Está en la página 1de 5

SEGUNDA VOZ

Conceitos básicos de teoria musical (pra melhor entendimento):
Intervalo é a distância entre dois sons. Na música ocidental, sua menor divisão é o semitom,
ou 1/2 tom. Partindo-se de uma nota fundamental, temos 12 semitons até se chegar na
mesma nota. Exemplo:
C - Db - D - Eb - E - F - Gb - G - Ab - A - Bb - B - C
PS: o símbolo "b" significa Bemol, e diminui a altura da nota em um semitom. Sei que o
comum é colocar Sustenidos (# - eleva a altura da nota em 1 semitom), mas continuem
lendo porque logo abaixo vocês vão entender o porquê.
Esse intervalo entre uma nota e ela mesma, em alturas diferentes, é chamado de oitava.
Pegando-se essa mesma escala, temos nomes diferentes de intervalos, e o resumo está
abaixo:
C-Db - Segunda menor / C-D - Segunda Maior / C-Eb - Terça menor / C-E - Terça Maior / C-F
- Quarta Justa / C-Gb - Quinta Diminuta / C-G - Quinta Justa / C-Ab - Sexta menor / C-A Sexta Maior / C-Bb - Sétima menor / C-B - Sétima Maior / C-C - Oitava justa
Uma escala é uma sucessão de notas, em uma sequência determinada por um padrão
intervalar. Seguindo essa tabela acima, se quisermos formar uma escala Maior, é só
pegarmos os intervalos Maiores e agrupá-los de forma sequencial, como feito abaixo:
C - D - E - F - G - A - B - C (note que todas as notas, em relação à nota C, formam
intervalos Maiores)
Seguindo a primeira tabelinha, podemos notar o seguinte padrão de intervalos, onde 1 tom
equivale a 2 semitons (o intervalo seria o "-" , ou seja, o que separa as notas umas das
outras):
1Tom / 1Tom / 1 Semitom / 1 Tom / 1 Tom / 1 Tom / 1 Semitom
Com esse padrão, podemos montar qualquer escala Maior, é só pegar qualquer nota e seguir
esse padrão intervalar.
Um acorde, seja ele maior ou menor, é formado por uma tétrade; são quatro notas, também
organizadas seguindo intervalos prá-definidos. Vamos ver, por agora, só as tríades
formadoras dos acordes, pra maoir entendimento.
As tríades são 3 notas que formam o "esqueleto" do acorde. Uma tríade Maior é formada por
uma nota fundametal, sua Terça Maior e sua quinta Justa. Com esse padrão intervalar podese montar qualquer acorde. Como colocado numa mensagem acima, um acorde de C maior é
formado por C - E - G.
A tríade menor difere da tríade maior por apenas uma nota: a terça. No acorde Maior, ela é
uma Terça Maior; no acorde menor, é uma terça menor. O mesmo exmplo em C, então,
ficaria C - Eb - G.
Agora vamos ao que interessa: 2ª voz
Geralmente, na música popular se usa muito a 2ª voz aberta em terças maiores. Até aqui
nenhuma novidade, isso já foi dito nas mensagens anteriores. O que é novidade é que, se
você for acompanhar a melodia do cantor principal, você terá que se adaptar

E Note como todas as terças são Maiores.D . isso é um intervalo de 3ª descendente.B . Pra quem já estudou um pouco de Intervalos/Harmonia antes desse (enorme) post. Por exemplo. Vamos abrir uma 2ª voz pra essa melodia citada acima: o princípio seria abrir terças pra essa melodia.C .G#.G . temos: Melodia: C .A . mesmo que a terça maior de determinado acorde esteja fora da escala de C Maior.A (mais grave do que a melodia) TOM DO CANTOR .G .C 2ª voz (errada) E .A (mais grave do que a melodia) Note que todos são intervalos de 6ª maior.E .A . Explicando: Melodia: C .G .C#-E .B .C#. Seguindo esse princípio. Sobre o Sertanejo: o comum em vozes sertanejas é que o tenor (voz mais aguda) faça a melodia principal e o barítono (voz mais grave) faça uma 6ª (sim.E . se você pegar a terça maior de cada nota e cantála.G . Você terá que pegar terças maiores e menores. dependendo da nota.E .C 2ª voz sertaneja errada.B . A abertura certa da 2ª voz seria: Melodia: C . no entanto. Como estamos em C maior.harmonicamente (dentro da harmonia em questão) à essa melodia.E .C 2ª voz: E . Esse seria o princípio de se abrir 2ª voz em 3ªs.B .C 2ª voz sertaneja: A . Corrigindo essa 2ª voz.C . 6ª) porém uma oitava abaixo.E .A . D# e G# não estão na escala de C Maior.G .B . Isso. soa errado porque as notas C#.E . vai soar estranho. podemos abrir vozes em qualquer intervalo.C. Explicando: Melodia: C .G .B . e a melodia é C .B . Basta respeitar a escala em questão. só podemos usar notas da escala de C Maior.G#.G .A .E Veja como temos terças Maiores (C-E / G-B) e menores (A-C / B-D / E-G).D#. numa música que está em C maior (tendo C-D-E-F-G-A-B como notas passíveis de serem utilizadas).

Para um músico o tom da música é onde ele foi composto originalmente. na quinta. em algumas passagens canta muito baixo (grave). ou seja. Renato Russo. transpomos meio tom acima. na terça e etc. no erudito isso não acontece. no tom em que ele a canta melhor. terá que ajustar para se enquadrar na melodia original e isso as vezes é desconfortável. feio.. Dm/Em7/Am (este é o "tom" a zona de conforto de Renato Russo).. ou até impossível. e a coisa significa exatamente o seguinte: Suponha que tal vocalista irá cantar. Simples assim. os músicos transpõe o tom. terá de cantar na oitava. F C G D A E B( TEM QUE DECORAR) Ex: Para saber um tom de D= F# C# G D A E B( a escala é essa) Explicação F# C#( depois do C vem o D) portando o tom é de D Ex: para saber um tom de G= F# C G D A E B( a escala é essa) Explicação: F# ( depois do F vem o G) portando o tom é G. ele diz: Andrea Dória em Mi menor.. Ou seja. riffs e etc) ACHAR O TOM Existe uma regrinha simples. Essa música se inicia em 3 acordes.. anote e decore. Então. Se a música é em MI e o cantor pede em Fá. este cantor. por exemplo. com uma banda estranha. sua zona de conforto e melhor qualidade é seu Tom. toda a harmônia e melodias instrumentais (solos. cansei de "encarar" cantores que pedem o tom dá música. por exemplo. Para os sustenidos(#) a regra é essa. ou um homem com uma extensão mais aguda.. Isso no popular. Para um cantor.. canta esta canção confortavelmente 1 tom acima de Renato: Em/F#m7/Bm. porque as músicas são escritas para as vozes certas dentro do alcance cada extensão. ou simplesmente Mi menor..Depois de mais de 10 anos tocando em bares. A banda já sabe que ele não canta no tom original e sobe automaticamente 1 tom na execução. Quando ele entra num palco. Se for uma mulher. um Tenor não irá cantar a parte de um Baixo ou de uma Soprano. No popular. bailes e etc. .. Andrea Dória do Legião Urbana. em função do cantor. licks. e você tem que decora-las.

VIImb5 (7) --> Isso quer dizer que os acordes do grau I IV e V são maiores. ou seja. Ex: Bb Eb = tom de Bb Bb Eb Ab Db = tom de Ab A unica excessao é quando temos um unico bemol.F . comece sempre pelos acordes maiores! Os 3 acordes maiores q existem são o C F e G no primeiro exemplo. mas isso é uma coisa mais avançada e não interessa agora).Am . Quando vc analisa tríades (acordes de 3 notas.IIm(7) .Em . Para achar o tom em bemol( b) A regra muda para: B E A D G C F( TEM QUE DECORAR) Se você reparar as cifras são as mesmas.).. Para se achar um tom de D= Bb Eb Ab Db Gb C F( essa é a escala) Explicação: Bb Eb Db Gb( depois do Db.VIm (7) . Explicação: Bb Eb Ab Db Gb C( depois do Gb vem o C) Quando você ver varios bemois em uma pauta. Dm. o G é o V grau. vc tem os acordes maiores: C e D. Bom. mostrando que o tom da musica é Dó maior! Já no segundo caso. não dá pra fazer! Já se o F for o IV grau. é isso mesmo! Logo. Dó Lídio). e os outros considerados menores. vc deve encaixar esses acordes nesse contexto. entao o tom é F. e a segunda está no Tom de Mi menor (ou pensando em modos gregos.Bm . ao pé da letra. vc não leva em conta apenas um acorde (você pode até pensar quando quiser dar uma intenção diferente na música. e agora??? Cade o 3º acorde . conta-se mais 1 nota) Ex: Para se achar o tom de G= Bb Eb Ab Db Gb Cb F ( essa é a escala). só que de trás pra frente.. ________________________________________________________________ Siga sempre o contexto.G . o D deveria ser o V grau.V (7) . tentando analisar apenas como modo Maior ou menor naturais. ou seja. mas sim todos os acordes da música! O campo harmônico maior é formado da seguinte forma : I(7M) .E assim vai. ex: C. Se o C fosse o IV grau.Em A primeira progressão está no Tom de Dó maior. F.IIIm (7) IV (7M) . os acordes sem a sétima.D .. Fm. o C só pode ser do I grau.. elas não são do mesmo tom! Isso tudo devido ao contexto da música! Quando vc vai analisar uma harmonia. A dica é. Apesar de na 2 músicas terem os acordes C e Em.G . por enquanto eskeça os modos gregos. Vamos fazer 2 exemplos de progressões: C . o tom é a aonde estiver o penultimo bemol. ou seja.C C .

o II grau deve ser Dm (ou seja. Tente analisar da mesma forma. não dá).maior??? Não precisamos dela na verdade. considere como Em menor (que é relativo de Sol maior). Se C for do I grau. Agora é só jogar na regra de tons e semi-tons que formam a escala maior. e vc vai descobrir que o Campo Harmonico maior que tem o acorde de C no IV grau é o Campo de Sol Maior! Nesse caso. pois é nesse acorde que sentimos a "resolução" da música! . descobrimos que C nesse caso é do IV grau. D deve ser o V grau. Se C for do IV grau. É isso aí.