Está en la página 1de 3

CONCURSO DE CRIMES

O concurso de crimes ocorre quando uma pessoa, em uma mesma
situação, pratica mais de um crime. Sua previsão encontra-se nos artigos 69
a 71 do Código Penal, de forma está classificado sob três modalidades:
Concurso Material, Formal e Crime Continuado.


CONCURSO MATERIAL DE CRIMES

O concurso material está previsto no artigo 69 do Código Penal. O
mesmo se dá quando o agente, mediante mais de uma ação ou omissão,
pratica dois ou mais crimes, idênticos ou não. Como exemplo de concurso
material de crimes, cita Rogério Greco: “se alguém, ao ingressar em uma
residência com a finalidade de cometer um crime de roubo, se além da
subtração violenta vier a estuprar a filha do proprietário daquela casa,
teremos a prática de duas infrações penais realizadas numa relação de
contexto: roubo e estupro. A regra, portanto, será a de julgamento simultâneo
dessas infrações, no qual o juiz, se condenado o réu por ambas infrações,
aplicará a pena correspondente a cada uma delas para, posteriormente,
cumulá-las materialmente.” (GRECO. 2013, p. 592)
Portanto, neste caso, deve haver a aplicação cumulativa das penas
privativas de liberdade, ou seja, as penas referentes aos crimes cometidos
deverão ser somadas, observando-se o fato de que a soma das penas é
instituto distinto da unificação das penas, previsto no artigo 75 do Código
Penal.
Vale salientar que o Concurso material de crimes se subdivide em
Concurso Material Homogêneo e Heterogêneo. O Concurso Material
Homogêneo ocorre quando o agente comete dois crimes idênticos. Já o
Concurso Material Heterogêneo ocorre quando o agente pratica duas ou mais
infrações diversas.



CONCURSO FORMAL DE CRIMES

O Concurso Formal de Crimes está previsto no artigo 70 do Código
Penal, segundo o qual este fato ocorre quando, mediante uma única ação ou
omissão, o agente comete dois ou mais crimes, idênticos ou não.
O Concurso Formal de crimes também admite a subdivisão entre
Homogêneo e Heterogêneo. Concurso Formal Homogêneo ocorre quando o
mesmo fato realiza mais de uma vez determinado tipo penal, ou seja, através
de uma ação ou omissão, o agente pratica dois ou mais crimes previstos no
mesmo tipo penal. Exemplo: O agente atirou em A, e com o mesmo tiro
matou A e B.
Já o Concurso Formal Heterogêneo ocorre quando a ação ou omissão
origina dois ou mais crimes de tipicidade distintas. Exemplo: o agente atirou
em A, e com o mesmo tiro, matou A e lesionou B.
A regra da aplicação das penas no Concurso Formal de Crimes se dá
da seguinte forma:

a) No caso de penas distintas, aplica-se a pena mais grave, aumentada
de um sexto até a metade. Este critério será utilizado para o Concurso
Formal Heterogêneo;
b) Caso as penas sejam iguais, aplica-se somente uma das penas,
aumentada de um sexto até a metade. A aplicação deste critério
ocorrerá principalmente no Concurso Formal Homogêneo;
c) Caso a conduta do agente seja dolosa e os crimes resultarem de
desígnios autônomos, as penas deverão ser aplicadas
cumulativamente. No entanto, a pena não poderá exceder aquela
prevista no artigo 69 (concurso material de crimes)

Além disto, ainda há uma segunda subdivisão referente ao Concurso
Formal de Crimes: Concurso Formal Perfeito ou Próprio e Imperfeito ou
Impróprio.
O Concurso Formal Próprio ocorre, segundo Rogério Greco: “Nos casos
em que a conduta do agente for culposa na sua origem, sendo todos os
resultados atribuídos ao agente a esse título, ou na hipótese que a conduta
era dolosa, mas o resultado aberrante lhe é imputado culposamente, o
concurso será reconhecido como próprio ou perfeito. Assim, por exemplo, se
alguém, imprudentemente, atropelar duas pessoas que se encontravam no
ponto de ônibus, causando-lhes a morte, teremos um concurso formal próprio
ou perfeito.” (GRECO. 2013 p. 597)
Já o Concurso Formal Impróprio ou Imperfeito é aquele no qual o agente
age através de conduta dolosa, com desígnios autônomos, ou seja, ele quer
produzir ambos os resultados.



CRIME CONTINUADO

O Crime continuado está previsto no artigo 71 do Código Penal e
ocorre quando o agente comete dois ou mais crimes da mesma espécie em
sequência, com a mesma forma de execução. Lembrando que, para
caracterizar o Crime continuado, deverão estar presentes as mesmas
condições de tempo, lugar e maneira de execução. Assim, um crime será
considerado como continuação do outro.
A aplicação das penas ocorrerá da seguinte forma:

a) Se as penas forem idênticas, aplica-se a pena de um dos crimes,
aumentada de um sexto a dois terços;
b) Aplica-se a pena maia grave, aumentada de um sexto a dois terços,
no caso de penas distintas;
c) Nos crimes dolosos, contra vítimas diferentes, cometidos com
violência ou grave ameaça à pessoa, aplicação da pena de um só
dos crimes, se idênticas, aumentada até o triplo;
d) Nos crimes dolosos, contra vitimas diferentes, cometidos com
violência ou grave ameaça à pessoa, aplicação da mais grave das
penas, se diversas, aumentadas até o triplo.