Está en la página 1de 2

HISTÓRIA CONTEMPORÂNEA 1

Discente: Amanda Assis
Controle: Número 4 – HOBSBAWM, E. A Era das Revoluções. Capítulo 12: A Ideologia
Religiosa.
Em geral, os indivíduos na Europa baseavam suas ações, pelo menos em teoria, na
religião. Este fato começou a mudar através das revoluções e principalmente nos países
que as sediaram. Os homens nobres e os intelectuais já não demonstravam tanto apego à
religião, logo a desvinculação das massas é que foi a mudança ideológica mais
substancial. A maçonaria iluminista, racionalista e anticlerical cresceu ao final do século
XVIII. No inicio do século XVIII, os pobres e até a classe media continuavam devotos. A
burguesia relutava em abandonar a religião, apesar de o iluminismo se encaixar às
pretensões de ascensão desta, a moralidade religiosa ainda era importante. Logo, esta
classe se dividia entre livres pensadores e devotos.
O impacto da abertura para o pensamento secular foi grande: a Constituição da
Republica dos Estados Unidos foi e continua sendo agnóstica e as revoluções francesa e
americana foram seculares (assim como as posteriores), não tratadas em termos de religião
como se fazia anteriormente. O secularismo das revoluções demonstra a força da classe
média liberal, que fez sua ideologia prevalecer apesar dos obstáculos. O novo proletariado
se tornou indiferente à religiosidade: a maioria dos socialistas não era religiosa, mas
baseava-se no racionalismo do século XVIII. A Igreja não apoiou e forneceu sustentação
ao proletariado e suas lutas. Deste modo, a negligência e a falta de esforços para lidar com
as massas fez com que se direcionassem a ideais seculares e aos movimentos trabalhistas.
Na Grã- Bretanha, o protestantismo teve mais sucesso em guiar o proletariado.
O fim do século XVIII e o século XIX foram marcados pela secularização. A
ciência e os intelectuais trouxeram questionamentos e criticas à Bíblia e regimes políticos
tenderam a diminuir os privilégios da Igreja e do clero.
Houve, no período analisado, uma tendência expansionista de religiões. O
catolicismo fracassou em aumentar o numero de fieis com o aumento da população,
enquanto o protestantismo e o islamismo obtiveram mais sucesso. As atividades
missionarias auxiliaram o avanço para fora da Europa. A expansão do islamismo não se
deu através de missões, mas foi grande, silenciosa e não forçada, tanto no Oriente quanto

a ligação direta a Deus e padrões de moralidade. pois a eles não era oferecida outra distração.no Ocidente. convocá-lo a guerras e manterem a estabilidade. o enfraquecimento dos laços sociais – característico da sociedade liberal capitalista –. que se faziam cada vez mais necessárias. O catolicismo e o protestantismo (embora mais aberto que o catolicismo) relutaram em permitir a entrada dos princípios liberais. o islamismo foi visto como uma maneira de confrontar a colonização realizada pelos brancos. A devoção religiosa era uma maneira de superar o individualismo. sua assembleia era tida como representante da igualdade e da democracia em detrimento de hierarquias sociais. logo era mais acessível que o catolicismo. O protestantismo conseguiu ter apelo a indivíduos simples e burgueses. sociais e educacionais. enquanto os judeus permitiram. diferentemente do islamismo. Os homens e mulheres buscavam uma forma de escapar das dificuldades do dia-adia da sociedade capitalista. Seguiam a religião. visto que sua emancipação social e politica disso dependeram. de expressar descontentamento e protestar contra o racionalismo. . A religiosidade tradicional foi substituída pelo despertar de religiões mais ligadas às emoções e à irracionalidade e que acabavam tendendo ao conservadorismo. Grã-Bretanha e Holanda). A religião era algo em que as monarquias e aristocracias podiam se apoiar para chegar ao povo. O protestantismo pregava a salvação pessoal. A moralidade religiosa representava a criação das instituições políticas. Havia também o esforço de manter a velha sociedade viva na aliança entre igreja e Estado. A mudança de religião em sociedades tradicionais indica que estas passam por dificuldades: no sudeste asiático. A expansão protestante ocorreu em países onde o capitalismo era desenvolvido (como Estados Unidos.