direita para a Fazenda dos Remedios. furriel Simão de Souza. onde me apeei e exlendi sobre hum capote . existindo aliás entre o mesmo Onze Mil Virgens.54 ITINERARIO do chapadão que fica em cima da subida pedragosa que tem as duas fontes que se precipitão em cachoeiras .que lenho visto achao-se errados . que cu segui quasi desde a sua cabeceira até á ponte sobre a estrada. Apenas a aurora lançou os seus pri meiros raios.

onde agora existe huma taverna miseravel. lendo andado desde a ponte de S. subi a serra. e mar chei pela borda do chapadão que domina o valle do Rio de S. e então deixando i esquerda a estrada que vai para este arraial . 1. que está em hum valle junto a hum pequeno corrego. Da ponte de S. são 2o legoas. contando a volta de 12 le goas pela Fazenda das Onze Mil Virgens. o Arraial de S. No dia 3i Quinta feira segui pela estrada de 18 de Maio de 1823. legoa dis tante do Arraial de Bambuhy. Pedro de Alcantara ao rumo do Sul e Sueste. e seguindo a estrada de 17 de Maio de 1823 . . Das Onze Mil Virgens ate aqui 3 legoas. A' 9 horas da manhã do dia 3o sahi com effeito da Fazenda das Onze Mil Virgens. c fui pernoitar no Rancho do Ribeirão da Prata. tomei a da direita . DO RIO DE JANEIRO AO PARA. João marchji para a Tapera do Menino de Dcos." de abril.sexta fkira. 55 ral. e cheguei á dita Tapera do Menino de Dcos ás 6 '/» horas da tarde . mas ainda quiz ter o trabalho de me guiar até á estrada. passando o Rio da Misericordia . 7 legoas. -r. Desde a casa do Da- mazo até ao lugar em que me perdi andei ao Sueste. e a Cachoeira do Cervo. cheguei á Ponte Alta 1 7. e 21 de Maio de 1823. Desde as Palmeiras até á Tapera do Menino de Deos . João. — Sahi do Rancho do Ri beirão da Prata ás 4 horas da manhã . O proprietario da fazenda não só mandou logo aprom- ptar hum bom almoço. Sitio da Vendinha. e fui pernoitar no Sitio da Vendinha. 2o. e fui sahir a estrada junto á ponte do mesmo Rio de S. que corre perto no meio de huma densa matta . João pela estrada dos dias 18. João .

e o dos Novatos com sitio deste nome. e proseguindo pelo caminho do dia 14 do mesmo mez. 4 . e S. : dahi ao Aranha S. Desde o ponto em que encontrei a estrada . o Ribeirão do Ferreirinho. braço do Rio Formiga : eu pernoitei na Ca choeirinha. Na Terça feira 5 segui a marcha atravessando o Ribeirão ou Rio do Peixe . passei ao lado esquerdo de huma lagôa. : até Maria Alves Sal. Na estrada dos Novatos encontrão-se varios sitios. Francisco. e a do dia i5 até ao Sitio de Maria Alves. e entrando logo na estradà do dia i5 de Maio de 1823 até á margem esquerda do Rio de S. e fui encontrar a estrada do dia 12 de Maio de 1823 . — No Domingo 3 sahi ás 5 horas da manhã do Sitio de Maria Alves . . Na segunda feira continuei a marcha pela estrada da esquerda que vai para o Sitio dos Novatos. e marchando a encontrar a estrada do Aranha para o Arraial de Bambnhy. e Arraial da Formiga. Este sitio de Maria Alves tem muitas casas pequenas em huma bella varzea do Rio de Luiz Jacinto. assentado á margem direita do Ri beirão do Peixe . e além delles o Sitio da Cachoeirinha . 5 legoaè. 3 . atravessei-o em ajojo de duas canoas. — sabrado. S. segui a marcha do dia 16 de Maio de 1823 até ao Sitio do Aranha do Capitão Carvalho. correm aos rumos entre S. huma legoa distante do Rio de S. e em todas faltão commodidades : do sitio descobre-se a es trada real. E ^ de abril. a de abril. e S.5fi ITINERARIO Sitio de Maria Alves. . — Sahi do Sitio da Vendinha ás 4 horas da manhã. Francisco. fui pernoitar no Rancho do Sitio dos Arcos. E. Os caminhos quo eu segui desde a Cachoeira do Cervo até ao Ribeirão da Prata . : do Ribeirão da Prata á Ponte Alta ao rumo E. e dous corregos pequenos. deixando a da direita que segue para o Engenho do Capitão José Teixeira . e ahi pernoitei. E. E.

he lugar de devassidão para os tropeiros. Julião pertencente a Antonio Borges ao rumo de E. cinco de S. tratárão-me com o mesmo obsequio das jornadas an tecedentes. Segui do Engenho da Ca choeirinha ou Areão pela estrada do dia 1o de Maio de 1823 ao rumo de S. . Julião aos Novatos ao rumo de S. . o Snr. e i4 de Maio de 1820. S. 7 legoas. E. 6 de abbil. seguindo a marcha destes tres dias . —. — quarta feira. Nestas tres marchas andei huma legoa desde a casa de Maria Alves até ao Rio de S. Arraial da Oliveira. e por isso acha-se ahi muita gente reunida . e ao rumo de E. As concurrencias as missões destes Re- ngiosos são mui avultadas . e cinco dos Novatos ao Engenho da Cachoeirinha a esse mesmo rumo. e pelas estradas que eu tran sitei nos dias 12. Fran cisco até ao Engenho da Cachoeirinha. c continuei por cila até ao En genho da Cachoeirinha ou Areão pertencente ao Capitão Mór de Tamanduá . até ao Engenho do Lambary . e de roubos de muitas bestas. Por este modo se vê que desde o Rio de S. Francisco ao rumo Sul. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. E. como o Padre Manoel Fernandes Martins no arraial. andão-se 16 legoas por caminhos peiores . ha i4 legoas. i3. tres até á Fazenda de S. No arraial tem estado em missão os Padres da Congregação da Serra da Caraça . que assim como todas as povoações das estradas . Os viajantes do interior do Brazil devem evi tar quanto fôr possivel a entrada e o pernoitamento nos arraiaes. Marcha total desde Maria Alves até ao Engenho da Cachoeirinha i5 legoas. E. e muitas vefes tambem são peri . 57 no Sitio do Pouso Alegre . João Quintino de Oliveira.até ao Arraial da Oliveira : tanto o Capitão Mór no seu engenho. e atravez do Arraial da For miga . e a estrada coberta de familias a Ca vallo e em carros.

se hum pequeno corrego. — Sahi do Arraial da Oli veira ás 2 horas da tarde . tem- se feito muitas restituições. Thiago pelo Capão Grosso. Thiago atravez de hum grande chapadão. Quando no anno de 1823 eu passei pelo Arraial de Bambuhy. Os Padres disscrão-me que se tem tirado grandes fructos destas missões e romarias. ponto culminante das aguas vertentes dos Rios . por se haverem arranchado no brejo contiguo ao mesmo arraial. Anna . — quinta feira. 4 legoas. 4f legoas. e tomando o caminho do dia y de Maio de 1823. 8 de abril. João d'El-Rei. Anna no Rio Jacaré. fui informado de haverem perecido mais de 3oo pessoas neste lugar insalubre . lem- se promovido as reconciliações de inimigos inveterados.58 ITINERARIO gosas. Eu não sei se os missionarios são juizes imparcices nestes nego cios. Logo adiante do Guilherme passa. O edificio acha-se em grande deterioração. Neste lugar deixei a estrada da esquerda que vaj para o Arraial de S. e dahi continua-se até ao Rio Jacaré (o ramo principal) . — Sahi do Engenho de D. para dar tempo a chegar a baga gem que tinha ficado no Lambary . — sexta feira. e pouco adiante na sua margem esquerda está o engenho de as- sucar de D. Anna para o ArraH de S. João Baptista . c tem fmalmente apparecido hu- ma grande reforma na moral do povo de todas as classes. 7 de abril. pois que hum largo numero de pessoas dos dous sexos santificarão pelos laços do matrimonio as suas antigas camaradagens. andei até ao Rancho do Guilherme na margem esquerda do Jacaré ao rumo do Sul. Engenho de D. onde pernoitei e fui muito bem tratado. Arraial de S. c tomei a da direita que vai para S.

João d'El-Rei. desci hum monte . Gonçalo muito de cadente. João Baptista. 7 legoas. acima da qual conflue pela margem esquerda o Rio Carandahy . sorte de todas as povoações procedidas da mineração. grande a escassez neste arraial . c me dérão huma cama mi seravel. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. 9 de abril. — sabrado. descobri * o Arraial da Conceição. favor que não aproveitei para não incommodar. rica. e caminhando por vastas campinas mui povoadas de codornizes. O Arraial de S. que havia et . e por elle cheguei á 'Villa de S. extensa. que difficultosamente encon trei duas gallinhas e alguns ovos para jantar. atravessei o Arraial de S. João d'El-Rei. He tão . Villa de S. — A's 4 horas da manhã sahi do Arraial de S. £g Jacaré e do Peixe . e 4 '/» legoas arredado do Arraial da La- gea. Thiago fica 3 •/. Nesse mesmo dia tive a fortuna de en contrar o Snr. Thiago. as quaes estavão vestidas como os mendigos mais miseráveis. Thiago ás 9 horas da manhã. populosa. braços direitos dos Rios das Mortes c Grande. legoas distante do de S. e fui hospedar-me na estalagem ■ onde mo vendêrão tudo a peso de dinheiro . a maior parte dos quaes se achão em ruinas. e os outros deser- ' tos. atravessei o Rio do Peixe. passei a ponte de madeira do Rio das Mortes. entrei no leito de hum regato. A igreja he vasta e formosa : não está muito maltratada. e apenas vi quatro ou seis pessoas. onde igualmente passei no dia antecedeute na minha marcha para Goiaz. Este arraial foi mui extenso e teve bons edifícios. Varias pessoas distinctas da villa quizerão obsequiar- me offerecendo-me as suas casas . Francisco de Paula Magalhães . com bons edificios c pontes de pedra sobre o Ri beirão do Tejuco. e cheguei ao Arraial de S. onde estive no dia 8 de Maio de j823 . Encontrão-se varios capões e lugares de antigas mi nerações .

— Hoje de manhã fui ver alguns templos desta villa. e as exeavações da Serra do Lenheiro : en- contrei-as tresbordando de aguas corrupta^ quasi ao pé das ha bitações. e os apologistas da mineração dizem que se não se tivessem lavrado minas deste metal . Verdade he que a maior parte do povo pensa por outro modo. Paula . quando eu ali conservei o meu Quartel General. io de abbil. 1 $ legoa. mas elles achao-se arruinados. Encontrei aqui habitando na casa do Intendente do ouro o Ex. Baptista Caetano de Almeida. he a passagem continua dos tropeiros. apezar de ser Capital da Provincia . O Snr.mo Snr. Conceição. a Sidade do Ouro Preto vai cahindo em miseria . Caetano Pinto de Miranda Montenegro . A refutação he facil de fazer : os Arraiaes de S. negociante de . são filhos da mi neração. He o commercio. he a agricultura . são os uni cos benefícios que a mineração deixou á Villa de S. João d'El-Rei . Chácara do Snr. Nenhum lu gar foi mais florescente do que Villa Rica durante a minera ção . não existiria à Villa de S. e se está restabelecendo da molestia que padece. João d'El-Rei.Go ITINERARIO tado no Arraial de Trahiras da Provincia de Goiaz . que logo teve a bondade de convidar-me para jan tar com elle no dia de amanhã. Baptista Caetano de Almeida . mas agora que se não extrahe ali ouro . Outro tanto posso dizer ácerca dos Arraiaes creados pela mineração na Provincia de Goiaz. e os seus edificios mui sumptuo sos. e muitos outros. * S. que foi Ministro da Fazenda . João d'El-Rei. que dão vida e crescimento a Villa de S. Thiago . e hum grande numero de edifícios achão-se re duzidos a hum monte de ruinas. Gonçalo. Os grandes montões decalháo e cascalho que vihon- tem e hoje . Este senhor fez- me a honra de apresentar-me ao Snr. e as covas cheias de agua estagnada . — domingo.

estabelecimento mui grande . 6 legoas. — Sahi da chacara do Snr. 11 de abril. O gado a pasto he mui raro. e marchando por chapadas. Ribeiro Fundo . em que ha varios capões de matos . alguns canarios. e acompa nhado pelos Surs. — segunra FEinA. Encontrei pelos campos algumas co dornas. A's 5 horas da tarde montei a cavallo . e outras aves. DO RIO DE JANEIRO AO PARA. — terça FEIRÁ. o outras muitas pessoas. João d'El-Rei. immen- sos gaviões. João d'El-Rei. que não leva muita agua . Apenas sahi de casa. Paula ás A horas da manha. e na sua margem direita existe huma casa. e caminhando por chapa- dões por entre os Rios das Mortes grande e pequeno. deu-me hum magnifico jantar. e que he bastante estudioso. atravessei o Rio de Elvas que tem ponte coberta de ma deira : não he volumoso. estabelecimento pouco notavel de agricultura. — Sahi da Fazenda da Boa Vista ás 4 horas da manhã. periquitos. com boa fabrica de chapéos. Paula. A casa dista legoa e meia da Villa de S. Paula. cheguei ás 1 1 horas á casa da Fazenda da Boa Vista ou do Diogo . papagaios. Baptista Caetano. . e despedindo- rae dos senhores que me acompanhavão. começou huma pesada chuva: caminhei pelo leito do Corrego do Tejuco . maritacas. fui com o Snr. 6l S. Eu fui aqui mui bem tratado.5 legoas. Coronel Com- mandante da Cavallaria miliciana. Dahi a pouco cheguei a Fazenda do Ribeiro . Fazenda da Boa Vista do Diogo . a que assistirão muitas pessoas distinctas desta villa. 12 de abril. marchei para a Chacara do dito Snr. que agora se acha parada. Paula para a sna chacara . muitos merlos amarellos.

— Sahi do Ribeiro Fundo ás 4 horas e 5 minutos da manhã : passei perto de dous si- tios. onde encontrei tres sitios em diversos lugares. que vai ao Rio das Mortes. — O Curral Novo he o ponto culminante e divisorio das aguas desie districto. 5 legoas. passei ao lado mais dis tante do Arraial da Bertioga. O proprietario «ia Fazenda do Cur ral Novo hospedou-me com muito boa vontade. cheguei á Fazenda de D. i4 be abril. grande esta- bclecimento . Quintiliana. — quarta feira. cabeceira oriental do Rio Parahibuna. c a pouco mais de 2oo braças atravessei o cor^ rego. 4 £ legoas. Fazenda de D.6a ITINERARIO Fundo . Depois do ultimo atravessei hum corrego que entra na sua margem esquerda: logo adiante passei segunda vez o mesmo Parahibuna. e cheguei ás 1o horas á Fazenda do Curral Novo. atravessei hum pequeno corrego . e forma systema com a Serra da Mantiqueira. an tes de se incorporar com o Rio Preto . cuja casa está mui estragada: esta senhora hospe . S. Curral Movo . a pouca distancia da ponte do Parahibuna. que unido ao do Cur ral Novo. c segui a algu ma distancia á sua margem esquerda. e a muito pequena distancia ao Sul fic3o dous brejos. filial da Pa roquia de Barbacena. Quin tiliana. pequeno estabelecimento de agricultura. Este sitio fica na cabeceira do Cor rego do Curral Novo. a que alguns chamão o Rio do Barros. i5 de abril. e caminhando perto da sua margem direita . — quinta feira. Sahi pois da- quelle sitio . Antes de chegar á ponte do Rio de Elvas . da Piedade. entra na margem esquerda do Rio das Mortes. com Capella de N. onde nasce o Rio Parahibuna.

16 de abril. tendo a pouca distancia da casa atravessado o Parahibuna. O terreno corrido hoje he principio da mata entre o Rio de Janeiro e Minas Geraes. — sabrado. 1 7 de abril. Francisco de Paula no Sitio de Luiz Ferreira . Adiante destes corregos sahi á estrada real de Barbacena. — Marchei dssde o Sitio de D. 15 de abril. Sitio doa Coqueiros . — Sahi da casa de D. Francisca até ao Rancho da Rocinha da Negra pela es trada seguida nos dias ?-4 e a 5 de Abril de 1823. e mais tres corregos que entrão na sua margem esquerda. 4 legoas. 4 | legoas. . DO RIO DE JANEIRO AO PAItA. 18 de abril. junto á Capella de S. e 28 de Abril de 18a3. — segunda feira. Rocinha da Negra . e mandou fazer huma cama com finissimos len- çóes. H legoas. Sitio de D. — Caminhei desde os Coqueiros até ao Alcaide Mór pela estrada seguida nos dias 27. . — sexta feira. Francisca. Quin tiliana ás 5 horas da manhã: marchei por entre morros muito altos e cohertos de mato virgem c capoeiras. — domingo. à legoas. e se gui este mesmo caminho até ao Sitio dos Coqueiros ou Luiz Antonio sobre o caminho do dia 28 de Abril. Francisca pela estrada seguida nos dias s5 e 26 de Abril de 1823. — Marchei desde o Alcaide Mór até D. e ahi per noitei em huma casa nova. por onde eu tinha passado no dia 29 de Abril de 18a3 . Sitio do Alcaide Mor. 65 dou-me.

Fazenda do Corrêa . caminhando quasi sempre por entre morros . e fui pernoitar no Engenho do Cebola. O chapadão do alto da serra tem huma vista muito agradavel. — qvinta feira. Engenho do Cebola. e pelas encostas de montanhas de barro cobertas de densas arvores. Passei a ponte do Rio Parahibu- na . — quarta feira. marchei pela estrada de 2o e 21 de Abril de 1823. 2o m\ abril. por onde se passava para o Re gisto do Parahibuna antes de se construir a ponfe . em cuja margem direita estão desmoronando hum morro de barro vermelho pela corrente de agua. 21 de abril. Adiante fica 4 Encruzilhada ou o lugar em que a estrada da Serra das Abobaras se sepa ra da estrada do Farinha . 19 . 7 legoat. Segui por huma varzea á direita da Serra das Abobaras : subi esta serra por caminhos de zig-zags. . Junto ao Rancho da Encruzilhada passei o Ribeirão que vai entrar no Parahiba abaixo do arraial . — A's 6 horas da manhs passei o Rio Parahiba. 4 legoas. e no fim de meia legoa de marcha cheguei a esta povoação . calçados de pedra em alguns lugares: a subida não he asnera. e prepa rar a dita serra . e fui pernoitar á Fazenda do Padre Corrêa. Desde a Rocinha da Negra até á Encruzilhada contão 4 legoas. 4 $ legoas. — Marchei do Engenho do Cebola seguindo a estrada dos dias 18 . e 2o de Abril de 1823. — Sahi da Racinha da Ne gra ás 6 horas da manhã. que até então tinha huma picada quasi ntransitavel.64 ITINERARIO RegUto da Parabiba. 19 de abril. — terça feira.

mas conserva alguns atoleiros por não estar acabada. 5 legoas. a qual tem legoa e meia de extensão e he muito plana . — Do Porto da Estrella segui em hum saveiro grande para a cidade com a minha baga gem. 6 ] legoas. Por este mo do conclui as minhas marchas. e nella se pas- são os mesmos rios e corregos da estrada velha de Inhu- mirim. — sabrado.. — sexta feira. — Marchei da Fazenda do Padre Corrêa para a Mandioca pela estrada do dia 1 2 de Abril de 182$ . DOMINGO DO ESPIRITO SANTO. aconteceu que apresentando . Perto da Ilha do Governador encontrei huma falua que minha mulher enviava ao Porto por ter sabido em a noite do dia 22 que eu estava já naquelle lugar. 22 DE MAIO. nova da Rocinha da Negra. Regresso do Rio de Janeiro a Goiaz. Ao longo da estrada já existem muitos ranchos novos. O caminho novo tem menos meia legoa do que o velho. 65 Porto da Estrella. gozando a mais perfeita saude durante ellas. 22 de abril. na forma da Cons tituição Politica do Imperio. Havendo eu chegado ao Rio de Janeiro no dia 23 de Abril do anno de 1825 para tomar assento na Camara dos Deputados. e em consequencia de or dens do Governo . As bestas da bagagem e cavallos chegárão no dia 26 . afim de to marem forças para começarmos nova jornada. DO RIO DE JAMiMO AO PARÁ. Cidade do Rio de Janeiro . 25 de aebu. que se suppunha installar-se no dia 3 de Maio . As bestas de carga e cavallos forão pela estrada de terra. não obstante alguns graves incommodos que são partilha de todos os viandantes. mandei-os para hum pasto . e desde a Fazenda da Mandioca fui para o Porto da Estrella pela estrada.

e trans porto a minha bagagem em dez bestas de carga. e aponte alguns acci- dentes mais notaveis . Vi no seu jardim os cravos mais bellos que tenho encontrado no Brazil. — Fui hospedar-me na Fazenda do Padre Corrêa . No dia 21 de Maio embarquei no Valongo acompanhado por Angelo José da Silva . . e obtive a confir mação das propostas que havia feito para a primeira e se gunda linha da Provincia. Eu não hesitei hum mo mento : puz-me logo prompto a marchar . e fui pernoitar na Fazenda da Sambambaia. em consequencia de se achar ameaçada a do Cu- yabá pelo Dictader do Paraguay. dous tocadores . fa zendo estas pequenas marchas para dar tempo a chegar a bagagem . para melhor comprehenção daquillo que escrevo. Como eu durante esta nova jornada segui quasi sempre os mesmos passos das duas primeiras . que veio pela estrada de Irajá . ITINERARIO me ao Ex. Ministro da Guerra. João Vieira de Carvalho. não devo deixar de remetter os leito res aos mappas dos caminhos. entendo ser desneces sario repetir descripções estereis de novidades. Cheguei ao Porto da Estrella no dia 22. além de qua tro cavallos de sella . 23. declarou-me <|ue neste anno não podia ter lugar a reunião do Corpo Le gislativo. — Segui pela estrada nova da Serra da Estrella. • 24. e dous escravos do meu serviço. a que chamão — caminho de terra. E posto que eu va seguindo a ordem chronologica . 25.mo Snr."1° Snr. expedio-me aviso participando que o Governo reputaria serviço relevante o meu regresso á Provincia de Goiaz. — Estou em casa do Padre Corrêa. Estevão Ribeiro de Rezende. agora promovido a Alferes Ajudante de Milicias . e Simão de Souza Rego e Carva lho . e o Ex. hum tropeiro . que vai despachado Secretario do Governo das Armas .

— Pernoitei no Rancho do Moreira. 9. ( 3o. — Pernoitei no Rancho do Farinha da estrada nova do Rio Parahiba para o Parahibuna. 8. — Pernoitei no Engenho do Silva. — Pernoitei no Rancho da Pampulhu. — Pernoitei em casa de Paulo da 'Varzea. C. Comprei aqui hum cavallo por 3o $ooo réis. — quinta feira. . DO RIO DE JAU EIRO AO TARÁ. — Pernoitei no Engenho do Cbapéo de Uvas. e aqui comprei hum macho por 5o$ooo réis. 3. . 4. — Pernoitei no Rancho do Rio Lainbary. — Pernoitei no Engenho de Joaquim Pinto ou Santo Antonio. Francisca ou Ribeirão. 29. 1o. — Estou em casa de Bernardo Antonio. 5. — Pernoitei em casa do Ajudante João Ferreira sobre o Rio Carandahy. 13. 28. 27. — Pernoitei no Rancho de João Gomes junto á Capella de S. 7. Miguel. sendo a isto obrigado pelos máos termos em que existem algumas das minhas bestas de carga. — Pernoitei no Rancho de D. 2. — Pernoiiei no Rancho do Guilherme do Jacaré. — Pernoitei no Rancho do Pasto da Boiada. 1. Hoje pela manhíi. 67 26. 31. i4.— Pernoitei no Engenho da Cachoeirinha pertencente ao Capitão Mór da Villa de Tamanduá. — Estou em casa de Bernardo Antonio arranjando os apparclhos da tropa. 12. 11. ° de junho. — Pernoitei no Rancho do Rio Batalha ou Areão. — Pernoitei no Sitio das Galés de Cima do tropeiro Ber nardo Antonio. — Pernoitei no Rancho do Juiz do Fóra. — Pernoitei na casa de José Simpliciano da Villa de Barbacena.

e a do Ajudante Simão de Souza . desafiou a minha curiosidade. . ou abrilhantavão-se em conformidade com os movimentos da cabeça. Eu não pude attribuir aquelle phenomeno senão aos pingos de agua ou orvalho qfae estavão no limbo da aba de hum chapéo grande de palha. titulo que lhe tocou no goto. 16. O iris tomava diffe- rentes direcções quando elle movia a cabeça : ora diminuia.C8 1TINERARIo quando marchava pela pequena encosta de hum monte . Este homem parece-me bastante excentrico. e as cores amortecião. pois que então desappareceu a gloria de que estivéra coroado. e apezar de eu lhe fazer ver a impossibilidade e o absurdo da sua pretenção . — Pernoitei no Rancho dos Novatos ou Formiga Grande. observei hum iris muito vivo . grande estábelecimento muito deteriorado. nos quaes o sol feria em certas direcções? e ainda mais fiquei disto convencido quando elle passou adiante da encosta do morro. o iris da cabeça do meu Secretario seria reputado hum infallivel signal de predestinação. e talvez mui raro . Eu fiz repetir as experien cias em outros lugares da encosta . Na época dos prodigios. — Pernoitei na Fazenda de S. ou se era algum iris formado em sitio mais remoto . Francisco . e em cuja área o Secretario se achava colloeada. pouco depois de nascer o sol . Este phenomeno tão poucas vezes observado . mas debalde: a maior elevação do sol quebrou as linhas que produzião o iris. e por isso recommendei ao Secretario que se conser vasse na mesma posição para termos tempo de ver se a — glo ria ou resplendor— que o coroava provinha delle mesmo. Julião de Antonio Bor ges . Instou commigo que o nomeas se Capitão Commandante do Rio de S. em torno da cabeça do Secretario. extenso e brilhante. não descançou em quanto eu não lhe prpmetti faze-lo Capitão dos Barrancos . 15. ora augmentava. demorei-me ali algum tempo.

— Pernoitei na margem direita do Corrego do Patro- cinio . 69 e lhe fez dar alguns saltos pela casa. 25. talvez alguma herança ou partilha seja causa do desarranjo do pai. trouxe-me á memoria a extravagancia do Sur. Este homem fez-me grandes queixas de seus filhos. Eu fiquei eonvencido de haver neste homem alguma loucura. e a lua que cobria a terra estava muito mais viva do que a da lua mais brilhante: parecia hum pouco menos clara do que a luz da manhã antes do nascimento do sol. ou talvez quasi preto. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. ao lado de hu- ma lagoa muito piscosa. — Pernoitei no Arraial de S. — Estou no Arraial do S. — Pernoitei na Fazenda da Cachoeira do Cervo. . O corpo da lua esta va extremamente azulado . mas por outro lado achei- lhe muito siso. 22. 18. cujo Padre Capellão. com a differença que o pretendi do Commandante das Antas era hum refinadissimo velhaco . 26. Hoje das 6 horas até quasi ás 8 horas da manhã houve hum eclipse do sol: não foi central. e o Capitão dos Barrancos pareceu-me alienado do juizo. — Pernoitei na Fazenda dos Remedios. nos hospedou com grande generosidade. e se com effeito os tem. Pedro de Alcantara. e o appellido Borges. ig. Pedro de Alcantara. — Pernoitei no Rancho do Ribeirão da Prata. 1 7. — Pernoitei na Fazenda do Capitão Carvalho ou Aranha. 21. 2o. — Pernoitei no Rancho da Ponte Alta. amigo do Ajudante Simão de Souza. 23. — Pernoitei na Fazenda do Salitre. meia legoa adiante do arraial deste nome. — Estou em casa do Capitão Carvalho. e aqui comprei hum cavallo por 3o<5$i>ooo réis. pois que tinha debaixo de chave as cousas mais insignificantes. 24. Francisco Borges proprietario do Engenho das An tas da estrada de Goiaz . A pretenção do posto.

7o ITINERARIO
a 7. — Pernoitei na margem direita do Ribeirão de José
Pedro.
t8. — Pernoitei no Arraial de Garabandella.
29. — Pernoitei na margem direita do Corrego da Res
tinga.
3o. — Pernoitei na margem direita do Rio Paranahiba no
Porto do Pereira. <
1. ° de julho. — Fui pelo atalho pernoitar. na margem di
reita do Rio de S. Marcos : contão 4 '/» legoas. Pelo caminho
que segui no dia 29 do Maio de 1823 são 5 '/4 legoas.
2. — Marchei pelo atalho até ao Corrego das Perobas, em
cuja margem esquerda pernoitei. Por este atalho p^upa-se
hum quarto de legoa de marcha.
3. — Pernoitei na margem direita do Rio da Ponte Alta.
4. — Marchei para o Sitio do Brito por hum utalho que
vai á ponte.
5. — Pernoitei no Engenho do Corumbá. Encontrei a se
nhora mais moça da faurilia casada com hum simples soldado
de cavallaria de linha, chamado Antonio Joaquim, cujos
grandes attractivos forão o tocar viola. O Coronel pai destas
senhoras falteceu ha pouco na Provincia de S. Paulo ; e o
Ex.™" Snr. Caetano Maria Lopes Gama, Presidente actual da
Provincia de Goiaz, lamentando a desgraça destas meninas,
por terem acabado pela morte de seu pai as tres vidas da
donataria das passagens dos cinco rios concedidas ao desco
bridor de Goiaz, alcançou do Governo que as ditas senho
ras e seu irm^o fiquem administrando a passagem do Co
rumbá , para haverem alguns parcos meios de sustentação.
6. — Vim pernoitar ao Engenho do Bahú.
7. — Pernoitei no Rancho do Rio do Peixe , adiante do
Sitio do Campo Aberto.
8. — Pernoitei no Arraial do Bom Fim.
9. — Pernoitei no Engenho de S. João das Antas.

, DO I\1o DE JANEIRO AO PARÁ. 71
1o. — Pernoitei no Engenho das Antas de Francisco Bor
ges. Este sugeito que esperava o despacho de Capitão de
C avallaria, Commandante do Districto das Antas, e o Ha
bito de Christo , ficou mui satisfeito de o haver Sua Mages-
tade reformado no mesmo posto de Tenente , em que servira
algum tempo por ordem vocal. O grande ranche deste enge
nho incendiou-se ha pouco tempo, estando cheio de fazen
das de huma tropa do Cuyabá; e esta desgraça, em que
teve huma pequena parte o Snr. Borges , que perdeu hum
rancho ou barracão coberto de palha, foi para os seus es
cravos e mais familia huma fonte de riquezas; porquanto
andando-se divertindo na caça o proprietario da fazenda
enfardada , acudio o Snr. Borges com toda a sua gente a sal
var aquillo que fosse possivel, e tão bem o cumprio, que
pôde conseguir o transporte de immensa fazenda do rancho
incendiado para a sua casa : e quando á noite o gentil ca
çador se recolheu do campo, e vio a Troia das Antas, o
Snr. Borges teve a honradez de lhe offerecer de cear , e
fez-lhe entrega do que se salvára ; posti que os seus visi-
nhos apregoão que os escravos do Snr. Borges roubárão fa
zendas montando a mais de 2o,ooo cruzados; mas elle per
deu o seu rancho, que lhe leria importado em 4o$ooo réis.
11. — Estou no Engenho das Antas.
12. — Pernoitei na Fazsnda da Forquilha.
1 3. — Pernoitei no Engenho de S. Joaquim.
i4- — Estou no Engenho de S. Joaquim.
15. — Pernoitei no Sitio de Braz de Beça.
16. — Pernoitei no Engenho da Abadia.
17. — Pernoitei no Sitio dos Coqueiros.
18. — Pernoitei no alto do chapadão do Rio Bacalháo :
nesta noite quasi todos os Officiaes da primeira e segunda
Linha da Cidade vierão aqui ficar.
19. — Entrei na Cidade deGoiaz ás 9 horas da manhã,

72 ITINERARIO
havendo durante a jornada desfructado a mais vigorosa
saude.
Eu calculo a extensão das marchas do Rio de Janeiro até
Goiaz em 24 1 legoas.

Regresio de Goiaz ao Rio de Janeiro.
j
Havendo eu recebido aviso da Secretaria de Estado dos
Negocios da Guerra para me recolher ao Rio de Janeiro,
afim de tomar assento na Camara dos Deputados.á Assem-
bléa Geral Legislativa do Imperio, nomeando-se meu suc-
cessor o Ex.me Marechal de Campo João Jacome de Bauman;
entreguei o Governo Interino das Armas ao Snr. O/ficial
mais graduado da guarnição; e despedindo-me dos Ex.m°" e
R.m° Snr. Bispo e Presidente, dispuz-me a marchar no dia
9 de Março de 1826 , com intenção de seguir a estrada que
vai desde o Sitio do Brito além do Rio Corumbá, até ao
Arraial do Catalão ; e daqui atravez das Aldêas dos índios da
estrada de S. Paulo até ao Arraial do Patrocinio. O Sargento
Mór José Antonio Ramos Jubé meu Ajudante de Ordens da
Pessoa , o Secretario do Governo das Armas , e o Ajudante
Simão de Souza quizerão acompanhar-me até ao Rio Pa-
ranahiba , limite das Provincias de Minas Geraes e Goiaz.
Neste Itinerario notarei as legoas de caminho, e só farei
descripção dos lugares por onde marchar, quando não es-
tejão lançados em alguma parle destas memorias.
1 826. — 9 de março. — quinta feira. — Fui pernoitar
no Engenho do Palmital , e segui pela estrada de cima para
S. Joaquim, 7^ legoas e 3/í.
1o. — Pernoitei 11o Engenho deS. Joaquim, 161egoase '/».
n. — Estou em S. Joaquim.
12. — Estou em S. Joaquim.
13. — No mesmo dia em que eu cheguei ao Palmital,

BO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. ~3
começárão a cahir torrentes de chuva, que pareceu esta
rem reservadas para me incommodarem, tendo havido antes
do dia 9 de Março huma secca mui rigorosa. A chuva con
tinua dhi e noite, e os caminhos achão-se intransitaveis. A
minha bagagem gastou quatro dias na marcha desde Goiaz
até ao Engenho de S. Joaquim. Hoje marchei debaixo de
chuva , e vim pernoitar no miseravel Engenho do Gongo ;
3 legoas.
i4- — Pernoitei no Engenho das Antas; 4 legoas e '/»•
15. — Pernoitei no Arraial do Bom Fim; 8 legoas.
16. — Pernoitei no Sitio das Guarirobas; 1 legoa.
17. — Pernoitei no Rancho do Bazilio; 3 legoas.
1 8. — Pernoitei no Engenho do Bahú ; 6 legoas e 'ff.
19. — Pernoitei na casa junto ao Rio Corumbá ; 5 legoas.
2o. — Pernoitei no Sitio de Santo Onofre ; 1 legoa e Tf.
91. — Pernoitei no Rancho do Brito; 4 legoas.
22. — Sahi do Rancho do Brito ás 4 horas da manhã:
atravessei o Corrego do Brito , subi o Morro Grande , e
deixando a estrada que vai para a passagem dos carros á
direita , tomei a da esquerda , e atravessei a ponte do Rio
Braço do Verissimo , em cuja margem esquerda pernoitei ;
4 legoas*
23. — Marchei do Rio Braço do Verissimo a encontrar
o caminho de S. Paulo, e seguindo por elle atravessei dous
corregos, c o Ribeiro Fundo , formado pelos da Ponte Alta
e Braço da Ponte Alta; tem ponte, e entra na margem es
querda do Braço do Verissimo que fica a pouca distancia.
Adiante do Ribeiro Fundo os caminhos estão entre montes
asperos ; e no fim de 4 '/» horas de marcha , apêei-me na
margem direita do Rio do Verissimo em casa do passador
da canôa , onde pernoitei bastante mal accommodado. A fóz
do Rio Braço do Verissimo fica apouca distancia abaixo desta
casa, e 3 '/4 legoas apartada da Fazenda da Cachoeira, onde

^4 ITINERARIO
eu pernoitei no dia 3i de Maio de 1823. Do porto do Rio
Verissimo onde me acho , até á ponte do mesmo rio na
estrada seguida no referido dia 3i de Maio, ha 2 '/» legoas
de distancia. As chuvas não tem cessado dia e noite ; e os
caminhos achão-se tão estragados, que a minha hagagem
esteve hoje em marcha por espaço de 1o horas. Do Rio
Braço do Verissimo ao porto do Verissimo , 4 legoas.
A estrada dos carros , e o seu porto de passagem no
Verissimo , ficao abaixo da confluencia do Braço com o
Verissimo.
24. — A's 6 horas da manhã atravessei o Rio do Veris
simo em pequena canoa : vai muito cheio ; e segui por
caminhos asperos até ao Sitio do Campo Limpo , pequeno
estabelecimento , adiante do qual ficão dous corregos que
correm para a esquerda a entrarem no Rio do Verissimo.
Em seguimento fica outro corrego , que entra na direita do
Ribeirão do Pirapetinga do dia 3i de Maio de 1823. Logo
depois atravessa-se hum morro , á direita do qual , na es
trada dos carros , existe hum sitio denominado — Pé do
Morro — , e fica fóra da estrada que eu vou seguindo.
Adiante do morro passa-se o Ribeirão : corre da esquerda
para a direita a entrar na margem esquerda do Rio Veris
simo abaixo do Porto dos Carros. Adiante fica hum corrego
que entra no Ribeirão ; e junto a elle existe a fazenda de
nominada simplesmente — Ribeirão — , pequeno estabele
cimento que dista 4 7« legoas da ponte do Corrego das Pero
bas do dia 3i de Maio de 1823, e 2 legoas do Sitio dos
Quarteis, onde eu pernoitára no dia 3o desse mesmo mez.
Passado o Ribeirão ha grandes campos e alguns morros aos
lados da estrada ; e por fim encontra-se o Ribeirão do Cata
lão com ponte , e junto a elle o Arraial do mesmo nome ,
onde pernoitei na casa do Commandante , que me tratou
com moita generosidade. Do Rio do V«rissimo ao Ribeirão

DO RIO DE JANEIKQ AO PARA. 73
ha 4 7» legoas , e daqui ao Arraial do Catalão 1 '/,. Total
da marcha, 6 legoas.
Da casa da Fazenda do Ribeirão até a foz do mesmo Ri
beirão na margem esquerda do Verissimo, contão 5 legoas.
O Arraial do Catalão he novo , e está assentado em terreno
plano a pouca distancia da casa de huma antiga fazenda
do mesmo nome; tem 18 fogos, e a pequena e pobre Capella
de N. S. Madre de Deos: pertence ao Julgado de Santa Cruz,
e promette grande crescimento , por ficar sobre a estrada
de S. Paulo para Goiaz e Cuyabá , e por serem os moradores,
do seu districto quasi todos naturaes da Provincia de Minas,
criadores de gado vacum e ccrdal. Deste arraial contão 4 '/•
legoas ao Sitio de S. Domingos do dia 29 de Maio de »8s3;
4 legoas á Fazenda do Paraizo; 47» a0 Porto de José Vaz,
e 2 legoas ao Porto do Mão de Páo , ambos do Rio Para-
nahiba.
Parece-me conveniente marcar estas distancias, não só
para informação dos viandantes , como tambem para que os
geographos conheção a grande volta ou arco descripto nestas
paragens pelo Rio Paranahiba. Do Porto do Pereira , onde
eu passei no dia 27 de Maio, ató a fóz do Rio de S. Marcos,
contão 3 legoas, e daquelle mesmo porto até ao da passa
gem dô Paranahiba na estrada de S. Paulo, que eu vou
seguindo, fazem pouco mais de 1o legoas , a saber : 3 desde
o Pereira até a José Vaz , e 7 até ao Porto Real da estrada
de S. Paulo.
20. — Estou no Arraial do Catalão.
26. — domingo de pascoa. — Houve hoje hum grande
concurso de povo no arraial , não obstante a chuva copiosa.
Vi a maior parte da gente bem trajada , e mostrando saude
vigorosa. Morreu picado de huma cobra o meu melhor ca
vallo; e abandonei outro igualmente bom por ter mettido
hum estrepe na perna direita. Depois da missa montei a<

^() ITINJ5RARIo
cavallo , e passei logo hum pequeno corrego , braço es
querdo do Ribeirão do Catalão. Adiante fica o Corrego da
Olaria , onde existe huma pequena casa. Este corrego vai
á margem direita do Riacho Fundo. Adiante está o Sitio e o
Corrego de Maria da Conceição : adiante deste fica o Cor
rego e o Sitio do Lopes : em seguimento encontra-se a casa
da fazenda do Riacho Fundo , junto da qual entra na mar
gem direita o sobredito Corrego da Olaria. A casa está na
margem direita do referido Riacho Fundo, o qual atravessei,
e vai entrar na margem direita do Ribeirão do Ouvidor.
Adiante do Riaçho Fundo fica huma casa á direita; e dahi
vai-se ao dito ribeirão que he largo , e tem na sua margem
esquerda a Fazenda dos Casados , e huma pequena povoação
de oito familias. Eu pernoitei neste lugar. Do Arraial do Ca
talão aos Casados ha 4 legoas.
A marcha foi pelo meio de campinas , em que ha varios
capões e cerrados.
27. — Sahi da Fazenda dos Casados ás 4 horas da manha,
e passei dous corregos , braços esquerdos do Ribeirão do
Ouvidor : no primeiro existe huma pequena casa em a mar
gem direita; e no segundo, em que tambem existe outra ca
sa, principia a Mata do Paranahiba , e por isso lhe chamão
— Estrada da Mata. — Daqui em diante o caminho está pes
simo', 'cheio de atoleiros , em que os cavallos se enterrão até
á barriga ; mas sem perigo cheguei á margem direita do Rio
Paranahiba , cuja cheia me causou espanto , assim como
era motivo de admiração de todos os visinhos , que não se
recordavão ter havido outra maior. A agua do rio, que ainda
continua a encher , está lavando as casas dos barrancos ; e a
passagem assustou a todas as pessoas que comigo se achavão,
não porque o rio tivesse huma corrente mui forte , mas sim
porque estando muito largo, temia-se que os cavallos e as bes
tas de carga não pudessem vencer o grande trajecto. Ora,

DO RIO DE JANEIRO ÃO PARA. 77
como cu observava que o volume das aguas augmentava
prodigiosamente , dei ordem a passar os cavallos , e para isso
caminhaudo-se por huma picada rio acima, por espaço su
perior a 2oo braças, lançárão-se os animaes ao rio, e feliz
mente atravessarão até ao barranco da margem esquerda
no lugar em que se acha o Quartel do Registo, onde a agua
já chegava. Logo que passárão os cavallos e bestas , atraves
sou o rio na balça o Major Jubé , conduzindo as cargas
tanto na mesma balça , como em duas canoas; e posto tudo
a saliv o , passei eu o rio na mesma balça , acompanhado pelo
Secretario do Governo das Armas , e o Ajudante Simão de
Souza. No meie do rio , que agora terá 36o braças de lar
gura , sentio-se huma forte corrente no lugar que fica em ci
ma das rochas altas do leito; e quando a balça corria ao lon
go da margem esquerda , estive em risco de ser varrido para
a agua , por nos termos aproximado dos ramos das arvores
que se achavão fóra da superficie da corrente. Estas occa-
siões sempre são perigosas, e quasi todos os naufragios nos
rios procedem do choque das embarcações de encontro aos
troncos ou ramos das arvores mergulhadas ou pouco supe
riores á flor da agua. Como na passagem do Rio Paranahiba
gastei mais de tres horas, preparou-se o jantar para todos,
e despedindo-me doa meus companheiros de viagem, excepto
o Secretario que me acompanha, vi-os chegar a salvo á mar
gem direita do Paranahiba , para onde lhes fiz sinaes de ulti
mo adeos. O Rio Paranahiba dista da Fazenda dos Casados
2 legoas e '/»•
Total distancia de Goiaz ao Paranahiba, 81 legoas.
Por este modo sahi pela ultima vez da Provincia de Goiaz,
cujos habitantes sempre me dérão as mais excessivas provas
de sincera amizade.
Do Porto Real do Paranahiba até á fóz do Ribeirão do
Ouvidor na sua margem direita, contão 4 legoas. Daqui á

78 , ' ITINERARIO
fóz do Ribeirão do Catalão contão outras 4 ; e daqui á fóz
do Rio do Verissimo ha meia legoa. Da fóz do Verissimo
até á do Corumbá suppõe-se haver entre 2o a 24 legoas ,
tudo deserto, e apenai visitado pelos Indios moradores das
aldêas que hei de atravessar.

Marchas na Província de Minas Geraes.
y
27 de março. — Pouco depois do meio dia montei a Ca
vallo , e seguindo por meio da matta , atolando-me a todo
o instante , passei o Ribeirão da Borda da Matta . que corre
da direita para a esquerda, e entra no Paranahiba acima
do Porto da Passagem. Na margem direita do ribeirão existe
huma pequena casa. Aqui termina a matta , e entra-se em
grandes campos, e pela estrada que os atravessa cheguei a
Aldêa de S. Domingos , assentada na margem esquerda do
ribeirão do mesmo nome , que entra no Paranahiba abaixo
do porto. Desde este rio até a casa da Borda da Matta ha
meia legoa , e d'ahi á aldêa huma legoa. A Aldêa de S.
Domingos, situada em terreno baixo e pedragoso, foi funda
da pelo Coronel Antonio Pires de Campos no anno de 1751 ,
para habitação dos Indios Bórórós , que de Matto Grosso vie-
rão a Goiaz fazer guerra aos Indios Cayapós, que infestavão
a estrada de S. Paulo. Acha-se no tempo presente reduzida
a doze miseraveis choças , onde vegetão seis miscrabilissimas
familias descendentes dos referidos primeiros Bórórós , e
huma pequena e immunda capella de páo a pique coberta
de sapé , a qual, por falta de portas, serve de abrigo aos
poucos porcos e vacas pertencentes aos moradores indolen
tes daquelle lugar, que parece achar-se, ou realmente se acha
abandonado , tanto pelas autoridades civis , como pelas ec-
clesiasticas. Os Indios desta c de todas as outras aldêas da
estrada de S. Paulo , tem diminuido prodigiosamente , e pro

1)o RIO DE JAXEIRO -AO PARÁ. j(j
mettem huma absoluta e muito breve anniquilação. Do Rio
Paranahiba á Aldêa de S. Domingos ha 1 legoa e-'/,.
28. — Sahi do rancho da Aldêa de S. Domingos ás 4 ho
ras da manha : passei hum pequeno corrego que entra na
margem direita do Rio das Pedras : adiante delle fica a al
dêa deste nome, situada em terreno baixo na margem direita
do mesmo rio : tem huma miseravel capella e algumas bar
racas, onde existem 3o familias de Indios Bórórós aqui col-
locados pelo Coronel Campos no anno de 1751. Varios ín
dios desta e outras aldêas forão dellas removidos no anno de
181 1 para a Aldêa das Salinas o11 Boa Vista, e para o Registo
de S. Maria sobre o Rio Grande ou Araguaya.
Adiante da Aldêa do Rio das Pedras está o Ribeirão deste
nome, cuja margem esquerda fui seguindo até ao Sitio da
Taperinha , assentado junto ao seu leito : a origem do rio fica
em huma pequena lagoa, pouco a Oeste da Taperinha.
Adiante existe a Aldêa da Estiva , pequena , com huma ca
pella destruida, e servindo de habitação ( a aldêa ) de 7 fa
milias de Indios Bórórós das mesmas circunstancias dos an
tecedentes : eu pernoitei nesta aldêa. De S. Domingos á Es
tiva contão 3 legoas.
Os caminhos de hoje são mui planos ; mas o Rio das Pe
dras desempenha bem o nome que recebeu, devido aos
immensos calháos que cobrem o seu leito.
29. — Sahi da Aldêa da Estiva ás 5 horas da manha , e
atravessei logo huma grande estiva de madeira que ha no
brejo contiguo, por onde corre o ribeirão denominado Esti
va , o qual nasce em duas pequenas lagoas no campo ao Ori
ente da aldêa. A estiva acha-se muito maltratada , de for
ma que preferi atravessar alguns pantanaes , por temer que
o cavallo quebrasse as pernas entre as varas de que he com
posta. Adiante do Brejo da Estiva passei ao lado esquerdo da
Lagoúiha , cabeceira do Rio do Pissarrão , e continuei por

8o « ITINERARIO
campinas extensas até ao pequeno Corrego do Cracra, onde
existe hum sitio do mesmo nome ao lado esquerdo da es
trada. Adiante do Cracrá encontra-se huma lagoa a Oeste ,
a qual he cabeceira do Ribeirão das Furnas , que vai entrar
na margem direita do Rio das Velhas , a Oeste do Registo
do Porto Real da aldêa de Santa Anna da estrada de S.
Paulo para Goiaz. Adiante do Buritizal ( nome da lagoa )
encontra-se o Corrego de Santa Fé, que entra na margern
esquerda do Rio Bagagem, assim como o Corrego do Cra
crá. Junto ao Corrego de Santa Fé existe huma antiga casa
arruinada da fazenda do mesmo nome , onde pernoitei. Este
pouso he miseravel : fica 5 legoas distante da aldêa de Santa
Anna do Rio das Velhas; 4 legoas do Arraial do Carmo; e
da Aldêa da Estiva 5 legoas e
A marcha de hoje foi por meio de campinas , ao rumo do
Sueste.
3o. — Sahi da Fazenda de Santa Fé ás 5 horas da ma
nhã, e fui seguindo a pouca distancia a margem esquerda
do Rio Bagagem até chegar á fazenda^ do mesmo nome ,
adiante da qual atravessei o dito rio que tem ponte : nasce
a Oeste. Daqui em diante fui costeando a pouca distancia
hum corrego que me ficou á direita , e entra na margem
oriental do Bagagem. A origem do corrego fica a Oeste da
estrada mas proximo della, no Jugár denominado Olho dé
Agua, no qual muitas vezes arranchão as tropas, por haver
aqui bom pasto. Adiante do Olho de Agua ficão a Fazenda
e o rancho denominado Rancharia : estão fóra da estrada.
Segue-se logo hum pequeno regato que entra na margem
esquerda do Rio das Perdizes, e»depois fica a Fazenda de
S. Jeronimo, grande estabelecimento de criar gado, per
tencente ao Capitão Pedro Mondim, o qual me hospedou
com a maior abastança e civilidade. Desta fazenda contão 3
legoas e 7» ao Arraial do Carmo : de Santa Fé a S. Jeronimo
ha 5 legoas e '/,.

DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. 8l
Os caminhos de hoje são mnito planos, por meio de agra
daveis campinas, em que ha muito calháo.
51. — Sahi da fazenda do Capitão Pedro Mondim ás 4
horas da manhã : passei logo o Rio das Perdizes perto da
sua origem occidental, e depois disso e Ribeirão das Ma-
cabubas, e hum pequeno corrego, adiante do qual fica a Fa
zenda das Macahubas, bom estabelecimento. Este ribeirão
he cabeceira' do Rio de S. Antonio. Fui seguindo o Maca •
hubas ao longo da sua margem esquerda ; atravessei dous
pequenos corregos , e apêei-me na Fazenda do Bom Jar
dim pertencente a Ignacio da Cunha , bom estabelecimento
de criar gado. A marcha foi ao Oriente da Serra dos Cocaes,
por campinas planas com algum calháo. Da Fazenda de S.
Jeronimo ás Macahubas contão 2 legoas e '/»; dahi ao Bom
Jardim 1 legoa e 3/4 : tofal da marcha 4 legoas e
1.° de abril. — Sahi da Fazenda do Bom Jardim ás 4
horas da manha : atravessei o corrego do mesmo nome, e ou
tros cinco, todos braços esquerdos do Rio de S. Antonio,
e cheguei ás 7 horas ao Arraial do Patrocinio, havendp assim
andado 2 legoas e 3/í. Estando neste arraial , acho-me na es
trada seguida 11o anno passado em 27 de Março, quando fui
ao Rio de Janeiro. O caminho de Goiaz para o Rio, passando
pelo Arraial do Catalão, e outros lugares desta minha ul
tima marcha , deve preferir-se á primeira que eu fiz pelo
Porto do Pereira , não só por haverem estradas mais planas ,
como por se poupar huma volta de 4 íegoas e 7» : quando
porém do Patrocinio se fôr ao Arraial do Carmo distante 1o
legoas, e d'ahi ao Arraial do Catalão pelo Porto do Mão de
Páo ou S. Camillo , a jornada fica mais curta. Em ambos os
casos evita-se a trabalhosa passagem do Rio de S. Marcos , e
alguns morros asperos. Do Arraial do Patrocinio , onde me
demorei até ás 4 horas da tarde, segui ao rumo de 1'Este
até á casa do fazendeiro Damazo 'Vieira , e ahi pernoitei. Do

8íi ITINERARIO
arraial a csta casa ha a legoas e 3/4: marcha totai 5 legoas
e '/»•
2. — Vim pernoitar á Fazenda dos Remedios ; 6 legoas.
3. — Pernoitei no Arraial de S. Pedro de Alcantara ; 6
legoas.
4. — Pernoitei na Fazenda de André Martins ; 4 legoas.
5. — Pernoitei no Ribeirão da Prata ; 7 legoas. ,
6. — Pernoitei no Rancho da Ponte Alta ; 5 legoas.
7. — Pernoitei na Fazenda do Aranha ; 4 legoas.
8. — Pernoitei na Fazenda de S. Julião ; 6 legoas.
-g, — Pernoitei no Rancho dos Novatos ; 5 legoas.
1o. — Pernoitei no Engenho da Cachoeirinba ; 5 legons.
11. — Pernoitei no Arraial da Oliveira ; 7 legoas.
12. — Pernoitei no Rancho do Guilherme ; 3 legoas.
13. — Vim ficar noBuraco Fundo; 5 legoas.
14. •— Pernoitei cm casa do Capitão Mor Gervasio; ir le
goas e 'A.
15. — Da casa do Capitão Mór Gervasio ou Engenho dos
Campos Geraes vou para a Villa de Barbacena pela estrada
que segue ao Arraial dos Prados. Junto a esle arraial que he
pequeno, tem Igreja paroquial, e está assentado em huma
profunda cova; existe huma lagoa, cujo sangradouro se
passa , e depois delle o Rio Cachambú , em cuja margem
esquerda ha huma grande casa antiga, e ahi pernoitei, ha
vendo assim andado 5 legoas.
16. — Sahi ás 4 horas da manhã da Fazenda do Cacham
bú , e atravessando varios corregos, o Rio de Loures , e o de
Alberto Dias , e as Fazendas da Cachoeira , Moreira , Pinhei
ro , e outras entre serras e morros , e atravessando hum ex
tenso chapadão igual em altura ao da villa de Barbacena,
cheguei a este lugar ás 6 horas da tarde , por me haver de
morado muitas horas no Rio de Loures ou das Palmeiras.
A marcha de hoje foi ao rumo dô Sul 6 legoas.

a3.— Pernoitei no Arraial da Parahiba . 19. o qual vinha acompanhado pela sua Ex. 4 legoas. — Pernoitei na casa do Corrego Fundo.m" consorte. 2 legoas. e muito mais havendo pessoas de. — Pernoitei no Rancho do Medeiros. Este encontro deu motivo à seguirmos todos juntos para a capital do Imperio. 4 legoas e '/. O viajar com hum companheiro unico a bom da distracção ho preferivel a so ciedades mais numerosas. 4' legoas. s1. 3 legoas. 29. 4 legoas.» 25. . — Pernoitei no Rancho da Tapera. Não he das melhores cousas ser nume rosa a companhia nas jornadas : todos po^ attenção ficão mal acommodados. ' s4. a quem se devão considerações. — Pernoitei no Rancho do Secretario. 18. c Antonio Gonçalves Gomide. Arcediago Marcos Antonio Monteiro de Barros. — Pernoitei no Rancho dos Coqueiros . 26. Senadores do Impe rio . — Com o sentimento do An to da mula . dahi ao Arraial dos Prados 1 legoa . 4 legoas e '/». — Estive na Villa de Barbacena por me haverem fur tado huma excellente mula .m° Snr. vim em com panhia das pessoas acima notadas pernoitar ao Engenho além dos VaJinhos. 17. Marcha . 4 legoas e '/». Deputado á Assem- bléa Geral pela Prov inda do Minas Geraes . de que me lez presente o Ex. 83 Note-sc que na marcha de hontem andei desde o Enge nho do Capitão Mor até á casa do Ajudante João Ferreira 2 legoas c . 22. Encontrei-me em Barbacena com os Ex. e José Cesario de Miranda Ribeiro . 2o. outro sexo. 5 legoas. 3 legoas. 28. — Pernoitei na casa do Padre Paula ./» . e dahi ao Cachambu 1 legoa e '/» ao rumo do Sul. — Pernoitei no Rancho de João Gomes. — Pernoitei no Porto da Estrella . DO RIO DE JAJIEWO AO PARA. Pernoitei na Rocinha da Negra. 27. .— Pernoitei na Fazenda do Padre Corrêa: 3 legoas e '/«."1°* Snrs. 5 legoas. Antonio Joaquim da Costa Gavião Governador das Armas do Matto Grosso.

85$>ooo réis. a3js/i Nao se pôde fazer idéa dos incommodos soffridos durante esta marcha desde Goiaz ao Rio de Janeiro. legoas . No Rio de Janeiro vim a saber que o mesmo meu tropeiro foi o ladrão da mula que desappareceu em Bar bacena. o roubo de huma besta du rante huma marcha terrestre. Este pedaço de caminho foi o peior das minhas marchas . 3o. legoas . he semelhante ao desarvo- ramento de hum mastro de qualquer navio no mar. 1 56^/4 Ajuntando o que caminhei em Goiaz. 5 legoas. — Cheguei ao Rio de Janeiro . mas de hum ladrão de casa ninguem se pôde escapar. Todas as cautelas são poucas na escolha dos tropeiros e camara das de estrada. ou hum atoleiro continuo . Distancia desde o Rio Paranahiba até ao Rio de Janeiro . 8i Distancia de Goiaz ao Rio de Janeiro. recebi os mais attenciosos obsequios.84 ITINERARIO. . e fui acolhido com a maior hos pitalidade. As chuvas nunca cessárao: os rios todos ião cheios: poucas forão as pontes que resistirão: os campos estavão inundados: em conclusão desde a Fazenda da Mandioca até ao Porto da Estrella gastei tres horas pelo caminho novo. legoas . . Parece que eu no dia i° de Maio de 18a5 . . em que os cavallos se en- terravão até ao selim. todavia nunca soffri incommodos de saude . De taes aconteci mentos ninguem se pôde livrar. ETC. quando fallei acerca de roubos de bestas nos ranchos da Yilla de Barbacena . que era hum mar de lama . e vendeu-a por. c em todos os lugares por onde transitei. vaticinava que ahi mesmo me furta^ rião a bella mula com que tinha sido obsequiado* . .

que a alguem podem interessar . e forão por mim encarre gados dessa diligencia . merecem o cunho de verdadeiros. e as pessoas que tiverem de fa^er jornadas pelas terras de Goiaz . e só os corregos ou regatos mais insignificantes apre sentarão o seu curso em sentido contrario áquelle que real mente seguem. e que talvez não exista outra obra' desta natureza acerca das estradas de Goiaz. e existencia de raridades naturaes : esses ob jectos pouco desafião a 'curiosidade dos homens ordinarios. direcção de montanhas . e muitas vezes aconteceu fingirem ignorar cousas muitriviaes. No caso porém de algum ou todos elles não serem abso lutamente exactos. os quaes apontamentos . lembro-me que farei ser viço aos amantes da Geographia . CONTINUAÇÃO DOS ITINERÁRIOS Havendo eu nos -escriptos precedentes mostrado os Iti nerarios da Provincia de Goiaz taes quaes forão no terreno por mim pessoalmente arranjados : devendo contar que tu do aquillo que escrevo he correcto. Eu já mostrei em muitos lugares desta obra o indifferentismo de alguns moradores das estradas a res peito da indagação da origem e curso dos rios. feita com tantos desvelo* e minuciosidades. . pouco se desvião da verdade : a differença ou erro nunca excederá a mais de meia legoa em cada mar cha. ou pelo menos o mais proximo a exactidão. segundo ou tras informações obtidas . escrevendo os Iti nerarios que organisei á vista dos apontamentos feitos por varios Officiaes com quem servi. c dos mais lu gares do Brazil .

c o arraial deste nome situado . o Monte Negro ou Tapera de Santa An na . as cavernas em que todos os dias fallavno . assim como para os Nacionaes e Estrangeiros. foi mui bem construida com pe quenas pedras mettidas a tição. gostávão . Itinerario da Cidade de Goiaz para o Arraial do Ouro Fino.86 ITINERAKIO por temerem que eu os convidasse a acompanharem-iue para examina-las. fica sobre o profundo valle em que corre o Rio Vermelho. que apresenta a parte convexa a Oeste. Esta calçada . as pon tes . Nao ha quem deixe de apreciar hum Itinerario depois delle estar concluido. 1. os montes. que agora se acba em miserável estado de ruina . N. Dahi vai-se ao pequeno Corrego da Lapinha : depois deste ao da Tapera da Cicilia . a hum canto. e que pelo habito c força do costume não reputavão merecedoras de at- teações. Eu escrevo para as pessoas que se acharem em circunstancias semelhantes áquellas em que me vi collocado. a grande casa i) Neiva . Da Cidade de Goiaz segue-se para o Arraial do Ouro Fiao atravessando a primeira ponte de madeira sobre o Rio Ver melho : a 1'Estc della fica. e forma hum arco de cir culo . e ficavão de boca aberta quando sobre o papel se lhes apresentavão os rios. os corregos. mais adiante ao Amola Machado : segue -se o Calção de Couro . aquelles mesmos que por preguiça mostravão igno rar as circunstancias dos lugares em que havião nascido . e á es querda a calçada pela encosta dos Montes de D. em frente varias casas terreas e de sobrado . Eu serei fe liz se os meus trabalhos obtiverem qualquer util resultado. o Corrego do Ferreiro . Francisco ou Serra da Carioca. Os homens mais grosseiros dos Sertões . que deseja rem ratificar os seus mappas corographicos e topographi- cos das Províncias por ende tenho transitado.

aonde no dia da festividade deste Santo concorre hum grande nume ro de pessoas. 87 ua margem esquerda do Rio Vermelho. e fica tres legoas ao Oriente da cidade capital. A l'Este do Corrego ou Ribeirão do Cabrinha ficão o$ Cor regos do Fogaça e Forno de Cal. eoCabrinha. João Baptista. que he a que eu transitei quando pela primeira vez cheguei a Goiaz. e a Capella de S. A sua decadencia procede dos mesmos motivos indicados acerca do Arraial do Ferreiro. A estrada que passa por ambos estes arraiaes continua atra- vez da bocaina ou garganta da Serra do Ouro Fino . Paulo no regresso desgraçado do anno de 1725. que nasce a pouca distancia na Serra do Ouro •Fino. chamada a de cima. e atra vessa os Corregos do Capão.fundado no anno de 1726: tem io5 ca sas em minas. Continuando a marcha para o Arraial do Ouro Fino. donde se segue á ponte do Rio Uruhú. como para se em pregarem nas suas devqções.os seus companheiros ( excepto 4o ) o havião abandonado. Além deste acha-se o Arraial do Ouro Fino. e a Capella de N. O arraial tem 6o casas ar ruinadas. tanto para se divertirem. assejitado na margem esquerda do Rio Vermelho. O nome deste arraial procede de haver aqui ficado hum ferreiro da comitiva de Bartho- lomeu Bueno. Adiante delle fica o Corrego da Capoeira : segue-se o da Tapera do Thomaz . assim chamada por ser muito miudo e em pó subtil o ouro que nella se minerou. povoador de Goiaz. e o do Cabello de Fogo. do Pilar.. em que . Perdeu toda a sua impor tancia desde que as tropas de negociantes ahandonárao a estrada de Meia Ponte . em cuja margem esquerda existe huma pequena casa. famoso por ha ver ali apparecido o primeiro ouro que Bueno conduzio a S. e por essa estrada se vai encontrar o Corrego . He o lugar mais antigo da Provincia. atravessa-se hum corrego. DO RIO DB JANEIRO AO PARÁ. S. para virem pela mais curta e melhor. Desde a cidade até ao Ar raial do Ferreiro ha hum* legoa.

por mim atravessado no dia 16 de Agosto de 1824: daqui continua-se até a Fazenda do Snr. e irregular mineração da sua Provincia de Goiaz. Itinerário da Cidade de Goiaz para o Arraial de Santa Rita pelo de Anta. por onde passei no dia 21 de Setembro de 1823 . No tempo presente só resta casca-* lho. e fica no caminho do Arraial do Curralinho para o do Corrego de Jaraguá . indo de Oeste para 1'Estc. e hum immenso numero de casas abandonadas. ephe- mera . de que acima tratei. e Sucupira. Diz-se que o Corrego do Batatal foi o lugar mais rico de ouro em toda a Provincia . Raiz. informo aos meus lei tores . e tomando neste lu . Na cabeceira do Corrego da Raiz. existem as minas do Bom Bocado. e na margem esquerda os Corregos do Batatal . posto que não es teja com elle em relação immediata . Pai Paulo. Fundo. a que outros chamão Sucupira. os Corregos de D. Açude e Pa ciencia. que algumas pessoas dao o nome de Itans . Acima da confluencia do Ribeirão da Paciencia com o Rio Vermelho . N. que fo- rão riquissimas de ouro. Palmital. que passado o Corrego do Calção de Couro . 2. quC dista dali tres legoas. no ponto que eu atravessei no dia 3 de Agosto de 1825. pois que os jornaes or dinarios montarão durante muitos annos a cinco oitavas. # Sahindo da cidade. Jardim. unicas vantagens que os actuaes habitantes recebem da antiga. Escolastica. toma se a estrada da aprazivel Capella de Santa Barbara. Como penso que não será desagradavel qualquer descripção que eu faça accessoria a este Itinerario. ficão na margem direita daquelle. e segue-se o caminho até ao Rio dos Bu gres. e Ba tatal. fica na margem direita do Rio Vermelho o Ribeirão da Paciencia»•. Fumai. Belchior. a. 88 ITINERARIO do Retiro .

Este lugar que tem 6o passos ordinarios de ex tensão. Tem huma companhia de Ca- vallaria e duas de Infantcria Miliciana . que consta de dous braços . e poderia melhorar. Junto a este fica o Arraial de Anta . Pedro . atravessão-sc os Rios Fer- reirinho e Ferreiro . 89 gar a estrada que fica A esquerda. sendo até então filial da Paroquia de Santa Anna da Cidade : isto prova a sua antiga opulencia. Passado o Arraial de Anta fica o Ribeirão do mesmo nome com o seu admiravel Feixo ou abobada natural . DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. Estas minas . esperão braços poderosos em . o da Macuan . para a Provincia do Pará. encontrada em 176-2 . donde dista pouco mais ou menos 3o legoas. Q arraial que pertence ao Termo da Cidade . onde a accumulação das agoas tem posto obstaculos inven civeis ao aproveitamento do metal. Axupé . e não longe das cabeceiras do mesmo corrego existe a famosa Mina do Taveira. e fica proximo do Ribeirão de Anta. contendo •"apenas 67 casas. Jardim . onze legoas ( outros dizem que são doze) distante da Cidade. S. he em forma efe poços estreitos e mui profundos . se continuasse a navegação pelos Rios Vermelho. a Igreja paroquial do Senhor Bom Jesus erecta no anno 1 75 1 . ramo da das Canastras. recebe o nome de Feixo. Peixe e Tesou ras. descendo o Araguaia. acha-se em grande decadencia . Depois fica o Corrego da Cachoeirinha onde ha la vras de ouro do Snr. e o Corrego dos Macácos. Alem da Paroquia existem as pobrissimas Capellas de Nossa Senhora doRozatio. e a da Boa Hora. junto á Serra de Anta ou do Taveira. por hum F. onde existe huma caverna em rocha calcarea atravez da qual pas sa o ribeirão. Jardim. e confirmada por Alvará de 1o de Ja neiro de 1755. nascido na serra deste nome. assim como innumeraveis outras de Goiaz . Qnça com fazenda de mineração do referido Snr. hum quarto de legoa distante do Arraial. Calhamares em terreno montuo- so e aurífero. cuja garganta se passa. Foi fundado no anno de 1729. c Lavapés.

que he braço meridional do Rio Tesouras. e nos Portos de Thojnaz de Souza Villa Real. sendo encarregado da primeira ex pedição o sobredito Thomaz de Souza Villa Real. formárão se alguns estabelecimentos para se promover a navegação e commercio entre Goiaz e o Pará pelo Rio Araguaia. todos tributarios do Rio Vermelho de Goiaz. A navega ção pelo Araguaia para a Provincia do Pará foi promovida pelo Governador e Capitão General Tristão da Cunha e Me nezes no anno de 1791 . e os seus braços denominados Bom Successo c Brilhante ou Genipapo . actua] Conde de Palma e Fernando Del gado Freire de Castilho . e regresso a Goiaz esteve ausente por es paço de 3 annos. Os lugares dos estabele cimentos forao no Porto do Tatu sobre oRio do Peixe. A Capella he filial da Paroquia do Bom Jezus do Anta . que na ida . Os Governadores e Capitães Generaes D. e o ultimo abrio hum porto de embarque no Rio Grande. 8 legoas a Oeste de Santa Rita . e ultimamente acha-sc o Arraial de Santa Rita . existencia no Pará.1)o 1TIKERÁRIo riquezas c mechanicas para serem trabalhadas. braço occidental do Tocantins : tudo acabou por falta de industria c de capitaes. c huma pobrissima Capella cuja Padroeira deu nome ao Ar raial. Em os districtos de Anta e Santa Rita . Eu mostrarei no seu competente lugar hum diario de navegação pelos Rios Araguaia e Tocantins até ap Pará. Adiante da Cachoeirinha está o Ribeirão de Calhamares : logo depois o do Piquete e do Mingáo : adiante fica o da Matrinchãa . 25 legoas de Santa Rita. que vão ao Rio do Peixe. Os recursos dos habitantes de Goiaz são extremamente limitados. que dista meia legoa da margem esquerda do mesmo Rio do Peixe . e da Matrinchãa no Rio Vermelho de Goiaz. animárão bastantemente esta nave gação . donde dista 3 legoas ao rumo de N N O. Este Arraial de Santa Rita foi povoado no anno de 1729: tem agora 65 humildes casas. Seguem-se o Rio Vermelho de Santa Rita. Francisco de Assiz Mascarenhas. para evitar as seccas do* .

0. lugar a lugar. e ou tros mais de 1^: Eu sou obrigado a adoptar o calculo das pessoas mais instruidas . Esta consideração foi a que me suggerio a idéa de marcar os espas- sos percorridos durante as minhas marchas.1 Rios Vermelho e Peixe . O Porto do Rio Grande recebeu o nome de — Nossa Senhora da Guia. ha de achar dhTerenças de algumas legoas. outros 1 1 .ooo arrobas de carga. Varias pessoas contão desde a Capital até Anta 12 legoas. do que seguindo o systema or dinario das legoas e quartos arbitrarios naquelles lugares . e eu penso que os viandantes dar-se-hão melhor com o meu methodo de calcular . — Cada hum dos habitantes de Goiaz avalia as distancias de. que não sc achão demarcados. meias legoas ou quartos de legoas. augmentão conside ravelmente as distancias . jornada de Anta a Santa Rita faz-se no espaço de 3 horas. . e em quantos apontamentos eu mandei fazer ácerca de distancias. e 3 deste ao de Santa Ritat As avaliações dos intervallos de corrego a corrego em numero redondo de le goas. por horas 6 mi nutos . como muito bem lhe parece : a falta de medi ções geodesicas dá motivo a essa desordem.1KO AO PARÁ. » 1)o RIO DE JANF. As pessoas que vão de Goiaz ao Arraial de Anta . infalliveimentc no fim de muitas quan tidades . nunca me apresentárão algum que não fosse por aquclle modo. cujo lote nunca excedeu a 3. fazem a jornada em dous dias : no primeiro vão pousar no Rancho do Rio Ferreiro . que na maior parte do anuo obstão ao curso das embarcações . e no segundo vão ao Arraial A. e por isso marco 1 1 legoas até ao Ar raial de Anta . Ora todo o itinerante que a hum a distancia de 4oo o11 5oo braças der o valor de hum quarto de legoa .

Isa bel Paes e Cavallo queimado . Rio do Peixe e Tapera de Alexandre AITonso. Fanha. No. Bandeira e Intendente. De Anta ha caminho atravez dos Rios Vermelho . he atravessando o Rio do Peixe. e o outro he encaminhando-se directamente ao Norte a procurar aquella aldêa. Depois seguem-se o Rio de Tesouras . onde eu passei no dia 26 de Setembro de 1823 . Descanço. contão 1o legoas de caminho. O caminho em direitura para a aldêa . e eu acho com as denominar ções de Jacuba . tempo em que o Arraial de S. . Miguel de Tesouras se achava povoado e tinha Igreja paroquial . Do Arraial de Anta ao da Barra do Rio Vermelho de Goiaz. Quieté. ia-se para ellc pelo Arraial de Santa Rita. No primeiro caso vai-se do Arraial de Santa Rita ao Corrego dos Cordeiros : adiante successivamente ficão os dos Guarinos. e dahi a huma legoa fica a Aldêa do Car retão. e o Empedrado . e a Bocaina da Serra. como se vio no dia acima indicado. Indios . que eu julgo serem traços dos rios que em alguns mappas tem os nomes de Roncador. Mamoneiras e Claro até sahir ao Corrego do Barreiro ou da Encruzilhada. Dahi até á aldêa ha estrada geral ao rumo do Norte . 3. Este Arraial da Barra he o lu gar onde pernoitei no dia 2o de Setembro de 1823. Arèas . Agora todos estes lugares estão desertos. e depois deste differentes Corregos. tj2 IT1SBRÁRIO N. Ha dons caminhos para esta aldêa : hum he seguindo ao rumo de 1'Este até ao Engenho destruido de Alexandre Al fonso. Itinerário do Arraial de Santa Rita para a Aldeã do Carretão. Cotovello. A marcha total diz-se ser de 1 1 legoas e %. meia legoa ao Norte de Santa Rita. c isso mostra a decadencia dos districtos povoados por meio da mineração. o Lambedor .

posto que as difTc- renças sejão mui pequenas. seu limite occidental. Peixe. c Tesouras. que mandei organisar sobre o terreno comprehendido entre a capital da provincia e o Rio Grande ou Araguaia . e eu faria ver se essa operação fosse ligada ao que me pres crevi neste Itinerario. DO KIO DE JANE1HO AO PARÁ. delineado pelo Capitão Engenheiro Salvador Franco da Matta. . passando pelo Arraial do Rio Claro. em i5 de Dezembro de 1772. no qual declara que. pelos quaes não são conhecidos no tempo presente . que recebi dos Officiaes a quem encarre guei estes trabalhos. U. des cem em pequenas canoas os Rios Vermelho. o»que lhes he muito mais commodo. o passarei a< mostrar os. Os moradores de Anta e Santa Rita pouco frcquentão esta travessia. Itinerário da Cidade de Goiaz para o Porto do Rio Grande da Estrada do Cuyaba .as distancias são marcadas pela experiencia mais prudencial. Os Itinerarios que acima fícão descriptos são feitos a vista das notas do Ajudante Simão de Souza Rego c Carvalho. a quem eu encarreguei essa diligencia . tem grandes lacunas e não mostra hum bom numero de Ribeirões . N. Este mappa . mais acreditados . Nenhum combina com outros acerca da distancia . . pois que para fazerem as suas pescarias no Rio Grande ou Araguaia . e em Goiaz era elle huma das pessoas que me parecerão mais capazes de a de sempenhar. Eu apresentarei unicamente as diffe- renças que existem entre estes e outros mappas e Itinerarios só até ao Rio Grande ou Araguaia. e a outros marca nomes . <|5 no caminho de Goiaz para o Cuyabá. Tambem conservo á vista o map- pa de marcha entre Goiaz e Matto Grosso . Eu tenho á vista diversos Itinerarios. que talvez he o melhor que existia .

3/4 de legoa. 1 legoa e '/f. Da Estrela á Barrcada (Corrego dito) . de legoa. 'A lego a^ Das Pedras de Amolar ao Guarda Mór (Corrego dito) . braço do Ta coaral Grande) . 3/4 de legoa. Do. braço dos Indios Pe queno ) . Do Corrego do Felicio ao Buriti do Jorge (dito). . DoEspalame ao Tacoaral Grande (Rio. '/. •/^legoa. 1 legoa e'/„ Da Barreada á Varzinha (Corrego dito) . que por muitos annos eom- mandou o Districto e Registo do Rio Claro. '/j de legoa. braço do Rio Ver melho ) . • Do Buriti do Jorge ao Buriti redondo (dito) . Do Agapito ao Cachambú (sitio de lavouras) . Do Correge da Bocaina ao Tacoaralíinho (Braço direito do Taquaral Grande) . 3/f de legoa. Da Olaria ao Agapito (Ribeirão. Do Tacoaral ás Pedras de Amolar ( Cor/ego . Da Varzinha ao Corrego do Felicio ( Braço dos Indios Pe queno) . V4 de legoav Do Tacoaralzinho ao Espalame (Corrego dito) . Do Buriti redondo ao Rio dos Indios Pequeno (Rio. 1 legoa.94 ITINERÁRIO Peto Ajudante Luiz Antonin Seixo de lirilo . Da Cidade de Goiaz á Olaria (Corrego que vai ao Rio Ver melho) . braço do Vermelho) . '/( de legoa. braço do Rio Vermelho) . i legoa e '/... Dos Indios Grande ao Corrego da Bocaina (Braço dos In dios Grande ) . braço do Vermelho) . Vi de legoa. Do Cachambú á Estrela (Corrego. 1 legoa e 'fc. 1 legoa e '/4. '/» legoa. Rio dos Indios Pequeno aos Indios Grande ( Rio .

74 de legoa. Da Boa Vista ao Rio dos Pilões ( he de canoa . '/. Do Corrego segundo do dito á Bocaina da S?rra . Do Corrego da Bocaina da Serra Dourada ás Mamoneiras (Ribeirão. he atravessado em ponte de ma deira pouco mais de hum quarto de legoa a Oeste da Cidade. Adiante do Rio Bagagem está o Corrego dos Dous Irmãos . e o do lr. 2 legoas. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. Neste Itinerario falta alguma cousa . '/» legoa.apuan e muitas outras da margem esquer da do Rio Vermelho de Goiaz. Ubá .do direito vai para as Fazendas do Forte. N. Estes lugares são os mais cul tivados do Termo da Cidade. 1 legoa e '/». 1 legoa e '/(. legoa. Distancia de Goiaz até o Rio Claro. braço do Rio Claro ) . Curral . e passado elle toma-se o caminho da esquerda. Do Rio dos Pilões ao Rio Claf8-V maço do Rio Grande ) . Da Bocaina da Serra ao Corrego da Bocaina da Serra Dou rada . 23 legoas. que he o que fica descripto. que unido com o Bacalháo . ■/^ de legoa. Tapk. q5 Do Guarda Mór ao Córrego primeiro do Guarda Mór ou Pi nheiro (dito). Do Corrego das Mamoneiras á Boa Vista ( Braço do Rio Pilões ) . go*. Braço do Claro ) . 2 legoas. Do Corrego primeiro do Guarda Mór ao Corrego segundo do dito (dito) . . 1 legoa e '/4• Das Mamoneiras ao Corrego das Mamoneiras (Braço do Mamoneiras) . B. ou Guarda Mór . pois que logo que se sahc da Cidade de Goiaz passão-se os pequenos Corre gos das Bicas e Galego : Depois deste fica o Rio Bagagem .

'/» legoa. /. braço do Rio Claro). '/» legoa. '/4 de legoa. 1 legoa. '/» legoa. '/. Do Guarda Mór Pequcn/-. Continuando o caminho para o Rio Grande . Bra^o do Rio Claro) . Do Tapinhuancanga ao Amola Faca . 3/t de legoa. Dos Motuns ao Corrego* sè*m nome . Dt> Guariba ao Guarda Mor Grande (Ribeirão. Do Capão ao Corrego. '/» legoa.. Do Capivara ao Corrego da Encruzilhada para o Arrai<d dc Anta ( tambem lhe chamao Corrego do Barreiro .. Do Corrego aoLambary (Braço do Rio Claro) ./„ legoa. is Motuns ( Corrego . Dos Poçoenzinhos aos Poções. ■/» legoa. Dos Poções ao Capão . * Do Capão secco aos Poçoenzinhos. Do Corrego sem nome aos Dous Irmãos. 3/4 de legoa. Do Buriti ao Guariba.. Do dito sem nome ao Capão secco . 5. Itinerário do Rio Claro ao Rio Grande. '/» legoa. Do Lambary ao Tapinhuancanga . 1 legoa. legoa. Do Corrego da Encruzilhada ao Corrego sem nome. '/» legoa.06 ITINERARIO N. conta-se : Do Rio Claro aos Bebados ( Corrego esquerdo do Rio Claro ) . Do Amola Faca ao Roncadeiro. 1 legoa. % de legoa. '/» legoa. . 1 legoa. 1 legoa c % Do Guarda Mór Grande ao Guarda Mór Pequeno ( Braço do Grande) . 1 legoa e '/. Dos Bebados ao Buriti (Corrego dito). Dos Dons Irmãos ao Capivara . Do Corrego sem nome a outro sem nome . . braço do Rio Claro). legoa.

1 legoa. Do Anhandy ao Corrego das Pedras . 1 legoa e '/»• Da Ponte Alta ao Rio Grande ou Araguaia ( Braço-do To cantins) j 2 legoas. •/» legoa. s3 Distancia total de Goiaz ao Rio Grande ou Araguaia. 1 legoa.j '/• No Itinerario que me deu o Capitão Antonio José Ferreira ** 10 . 1 legoa. 34 7» Ajuntando a distancia de Goiaz até ao Rio Claro. Das Matrinchans ao Corrego no Matto ( vai ao Matrinchã ). 1 legoa. 1 legoa e . 1 legoa. 3/4 de legoa. D 'Além do morro ou Serra do Rio Grande á Extrema ( vai á Boca do cerrado ) . . Das Aréas a Lagôa ( fica á direita da estrada ) .. 1 legoa '/»• Da Agoa Salobra ao Anhandy . Distancia do Rio Claro ao Rio Grande . João (dito) . legoas ./» legoa. Do Corrego no Matto a S. '/. 2 legoas. braço do Claro ) . DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ.. Do Corrego do Cerrado ao Rio das Almas ( he de canôa ) vai ao Rio Grande . legoa. Da Extrema ás Arêas . 1 legoa '/. Do Capãozinho á Boca do Cerrado (Braço do Rio Claro) . Da Boca do Cerrado ao Corrego do Cerrado . João á Rapadura ( dito ) . '/» legoa. Da Varzinha ou Capivara á Agoa Salobra. Da Rapadura a alem do morro ou Serra do Rio Grande . legoa. 1 legoa. Da Lagôa á Volta do Buriti. Do Rio das Almas á Ponte Alta ( Braço do Rio das Almas ) . 97 Do Roncadeiro á Varzinha ou Capivara (Ribeirão. . . Do Corrego das Pedras ás Matrinchãns ( Ribeirão que se une ao Varzinha ) ./. 5. De S. Da Volta do Buriti ao Capãozinho . legoa.

Tacoaral. acha-se logo ã sahida da Cidade de Goiaz hum rio ou ribeirão sem nome . No mappa do dito Capitão Engenheiro. Eu apresento todos os corregos indicados pelo sobredito Capitão. e h-] 3/4 desde a mesma Cidade até ao Rio Grande ou Araguaia. Depois apresenta o Ribeirão da Mamoneira como hum rio caudaloso . e vai. assim como os precedentes . e parece-me que existem alguns em posições altera das. Seguc^se outro denominado Carçareiro : tal vez seja o Agapito. e dos do Ajudante Simão de Souza Rego e Carvalho. mais acreditavel por ser muito minucioso e reconhecido proximamente exacto pelos praticos de Cuyabá. que corresponde ao Bagagem . braço do Claro : em seguimento mostra a Serra Dourada (além do Mamoneiras) .. Caxoeira e Guarda-mór: parecem-me o Indio grande e as outras aguas que ficão antes da Bocaina da Serra Dourada.gft ITINERARIO Lima. No mappa do Capitão Salvador Franco ds. vejo notadas 23 legoas desde a Ci dade de Goiaz até o Rio Claro. mas as distancias de corrego a corrego são em alguns lugares differentes das do Itinerario do Ajudante Seixo de Brito . mas falta-lhe o Bacalháo. Matta não appare- cem muitos corregos que eu aponto . Pelos dous braços parecem-me ser os -do Ribeirão da Estrela. á margem esquerda do Rio Vermelho. A Oeste do Rio Claro mostra Os Corrego* . que talvez seja o Dous Irmãos. entre os quaes está o nome de Buritizal. Negociante de Goiaz e mui pratico das estradas db Cuyabá e Matto Grosso. afim de serem confrontados com os do meu Itinera rio . e finalmente os Rios de Pilões e o Claro. outros tem nomes diffe rentes. Adiante ha outro rio de dous braços. ramo do Rio dos Indios Pequeno 't ou os corregos do Buriti do Jorge e Buriti Redondo : mais adiante ficao quatro corregos que se unem em hum ramo que entra no Rio Vermelho : tem os nomes de Indios. Adiante ha outro tambem sem nome .

e sao braço direito do Rio Gran • de. Os Indios domrsticos da Aldêa de S. Adiante ficão dous corregos que se unem. 1o lavras de ouro em trabalho. quo abundão nestes lugares. 5 pequenas fazendas de Gado. o a pobre Igreja do Sr. O Arraial do Rio Claro . filial da Matriz de Santa Anna de Goiaz. e quasi despovoado. acha-sc assentado a pouca distancia da mar gem direita do Rio Claro . e além della os Corregos do Pé da Serra e Boca do Cerrado. e 4 teares de algodão grosso. BO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. Pi lões e Cayapó. que formão hum só ribeirão braço do Rio Claro. Capivara e Matrinchã . Barreiro ou Encruzilhada . o tem o nome de Extrema . a que tambem dao o nome de Ar raial de Pilões . extincto por ordem Regia em 1 749 . e renovado por outra igual or dem em 1789. braços soltos do Rio Claro . e devem haver a respeito delles algumas cautelas. Foi fundado no anno de 1746 com o nome de Arraial do Senhor Jesus do Bom-fim . A sua população monta a 322 almas. Em todo o dis- tricto ha 34 sitios de lavoura . gg do Motum . Os Indios Cayapós apparecem algumas vezes nesta estrada . do Bom Fim. José tambem fazem por aqui varias correrias disfarçados em Gentio bravo: nunca matão. Lambary . onde se reune muita gente para catar dia mantes e ouro . O caminho desde Goiaz até o Rio de Pilões acompanha quasi sempre a face septentrional da Serra Dourada : he aspero. mas rouba» o que se acha mal guardado. Tem presentemente 42 casas humildes. No arraial existe hum Registo ou Destacamento da tropa d«j . he muito frequentado durante as seccas dos Rios Claro . Achando-se quasi sempre sem moradores . sobre hum corrego sem nome que entra no mesmo rio. Finalmente está marcada a fazenda deste rio na margem direita dellc. pedragoso. e 3 abandonadas. que formão hum só tronco antes de entrarem no mesmo Rio Claro : segue-se a Serra do Rio Grande .

mas não pelo caminho . Sahindo do Arraial pela estrada de Oeste . por ser aquella mais interessante por estar mais habitada. e recebendo varios corregos en tra na margem esquerda do Rio do Peixe. Pedro . O benemerito . 6. Itinerário do Arraial do Pilar para o Registo das Salinas sobre o Rio Grande ou Araguaia .autor das Memorias Goiannas diz que o Arraial do Rio Claro acha-sc 18 legoas ao Sudoeste da Cidade de Goiaz : assim he pela estrada que atravessa a Serra Dou rada em direitura á Aldêa de S. N. JOO ' ITINERARIO í. braço direito do Crixá-uassú. e para promover a arrecadação dos diaman tes. ordinario ao Norte da mesma serra. dando preferencia desta estrada á que para ali segue da Aldêa do Carretão. para verificar a identidade da» pessoas que vão para o Cuyabá. No dia 3o de Setembro de 1823 fiz a descripção do Arraial do Pilar: agora vou descrever o Itinerario desta Povoação para o Arraial de Crixás.° 16. braço do Grixâ- uassú. distante hum a legoa. O Rio Pilões entra no Claro duas legoas abaixo do arraial. José . Em outro lugar darei o Itinerario desde o Rio Grande até a Cuyabá. Pilões e Cayapó. passando pelo Arraial de Crixas. chega-se ao Sitio de Anna Gonçal ves . Vide o Itinerario n. e recebe o Ribeirão -de Gunrinos que passa junto ao anniquilado . Do Sitjo de Anna Gonçalves vai-se ao Sitio do Mello. e permuta do ouro que se tira do Rio Claro. Este Ri beirão de S." Linha. Pedro leva comsigo o Ribeirão de Calhamares. Está sobre o Rio Vermelho do Fundão que nasce ao Sul . na margem esquerda do Ri beirão de S. e atravessan do terrenos montuosos. que fica dahi huma legoa a Oeste . que banhava hum arraial do mesmo nome hoje extincto.

Adiante do Bom Fim tres quartos de legoa está o Enge nho do Ouro fino. braço esquerdo do Ribcirão da Agua limpa. dahi a hum quarto de legoa. e outros. Hum quarto de legoa adiante acha-se o Corrego do Canta- gallo. Huma legoa adiante do Rio Crixá fica o Sitio de Maria Ri . entra na margem direita do Araguaia . Adiante do Sitio do Mello tres quartos de legoa. que entra na direita do S. O Rio Crixá-uassú ou Crixá Grande nasce na face Occidental da Serra do Carretão . que depois de receber pela sua margem direita abaixo deste lugar os Bios*Vermelho do Fundão. que entra na margem direita do S. dahi a meia legoa. Pedro dahi a 4 legoas. entra logo na margem esquerda do Raizama. Pedro . de que tratei no sobredito dia 3o de Setembro de 1823. Pedro entra no Crixá-uassú acima do Porto do Buriti. Huma legoa adiante da Agua limpa atravessa-se o Bibei rão das Carahibas . Tres quartos de legoa adiante fica o Sitio do Buriti na mar gem direita do Bio Crixá-uassú . Pedro dahi a hum quarto de legoa. c tem mais de sessenta legoas de curso . DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. que entra na margem direita do S. está o Engenho do Bom Fim junto a hum pequeno corrego. O Calhamares entra no S. na direita do ribeirão do mesmo nome. acima da Ilha de Santa Anna. Huma legoa adiante do Ouro fino passa-se o Bibeirão da Agua limpa . Adiante huma legoa está o Corrego da Baizama : corre do Sul ao Norte a entrar na direita do Crixá-uassú dahi a huma legoa. Bois ou Poizo falso. Pedro. podendo ser navegavel no tempo das chuvas por mais de 4o legoas . IOI Arraial assim chamado. O Bio de S. mas tem o desconto de ser muito doentio assim como quasi todos os seus confluentes. ou no Morro Grande .

. e ainda agora conserva 184 fogos ou casas na povoação. genro de Bartholomeu Bueno . Meia legoa adiante do Meia Pataca fica o Corrego do Ber nardo Telheiro : corre para a direita a entrar no Córrego das Pedras de Amolar. Adiante do Corrego do Aniceto ficão os Corregos do Ta- quaril. O sabio autor das Memorias Goiannas diz que a distancia entre os dous Arraiaes he de 12 legoas. Hum quarto de legoa do Sitio de Maria Ribeira está o Ribeirão da Meia Pataca : corre para a esquerda a entrar no Rio Crixá acima do Porto. e junto a elle o Arraial do mesmo nome. 1o8 ITINERARIO beira . que corre á direita a entrar na esquerda do rio . Hum quarto de legoa do Bernardo Telheiro está o Cor rego das Pedras de Amolar : corre á direita . 1 1 legoas. O Rio Vermelho corre para a direita até entrar no Rio Crixá-uassú dahi a 7 legoas. e he cabeceira do Ponte Alta . Gonça'o e Serra da Pedra Furada ou Ca valgada. e 4 Igrejas. Foi povoado por Domingos Rodrigues do Prado. praças e travessas. a Matriz de N. a saber. e dahi a poucos passos está o Rio Vermelho de Crixás. que fica im- mediato. Total distancia do Pilar a Crixás . o Matinho e o Cura Cobra. e vai entrar no Meia Pataca. sobre o Corrego denominado Quatro Vintcns . dispostas em i3 ruas. Do Sitio do Ani ceto ao Arraial ha meia legoa. Huma legoa adiante das Pedras de Amolar está o Sitio do Tenente Aniceto : tem hum pequeno corrego que corro para a direita . acha- se assentado na margem esquerda do Rio Vermelho . cabeça do Julgado deste nome . junto aos. donde dista mui to pouco. S. Capitão-mór de Goiaz : era antigamente muito rico e extenso. O Arraial de Crixás . Morros de S.

de que logo hei de fallar. em que entra na margem esquerda dahi a 5 legoas. de que não ha vesti gios. braço direito ou septentrional do Rio Crixá-mirim . No seu Termo ha huma Companhia de Cavallaria e duas de Infanteria Milicianna. Este corrego desce para a direita . O nome do Arraial he corrupção da palavra Corixá Tribu de Indios habitadores deste districto. as moleftias das enchentes e vasantes dos rios cau- são grandisf. Dahi a huma legoa encontra. Do Arraial á Aldeã do Carretão contão 1 2 legoas .se o Sitio do Adão : tem hum pequeno corrego que corre á esquerda . Rosario e Santa Efigenia. Meia legoa adiante da Pedra Furada passa-se o Ribeirão da Anta : corre ao Rio Vermelho . Parece ter aqui existido huma Caía de fundição de ouro . S. e as Filiaes de N. por ainda haver huma rua denominada da Fundição. distante meia legoa. Com esta acabárão outras numerosas Tribus de Abori genes que povoavão a Provincia de Goiaz no tempo em que os Paulistas a penetrarão.. DO MO DJS JANEIRO AO PARÁ. da Abbadia .imos estragos . e a Guarinos 1o. a Aldêa da Boa Vista 27'/. e duas minas de ouro em in significante trabalho. e duas de Ordenanças. Adiante tres quartos de legoa está o Ribeirão do Filippo : . Os seus habitantes estão reduzidos a maior miseria. lo3 da Conceição . Em todo o Julgado restão apenas 1o fazendas de crear gados. Adiante meia legoa está o Corrego da Babôa : corre a en trar na margem esquerda do Anta dahi a huma legoa. vai-se do Arraial de Crixás ao Corrego da Pedra Furada . e perde-se no Ribeirão da Anta. e entra dahi a hum quarto de legoa no Rio de Santa Maria . e não promette melhoramento algum. ao de Amaro Leite 2o . Continuando a marcha . Em seguimento está o Corrego de Carumbé : corre a metter-se na margem esquerda do Anta. 35 teares de algodão.

que entra no Jacú na distancia de meia legoa. que entra no Jacú dahi a hum quarto de legoa. á vista da casa. Tres quartos de legoa adiante passa-se o Corrego do Bar reiro Bonito. o qual vai entrar na direita do Santa Maria dahi a meia legoa. pouco distante do primeiro . na distancia de huma legoa . Adiante outra meia legoa encontra.1o4 ITINERARIO cerre para a esquerda e entra na direita do Santa Maria dahi a hum quarto de legoa. Meia legoa adiante dos Macacos fica o Ribeirão da Itaboca : vai entrar no Ribeirão do Jacú dahi a meia legoa. _ Huma legoa adiante do Santo Antonio (passados os doas correguinhos antecedentes) . Adiante meia legoa passa-se o Ribeirão da Saçuaranna : corre á esquerda a entrar na direita do Santa Maria dahi a hurna legoa. o qual o recebe quasi em frente do Ribeirão dos Macacos.se o Ribeirão do Jacú. que entra na direita do Crixá-mirim dali a huma legoa. Em seguimento fica o Ribsirão dos Dous Morrinhos . Em volume he pouco inferior ao Crixá-mirim. Huma legoa e quarto adiante passa-se o Ribeirão dos Ma cacos: entra na direita do Santa Maria dahi a meia legoa. Logo adiante do Santo Antonio ficão os Correguinhos da Agua Fria e Jatahy. que he braço direito do Rio Crixá- mirim ou Crixá pequeno. Dahi a huma legoa encontra-se o Ribeirão do Papagaio. . que entra na direita do Santa Maria dahi a huma legoa. que entrão separadamente na direita do Santa Maria. Adiante dos Dous Morrinhos passa-se o Ribeirão de Santo Antonio. Dahi a hum quarto de legoa está o Sitio e Ribeirão do Curral : corre á esquerda a entrar na direita do Santa Maria . que entra na direita do Santa Maria. nasce na Serra do Caiapó. Este Rio de Santa Maria. está o Ribeirão dos Olhos de Agua .

. Huma legoa adiante dos Patos fica o Corrego do Brejão . Desse lugar ao Corrego da Capoeira do Negro ha duas legoas : entra na margem direita do Crixa-mirim. que está na margem direita do Rio Crixá-mirim . c depois delles a Fazenda dos Paios do Major Parella . que entra na direita do Crixá-mirim dahi a legoa e meia. . e a outros que se perdem na margem esquerda do Cri xa-uassú. Huma legoa adiante encontra -se a Lagôa Secca. Huma legoa adiante do Pontinha. dahi a 6 legoas. onde entrao os dous corregos precedentes. que se acha prolongada entre os dous Rios Crixa-uassú e Cri- xa-mirim: e dá nascimento aos corregos que ficão menciona dos . ioS Seguem-se os Correguinhos da Papuda e Papudinha . Duas legoas adiante da Lagoa Secca . está o Rio Crixa-mi rim. •Adiante meia legoa está o Corrego Sombrio. fica o Corrego da Ponti nha: corre para a direita a entrar na esquerda do Crixa-uassú. Meia legoa adiante fica o Corrego dos Encarangados . Adiante do Grande huma legoa . que entra na direita do Crixá-mirim dahi a huma legoa. que entra na direita do Crixá-mirim dahi a legoa e meia. 1)o KIO DE JANEIRO. o que mostra que o terreno á esquerda da estrada he mais alto neste lugar do que nos antecedentes. fica o Corrego do Ca chorro Morto : corre á esquerda a entrar na direita do Crixa- mirim. ' Passado os Encarangados fica o Ribeirão Grande : corre para a margem direita do Crixa-mirim de que dista huma legoa. o qual entra na esquerda do Crixa-uassú. Entre o Encarangados e o Grande ha meia legoa de dis tancia. Entre estes dous corregos atravessa-se a Serra dos Cristaes. AO PARÁ.

Ha muitos annos constava existirem na Lagôa de Salinas Ostras Margaritiferas. Meia legoa adiante está o Ribeirão das Tres Barras : corre á direita para entrar na esquerda do Crixa-mirim. da Conceição. Existe aqui hum destacamento de tropa de primeira linha . que guarnece o Registo da Piedade sobre o Rio Araguaia.1of) ITINERARIO A foz deste Crixa-miriui fica 32 legoas distante do Arraial de Crixas. e todos os habitantes do districto . Duas legoas ao N. Dizem que he impregnado de muriato de soda. todavia por incuria ou por . ou Salinas . separados da Aldêa do Carretão ou Pedro III e de alguns Bo- jorós que em 1 789 vierão da Aldêa do Rio das Pedras. Huma e meia legoa adiante acha-se a Aldêa da Boa Vista . No Quartel ha huma casa de oração . Gonçalo. não montaò a 2oo. Meia legoa adiante está o Ribeirão da Porteira : corre á di reita como o S. S. da Boa Vista . Paulo. semelhantes ás de Pitangui de Minas Ge- raes. e de Cananca em S. Huma legoa adiante fica o Corrego da Mandaguahy : corre á direita como o precedente. Achão- se reduzidos a 76 almas . Gonçalo: corre á direita como o precedente. achão-se as Salinas . fica o Corrego da Raizama : corre a direita a ( entrar na esquerda do mesmo Crixa-mirim. cujo orago he N. não se encontra nenhuma torrente de agua. para habitação dos Indios Chavantes e Javaés domesticos. com hum Ribeirão que corre á direita a entrar no Crixa-mirim. ^ Legoa e meia distante do Oixa-mirim . Huma legoa adiante fica o Corrego de S. Em todo o espaço de terreno desde a Boa Vista até as Salinas . e he onde algumas vezes se celebra missa. O. Esta Aldêa foi fundada no anno de 1788 . onde hum grande numero de pessoas extrahe sal por vapo- risação.

e a segun da ao Arraial. e sobre o Rio de Santa Thereza. e meia legoa da foz do Cfixas-uassú. as quaes forão remettidas aoEx. foi coroada com hum feliz resultado . 1 o7 não se achar proveito. As ostras são de grande volume. que apparecem muitas vezes nestes lugares. O acaso ou a diligencia do Major João Chrisostomo Far rella. e não tornei a ouvir fallar em extracção destas precio sidades. Carajahis e Tapirapés. que não obstante achar-se reformado. Huma legoa adiante está o Piibeirão da Aldêa : corre á di reita a entrar na esquerda do Anta. Na marcha do Pilar para Crixas fazem-se ordinariamente duas jornadas : a primeira até ao Rio Crixa-uassú . pois encontrou muito boas perolas em algumas conchas. não teve duvida de aceitar a commissão de Commandantc do Districto e Re gisto da Piedade e Salinas que eu lhe offereci . Huma legoa adiante está o Corrego do Caracol: corre á■ direita a entrar na esquerda do Anta. e encontrão-se ou tras semelhantes no Districto de Flores em as lagoas do Vão do Paraná . e tambem para observar os movimentos dos Indios Carajás. grande Buritizal. e por elle ao Governador de Sua Magestade Imperial. e dahi a huma legoa chega-se ao Buriti da Volta. lugar do Registo das embarcações que desciãa e subião do Pará . Huma legoa adiante está o Porto da Piedade sobre o Rio Araguaia . Dahi a huma legoa passa-se o Ribeirão de Anta : corre a- direita a entrar na margem direita do Araguaia 4 '/» legoas . Continuando o Itinerario para o Registo da Piedade. Caetano Maria Lopes Gama .e outros lugares. e apenas como objectos de curiosidade levavão al gumas conchas para a Cidade. por algum tempo. sahe- se da Boa Vista . Neste lugar existia a Ah dêa.. nunca os moradores das Salinas catárão perolas . Eu penso que não se repetirão diligen cias . abaixo da passagem.m° Sr.. . DO RIO DE JANEIRO AO PARA.

por mim incumbido desta diligencia em De zembro de 1824. e a sexta ao Registo da Piedade. Do Moinho ás Areas . Adiante fica o Corrego do Rancho do Carro. Adiante fica o Ribeirão ao Moinho : corre á direita e entra logo no Vermelho. que dista do Arraial 'li de legoa. N. Segue-se o Corrego das Areas : corre á esquerda a entrar no Moinho a pouca distancia. Total marcha desde Crixas á Piedade. legoa. Distancia ao Rancho do Carro '/» legoa. Está junto ao Morro . 32'/. dahi a '/< de legoa. legoas . De Pilar a Crixas 11 Somma 43 'A Este Itinerario foi feito pelo Tenente Pacifico Antonio Xa vier de Barros . Itinerario do Arraial de Crixas para a Aldêa do Carretão. 7. }o8 ITINERARIO De Crixas para o Registo da Piedade. Adiante hum quarto de legoa fica o Corrego Geral : corre para a direita a entrar na direita do Rio Vermelho . Logo que se sahe do Arraial de Crixas. Adiante fica o mesmo Rio . e passado este encontra-se outro corrego . . Distancia ao Barriga '/4 de legoa. ./. e ambos são cabeceiras do Alagado. Adiante fica o Sitio do Barriga : tem hum pequeno corrego que corre para a direita a entrar na margem direita do Ver melho. fazem-se quasi sem pre seis jornadas : a primeira ao Ribeirão de Santo Antonio : a segunda á Fazenda dos Patos : a terceira ao Encarangados : a quarta ao Rio Crixa-mirim : a quinta á Boa Vita . que tem ponte e entra no Rio Vermelho. Distancia do Moinho 1 legoa. atravessa-se o Cor rego de Santa Rita .

que corre á direita e entra na direita do Corrego Fundo. Adiante destes tres corregos fica o da Besta Morta : corre é direita e entra na margem esquerda do Crixá dali a huma legoa. Do Crixá ao Besta Morta ha legoa e meia de distancia. e entra na margem direita do Corrego Fundo. os quaes correm á esquerda : os dous primeiros entrão se paradamente na margem direita do Crixá . DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. Adiante fica o Corrego do Atalho na distancia de huma legoa e quarto : corre á direita a entrar na margem esquer da do Crixá em distancia de duas Iegoas. Adiante fica o Ribeirão da Ponte Aita : corre á esquerda. que dista meia legoa. Huma legoa adiante do Atalho está o Tombador Pcqufeno . Adiante daquelle ha o Corrego Fundo. Das Duas Pontes ó Ponte Alta ha hum quarto de legoa. Segue-se o Corrego do Taquaril dahi a huma legoa : corre á esquerda e entra no Crixá-uassú em a margem esquerda . na distancia de htfm quarto de legoa. Do Atalho ao Corrego Fundo ha huma legoa e tres quartos. Segue-se o Ribeirão das Duas Pontes dahi a huma legoa : corre á esquerda e entra no Alagado dahi a outra legoa. serra de pouca elevação. He rio de canoa. Segue-se logo o Tom . no Corrego do Carumbé : corre á esquerda e entra no Crixá-uassú na distancia de hum quarto de legoa. entrão no Alagado dali a huma legoa. Do José Paes vai-sc ao Rio Crixá-uassú . Passado o Rio Crixá-uassú ficão tres corregos sem nome . que corre á direita a entrar na mar gem esquerda do Crixá dahi a tres legoas. Adiante fica o Corrego da Mãi Maria . Dahi a meia legoa está o Sitio de José Paes. e unido ás Duas Pontes em pequena distancia . e o terceiro entra na margem esquerda do corrego central. 1o0. Adiante fica hum corrego que corre á direita .

B. elle nasce ao lado esquerdo da estrada que eu transito. que ordinariamente se andão em duas jornadas. N. que corre de Leste a Oeste a entrar na mar gem direita do Rio Vermelho do Fundão . N. em Dezembro de 1824. sobre o Rio Carretão Grande . se igno ra ao certo a direcção geral que elles tomão.o Porto Real do Tocantins . e por tanto sahindo do Arraial do Pilar anda-se 1 •/» legoa ao Norte por caminhos muito asperos . A distancia total entre Crixas e o Carretão he de 12 legoas. cujo meio caminho he o Rio Crixa-mirim. Da Cidade de Goiaz marcha-sc para o Arraial do Pilar pela estrada que eu segui nos dias 2o de Setembro de 1823 até 3o desse mez. Do Mãi Maria ao Tom- bador ha meia legoa. Adiante meia legoa está a Aldêa do Carretão ou Pedro III. pelo Te nente Pacifico Antonio Xavier de Barros.HO ITINERARIO hador Grande da Serra do Carretão. Assim quando eu digo que hum corrego ou rio corre á direita . quando em consequencia do encontro de montanhas e bosques poucas vezes . Este Itinerario foi feito por ordem minha . e vai perder-se em outro corrego ou rio que fica ao meu lado di . que entra no de S. B. dahi a '/í de legoa. Esta Aldêa já ficou descripta no dia 28 de Setembro de 1 823. e então atravessa-se o Rio das Pedras. e alguns nunca penetrados . Itinerário da Cidade de Goiaz para o Arraial de Amaro Leite) e dahi pelo da Piedade até e. Patricio. entendo que. Eu continuarei a servir-me dos termos — corre á di reita ou a esquerda — por achar este modo preferível ao dos rumos . Segue-se o Ribeirão do Carretão Pequeno meia legoa do Tombador : corre á esquerda c entra no Carretão Grande. ou no» dias 11 até 16 de Agosto de 5824. passando o Rio de Santa Thereza. N. 8.

e unido ao Rio Vermelho do Fun dão entra na margem direita do Crixa-uassú dali a 6 legoas. Do Engenho vai-se ao Corrego da Porteira distante huma legoa : corre á esquerda a entrar na direita do Rio Vermelho do Fundão d'ali a hum quarto de legoa. braço direito do Rio Vermelho do Fundão. distante meia legoa : corre á esquerda a entrar na direita do Pouso Falso. per tencente ao Capitão Francisco Corrêa da Assumpção . Aqui tem hum pequeno cor rego. Da Fazenda de Santa Cruz vai-se ao Ribeirão do Pouso Falso distante 1 legoa : corre a esquerda . DO RIO DE JANEIRO AO . Aqui ha hum corrego fóra da estrada. distante duas legoas : corre a esquerda . Do Rio do Peixe vai-se á Fazenda de Santa Cruz dis tante 3 legoas. A distancia da Ponte do Rio das Pedras ao Engenho . . com- mandante do Arraial do Pilar. até onde se perde. he meia legoa. Do Corrego da Porteira vai-se ao Rio Tacuarussú. Quando eu mqrco as distancias em que os corregos ou rios entrão em outros . e entra na direita do Crixá- uassú. Do Rio das Pedras vai-se ao Engenho da Conceição . Do Genipapo vai-se ao Ribeirão ou Rio dos Bois distante meia legoa : corre á esquerda . deve entender-se que essa distancia co meça no lugar em que o corrego ou rio he atravessado na estrada. Existe aqui hum corrego que entra na margem esquerda do Ribeirão do Pouso Falso. PARÁ. e entra no Rio Vermelho do Fundão. Do Pouso Falso vai-se ao Ribeirão do Meio. Na margem direita do Tacuarussú existe a Fazenda de João de Araujo. Do Ribeirão do Meio vai-se á Fazenda do Genipapo dis tante meia legoa. IH reito em relação á linha da marcha que eu vou fazendo. - Do Tacuarussú vai-se ao Rio do Peixe na distancia de 2 legoas : corre á esquerda . e entra em igual margem do Rio dos Bois.

posto que outras pessoas digão serem 2 1 legoas. com tres altares muito pobres. e a outra de capim. ha 33 fazendas de gado . corre ao Noroeste. filial da Paroquia de S. das quaes ha navegaveis mais de 6o. de que logo se ha de fallar. e 79 sitios de cultura. e a Capella de Santo Antonio. que pertence ao J ulgado de Trahi- ras. das quaes 3a são cobertas de te lha. — Antes delle fica a Fazenda da Lagoa : o Rio do Ouro . de pois de passada a serra contigua ao Arraial do Pilar. 18o passos communs ao Norte do Rio do Ou ro: tem 4o casas humildes.112 ITINERARIO Do Ribeirão dos Bois vai-se ao dos Poções distante 2 le goas : corre a esquerda a entrar na direita do Pouso Falso. desde a Fazenda da Serra de Campos. O Arraial de Amaro Leite acha-se assentado na encosta de hum outeiro . e depois a 1'Este. e os porcos engordão por hum modo extraordinario alhuentando-se de . e entra na margem esquerda do Rio das Areas. Pela direcção dos rios conhece-se que o terreno da estrada. O seu terreno he fertilissimo . e fica ao Norte junto ao Arraial. na distancia de i3 legoas do Arraial. 5 engenhos de assucar. José do Tocantins. que nasce ao Oriente na Serra de Caetano Cardozo. costeando outra serra que fica a l'Este. Antonio dos Morrinhos. Do Corrego dos Poções a Amaro Leite ha 5 legoas e '/» : total da distancia do Pilar ao Arraial 2o le goas . he hum chapadão que costeia a Oeste a mesma serra . Dos Poções ou Jacaré vai-se ao Arraial de Amaro Leite . denominada Jacaré. e verte as aguas orientaes para o Rio Maranhão. Des de essa confluencia o Rio das Arêas recebe "o nome de Rio de Santa Thereza . Na margem direita dos Poções fica a Fazenda do Jacaré. antigamente denominado — Descuberto ou Lavrinhas de S. e entra na margem esquerda do Mara nhão com o curso de 8o legoas . que toma o nome de Caetano Cardozo. donde se segue para o Arraial de Amaro Leite. Neste Districto . Este chapadão vai até á Fazenda do Jacaré.

que habitão as matas do Rio Maranhão . A de Milicias tem estado em tão grande abandono. e atravessa muitos brejos e ipoeiras ou lagoas de pouca agua. Continuando a marcha para o Porto Real. que tem o mesmo nome de Lambary. Il5 minhocas de immensa grandeza . ramo da Cordilheira Grande. que corre á esquerda a entrar na direita do Rio do Ouro dali a 3 legoas. Dahi a 5 legoas fica a Fazenda do Pao a Pique sobre o ri beirão do mesmo nome . que não con serva hum só OIIicial. como covas de mandioca. 1)o RIO DE JANEIRO AO PARÁ. Dahi a 3 legoas encontra-se a Fazenda da Lagoa : tem hum ribeirão que entra no Rio do Ouro. que nos mappas andava inculcada como Arraial da Corriola : hoje não ha vestigios della . que abundão em todos os lugares. tem causa do estragos horrorosos nas fazendas do Sertão de Amaro Leite. Os Indios Ca noeiros. e dahi a huma legoa encontra-se o Ribeirão do Lambary: corre a esquerda a entrar no Rio do Ouro dahi a 1 legoa e '/„ Passado o Lam bary está huma casa de fazenda de criar gado . e apenas se conserva o nome no ribeirão que a banhava. Este ribeirão nasce na Serra de Gonçalo Martins. Eu tenho visto esta mesma cousa em outros lugares de Goiaz. A estrada acompa nha a Serra de Gonçalo Martins e tem muitos brejaes. c levantão a terra em montinhos que parecem fei tos á enchada . sahe-se do Arraial de Amaro Leite ao rumo do Norte . e outra de ordenanças. Dahi a 3 legoas fica o Ribeirão da Serra de Campos . Esta fazenda estava u legoas a Oeste da margem esquerda do Rio Maranhão. Doze legoas ao Oriente do Arraial existio ha muitos annos huma grande fazenda . O ribeirão corre á direita a entrar no Rio do Ouro dali a i legoa e % i5 . No Districto de Amaro Leite ha huma Com panhia de infanteria miliciana.. com fazenda de gado do mesmo nome.

e a Serra dos Picos ou de José Machado na dis tancia de 3 legoas. mas cercado de montanhas denominadas Serra de D. pois que a pes soa que arranjou este itinerario escreveu-o de maneira . S. por trazer. Os seus moradores estão de continuo expostos aos insultos dos barbaros Indios Canoeiros. O Arraial da Piedade está assentado em lugar plano . sobre o ribeirão deste nome . Do Rio do Ouro vai-se á Fazenda do Bom Successo . como já fica declarado. que dista 8o passos communs do arraial. Custa a crer que o Governo haja tolerado a estes selvagens a impune devastação de mais de 8o fazendas de gado a . e 7 legoas e % abaixo da passagem. O Rio do Ouro entra no das Areas. Consultei varias pessoas .comsigo não só as aguas orientaes que tenho apontado . e 25 sitios de plantar mantimentos. mas tambem outras occiden- taes mui copiosas . que me vi a cada passo obrigado a adivinhar. e 4 de capim. cujo orago he a Se nhora da Piedade. e portanto a medida do aug- mento de forças destes homens ferozes. vão os morado res do arraial caminhando para huma completa anniquilação. No districto do arraial existem 9 fazen das de gado vacum. muito caudaloso. distante 1 legoa e '/»• Tem hum ribeirão que corre á direita a entrar na esquerda do Rio do Ouro dahi a 3 legoas e '/»• Do Bom Successo vai-se ao Arraial de N. da Piedade ou Descoberto do Gunga . nascidas na extensa Serra do Fanha .Il4 1TINEIURIO Dahi a meia legoa encontra-se o Rio do Ouro : he de canoa. Distancia 1 legoa. e huma pequena Casa de Oração. Tem 33 casas cobertas de telha . Luiza ou Chavante. Ignoro se este ribei rão entra no Rio Cana Brava ou no Ouro. e sempre achei noticias contradictorias. que he o terreno culminante entre os Rios Maranhão a 1'Este c Araguaia a Oeste. resultado da condes cendencia mal entendida que com elles ha .

DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. ni
Oeste do Rio Maranhão, a ponto de ficar por vexes interrom
pida a communicação entre Goiaz e o Porto Real pela estrada
de Amaro Leite , muito mais curta do que a dos arraiaes do
lado oriental. De Amaro Leite á Piedade ha i3 legoas.
Continuando a marcha para o Porto Real , sahe-se do
arraial pela estrada do Norte , e vai se ao Ribeirão do Mon
jolo que dista huma legoa. Este ribeirão corre para a di
reita, e entra na mesma margem do Rio Cana Brava dahi
a 4 legoas e '/(•
Do Monjolo vai-se ao Rio Cana Brava na distancia de 4
legoas. Este rio, que he muito caudaloso , nasce na Serra do
Fanha, e recebe aguas das do Estrondo c D. Luiza; e entra-
no Rio de Santa Thereza perto da Fazenda das Itans, de que
hei de fallar. Calcula-se em 22 legoas ( não comprehendidas
as voltas) o curso do Cana Brava desde o Porto da Passagem
até á sua fóz na margem esquerda do Rio de Santa Thereza.
Do Porto do Cana Brava vai-sc ao Pasto das Egoas dis
tante huma legoa. Tem hum ribeirão do mesmo nome , que
corre do Sul ao Norte, c entra na margem direita do Ri
beirão do Estrondo.
Do Pasto das Egoas vai-se ao Ribeirão do Estrondo na
distancia de 1 legoa. Corre ao Norte encostado á Serra do
Estrondo , e entra no Rio Cana Brava dahi a 5 legoas.
Dj Ribeirão do Estrondo vai-se ao Ribeirão da Raizama na
distancia de 1 legoa : corre ao Norte , e entra no Ribeirão
dahi a 1 legoa e "/»,
Da Raizama vai-se ao Bairro Alto distante 1 legoa e
Tem hum ribeirão do mesmo nome , que entra no Ribeirão
das Lageas na distancia de 2 legoas e '/j.
Do Bairro Alto , onde existe a casa de huma fazenda de
gado de José de Barros, vai-se ao Ribeirão das Lageas dis
tante 2 legoas : corre ao Norte a entrar na margem esquerda
do Cana Brava dahi a 3 legoas e */í.

)l6 ITINERARIO
Do Ribeirão das Lageas vai-se á Fazenda da Enseada ou
Anciada na margem esquerda do Rio Cana Brava , que aqui
faz huma grande volta 'para Oeste. Em outros itinerarios
vejo a distancia entre o Bairro Alto e a Enseada unicamente
de 3 legoas , mas no que tenho presente , e foi feito por or
dem minha , acho 4 legoas , a saber 2 ao Ribeirão das La
geas, e outras 2 á Enseada. Do Arraial da Piedade ao Porto
do Rio Cana Brava na Fazenda da Enseada ha i5 legoas
e'/», e outros dizem i4 e '/»; o tambem ha quem só conte
12 legor.s.
A descripção que se segue he feita á vista de hum mappa
com que me obsequiou o Major José Antonio Ramos Jubé ,
meu Ajudante de Ordens da Pessoa , o qual he mui pratico
deste caminho; e parece conforme a outro mappa que recebi
de hum soldado dragão mui curioso, que algumas vezes
atravessou estes sertões. Ambos estes mappas são jcomtndo
fracos soccorros para a geographia , não obstante serem
os melhores que tenho visto. Eu não affirmo a exactidão
das distancias que elles marcão , por não ter feito pessoal
mente estas viagens. ■
Da Fazenda da Enseada no Rio da Cana Brava á Fa
zenda do Feixo da Serra ha 4 legoas. He huma garganta
da Serra dos Picos ou de José Machado , que corre ao Norte
a formar o Espigão Mestre ou Cordilheira Grande entre os
Rios Maranhão ou Tocantins e o Araguaia. A meio caminho
vejo marcado hum rio sem nome, que corre ao N. 0. , e vai
entrar na margem direita do Cana Brava.
Dahi a 4 legoas fica o Rancho do Sucurihú, proximo á
casa da Fazenda dos Tocuns que se acha abandonada.
Do Sucurihú á Fazenda dos Itans ha 5 legoas: antes de
chegar a esta fazenda atravessa-se o Rio Cana Brava, que
dahi a pouco eptra na margem esquerda do Rio de Santa
Thereza.

BO RIO DE JANEIRO 1o PARA. II7
Nas Itans fica a estrada que vai para a Fazenda do Es
pirito Santo , onde se atravessa o Maranhão para ir aos ar-
raiaes da Conceição e Natividade.
Das Itans vai-se ao Rancho da Extrema, distante 3 legoas.
Da Extrema ao Rancho de Santa Izabel ha 2 legoas; e
dahi ao Rancho de S. José outras 2.
De S. José ao Rancho de S. Antonio ha 4 legoas. Nesta
marcha passão-se os Ribeirões de S. José e S. António ,
que entrão na margem esquerda do Rio Maranhão. O S. An
tonio fica 4 legoas abaixo da fòz do Santa Thereza.
Do Rancho de S. Antonio ao da Capivara ha 4 legoas.
Na margem direita do ribeirão deste nome fica a fazenda
denominada Italia, pertencente ao Ajudante Tristão Pio de
Cerqueira, Commandante do Districto do Porto Real c Pon
tal. Fronteira a esta fazenda, na margem direita do Mara
nhão , abaixo da fóz do Rio de Manoel Alves da Natividade,
existe a fazenda chamada Roma , pertencente ao Capitão
José Bernardino de Senna.
Da Capivara ao' Rancho das Pedrinhas ha 4 legoas , c
ahi fica a Fazenda de Thomaz de Souza Villa Real. Na
margem direita do Capivara existio hum pequeno arraial,
que nos mappas antigos anda marcado com o nome de Por
tal ou Pontal de D. Luiz ; e deste lugar foi transferido para
o Pontal fronteiro ao Arraial do Porto Real; e he o arraial
daquelle nome, onde eu estive na noite de 27 de Junho
de 1824.
Do Rancho das Pedrinhas vai-se ao R*anchò do Rio Crixás,
em cuja margem direita existe a Fazenda do Pinheiro: a dis
tancia he 1 legoa. O Rio Crixas he muito caudaloso.
Do Rio Crixás ao Porto do Presidio, passagem do Rio
Tocantins entre o Pontal e o Porto Real, contão-se 8 le
goas. Neste espaço encontrão-se na margem esquerda do
Tocantins o Corrego e a Fazenda da Conceição; a Fazenda

1,1 8 ' ITINERARIO
dos Vidros; a do Padre França no Corrego do Landim; a da
Carreira Comprida, que he junto a huma cachoeira; a do
Narcizo , e a de João Corrêa. O Lugar do Porto Real do To
cantins nas margens direita e esquerda ficou descripto no dia
mencionado de 27 de Junho de 1824.
Por este Itinerario se mostra que desde a Cidade de
Goiaz até a [Aldêa do Carretão, passando pelo Arraial da
Barra , ha 24 legoas e '/» , mas pela estrada direita do Rio-
dos Bugres contão-se unicamente 22.
Note-se que as 24 legoas e */, são na supposição de ha
verem 5 legoas da cidade á barra ; pois que se forem só
4 , como eu entendo , são 23 e '/»; e por conseguinte no pri
meiro caso a volta pelo Arraial da Barra he de 2 legoas e '/»,
e no segundo de 1 e '/»•
Da Aldêa do Carretão ao Pilar, 12 legoas.
Do Pilar a Amaro Leite , 2o legoas.
De Amaro Leite ao Arraial da Piedade, i3 legoas.
Da Piedade ao Porto do Rio Cana Brava, i3 legoas e
Do Cana Brava (primeira passagem) ao Porto Real, 39
legoas.
Distancia de Goiaz ao Porto Real, 1 19 legoas e l/„
Este caminho , posto que mais breve seja do que o que
se faz pelos arraiaes de Trahiras , Cavalcante , AVraias ,
Conceição , Natividade, e Carmo até ao Porto Real, está su-
geito a insultos dos Indios Canoeiros , e he muito falto
de moradores : faltão casas , e muitas vezes' torna-se indis-
*
pènsavel dormir no campo a céo descoberto , por se acha
rem os ranchos queimados ou destruidos pelo fogo , vento,
ou Indios selvagens. Por aqui não ha meios de subsistencia
para grande numero de pessoas : todavia qualquer corpo de
tropas de cavallo ou de pé que tenha de marchar em di
reitura ao Porto Real, deve preferir a estrada de Amaro
Leite , se tiver bestas para conducção de farinha desde o Ar

DO RIO DE JANEIRO AO ÍARÁ. 1 1g
raiai da Piedade até ao Pontal. Gado não falta nas fazendas
do sertão, e qualquer ponta de rezes acompanha muito bem
a tropa, quando as marchas não excedem a 5 legoas diarias;
tendo em consideração o ser plano a maior parte do ter
reno que se transita , e facil a passagem dos rios de canoa
que ha a atravessar. A difTerença da distancia ou da marcha
de Goiaz ao Pòrto Real pela estrada de Amaro Leit*;, e a que
segue pelos arraiaes de Trahtras , etc. , monta a 44 legoas
em favor da primeira , o que se pôde reputar 9 marchas for
tes para tropa e gado.

N. 9.

Itinerário da Cidade de Goiaz para o» Arraia» de Anicunc,
Campinas , e Bom Fim.

Diversas opiniões existem ácerca da distancia que ha entre
a cidade de Goiaz , e o Arraial de Anicuns. Dizem huns que
são 12, outros contão i3, outros 10 e '^.e outros final
mente i3 legoas e '/»• Eu transcreverei as distancias avaliadas
em legoas conforme ao itinerario que mandei organisar.
Da cidade ao Corrego de Manoel Gomes ha pouca distan
cia; este corrego he insignificante, de maneira que raras
vezes o mencionão; e por isso contão da cidade ao Rio Ba-
calháo hum quarto de legoa.
Este rio nasce na Serra da Carioca, e entra no Bagagem
dahi a pouco menos de meia legoa antes da ponte da estra
da do Cuiabá.
Adiante do Bacalháo ficão as Catçadas : são pequenas ro
chas graniticas que atravessão o caminho, e ramos dos mon
tes que formão o valle d-> Bacalháo. Em 4 horas de serviço
de 2o homens podem aplanar- se estas pedras. Passadas as
Calçadas fica o Corrego do Buriti ou Pai José : dista do Ba

112o ITINERARIO
calháo i legoa ; Corre á esquerda a entrar no Rio Uruhú ; e
nasce na Serra Dourada.
Adiante fica d Corrego das Arêas : • entra na direita do Pai
José ; meia legoa.
Segue -se o Corrego dos Barbeiros: entra na direita do Pai
José: daqui ao Arraial do Ouro Fino ha 1 legoa c '/»; bum
quarto de legoa.
Adiante fica o Corrego da Estiva ou das Lageas, por haver
muitas rochas neste lugar. Corre á esquerda, e entra na mes
ma margem do Rio Uruhú ; meia legoa.
Segue-se o Corrego da Quinta: corre á esquerda, e entra
na mesma margem do Uruhú; meia legoa.
Adiante fica o Corrego do Engenho de S. Izidoro : corre
á esquerda, e entra na direita do Corrego da Quinta; hum
quarto de legoa.
Distancia de Goiaz ao Engenho de S. Izidoro, 3 legoas e
N. B. Pela marcha que eu fiz no dia 1.° de Agosto de
1823 para o Engenho de S. Izidoro, venci esta distan
cia em 3 horas, e por isso a calculei em 3 tegoas. No
presente Itinerario augmenta-se hum quarto de legoa , por
defeito de formarem calculos em numeros redondos ; e en
penso que do Corrego da Estiva 4 Quinta ha menos de meia
legoa, e da Quinta a S. Izidoro menos de hum quarto. A
Fazenda da Quinta he agora pertencente ao Ex m° Snr. Bispo
de Castoria, Prelado de Goiaz.
De S. Izidoro á ponte do Rio Uruhú contfiO 1 legoa e :
outros dizem que he 1 e '/*• O caminho he muito plano ao
lado da margem esquerda do rio ; e a ponte he de madeira ,
como todas as outras da Provincia.
Adiante da ponte em que se atravessa o Uruhú fica o
Corrego da Lagea : nasce na Serra do Ouvidor, e corre á
direita a entrar na mesma margem do Uruhú : depois deste
corrego fica o do Sobradinho 1 nasce na Serra do Bom Sue

DO «IO DE JANEIRO AO PARA. 191
cesso , e corre á direita a entrar no Uruhú. Aqui existe a
casa da Fasenda do Sobradinho , distante da ponte meia
legoa. Esta casa fica 2 legoas ao Sul do Sitio dos Coqueiros,
onde eu pernoitei no dia 14 de Junho de 1823. O conheci
mento destas distancias interessa aos que desejarem exami
nar a exactidão dos mappas.
Passada a casa do Sobradinho ficão 4 corregoj que nas
cem na Serra do Bom Successo, e entrão na margem di
reita do Rio Uruhú ; o primeiro delles incorporado com o
Corrego do Sobradinho; c os outros unidos em hum só ramo
denominado o Paiol. Do Sobradinho a Fazenda do Paiol ha
1 legoa e'/j.
Passado o Paiol atravessa-se o corrego do mesmo nome, c
pela sua margem esquerda chega-se á casa da Fazenda do
Limoeiro. Dista do Paiol meia legoa.
Adiante da Fazenda do Limoeiro fic'.o huns morros, onde
da parte scptenLrioual nasce o Rio Uruhii , c na meridional
o Rio dos Bois,* aquclle, cabeceira do Rio Maranhão ,m braço
oriental do Tocantins; e o Bois, braço do Rio Turvo, hum
dos mais consideraveis do Paraná. Os morros da cabeceira
do Rio Uruhú tem a mui notavel circunstancia de dividirem
as aguas do Rio Amazonas das do Rio da Prata. Se nestes
morros se abrisse hum canal de communicação , ligavão-se
as aguas do Sul com as do Norte do Brazil, e neste caso
ficaria insulada toda a terra ao Oriente do Tocantins até á
cabeceira do Rio Uruhú , c desde o Rio Paraná até a cabe
ceira do Rio dos Bois. Este isthmo não tem grande nu
mero de braças, mas eu não fui informado da sua verdadeira
extensão , posto que seja certo que he o mais estreito de
todos os isthmos que unem os grandes rios do Sul com
os do Norte, formando systema peninsular no Brazil.
Passados os morros culminantes das aguas do Norte e
Su], fica o Sitio do Demanda, distante do Limoeiro 1 legoa.

132 1TINERARIo
O Rio dos Bois , que vejo configurado em dous braços logo
na sua origem , forma hum grande arco para a direita, e vai
serpenteando até ao Arraial de Anicuns; e neste espaço ha
as seguintes distancias.
A' primeira passagem do rio , 1 legoa.
A' segunda passagem , 1 legoa e '/»
Adiante desta passagem fica o Ribeirão das Lageas.
A' terceira passagem , e Corrego do Cemiterio , 2 legoas
*%
Ao Arraial de Anicuns , meia legoa.
N. B. Eu não afianço a exactidão do calculo das dis
tancias de ponto a ponto ; apresento o que me dérão sobre
huma tosca configuração da natureza do terreno , e do curso
do rio. O todo da marcha he entre 12 e i3 legoas e */4 des
de Goiaz até ao Arraial. O mais provavel be ser de 1 a le
goas, quasi todas de bom caminho.
O Arraial de Anicuns foi fundado no 1.° de Março de 18o9
por ordem do Governador e Capitão General D. Francisco de
Assiz Mascarenhas, actual Conde da Palma, no mesmo lu
gar em que hum certo Luciano encontrára grande porção
de ouro de 18 a 2o quilates de toque: dizem que hum an
tigo Roteiro fazia menção das pedreiras auriferas de Ani
cuns; e as primeiras lavras forão feitas p«r Salvador Ma
nano. Está assentado sobre o Corrego de Anicuns , que
entra no Rio dos Bois , que fica meia legoa distante do ar
raial: foi muito doentio; e agora ( Janeiro de 1825 ) tem
189 casas humildes, e a pobre Capella de S. Francisco de
Assiz, filial da Paroquia de S. Anna da cidade de Goiaz, a
cujo Termo pertence. Por informações que tenho recebido
do Major Manoel Seixo de Brito, Commandante do Dis-
tricto de Anicuns , consta haver no mesmo Districto cha
caras e 75 fazendas de agricultura.
A mina de ouro de Anicuns apresentou desde o começo

DO RIO DE JANEIRO AO PARA. lggy
da sua lavra grandes dificuldades na exploração ou cata do
metal. O filão do ouro achou-se em sentido quasi a pru
mo ; a excavação ou o poço logo se encheu de agua ; e em
consequencia da natureza do terreno, o esgoto tornou-se
impraticavel, e os mineiros reunidos em huma pequena so
ciedade muito pobre , e ainda mais pobremente dirigida ,
tem inutilisado as tentativas feitas na abertura de hum rego
para mover as rodas hydraulicas. Desvanecidas as esperan
ças de se esgotar o poço , intentou o Governador Manoel
Ignacio de S. Paio , no anno de 1821, reformar e dar novo
alento á sociedade : mas de balde : os movimentos politico»
deste anno e dos seguintes suspendêrão de todo os trabalhos ;
o poço está cheio d'agua corrupta, o rego n ão foi bem
nivelado , e o ouro fica esperando que outra gente mais
abastada de dinheiro c industria venha arrancar debaixo da
agua as imensas riquezas que se suppõe estarem ali enter
radas. Eu sinto dizer que os actuaes habitantes de Goiaz
não se achão em circunstancias de aproveitarem as riquezas
dos Ànicuns : falta-lhes dinheiro , carecem de industria , e
só tem muito boa vontade. Huma sociedade de estrangei
ros ricos seria interessante neste lugar.
O erudito autor das Memorias Goiannas diz , que esta mina
de Anicuns produzio no anno de 18o9. . 11o:946$ 735
Em 181o 8:o58$187
Em 1811 7:843$5oo
Em 181a S^ií^iooo

Total. . 4o:463$42a
Calcula-se em ioo:ooo$ooo de réis o valor do ouro que
sc tem tirado desta mina desde a sua descoberta até agora.
Ninguem pôde contar com as operações da Companhia,
porque de 236 acções de que deve constar, composta cada
huma de hum escravo , e a sua ferramenta e 12 $8oo réis

U4 ITINERARIO
em dinheiro, apenas se subscrevêrão 54- A Provincia de Goiaz
acha-se muito desbaratada. O que acontece nas minas de
Anicuns, succede nas do Taveira do Arraial de Anta, nas
do Maranhão, Cajazeira da Conceição, e outros lugares. O
Rego da Mina de Anicuns tem 6 legoas.
Proseguindo o Itinerario para o Arraial de Campinas, con-
ta-se do Arraial á passagem do Rio dos Bois, 2 legoas. He a
quarta vez que se atravessa; e dahi a poucas legoas he nave
gavel desde o mez de Novembro até Agosto , em canoas de
pequeno porte , como mostrarei em outro lugar , tratando da
navegação deste Rio até S. Paulo.
Do Rio dos Bois vai-se ao Corrego do Jatubá , legoa e meia.
Este corrego corre á direita , e entra na margem direita do
Anicuns Grande.
Do Jatubá vai-se ao Corrego da Saçuarana , 1 legoa. e 3/j.
Entra na direita do Anicuns Grande.
Do Saçuarana vai-se ao Corrego Alegre , 2 legoas e 3/t-
Entra na direita do Anicuns Grande.
Do Corrego Alegre vai-se ao Ribeirão do Anicuns Gran
de : corre á direita e entra na esquerda do Rio dos Bois ;
meia legoa.
Do Anicuns Grande vai-se ao Corrego do Buriti; legoa e
meia. Vem do Norte : corre á direita e entra na margem
esquerda do Rio dos Dourados, braço direito do Rio Meia
Ponte. O Buriti tem igualmente o nome dc S. Marcos.
Do Buriti vai-se ao Corrego da Rossada , 2 legoas e
Corre á direita a entrar na esquerda dos Dourados.
Da Rossada vai-se ao Corrego da Almecega , 1 legoa e •/(.
Corre á direita e entra na mesma margem do Rio dé Meia
Ponte.
Da Almecega vai-se ao Brejo ou Corrego de S. Fernando ,
» legoas. Corre para a direita e entra na mesma margem
do Rio de Meia Ponte,

DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. 1 25
Do Brejo ao Arraial das Campinas , 2 legoas e '/.. Está
assentado na margem direita do Rio de Meia Ponte , braço
direito do Rio Corumbá. O motivo de se denominar Meia
Ponte ficou declarado no dia 18 de Agosto de 1823.
Distancia de Goiaz até Campinas, 3i legoas e
Pessoas muito instruidas dizem que a distancia de Goiaz
ao Arraial de Campinas he de 3o legoas : a difTerença de
legoa e 3/4 procede em se dar neste Itinerario i3 legoas e 74
desde a cidade até Anicuns ; e aivgmentar-se alguma distan
cia entro este lugar c o de Campinas.
O Arraial de Campinas foi fundado no anno de 1816,
na margem direita do Rio de Meia Ponte, junto á Capella
de N. S. da Conceição , casa de oração de varios lavrado
res e creadores de gado que habitão naquelles sertões , que
pela maior parte constão de vastissimas campinas , e peque
nas matas á borda dos Rios Dourados e Meia Ponte. Ainda
agora he tão pequeno que apenas contém 1 1 fogos. Per
tence ao Termo de*Goiaz, e a Capella he filial da Paroquia
de Santa Anna da Cidade , e ha sempre aqui hum Capellão
Cura para administrar os Sacramentos aos seus applicados.
Deste Arraial ha hum a estrada para o do Bom-fim , aonde
eu estive no dia 6 de Junho de 1823. Contão entre Cam
pinas e o Bom-fim 14 legoas , e eu unicamente sei que a
estrada atravessa o Ribeirão do Bom Successo com o sitio
deste nome que indiquei no dia 8 de Agosto de 1823 ; e os
Rios dos Bois e do Calvo, braços do Rio do Peixe que
entra no Rio Corumbá, abaixo do Arraial de Santa Cruz.
Não existe mappa algum que mostre os rios e ribeirões que
necessariamente hão de correr no Sertão das Campinas até
ao Bom-fim ; nem ao menos achei huma pessoa que me
désse hum esboço deste territorio , pa»a eu conhecer o
«ystema geologico das montanhas , e o hydrographico , que
eu tanto tenho procurado illustrar. Faltárão-me os meios

136 • ITIHERARIO
para cu fazer mais alguma cousa ; e estou certo que os
Generaes que me succederem no Governo das Armas , quan
do não me exccdão em diligencias, hão de ao menos imitar-me.
Marcha total de Goiaz ao Bom-Iim pelas Campinas, 45 le-
goas e3/j.
Poi* este modo vê-se que a marcha do Arraial do iBom-fim
até a cidade de Goiaz he mais breve pela estrada da Matta
ou Engenho de S. Joaquim e Arraial do Curralinho, do
que indo por Campinas é Anicuns para a mesma cidade:
a differença para mais, he de 7 legoas e 3/4 ou pelo menos 6.
Os bons administradores publicos devem examinar todas
estas circunstancias , para aproveitarem os caminhos menoí
extensos e mais povoados.

N. 10.

Itinerario da Cidade de Goiaz para o Arraial de Trahira»,
pelo Corrego de Jaraguât

Da Cidade de Goiaz vai-se ao Arraial do Corrego de Ja-
ragua , seguindo a mesma estrada do dia 1.* de Setembro de
1824, até ao Arraial daquelle nome, distante da Capital
1 9 legoas.
Do Corrego de Jaraguá aô Sitio de D. Marianna, 6 legoas.
Nesta marcha atravessa-se o Rio das Almas na ponte de bai
xo, e o Rio do Peixe abaixo do lugar em que passei no dia
8 de Setembro de 1824.* nesse lugar he de canôa, mas dá
váo aonde passou o meu Official de Ordens José Antonio da
Fonseca, que reconheceu, por determinação minha çsta
estrada, mas reconheceu-a muito mal.
Do Sitio de D. Marianna vai-se ao Sitio do Paula, 6 legoas.
Nesta marcha atravessão-se o Ribeirão Escuro , e o Rio do*
Patos do dia 8 de Setembro precedente.

BO RIO DE JANEIRO 1o I>ARA. 1«-
Do Sitio do Paula em diante segue-se a minha marcha
do anno de 1824. Até ao Paula 3i legoas. •
Daqui até Trahiras 31 legoas: somma 52 legoas.
Ora sendo a marcha para Trahiras pela Aldêa do Carretão
de 56 legoas, ■e pelo Arraial de Meia Pente de 57 c/4, vê-
se que qualquer tropa que houver de seguir de Goiaz para
Trahiras, deve preferir a estrada do Corrego de Jaraguá
e Sitio de D. Marianna até ao Rio Fidalgo, não obstante
haver de passar o Rio do Peixe em canoa ou aváo, porque
deste modo poupa pelo menos 4 legoas ou hum dia de
marcha, economia sempre interessante a quem he obrigado
a fazer jornadas.
N. 11.
Itinerário da Cidade de Goiaz até ao Registo de Santa Maria
no Termo do Julgado de Florei.

Da Cidade ao Arraial de Meia Ponte, 26 legoas.
De Meia Ponte ao Sitio do Rasgão no Corumbá , 4 legoas.
Dizem que o Rasgão he hum canal de desvio aberto na
margem do Rio Corumbá, para deixar em secco o leito do
mesmo rio , para sc extrahir o ouro que nelle estava.
Do Rasgão vai-se ao Sitio das Mamoneiras , 4 legoas.
Como nos mappas desta marcha estava o campo branco ,
ignoro quaes são as aguas que se atravessárãó : parece-me
que são as cabeceiras do Rio das Lageas , e os braços
esquerdos do Rio das Arêas , todos nascidos na Serra de
Miguel Ignacio, ramo dos Pyreneos , os quaes entrão na
margem esquerda do Rio Corumbá , como ficou demonstra
do nas minhas marchas dos dias 6 a 1o de Setembro de
1823. No mappa que ha de ir junto a este Itinerario,
ver-se-hão alguns corregos que se atravessão , posto que eu
ignore precisamente o lugar da passagem. A falta de homens
curiosos, é o pouco tempo que eu tive para fazer pessoal

Do Sitio dos Macacos vai-se ao das Guarirobas . Toda esta marcha he quazi hum campo branco no meu map- pa . a que tam bem chamão Serra dos Couros ou do General . • ' Do Sitio das Mamoneiras ao da Severina . de que hei de fallar circunstanciada mente em outro Itinerario . 4 legoas. Esta cordilheira he a aresta mais elevada da Provincia . mas nas cabeceiras desse ribeirão. e outras que são ramos dos Pyrencos. braço direi to do de S. Do Sitio da Severina vai -se ao dos Macacos . o por conseguinte não existe em nenhum outro de que eu tenha noticia. atravessados na já mencionada marcha do anno de 1823. ramo da dos Pyreneos. continuação da de Miguel Ignacio. O sitio fica sobre o Rio Torto . Nesta marcha passão-se os Corregos da Agoa Fria e o Rio das Arêas. 4 legoas. Fica sobre o ribeirão deste nome . correndo do Occidente para o Oriente. e caminha-se a pouca distancia da Serra de Miguel Ignacio . Do Sitio das Guarirobas vai-se ao do Rodeador. e forma a linha divisoria das aguas septen- trionaes da Provincia. que entra na esquerda do Rio Corumbá . t28 ITINERARIO mente estes exames . que ficão mais proximas á Serra . e fica ao Norte da estrada que então segui. . 5 legoas. braço direito do Rio das Arêas. Bartho lomeu he hum dos mais caudalosos da provincia : nasce na Serra da Itiquira ou do Sertão da Bandeirinha. Este Rio de S. 3 legoas. e são as que se atravessão nas marchas que estou agora déscrevendo. com a excepção de alguns pequenos corregos cabecei ras dessas aguas .. Fica sobre o ribeirão deste nome. dão motivo a ficarem varias lacunas em alguns dos meus Itinerarios. Bartholomeu. que vai pren der na serra geral divisoria de Goiaz c Minas Geraes. e das meridionaes que ficarão designadas nos dias sobreditos de 6 a 1o de Setembro de 1823. braço esquerdo do Rio de Montes Claros de que tratei na sobredita marcha de 1823. muito acima do lugar em que atravessei este ultimo no dia 2 de Junho de 1823.

Do Sobradinho vai-se ao Sitio do Mestre d'Armas : 3 legoas. e dezenove do Arraial de Santa Luzia ao rumo de N. em que o Ar raial de Flores foi declarado Cabeça de Julgado. sugeita ao Provisorado de Santo Antonio da Manga . E. O Arraial dos Couros pertencente ao Termo do Julgado de Santa Luzia. João das Tres Bar ras sobre o Ribeirão deste nome . e entra na margem direita do S. Consta de 5o casas quasi todas humildes. cuja origem he a Lagoa do Mestre d'Armas . (outros dizem cinco) do Sitio Novo . Bartholomeu : 3 legoas. predicamento que perdeu no anno de 1777. Posto que o Arraial dos Couros fique fóra da linha do meu Itinerario para o Registo de Santa Maria. Do Sitio do Rodeador vai-se ao de S. Foi originariamente es tabelecido no lugar denominado Itiquira. e separado do Termo de Cavalcante. Mercês . Está sobre o ribeirão deste nome . donde o transfe rirão para o Sitio do-s Couros na chapada do mesmo nome . Barto lomeu. da Conceição. c a Capella de N. 3' legoas e '/. 120. Bartholomeu. Esta he a cabeceira ou a fonte mais sep tentrional do Rio de S. braço direito do Rio de S. Servio de Cabeça de Julgado do Paraná. Está sobre o Ribeirão deste nome. ou do General de que já fallei. e Abbadia . sobre o Rio de S. braço direito do Rio de S. Pernambuco e Bahia. ' Do Mestre d'Armas vai-se ao Sitio Novo. S. acha-se situado em terreno alto. Bartholomeu : 3 legoas. direi duas palavras a respeito delle. huma legoa distante da margem direita da Lagoa Feia. huma legoa ao Sul da Serra dos Couros. A direita deste sitio fica a estrada que vai pelo Arraial dos Couros para o Registo da Lagoa Feia : he por aqui o caniinho para as Provincias de Minas. Bartholomeu. Do Sitio das Tres Barras vai-sc ao do Sobradinho : õ legoas. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ.

He caudaloso. na Serra de Lourenço Castanho . Domingos : as bellezas naturaes deste territorio são desgra-< çadamente contrastadas pelas crueis epidemias que aqui reinão durante a estação chuvosa . Eu farei a descripção desta lagôa . Do Arraial até á fronteira da Provincia. em outro lugar. e jue não poupão ainda mesmo as pessoas mais robustas e criadas nesses lugares. No Districto dos Couros ha 39 fazendas de gado e 6 engenhos de cana de assucar. Da Conceição vai-sc á Fazenda do Retiro de Antonio Pe reira sobre o corrego daquelle nome. que abrange as Serras Vermelhas entre ella e a Lagôa Feia . Cavalcante . 3 legoas. sua Applicação (Curado) existião y8o almas . ha lã legoas. O Capellão Cura . Está perto do Rio Paraná. braço direito do Pa raná . Este Vão do Paraná acha-se povoa do de fazendas de gado vacum pertencentes aos habitantes dos Districtos de Santa Luzia . Este rio nasce na Serra Geral ao Oriente . E. Continuando o Itinerario do Sitio Novo em diante. Junto á Bandeirinha atravessa-se o Rio Paraná. Está na margem direita do Rio Crixás . Flores . que nasce na Serra Geral ao Oriente. e antes delle fica hum pequeno corrego. conta- se dali ao Sitio da Bandeirinha. e S. em 18e3 disse que na. . e a chapada dos Viadeiros a Oeste. e perde-se na margem direita do Paraná. Da Bandeirinha vai-se á Fazenda da Conceição da Be- ralda sobre o corrego deste nome . incluindo 1 48 residentes no Arraial. ao N. l3o ITINERARIO do Bispado de Pernambuco. O. 3 legoas. 2 legoas. comprehendido entre a Serra Geral a 1'Este. Filippe Luiz de Carvalho . Do Retiro vai-se á Fazenda de Crixás do Neiva. cabeceira do Rio Preto . O Corrego da Conceição corre do S. 3 legoas. costêa a face septentrional da Serra do General. e en tra na margem direita do Rio Paraná. e corre pelo profundo valle denominado Vão do Paraná ou Paranan .

a legoas. Martinho entra na margem direita do Ahy-ahy. Do mingos passa-sc o Rio Parahim . e tem 21 casas humildes. 4 legoas. Cabeça do Julgado : tem apenas 5 humildes casas e a Capella de N. ao N.dos. O S. e navegavel poi\espaço de 12 legoas. do Termo do Julgado das Fio res .Paraná. No seu districto . legoa c meia ao Oriente do Rio Pirahim . Domitfgos vai-se á Fazenda de Santa Rosa junto ao arraial deste nome . braço direito do Paraná. ao longo do Rio Paraná que fica proximo do arraial. Antes de chegar a S. l3. Nasce na Serra Geral . O. o Padre Antonio Gonçalves dos Santos . Seguindo a marcha . Ao Sudoeste do Arraial de Santa Rosa está o Arraial do Ma to Grosso. do Arraial de Santa Rosa vai-se á . Èntrc o Crixás c a Bocaina fica o Ribeirão de Ahy-ahy (bra ço esquerdo do Rio Parahim ou Praim) .l Do Crixás vai-se á Fazenda da Bocaina do Neiva . caudaloso no tempo das chuvas. do Registo de Santa Maria. De S. Domingos. acha-se assentado em terreno plano . E. mas doentio. e a Ca pella de Santa Rosa em que ha tres altares. 18 legoas ao Sul do Arraial de Flores. e i4 ao S. S. 2 legoas. Nos lugares do seu nasci mento ha na Serra Geral as Gargantas ou Bocainas do Jar dim e do Parahim . e corre de S. e mais ao Norte a do Xavier e a Pinduca. caudaloso . O. Martinho. da Piedade. Junto á Bocaina fica o Rio de S. do Arraial das Flores: he aprazivel. O Arraial de Santa Rosa. S. E. Da casa da Fazenda do Bocaina vai-sc á Fazenda de S. e no seu districto existem 4a sitios e fazendas de agricultura e criação de ga. BO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. Na Capella de Santa Rosa existe hum Capellão Cura. e a Bocaina he a garganta de h uma serra que vai da cordilheira geral pelo valle entre o Parahim c o . existem 33 sitios e fazendas de criar. 12 e '/» ao S.

e he braço direito do Rio Paraná : a sua foz existe 3 legoas abaixo d» Arraial de Flores. Da Fazenda de Santa Rita vai.- Adiante dos Poções fica à Fazenda de S. Com- mandante do Registo de Santa Maria . A Fa zenda de S. e tambem se levantão va pores que corrompem a atmosphera. 5 le goas e •/. Este ribeirão nasce na Serra Geral . na margem direita do Rio da Cana Brava . Pertence ao Ajudante Francisco Rodrigues Frota. o tem a Bocaina da Agua Boa para os Campos de Fóra. Esta fazenda está situada junto a lagoas ou poções. í legoa e •/». Na serra onde nasce ha a Garganta ou Bocaina da Cana Brava ou Pinduca.se á do Poção . que me obsequiou com este Itinerario . Fica na margem direita do ribeirão do mesmo nome . e dando outras voltas entra na margem direita do Parahim com mais de 4o legoas de cur so. se con serva agua para desalterar o gado . O Macácos he navegavel 5 legoas. Official mui honrado e mui antigo . durante o tempo das sêccas neste arido terreno. 1 legoa e O Rio da Cana Brava nasce na Serra Geral: corre de 1'Estc a Oeste. Roque . depois ao Norte. Roque vai-se á Fazenda do Tremedal. l3a ITINERARIO Fazenda de Santa Rita do Capitão Nicacio da Cunha Montei ro . abaixo da Fazenda da Cachoeira. Adiante de S. e com o mappa da população nominal do Julgado das Flores. braço esquerdo do Rio de Santa Maria. Entre os Poções e S. que nasce na Serra' Geral perto da Bocaina da Alme- cega . . i4 legoas ao Sul do Registo de Santa Maria. Roque corre hum ribeirão que en tra na margem esquerda do Macácos.. Chama-se Tremedal por ser terreno bran - do como lodo. em que. que ahi se atravessa. 5 legoas. Roque está na margem esquerda do Rio dos Ma cácos.

O. Do Rasgão â Scverina . Total. De S. e Provincias de Per nambuco. 1 legoa e '/»• Distancia de Goiaz ao Registo de Santa Marin. N. O Arraial de Flores . 23 legoas e '/. 4 legoas. João das Tres Barras ao Mestre d'Armas./. em terreno ex . e Minas Geraes. O erudito autor das Memorias Goiannas. 2 legoas e '/. Das Guariròbas a S. 1 33 Adiante fica o Rio de Santa Maria . Por este modo a áifferença entre o Itinerario do Snr. que he braço direito do Rio Paraná. Ajudante Frota he de 12 le goas e Eu sinto muito não poder verificar pessoalmente esta diflèrença de caminho. diz que de Meia Ponte ao Rasgão ha 3 legoas. na estação das chuvas. . g4 legoas. Do Mestre d'Armas ao Sitio Novo . está assentado na margem direita do Rio Paraná . e o Registo de Santa Ma ria perto da Serra Geral . 6 legoas e '/.. 3 legoas e . pois que todas as informações que tirei são contradictorias. e logo depois o Cor rego ou Ribeirão da Gameleira . onde existe a garganta ou es trada real para os Campos de Fora.E.. Pa dre Silva e Souza . 4 legoas. Do Tre medal ao Registo de Santa Maria . João das Tres Barras . B. 12. N. e entra na margem esquerda do Rio Corrente . Bailia.. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. Da Severina ás Guariròbas . O Rio de Santa Maria corre do S.. que até hoje he o unico farol luminoso e fonte em que todos os escrip- tores tem bebido os poucos conhecimentos que existem acerca da Provincia de Goiaz. e o do Snr. Itinerario do Arraial de Flores para o Registo de Santa Haria . ao N. Cabeça do Julgado deste nome.

3 legoas. o primeiro na distancia de 12 (outros dizem 14) legoas. O arraial está situado 16 legoas ao Occidente da Serra Geral. 1 34 ITINERARIO tremamente baixo. e duas de Infanteria Miliciana. he navegavel até á sua foz no Maranhão por espaço de 7o legoas para baixo do arraial^ e mais i4 e •/» para cima. 4 legoas. pobre. e huma de Or denanças. 2 2 legoas e '/». Do Parahim á Fazenda da Cana Brava no rio deste nome. e com 3 altares. Tem duas companhias de Cavallaria. isto hc 12 legoas ao Sul da foz do Parahim . Da Cana Brava á Fazenda dos Tres Irmãos . e o do Matto Grosso de que já lallei. Dos Tres Irmãos á Malhadinha ( fazenda ) . do Rozario. e 2oo sitios de cultura de manti mentos. 3 legoas e '/» De S. No seu Termo existem os pe quenos Arraiaes de Santa Rosa . mesmo arraial. 3 legoas. e rodeado de lagoas que o fazem hum dos mais insalubres do universo. Total ./» distante do. e '/»• Dos Poções a S. Roque a Santa Maria pelo Tremedal ( fazenda ) . a Igreja Paroquial de N. 3 legoas. O Rio Paraná que banha o arraial. ~ / . 3 legoas. Roque (fazenda do Ajudante Frota). S. que fica' 2 legoas c . Consta de 64 casas. 2 legoas e Da Malhadinha aos Poções ( fazenda ) . He o lugar mais abastado em fazendas de criar gado. A navegação do Paraná he difficultosa por causa de in- numeraveis cachoeiras. Do Arraial de Flores vai-se á Fazend*a do Rio Parahim . c o segundo na de 18 legoas. que ora se acha em construcção. dizem que em todo o Termo existem 126 fazendas de gado e 18 engenhocas de assucar. c a Capella do Rozario dos homens pretos. que hum povo rico e industrioso po deria destruir. pantanoso.

Matheus . Do Corrente á Fazenda de Buenos-Ayres no Rio Verme lho. Do Rio da Prata á Posse (fazenda) em hum braço do Rio da Prata . i legoas. Total . K)5 i N. Da Ribanceira a S. João ( fazenda ) no Rio de S. . 2 legoas. Domingos ( arraial ) . Do Arraial ao Rio Macacos. Do Macácos á Cachoeira ( fazenda ) . 6 legoas. Itinerário do Arraial das Florei para o de S. 13. 5 legoas e '/. Da Cachoeira ao Rio Corrente . 3 legoas. 14. 33 legoas. Roque . 1 2 legoas c '/». • N. 3 legoas. Domingos ficou descripto no dia 29 de Maio de 1824. Itinerário das Florei para o Registo de Santa Maria na tempo secco. Do Freio a S. 4 legoas e De S. JANEino AO PARA. Total. 7 legoas. João a S. 5 lcgoas. Roque a Santa Maria . Do Arraial de Flores ao Sitio da Ribanceira . O Arraial de S. í legoa. 3 legoas e '/■• Da Posse ao Freio (fazenda ) no ribeirão deste nome . Do S.. De Buenos-Ayres ao Rio da Prata (na fazenda) . 3 legoas. DO RIO DF. Domingos. bra ço do Rio da Prata .

Itinerário da Cidade de Goiaz para o Registo dos Arrependidos. Até aqui são 47 legoas e '/(• De Santa Luzia á passagem do Rio de S. José. passado o rio encontrão-se os Ribeirões da Samambaia e Capimpuba. Total. Então disse eu que o illustre autor das Memorias Goiannas nota haverem 18 legoas até áquelle rio. 15. Este sabio Ecclesiastico não se enganou. Eu já fiz a descripção das marchas de Goiaz até ao Rio Claro no Itinerario N. Itinerário da Cidade de Goiaz para o Rio Claro . apontando a distancia absoluta de 23 legoas. e de que mais largamente hei de fallar em outro lugar. Bartholomeu he de canoa no lugar da pas sagem. por onde com efleito ha só 18 legoas. Bartholomeu . Bartholomeu'. pela Aldêa de S. N. ca beceiras occidentaes e septentrionaes do Rio de S. 6 legoas. Bartholomeu ás Taipas . e en- trão na margem esquerda do S. 61 legoas e '/(. que correm á direita. mas essa estrada acha- se abandonada em consequencia do abandono da Aldêa .° 4-°. Marcha-se da Cidade de Goiaz até ao Arraial de Santa Lu zia pela estrada que eu segui desde o dia 6 até i4 de Se tembro de 1823. 16.1 36 ITINERÁRIO N. e o Garapa ou Mesquita . 5 legoas. O Rio de S. e em 24 de Março de 1826. 3 legoas. de que fiz menção no dia 29 de Maio de 1823. Do S. José e Santa Maria . Das Taipas ao Registo dos Arrependidos. Marcos. mas elle talvez tivesse em vista a marcha pelas Aldêas de S. Antes de chegar ao rio Iicão os Ribeirões da Saia Velha .

José. A aldêa. 1 37 Maria . e muito principalmente porque os negocian tes e tropeiros que vão de Goiaz ao Cuiabá . que dista da Aldêa Maria 7 legoas. José atravessa-se o Ribeirão da Fartura. sempre ao rumo de Oeste. José. e construio nella casas que mais pare cem palacios . já unido ao Rio dos Pilões da outra estrada de Goiaz pelo lado septen- trional da Serra Dourada . 2 1 legoas. Adiante de S. do que lugares de vivenda de Indios quasi sei . encontrão pelo caminho ao Norle da Serra Dourada melhores pastos para as suas bestas de sella e carga. seguindo a margem esquerda do ribeirão. José . Da cidade de Goiaz vai-se á Aldêa de S. que nasce na Serra Dourada. e entra-so no Arraial do Rio Cla ro. existia no anno de 1755 como habitação dos Indios Cayapós. O certo he que a estrada que eu vou descrever não he agora frequentada senão por algum escoteiro ( homem que marcha á ligeira) . Continua-se a marcha. c elevada a Paroquia no anno de 178o. José. I>0 RIO DE JANEIAO AO PARÁ. Nesta marcln seguc-se o Itinerario desde a cidade até ao Corrego da Estiva cm das Lagcas no caminho para Santo Izi- dori ou para Auicuns. foi reedificada rio anno de 1774 com a daneminação de S. que vai acompanhando as abas meridionaes da Serra Dourada até chegar a Aldêa Maria. até ao lugar em que se atravessa o mesmo ribeirão. dos sustos que incutem os Indios Cayapós da Al- dêa de S. ou pelos Indios das Aldêas do Sul da referida Serra Dourada. José 6 legoas. agora denominada S. Da Aldêa Maria em diante continua-sc a seguir a margem esquerda do Ribeirão da Farlura. e entao toma-se o caminho da direita pata aquclln aldêa. O Governador e Capitão Ce- neral José de Almeida e Vasconcellos deu-lhe o sobrenome de Mossámedes . Total . distante de S. e tem a sua cabeceira me ridional perto das cabeceiras do Rio Uruhú. 8 legoas.

e dos braços esquerdes denominados Acury . tem nascimento na celebre montanha. Bagagem. Na construcção e custeamento da Aldêa de S. famoso na historia de Goiíz. Em os mappas que hão de acompanhar este Itinerario. agora chamada Ser ra das Divisões. e o Rio dos Pilões nasce na Serra de Santa Marta . Pedro. Braz Mendes. assim como o Cayapó e o Verde. e Bramado. que tambem o he do Rio Claro. a que os antigos Bandeiriantes pela sua altura e configuração denominarão Torre de Babel. o qual nasce na sobredita Serra das Divisões. na distancia de meia legoa ao Sul. seus braços di reitos antes do Pilões. braço direito do Rio Pilões. origem septentrional e occidental do Rio dos Bois. bra ços do Corumbá ou Paranahiba . he contravertente dos Rios Verde e Turvo. e 1 legoa ao Norte do Ribeirão da Fartura. por dividir as aguas do Sul das do Norte. Este Ribeirão da Fartura nasce na Chapada do Estreito perto dos Olhos de Agua. Cana Brava. O Pilões. Dizem que estes dous ribeirões.l38 ITINERARIO vagens. Conceição. he braço di reito deste Rio Claro. 5 legoas ao Sudoeste da cidade. Os habitantes da aldêa achão- se hoje ( 18a5 ) reduzidos a i3o almas. estão reduzidos a ruinas em consequencia da fraqueza da sua construcção. mos trarei melhor a hydrographia deste e outros rios da Provin cia de Goiaz. e apezar de se repu . e de que já fallei no Itinerario da cidade para o Arraial do Rio Cla ro pela face septentrional da Serra Dourada. Palmella. Antonio. Está assentada na parte me ridional da Serra Dourada . e Roncador. José des pendeu o Cofre da Fazenda da Provincia até ao anno de i Sio a somma de 67:346^o66 réis. e dos Ribeirões de Santa Marta e Matrinchã . onde temporariamente residirão al guns Generaes . seus braços esquerdos. S.-'é compoem-se dos Ribei- rõci de S. e Barreiros. Esses palacios . e he composto dos braços direitos denominados Fartura.

José . eu não observo nelles senão hum complexo dos costumes selvagens . 1 3y tarem estes Indios. e dos vicios que lhes ensinárão as pessoas que se julgão multo bem edu cadas: talvez se possão lazer cinco a seis excepções. como mostrei no principio deste numero do Itinerario. na lace meridional da Serra Dourada. DO RIO DE JANEir. até ao anno de 181o. Esta India percebe luima pequena pensão pelos seus serviços e os de seu marido . O autor das Memorias Goiannas diz que a Aldêa Maria dista 12 legoas da cidade: a ser assim . Está assentada na margem es querda do Ribeirão da Fartura . e aqucllas pessoas a quem elle deseja obsequiar. que tçve praça na Companhia de Pedestres de Goiaz. Marcha-se desde Trah. Acha-sc presentemente deserta.iras até á Fazenda da Gameleira como ficou descripto no Itinerario do dia 18 de Outubro de 1823 em diante. José.O AO PARÁ. N. me recendo muita consideração a india D. a qual não deixa lucro senão ao Administrador. 17. Neste lugar ainda hoje per manece huma fazenda de gado vacum pertencente á Nação. Maria I foi fundada no anno de 178o para habitação de alguns Indios Cayapós transferidos da Aldêa de S. homens civilisados. fica 6 legoas apartada do Arraial do Rio Claro. havendo custado ao cofre nacional a somma de i3:684$Ç)o2i réis sem uti lidade. Itinerário do Arraial de Trahiras para o de S. Existe outro caminho atravez da Serra Dourada em direi tura a S. Esta distancia de Trahiras á Gamelei ra he de 1 5 legoas e 'J*. que tem nas tribus do Cayapó huma ascendencia extraordinaria. . Damiana . Felix. ' A Aldêa Maria ou de D. afim de povoarem e desinfestarem a estrada para o Rio Claro.

que dista do Corrego Fundo meia legoa. Adiante do Corrego sem nome fica o Corrego Fundo . c o Piáo entra na mar gem esquerda do Rio Preto . Bento dahi a meia legoc. Corre á direita a entrar na direita do Gameleira dahi a hum quarto de legoa. Logo depois d" Piáo chega. meia le goa. O Rio Preto nasce na Chapada dos Veadeiros : corre do Oriente ao J3ccidente. e entra ua direita do Rio Maranhão .. onde ha 5 casas. hum de nominado Buriti. Belito he braço esquerdo do Rio Preto. Corre á direita a entrar ua mesma margem dò Game leira dahi a meia legoa. e entra no Gameleira dahi a meia legoa. o qual dista do Piquizeiro 1 legoa. Bento iia distancia de meia legoa . Adiante do Piquizeiro ficão dous braços destc. O Rio ou Ribeirão de S.unidos cntrão no dito Piquizeiro. . e. e o outro nuo tem nome. e seguindo a margem direita do Ri beirão destc nome. 1 legoa. Logo adiante fica a Fazenda do Salto.se á margem esquerda do Rio Preto. Corre da esquerda parada direita . Do Salto'vai-se ao Corrego do piquizeiro . Em seguimento ficão os Corregos t!o Sucurihú c Piáo : o Sucurihu entra no S. que en tra no Gameleira dahi a meia legoa. Corre á direita a en trar no S. l^O ITINERARIO Da Fazenda ou Sitio da Gameleira seguc-sc huma estra da paia Oeste ( tambem ha outra no Corrego do Jahó antes de chegar a Gameleira ) . Bento na dispneia do meia legoa. Do Corrego do Cavallo vai-se ao Corrego do Barreiro . hum quarto de legoa. com o curso da direita para a esquerda. Do Barreiro vai-se ao Corrego do Vaquejador. Do Corrego de Fogo vai-se ao Corrego do Cavallo . i legoa c '/. Corre á esquerda a entrar na margem direita do Rio de S. hum quarto do legoa. vai-se ao Corrego de Fogo.

Adiante do Rio Preto está o Corrego do Fidalgo . Nasce nas Serras dos Orfãos e Santa Anna. e entra no Preto dali a hum quarto de legoa. tres quartos de le goa. 1^1 6 legoas a Oeste da passagem para S.. Do Paiol ao Corrego do Fortunato. Do Formigueiro vai-se ao Corrego do P. meia le goa. Corre a esquerda a entrar na direita do Rio Preto dahi a tres quartos de legoa. c he navegavel. Felix : he este lugar muito caudaloso e pestilencial em toda a sua extensão des de que entra nas terras baixas ao Occidente da Chapada dos Veadeiros. ás quacs sc pôde justamente dar o nome de Valle do Maranhão.r da passngem não existem habitadores. . ramo da dos Orfãos . hum quarto de legoa. Do Ribeirão das Caldas vai-se ao Corrego do Chiqueiro . BO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. Do Chiqueiro vai-sc ao Corrego do Formigueiro. no meio da Serra do Rio Claro . Do Fortunato vai-sc ao Corrego do Roncador. 2 legoas. Corre a esquerda. que nasce em quatro olhos de agua muito quente. Felix. i legoa e '/». Corre á esquerda a entrar na. Corre a esquerda a entrar no Rio Preto dahi a huma legoa. Do Roncador vai-sc ao Corrego da Agua Fria. dis tante 1 legoa. Nas margens deste rio no lugr. Corre ã direita a entrar na margem esquerda do Rio de S. margem direita do llio Proto dahi a hum quarto de legoa.iol. huma legoa. Da Agua Frii vai sc ao Rio de S. Elle tem mais de 3o le goas de curso . Corre à esquerda a entrar no Preto dahi a 1 legoa. c entra em igual margem do Corrego' do Roncpdor dahi a hum quarto de legoa. tres quartos de legoa. tem mai» . hum' quarto de legoa. Corre á esquerda a entrar na direita do Rio Preto dahi a hum quarto de legoa. Felix dahi a hum quarto de legoa. Do Fidalgo vai se ao Ribeirão das Caldas do Frei Rei naldo.

gente miseravel por preguiça. Aqui existio huma casa de fundição. ambas com hum altar. e a da Abadia e Santa Anna . que foi transferida para o Arraial de Cavalcante. Paulo c Goiaz. e huma de Orde nanças.1^1 . a qual se acha arruinada. João das Duas Barras : desde essa mudança o arraial vai em decadencia progres siva . do Rozario. Felix fica o arraial deste nome. Antigamcnte tirava-se muito ouro nas terras do Districto de S. e entra na margem direita do Rio Maranhão . Antonio Matriz da Paroquia. Deste arraial dependem os do Carmo e Chapada. e tem 5 altares. Este arraial . hum a legoa ao Oriente do Rio Maranhão. tão communs em a maior parte das terras dos sertões do Brazil. a Igreja de S. dérãó motivo a contestações entre os Governadores do Maranhão. e a maior parto sof- frendo o incommodo de papeiras. que tinha huma pequena lavra entre o Ribeirão da Gameleira e o Rio Tocantins. a qual ainda he accelerada pelas hostilidades que os Indios Canoeiros residentes na outra margem do Maranhão praticão em diversas occasiões. e as da Natividade . ITINERARIO de 3o legoas de curso . A força armada do Julgado consta de huma Companhia de Cavallaria. Foi fundado no anno de 17^6 no lugar denominado Minas de Carlos Marinho: he Cabeça de Julgado . S. e o seu Termo. que se vendem a 3oo réis a libra. A Abadia está agora servindo de Matriz. sobre tudo depois do fallecimento do Padre Vigario Manoel Marques dos Anjos. e duas de Infanteria Miliciana. Felix. e as Capellas de j\. Poucos pas sos adiante dó Rio de S."c conserva 6G cásas humildes. como ponto mais central da Comarca de S. He muifo abundante em excellcnte ferro. querendo aquel- lc* que as Minas de Carlos Marinho . mas no tem po presente talvez não se extrahião dos rios além de 1:6oo$ réis annutes. Este arraial acha-se -situado em terreno baixo . 3 legoas abaixo da fóz do Rio Preto. que varios pobrissimos fundidores reduzem a pequena» bar ras. e os de S.

. Elias. Felix dahi a bum quarto de legoa. Pertence ao Termo Civil. e á Paroquia de S. Continuando a marcha encontra-se o Ribeirão do Carmo logo á sahida do arraial: corro á esquerda. Corre á esquerda. pa- ralysias. do Carmo com dou* altares. Itinerário do Arraial de S. S. João da Palma. em que está reduzido a i4 pequenas casas. hum quarto de legoa. Foi muito mais extenso do que hoje . Adiante do Ribeirão do Carmo está o Corrego do Cur- ralinho ou S. e á pobrissima Igreja de N. 18. e entra . Este arraial acha se situado em terreno plano na margem esquerda do Ri beirão do C irmo. BO RIO DE JANEIRO AO PARA. 1 legoa e '/. e entra no Ribeirão do Carmo dahi a hum quarto de legoa. A grande ponte do Rio de S. Felix. Corre á esquerda . do Termo deste Julgado. meia legoa. hum quarto de le goa.• Corre á esquerda . Corre a esquerda . 1^5 pertencessem á sua jnrisdicção. e entra na direita do Rio Maranhão dahi a a legoas. são sulfureas e ferreas: di zem que são utois aos que soffrem melestias cutaneas. Do Bibiana vai-sc ao Corrego do Açude. N. Corre á esquerda. Logo adiantetfica *o Arraial do Carmo. mas eu penso que ainda uão forão analysadas. 1 legoa e '/. Do Çapatciro vai-se ao Corrego da Bibianna. e ectra na direita do S. Do Açude vai-se ao Corrego do Barata. Feliz vai-se ao Ribeirão do Çapatciro. As aguas das Caldas de Frei Reinaldo. Felix cahio no an- no de 1798. Feliz para a Villa de S. e obstrucções. e entra no Açude em distancia de hum quarto de legoa. Do Arraial de S. e entra na margem direita do Çapateiro dahi a hum quarto de legoa.

De S. Este arraial Stha-se assentado cm terreno plano perto do Ri beirão das Trahiras. hutna legoa a 1'Este do Rio Maranhão. tres quartos de legoa. i legoa.l44 ITINERÁRIO na direita do Rio Maranhão dahi a 2 legoas. como o do Carmo. Miguel a Santa Anna . Do Arraial da Chapada vai-sc ao Engenho. 2 legoas e Do Carmo a S. 19. Feliz ao Carmo . 4 legoas. Do Engenho aos Cristaes. . do Rozario.is. Boaventura. hum quarto dc legoa. Dc S. ramos das Ser ras do Simeão. e entra na direita do Trahiras dahi a hum quarto de legoa. furão edificados pelos mineiros que tiravão onro nestes lugares asperissimos de montanhas. Boaventura á Villa da Palma . 2o legoas e '/»• N. Outro Itinerario de S. e Cristaes. Da Serra vai-se ao Ribeirão das Trahiras . que se acha bem conservada. Este corrego atravessa-se tres vezes em hum pequem espaço de terra. De S. 4 legoas. S. Do Trahiras vai-se ao Corrego do Gambá . Corre á esquerda .«c a Capella de N. 4 legoas. Feliz para a Villa da Palma. Mocambo. Corre á esquerda. e '/». Dos Cristaes a S. Tem 33 casas humildes . Logo adiante do Gambá fica o Arraial da Chapada. 5 legoas. Tanto este arraial. Do Curralinho vai-sc á Serra do Simeão . 4 legoas. 2 legoas. e entra na direita do Maranhão dahi a 4 legoas. De Santa Anna ao Brejão pela Tataira . Miguel. que se achão ligadas á Serra dos Orfãos do Termo de Cavalcante. Do alto da Serra descobre-se o Rio Maranhão na distancia de 4 lego. 4 legoas. Total.

Boaventura á Villa da Palma . 6 legoas e '/. B. o S. os quaes assim unidos correm por espaço de 8 ou 9 legoas com o nome de Paranatinga a entrar na margem direita do Rio Maranhão. e daqui á Chapada 3 legoas e % . Santa Anna. e tambem dizem que de S. atravessão-se os Ribeirões do Custodio. ou nq fim do Rio Paranatinga. l45 Do Brejão á Villa da Palma . Boaventura. por estar no . A localidade da Villa he bellissima . braço direito do Rio Maranhão.. Total . e Arêas. A Villa de S. João da Palma foi creada por Alvará de 25 de Fevereiro de 18i4 no vértice interno do angulo de ter ra formado pela confluencia dos Rios Palma e Paraná . S. 3 legoas. cujo ver tice está no ponto da confluencia dos deus rios abaixo da so bredita Villa da Palma . De S. 22 legoas e '/»• N. Do Mocambo ao Brejão. Thomaz . De S. Boaventura ao Brejão ha 3 legoas. 8 legoas. 4 legoas. Nas manchas do Arraial da Chapada para a Villa. Algumas pessoas dizem que de S. Estes itinerarios desde o Arraial da Chapada em diante não são acompanhados de explicações sobre a natureza do terreno por me faltarem alguns dados : todavia nos mappas de marcha cu hei de apresentar todas as informações que me foi possivel alcançar no meio de immensas dificuldades. O terreno entre o Maranhão e o Paraná forma hum angulo agudo . e o Rio Paraná no porto fr. 20. Do Brejão a S. 2 3 legoas e N. 5 legoas.onteiro á Villa da Palma. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. Outro Itinerário doi meimoi lugarei. Feliz ao Carmo ha só « legoas. Total. 4 legoas. Boaventura. Feliz á Chnpada. Da Chapada ao Mocambo .

mandárão fazer algumas construcções . denominados Canoeiros. e navegaveis poderia fazer opulenta a Villa Cabeça da Comarca. Foi por isso que a Paroquia do Arraial da Barra da Palma se estabeleceu no Arraial da Conceição. não podendo cu ir á Villa.. mandei exa minar o estado em que se achava. No mez de Julho de 1824. achão-se expostos ás fdiscas do ferro em braza. Duas ou tres casas são espaçosas. persuadido o Governador e Capitão General D. João das Duas Bar ras em 1814. Os Indios assassinárão o povo . — que tinha huma Igreja Paroquial dedicada a S. e obrigárão a abandonar o territorio circumvisinho. que hum lugar banhado por dous rios mui caudalosos . ITIJVEIUIUO . por me perderem nas es tradas dos Arraiaes da Natividade e Conceição. Nao ha nesta villa Casa de Cama ra. que os Jesuitas ali tinhão erigido no meado do seculo XVII. se ali fosse collccada. Fra ncisco de Assiz Mascarenhas . e mui bem construidas de páo a pique e rebocadas. por anda rem sempre embarcados em canoas commettendo as suas de predações. e o Ouvidor Joaquim Theotonio Segurado. circunstancia que torna o lu gar humido . queimárão as ca sas. e i5 cobertas de sapé. de quem a Capella do Arraial da Conceição era filial. e souboque todas as casas mohtavão a i3 cobertas de telha. Feliz de Cantalicio . Este lugar chamava-se antiga mente — Povoação da Barra da Palma . meio dos dous grandes rios . Quando se creou a Comarca de S. O tempo mostrou que a empreza de desseccar as lagoas era im . mas o terreno he baixOj e tem algumas lagoas junto ás casas . A Igreja Paroquial he a pequena Ca pella j\Iór de hum Templo. e estabelecerão o Registo do Rio Pa- ranatinga. foi surprehendido o lu gar pelos barbaros Indio. c extremamente insalubre. e huma loja de ferreiro serve de cadêa. para obstar aos insultos dos Indios Canoeiros. ' . de forma que os presos que estão com os pés no tronco. Estando em hum Domingo o povo assistindo á missa .

e no da Palma. A extin- cta povoação da Barra da Palma passou a ser Villa dc S. prova em favor destes. por ser casado com huma senho ra do districto. ' De Cavalcante ao Veadeiro. João Baptista. Os nomes de varios lugares. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. e aquelles que possuem conhecimentos da Historia do Brazil . durante os seculos XVII . e mais tarde deu o titulo de Marquez de S. e XVIII. Itinerário do Arraial de Cavalcante para o de Trahiras yela Chapada dos Veadeiroi. João VI . não ignorão os motivos de grandes revezes. sendo certo que os Jesuitas possuirão a Fazenda do Espirito Santo na margem do Rio de Santa Thereza . rancho sobre a chapada da Serra do Paraná entre os rios deste nome . em obsequio a El-Rei o Sar. 21. . e o Maranhão . como os ardentes raios do sol durante o resto do dia . e que só a robustez do Ouvidor Segurado . pôde lutar contra tantos desastres. João da Palma ao Conde da Palma D. por falta de recursos pecuniarios. Fe liz de Cantalicio. e muitas outras no Rio Maranhão. 1 47 praticavel . que tinha varias fazendas de gado naquelles lugares . e pelos da Companhia de Jesus do Pará . N. Francisco de Assiz Mascarenhas. que era Governador c Capitão General da Provincia no tempo da- quella fundação: A Igreja Paroquial perdeu o nome de S.certo he que morreu hum grande numero de pessoas . obstavão ao progresso das construcções intentadas : o. 6 legoas. Estes Religiosos havião navegado o Tocan tins. e que tauto ou densos nevoeiros dos rios durante a noite e parte da ma nhã . que tem analogia com os Carmelitas. D. Estou persuadido de haverem as margens do Rio Maranhão sido frequentadas pelos Religiosos Carmelitas. que acon tecerão durante o progresso das suas explorações. João da Palma . para tomar a invocação de S.

Do José Soares vai-se ao Rancho dos Olhos d'Agua . Do Arraial do Moquem vai-se ao de Trahiras . 9 legoas. 3 legoas. José. 48 legoas. sobre o Ribeirão do Moquem braço esquerdo do Ribeirão de S. Do Pissarrão ao do Tocantins. Trahiras c outras adjacentes. 6 legoas. e o uliimo ao Norte.* Do Rancho do' Veadeiro ao do Pissarrão . Adiante fica o Tombadouro ou descida da serra para as terras baixas ou Valle do Maranhão. e os Officios Divinos celebrão-se durante o octavario da festa com os ricos ornamentos da Paroquia de S. a Capella he pobrissima. Do Rancho do Tocantins vai-se ao da Capetinga . e ambos distão huma legoa do arraial. Passão-se as cabeceiras do rio deste nome. José. 6 legoas. da Abadia reputada na Provincia e fóra della como muito milagrosa . Da Capetinga vai-se ao Sitio de José Soares. 6 legoas. e a Capella de S. e até mes mo das mais remotas. e por isso he festejada solemne- mentc no dia 1 5 de Agosto de cada anuo pelo clero das Pa roquias de S. e Paroquia de S. O Ribeirão de S. Bento entra no Rio Bagagem. Thomé onde se venera a Imagem de N. Total . aquellc a 1'Este. Não obstante hum tão notavel concurso de peregrinos . Dos Olhos d'Agua vai-se ao Arraial do Moquem . alguns dos quaes vem offartar boas esmolas de cera. apparece como carta raza a maior parte do territorio entre Cavalcante e o Moquem j e o pouco que . No meu mappa apezar de ser o mais extenso e exacto que agora existe por estar emendado por mim em mais de tres mil pontos. S. gado e dinheiro. O Arraial do Moquem do Termo de Trahiras . 6 legoas. Bento.l48 1TINERARIo . 6 le goas. em terreno montueso e aurifero: tem 35 casas humildes. José dos Tocantins acha -se tres legoas ao Oriente do Arraial de Santa Rita de que fallei no dia 3i de Julho de 1824.

mas eu ignoro absolutamente quaes são as distancias aproximadas entre huns e outros. Estes homens não podem conhecer as vantagens dos mappas geographicos ./»• Da Conceição á Fazenda do Mocambo . Do Feicho vai-se á Fazenda da Conceição do Novaes . . N. e quasi sempre contra- dictorias. h legoas. do Tamboril. mui es cacas. a maior parto das vezes falsas. e quando não os reputão como obrns magicas . D'ali á Fazenda. Domingos. Almas e muitos outros da margem direita do Rio Paraná . Mestas marchas atravessão-se os Rios de S. Domingos . lòi por informações de Sertanistas. Bartholomcu. depois passa-se este rio . 26 legoas e O Arraial de S. i legoa c 7. Domingos pela Fazenda da Conceição. Domingos he aquelle do que tratei no dia 29 de Maio do 1824. l4g pude conhecer. 22. O rumo geral que se segue he o Nordeste até ao Paraná . Desta á das Areas . e a 1'Estc desde esse ponto até ao Arraial de S. Dcmingos . 4 legoas e '/•• D'ali á de Manoel Gregorio. Do Arraial de Cavalcante vai-se á Fazenda de Ignacio da Costa . entendem ao menos que são absolutamente ociosos. 1 legoa e . DO MO DE JANEIRO AO PANA. 3 legoas. O Feicho do Rio Paraná he hum lugar mui estreito deste caudaloso rio.. Fazenda do Tenente Coronel José Joaquim de Novaes Dias. 6 legoas. 2 legoas. Das Àrêas *vai se ao Feicho do Rio Paraná . Itinerário do Arraial de Cavalcante para o de S. e alem dello o de S. a legoas e Do Tamboril ao Arraial de S. Tolal. Desta á da Varzea Redonda 1 legoa.

N. 6 legoas. no que talvez se poupem 5 ou G legoas de caminho. l5o . 3 legoa». Domingos. Do Sumidouro ao Engenho do Brejão. Esta marcha de Cavalcante para S. e daqui ao Arraial de S. 4 legoas. 4 legoas. Do Arraial de Trahiras vai-se ao Quebra pés. Domingos pelo porto do Rio dos Bois . 3 legoas. Do Brejão ao Arraiai de S. 3 1 legoas e 3/í. Da Atalaia ao Arraial do Morro do Chapéo . Total . Antonio ao Porto do Benevenuto do Rio Paraná ou Porto dos Bois . 23.. Domingos pelo Porto dos Bois no Rio Paraná pôde ser mais hrcve indo do Arraial do Morro do Chapéo á Fazenda de Santo Antonio do Rio Manço. e o ha- ver-me faltado tempo de examinar pessoalmente estes lu gares. . 3 legoas. B. Da Fazenda de S. 5 legias. Do Porto do Benevenuto á Atalaia . 3 legoas e '/»• Do Morro do chapéo ao Engenho do Sumidouro . N. por não ter qúem me desse exactas informações.ITINERARIO As marchas que eu fiz de Cavalcante para o Arraial de S. De Cavalcante á Fazenda de Santo Antonio do Novaes . e por utilidade as apresento neste lugar. Estes sertões do Rio Manso tambem são carta quasi raza no meu mappa . ainda que haja de atravessar-se a Serra da Covanca e o Rio Manso que no tempo das aguas he muito caudaloso. Domingos. evitando-se deste modo a volta pelo Sumidouro e Brejão. Ao Castello (Ribeirão) . 6 legoas e 'A. ficarão marcadas neste Itinerario desde o dia 7 de Maio de 1824 em diante. Itinerario de Trahiras para o Arraial de Amaro Leite pelo Porto de Manoel Martins do Rio Maranhão.

. 3 legoas. e 4 ate 6 de Agosto de 1825.de hum quarto de legoa. e entra na margem esquerda do Maranhão na distancia. e abai xo do Porto dos Macacos ou do Ludovico. Corre á direita. e entra na esquerda dos Macacos d'ahi a huma legoa. e acima da Caxoeira do Anda Bem . Do Corrego Vermelho vai-se ao Rio dos Macacos . Do Maranhão . Do Ribeirão da Lagea vai-se ao Ribeirão da Mulla. 24. Total . N. 3 legoas. 2 legoas. 18 legoas. 1 legoa. Das Lavras oo Arraial de Amaro Leite . í legoa. e do Porto dos Macacos . Corre á direita . 3 legoas. 7 legoas. Do Rio dos Macacos vai-se ao Ribeirão da Lagea. 9 legoas e '/». Até aqui . l5l Do Castello ao Rio Maranhão no Porto de Manoel Martins. Do Passa Tres vai-se ao Corrego Vermelho . Do Arraial de Trahiras vai-se á passagem do Rio Maranhão no Porto da Agua Quente pela estrada que eu segui nos dias 8 até 1o de Outubro de 1824. DO RIO DE JANEIRO AO PAIIA. e entra no Maranhão d'ahi a tres quartos de legoa. ao Rio Passa Tres . Corre á direita. hum quarto de legoa. Esta marcha he quasi carta branca no meu mappa . Do Rio Maranhão e Porto da Agua Qmnte vai-se ao rumo do N-O. Corre á direita e entra no Maranho d'ahi a huma legoa e 1/4 . Eu descrevi este arraial no Itinerario do Pilar para esse lugar. Outro Itinerário do Arraial de Trahiras para o Arraial de Amaro Leite. he deserto. Neste lugar existem muitos lavradores. e desce o Maranhão até ao Arraial de Amaro Leite . 2 legoas.is Lavras . .

Corre a direita . e por conseguinte a mais curta . 1 legoa. e d'ahi ao Corrego Ver melho que dista huma legoa. Total . Aqui existe huma mata . e no meio della o En genho do Mato-Grosso de fazer assucar. Corre á esquerda. Esta ultima estrada he de 18 legoas . e entra em igual margem do Rio do Ouro perto do Arraial de Amaro Leite. e depois ao Arraial de Amaro Leite. Eu já fiz menção della. Do Arraial de Trahiras ha mais duas estradas para o Ar raial de Amaro Leite: a primeira passando pelo porto do Rio Maranhão denominado — de Estevão Corrêa — . Porto do Maranhão na estrada do Pilar: d' aqui ao Porto de Estevão Corrêa distante 7 legoas : deste ao Porto de Manoel Martins distante 5 legoas.á direita. e passando entre duas serras vai entrar na esquerda do Maranhão d'ahi a 3 legoas e '/4• Do Mulla vai-se ao Ribeirão do Mato-Grosso . e a segunda pelo Porto de Manoel Martins. B. 2 7 legoas e Y4. e entra na esquerda do Mulla na distancia de 1 legoa. e entra no Maranhão d'ahi a 5 legoas. o qual está quasi arruinado. Em outro Itinerario vejo a estrada para Amaro Leite começar na margem diíeita do Ribeirão do Ouro Fino a Oeste do Arraial da Agua Quente. Corre á direita. que fica ao Norte do mesmo Rio do Ouro na distancia de 18o passos ordinarios. He muito povoado de agricultores. 3 legoas.l5'J » ITINERARIO Corre. 3i legoas e '/»• . Do S. Domingos vai-se á Lagoa ( corrego) . d'aqci a 3 legoas ao lugar das Lavras (abandonado) . Ainda ha outra estrada pelos Arraiaes do Cocai e Agua Quente. 1 legoa. mas tambem he a mais deserta a Oeste do Rio Maranhão. Total . Domingos. e seguir ao Noroeste ao Porto dos Macacos ou do Ludovico. 7 legoas. Do Ribeirão do Mato Grosso vai-sc ao de S. N.

e quando se recolheu da diligencia . desde esse lugar até ao Arraial de Santa Luzia . Passada a ponie do Rio das Pedras tomou a estrada da es querda. c foi ao Corrego do Faz Tudo. Itinerário do Arraial de Trahiras para o de Santa Luzia. N. foi por determinação minha no dia 7 de Dezembro de 1824. Até aqui 5 legoas. e entra em igual margem do Rio Maranhão. 25. Do Cemiterio foi ao Riacho Fundo : meia legoa. No dia 7 de Dezembro de 1824 sahio do Arraial de Trahi- ras. fez-me entrega do Itinerario que em melhor ordem aqui apresento . Bernardo. e passando pelo Sitio da Vendinha. onde corre hum regato. DO RIO DK JAKKIRO AO PARA. Correm á direita a entrar na direita do Ribeirão de S. o qual corre á direita para entrar em igual mar gem do Riacho Fundo : hum oitavo de legoa. 1 53 Hum a parte desta ultima estrada ficou descripta em outro lugar. d'ahi a meia legoa. do Arraial de Trahiras. Corre á direita a entrar em igual margem do Riacho Fundo. No Ria cho Fundo existe huma pequena casa de agricultor. Adiante do ultimo corrego fica o do Buriti : hum qúarto de . Depois do Algodoeiro ficão dous carregos sem noms : meia legoa. em pregado ás minhis ordens . Do Faz Tudo foi ao Corrego do Cemiterio pouco distante do primeiro. foi ao Engenho de Alvaro Gomes. fazer o reconhecimento do terreno. e o qual me parece não distar muito da verdade. e delle ao Rio das Pedras. Do Riacho Fundo foi ao Corrego do Algodoeiro: 1 legoa e 7»• Corre á direita a entrar na esquerda do Riacho Fundo. 0 Tenente de Cavallaria José Antonio da Fonseca. pela estrada que eu segui no dia 1o de Setembro de 18*4t e 2i e 22 de Janeiro de 1825. Corre á direita.

Adiante fica o Ribuirão da Raizama: hum oitavo de legoa. Bernardo : hum quarto de legoa. Adiante fica o Corrego do Taquaral: tres quartos de legoa. Corre á direita a entrar no Maranhão. Corre á direita a entrar na mesma margem do Rio Maranhão. Adiante da ultima passagem do Onça fica o Corrego da PoSse na distancia de huma legoa: 3 legoas. Adiante da Posse está o Corrego Fundo: i legoa. tres quartos de legoa. na distancia de huma legoa a 1'Este. Corre a direita a entrar na esquerda de S.1 54 • . ltlHERAlIO legoa. Bernardo. margem de S. Adiante fica o Corrego do Cigano: hum oitavo de legoa. Corre á direita a entrar na esquerda de S. Bernardo. Entra na di reita do Maranhão. Adiante est. Adiante fica o Corrego da Onça : meia legoa. Corre á di - reita . Adiante fica o Ribeirão de S. Corre á direita a entrar na mesma margem do Rio Maranhão. Corre á direita a entrar no Maranhão. Corre ó di reita a entrar na mesma margem do Ribeirão da Raizama. Adiante fica o Corrego Vermelho : meia legoa. No Ribeirão de S. Neste Ribeirão da Raizama existe hum grande engenho de assucar em decadencia. . Bernardo existe hum grande engenho de assucar arruinado. Cor re á direita a entrar no Maranhão. Adiante tem o Corrego da Agoa Fria: hum quarto de le goa. Corre á direita a entrar na esquerda do S.i o Corrego da Ponte do Meio . e no espaço de duas legoas atravessa-se nove vezes . Adiante fica hum corrego sem nome: hum oitavo de le goa. Adiante fica o Corrego Bonito: hum quarto de legoa. Corre á direita a entrar na mesma. e entra na margem direita do Maranhão. acha-sc o Shio do Bonito no caminho para a Lagôa Formosa. Ber nardo. Corre á direita a entrar na mesma margem do Rio Maranhão. Bernardo. Fora di sta estrada.

mas he de canrôa . í&ã Adiantc lica o Corrego do Bom Jesus : 2 Icgoas. e entra na mesma margem do Rio Maranhão. e o Arraial de Ca valcante. Algumas pessoas contão 2 legoas desde o Engenho do Bre jão até ao Barreiro Alto : o que he engano. Adiante do Barreiro Alto existe hum corrego pequeno. Junto a este corrego existe o engenho de assucar denominado Brejão. pagão-sc nellc direitos de passagem A Fa zenda Publica. de que fallei nos Itinera rios entre o arraial Cabeça deste Julgado. Este corrego corre á esquertla . Outras pessoas dizem que a denominação de Tocantins começa desde a foz do Rio To cantins do Julgado de Trahiras . dá váo no tempo secco. isto he . Adiante do Barreiro Alto (ica o Corrego do Salto : « legoas. c corre com este nome de Maranhão até ao Rio Paranatingn. Corre á esquerda c entra no Maranhão. Adiante do Rio Maranhão está o Corrego da Porteira : 1 le goa. que fica pouco distante da casa. Adiante do Salto está o Corrego da Vereda da Caxoeira : meia legoa. Corre á esquerda e entra no Rio Maranhão. Nasce ao Oriente na Lngôa Formoza ou de Feliz da Costa . e entra no Maranhão: he o Corrego do Barreiro. c dahi até ao Amazo nas tem o nome de Tocantins. O Maranhão na passagem do Brejão he pouco cau daloso. Corre a esquerda. Sobre este conego existe o Sitio do Barreiro Alto. Adiantc do Engenho e Corrego do Brejão está o Rio Ma ranhão: meia legoa. hum oitavo de legoa. e porto nacional . do mo de janeiro ao i'aha. Adiante está o Corrego do Taboquinha : 1 legoa. ou ao Porto Roal. Adiante fica o Corrego do Leitão: hum quarto de legoa. . Corre á esquerda a entrar no Maranhão. Corre á direita a entrar no Maranhão. Corre a esquerda e entra no Maranhão.

Adiante está o Rio do Sal: hum quarto de legoa. Corre a esquerda e entra na margem direita do Ribeirão dos Bois. Corre á esquerda a entrar no Maranhão. Adiante fica o Ribeirão das Guarirobas : hum quarto de le goa. Aqui fica o Sitio da Vendinha. Corre para a direita. e junto della está o Sitio denominado Engenho Quei mado./. Corre á esquerda e entra na direita do Rio do Sal. Tem ponte. Adiante fica o Corrego do Alegre : i legoa e '/=.. Adiante fica o Ribeirão do Descoberto: 1 legoa c .l56 ITINERARIO Adiante fica o Ribeirão dos Bois : tres quartos de legoa. .• Corre á esquerda e eutra em igual margem do Pvio do Sal. Adiante fica o Corrego do Curralinho: hum quarto de le goa. Adiante torna a passar-se o Rio do Sal : 1 legoa. Adiante fica o Corrego da Vendinha : 2 legoas e '/»• Corre á direita e entra na margem esquerda do Ribeirão do Jatubá. Adiante fica o Corrego do Desterro : hum quarto de legoa. Aqui ha o Sitio do Desterro.Corre é direita e entra em igual margem do Ribeirão das Guari- robas. Este Rio do Sal he cau daloso mas passa-se a váo. Corre á esquerda e entra no Rio do Sal. Corre á esquerda e entra no Rio Maranhão. e vai entrar na direita do Ribeirão da Taguatinga. Corre á direita: tem ponte. Corre á direita e entra na margem esquerda do Rio Corumbá. Neste lugar está o Sitio do Alegre. Adiante fica hum corrego sem nome : 7» legoa. Corre á direita e entra na esquerda do Rio do Sal. e formando huma grande volta continua para a esquerda do Maranhão.. Adiante fica o Corrego da Agua Limpa: 1 legoa e '/. Adiante fica o Corrego das Laginhas: 1 legoa c Vj.

N. Corre á direita : tem ponte e sitio. Corre á direita : tem ponte . Corre á direita : tem ponte e sitio . e entra em igual margem do Corrego da Ponte do Meio ou Corrego do Meio. quando os atravessei no dia 7 de Setembro de 18a3. Corro á direita . e entra na esquerda do Corrego do Barreiro. lòj Adiante está o Ribeirão da Taguatinga :. Corre á direita. e entra na direita do Ponte Alta. e entra na margem di reita do Ribeirão do Alagado. e entra na margem esquerda do Rio do Descoberto ou Monte Claros. Adiante fica o Corrego da Gameleira: 1 legoa. Adiante fica o Ribeirão do Alagado : hum oitavo de legoa. Adiante fica o Corrego do Meio ou da Ponto do Meio : hum oitavo de legoa. Adiante fica o Corrego do Barreiro : tres quartos de legoa. . e vai entrar na margem direita do Ribeirão da Ponte Alta. O Ribeirão ou Rio Alagado pareceu-me muito menor do que o da Ponte Alta. Corre á direita. e entra na mesma margem do Ribeirão de Santa Maria. Corre á direita. Adiante fica o Conego do Retiro: hum quarto de legoa. Adiante da Ponte Alta está o Corrego da Samambaia: tres quartos de legoa. Adiante fica o Convgo do Tamanduá : '/. e entra na esquerda do Desco berto. Adiante fica bum corrego sem nome: hum quarto de le goa. (Vide o Nota Bene acima). e entra na direita do Ponte Alta. Corre á direita. Corre á direita . *e entra na margem esquerda do Rio Corum bá.*e entra em igual margem do Ribeirão do Alagado. Adiante está o Ribeirão da Ponte Alta : hum quarto de le goa. B. legoa. tem ponte . hum oitavo de le- goa. Corre á direita. EU RIO DE JANEIRO AO PARÁ. Adiante está o Conego da Vereda da Samambaia : 1 legoa. Corre á direita.

B. N. Corre á di reita. ° Sitio da Vendinha. Adiante fica o Corrego Fundo: huui oitavo de legoa Corre á direita.° Sitio do Barreiro Alto. 5 legoas c '/*• Alguns viandantes contão 44 legoas desde Trahiras até Santa Luzia por esta estrada. 6. an tigamente chamado Ribeirão do Inferno: 1 legoa.° Engenho de Alvaro Gomes. Adiante fica o Ribeirão do Palmital: i legoa. e . Pouco adiante atravessa-se o Corrego de José Gomes : corre a direita a entrar na esquerda do Palmital. 5 legoas o 3.'osc Gomes fica o Arraial de Santa Luzia: dista do Palmital i legoa. 6 legoas. 43 Irgoas e '/.entra na esquerda do Ribeirão de Santa Maria.10$ ITINERARIO Adiante do Gameleira fica o Ribeirão de Santa Maria . No Itinerario precedente inculcão-sc 5 legoas e 3A de distancia do Engenho de Alvaro Gomes ao da Rai zama. Adiante do . •2. Total . Corre á direita a entrar na margem direita do Ribeirão do Palmital. e entra no Rio Corumbá: tem ponte.° Sitio da Ponte Alta . 8 legoas e '/)• 4. 1 legoa e '/»• 5. Outro Itinerário. (J legoas. 26. 4 legoas. Muitas pessoas praticas dizem serem 6 legoas. De Alvaro Gomes a Raizama (engenho) .° Arraiai de Santa Luzia. 6 legoas e 7. Eu . 8.. 4 legoas-. 1." Engenho do Bi cjão . 6 legoas e Vs. " Sitio Alegre. Do Arraial de Trahiras ao Engenho de Alvaro Gomes . Nesta marcha pernoitou em 8 pousos. N.° Engenho da Raizama .

1 legoa. Do Alvaro Gomes ao Rio dai Pedras . Da Ponte Alta ao Arraial de Santa Luzia . Itinerario de Trahiras para Santa Luzia pela Lagoa Formosa. 1o legois. Da Serra á Ponte Alta. De Trahiras ao Engenho de Alvaro Gomes. 1 legoa. G legoas. Total. a qual he muito apre ciavel. 43 legoas e O Arraiai dos Angicos. 5 legoas. 3 legoas. Eu fui favorecido por este sabio ecclesiastico com h u rua Memo ria sobre o Julgado de Santa Luzia . N. N. de fjue já fallei no dia 25 de Fe vereiro* de 1825. 2 legoas. Do Barreiro Alto á Agua Fria dos Angicos ( 3 legoas longe do arraial ) . 4 legoas. desde a Raizama no Bonito. BO RIO DE JANBIRO AO PARÁ. meia legoa. B. Do Bonito ao Brejão ou Bom Jesm. O benemerito Vigário de Santa Luzia. 1 5*) apresento os dons Itinerarios discordes. . João Teixeira Alvares. 1 legoa. per me não ter sido possivel examinar pessoalmente a distancia entre os dous lu gares. 24 legoas ao Nordeste do Arraial de Santa Lu/ia. diz que quasi todos os moradores são preguiçosos. Do Maranhão ao Barreiro Alto . está em principio no lugar chamado Sitio Noío. Do Brejão ao Rio Maranhão . e 55o al mas. No districto ha 1oo fogos. Da Raizama ao Bonito./. 2 legoas. Do Rio áaa Pedras ao Riacho Fundo . 4 legoas. Dos Angicos a Manoel da Rosa(sitio). . No Itinerario precedente dá 6 legoas e . 27. Do Manoel da Rosa á Serra de Migiul Ignacio. Os moradores deste districto são pela maior parte agricultores e criadores de ga lo.

4 legoas: tem corrego. Da Cachoeirinha ás Pindahibas: tem corrego. que se une' ao de João de Souza. 2 legoas. 2 legoas e '/3. Das Mangabeiras a João de Souza : tem corrego. passando pelo Sitio do Bom Jezus. ' Dos Bichos ás Mangabeiras : tem corrego. braço di reito do Arraial Velho . Do S. Do Raizama ao Rio da Onça que se passa 9 vezes . 2 legoas e Do Arraial Velho á Várzea Bonita : tem corrego . Do Sitio da Prata á Contagem da Extrema. O. 3 legoas. meia Jegoa. Das Pindahibas ao Arraial Velho : esta na margem do rio deste nome que corre do N-E ao S. braço direito do Arraial Velho . lugar onde an tigamente existio huma Casa de Arrecadação dos direitos de entradas. hum quarto de legoa. . Do Sitio Novo ao Sitio da Prata . que entra na direita do Rio do Arraial Velho. bra ço esquerdo do da Contagem . Bernardo ao Engenho da Raizama . 1 legoa. hum quarto de legoa. Bernardo . a entrar na margem direita do Rio Maranhão .ego. Dn Bonito ao Sitio Novo . lGo ITINERARIO Bo Riacho Fundo ao Engenho de S. Da Varzea Bonita aoRiachão da Encruzilhada de Cavalcan te : tem corrego que entra na Lagôa Formoza . que tem corrego . hraço direito do Maranhão . 1 legoa è '/»• Tem corrego. e toma-se a da esquerda para o Arraial Velho. 6 legoas e Neste lugar deixa-se a estrada da direita que vai para o Brejão. tres quartos de legoa. braço di reito do Arraial Velho . Da Contagem da Extrema aos Bichos: tem cori. 1 legoa. Do Rio da Onça ao Bonito . hum quarto de legoa. que entra na direita do da Prata. braço direito do Maranhão . 2 legoas. Do João de Souza á Cachoeirinha : tem corrego .

do Arraial de Tra hiras . Total . o Rio Maiwnhão. limites do Termo de Santa Luzia com os de Trahiras c Flores.. l6t Do Riachão da Encruzilhada de Cavalcante ao Cocal do Andrada pouco distante da Lagda Formoza . Do Sitio Novo ao Sitio do Mestre d'Armas dito . tem 12 legoas de circumferencia . 3 legoas. Do Sobradinho ao Riacho Fundo . Bartholomeu . pessoa muito pratica destes lugares.'/. e pelo que respeita aos civis o Cor rego das Mangabeiras. 2 legoas e . 7 legoas. 3 legoas. c he com posta de 4 lagoas contiguas que se communicão humas ás outras. 62 legoas e % O Arraial Velho de que se trata deste Itinerario já não existe. no que toca aos nego cios ecclesiasticos . 21 . Do Cocai do Andrada ao Sitio Novo de que trata o Itine rario N. constituem o Bairro ou Districto das Pindahibas e Bichos da Paroquia de Santa Luzia. A Lagòa Formoza ou de Felix da Costa origem do Rio Maranhão. e tambem he extrahido da Memoria do Sr.° 11. 7 legoas. O terreno comprehendido entre o Corrego da Contagem . he que serve de linha divisoria dos dons Termos. O Itinerario que aqui apresento foi composto pelo Capitão de Milicias Germano dfc Carvalho Pinto . Reverendo Vigario João Tei xeira Alvares. Do Riacho Fundo ao Arraial de Santa Luzia . 5 legoas. e tem ahi 33 fogos'. o mais he gente miseravel que vive na sua inercia . braço direito do Rio de S. c í/Ji almas: existem só dous fazendeiros remediados . e a Serra dos Crioulos. O Ribeirão da Contagem he o limite entre as Pa roquias de Trahiras e Santa Luzia. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. Do Sitio do Mestre d'Armas ao Sobradinho dito . e invencivel ociosidade.

Ao Rio do Peixe braço direito do Rio de Manoel Alves da Natividade que eu atravessei no dia i5 de Junho de 1824. 3 legoas. Serra no Engenho do Mato Virgem . Da Posso ao Arraial de S. e divide a Provincia do Piauhy da de Goiaz . Itinerário do Arraial da Natividade para o Registo do Duro. Da Capetinga debaixo á Capetingy de cima sobre a mar gem do Rio Tocantins . Do Tocantins á Serra do Maracaiá . 2 legoas. 1 3 legoas. N. A' Fazenda .i6a ITINERARIO N. Db Arraial de S. Do Arraial vai-se pelas Fazendas de Santo Antonio. Até aqui he o mesmo Itinerario N. Miguel e Almas . Do Arraial ao Viadeiro . 6 legoas. . Da Capetinga de cima ao Arraial Velho . 29. 28. Miguel e Almas ao Rio de Manoel Alves que nasce na Serra das Figuras ou Guacaruaguas. Do Viadeiro ao Pissarrão . . da Chapada dos Viadeiros . 1 legoa. Do Pissarrão ao Tocantins onde ha pinguella . 3 legoas. 3 legoas. legoas. 3 lagoas. Da Sena do Maracaiá a Capetinga debaixo . 2 legoas. Da Fazenda a Posse . e Ponte Alta . Daqui em diante segue-se o Itinerario antecedente de Tra- hiras para Santa Luzia . Itinerário do Arraial de Cavalcante para Santa Luzia pela Cha pada dos Viadeiro*. 3 legoas. 2 legoas. 6 legoas. e toda a distancia entre Cavalcante e Santa Luzia monta a 7o legoas. José Lopes . st.

e foi fundada no anno de 1701 para habitação dos Indios Acroás (vulgo Coroados) Chacriabás. ' 1 63 Do Rio de Manoel Alves á Vereda Comprida . Do Corrego do Sucurihú á Aldêa de S. 26 legoas. 6 Cayapós e 6 de Lingoa Geral ou Tupinambás. Gayapós e Tupinambás. Da Serra do Duro ao Corrego do Sucurihú . 1 legoa. 33 escravos e 24 escravas. A Aldêa de S. José do Duro ao Registo do Duro . i4 legoas no Oriente do Arraial da Natividade. e constava de 49 Acroás. destruida pelos Acroás antes da fundação do Duro. José do Duro reduz-se a 36 fogos cu familias. I)o RIO DE JANEIRO AO PARÁ. 1 legoa. Tem 74 casas humildes. Os religiosos da Compa nhia de Jesus forão directores Missionarios destas Aldêas. 1 legoa. Da Vereda Comprida á Gameleira . No Districto de S. A actual população da Aldêa de S. Da Gameleira á Serra do Duro . 2 legoas. Da Aldêa de S. José do Duro está assentada perto da serra deste nome. e além dos Indios existem no territorio da Aldêa varias familias estranhas que para ali forão viver . os seus habitantes. 6 Aricobés. c 3 legoas distante da passagem oriental do Rio de Manoel Alves. José do Duro . Miguel ha 4 engenhos de assucar ou rapadu ras. compostas de 2o1 pessoas. Aricobés. e a pobrissima Igreja Paro quial de S. 1 legoa. 23 sitios de agricultura c 1o pequenas fazendas de criar gado . Francisco Xavier da Formiga dos Chacriabás. Total. Miguel. e huma Companhia de Ordenanças. entre as idades de 1 7 até 6o annos . Em 29 de Outubro de 18y3 recebi a relação destes descendentes dos Aborigines. que tambem povoárão a Aldêa de S. O Arraial de S. Miguel e Almas acha-se assentado em ter reno aspero. 5 legoas.são miseraveis e formão parte da tropa miliciana do Termo do Julgado da Natividade a que pertencem .

e assolárao os lugares visinhos durante alguns annos . José do Duro.acamento que ahi existia. José do Duro . Eu tenho cartas dos chefes destes bandos cada hum dos quaes me pedia que prote gesse o seu partido . e . dispersárão-se .cada hum dos chefes ficou á testa do seu bando. ou S. No dia 4 de Fevereiro de 18y4 todos os Indios que podião pegar em armas ibrmárão-se em duas Companhias ou Bandos. fundação dos Religiosos Jesuitas antes de 17Ò0. desembolçou a Fazenda Publica a semma de 84:£qo$249 réis desde o principio do seu estabelecimento até ao anno de 181o. sublevárão-se contra o des. a titulo de constitucional ! Na Aldêa existe huma casa de oração ou Capella dedi cada a S. Francisco Xavier. No anno de 1756 os Chacriabás e Acroás já reunidos. José existio a Aldêa de S. . Na distancia de tres logoas da Aldêa de S. As intrigas de dous Indios mais ambiciosos. forão a causa desta organisação . foi remettido preso para o Limoeiro de Lisboa. os mais forão transferidos para a Aldêa de S. A maior parte deste dinheiro foi dilapidado pelo Coronel VencesJáo Gomes da Silva. e Santa Anna do Rio ejas Velhas . e fallcceu durante a viagem. Os Indios Acroas ata- cárão os Chacriabás moradores da Aldêa .oqo cruzados . mas sendo presos . o qual ficando alcançado em oo. e executados os cabeças da sedição . e na Formiga. José . Na Aldêa de S. e isso deu lugar á fundação da de S. cuja totalidade montava a 78 Praças. José da Serra Dourada de Goiaz. José do Duro em 1751. Director das Aldeãs de pois da expulsão dos Jesuitas. Miguel e Almas Jose Cardozo de Mfindonça. de maneira que a Aldêa da Formiga ficou extincta.1 64 ITINER ARIO em completa ociosidade. Francisco Xavier da Formiga . S. Paroquia em que serve de Cura Missio nario o actual Cura ou Vigario Encomendado da Paroquia de S.

. e de fiscalisar as rendas da sabida do gado . indo do Arraial da Conceição para o da Natividade. em que ha hum destacamento de tropa de linha de Goiaz. Francisco da Provincia de Pernambuco. N. Da D. í legoa e Total . 1 le goa e '/»• Da D. Da Caissara ao Arraial da Natividade . A Caissara he a serra que eu atravessei do dia 16 de Junho de 1824. 6 legoas. ao legoas. l65 No Districto do Carmo . Da Villa da Palma. Do José Guilherme ao Rio de Manoel Alves da Natividade. Não so conhecem os vesti gios della. Termo do Julgado do Porto Real do Tocantins existio antigamente huma aldêa denominada Formiga no Ribeirão deste nome. etc. Feliciana vai-se á Fazenda de José Guilherme . O Registo do Duro acha-se huma legoa distante da Aldéa de S. Feliciana . 1 legoa e . 3 legoas. Bahia . Do Manoel Alves á Caissara. serve de casa de arrecadação dos direitos de entradas das fazendas que se importão . pelas Villas de Pa ranaguá do Piauhy . . Itinerário da Villa da Palma para o Arraial da Natividade. Theodora vai-se a Fazenda de D. vai- se á Fazenda de D. José na garganta da Serra do Duro sobre a estrada para as Provincias do Maranhão. 30. 6 legoas e '/■. ORegisJo. e outros generos de exportação. atravessando o rio deste nome./». Theodora . DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. e Campo Largo da Comarca do Rio de S.

) Da Agua Fria ao Porto de Pernambuco no Rio da Palma . N. N. Do Arraial da Conceição á Fazenda da Agua Fria . O Tenente Coronel Francisco de Almeida Saler - na. 3 legoas. Commandante do Arraial e Districto da Conceição. en- tregou-me no dia 12 de Junho de 18i4 os Itinerarios se guintes .'.. meia legoa. Itinerario da Villa da Palma para o Arraial da Conceição. 31. 2 legoas e Da Agua Fria á Fazenda do Padre Lourenço . ( No outro Itinerario dá 3 legoas e '/. Da Villa ao Sitio de Miguel Esteres no Rio Palmeira. 3 legoas. B. Do Theodozio á Fazenda da Agua Fria . Do Frade á Palmeira de Miguel Esteves ( rio ) . 2 legoas. Do Quintanilha ás Pedras ( Coroa de Pedra ) . 1 legoa e '/. Do Miguel Esteves á Villa da Palma. no primeiro dos quaes encontro a differença de huma legoa para mais do que vai no Itinèrario precedente. Total. Do Porto de Pernambuco ao Quintanilha (no Rio das Pe dras Negras ) . í legoa e % Total. 5 legoas. i4 legoas.166 ITINERARIO N. . i5 legoas. 1 legoa. 4 legoas. 3 le • goas. 32. 2 legoa e % Do Padre Lourenço ao Arraial da Conceição . Do Miguel Esteves á Fazenda do Theodozio .' Das Pedras ao Frade . Itiaerario do Arraial da Conceição para a Villa da Palma.

meia legoa. Da Pinguella ao Sitio do Cisaando . Do Santa Brigida á Pinguella . 2 legoas. 1 legoa. Outro Itinerario ao longo do Rio da Palma. 2 legoas. Total. Do Arraial da Conceição á Agua Fria . Bernardino á Grota . Daquelle Porto á passagem do Rio de Santa Brigida. Da Agua Fria ao Ribeirão da Gameleira Pequena . 2 legoas e '/»• . 2 legoas e . N. Do Santa Rosa aos Tocuns. 2 legoas. Dos Tocuns á Villa da Palma . Do Extrema ao Ribeirão da Gameleira Grande ./»• Do Cisnando ao Sitio de S. Bernardino do rio deste no me .. iã legoas. 2 legoas. 2 legoas e '/« Do Brejinho ao Corrego da Extrema . 2 legoas e '% Da Grota á Fazenda de Miguel Esteves no Rio Palmei ra. meia legoa. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. 2 legoas e '/. ilegoa. 167 N. meia lcgoa. Outro Itinerário deide o Porto do Policarpo do Rio da Palma até a Villa deste nome. 3 legoas. Do Gameleira Pequena ao Corrego do Erejinho . Do Riachão ao Corrego dos Bois. 34. 3 legoas e ■/j. Do Bois ao Correio de Santa Rosa. Do Gameleira Grande ao Riachão. O Porto do Policarpo do Rio da Palma he aquelle em que eu atravessei este rio no dia >i de Junho de 1824. Do S. Passa-se depois o Rio da Palma. 33.

2 legoas e '/. N. 1 8 legoas e '/. Da Villa á Fazenda do Simão. tres quartos de legoa. Antonio do Co ronel Felippe Antonio Cardozo. 5 legoas. Outro Itinerario do Arraial de Arraias para a Villa da Palma- Do Arraial ao Buriti do Capitão Romão . 1 legoa. Antonio ao Sitio de Manoel Rodrigues . 3 legoas. 35. 1 6 legoas e 3/4. 3 legoas. B. Do Genipapo ás Lagoas . Este Itinerario foi organisado por ordem minha no mez de Julho de 1824 pelo furriel de dragões Simão de Souza Rego e Carvalho. Itinerário da Villa da Palma para o Arraial de Arraia*. Total . Do Luciano á Fazenda do Riacho Fundo . 3 legoas e 1/4. 5 legoas.. 36. 4 legoas. Do Capitão Romão ao Arraial de Arraias . Do Riacho Fundo á Fazenda do Buriti do Capitão Ro mão. a quem incumbi o reconheci mento deste terren > : todavia entendo que não está exacto acerca de varias distancias. 1 legoa e '/« Das Lagoas á Villa . N. j . *^ . 1 'legoa e 74. Da Tapera á Boa Vista .. Do Capitão Romão á Bocaina da Serra. Da Bocaina da Serra á Fazenda de S. Da Boa Vista ao Genipapo. 1 legoa e '/»• Do Manoel Rodrigues á Tapera .l68 ITINERARIO Do Miguel Esteves á Villa da Palma. Total . 1 8 legoas. i legoa. 3 legoas. De S. N. 2 legoas. . Do Simão a Fazenda do Luciano . Total .

o que ainda está para muito tarde. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. 7 legoas. 4 legoas. Da Fazenda do Mocambo ao Arraial da Chapada . Do Arraial da Chapada ao Arraial do Carmo . 3 legoas. Itinerário da Villa da Palma para o Arraial de S. Do Ouro Fino ao Sitio de Luzia de. Da Villa da Palma ao Rio de S. Do Arraial do Carmo ao Arraial de S. Da Fazenda da Tatahira ao Ouro Fino . Total . nao se pôde evitar sem que sefa- ção operações geodesicas . Nos Itinerarios N. 5 legoas." 18 a 2o mostrei o seguimento dos ca minhos entre estes dous lugares : apresento agora outro differente com que fui obsequiado. 4 legoas. Da Fazenda do Brejão á Fazenda da Tatahira . Do Rio de S. Felix. 37. Do Sitio de Luzia de Mello ao Arraial de Cavalcante . 4 legoas. 3 legoas. 4 legoas. B. 38. 1 69 Algumas pessoas contão 18 legoas e3/4» dizendo que do Arraial ao Buriti do Romão ha 5 legoas. N. 3 legoas. e a confusão que por ora reina. Itinerário da Villa da Palma para o Arraial de Cavalcante. 3 legoas e %. Boa ventura . En creio que os primeiros estão mais exactos . 8 legoas. Da Fazenda do Brejão á Fazenda do Mocambo'. . N. Boaventura . 3o legoas. a legoas. Do Rio de S. Felix . Mello . ao legoas e N. Total . Boaventura á Fazenda do Brejão . Boaventura á Fazenda do Brejão . Da Villa a Fazenda de João Ferreira no Rio de S.

1 legoa. Do Tocumzal a S. fi legoas. que o mesmo N. 16 legoas. 4 legoas. 18 legoas. 3 legoas.° 5a . Do Bento Gonçalves a Anna Maria . N. . B. 40. a legoas. Da Fazenda das Caldas a Caissara . Total . B. Felix . ha vendo erro nas legoas. Total . 8 legoas. Da Caissara ao Tocumzal . Da Volta da Serra a S. 2 legoas. 4 legoas. com a dhTerença de 2 legoas. e penso. 6 legoas. Da Forquilha do Magalhães aos Orfãos . Dos Orfãos á Volta ou Bento Gonçalves . 1 8 legoas. 3 legoas.° 39 he mais exacto. Dos Orfãos á Volta da Serra . 6 legoas. Este Itinerario parece-me igual ao N. Felix pela Estrada do» Orfãoi.° l\0 . Do Magalhães aos Orfãos . 4 legoas . 3 legoas. Outro Itinerário. Este Itinerario parece-me ser o do N. De Cavalcante á Forquilha do Magalhães . De Cavalcante ao Magalhães . N. talvez 6 legoas. Felix . N. De Anna Maria ao Arraial de S. N. 39. De Cavalcante á Fazenda das Caldas . Total . U. Felix . 0 Itinerario do Arraial de Cavalcante para S.17o ITINERARIO N. Outro Itinerario pelo Rio Preto.

B. c tudo prova que até agora os terrenos não forão demarcados . 1 7 legoas. 2 legoas. 8 legoas. 4 legoas. N. da do Paraná . Do Tocumzal á Rocinha . Felix . 63. N. Felix . Da Rocinha a S. Do Poizo dos Crioulos a Serra dos Crioulos . 46. Da Rocinha a S. Do Tocumzal á Rocinha . 2 legoas. 4 legoas. 3 legoas. ram*. . '/» legoa.° 27 até ao Arraial Velho . 6 legoas. De Cavalcante ao Rio Claro . Do Rio Claro ao Tocumzal . Total . De Cavalcante ao Rio Claro . Outro Itinerário. 29 le goas e % Do Arraial Velho ao Poizo dos Crioulos . Do Rio Claro ás Arêas . DO niO DE JANEIRO AO PARÁ. Outro Itinerario. N. 4 legoas. legoa. 4 legoas. 2o legoas. 171 N. Total . ou que se atalhou a marcha seguindo por veredas fóra da estrada real. 42. Itinerário do Arraial de Trahiras para o de Flores pela Lagoa Formosa. Segue-se o Rinerario N. Este Itinerario parece-me semelhante aos prece dentes : eu conscrvo-os taes quaes me fôrão apresentados por homens que se dizem praticos. Das Arêas ao Tocumzal .

pois que eu não o observei. Itinerário do Arraial do Pilar para o de Meia Ponte pelo das Lavrinhas sobre o Rio das Almas. Da Fazenda de Santa Izabel ao Arraial de Flores . 5o legoas e '/4. 1 le goa e '/. ao Sitio de José Antonio abaixo da serra . 1 legoa. pelo modo seguinte : . Da Fazenda do Castro á Fazenda do Faria . Total . Da Fazenda de Santo Antonio á Fazenda do Castro. N. Da Fazenda do Innocencio á Fazenda do Retiro . '/» legoa. 2 legoas. não digo outro tanto acerca da planta do terreno no meu Mappa . Do Sitio das Viuvas ou Pindahibas á Fazenda de José Lino . Da Fazenda do Retiro á Fazenda de Santo Antonio . Ainda que eu possa affiançar a proxima exacti dão do Itinerario . l legoa e ''». 1 legoa e '/. B. Da Fazenda do Faria á Fazenda de Santa Izabel .17« ITINERARIO Da Serra dos Crioulos ao Liborio na Capetinga .. 2 legoas. 2 le goas. 1 legoa e '/». legoa. Da Serra das Brancas . 2 legoas.. N. Do Sitio de José Antonio ao Sitio do Victorianno . 2 legoas. 1 legoa. Do Sitio do Victorianno ao Sitio das Viuvas ouPindahi- bas . '/. Das Macaúbas á Fazenda do Innocencio . nem tão pouco existe mappa algum detalhado em que se possa confiar. 1 legoa. ramo da do Paraná . Esta marcha he quasi sempre ao rumo do Sueste. &5. Da Fazenda de José Lino ás Macaúbas . Do Liborio na Capetinga á Serra das Brancas .

Aqui está o Sitio do Delgado. a/4 de legoa. 1^3 Do Arraial do Pilar vai-se ao Rio ou Ribeirão Vermelho. '/» legoa. 1)o RIO DE JAHEIRO AO PARÁ. Patricio. Corre á direita : antes delle ficão dous correguinhos unidos. »/8 de legoa. 1 Jegoa. e segui na mi nha marcha do dia G de Outubro de 1823. de legoa. o qual se acha arruinado. e ao segundo . Corre á direita e entra na esquerda do Delgado. Corre á esquerda . e entra na di reita do Vermelho./» legoa. Ao Ribeirão do Delgado . braço esquerdo do Púo das Almas. 2 legoas. e entra na direita do Rio . Ao Ribeirão das Pedras . e entra na direita do Rio Vermelho dahi a 3/4 de legoa. Adiante fica o Corrego do Pé do Morro . Corre á esquerda a entrar em igual margem do Rio Maranhão dahi a 1 o legoas. Corre á esquerda . e entra na mesma margem do Vermelho dahi a 1 legoa. Entre os Corregos das Contendas e o da Ponte ha dous pequenos Riachos . Ao Corrego das Contendas .. Adiante fica o Corrego da Varzinha . 2 legoas. Ao Rio das Almas . e passagem publica : antes de chegar ao Rio das Almas . Corre a esquerda . e entra no Rio das Almas dahi a 1o legoas e ■/. Lobo. e entra na margem direita do Rio das Almas dahi a 1 legoa e Antes de chegar ao Pedras ficão dous pequenos corregos : o primeiro chama-se Almoço e o segundo Lageas : ambos cor rem a direita a entrar unidos em hum só ramo na margem esquerda do Rio de S. corre á esquerda . He rio de canoa . ao primeiro chamão Boi morto . Corre á direita . % de legoa.. e entra na esquerda do Delgado dahi a '/» legoa.Vermelho dahi a . Este rio he o mesmo que eu atravessei. Ao Ribeirão das Lageas . Corre á direita. Ao Corrego da Ponte . Aqui existio hum engenho de assucar movido por agua .

a quem sempre perten ceu na parte Civil e Militar. Adiante do Arraial das Lavrinhas fica o Ribeirão dos Bois. '/» legoa.174 ITINERARIO fica hum pequeno corrego sem nome que corre á esquerda a entrar no Rio das Pedras. Os outros moradores são extremamente pobres. Acha-sc assentado em terreno plano junto ao Ribeirão de S. Sebastiso. muito pobre. O extincto Arraial do Buriti Queimado fica na mar gem direita do Rio das Almas. O Ribeirão de S. o qual não se atravessa . e a fazenda de criar gado de Manoel Alves Pedroza. João que ba nha o Arraial das Lavrinhas corre á direita a entrar em igual margem do Rio das Almas dali a '/a legoa. 3 legoas. João : foi transferido para este lugar do sitio ou Arraial do Buriti Queimado no anno de 1. 3 legoas ao N. Este rio he o mesmo que eu atravessei no dia 7 de Agosto de 1823. e por abandono dos respectivos Vigarios . e entra na mesma margem do Rio das Almas. em que existe hum unico altar. Ao Arraial das Lavrinhas . João de Olivei . Tem no tempo presente (1825) 22 casas humildes. que tambem se emprega em mineração de ouro com 8o escravos . e a passagem do Rio dos Bois . No Districto *do Arraial das Lavrinhas apenas existe agora o Engenho d'Assu- car do Capitão Francisco Pereira Ribeiro. encontrão-se quatro pequenos corregos : o primeiro he o Abelha : segundo. por se achar mais acommodado aos interesses dos habitantes destes sertões. do Arraial de Meia Ponte. e a Capella de S. e subsistem de alguma cultura de mantimentos e de pescarias. 3 legoas e 7» abaixo das-JLa- vrinhas. E. Entre o Rio das Almas além do Arraial das Lavrinhas . Nasce na Serra dos Pyreneos na Lagoa do Pai José. incorporou-se á do Pilar . emais adiante outro igualmente sem nome que corre á esquerda.771. Corre á esquerda e entra na margem direita do Rio das Almas dahi a 7 legoas. Foi outr'ora pertencente á Paroquia de Meia Ponte .

Cor re á direita . e vai entrar no Bois. Do Calção de Couro ao Ribeirão do Anda-só. e entra nessa margem do Rio do Peixe. o Tôco : todos elles correm á esquerda a entrar na mesma margem do Rio dos Bois. e antes do vao passão-se dous pequenos corregos . Antes do Corrego da Varzi nha passa-se o pequeno Corrego do Rodeador. que tam bem entra na margem esquerda do Anda-só. e entra na mesma margem do Ribeirão do Tacoaral. que tam bem corre á esquerda . e entra na esquerda do Capim-puba. . que fica perto. Fundo : e quarto. Do Tejuco ao Sitio da Gameleira na margem direita do Bois . 1^5 ra : terceiro. 2 legoas. Antes do Corrego do Ou vidor pàssa-se o pequeno Corrego das Larangeiras.. Neste lugar atravessa-se o Ribeirão dos Bois. Do Serra Negra ao Ribeirão do Capim-puba. Corre á direita a entrar nessa margem . meia legoa. Corre á esquerda. que vai ao Rio Maranhão. 1 legoa. 1 legoa. sitio na margem direita do Bois. 1 legoa.do Rio do Peixe. Este corrego anda á esquerda a entrar em igual margem do Anda-só. Da Varzinha a Tapera . e entra em igual margem do Ribeirão do Anda-só. Da Tapera ao Tejuco . que correm á esquerda a entrar em igual margem do Bois. Do Gameleira á Fazenda do Athanazio sobre o Corrego do Ouvidor. Do Ribeirão dos Bois ao Corrego da Varzinha 1 legoa e '/■• Corre á esquerda a entrar na mesma margem do Ri beirão dos Bois. Do Athanazio ao Corrego do Calção de Couro. 1 legoa e '/. Do Capim-puba ao Corrego de José de Faria . 2 legoas. Do Anda-só ao Ribeirão da Serra Negra. meia le goa. braço esquerdo do Rio dos Patos. Corre á direita . DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. tres quar tos de legoa. Corre á esquerda .

46.1 76 ITINERARIO Do José de Faria ao Corrego de João da Silva ou Curral . - N. Do Coco ao Ribeirão do Pintado . 1 legoa. Na margem direita do Ribeirão Escuro está o caminho que vai de Meia Ponte para Trabiras .. Do Pintado ao Riacho do Matto . Itinerário do Arraial da Conceição para o Registo do Duro.24 Do Escuro a Meia Ponte. . marche pelos luga res do dito Itmerario até ao Escuro .° 45. legoas 6 Total . e portanto quem tiver de ir de Jaraguá ao Pilar . Corre á direita a entrar na esquerda do Ribeiras Escuro. 1 legoa e 7». com fazenda . 2 legoas. e daqui segue pelo que acabo de mostrar neste N.° 1o mostrn-se que do Corrego de Ja- raguá para Trahiras passa-se o Ribeirão Escuro. . Do Matto á Malhada (corrego) . 2 legoas e '/. . Somma desde o Pilar até ao Escuro . 1 legoa e Do Riachão ao Coco (ribeirão) . . As marchas que ordinariamente se fazem para commodidade nos pousos são : primeira ao Rio das Pedras : segunda ao Ribeirão dos Bois: terceira á Gameleira : quarta á Serra Negra: quinta ao Sape- zal : e sexta a Meia Ponte. meia legOa. legoas. segue-se a marcha que eu fiz nos dias 7 e 8 de Setem bro de 1824. Corre á direita a entrar no Rio do Peixe : tem ponte. Do Curral ao Ribeirão Escuro. Do Arraial ao■ Riachão . meia legoa. No Itinerario N. e por conseguinte desde esta encruzilhada até Meia Ponte. legoas 3o Este Itinerario foi organisado por ordem minha pelo Te nente Pacifico Antonio Xavier de Barros.

18 legoas e '/»• N. .O. tem huma legoa de extensão N. 1 77 Da Malhada ao Desterro (fazenda) . e S. Do Fim do Tombadouro ao Registo do Duro . 3 legoas. i legoa. huma das mais notaveis da Provincia de Goiaz . Francis. Este Itinerario foi-me entregue pelo Tenente 'Coronel Francisco de Almeida Salema . 48. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. tanto pela sua extraordinaria profundidade . 3 legoas. Do Mondego ao Anastazio . Esta marcha he de tres pousos . Commandante Geral dos Districtos da Conceição. S. pas sando pelos Registos dos Arrependidos. 47. côr negra das suas aguas. e menos de meia legoa E. Itinerário do Arraial de Cavalcante para o de Flores. . N. 3 legoa». Perto da sua margem direita existe o Arraial dos Couros . Do Arraial ao Faz Tudo. 17 legoas. A Lagoa Feia. 4 legoas o '/»• Do Anastazio ao Arraial de Flores . e na esquerda o Reg. 1 legoa e •/»• Do Desterro ao Pé da Serra .sto . segundo no Desterro e terceiro no Registo. Marcos. * . Total. 5 legoas. - Itinerário do Registo da Lagfta Feia até ao Rio Corumba. Do Faz Tudo á Fazenda do Mondego . monstros vorazes que a povoão . Do Pé da Serra ao Fim do Tombadouro. e está sobre as estradas que seguem para diversas passagens do Rio de S. e sobre tudo por dar nas cimento ao Rio Preto . o primeiro no Pintado . 6 legoas. Total . que da mesma lagoa recebeu o nome . e melan colia do lugar em que se acha .

Marcos . Hilaire . O infa tigavel Senhor St. seguindo a margem esquerda deste rio desde os pantanaes do Ribeirão dos Arrependidos até ao sobredito Registo de S. talvez não comprehende na sua obra aquillo . O referido Capitão em observancia da minha ordem fez o seu Itinerario acompanhado de hum mui tosco mappa de marcha. A minha pouca demora em Goiaz. Barão de Eschwege. donde se vai á Villa do Paracatú da Província de Minas Geraes. Como eu desejei ter informações do terreno oriental da Provincia para organisar o mappa corographico pelo melhôr modo que fosse possivel no meio das difficuldades de toda a a «specie de que me via rodeado. deu motivo a não con tinuar novas explorações. depois de receber o Mappa e Itinerario do Capitão Seixo de Brito. Eu chamo explorações . são trabalhos absolutamente novos. e muito menos iutelligivel o que se encontra entre este ultimo Rio e o Corumbá. ordenei ao Capitão Luiz Antonio Seixo de Brito. Marcos . o qual não obstante a sua imperfeição mos tra sufficientemente o que ha de mais notavel entre o Registo da Lagoa Feia e o de S. que me desse huma exacta e circunstanciada informação de todo o terreno da estrada desde a Lagoa Feia até ao Registo do Rio de S. cujas discripções ainda não appare- cêrao até agora. e em outros servem de esclarecimento aos interessantissimos es- criptos do Sr. porque aquillo que agora apresento nos meus Itinerarios a cerca de varios lugares.I78 ITINERARIO co . que examinou varios districtos da Provincia de Goiaz . e para o Registo dos Arrependidos . aos quaes desgraçada mente se não dá todo o valor que elles merecem. e muito principalmente por não ter pessoas habeis que fizessem o reconhecimento do terreno em hum methodo regular. a quem eu havia nomeado Com- mandahte Geral dos Registos Orientaes da Província. e daqui tomando o rumo de Oeste fosse marchando até ao Porto do Anhanguera do Rio Corumbá. Marcos .

Neste intervallo encontra-sc o Corrego das Pindahibas com ponte : nasce á esquerda ou ao Oriente em huma pequena lagoa. O sitio ou casas estão Ba mar gem esquerda do Corrego da Agua Clara. podendo acontecer outro tanto aos Doutores Pohl . e correndo á direita entra na esquerda da Lagôa Feia. A Agua Clara ou Corrego do Jorge nasce em huns olhos de agua á esquerda logo acima da estrada onde tem ponte : corro á direita a entrar na margenT esquerda do Rio Preto. Entre o Sitio da Agua . 1 -g que eu vou descrever . os quaes não obs tante tratarem da parte Geographica . Capitão Seixo de Brito. Spix c Martius . Natherer . e entra logo na esquerda da Lagôa Feia. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. distante tres quartos de legoa : corre â direita ou a Oeste . Adiante fica o Corrego do Buriti com pequena ponte : nasce ao Oriente em hum pequeno mato perto da estrada . tres filhos e duas netas que subsistem de agricultura. O Sitio do Jorge consta de duas choupanas cobertas de ca pim onde habitão o dito Jorge . bão de fazer muita estimação do trabalho tosco do Sr. Estou bem certo que as pèssoas apreciadoras da Geo- graphia . e entra na margem esquerda da Lagoa Feia origem do Rio Preto. A' passagem do Rio Preto . dérão maiores atten- ções á Botanica e Zoologia do que eu me acho em cir cunstancias de poder praticar. 4 legoas. e he quanto basta para terem muita estimação. 4 legoas. Adiante passa-se o Ribeirão da Capitinga sem ponte: nasce de huns olhos de agua entre morros a 1'Estc : corre á direita por espaço de huma legoa até a estrada. Da Lagoa Feia á Agua Clara ou Sitio do Jorge . e quando não sejão de todo desconhecidas são mui pouco vulgarisadas. porque apresenta informa ções absolutamente desconhecidas dos homens sabios até ao dia de hoje .

c a passagem do Rio Preto. e possue sete escravos^ Ao Sitio da Estiva . 1 legoa. legoa. Bernardo. e entra na direita do Rio Preto. da margem esquerda para a direita. o qual nasce a Oeste na distancia de tres legoas em panta- naes e buritizaes. e entra na direita do Rio Preto. nem habitante al gum : mas na passagem existe sobre a margem esquerda hu- ma morada de casas.l8o ITINERARIO Clara. Entre a Estiva e o Registo fica o Corrego do. 7» legoa. e hum velho engenho d'assucar. fica perto da casa. e subsistem de agricultura. e o do Retiro. tem ponte. Provedor com ponte : nasce a Oeste em buritizaes distantes hum quarto de legoa . O Sitio do Re tiro tem dous ranchos cobertos de capim. Entre o Retiro . e a Estiva fica hum ribeirão sem nome: nasce a Oeste em pantanos e buritizaes na distancia de i legoa e 74 . atravessa-se o Ribeirão de S. onde habita hum homem casado com sete filhos que vivem de agricultura .* o segundo chamado Capão da Erva . Do Sitio da Estiva ao Registo dos Arrependidos: 3 logoas. hum quarto de legoa a Oeste. co berto de telha. Entre o Rio Preto e o sitio ou casa do Capão da Erva atravessão-se dous cor regos : o primeiro chamado Capão do Lobo . tem ponte . o nascendo em huns buritizaes. Esta passagem do Rio Preto chama-se de José Corrêa Viana. istohe. corre a entrar na margem direita do Rio Preto . oito escravos e dous cazaes de pessoas a elle aggregados e agricultores. Este rio tem grande ponte. não ha ribeirão ou corrego. no qual habita huma viuva com quatro filhos e cinco escravos. e nascendo a Oeste em hum Pindahibal distante meia legoa . Entre o Sitio do Capão da Erva. vai entrar na direita do Rio Preto que fica perto da estrada. Adiante do Provedor . No Sitio da Estiva ha duas casas cobertas de telha e hum rancho de capim : mora neste Sitio João de Deos com oito filhos. Ao Sitio do Capão da Erva . Ao Sitio do Retiro .

perto das cabeceiras do Rio de S. O. Adiante do Corrego do Meio fica o Ri beirão da Vereda . Marcos. Do Registo dos Arrependidos ao Corrego de Ignacio Preto: meia legoa. e de (iscalisação dos de sabidas de ge neros importados e exportados de Goiaz. chamão-se Terras Vermelhas: portencem ao Districto do Arraial dos Couros. e enfrj na direita do Rio Preto. Note-se que do Registo da Lagoa Feia passa-se ao Ar raial dos Couros pelo Norte desta lagoa : a distancia entre os dous lugares he hum a legoa. adiante da Ponte de S. c 6 pequenos engenhos de assucar. Antes de chegar a este corrego fica o Ribeirão dos Arrependidos junto ao Registo. Nasce ao Occidente em pantanaes e lagoas distantes legoa e meia . que eu descrevi. O quartel do Re gisto he huma pequena casa situada á esquerda do Ribeirão dos Arrependidos : tem hum rancho dos passageiros . as quaes ficao tambem proximas dos pantanaes da margem esquerda do Rio de S. l8l fica o Corrego do Meio cora ponte : nasce a Oeste em pinda- hibaes e buritizaes distantes hum quarto de legoa. em pindahibaes e buritizpes distantes da passagem 5 legoas. com ponte grande: nasce ao N. Todas as terras da Provinda de Goiaz. Do Arraial ha caminho pela margem direita do Rio Preto até ao Registo dos Arrepen didos : este caminho da margem direita encontra-se com o da esquerda . que ficão ac Oriente do Rio Preto até a Serra de Lourenço Castanho . Bernardo. e contém 3g fazendas de gado . O Registo dos Arrependidos he casa de arrecadação dos direitos de entradas . junto ao Rancho do Retiro. e tudo se acha maltratado. Marcos no braço do Capim-puba. A margem direita do Rio Preto desde o Arraial dos Couros até ao S. limite com a de Minas Geraes . 1)o RIO DE JANEIRO AO PARA. Bernardo lem alguns moradores. e entra na direita do Rio Preto. que a pouca distancia ao Norte tem as .

que nasce ao Oriente em hum pindahibal distante muito pouco da passagem. O Corrego de Ignacio Preto nasce em huns olhos de agua ao Oriente . e entra na margem esquerda do Rio de S. En tre Ignacio Preto e as Contendas fica primeiro o Ribeirão denominado Pantano: nasce ao Oriente em hum pindahibal distante legoa e meia. Do Corrego de Ignacio Preto ás Contendas : 5 legoas. Seiscentos passos adiante do Pantano ha hum pequeno corrego. Carapina. de que vou tratando. todos agricultores.l8a ITINERARIO suas mais remotas cabeceiras. Nasce âahi a meia legoa em buritizaes. A estrada para a Villa do Paracatú. Lagoa dos Porcos . tributario do Rio de S. tres mulheres solteiras . Adiante fica o Ribeirão das Contendas com ponte. e então fica a villa em distancia de 3o le- goas ao Sueste : ha outra estrada que passa pelo Sitio de Francisco Rodrigues sobre o caminho de S. Rio de S. na distancia de huma legoa . vai em di reitura á villa pelos sitios das Caveiras. e dous meninos . Este cor rego entra na margem esquerda do Ribeirão do Pantano. huma escrava . O Ribeirão dos Arrependidos tem ponte grande . Monjolos . pela ponte dos Arrependidos. por onde segue a estrada para a Villa de Paracatú. Francisco. e dirige-sc ao Oriente a entrar no Rio Escuro. Tapera. Marcos. Marcos. onde habitão hum homem casado . Marcos. O Ribei rão corre ao Nordeste desde a ponte. em que tem ponte. e vai entrar ria margem direita do Rio Preto. Neste ribeirão ha pinguella ou ponte de hum só páo. Cachoeira. corre á direita a entrar na esquerda do Rio de S. Marcos. Na margem esquerda do Contendas existem duas casa» . e Olhos de Agua . que perto do Sitio do Capão da Erva forma hum cotovelo. tres solteiros . Pedro . No Sitio de Ignacio Preto ha tres casas cobertas de ca pim. c entra na direita dos Arrependidos. e a de S.

de corrego a corre go . onde habitão huma viuva com deus filhos. Do Mundo Novo ao Sitio do Bom Fim de Francisco Ro drigues : 4 legoas. He para sentir que o Snr. e treze es cravos agricultores. Não aconteceria assim aos Officiaes de Goiaz. O Ribeirão das Guaribas com ponte: nasce ao Oiiente em buritizaes e pantanos distantes huma legoa : e entra na margem esquerda do Rio de S. 1 83 cobertas de palha . epo- dessem tirar esboços e bosquejos mais ou menos exactos dos lugares por onde passassem. e os rumos tambem aproximados da estrada *. c trabalhar em hum Itinerario. foi esta a primeira vez que na sua longa carreira de 45 annos de ser viço militar ouvio fallar. o Ribeirão da Agua Fria : nasce na distancia de tres legoas de diver . Das Contendas ao Mundo Novo ou Sitio do Rocha : 4 la goas e '/a. dous homens e huma mulher solteira. BO MO DE JANEIRO AO PARÁ. e cinco aggregados. ou as aproximadas. e corre para a esquerda do Rio de S. sete netos. junto a este ultimo. e vai entrar na margem esquerda do Rio de S. Entre o Sitio do Mundo Novo e o de Francisco Rodrigues existe.Entre as Contendas e o Mundo Novo encontrão- se successivamente o Ribeirão Soberbo com ponte: nasce em huns pindahibaes na distancia de 1 legoa e % ao Orien te . onde habitão Manoel da Costa homem casado. O Sitio do Rocha ou Mundo Novo . se eu residisse por mais tempo na Provincia : eu faria diligencias para que vies sem a servir-se de instrumentos geometricos simplices. Capitão Seixo não marcasse as distancias exactas. e seis es cravos agricultores. tem duas casas co bertas de telha . Marcos. Marcos. O Córrego do Mundo Novo: nasce ao Oriente em bu ritizaes distantes huma legoa : tem ponte . assentado na mar geai esquerda do corrego deste nome. Marcos. e seis de palha .

c tres escravos agri cultores. de José Nolasco: 7 legoas. e junto della o cor rego do mesmo nome com ponte : nasce ao Oriente em buritizaes. Adiante fica o Corrego do Cachorro. João do Morro he despovoado . Do Sitio do Bom Fim ao Sitio de S!' João do Morro.r. onde occasionalmente se recolhem alguns vaqueiros. c vai entrar na margem esquerda do Rio de S. . Marcos. sem ponte: he for mado de dous correguinhos nascidos em buritizaes ao Orien te : nnem-sc acima da passagem . Marcos. empregados em vigiar o gado que aqui costuiriaa largp. e nclle se encontrão seguidamente hum ribeirão sem nome . que mora com huma irma solteira. O terreno entre o Sitio do Bom Fim . viuvo. e entra na margem esquer da do Rio de S. • • Adiante fica hum corrego sem nome . Logo adiante da casa de Francisco Rodrigues fica á es querda a estrada para a Villa do Paracatú. e sem ponte : nasce tia serra distante huma legoa ao Oriente . d stantes huma legoa. Marcos. Marcos. e o de S. e entra na margem esquerda do Rio de S. Marcos. e vai entrar na margem esquerda do Rio de $• Marcos. O Sitio do Bom Fim . dous netos. hum aggregado. e com ponte : nasce ao Oriente na distancia de hum quarto de legoa . e vai entrar na esquerda do Rio de S. Adiante fica a Tapera do Roellas. Junto a este corrego existe hum rancho de beira no chão.l84 ITINERARIO sos regatos : tem ponte : corre do Oriente ao Occidente . e vai entrar na margem esquerda do Rio de S. Passada a ponte fica outra estrada para a Villa do Paracalú. Adiante fica o Ribeirão da Ponte Grande: nasce ao Oriente em buritizaes c pantanos distantes tres legoas. hum filho na tural. assentado na margem esquerda do Ribeirão da Agua Fria. tem casa grande e engenho de assucar coberto de telha : pertence a Francisco Rodrigues.

e huma filha casada . Canastras. a não serem os homens. que he hum systema de montanhas pela maior parte planas no cume. onde morão o dito José Nolasco . Marcel- la . O Snr. e entrela ça -se com outros systemss até á Provincia de Matto Grosso. que divi de as Provincias de Goiaz e Minas Geraes. e não na oriental . formão ò Espigão Mestre denominado Serra Geral. Do Sitio de S. olhando para hum mappa. que sobre as fronteiras de Minas. 1 85 O Sitio de S. João do Morro ao Sitio do Teixeira : 1 le- goa. He com esta explicação que eu faço sobre a linha dos limites de Goiaz . que devem entender-se as informações. aqui ha tres casas de capim .ser ra formão a linha de separação. Parida. Qualquer homem hum pouco curioso. Capitão Seixo de Brito diz que o quin tal da casa de José Nolasco he o melhor que tem visto ha muitos annos. e seguintes na dis tancia de huma legoa ou mais. e faz recommendavol o . conhece perfeitamente a ligação destas montanhas. e Goiae dá o Snr. e Minas . João do Morro. e por esse respeito este meu Itinerario he mui digno de apreço . e Arrependidos . Todas as serras de que acima tratei. devendo aliás denominar-se Berra de S. onde. seria facil a outros animaes atravessarem a maior parte do Brazil sem porem o pé em agua corrente. Barão de Eschwege . pertencente a José Nolasco. Marcos . 1)o RIO DE JANEIRO AO PARÁ. e outras. e huma escrava : sio lavradores. a qual he continuação da Serra da Palestina . As arestas da . A Serra dos Cristaes está na margem occldental do Rio de S. está a Serra Geral. Este lavrador tambem cria gado. Dos Sitios de José Nolasco. Esta serra anda nos mappas erradamente com o nome de Serra dos Cristaes. aquella Serra dos Cristaes dista i5 legoas ao Sul do Ar raial de Santa Luzia. e talvez pudesse seguir com a vista huma linha de serras . casa do . as quaes são hum ramo da Serra da Mantiqueira . fica na margem esquerda do corrego precedente . Urubu . Marcos . Teixeira. tres filhos .

Do Teixeira ao Sitio da Chapada. Marcos. ondo habitão huma viuva com tres filhos casados . Este sitio . 3 legoas e 7~ Entre a Capoeirinha e o Registo de S. Do Sitio da Copoeirinha ao Registo de S. e foi estabelecido para o mesmo fim do dos Arrependidos. Este ribeirão tem pinguella : nasce ao Oriente em pindahibaes distantes huma legoa. e Lourenço Paixão . e tres meninos : são agricultores. assentado na margem esquerda do ribeirão do mesmo nome . e mais trinta e huma pessoas agri cultoras. O Sitio da Chapada está assentado na margem direita de hum corrego . e com dous filhos . com corrego: 2 legoas. nem habitante algum. e com dez filhos . casado . l86 ITINERARIO nome do Snr. Da Chapada ao Sitio da Capoeirinha . que nasce tres quartos de legoa distante em buritizaes . e duas filhas tambem casadas . todos agri cultores. Marcos. onde habitão a viuva Brigida . Marcos. Este registo acha-se collocado na margem esquerda do Rio de S. O sitio consta de cinco casas cobertas de capim . Marcos. com ribeirão: 2 le goas. onde habita Lourenço de Souza . Marcos não ha ri beirão. Entre o Teixeira e a Chapada não se passa ribeirão ou corre go algum. tem tres ranchos cobertos de capim . Capitão Seixo de Brito. Marcos. O quartel he pequeno e muito maltratado. * . casado . que me forneceu os dados para eu o organisar. No Sitio do Teixeira ha seis casas cobertas de capim. Estas casas estão nas duas margens do Ribeirão do Teixeira. e entra na esquerda do Rio de S. e vai entrar na es querda do Rio de S. e vai entrar na margem esquerda do Rio de S. O ribei rão nasce ao Oriente 1 legoa e '/» em olhos d' agua entre buritizaes: tem ponte.

g. com ribeirão . B. e muito principalmente dos districtos de sertões desertos . Este Sitio assentado na margem esquerda do Ribeirão das Egoas. Marcos ao Sitio do Roncador de D. O Rio do Castelhano he o seu braço occidental mais caudaloso. Do Sitio do Roncador de D. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. Capitão Seixo de Brito. Eu conheço pouco mais ou menos o que o Sr. Iza- bel . e entra no Rio de S. Izabel ao Sitio das Egoas . porque nao fazendo menção dos rumos a que nascem c como correm os ribeirões ou corre gos de que trata . assim como os primeiros ribeirões ou rios em que elles se perdem antes de entrarem nos troncos prin- cipaes do Rio de S. 1 87 O rio nesto lugar he muito abundante de agua. nasce dahi a huma legoa em buritizaes: tem ponte. ou pouco . '/s de legoa. Eu já por vezes disse que os mappas existentes da Provin cia de Goiaz sao quasi cartas razas do interior della. c exige canoa para se atravessar. tenho me en contrado muitas vezes perplexo fazendo hypotheses para achar a resolução do problema. Seixo quiz dizer . A sua extensão he superior a 36 legoas. Marcos. fica a Oeste do Rio de S. Marcos em distancia de hum oitavo de legoa do registo. e nasce na Serra dos Cristaes. no Rio do Verissimo . Ignoro se he abaixo ou acima do registo. Marcos ou do Corumbá . e corre quasi sempre na distancia de huma a tres le- goas da Serra Geral. Eu fiz menção deste rio no dia 29 de Maio de 1823. mas a entrada de hum corrego v. he mui differente da en trada delle no Rio do Braço do Verissimo ou do Imbirussú que atravessão o mesmo terreno apouca distancia huns dos outros. e mais cinco pessoas agricultoras. N. Agora começão as difficuldades do Itinerario do Sr. Este sitio em que ha dous ranchos cobertos de capim onde mora huma viuva. 5 legoas. Do Registo de S.

Do Sitio da Ponte Alta ao Sitio do Capitãozinho ou Ouro Fino . nascido na chapada deste nome. com ribei rão . . O melhor mappa que agora existe da Provincia de Goiaz he sem nenhuma duvida aquelle que eu compuz á vjsta do outros emendados por mim em milhares de lugares : todavia esse meu mappa. B. O nome do Ponte Feitâ" vem de ser o lugar da pas sagem huma ponte natural. Nasce á vista da estrada em grandes buritizaes . B. N. Talvez seja algum principio do Rio do Verissimo. mas este vai cahir no Paranahiba. que acontecerá aos mappas da Provincia de Goiaz ? Eu seguirei o Itinerario do Sr. Do Sitio das Egoas ao Sitio da Ponte Alta. Entre o Sitio da Ponte Alta e o do Capitãozinho ha varios corregos pelo modo seguinte : o Corrego da Ponte Feita seis legoas distante da Ponte Alta. Marcos. e vti entrar no Rio Corumbá! N. i legoa. 9 legoas. o qual he braço direito do Rio de S. Seixo de Brito aventurando sobro ellc algumas hypotheses. Marcos. e he papel pintado ao acaso ou por supposições em sitios menos frequen tados.J 88 ITINERARIO frequentados. casado. pois que o corrego aqui he uini profundo por baixo da terra ou de pedras que dão passagem a agua. O terreno entre a Ponte AHa e a Ponte Feita he absolutamente despovoado e sem agua. que sem contestação he o melhor. Pela distancia parece-me que a Ponte Alta deve entrar no Rio Imbirissú. Está assentado na margem esquerda do ribeirão do mesmo nome com ponte : nasce de buritizaes dahi a huma legoa. e vai entrar no Ptio de S. tem innumeraveis erros nos lugares conhecidos. Neste sitio ha tres ranchos cobertos de palha onde ha bita hum Raimundo. com oito filhos agricultores. Sc os mappas da França e Inglaterra se achão muito errados.

O estabelecimento consta de huma casa de telha e tres de capim. com quatro filhos. tem ponte . B. casado. e vai entrar no Ribeirão do Ouro Fino. nasce em buritizaes abaixo de huma serra distante meia le goa. He para sentir que o Sr. com cor rego do mesmo nome . e vai entrar no Rio Corumbá : o segundo he o Ribeirão das Duas Barras : tem ponte . Seixo cos teou . he casado. N. Do Sitio do Bom Successo ao Sitio da Laginha . perten cente ao Capitão João Antonio. Eu não tenho noticia da serra que o Sr. tem oito filhos e quatorze escravos lavradores. Na margem deste ribeirão está o sitio do Capitãozinho .• 0 Conego da Laginhq . para se conhecer se a jornada foi pela Chupada do Imbirissú por onde de ordinario se fazem marchas em terrenos mon- tuosos. 1 legoa e '/. nasce em olho de agua no mato abaixo da sobredita serra na distancia de huma legoa . e vai entrar no Rio Corumbá. Marcos acima do registo. 1 legoa e Entre o Sitio do Ouro Fino e o do Bom-successo estão dous ribeirões : o primeiro he o das Tres Barras . e persuado-me que he a que divide as aguas dos Rios Verissimo. Seixo não declarasse o rumo a que ficão as serras e matas relativamente á estrada. com ponte : nasce em serras e matas que se avistâo ao longo da estrada em distancia de huma legoa e tres quartos. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. O Sitio do Bom-Successo tem duas casas cobertas de telha c tres ranchos de capim: he seu habitador José Joaquim Pinheiro. O Ribeirão do Ouro Fino sem ponte : nasce em serras e matos distantes legoa e meia. e quatro escravos agri cultores e criadores de gado. 189 Corrego Fundo . Braço do Verissimo c Imbirissú das dos Rios da Paineira que entra na esquerda do Corumbá e do Castelhano que entra no S. Do Sitio do Capitãozinho ao Sitio do Bom-successo . e vai entrar no Corumbá.

e corre para o Rio Corumbá." do Registo de S. A 1. agora despachado Tenente de Caçadores por proposta minha ." do Registo dos Arrependidos ao de S. Tal he a distancia desde o Registo da Lagoa Feia até ao Porto do Anhanguera do Corumbá . 29 legoas e '/»• ' A 3. 1 legoa e '/»• Esta casa he a mesma em que eu estive diversas vezes. KjO ITINERARIO tem ponte : nasce meia legoa distante em hum capão com prido entre huns morros . Eu não devo deixar de copiar as proprias palavras .. casada pelo modo que eu referi no dia 5 de Julho de 18«5. Marian- na Fausta Buena . Adiante do Corrego da Laginha está o Ribeirão das Lageas. as Snras. conforme o Itinerario do Capitão Luiz Antonio Seixo de Brito . Marcos. e suas irmãs . P que mostra a tenuidade de população em Goiaz. e toda esta dis tancia deve separar-se em tres secções principaes. onde mora Roberto Nicacio de Aredes. Em toda esta estrada encontrão-se 19 sitios ou habitações. e neste tem po constava do Snr. casado. Marcos ao Rio Corumbá . 62 legoas e 73." desde a Lagoa Feia até ao Registo dos Arrependi dos. e D. O Snr. que . 19 legoas «. como se mostra nos meus Itinerarios. Maria Nepomucena Buena. Total.Si78. tem dous filhos. Bartholomeu Bueno. D. solteira. e dous escravos. na casa ou passagem do Anhanguera . Seixo de* Brito encon trou ahi a mesma lamilia de que eu fiz menção. A 2. i3 legoas. Na margem do Corrego da Laginha está* o sitio deste nome com hum a casa coberta de telha . e corre para o Rio Corumbá. Do Sitio do Roberto ou Laginha á margem do Rio Corum bá . sem pon te : nasce entre serras duas legoas distante . e* Total : 62 legoas e '/«.

no* « tace que toda esta extenção de terras são campinas aber- « tas sem travicias. de Mattos. i A hydrographia da Provincia de Goiaz era ha poucos annos tão desconhecida . DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. e sendo pela p. e bom caminho. porem em Campo n razo. tambem se avistão pela direita do Puente alguma « Serras . e os q' ha de plantações fícão « de hu lado . e Arrependidos ) porque « ésta está cituada entre morros de huma e outra parte . e « agradaveis . « Do Registro da Lagoa Feia the o de S. » Viagem de descobertas fluviaes desde o Arraial de Anicuns da Província de Goiaz até é. que acabo de apresentar. que não faltava quem pensasse que . « Marcos para o Curumbá ) q' nada tem de agradavel á sua « vista por ser o lugar circullado de Mattos. Cidade de S.e esquerda do Nas- « cente.m João Antonio ( de S. 101 debaixo do titulo de — Observações — acho escritas no fim do Itinerario do Capitão Seixo . menes a Povoação de João de Deos denomi- « nada a Estiva ( entre Lagoa feia ... El ias mostrão claramente as torturas em que me vi para enten der alguns apontamentos sobre a marcha desde o Registo de S. Marcos em distancia de nove « ou dez legoas se vê huma grande profundidade d' dêspe- « nhadeiros aos quaes encosta a Estrada. e alguns pique - « nos morros. Marcos . e concavidades ao longo da Campinna : Todas Po- « voaçoes referidas estão cituadas em Campos abertos . Marcos até ao Rio Corumbá. « bem como a Povoação do Capp. Paulo. e outro fora da Estrada : antes de chegar « ao referido Registro de S. O* Capitão Seixo he hum dos mais intelligentes Officiaes de Goiaz ! Quaes seráõ os menos instruídos ? Observaçoens.

e fazendo preparar á sua custa huma ca noa tripulada de dez remadores. e pelo Araguaia sempre navegavel . e das informações adquiridas por Bueno. c os mantimentos necessa rios. Campos. não tendo meios de fazerem expedições e des cobertas em hum mesmo tempo no Sul e Norte da Provincia. cujas unicas emprezas erão minerar e de vastar. lembrando-sc de penetrar até á cidade de Belem do Pará . Paulo. O Rio Pardo. deixárão a gloria das explorações meridionaes ao honrado. O nosso Argonauta embarcou no Rio dos Bois . toda via estabelecendo os seus projectos sobre hypotheses mais bem fundadas. ou Panta nal. e dos aventurei ros que no fim do seculo XVII até ao meio do seculo XVIII fazião guerra aos Indigenas.o o Rio de S. afim de promoverem o commercio directo pelo Rio Tocantins já conhecido . tiradas dos roteiros do Capitão Mór João de Godoy. deu instrucções ao mesmo Estanisláo para descer pelo Rio dos Bois ou Anicuns .iç)2 iíinerar. só havia suspeitas e confusas noções . D. Couto. limite meri dional da Provincia de Goiaz» era frequentado pelos Pau listas . e tornava nascimento a pouca distancia das fontes mais remotas do Paraguay na Pro vincia do Matto Grosso . e da Cidade de Goiaz até ao dito Rio Pardo . Os roteiros dos antigos Bandeirantes. e ir demandar a Provincia de S. ou na Lagoa dos Xareis. e mui patriotico Governador e Capitão General . Este illustre Governador deliberou-se na estação das chu vas do anno de 18o8 a aproveitar as offertas de Estanisláo da Silveira Gutierres . e outros chefes . actual Conde da Palma. Francisco da Provincia de Minas atravessava a de Goiaz no sentido de 1'Este a Oeste . destruidor da nação Cayapó. Muitos Governadores de Goiaz desejavão conhecer as partes meridionaes das terras da sua jurisdicção . Francisco de Assiz Mascarenhas . induzirão em crassos erros ainda os mais instruidos Geographos. do Rio Grande pouco ou nada se sabia acima da fóz do Tietó .

João Caetano da Silva natural de Meia Ponte. onde a canoa se fez em pedaços. alguns frutos de arvores. foi abandonado por quatro homens. existia casado na Villa de Jundiahy no anno de 1817. e mappa original que o acompanha tenho á . que de tal modo contaminarão a saude do primeiro. forão parar á 'Curitiba da Pro vinda de. a qual sendo arrastada pela correnteza das volumosas aguas do Paraná. que não tiverão coragem para arrostarem os perigos de hu- ma navegação immensamente trabalhosa . até que no anno de 1816 sendo Governador cCapitão General Fer nando Delgado Freire de Castilho. que tinha ordsm de subir até S. quasi moribundo. que cahio em desalento. e assentando-se junto a huma arvore.^ cujo roteiro. Nesta melancolica oc- casião lembrou-se de construir hama jangada. que no ■fim de trabalhos incalculaveis . Entregue a violencia das correntes . ltjS abaixo do Arraial dos Anicuns. e des tituidos de recursos para pescarem e caçarem » alimentarão- se durante muito tempo de■ervas. e raizes agrestes. e José Pinto da Fonseca forão os chefes da segunda viagem de descoberta. Paulo. Paulo. atraves sando sertões nunca trilhados. foi desfazer-se de encontro á penedia . Em tão miseraveis circunstan cias o Estanisláo e seus dous companheiros mottêrão-se nas maltas do Brazil (as da margem esquerda do Paraná) . Hum destes homens. com a infelicidade de se afogarem quatro homens. e Foi precipitar-sc na celebre Cachoeira da Guaira ou Sete Que das. e ignorando talvez a verdadeira situação da 'fóz do Tietê. chamado Gregorio. offerecêrac-se dous ho mens intrepidos para renovarem as primeiras tentativas. e absolutamente desconhecida aos habitantes civilisados de Goiaz. S. foi abandonado pelos dous remadores . A perda desta expedição fez amortecer os desejos de repetir novas descobertas pelos rios do Sul de Goiaz . varou de noite a boca deste rio. e descendo até a Fazenda da Campanha do Neiva . nO RIO DE JANEIRO AO PARA.

e o segundo Commandante José Pinto da Fonseca. João Caetano da Silva nomeado primeiro chefe da expedi ção marchou do Arraial de Anicuns no dia 22 de Agosto de 1816 Rio dos Bois abaixo até a hum lugar distante 18 legoas ao Sul . de tres diversos quilates. e com cffeito eneontrárão algum. e calcularão esta distancia em 6o legoas. Nos L(h dias decor ridos. As margens do Rio dos Bois são campinas e capões de mato extremamente povoados de aves. O Commandante levantou liuma cruz de 18 palmos de altura no angulo superior da confluencia dos rios. senão nos mezes das chuvas . e os mantimentos necessarios para a viagem. . No dia 2 de Se tembro seguinte estava tudo prompto. e outros animaes selvagens. aportárão no dia 16 de Outubro na foz do Rio Turvo. e no dia 3 embar- cárão nas ditas quatro canoas o chefe João Caetano. e chegárão á foz do Rio Verde no dia 2o. pelo Rio Turvo. Distancia estimada 9 legoas. ficando a frente rio abaixo . ITINERARIO vista . Dia 16. c vou extractar por ser huroa peça que a despeito de algumas incoherencias . e dous filhos -seus. de que no fim da viagem se remettêrão outras tantas amostras a Secretaria de Estado dos Negocios do Reino. e nos braços da cruz cravou dous pregos. navegárão sómente quinze: os 28 de differença forão empregados em catar ouro em varios lugares em que achavão indicios da existencia do metal . O rio dá muitas voltas. e tem grande quantidade de cascalhos com pintas de ouro . — No mesmo dia 16 de Outubro continuárão a der rota. e ahi promptificou quatro canoas . e só do fim de Setembro em diante he que se pôde navegar. merece ser publicada como cousa absolutamente nova. e entrão nelle alguns regatos : o rio não admitte navegação franca ou permanente e livre de obstaculos . e dez camaradas ou remadores praticos do serviço fluvial entre Goiaz e o Pará : vogando a remos pelo rio abaixo .

e no dia 24 aportou-se a foz do Rio Corumbá. EUé' diz que o rio até á ponta da. — No mesmo dia 2o de Outubro seguio-se a derrota do Rio Turvo abaixo . ha entre elles canaes para passagem das embarcações. zentas braças abaixo da fòz do Corumbá existe huma ilha que terá hum quarto de legoa de comprimento. afim de sondar os canaes entre rochedos pfcra ter franca sahida. O Commandante mal informado chama Rio dos Bois a continuação das aguas abaixo do Rio Turvo. O Commandante passou o. 1 gã N. Na boca do Rio Verde existe huma Ilha pouco acima da entrada . dia nesta ilha ou Delta . DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. O Rio Corumbá he muito mais largo do que o Turvo . O Rio Verde entra na margem direita do Turvo. assim como o Bois entra na sua margem esquerda. o fundo he todo lageado.ilha faz seus lageados . A distancia estimada he de 12 legoas. de largura. e t3o cheio de rochedos unidos e altos até a flor da agua que he possivel atravessar por cima delles de huma a butra margem : não obstante estes rochedos estarem quasi unidos. Dia 2o. e menos. falquejando a machado huma arvore de Olco em duas faces. Tre-. e este no Corumbá. como offi- cialmente me informou o Tenente Coronel Manoel Seixo de Brito Commandante Geral dos Districtos de Anicuns e Turvo- na dia 7 de Dezembro de 1824. que fica a 1'Este. Logo mostrarei as diversas opiniões que vogão acerca deste Rio e o Parana- hiba em ponto de. junto ao qual se levantou o arraial do mesmo nome no dia 1. que he larga e tem barra que não obsta a navegar-se.. Diz este Official que o Corrego de Anicuns . B.volume de suas aguas. que dista meia legoa do arraial: que o Bois vai entrar no Rio Turvo . O Commandante levantou outro signal na foz do Rio Verde.° de Março de 18o9. devendo- dar-lhe este ultimo nome por ser mais volumoso. e no lugar de sua confluencia. . entra no Ribeirão dos Bois.

Tres legoas abai xo da fóz do Ric Corumbá. E. Mão he de admirar que hum homem falto de instrucção cuidadosa . Paulo.só por ser este o dia do Apostolo deste nome . O Commandante tomou como Rio Parnahiba (o Paranahiba ) aquelle que agora sc snppõe ser o Rio Tejuco : eu digo — agora se suppoem . Luiz Gonzaga de Camargo Fleury. e deve ser de subida dificul tosa. Paulo. — Continuou-se a derrota pelo Rio Corumbá. e no dia 28 encontrou-sc huma cachoeira de salto . — porque nada se acha rectificado por pessoas babeis. que sucompanhão este Itinerario : portanto o ri» . Simno. Este espaço terá oito legoas. tendo só o fito em ouro. sem guia e rotei ros que o dirigissem. S. Na ponta debaixo da ilha fal- quejárão buma arvoro de Almeccga: huma faco falquejada ficou em sentido do rio que se desceu . ou S. confundisse huns com outros rios. a que o Commandante pôz o nome de S. mas sempre navegavel. cujos nomes unicamente conhecia por serem atravessados em dis tancias immensas das snas fozes nas estradas para o Rio de Janeiro. como melhor se verá dos meus Mappas. Dia 26. entra pela margem esquerda o rio . e mais de 7o ao N. do Arraial de Santa Cruz. ITINERARIO e ofioreco huma vista que intimida. e eu tenho o original . do ponto assignalado pelo Commandante . O terreno lem grande declive para o Sul desde a fóz do Rio Verde . e cinco acima da Cachoeira de SL Simão . que me foi dado pelo Sr. mas em razão do salto da cachoeira. e por isso corre com muita velocidade. a que o Com . O. e a outra na da con tinuação que se ha de navegar. — O Commandante enganou-se tanto no texto do seu Diario o11 Jornal de na vegação. a que o Com mandante dá o nome de — Parnahiba. e em che gar a S. como na Carta da viagem que apresentou ao Go verno. não. Eu tenho as melhores informações acerca da confluencia do Rio Paranahiba com o Corumbá : ella fica 2o legoas ao S.

Foi neste lugar que descobrirão os primeiros vestigios de existen cia de Indios. está lançado hum unico Uberava. a tem margens ou barrancos altos de ambos os lados. Todos estes erros não repugnao ao facto essencial de se haver reconhecido a possibilidade de communicações fluyiaes entre Goiaz e S. quando desceu o rio. e suppuzerão que foi obra dos malfadados exploradores que os havião pre cedido na primeira viagem de descobertas. ignorando talvez que os liberavas tem as suas fozes cm lugares muito ao Oriente daquelle. O Commandante perdeu tres canoas na Cachoeira de S. no Mappa da via? gem. e deu. e na legoa. Simão.o seu roteiro dá o home de Parnahiba . sem conhecer quaes ellas erão. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. quando andão nas suas pesca . e em abrir hum varadouro de 2oo braças de comprido na margem esquer da do Rio Corumbá. Na Cachoeira de. posto que o mesmo Comman- dante não faça menção no dito Diario do Rio liberava .lhes os nomes des rios que se passão sobre a estrada de S. posio que apertado . c no fim desta distancia alarga muito. Simão. não pôde ser outro senão o Tejuco. os quaes tem a forma de degráos. foi marcando as aguas que descobrio. Estes pare dões Vem legoa e meia de extensão: na primeira meia legoa. em que. seguinte vai brando. O rio abaixo da cachoeira corre entre dous paredões de rocha de 5o ou mais palmos de altura. demorou-se junto a ella por espaço de hum mez empregado em construir novas canoas. que no mencionado Mappa appareee entre a foz do Corumbá* e a Cachoeira de S. Paulo entre o Rio Grande e o Rio das Ve lhas .S. 1 37 mandante r. por se achar lançado no Mappa da viagem abaixo da cachoeira . Paulo. por onde se desce do cima até á borda da agua. por encontrarem algumas choupanas cm que s« abrigao na estação sêcea . Simão encontrá- rão varias arvores golpeadas a machado. De tantas irregularidades cu de vo concluir que o Commandante. O rio corre furiosamente.

sem encontrar habitação humana em hum territorio que estivera povoado pela numerosa Nação Ca- yapó. • N. B. e corren do a agua pelo leito "ordinario do rio com grande violencia por entre pedras. e dá passagem por fóra do canal. quando se compara com o massacre geral dos In dios Cayapós pelos devastadores Godois e Buenos. e por isso não se pôde conhecer se elle atravessou o va radouro. Simão . He provavel que pas sasse por fôra. Esta cachoeira . forma-se de quatro ilhas: as tres primeiras se- guem-se humas ás outras. e dahi a 1o legoas chegarão a outra cachoeira. se tivesse atraves sado a parte meridional da Provincia de Goiaz? A mortan^ dade feita pelos Hespanhóes nas Ilhas de-Haity e Cuba . nos Sertões de Goiaz ! Dia 27. no Mexico e Peru nada foi . Por espaço de huma legoa a cachoeira he navegavel. Entre as Cachoeiras de S. Que tristes reflexões não resultão desta noti cia dada pelo Commandante ! Elle atravessou hum deserto de 1o8 legoas e '/. Simão . e na outra meia legoa o rio espraia-se na estação das chuvas. e caçadas. por ser a festa do Santo Apostolo ve nerado nesse dia. O roteiro do Commandante he confuso neste lu gar. ou se continuou a viagem por algum canal formado pela cheia do rio ao lado das ilhas. Que diria o celebre Bispo Las Casas. Em tempo sêcco. que he de legoa e meia de extensão.lo8 ITINERARIO rias. e de Santo André en . largou a esquadrilha rio abaixo . destruida pelos bandjiriantes João de Godoy. Paulistas. a que dérão o nome de Santo André . e neste caso faz-se necessario varar as canôas por espaço de 2oo braças. e a quarta fica mais distante. guardadas as proporções da po pulação. no meado do seculo XVIII. he impraticavel a descida de embarca ções. — Concluidas as canôas na parte inferior da cachoeira de S. e Anto nio Pires de Campos Bueno .

Esta e outras contradicções e incoherencias fazem presumir . e por isso as pessoas . como o mappa. deverião ser reputa dos apocryphos. Nesta con fluencia o tronco formado pelos dous rios toma o nome de Paraná. como se poderá afiançar a inculcada exactidão de outras iguaes peças escritas por antigos bandeiriantes . que sendo o Corumbá braço do Paranahiba . as do Corumbá. se com effeito se não soubesse. Paulo. que não tinhão conhecimentos geo- graphicos superiores* aos do chefe da interessante expedição . O mappa da viagem mos tra só dous rios na direita. e hum na esquerda. I trão quatro rios na margem direita do Corumbá . que a expe dição sahio de Goiaz . e o Cururuhy. O Commandante diz que o volume das aguas deste rio he*menor do que . e hum á esquerda. começando logo desde o Rio dos Bois. devia o tronco principal entrar no Rio Grande com o nome de Paranahiba. e então tomar o de Paraná : agora porém está reconhecido que o Rio Corumbá he muito mais abundante do que o Paranahiba. e então encontrárão na margem esquerda a foz do Rio Grande da Comarca do Rio das Mortes da Provincia de Minas Geraes. de que agora se trata? Da Cachoeira de Santo André forão rio abaixo por espaço de 6 legoas. que o rio chamado Paranahiba tinha maior quantidade de aguas do que o Co rumbá. a saber: o dos Dourados. e tanto o Diario. e que pelos rios chegou a S. Na margem esquerda apresenta só o Rio Tejuco acima da Cachoeira de Santo André . DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. Se hum roteiro dos Sertões do Brazil feito ha dous dias apresenta tantas irregularidades . todos navegaveis. e por isso dizião. que o map pa da viagem foi organisado com absoluto esquecimento do que se disse no Diario . he por entenderem os antigos exploradores. e o do Perdicão: mais abaixo da cachoeira mostra o Apary . O motivo de se dar este nome ao todo do rio. e portanto faltão dous rios navegaveis á direita .

' Desta ilha seguirão o rio abaixo. os quaes fal- lavão portuguez. que a viagem de G legoas agua abaixo fosse feita em hum dia . Pouco depois ouvirão cantar gallos e latir cães. He provavel . e mandioca. Os Indios estavão absolutamente nús á excep ção de hum que se achava vestido de branco. encontrárão huma canôa perto da al dêa. da banda do Cuyabá ou Camapnan. arranchou-se em huma ilha fronteira. e avistarão pela terra dentro matos roçados. mas não poderão conhecer a que nação pertencião aquelles Indigenas. falquejando a face que Cg» para o lado da descida da corrente : os Jatubás encontrados naquellc ponto crão tres. e para se livrar de alguma surpreza .° de Dezembro em descer a cachoeira. e no fim de tres legoas de . e portanto de- morárão-se desde o 1. cujas casas erão cobertas de palha . e desta fóz para baixo conservão justamen te o nome de Paraná . e conyidárão a gente da expedição a ir á sua aldêa. e no fim de sete legoas de viagem encontrarão o alojamento de varios Indios na terra firme da margem direita do rio. por ser o rio limpo. habita gentio bravo á borda do rio: descobrirão huma Aldêa. semelhante ás de Goiaz . > . e obser- várão fumaças pela terra dentro . Os Indios da aldêa não quizerão apparecer.2oo ITINERARIO instruídas corrigem os antigoi mappas . Nesta confluencia ba outro Delta composto de tres ilhas extensas : na segunda del ias. O Commandante não se arriscou a aceitar o convite. O Commandante assignalou a machado hum Jatubá ( ar vore ) no angulo da confluencia dos dous rios. como d'antes praticavão. Da foz do Rio Grande seguirão o Paraná abaixo . O Comman dante não declara em que dia largou da Cachoeira de Santo André. e de perfeita construcção . A foz do Rio Grande foi encontrada no dia 2 de Dezembro. tinhão plantações que parecião de arroz . aberta a ferro. e denominão Corum bá a todo o rio que vai confluir com o Grande da Província de Minas Geraes. milho.

e encontrou huma canoa de Indios mansos os quaes por não serem entendidos. 2o1 navegação encontrárao a Cachoeira do Urubú-pungá. IV. e então encontrárão a foz do Rio Tiété. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. O Comman dante tomando as necessarias cautelas . Thesoureiro Mór da Cathedral de S. e forão encon- trar-se com as da expedição. que o Capitão estava na aldêa por onde os na vegantes havião passado. de quem soube que huma canoa tinha a bordo o Capitão . B. e foi arranchar em huma praia que lhe pareceu livre de insulto : todavia pela noticia que os Indios dérao na aldêa acerca dos viajantes . O Chefe da expedição teve susto de ser atacado pelos Indios no caso do Capitão ser infor mado de haver descido para baixo do Tiété . e o segundo em contar meia legoa desta cachoeira até a foz do Rio Tiété. quando realmente ha tres legoas ou pouco menos segundo informou o Doutor João Fer reira. que movido pela curiosidade philosophica no anno de 181o foi observar a cachoeira do Urubú-pungá onde se encontrou com os ín dios Cayapós que se achavão empregados na pescaria que ali he mui abundante como sempre acontece nos pégos em que se precipitão aguas volumosas. que tem grande salto : varárão as canoas pela margem esquerda a fim de estarem fóra do alcance dos Indios . O Commandante no roteiro commetteu dous er ros a respeito da cachoeira. que tinhão fo - gos na margem direita junto ao salto. e por isso fez força de remo . fallou aos Indios. dando altas vozes em lingoa portugueza para se saber que. descêrão imme- diatamente dali duas canoas pelo Rio Paraná. Varadas as canoas descêrão o Paraná por espaço de meia legoa. ião em paz. chamando-lhe Urúpungá em vez de Urubú-pungá. continuou a descer o Paraná. O Commandante da expedição não conhecendo a boca do Rio Tiété por ficar encoberta por huma ilha . Paulo. fizerão perceber por sinaes.

mostra que o estado de civilisação he apreciado mesmo entre os selvagens. e a navegação deste até ao Corumbá. e a outra o Capitão Manoel : este havia sido criado na Aldêa de S. Este salto de 44 palmos de altura fica tres legoas pouco mais ou menos acima da foz do Rio Tiété . che- gárão á Freguezia da Persicava no dia 25 de Março de 1817. segundo o roteiro do Doutor Francisco José de Lacerda . informou-o de se achar já abaixo da sua foz .2o2 ITINERARIO Antonio. e por isso começou a faltar a pesca e caça. hum dos Astronomos das de marcações dos limites das possessões Portuguezas e Hes- panholas da America Meridional. passou o Commandante a desempenhar a segunda parte da sua commissão . José. O Ca pitão Antonio conhecendo que o Commandante pretendia entrar pelo Rio Tiété . José de Goiaz . e a sentir-se tão grande fome que della morrerão quatro remadores . pelo qual subirão até ao salto da Itapura aonde chegárão no dia 8 de Dezembro. que consistia em reconhecer o curso do Rio Mogi-guassú ou Mogy-uassú . Carlos de Campinas da Provincia de S. e restabelecendo-se nesse lugar. seguio por terra para o Rio Mogi-guassú. e o segundo Commandante adoeceu de maneira tal. O Commandante com as pessoas que sobreviverão. Esta operação foi desgraçadissima : o Tiété levava muita agua : os campos achavão-se inundados . e fugindo desse lugar foi recebido como Capitão da Aldeã do Urubú-pungá. que foi morrer de hydropisia na Villa de S. O comportamento do Ca pitão Indio criado na Aldêa de S. e offereceu-se a acompanha-lo até a emboca dura o que com effeito fizerão pondo as prôas rio acima para ganharem o Tiété. e embarcando em hujna canôa na Villa de Mogi . Paulo. Reconhecidos os rios e a navegação desde Goiaz até á foz do Rio Tiété. Para o fim que se propunha deliberou-se a subir o Tiété (bem conhecido) até a Freguezia da Persi- cava.

Esta viagem de que não existe roteiro . Paulo. Bartholomeu no Rio Mogi-guassú. Concluida a descoberta regressou o Commandante pelo Rio Mogi á Arara- quara donde marchou para S. desceu o rio acompanhado dos antigos remadores por espaço de doze dias até a foz do Corumbá no Rio Grande . como para indagar de hum tão vasto- terreno absolutamente deserto. donde continua a correr para O Sul com o nome de Paraná. e a confluencia deste com o Corumbá em 3o legoas . e as cachoeiras de Santo Estevão. que fora o primeiro promotor destas descober tas sendo Governador e Capitão General de Goiaz. A ca choeira da Palma he de varadouro de 1oo braças. todas ellas faceis de atravessar. O Commandante calculou a distancia entre a foz do Mogi- guassú no Rb Grande. não teve muito menor mereci mento a que no anno de 1824 fez Antonio José Leite pelos Rios dos Bois e Turvo até ao Corumbá . Grande até ao Corumbá. 2o3 mirim . c além destas encontrou as de Piracinunga e S. . Conde do Palma. Esta viagem de descoberta foi muito interessante não só- para se conhecer pela primeira vez o curso dos Rios Mogi &. Paulo. Se a viagem de descoberta de João Caetano da Silva foi interessante á Geographia. Mathias no Rio Grande . Governador c Capitão General de S. Assim se resolveu o proble ma da terminação do Rio Mogi . pouco mais ou menos . Desta opinião era o sabio Geographico Pa dre Ayres do Cazal na nota 35 do i° tomo da sua Coro- graphia Brazilica . tira. e no meio deste espaço encontrou huma ca choeira de salto a que deu o nome de — Palma — em obse quio aoExm. e huma corredeira. O Commandante pôz- aquelles nomes ás cachoeiras. 1)o RIO DE JANEIBO AO PARÁ. pagina sn. Santo Antonio e S. e seguindo por elle acima até ao Registo da Aldêa de Santa Anna do Rio das Velhas. por supporem huns que entrava no Rio Grande. e outros no Paraná junto á cachoeira do Urubú-pungá.

2o4 ITINERARIO toda a duvida acerca do Rio Paranahiba. Estas noticias forão confirmadas pelos Indios ha bitantes das aldêas de S. e construio outra em que foi até á sobredita foz do Rio das Velhas sem encontrar obstaculo algum. Neste lugar achou varios Indios Cayapós que lhe dissérão que a foz do Rio Corumbá alias o Paranahiba ficava dali a duas legoas rio acima. póde-se avaliar em 3o legoas a distancia desde o Registo até a foz do Rio no Co rumbá. No Co rumbá encontrou huma grande cachoeira de salto e tão ele vada que preferio o abandono da canoa. o Paranahiba. e as mesmas aldêas como fica escripto neste Itinerario. Isto he questão de nome. Nao consta a distancia estimada por este navegante entre a confluencia do Rio Turvo e o Rio das Velhas . mas seguio para o porto do Registo da Aldêa de Santa Anna do Rio dbs Velhas aonde chegou no fim de seis dias de viagem. Domingos . Rio das Pedras e Estiva. e o que importa he saber o que se descobrio durante esta expedição. a vara-la . no mez de Março de 1826 em que eu atravessei o Co rumbá. nem a verdadeira extensão do ultimo desde a sua foz até ao Porto Real do Registo da Aldêa de Santa Anna . O navegante por falta de curiosidade ou por outro qualquer motivo . navegando sem pre em rio limpo e profundo. Varios sertanejos que ultimamente penetrárão as terras sitas entre o Paranahiba e o Rio Grande até ao extremo . Antonio José Leite desceu em huma canoa o Rio dos Bois e o Turvo até á foz do Corumbá a que chama Paranahiba. e subio por elle acima até á foz do Rio das Velhas. mas calculando em cinco legoas de navegação diaria no Rio das Velhas contra a corrente . devendo obser- var-se que este descobridor segundo a antiga opinião chama Paranahiba ao tronco a que cumpria dar o nome de Corum bá por ser este rio mais extenso e volumoso do que o pri meiro. não foi reconhecer a confluencia dos dous rios .

Carlos de Campinas ao longo do Rio Mogi ou descendo por este mesmo até a sua foz no Rio Grande . Os mesmos sertanejos tem dado a estes desertos o no me de Novas Descobertas do Paranahiba . Da Villa da Franca tambem se pôde abrir huma estrada direita á foz do Rio das Velhas . 50. fazendo-se algumas estivas . Os bandeiriantes de Matto-Grosso e Goiaz descerão . e outros cha- mão-lhe Sertões da Farinha Podre. e dahi á Cidade de Goiaz. parece-me preferivel o intereurso por terra. sempre fatigante e perigosa. e assim se evitaria a passagem de varios rios de canoa . N. pelos rios seguidos por João Caetano da Silva . Paulo. 2o5 occidental . Roteiro da Cidade de Goiaz até & do Para pelo Rio Araguaia. donde se deverá ir pelas campinas ao Arraial dos Anicuns. Tenho ouvido dizer que estes trabalhos são pra ticaveis . e subirão-o em diversas occasiões com os unicos fitos de captivar Indios ou fazerem descobertas de ouro. A . calculão haver 6o a 8o legoas de extensão do N-JB ao S-O. e daqui á Cidade de Goiaz pelo Arraial dos Anicuns. As vantagens das descobertas da navegação fluvial entre a Cidade de Goiaz e S. mas naquelles casos será indispensavel construir boas barcas no Rio Grande e no Corumbá. O Rio Araguaia ou Araraguá foi descoberto por ordem de Bernardo Pereira de Berredo . Em quanto elles estiverem desertos. e cortando daqui para o Rio Corumbá abaixo da confluencia do Rio das Velhas. Governador e Capitão Gene ral dos Estados do Maranhão e Pará até aos ia° 22' de latitude austral. poderáô vir a ser mui grandes quando os sertões se acharem povoados. muito principalmente se abrirem novas estradas da Villa de S. 1)o RIO DE JANEIRO AO PARÁ.

Conhecendo-se que esta carreira deixava interesses . Tristão da Ca nha e Menezes. Do Rio do Peixe ao Porto da Piedade. e cujos apontamentos recebi do pratico Pedro José Rodrigues que mos offereceu como os mais exactos. repe- tirão-se dilTerentes expedições . e no fim de dia e meio de viagem encontra-se a Barra do Rio do Peixe. e alagadiças em tempo de chuvas . já do Rio do Peixe. que no tempo das chuvas he navegavel na distancia de meia legoa abaixo da mesma Cidade . As margens do rio em toda esta porção de terra são baixas. o que não acontece nos outros rios seus tributarios que são unica mente navegaveis no tempo das aguas. He pois do Porto do Rio Grande ou Araguaia que começa o roteiro que cu vou apresentar . • • . por ser navegavel o dito Rio Grande ou Araguaia em todas as estações do anno desde esse Porto até ao Pará. As margens do Rio Grande não são sempre baixas: tem mattas . pouco distante do Arraial de Santa Rita . estava reservada ao Governador e Capitão General. Roteiro. já finalmente do Porto do Rio Grande estabelecido pelo General Fernando Delgado Freire de Castilho a 5 legoas distante do Arraial de Santa Rita . chegou ao Pará depois de soffrer grandes trabalhos. meio dia de viagem. já do de Thesouras. já do Rio Vermelho da Cidade de Goiaz. e regressou pela mesma via a Goiaz no fim de tres annos de ausencia lamentada. * Larga-se do Porto do Rio Grande . ' . e então causadores de immensas enfermidades. já do de Crixas. o qual no anno de 1791 encarregou a pri meira expedição commercial ao Capitão Thomaz de Souza Villa Real. . e o mesmo rio tem diversas ilhas pelo meio. que embarcando no Rio do Peixe. .2o6 ITINERARIO gloria da navegação deste rio com vistas decommercio.

Do principio do Furo vai-se á Tapera ou aldêa extincta do Bananal ou Angeja em tres dias de viagem. Çarajahys. Ainda restão vestigios do estabelecimento. perdendo-se a despeza de 4:582$ 196 réis. Meio dia de viagem antes de . no anno de 1774» Por determinação do Governador e Capitão General José d'Almeida e Vascon- cellos que ao depois foi Barão de Mossamedes. O Governador desejava faze-la Cabeça ou Capital da Ilha de Santa Anna a que deu o nome de Nova Beira . e 2o de largura . que ficárão no costume de visitarem o lugar onde existio a Aldêa do Bananal ou Angeja fundada pelo Ouvidor Antonio José Cabral d'Almeida. A Aldêa de Angeja ou do Banaual foi ao depois de alguns annos miseravelmente abandonada . que nella habitavão. e outros que habitão sobre as margens do Braço de Oeste ou Mãi do Rio . e ba nha o lado oriental da grande Ilha de Santa Anna a que os Indios dão o nome de Itaperapeva e outros. Do Porto da Piedade ao principio do Furo do Bananal. Chamao a esta porção do Rio — Braço Menor — e ao grosso das aguas que correm pelo occidente.° 6. Os navegantes preferem a descida do Araguaia pelo Furo do Bananal ou Braço Menor . e Visconde da Lapa . a qual tem 6o legoas de comprimento. o que não he verdade.°. e cm alguns lugares ha campos de pastagens. posto que outras pessoas affirmem ter mais de cem legoas. o qual pretendeu povoar a sobredita Ilha. Este furo he a abertura do terreno pela -qual passa menos de metade da agua do Rio Grande ou Araguaia. por ser mais abundante de pesca e caça. dia e meio. e fica 5 horas de viagem ao Sul da foz do Rio Crixá-uassú. e tambem por- . 2O7 geraes ou virgens muito cerradas . Este Registo da Piedade he o de que tratei no Itinerario N. e deu nomes de terras portuguezas ás aldeãs dos Indios . dá-se o nome de Braço Maior ou Mãi do Rio. por desejarem evitar frequentemente o encontro dos Indios Carajás. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ.

e daqui para baixo ao Norte. A» terras novas assim como o Rio dos Pinta dos e o Soberbo. vai-se em oito dias de viagem. braços direitos do Araguaia antes do furo. As Memorias Goiannas do Reverendo Padre Luiz Antonio da Silva e Souza apontão como existente na Ilha de Santa Anna hum lago de tão grandes dimensões. encontrárão huma serra .E. . já tem alguns moradores. os quaes contão muitas fabulas acerca de hum. Da Tapera do Bananal.2o8 ITINERARIO chegar á Tapera . ao fim do furo nu ponta do Norte da Ilha do Carajá. As margens do Furo ou Braço Menor são baixas e cobertas de matas virgens até perto da sahida do mesmo furo . tem mais de meia legoa de largura. mas não diz em que lugar. . O Rio Perdido tambem se chama Rio Cha- vante. A margem esquerda he toda de campo. entra no Foro ou Braço Menor o Rio Tu- cupa. que do meio delle perde-se a terra de vista . O leito do rio no lugar da união dos dous braços que formão a ilha. e corre encostado á Serra Grande ou do Estrondo que divide as aguas do Araguaia das do Tocantins. Do principio do Furo á Tapera navega-se ao N. c nella huma estreita garganta além da qual achárão as mais deliciosas pastagens. e tem hum sangradouro por onde se communica com o Rio.animal monstruoso que ahi apparece. Daqui he necessario procurar a margem esquerda do rio para se abrigar do vento e maretas princi palmente ao meio dia em que as ondas sempre estão encapel- lada». que vem caudaloso do Sueste. soffre grandes tempestades . que nasce nas terras novas do Sertão de Amaro Leite . c tem barran cos altos. Abaixo da aldêa encontra-se o Rio Perdido . N. Curumarés ou Itaperapeva. As terras novas de que acima fallo forão descobertas ha muito poucos annos por varios moradores do Pilar . Santa Anna. e muitos animaes vacuns ecavallares que estavão alçados. que indo procurar pastos para o seu gado . B. e no interior da Ilha apparecem morros elevados.

deixando apenas francos alguns estreitos canaes: a melhor carreira he perto da mar gem direita do rio. meteu-se em huma pequena canoa abraçada com dous filhos . Ita-hy-pavas ou Bancos de pedra solta que atravessão o Rio . e escapou mila grosamente pelo Araguaia. . . c o filho he o Tenente Pacifico Antonio Xcvicr de Barros de quem tenho tratado nestes Itinerarios debaixo dos N. tem tres canaes. Contarão-me que nesta melancolica occa- sião em que muitos forão assassinados. que se devem sondar com anticipação para atravessar aquelle quc levar mais agua. Fernando Delgado Freire de Castilho . celebre pelas desgraças epie ahi acontecerão. goG Da ponta do Norte da ilha á cachoeira de Santa Maria vai-se em tres dias de viagem. só appareceu a se nhora do Tenento Barros como a mais intrepida heroina. o qual foi assaltado repentinamente . e todos perderão o animo. DO RIO DE JANEIRO AO PARÁ. vendo morrer huns dentro da agua. O marido desta heroica senhora he actualmente Major reformado. pôz a canoa a direito . e de todo destruido no anno de 18i3 pelos Indios Carajás c Carajahys. e outros lugares. sendo Commandante delle o Tenente de Inianteria Francisco Xavier de Barros. e terna esposa. salvou seu marido pelos cabe los. carinhosa mãi.°* 6. perdeu huma filha. e outros sobre a terra. e a esperança de se salvarem. soçobrou nos ramos de huma arvore coberta de agua . e acha-se por mim encar regado do commando do Begisto de Santa Anna do Rio das Velhas . O sitio em que esteve o Pre sidio de Santa Maria e toda a margem do rio por esse lado he campo raso. 7. A cachoeira de Santa Maria . Esta illustre Goianna debaixo de hum diluvio de flexas . e ahi está o lugar em que existio o Presidio de Santa Maria mandado fundar pelo Go vernador c Capitão General. Antes de chegar a esta ca choeira encontrão-se duas Intaipabas. Logo que se desce a cachoeira pucha-sc para a margem direita do rio .

SJO ITINEIURIO Da Cachoeira de Santa Maria á primeira Intaipaba do Carajá . sem estar habitada pelos Porti. Na Carreira Comprida he necessario descarregar as embarcações e desce-las á sirga . O rio tem muitas pedras soltas na proximidade da aldêa. vai-se em hum dia de viagem. Da Aldêa do Capitão Francisco vai-se á Aldêa de Carajás do Capitão José Maria em dia e meio de viagem. Teve o nome portuguez de Semancelhe. e defronte della está a segunda Intaipaba. passa-se por aquelle que tem maior fundo. ainda que não he efiristão. Os canaes ahi são rasos. O Cacique ou Capitão desta aldêa tem o nome— Francisco— . Esta aldêa acha-se collocada na margem direita do rio.guezes. que aqui tem ribanceiras altas . sem comtudo haver estado povoada por Portuguczes. Os Indios Carajás. As terras são cobertas de matas. As ri banceiras do rio são altas neste lugar . Os navegantes dê- rão-lhe este nome. e abaixo da aldêa tem outra Intaipava muito rasa c secca . Da primeira aldêa do Carajá vai-se á segunda em meio dia de viagem. Esta aldêa foi denominada Almeida. e . conforme o estado das aguas . Da primeira Intaipaba do Carajá vai-se á primeira Aldêa do Carajá ou do Bento em meio dia de viagem. Da Aldêa do Capitão José Maria vai-se á Carreira Com prida em dous dias de viagem : todo o rio entre a Aldêa e a Carreira he de bom fundo. c a aldêa he conhecida pela denominação do — Capitão Francisco —. A margem esquerda do rio neste lugar he alagadiça. e algumas ve zes apparecêrno no Rcgifto da Piedade sobre o Araguaia pedindo ferramentas c vestuario. com caual na mar gem esquerda. a qual foi denominada Lapa. moradores da aldêa eslao ora em paz ora em guerra com os habitantes da Provincia : todavia durante o periodo da minha commandan- cia em Coiaz. nunca comettèrão hostilidades.

cobras. em cuja campanhia os taes abridores provavel mente subirão o Fiio Araguaia. hum gallo . e por escrito. Abaixo da Carreira Comprida o leito do rio principia a estreitar até ao lugar dos Martirios. . havendo bom pratico. podem ajuntar-se á cidade de Eldorado do Parimá. 1H> RIO DE JANEIRO AO PARÁ. etc. Da parte inferior da Carreira Comprida ao lugar do». além-de outras informa ções verbaes. e as ribanceiras são