Está en la página 1de 26
MINISTERIO PUBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPGBLICA NO PARANA Forga-Tarefa Operagao Lava Jato a E ACO! z LENCIA © Ministério Pablico Federal — MPF, por intermédio dos Procuradores Regionais da Repiiblica e Procuradores da Repiiblica abaixo-assinados, com atribuigao cfvel e criminal para a investigagao e processamento de infragdes penais e civeis decorrentes dos fatos principais, conexos e correlatos revelados na denominada “Operagio Lava Jato”, de um lado, e a empresa Odebrecht S.A, pessoa jurfdiea de direito privado, inserita no CNPJ n. 05.144.757/0001-72, com sede na Avenida Luis ana, n. 2841, Edificio Odebrecht, Paralela, Salvador/BA, neste ato reptesentada por seus representantes legais que esta subscrevem, doravante. denominada COLABORADORA, de outro, formalizam acordo de leniéncia, doravante designado “Acordo de Leniéneia” ou “Acordo”, nos termos que seguem, envolvendo os fatos. investigados na Operagéo, bem como os que vierem a ser revelados em razio das investigagdes, nos termos de clausula espeeifica. — Base Juridica Clausula 1%. 0 presente Acordo funda-se no artigo 129, inciso I, da Constituicao Federal; nos artigos 13 a 15 da Lei n°. 9.807/99; no art. 1°, §59, da Lei n° 9.613/98;5 art. 5°, § 6°, da Lei 7.347/85; no art. 26 da Convengao de Palermo; € no art. 37 da Convengao de Mérida; nos artigos 4° a 8° da Lei n° 12.850/2019; nos artigos 3°, §2° ¢ §3°, 485, VI e 487, III, “b” e “e”, do Codigo de Processo Civil, nos artigos 840 € 932, III, do Cédigo Civil, artigos 16 a 21 da Lei n° 12.846/2013; nos artigos 86 e 87, da Lei n® 12.529/2011 e nos prinefpios de composicdo consensual previstos no artigo 2° da Lei 13.140/2015. Cléusula 2*, O interesse piblico é atendido com o presente Acordo de Leniéncia tendo em vista a necessidade de (i) conferir efetividade & persecucao civel de outras pessoas fisicas e juridicas suspeitas e ampliar e aprofundar, em todo o Pais, as, investigagdes em torno de atos de improbidade administrativa, particularmente aqueles, eC relacionados a fatos que configurem também crimes contra a Administracio Piblica e 0 Sistema Finaneeiro Nacional, crimes de lavagem de dinheiro ¢ crimes contra a Ordem. /\ Econdmica e Tributaria, entre outros, especialmente no que diz respeito 4 repercussio l desses ilicitos nas esferas efvel, administrativa, regulatoria e diseiplinar, (if) preservar a propria existéncia da empresa e a continuidade de suas atividades, 0 que, apesar dos ilfeitos confessados, encontra justificativa em obter os valores necessarios & reparas dos ilfcitos perpetrados; (iii) assegurar a adequagio e efetividade das priticas de integridade da empresa, prevenindo a ocorréncia de ilicitos e privilegiando em grau maximo a ética e transparéneia na condugao de seus negécios; ¢ (iv) estimular que a COLABORADORA entabule negociagées e conc] -do em outras jurisdigées, que porventura possam ter interesse em acordos sem & ry see 5 Pagina 1 de 26 BQ) ao Nero MINISTERIO PUBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPUBLICA NO PARANA. Forca-Tarefa Operagio Lava Jato II - Partes e objeto do Acordo de Leniéncia Clausula 3%. Para fins deste Acordo, sao partes 0 Ministério Piblico Federal, por sua Forca Tarefa da Lava Jato, e os membros do Ministério Pablico que adiram a este Acordo de Leniéncia, e a Odebrecht S/A, holding do Grupo Odebrecht, aqui denominada COLABORADORA, a qual, na qualidade de controladora das empresas pertencentes ao seu grupo econémico, responsabiliza-se por todos os atos ilfcitos que integram o objeto desse Acordo, praticados em beneficio dessas empresas, com excecao da Braskem S.A. Pargrafo tinico. A COLABORADORA afirma ter plena prerrogativa para exercer 0 poder de controle para determinar 0 cumprimento deste Aeordo a todas as empresas do grupo econémieo Odebrecht, incluindo as sociedades que, direta ou indirctamente, sejam por ela controladas du estejam sob controle comum, as quais esto listadas no Apéndice 1, exeeto Braskem S.A.. Clausula 4%. Sao objeto deste Acordo de Leniéncia as condutas ilicitas de prepostos, empregados, administradores, dirigentes ¢ terceiros contratados, inclusive fornecedores de bens ¢ prestadores de servigos, desligados ou nao, e acionistas de qualquer das empresas do grupo econdmico integrado pela COLABORADORA, doravante designados simplesmente Prepostos, desde que: a) conexas ou correlatas com aqueles que ja e: procedimentos administrativos ¢/ou inquéritos policiais no ambito da Operagio Lava Jato, e que estejam descritos nos anexos deste Acordo, que possam caracterizar atos de improbidade administrativa, irregularidades em licitagdes ou contratos administrativos, incluindo fraude’a licitagdo e ao seu carater competitivo, ilicitos eleitorais e/ou infragSes contra o sistema financeiro nacional, contra a ordem econdmica ¢ tributaria, concorrenciais, de corrupgio, peculato, lavagem de dinkeiro e formagao de organizagao criminosa, ou crimes de qualquer outra natureza, e 1b) praticadas no Ambito de fatos descritos nos anexos deste Acordo, observado o disposto no §1° da Clausula 54, ou resultem de fatos descobertos em investigagio interna a ser promovida nos termos da Cliusula 5%, mesmo que no conexas ou correlatas aos fatos ou condutas em investigacao no ambito da Operagio Lava Jato, §1°. A COLABORADORA revelou ¢ revelard aos Procuradores Regionais da Repiiblica e Procuradores da Repiiblica abaixo-assinados, de boa fé, fatos apurados por cla, independentemente de serem ou nao conexos com 0s fatos investigados no Ambito da Operagao Lava Jato, com a intencao de ampliar na maxima extensdo possivel (i) a sua protegao no Ambito deste Acordo; ¢ (ii) a utilidade pibliea deste Aeordo. 82°. Os fatos ilicitos revelados que nao sejam conexos com os fatos investigad: no ambit da Operagao Lava Jato seréo informados sumarizadamente ao membro do Ministério Pablico com atribuicao para a investigagao, perante o qual o Ministério Pablico Federal empreendera gestées para que adira a este Acordo, observando 0 disposto nesta Cléusula 4* e 58, no que couber. / §3°. Em caso de negativa de adesao a este Acordo de Veniés lo membro do Ministério Publico mencionado no §2° desta Clausula, oy qualquedetotiv, os ane / ey pues Pagina 2de26 (VY ; “ao a ie B Quo ot 3 MINISTERIO PUBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPUBLICA NO PARANA Forea-Tarefa Operagio Lava Jato x0s € provas decorrentes deste Acordo de Leniéncia que digam respeito aos fatos submetidos a tais promotores ou procuradores ¢ cuja adesio foi negada sergio devolvi das pelo Ministério Pablico Federal 4 empresa, mediante recibo, e nao poderio ser utilizadas pelo membro do Ministério Pablico néo aderente para quaisquer fins. Na hi- Pétese de um anexo que aponte fatos atinentes a duas jurisdigdes ter sido rejeitado por umn dos membros do Ministério Pablico eompetente ¢ nao pelo outro, o anexo podera ser utilizado pelo Giltimo apés excluidas as informagdes que digam respeito aos fatos de atribuigao do Ministério Puiblico nao aderente. §4°. As condutas apontadas pela COLABORADORA como ilicitas esto descritas em tantos anexos a este Acordo de Leniéncia quanto forem identificados como independentes entre si, acompanhados por todas as provas, documentos, depoimentos e indicios respectivos apurados pela COLABORADORA até 0 momento da assinatura desde Acordo de Leniéncia. Clausula 5%. A COLABORADORA, por meio das empresas do seu grupo cconémico ¢ de Prepostos, apresentou ao Ministério Publico Federal os fatos que nesta data constam dos anexos a este Aeorde e concorda, assim como todos os Prepostos que nesta data aderem ou que vierem a aderir a este Acordo nos termos do Pardgrafo 3°, abaixo (“Aderentes”), em trazer ao conhecimento do Ministério Piblico Federal a complementacio de tais anexos os demais fatos e provas que sejam apurados em investigagdes internas e que possam auxiliar na investigagio de infragdes descritas na Cléusula 4 acima, com o objetivo de obter os beneficios estabelecidos neste Acordo de Leniéneia, obedecido 0 §4° desta Cléusula. $19. Este Acordo de Leniéncia limita a protegio da COLABORADORA e das empresas de seu grupo econdmico aos temas objeto de especificagao nos anexos deste Acordo ou que resultem de fatos descobertos em investigagio interna a ser promovida nos termos desta Cldusula, compreendendo-se como anexos os relatos ja entregues ou que venham a ser entregues pela COLABORADORA, empresas de seu. grupo econémico e pelos Aderentes, obedecido o § 4°, desta Cléusula, acompanhados dos materiais entregues ou que vierem a ser entregues pela COLABORADORA ou Aderentes ao Ministério Pablico, tais como documentos, provas, dados de corroboragao, sistemas eletrdnicos e de informética (como inclusive todos os dados do Sistema Drousys disponiveis 4 COLABORADORA e jis empresas de seu grupo econdmico), bases de dados, entrevistas documentadas ¢ depoimentos prestados pelos Prepostos. §2°. Os fatos e condutas ilfcitas constantes dos anexos a este Acordo de Leniéncia e que nao sejam da atribuicdo da Forga Tarefa Lava Jato em Curitiba sero apresentados pelo Ministério Pablico Federal ao membro do Ministério Pablieo com atribuicéio para a investigagio, observado o §2° da Cléusula 44, para que este: ~ adira a este Acordo, sem alteracdo de suas cléusulas, ou, % anexos que Ihe hla 42, devem ser 48, §3°, acima. I ~ recuse a adesio a este Acordo, situagio em qui foram apresentados, ou sumérios, conforme indicado no §2° devolvidos ao Ministério Pablico Federal para os fins da CM & 7 Pagina 3 de 26 ‘I ° B® kh Wittronce “WU 4 { MINISTERIO POBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPUBLICA NO PARANA. For¢a-Tarefa Operacao Lava Jato 83°. Poderao aderir ao presente Acordo de Leniéneia, ¢ assim obter todos os beneficios de que trata este Acordo, especialmente as alineas “ec” a “h” dos incisos da Ciéusula 84, os Prepostos que, no prazo indicado no §5° desta Cliusula, manifestem sua intengao de adesao, no limite dos fatos ilicitos por eles teconhecidos, observando- se: I — em relacio aos fatos ¢ condutas que sejam da atribuigéo da Forga Tarefa Lava Jato em Curitiba, 0 Ministério Pablico Federal avaliaré de boa-fé sua inclusio, sendo que poder negar aos Prepostos cuja conduta se revele de grave culpabilidade sua adesao a este Acordo, caso em que se observara o disposto na Clausula 4, §3°, acima; IL — em relagao aos fatos e condutas que nao sejam da atribuigéo da Forga Tarefa Lava Jato, 0 Ministério Pablico Federal observaré 0 disposto no §2° desta Clausula; II - que as leniéncias da COLABORADORA e de cada um dos Aderentes sio independentes entre si, inclusive quanto a defesa técnica e conflito de interesses. 84°. Os fatos e condutas ilicitas surgidas durante a investigagio interna promovida pela COLABORADORA serao apresentados a Forca Tarefa Lava Jato em Curitiba, obedecendo o disposto na Clausula 44, §2°, acima, bem como: I ~ em relagio aos fatos ¢ condutas ilicitas que sejam da atribuiggio da Forea Tarefa Lava Jato em Curitiba, 0 Ministério Pablico Federal avaliaré de boa-fé sua inclusio neste Acordo, podendo negé-la em virtude da gravidade do fato e/ou culpabilidade da conduta, ou ainda pela constatagdo de sua sonegacao dolosa por casio da celebragéo deste Acordo, observando-se 0 disposto na Cléusula 48,83°, acima; 11 — em relacdo aos fatos e condutas ilicitas que nao sejam da atribuigio da Forca ‘Tarefa Lava Jato em Curitiba, serao apresentados, sumarizadamente, pelo Ministério Pblico Federal a0 membro do Ministério Pablico com atribuigio para a investigacdo, aplicando-se no que couber o disposto no §2° ¢ incisos desta Clausula. 85°. Os pedidos de adesio de Prepostos previstos no §3° desta Cléusula deverdo ser entregues ao Ministério Piblico Federal no seguinte prazo contado da homologaeao judicial deste Acordo pelo Juizo da 134 Vara Federal da Subsecio de Curitiba, podendo tal prazo ser prorrogado, a critério do MPF, mediante pedido motivado da COLABORADORA: a) em até 60 (sessenta) dias para os Prepostos que apresentaram pedido de beneficio condicional antecipado previsto no parégrafo tinico da Cliusula 78 do Acordo de Confidencialidade; b) em até 200 (duzentos) dias para os demais Prepostos, cbservado o previsto na Cléusula 10, §3°. : 86%. As informagies sobre novos fatos € condutas apuradg internas, _previstos no §4° desta Clausula, _deverdo v/s COLABORADORA 20 Ministério Publico Federal em /até WW ‘n Pagina 4 de 26 MINISTERIO PUBLICO FEDERAL, PROCURADORIA DA REPUBLICA NO PARANA, Forga-Tarefa Operagio Lava Jato sessenta) dias contados da homologagio judicial deste Aeordo pelo Juizo da 134 Vara Federal da Subsegio de Curitiba, periodo em que devera a COLABORADORA prestar relatorios trimestrais a0 Ministério Pablico Federal sobre a evolucao dos trabalhos € resultados até ali aleangados, podendo tal prazo ser prorrogado, a critério do MPF, mediante pedido motivado da COLABORADORA. III — Das Obrigagées da COLABORADORA. Cléusula 6%, A COLABORADORA compromete-se: I- a partir da homologacao do presente Acordo pelo Juizo da 13? Vara Federal de Curitiba nos feitos de sua competéncia, em complementagao dos anexos jé existentes a este Acordo de Leniéneia, a: a) apresentar descrigiio suplementar detathada dos fatos mencionados na Cléusula 4# acima, identificando, em particular, os participantes das infragdes e ilfeitos de que a COLABORADORA, ou empresas de seu grupo econdmico, tenha participado ou tenha conhecimento (inclusive agentes politicos, funciondtios piblicos, sécios, diretores e funcionérios de outras empresas que estiveram envolvidos), deserevendo os Papéis dos agentes envolvidos e detalhando o envolvimento da COLABORADORA, empresas de seu grupo econdmico, e seus Prepostos de qualquer espécie; b) apresentar documentos, informagies e outros materiais relevantes ¢ suplementares descobertos apés a celebragio deste Acordo, sobre os quais a COLABORADORA e empresas do grupo econdmico detenham a posse, custédia, controle ou acesso, que constatem os fatos narrados nos anexos a este Acordo de Leniéneia, ou indicar a pessoa que os custodie ou o local onde possam ser encontrados, caso nao estejam na sua posse, custédia, controle ou acesso a esses documentos e/ou materiais relevantes; €) apresentar relatérios para cada fato ilicito identificado nos termos da Cléusula 4® acima e de competéneia desse Juizo, os quais deverao compreender a narrativa detalhada das condutas e a consolidagao de todas as provas relacionadas a cada fato, englobando as provas documentais colhidas no ambito de investigagdes internas, as provas colhidas na investigacao oficial a que tenham acesso e, na medida de OC. seu alcance, depoimentos de Aderentes ou de Prepostos relacionados aos ilfcitos que sio objeto deste Acordo prestados em outros procedimentos; Sf | ou que venham a ser revelados na investigagio interna, e de competéncia desse Juizo sobre os quais a COLABORADORA e empresas do grupo econémico detenham Posse, custédia ou controle, sempre que solicitade pela Forga Tarefa Lava Jato ou determinado judicialmente; d) apresentar quaisquer outras informagées, documentos ou materiais vier relevantes relacionados aos fatos narrados nos anexos a este Aeordo de Leniéncia, ¢) prestar a Forga Tarefa Lava Jato em Curitiba todas as infor empresas de seu grupo econdmico dispuserem ou puderem obter para dados encontraveis em sistemas eletrénicos e bases de dados eletroni apés a homologacao deste Acordo pelo Juizo da 13 Vara Federal entregue a0 Ministério Publico Federal — MPF, observados ol Ce MINISTERIO PUBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPOBLICA NO PARANA Forga-Tarefa Operacao Lava Jato especiais de acesso estabelecidos no Apéndice 2 ao presente Acordo ~ Custédia e Regras de Acesso aos Sistemas; 11 - a partir da homologacao do presente Acordo por cada um dos demais juizos competentes pelos fatos e conduitas ilicitos objeto deste Acordo, a: a) apresentar ao respectivo Ministério Pablico descrigao suplementar detalhada dos fatos mencionados na Clausula 4* acima de competéncia de cada juizo, identificando, em particular, os participantes das infragdes e ilicitos de que a COLABORADORA, ou empresas de seu grupo econémico, tenha participado ou tenha conhecimento (inclusive agentes politicos, funciondrios pablicos, sécios, diretores e funcionarios de outras empresas que estiveram envolvidos), deserevendo 0s papéis dos agentes envolvidos e detalhando o envolvimento da COLABORADORA, empresas de seu grupo econémico, e seus Prepostos de qualquer espécie; b) entregar ao respective Ministério Pablico documentos, informagées e outros materiais relevantes ¢ suplementares descobertos apés a celebracio deste Acordo, respectivos aos anexos de competéncia do respectivo Juizo homologante, sobre os quais a COLABORADORA e empresas do grupo econdmico detenham a posse, custédia, controle ou acesso, que constatem os fatos narrados nos anexos a este Acordo de Leniéncia de competéncia de tal juizo; ©) apresentar ao respectivo Ministério Piblico relat6rios para cada fato ilicito identificado nos termos da Cléusula 4* acima e de competéncia desse Juizo, os quais deverdo compreender a narrativa detalhada das condutas e a consolidacio de todas as provas relacionadas a cada fato, as provas documentais colhidas no ambito de investigagGes internas, as provas colhidas na investigaco oficial a que tenham acesso ¢, na medida de seu alcance, depoimentos de Aderentes ou Prepostos relacionados 20s ilfeitos que sdo objeto deste Acordo prestados em outros procedimentos; 4d) apresentar ao respective Ministério Pablico quaisquer outras informagdes, documentos ou materiais relevantes relacionados aos fatos narrados nos anexos a este Acordo de Leniéneia de competéncia do juizo homologante sobre os quais a COLABORADORA e empresas do grupo econdmico detenham a posse, custédia ou controle, sempre que solicitado pelo Ministério Pablico ou determinado judicialmente; TIT — a agir diligentemente, no curso das investigagdes internas, para que os Prepostos que detenham documentos, informagGes ou. materiais relevantes relacionados aos fatos narrados nos anexos a este Acordo de Leniéneia venham a aderir ao presente, entregando tais materiais as autoridades mencionadas; / i) IV — a cessar completamente, por si ou por empresas de seu grupo econdmico, / ‘A ! ? seu envolvimento nos fatos narrados nos anexos a este Acordo de Leniéncia; f 'V - sempre que a COLABORADORA e/ou seus Aderentes forem solicitados a__// 0, comparecer pelas autoridades mencionadas, mediante prévia e eseritg-imtimacio, a (/\~ fo) que colaboraram ou vierem a colaborar; LES x MINISTERIO PUBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPUBLICA NO PARANA Forca-Tarefa Operacio Lava Jato ‘VI ~ a comunicar 4 Forga Tarefa Lava Jato em Curitiba, bem como a todos os membros do Ministério Piblico que adiram a este Acordo de Leniéncia, toda e qualquer alteragao dos dados constantes deste instrumento; VII — a portar-se com honestidade, lealdade e boa-fé durante o cumprimento dessas obrigagées; VII ~ a implantar ou aprimorar programa de integridade nos termos do Artigo 41 € 42 do Decreto 8.420/2015, em atengao s melhores praticas, a ser iniciado no prazo de 90 (noventa) dias da homologacio do presente Acordo de Leniéncia pela 3g* Vara de Justica Federal de Curitiba, cabendo 4 COLABORADORA apresentar ao Ministério Péblico Federal o cronograma de implantagao do programa no prazo de 120 (cento e vinte) dias; IX - a partir da homologagao do presente Acordo pelo Jufzo da 13# Vara Federal da Subsegio de Curitiba, a envidar seus melhores esforos para implantar as demais agées, medidas, iniciativas especiais descritas no Apéndice 3 ao presente Acordo — Praticas Especiais de Etica, Integridade e Transparéncia, nos prazos ali descritos; X - a partir da homologagao do presente Acordo pelo Juizo da 134 Vara Federal da Subsecao de Curitiba, a sujeitar-se a monitoramento independente, nos termos ¢ condigées descritos no Apéndice 4 ao presente Aeorde — Monitoramento Independente; XI - a partir da homologagio do presente Acordo pelo Juizo da 13° Vara Federal da Subsegao de Curitiba, a pagar em seu nome, e de todos os Aderentes, em decorréncia das infragées e ilicitos narrados nos anexos a este Aeordo de Leniéncia, ‘valor de que trata a Cléusula 74, §3° abaixo; XII - no prazo de 90 (noventa) dias contados a partir da homologacio do presente Acordo pelo Juizo da 13 Vara Federal da Subsego de Curitiba, a apresentar 20 Ministério Pablico Federal a identificacdo das empresas e contas bancarias no exterior utilizadas em conex4o com os fatos ilicitos revelados neste Acordo ¢ respectivos saldos, bem como a apresentar, mediante demanda, extratos e documentos, das operagies; > / / XIII — a renunciar em beneficio de autoridades nacionais ou estrangeiras, de / acordo com formulérios ou termos especificos a serem apreseniados pelo Ministério / Pablico Federal, aos valores depositados nas contas de que trata o inciso anterior ou que venham a ser posteriormente identificadas, que sejam de titularidade da COLABORADORA ou de empresas de seu grupo econdmico, direta ou indiretamente, fornecendo todos os documentos e autorizagGes necessitias para tanto, inclusive J documentos societirios das empresas constituidas no exterior e autorizagio para /\/ / | liquidagio dos respectivos investimentos, sendo certo que tal remincia nao seestenders —/ | /) | a recursos de origem licita; | XIV - no prazo de 60 (sessenta) dias a contar da assinatura deste Acordo, a 4 apresentar ao Ministério Pablico Federal: K 5 a) uma lista consolidada de cada uma das eleitorais feitds pelo Grupo Os” Odebrecht nos iiltimos 16 (dezesseis) anos, com| agao minima/de jalor, ly 4 HERE 7 )) & pees a zs Y Tt ( Nato MINISTERIO PUBLICO FEDERAL. PROCURADORIA DA REPUBLICA NO PARANA. Forga-Tarefa Operacio Lava Jato beneficidrio e autorizador do pagamento, devendo indicar eventual indisponibilidade desses dados; b) uma lista consolidada com todos os beneficidrios de pagamentos de vantagens indevidas que tenham atualmente prerrogativa de foro por funcao. §1°. A COLABORADORA fica autorizada a utilizar escrit6rio de advocacia com. © objetivo de controlar, consolidar e liquidar saldos e ativos localizados no exterior relacionadas a estruturas financeiras e administrativas utilizadas em conexdo com os fatos revelados neste Acorda, inclusive para fins de representagdo e coordenagao com autoridades estrangeiras e em beneficio do pagamento do valor definido na Clétisula 74. 0 resultado do trabalho serd informado ao Ministério Publico Federal para fins dos incisos XII e XUI, acima. §2°. A COLABORADORA ¢ cada um dos Aderentes serdo intimados com relagéo a qualquer ato ou demanda decorrente deste Acordo de Leniéncia, pessoalmente ou na pessoa de seus advogados, por um dos seguintes meios: carta oficial ou notificagao emitida pelo Ministério Publico, no enderego indicado abaixo ou no respectivo termo de adesao. A comunicacdo poderé ser realizada por qualquer outro meio, inclusive eletrénico, que ateste 0 devido reecbimento pelo destinatério. IV - Do valor global Clausula 7%. Este Acordo é parte de um acordo global coordenado pelas autoridades competentes das jurisdigdes brasileira, estadunidense e sufca, no Ambito do qual a COLABORADORA se compromete a pagar valor global equivalente, nesta data, a RS 3.828.000.000,00 (trés bilhdes, oitacentos e vinte e oito milhoes de reais) ("Valor Global”), de acordo com as condigdes de pagamento estabelecidas no Apéndice 5. A somatéria das parcelas do Valor Global, apds a aplicacio de estimativa de projecio de variagdo da SELIC, resulta no valor estimado de R§ 8.512.000.000,00 (oito bilhoes, quinhentos e doze milhGes de reais), 0 qual, se convertido A taxa de cambio de USD 1,00 = R§3,27, corresponde a aproximadamente USD 2,600.000.000,00 (dois bilhées eseiscentos mithdes de délares). §1°. Os valores que serdo disponibilizados ao Departamento de Justiga dos Estados Unidos da América (Department of Justice) e A Procuradoria-Geral da Suiga (Office of the Attorney General of Switzerland) serio distribuidos conforme A determinagio do Ministério Publico Federal em conjunto com tais autoridades, ‘observando os seguintes critérios: A a) Ao Departamento de Justica dos Estados Unidos da América a NL disponibilizado valor em délares estadunidenses, respeitados os termos do Apéndice 5 © do §12 abaixo, e sera pago até 30 de junho de 2017, sendo deduzido do Valor Global’ —_/ taxa de conversdo do dia do pagamento; AY / ' b) A Procuradoria-Geral da Suiga seré disponibilizado valor em francos suigos, { IA respeitados os termos do Apéndice 5 ¢ do §12 abaixo, e sera parcialmente pago imediatamente, pela apropriagio dos valores de propyiedade apreendidos naquele pais, ¢ 0 restante pago a ph Pagamento), em proporgio igual ao valor que ser! & CA gn & Sy Bde 26 MINISTERIO PUBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPUBLICA NO PARANA Forea-Tarefa Operacio Lava Jato Piiblico Federal, até o limite do valor acima, sendo deduzido do Valor Global a taxa de conversio do dia do pagamento. §2°. 0 saldo do Valor Global estipulado no Apéndice 5 sera acrescido da efetiva variacio da SELIC entre a data do primeiro pagamento e a data de pagamento das demais parcelas, prevalecendo sobre a estimativa utilizada na projegio de variacao futura do mesmo indice prevista no Apéndice 5. §3°. Descontada a parcela destinada a outras jurisdigies, conforme acordos celebrados pela COLABORADORA com o Departamento de Justiga dos Estados Unidos da América e com a Procuradoria-Geral da Suica, conforme especificado no §1° eno Apéndice 5, 0 Valor Global seré disponibilizado ao Ministério Publico Federal e destinado da seguinte forma: a) _ 0 valor correspondente a 97,5% (noventa ¢ sete por cento) para fins de ressarcimento dos danos materiais e imateriais causados pelos fatos e condutas ilfcitas objeto deste Acordo aos entes puiblicos, érgaos puiblicos, empresas pablicas, fundagbes piblicas e sociedades de economia mista, observado o disposto no artigo 16, § 3°, da lei n° 12.846/2013; b) _ 0 valor correspondente a 2,5% (dois e meio por cento) a titulo de perda de valores relacionados a pratica dos erimes previstos na Lei de Lavagem de Dinheiro, nos termos no art. 7°, caput, inciso I, e pardgrafo 1°, da Lei 9.613/98 54°. A COLABORADORA disponibilizaré, diretamente ou, a critério da COLABORADORA, por intermédio de empresa do seu grupo econdmico, os valores 20 Ministério Pablico Federal mediante depésito judicial junto ao juizo homologador ou ao Jufzo da 13% Vara Federal da Subsegio de Cutitiba, conforme condigées estabelecidas no Apéndice 5, observado o procedimento de verificacio de que trata 0 §12, abaixo, e disponibilizaré os valores destinados a outras jurisdigdes diretamente a elas, sempre com vencimento das parcelas no dia 30 de junho de cada ano. 85°. Durante o perfodo em que se encontrar devedora da obrigagio de que trata © inciso XI da cliusula 64, a COLABORADORA sé poderé distribuir aos seus QO acionistas lucros e dividendos ou pagar juros sobre o capital proprio, a cada exereicio contabil, na medida em que tenha efetuado o pagamento integral da altima parcela vencida, limitado ao minimo obrigatério previsto no art. 202 da Lei n° 6.404/76. §6°. A distribuiggo de Iucros/dividendos ou pagamento de juros em valor superior s6 poder ocorrer se houver pagamento de parte da proxima parcela vincend; em valor equivalente ao lucro/dividendo adieional a ser distribuido ou aos juros pagos. §7°. A titulo de garantia do cumprimento da obrigagdo de que trata esta cléusula, a COLABORADORA depositaré ou fard com que seja depositado em seu favor: MINISTERIO PUBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPUBLICA NO PARANA, Forga-Tarefa Operagio Lava Jato Il — por ocasiio do pagamento de cada parcela, depositard valor para complementar eventual diferenga entre o saldo que estiver em depésito na data do pagamento ¢ o valor da proxima parcela vincenda; TIT — em caso de utilizagio do valor depositado em garantia para quitagdo de parcela no paga no vencimento, a COLABORADORA devera, independentemente de notificagéo, recompor o valor da nova garantia, no prazo de 30 (trinta) dias do vencimento da parcela nao paga, sob pena de rescisto deste Acordo, nos termos da Cléusula 14. 88°. 0 valor indicado na alinea “a” do §3* desta cléusula 74, destinado aos ‘orgios ¢ entidades da Administracio direta e indireta da Unido, Estados e Municipios que tiverem sido lesados em decorréncia dos fatos narrados nos Anexos serao repassados pelo Jufzo da 13* Vara Federal de Curitiba as vitimas, mediante depésito judicial especifico, diretamente ou mediante transferéncia para o juizo competente ‘quando houver adesdo do respectivo érgio do Ministério Pablico, nos termos de relatério de imputagio de crédito apresentado pelo Ministério Pablico Federal. 0 mesmo relatério deverd discriminar a destinacao de 2,5% (dois e meio por cento) do valor indicado na alinea “a” do §3# desta cldusula 7" para fins da multa civil de que trata o art. 12 da Lei n® 8.429/92, 0 que também serd destinado as vitimas. $0°. Os valores imputados a fatos em relagdo aos quais 0 respeetivo Orgio do Ministério Pablico nio aderir a0 Acordo serio utilizados para fins de ressareimento posterior e complementar relacionado aos fatos que foram abrangidos por acordo entre Ministério Pablico e COLABORADORA, sendo vedada, em qualquer hipétese, a sua devolugio A empresa. §10. Do crédito imputado nos termos do relatério mencionado no §8° desta Cléusula 74 a determinado fato serio descontados os valores que a COLABORADORA, empresas de seu grupo econdmico ou Prepostos venham a agar as respectivas vitimas que tiverem sido lesadas em decorréncia dos fatos objeto deste Acordo, em razio de decisio judicial definitiva, bloqueio cautelar (enquanto bloqueado) ow transagio sobre 0 quantum debeatur decorrente do fato objeto da referida imputacao. @e §11. A COLABORADORA poderé buscar 0 reconhecimento da situagio de compensagao junto a vitima ou tereeito lesado de valores devidos de parte a parte. /| Havendo reconhecimento dessa situacio, aplicar-se-A a regra prevista no §10 desta Clausula 7°. $12. Os valores de que trata 0 Apéndice 5 poderio ser ajustados, sem que haj redugdo do Valor Global, em razo do procedimento de verificagao da veracidade das declaragées prestadas pela COLABORADORA quanto a projegao de seu fluxo de caixa disponivel para pagamento do Valor Global. Tal procedimento sera realizado em, conjunto pelo Ministérie Pablico Federal e o Departamento de Justiga do Govern dos Estados Unidos da América, até margo de 2017. §13. Para fins do procedimento de verificagao 4 MINISTERIO PUBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPUBLICA NO PARANA Forga-Tarefa Operacao Lava Jato assessoria financeira de empresa especializada e iddnea, que atuard sob determinacao do Ministério Pablico Federal, V - Proposta do Ministério Pablico Federal Cléusula 8%. Considerando a gravidade e a repercussao social dos fatos apurados, ¢ a eficdcia da colaboracio acordada: I — 0 Ministério Public Federal, nas atribuigdes da Fora Tarefa Lava Jato, compromete-se: a) a realizar gestées perante outras autoridades ou entidades pablicas com as quais a COLABORADORA venha a entabular tratativas para a celebragio de acordos tendo como objeto os mesmos fatos revelados no Ambito deste Acordo, tais como 0 Ministério da ‘Transparéncia, Fiscalizagio e Controle (MTFC, antiga Controladoria Geral da Unio ~ CGU), autoridades dos Estados e Municipios competentes para a instauragao dos processos de responsabilizagiio nos termos da Lei 12.846/13, Tribunal de Contas da Uniio, dos Estados e dos Muniefpios, o Conselho Administrative de Defesa Econémica ~ CADE, Advocacia Geral da Unio — AGU e as advocacias piblicas dos Estados e Municipios, e empresas piblicas e sociedades de economia mista, no que couber, para a realizagao de acordos semelhantes com esses 6rgios, inclusive com a consideragio da data da assinatura desse Acordo de Leniéneia para efeitos de termo de “marker” perante aqueles érgios, se as empresas do grupo econémico da COLABORADORA ainda nao o tiverem obtido, inclusive com 0 objetivo de evitar 0 ressarcimento em duplicidade no tocante ao valor pago por meio deste Acordo; 1b) a emitir certidao atestando, perante érgaos ou autoridades mencionadas na alinea anterior ou autoridades estrangeiras, a extensio da cooperacio da COLABORADORA, incluindo o grau de relevancia dos fatos revelados, a utilidade para a identificagao dos demais envolvidos em atos ilfcitos e para a obtengao eélere de informagées, documentos ¢ clementos comprobatérios, bem como outros elementos que forem pertinentes para a celebragio de acordos no ambito desses érgios ou entidades com vistas 4 concessio do beneficio correspondente. Sem prejuizo de refletir © integral valor da colaboragao, a certidao preservaré o sigilo decorrente do presente Acordo de Leniéneia sobre os fatos revelados, sempre que cabivel; ©) nao propor qualquer ago de natureza criminal pelos fatos e/ou condutas revelados em decorréncia deste Acordo de Leniéncia contra os Aderentes por suas condutas reveladas em decorréneia deste Acordo de Leniéneia, ou constantes dos anexos, inclusive documentos, provas, dados de corroboragio, sistemas eletrénicos, bases de dados, entrevistas e depoimentos prestados, nos termos do §3° da Cléusula acima; d) a no propor qualquer_agao de natureza civel ou sancionatéria, inclusive ages de improbidade administrativa, pelos fatos ou condutas revelados em decorréncia deste Acordo de Leniéncia, contra a COLABORADORA, empresas de seu grupo cconémico, Aderentes, enquanto cumpridas integra] as cléusulas estabelecidas neste Acordo, salvo se, por necessidade de interronfper a prgscricao, for oferecida com pedido exclusivamente declaratério, caso em que, 4m segujda a propositura, Nar-se-d<7) ~, do §6° da Clausyfa 8%; JO TAY act requerimento de suspensdo de seu tramite, nos term: ( Ch fet b gina 11 de2 & wa > Pagina 11 de 26 ( EZ ~Hhy, MINISTERIO PUBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPUBLICA NO PARANA Forga-Tarefa Operacao Lava Jato e) a empreender gestdes junto aos érgios ptiblicos, empresas piblicas e sociedades de economia mista para que retirem quaisquer eventuais restrigées a 4 COLABORADORA que sejam relacionadas aos fatos objeto deste Acordo; f) a pleitear, em até 30 (trinta) dias contados da homologagio deste Acordo pela 54 Camara de Coordenagao e Revisio, no ambito das agdes judiciais eiveis de atribuigao dos membros do Ministério Pablico Federal signatarios, listadas de forma no exaustiva no Apéndice 6, 0 desbloqueio de bens da COLABORADORA, das empresas de seu grupo econdmico e dos Aderentes que tenham sido assim onerados, levando este Acordo a conhecimento do respectivo Juizo, e empreender gestdes para que outros colegitimados que tenham imposto ou proposto medidas cautelares, com fundamento nos fatos objeto deste Acordo que sejam de atribuicio do Ministério Pablico Federal, procedam da mesma forma, inclusive tribunais de contas; g) a prestar declaragdes a _terceiros, conforme _solicitado pela COLABORADORA, atestando o contetido e/ou cumprimento dos compromissos assumidos por ela e pelas empresas de seu grupo econdmico, quando necessarias para permitir a celebragao ou manutengao de contratos com tais tereeiros, sejam privados, inclusive instituig6es financeiras e seguradoras, ou adquirentes de ativos da COLABORADORA, ¢ érgios ¢ entidades publicas, inclusive conforme previsto nas Clausula 18 e 22, abaixo, ficando a COLABORADORA desde ja autorizada a dar publicidade a estas declaragdes sem que seja considerada violagao de dever de sigilo decorrente do presente Acordo de Leniéneia; e h) a defender perante terceiros a validade ¢ eficécia de todos os termos ¢ ‘bes deste Acordo para todos 0s fins. IL — os demais membros do Ministério PGblico que vierem a aderir a este Acordo de Leniéncia comprometem-se, no ambito de suas atribuigdes: a) a empreender gestdes perante outras autoridades ou entidades piblicas com as quais a COLABORADORA venha a entabular tratativas para a celebragdo de acordos tendo como objeto os mesmos fatos revelados no Ambito deste Acordo, tais como 0 Ministério da Transparéncia, Fiscalizagéo e Controle (MTFC, antiga OQ Controladoria Geral da Unido — CGU), as autoridades dos Estados e Municipios competentes para a instauragio dos processos de responsabilizacio nos termos da Lei 12.846/13, o Tribunal de Contas da Unido, dos Estados e dos Municipios, 0 Conselho Administrativo de Defesa Econémica — CADE, a Advocacia Geral da Unifio — AGU e as advocacias piiblicas dos Estados e Municipios, e empresas piblicas e sociedades economia mista, no que couber, para a realizacio de acordos semelhantes com esses 6rgios, inclusive com a consideracio da data da assinatura desse Acordo de Leniéncia para efeitos de termo de “marker” perante aqueles 6rgdos, se as empresas do grupo econdmico da COLABORADORA ainda nao 0 tiverem obtido, inclusive com © objetivo de evitar o ressarcimento em duplicidade no tocante ao valor pago por meio | deste Acordo; U idades mencionadas na io da cooperacio da, fos revelddos,.a utilidadd\ 0 | / Wy f th 2 NCuceEee- b) a mitir certidao atestando, perante érgios alinea anterior ou autoridades estrangeiras, a COLABORADORA, incluindo o grau de relevancia es. an eS “" MINISTERIO POBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPUBLICA NO PARANA Forga-Tarefa Operagio Lava Jato para a identificagao dos demais envolvidos em atos ilicitos e para a obtencao célere de informagoes, documentos ¢ elementos comprobatérios, bem como outros elementos que forem pertinentes para a celebragio de acordos no ambito desses érgios ou entidades com vistas a obtengao do beneficio correspondente. Sem prejuizo de refletir 0 integral valor da colaboragao, a certidio preservata o sigilo decorrente do presente Acordo de Leniéneia sobre os fatos revelados, sempre que cabivel; ©) a nao propor qualquer ago de natureza criminal pelos fatos e/ou condutas de sua atribuigao e revelados em decorréncia deste Acordo de Leniéneia contra os Aderentes por suas condutas reveladas em decorréncia deste Acordo de Leniéneia, ou constantes dos anexos, inclusive documentos, provas, dados de corroboraczo, sistemas eletr6nicos, bases de dados, entrevistas e depoimentos prestados, nos termos do §3° da Clausula 5°, aeima 4) a nao propor qualquer ago de natureza civel ou sancionatria, inclusive ages de improbidade administrativa, pelos fatos ou condutas revelados em decorréncia deste Acordo de Leniéncia, contra a COLABORADORA, empresas de seu grupo econdmico, Aderentes, enquanto cumpridas integralmente as clausulas estabelecidas neste Acordo, salvo se, por necessidade de interromper a prescrigao, for oferecida com pedido exclusivamente declaratério, caso em que, em seguida a propositura, far-se-A Tequerimento de suspensao de seu tramite, nos termos do §3° da Clausula 8%; ©) a empreender gestdes junto aos érgios piblicos, empresas piiblicas e sociedades de economia mista para que retirem quaisquer eventuais restrigdes cadastrais & COLABORADORA que sejam relacionadas aos por fatos objeto deste Acordo; £)_a pleitear, em até 30 (cinco) dias contados da homologacdo deste Acordo pelo 6rgio do Ministério Pablico estadual ou jufzo cfvel correspondente ~ 0 que ocorrer antes, 0 desbloqueio de bens da COLABORADORA, das empresas de seu grupo econdmico e dos Aderentes que tenham sido assim onerados, levando este Aeordo a conhecimento do respectivo Jufzo, e empreender gestées para que outros colegitimados que tenham imposto ou proposto medidas cautelares, com fundamento nos fatos objeto deste Acordo que sejam de atribuigo do Ministério Pablico Federal, procedam da ‘mesma forma, inclusive tribunais de contas; OQ g) a prestar declaragdes._a_terceiros, conforme _solicitado pela /) COLABORADORA, atestando’o conteddo ¢/ou cumprimento dos compromissos assumidos por ela e pelas empresas de seu grupo econémico, quando necessiirias para permitir a celebragéo ou manutengéio de contratos com tais terceiros, sejam privadasy inclusive instituigGes financeiras e seguradoras, ou adquirentes de ativos da COLABORADORA, ec 6rgios ¢ entidades pablicas, inclusive conforme previsto nas Cléusulas 18 ¢ 22, abaixo, ficando a COLABORADORA desde jé autorizada a dar publicidade a estas declaragdes sem que seja considerada violagio de dever de sigilo decorrente do presente Acordo de Leniéncia; hh) a defender perante terceiros a condigaes deste Acordo para todos os fins. Pepe) de 26 G rll CBR MINISTERIO PUBLICO FEDERAL, PROCURADORIA DA REPUBLICA NO PARANA Forga-Tarefa Operagio Lava Jato §1°. Os beneficios conferidos por este Acordo a cada Aderente s6 serdo aplicdveis aos fatos ilicitos por ele mesmo reconhecidos. Os beneficios conferidos por este Acordo a COLABORADORA e 3s empresas de seu grupo econdmico s6 serio aplicaveis na medida dos fatos relatados pela primeira no ambito deste Acordo. O disposto neste parégrafo prevalece sobre qualquer outra previséo neste Acordo que possa ser entendida em contrario. §2°. Os beneficios previstos neste Acordo de Leniéncia se aplicam a todo o grupo econdmico da COLABORADORA, ¢ aos Aderentes, observado 0 disposto nas demais clausulas deste Acordo, §3°. Nas Ages Civis Piblicas e de Improbidade j4 propostas ou que venham a ser propostas em relagio A COLABORADORA, empresas de seu grupo econémico e Aderentes com fundamento nos fatos objeto deste Acordo, 0 Ministério Publico Federal, bem como todos os demais membros dos Ministérios Piblicos que aderirem aeste Acordo, compromete-se a postular, como autor ou como fiscal da lei: a) a suspensiio do processo até o final cumprimento da Cléusula 64 inciso XI, ¢, uma ver. cumprida, a sua extinggo definitiva, ou, alternativamente; b) o reconhecimento de efeito apenas declaratorio em sentengas relacionadas a atos de improbidade administrativa, sem aplicago de sangies. 84°. Por forca do que é declarado no presente termo, 0 Ministério Publico Federal, bem como todos os demais membros dos Ministérios Pablicos que aderirem aeste Acordo, no ambito de suas atribuigées, ndo propord qualquer medida adicional para obter ressarcimento civel ou aplicar penalidades, em relagdo aos fatos revelados neste Acordo, 3 COLABORADORA, empresas do seu grupo econdmico bem como em relagdo a Aderente. §5°. 0 Ministério Pablico Federal, bem como todos os demais membros dos Ministérios Publicos que aderitem a este Acordo, compromete-se a empreender gestdes junto a qualquer empresa publica, sociedade de economia mista ou ente piblico legitimado para postular ressareimento por danos causados pela COLABORADORA abrangidos neste Acordo, para que compense os valores pagos neste Aeordo do montante do débito que impute a COLABORADORA e conceda a Oo COLABORADORA beneficio de ordem em face de outras pessoas jurfdicas que sejam solidarios do mesmo débito, exclufdas aquelas em estado falimentar. VI - Declaragdes da COLABORADORA e Aderentes Clausula 9%. A COLABORADORA e/ou Aderentes declaram, sob as penas da lei — cada um em relagio apenas 4s suas proprias obrigagdes e beneficios decorrentes deste Acordo ~ que: a) as informagies prestadas perante 0 Ministério Pablico Federal com relagio a este Acordo de Leniéncia sio verdadeiras e precisas; b) cessou seu envolvimento nos fatos ilfeitos (lesegitos nos dnexos a este Acordo, assim como a COLABORADORA declara queer poder paya dleternginar & ni, NV ees a \y X “ : hone : f ' MINISTERIO POBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPUBLICA NO PARANA Forga-Tarefa Operagio Lava Jato determinou que todas as empresas controladas cessassem seu envolvimento nos fatos ilfeitos descritos nos anexos a este Acordo; €)_ esto cientes de que o descumprimento de qualquer das obrigagoes previstas neste Acordo de Leniéneia poder resultar na perda dos beneficios previstos neste termo, observado o disposto no §1° da Cléusula 143 d) estio cientes de que a prestagio de quaisquer declaragées ou informagées falsas poderd ser considerada descumprimento do presente Acordo de Leniéncia, com a consequente perda dos beneficios previstos neste termo, observado o disposto no §1 da Cléusula 14, sem prejufzo das sangGes penais em relagao a falsa declaraco; ©) estio cientes de que os signatérios que desistirem unilateralmente, no todo ou em parte, do presente Acordo de Leniéncia devidamente homologado, nao fario Jus aos beneficios aqui acordados, podendo as informagdes e documentos apresentados relativos aos fatos e condutas abrangidas neste Acordo ser utilizados inclusive para sua responsabilizagao civel ¢/ou criminal, em quaisquer procedimentos instaurados ou propostos pelas autoridades puiblicas que tenham por objeto quaisquer fatos apurados em decorréncia deste Acordo; f)_estio cientes de que, em caso de descumprimento do Acordo de Leniéncia pela COLABORADORA c/ou Aderentes, as informagées. e documentos apresentados relativos aos fatos ¢ condutas abrangidas neste Acordo poderdo ser utilizados inclusive para sua responsabilizagao civel e/ou criminal em quaisquer procedimentos instaurados ou propostos pelas autoridades piiblicas que tenham por objeto quaisquer fatos mencionados neste Acordo; 8) esto cientes de que, aderindo ao presente Acordo, estarao obrigados a prestar declaragdes as autoridades competentes, acompanhados de seus advogados, com as obrigagies aplicaveis a qualquer colaborador, especialmente a reniincia a0 exercicio do diteito ao siléncio e nfo autoincriminagao, nos limites da adesio e em relagao ao objeto do presente Acordo. Paragrafo nico. O Ministério Pdblico Federal poderd nao levar A homologagiio a adesio ao Acordo dos Aderentes cujos eventuais depoimentos colhiidos nao correspondam aos anexos apresentados por ocasifio de sua adesio ¢, neste C caso, 0s relatos e as provas constantes dos respectivos anexos nfo poderao ser utilizados. _ATT VII - Manifestagao de Adestio Clausula 10. Seré aberto pelo Ministério Piblico Federal, pelo periodo indicado no §5° da Cléusula 5% deste Acordo de Leniéneia, procedimento administrative para que a COLABORADORA entregue a0 MPF os termos de manifestagio de intengio de adesio a este Acordo por parte de qualquer Preposto, sempre acompanhado de advogado, que deseje recebimento dos beneficios previstos neste Acordo, em conformidade com o disposto no §3° da Clausula 5%. §1°. Qualquer Preposto da COLABORADORA pod desta, solicitar a adesdo a este Aeordo, desde que acompanha @ 2 cee % Pagina ie: 4 MINISTERIO PUBLICO FEDERAL. PROCURADORIA DA REPUBLICA NO PARANA. Forga-Tarefa Operacio Lava Jato §2°. Se o Ministério Publico Federal concluir que as exigéncias para a adesio aeste Acordo de Leniéncia, previstas em lei ou neste Acorda, nao foram atendidas, este Grgdo devera, fundamentando a deciso, comunicar verbalmente o solicitante ¢ seus advogados, que poderao interagir com 0 MPF visando esclarecer e contrapor os fundamentos da decisao do MPF para que a adesao possa ser admiti §3°. O Ministério PGblico Federal, considerando a posigio hierérquica do Preposto na Empresa e o graut de responsabilidade pelos fatos, ou ainda o decurso de 120 dias contados da homologacdo do Acordo sem que o preposto tenha feito proposta de adesio, podera determinar como condig&o para a adesio desse Preposto a este Acordo de Leniéncia exigéncia extraordinaria ¢ nao prevista neste Acordo, como a realizagao de curso, seminario, ou semelhante relacionado ao objetivo de reabilitago ético-profissional, especialmente relativa ao pagamento de valor a ser destinado ao ressarcimento parcial dos danos causados as vitimas. VII - Sigilo Clausula 11. 0 contetido deste Acordo de Leniéneia, inclusive dos respectivos anexos, de todos os depoimentos e documentos produzidos serd de acesso restrito até 0 momento da apresentagéo de medidas cautelares, deniincias e/ ou acdes civeis em relagio a pessoas fisicas ou juridicas que venham a ser reveladas como responsaveis por infragées ¢ ilicitos civeis ou criminais em virtude da colaborag&o prestada nos termos deste Acordo de Leniéneia, observado 0 disposto nas Clausulas 19, 20 ¢ 21 € no Apéndice 2 deste Acordo. $19. Caso o Ministério Péblico entenda que a restrigdo de acesso a anexos, depoimentos e documentos nao é mais necesséria para as investigagdes e na hipotese de jé ter 0 Acordo sido homologado pelo juizo competente, 0 Ministérie Publico podera requerer ao jufzo 0 levantamento do sigilo dos autos, observado o disposto ni Cléusulas 19, 20 21 e no Apéndice 2 deste Acordo. §2°. Fica excetuada da condigio de sigilo de que trata esta Cléusula a divulgagio pelo Ministério Piiblieo Federal e autoridades indieadas na Clausula 7" sobre a existéncia do Acordo de Leniéneia e do valor de que trata a Cléusula 74, assim como do contetido do Apéndice 5, CO Cléusula 12. 0 sigilo dese Acordo pode ser transferido a empresa de auditoria A externa contratada pela COLABORADORA, desde que haja determinagao expressa de sigilo entre a COLABORADORA e essa empresa no contrato assinado entre ambas, bem como a empresa de auditoria externa declare a0 Ministério Public Federal sua adesio as regras de sigilo deste Acordo. IX — Rentincia ao exercicio da garantia contra a autoincriminagio e do direito ao siléncio Cléusula 13. Ao aderir ao Acordo de Leniéneia, os Aderentes, na presenca de seus advogados, estdo cientes do direito constitucional ao siléncio,e da garantia jos do art. 4f, §14, da Lei fe restarem, yeeonhecando contra a autoincriminagdo, a cujo exercicio, nos 12.850/2013, RENUNCIAM nos depoimentos iC on MINISTERIO PUBLICO FEDERAL. PROCURADORIA DA REPUBLICA NO PARANA Forea-Tarefa Operacio Lava Jato conferindo vali anterior a adesa¢ de_plena a qualquer declaragdo ou depoimento realizado em data X- Rescisio Clausula 14, 0 Acordo de Leniéneia poder ser rescindido, a pedido do membro do Ministério Pablico com atribuigio pela investigagao e proceso dos fatos condutas ilicitas a que o descumprimento se referir, em relagao apenas COLABORADORA ou ao Aderente que o descumprir, nas seguintes hipéteses: a) se a COLABORADORA ou 0 Aderente descumprir as obrigagées assumidas neste Acordo, inclusive aquelas exemplificativamente descritas a seguir, em especial o nao pagamento dos valores acordados na Cléusula 78, §3°, observado 0 disposto na alinea “j” abaixo; b) sea COLABORADORA ou 0 Aderente sonegar dolosamente informagées, fatos, provas e quaisquer documentos, que objetivamente sejam relevantes, ou mentirem em relagio a fatos relevantes em apuragio, em relacio aos quais se obrigaram a cooperar, a critério do juizo competente; ©) se a COLABORADORA ou 0 Aderente recusar-se a prestar qualquer informagao relevante solicitada pelo Ministério Pablico de que tenham conhecimento € que deveriam revelar nos termos deste Acordo; d) se a COLABORADORA ou o Aderente recusar a entregar documento ou prova solicitada pelo Ministério Pablico que tenha em seu poder ou sob a guarda de pessoa de suas relagdes ou ainda sujeito a sua autoridade ou influéncia, sobre fatos em relagao aos quais se obrigou a cooperar, salvo se, diante da eventual impossibilidade de obteneao direta de tais documentos ou provas, indicar a0 Ministério Publico a pessoa que o guarda e/ou o local onde poderd ser obtido, para a adogio das providéncias cabiveis; e) se ficar provado que a COLABORADORA ou 0 Aderente sonegou, adulterou, ou destruiu, dolosamente, provas que tinha em seu poder ou sob sua disponibilidade e que deveria entregar a0 Ministério Publico Federal por forca deste Aeordo, salvo se: e.1) em relacio a COLABORADORA, este fato aconteceu antes da assinatura do termo de confidencialidade deste Acordo ¢ foi revelado em anexo especifico existente na data de assinatura deste Acordo ou apresentado até o encerramento da= investigacdo interna; ou €.2) em relagio ao Aderente, este fato aconteceu antes da assinatura do termo de confidencialidade deste Acordo ¢ foi revelado em anexo da Adesio; f) se qualquer Aderente, apés a homologagio judicial deste Acordo, vier a, praticar crime doloso da mesma espécie daqueles narrados em seus depoimentos of \ crimes de corrupcao, peculato ou de lavagem de digs A) y g) se qualquer Aderente deste Acordo d iéncia fugir ou tentar furtar se, por qualquer meio, & agdo da Justiga Criminal}; { w WK MINISTERIO PUBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPUBLICA NO PARANA. For¢a-Tarefa Operacao Lava Jato h) se 0 sigilo a respeito deste Acordo de Leniéncia for quebrado pela COLABORADORA ou Aderentes, ou por suas defesas técnicas; _ i) se a COLABORADORA ou Aderentes, direta ou indiretamente, impugnarem os termos deste Aeordo, ressalvado o direito de recorrerem de di que nao aplicarem as regras aqui previstas; J) se a COLABORADORA deixar de recompor a garantia prevista na Clausula 78, acima, depois de instada a fazé-lo no prazo de 30 (trinta) dias, mediante comunicagao a seu representante; k)_se o Aderente deixar de cumprir eventual exigéncia extraordinaria prevista no §3° da Clausula 10, acima, §1°. Cada um dos. Aderentes e a COLABORADORA sao individual e independentemente responsaveis pelas obrigagdes assumidas e pelas declaragées feitas com relagao 20 Acordo de Leniéneia, ¢ 0 descumprimento das obrigacées c/ou qualquer declaragao falsa por parte de um deles no implicard na responsabilidade ou descumprimento pelos demais, nem de qualquer modo afetard os direitos dos demais signatarios deste termo. §2°. O descumprimento da obrigagio de pagamento de que trata o inciso XI da Cldusula 6% ou da recomposicdo da respectiva garantia pela COLABORADORA no ensejar_a perda pelos Aderentes dos beneficios previstos neste Acordo de Leniéneia. §3°. Uma vez rescindido 0 Acordo de Leniéneia a pedido do membro do Ministério Paiblico que tiver aderido a este Acordo ¢ com atribuigdo pela investigagio e processo dos fatos e condutas ilicitas a que o descumprimento se referir, em relagao ao Aderente que o descumprir, ficaré a critério de outros érgios do Ministério Pablico avaliar se postulard a rescisio do acordo em relacdo a outros fatos, pelo mesmo motivo e em relagio & mesma pessoa. Clausula 15. 0 Acordo de Leniéneia poderé ser rescindido a pedido da COLABORADORA, ou do Aderente, em relacdo exclusivamente ao requerente, em caso de descumprimento das obrigagdes do Ministério Pitblico. i Cléusula 16. 0 Acordo de Leniéncia sera rescindido: Nh I- na esfera criminal, pelo jufzo criminal que o homologou, mediante notificag: das partes ¢ realizagao de audiéncia de justificago com a realizagéo, quando possivel / saneamento por parte do infrator, de audiéncia de coneiliagio entre as partes, que podera ser una a audiéncia de justificagéo, por economia processual; AN IL - na esfera civel federal pela 5% Cimara de Coordenagdo © Revisio do / | Ministério Pablico Federal; ¢ ial IIH ~ na esfera civel estadual, pelo érgio que a homologou. UV §1°. Caso verificadas as hipdteses das alineas dj ple 4, manter se igo e plenamente et ) és nao culpadas.(\ hy IK) : Bd Xs (ans aly “ ingeoorro MINISTERIO PUBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPUBLICA NO PARANA Forca-Tarefa Operagio Lava Jato $29. Em caso de rescistio deste Acordo nos termos da alinea “j" da Clausula 14. acima ocorreré o vencimento antecipado de todas as parcelas vincendas do valor previsto na Clausula 74, §3° deste Acordo de Leniéneia, observado sempre 0 disposto no §2° da Clausula 14. §3°. Caso apurado fato ilicito envolvendo a COLABORADORA ou Prepostos: que nao constarem nos anexos e que nao foram revelados no prazo estipulado neste Acordo, ou que no tenham sido abarcados no Acordo nos termos da Cliusula 5%, 84°, 0 Ministério Pablico Federal poder desde logo propor a aco penal ou civel respeetiva, XI ~ Homologacéo Cléusula 17. A apresentacio deste Acordo de Leniéncia para os érgios de homologagio obedecera ao seguinte procedimento: 1 ~ 0 Acordo de Leniéncia, apés assinado pelas partes, sera primeiramente encaminhado pela Forga Tarefa Lava Jato para homologagéo na 5* Camara de Coordenagao € Revisio do MPF, acompanhado de relatério sintético dos motivos da celebracao do Acordo, dos anexos produzidos pela COLABORADORA e declaragées dos Aderentes e de outros documentos que se entendam necessirios a sua perfeita compreensio; II ~ Apés a decisdo da 5% Camara de Coordenagao e Revisio do MPF: a) caso 0 Acordo de Leniéncia seja homologado, sera apresentado: i) para os demais érgios do Ministério Pablico com atribuigdo, nos termos da Clausula 4%, §2°; if) para o juizo da 13* Vara Criminal de Curitiba’ para que homologue os seus efeitos criminais no Ambito de sua competéncia; b) caso o Acordo de Leniéncia nao seja homologado, sera oportunizada as partes a corregao dos motivos de sua nao homologagio, se possivel, apés 0 que poder ser reapresentado para 0 6rgio homologadot; de corrigir os motivos de sua nao homologagao, ou nao’ haja mais interesse da COLABORADORA ou da Forca Tarefa Lava Jato, serao devolvidos, mediante recibo, & COLABORADORA ou 20s Aderentes os anexos, provas ¢ documentos que produziu, nao podendo serem utilizados para quaisquer efeitos; III - Em caso de nao homologagao deste Acordo de Leniéncia pelo Juizo di f 138 Vara Criminal de Curitiba: / ©) caso 0 Acordo de Leniéneia nio seja homologado, e nao haja possibilidade Oo a) ser oportunizada as partes a corregdo dos motivos de sua nao homologacio, / v { se possivel, ap6s 0 que o Acordo de Leniéncia podera ser reapresentado ao referido | Juizo; b) caso no haja possibilidade de corrigir os ou no haja mais interesse da COLABORADOR nenhum depoimento, documento ou prova de qual para responsabilizar criminalmente os Aderentes. MINISTERIO PUBLICO FEDERAL, PROCURADORIA DA REPUBLICA NO PARANA. Forga-Tarefa Operacao Lava Jato §1°. A niio homologagdo do presente Acordo de Leniéncia pelo Jitizo da 134 Vara Federal de Curitiba nao prejudica os efeitos civeis do Acordo de Leniéncia homologado pela 5% Camara de Coordenagio ¢ Revisio do MPF, podendo os depoimentos, documentos ou provas de qualquer espécie que 0 acompanhem ser utilizados em relagao a terceiros inclusive na esfera criminal, néo podendo ser utilizados em desfavor dos Prepostos. §2°. A homologacao deste Acordo nos Ministérios Piblicos dos Estados obedecerd o procedimento desta Clausula 17, inclusive no que se refere & submissao a0 6rgio homologador interno civel, quando houver, previamente a submissiio ao juizo criminal. 83°. Em caso de nao homologagao deste Acordo de Leniéneia por algum dos demais érgios dos Ministétios Piblicos dos Estados ou jutzos competentes, aplicar-se-4 © disposto na parte final do §9° da Clausula 4* ¢ nesta Clausula 17, no que couber, aos fatos objeto deste Acordo de Leniéneia de suas atribuigdes e competéncias respeetivas, mantendo-se o Acordo higido e plenamente eficaz em relagio aos demais fatos. XI — Contratagéo com o Poder Publico Clausula 18. 0 Ministério Pablico Federal e os demais 6rgiios do Ministério Pablico aderentes, em relagdo a suas atribuigdes, comprometem-se: a) a nio pleitear, com fundamento nos fatos revelados neste Acordo de Le- niéncia, a declaragao de nulidade de quaisquer contratos celebrados, vigentes e/ou ja encerrados, que tenham como partes, de um lado, qualquer entidade da Administracio Pablica direta e/ou indireta da Unido, Estados, Distrito Federal e Municipios, inclusive entidades financeiras ¢/ou seguradoras controladas pelo Estado e, de outto lado, a CO LABORADORA ou empresas de seu grupo econémico; b) a levar este Acordo ao conhecimento de érgios e entidades da Administra~ Gio Piblica direta e/ou indireta da Unido, Estados, Distrito Federal e Munieipios, in- clusive entidades financeiras e/ou seguradoras controladas pelo Estado, para que seja considerada a manutengao dos atos, contratos ou negécios jurfdicos que tenham cele (eu brado com a COLABORADORA ou empresas de seu grupo econdmico, com objetivo de manutencao da capacidade de pagamento dos valores previstos neste Acordo, ob- servado, no que couber, o disposto na alinea (b) da Clausula 88; ©) a prestar declaragdes a terceiros, quando solicitado pela COLABORADO- RA, atestando 0 contetido e/ou cumprimento dos compromissos assumidos pela CO- LABORADORA ¢ Aderentes, quando necessarias para permitir a celebragao de ce tratos com a Administragao direta ou indireta Unido, Estados, Distrito Federal e Muni- 1a? cipios, inclusive entidades financeiras e/ou seguradoras controladas pelo Estado, ou / i com a Administragio Pablica estrangeita; e /} /A\ ’trobras para que seja considera- posto as empresas pertencentes | fundamentg nos fatos abrangidos 4pacidade dé awe dos valores, C Ay ) c weed ne 2 / a a , Le y iy 2B i (ae V\.28) \ Wewoertn 4) a levar este Acordo ao conhecimenty da a extingdo da medida de bloqueio cautelar yf a0 grupo econdmico da COLABORADORA\ neste Acordo, com o objetivo de manutengio 4 MINISTERIO PUBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPUBLICA NO PARANA Forga-Tarefa Operaciio Lava Jato previstos neste Acordo, observado, no que couber, o disposto na alfnea (b) da Cléusula 84, XIII ~ Condigées especiais de reserva em relagio a fatos em ambito internacional Clausula 19. 0 MPF compromete-se a manter sigilo, pelo prazo de 6 (seis) me- ses contados da assinatura do presente Acordo, quanto aos anexos referentes as prati- cas ilicitas objeto deste Acordo que envolvam diretamente agentes piblicos estrangei- 0s ~ inclusive quando tenha havido interposigdo de intermediario, se identificado 0 agente publico estrangeiro ~ realizadas pelo grupo econdmico da COLABORADORA ¢ Aderentes, bem como em postular em juizo a observancia de tal prazo de sigilo. A COLABORADORA poder pedir motivadamente a extensio do prazo previsto nesta cléusula, cabendo ao MPF discricionariamente avaliar. Pardgrafo tnico. Esta clausula ¢ a seguinte abrangem apenas informagées, de- poimentos e provas que tenham sido obtidos em decorréncia deste Acordo. Cléusula 20. Decorrido o prazo previsto na Cliusula 19, para assegurar a efeti- vidade da protegio da COLABORADORA e Aderentes cm ontros paises, observado o estabelecido na Cléusula 21, 0 Ministério Pablico pleitearé aos respectivos juizos bra- sileitos competentes que: 1 - 0s anexos e os elementos de prova decorrentes do Acordo fiquem encartados em outros autos, apartados nio eletrdnicos e nao apensados aos principais; II - somente defira acesso aos anexos e elementos de prova decorrentes do Acor- do ao defensor constituido, designado ou nomeado de pessoa denunciada nas ages pe-~ nais propostas com fundamento nos elementos decorrentes deste Acordo, nas seguin- tes condigies: a) 0 acesso deverd dar-se nas dependéncias do juizo, na presenca da autoridade judiciéria ou de funcionario por ela designado, pelo tempo que a parte reputar necess: Tio, vedada a carga dos autos; b) a reproducao de quaisquer elementos de prova para além da tomada de notas ce devera ser especificamente deferida pelo juizo, mediante requerimento que demonstre A a necessidade da providéncia, e deverd ser executada pelos servigos do Poder Judicia- Af rio, com as cautelas que a Justica entender cabfveis para preservar 0 nome, a qualifica- Gio € 0 enderego da COLABORADORA, das empresas do seu grupo econdmico e dos Aderentes; ¢ mediante assinatura, pelo franqueado, de ter- ©) 0 acesso aos autos deverd dar-s divulga-/ mo de ciéneia de que os anexos e os elementos de prova esto sob sigilo ea | em. qualquer dimensdo, ¢ proba e sujeita as sangGes da lei civil e criminal, com // obrigasao de cientificar o seu constituinte das obrigacdes estabelecidas nesta anes; / /\, III - tome todas as providéy(ias neckssarias para evitar queeste Acordo de Le- | x niéncia, bem como os elementcfs de proyh dele deeorrentes sejpin divulgados fora dos »._ autos do processo, pelos demais \cusadgs, seus defensores ¢ pér tercejrps que tenham{“}7)~—7 eae Vv i P WY a @ Lc coun i: a Y > Meee deere— Pagina 21 de 26 MINISTERIO PUBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPUBLICA NO PARANA Forca-Tarefa Operacao Lava Jato IV - na hipétese de imprescindibilidade do trasiado de elementos da eolaboragao para os autos principais, sejam riscados o nome e qualificagéo dos Prepostos, preser- vando-se sempre em autua¢ao apartada, em qualquer caso, 0s documentos apresenta- dos pelos Aderentes como evidéncias dos fatos revelados, XIV — Cooperagiio com Autoridades Estrangeiras Clausula 21, 0 Ministério Piblico somente compartilhard com autoridades es- trangeiras competentes os dados, informagGes ¢ provas recebidas por meio deste Acor- do de Leniéneia, obedecida a regra da Clausula 19 acima, e que identifiquem ou per- mitam identificar os nomes e qualificacio da COLABORADORA e as empresas es- trangeiras de seu grupo econdmico, seus prepostos envolvidos em eventuais ilicitos e os funcionarios piblicos estrangeiros (incluindo os seus intermedisrios, agentes ¢ inter- postas pessoas) implicados em eventuais crimes, observando, cumulativamente: a) caso o Estado Requerente solieite formalmente o compartilhamento de infor- mages para o fim de investigacdo criminal naquele pais, salvo no caso de pedido ex- ptesso de sigilo constante do pedido de cooperagio fundado em tratado ou convencao internacional em vigor no Brasil ou salvo no caso de a investigagao que embasa 0 pedi- do de cooperacéio ser frustrada pela cigncia prévia de terceiros, o Ministério Pablico que estiver na custédia das provas produzidas neste Acordo de Leniéneia cientificara a COLABORADORA ¢/ou Aderentes do atendimento desse pedido de cooperagdo em até 10 (dez) dias contados do atendimento do pedido pelo Brasil; })_ em caso de solicitagio formal de compartilhamento de informagdes para 0 fim de investigacao criminal pela autoridade competente de Estado estrangeiro, ou ain- da em caso de transmissao (comunicacdo) espontinea de informagdes, nos termos do artigo 18, “4” e“5", da Convengo das Nagées Unidas contra o Crime Organizado Trans- nacional, e do artigo 46, “4” e “5”, da Convengio das Nagies Unidas contra a Cori do, 0 Ministério Publico que estiver com a custédia das provas produzidas neste Acor- do, ou dela derivadas, a0 dar cumprimento ao ato de transferéncia das informagoes e provas, restringird 0 seu uso apenas e exclusivamente em relacio a investigagdes, pro cedimentos e processos criminais contra terceiros que nio a COLABORADORA, AAderentes ou Prepostos que tenham celebrado acordo de colaboragio premiada au- o ‘t6nomo e em vigor com 0 Ministério Publico, salvo se os fatos ou pessoas nao forem ob- jeto de protegao nos termos deste Acordo ou do respectivo acordo de colaboragio pre- miada; €) sempre que possivel, nos casos previstos na alinea “b” acima, a autoridade competente estrangeira prestaré compromisso prévio perante o Ministério Pablico que estiver na custédia das provas produzidas neste Acordo de Leniéncia de respeitar 4 restrigdes de uso das informagies e provas. §1°. Quando solicitado pela COLABORADORA, o MPF certificard que deter- minada informagio ou prova tornou-se disponivel ao piblico em violagio de sigilo le- gal, judicial ou contratual, inclusive por meio de noticia jornalistica. istério Pablico Federal ou Ministérios Pa CY /reportar sobre os fatos referidos na Cléusula 19 ou | 7 ressos, seminarios, coléquios, o nacionajg- ae $2°. As informacSes gx cos que adiram a0 Acorddvierem nesta Cléusula 21 em quai Pagina 22 de 26 Va © ie eee 5 MINISTERIO PUBLICO FEDERAL, PROCURADORIA DA REPUBLICA NO PARANA Forga-Tarefa Operacio Lava Jato ou internacionais, inclusive perante a OCDE e ao piiblico em geral, serio protegidas mediante técnica para anonimizé-las, observados, ainda, os prazos de sigilo previstos neste Acordo. §3°. As condiges previstas nesta Clausula 21 incluem 0 Preposto no que se re- fere aos atos por ele praticados no exterior, sendo que a sua adesao a0 Acordo de Le- niéncia ter4 efeitos criminais, uma vez homologada. 84°. Sem projuizo do disposto na Cléusula 19 ¢ nesta Cléusula 21, 0 MPF poder realizar interlocucao com as autoridades estrangeiras com 0 intuito de dar conhecimen- to.a essas autoridades dos termos deste Acordo de Leniéneia para evitar a apli de dupla penalizagao (bis in idem), bem como para que sejam considerados os termos deste Acordo em acordo de colaboracdo nesses patses. §5°. A COLABORADORA ¢ empresas de seu grupo econémico ¢ Aderentes no esto vineuladas a obrigacao de sigilo no que se refere a eventual revelagao de fatos ilicitos a autoridades ou érgaos ptiblicos estrangeiros com competéneia sobre tais fatos, especialmente com a finalidade de celebragio de acordos similares ao presente. XV ~ Alienagio de Ativos Cléusula 22. Em caso de alienagao de ativos pelo grupo econdmico da COLA- BORADORA, incluindo bens, participagdes societérias ou cessdes de posicdes contra- tuais, em que 0 negocio seja ajustado entre partes nao relacionadas ao Grupo Econémi- co Odebrecht, em condigées compativeis com o valor de mercado ott, quando indisponi- vel, com 0 valor econémico do ativo, o MPF e o membro do Ministério Pablico aderen- te prestara, mediante solicitagio da COLABORADORA, declaragées a terceitos for- malizando 0 seu compromisso de nao propor medidas indenizatérias ou sancionatorias contra os adquirentes dos ativos, pelos fatos ilicitos de qualquer natureza porventura constantes dos anexos. Paragrafo nico. Para fins desta clausula, o MPF poderé solicitar 4 COLABO- RADORA que forneca laudo de auditoria externa independente confimando que o ne- gécio de que trata da Cléusula 22 atende as condigées ali previstas. XVI ~ Preservacao da capacidade financeira da COLABORADORA Clausula 23. A COLABORADORA e as empresas do grupo econémieo deverao se certificar que a alienagdo de bens, direitos e participagdes de valor relevante, quando celebradas com outras empresas que possuam como sécios controladores ou que possuam participagao relevante membros familiares ou sécios atuais que controlemLa COLABORADORA observem sempre 0 valor de mercado ou econdmico segundo condigdes de mercado vigentes ¢ aplicaveis aos respectivos ativos, entendido como o valor pelo qual uma parte no relacionada estivesse disposta a celebrar 0 negocio. Cléusula 24. A COLABORADORA se compromete, por si ¢ pelas empre seu grupo econdmico, a que, na celebragio de negécios juridicos env transferéncia de valores entre as préprias,-emptp COLABORADORA, incluindo a celebragaé de epipréstimos, cies compra e venda, € prestagio de servigos, sejam senjpre bservadas condj¢oes de mercado vigentes e aplicéveis aos respectivos ativos, enteseidas como o valoy “t" operagion, >) @ | an Pagina 23 de = y * Sp MINISTERIO PUBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPUBLICA NO PARANA Forca-Tarefa Operagao Lava Jato caso fosse feita com parte nao relacionada, ressalvadas as operagdes realizadas entre subsididrias integralmente controladas_ pela COLABORADORA, desde que respeitados os limites da legislacao aplicével. Claéusula 25. A COLABORADORA devera ter suas demonstracées financeiras auditadas por empresa de auditoria independente, atestando que foram elaboradas de acordo as normas contabeis brasileiras vigentes. Paragrafo Gnico. A COLABORADORA devera disponibilizar o parecer de auditoria a respeito das demonstragdes financeiras anuais, em até 180 (cento e oitenta) dias apés o encerramento do respectivo exercicio a que o parecer se refira. Cléusula 26. A COLABORADORA deverd informar ao MPF sobre eventu: fatos ou atos relevantes, por analogia aos definidos na regulamentagao aplicdvel as companhias abertas, relacionados a seus negécios ou negécios de seu grupo econdmico, que possam afetar significativamente a capacidade financeira da COLARORADORA. de efetuar o pagamento previsto na Cliusula 74, §3°. ivos financeiros financeira a previstas, Cléusula 27. A COLABORADORA faré a gesto dos seus pas de forma a assegurar a manutengdo ou o aprimoramento da sua capacidi para adimplir, de forma prioritdria, com as obrigagdes de natureza pecut neste Acordo. Cléusula 28. Durante o prazo de 5 (cinco) anos contados da assinatura deste Acordo, 2 COLABORADORA tomaré as medidas necessérias a fim de ctiar e constituir reserva contabil, na forma da Lei n° 6.404/76 (“Reserva”), que seja composta pela parcela do lucro liquido ajustado da COLABORADORA, deduzidos os tributos e aps compensagio com o prejuizo do exercieio, que resultar da venda do controle de sociedades de’ que seja titular, reserva esta que ficaré indisponivel, em exercicios seguintes, para pagamento de dividendos. Clausula 29. A COLABORADORA se obriga a votar, nas sociedades limitadas de que fizer parte, quando houver proposta de pagamento de dividendos, pela distribui- o proporcional dos lucros distribuiveis gerados por essas sociedades, ou entio pela distribui Clausula 30. Em caso de descumprimento das obrigagGes estipuladas nas Cléu- sulas 23 a 29 serd concedida 4 COLABORADORA prazo habil para sua corregio. XVII — Apéndices Clausula 31, Integram este Acordo de Leniéncia para todos os fins os seguin- tes Apéndices: Apéndice1 Organograma do grupo econémico da COLABORADORA Apéndice 2 Custédia e Regras de Acesso aos Sistemas ly Apéndice 3 Praticas Especiais de Btica,fIntegridgde e TranSparénci Apéndice 4 Monitoramento Independene ‘ ea io desproporcional em seu favor. Oo MINISTERIO PUBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPUBLICA NO PARANA Forga-Tarefa Operacao Lava Jato Apéndice 5 — Cronograma de Pagamento Apéndice 6 Procedimentos Existentes XVIII — Solugao de controvérsias Clausula 32. Cabera a autoridade que homologar este Acordo a solugéo da controvérsia entre as partes sobre a aplicagao e execugiio das Clausulas deste Aeordo de Leniéneia, observando sempre na solugdo dessa controvérsia a boa-fé, os princt- i is do Direito e a intengao das partes, nao afastado em qualquer caso 0 controle XIX - Declaragio de Aceitagio Cliusula 33. Nos termos do art. 6°, ine. III, da Lei 12.850/2013, a COLABO- RADORA e/ou Prepostos, que nesta data aderem, ou que vierem a aderir ao presen- te Acordo por seus representantes legais, assistidos por seu(s) defensor(es), declaram a aceitacao ao presente Acordo de livre ¢ esponténea vontade e, por estarem concor- des, firmam as partes o presente Acordo. XX — Titulo Executivo Extrajudicial Clausula 34. Este Acordo constitu titulo executivo extrajudicial. Curitiba, 1° de dezembro de 2016. Pela Odebrecht a Chaves Jucé Rolit RG: 3703556 (SSP/BA) Adriano Sa de Seixas Mal RG: 6632857-80 (SSP/BA) Pelo Ministério Publico Federal: vn / \ Anna Carolina Resende Maia__/ Antohio CarlosAvelter Procuradoprda Repéblica Procurador\Regionaf da Rep ANI | Deltan Martindzzo Dallagnol Procurador da Repiiblica MZerLoeree- MINISTERIO PUBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPUBLICA NO PARANA Forca-Tarefa Operagio Lafa Jato fh f Douglas Fischer Diogo Castor di Eduardo Bota Pelella Procurador da Repéblica es oe "eh a ‘Repiiblica Bie Lipton ra Jam ihd Sia Procurador Regional da Repiblica jeuradora da esti An \\ Mdtta Noronha teen ‘Tessler a Paranhos Miller urador da RepGblica Procuradora da Republica TAN ( Repablica Orlani ; Lou Lwaeaen be joleto Melina Castro Montoya Flores: Martello rocurgdora da Rep pilin wcuradora da Repiblica Procurador Regijnal da Repiiblica bs k dyn. Costa Paula Roberto Galyae We Carvalho Rafael Ribeiro Rayol Procurador Procuradora Procurador da Replica Ronaldo Ribeiro de Queiroz Sérgio Bruno Cabral Fernandes epiblica Promotor de Justiga aN Witton Quiroz de Lima Promotor de Ju Testemunhas: s tof Bo! ee f Sch {OAL Punt Loos er i, (J Maria Mairia Leite Carlos Hudson Antonio de Oliveira Freitas Geacopello RG: 001.667.423 (SSP/RN) RG: 52.112.775-0 (SSP-SP) Pagina 26 de 26