Está en la página 1de 14

Qwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklç

zxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopas
dfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwert
Análise e comentário crítico à presença de
yuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbn
referências à BE nos relatórios de avaliação
externa das escolas
mqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjkl
Tarefa 2

çzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopa
7 de Dezembro de 2009

Anabela Santana

sdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwe
rtyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcv
bnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfgh
O Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar: metodologias de operacionalização (conclusão) - tarefa 2 2

INTRODUÇÃO

Para a realização da análise e comentário crítico à presença de referências a respeito das BE, nos relatórios de
Avaliação Externa nas Escolas/Agrupamentos, seleccionei a avaliação do ano de 2008/2009 e para a amostra escolhi três
escolas do concelho de Portimão, que constam nas tabelas nas páginas seguintes. Das três escolas em causa, numa delas,
sou agora, professora bibliotecária (Escola E.B. 2,3 Professor José Buisel).
Analisando um a um todos os tópicos que constam no Relatório de Avaliação Externa das Escolas/Agrupamentos em
causa, fiz um levantamento das referências a respeito da BE ao nível de cada tópico, apresentando os resultados nas
tabelas que se seguem.

A Formanda: Anabela Santana


O Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar: metodologias de operacionalização (conclusão) - tarefa 2 3

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO EXTERNA ESCOLAS


DAS ESCOLAS
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS
TÓPICOS ENGENHEIRO NUNO JÚDICE FIALHO PROF. JOSÉ BUISEL
MERGULHÃO PORTIMÃO PORTIMÃO
PORTIMÃO
Referência à existência de BE da Referência à BE da escola sede e Referência à existência de BE da
II – Caracterização do escola sede, enquanto espaço dos seus problemas de espaço e escola sede, enquanto espaço
Agrupamento com características específicas, equipamento e à BE da E.B.1/JI com características específicas,
mas não refere as BE das E.B.1. contígua à escola sede, mas não mas não refere a BE da E.B.1/JI.
refere as BE das outras E.B.1.

“Para além das salas de aula, dos “Possui uma biblioteca que, “A E.B. 2,3 Professor José Buisel,
laboratórios de Ciências e de Físico- presentemente, não dá resposta às escola sede, (…) integra 4 blocos de
Química e das salas específicas, solicitações quer em termos de 2 pisos que, para além das salas de
dispõe entre outros espaços, de recursos tecnológicos, quer de aula, incluem, entre outros, a
refeitório, bufete, biblioteca/centro espaço físico. Contígua à escola biblioteca e o centro de recursos
de recursos (BE/CRE) e auditório.” sede, a E.B1/JI,(…) está dotado, (BE/CRE), o auditório e o gabinete
para além das salas de aula, de do Serviço de Psicologia e
refeitório, sala polivalente, Orientação (SPO).”
biblioteca e reprografia.”

A Formanda: Anabela Santana


O Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar: metodologias de operacionalização (conclusão) - tarefa 2 4

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO EXTERNA ESCOLAS


DAS ESCOLAS
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS
TÓPICOS ENGENHEIRO NUNO JÚDICE FIALHO PROF. JOSÉ BUISEL
MERGULHÃO PORTIMÃO PORTIMÃO
PORTIMÃO
1 – Resultados

Não há qualquer referência às


2 – Prestação do serviço BE do Agrupamento. Referência ao PNL, mas não
III CONCLUSÕES DA AVALIAÇÃO POR DOMÍNIO

educativo referencia a BE.


“O Agrupamento participa em
programas nacionais de promoção
do sucesso escolar, nomeadamente
o Plano de Acção da Matemática
(…) e o Plano Nacional de Leitura…”
Não há qualquer referência às
3 – Organização e gestão Referência ao horário da BE. BE do Agrupamento
escolar “De referir, ainda, a pouca
abrangência do horário da
Biblioteca Escolar e do Centro de
Recursos…” Não há qualquer referência às
4 - Liderança BE do Agrupamento

Não há qualquer referência às


BE do Agrupamento
5 – Capacidade de auto-
regulação e melhoria a escola

A Formanda: Anabela Santana


O Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar: metodologias de operacionalização (conclusão) - tarefa 2 5

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO EXTERNA ESCOLAS


DAS ESCOLAS
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGRUPAMENTO DE
TÓPICOS ENGENHEIRO NUNO JÚDICE FIALHO ESCOLAS PROF. JOSÉ
MERGULHÃO PORTIMÃO BUISEL
PORTIMÃO PORTIMÃO
Referência ao PNL, mas não
referencia a BE.
1.1. - Sucesso académico “Para tal é referido o contributo
IV – CONCLUSÕES DA AVALIAÇÃO POR FACTOR

que tem sido dado por


programas nacionais (…),
nomeadamente na Matemática
(…) e na Língua Portuguesa –
Plano Nacional de Leitura (PNL),
que tem proporcionado
1 - RESULTADOS

recursos pedagógicos…”
Não há qualquer referência às Não há qualquer referência às BE do
1.2. - Participação e BE do Agrupamento Agrupamento
desenvolvimento cívico

1.3. - Comportamento e Não há qualquer referência


disciplina às BE do Agrupamento

1.4. - Valorização e impacto


das aprendizagens

A Formanda: Anabela Santana


O Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar: metodologias de operacionalização (conclusão) - tarefa 2 6

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO EXTERNA ESCOLAS


DAS ESCOLAS
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS
TÓPICOS ENGENHEIRO NUNO JÚDICE FIALHO PROF. JOSÉ BUISEL
MERGULHÃO PORTIMÃO PORTIMÃO
PORTIMÃO
Referência a uma actividade de
articulação da BE da escola sede
2.1. – Articulação e com o 4º ano, mas não
IV – CONCLUSÕES DA AVALIAÇÃO POR FACTOR

sequencialidade referencia a BE.


2 – PRESTAÇÃO DE SERVIÇO EDUCATIVO

“A articulação entre o 1º e o 2º CEB


cinge-se à realização de eventos
que envolvem os alunos das turmas
do 4º ano, como o “Laboratório
Vivo” e a “Hora do Conto”.
Não há qualquer referência às Não há qualquer referência às
BE do Agrupamento BE do Agrupamento
2.2. – Acompanhamento da
prática lectiva em sala de aula

2.3. – Diferenciação e apoios

A Formanda: Anabela Santana


O Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar: metodologias de operacionalização (conclusão) - tarefa 2 7

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO EXTERNA ESCOLAS


DAS ESCOLAS
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS
TÓPICOS ENGENHEIRO NUNO JÚDICE FIALHO PROF. JOSÉ BUISEL
MERGULHÃO PORTIMÃO PORTIMÃO
PORTIMÃO
Referência ao PNL e à vinda de
2.4. – Abrangência do escritores, mas não referencia a
currículo e valorização dos BE.
saberes e da aprendizagem “O PNL também tem proporcionado
IV – CONCLUSÕES DA AVALIAÇÃO POR FACTOR

a realização de actividades
2 – PRESTAÇÃO DE SERVIÇO EDUCATIVO

diferenciadas, com sessões de


leitura, com a participação de
escritores,…”

Referência à BE como espaço


Não há qualquer referência às Não há qualquer referência às
educativo que possibilita o
BE do Agrupamento BE do Agrupamento
desenvolvimento de
competências.
“Mais vocacionados para os alunos
do 2º e 3º CEB foram criados
espaços educativos que possibilitam
o desenvolvimento de competências
artísticas, sociais e culturais como
sejam alguns clubes(…), bem como
os projectos da BE/CRE, Desporto
Escolar…”

A Formanda: Anabela Santana


O Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar: metodologias de operacionalização (conclusão) - tarefa 2 8

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO EXTERNA ESCOLAS


DAS ESCOLAS
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS
TÓPICOS ENGENHEIRO NUNO JÚDICE FIALHO PROF. JOSÉ BUISEL
MERGULHÃO PORTIMÃO PORTIMÃO
PORTIMÃO
3.1. – Concepção, Não há qualquer referência às
planeamento e BE do Agrupamento
IV – CONCLUSÕES DA AVALIAÇÃO POR FACTOR

desenvolvimento da Não há qualquer referência às Não há qualquer referência às


actividade BE do Agrupamento BE do Agrupamento
3 – ORGANIZAÇÃO E GESTÃO ESCOLAR

Referência à formação
3.2. – Gestão dos recursos académica e profissional para o
humanos desempenho da função de
coordenadora da BE.
“Para o desempenho de funções
mais específicas, como sejam a
coordenação TIC, da BE/CRE e de
projectos, é apreciada a formação
académica e profissional.”
Referência ao desagrado dos Referência às BE do
3.3. – Gestão dos recursos alunos pelo horário da BE. Agrupamento como espaços Não há qualquer referência às
materiais e financeiros “Os alunos manifestaram o seu equipados e horário alargado. BE do Agrupamento
desagrado quanto ao horário da “O Agrupamento dispõe de três
BE/CRE, uma vez que não cobre o bibliotecas, adequadamente
período diário das actividades equipadas para os níveis de ensino
lectivas.” que servem. Actualmente, a
biblioteca da EB2,3 tem um horário
suficientemente alargado o que

A Formanda: Anabela Santana


O Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar: metodologias de operacionalização (conclusão) - tarefa 2 9

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO EXTERNA ESCOLAS


DAS ESCOLAS
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS
TÓPICOS ENGENHEIRO NUNO JÚDICE FIALHO PROF. JOSÉ BUISEL
MERGULHÃO PORTIMÃO PORTIMÃO
PORTIMÃO
permitiu um aumento significativo
da sua utilização, ainda que os
3.3. – Gestão dos recursos alunos prefiram aquele espaço não
IV – CONCLUSÕES DA AVALIAÇÃO POR FACTOR

materiais e financeiros tanto para ler, mas para estudar e


realizar trabalhos.”
3 – ORGANIZAÇÃO E GESTÃO ESCOLAR

3.4. – Participação dos pais e


outros elementos da
comunidade educativa

Não há qualquer referência às Não há qualquer referência às Não há qualquer referência às


BE do Agrupamento BE do Agrupamento BE do Agrupamento

3.5. – Equidade e justiça

A Formanda: Anabela Santana


O Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar: metodologias de operacionalização (conclusão) - tarefa 2 10

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO EXTERNA ESCOLAS


DAS ESCOLAS
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS
TÓPICOS ENGENHEIRO NUNO JÚDICE FIALHO PROF. JOSÉ BUISEL
MERGULHÃO PORTIMÃO PORTIMÃO
PORTIMÃO

Não há qualquer referência às


4.1. – Visão e estratégia BE do Agrupamento
IV – CONCLUSÕES DA AVALIAÇÃO POR FACTOR

Referência à motivação da
coordenadora da BE.
4.2. – Motivação e empenho “A coordenadora da BE sente-se
motivada e vê o seu trabalho
4 - LIDERANÇA

reconhecido pelo órgão de gestão e


Não há qualquer referência às pelos restantes professores.” Não há qualquer referência às
BE do Agrupamento BE do Agrupamento

4.3. – Abertura à inovação


Não há qualquer referência às
BE do Agrupamento

4.4. – Parcerias protocolos e


projectos

A Formanda: Anabela Santana


O Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar: metodologias de operacionalização (conclusão) - tarefa 2 11

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO EXTERNA ESCOLAS


DAS ESCOLAS
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS
TÓPICOS ENGENHEIRO NUNO JÚDICE FIALHO PROF. JOSÉ BUISEL
MERGULHÃO PORTIMÃO PORTIMÃO
PORTIMÃO
IV – CONCLUSÕES DA AVALIAÇÃO POR FACTOR

5.1. – Auto-avaliação
5 – CAPACIDADE DE AUTO-REGULAÇÃO E
MELHORIA DO AGRUPAMENTO/ESCOLA

Não há qualquer referência às Não há qualquer referência às Não há qualquer referência às


BE do Agrupamento BE do Agrupamento BE do Agrupamento

5.2. – Sustentabilidade do
progresso

A Formanda: Anabela Santana


O Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar: metodologias de operacionalização (conclusão) - tarefa 2 12

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO EXTERNA ESCOLAS


DAS ESCOLAS
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS
TÓPICOS ENGENHEIRO NUNO JÚDICE FIALHO PROF. JOSÉ BUISEL
MERGULHÃO PORTIMÃO PORTIMÃO
PORTIMÃO

Pontos Fortes
V – CONSIDERAÇÕES FINAIS

Pontos Fracos

Não há qualquer referência às Não há qualquer referência às Não há qualquer referência às


BE do Agrupamento BE do Agrupamento BE do Agrupamento
Oportunidades

Constrangimentos

A Formanda: Anabela Santana


O Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar: metodologias de operacionalização (conclusão) - tarefa 2 13

Conclusão

Como se pode verificar, as referências à BE são pontuais e aparecem no âmbito dos seguintes sub-tópicos:
 Caracterização do Agrupamento;
 Abrangência do currículo e valorização dos saberes e de aprendizagem (1), integrado no tópico Prestação do
Serviço Educativo;
 Gestão dos recursos humanos, integrada no tópico “Organização e Gestão Escolar”;
 Gestão dos recursos materiais e financeiros, integrada no tópico “Organização e Gestão Escolar”;
 Motivação e empenho, (apenas 1 caso) integrada no tópico “Liderança”.

Este pequeno número de referências à BE nos relatórios da IGE poderá ser causado pelo não reconhecimento do
estatuto da BE enquanto suporte ao desenvolvimento curricular e até pela forma como as actividades de avaliação da
Escola são conduzidas pelos elementos da IGE que tendem muitas vezes a não valorizar a participação da BE ao nível dos
vários painéis. Não podemos esquecer que só há pouco tempo é que passamos a associar a BE a práticas de avaliação.

A Formanda: Anabela Santana


O Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar: metodologias de operacionalização (conclusão) - tarefa 2 14

Estranhei só haver uma referência no âmbito do tópico “Prestação do Serviço Educativo”, penso que a grande
maioria das BE ainda tem um longo caminho a percorrer para adquirirem um valor real e reconhecido ao nível da
“Prestação do Serviço Educativo”. É aqui que residem os novos paradigmas da BE, uma vez que esta deve envolver-se em
toda a planificação e implementação do serviço educativo da escola/agrupamento, trabalhando em colaboração com as
diferentes estruturas pedagógicas da escola. É isso que, hoje, se espera duma BE e é para isso que aponta o modelo de
auto-avaliação da RBE.
Onde existe mais referências é ao nível do tópico “Organização e Gestão Escolar”, isto porque as grandes
preocupações das equipas das BE têm sido direccionadas para a gestão dos diferentes tipos de recursos da BE, quer sejam
humanos, materiais ou financeiros. Este é o degrau pelo qual devem passar todas as BE, agora devem subir para o degrau
seguinte que se prende com uma gestão pedagógica com impacto nas aprendizagens dos alunos.
Nas “Considerações Finais”, a BE nem sequer é equacionada como ponto forte ou como uma oportunidade para
levar a escola a melhorar a sua avaliação, o que é lamentável tendo em conta o tipo de recurso que é, capaz de trazer a
mudança.

A Formanda: Anabela Santana