Segundo Hartson (1998), a avaliação da interface é uma fase fundamental do processo de design

,
afinal é por meio dela que se consegue estabelecer o êxito ouinsucesso da proposta de solução que
está sendo apresentado. Essa relação é possível deser determinada através da equalização dos
pontos tanto de funcionalidade, como deinteração.Assim quando mais cedo forem identificados os
problemas de interação ou nainterface, menor o custo de se consertá-los, conforme Karat (1993).
Mesmo que o projeto seja de abordagem teórica ou acadêmica e tenha sido produzida com base
nasheurísticas é imprescindível que se avalie e analise o resultado obtido, deste modo, todoo ciclo de
vida de uma interface deve conter um acompanhamento de avaliação regular.Alguns dos principais
propósitos de se realizar avaliação de sistemas interativossão (Preece et al., 2002):

●Aprofundar como uma interface influencia a forma de trabalhar dos usuários;

●Identificar as necessidades de usuários ou verificar o entendimento dos projetistas sobre estas
necessidades;

●Comparar alternativas de projeto de interface;

●Alcançar objetivos quantificáveis em métricas de usabilidade;

●Analisar problemas de interação e/ou de interface;

●Averiguar conformidade nos conjunto de heurísticas.

Na área de IHC poucos modelos de ciclo de vida foram propostos, por exemplo,o modelo
simplificado proposto por Preeceet. al (2005), omodelo estrela sugerido por Hartson e Hix
(1989).O ciclo de vida do projeto de interação Modelo estrela é uma proposta que nãoespecifica um
ordenamento das atividades, mas sua flexibilidade exige que umaavaliação sempre seja feita antes
de iniciar uma nova atividade. A figura 2 fazreferência ao modelo estrela de Hix e Hartson (1993).
Nela é possível verificar como aavaliação é o objetivo central neste modelo de
desenvolvimento.Figura 02: Ciclo de vida do projeto de interação Modelo Estrela

análise de tarefa/formal. A sequência das atividades nos ciclos iterativos depende dadinâmica estabelecida pela equipe e dos problemas encontrados nas avaliações.Já o modelo proposto por Preeceet. desde que aúltima atividade sempre seja um teste. possibilita um número ilimitado de repetição do ciclo. (ii) construir versões alternativas. especificação derequisitos. Na figura 3 é possível perceber que este modelo contempla as 4 fases: (i)identificar necessidade e estabelecer requisitos. al (2005). (iii)(re)design e (iv) avaliação. a saber: implementação. . design conceitual/formal e prototipagem. o ciclo de vida simplificado do projeto de interação. Figura 03: O ciclo de vida do projeto de interação Modelo Simplificado.Neste modelo. a avaliação recebe e faz contato com as demais fases dodesenvolvimento.