Está en la página 1de 5

CARLOS ALBERTO BELISSIMO CARLOS ALBERTO BELISSIMO

ADVOGADO
OAB/BA 983-A OAB/RS 30.437
RUA AMANCÌO PEREÌRA,184
PAULO AFONSO – BA (075) 3282-0173/9968.2829
ILMO(A). SR(A). CHEFE DA AGENCIA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL –
SANTO ANTONIO DE JESUS – BA.
COINPE CONSTRUTORA LTDA, pessoa jurídica
de direito privado, inscrita no CNPJ sob o nº 02.023.187/0001-74, com
sede na Rua da Providência, n. 25, Paulo Afonso, Bahia, neste ato
representado por seu sócio MARCOS PÌRES GOMES, casado, engenheiro
civil, portador da identidade nº 1.340.956 SSP/BA, residente e domiciliado
na Rua Otaviano Leandro de Morais, 42, Paulo Afonso, Bahia, vem
perante V. Sª, interpor RECURSO ADMINISTRATIVO em conformidade
com a Lei nº 8.213/91, e DL nº 6.042/07, em face da concessão do
benefício Auxílio doença Acidentário ao Sr. JORGE SOUZA BARBOSA,
pelos motivos de fato e de direito que passa a expor e requerer:
1 - O Sr. JORGE SOUZA BARBOSA é Beneficiário
da Previdência Social sob o nº de 540.660.661-8, NÌT: 1238514416-8,
tendo requerido o seu benefício na Agencia nº 04.0.25.060, de Santo
Antonio de Jesus – BA, com Data de Ìnício de Benefício DÌB em
29.04.210, conforme documentos anexos (02 e 03).
2 – Segundo o que a empresa tomou conhecimento,
o mesmo alega ter adquirido hérnia de disco no período em que trabalhou
para empresa. O mesmo ingressou na empresa em 16.11.09 como vigia e
mudou de função em 11.01.10 para auxiliar de almoxarife (doc. 04 e 05).
3 – Na função desempenhada, auxiliar de
almoxarife, o mesmo cuidava do setor de almoxarifado anotando todo
material que sai,da baixa no que entra,e faz pedido do que falta, não
trabalhava e nem pegava peso.
4 - O QUE É HÉRNÌA DE DÌSCO? A palavra hérnia
significa deslocamento de algo para fora do seu lugar. Na hérnia de disco
CARLOS ALBERTO BELISSIMO CARLOS ALBERTO BELISSIMO
ADVOGADO
OAB/BA 983-A OAB/RS 30.437
RUA AMANCÌO PEREÌRA,184
PAULO AFONSO – BA (075) 3282-0173/9968.2829
o que ocorre é um deslocamento do núcleo (interior), através de uma
ruptura do anel (cápsula externa). O material anormal do disco pode
acarretar uma pressão das raízes dos feixes dos nervos da coluna,
ocasionando dor, adormecimento ou debilidade em áreas baixas das
costas, nádegas, pernas ou braços.
5 - A Hérnia de disco possui várias causas, dentre
elas a postural, pessoas que ficam muito sentadas de forma errada,
desleixada. Exercícios de forma errada, como o iniciante em musculação,
que no desejo de criar músculos rapidamente exagera na carga, fazendo
os exercícios sem orientação profissional. Outro desencadeador de hérnia
de disco é o fator emocional. O estresse pode causar contraturas em
regiões da coluna, que, se persistirem durante muito tempo, podem
comprimir perigosamente os discos.

6 – A hérnia de disco é uma doença degenerativa,
podendo ser desencadeada pela combinação de vários fatores
relacionados ou não ao trabalho. A hérnia de disco é uma doença do tipo
degenerativa (depende de uma sinalização genética ou tendência do
indivíduo para acontecer), podendo resultar da combinação com fatores
traumáticos, em que por enfraquecimento dos ligamentos intervertebrais e
perda de flexibilidade do disco intervertebral. A hérnia de disco pode ser
adquirida ou desencadeada em função de condições especiais em que o
trabalho é realizado, não sendo causa única.
7- A doença pode ser desencadeada por várias
causas como problemas relacionados a posturas inadequadas, à maneira
de se sentar, de se deitar, de carregar peso, quedas, acidentes, obesidade
e também a problemas congênitos (escolioses), artrose (o processo de
envelhecimento ósseo).

8- Portanto, NÃO HÁ NEXO CASUAL ENTRE A
LESÃO E A ATÌVÌDADE DESENVOLVÌDA NA EMPRESA PELO SR.
JORGE SOUZA BARBOSA. O mesmo alega que em janeiro de 2010
começou apresentar sintomas, mas não há registro algum de acidente ou
trauma registrado na empresa ou junto à CÌPA.
9 - Embora o funcionário portador de hérnia discal e
ainda que seu trabalho fosse passível de produzir algum desconforto em
razão das condições ergonômicas, tais circunstâncias não o tornam
CARLOS ALBERTO BELISSIMO CARLOS ALBERTO BELISSIMO
ADVOGADO
OAB/BA 983-A OAB/RS 30.437
RUA AMANCÌO PEREÌRA,184
PAULO AFONSO – BA (075) 3282-0173/9968.2829
incapacitado para o trabalho e nem levam ao estabelecimento de
presunção quanto ao nexo causal.
10 – O Laudo emitido pela CLÌDAY MEDÌCÌNA DO
TRABALHO, subscrito pela Dra. Ana Cristina M.F. Wanderley (médica do
Tabalho) é conclusivo em afirmar que não há nexo entre a doença e as
atividades desenvolvidas pelo funcionário.
11- Os Tribunais pátrios são unânimes em afirmar
que somente com a prova do nexo de casualidade entre a doença e
atividade desenvolvida é que se pode configurar o acidente de trabalho,
conforme arestos que se transcrevem:
Número do processo: 1.0024.04.310456-1/001(1) Númeração Única:
3104561-76.2004.8.13.0024
Relator: EDÌVALDO GEORGE DOS SANTOS
Relator do Acórdão: EDÌVALDO GEORGE DOS SANTOS
Data do Julgamento: 02/09/2008
Data da Publicação: 10/10/2008
Ìnteiro Teor:
EMENTA: POLÌCÌAL MÌLÌTAR - REFORMA - PROVENTOS
PROPORCÌONAÌS - NÃO COMPROVAÇÃO DE QUE O AUTOR SEJA
PORTADOR DE MOLÉSTÌA PROFÌSSÌONAL OU DECORRENTE DE
ACÌDENTE DE TRABALHO - ÌMPROCEDÊNCÌA DO PEDÌDO. -
Corroborando o laudo pericial judicial conclusão da Junta Médica de
Saúde da PMMG de que o autor não é portador de moléstia profissional
ou decorrente de acidente de trabalho, correto o ato administrativo que
lhe deferiu a reforma com proventos apenas proporcionais.
APELAÇÃO CÍVEL N° 1.0024.04.310456-1/001 - COMARCA DE BELO
HORÌZONTE - APELANTE(S): WALSELÌSNEY JOÃO CORNÌ -
APELADO(A)(S): ESTADO MÌNAS GERAÌS - RELATOR: EXMO. SR.
DES. EDÌVALDO GEORGE DOS SANTOS
ACÓRDÃO
Vistos etc., acorda, em Turma, a 7ª CÂMARA CÍVEL do Tribunal de
Justiça do Estado de Minas Gerais, incorporando neste o relatório de fls.,
CARLOS ALBERTO BELISSIMO CARLOS ALBERTO BELISSIMO
ADVOGADO
OAB/BA 983-A OAB/RS 30.437
RUA AMANCÌO PEREÌRA,184
PAULO AFONSO – BA (075) 3282-0173/9968.2829
na conformidade da ata dos julgamentos e das notas taquigráficas, à
unanimidade de votos, EM NEGAR PROVÌMENTO.
Belo Horizonte, 02 de setembro de 2008.

DES. EDÌVALDO GEORGE DOS SANTOS - Relator
TJSP - Apelação Sem Revisão: SR 7178015700 SP
Resumo: "acidente do Trabalho
Relator(a): Carlos Eduardo Reis de Oliveira
Julgamento: 25/03/2008
Órgão Julgador: 17ª Câmara de Direito Público A
Publicação: 10/04/2008
Ìnteiro teor Ementa
"ACÌDENTE DO TRABALHO
- Doença - Hérnia de disco de origem degenerativa - Ausência de
lombalgia de esforços - A concessão do auxílio-acidente depende da
comprovação do nexo etioiógico entre o infortúnio e a atividade
laborativa do obreiro e da redução ou perda da capacidade laborativa -
Requisitos não demonstrados - Demanda improcedente" - Prova pericial
insubstituível por outra - Aplicação de conhecimento especializado,
científico ou técnico - Renovação ou complementação cabível apenas se
ao Juiz, destinatário da prova, for necessário para formação de
convencimento".
Acórdão nº 73.104
Recurso Ordinário nº 00753-2006-007-21-00-9
Desembargador Relator: José Barbosa Filho
Recorrente: Transportes Guanabara Ltda.
Advogados: Kátia Ruperto e outro
Recorrido: Renivaldo Vítor da Silva
Advogados: José Duarte Santana e outros
CARLOS ALBERTO BELISSIMO CARLOS ALBERTO BELISSIMO
ADVOGADO
OAB/BA 983-A OAB/RS 30.437
RUA AMANCÌO PEREÌRA,184
PAULO AFONSO – BA (075) 3282-0173/9968.2829
Origem: 7ª Vara do Trabalho de Natal
Acidente de trabalho – nexo de causalidade e culpa – inexistência –
indenização indevida.
Os pedidos de indenização por danos moral e material, decorrentes de
acidente de trabalho, são indevidos quando não comprovado nos autos o
nexo de causalidade entre a doença adquirida (hérnia discal) pelo
trabalhador e os fatos relatados que teriam provocado à enfermidade,
nem a culpa da empresa. No caso, afirmou a perita que a hérnia discal é
uma doença do tipo degenerativa e pode decorrer de qualquer atividade
que exija esforço físico, e não apenas das atividades ocupacionais, além
de outros fatores. Em sendo assim, reforma-se a sentença para julgar
improcedente o pedido. Recurso provido.
Diante do exposto, requer que V. Sa, se digne em:
a) considerar os argumentos acima expostos para
reconsiderar/transformar o auxílio doença acidentário, para auxílio doença,
uma vez que não há nexo entre a doença apresentada e a atividade
desenvolvida pelo funcionário.
Protesta provar o alegado por todos os meios de
prova em direito admitidos, especialmente pelo depoimento pessoal do
reclamante, sob pena de confesso, perícias, vistorias, juntadas de novos
documentos, testemunhas e outras que se fizerem necessárias, que desde
já ficam requeridas, a fim de evidenciar a completa destituição de
fundamento da concessão pleiteada, sendo ao final, também julgada
improcedente totalmente. E dessa maneira, estará MD Junta assegurando
a costumeira JUSTÌÇA !
Pede Juntada e Deferimento.
Paulo Afonso (BA), 02 de junho de 2010.
CARLOS ALBERTO BELÌSSÌMO
ADVOGADO
OAB/BA 983-A OAB/RS 30.437

Intereses relacionados