Está en la página 1de 39
PresidênciadaRepública CasaCivil SubchefiaparaAssuntosJurídicos LEINº4.117,DE27DE AGOSTODE1962.

PresidênciadaRepública

CasaCivil

SubchefiaparaAssuntosJurídicos

Institui

Telecomunicações.

o

Código

Brasileiro

de

OPRESIDENTEDAREPÚBLICAFaçosaberqueoCongressoNacionaldecretaeeu

sancionoaseguinteLei:

CAPÍTULOI Introdução

Art.1ºOsserviçosdetelecomunicaçõesemtodooterritóriodoPaís,inclusiveáguas

territoriais e espaço aéreo, assim como nos lugares em que princípios e convenções internacionaislhesreconheçamextraterritorialidadeobedecerãoaospreceitosdapresenteleie aosregulamentosbaixadosparaasuaexecução.

Art.2ºOsatosinternacionaisdenaturezanormativa,qualquerquesejaadenominação

adotada,serãoconsideradostratadosouconvençõesesóentrarãoemvigorapartirdesua aprovaçãopeloCongressoNacional. Parágrafo único. O PoderExecutivoenviaráaoCongressoNacionalnoprazode180 (cento e oitenta) dias, a contar da data da assinatura, os atos normativos sôbre telecomunicações,anexando­lhesosrespectivosregulamentos,devidamentetraduzidos.

Art3º(VETADO).

Art. 3º Os atosinternacionaisdenaturezaadministrativaentrarãoemvigornadata

estabelecidaemsuapublicaçãodepoisdeaprovadospeloPresidentedaRepública(art.29,al)

CAPÍTULOII

DasDefinições

Art.4ºParaosefeitosdestalei,constituemserviçosdetelecomunicaçõesatransmissão,

emissãoourecepçãodesímbolos,caracteres,sinais,escritos,imagens,sonsouinformações de qualquer natureza, por fio, rádio, eletricidade, meios óticos ou qualquer outro processo eletromagnético.Telegrafia é o processo de telecomunicação destinado à transmissão de escritos,pelousodeumcódigodesinais.Telefoniaéoprocessodetelecomunicaçãodestinado àtransmissãodapalavrafaladaoudesons. § 1º Os têrmos não definidos nesta lei têm o significado estabelecido nos atos internacionaisaprovadospeloCongressoNacional.

§2º(VETADO).

§2ºOscontratosdeconcessão,asautorizaçõesepermissõesserãointerpretadose

executadosdeacordocomasdefiniçõesvigentesnaépocaemqueosmesmostenhamsido

Art.5ºQuantoaoseuâmbito,osserviçosdetelecomunicaçõesseclassificamem:

a)serviçointerior,estabelecidoentreestaçõesbrasileiras,fixasoumóveis,dentrodos

limitesdajurisdiçãoterritorialdaUnião;

b) serviço internacional, estabelecido entre estações brasileiras, fixas ou móveis, e

estações estrangeiras, ou estações brasileiras móveis, que se achem fora dos limites da jurisdiçãoterritorialdaUnião.

Art.6ºQuantoaosfinsaquesedestinam,astelecomunicaçõesassimseclassificam:

a)serviçopúblico,destinadoaousodopúblicoemgeral; b) serviço públicorestrito,facultadoaousodospassageirosdosnavios,aeronaves, veículosemmovimentoouaousodopúblicoemlocalidadesaindanãoatendidasporserviço públicodetelecomunicação; c)serviçolimitado,executadoporestaçõesnãoabertasàcorrespondênciapúblicae destinadoaousodepessoasfísicasoujurídicasnacionais.Constituemserviçolimitadoentre outros:

1)odesegurança,regularidade,orientaçãoeadministraçãodostransportesemgeral;

2)odemúltiplosdestinos;

3)oserviçorural;

4)oserviçoprivado;

d)serviçoderadiodifusão,destinadoaserrecebidodiretaelivrementepelopúblicoem

geral,compreendendoradiodifusãosonoraetelevisão;

e) serviço de rádio­amador, destinado a treinamento próprio, intercomunicação e

investigaçõestécnicas,levadasaefeitoporamadores,devidamenteautorizados,interessados

naradiotécnicaùnicamenteatítulopessoalequenãovisemaqualquerobjetivopecuniárioou

comercial;

f)serviçoespecial,relativoadeterminadosserviçosdeinterêssegeral,nãoabertosà

correspondênciapúblicaenãoincluídosnasdefiniçõesdasalíneasanteriores,entreosquais:

1)odesinaishorários;

2)odefreqüênciapadrão;

3)odeboletinsmeteorológicos;

4)oquesedestineafinscientíficosouexperimentais;

6)odeRadiodeterminação.

Art.7ºOsmeios,atravésdosquaisseexecutamosserviçosdetelecomunicações,

constituirão troncos e rêdes contínuos, que formarão o Sistema Nacional de Telecomunicações.

§ 1º O SistemaNacionaldeTelecomunicaçõesseráintegradoportroncoserêdesa êlesligados. § 2º Objetivando a estruturação e o emprêgo do Sistema Nacional de

Telecomunicações, o Govêrno estabelecerá as normas técnicas e as condições detráfego mútuoaseremcompulsòriamenteobservadaspelosexecutoresdosserviços,segundooque fôrespecificadonosRegulamentos. Art. 8º Constituem troncos do Sistema Nacional de Telecomunicações os circuitos portadorescomuns,queínterligamoscentrosprincipaisdetelecomunicações.

§1ºCircuitosportadorescomunssãoaquêlesquerealizamotransporteintegradode

diversasmodalidadesdetelecomunicações.

§ 2º Centros principais de telecomunicações são aquêles nos quais se realiza a

concentração e distribuição das diversas modalidades de telecomunicações, destinadas ao transporteintegrado.

§3ºEntendem­seporurbanasasrêdestelefônicassituadasdentrodoslimitesdeum

municípiooudoDistritoFederal,eporinterurbanasasintermunicipaisdentrodoslimitesdeum

EstadoouTerritório.

Art9º(VETADO).

§1º(VETADO).

§2º(VETADO).

Art.9ºOConselhoNacionaldeTelecomunicaçõesaoplanejaroSistemaNacionalde

Telecomunicações, discriminará os troncos e os centros principais de telecomunicações.

§ 1º Na discriminação a que se refere este artigo serão incluídas, na medida das

possibilidades e conveniências entre os centrosprincipaisdetelecomunicação,aCapitalda República e as Capitais de todos os Estados e Territórios.(Partes mantidas pelo Congresso

§2ºOConselhoNacionaldeTelecomunicaçõesestabeleceráasprioridades,segundo

as quais se procederá à instalação dos troncos e redes do Sistema Nacional de

CAPÍTULOIII DacompetênciadaUnião

Art.10.CompeteprivativamenteàUnião:

I­mantereexplorardiretamente:

a) os serviços (VETADO) queintegramoSistemaNacionaldeTelecomunicações,inclusivesuas conexõesinternacionais;

a) os serviços dos troncos que integram o Sistema Nacional deTelecomunicações,

inclusivesuasconexõesinternacionais;(PartesmantidaspeloCongressoNacional)

b) os serviços públicos de telégrafos, de telefones interestaduais e de radiocomunicações, ressalvadas as exceções constantes desta lei, inclusive quantoaosde radiodifusãoeaoserviçointernacional; II ­ fiscalizar os Serviços de telecomunicações por ela concedidos, autorizados ou permitidos. Art. 11. Compete, também, à União: fiscalizar os serviços de telecomunicações concedidos, permitidos ou autorizados pelos Estados ou Municípios, em tudo que disser respeito a observância das normas gerais estabelecidas nesta lei e a integração dêsses serviçosnoSistemaNacionaldeTelecomunicações.

Art.12.Asconcessõesfeitasnafaixade150(centoecinqüenta)quilômetrosestabelecida

na Lei n. 2.597, de 12 de setembro de 1955 obedecerão àsnormasfixadasnareferidalei, observando­seiguaisrestriçõesrelativamenteaosserviçosexploradospelaUnião.

Art.13.Dentrodosseuslimitesrespectivos,osEstadoseMunicípiospoderãoorganizar,

regulareexecutarserviçosdetelefones,diretamenteoumedianteconcessão,obedecidasas

normasgeraisfixadaspeloConselhoNacionaldeTelecomunicações.

CAPÍTULOIV

DoConselhoNacionaldeTelecomunicações

Art14.ÉcriadooConselhoNacionaldeTelecomunicações(C.0.N.T.E.L.),comaorganização

(VETADO)definidasnestalei,(VETADO).

Art. 14. É criado o Conselho Nacional de Telecomunicações (C.O.N.T.E.L.),coma organização e competência definidas nesta lei, diretamente subordinado ao Presidente da

Art.15.OConselhoNacionaldeTelecomunicaçõesteráumPresidentedelivrenomeação

doPresidentedaRepúblicaeseráconstituído:

a)doDiretordoDepartamentodosCorreioseTelégrafosemexercícionoreferidocargo,oqualpode

serrepresentadopor(VETADO)Diretoresdesuarepartição;

a) do Diretor do Departamento dos Correios e Telégrafos, em exercício no referido

cargo,oqualpodeserrepresentadoporpessoaescolhidaentreosmembrosdeseuGabinete

ouDiretoresdesuarepartição;(PartesmantidaspeloCongressoNacional)

b)de3(três)membrosindicados,respectivamente,pelosMinistrosdaGuerra,Marinha

eAeronáutica;

c)de1(um)membroindicadopeloChefedoEstadoMaiordasForçasArmadas;

d) de 4 (quatro) membros indicados, respectivamente, pelos Ministros da Justiça e

Negócios Interiores, da Educação e Cultura, das Relações Exteriores e da Indústria e Comércio;

e)(VETADO);

e) de 3 (três) representantes dos 3 (três) maiores partidos políticos, segundo a

respectiva representação na Câmara dos Deputados no início da legislatura,indicadospela

direçãonacionaldecadaagremiação.(PartesmantidaspeloCongressoNacional) f)dodiretordaemprêsapúblicaqueteráaseucargoaexploração(VETADO)doSistemaNacionalde Telecomunicações e serviços correlatos, o qual pode ser representado por (VETADO) Diretores da emprêsa;

f) do diretor da emprêsa pública que terá a seu cargo a exploração dos troncosdo Sistema Nacional deTelecomunicaçõeseserviçoscorrelatos,oqualpodeserrepresentado por pessoa escolhida entre os membros de seu Gabinete ouDiretoresdaemprêsa; (Partes

§1º(VETADO).

§2º(VETADO).

g)doDiretorGeraldoDepartamentoNacionaldeTelecomunicações,semdireitoa voto.

§ 1º Se os três partidos a que se refere a alínea "e" estiveram todos apoiando o

Govêrno, o partido demenorrepresentaçãoserásubstituídopelomaiorpartidodeoposição, comrepresentaçãonaCâmaradosDeputados.(PartesmantidaspeloCongressoNacional)

§2ºOsrepresentantesdospartidospolíticosdequetrataesteartigoserãoindicadosaté

30(trinta)diasapósoiníciodecadalegislatura.(PartesmantidaspeloCongressoNacional)

Art16.OmandatodosmembrosdoConselhomencionadonasalíneasb,c,d,(VETADO)teráa

duraçãode4(quatro)anos.

Parágrafoúnico.(VETADO).

Art.16.OmandatodosmembrosdoConselhomencionadonasalíneasb,c,d,eeteráa

duraçãode4(quatro)anos.(PartesmantidaspeloCongressoNacional)

Parágrafoúnico.Serádedoisanosapenasoprimeiromandatodosmembrosindicados

nasalíneasbe

Art. 17. Em casodevaga,omembroquefôrnomeadoemsubstituição,exerceráo mandatoatéofimdoperíodoquecaberiaaosubstituído. Parágrafo único. É vedada a substituição dos membros doConselhonodecursodo

mandato, salvo por justa causa verificada mediante inquérito administrativo, sob pena de nulidadedasdecisõestomadascomovotodosubstituto. Art. 18. O membro do Conselho que faltar, sem motivo justo, a 3 (três) reuniões consecutivas,perderáautomàticamenteocargo.

observadoodispostono§2º

doartigoanterior.(PartesmantidaspeloCongresso

§1ºORegimentoInternodoConselhodisporásôbreajustificaçãodasfaltas.

§ 2º Serão nulas as deliberações de que participar,comvotodecisivo,membroque

tenhaincorridonassançõesdêsteartigo,incidindoopresidente,quehouveradmitidoêssevoto, emperdaimediatadeseucargo.

Art.19.Opresidenteserásubstituído,emseusimpedimentos,pelovice­presidenteeleito

peloConselhodentreseusmembros. Parágrafoúnico.OpresidentetemvotodequalidadenasdeliberaçõesdoConselho.

Art.20.OsmembrosdoConselho,aoseempossarem,devemfazerprovadequitaçãodo

impôstosôbrearenda,declaraçãodebenserendaspróprias,desuasespôsasedependentes,

renovando­asem30dejulhodecadaano.

§1ºOsdocumentosconstantesdessasdeclaraçõesserãolacradosearquivados.

§2ºOexamedêssesdocumentossóseráadmitidopordeterminaçãodoPresidenteda

RepúblicaoudoPoderJudiciário.

Art.21.OsmembrosdoConselhoperceberãomensalmenteovencimentocorrespondenteaosímbolo

I­C,alémdeumaretribuição,porsessãoaquecompareceremiguala5%(cincoporcento)dovencimento,

atéomáximode10(dez)sessões.(RevogadopelaLeinº5.535,de20.11.1968)

Art. 22. Os militares que fizerem parte do Conselho, serão considerados, paratodososefeitos, durante o desempenho do respectivo mandato, no exercício pleno de suas funções militares.(Revogado

Art23.NenhummembrodoConselhoouservidor,quenomesmotenhaexercíciopoderáfazerparte

dequalqueremprêsa,companhia,sociedadeoufirma,quetenhaporobjetivocomercialatelecomunicação,

(VETADO).

Art.23.NenhummembrodoConselhoouservidor,que,nomesmotenhaexercício,poderá

fazer parte de qualquer emprêsa, companhia, sociedade ou firma, que tenha por objetivo comercial a telecomunicação como diretor, técnico, consultor, advogado, perito, acionista, cotista, debenturista, sócio ou assalariado, nem tão pouco ter qualquer interêsse direto ou indiretonamanufaturaouvendadematériaaplicávelatelecomunicação.(Partesmantidaspelo

§1ºAinfraçãodesteartigo­devidamentecomprovada,acarretaráaperdaimediatado

mandatonoConselho. § 2º CaberáaoConselhotomarconhecimentodasdenúnciasfeitasnessesentidoe, quandopordoistêrçosdeseusvotos,entendercomprovadasasacusações,encaminharao PresidentedaRepúblicaopedidodenomeaçãodosubstitutivo.

Art 24. Das deliberações

(VETADO)

do Conselho caberá pedido dereconsideraçãoparao

mesmoConselho;e

Art 24. DasdeliberaçõesunânimesdoConselhocaberápedidodereconsideraçãoparaomesmo Conselho;enodasquenãooforem,caberárecursoparaoPresidentedaRepública.(Partesmantidaspelo CongressoNacional) § 1º As decisões serão tomadas por maioria absoluta de votos dos membros que compõem o Conselhoconsiderando­seunânimestão­sòmenteasquecontaremcomatotalidadedêstes.

(VETADO)

recursoparaoPresidentedaRepública.

§2ºOrecursoparaoPresidentedaRepúblicaouopedidodeconsideraçãodeveserapresentadono

prazode60(sessenta)dias,contadosdapublicaçãodanotificaçãofeitaaointeressado,portelegramaou

cartaregistradacomavisoderecebimento.

§3ºOrecursoparaoPresidentedaRepúblicateráefeitosuspensivo.

Art. 24. Das deliberações do Conselho caberá pedido de reconsideração para o mesmo e, em

instânciasuperior,recursoaoPresidentedaRepública.(RedaçãodadapeloDecreto­Leinº236,de1968)

§ 1º As decisões serão tomadas por maioria absoluta de votos dos membros do Conselho,em exercício, excluídos aqueles que estiverem ausentes em missão do Oficial do CONTEL. (Redaçãodada

§2ºOrecursoparaoPresidentedaRepúblicaouopedidodereconsideraçãodeveserapresentado

noprazodetrinta(30)diascontadosdanotificaçãofeitaaointeressado,portelegrama,oucartaregistrada

umeoutrocomavisoderecebimento,oudapublicaçãodestanotificaçãofeitanoDiárioOficialdaUnião.

§3ºOrecursoparaoPresidentedaRepúblicateráefeitosuspensivo.(RedaçãodadapeloDecreto­Lei

Art. 24. Das deliberações do Conselho caberá pedido de reconsideração para o mesmo e, em instânciasuperior,recursoparaoMinistrodasComunicações,salvodasdeliberaçõestomadassobasua presidência, quando será dirigido diretamente ao Presidente da República. (Redação dada pela Lei nº

§1ºAsdecisõesserãotomadaspormaioriaabsolutadevotosdosrepresentantesquecompõemo

Conselho, considerando­se unânimes tão somente as que contarem com a totalidade destes.(Redação

§ 2º O pedido de reconsideração ou o recurso de que trataesteartigodeveserapresentadono

prazodetrinta(30)diascontadosdanotificaçãofeitaaointeressado,portelegramaoucartaregistradaum

e outro com aviso de recebimento, ou da publicação dessa notificação feita no Diário Oficial da União.

§3º Orecursoteráefeitosuspensivo.(RedaçãodadapelaLeinº5.535,de20.11.1968)

Art25.(VETADO).

(VETADO)

II­

(VETADO)

III­

(VETADO)

IV­

(VETADO)

(V'ETADO)

VI­

(VETADO)

Art. 25.ODepartamentoNacionaldeTelecomunicaçõeséasecretariaexecutivado Conselhoeteráaseguinteorganizaçãoadministrativa:(PartesmantidaspeloCongressoNacional)

I­DivisãodeEngenharia(PartesmantidaspeloCongressoNacional)

III­DivisãoAdministrativa(PartesmantidaspeloCongressoNacional)

IV­DivisãodeEstatística(PartesmantidaspeloCongressoNacional)

V­DivisãodeFiscalização(PartesmantidaspeloCongressoNacional)

VI­DelegaciasRegionais.(PartesmantidaspeloCongressoNacional)

Art26

Parágrafoúnico

(VETADO)

(VETADO)

Art. 26. O território nacional fica dividido em oito Distritos, a cada um dos quais corresponderáumaDelegaciaRegional,comsede, respectivamenteem (Partesmantidas

Parágrafo único. Cada Distrito terá a jurisdição delimitada pelo Conselho. (Partes

Art27

(VETADO).

Art.27.Sãocriados,noConselho,oscargosdeprovimentoemcomissãoconstantesda

Art28.OsmembrosdoConselho,oseupresidente,

(VETADO)

serãocidadãosbrasileirosde

reputaçãoilibadaenotóriosconhecimentosdeassuntosligadosaosdiversosramosdetelecomunicações.

Art.28.OsmembrosdoConselho,oseupresidente,odiretorgeralosdiretoresdedivisão

e os delegados regionais serão cidadãos brasileiros de reputação ilibada e notórios

conhecimentos de assuntos ligados aos diversos ramos das telecomunicações. (Partes

Art.29.CompeteaoConselhoNacionaldeTelecomunicações:

a)elaboraroseuRegimentoInterno;

b)organizar,naformadaleiosserviçosdesuaadministração;

c)elaboraroplanonacionaldetelecomunicaçõeseprocederàsuarevisão,pelomenos,decincoem

cincoanos,

(VETADO);

c)elaboraroplanonacionaldetelecomunicaçõeseprocederàsuarevisão,pelomenos,

decincoemcincoanos,paraadevidaaprovaçãopeloCongressoNacional;(Partesmantidaspelo

d)adotarmedidasqueasseguremacontinuidadedosserviçosdetelecomunicações,

quando as concessões, autorizações ou permissões não forem renovadas ou tenham sido cassadas,ehouverinterêssepúbliconacontinuaçãodêssesserviços;

e) (VETADO)

orientarecoordenarodesenvolvimentodastelecomunicações, (VETADO);

e)promover,orientarecoordenarodesenvolvimentodastelecomunicações,bemcomo

a constituição, organização, articulação e expansão dos serviços públicos de

f) (VETADO);

f) estabelecer as prioridades previstas no art. 9º, §2º,destalei. (Partes mantidas pelo

g)proporoupromoverasmedidasadequadasàexecuçãodapresentelei;

h)fiscalizarocumprimentodasobrigaçõesdecorrentesdasconcessões,autorizações

e permissões de serviços detelecomunicaçõeseaplicarassançõesqueestiveremnasua alçada;

i)reveroscontratosdeconcessãoouatosdeautorizaçãooupermissão,porefeitoda

aprovação,peloCongresso,deatosinternacionais;

j) fiscalizar as concessões, autorizações e permissões em vigor; opinar sôbre a

respectivarenovaçãoeproporadeclaraçãodecaducidadeeperempção;

l)estudarostemasaseremdebatidospelasdelegaçõesbrasileiras,nasconferênciase

reuniõesinternacionaisdetelecomunicações,sugerindoepropondodiretrizes;

m)estabelecernormasparaapadronizaçãodaescritaecontabilidadedasemprêsas

queexploremserviçosdetelecomunicação;

n)promoveresuperintenderotombamentodosbenseaperíciacontábildasemprêsas

concessionárias ou permissionárias de serviços de telecomunicação, e das emprêsas subsidiárias,associadasoudependentesdelas,ouaelasvinculadas,inclusivedasquesejam

controladas por acionistas estrangeiros ou tenham como acionistas pessoas jurídicas com sedenoestrangeiro,comoobjetivodedeterminaçãodoinvestimentoefetivamenterealizadoe

do conhecimento de todos os elementos, que concorram para a emposição do custo do

serviço, requisitando para êsse fim os funcionários federais que possam contribuir para a apuraçãodêssesdados; o) estabelecer normas técnicas dentro das leis e regulamentos em vigor, visando à eficiênciaeintegraçãodosserviçosnosistemanacionaldetelecomunicações;

p)proporaoPresidentedaRepúblicaovalordastaxasaserempagaspelaexecução

dos serviços concedidos, autorizados ou permitidos, e destinadas ao custeiodoserviçode fiscalização;

q) cooperar para o desenvolvimento do ensino técnico profissional dos ramos

pertinentesàtelecomunicação;

r) promover e estimular o desenvolvimento da indústria de equipamentos de

telecomunicações, dando preferência àqueles cujo capital na sua maioria, pertençam a acionistasbrasileiros;

s) estabelecer ou aprovarnormastécnicaseespecificaçõesaseremobservadasna

planificação da produção industrial e na fabricação de peças, aparelhos e equipamentos utilizadosnosserviçosdetelecomunicações;

t) sugerir normas para censura nos serviços de telecomunicações, em caso de

declaraçãodeestadodesítio;

u) fiscalizar a execução dos convênios firmados pelo Govêrno brasileiro comoutros

países;

v)encaminharàautoridadesuperiorosrecursosregularmenteinterpostosdeseusatos,

decisõesouresoluções;

x)outorgarourenovarquaisquerpermissõeseautorizaçõesdeserviçoderadiodifusão

de caráter local (art. 33, § 5º) e opinar sobre a outorga ou renovação de concessões e

autorizações(art.34,§§1ºe3º);

z)estabelecernormas,fixarcritériosetaxaspararedistribuiçãodetarifanoscasosde

tráfegomútuoentreasemprêsasdetelecomunicaçõesdetodooPaís; aa) expedir certificados de licença para o funcionamento das estações de radiocomunicaçãoeradiodifusãoumavezverificado,emvistoria,oatendimentoàscondições técnicasexigidas; ab) estabelecer as qualificações necessárias ao desempenhodefunçõestécnicase

operacionaispertinentesàstelecomunicações,expedindooscertificadoscorrespondentes;

ac)solicitaraprestaçãodeserviçosdequaisquerrepartiçõesouautarquiasfederais;

ad)aplicaraspenasdemultaesuspensãoàestaçãoderadiodifusãoquetransmitirou

utilizar,totalouparcialmente,asemissõesdeestaçõescongêneressempréviaautorização; ae) fiscalizar, durante as retransmissões de radiodifusão,adeclaraçãodoprefixoou indicativoealocalizaçãodaestaçãoemissôraedaestaçãodeorigem;

af)fiscalizarocumprimento,porpartedasemissôrasderadiodifusão,dasfinalidadese

obrigaçõesdeprogramação,definidasnoart.38;

ag)estabelecerouaprovarnormastécnicaseespecificaçõesparaafabricaçãoeuso

de quaisquer instalações ou equipamentos elétricos que possam viracausarinterferências

prejudiciais aos serviços de telecomunicações, incluindo­se nessa disposição as linhas de transmissãodeenergiaeasestaçõesesubestaçõestransformadoras; ah) propor ao Presidente do Conselho a imposição das penas da competência do Conselho;

ai)opinarsôbreaaplicaçãodapenadecassaçãooudesuspensão,quandofundadaem

motivosdeordemtécnica;

aj)propor,emparecerfundamentado,adeclaraçãodacaducidadeouperempção,da

concessão,autorizaçãooupermissão;

al)opinarsôbreosatosinternacionais(VETADO);

al) opinar sôbre os atos internacionais de natureza administrativa, antes de sua

aprovaçãopeloPresidentedaRepública(artigo3º);(PartesmantidaspeloCongressoNacional)

am) aprovar as especificações das rêdes telefônicas de exploração ou concessão estadualoumunicipal.

CAPÍTULOV DosServiçosdeTelecomunicações

Art.30.Osserviçosdetelégrafos,radiocomunicaçõesetelefonesinterestaduaisestãosob

ajurisdiçãodaUnião,queexplorarádiretamenteostroncosintegrantesdoSistemaNacionalde

Telecomunicações, e poderá explorar diretamente ou atravésdeconcessão,autorizaçãoou permissão,aslinhasecanaissubsidiários.

§ 1º Os troncos que constituem o Sistema Nacional de Telecomunicações serão

exploradospelaUniãoatravésdeemprêsapública,comosdireitos,privilégioseprerrogativas do Departamento dos CorreioseTelégrafos,aqualavocarátodososserviçosprocessados pelosreferidostroncos,àmedidaqueexpiraremasconcessõesouautorizaçõesvigentesou quesetornarconvenientearevogaçãodasautorizaçõessemprazodeterminado.

§ 2º Os serviços telefônicos explorados pelo Estado ou Município, diretamente ou

através de concessão ou autorização, a partir do momento em que se ligarem direta ou

indiretamente a serviços congêneres existentes em outra unidade federativa, ficarão sob fiscalizaçãodoConselhoNacionaldeTelecomunicações,queterápoderesparadeterminaras condições de tráfego mútuo, a redistribuição das taxas daí resultante, e as normas e especificaçõesaseremobedecidasnaoperaçãoeinstalaçãodêssesserviços,inclusivepara fixaçãodastarifas.

Art.31.OsserviçosinternacionaisdetelecomunicaçõesserãoexploradospelaUnião

diretamente ou através de concessão outorgada, sem caráter exclusivo para instalação e operação de estações em pontos determinados do território nacional, com o fim único de estabelecerserviçopúblicointernacional. Parágrafoúnico.AsestaçõesdosconcessionáriosserãoligadasaoServiçoNacionalde Telecomunicações, através do qual será encaminhado e recebido o tráfego telegráfico e telefônicoparaoslocaisnãocompreendidosnaconcessão.

Art.32.Osserviçosderadiodifusão,nosquaissecompreendemosdetelevisão,serão

executadosdiretamentepelaUniãoouatravésdeconcessão,autorizaçãooupermissão. Art. 33. Os serviços de telecomunicações, não executados diretamentepelaUnião, poderãoserexploradosporconcessão,autorizaçãooupermissão,observadasasdisposições dapresentelei.

§ 1º Na atribuição defreqüênciaparaaexecuçãodosserviçosdetelecomunicações

serãolevadasemconsideração:

a)oemprêgoordenadoeeconômicodospectrumeletromagnético;

b)asconsignaçõesdefreqüênciasanteriormentefeitas,objetivandoevitarinterferência

prejudicial.

§ 2º Considera­se interferênciaqualqueremissão,irradiaçãoouinduçãoqueobstrua, totalouparcialmente,ouinterromparepetidamenteserviçosradioelétricos.

§3º(VETADO).

§3ºOsprazosdeconcessãoeautorizaçãoserãode10(dez)anosparaoserviçode

radiodifusão sonora e de 15 (quinze) anos para o de televisão, podendoserrenovadospor períodossucessivoseiguaisseosconcessionárioshouveremcumpridotôdasasobrigações legais e contratuais, mantido a mesma idoneidade técnica, financeira e moral,eatendidoo

interêssepúblico(art.29,X).(PartesmantidaspeloCongressoNacional)

§4º(VETADO).

§4ºHavendoaconcessionáriarequerido,emtempohábil,aprorrogaçãodarespectiva

concessãoter­se­áamesmacomodeferidaseoórgãocompetentenãodecidirdentrode120

§ 5º Os serviços de radiodifusão de caráter local serão autorizados pelo Conselho

NacionaldeTelecomunicações.

§6ºDependemdepermissão,dadapeloConselhoNacionaldeTelecomunicaçõesos

seguintesserviços:

a)PúblicoRestrito(Art.6º,letrab);

b)Limitado(Art.6º,letrac);

c)deRadioamador(Art.6º,letrae);

d)Especial(Art.6º,letraf).

Art. 34. Asnovasconcessõesouautorizaçõesparaoserviçoderadiodifusãoserão precedidas de edital, publicado com 60 (sessenta) dias de antecedência pelo Conselho NacionaldeTelecomunicações,convidandoosinteressadosaapresentarsuaspropostasem prazodeterminado,acompanhadasde:

a)provadeidoneidademoral; b) demonstração dos recursos técnicos e financeiros de que dispõem para o empreendimento; c)indicaçãodosresponsáveispelaorientaçãointelectualeadministrativadaentidadee, sefôrocaso,doórgãoaquecompeteaeventualsubstituiçãodosresponsáveis.

§1ºAoutorgadaconcessãoouautorizaçãoéprerrogativadoPresidentedaRepública,

ressalvado o disposto no art. 33 § 5º, depois de ouvido o Conselho Nacional de Telecomunicações sôbre as propostas e requisitos exigidos pelo edital, e de publicado o respectivoparecer.

§2ºTerãopreferênciaparaaconcessãoaspessoasjurídicasdedireitopúblicointerno,

inclusiveuniversidades.

§3ºAsdisposiçõesdopresenteartigoregulamasnovasautorizaçõesdeserviçosde

caráterlocalnoquelhesforemaplicáveis.

Art.35.Asconcessõeseautorizaçõesnãotêmcaráterdeexclusividade,eserestringem,

quandoenvolvemautilizaçãoderadiofreqüência,aorespectivousosemlimitaçãododireito, queassisteàUnião,deexecutar,diretamente,serviçoidêntico.

Art.36.Ofuncionamentodasestaçõesdetelecomunicaçõesficasubordinadoaprévia

licença, de que constarão as respectivas características,equesóseráexpedidadepoisde verificadaaobservânciadetôdasasexigênciaslegais.

§ 1º A vistoria,paraasestaçõesderadiodifusão,apósoatendimentodascondições

legais a que se refere êste artigo e do registro do contrato de concessão pelo Tribunalde

Contas,deveráserprocedidadentrode30(trinta)diasapósadatadaentradadopedidode

vistoria, e, aprovada esta, o fornecimento da licença para funcionamento não poderá ser

retardadopormaisde30(trinta)dias.

§ 2º O disposto neste artigo não se aplica às rêdes por fio do Departamento dos

CorreioseTelégrafosedasestradasdeferro,cumprindo­lhes,todavia,comunicaraoConselho Nacional de Telecomunicações adatadainauguraçãoeascaracterísticasdaestação,para inscriçãonocadastroeulteriorverificação.

§ 3º Expirado o prazo da concessão ouautorização,perde,automàticamente,asua validadealicençaparaofuncionamentodaestação.

Art37.(VEDADO).

Parágrafoúnico.(VETADO).

Art.37.Osserviçosdetelecomunicaçõespodemserdesapropriados,ourequisitadosnos

Parágrafo único. No cálculo da indenização serão deduzidos os favores cambiais e fiscaisconcedidos pelaUniãoepelosEstados.

Art.38.Nasconcessõeseautorizaçõesparaaexecuçãodeserviçosderadiodifusão

serãoobservados,alémdeoutrosrequisitos,osseguintespreceitosecláusulas:

Art. 38. Nas concessões, permissões ou autorizações para explorar serviços de radiodifusão,serãoobservados,alémdeoutrosrequisitos,osseguintespreceitosecláusulas:

a)osdiretoresegerentesserãobrasileirosnatoseostécnicosencarregadosdaoperação dosequipamentostransmissoresserãobrasileirosouestrangeiroscomresidênciaexclusivano País permitida, porém,emcaráterexcepcionalecomautorizaçãoexpressadoConselhode Telecomunicações, a admissãodeespecialistasestrangeiros,mediantecontrato,paraestas últimasfunções. a)osadministradoresougerentesquedetenhampoderdegestãoederepresentação civil e judicial serão brasileiros natos ou naturalizados há mais de dez anos. Os técnicos encarregadosdaoperaçãodosequipamentostransmissoresserãobrasileirosouestrangeiros comresidênciaexclusivanoPaís,permitida,porém,emcaráterexcepcionalecomautorização expressadoórgãocompetentedoPoderExecutivo,aadmissãodeespecialistasestrangeiros,

b)amodificaçãodosestatutoseatosconstitutivosdasemprêsasdepende,parasua validade, de aprovação do Govêrno, ouvido prèviamente o Conselho Nacional de Telecomunicações; b)asalteraçõescontratuaisouestatutáriasquenãoimpliquemalteraçãodosobjetivos sociais ou modificação do quadro diretivo e as cessões decotasouaçõesouaumentode capitalsocialquenãoresultememalteraçãodecontrolesocietáriodeverãoserinformadasao órgãodoPoderExecutivoexpressamentedefinidopeloPresidentedaRepública,noprazode

sessentadiasacontardarealizaçãodoato;(RedaçãodadapelaLeinº10.610,de20.12.2002)

b) as alterações contratuais ou estatutárias que não impliquem alteraçãodosobjetivossociais,as cessõesdecotasouaçõesouaumentodecapitalsocialquenãoresultemalteraçãodecontrolesocietário easmodificaçõesdequadrodiretivodeverãoserinformadasaoórgãodoPoderExecutivoexpressamente definido pelo Presidente da República, no prazo de 60 (sessenta) dias a contar da realização do ato;

c)atransferênciadaconcessão,acessãodecotasoudeaçõesrepresentativasdocapital social, dependem, para suavalidade,deautorizaçãodoGovêrnoapósopronunciamentodo ConselhoNacionaldeTelecomunicações.

(VETADO).

Osilêncio doPoderconcedenteao fimde90(noventa)diascontadosdadatadaentrega dorequerimentodetransferênciadeaçõesoucotas,implicaránaautorização.(Partesmantidas

c) a alteração dos objetivossociais,amodificaçãodoquadrodiretivo,aalteraçãodo

controle societário das empresas e a transferência da concessão, da permissão ou da autorizaçãodependem,parasuavalidade,depréviaanuênciadoórgãocompetentedoPoder

c)aalteraçãodeobjetivossociais,aalteraçãodecontrolesocietáriodasempresaseatransferência daconcessão,permissãoouautorizaçãodependem,parasuavalidade,depréviaanuênciadoórgão competentedoPoderExecutivo; (RedaçãodadapelaLeinº12.872,de2013)

d)osserviçosdeinformação,divertimento,propagandaepublicidadedasemprêsasde

radiodifusãoestãosubordinadasàsfinalidadeseducativaseculturaisinerentesàradiodifusão, visandoaossuperioresinteressesdoPaís; e)asemissôrasderadiodifusão,excluídasasdetelevisão,sãoobrigadasaretransmitir,

diàriamente,das19(dezenove)às20(vinte)horas,excetoaossábados,domingoseferiados,

o programa oficial de informações dosPoderesdaRepública,ficandoreservados30(trinta) minutosparadivulgaçãodenoticiáriopreparadopelasduasCasasdoCongressoNacional;

f)asemprêsas,nãosóatravésdaseleçãodeseupessoal,mastambémdasnormas

detrabalhoobservadasnasestaçõesemissôrasdevemcriarascondiçõesmaiseficazespara

queseeviteapráticadequalquerdasinfraçõesprevistasnapresentelei;

g)amesmapessoanãopoderáparticipardadireçãodemaisdeumaconcessionáriaou

permissionáriadomesmotipodeserviçoderadiodifusão,namesmalocalidade;

g)amesmapessoanãopoderáparticipardaadministraçãooudagerênciademaisde

umaconcessionária,permissionáriaouautorizadadomesmotipodeserviçoderadiodifusão,

h) as emissôras de radiodifusão, inclusive televisão, deverão cumprir sua finalidade

informativa,destinandoummínimode5%(cincoporcento)deseutempoparatransmissãode

serviçonoticioso.

i)asconcessionáriasepermissionáriasdeserviçosderadiodifusãodeverãoapresentar,

até o último dia útil decadaano,aoórgãodoPoderExecutivoexpressamentedefinidopelo Presidente da República e aos órgãos deregistrocomercialouderegistrocivildepessoas jurídicas, declaração com a composição de seu capital social, incluindo a nomeação dos

brasileirosnatosounaturalizadoshámaisdedezanostitulares,diretaouindiretamente,depelo

menossetentaporcentodocapitaltotaledocapitalvotante.(IncluídapelaLeinº10.610,de

Parágrafoúnico.Nãopoderáexercerafunçãodediretorougerentedeemprêsaconcessionáriade

rádiooutelevisãoquemestejanogôzodeimunidadeparlamentaroudefôroespecial.

Parágrafoúnico.Nãopoderáexercerafunçãodediretorougerentedeconcessionária, permissionária ou autorizada de serviço de radiodifusão quemestejanogozodeimunidade parlamentar ou de foro especial. (Redação dada pela Lei nº 10.610, de 20.12.2002)

§ 1º Não poderá exercer a função de diretor ou gerente de concessionária, permissionária ou

autorizada deserviçoderadiodifusãoquemestejanogozodeimunidadeparlamentaroudeforoespecial.

§2 o Serãonulasdeplenodireitoasalteraçõescontratuaisouestatutárias,ascessõesdecotasou açõesouaumentodecapitalsocial,bemcomoasmodificaçõesdequadrodiretivoaqueserefereaalínea b do caput deste artigo que contrariem qualquer dispositivo regulamentar ou legal ficando as entidades sujeitasàssançõesprevistasnesteCódigo. (RedaçãodadapelaLeinº12.872,de2013)

§ 3º Em casosexcepcionaisdeinteressepúblico,atoconjuntodosMinistrosdeEstadoChefeda Casa Civil e da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República poderá flexibilizar, por tempodeterminado,ohoráriodaretransmissãoprevistanaalínea“e”docaput. (IncluídopelaMedida

Art.39.Asestaçõesderadiodifusão,nos90(noventa)diasanterioresàseleiçõesgerais

doPaísoudacircunscriçãoeleitoral,ondetiveremsede,reservarãodiàriamente2(duas)horas

àpropagandapartidáriagratuita,sendoumadelasduranteodiaeoutraentre20(vinte)e23

(vinteetrês)horasedestinadas,sobcritérioderigorosarotatividade,aosdiferentespartidose com proporcionalidade no tempo de acôrdo com as respectivas legendas no Congresso NacionaleAssembléiasLegislativas.

§1ºParaefeitodêsteartigoadistribuiçãodoshoráriosaseremutilizadospelosdiversos

partidosseráfixadapelaJustiçaEleitoral,ouvidososrepresentantesdasdireçõespartidárias.

§ 2º Requerida aliança de partidos, a rotatividade prevista noparágrafoanteriorserá alternadaentreospartidosrequerentesdealiançasdiversas.

§ 3º O horárionãoutilizadoporqualquerpartidoseráredistribuídopelosdemais,não

sendopermitidacessãooutransferência.

§4ºCaberáàJustiçaEleitoraldisciplinarasdivergênciasoriundasdaaplicaçãodêste

artigo.

Art.40.Asestaçõesderádioficamobrigadas,adivulgar,60(sessenta)diasantesdas

eleiçõesmencionadasnoartigoanterior,oscomunicadosdaJustiçaEleitoralatéomáximode

tempode30(trinta)minutos.

Art.41.Asestaçõesderádioedetelevisãonãopoderãocobrar,napublicidadepolítica,

preçossuperioresaosemvigor,nos6(seis)mesesanteriores,paraapublicidadecomum.

Art.42.ÉoPoderExecutivoautorizadoaconstituirumaentidadeautônoma,sobaforma

de emprêsa pública, de cujo capital participem exclusivamente pessoas jurídicas de direito

público interno, bancos e emprêsas governamentais, com o fim de explorarindustrialmente serviçosdetelecomunicaçõespostos,nostêrmosdapresentelei,soboregimedeexploração diretadaUnião.

§1ºAentidadeaqueserefereêsteartigoampliaráprogressivamenteseusencargos,

de acôrdo com as diretrizes elaboradas pelo Conselho Nacional de Telecomunicações, mediante:

a) transferência, por decreto do Poder Executivo, de serviços hoje executados pelo

DepartamentodosCorreioseTelégrafos;

b) incorporação de serviços hoje explorados mediante concessão ou autorização, à

medidaqueestassejamextintas;

c)(VETADO).

c) desapropriação de serviços existentes, na forma da legislação vigente. (Partes

§2ºOPresidentedaRepúblicanomearáumacomissãoparaorganizaranovaentidade

e a ela incorporar os bens móveis e imóveis pertencentes à União, atualmente sob a administraçãodoDepartamentodosCorreioseTelégrafosaplicadosnosserviçostransferidos. § 3º A entidade poderá contratar pessoal de acôrdo com a legislação trabalhista, recrutadodentroouforadopaís,paraexercerasfunçõesdenaturezatécnico­especializada, relativasàsinstalaçãoeusodeequipamentosespeciais.

§4º(VETADO).

§4ºAentidadepoderárequisitardoDepartamentodosCorreioseTelégrafosopessoal

dequenecessiteparaoseufuncionamento,correndoopagamentorespectivoàcontadeseus

§5ºOsrecursosdanovaentidadeserãoconstituídos:

a)dastarifascobradaspelaprestaçãodeseusserviços;

b) dos recursos doFundoNacionaldeTelecomunicaçõescriadonoart.51destalei,

cuja aplicação obedecerá ao PlanoNacionaldeTelecomunicaçõeselaboradopeloConselho NacionaldeTelecomunicaçõeseaprovadopordecretodoPresidentedaRepública;

c)dasdotaçõesconsignadasnoOrçamentoGeraldaUnião;

d)doprodutodeoperaçõesdecrédito,jurosdedepósitosbancários,rendasdebens

patrimoniais,vendademateriaisinservíveisoudebenspatrimoniais.

§6ºAarrecadaçãodastaxasdeoutrasfontesdereceitaseráefetuadadiretamentepela

entidadeoumedianteconvênioseacôrdoscomórgãosdoPoderPúblico.

Art.43.Astarifasdevidaspelautilizaçãodosserviçosdetelecomunicaçõesprestadospela

entidade serão fixadas pelo Conselho NacionaldeTelecomunicaçõesdeformaaremunerar sempreoscustostotaisdosserviços,asamortizaçõesdocapitalinvestidoeaformaçãodos fundosnecessáriosàconservação,reposição,modernizaçãodosequipamentoseampliações dosserviços.

Art.44.Évedadaaconcessãoouautorizaçãodoserviçoderadiodifusãoasociedadespor

açõesaoportador,ouaemprêsasquenãosejamconstituídasexclusivamentedosbrasileirosa

Art. 45. A cada modalidade de telecomunicação corresponderá uma concessão, autorização ou permissão distinta que será considerada isoladamente para efeito da fiscalizaçãoedascontribuiçõesprevistasnestalei. Art. 46. Os Estados e Territórios Federais poderão obter permissão paraoserviço telegráfico interior limitado, sob sua direta administração e responsabilidade, dentro dos respectivoslimitesedestinadoexclusivamenteacomunicaçõesoficiais. Art. 47. Nenhuma estação de radiodifusão, de propriedade da União, dos Estados, TerritóriosouMunicípiosounasquaispossuamessaspessoasdedireitopúblicomaioriade cotas ou ações, poderá ser utilizada para fazer propaganda política ou difundir opiniões favoráveisoucontráriasaqualquerpartidopolítico,seusórgãos,representantesoucandidatos, ressalvadoodispostonalegislaçãoeleitoral. Art. 48. Nenhuma estação de radiodifusão poderá transmitir ou utilizar, total ou parcialmente,asemissõesdeestaçõescongêneres,nacionaisouestrangeiras,semestarpor estasprèviamenteautorizada.Duranteairradiação,aestaçãodaráaconhecerquesetratade retransmissãoouaproveitamentodetransmissãoalheia,declarando,alémdopróprioindicativo elocalização,osdaestaçãodeorigem.

Art49.(VETADO).

Parágrafoúnico.(VETADO).

Art.49.Aqualquerparticularpodeserdada,peloConselhoNacionaldeTelecomunicações

permissãoparaexecutarserviçolimitado,parausoprivado,entreduaslocalidadesouemuma mesma cidade, de telex, fac­simile ou processo semelhante. (Partes mantidas pelo Congresso

Parágrafoúnico.Sóserápermitidootelexinternacionaldesdequeosserviçosparao Brasil sejam executados através da Rêde Nacional de Telecomunicações e assegurado o recolhimento, pelo permissionário, das taxas terminais brasileiras e das de execução do

Art.50.Asconcessõeseautorizaçõesparaaexecuçãodeserviçosdetelecomunicações

poderão ser revistas sempre que se fizer necessária a sua adaptação a cláusula de atos internacionaisaprovadospeloCongressoNacionaloualeissupervenientesdeatos,observado

CAPÍTULOVI

DoFundoNacionaldeTelecomunicações

Art 51. É criado o Fundo Nacional de Telecomunicações constituído dos recursos abaixo

relacionados, os quais serão arrecadados pelo prazo de 10 (dez) anos

aplicadosnaformaprescritanoPlanoNacionaldeTelecomunicações,elaboradopeloConselhoNacionalde

TelecomunicaçõeseaprovadopordecretodoPresidentedaRepública:

a)produtodearrecadaçãodesobretarifascriadaspeloConselhoNacionaldeTelecomunicaçõessôbre

(VETADO)

para serem

qualquerserviçodetelecomunicação,

radiodifusão e radioamadorismo, não podendo, porém a sobretarifa ir além de 30% (trinta por cento) da tarifa;

(VETADO)

inclusivetráfegomútuo,taxasterminaisetaxasde

Art. 51. É criado o Fundo Nacional de Telecomunicações constituído dos recursos abaixo

relacionados,osquaisserãoarrecadadospeloprazode10(dez)anosepostosàdisposiçãodaentidadea

quese refereoart.42paraseremaplicadosnaformaprescritanoPlanoNacionaldeTelecomunicações, elaborado pelo Conselho Nacional de Telecomunicações e aprovado por decreto do Presidente da

a)produtodearrecadaçãodesobretarifascriadaspeloConselhoNacionaldeTelecomunicaçõessôbre qualquerserviçodetelecomunicação,prestadopeloDepartamentodosCorreioseTelégrafos,porempresas concessionárias ou permissionárias, inclusive tráfego mútuo, taxas terminais e taxas de radiodifusão e radioamadorismo, não podendo, porém, a sobretarifa, ir além de 30% (trinta porcento)datarifa;(Partes mantidaspeloCongressoNacional) (RevogadopeloDecreto­leinº2.186,de20.12.1984) b)jurosdosdepósitosbancáriosderecursosdoprópriofundoeprodutodeoperaçõesdecréditopor

c)rendaseventuais,inclusivedonativos.(RevogadopeloDecreto­leinº2.186,de20.12.1984)

CAPÍTULOVII DasInfraçõesePenalidades

Art.52.Aliberdadederadiodifusãonãoexcluiapuniçãodosquepraticaremabusosnoseu

exercício.

Art53.Constituiabuso,noexercíciodeliberdadedaradiodifusão,oemprêgodêssemeiode

comunicaçãoparaapráticadecrimeoucontravençãoprevistosnalegislaçãoemvigornoPaís,inclusive:

a)incitaradesobediênciaàsleisouàsdecisõesjudiciárias;

b)divulgarsegredosdeEstadoouassuntosqueprejudiquemadefesanacional;

c)ultrajarahonranacional;

d)fazerpropagandadeguerraoudeprocessosviolentosparasubverteraordempolíticaousocial;

e)promovercampanhadiscriminatóriadeclasse,côr,raçaoureligião;

f)insuflararebeldiaouaindisciplinanasfôrçasarmadasounosserviçosdesegurançapública;

g)comprometerasrelaçõesinternacionaisdoPaís;

h)ofenderamoralfamiliar,pública,ouosbonscostumes;

i)caluniar,injuriaroudifamarosPoderesLegislativo,ExecutivoouJudiciárioouosrespectivos

membros;

j)veicularnotíciasfalsas,comperigoparaaordempública,econômicaesocial;

Parágrafoúnico.(VETADO).

Art.53. Constituiabuso,noexercíciodeliberdadedaradiodifusão,oemprêgodêssemeiode

comunicaçãoparaapráticadecrimeoucontravençãoprevistosnalegislaçãoemvigornoPaís,inclusive:

a)incitaradesobediênciaàsleisoudecisõesjudiciárias;(RedaçãodadapeloDecreto­Leinº236,

b) divulgar segredos de Estado ou assuntos que prejudiquem a defesa nacional;(Redaçãodada

d)fazerpropagandadeguerraoudeprocessosdesubversãodaordempolíticaesocial;(Redação

e) promover campanha discriminatória de classe, côr, raça ou religião; (Redação dada pelo

f) insuflar a rebeldia ou a indisciplina nas fôrças armadas ou nas organizações de segurança

g) comprometer as relações internacionais do País; (Redação dada pelo Decreto­Lei nº 236, de

h)ofenderamoralfamiliar,pública,ouosbonscostumes;(RedaçãodadapeloDecreto­Leinº236,

i)

caluniar, injuriar ou difamar os Poderes Legislativos, Executivo ou Judiciário ouosrespectivos

j) veicular notícias falsas, com perigo para a ordem pública,econômicaesocial;(Redaçãodada

l)colaborarnapráticaderebeldiadesordensoumanifestaçõesproibidas.(IncluídopeloDecreto­Lei

Parágrafoúnico.Seadivulgaçãodasnotíciasfalsashouverresultadodeêrrodeinformação efôr objeto de desmentido imediato,anenhuma penalidadeficarásujeitaaconcessionáriaoupermissionária. (PartesmantidaspeloCongressoNacional)

Art54.(VETADO).

Art.54.Sãolivresas críticaseosconceitosdesfavoráreis, aindaqueveementes,bem comoanarrativadefatosverdadeiros,guardadasas restriçõesestabelecidasemlei,inclusive

deatosdequalquerdospodêresdoEstado.(PartesmantidaspeloCongressoNacional)

Art55.(VETADO).

Art.55.Éinviolávelatelecomunicaçãonos têrmosdestalei.(PartesmantidaspeloCongresso

Art. 56. Pratica crime de violação de telecomunicação quem, transgredindo lei ou regulamento, exiba autógrafo ou qualquer documento do arquivo, divulgue ou comunique, informeoucapte,transmitaaoutremouutilizeoconteúdo,resumo,significado,interpretação, indicaçãoouefeitodequalquercomunicaçãodirigidaaterceiro. § 1º Pratica, também, crime de violação de telecomunicações quem ilegalmente receber,divulgarouutilizar,telecomunicaçãointerceptada. § 2º Sòmente os serviços fiscais das estações epostosoficiaispoderãointerceptar telecomunicação. I­Arecepçãodetelecomunicaçãodirigidaporquemdiretamenteoucomocooperação estejalegalmenteautorizado; II­Oconhecimentodado:

a)aodestinatáriodatelecomunicaçãoouaseurepresentantelegal; b)aosintervenientesnecessáriosaocursodatelecomunicação; c)aocomandanteouchefe,sobcujasordensimediatasestiverservindo; d)aosfiscaisdoGovêrnojuntoaosconcessionáriosoupermissionários; e)aojuizcompetente,medianterequisiçãoouintimaçãodêste. Parágrafo único. Não estão compreendidas nas proibições contidas nesta lei as radiocomunicações destinadas a ser livremente recebidas, as de amadores, as relativas a navioseaeronavesemperigo,ouastransmitidasnoscasosdecalamidadepública.

Art.57.Nãoconstituiviolaçãodetelecomunicação:

I­Arecepçãodetelecomunicaçãodirigidaporquemdiretamenteoucomocooperaçãoesteja

legalmenteautorizado;

II­Oconhecimentodado:

a)aodestinatáriodatelecomunicaçãoouaseurepresentantelegal;

b)aosintervenientesnecessáriosaocursodatelecomunicação;

c)aocomandanteouchefe,sobcujasordensimediatasestiverservindo;

d)aosfiscaisdoGovêrnojuntoaosconcessionáriosoupermissionários;

e)aojuizcompetente,medianterequisiçãoouintimaçãodêste.

Parágrafoúnico.Nãoestãocompreendidasnasproibiçõescontidasnestaleias radiocomunicaçõesdestinadasaserlivrementerecebidas,asdeamadores,asrelativasanaviose aeronavesemperigo,ouastransmitidasnoscasosdecalamidadepública.

Art.58.Noscrimesdeviolaçãodatelecomunicação,aquesereferemestaleieoart.151doCódigo

Penal,caberão,ainda,asseguintespenas:

I­Paraasconcessionáriasoupermissionárias:

a)suspensãoaté30(trinta)dias,seculpadosporaçãoouomissão;

b) a aplicação de multa administrativa ou de pena de suspensão ou cassação não exclui a responsabilidadecriminal. II­Paraaspessoas:

a)1(um)a2(dois)anosdedetençãoouperdadecargoouemprêgo,apuradaaresponsabilidadeem

processoregular,iniciadocomoafastamentoimediatodoacusadoatédecisãofinal; b)paraaautoridaderesponsávelporviolaçãodetelecomunicação,aspenasprevistasnalegislação emvigorserãoaplicadasemdôbro. Parágrafo único. Areincidência,nocasodaalíneaa,doitemI,serápunidacompenaemdôbro,

acarretandosempresuspensãooucassação.(RevogadopeloDecreto­leinº236,de28.2.1967)

Art. 58.Noscrimesdeviolaçãodatelecomunicação,aquesereferemestaLeieoartigo151do

I ­ Para as concessionárias ou permissionárias as previstasnoartigos62e63,seculpadospor açãoouomissãoeindependentementedaaçãocriminal. II­Paraaspessoasfísicas:

a)1(um)a2(dois)anosdedetençãoouperdadecargoouemprego,apuradaaresponsabilidade

emprocessoregular,iniciadocomoafastamentoimediatodoacusadoatédecisãofinal; b)paraautoridaderesponsávelporviolaçãodatelecomunicação,aspenasprevistasnalegislação emvigorserãoaplicadasemdobro; c) serão suspensos ou cassados, na proporção da gravidade da infração, os certificados dos operadoresprofissionaisedosamadoresresponsáveispelocrimedeviolaçãodatelecomunicação.

Art.59.Serãosuspensosoucassados,naproporçãodagravidadedainfração,oscertificadosdos

operadores e amadores responsáveis pelo crime de violação de telecomunicação. (Revogado pelo

Art.59.Aspenasporinfraçãodestaleisão:(SubstituídopeloDecreto­leinº236,de28.2.1967)

a)multa,atéovalor

b)suspensão,atétrinta(30)dias;(IncluídopeloDecreto­leinº236,de28.2.1967)

§ 1º Nas infrações em que, o juízo do CONTEL,nãosejustificaraaplicaçãodepena,oinfrator

seráadvertido,considerando­seaadvertênciacomoagravantenaaplicaçãodepenasporinobservânciado

mesmooudeoutropreceitodestaLei.(Incluídopelo

§2ºApenademultapoderáseraplicadaisoladaouconjuntamente,comoutrassançõesespeciais

§ 3º O valor das multas será atualizado de 3 em 3 anos, de acordo com osníveisdecorreção

Art. 60. As penas administrativas, inclusive a multa, serão aplicadas peloConselhoNacionalde

Art.60.AaplicaçãodaspenasdestaLeicompete:(SubstituídopeloDecreto­leinº236,de28.2.1967)

a)aoCONTEL:multaesuspensão,emqualquercaso;cassação,quandosetratardepermissão;

b) ao Presidente da República: cassação, mediante representação do CONTEL em parecer

Art.61.Aspenasporinfraçãodestaleisão:

a)multa;

b)suspensão;

c)cassação;

d)detenção.

Parágrafoúnico.Seaconcessãooupermissãoabrangermaisdeumaemissôra,apenalidadeque

recair sôbre uma delas não atingirá as demais inocentes. (Revogado pelo Decreto­lei nº 236, de

Art.61.Apenaseráimpostadeacordocomainfraçãocometida,consideradososseguintesfatores:

a)gravidadedafalta;

b)antecedentesdaentidadefaltosa;

c)reincidênciaespecífica.

Art.62.Apenademultapoderáseraplicadaporinfração:

a)dasletrasa,b,c,e,gehdoartigo38destalei;

b)doart.53destalei;

Art.62.Apenademultapoderáseraplicadaporinfraçãodequalquerdispositivolegalouquandoa

concessionária ou permissionária não houver cumprido, dentro do prazo estipulado, exigência quetenha

Art.63.Amultateráovalor:

a)de1(uma)a10(dez)vêzesomaiorsalário­mínimo,paraasestaçõesderadiodifusãoaté1(um)

kw;

b)de1(uma)a20(vinte)vêzesomaiorsalário­mínimo,paraasestaçõesderadiodifusãoaté10(dez)

kw;

c)de1(uma)a50(cinqüenta)vêzesomaiorsalário­mínimo,paraasestaçõesderadiodifusãocom

maisdedez(10)kw,eparaasestaçõesdetelevisão;

d)de1(uma)a100(cem)vêzesomaiorsalário­mínimo,paraastelecomunicaçõesquenãosejamde

radiodifusão.

Parágrafo único. A reincidência será punida com multa imposta em dôbro. (Revogadopelo

Art.63.Apenadesuspensãopoderáseraplicadanosseguintescasos:(SubstituídopeloDecreto­lei

a)infraçãodosartigos38,alíneasa,b,c,e,geh;53,57,71eseusparágrafos;

b) infração à liberdade de manifestação do pensamento e de informação (Lei nº 5.250 de 9 de

c) quando a concessionária oupermissionárianãohouvercumprido,dentrodoprazoestipulaçao,

exigênciaquelhetenhasidofeitapelo

CONTEL;

d)quandosejacriadasituaçãodeperigodevida;

e) utilização de equipamentos diversos dos aprovados ou instalações fora das especificações

técnicasconstantesdaportariaqueastenhaaprovado;

f) execução de serviço para o qual não está autorizado. (Incluído pelo Decreto­lei nº 236, de

Parágrafoúnico.Nocasodasletrasd,eefdesteartigopoderáserdeterminadaainterrupçãodo

serviçopeloagentefiscalizador,"ad­referedum"doCONTEL.

Art.64.Paraosefeitosdestalei,considera­sereincidênciaareiteraçãodentrodeumanonaprática

damesmainfraçãojápunidaanteriormente.(RevogadopeloDecreto­leinº236,de28.2.1967)

Art.64.Apenadecassaçãopoderáserimpostanosseguintescasos:(SubstituídopeloDecreto­leinº

b)reincidênciaeminfraçãoanteriormentepunidacomsuspensão;(IncluídopeloDecreto­leinº236,

c) interrupção do funcionamento por mais de trinta(30)diasconsecutivos,excetoquandotenha,

paraisso,obtidoautorizaçãopréviadoCONTEL;(IncluídopeloDecreto­leinº236,de28.2.1967)

d) superveniência da incapacidade legal, técnica, financeira ou econômica para execução dos

serviçosdaconcessãooupermissão;(IncluídopeloDecreto­leinº236,de28.2.1967)

e) não haveraconcessionáriaoupermissionária,noprazoestipulado,corrigidoasirregularidades

motivadorasdasuspensãoanteriormenteimporta;(IncluídopeloDecreto­leinº236,de28.2.1967)

f)nãohaveraconcessionáriaoupermissionáriacumpridoasexigênciaseprazosestipulados,atéo

licenciamentodefinitivodesuaestação.(IncluídopeloDecreto­leinº236,de28.2.1967)

g) não­observância, pela concessionáriaoupermissionária,dasdisposiçõescontidasnoart.222,

Art.65.Apenademultapoderáseraplicadaisoladaouconjuntamentecomoutrassançõesespeciais

Art.65.OCONTELpromoveráasmedidascabíveis,punindooupropondoapunição,poriniciativa

própriaousemprequereceberrepresentaçãodequalquerautoridade.(SubstituídopeloDecreto­leinº236,

Art.66.AsmultasserãoaplicadaspeloConselhoNacionaldeTelecomunicações,dentrodoprazode

30 (trinta) dias, contados da data doingressoouformaçãodeofíciodarespectivarepresentaçãoemsua secretaria.

§1ºDentrodoprazode5(cinco)dias,contadosdanotificação,oacusadopoderáoferecerdefesa

escrita.

§ 2º As multas poderão, também, ser aplicadas pelo Conselho Nacional de Telecomunicações

mediante representação das autoridades referidas no art. 68 desta lei.(RevogadopeloDecreto­leinº

Art.66.Antesdedecidirdaaplicaçãodequalquerdaspenalidadesprevistas,oCONTELnotificaráa

interessadaparaexercerodireitodedefesa,dentrodoprazode5(cinco)dias,contadosdorecebimentoda

§ 1º A repetição da falta no período decorrido entreorecebimentodanotificaçãoeatomadade decisão, será considerada como reincidência e, no caso das transgressões citadas no artigo 53, o PresidentedoCONTELsuspenderáaemissoraprovisóriamente.

§2ºQuandoarepresentaçãoforfeitaporumadasautoridadesaseguirrelacionadas,oPresidente

doCONTELverificará"inlimine"suaprocedência,podendodeixardeserfeitaanotificaçãoaqueserefere

esteartigo:

I­EmtodooTerritórionacional:(IncluídoDecreto­leinº236,de28.2.1967)

a) Mesa da Câmara dos Deputados ou do Senado Federal; (Incluído Decreto­lei nº 236, de

b)PresidentedoSupremoTribunalFederal;(IncluídoDecreto­leinº236,de28.2.1967)

d)SecretárioGeraldoConselhodeSegurançaNacional;(IncluídoDecreto­leinº236,de28.2.1967)

e)ProcuradorGeraldaRepública;(IncluídoDecreto­leinº236,de28.2.1967)

f)ChefedoEstadoMaiordasForçasArmadas.(IncluídoDecreto­leinº236,de28.2.1967)

a)MesadaAssembléiaLegislativa;(IncluídoDecreto­leinº236,de28.2.1967)

b)PresidentedoTribunaldeJustiça;(IncluídoDecreto­leinº236,de28.2.1967)

c)SecretáriodeAssuntosRelativosàJustiça;(IncluídoDecreto­leinº236,de28.2.1967)

d)ChefedoMinistérioPúblicoEstadual.(IncluídoDecreto­leinº236,de28.2.1967)

a)MesadaCâmaraMunicipal;(IncluídoDecreto­leinº236,de28.2.1967)

Art. 67. O infrator multado poderá dentro de 5 (cinco) dias e com efeito suspensivo,recorrerao Presidente da República, que lhe dará ou negará provimento podendo, ainda, reduzir o valor da

Art.67.AperempçãodaconcessãoouautorizaçãoserádeclaradapeloPresidentedaRepública,

precedendo parecer do Conselho Nacional de Telecomunicações, se a concessionáriaoupermissionária

Parágrafoúnico.Odireitoarenovaçãodecorredocumprimentopelaempresa,deseucontratode concessão ou permissão, das exigências legais e regulamentares, bem como das finalidades educacionais, culturais e morais a queseobrigou,edepersistiremapossibilidadetécnicaeointeresse

Art.68.Asuspensãodaconcessãooudapermissão,até30(trinta)dias,seráaplicadapeloMinistro

da Justiça, nos casos em que a infração estiver capitulada no art. 53 desta lei, ex officio ou mediante representaçãodequalquerdasseguintesautoridades:

I­Emtodooterritórionacional:

a)MesadaCâmaradosDeputadosoudoSenadoFederal;

b)PresidentedoSupremoTribunalFederal;

c)MinistrodeEstado;

d)ProcuradorGeraldaRepública;

e)ChefedoEstadoMaiordasFôrçasArmadas;

f)ConselhoNacionaldeTelecomunicações.

II­NosEstados:

a)MesadaAssembléiaLegislativa;

b)PresidentedoTribunaldeJustiça;

c)SecretáriodoInterioredaJustiça;

d)ChefedoMinistérioPúblicoEstadual;

e)JuizdeMenores,noscasosdeofensaàmoraleaosbonscostumes.

III­NosMunicípios:

a)MesadaCâmaraMunicipal;

Art.68.AcaducidadedeconcessãooudaautorizaçãoserádeclaradapeloPresidentedaRepública,

precedendo parecer do Conselho Nacional de Telecomunicações, nos seguintes casos:(Substituído pelo

a)quandoaconcessãoouaautorizaçãodecorradeconvêniocomoutropaís,cujadenúnciaatorne inexeqüível; b) quando expirarem os prazos de concessão ou autorização decorrente de convêniocomoutro país,sendoinviávelaprorrogação. Parágrafoúnico.Adeclaraçãodecaducidadesósedaráseforimpossívelevitá­laporconvêniocom qualquer país ou por inexistência comprovada de frequência no Brasil que possa ser atribuída à

concessionáriaoupermissionária,afimdequenãocesseseufuncionamento.(IncluídopeloDecreto­leinº

Art.69.Assimquereceberrepresentaçãodasautoridadesreferidasnoart.68,incisoI,letrasaeb,

incontinentioMinistrodaJustiçanotificaráaconcessionáriaoupermissionária,paraque:

a)nãoreincidanatransmissãoobjetodarepresentação,atéqueestasejadecididapeloMinistroda Justiça; b)desminta,imediatamente,atransmissãoincriminadaouadesfaçapordeclaraçõescontráriasàs quetenhammotivadoarepresentação;

c)ofereçadefesanoprazode5(cinco)dias.

Parágrafoúnico.Quandoarepresentaçãofôrdasautoridadesreferidasnoart.68,incisoI,letrasc,d,

e e f, inciso II, letras a, b, c, d, e e, inciso III letras a e boMinistrodaJustiçaverificaráinlimine,sua

procedência, a fimdenotificarounãoaconcessionáriaoupermissionária.(RevogadopeloDecreto­lei

Art.69.Adeclaraçãodaperempçãooudacaducidade,quandoviciadaporilegalidade,abusodopoder

ou pela desconformidade comosoumotivosalegados,titularáoprejudicadoapostularreparaçãodoseu

Art. 70. Se a notificação não fôr prontamente obedecida, o Ministro da Justiça suspenderá, provisòriamente,aconcessionáriaoupermissionária. Parágrafoúnico.OMinistrodaJustiçadecidiráasrepresentaçõesquelheforemoferecidasdentrode

15(quinze)dias,improrrogáveis.(RevogadopeloDecreto­leinº236,de28.2.1967)

Art.70.Constituicrimepunívelcomapenadedetençãode1(um)a2(dois)anos,aumentadada

metade se houver dano a terceiro, a instalação ou utilização de telecomunicações, sem observânciado

dispostonestaLeienosregulamentos.(SubstituídopeloDecreto­leinº236,de28.2.1967)

Parágrafo único. Precedendo ao processo penal, para os efeitos referidos neste artigo, será liminarmenteprocedidaabuscaeapreensãodaestaçãoouaparelhoilegal. Art. 71. A concessionária oupermissionáriaquenãoseconformarcomanotificação,suspensão provisóriaoupenadesuspensãoaplicadapeloMinistrodaJustiça, poderádentrodecincodias,promover

o pronunciamento do Tribunal Federal de Recursos, através de mandado de segurança, observadas as

seguintesnormas:

a) oPresidente,dentrodeprazoimprorrogávelde24(vinteequatro)horas,suspenderáounãoin limine,oatodoMinistrodaJustiça; b)oprazoparaas informaçõesdoMinistrodaJustiçade48(quarentaeoito)horasimprorrogáveis; c)apósorecebimentodas informações,orelatorenviaráoprocessoimediatamenteàMesa,para quesejajulgadonaprimeiraReuniãodeTurma; d)oProcuradoremitirápareceroralnasessãodejulgamento,apósorelatório; e)ojulgamentoédacompetênciadeturmasisoladas; f)adefesae asinformaçõespoderãoserenviadasporviatelegráficaouradiotelegráfica; g)oRegimentoInternodoTribunalFederaldeRecursosestabeleceránormascomplementares paraa aplicaçãodestaLei,inclusiveparaoperíododefériasforenses.

§1ºAautoridadequenãoseconformarcomadecisãodenegatóriadarepresentaçãoqueofereceuao

MinistrodaJustiçapoderá,dentrode15(quinze)diasdamesma,promoveropronunciamentodoJudiciário,

atravésdemandadodesegurança,interpôstoaoTribunalFederaldeRecursos.

§2ºAdecisãofinaldoMinistrodaJustiça,aplicandoapenadesuspensãosóseráexecutadadepois

dadecisãoliminarreferidana letra"a"dêsteartigo,quandoconfirmatóriadasuspensão.

§3ºAJustiçaEleitoralpoderátambémnotificarparaquecesseeimediatamentesejadesmentida,

determinando sua suspensão até 24 (vinte e quatro) horas, no caso de desobediência,transmissãoque

constituainfraçãoàlegislaçãoeleitoral.(RevogadopeloDecreto­leinº236,de28.2.1967)

Art.71.Todairradiaçãoserágravadaemantidaemarquivoduranteas24horassubsequentesao

encerramentodostrabalhosdiáriosdeemissora.(SubstituídopeloDecreto­leinº236,de28.2.1967)

§1ºAsEmissorasdetelevisãopoderãogravarapenasosomdosprogramastransmitidos.

§ 2º As emissoras deverão conservar em seus arquivos os textos dos programas, inclusive

noticiososdevidamenteautenticadospelosresponsáveis,durante60(sessenta)dias.

§ 3º As gravações dos programas políticos, dedebates,entrevistaspronunciamentosdamesma

naturezaequalquerirradiaçãonãoregistradaemtexto,deverãoserconservadasemarquivopeloprazode

20 (vinte) dias depois de transmitidas, para as concessionáriasoupermissionáriasaté1kwe30(trinta) diasparaasdemais.

§ 4º As transmissões compulsoriamente estatuídas por leiserãogravadasemmaterialfornecido

Art.72.Apenadesuspensãoaté15(quinze)dias,ouvidooConselhoNacionaldeTelecomunicações,

seráaindaaplicadapeloMinistrodaJustiçanosseguintescasos:

a)infraçãodasletrasa,b,c,e,geh,doart.38destalei,estipulandooMinistrodaJustiçaprazo

paraquesejamsanadasasirregularidades; b)desrespeitoaodireitoderespostareconhecidopordecisãojudicial; c)quandosejacriadasituaçãodeperigodevida;

d)inobservânciadodispostonos§§3ºe4ºdoart.81enoart.86destalei.

Parágrafo único. No caso da letra e dêste artigo, a suspensão poderá ser aplicada pelo agente

fiscalizador,adreferendumdoConselhoNacionaldeTelecomunicações.(RevogadopeloDecreto­leinº

Art.72.Aautoridadequeimpedirouembaraçaraliberdadedaradiodifusãooudatelevisãoforados

casos autorizados em lei, incidirá no que couber, na sanção doartigo322doCódigoPenal.(Substituído

Art.73.Dasuspensãoaplicadanostêrmosdoartigoanteriorcaberecursonoprazode3(três)dias,

ao Presidente da República, com efeito suspensivo salvo o caso da alínea "c".(Revogado pelo

Art. 74. A perda de cassação será imposta pelo Ministro da Justiça dentro de30(trinta)diase

mediante representação do Conselho Nacional de Telecomunicações, nos seguintes casos:(Revogado

a)reincidênciaeminfraçãoanteriormentepunidacomsuspensão;

b) interrupção do funcionamento por mais de 30 (trinta) dias consecutivos, exceto quando haja

autorizaçãodoConselhoNacionaldeTelecomunicações,porjustacausa;

c) superveniência de incapacidade legal, técnica ou econômica para execução dos serviços na

concessãoouautorização; d)pornãohaveraconcessionáriaoupermissionária,noprazoestipuladopeloMinistrodaJustiça, corrigidoasirregularidadesmotivadorasdesuspensãoanteriormenteimposta.

§1ºOConselhoNacionaldeTelecomunicações,aorepresentarpedindoacassaçãodaráciência,na

mesma data, a concessionária ou permissionária para que, dentro de 15 (quinze) dias, ofereça defesa escrita,querendo.

§2ºAconcessionáriaoupermissionáriaquenãoseconformarcomacassação,poderápromovero

pronunciamento do Tribunal Federal de Recursos, através do mandato de segurança, cabendo ao seu Presidentedecidir sobreasuspensãoliminardoato,noprazoimprorrogávelde24(vinteequatro)horas.

§3ºAplica­se,quantoàexecuçãodacassação,odispostono§2º,doart.71,destalei.

Art.75.AperempçãodaconcessãoouautorizaçãoserádeclaradapeloPresidentedaRepública,

precedendo parecer do Conselho Nacional de Telecomunicações, se a respectiva concessionária ou

permissionáriadecairdodireitoàrenovação.(RevogadopeloDecreto­leinº236,de28.2.1967)

Parágrafo único. O direito à renovação decorre do cumprimento, pela concessionária ou permissionária,dasexigênciaslegaiseregulamentares,bemcomodasfinalidadeseducacionaisculturaise moraisaqueesteveobrigada.

Art.76.AcaducidadedaconcessãooudaautorizaçãoserádeclaradapeloPresidentedaRepública,

precedendo parecer do Conselho Nacional de Telecomunicações,nosseguintescasos:(Revogadopelo

a) quando a concessão ou a autorização decorra de convênio com outro País, cuja denúncia a torneinexeqüível; b)quandoexpiraremosprazosdaconcessãoouautorizaçãodecorrentedeconvêniocomoutroPaís, sendoinviávelaprorrogação. Parágrafoúnico.Adeclaraçãodecaducidadesósedarásefôrimpossívelevitá­laporconvêniocom qualquer país ou por inexistência comprovada de freqüência no Brasil, que possa ser atribuída à concessionáriaoupermissionária,afimdequenãocesseseufuncionamento.

Art.77.Adeclaraçãodaperempçãooudacaducidade,quandoviciadaporilegalidade,abusodopoder

ou pela desconformidade com osfinsoumotivosalegados,titularáoprejudicadoapostularreparaçãodo

Art.78.Constituicrimepúnívelcomapenadedetençãode1(um)a2(dois)anos,aumentadada

metade se houver dano a terceiro, a instalação ou utilização de telecomunicações, sem observânciado

dispostonestaleienosregulamentos.(RevogadopeloDecreto­leinº236,de28.2.1967)

Parágrafo único. Precedendo ao processo penal, para os efeitos referidos neste artigo será liminarmenteprocedidaabuscaeapreensãodaestaçãoouaparêlhoilegais.

Art.79.Asautoridades,pessoas,entidadesouemprêsasnoticiosasquefuncionemlegalmenteno

País,quandonãosobresponsabilidadedaconcessionáriaoupermissionária,quepraticaremabusoreferido no art. 53 desta lei, estão sujeitas, no que couber, ao disposto nos artigos 9ºa16e26a51daLein.

§ 1º A responsabilidade pela autoria, nos têrmos do disposto neste artigo, não exclui a da concessionáriaoupermissionária,quandoculpadaporaçãoouomissão.

§2ºAsmultasestipuladasnaLein.2.083,de12denovembrode1953,serãode5(cinco)a100

(cem)vêzesovalordomaiorsalário­mínimovigentenoPaís. Art. 80. Equiparam­se àatividadedojornalistaprofissionalabusca,aredação,adivulgaçãooua

promoção,

através da radiodifusão,

de notícias, reportagens, comentários,

debates

e

Art.81.Independentementedaaçãopenal,oofendidopelacalúnia,difamaçãoouinjúriacometidapor

meioderadiodifusão,poderádemandar,noJuízoCível,areparaçãododanomoral,respondendoporêste solidáriamente, o ofensor, a concessionária ou permissionária, quando culpada por ação ou omissão, e

quem quer que, favorecido pelo crime, haja de qualquer modo contribuído para êle.(Revogado pelo

§1ºAaçãoseguiráoritodoprocessoordinárioestabelecidonoCódigodoProcessoCivil.

§2ºSobpenadedecadênciaaaçãodeveserpropostadentrode30(trinta)dias,acontardadatada

transmissãocaluniosa,difamatóriaouinjuriosa. § 3º Para exercer o direito à reparação é indispensável que no prazo de 5 (cinco) dias paraas

concessionáriasoupermissionáriasaté1kwede10(dez)diasparaasdemais,oofendidoasnotifique,via

judicialouextrajudicial,paraquenãodesfaçamagravaçãonemdestruamotexto,referidosnoart.86desta

lei.

§4ºAconcessionáriaoupermissionáriasópoderádestruiragravaçãoouotextoobjetodanotificação

referida neste artigo, após o pronunciamento conclusivo doJudiciáriosôbrearespectivademandaparaa reparaçãododanomoral.

Art. 82. Em se tratando de calúnia, é admitida, como excludente da obrigação de indenizar, a

exceçãodaverdade,quedeveráseroferecidanoprazoparaacontestação.(RevogadopeloDecreto­lei

Parágrafo único. Será sempre admitida a exceção da verdade, aduzida no prazo acima, em se tratando de calúnia ou difamação, se o ofendido exercer função pública na União, nos Estados, nos Municípios,ementidadeautárquicaouemsociedadedeeconomiamista. Art.83. Acríticaeoconceitodesfavorável,aindaqueveementes,ouanarrativadefatosverdadeiros,

nãodarãomotivoaqualquerreparação.(RevogadopeloDecreto­leinº236,de28.2.1967)

Art.84.Naestimaçãododanomoral,oJuizteráemconta,notadamente,aposiçãosocialoupolítica

do ofendido, a situação econômica do ofensor, a intensidade do ânimo de ofender, a gravidade e

§1ºOmontantedareparaçãoteráomínimode5(cinco)eomáximode100(cem)vêzesomaior

salário­mínimovigentenoPaís.

§2ºOvalordaindenizaçãoseráelevadoaodôbroquandocomprovadaareincidênciadoofensorem

ilícitocontraahonra,sejaporquemeiofôr.

§3ºAmesmaagravaçãoocorreránocasodeseroilícitocontraahonrapraticadonointerêssede

gruposeconômicosouvisandoaobjetivosantinacionais.

Art. 85. A retratação do ofensor, em juízo ou fora dêle, não excluirá a responsabilidade pela

Parágrafoúnico.Aretrataçãoseráatenuantenaaplicaçãodapenadereparação.

Art.86.Asconcessionáriasoupermissionáriasdeverãoconservaremseusarquivos,ostextosdos

programas, inclusive noticiosos, devidamente autenticados pelos responsáveis durante 10 (dez)

Parágrafo único. Os programas de debates ou políticos, bem comopronunciamentosdamesma natureza não registrados em textos, excluídas as transmissões compulsòriamente estatuídas por lei, deverão ser gravados para que sejam conservados em seus arquivos até 5 (cinco) dias depois de

transmitidosparaasconcessionáriasoupermissionáriasaté1kweaté10(dez)diasparaasdemais.

Art.87.Osdispositivos,relativosàreparaçãodosdanosmorais,sãoaplicáveis,noquecouber,ao

casodeilícitocontraahonrapormeiodaimprensa,devendoapetiçãoinicialserinstruída,desdelogo,com

oexemplardojornalourevistacontendoacalúnia,difamaçãoouinjúria.(RevogadopeloDecreto­leinº

Art. 88. A prescrição daaçãopenalnasinfraçõesdefinidasnestaleienaLein.2.083,de12de

novembrode1953,ocorrerá2(dois)anosapósadatadatransmissãooupublicaçãoincriminadas,eada

condenaçãonodôbrodoprazoemquefôrfixada.(RevogadopeloDecreto­leinº236,de28.2.1967)

Parágrafoúnico.Odireitodequeixaouderepresentaçãodoofendido,ouseurepresentantelegal, decairá se não fôr exercido dentro do prazo de 3 (três) meses da data da transmissão ou publicação incriminadas.

Art.89.Éasseguradoodireitoderespostaaquemfôrofendidopelaradiodifusão.(Revogadopelo

Art.90.Odireitoderespostaconsistenatransmissãodarespostaescritadoofendido,dentrode24

(vinteequatro)horasdoseurecebimento,nomesmohorário,programaepelamesmaemissoraemquese

§1ºSenoprazode24(vinteequatro)horasnãoserepetiroprogramaparaoefeitoreferidoneste

artigo,aemissorarespeitaráaexigêncianêlecontidaquantoaohorário.

§2ºQuandooofensornãotivercomapermissionáriaouconcessionáriaemquesedeuaofensa

qualquer vínculo de responsabilidade ou de contrato de trabalho o pagamento da resposta é devido por aquêleoupeloofendido,conformedecisãodoJudiciáriosôbreopedidoderesposta.

§3ºOcasoreferidonoparágrafoanterior,aemissoratransmitiráresposta24(vinteequatro)horas

depoisqueoofendidolheprovaroingressoemjuízodopedidoderesposta.

§4ºSeaemissora,noprazoreferidonoparágrafoanterior,nãotransmitiraresposta,aindaquea

responsabilidadedaofensasejadeterceiro,nostêrmosdoparágrafo2ºdêsteartigo,decairádodireitoao

pagamentonêleassegurado.

Art.91.Odireitoderespostapoderáserexercidopelopróprioofendido,seubastanteprocuradorou

Parágrafoúnico.Quandoaofensafôràmemóriadealguémodireitoderespostapoderáserexercido porseucônjuge,ascendente,descendenteouparentecolateral.

Art.92.Seopedidoderespostanãofôratendidodentrode24(vinteequatro)horas,oofendido,seu

bastante procurador ou representante legal, ou no caso do parágrafo único, do artigo 91, qualquer das pessoas neste qualificadas,poderáreclamarjudicialmenteodireitodepessoalmentefazê­lodentrode24

(vinteequatro)horas,contadasdaintimaçãopormandadojudicial.(RevogadopeloDecreto­leinº236,

Art.93.Recebidoopedidoderesposta,ojuiz,dentrode24(vinteequatro)horas,mandarácitara

concessionária ou permissionária para que, em igual prazo, diga das razões por que não a

Parágrafo único. Nas 24 (vinte e quatro) horas seguintes, o juiz proferirá sua decisão, tenha o responsávelatendido,ounão,àintimaçãoparaquesedefendesse,deladevendotambémconstar:

a)fixaçãodotempoparaaresposta;

b)fixaçãodopreçodatransmissãoquandooofensorcondenadoouoofendidoqueperdeuaação,

devapagá­lo;

c)gratuidadedaresposta,quando:

I­houverocorridoadecadênciareferidanoparágrafo4ºdoartigo90destalei;

II­aautoriadaofensasejadepessoavinculadaporqualquerresponsabilidadeouporcontratode

trabalhoàconcessionáriaoupermissionária;

III­aautoriasejadepessoasemqualquervínculoderesponsabilidadeoudecontratodetrabalhocom

aconcessionáriaoupermissionária,massendoumaououtrajulgadaculpadaporaçãoouomissão.

Art.94.Dadecisãoproferidapelojuiz,caberáapelaçãonoefeitodevolutivo,comaçãoexecutivapara

reaveropreçopagopelatransmissãodaresposta.(RevogadopeloDecreto­leinº236,de28.2.1967)

Art.95.Seránegadaatransmissãodaresposta:

a)quandonãotiverrelaçãocomosfatosreferidosnatransmissãoincriminada; b) quando contiver expressões caluniosas, injuriosas ou difamatórias contraaconcessionáriaou permissionária; c)quandosetratardeatosoupublicaçõesoficiais; d)quandosereferiraterceiros,podendodar­lhestambémodireitoderesposta;

e)quandohouverdecorridooprazodemaisde30(trinta)diasentreatransmissão,incriminadaeo

respectivopedidoderesposta.

Art.96.Atransmissãodaresposta,salvoquandoespontânea,nãoimpediráoofendidodepromovera

puniçãopelasofensasdequefoivítima.(RevogadopeloDecreto­leinº236,de28.2.1967)

Art.97.OsdiscursosproferidosnoCongressoNacional,assimcomoosvotosepareceresdosseus

membros, são invioláveis para o efeito de transmissão pelas telecomunicações.(Revogado pelo

Parágrafoúnico.Navigênciadoestadodesítio,sóserãodivulgadososdiscursos,votosepareceres expressamenteautorizadospelaMesadaCasaaquepertenceroCongressista.

Art.98.Aautoridadequeimpedirouembaraçaraliberdadedaradiodifusãooudatelevisão,forados

casos autorizados em lei, incidirá,noquecouber,nasançãodoartigo322doCódigoPenal.(Revogado

Art.99.Aconcessionáriaoupermissionária,ofendidaemqualquerdireito,poderápleitearjuntoao

Judiciário sua reparação,inclusiveparasalvaguardaraviabilidadeeconômicadoempreendimento,afetada por exigências administrativas que a comprometam, desde que não decorrentes de lei ou

CAPÍTULOVIII DasTaxaseTarifas

Art.100.Aexecuçãodequalquerserviçodetelecomunicações,pormeiodeconcessão,

autorizaçãooupermissão,estásujeitaaopagamentodetaxascujovalorseráfixadoemlei.

Art.101.Oscritériosparadeterminaçãodatarifadosserviçosdetelecomunicações,

excluídas as referentes à Radiodifusão, serão fixados pelo Conselho Nacional de Telecomunicaçõesdemodoapermitirem:

a)coberturadasdespesasdecusteio; b)justaremuneraçãodocapital;

c)melhoramentoseexpansãodosserviços(Constituição,art.151,parágrafoúnico).

§ 1º As tarifas dos serviços internacionaisobedecerãoaosmesmosprincípiosdêste artigo,observando­seoqueestiverouvieraserestabelecidoemacordoseconvençõesaque oBrasilestejaobrigado.

§2ºNenhumatarifaentraráemvigorsempréviaaprovaçãopeloConselhoNacionalde

Telecomunicações.

Art.102.Apartedatarifaquesedestinaramelhoramentoseexpansãodosserviçosde

telecomunicações, de que trata o art. 101, letra c, será escriturada em rubrica especialna contabilidadedaemprêsa.

Art.103.Nãopoderãoserincluídosnacomposiçãodocustodoserviço,paraefeitoda

revisãooufixaçãotarifária:

a)despesasdepublicidadedasconcessionáriasepermissionárias; b)assistênciatécnicadevidaaemprêsasquepertençamaholding,dequefaçaparte tambémaconcessionáriaoupermissionária; c) honorários advocatícios, ou despesas com pareceres, quando aemprêsapossua órgãostécnicospermanentesparaoserviçoforense; d)despesacomperitosdaparte,semprequenoquadrodaemprêsafigurempessoas habilitadasparaaperíciaemquestão; e) vencimentos de diretores ou chefes de serviços, no que vierem a exceder a remuneraçãoatribuída,noserviçofederal,aoMinistrodeEstado;

f)despesasnãocobradascomserviçosdequalquernaturezaquealeinãohajatornado gratuitos, ou que não tenham sido dispensados de pagamento em resolução do Conselho NacionaldeTelecomunicações,publicadanoDiárioOficial. Parágrafo único. Apublicaçãodeeditaisoudenotíciasdeevidenteinterêssepúblico, nãoseincluiránaredaçãodaletraadesdequeprèviamenteautorizadapeloConselhoNacional deTelecomunicaçõesedistribuídauniformementeportodososjornaisdiários. Art. 104. Será adotada tarifa especial para os programas educativos dos Estados, MunicípioseDistritoFederal,assimcomoparaasinstituiçõesprivadasdeensinoedecultura. (VideDecretonº1.005,de1993) (VideDecretonº1.352,de1994) (VideDecretonº1.589,de

Art.105.Naocorrênciadenovasmodalidadesdoserviço,poderáoGovêrnoatéquealei

disponha a respeito, adotar taxas e tarifas provisórias, calculadas na base das que são cobradasemserviçoanálogooufixadasparaaespécieemregulamentointernacional.

Art.106.Atarifadoserviçotelegráficopúblicointeriorseráconstituídadeumataxafixapor

grupodepalavrasoufração,edetaxadepercursoporpalavra.Atarifadosserviçostelefônicos, de foto­telegramas, de telex e outros congêneres, teráporbaseaocupaçãodocircuitoea distânciaentreasestações. Art. 107. No serviço telegráficopúblicointernacionalaUniãoterádireitoàstaxasde terminaledetrânsitobrasileiras.

Art.108.EmrelaçãoàqueforcobradapelaUniãoemserviçointerioridêntico,atarifados

concessionáriosepermissionários,deveráser:

a)igual,noserviçotelegráficodasestradasdeferro; b)nuncainferiornoscasosdeserviçopúblicorestritointerior; c)sempremaiselevada,nosdemaiscasos.

Art.109.NoserviçopúblicotelegráficointerioremtráfegomútuoentrerêdesdaUniãoede

estradas de ferro, a prórateação das taxas obedecerá ao que fôr estipulado pelo Conselho NacionaldeTelecomunicações. Parágrafo único. Os convênios serão aprovados pelo Conselho Nacional de Telecomunicaçõeseorateiodastaxasobedeceráàsnormasporêleestabelecidas.

Art.110.Nosserviçosdetelegramaseradiocomunicaçõesdemúltiplosdestinosserá

cobradaatarifaquevigorarparaaimprensa. Art. 111. A tarifa dos radiotelegramas internacionais será estabelecida segundo os respectivosregulamentos,considerando­se,porém,serviçopúblicointeriorparaêsseefeitoos radiotelegramas diretamente permutados entre as estaçõesbrasileirasfixasoumóveiseas estaçõesbrasileirasmóveisqueseacharemforadajurisdiçãoterritorialdoBrasil.

Art.112.Asdisposiçõessôbretarifassòmentetêmaplicaçãonoscasosdeserviços

remunerados. Parágrafoúnico.Oorçamentoconsignaráanualmentedotaçãosuficienteparacobertura das despesas correspondentes às taxas postais­telegráficas resultantes dos serviços dos órgãosdosPoderesExecutivo,LegislativoeJudiciário.

Art.113.Osconcessionáriosepermissionáriosnãopoderãocobrartarifasdiferentesdas

queparaosmesmosdestinosnoexteriorepelamesmavia,estejamemvigornasestaçõesdo

DepartamentodeCorreioseTelégrafos.

DISPOSIÇÕESGERAISETRANSITÓRIAS

Art.114.Ficamrevogadososdispositivosemvigorreferentesaoregistrodeaparelhos

receptoresderadiodifusão.

Art.115.Sãoanistiadasasdívidaspelonãopagamentodetaxaderegistrodeaparelhos

receptoresderadiodifusão,devendooPoderExecutivoprovidenciaroimediatocancelamento dessasdívidas,inclusiveasjáinscritaseajuizadas. Art. 116. Regulamentada esta lei, constituído e instalado o Conselho Nacional de Telecomunicações,ficaráextintaaComissãoTécnicadeRádio,transferindo­seoseupessoal, arquivo,expedienteeinstalaçõesparaoConselhoNacionaldeTelecomunicações. Art. 117. As concessões e autorizações para os serviços de radiodifusão em

funcionamentoficamautomaticamentemantidaspelosprazosfixadosnoart.33,§3º,destalei.

Art. 118. O Conselho Nacional de Telecomunicações procederá, imediatamente,ao levantamento das concessões, autorizações e permissões, propondo ao Presidente da República a extinção daquelas cujos serviços não estiverem funcionando por culpa dos concessionários.

Art.119.AtéquesejaaprovadooseuQuadrodePessoalosserviçosacargodoConselho

Nacional de Telecomunicações serão executados por servidores públicos civis e militares, requisitadosnaformadalegislaçãoemvigor.

Art.120.Apósasuainstalação,oConselhoNacionaldeTelecomunicaçõesproporá,

dentrode90(noventa)dias,aorganizaçãodosquadrosdeseusserviçoseórgãos.

Art.121.OConselhoNacionaldeTelecomunicaçõesprocederáàrevisãodoscontratos

dasemprêsasdetelecomunicaçõesquefuncionamnopaís,observando:

a) a padronização de todos os contratos,observadasascircunstânciaspeculiaresa

cadatipodeserviço;

b) a fixação de prazo para as concessionárias autorizadas a funcionar no país se

adaptaremaospreceitosdapresenteleieàsdisposiçõesdoseurespectivoregulamento.

Art.122.ÉoDepartamentodosCorreioseTelégrafosdispensadodenoúltimodiadoano,

recolheracontade"restosapagar",asimportânciasempenhadasnaaquisiçãodematerialou

na contratação ou ajuste de serviços de terceiros, não entregues ou não concluídos antes daqueladata.

§1ºAsimportânciasserãodepositadasnoBancodoBrasil,emcontavinculadacomo

fornecedor,sópodendoserliberadasquandocertificadoorecebimento.

§ 2º A conta vinculada mencionará específicamente a data limite de entrega ou de

conclusãodosserviços.

§ 3º 30 (trinta) dias após a data limite e não tendo o Departamento dos Correiose

Telégrafosliberadoaconta,oBancodoBrasilrecolheráodepósitoàcontade"restosapagar"

daUnião.

Art. 123. As disposições legais e regulamentares que disciplinam os serviços de telecomunicações não colidentes com esta lei e não revogadas ou derrogadas,explícitaou implícitamente,pelamesma,deverãoserconsolidadaspeloPoderExecutivo.

Art.124.Otempodestinadonaprogramaçãodasestaçõesderadiodifusão,àpublicidade

comercial,nãopoderáexcederde25%(vinteecincoporcento)dototal.

Art.125.ODepartamentodosCorreioseTelégrafoscontinuaráaexercerasatribuiçõesde

fiscalização e a efetuar a arrecadação dasatuaistaxas,prêmiosecontribuições,atéqueo Conselho Nacional de Telecomunicações esteja devidamente aparelhado para o exercício destasatribuições. Art.126.Enquantonãohouverserviços telefônicosentreBrasíliaeasdemaisregiõesdo país, em condições de atender aos membros do Congresso Nacional em assuntos relacionadoscomoexercíciodeseusmandatos,oConselhoNacionaldeTelecomunicações deverá reservar freqüências para serem utilizadasporestaçõestransmissorasereceptoras particulares, com aquêle objetivo, observados os preceitos legais e regulamentares que disciplinamamatéria.

Art.127.ÉoPoderExecutivoautorizadoaabrir,noMinistériodaFazenda,ocrédito

especial de Cr$30.000.000,00(trintamilhõesdecruzeiros)destinadoaatender,nocorrente exercício,àsdespesasdequalquernaturezacomainstalaçãoefuncionamentodoConselho NacionaldeTelecomunicações.

DISPOSIÇÕESFINAIS

Art.128.Estaleientraráemvigornadatadesuapublicaçãoedeveráserregulamentada,

poratodoPoderExecutivo,dentrode90(noventa)dias.

Art.129.Revogam­seasdisposiçõesemcontrário.

Brasília,27deagôstode1962;141ºdaIndependênciae74ºdaRepública.

JOÃOGOULART

FranciscoBrochadodaRocha CandidodeOliveiraNeto PedroPaulodeAraújoSuzano MiguelCalmon HéliodeAlmeida ReynaldodeCarvalhoFilho CarlosSiqueiraCastro

EstetextonãosubstituiopublicadonoDOUde5.10.1962eretificadoem31.12.1962

CONSELHONACIONALDETELECOMUNICAÇÕES

TABELAI

CargosdeProvimentoemComissão

(VETADO)

CONSELHONACIONALDETELECOMUNICAÇÕES

TABELAI

CargosdeProvimentoemComissão

Númerode

DENOMINAÇÃO

Símbolo

Qualificação

Cargos

1

PresidentedoConselhoNacionaldeTelecomunicações

1­c

*

13

MembrosdoConselhoNacionaldeTelecomunicações

1­c

 

1

Diretor­GeraldoDepartamentoNacionalde

1­c

*

Telecomunicações

1

DiretordaDivisãodeEngenhariadoDepartamentoNacional

3­c

Engenheiro

deTelecomunicações

1

DiretordaDivisãoJurídicadoDepartamentoNacionalde

3­c

Bacharel

Telecomunicações

1

DiretordaDivisãodeAdministraçãodoDepartamento

3­c

**

NacionaldeTelecomunicações

1

DiretordaDivisãodeEstatísticadoDepartamentoNacional

3­c

Estatístico

deTelecomunicações

1

DiretordaDivisãodeFiscalizaçãodoDepartamento

3­c

Engenheiro

NacionaldeTelecomunicações

1

DelegadoRegional,emBelém,oDepartamentoNacionalde

5­c

Engenheiro

Telecomunicações

1

DelegadoRegional,emRecife,DepartamentoNacionalde

5­c

Engenheiro

Telecomunicações

1

DelegadoRegional,emBrasília,doDepartamentoNacional

5­c

Engenheiro

deTelecomunicações.

1

DelegadoRegional,emSalvador,doDepartamento

5­c

Engenheiro

NacionaldeTelecomunicações

1

DelegadoRegional,naGuanabara,doDepartamento

5­c

Engenheiro

NacionaldeTelecomunicações

1

DelegadoRegional,emSãoPaulo,doDepartamento

5­c

Engenheiro

NacionaldeTelecomunicaçõe

1

DelegadoRegional,emPôrtoAlegre,doDepartamento

5­c

Engenheiro

NacionaldeTelecomunicações

1

DelegadoRegional,emCampoGrande,MT,do

5­c

Engenheiro

DepartamentoNacionaldeTelecomunicações

*­Cursosuperior,experiênciaetirocínioemadministraçãopública.

**­Experiênciaetirocínioemadministraçãopública.

PresidênciadaRepública CasaCivil SubchefiaparaAssuntosJurídicos LEINº4.117,DE27DE AGOSTODE1962. Partes vetadas pelo

PresidênciadaRepública

CasaCivil

SubchefiaparaAssuntosJurídicos

Partes vetadas pelo Presidente da República e mantidas pelo CONGRESSO NACIONAL, do

ProjetoquesetransformounaLeinº4.117,de27

deagôstode1962(queinstituioCódigoBrasileiro

deTelecomunicações).

FaçosaberqueoCONGRESSONACIONALmanteveeeupromulgo,nostêrmosdoart.70,§3º,

daConstituiçãoFederaledoart.3º,itemIII,daAtoAdicional,osseguintesdispositivosdaLeinº4.117,de

27deagôstode1962:

" Art 3º Os atosInternacionaisdenaturezaadministrativaentrarãoemvigornadataestabelecida

emsuapublicaçãodepoisdeaprovadospeloPresidentedaRepública(art.29,aI)"

"Art4º

§2ºOscontratosdeconcessão,asautorizaçõesepermissõesserãointerpretadoseexecutados

de acôrdo com as definições vigentes na época em que os mesmos tenham sido celebrados ou expedidos".

"Art. 9º O Conselho Nacional de Telecomunicações ao planejar o Sistema Nacional de Telecomunicações,discriminaráostroncoseoscentroprincipaisdetelecomunicações.

§1ºNadiscriminaçãoaqueserefere,êsteartigoserãoincluídas,namedidadaspossibilidadese

conveniências entre os centros principais de telecomunicação, a Capital da República e as capitais de todososEstadoseTerritórios.

§2ºOConselhoNacionaldeTelecomunicaçõesestabeleceráasprioridades,segundoasquaisse

procederáàinstalaçãodostroncoserêdesdoSistemaNacionaldeTelecomunicações".

"Art.10

a) dostroncos

"Art.14

"

ecompetênciadiretamentesubordinadoaoPresidentedaRepública".

"Art.15

a)

pessoaescolhidaentreosmembrosdeseuGabineteou

e) e de 3 (três) representantes dos 3 (três) maiores partidos políticos, segundo a respectiva representaçãonaCâmaradosDeputadosnoiníciodalegislatura,indicadospeladireçãonacionaldecada agremiação.

dos

f)

troncos

pessoa escolhida entre os membros de seu Gabinete

ou

g)doDiretorGeraldoDepartamentoNacionaldeTelecomunicações,semdireitoavoto.

§1ºSeostrêspartidosaqueserefereaalínea"e"estiveramtodosapoiandooGovêrno,opartido

de menor representação será substituído pelo maior partido deoposição,comrepresentaçãonaCâmara dosDeputados.

§2ºOsrepresentantesdospartidospolíticosdequetrataêsteartigoserãoindicadosaté30(trinta)

diasapósoiníciodecadalegislatura".

"Art.16

ee Parágrafoúnico.Serádedoisanosapenasoprimeiromandatodosmembrosindicadosnasalíneas

"b"eobservadoodispostono§2ºdoartigoanterior".

"Art.23

como

diretor, técnico, consultor, advogado, perito, acionista, cotista, debenturista, sócio ou

assalariado, nem tão pouco ter qualquer interêsse direito ou indireto na manufaturaouvendadematéria aplicávelatelecomunicação".

"Art.24

unânimes

nodasquenãooforem,caberá

"

"Art. 25. O Departamento NacionaldeTelecomunicaçõeséasecretariaexecutivadoConselhoe teráa,seguinteorganizaçãoadministrativa:

I­DivisãodeEngenharia

II­DivisãoJurídica

III­DivisãoAdministrativa

IV­DivisãodeEstatística

V­DivisãodeFiscalização

VI­DelegaciasRegionais".

"Art. 26. O território nacional fica dividido em oito Distritos, a cada umdosquaiscorresponderá umaDelegaciaRegional,comsede,respectivamenteem Brasília(DF) Belém(PA) Recife(PE) Salvador(BA) RiodeJaneiro (GB) SãoPaulo(SP) PôrtoAlegre (RS) CampoGrande(MT) Parágrafoúnico.CadaDistritoteráajurisdiçãodelimitadapeloConselho".

"Art. 27. São criados, no Conselho,oscargosdeprovimentoemcomissãoconstantesdatabela

anexa".

"Art.28

osdiretoresdedivisãoeosdelegadosregionais

"Art.29

c)

e)promover

odiretorgeral

paraadevidaapropriaçãopeloCongressoNacional:

bem como a constituição, organização, articulação e expansão dos serviços públicosdetelecomunicações;

f)estabelecerasprioridadesprevistasnoart.9º,§2º,destalei.

al)

República(artigo3º)"

"Art.33

de natureza administrativa, antes de sua aprovação pelo Presidente da

3º Os prazos de concessão eautorizaçãoserãode10(dez)anosparaoserviçoderadiodifusão

sonoraede15(quinze)anosparaodetelevisão,podendoserrenovadosporperíodossucessivoseiguais,

se os concessionários houverem cumprido tôdas as obrigações legais e contratuais, mantido a mesma

idoneidadetécnica,financeiraemoral,eatendidoointerêssepúblico(art.29X).

§4ºHavendoaconcessionáriarequerido,emtempohábil,aprorrogaçãodarespectivaconcessão

ter­se­áamesmacomodeferidaseoórgãocompetentenãodecidirdentrode120(centoevinte)dias"

"Art.37Osserviçosdetelecomunicaçõespodemserdesapropriados,ourequisitadosnostermos

doartigo141

16daConstituição,edasleisvigentes.

Parágrafo único. No cálculo da indenização serão deduzidos os favores cambiais e fiscais concedidospelaUniãoepelosEstados".

"Art.38­c)

O silêncio do Poder concedente ao fim de 90 (noventa) dias contados da data da entrega do

requerimentodetransferênciadeaçõesoucotasimplicaránaautorização".

"Art.42

c)desapropriaçãodeserviçosexistentes,naformadalegislaçãovigente.

4º A entidade poderá requisitar do Departamento dos Correios e Telégrafos o pessoal de que

necessiteparaoseufuncionamento,correndoopagamentorespectivoàcontadeseusrecursospróprios".

Art 49. A qualquer particular pode ser dada, pelo Conselho Nacional de Telecomunicações permissão para executar serviço limitado, para uso privado entre duas Iocalidades ou em uma mesma cidade,detelex,fac­símileouprocessosemelhante. Parágrafoúnico.SóserápermitidootelexinternacionaldesdequeosserviçosparaoBrasilsejam executados através da Rêde Nacional de Telecomunicações e assegurado o recolhimento, pelo permissionário,dastaxasterminaisbrasileirasedasdeexecuçãodotrabalhopelaUnião".

"Art.51

epostosàdisposiçãodaentidadeaqueserefereoart.42

a)

prestado pelo Departamento dos Correios e Telégrafos, por emprêsas concessionárias ou permissionárias

"Art.53

Parágrafo único. Se a divulgaçãodasnotíciasfalsashouverresultadodeêrrodeinformaçãoefôr objetodedesmentidoimediato,anenhumapenalidadeficarásujeitaaconcessionáriaoupermissionária".

"Art. 54. São livres as críticas e os conceitos desfavoráveis, aindaqueveementes,bemcomoa narrativadefatosverdadeiros,guardadasasrestriçõesestabelecidasemlei,inclusivedeatosdequalquer dospodêresdoEstado".

"Art.55.Éinviolávelatelecomunicaçãonostêrmosdestalei".

"Art.61

ParágrafoúnicoSeaconcessãooupermissãoabrangermaisdeumaemissôra,apenalidadeque

recairsôbreumadelasnãoatingiráasdemaisinocentes".

"Art.64

dentrodeumano

"

"Art.71.Aconcessionáriaoupermissionáriaquenãoseconformarcomanotificação,suspensão

provisóriaoupenadesuspensãoaplicadapeloMinistrodaJustiça,poderádentrodecincodias,promovero

pronunciamento do Tribunal Federal de Recursos, através de mandado de segurança, observadas as seguintesnormas:

a) oPresidente,dentrodeprazoimprorrogávelde24(vinteequatro)horas,suspenderáounãoin

limine,oatodoMinistrodaJustiça;

b)oprazoparaasinformaçõesdoMinistrodaJustiçade48(quarentaeoito)horasímprorrogáveis;

c)apósorecebimentodasinformações,orelatorenviaráoprocessoimediatamenteàMesa,para

quesejajulgadonaprimeiraReuniãodeTurma;

d)oProcuradoremitirápareceroralnasessãodejulgamento,apósorelatório;

e)ojulgamentoédacompetênciadeturmasisoladas;

f)adefesaeasinformaçõespoderãoserenviadasporviatelegráficaouradiotelegráfica;

g)oRegimentoInternodoTribunalFederaldeRecursosestabeleceránormascomplementarespara aaplicaçãodestalei,inclusiveparaoperíododeférias,forenses.

§1ºAautoridadequenãoseconformarcomadecisãodenegatóriadarepresentaçãoqueofereceu

ao Ministro da Justiça poderá, dentro de 15 (quinze) dias da mesma, promover o pronunciamento do Judiciário,atravésdemandadodesegurança,interpôstoaoTribunalFederaldeRecursos. § 2º A decisão final do Ministro da Justiça, aplicando a pena de suspensão só seráexecutada depoisdadecisãoliminarreferidanaletra"a"dêsteartigo,quandoconfirmatóriadasuspensão

§3ºAJustiçaEleitoralpoderátambémnotificarparaquecesseeimediatamentesejadesmentida,

determinando sua suspensão até 24 (vinte e quatro) horas, no caso de desobediência,transmissãoque constituainfraçãoàlegislaçãoeleitoral".

"Art.73

comefeitosuspensivosalvo,ocasodaalínea"c".

"Art.74

2ºAconcessionáriaoupermissionáriaquenãoseconformarcomacassação,poderápromovero

pronunciamento do Tribunal Federal de Recursos, através do mandado de segurança, cabendo ao seu

Presidentedecidirsôbreasuspensãoliminardoato,noprazoimprorrogávelde24(vinteequatro)horas.

3ºAplica­se,quantoàexecuçãodacassação,odispostono§2º,doart.71,destalei".

"Art.75

searespectivaconcessionáriaoupermissionáriadecairdodireitoàrenovação. Parágrafo único. O direito à renovação decorre do cumprimento, pela concessionária ou permissionária,dasexigênciaslegaiseregulamentares,bemcomodasfinalidadeseducacionaisculturaise moraisaqueesteveobrigada".

"Art.76

Parágrafoúnico.Adeclaraçãodecaducidadesósedarásefôrimpossívelevitá­laporconvêniocom qualquer país ou por inexistência comprovada de freqüência no Brasil, que possa ser atribuída a concessionáriaoupermissionária,afimdequenãocesseseufuncionamento".

"Art. 77.Adeclaraçãodaperempçãooudacaducidade,quandoviciadaporilegalidade,abusodo poderoupeladesconformidadecomosfinsoumotivosalegados,titularáoprejudicadoapostularreparação

doseudireitoperanteoJudiciário(art.141,§4º,daConstituiçãoFederal)".

Art 83. A crítica e o conceito desfavorável, ainda que veementes, ou a narrativa de fatos verdadeiros,nãodarãomotivoaqualquerreparação".

"Art. 98. A autoridade que impedirouembaraçaraliberdadedaradiodifusãooudatelevisão,fora

doscasosautorizadosemlei,incidirá,noquecouber,nasançãodoartigo322doCódigoPenal".

"Art.99.Aconcessionáriaoupermissionária,ofendidaemqualquerdireito,poderápleitearjuntoao

Judiciário sua reparação,inclusiveparasalvaguardaraviabilidadeeconômicadoempreendimento,afetada porexigênciasadministrativasqueacomprometam,desdequenãodecorrentesdeleiouregulamento".

"Art.100

cujovalorseráfixadoemlei".

"Art.105

etarifas

".

"Art.106.Atarifadoserviçotelegráficopúblicointeriorseráconstituídadeumataxafixaporgrupo

de palavras ou fração, e de taxa de percurso por palavra. A tarifa dos serviços telefônicos, de foto­telegramas,detelexeoutroscongêneres,teráporbaseaocupaçãodocircuitoeadistânciaentreas estações".

"Art.113

nasestaçõesdoDepartamentodeCorreioseTelégrafos".

"Art.117.Asconcessõeseautorizaçõesparaosserviçosderadiodifusãoemfuncionamentoficam

automaticamentemantidaspelosprazosfixadosnoart.33,§3º,destalei".

"Art. 125. O Departamento dos Correios e Telégrafos continuará a exercer as atribuições de fiscalização e a efetuar a arrecadação das atuais taxas, prêmios e contribuições, até que o Conselho NacionaldeTelecomunicaçõesestejadevidamenteaparelhadoparaoexercíciodestasatribuições".

"Art.126.EnquantonãohouverserviçostelefônicosentreBrasíliaeasdemaisregiõesdopaís,em

condiçõesdeatenderaosmembrosdoCongressoNacionalemassuntosrelacionadoscomoexercíciode seus mandatos, o Conselho Nacional de Telecomunicações deverá reservar freqüências para serem utilizadas por estações transmissoras e receptoras particulares, com aquêle objetivo, observados os preceitoslegaiseregulamentaresquedisciplinamamatéria".

Brasília,em14dedezembrode1962;141ºdaIndependênciae74ºdaRepública.

JOÃOGOULART

EstetextonãosubstituiopublicadonoDOUde17.12.1962

CONSELHONACIONALDETELECOMUNICAÇõES

TABELAI

CargosdeProvimentoeMComissão

Númerode

DENOMINAÇÃO

Símbolo

Qualificação

Cargos

1

PresidentedoConselhoNacionaldeTelecomunicações

1­c

*

13

MembrosdoConselhoNacionaldeTelecomunicações

1­c

 

1

Diretor­GeraldoDepartamentoNacionalde

1­c

*

Telecomunicações

1

DiretordaDivisãodeEngenhariadoDepartamentoNacional

3­c

Engenheiro

deTelecomunicações

1

DiretordaDivisãoJurídicadoDepartamentoNacionalde

3­c

Bacharel

Telecomunicações

1

DiretordaDivisãodeAdministraçãodoDepartamento

3­c

**

NacionaldeTelecomunicações

1

DiretordaDivisãodeEstatísticadoDepartamentoNacional

3­c

Estatístico

deTelecomunicações

1

DiretordaDivisãodeFiscalizaçãodoDepartamento

3­c

Engenheiro

NacionaldeTelecomunicações

1

DelegadoRegional,emBelém,oDepartamentoNacionalde

5­c

Engenheiro

Telecomunicações

1

DelegadoRegional,emRecife,DepartamentoNacionalde

5­c

Engenheiro

Telecomunicações

1

DelegadoRegional,emBrasília,doDepartamentoNacional

5­c

Engenheiro

deTelecomunicações.

1

DelegadoRegional,emSalvador,doDepartamento

5­c

Engenheiro

NacionaldeTelecomunicações

1

DelegadoRegional,naGuanabara,doDepartamento

5­c

Engenheiro

NacionaldeTelecomunicações

1

DelegadoRegional,emSãoPaulo,doDepartamento

5­c

Engenheiro

NacionaldeTelecomunicaçõe

1

DelegadoRegional,emPôrtoAlegre,doDepartamento

5­c

Engenheiro

NacionaldeTelecomunicações

1

DelegadoRegional,emCampoGrande,MT,do

5­c

Engenheiro

DepartamentoNacionaldeTelecomunicações

*­Cursosuperior,experiênciaetirocínioemadministraçãopública.

**­Experiênciaetirocínioemadministraçãopública.

*