Está en la página 1de 18

Prof.

Yaloê Ohanna Pereira
Direito
Curso de Engenharia Civil

AULA – PERÍCIAS E AVALIAÇÕES
O tema abordado nesta aula é sobre a área profissional voltada para a Engenharia de Avaliações e
Perícias, é muito comum esse campo de atuação ser confundido com o do perito judicial apenas, sendo que este é apenas
uma dentre muitas áreas de atuação do profissional. Vamos então ver alguns tipos de trabalhos específicos desta
especialidade profissional.

1. CAMPOS DE ATUAÇÃO:
1.1. AVALIAÇÕES EMPRESARIAIS:
Todas as empresas que passam por processos de incorporação, fusão ou cisão necessitam de uma avaliação de
seu ativo imobilizado, a fim de apurar os valores reais, independente dos valores contábeis destas empresas. Ou então
quando necessita de um aumento de capital, que poderá optar pela reavaliação do ativo imobilizado, a fim de corrigir os
valores reais nos registros contábeis da empresa. Da mesma forma, se uma empresa for contratar um seguro de seus bens
patrimoniais é fundamental a adoção de uma correta avaliação.

1.2. CONSULTORIA IMOBILIÁRIA:
Hoje, é uma das maiores áreas de atuação, havendo uma gama enorme de produtos e serviços a serem
oferecidos, principalmente com a conscientização da população da importância de um parecer independente, emitido por
profissional.
Ocorre nos casos de compra, venda e alugueis, principalmente em negociações empresariais onde a avaliação
garante a idoneidade dos valores envolvidos. Utiliza-se também com freqüência o parecer de um profissional especialista
em avaliações e pericias no caso de permutas, onde os valores podem ser definidos através de laudo fundamentado.
Alem destes, quando uma empresa inicia um processo de incorporação é imprescindível fazer o memorial de
incorporação, bem como as analises de viabilidade, no sentido de comprovar a oportunidade do empreendimento.

1.3. TRIBUTAÇÃO MUNICIPAL E PRIVATIZAÇÃO:
A tributação municipal, onde o IPTU – imposto predial e territorial urbano e o ITBI – imposto sobre transmissão de
bens imóveis possuem sua base de cálculo no valor da propriedade e as prefeituras tem procurado desenvolver trabalhos
onde participam não só profissionais pertencentes ao seu quadro, como também consultorias externas, na elaboração de
plantas genéricas de valores, que geram as pautas de cobranças destes impostos.
Bem como nos processos de privatização, que é quando o estado transfere a propriedade de seus bens ou
empresas a particulares, torna-se necessária a intervenção de profissionais, objetivando a determinação do exato valor
patrimonial dos bens a serem privatizados.

1.4. ASSESSORIAS PERICIAIS:
Advêm das solicitações de profissionais pelo poder judiciário, onde existem diversas ações em que são
necessários pareceres técnicos para instruir o julgamento processual.
São ações onde a questão do valor venal é relevante, como a nas Ações de Desapropriações e de Indenizações.
Ou na Renovatória ou Revisionais de aluguel, onde o que se debate é o valor locatício. Ou então questão de terra seja
para levantamento de divisas ou caracterização da situação existente, nas ações de reivindicatórias, demarcatórias, de
usucapião ou servidão de passagem. Existem ainda as Medidas Cautelares, em que são exigidas a vistoria de imóveis para
resguardar e registrar o estado em que se encontram. Esses são alguns exemplos, do campo de atuação do profissional,
dada a grande ocorrência de solicitação e pela importância do parecer quando da decisão judicial.

2. FORÇAS ATUANTES NO MERCADO:

Email: yaloe@fait.edu.com.br

através das motivações das atividades humanas. medidas de segurança nacional.1. • Outros fatores emergentes dos ideais e instintos sociais do homem. prioridades. • Atitudes relativas às atividades educacionais e sociais. 2.br . qualidades. • Regulamentações policiais e de incêndio.Prof. as escolas. mas apenas o interpreta. Natureza econômica: • Recursos naturais: suas quantidades. e controles de credito. Essas forças criam mantem. o preço e o valor. Ideais e normas sociais: • Crescimento e declínio populacional. 2.3. incluindo todas as formas de tributação. 3. • Fertilidade do solo. taxa de juros e carga tributaria. • Fatores comunitários. • Características do solo e do subsolo. • Alterações na densidade populacional.edu. • Avanços tecnológicos que afetam o uso da terra.2. 2. os parques e as áreas de lazer. permissões para usos especiais. • Programas monetários que afetam a liberdade de uso dos imóveis. • Códigos de edificação. as igrejas. • Controles de alugueis. • Programas oficiais de habitação e empréstimos hipotecários. Yaloê Ohanna Pereira Direito Curso de Engenharia Civil É fundamental que o profissional que atue nesta área tenha sempre a noção exata de sua condição de analista do mercado. • Recursos minerais. NORMATIZAÇÃO TÉCNICA: Email: yaloe@fait. Regras governamentais: • Leis de uso e ocupação do solo. • Atitudes relativas ao projeto arquitetônico e sua utilidade. são elas que estabelecem o modelo das variáveis que afetam o custo. • Controle das enchentes e da conservação do solo. localização e taxas de esgotamento. são elas: 2. • Todos os demais fatores que tem efeito direto ou indireto sobre o poder aquisitivo. como transporte. • Modificações nos tamanhos das famílias.4. • Níveis de preço. demarcações. • Tendências comerciais e industriais. Físicas e naturais: • Clima e topografia. • Distribuições geográficas de grupos compatíveis. ou destrói o valor de mercado de um bem imóvel. modificam. pois não é ele que fixa os valores. através das modificações provocadas pelas forças que atuam no mercado. • Tendências de empregos e níveis salariais. • Disponibilidade de dinheiro e crédito.com.

é fundamental citar. E uma finalidade especifica. tipo de solo. Descrição do objeto: é o momento em que se faz a apresentação do objeto do trabalho. É importante também fazer o detalhamento de benfeitorias com relação ao padrão construtivo e tipo de utilização. além disso. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO: Email: yaloe@fait. No caso de caracterização de terrenos. área total. No caso de pericia judicial. O TRABALHO AVALIATÓRIO: O trabalho avaliatório. 4. etc. Tipo de Ação. Laudo de Vistoria.br . bem como fixando as condições a serem observadas e as diretrizes para apresentação de laudo de avaliação. 6. 4. como a determinação de valor de aluguel para fins de renovação do aluguel de um imóvel em determinado endereço. etc. além de especificar detalhes relativos às vistorias e condições especiais com relação ao calculo do fundo de comercio. documentos. lembrando que poderá ser lido por leigos. individualização de cômodos. sendo o tipo identificado de acordo com a sua característica física construtiva. Parecer Técnico. Objetivo: é a destinação especifica para o que foi contratado o trabalho. por exemplo. Interessados: é a pessoa que contratou o serviço. 4. instituindo as notações e terminologias em trabalhos avaliatórios aplicáveis. deverá ser desenvolvido em conformidade com alguns tópicos imprescindíveis.4. ocupação circunvizinha. determinação do valor venal de um imóvel ou arbitramento de uma indenização. 4. • Norma Brasileira para avaliação de Imóveis Rurais – NB-613/81 – NBR-8799: contém os mesmos princípios relacionados na norma anterior e os conceitos relativos à classificação e benfeitorias rurais.3. deverão conter sua frente. Equipamentos. conjugada com uma diretriz detalhada relativa aos níveis de precisão. • Norma Brasileira para avaliação de imóveis urbanos – NB-502/77 – NBR-5676: onde se encontra conceitos classificando a natureza dos imóveis urbanos. que poderá ser pessoa física ou jurídica e deverá ser identificada com nome. que deverá sempre estar vinculado à finalidade a que se destina o trabalho desenvolvido. estabelecendo o desenvolvimento dos processos avaliatórios. comprovada através de pesquisa especifica. Laudo de Arbitramento. endereço.Prof. onde se individualiza a finalidade do trabalho..com. desde que disponíveis elementos relativos à documentação jurídica de imóveis. deve indicar a finalidade genérica que procura explicar para o que foi contratado o serviço. então com linguagem apropriada. Vara. etc. deverá ser colocado o Juiz. onde deve ser descrito detalhadamente. • Norma Brasileira para avaliação de Maquinas.2. cujo texto normativo encampa os níveis de precisão adotados e detalhes gerais do processo avaliatório. melhoramentos públicos existentes. de modo objetivo e claro. representante legal. • Norma Brasileira para avaliação de Unidades Padronizadas – NB-900/84 – NBR-8976: esta norma define como sendo os imóveis de ocorrência usual no mercado imobiliário. fixando os níveis de precisão em função da quantidade.766 e contém conceitos mais específicos no que se refere ao tratamento matemático-estatistico e financeiro. sua idade aparente. Nome do Requerido e do Requerente. por exemplo: Laudo de Avaliação. áreas construídas. etc.edu. topografia. dividindo-se em terrenos e benfeitorias. Yaloê Ohanna Pereira Direito Curso de Engenharia Civil A normatização técnica na área da Engenharia de avaliações é dada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT. sua posição na quadra. confiabilidade e tratamento dos elementos pesquisados. 5. 4. zoneamento urbano. • Norma Brasileira para avaliação de Glebas Urbanizáveis – NB-899/84 – NBR-8951: nesta norma apresenta-se a classificação e critério de utilização de glebas em consonância com a lei n.1. estado de conservação. Comarca. Títulos: é importante que o trabalho tenha um titulo. Laudo Pericial. Instalações e Complexos Industriais – NB-901/84 – NBR-8977: traz a classificação de bens a avaliar. Numero do Processo. reprodutivas e não reprodutiva classificação das terras de acordo com o Manual Brasileiro para Levantamento da capacidade do uso da terra e desenvolvimento do processo avaliatório segundo a realidade fundiária da região em estudo.

valor. 7. Yaloê Ohanna Pereira Direito Curso de Engenharia Civil Os critérios de avaliação são conceitos ditados pela NB-502/89. Cálculos estatísticos: é todo o procedimento estatístico e matemático utilizado.2.2.Prof. Ao final coloca-se o loca e a data da concepção do laudo.4.br . 7. SEQUENCIA DA AVALIAÇÃO: É a etapa pratica do processo avaliatório. Plantas. Conclusão: na conclusão deve ser colocado apenas o valor final da avaliação. Homogeneização de valores: é a etapa onde se procura equalizar as diferenças existentes entre os diversos elementos pesquisados. Tratamento estatístico: após os cálculos dos valores unitários homogeneizados. para eventuais esclarecimentos ou consultas.1. registro e especialidade. Cálculo das benfeitorias: deverão integrar o trabalho pelo mesmo objetivo do item anterior. 7. 6. embora seja importante utilizar esta etapa para a citação de informações de interesse do laudo e que não estejam enquadrados nos demais itens.5.5. através da utilização de fatores de homogeneização. anexos a parte ou integrantes do próprio corpo do laudo. local. etc. com apresentação das dividas.1. onde serão escolhidos os elementos que orientará as conclusões relativas ao valor do bem avaliado. como. Fotografias: é um dos elementos mais utilizados por ser uma ilustração mais fidedigna do bem avaliado. COMPONENTES FINAIS E ANEXOS: Poderão fazer parte do laudo.3. Cálculo das benfeitorias: ocorre no caso de avaliações onde existam benfeitorias e adota-se o calculo do valor de reprodução das mesmas. 7.1. assinando num campo onde deverão conter seu nome. Anotação de Responsabilidade Técnica: deverá ser anexado as vias do trabalho a ART onde constam as características do serviço. 6. 8. indicando todas as características estudadas.edu. mapas e croquis: é importante anexar a planta do imóvel quando possível obtê-la. mapa da região com indicação do imóvel.1.1.1. • Método Comparativo do Custo de reprodução de benfeitorias.6. objetivando a determinação do valor do imóvel avaliado. 5. 6.. Metodologias: se divide em dois grupos: 5. 6. obtém o rol de dados que deverão ser submetidos ao tratamento estatístico. relativo às metodologias e níveis de rigor de uma avaliação.2. Método Direto: • Método Comparativo de dados de mercado. com uma sequencia a serem seguidas: 6. 6. Pesquisa de Valores: são os elementos pesquisados para composição da avaliação. 7. Método Indireto: • Método da Renda.3. preservando toda a memória de cálculo.com. características internas.4. área. • Método Involutivo. Pesquisa de elementos: etapa inicial. 7. 7. PERÍCIAS JUDICIAIS: Email: yaloe@fait. • Método Residual. 5.

devidamente inscritos nos órgãos de classe competente. foi publicada a Resolução n° 345 do Confea que diz: “Art. oriundos de formação acadêmica e profissional. §2°. destinada a levar ao juiz elementos relativos aos fatos que careçam de conhecimentos técnicos. livros e papéis a fim de verificar algum fato ou circunstancia ao mesmo relativa. por isso é fundamental que os fatos sejam analisados com profundidade. o juiz será assistido por perito. ou compreende cálculo abstrato sobre indenizações ou sobre o valor de alguma obrigação.” Mais adiante. através de perícia. 8.com. De acordo com o Código de processo civil. a indicação dos peritos será de livre escolha do juiz. Para efeitos desta Resolução. define-se: Email: yaloe@fait. Parágrafo único.2. Costuma-se dar a denominação de arbitramento a essa perícia. 421. 1°.br .Prof. Os peritos escolhidos entre profissionais de nível universitário. seguir os ritos previstos no código de processo civil. 420 o CPC determina que a perícia se divide em exame. o trabalho será realizado por pessoas entendidas na matéria. na concepção jurídica é um órgão auxiliar na administração da justiça. não pairando quaisquer duvidas sobre as conclusões obtidas. • Avaliação: é o exame pericial destinado a verificar o valor em dinheiro de alguma coisa ou obrigação. no art. Seção VII. segundo o disposto no art. na afirmação de um juízo. Quando a prova do fato depender de conhecimento técnico ou cientifico. §1°. respeitando o disposto no capitulo VI. cujas definições jurídicas são as seguintes: “Art. vistoria e avaliação. que é um conjunto de normas que dita o procedimento em que se dará os processos judiciais. O juiz indeferirá a pericia quando: I – a prova do fato não depender do conhecimento especial de técnico. 145. seja pela ausência de conhecimentos técnicos ou pela impossibilidade de colher os dados necessários. o perito em que necessariamente.” • Exame: é a inspeção judicial feita pelo perito sobre pessoas. em seu art.edu. Nas localidades onde não houver profissionais qualificados que não preencham os requisitos dos parágrafos anteriores. “III – a verificação for impraticável. não bastante a determinação legal dada pela Lei 5. quando a verificação ou estimativa tem por objetivo um serviço. Yaloê Ohanna Pereira Direito Curso de Engenharia Civil Sempre que o juiz não for suficientemente apto para a verificação dos fatos.194/66 que regulamenta o exercício profissional. animais. A figura do perito. Na grande maioria das ocasiões os fatos são de natureza tal que a analise da matéria exige conhecimentos técnicos ou científicos.1. podendo existir uma declaração de ciencia. vistoria e avaliação. Os peritos comprovarão sua especialidade na matéria sobre que deverão opinar. • Vistoria: é a inspeção judicial feita por perito sobre um imóvel para verificar fatos ou circunstancias ao mesmo relativas. que assessora o juiz na formação de seu convencimento. 420. II – for desnecessária em vista de outras provas produzidas. mediante certidão do órgão profissional a que estiverem inscritos. os quais veremos agora. cosas móveis. deste Código. No caso especifico da engenharia. ASPECTOS LEGAIS: Para exercer a atividade. 8. 145. diz: “Art. CONCEITO: perícia é uma prova admitida no processo. A prova pericial consiste em exame. § “3°”.

acompanharem toda a pericia e assinar o laudo do perito intimado quando da concordância da mesma ou apresentar laudo separado quando da discordância. 421. e. 134. o Juiz nomeará o perito. 422 deixa claro que estes.edu.” 8. que é a forma oficial onde ele toma conhecimento de sua nomeação para realizar a perícia. de um direito ou de um empreendimento. III – que conheceu em primeiro grau de jurisdição. vejamos: Art. II – Apresentar quesitos. juízes e advogados. por ocasião da audiência de instrução e julgamento a respeito das coisas que houverem informalmente examinado ou avaliado. c. preparar um currículo profissional e cumprir requisitos de cadastro quando for o caso. mediante exame circunstanciado e descrição minuciosa dos elementos que o constituem. no entanto essas situações são extensivas a outros auxiliares da justiça. em seu art.3. contados da intimação do despacho de nomeação do perito: I – Indicar Assistente técnico. apresentando seu ponto de vista. §1°. Quando a natureza do fato o permitir. O juiz nomeará o perito. o art. Sobre os assistentes técnicos. § “2°”. não sujeitos a impedimento ou suspeição. d. Yaloê Ohanna Pereira Direito Curso de Engenharia Civil a. “Art. profissional habilitado relata o que observou e dá as suas conclusões ou avalia o valor das coisas ou direitos fundamentadamente. b. NOMEAÇÃO DO PERITO: O trabalho do perito é como de todo profissional liberal. 422. ARBITRAMENTO é a atividade que envolve a tomada de decisão ou posição entre alternativas tecnicamente controversas ou que decorrem de aspectos subjetivos. É defeso ao juiz exercer as suas funções no processo contencioso ou voluntário: I – de que for parte.br .com. Impedimento ou suspeição: O Código de Processo civil elenca quais são as situações de impedimento e suspeição onde o juiz não pode atuar.1 Procedimentos de Nomeação: “Art. que deseja ingressar na área. Os assistentes técnicos são de confiança da parte. Incumbe às artes. fixando o prazo para entrega do laudo.” 8. VISTORIA é a constatação de um fato. “LAUDO é a peça na qual o perito.Prof. PERÍCIA é a atividade que envolve a apuração das causas que motivaram determinado evento ou da asserção de direitos.2. devendo o engenheiro que deseja ingressar na área realizar contatos pessoais visando informar aos contratantes. tendo-lhe proferido sentença ou decisão.3. devendo estes quando indicados. são facultativos e de confiança da parte. que deve ser publicado no Diário oficial ou outro jornal conveniado e o Cartório devem expedir um mandado de intimação para o profissional. 421. ou prestou depoimento como testemunha. oficiou como perito funcionou como órgão do ministério publica. sem a indagação das causas que o motivaram.” De acordo com o Código de Processo Civil.3. Email: yaloe@fait. a perícia consistirá apenas na inquirição pelo juiz do perito e dos assistentes. dentro de 05 (cinco) dias. através de um despacho no processo. independentemente de termo de compromisso. II – em que interveio como mandatário da parte. como neste caso o perito. 8. fixando de imediato o prazo para entrega do laudo. AVALIAÇÃO é a atividade que envolve a determinação técnica de valor qualitativo ou monetário de um bem. O perito cumprirá escrupulosamente o encargo que lhe foi cometido.

parte na causa. Art. nos casos previstos nos n. b) sobre a questão a que não possa responder sem desonra própria ou a de seu cônjuge. ouvindo o arguido no prazo de cinco dias. No caso do n° IV o impedimento só se verifica quando o advogado já estava exercendo o patrocínio da causa. Yaloê Ohanna Pereira Direito Curso de Engenharia Civil IV – Quando nele estiver postulando. a fim de criar o impedimento do juiz. amigo íntimo ou sem expô-los a perigo de demanda ou dano patrimonial. sendo parte. sob pena de inabilitação por dois (dois) anos e incorrer em sanção penal. consangüíneo ou afim. que não lhe permitam cumprir os prazos fixados. utilizando de todos os meios usuais. na primeira oportunidade que lhe couber falar nos autos. VI – Quando for órgão de direção ou de administração de pessoa jurídica. donatário ou empregador de alguma das partes. III – herdeiro presuntivo. em petição fundamentada e devidamente instruída.edu. Parágrafo único.com. A parte interessada deverá argüir o impedimento ou a suspeição. §1°. II – ao serventuário de justiça. ou subministrar meios para atender às despesas do litígio. de alguma das partes em linha reta ou na colateral. o juiz nomeia outro perito. vedado ao advogado pleitear no processo. O perito deve ainda comprovar a habilitação profissional. devendo trazer a verdade ao processo. porém.Prof. em linha reta ou na colateral até 3° grau. 135. parente. IV – receber dádivas antes ou depois de iniciado o processo. IV – ao interprete. Aplicam-se também os motivos de impedimento e de suspeição: I – ao órgão do ministério publico. 135. em linha reta. ou na linha colateral até segundo grau. c) sobre fatos cuja divulgação importe em violação de segredo profissional. facultando a prova quando necessária e julgando o pedido. Reputa-se fundada a suspeição. quando não for parte e. Art. III – ao perito. quando de parcialidade do juiz. Poderá ainda o juiz declarar-se suspeito por motivo intimo. Email: yaloe@fait. é. parente consangüíneo ou afim. V – Quando cônjuge. o seu cônjuge ou qualquer parente seu. quando: I – amigo intimo ou inimigo capital de qualquer das partes. II – Alguma das partes for credora ou devedora do juiz. até o terceiro grau.br . A circunstância de estar já anteriormente compromissado em outras pericias. V – interessado no julgamento da causa em favor de uma das partes. existe ainda razões relevantes para o perito não aceitar a nomeação: a) o fato de se tratar pericia relativa à matéria sobre a qual se considere inabilitado para apreciar. de seu cônjuge ou de parentes destes. o juiz mandará processar o incidente em separado e sem suspensão da causa. 138. I a IV do art. como advogado da parte. Parágrafo único. devendo o mesmo ser substituído quando carecer de conhecimento técnico ou cientifico. aconselhar alguma das partes a cerca do objeto da causa.” Além dessas causas. Em todas essas hipóteses. E tem a obrigação de cumprir o oficio.

podendo ainda instruir o trabalho com plantas.5. do tempo que será despendido. Yaloê Ohanna Pereira Direito Curso de Engenharia Civil “Art. Geralmente. 8. ouvindo testemunhas. Pode o juiz indeferir os quesitos que julgar impertinentes e ele mesmo formular os que entender necessário ao esclarecimento da causa.edu. fotografias e outras quaisquer peças. descrito no item 4. comunicar o juiz. prestar informações inverídicas responderá pelos prejuízos que causar a parte. II – formular os que entender necessários ao esclarecimento da causa. podendo inclusive solicitar reforço policial. 8. bem como instruir o laudo com plantas.4. não podendo fazer ao longo da diligencia. Quanto a formalidade. fotografias. e nas despesas que deverá arcar. 147.” No curso do trabalho. ELABORAÇÃO DO LAUDO: A elaboração de um laudo pericial assemelha-se ao de avaliações em geral. FORMULAÇÃO DOS QUESITOS: Os quesitos são perguntas que os advogados das partes.com. caso não o façam perdem a oportunidade. ou encaminhar duvidas levantadas ao longo do processo. que não são obrigatórias mas servem de referencia a honorários mínimos. Email: yaloe@fait. em função de seus conhecimentos. desenhos. ou qualquer peça que for interessante para a pericia. em especial quando envolver contratação de terceiros. os honorários do perito oficial são fixados em função do tipo de causa.Prof. deverá o profissional. devem seguir as formalidades processuais descritas no CPC. todas as petições endereçadas ao juiz. capacidade e experiência. desenhos. Compete ao juiz: I – Indeferir quesitos impertinentes. 426.br . solicitando documentos que estejam em poder de parte ou em repartição publicas. “Art.” 8. a maior diferença é a existência da parte dedicada às respostas dos quesitos formulados pelas partes. empresa. O perito que. por dolo ou culpa. HONORÁRIOS PERICIAIS: Os honorários profissionais. juízes e promotores de justiça formulam a fim de melhor elucidar os fatos. podem o perito e os assistentes técnicos utilizar-se de todos os meios necessários. ficará inabilitado por 2 (dois) anos. Normalmente. adota-se a cobrança com base nas tabelas elaboradas pelas entidades de classe. obtendo informações. mediante petição. ou repartição publica pode impedir o trabalho ao longo da pericia. Para o desempenho de sua função. solicitando uma ordem para realizar a diligencia.6. é o momento onde as partes devem indicar assistentes técnicos e formular os quesitos.” 8. o perito assistente poderão se valer de todos os meios para obtenção das informações necessárias ao desempenho da função. a funcionar em outras e incorrerá na sanção que a lei penal estabelecer. Importante ressaltar que nenhuma pessoa. onde os profissionais poderão se balizar na busca de uma remuneração justa e digna. é de característica individual. ouvindo testemunhas e solicitando documentos.7. 429. de seu valor. Caso isso ocorra. Após a nomeação do perito. objeto da pericia. do valor do bem envolvido. REALIZAÇÃO DA PERICIA: “Art.

onde apresenta fotografias. de forma direta ou através de concessionário de serviço publico. visando ordenar os fatos que antecederam a pericia. onde existam expressões que caracterizam uma posição de falsa neutralidade. Ações de Reintegração de Posse e Reivindicatória: enquadram-se. E. cujos bens não são abrangidos por essas ações. Nunciação de Obra Nova e Embargos: são ações que visam a interrupção de uma determinada obra em decorrência de risco iminente a terceiros. G. devendo a pericia definir os limites da divisa ou determinar se o imóvel não pertence ao Poder Publico.com. o perito deve apresentar as respostas aos quesitos formulados pelas partes.8. e informações cronológicas extraídas do processo. Ações de Desapropriação: são ações onde o Poder Público. os exemplos compõem apenas sugestões. planilhas orçamentárias. etc. o numero de controle. Ações de Usucapião: são ações onde o ocupante do imóvel solicita a transferência da propriedade decorrente da posse caracterizada por longo período. Ações Demarcatórias: São ações de procedimento diferenciado. Email: yaloe@fait. memórias de cálculo. ode o primeiro executa o traçado e marcação de linha demarcada. C. memórias de cálculo.edu. danos causados em um imóvel. ou que realize um trabalho de conclusão duvidosa. Yaloê Ohanna Pereira Direito Curso de Engenharia Civil Ao iniciar o laudo. envolvendo casos em que há duvidas sobre a perfeita localização de um determinado imóvel em relação a outro ou existam casos de invasões e esbulhos sobre determinado imóvel. em caso de revisionais poderá ser tanto comercial como residenciais onde o proprietário. 8. solicita de forma obrigatória a transferência de propriedade de um imóvel pertencente a um particular para o patrimônio publico. Pode-se incluir um item descrevendo os procedimentos técnicos adotados. nestes grupos encontra-se as indenizações por vícios de construção. B. o autor e o réu. D. como por exemplo quando e em que condições ocorreram as diligencias. etc. apões estudo de documentos e levantamentos no local. a vara. croquis. no grupo das ações de terra. consistindo na operação de justo valor da indenização a ser paga. por considerar o valor atual defasado em relação ao valor de mercado. Normalmente os laudos periciais são acompanhados de alguns anexos. As partes que compõem a sequência do laudo devem ser de criação individual de cada profissional. indicando a comarca. o que exige do perito uma acuidade para que não produza pareceres equivocados. deve-se caracterizar o processo. Ações Renovatórias e Revisionais: ações relativas a arbitramentos de aluguéis. solicita a intervenção de perito para arbitrar o justo valor locatício. H. ou ainda apurar responsabilidade por infiltrações em apartamentos. juntamente com as ações anteriores. como no caso do exame preliminar em imóveis vizinhos anteriormente ao inicio de uma obra. ART. no entanto é importante colocar um tópico onde irá apresentar a conclusão sobre os fatos periciados com todas as informações pertinentes a elucidação do fato. levantamentos topográficos. É importante que neste momento o perito descreva de forma clara e objetiva quais os objetivos a serem alcançados com a realização do trabalho pericial. Sugere-se que faça um preâmbulo com informações de caráter genérico de interesse ao registro da pericia. o tipo de ação. Após então. documentos relacionados à pericia. plantas. etc. Ações Ordinárias: são ações de grande abrangência e complexidade.Prof.br . onde é exigido um perito agrimensor e dois peritos arbitradores. TIPOS DE AÇÃO QUE ENVOLVEM PERÍCIA: As principais ações judiciais onde se realizam pericias são as seguintes: A. Vistorias Cautelares: corre todas as vezes que se façam necessárias a caracterização de um estado do bem. a existência de um risco iminente. F. danos causados a terceiros e todas aquelas que envolvam a participação pecuniária que implique uma verificação ou parecer técnico de engenharia.

00m. Yaloê Ohanna Pereira Direito Curso de Engenharia Civil EXCELENTISSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA 1ª. Rua das Gaivotas e Av. sem afloramentos rochosos e sem benfeitorias. Processo n. OBJETIVO: Constitui objetivo do presento trabalho a determinação do terreno situado na Rua das Gaivotas. localizado na quadra formada pela Rua das Codornas. Julio Email: yaloe@fait. 2. em oferta ou transacionais na região próxima.Prof. o que caracteriza como área residencial. PESQUISA: Os levantamentos relativos à coleta de informações de imóveis.00 m2. nos indicaram os seguintes elementos para composição do estudo: 1.001. 192. nesta cidade e comarca.00 m2 Valor: R$ 150. totalizando uma área de 360. O formato é retangular. o solo superficial é seco. sendo zoneamento local classificado como ZR-4. VARA CIVEL DA CAMARCA DE ITAPEVA ESTADO DE SÃO PAULO. das Rosas. 3. DESCRIÇÃO DO IMÓVEL: O imóvel em estudo é constituído por um terreno plano com 12 m. sendo que o nível de precisão adotado foi normal. de profundidade. de testada e 30.00 m.000.00 V/m2: R$ 416. Área: 360. n. Localização: Rua das Flores.com.66 Época: abril de 2015 (oferta) Informante: Sr.197 de 12 de dezembro de 1991.br . 4. bairro jardim Califórnia. Profundidade: 30. MÉTODO AVALIATÓRIO E NIVEL DE RIGOR: A metodologia básica aplicada foi através do método comparativo.edu. declarado de utilidade publica para fins de desapropriação pelo Decreto Municipal 15.597-3 Ação de Desapropriação Companhia Municipal de Águas contra José Ferreira da Silva LAUDO PERICIAL 1. tudo conforme determinam os itens 6 e 7 da ABNT (Norma de Avaliação de Imóveis Urbanos). 02495. Rua dos Gaviões.00 m. 51 Testada: 12.

Fator de frente ou testada (Ff): calculado através de operação matemática entre a testada de referencia e a testada pesquisada. Localização: Rua das Margaridas.00m.44 Época: abril de 2015 (oferta) Informante: Sr. 151 Testada: 15. correspondente a um deflator igual a 0. André 5.00 m. Yaloê Ohanna Pereira Direito Curso de Engenharia Civil 2.00 m.000.000. .00 m2 Valor: R$ 200.90. Profundidade: 30. Profundidade: 40. utilizaremos os seguintes fatores visando homogeneizá-los: .00 V/m2: R$ 446. Marcos 3. .00m. 478 Testada: 14. Localização: Rua das Perdizes.00m. Antonio 4. .com. Área: 450.Fator de atualização (Fa): procura utilizar o valor das transações ocorridas anteriormente através dos índices que reflita a variação monetária.00 V/m2: R$ 444.edu.00 V/m2: R$ 500.00 Época: abril de 2015 (transação) Informante: Sr.Fator de transposição (Ft): corrige as diferenças relativas ao posicionamento do imóvel no contexto urbano. Localização: Rua das Rosas. HOMOGENEIZAÇÃO: Como alguns elementos pesquisados apresentam caraterísticas heterogêneas.00 m2 Valor: R$ 300.00 m.Prof.42 Época: abril de 2015 (transação) Informante: Sr. Área: 448. Profundidade: 21.Fator de oferta (Fo): é utilizado para imóveis em oferta.br . Área: 600.000.00 m2 Valor: R$ 200. Email: yaloe@fait. 133 Testada: 15.

Fotografias. Eliminação de dados suspeitos: Como algum ou alguns elementos da amostragem podem apresentar desvios em relação à média. com a indicação de sua área. RESPOSTAS AOS QUESITOS: Quesito n. Quesito n. Assim os valores finais dos imóveis pesquisados serão: Valor/m2 x Fo x Fa x Ft x Ff x Fp = V/Homog 6.com.2: Quais os usos predominantes dos imóveis da região? Pede o tipo de ocupação circunvizinha.1.br . qual ´a caracterização dada ao quarteirão onde se localiza o imóvel objeto da presente demanda? Resposta: ZR-4 (zona residencial 4) 9. Email: yaloe@fait. Média e desvio padrão: Média (x) = 28.3: Por força da Lei de ocupação do solo.925. TRATAMENTO ESTATISTICO: 6. ANEXOS: . no sentido de aferirmos o grau de precisão da amostragem: (Campos de cálculo) 7.61 6. Quesito n. CONCLUSÃO: Terminados os cálculos anteriores. características e infra-estrutura de que for adotado.Fator de Profundidade (Fp): utiliza uma relação matemática entre as profundidades mínima e máxima e a profundidade de referencia.edu. Yaloê Ohanna Pereira Direito Curso de Engenharia Civil . Resposta: imóveis residenciais de padrão médio. 1: Pede-se a descrição do imóvel em questão.00 (cento e sessenta mil reais) 8.Prof.67 Desvio padrão (s) = 4. concluímos que o valor do imóvel seja: R$ 160. calcularemos o coeficiente de variação.632. em função do atributo que confere ao profissional a escolha de qualquer var situado entre o intervalo acima.2. Resposta: Vide item 2 do laudo.000.

29 de abril de 2015.Croquis do Terreno. _________________________________ João da Silva Eng.333 Email: yaloe@fait.edu.Planta do local. 10. ENCERRAMENTO: O presente trabalho consta de 03 (três) laudas digitadas de um só lado. .com. rubricadas. Itapeva. . Yaloê Ohanna Pereira Direito Curso de Engenharia Civil . Civil Perito Oficial CREA-SP – 333.Prof.br .Anotação de Responsabilidade técnica no CREA-SP. sendo a ultima assinada.

potencialidade. jornal Informativo de Imóveis. Secretaria Municipal da Fazenda. energia elétrica e telefone. IDENTIFICAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DO IMÓVEL AVALIANDO REGIÃO A vistoria ocorreu no dia 20/07/2011.com. não se incluirão direitos de terceiros contra o expropriado"). proprietários de terrenos e lotes vizinhos entre outros. As atividades existentes incluem comércio e serviços de profissionais autônomos. Yaloê Ohanna Pereira Direito Curso de Engenharia Civil Exemplo real de avaliação de uma gleba urbanizável Artigo por Clarel da Cruz Riet . trecho Rio Grande-Pelotas. nas condições antes e após a desapropriação em curso imposta pela União. água potável. Nosso trabalho foi desenvolvido unicamente para o uso do solicitante. topografia em nível. O relatório apresenta todas as condições limitativas impostas pelas metodologias adotadas. opiniões e conclusões contidas no mesmo. sujeitos às conclusões deste trabalho técnico. não devendo. a partir da qual o valor indenizatório passou a ser contemporâneo da avaliação ("Art.52. determinava que indenização fosse realmente fixada segundo o valor do bem expropriado à época da declaração de utilidade pública ("Art. não se incluirão direitos de terceiros contra o expropriado"). Arquitetura e Agronomia e do Instituto de Engenharia Legal. atingindo o ativo objeto do trabalho em questão. segundo o texto primitivo do DL 3.º 2.92m2. PRINCÍPIOS E RESSALVAS O Laudo atende as especificações e critérios estabelecidos pelas Normas de Avaliação NBR 14653-1:2001 e NBR 146532:2004 da ABNT . com algumas zonas constituídas de relativa parcela de argila de atividade alta[1]. enquadrando-se o Laudo como Parecer Técnico. judicial ou extrajudicial. Vila da Quinta.786. que será contemporâneo da declaração de utilidade pública.br .Prof. solo predominantemente arenoso permeável da classe das areias quartzosas marinhas distróficas. Os honorários profissionais da Clarel Perícias Ltda não estão. Email: yaloe@fait. Assim. que será contemporâneo da avaliação. de 21/06/1941. pesquisas e levantamentos verdadeiros e corretos. que afetam as análises. a vocação econômica do terreno remanescente. 26 – No valor da indenização. não condizentes com a realidade ou se basear em anúncios de jornais não leva a um critério científico. através do DNIT. estadual e municipal e foi elaborado com a estrita observância dos postulados constantes dos Códigos de Ética Profissional do CONFEA . mas. ser levado em conta.968. extrair preços de informações fiscais. com a metragem. imobiliárias locais. sem aprovação prévia e por escrito da Clarel Perícias Ltda. tal redação foi alterada pela Lei n. de 21/05/1956. sendo as fontes referidas no presente.edu. diligências.Conselho Federal de Engenharia. portanto. A infraestrutura urbana possui sistema viário. devendo principalmente.quinta-feira.02 e o Km 27+252. No melhor conhecimento e crédito do consultor. as análises. com predominância de habitações residenciais unifamiliares. Na elaboração deste trabalho foram utilizados dados e informações assumidas como corretas.789m2. o site www.procuraseimovel. condições de acesso e outros. sobretudo. opiniões e conclusões expressadas no presente relatório são baseadas em dados. com uma área superficial de 15ha 5. fornecidas por terceiros. 5 de janeiro de 2012 OBJETIVO DA AVALIAÇÃO Obtenção do valor de mercado de uma gleba localizada na rodovia BR-392. na forma de entrevistas verbais e documentos.Associação Brasileira de Normas Técnicas. jornal Mercado de Imóveis. ser utilizado para outra finalidade que não a já mencionada. Para efeito de projeção partimos do pressuposto da inexistência de ônus ou gravames de qualquer natureza. dado a disparidade entre os imóveis ofertados. além das exigências impostas por Leis federais. às 14:00 horas. relevo em forma de planície. totalizando a área atingida de 43.365.br. Região urbana. transporte coletivo. entre o Km 26 e o Km 27. PRELIMINARES A Lei brasileira. sendo baixo como um todo o nível do mercado de trabalho. visando o objetivo já descrito. englobando o trecho compreendido entre o Km 26+614. não só no que diz respeito a localização.com. via de regra. de forma alguma. padrão sócio econômico cultural nível baixo. os quais incluem o Registro de Imóveis de Rio Grande. 26 – No valor da indenização. Entretanto. para as obras de duplicação da BR-392.

08m2.clarelpericias. O Método Comparativo Direto é o mais utilizado e recomendado por permitir a determinação do valor levando em consideração as diferentes tendências e flutuações do mercado imobiliário. É interessante observar que a Vila da Quinta viu. o emprego do Método Involutivo.edu. sofrendo prejuízo a sua vocação econômica.3.clarelpericias. no valor. baixe o arquivo completo em nosso site . quanto flutuante.com. consequentemente. na seção "Perícias realizadas"> Foto 2. muitas vezes. O Censo de 2000. com características intrínsecas e extrínsecas e atributos que exercem influência na formação dos preços e. devido a inexistência de elementos amostrais na região. sobretudo devido ao receio de habitação. após a desapropriação.789m2. em função da desapropriação que atingirá 43. <Para visualização das fotos. constituída de zonas 'baixas' com alagadiços.92m2.1. nota-se uma zona mais escura.br. preconiza que a avaliação das glebas urbanizáveis deve ser feita preferivelmente com a utilização do Método Comparativo Direto de dados de mercado.www.Prof. em grande parte devido a inexistência de dados de outras glebas. tanto radicada. Vila da Quinta. Yaloê Ohanna Pereira Direito Curso de Engenharia Civil Os serviços comunitários disponíveis compreendem escola municipal. entretanto. A NBR 14. no mesmo mercado imobiliário. <Para visualização das fotos.331 em 2010. baseando-se num modelo de estudo de viabilidade técnicoeconômica. pulou para 9. ou seja. entre outras. sendo estes ponderados por Inferência Estatística. posto de saúde e igrejas. entre o Km 26 e o Km 27. fez com que novas moradias e até loteamentos. a gleba. mesmo alterações mínimas nas taxas e prazos de comercialização podem resultar em alterações significativas de valor para o avaliando. São trabalhadores do Pólo Naval e da duplicação da BR-392. onde são pesquisadas glebas assemelhadas. da simples visualização da imagem. lucro do empreendedor. despesas com vendas.br. Ademais. segurança. como é o caso do Nova Quinta.Conforme representado na imagem obtida por satélite. somando a área superficial de 11ha 1. A população. trecho Rio Grande-Pelotas. as despesas de urbanização. ficando como opção alternativa.Vista da parte posterior da gleba. haverá uma enorme diminuição das áreas de acesso (testadas).968.com. comumente têm-se optado pela utilização do método involutivo. podendo induzir a erros consideráveis que na maioria das Email: yaloe@fait. em quantidade suficiente para a elaboração de estudo científico comparativo desta tipologia.820. junta-se a documentação fotográfica comentada a seguir.br . com a modificação do regime urbanístico no local. nos últimos 10 anos. que escolheram o Distrito exatamente por sua localização e pelo acesso mais rápido aos seus locais de trabalho. Desta forma.541 moradores. aliado ao fato de que. através do site do Google. impostos. reduzindo ainda mais seu valor de mercado. TERRENO Um terreno de forma irregular.653-2. A dificuldade de aplicação deste método é que os modelos produzidos são determinísticos e bastante sensíveis às taxas utilizadas e prazos considerados.com. restará dividida em duas glebas remanescentes. Este método consiste na elaboração de projeto de hipotético empreendimento para a gleba com vistas a verificar o melhor e máximo aproveitamento. não é possível sua utilização. REGISTRO FOTOGRÁFICO Para efeito de melhor entendimento e precisão dos trabalhos periciais. com frente para a Rua João Moreira. em oferta ou transacionadas. baixe o arquivo completo em nosso site www. despesas financeiras. que busca identificar o valor de mercado de um bem considerando seu aproveitamento eficiente. que contabilizou 7. BENFEITORIAS Não existem benfeitorias. considerando a receita provável da comercialização dos lotes com base nos valores obtidos em pesquisa imobiliária. situado na rodovia BR-392. uma grande mudança acontecer em seu entorno. em número suficiente. Foto 1. com área superficial de 15ha 5. Observa-se a os trilhos da antiga linha férrea e a rede de energia elétrica passando no local. a qual atualmente possui 15ha 5789m2 de área. proliferassem-se dos dois lados da rodovia. O objetivo é o de definir o valor máximo que pode ser atribuído à gleba através de cenários diversos para que seja economicamente viável seu aproveitamento[2]. no item 11. obtida no ato da inspeção. na seção "Perícias realizadas"> PROCEDIMENTOS APLICADOS INTRODUÇÃO A avaliação de glebas urbanizáveis é considerada pelos profissionais avaliadores como um problema de complexa resolução. abrangendo aproximadamente 25% da gleba remanescente maior.

Prof. Yaloê Ohanna Pereira Direito Curso de Engenharia Civil vezes serão percebidos a longo prazo. no valor de glebas urbanas. é aquele calculado entre o valor unitário da gleba e o valor unitário dos lotes vizinhos. que a ele esteja indiretamente relacionado. ambos aceitos e recomendados à publicação nos anais dos referidos conclaves. é a. Assim. desde que identifiquemos o índice de equivalência.edu.Os aspectos positivos ou negativos que afetam as glebas afetam também os lotes que as influenciam. METODOLOGIA Pelo acima exposto. considerando a insuficiência de elementos amostrais. de forma que a comprovação técnica da influência do posicionamento urbano de polos atrativos. "Coeteris Paribus"5. e no Método do Índice de Equivalência[5]. com a inclusão de dados de mercado imobiliário de zonas vizinhas com o objetivo de ampliar a quantidade de observações na tipologia em estudo. calculado em função da relação entre o valor do bem em estudo e de outro. ou seja. onde o coeficiente que representa o Índice de Equivalência. O Coeficiente de paridade. este trabalho optou pela utilização do Método Comparativo Direto de Dados de Mercado. tomando-o como lote e gleba. cujo princípio é a determinação do valor de um bem à partir da análise de um coeficiente percentual. pode ser verificada através de algumas conclusões estatístico-mercadológicas. pelo Eng. Além disso. de forma que. quando optamos por utilizar critério que minimiza a subjetividade da definição desta. gerando prejuízos para aqueles que daquele valor dependem para tomada de decisão. é função de exame estatístico específico.O valor unitário e uma gleba é diretamente proporcional ao valor unitário de um lote próximo. que sobre ela exercem influência. "(. ou variável dependente do modelo de regressão estatística.) o preço do terreno é uma função inversa (tipicamente uma função exponencial negativa) da distância ao centro da cidade. devidamente justificado e interpretado por regressão estatística. quando o estudo pelo método involutivo não seria adequado visto sua destinação. optamos por realizar um trabalho que propiciasse um caminho que melhor traduzisse as forças de mercado.br . também. denominado Índice de Equivalência. porém com a elaboração de um modelo. Alia-se ao fato que a melhor vocação para uma gleba nem sempre é a de desmembramento em lotes menores ou a de loteamento. influencia diretamente na determinação do valor unitário da gleba avalianda. ante a legislação de uso e parcelamento do solo municipal vigente na data da avaliação. que a elaboração do modelo pressupôs a definição da variável de localização relativa entre as zonas estudadas.com.. esta relação está muito bem consolidada e definida pelo Método dos Lotes Influenciantes. Francisco Maia Neto. Assim. muitas glebas encontram-se em regiões com vocação industrial ou rural.. Desta forma. A respeito da influência de polos valorizantes. da área superficial e vizinhança urbana. parte-se do princípio que o valor médio dos lotes vizinhos a uma gleba. nos inspiramos no Método do Índice de Equivalência[3]. que a ele esteja indiretamente relacionado. restrita ao local pesquisado. conforme definido pela antiga NBR-8951. que se fundamenta na inter-relação existente entre glebas e lotes diretamente influenciantes. Richardson em sua obra "Economia Urbana". Email: yaloe@fait. H. a possibilidade de adoção de uma metodologia avaliatória.[6]. a determinação do valor unitário (por metro quadrado) da gleba foi calculado em função de seu coeficiente de paridade com os lotes vizinhos.[4] Este critério trata-se de um processo comparativo indireto. caracterizada por um coeficiente que refletirá a relação percentual entre o valor do bem avaliando e de outro a ele ligado indiretamente. como descritas a seguir: . calculado em função da relação entre o valor do bem em análise e de outro. cuja proposta foi trazer à discussão.O valor unitário de glebas urbanas decresce a medida em que aumenta sua área superficial "Coeteris Paribus". visando a composição de modelos cuja representatividade. de modo a possibilitar a estimativa do real valor do bem. Francisco Maia Neto observa que a aplicação desta metodologia tem sentido amplo. . de forma fundamentada.) relação entre os preços unitários apropriados exclusivamente a partir de dados de mercado. apresentado no XXIII Congresso Pan-americano de Valuación." No caso das glebas urbanizáveis. W. Frisamos.. que a influenciam. cujo princípio é a determinação do valor de um bem à partir da análise de um coeficiente percentual. baseado no Critério dos Lotes Influenciantes.. uma variável dependente. o presente trabalho avaliatório foi alicerçado no Método dos Lotes Influenciantes." As citações de Richardson permitem ampliar o conceito genérico de terreno." "O preço unitário do terreno é uma função direta da qualidade do meio ambiente e amenidades da área e uma função inversa da distância ao centro da cidade. ou seja. o valor unitário de uma gleba é diretamente proporcional ao valor unitário de um lote próximo. . Seguindo esta linha. cita: "(.

66/m2 (Cento e vinte e um reais e sessenta e seis centavos). transmite à avaliação a confiabilidade dos graus de fundamentação e precisão estatísticos previstos em norma. boa facilidade de venda.789m2 Y= (Valor Gleba) / (valor Lote)= 1. tomando como base o mês de junho/2011.O índice Gleba/Lote [7]é inversamente proporcional à área superficial da gleba[8]. do Laudo. aquelas com áreas cuja relação frente/profundidade estejam contidas no intervalo 1/3 a 1/6.5. com o CUB cotado em R$1.128. concedendo ao imóvel em questão. com perspectivas de valorização média em curto prazo.08*112. MODELO MATEMÁTICO A utilização da Inferência Estatística é feita a partir de um modelo matemático adequado.edu.660771912 X^0.660771912 X0. VALOR ESTIMADO APÓS A DESAPROPRIAÇÃO Utilizando a equação do item MODELO MATEMÁTICO. neste trabalho) e logarítmica recíproca. DIAGNÓSTICO DO MERCADO O mercado imobiliário local nesta época está funcionando de forma satisfatória. foi constatado que as funções mais freqüentes. a. DATAS DE REFERÊNCIA Vistoria: 20/07/2011 Avaliação: 22 e 23/07/201 Laudo: 29/07/2011 RESULTADO VALOR ESTIMADO ANTES DA DESAPROPRIAÇÃO Utilizando a equação do item MODELO MATEMÁTICO.20/m2. Em estudos elaborados por Zeni e Portinho4. . as da forma potencial negativa (como a definida a seguir.040827989 Observações: Este modelo é diretamente aplicável para glebas "normais". dentro de um intervalo de confiança de 80%.com.65/m2. ajustamos os pontos a um modelo representativo. Assim. X: é a variável independente que representa a área da gleba. no valor de R$112. Função potencial: Y= a Xb (com b< 0) onde. Y= 0. ou seja.107835 CUB’s Projeto Padrão R1-N.08 Considerando o valor médio dos lotes na vizinhança.31 Valor estimado da gleba atual/M2= R$121. A amostragem que serviu de insumo as conclusões estatísticas. Y= 0.601. com a média de 1/4. Y= 0. com melhor correlação estatística entre as variáveis consideradas são. por metro quadrado. Y: é a variável dependente que representa o índice (gleba/lote) inferido por regressão. a partir dos "n" pares. submetido a diversos testes previstos em norma. além da exponencial negativa (citada por Richardson). do Laudo. equivalente a 0. apresentou cerca de 80% dos dados de frente e profundidade dentro do intervalo de "normalidade". b: coeficientes determinados pela regressão.Prof.040827989 Email: yaloe@fait. agrupamos aos pares o índice Gleba/Lote e a Área superficial da gleba. Após a pesquisa e coleta dos dados das glebas e lotes considerados que as influenciam. obtemos: Valor da Gleba atual= 1. que permite uma avaliação com grande isenção de subjetividade.br . e que. pelo processo dos "mínimos quadrados" e obtemos a seguinte curva matemática através de regressão simples. X= 15ha 5.660771912 X^0.65*155.953.789= R$18. conhecido como Modelo de Regressão.040827989 Onde. Yaloê Ohanna Pereira Direito Curso de Engenharia Civil .Existe regressão dos pares de pontos (índice x área) a um modelo matemático decrescente.

R$10.com. por metro quadrado. equivalente a 0. no I Congresso Mundial de Avaliações – 1981/SP. R. em 1985. Vai o presente Laudo. com o CUB cotado em R$1. .Prof. foi em decorrência das obras de grande porte instaladas em nossa cidade. o qual acometeu de um modo geral todos os imóveis de Rio Grande.08 Considerando o valor médio dos lotes na vizinhança. André Maciel -Influência da testada no valor de glebas urbanas. de 15 a 18 de Abril de 2008.128. [6]"Coeteris Paribus" – mantendo todas as demais influências constantes [7]Índice Gleba/Lote: Valor unitário da gleba/valor unitário dos lotes que a influenciam [8]Zeni.edu.08m2 Y= (Valor Gleba) / (valor Lote)= 1.65/m2 e uma depreciação de 25%. Fonte: PORTAL EDUCAÇÃO . com o CUB cotado em R$1.820.Avaliação de Glebas Urbanas pelo Critério dos Lotes Influenciantes (1978) Apresentado no III Congresso Brasileiro de Engenharia e Avaliações – 1980/RJ.410.20/m2. obtemos. vende a um comprador desejoso de comprar.com. CONSIDERAÇÕES FINAIS Observando a pesquisa de mercado feita na região nota-se uma tendência de muitas ofertas com preços acima do real valor de mercado. de certa forma. Não perdemos neste momento a noção que o valor de mercado é definido como aquele em que um vendedor desejoso de vender. atuando no mercado desde 1998. 1995) [2]Dantas. tomando como base o mês de junho/2011. dentro de um intervalo de confiança de 80%.portaleducacao. totalizando 14 (catorze) folhas.Trabalho apresentadono II Ciclo de EStudos de Engenharia de Avaliações e Perícias .65*111.203.39 (Oito milhões. de 15 a 18 de Abril de 2008. aumentando significativamente os valores praticados no mercado imobiliário.080872 CUB’s Projeto Padrão R1-N.br .IGEL-Porto Alegre/RS Clarel da Cruz Riet A Clarel Perícias é uma empresa multidisciplinar. Luiz Fernando R.08*0.20/m2.953. Este fenômeno.820.Cursos Online : http://www. sendo a última datada e assinado acompanhado dos seguintes documentos. Referências: [1]Projeto RADAM (IBGE. especulativa. especializada em Engenharia de Avaliações e Perícias Judiciais. quatrocentos e dez reais e trinta e nove centavos). Yaloê Ohanna Pereira Direito Curso de Engenharia Civil Onde. apta para o desenvolvimento de análises técnicas visando a melhoria da gestão patrimonial e econômica de bens e auxílio na tomada de decisão de empreendimentos.92= R$8.24/m2 (Noventa e um reais e vinte e quatro centavos). desenvolvido em 11 (onze) folhas impressas em um só lado. de forma que o valor estimado do imóvel encontra-se dentro dos padrões reais de mercado.756. X= 11ha 1. tomando como base o mês de junho/2011. [5]Neto.750. Nossa equipe é formada por profissionais com ampla experiência e qualificação. André Maciel e Portinho. no XII Congresso Panamericano de Valuciones – Lima/Peru e no I Ciclo de Estudos de Engenharia de Avaliações e Perícias 1981 – IGEL –Porto Alegre/RS e Método Avaliatório para Glebas inserido na NBR 8951 – Norma Brasileira para Avaliação de Glebas Urbanizáveis da ABNT.080827 CUB’s Projeto Padrão R1-N.203. Francisco Maia – Método do Índice de Equivalência – Apresentado no XXIII Congresso Panamericano de Valuación.601. DIFERENÇA ENTRE OS VALORES ESTIMADOS "ANTES" E "APÓS" A DESAPROPRIAÇÃO.1986) e Cunha e Silveira (FURG.190.190. Valor das Glebas remanescentes = 1.75= R$10.31 . com o consequente aumento de procura por habitação. setecentos e cinquenta mil.08*112.128.1982 . todas rubricadas. 1998 [3] Neto.92 Valor estimado da gleba após a desapropriação/M2= R$91. no valor de R$112.A. em San José/Costa Rica. em San José/Costa Rica.br/iniciacao-profissional/artigos/10465/exemplo-real-de-avaliacao-de-uma-glebaurbanizavel#!9#ixzz48FmXaaML Email: yaloe@fait. mas também não compelido.1981 . Francisco Maia – Método do Índice de Equivalência – Apresentado no XXIII Congreso Panamericano de Valuación. Uma Introdução à Metodologia Científica – São Paulo. mas não compelido. [4]Zeni.Pini. REPRESENTATIVO DA ÁREA ATINGIDA Valor estimado da gleba atingida=R$18. equivalente a 7.