Está en la página 1de 11

Universidade Católica Portuguesa

Centro Regional das Beiras


Instituto de Desenvolvimento e Promoção Social

GESTÃO

MICROECONOMIA

II. A Cruz Marshalliana

Sumário

2.1 Procura
2.2 Oferta
2.3 Equilíbrio
2.4 Elasticidades

1
II. A Cruz Marshalliana

O mercado é, por definição, o local de encontro de


vendedores e compradores de um bem ou serviço

Alguns mercados circunscrevem-se a um tempo e


local específico, outros alargam-se por grandes espaços
geográficos e muitos nem neles participam (ex: mercado de
futuros e opções)

Com a análise da oferta e da procura tem-se em vista a


determinação da posição de equilíbrio

II. A Cruz Marshalliana

PROCURA:

A curva da procura ilustra as quantidades que podem ser


compradas à vários preços

Genericamente, a quantidade varia de forma inversa com


o preço, traduzindo a chamada LEI DA PROCURA.

A curva da procura de um bem é o resumo dos vários


cálculos CUSTO/BENEFÍCIO que os compradores
efectuam com respeito a esse mesmo bem.

2
II. A Cruz Marshalliana

Em termos geométricos, a LEI DA PROCURA traduz-se num


declive negativo.
P

10
A Declive = - 5/10 = - ½ = - 0,5
B
5 P = 12 – ½ Q

4 14 Q

O declive negativo provem de 2 efeitos:


O Efeito Substituição
O Efeito Rendimento

II. A Cruz Marshalliana

OFERTA:

Do lado dos vendedores, a contrapartida é a curva da


oferta, a qual tem, em termos geométricos, declive
positivo, significando que:

a Quantidade e o Preço variam no mesmo sentido

Para que um fornecedor queira vender um produto,


é necessário que o preço cubra o respectivo custo
de produção ou aquisição. O custo de produzir unidades
tende geralmente a aumentar a medida que são
produzidos mais unidades, especialmente a curto prazo.

3
II. A Cruz Marshalliana

A curva da oferta representa as quantidades que os


vendedores estão dispostos a oferecer aos preços com que se
defrontam
P
Declive = +1/5 = + 0,2
20
10

150 200 Q

P = -20 + 0,2Q

II. A Cruz Marshalliana

O PREÇO E A QUANTIDADE DE EQUILÍBRIO

Partindo das curvas da oferta e da procura é possível


determinar a quantidade e o preço de equilíbrio, ocorrendo
este no ponto em que as 2 curvas se interceptam.

O Ponto de Equilíbrio representa o ponto de máxima


satisfação dos intervenientes no mercado

Os compradores adquirem o montante desejado


enquanto os vendedores vendem igualmente
o montante desejado
Se o mercado funcionar livremente o equilíbrio tende
automaticamente a ser atingido.

4
II. A Cruz Marshalliana
P
S

30

50 Q

Se Pd = 50 – 0,4 Qd e Ps = 25 + 0,1Qs, então:

50 – 0,4 Q = 25+0,1Q
50-25 = 0,1Q+0,4Q
25 = 0,5Q Q = 25/0,5 = 50

II. A Cruz Marshalliana


P S
Excesso de S

40
30 Ponto de Equilíbrio

20
D
Excesso de D

50 Q

Preço Mínimo: P=40 e Preço Máximo: P=20

LOCAL DE TRANSACÇÃO: lugar geométrico dos


pontos de troca. Quando o P>Pe, a Quantidade
Transaccionada é ditada pela curvas da D.

5
II. A Cruz Marshalliana

Algumas propriedades do equilíbrio do ponto de vista


do bem estar social:
Os preços têm 2 funções:

- Racionalização: racionalizar a oferta de bens;


- Afectação: permitem a aplicação de recursos
produtivos pelos vários sectores da economia.

O Ponto de Equilíbrio traduz uma situação de óptimo


social em que não é possível melhorar a situação de
alguém sem piorar a de outrem.

O livre funcionamento do mercado conduz a uma situação


eficiente, o que não implica a eliminação de situações de
Pobreza.

II. A Cruz Marshalliana

Determinantes da Oferta e da Procura


Q
Procura Qdx = c´- b´P em que b´=
P
Quando P varia em função das Q, assumimos
que estamos a operar numa situação Coeteris Paribus
Em geral, considera-se que a procura do bem X é:

Qdx = f (Px, Py, R,G, N, Exp)


- +/- + + + +

A Deslocação na curva Deslocação da curva


10
B B
5 5 bem D1 = bem D2
D
D1 D2
4 14 Q 1 14 Q

6
II. A Cruz Marshalliana

Oferta: Qsx = c´+ b´P

QSx = f ( Px; Tecnologia; W; Ne; Exp)

Em que: W – preço dos factores produtivos;


Ne – Numero de empresas existentes;
Exp – Expectativas relacionadas com a incerteza;
Px – Preço dos bens.

Uma deslocação positiva da curva da S tem um efeito


diferente de uma deslocação positiva da curva da D

II. A Cruz Marshalliana


ELASTICIDADE PREÇO DA PROCURA : é a variação
percentual da quantidade procurada dividida pela variação
percentual do preço;

Qd / Qd Qd P
Ed = = x
P/P P Qd

1 P
= x = - X %
b=∞ b Qd
P Ed=0 |Ed| > 1 = procura elástica

Ed=∞ |Ed| = 1 = procura rígida


b=0 |Ed| < 1 = procura
inelástica
Q Procura perfeitamente elástica

7
II. A Cruz Marshalliana

Caso A: Preço= 90 e Quantidade=240


Caso B: Preço=110 e Quantidade=160
B
110
A Variação Percentual do Preço
90
P/P = 20/100=20%

160 240 Q Variação Percentual da Quantidade

Qd/Qd== -80/240 = - 33.33%

Ed = - 33.33/20 = - 1,67%
Na região de A a B, a elasticidade procura preço é maior do
que 1, apresentando uma procura elástica em relação ao preço

II. A Cruz Marshalliana

|Ed| > 1
|Ed| = 1
|Ed| < 1

P P P
4 A>B
1000 B>A A=B A
A 1
A 2
500 0,5 B
B B
0 1 3 Q 0 100 200 Q 10 15 Q
Procura Elástica Procura Rígida Procura Inelástica

8
II. A Cruz Marshalliana
Elasticidade Procura Preço e Receita Total (RT = PxQ)

- Quando a procura é rígida em relação ao preço,


uma redução do preço reduz a RT;

- Quando a procura é elástica em relação ao preço,


uma redução do preço aumenta a RT;

- No caso da procura apresentar uma elasticidade


unitária, uma redução do preço não tem qualquer
efeito na RT. Neste ponto, a RT é máxima.

II. A Cruz Marshalliana


Elasticidade Procura-Rendimento: é a variação
percentual da quantidade procurada dividida pela variação
percentual do rendimento;

Qd / Qd Qd R
Er = = x = X%
R/R R Qd

Er <1 = Bens de 1 necessidade


Er > 0 = Bens Normais
Er >1 = Bens de Luxo

Er < 0 = Bens Inferiores

9
II. A Cruz Marshalliana
Excedente do CONSUMIDOR E DO PRODUTOR
O Excedente do Consumidor e o Excedente do Produtor são
as medidas utilizadas para medir o bem-estar do consumidor
e do produtor, respectivamente.

-O EXCEDENTE DO CONSUMIDOR mede a diferença entre a


valorização que o consumidor atribui ao bem e o preço pago pelo mesmo,
sendo, por isso, uma medida do bem-estar que o consumidor retira do
consumo do bem;

O EXCEDENTE DO PRODUTOR mede a diferença entre o


preço que o produtor recebe e o preço mínimo que ele exige para vender o
bem. Na medida em que o preço mínimo exigido pelo produtor é idêntico
aos respectivos custos por unidade, então o Excedente do Produtor mede
a diferença entre o preço e o custo por unidade, sendo uma medida
daquilo que o produtor ganha por unidade vendida.

10
FIM DA IIa PARTE

11