Está en la página 1de 49
NOVA VERSAO INTERNACIONAL ) BIBLIA DE ESTUDO FAGA UMA JORNADA VISUAL ATRAVES DA VIDA E DOS TEMPOS B{BLICOS AMOSTRA NOVA VERSAO INTERNACIONAL BIBLIA DE, ESTUDO oc a Cr NVI UM PASSEIO ILUSTRADO ATRAVES DA HISTORIA E DA CULTURA DA BIBLIA FC = Eprrona Vins us Isidro Tinoco, 70 Tatuape CEP 03516-010 Sin Paso, SP Tis xx 112618 7000 Fae Ox 11 26187030 sworwaditoravia.com.be Equi oe Tuan gio ‘Chiton Andsé Kune lacy Manoel don Santon “Marcelo Smurgiase Revsio be Taapucio Fox EsTL0 Juda Cans Revisho oe Provas (Gide Ronn da Cr Sanne Isengto Be NOTA TERA arin Fite CConrestncaa ata De acoAs ‘dein Se Dinccho-Bercomva Sérgio Henrique de Lima Enron Ga, Marcelo Smaiame Eorron-AsssresTe Giscke Romo da Cru Saag ropa Gatco pcaangho laa Ft! Line naa J Kose den Sinton SecUp Te Danica Ante ox cane Ante Psi Edigso publicads sl perminso contrat! com Zandlertan Corpotetion, Grand Reps Michigass BUA. Materins de ext adapeodos de Archeological Study Bible, (Originalmente publicdo nos EU com o titulo Arclacloica Study Bible (© 2005, Zondervan Corpora 1 Tad on dicts reserva. Tadeo: dirt dea trig em lings portnguese reerrads por Editors Vide Paoumina nerBOOUGKO Hon QUAISQUER MALOS, Saivo EM BREVES CITAGOES, COM INDICAGAO DA FONTE. . ‘© ten pode ser ciado de visias mancitas (eset, visual, lettnico ou dio) at quinhentos (500) vesculos sem ‘sexprena peruinto por errto do editor, cuidando para que soma de veils ces no complete wa Reo da Biba nem on veniculos computer 25% ou mais do teat da obec ‘gic sa itd: © pede de petsinte que excadet ws nora ‘aqui cxpreaas deve cr encaminhado 3 Editora Vida Lad, th aprovagie por caren, The text may be quoted in any form (tte, visa, ltronic or studio) upto and inclusive of five hundred (0) verses without the expres writen permission of che publisher providing the ‘eter quoted do not amount ro 4 complete book of the Bible nor do the vere quoted account for 25 percent (25%) oF more (ofthe tral text ofthe workin which they are quoted. Perino requests that exce the abone guidelines must be dtete to and approved in writing by International Bible Soc, 1820 Jet Streams Drive, Colorado Springs, CO 80921, USA. . Biblia Sagrada. Nova Verso aternaional: NVI" ‘Copyright © 1993, 2000, 2011 de Biblia, Inc. Publicado sob perms, Tales ox dios reser mundane, . (Comcondinia Bibica NVI Abrevida (©2002, Editors Vide. Publica com permis, . fe oles et em conforma com 0 Azone Ontogpitico ds Lingus Potugea nsnade ca 1990, cm vigor dade Janeiro de 2009. I edigios malo 2015, Dados Intemacionais de Catalogagio na Publicagio (CIP) (Camara Basler do Livo, SP, Basil) Biblia de Estado Anqucoligics NVI! Equipe de tadussorClaiton André una, Hiseu Manoel das Santos ¢ Marcelo Smagiase:Prfico da Edict eases: Laie Sayso. — Sto Paul: Editors Vida, 2013, Tito original: Arcola Study Ble NIV ISBN 978:85.383-0274-2 1. Anqueologis 2. Biblia — Esaudo eensino. 13-00642 €pp.2205203 Tdi para eailog dna cos 1. Biblia de Estado Arqucolgca: Nova Ven Internacional 220:5203 Uninite vi wi i x xi xiv vil mil ai vow (s livros da Biblia em ordem atfabética Abreviaturas Introdugao Sobre esta Biblia Preféco & Etigdo Brasileira Precio & NVI Créditos e permissbesfotogréficas TTabela dos perfodos arqueotogicos Abistéria da Terra Santa Histria cronoldgica da Palestina — do exo babilGnico de Jud até o dominio Romano ANTIGO TESTAMENTO 2 84 185 494 252 302 342 386 395 440 479 526 smh NOVO TESTAMENTO 1856 1620 1663 1718 1764 1833 1863 1084 1901 2123 2129 2195 2223 Genesis 622 Exodo 667 Levitieo 687 Nimeros m4 Deuterondmio 732 Josué 79 Juizes 957 ute 1012 Samuel 1032 2Samuel 1051 ‘Reis 1179 Reis 1298 1Grénicas 1311 2ernicas Esdras Neemias Ester 6 Salmos Provérblos Ectesiastes Cantico dos Cénticos Isaias Jeremias Lamentagées Ezequiel Etésios Filipenses Colossenses| ‘Tessalonicenses. 2Tessalonicenses. ‘Timoteo 2Timateo Tito Filemom Mateus 1914 Marcos 1925 Lucas 1933 Joao 1942 ‘os dos Apéstolos 1949 Romanos 1954 1 Corintios 1962 2Corintios 1970 Galatas 197 Guia de estudos Tabela de pesos e medidas Glossério Indice dos assuntos dos ations Lista de artigos em ordem aifabética Lista de artigos pela ordem das referencias bibicas Concordéncia Bilica NV Indice dos mapas coloridos "Este sumério representa o conteddo da Biblia completa 1382 1410 1432 144g 1464 1469 “77 1494 1504 1512 1521 1826 1545 1981 2000 2008 2018 2024 2031 2034 2038 2043 Daniel Oseias Amés Obadias Jonas Miqueias Naum Habacuque Sofonias Zacarias Malaquias ‘Hebreus Tiago ‘1Pedro_ ‘2Pedro 2Joa0 ‘Modo Apocalipse elas 0 Seminario Teologico Gordon-Conwell sente-se feliz em se unir a Zondervan para oterecer ao publico esta Biblia de estudo tnica. CCremos que este langamento sera um marco na historia recente das publicagdes. A Biblia de Estudo Arqueoligica NVI representa uma faganha notivel, com seus temas intrigantes, enfoque arqueoldgico-culturale bela apresentaéo gréfica, tudo isso agregado ao texto biblico de melhor acetacéo: a Nova Verséo Internacional. raro um editor testemunhar uma acolhida téo entusiasmada de um conceito de publicagdo como a do protitipo da Biba de Estudo Arqueotigica com 0 texto da NV. As avaliagdes positvas partram de grupos versos, como leigos, eruitos pastores. Nenhuma geragao testemuntou to alto grau de cooperagao entre os fatos, pessoas e locas da Biblia como a do século passado, clante das avangadas e bem-sucedidas exploragies arqueolégicas. A quantidade, qualidade erelevncia dos artefatos e materiais epi- réficos que incidem sobre a histria bblca do antigo Oriente Méti foi to surpreendente que poucos tém sido capazes de incorporé- las num tio lugar, de modo que a iica solugdo possivel era estabelecer sua ligagdo com as passagens biblcas mais relevantes. ‘Assim, temos diante de nbs a oportunidade chica de verificar em primeira mao como as descobertas arqueokigicas do sentido a alguns textos das Escrituras até agora dficeis de entender. O papel da arqueologia bblica como ferramenta hermenéutica é inestimével em situagées nas quais 0s elementos culturas nos escapam a atengao simplesmente porque o contexto pertence lugar ou periodo “estrangeiro". Acrescentem-se fotografia coloridas dos artefatos e dos documentos mencionados,e logo se perceberd que esta Biblia estabelece um novo pachrio para as Biblias de estudo. Nossa oragdo é que a Biblia de Estudo Arqueoligca acrescente lowor ¢ géria ao nosso Pal celestial ¢ também soja usada por ‘Deus para conduziro crescente nimero de crstaos biblicamente letrados de volta ao texto das Escrituras, A narrativabiblica abrange ‘maior histria j contada, mas essa histéria & muito mais que um conto antigo ¢ impessoa, na terceta pessoa. Na verdade, é uma histéria contada pare nés, mas também sabre nés. Enlregar-se ao estudo dessa histéria com as olhos do entendimento renovado con- stitui a mais substancia investigago sobre a verdade que qualquer um de nés possa experimentar. Essesfalos e pessoas sdo parte do mundo rel, fatos que realmente aconteceram e indviduos que realmente exstram em épocas € lugares dos quals somos agora descendentes lineares. Por isso, convidamos vocé ajuntar-se a nds num enconto pessoal com esta Biblia, um feito memorével do Semindro Teoligico Gordon-Conwell& da Zondervan. O semindrio sents feliz em ser o precursor desta aventura e acrdita que muito mais esta por vir nos grandes dias que se seguir, Warren ©. Kasen Je. — Presidente ‘Coma M. Moore — Egrégio protessor de Antigo Testamento ‘Maio de 2005, SOBRE ESTA [ABibia nao & um lvro de ensino religoso abstrato, Se o fosse, compreender seu contextohistirico seria de menor importancia, Anda assim, a5 perguntas sobre as circunstncias de sua composigao nao poderiam ser ignoradas, Além disso, a Biblia nao surgi de um Unico ambiente cultural e histrico: eta no &o produto de revelagdes concedides a um inico homem, como o Alcor reivindica ser. Se ‘ fosse, entender seu contexto hstérico seria muito mais simples. (texto da Biblia foi produzido num perfodo que se estendeu por mais de mil anos. Embora a maloria, se ndo todos os escitores a Biblia, fosse israelita ou judeu, eles viveram uma ampla variedade de circunstancias. O cenério cultural das histéras biblicas inclu © Egito dos faraés, a Mesopotimia, a cultura cananeia, 0 Israel do Bronze Antigo ¢ das idades do Ferro, 0 paticio real da Pérsia, a ‘extensaciviizagao helénica o Império Romano. As linguas da Biblia so 0 hebraico, 0 grego € 0 aramaico, mas também hé sina da Influéncia do egipcio, ugertio, acddo, sumério, persae latim. Algumas porgdes da Biblia foram compostes em lugares como Israel, Egito, Babilénia, Asia Menor Turquia), Grécia e Roma, Os escitores da Biblia foram sAblos, res, fazendeitos, exlados, governadores, pescadores e preyadores itinerantes. ‘A Biblia apresenta géneros litrdrios variados, que muito provavelmente refletem a literatura de seu tempo. A saga do povo de Deus, contada em histérias simples, porém cativantes, sucedem-se por toda a Biblia em vos tn diversos como Génesis, Juzes, Rute, Ester e Alos. Texts juridicos com paralelas nos cdigos legais da Mesopotimia emergem de vos como Nimeros e Deuteronémio. Hinos e cénticos devocionais aparecem nos Salmos e, quando comparados com os hinos ¢ poemas religosos do Egito, Ugarite © Mesopotimia, apresentam notéves similaridades ¢ também impressionante dssimilarade com suas contrapartidas. A Biblia contém, iguaimente, poesias de amor (CAntico dos CAnticos) que sao ao mesmo tempo semelhantes € dessemelhantes & poesia de amor ‘egipcia. A semelhanga dos egipcios e dos mesopotémios, 0 povo de Israel compdss muitos provérbios. E dbvio que as diterengas podem ser tio signficativas quanto as similaridades, e nem todos os tpas de iteratura da Biblia en- ccontram paralelos evidentes fora de suas paginas. A proclamacBes dos profetas hebreuslimitaram os paralelos antiga Mesopotémia, 6 dificil encontrar algo que se compare aos Evangelhos do NT. JA as vis6es de Apocalipse podem ser comparadas com os textos apocalipticos do judalsmo do segundo templo, e as cartas de Paulo podem ser analisadas com base na literatura epstolar do perfodo ‘greco-romano, Em resumo, a Biblia é uma colegdo de textos maravihosamente divers, ¢ nenhum deles se crginou no vacuo. ‘A Biblia de Estudo Arqueotigica enfoca os contextoshistrico,iterério e cultural da Biblia. Esses contestos abrangem a hstéria de povos ¢ lugares, vida cotidiana em varios periodose sob crcunsténcia diversas nos tempos biblicos e textos antigos que esclarecem ‘texto sagrado e ajudam a elucidar a arqueologia do mundo biblco. Alm disso, os artigos desta Biblia dedicam especial atengéo aos desafos que 0s arquedlogos ¢ os estudiosos da Biblia entrentam com relagdo & confabidade das Escrituras. Mas qual a necessidade ‘de uma ferramenta para explora o context histérico? Algumas respostas sio necessérias: 1. O contexto é crucial para a interpretagdo.Imagine-se lend as palavras de um debate poltico ou religiso sem o benefcio do cconhecimento das cicunstancias, costumes ou crengas dos envoWidos na discussao. 0 ltr ficaré desnorteado ou corer © risco de cometer eros grosseirs na ilerpretagdo dos temas e opines dos debatedores Etoicee até mesmo arrogancia [pensar que podemas compreender plenamente os escitores sagrados sem conhecer coisa slguma de seu ambiente 2. Comojé fol ito, o mundo bibico é complexo e abrange uma parceta significative da histirla humana. O mundo antigo é extenso « complexo demas para se pensar que uns poucos comentarios incidentals sobre determinados contexos sejam bastanes para entender as culturas das quais os escitores da Biblia faziam parte. 3. O estudo do contexto da Biba é um incentivo até, Muitoscristios hoje evitam 0 estudo do mundo antigo por medo de que os crud os fornem cientes de ftos confitantes que ventam a enfraquecer a fé na Biblia. Na verdade, o estudo cuidadoso do ‘mundo da Biblia intensiica nossa confianga na veracdade histirica e na singuaridade da Palavra de Deus. Inserida na sur- preendente variedade de cuituras que compunham o mundo biblico, a unidade da mensagem biblica ¢ notivel. Os escritores da Biblia sdo de épocas ¢ lugares dlversos, mas foram inspirados por um Espirito imutdvel Unico modo de dar uma resposta aos que alegam que os fatoshistrics enfraquecem a crediblidade da Biblia 6 analisando em primeira mao esses mesmo fatos 4. conhecimento do context biblico é um antdato conta o peigaso desprezo pela Histra, visto de forma tio frequente tanto 1a rej quanto nos meios académicos. kps-modernidade investiga tudo, mas rejetaa Hstra o context. Soba infucia desse movimento, os leltores simplesmente se recusam a ouvir os escitres da Biblia nos termos deles propris. Preferem afar que é atrbuigdo de cada letor a interpretago desses textos antigo. Mutos rejetam aideia de que deveres tentar compreendero objetivo do escrito original da passagem. Dessa forma a inten¢o do autor passa a ser relevante para oelor SOBRE ESTA BIBLIA modemo, que se sente livre para interpretaro texto de qualquer maneira Esse comportamento faz pouco caso da autordade biblica. Alm disso, muitos letores cristaos bem-intencionads e no totalmente comprometidos com a forma de pensamento pés-moderna tendem a interpretar a Biblia estitamente nos termos das proprias experéncias e dos préprios padrées, sem Considerar o que o profeta ou 0 apéstolo estavadizendo aos seus contemporéineos. O conhecimento das creneas, dos confit, a histéra € dos habits das personagens dos tempos bibicos apresenta-nos algumas questées, como esta: “O que Paulo realmente quis dizer quando escreveu aquelas palavras& igreja em Corinto?”. 5. 0 Conhecimento do mundo biblico insta em nds uma profunda apreciagao pelos escritores da Biba @ um amor profunde pela prépria Biba, € dificil amar genuinamente algo que néo conhecemos. Nao podemos adentrar as experiéncas e perspectivas das personagens bibicas sem antes nos elaconarmes com 0 mundo detas,Olhando para os utensils com os quas elas traba- thavam, 0s confitos que enfrentavam, a lteratura que conheciam os costumes que adotaram, iremos adquitir uma profunda admiragdo por sua té€ sabedoria, ‘A Biblia de Estudo Arqueolégica contém os seguintes recursos: Mais de 500 artigos em linguagem acessivel, muitos dle iustrados com fotografas coloridas, cobrindo estas cinco categorias geais: “Sitios arqueolégioos"; “Notas histricase cuturis";"Povos antigos, territrios e governantes"; “A credibilidade da Bibi; “Texts atefatos antigos”. Notas de estudo, na part inferior da pagin,ligadas a temas arqueoligicos, cultura ehistérions, em muitos casos cruzando referén- clas com artigo relevantes e outras nots. Introdugées detalhadas a cada lo, incuindo cronologiase esbogs ites ¢ taces de visualizar. Tabelas ¢ gréfioas sobre tipicos pertnentes. Gitagies peridicas de textos da Antiguidade, cada uma vinculada a um artigo em particular. Coluna tateral de rferéncias cruzads. iolo colorido do comego ao fim 16 paginas de mapas coloridos com indice, para faclitar a localizagéo de nomes de lugares citados nas artigos e nas notas. Indices de artigos, em ordem alfabética e por referencia bibica, Indice de assuntos, Concordéncia. Glosséro,referéncias cruzadas para palavras destacadas em negrito nos artigo. A HISTORIA DA ctin te ‘A Terra Santa, as vezes chamada Canaa," Israel, Oriente ou Palestina, mudou de dono muitas vezes e era centro de inter- mmindveis confltos. A arqueologia da Palestina é complexa quando se trata de refletir todas as eras da longa historia da regi A CULTURA PRE-ISRAELITA Pré-histovia @ dade do Bronze Antigo Canad 6 habitada desde o periodo pré-historico. A mais antiga cultura da Idade da Pedra, descoberta no monte Carmelo «e que sobreviveu & cultura tarda da Idade da Pedra, conhecida como os natufianos, fol descoberta em Jericd. A agricutura e a produgao de cerémica comegaram no Periodo Neolitica ? que é cvidido em Pré-cerdmico e Cerdmico. Perto do final do Ve 1V milénios aC, uma cultura chamada “gassuliana emergiu ao sul do vale do Jordo, Com o local de descobertas em Berseba, ‘ela marcou o inicio do Perlodo Calcolitico na regido. A cerémica gassuliana ¢ notavelmente avancada ¢ atesta a sofisticagdo desse povo primitvo. © inicio da Idade do Bronze Antigo (3200-2200 a.C,) no Oriente correspond ao final do perio pré-dindstico ¢ inicio do periodo dindstico egipcio (ca. 3400-3000 a.C.).Importantes sitios do Bronze Antigo | abrangem Megida, Jericd, Nie Bete-Sea, todos ao norte da Palestina ou na Palestina Central. Uma cuttura mais avangada desenvolveu-se na parte sul da regio algum tempo depois. Um importante sitio do Bronze Antigo Il no sul é Arade.® A Idade do Bronze Antigo vu 0 inicio da cultura urbana na regio, quando algumas cidades-Estados com certa autonomia comegaram a surgir ao redor de cidades maiores efortificadas. Por volta de 2650-2350 a.., ocorreu uma ruptura de origem néo especificada na cultura urbana, especialmente ao norte. ‘Alguns acreditam que os amorreus ndmades invadiram a terra e desorganizaram a cultura. E questiondvel, porém, que essa mudanga na cultura possa ser atrbuida & migragdo ou & invasdo dos amorreus, e hoje muitos estudiosos rejeitam a ideia. Al- ‘guns acreditam que os problemas ambientais sao a causa mais provavel. Abraao desceu ao Egito por causa da fome (Gn 12.10). declinio da cultura do Bronze Antigo em Canaé pode estar relacionado com o final do Reino Antigo do Egito, no século XXila.C., quando 0s “asiélicos” (povos semiticos de Canaa e da Siria)investiram contra o Eotto, ‘As idades do Bronze Médio e do Bronze Tartlo Uma nova cultura urbana, contempordnea & do inicio do Reino Médio do Egito, surgi no inicio da ldade do Bronze Médio (ca. 2000-1550 a.C)). Entre as cidades proeminentes desse periodo estdo Tel Afeque, Biblos, Acco, Megido, Jericé e Bete-Seé. ‘arte da cerdmica avangou significativamente depois que os oleiros aprenderam a usar rodas fixas para moldar vasos de ex- ‘celente qualidade. 0 conto egipcio de Sinuhe apresenta um retrato da vida cananeia daquele tempo, A Idade do Bronze Médio ‘em Canad também coincide com a era dos hicsas no Egito do Segundo Periodo Intermediario. Alguns acreditam na presenga ‘dos hicsos em Canaa, mas isso é improvavel.+ Houve um dectnio na qualidade da cultura material, especialmente a cerdmica, em Canaé no inicio da Idade do Bronze Tardio (ca. 1550-1200 a.C)), ¢ parece ter havido considerdvel decadéncia durante o Bronze Tardio | (ca. 1550-1400 a.C.). € ‘certo que 08 governantes egipcios, especialmente Tutmés Ill (ca. 1479-1425 a.C.),fizeram incursées a Canad para manter 1s cidades-Estados de varios sitios da regido submissas as ordens e influéncias egipcias (e.g., Megido). Muitos estudiosos, baseados nos varios niveis de destruigdo dos sitios do Bronze Tardio, argumentam que a invasdo israelita sob 0 comando de Josué ocorreu por volta de 1250 a.C.,.mas esse raciocinio tem sido amplamente combatido, pelo fato de que nenhuma cidade, ‘com excecéo de Hazor.’ possuiniveis de destruigdo que corroborem essa teoria A CULTURA ISRAELITA Embora pareca que os israelitas invadiram Canad por volla de 1400 a.C., eles no deixaram nenhum indicio até cerca de 1200 aC. Durante a Idade do Ferro I (datada geralmente entre c.1200-1000 a.C.), a nagao de Israel comegou a tomar forma, Exemplos do que parece ser sua cultura material, como “casas de quatro aposentos” e “colar de argolas”, aparecem na arqueologia desse tempo. Centenas de vilas da Canad Central datadas desse periodo podem ser consideradas israelitas.© |Wer 0 Glosséro, nap, 2080 para defies das palavres em negro. 2Ver“Tabela dos periodos arquenigics” na pga nil. °Ver “Arde”, em m3. ‘Ver “Os hicsos eo Antigo Testament”, em &x 18. Wer “Hazor”,em Js 11. "Ver "Mudangas em Canad, em J2 7. A HISTORIA DA TERRA SANTA ° s filisteus apareceram em Canad pela primeira vez pela mesma época durante a migragao dos *povas do mar”, @ exemplos de sua cultura material (como os vas0s bicromticos, compardveis aos da cerémica grega micénica) comegam a aparecer. Tendo em vista que o relato bilico indica que tse! jé habltava aquela terra ¢ querreava contra varios inimigos pouco antes de os flisteus se tornarem uma ameaga, 0 argumento de que os flisteus ¢ os israelitas surgiram em Cana na mesma 6p0ca 6 errfneo. Na verdade, a mengao de “israel” na estela de Memepla (ca. 1210 a.C.) da a entender que Israel ja estava bem estabelecido na regido por volta de 1200 a.C.,no inicio da Idade do Ferro 7 Durante o periodo dos juizes, os israeitas mantiveram-se unificados pelo pacto com Deus, mas a constante presséo dos inimigos externas os levaram a procurar uma unidade politica mais forte (1m 8.19,20). Saul foi o primeito rei de Israel, mas a ‘naga alcangou seu apogeu cultural e politico sob a lideranga Davi e Salomao (séc. X a.C), quando Israel dominou todo o Oriente Materia importantes remanescentes do periodo da monarquia unida foram escavados em Hazor, Megido e Gezer, em que um porto de entrada para a cidade com trés portas e muros de casamata ilstram a fotificago mencionada em 1Rs 9.15.* Asupremacia israelta foi enfraquecida pela divisio do reino entre Robodo e Jerobodo | (1Rs 12) e quebrada peta invaséo do egipcio Sisaque (1Rs 14.25,26). Na verdade, o ataque de Sisaque parece ter sido pouco mais que uma répida campanha com 0 propésito de reduzir o poder de Israel diante do Egite. A situacdo de Samaria (0 Reino do Norte de israel)? variou du- rante os dois séculos seguintes. Samaria foi poderosa &s vezes, no governo de reis como Omri e Jerabodo Il, mas se mostrou ‘notavelmente fraca outras vezes, como quando esteve sob a opresséo de reis como Hazael e Damasco."" Finalmente, Samaria sucumbiu diante da Assiia, por volta de 720 a.C., Juda, um Estado relativamente menor, entrou em declinio até sua destrui- (¢40 por Nabucodonosor da Babildnia, em 586 a.C.2 0 PERIODO PERSA ‘terra ficou completamente desolada durante 0 exilio, com todos os judeus, menos os mais pobres, espalhados pelo Oriente Médio desde o Egito até a Babilénia. Outros povos comecaram a migrar para a terra. Os edomitas,talvez impelidos pelos érabes que pressionavam ao sul, mudaram-se para o norte, e os samaritanas, povo de origem parcialmenteisraelta € parcialmente pagd, logo emergiram.13 Em 539 a.C., Ciro i’ da Pérsia conquistou a Babildnia e, por volta de 500 a.C., todo © Oriente Médio estava em poder dos persas."* Os judeus comegaram a retornar, mas a situagao era desalentadora, e howe poUcO progresso até a chegada de Esdras e Neemias, no século V a.C., para reconstruir Jerusalém e reedificar o templo, Do ponto de vista arqueolégico, foi um periodo relativamente obscuro, mas ha importantes achados, Por exemplo, um papiro de Samaria contendo documentos legals, datando de cerca de 375-335 a.C., foi descoberto néo wad ed-Daliyeh, na regido montanhosa central de Israel. Numerosos sitios tém produzido evidéncias de niveis de ocupagao do periodo persa, mas, além de nomes reais persas para propSsitos de datagao, pouca evidéncia direta da influéncia persa foi encontrada. OS PERIODOS GREGO E HASMONEU Governo grego ‘Alexandre, 0 Grande, ao marchar pelo Oriente, em 333 a.C., manteve-se na regido costeira, de modo a destruir a marina persa e evar as dreas judaicas, Todo o Império Persa calu sob o controle grego. Depois da morte de Alexandre (323 a.C.), uma familia grega, a dos ptolomeus, assumiu 0 controle do Eoito."S 0 Oriente também calu sob o controle dos ptolomeus. As cartas de Zendo, administrador de negécios sob Ptolomeu Il Filadelfo (285-246 a.C.), revelam que havia um ativo comércio entre 0 Oriente € 0 Egito de varios géneros e escravas (usadas como prostitutas). Enquanto isso, 0 processo de helenizagao avangou, € ‘muitos lideres abragaram a cultura e a religlao gregas. 0 governo ptolomaico manteve-se na regido até 200 a... quando 0 poder passou para os seléucidas, governantes gregos da Siria."80 seléucida que tomou o Oriente dos ptolomeus foi Antioco Il (223-187 a.C). No entanto, depois de perder a Asia er “Aestela de Memepti’, em Jz 8. "Ver “Construgdes de Salomo", em 1s. "Ver “A campana de Slsaque", em 2Cr 12. "Mer “Onrt e Samaria”, em 1RS 16. Ver “Hazae, a némesis de Israel", em 2Rs 8. "ver “Os dltimos dias de Jerusalém’, em 6. "er “Os samartanos", em Jo 8. "Mer “Cro, 0 Grande", em Ea 1. “Ver “os ptolomeus",em Dn 7. "ver “Os selucidas”, em Dn 12. 10 A HISTORIA DA TERRA SANTA Menor para Roma, em 189 a.C., 0 reino de Antioco il enfrentou sérias dificuldades financeiras. Seu flho, Seleuco IV (187- 175 aC) fracassou na tentativa de saquear as riquezas do templo judaico, mas Antioco IV (175-164 a.C.) obteve éxito, por volta de 170 a.C. Antioco IV é 0 seléucida mais lembrado da histbria judaica. Por volta de 168 a.C., ele destruiu grande parte de Jerusalém, edificou um altar a Zeus no templo e proibiu a observancia do judaismo.17 Os judeus, sob a lideranga de Judas Ma- ccabeu e seus irmaos, derrotou as seléucidas apés sucessivas campanhas. Judas morreu em batalha no ano de 160 a.C,, mas ‘seu irmao Jénatas assumiu a lideranca até sua morte (ca. 142 a.C.) Simao, o terceiro dos irmaos, o sucedeu (0s governantes da linhagem dos macabeus so conhecidos como hasmoneus). 0 governo hasmoneu Por esse tempo, a Judeia toriou-se tudo, menos independente (Simao, na verdade, era rei e também sumo sacerdote, ‘embora os governantes hasmoneus tradicionalmente se apresentassem apenas como sumos sacerdotes). Simdo foi sucedido por seu flho, Joao Hircano | (134-104 a.C_), 0 qual ampliou o dominio de Juda. Depois do breve reinado de Aristébulo | (104- 103 a.C,), 0 lider hasmoneu seguinte foi Alexandre Janeu (103-76 a.C.). Ele continuou a expandir 0 dominio de Juda por meios militares. Enormes divis6es ideolégicas se formaram na sociedade judaica, principalmente entre os grupos mais conservadores € religiosos, liderados pelos fariseus, e os grupos mais helenizados e aristocraticas, iderados pelos saduceus."® A viva de ‘Alexandre Janeu, Salomé Alexandra, reinou depois dele e, com a morte dela, em 67 a.C., seus filhos Aristobulo le Hircano It lutaram peto trono, 0S PERIODOS ROMANO E BIZANTINO 0 governo romano Por essa mesma época, Roma avangou para a regiéo, Pompeu, 0 Grande, destrulu 0 reino Seléucida, capturou Jerusalém e estabe- leceu Decdpols como regiéo independente do ‘controle judaico. Hircano It recebeu 0 sacerdé- io, mas sua influéncia politica desapareceu. Ao Idumeu (.., edomita) Antipater foi dado o titulo «de procurador da Judeia, por servgos prestados a vilio César. Em 40 a.C., os partos tomaram Jerusalém ¢ reinstalaram 0 governo hasmoneu nna pessoa de Antigono. Herodes (0 Grande), {iho do idumeu Antipater,fugiu para Roma e re- tornou mais tarde com o exército romano para {tomar Jerusalém e, com o apoio dos romanos, reivindicar 0 titulo de rei Herodes govemou até 4 a.C. ¢ dedicou ‘esse tempo @ numerosos projetos de con- strugdo, entre eles 0 porto da cidade maritima Revo comemoraiv&vitéia romana sobre Judea. de Cesareia, 0 palécio-fortaleza de Massada ¢ 0 cicada Herodium, a fortaleza AntOnia e o templo de Jerusalém. No final da vida, paranoico e corrupto, assassinou alguns de seus fithos ¢ nao deixou herdeiros evidentes.'® 0 imperador Augusto dividiu o dominio de Herodes entre seus trés flhos (Arquelau, Herodes Antipas e Filipe). A regio foi uniicada outra vez por um breve periodo sob o governo de Herodes Agripa I, mas com ‘sua morte, em 44 4.C., 0 governo dos herodianos chegou a fim, ¢ a Terra Santa caiu sob o controle absoluto dos romanas. ‘A mistura da arrogancia romana com 0 antagonismo judaico ao governo pagao provou-se mortal. A incompetente € violenta administragao de Géssio Floto, procurador entre 64 e 66 d.C., mostrou-se intolerdvel, € os judeus se revoltaram em ‘Ver “Antoco IV Eptino”, em Dn 11. Ver “Os fartseus”, em MIS; “Os saduceus”, em M22. Ver “Herodes, o Grande”, em Me 3. A HISTORIA DA TERRA SANTA 1 66 .C., porém, depois de alguns sucessos inicais, eles foram massacrados pelo exército romano lderado por Vespasiano e seu {iho Tito. Em 70 4.C., Jerusalém @ 0 templo foram destruidos entre as horriveis desventuras judaicas.* A Cesareia maritima, cidade do governador, fol transformada em colénia romana,2' ¢ 0 centro da vida religiosa judaica mudou para Jamnia, cidade ‘ocalizada a oeste de Jerusalém, préxima do Mediterraneo. Em 132 4.C., 0 imperador Adriano decidiu reconstruir Jerusalém como colénia romana, a Aelia Capitolina, 0 que provocou nova rebelido, sob a lideranga de Simao Bar Kosba, que foi sau- dado como um messias ¢ chamado de Bar Kokhba ("o filho da estrela”) pelo rab Akiba. A batalha fo feroz e terminou com 0 cexterminio quase total dos judeus da regido, e um édito proibia-os de entrar em Jerusalém. O cristaos, que nao se juntaram € revolt tiveram melhor sorte O governo bizantino Finalmente, o Império Romano dividiu-se em duas partes, com a porcdo oriental governada a partir da cidade de Bizancio (também chamada Constantinopia e, atualmente, Istambul. Assim, a regio hoje conhecida como Palestina caiu sob 0 controle bizantino. A converséo do imperador bizantino Constantin | ao cristianismo (312 d.¢.) aumentou em muito o prestigio da regio com seus relicérios. Tomou-se local de peregrinagdes, ¢ varias igrejas foram construidas sob patrocinio imperial. A arqueolo- ia recuperou restos de muitos sitios, ¢ 0s relatriosinformam diversos achados do periodo bizantino. Com excegéo de alguma revolta ocasional, a regido destrutou um prolongado periodo de paz sob o governo bizantino, O governo iskimico ‘A ascensao do isla trouxe a invasao arabe do leste. 0 primeiro califa, Abu Bakr, convocou um jihad para tomar posse da regido e, depois de um sangrento conflto com os exércitos bizantinos, a terra caiu sob o controle de Umar |, em 636 4.C. Depois disso, a Terra Santa passou a ser governada pelos omiadas, e teve inicio 0 processo de arabizacéo e converséo do ovo ao isié. Em 691 4.., 08 muculmanos construiram o Domo da Rocha, no monte do Templo, sob a alegagéo de ter sido aquele 0 lugar do qual Maomé ascendeu ao céu. As outras dinastias mugulmanas (os abassidas, os iKhshidas € os fatimidas) sucessivamente dividiram 0 controle da érea. 0s governantes fatimidas, em particular o califaal-Hakim (996-1021 4.C.), foram intolerantes para com os eristios. As ‘grejas ocidentals reagiram, e tiveram inicio as Cruzadas. Por volta de 1100 .., Jerusalém estava nas macs dos cruzados. Prolongadas guerras entre os mugulmanos e 0s cruzadas se seguiram. Os muguimanos obtiveram vitérias decisivas sob a lideranga de Saladino (1137-1193 4.C.),¢, por volta de 1291 d.C., a Terra Santa estava outra vez nas maos dos seguidores de ‘Maomé. Enquanto isso, uma aristocracia militar de fala turca, denominada mamelucos, forgara sua ascensdo ao poder no Egito e se tomou a classe governante, até mesmo do Oriente. Mas o Oriente Mécio vivia tempos agitados, lutando contra os lnvasores mongdis, ¢ 0s enfraquecidos mamelucos calram dante dos turcos otomanos, em 1516 d.C. A Palestina, outrora alvo de acirradas disputas, permaneceu um tanto isolada durante os trezentos anos do governo ‘ofomano, embora constantemente agitada por revoltas e massacres intemnos e por guerras entre as facgdes que disputavam 0 poder do império. O envolvimento europeu teve seu recomego com a campanta de Napoledo no Egito (1798-1801 4.C.). Depois disso, 0 enfraquecido Império Otomano recebia ocasionalmente o apoio da Europa. Alguns assentamentos franceses, russos € alemées surgiram na regido, ¢ 0 primeiro assentamento sionista apareceu em 1882 d.C. Em 1896, Theodor Hera! escreveu um panfleto advogando o estabelecimento de um Estado judeu na Palestina. 0 MANDATO BRITANICO ‘APrimeira Guerra Mundial trouxe mudangas decisivas. Havia Intenso conflto na prépria Palestina durante a guerra, ¢ 0 de- Crépito Império Otomano finalmente expirou. Em 1917, 0 ministro do exterior britanico Arthur Balfour, na esperanga de obter ‘apoio judeu na guerra, emit a Dectaracdo de Baltour, que defendia o Estado judeu na Palestina. Como consequéncia da guerra, os drabes rejltaram a Declerago de Balfour e elegeram Faical para governar a formagio do conhecemos hoje por Siria, Libano Palestina. No entanto, uma conferéncia realizada em 1920 pasa Siria e o Libano sob a tutela da Franca e a Palestina sob 0 "Ver “Josefo ea queda de Jerusalém”, em Mt 24. 2'Ver “A Cesarela maritima’, em At 10. 22Ver “Constantino o papel da rainha Helena na preservacdo dos locals sagrads”, em Jo 19. 12 A HISTORIA DA TERRA SANTA mandato da Inglaterra. 0 curto reinado de Faigal chegou ao fim, e os arabes passaram a se referir ao ano de 1920 como “o ‘ano da catéstrofe”. Na década de 1930, com a ascensio do nazismo, um grande nlimero de judeus migrou para a Palestina, ¢ tiveram inicio graves confitos entre os recém-chegados ¢ os érabes da regido. A politica briténica oscllava entre o apolo aos judeus e aos arabes. ‘A Segunda Guerra Mundial e o Holocausto ocasionaram 2 migragio em massa de judeus para a regido, A Liga Arabe ‘op6s-se oficialmente ao Estado sionista na Palestina, mas as poténcias ocidentals, especialmente os Estados Unidos, foram ‘simpaiticas a causa judaica, ¢ 0s proprios judeus determinaram nunca mais se permitr uma situagao que resuttasse no mas- acre de seu povo ou num novo Holacausto. Em 1947, as Nagées Unidas votaram a particao da Palestina em dois Estados, tum judaico € um arabe, mas © plano encontrou resisténcia armada por parte dos drabes palestinos. Entretanto, os sionistas ‘expulsaram 0s érabes, no inicio de 1948, ¢ 0 mandato briténico chegou ao fim. Em 14 de maio de 1948, fol criado 0 modemo Estado de Israel. Perto do final do ano, todos os exércitos arabes de oposigao haviam sido derrotados, ¢ Israel tornou-se mem- bro das Nagdes Unidas. ISRAEL E PALESTINA Durante os anos seguintes muitos drabes palestinos deixaram o teritrio de Israel, mudando-se para a érea palestina (o ado ‘este € a faixa de Gaze) ou para outros tetiérios. Em 1964, surgiu a Organizago de Libertacdo da Palestina (OLP), e varios movimentos guertiheiros, como o Fatah iniciaram suas atividades. Na guerra de 1967, os militares israelitas derrotaram de- finitamente as forgas arabes formadas contra Israel e tomaram o controle do lado oeste da faixa de Gaza (também 0 Sinai, ‘que voltou para as maos egipeias depois da Guerra do Yom Kippur, de 1973). A Jordana conduziu as unidades de guertilha palestinas para fora de seu territéio, os palestinos fugiram para o Libano. 0 resultado fol que o Libano passou a ser sacudido or guerras civis. Os israelenses continuam a lutar contra as querrihas e contra os terrristas palestinos estabelecidos nos {erritrios ocupades e no Libano, ‘A arqueologia dessa terra, portanto, ndo esti relacionada apenas com a historia biblica, mas com todas as eras, desde ‘a Idade da Pedra até a modemidade. Em qualquer sitio, os arquedlogos podem encontrar niveis de ocupagao calealitices, do Bronze Médio, do Ferro I, do periodo helenistico ou do Bizantino, das Cruzadas e/ou do Impeério Otomano, bem como artefatos {dos iiimeros invasores que passaram pela regio. E claro que 0 progresso da arqueologia tem sido bastante prejudicado pelos ‘confitos modemos. & historia da terra prometida sempre fol escrita com sangue. INTRODUGAO A AUTOR, LUGAR E DATA DA REDAGAO ‘Que Paulo é 0 autor de Romanos (1.1) é praticamente incontestvel.O lio é geralmente datado de 57 d.C., provavelmente durante a ter- cir viagem missionéria de Paulo (At 20), Prestes a conclir sua obra no Mediterraneo oriental, cle desejava levaro evangelho a0 Ocidente (fim 15.19,24). A maloria dos especialstas acredita que Paulo escreveu esta carta de Corinto. DESTINATARIO 05 leitores origina de Paulo eram os cristios — predominantemente gentios (Rm 1.13) — de Roma, Paulo apresentou-se a igreja romana (que ele no havi implantado) e explicou por que pretendia visita. FATOS CULTURAIS E DESTAQUES Durante muitos anos, Paulo desejou visitar Roma para ministrar al (113-18), Alguns supBem que ele esperava usar Roma como base para seu empreendimento missionério na Espanha e escreveu esta cata para explicar a natureza de sua obra. Outros sugerem que o objetivo a epitoa era pastoral: tratar das divisdesexistentes naquelaigreja(14.1—15.6). Outos, ainda, postulam um objetivo apologético: © evangelho de Paulo estava send atacado, ele precisava defender seu ensino fundamental de que “o justo viverd pela 16° (1.17) da ‘acusagio caluniasa de que ele pregava um evangelho antinomista e ibertino (38). Qualquer que sea o objetivo do apdstoo, est caro que «8 preacupacéo principal do lio é a reiago entre judeus e gentios no abrangente plano de Deus para asalvaco LINHA DO TEMPO te ot 7 © 8 © 8 @ MH w © Nasimaro do Jos (ca. 8/5 2C) i Marte, essurago €aconsd de Joss (a, 30.4.0) | Acamersto de Pau ea, 356) | ‘As agen misonrias de Pa (a. 26-87 6.0) — Reade de Nar ca. 5488 4.0) —_ dag da carta aos Romanos (ca 57 4) | Prmaka pried de Paula en Roma (ca. $0-02 4) a Piso morta de Palo wn Roma a. 67-686.) i Destulco do temple de Jers ca. 70 4.) i ENQUANTO VOCE LE ‘ente para os temas recorentes de é € obras, lie graga, pecado e justca, juzo justficagao e para a explicacdo sstemitica e abran- gente do evangetho de Paulo: 0s gents vieram de um contexto de idoiatriae increduidade, 20 contro dos judeus, cuja heranga inci © conhecimento da Lei e as promessas de Deus. Apesar dso, todos pecaram (cap. 1—3).Ajustficagéo & pela fé, no por obras, ainda que isso nao seja uma permisséo para viver uma vida de pecado (cap. 4—6). Os judeus, que antes buscavam ajustiga nas obras, no a encontraram, enquanto os gentios, que nao buscavam Deus na Le, encontraram-no ¢ foram enxertados, por meio da fé, no verdadero Israel. sso se dé por causa da eleio dvinae do plano de Deus — que, mesmo assim, se lembrou de seu poo, lsrael (cap. 9—11) Sobre alicerce da fé, Paulo passa atratar de questes relativas& vida rst no daa ia (cap. 12—15). “4 INTRODUCAO A ROMANOS VOCE SABIA? ‘0s judeus da época, por terem a Lei mosaica, consideravam-se superores aos gents (2.1. * Costumava-se guardar nos templos pagéos grandes quantidades de riquezas (2.22) + Nos tempos do NT, o batismo acontecia logo depois da converséo. isso fazia que ambos fossem considerados aspectos de um inico ato (6.3.4). ‘© Aadogéo era comum entre os gregos e romanos,e eram garantidas ao iho adotado todos os privilégios de um fio legit, incisive diets de heranca (8.15. TEMAS CO livro de Romanos contém os seguintes temas: 1. fideldade de Deus. Um tema central de Romans é a idelidade da alianga de Deus. Sua fidelidade a promessa fit ao patiarca Abrao ¢ revelada na salvago baseada na fé, Judeus e gentios encontram justia dante de Deus por meio da fé em Jesus (3.21-26), 2. Justica Nem judeus nem gentos im mértos pessoas dlante de Deus. Todos, & excegéo de Cristo, esto debt de sua ra (2.1—3.20) Mas ha boas noticias: pela morte de Crist, Deus credita a justica dele proprio a todos os que creem e confiam em sua promessa dé salvacdo em Cristo (3215.21). Unidos a Jesus, os cristos so capacitados, pelo poder do Espiito Santo, aviver uma vida justa aqui e agora (6.18.39 3. Reconcilagéo. Romanos ressalta a preocupagao de Paulo com a reconciiagao racial e senibildade para com as cuturas. Seus con- selhos para a solugdo dos confites interos da igreja (14.1—15.6) exaltam a atitude de Cristo como exemplo para nds (15.1-6), Paulo reer o ensino de Jesus, segundo o qual amor ao prximo cumpreo intento da Lei (13.8-10). SUMARIO | Introdugao (1.1-15) I Tema: A justiga que vem de Deus (1.16,17) 1 A injustiga de toda a humanidade (1.18—3.20) IV. Ajustiicarso (3.25.21) ‘A.A\ustiga vem somente por meio de Cristo (3.21-26) B,Ajustiga€ recebia pela (3.27—4.25) C. Apaz ea alegria so futos da justiga (61-11) 1. Morte por meio de Ado, vida por meio de Cristo (512-21) V. Santiticagéo (6—8) ‘A Escravos do pecado ou escravos da jstica (6) B. Alta contra 0 pecado (7) CA vida fortalecida peo Esprit (8) V0 reconhecimento da justica de Deus: o problema da rejeicao de Israel (X—11) ‘A Rescolha soberana de Deus 2.1-29) B.A incredulidade de Israel (@.30—10.21) C. 0 remanescente ¢ os galhos enxertados (11) VI A justcapratcada (12.1—15.13) ‘Vil. Conclusdo (15.14—16.27) Paulo, servo de Cristo Jesus, chamado para ser apéstolo,*separado® para o evangelho de Deus era descendente de Davi, 4 que mediante o Espirito tém!® Deus, aquem sirvo™ de todo o coracio pregando ston vais. J 29 qual foi prometido por ele de antemao por meio dos seus profetas nas Escrituras Sagradas,¢ 1auTIs Sacerca de seu Filho, que, como homem,* de santidade foi declarado Filho de Deus com poder, pela sua ressurreicao dentre os mortos: Jesus 15w21s, Cristo, nosso Senhor. ® Por meio dele e por causa do seu nome, recebemos graca e apostolado para aswpiriz _ chamar dentre todas as nagGest um povo para a obediéncia que vem pela fé.0E vocés também estao entre os chamados para pertencerem a Jesus Cristo." aees:@ 7 Atodos os que em Roma slo amados de Deus e chamados para seem santos: A voces, graca e paz da parte de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo! Paulo Anseia Visitar a Igreja em Roma tayo Antes de tudo, sou grato a meu Deus, mediante Jesus Cristo, por todos vocts porque em todo 0 tseziniS mundo esta sendo anunciada a f8 que vocés saosaesie oevangelho de seu Filho, é minha testemunha? de como sempre me lembro de vocés em minhas oragbes; ‘epego que agora, finalmente, pela vontade de Deus, me seja aberto 0 caminho para que eu possavisiti-los.® tateanig23 11 Anseio vé-los a fim de compartilhar com vocés algum dom espiritual, para fortalecé-los, isto sane isz223 & para que eu e vocts sejamos mutuamente encorajados pela f&. 3 Quero que vocts saibam, irméos, ‘que muitas vezes plane vsiti-los, mas fui impedido até agora.¢ Meu propésito &colheralgum fruto entre vocés, assim como tenho colhido entre os demais gentios’ siagriona ss 14Sou devedor tanto a gregos como a barbaros’, tanto a sdbios como a ignorantes. 15 Por isso estou isposto a pregar o evangelho também a voces que esto em Roma’ tagzin ie —_16Ndo me envergonho do evangelhos porque € o poder de Deus! para a salvagio de todo aquele “da que eré: primeiro do judeu,” depois do grego.m 17 Porque no evangelho é revelada* a justica de Deus, asf? uma justica que do principio ao fim é pela fé, como esta escrito: “O justo vivera pela {8° sezeaan "A Ira de Deus contraa Humanidade wwsse.aa8 sa9sm14i7 ra0'e191-6 porque Deus lhes manifesto 4 Portanto, a ira de Deus*é revelada dos céus contra toda impiedade einjustiga dos homens suprimem a verdade pela injustca, pois o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre eles, 2Pois desde a criacdo do mundo os atributos invisiveis de Deus, seu ‘eterno poder e sua natureza divina, tém sido vistos claramente, sendo compreendidos por meio das ran25 warri0 sans 2097 Yaa io Faas n péssaros, quadripedes ¢ répteis. raeg49: reas rasa, wloicemas 126m, 2428 "eas swiaea wate ma Isto, excravo. 1.4.0 que quanto a seu espiito TA Iso. aqueles que nio possuiam cultura grega, /17 He 2A. coisas criadas? de forma que tais homens sio indesculpdveis;* porque, tendo conhecidoa Deus, nao glorificaram como Deus, nem Ihe renderam gracas, mas os seus pensamentos tornaram-se fiteis € © cora¢io insensato deles obscureceu-se.° »* Dizendo-se sdbios, tornaram-se loucos* ® e trocaram a sloria do Deus imortal por imagens¢ feitas segundo a semelhanca do homem mortal, bem como de 24 Por isso Deus os entregouta impureza sexual, segundo os desejos pecaminosos do seu coragio, para a degradagao do seu corpo entre s.025 Trocaram a verdade de Deus pela mentira"e adoraram e serviram a coisas! e serescriados, em lugar do Criador, que ¢ bendito para sempre! Amém, 28 Por causa disso Deus os entregouk a paixdes vergonhosas! Até suas mulheres trocaram suas relagdes sexuais naturais por outras, contrarias & natureza." 2” Da mesma forma, os homens 1.13 Isto gs que nio so judeus: também em todo livro de Romanos LL ea ig pile co oi Mego ‘rp do emetot cS einai eu deus sada er "Area negro Sa Aes dem cae patio, mar nena inedugo &o eb como 4 Sree cgi de oma nore cee pedo Ses ese mena ik oe LTA pave gop: ap ean, por “eve” agua Uoramnie “arnt, aque que tenes acu doo eso tem iberdade para ir taboe (ret "Teiahe c bens po rund ange’ em ZI; © ‘Easel ao mundo greene Fe). 1. Soe "Ecar gars er “0 Antigo Testament deja fein oT 3 TR Rem om Rd an : 1: A paler grea taduia or “nde” cr wad no tempo de ao quando gue v dig Suma mulidio ou oman indula homens eimulberes (e Ar L110) = 1.16 +g gon i ar iso et Esp konto (oor celine ds Ips Neston lara "Bree (08 lo greg) & uma pals qe promyemene i tava 9 sor, iandigiel tos ouside reper Lora eae povce, ATTRA ia de Deus no ¢ igual ir goa cimprevisrel abuida a8, ‘cs ulcer com or qual o ples amas de Paul ct atl ‘ad (er"Ox dec groper don romancr”cm GI) 1.27 Acaprenso “sori uma yest} odoml, pcaqul Sel opm 95) De pri aa ica (Dr 23.17) Ela grime ava cm conc com a aoa agi, ¢ nia incliso cra al de dsanclamemto do Senhor (1Rs 14.24) Rev (URS 15.12) c Jost tomaram medidas conta ese pecado (I 27246), mas sn pre ensinaounaepoc de ons ea praca st toes mu cst cd Senor ORS 23.7)- 16 |ROMANOS 1.28 também abandonaram as relagdes naturais com as mulheres e se inflamaram de paixao uns pelos outros. Comegaram a cometer atos indecentes, homens com homens, e receberam em si mesmos 0 castigo merecido pela sua perversio.® 28 Além do mais, visto que desprezaram o conhecimento de Deus, ele os entregou’ a uma dispo- 120+.2425 sicdo mental reprovavel, para praticarem o que nao deviam. ” Tornaram-se cheias de toda sorte de 128720120 injustiga, maldade, gandncia e depravagao. Estao cheios de inveja, homicidio, rivalidades, engano e malicia, Sao bisbilhoteiros,? # caluniadores, inimigos de Deus, insolentes, arrogantes e presungosos; 130132 inventam maneiras de praticar o mal; desobedecem a seus pais sho insensatos, desleais, sem amor —13027m23, pela familia implacaveis, * Embora conhecam o justo decreto de Deus, de que as pessoas que pra-122n62 ticam tais coisas merecem a morte,# nao somente continuam a praticé-las, mas também aprovamt SSE was, aqueles que as praticam. an Ce pe Ser ROMANOS 1 Em Romanos 1.24-32, Paulo descreve a depravacao dos gentios. Cita a homossexualidade ‘Como o exemplo mais importante € comprobatétio de sua reprova- ‘a0. Com esse comportamento, eles demonstravam a realidade de que rejetar a Deus conduz a perversio de tudo 0 que é bom e correto. De fato, ahomossenualidadedifundida € provairefutavel de que uma cul- ‘ura esté sob jutzodivino, Hoje, entetanto, muitos intér- pretesafirmam que ler Romanos 1 luz da realidade cultural do mundo ‘greco-romano revela que Paulo ndo ‘tava, na verdade, condenado a hhomossenualdade em si, mas repro vando uma versio partcularmente Sensual e promiscua dessa inlnagio ‘greg0s pociam estar cientes de que serual. Ou seja, de acordo com esses ‘se comportamento era depravado ‘studiosos, a homossewualidade, no Iimperador Adriano rstfanes, poeta cémico gtego, ou, oimperadordeprimido decretou ‘que ele fsseadorado como um deus. 0s judeus, no entant, consde- ravam 05 homossenuals depravados por natureza — atitude fundamen- tada em texts biblicos, como Levi- tico 18.22.05 escitosjudaicas desse perodo tratavam aatividade homos- sexual como digna de mort. Paulo, longe de dlscordar dsse ponto de vista, endossou-2 rigorosamente (1Co 69). € importante observa, no entanto, que nem Paulo nem seus DO NOVO TESTAMENTO A CREDIBILIDADE DA BI BLIA ROMANOS 15 Nenhum outro texto antigo & comprovado portal riqueza de testemunhas tetuais como o NT. Existem hoje 5.500, ‘manuscitos, cy conttido varia da coleao intera do NT até um Bequeno fragmento de um nico versiclo. Ha também centenas de ‘pas de traducesatigas (ou verses) do NT que revelam a for- ‘mado tert conhecido por seus tradutores, alm das muitasitacoes| ‘os escitos dos pals da otja primitive, que apresentam a forma de alguns textos conhecidos por eles. ‘+ Acépla mais antiga conhed- dade uma porgo do NT €o par Piro John Rylands, ofcalmente designado Pe datada de 125 ‘4, aproximadamente, Contém Joa0 1831-33,3738. ‘© 0s manuscitos completos, ‘4 quase completos, mais ant- (05 do NT 5300 Codie vaticano € 0 Cédice sinatco, ambos do staulo 4+ Ha também outros 65 ma- ‘usctitos paris do NT do século IV oumais antigos,além de mul- {os manuscitos completos de staulos posterior. 0 apoio textual é, de longe, superior a0 de qualsquer outros documentos antigo, como os tetos dasscos dos escitores _gregos e romanas (e.g, Pltio, Aristoteles € Cicero). Apenas ‘manuscritos parcaisSobreviveram de muitas obras da Antiguidade, ‘endo €incomum descobit-se que otnico manuscrito completo de algum escrito antigo € uma cépia datada de mil anos apos Sua composi. ‘Os manusctits originals do NT provavelmente eram depapiro, 0 ‘material de escrita mais comum da época, e foram lids ecopiados| até que nao fossem mais egies? Na Antiguidade, nao hava duas ‘pias de um manuscrito que fossem exatamenteiguas, apesar do Arabalho metcuoso dos copistas. Embore ndo tenhamos mals a ‘portunidade de consulta os manuscritas originals a riquezae a an- ‘iguidade dos documentos que esti hoje 3 clsposigo dos especa- Istas so tas que ndo€ if determinaro qué os autores originals tea’ em 51, Facsimile de uma pigina do Cédice vaticano, um dos ‘manustites completos mais antigos do Nove Testamento © kates ae sy re ‘Wer “Opapio John ands (Ps em Jo 18. ‘erates de esa no mando atign,em3o;€ “Roos, slo ices em ApS. Aertambém “tice ‘escreveram. Na maotia dos 250s, podemos também discemi como € porque as variagdes surgi nos manuscritos. Em nenhum caso, «a doutina cst depende de acitr altura de um manuscrito em detrimento de outro. ‘Ahistéria da tradigio do manuscrito no final da carta de Paulo os Romanos € uma das mais complcadas em todo o NT. A bengao final encontrada em Romanos 16.25-27 aparece em trés outros l= gates de varios manuscitos:imeditamente ap6s o capitulo 4, de- os do capitulo 15 ou no fim dos ‘pitulos14e 16 Paracomplicar, alguns manuscitosndo incluem, 2 doxologia. Esa evidénca gerou. um leque de sugesties acerca da histéria da redacio de Romanos: + Alguns especalistas in- fee que a carta aos Romanos tinha, originariamente, 14 ou 15 captuos, terminand com & doxologia. Els sustentam que 0 lembrete foi adicionado poste- riomente, provavelmente pelo Préprio Paulo, quando enviow uma edigio posterior da carta a ‘outa igre. + ‘Amaioria dos especiais- ‘as, no enfant, concarda em que ‘cata india em sua forma o- ginal, todos 0516 capituls, mas ‘que algumas versées reduzidas ‘reulavam entre a ies. ‘Alun acteitam que a prdpia doxologia era uma ado poste- tir, escitapara dar um inal apropriado a uma das versdes menores, ‘mas aiionada ao final das outa formas também. ‘Omas provivel, no entant, € que a doxologia era final org nal de Romanos e mais tarde oi adicionada ao final das verses mé- ores, que vei complicar a historia da trad io do manuscito. (Para mais informagées sobre os textos do A, vr “Texts do A= tigo Testamento’, em Ma 7;e “Tradugiesantigas", em M7.) ce dar a vocés a oportunidade de me ajudarem em minha viagem para li, depois de ter desfrutado ‘um pouco da companhia de vocds. 25 Agora, porém, estou de partida para Jerusalém, servigo! dos asas1 921 ‘santos. 26Pois a Macedéniat e a Acaia! tiveram a alegria de contribuir para os pobres que estao entre feapue1s9, (0s santos de Jerusalém. 2 Tiveram prazer nissoe de fato sio devedores aos santos de Jerusalém. Pois, #58342 ‘se 0s gentios participaram das béngios espirituais dos judeus, devem também servir aos judeus com seus bens materiais.” 28 Assim, depois de completar essa tarefa e de ter a certeza de que eles recebe- ng ram esse fruto, irei a Espanha e visitarei vocés de passagem. 2 Sei que, quando for visité-los,"irei na ys2a:#m710)1 plenitude da béngao de Cristo. 3 Recomendo, irmaos, por nosso Senhor Jesus Cristo e pelo amor do Espirito,® que se unam a 1s3m9a522 mim em minha luta, orando a Deus em meu favor.° 3! Orem para que eu esteja livret dos descrentes jeniena2 a Judeia e que o meu servigo em Jerusalém seja aceitivel aos santos, ®de forma que, pela vontade de 82217821 ‘Deus, eu os visite® com alegria e com vocés desfrute de um periodo de refrigério 53 0 Deus da paz! ‘tm ats 3 ‘seja com todos vocés. Amém, Bie, Saudagoes Pessoais il 6n0 ‘a voces nossa irma Febe, servaé da igreja em Cencreia.”2Peco quea recebam no 18120031 /senhor,s de maneira digna dos santos, e Ihe prestem a ajuda de que venha a necessitar; pois iaz"p22 tem sido de grande auxilio para muita gente, inclusive para mim. 3Satidem Priscila? e Aquila,’ meus colaboradores em Cristo Jesus Arriscaram a vida por mim, Sou yeawis82, _grato a eles; nao apenas eu, mas todas as igrejas dos gentios. aan +Satidem também a igreja que se reine na casa deles* resec1618 ‘Satidem meu amado irmao Epéneto, que foi o primeiro convertido® a Cristo na provincia da Asia. = SA ',58? Satidem Maria, que trabalhou arduamente por vocés. 7Satidem Andrdnico e Jiinias, meus parentes® que estiveram na prisio comigo. Sio notiveis entre os 167%.1121 apéstolos, e estavam em Cristo antes de mim. ‘8 Satidem Ampliato, meu amado irmio no Senhor. ___*Saiidem Urbano, nosso cooperador em Cristo,¢e meu amado irmao Estaquis. va08%.3 < 40Satidem Apeles, aprovado em Cristo. ‘Satidem os que pertencem a casa de Aristébulo. 11 Satidem Herodiao, meu parente* vanten721 Satidem os da casa de Narciso, que estao no Senhor. 12Satidem Trifena e Trifosa, mulheres que trabalham arduamente no Senor. Satidem a amada Pérside, outra que trabalhou arduamente no Senhor. 13 Saiidem Rufo, eleito no Senhor, ¢ sua mae, que tem sido mae também para mim. 44Satidem Asincrito, Flegonte, Hermes, Patrobas, Hermas e 0s irmaos que esto com eles. 45 Saiidem Fildlogo, Jia, Nereu e sua irma, e também Olimpas e todos os santos! que estdo com eles.®a16x.2 9.14 18Saiidem uns a0s outros com beijo santo 61091620 i Todas as igrejas de Cristo enviam saudagoes. eeigis : 2763 Gg: Pre vant de Prt $26 minh Main i mon BSE Ap m fd ee 5 fw ie Serna ree oe ee eee eee en eee eat ae 5s €chanmade “serva" (ver nota da NVM, aquela que serve ott minisea See Smet cease cee a a ae dient Ce careers * Fe pone gx con srs i eects es cope ne clan SEioiGrcenohagt hel enti ne ee Seiad So sma ema Be resect en fee ee eee ee Sees es see am cm minis impaanecs. Pail ogi dla Feb, Pris Jina, Tefen, Trifos ¢ Peside-— por seu sabaho no Senor. 163 Pesce Alem amigos ioe de Paes 3 mesma rol: vices de wd Yes V ies mcf ction prin m2, 167 A kina mas coma do texto ge ¢ Jnl (as Ji, co Sm ome shen nam se 1610 Adasblp thes foe neo de Herds 0 Grande, ¢ imi de Hovde tera TOL Nalin € bs wes enlads com Tito Clio Nao, tim Ihe sbernc do ingesor manane Tbs. 16:12 Trfena Tena ves foc imi, at mesmo gras, pose Sonics twee pote cin rears mee ae Fue agus Rec pons? 16.1415 Nenham Seren oes she ef She pena yc sez on et merrill) pore SETAE ree core ieee cea eee seated Haman mando gmca cna 1616 umino Minis (150) da qc obo ao aa pare lardo culo de adoro cm soa épocs And continua aa prado con alguna iu (“0 comune co do Beem Lc ROMANOS 16.20 it waza 17 Recomendo, rmaos, que tomem cuidado com aqueles que causam divisoes e poem obsticulos, Tim3:63 saute ao ensino que voces tém recebido, Afastem-se deles)1Pois essas pessoas nao estao servindo a Cristo, 21d eiesg2ig_ nosso Senhor, mas a seus proprios apetites* Mediante palavras suaves e bajulag “224 dos ingénuos, #° Todos tém ouvido falar da obediéncia de vocés, por isso estou muito alegre; mas »enganam!o coragao rasesa is "MLIOIE quero que sejam sibios em relagdo a0 que € bom, e sem malicia em relacio ao que é mau wezmmis, 2m breve o Deus da paz? esmagaré® Satands debaixo dos pés de vocés. (315A graca de nosso Senhor Jesus seja com vocés.8 ss TEXTOS E ARTEFATOS ANTIGOS } ROMANOS 16 Erasto foi um cristio do Primeiro século que trabalhou com Paulo ‘Amencéo mais antiga a seu nome esté ‘em Atos 19.22. Paulo, em Efeso, durante sua terceira viagem missiondia (ca, 53-55 4.C), “envio & Macedénia dois dos seus auxiiaes,Timéteo efrast”. Em Romanos 16,3, Paulo esceve(provaveimente de Co- rint, ca 57) que "rasto, administrador da Cidade", mandava saudagoes. Finalmente, em 2Timéteo 420, quando Paulo escreve dla piso em Roma, em que cou até ofim da vida (ca. 66-67), apresenta um telatrio Sobre seus claboradores e informa que “Erasto permaneceu em Corinto”. Parece (que Erastoresida em Corinto, se forassim, & provével ue tenha se tomado cistio como resultado do minstti de 18 meses de Pau- lo naquela cidade, em sua segunda viagem, mission ca 50-52; At18.1-17) A inscrigdo de Erasto Em 1929, uma inscrcao descoberta em Corinto mencionava um Erasto, que pode ter sido 0 mesmo do NT Numa ea pavimen- {ada anordeste do teatro e datada da metade do século dC, le-se: “Erasto, a0 retor- nar de seu magitrado, assentou fo pavimeto] ‘com seu dinheir.” 0 aedile,oftial let, ‘gerencava 0s nego da cidade e ea res ‘onsavel pelasuase pelos préos publios € mercados, bem como pelos impostos ali recolhids. Atuava também coma jul ede ‘iia malria dos itiglos comers e f- rancers.Além disso, era responsavel pelos Jogos piblicos ue aconteciam na cidade. * Assim, 0 term “administrador da c+- dace", empregado por Paulo em Romanos 16.2, parece indicar que Erasto era um cesses mag(strados Para alguns estudloso, ‘uma vez que a palawra grega utiizada por Paula clonomos, pode no sero equiva- Ainsigo de Erasto lente exato da palava latina cede, € pos- sivel que Erasto ocupasse um cargo inerio-—— na época da redacdo da carta. No entanto, €possvelquePaulotenha encontrado Eras- to pela primeira vez quando se exonerava de suas tesponsabilidades fiscalse asim 0 distinguiu por esse papel. Além disso, Co- Tinto era diferente no tcante 20s jogos que aconteclam al: no er responsablidade do magistrado, esim de um grupo de ofciiss= = Desse modo, o cede atuava em Corinto baskamente como “tesureito” da cidade, conforme traduzido em algumas versoes (eg, ARA) “J "er também Viagens isons de Paulo’er At16¢“Prso mo mundo rman’ apisto Yess psi domilia’yem At26,-VeF*Carnto’,em 201, ~ néteo,’ meu cooperador, envia saudagoes, bem como Liicio,* Jasomt e Sosipatro, meus Tércio, que redigi esta carta, satido voces no Senhor. 23Gaio, cuja hospitalidade eu e toda aigreja desfrutamos, envia-Thes saudagoes. Erasto,’adminis- or da cidade, e nosso irmao Quarto enviam saudacies, Que a graga de nosso Senhor Jesus Cristo ja com voces todos. Amém.* +250ra, aquele que tem poder™ para confirmé-los pelo meu evangelhote pela proclamaco de Jesus sto, de acordo com a revelacdo do mistérioy oculto nos tempos passados, 26 mas agora revelado lo a conhecer pelas Escrituras proféticas por ordem do Deus eterno, para que todas as nagdes crer nele ea obedecer-lhe; sim, 20 tinico Deus sibio seja dada gléria para todo o sempre, Dor meio de Jesus Cristo. Amém? waz wi6 saratwirs; ani vaz0n 1922 rasa Set BE ra27 A 115 2.11) cjacon Path schenpon [Ae 187; 100 1.14), Ses nome compet Encino pc "2 inscrigdo em crn cae cm Cina ct pet eis foe sok hoi potion sey pom pe Sera cam de. pel Nec cor ecat cee o cme aa “gi acm A 17.59 Sx Rado NT: Foie anlem ck meno ont I9S2 2 iho de Piso, de Berea (er 4.20, cmbora nj diel er cetera, pois ose nore cra al 125.7 Vn mao spon son he il con gs cia Justo, temente 2 diferentes da carts ane Romanos maniscrites noo tram, par as eee fo L320: 10k Scmvedos mi ade ther Tanosdo Nove Terme ef 2135 2223 Tabela de pesos e medidas Glossario Indice dos assuntos dos artigos: Lista de artigos em ordem alfabética Lista de artigos pela ordem das referéncias biblicas Concordancia Biblica NVI indice dos mapas coloridos DE PESOS —E MEDIDAS uwDAane ‘EQUVALENTE BiBLICA MétRiCo ‘APROKIMADO Pesos talento (60 minas) uk mina (60 silos) 6009 siclos (ecas) 1159 im (28 siclo) 769 beca (10 geras) 859 gera 0.69 Comprimento cévado scm palma 23cm quatro dedos em Capacidade ‘Medidas para seco coro (émer} (10 efas) 2001, leteque (etas) no fa (10 6meres) 2 ‘sea (alqueire) (1/3 eta) 73 omer (1/10 eta a cabo (118 fa 1 Medias para lquidos bato (eta) him (1/6 bate) 4 logue (12batey oat ‘As cas desta tabela so caleuladas considerando que osiclo¢ igual a 11,59; 0 cévado, a 50cm e oa, a 22. Esta tabela baseia-se nas melhores informagdes disponiveis, mas néo pretende ter preciso matemtica; apenas oferece uma aproxi- ‘magio dos montantes ¢ das distncias. Os pesos @ as medidas dferiam um pouco entre si no mundo antigo, dependendo dos vrios locals periodes histricos. No se tem certeza, em especial, no caso do fa edo bat; novas descobertas talve lancem mai uz sobre ‘essas medidas de capacidade, Acédia Seco setentrional 20 sul da planicie mesopatimia. ‘acddio Idioma semitico do Ill ao | mini a.C. escrito em cuneiforme. Origindrio da Mesopotémia, 0 acddo tomou-se a lingua dliplomatica oficial de todo o Oriente Médlo. Os dois principals daletos conhecidos eram o assiioe o babiloio. Acropole A parte mais elevada de uma cidade na cultura helenistica, em geral reservada para praticas rligiosas e cultuais, ‘Aacrépole mais importante @ a de Atenas, com uma drea de 300 metros por 150 metros, que contempla a cidade do alto. Sua importncia na regiao se manteve por mais de trés milénios. A construgao do conjunto do tempo comegou no século Vill a. e continuou por trés séculos. 0 pindculo do conjunto & 0 grande Partenon, construida no século Va.C. € dedicado & deusa Atena. Ver “Atenas”, em At 17. adivinhagao —Tentativa de obter conhecimento de fatos pela consulta aos deuses, por métodos diversos (e.g, sonhos, inter pretagdo de fendmenos naturais como maus pressdgias, exame de entranhas de animals sacrificados). Ver “Adivinhago ra Acédia”, em Dt 18. Al (Heb. “monturo”, “ruina”,) Cidade da Palestina Central, provavelmente na regio de Jericé € de Jerusalém, a leste de Belel. Os israelitas comandados por Josué derrotaram a cidade depois de terem sido repelidos no primeiro ataque. ‘A vitéra 86 foi assegurada depois que o pecado de Aca foi castigado por Deus. Ver “Ai”, em Js 8 ‘Amarna Cidade principal do faraé Amenotepe IV (século XIV a.C,). Estava localizada 288 quildmetros ao sul do Cairo, no lado oriental do Nilo, Miares de cartas cuneiformes do periodo de Amenatepe Ill (meados do século XIV a.C.) foram. encontradas al, Mutas delas descrevem as condigées politicas do Oriente no tempo em que os habirus atacavam as cidades-Estado cananeus. Ver “Os tabletes de Amarna ¢ os habirus”, em J 2 Amenotepe IV (Aquenéton; ca. 1362-1336 a.C.)Faraé “herege” que tentou substituirareligido egipcla tradicional por outra que se aproximava do culto monotelsta a Aton. Seu reinado deixou para trés uma importante colegdo de textos acddios denominados Cartas de Amama, amorreus Uma das nagdes que habitava Canaa antes da conquista israelita. € provavel que os amorreus sejam 0 povo ‘amurru, citado nos documentos cuneiformes, que infestavam a Mesopotamia entre o final doll milénio até o inicio do milénio a.C. e que fundaram a | Dinastia da Babilinia. amuleto Talisma transportado ou usado, geralmente com inscrigdes de figuras ou de personagens. Era usado para proteger seu portador de doencas e fiticas. ‘Anatélia Area que hoje corresponde porcdo asidtica da Turquia. Era a encruzilhada para o antigo mundo mediterraneo, or isso mantinha numerosos contatos culturais importantes com a Siro-Palestina e seus habitantes. Ver “A Anattlia € os hititas", em Ex 33, 4nfora Vaso alto de duas algas, usado na Roma e na Grécia antigas para quardar leo, mel, vinho ou cereal. apécrifo; apécrifos 0 termo “apdcrifo" significa “escondido” e designa os livros nao canénicos mais relevantes do AT ou do NT. A colegéo chamada Apéorifes retere-se a 14 ou 15 documentos escritos, na maior parte, no periodo do século I1a.6. 20 século I d.C. 0 termo foi usado peta primeira vez por Jerénimo, no século V 4.C., em referéncia aos livros que faziam parte da Septuaginta (a tradugo grega do AT), mas que néo constavam da Biblia hebraica. Os protestantes no Consideram esses livros canénicos, Ver “Os Apécrifos”, em Tt 1 ‘Aqueménida —Dinastia que governou o Império Persa de 550 a.C a 930 a.C. Fundada por Ciro, 0 Grande, alcangou seu apogeu no reinado de Dario, o Grande, quando o império se estendia do rio Indo, no Oriente, até a modema Libia, no Ocidente aramaico Lingua semitica muito préxima do hebraico. Desenvolveu-se durante o l milénio a.C. ¢ mais tarde torou-se a Hingua franca do Oriente Médio. Nos tempos de Cristo, era a lingua predominante entre os judeus da Palestina. Cristo falou e discursou em aramaico, ¢ partes do AT foram escrtas nesse idioma, Astlode Um dos cinco maiores centros politicos dos fiisteus no século X1 a.C. A cidade passou por conflitos entre fists € israeltas e vez por outraficava sob o controle dos israeltas. A atual cidade de Asdode esta situada cerca de 5 quild- metros ao norte do antigo local. ashlar Tipo de alvenaria que permitia cortes precisos para manter as pedras juntas em amarragao. INDICE DOS ASSUNTOS DOS ‘Abecedrios Abecedérios Abimeleque -Abimeleque em Siquém ‘Abismo (ver “Inferno") ‘braio perodo patriarcal: a Mesopotamia no tempo de Abrado ( papel do patriarca na vida familiar Costumes ¢ les na antiga Mesopotimia CCaverna de Macpela Hard Ahistoricidade das narrativas patriarcais Hebrom Ur ‘Absalao Principes ambiciosos entre os hittas ‘Acabe ‘Amom Ahistra do Reino do Norte Ben-Hadade el ‘Acabe ea batalha de Qargar Aestela de Tel Dan queda de Tro Oval de Jezree! (0s martins de Samaria ‘A Assra do Periodo Assiro Médio em dante ‘Acécia, madeira de stim ‘Acido (idioma) ‘Sumétia Hurts s tablets de Amara € os habirus EducacZo suméria dos escribas Uinguas do mundo do Antigo Testament Dario! Langando sores CO-cuneifrme os tabetes de bao no antigo Oriente Mécto ‘Acadios (povo) ‘perodo patiarcal: a Mesopotémia no tempo de Abrado ‘caia Gali, procénsul da Acaia ‘Agao de gragas ‘0s amuletos de Ket Hinnom ‘eax Menaém e Peca de Irae, Jotio de Jud € Tiglate-Pleser il da Assia ‘Acaz, rei de Jud, ¢ Rezim, rei da ‘Agoite (romano) ‘A controvérsa em tomo do sudo de Turim Adivinhagéo (ver também *Magia”) Aivinnago na Acéia Necromanca antiga Langando sortes 1828 a) nts Gnt8 Gn2t 6n23 ona? nad 2sm3 Neg 28m 19 210 1Rs 13 1Rs 20 1s 22 2Rs8 226 051 Am3 Na3 Nm 25 Gnd Gn34 a2 10r2 Ea2 Fd5 1830 nts a8 Nmé 2Rs 15 2Rs 16 Mc 15 ot18 1828 66 Crago de agradecimento de um pagiio Béngéo htta para uma casa Oragéo acddia 20s deuses da noite (0s deménios ea Biblia ‘Armagia no mundo grego-romano ‘Ada Cidades da planicie ‘Administragao ‘Administragao egipcia e irae Salomo e o Impéri israeita Instrugéeshittas para pasos frntergos Historia persa antiga até Dario Teria Agu liderado uma rebelio messiénica? Adocéo Costumes ¢ leis na antiga Mesopotimia Direitos do primogénto Les médio-assiias ‘Afeque ‘oque Ben-Hadade ei Airodite Carnto ‘Ageu (profeta) Dato! Tera Agu iderado ura rebelio messinica? ‘Agora antiga teso nos tempos de Paulo ‘Agricultura 0 Calendério de Gezer ‘A Galileia nos tempos de Jesus ‘Agripa | (ver “Herodes Agripa I") ‘Agripa Il (ver “Herodes Agripa II") ‘Agua, sistemas de ‘0 acude de Gibeom 0 tsinnor O tine! de Ezequias Ezequias contra os assirios Jerusalém Pocos, cistemas ¢ aquedutos no mundo antigo ACesareia de Filipe si A ‘Aicam Adelegacéo a Hulda e Nata-Meleque, 0 oficial Alcool zie Vinho e bebida alondlica no mundo antigo ‘Alexandre, o Grande S116 S127 1134 as Gni3 1Rs4 1Rs6 Ned 2 Gn21 Gn 25 6n30 m8 saz Mat wt 1sm29 1Rs 20 2001 £45 Ag2 Atte zim 4 si107 tts: 2sm2 28m 5 2Rs20 1336 a 38 tte 88 2Rs 22 1Pe4 CONCORDANCIA +7 ABA S161, 2 come corto abate We 9.2 extirads como ester em campo Me 14.36 Edia:“Abe Pa taloteépouivd SI 108.22 omen conago eth abide hero Km B15 pormeiodo gual damamoc "Abs, SI 142 6 estou mito abatido Je 40.7 queaindn tava cm campo aberto har Jk 211 oorgulbodorhomensseriabutido Ez 28. § Voct ets em campo aberto Gh 4.6 ede cama “Abo, Pa 1515 home sed abutde Ex 45.2 -puraterenoahera ananout Ex 3228 "Vout tamblen, fraser aba My 1.6 —tm monte deenulbo em campo ‘Ap 911 9anjo do Abia uj nae, em ias® here ‘baie, € Abad: Ze 10.11 Oorgutbo da Aira ser abuto My 410 parahabitarem campo aberio = Me 10.2 teow abate Jo 151 “overtooceuaberto™ 51125. 1 compomonte Sin gue mio se pode ABEDE-NEGO Be Rae aber malls egellbomme ae Dn 17 ea Arras, Abode Ngo at, 10.11 Vino céuaberto Le 6.48 trente dew contra agua cana, DH 2.49) Saraque, MesagueeAbole-Ngo MU. S-atrressado omar aberta nai civs conse cae De 313 munichamar-AbleNege Rim 318 Stasptsstoum ml abr 319 urs comm abederN Ms 2.2 qeniosediemaalrnom sar DN 319 lesa Able Ny 20 212 Wioteenehnadewumip sar to facmente are ie . ‘sp 10.2 cabortocmaua mio ABANDONADA Do 3.22 ecm Sedma Mews © Aber 1a & pegucolvoaberio Ly 2643 quepordessersabandomada. yy 3.36 NE. nece servos do Deus AP 1-19 ovakerto o santudro de Devs 70 Aaland Fr ae ‘5p 20.12 irs fram aberfon iy: Shit thcsima elk cherie Dn 328 0 Deus deabode Ngo tirow ox ABIL 1 M410 Degetoem genta yy 3.39 pres. Abode Nego mn 1G 229 O nome da mer de A see. cssccateun Provinis ds Rania Abia! 4.18 Apes det esau Ace 5.14 descendents de Abia est 6 aiden sue uma mulher Get 2 YolovadardlmdetaveraAbe 208 M18. Amte de Maat er bial ‘sbondomada Gu 44 OSirnon ceou com aprado Abet_ EX 215 ~averde Ester ha de Abia J 6.15 “Em verde abandonada coiads? sus oferta Sze ceamiheees ae 1 @.4 Niomaiscdumarioahmdonada, Ga 4 8 Coimatacouseuirmio Abeleoma ABIATAR (oS ion 1Sm2220 Abiatar, io de Nnlague Je 25.9 “eta cidade fark arrasda ¢ Ga 4.9 “Ondecsts sea irmio Abt?” 18m2222 Davidssea Abiatar. ‘bendonadat= Ga 425 “Deusme concedes um fo mola: 1830. 7 Davidse ao saerdteAbitar i 0.25 Conn cat abendonade « cdate soede Aber 2Sm_ 8.17 Almelogu, bode Abiatar pain 2820.18 "Pegacometb na ciade de Abe” 2815.24 “Abiatrtmbem taal «tera crs abandonada Me 28.35 dew onangie do jt Abe 25m 15.27 Hinata ho de abiatar LU or abundonada de tal for- Le 151 desde osanguede Abe! stéosangue 28m 15.29 Zadoguee Abita levaram a aca Eis deZacaras, 25m 1715 aoe acerdotesZadoque Abt Be 2619 Hh 11, 4 Abel frecen Deus um scifi 2$m20.25 Zadoquee Abiatar erm sacerdotes ecatbandonada”™ sxperoe 1S 1 7 comosacerdoe Abiatar ‘Am 5.2 SAbundonalcemsuapropeiaters? Hb 12.24 quefalamelbor do que osanguede IRS 119 osacendte Abiatar S24 Gamuertabwndonade Abel 1s 142 inatas filo do saerdteAbitar Tunae ‘aneunas Re 222 puraosacendote Abatar De 1219 io abandonarosevias Dt 144 ospensepuzamcomoumensamede 1 3 er Je 2416 “Longe de nds abandonar 0 bela 18-227 Salons expusou Abatar Sexuon! lum enzame de abelhas em a 25 alee er Ae be ccmatan'se a abundanar suas St 118.12 Cerearameme como win enzame de 1CF 18:11 Zadogue e Abatar i Be atondona aig ce 1816 Aimeleue i de Abitar Tevet oabandonar deorejitrs —(6718.-easablhas da Asia Xr 27.4 seed por abistar oo a Me 2.26 Nowdi do sumo scedot Abiatar ‘hegre até abondonar as Ga 27°30 aque acaboudeabengar co ABIMELEQUE on aan Caceeaame 20. 2 Enso Abimdequ, ede Grae W618, 4 Devese abondonar ater por su Nim 23.20 onde pra afenjor Si Oe 3 Catia cables ‘causa? Nm 241 agradava.o Senior abencoar Isr GB. 26-11 Abimeleque advert todo 0 povo Is 57, 8 Ao me abandonar, voct descobria Dt 27.12 *.paraabencour 0 pov.” Gn 26.16 Abimelegue pedi a Isaque... seule Dt 28.12 “O'Sowiox dir océu_paraaben. 1 31 aquemcle devo nome de Abimal e217 a0. ahandonar 6 Sexton, 0 seu oor 7, eee Deas? 1m 9.13 pr cledeve abonoara racic I = a Je 219 camoémaucamurpatundonare Si 12 Pabeedeeatenoaresciie 21121 gaem mam Abmceqefiha de Seon pee Jerse? A719 ovigandows a aburdonar 0 seus Cp 16.43 Davi volta para aogoar aust ABISAQUE recension ra Re 1 3 encontraram Abicgue, win HE 425 “eve ubandnara mena 2¢4 30.27 “evamtaramse para abengoar 0 ita ABATERSE vo ABISAL By L27 sabutersecomo uma tempestale St 108.17 No nha pre em bongo 18m26. 6 Abita So de Zena, emo de Al 27.20 abuterse sve nis grande (em ABERTO Joabe pesade Ty 14.7 soltardaavevivaem campo aberto 2Sm 2.18. Estavam Joabe, Absa e Asse anariDo Ly 17,5 Osean emcampo aberto 28 3.30 Joabe eset imo Abia mataram De 28.31 abate dint donseuscthos Ly 25.31. consideradas campo aberto ber 1m 1.18 cacurontoshioedara mais aati 122031 tenia hamens-maros em campo ABISMO i bert Gn 12 teva cobriam face do abismo 1017.32. © earcom crap abate” Sexo ina aberto ma lacuna Js 41-32 como se oem ox cael aos B13. 4 Soper que to din vot etd abt osiconaramse cm campo aberto a abione on Fsairam contra nis em campo St 42.7 Ablsmo cham abismo 204 35.1“ condeir da Pisoni abate sete” Pr &27 sobreasupertce do abismo 4} 2229 “te saarkoabatido SL 5.9 Agugantéumtimulo wero e415 dnd. fundo do abso SL M18 OSinuon-sasosdecsptitabe. Pv 2427 Termine primero o seu tabulho 2 Ex 26.19 cbr com a vstas agus doable tide cevaberio mo S138, 6