Está en la página 1de 80

•Aula n° 01 - Anatomia I - Prof.

Pedro Savi

ANATOMIA DOS ANIMAIS DOMÉSTICOS I
Prof. Pedro Cesar Savi Filho Médico Veterinário

•Aula n° 01 - Anatomia I - Prof. Pedro Savi

Introdução

ANATOMIA
- GREGO (ANA = em partes + TOMEIN = cortar) - LATIN (DIS = em partes + SECARE = seccionar)

•Aula n° 01 - Anatomia I - Prof. Pedro Savi

Introdução
“Ramo da Ciência ocupado com a forma, a disposição e a estrutura dos tecidos e órgãos que compõem o organismo.” (Dyce, 2004)

“Ramo da Biologia que lida com a forma e a estrutura dos organismos. Está, portanto, em íntima relação com a fisiologia, que estuda as funções do organismo” (Getty, 2008)

•Aula n° 01 - Anatomia I - Prof. Pedro Savi

Introdução
• Tipos de estudos da anatomia:

▪ Histologia: é a ciência que estuda os tecidos, é um tipo de anatomia microscópica. ▪ Radiologia: estudo através do raio x, suas fraturas. ▪ Embriologia: estuda o desenvolvimento do embrião. ▪ Anatomia Descritiva : _ Osteologia: estuda os ossos. _ Sindesmologia (Artrologia): estuda as articulações, ligamento de osso com osso. _ Miologia: descrição dos músculos e estruturas acessórias que funcionam para colocar os ossos e articulações em movimento. _ Esplancnologia: descrição das vísceras (incluíndo os aparelhos digestórios, respiratórios e urogenital, o peritônio e as glândulas endócrinas) _ Angiologia: descrição dos órgãos da circulação (Coração, artérias, veias, linfáticos e baço) _ Neurologia: descrição do Sistema Nervoso _ Estesiologia: Estudo dos órgão do Sentido.

 Anatomia Comparada: comparação entre as Estruturas dos animais.•Aula n° 01 . Kynotomia: Anatomia do cão. Hipotomia: Anatomia do Cavalo.  Anatomia Especial: descrição da estrutura de um simples tipo ou espécie:    Antropotania: Anatomia humana. .Prof. Pedro Savi Introdução  Anatomia Topográfica: observamos a parte mais superficial e vamos aprofundando por toda a parte do organismo.Anatomia I .

.

.Prof.” • EXEMPLO: • Digamos que você precise ser operado por um médico!! Caso pudesse escolher. • Anatomia é uma ciência morta ? “NÃO. Pedro Savi Introdução • Anatomia no decorrer da história. Qual das duas situações abaixo você escolheria? • 1-) Um médico que dissecou vários cadáveres. MUITO MENOS DE APENAS CADÁVERES. • 2-) Um médico que dissecou vários ratos.•Aula n° 01 .Anatomia I .

além de não ser uma ciência morta. Pedro Savi Introdução • Certamente quem dissecou os cadáveres! Então vemos neste exemplo. que Anatomia.Prof. • A utilização dos animais mortos é UM dos artifícios mais tradicionais que a Anatomia lança mão. .•Aula n° 01 . é essencial para o conhecimento médico. seja ele humano ou veterinário.Anatomia I .

. • Integração de disciplinas. Pedro Savi Introdução • Hoje em dia.Prof. a Anatomia se modernizou: • uso de modelos em acrílico.Anatomia I .•Aula n° 01 .

Anatomia I . • Passou a notar detalhes. • Gravar nas paredes das cavernas e fazer esculturas das formas que via. • O homem pré-histórico já observava à sua volta a existência de seres diferentes de seu corpo. Pedro Savi Quando começou o estudo da Anatomia? • Começou nos primórdios da história humana. que hoje . nos permite identificar as espécies animais descritas. os animais.•Aula n° 01 .Prof.

•Aula n° 01 . de forma especial. Pedro Savi Na Antiguidade • Foram os gregos que denotaram um maior avanço no estudo da anatomia. constituindo escola. Galeno. o humano. Herófilo. Depois de Asclépio. Aristóteles. Considerava-se abuso a violação de um cadáver. . como por exemplo: • Hipócrates. Rufus. Erasístrato.Prof. Celso. vieram sucessores. com Asclépio. pois era proibido o uso da dissecação.Anatomia I . • Os Anatomistas estudaram sempre ás escondidas.

cometendo desta maneira. grandes erros. Pedro Savi Na Antiguidade • Os estudos provenientes nessa época e nas seguintes. • Galeno. estudou muito animais e fez alusão ao ser humano. . ou corria-se o risco de ser preso e condenado. descobertos depois por anatomistas de outras épocas.Prof. por exemplo.•Aula n° 01 . dependiam da autorização expressa do rei. Suas descobertas foram ainda utilizadas por 1400 anos.Anatomia I .

acabou por contribuir com a descrição de partes do corpo. . Pedro Savi Na Antiguidade/Idade Média • Foi LEONARDO DA VINCI quem contribuiu muito para a anatomia.•Aula n° 01 .Prof. • Estudando com finalidade de buscar a perfeição em suas formas artísticas.Anatomia I . • Michelangelo também estudou o corpo humano a fundo.

.

adentrando as madrugadas.•Aula n° 01 .Anatomia I . . • Como não havia um curso de medicina ou de anatomia.Prof. Pedro Savi Dissecações • As dissecações eram feitas em porões. os discípulos deviam acompanhar os grandes cirurgiões .anatomistas.

Anatomia I . acompanhando os livros de Galeno. onde era feita a dissecação de forma efetiva em animais. instituiram-se os laboratórios. viu-se a necessidade de se criar faculdades de medicina veterinária.Prof. Pedro Savi Laboratórios • Com o passar dos anos.•Aula n° 01 . . e com isso. • A primeira escola de Anatomia a se destacar na Europa foi a Escola de Salerno.

.

•Aula n° 02 . para explicar as lesões visualizadas nas imagens a seguir. Pedro Savi Por que tantos nomes difíceis? • Todo mundo tem um nome pelo qual é chamado. por termos um curso superior. É uma questão de postura.Anatomia I . como diríamos? • Caso fujamos dos termos mais técnicos. .Prof. Isto serve para padronizarmos e facilitarmos a comunicação entre pessoas quando se referirem a um assunto. e até o funcionário da fazenda pode perder o crédito em nossa capacidade profissional. Os detalhes anatômicos também. por exemplo. tornaríamos vulgares.

IMAGEM 2: Tecido de granulação exuberante na região interdigital palmar do Membro Torácico Direito .IMAGEM 1: Lesão Lacerativa na região prepucial com presença de miíase e grande proliferação de tecido de granulação.

e atualizada a cada década.Prof.•Aula n° 02 . existe uma Nomina Anatômica. • Como padronização. ou seja. um detalhe anatômico ser chamado de “detalhe do fulano” em um lugar e em outro chamar de “estrutura do cicrano ainda jovem”. Pedro Savi Por que tantos nomes difíceis? • Para isso. .Anatomia I . Isso evita os chamados EPÔNIMOS. onde os nomes são padronizados por uma equipe internacional. os nomes são grafados em latim e seguem algumas normas técnicas.

6.A. 4.N. . 3.Femoral e N. V. Nomes similares – A.Femoral. 7. Cada estrutura anatômica deve ser designada por um único termo.REGRAS 1. superficial e profundo.V. Termo deve ser o mais curto possível.Femoral. 2. 5. Adjetivos diferenciais opostos – maior e menor. Estar em Latim – tradução. Fáceis de ser relembrados – valores instrutivos e descritivos. . Epônimos não podem ser usados.

Prof. • Evolução. • Raça.•Aula n° 02 . Pedro Savi O que pode influenciar na variação anatômica? • Idade.Anatomia I . • Meio ambiente. . • Linhagem. • Sexo. • Biótipo.

Prof. conforme a seguinte tabela: . podem ser abreviados. Pedro Savi Posso abreviar alguns nomes? • Sim.•Aula n° 02 .Anatomia I . Nomes que se repetem e explicam o tipo de estrutura em referência.

•Aula n° 02 . usamos considerar o animal em estação.Anatomia I . cabeça e olhar dirigidos para a frente. Pedro Savi Posição anatômica • Para toda a descrição. pescoço formando um ângulo de 145º com o dorso do animal.Prof. com os quatro membros apoiados ao solo. em pé. .

• Tronco – três regiões: torácica. pelvina. Pedro Savi Divisão do corpo dos animais: Dividido em cinco regiões fundamentais: • Cabeça.•Aula n° 02 .Prof. • Membros – em número de quatro: um par torácico e um par pelvino. abdominal. • Cauda. . • Pescoço.Anatomia I .

2. Pedro Savi Planos de Delimitação “SÃO PLANOS QUE TANGENCIAM A SUPERFÍCIE DO CORPO” • A.Prof.Anatomia I . um tangente ao ventre (plano ventral) • B.•Aula n° 02 .quatro planos verticais: 1. 4.dois planos horizontais: um tangente ao dorso (plano dorsal). 3. um tangente ao lado esquerdo – plano lateral esquerdo um tangente ao lado direito – plano lateral direito um tangente à cabeça – plano cranial um tangente à cauda – plano caudal .

•Aula n° 02 . Pedro Savi Planos de Delimitação .Anatomia I .Prof.

• Eixo laterolateral – estende-se •Aula n° 02 . do ponto de interseção das diagonais dos planos laterais entre si.Eixos São três grandes eixos formados por linhas imaginárias.Prof. Pedro Savi . • Eixo dorsoventral – estende- se do ponto de interseção das diagonais do plano dorsal ao ponto correspondente do plano ventral. • Eixo craniocaudal – estendese do ponto de interseção das diagonais do plano cranial ao ponto correspondente do plano caudal.Anatomia I .

Anatomia I . obtém-se o PLANO TRANSVERSAL. As duas metades resultantes são denominadas paquímeros. As duas metades resultantes são denominadas antímeros. . Pedro Savi Planos de construção (ou de secção) • Deslizando-se o eixo craniocaudal sobre o eixo dorsoventral. • Deslizando-se o eixo laterolateral sobre o eixo dorsoventral. obtém-se o PLANO SAGITAL MEDIANO.Prof. • Deslizando-se o eixo laterolateral sobre o eixo craniocaudal. obtém-se o PLANO FRONTAl. As duas metades resultantes são denominadas metâmeros.•Aula n° 02 .

Prof. metades que denominamos de metâmero cranial (metade anterior) e metâmero caudal (metade posterior). Pedro Savi Planos de construção (ou de secção) • O PLANO MEDIANO ou plano de antímeria divide o corpo em “metades” direita e esquerda simétricas. .•Aula n° 02 . Todo plano paralelo ao plano mediano é chamado de sagital. uma contendo os membros anteriores e outra os posteriores. • O PLANO DE PAQUÍMERIA ou FRONTAL divide o corpo em duas metades que chamamos de paquímeros. ou seja. • O PLANO DE METAMERIA (transversal). direito e esquerdo. os quais denominam de paquímero ventral e dorsal. divide o corpo em dois antímeros. secciona o corpo em duas partes.Anatomia I .

Pedro Savi .Prof.Anatomia I .•Aula n° 02 .

dedo mínimo em relação ao polegar (Humano) – Rádio em relação à Ulna (Equino).Termos de Posição: • Medial => a estrutura que se situa mais próxima ao plano mediano em relação a uma outra. • Lateral => a estrutura que se situa mais próxima ao plano lateral (direito ou esquerdo) em relação a uma outra. • Caudal ou Posterior => estrutura que se situa mais próxima ao plano caudal em relação a uma outra. latíssimo do dorso em relação ao m. • Ventral => estrutura que se situa mais próxima ao plano ventral em relação a uma outra. • Ex. • Cranial ou Anterior => estrutura que se situa mais próxima ao plano cranial em relação a uma outra • Ex. laringe em relação à traquéia. m. m. polegar em relação ao dedo mínimo (Humano) – Ulna em relação ao Rádio. . • Ex. • Ex. • Ex. • Dorsal => estrutura que se situa mais próxima ao plano dorsal em relação a uma outra. Vértebras Sacrais em relação as Vértebras Lombares. • Ex. reto do abdome em relação ao peritônio. eretor da espinha.

. Média: situada entre uma dorsal e outra ventral ou cranial e caudal.Termos de posição e direção • 1. 12. Medial: situada mais próxima ao plano mediano. • 5. 9. Lateral: situada mais próxima ao plano lateral. – M. Cranial: situada mais próxima ao plano cranial. Proximal e distal: membros. = Plantar 7.P. – Membros = Dorsal • 6. Mediana: situada no plano mediano. Superficial e profundo: camadas ou estratos. • 2. • 4. Caudal: situada mais próxima ao plano caudal. 8. 10. Intermédia: situada entre uma lateral e outra medial.T = Palmar e • • • • • • M. 11. Externa e interna: cavidades. Ventral: situada mais próxima ao plano ventral. • 3. Dorsal: situada mais próxima ao plano dorsal.

Pedro Savi .Prof.•Aula n° 02 .Anatomia I .

• Esqueleto: É um conjunto de ossos e tecido cartilaginoso unidos entre si para dar conformação ao corpo. proteção e sustentação de partes moles. “Parte da Anatomia que estuda o Esqueleto” . esbranquiçados. Possuem nervos e vasos sanguíneos. • Ossos: São órgãos rígidos. constituídos por tecido conjuntivo mineralizado que reunidos entre si participam na formação do esqueleto.OSTEOLOGIA VETERINÁRIA GERAL • ORIGEM DA PALAVRA: • – Etimólogo: Grego: osteon = osso + logus = estudo • Latim: Os = osso • – Anatômico: é a parte da anatomia que estuda os ossos e suas • • • • relações entre si.

•Aula n° 02 .Prof. . Pedro Savi Funções dos ossos: 1.Anatomia I . coração e pulmões. • Proteção Órgãos mais frágeis situados nas cavidades são protegidos por estruturas ósseas como por exemplo: medula neural.

Sustentação • Assim como os prédios.. para a boca ficar o mais próximo possível de brotos de árvores.Prof. os corpos dos animais também precisam de fortes bases estruturais de sustentação.. • Assim é com os animais.. . a cabeça..Anatomia I .•Aula n° 02 . como nas girafas. cada um tem um esqueleto diferente para adaptar-se ao meio e sustentar. Pedro Savi Funções dos ossos: 2.

Dar formato ao corpo • Se não fosse esse formato promovido pelo esqueleto..•Aula n° 02 .Prof. Pedro Savi Funções dos ossos: 3. suínos não teriam tanta mobilidade do focinho.devido ao osso rostral.. .Anatomia I .

Armazena minerais e íons • Durante a vida e manutenção da mesma. retornando depois conforme o filhote for sendo desmamado. os animais necessitam de mobilizar minerais.Anatomia I . que demanda Cálcio para ocorrer. expolia muito a fêmea quanto aos minerais cálcio e fósforo. que se encontram nos ossos. pois o leite é muito rico nestes. . • Uma lactação por exemplo. pois encontra-se circulante no sangue. • Outro fator é a contração muscular. Como o osso tem muito desses minerais.•Aula n° 02 . Pedro Savi Funções dos ossos: 4.Prof. a retirada é expressiva.

Anatomia I . Pedro Savi Funções dos ossos: 5. . sendo os músculos a parte ativa. Funciona como alavanca para a movimentação • Age como componente passivo de um movimento.Prof.•Aula n° 02 .

Produz células sanguíneas (hematopoiese) • As extremidades dos ossos mais longos produz sangue.•Aula n° 02 . Lá a osteoarquitetura é trabeculada.Anatomia I . onde células pluripotenciais (stem cells) se inserem e acabam povoando o osso para produzirem células sanguíneas. . Pedro Savi Funções dos ossos: 6.Prof.

não demora muito.•Aula n° 02 . Auto . e vão a uma festa com salto alto. • Mulheres por exemplo.remodelamento • Os ossos também têm a capacidade do autoremodelamento.Prof. Pedro Savi Funções dos ossos: 7. ao usarem por muito tempo salto baixo. .Anatomia I . para que seja possível a adaptação da postura ao meio que é exigido. começam a sentir dores nas pernas.

os ossos não se adaptaram ainda e não se remodelaram para uma melhor distribuição de peso.Funções dos ossos: • Esse é um sinal de que seu aprumo não está correto. •Aula n° 02 . por vícios de posição e postura. • Outro exemplo são os desvios de coluna.Anatomia I . causando a escoliose. O mesmo ocorre no inverso. Pedro Savi . ou seja.Prof. lordose ou cifose.

jpg . • esqueleto bovino. • Apendicular: representado pelos membros torácico e pélvico.•Aula n° 02 . • Visceral: representado por ossos situados em vísceras. Pedro Savi Divisão do esqueleto ósseo • Esqueleto axial: representado pela coluna vertebral.Prof. cabeça e tórax. fonte: http://www. como o osso do clitóris da cadela.Anatomia I . osso peniano do cão e osso cardíaco do bovino.net/~jmerino/m2/fitxers/esquelet.xtec.

Prof.•Aula n° 02 .Anatomia I . Pedro Savi Número de ossos: EQUINO = 189 OSSOS SUÍNO = 233 OSSOS HUMANO = 206 OSSOS BOVINO = 188 OSSOS CANINO = 215 OSSOS. .

• Há autores que desconsideram os ossos sesamóides como partes constituintes do esqueleto ósseo. • As vértebras lombares e caudais variam muito em algumas espécies. • Devido à fusão de certas junções. • Raça. Pedro Savi Número de ossos: • Varia conforme: • Idade.Prof.Anatomia I . assim como não contam os ossos do ouvido interno (martelo. . • Espécie. bigorna e estribo).•Aula n° 02 .

.

Pedro Savi INTRODUÇÃO • Ossos são órgãos esbranquiçados. que se unindo aos outros. .•Aula n° 02 . que se estendem a partir das lacunas e se unem aos canalículos das lacunas vizinhas. muito duros. por intermédio das junturas ou articulações constituem o Esqueleto.Prof. uma rede de canalículos e lacunas em toda a massa de tecido mineralizado. formando assim.Anatomia I . • No interior da matriz óssea existem espaços chamados lacunas que contêm células ósseas chamadas osteófitos. • Cada osteófito possui prolongamentos chamados canalículos.

• .Periósteo: tecido conjuntivo fibroso que reveste a superfície externa do osso.Endósteo: tecido conjuntivo delicado que reveste as cavidades do osso. (que são revestidas por cartilagem hialina). na qual os espaços só são visíveis ao microscópio. incluindo os espaços e cavidades medulares. que delimitam os espaços intercomunicantes ocupados pela medula óssea. exceto as superfícies articulares. • .Tecido Ósseo Compacto: É uma massa sólida.CONSTITUÇÃO BÁSICA DE UM OSSO • .Tecido Ósseo Esponjoso: formado por trabéculas ósseas. . onde predomina o cálcio em sua composição. • .

• Tem como função a formação de diversas células sangüíneas: • eritrócitos ( transporte de oxigênio). cujos fragmentos formam as plaquetas. • leucócitos ( glóbulos brancos.) . responsáveis pela defesa do organismo). que. consiste em células sangüíneas e suas precursoras. • Medula Óssea Vermelha: localiza-se nas epífises de certos ossos longos. Compreende dois tipos: • Medula Óssea Amarela: é encontrada na diáfise dos ossos longos.CONSTITUÇÃO BÁSICA DE UM OSSO • -Medula Óssea: Estrutura mole que preenche as pequenas cavidades de tecido esponjoso e que nos ossos longos está contida numa cavidade central chamada cavidade medular. são necessárias na coagulação sangüínea. é composta de tecido conjuntivo formado por células adiposas. ricamente vascularizada. • megacariócitos ( células com núcleo grande.

constituído de uma única camada de células osteoprogenitoras e . Pedro Savi Estrutura • Periósteo: camada externa de tecido conjuntivo denso fibroso que recobre o osso.•Aula n° 02 . osteoblastos • Funçao de nutrir o osso e servir de fonte de osteoblastos para crescimento do osso .Anatomia I .Prof. • Endósteo: tecido conjuntivo delgado.

•Aula n° 02 - Anatomia I - Prof. Pedro Savi

•Aula n° 02 - Anatomia I - Prof. Pedro Savi

Irrigação
• Através dos FORAMES NUTRÍCIOS.
• Canais de Volkman: vasos sangüíneos maiores.

• Canais de Havers: vasos sangüíneos menores.

• O tecido ósseo não apresenta vasos linfáticos, apenas o

tecido periósteo tem drenagem linfática.

A estrutura do Osso
Os osteócitos se localizam no interior de pequenas lacunas chamadas de osteoplastos. Estes se dispõem em círculos concêntricos ao redor de canais longitudinais e paralelos chamados canais de Havers. Esses canais se comunicam por meio de outros canais oblíquos chamados de canais de Volkamn. Através desses canais correm vasos sanguíneos que abastecem as células ósseas.

Tecido sanguíneo e hematopoiético
É um tecido líquido (sangue). Está associado ao tecido hematopoiético que é o formador de sangue, na medula óssea vermelha. Essa medula se aloja nos espaços existentes no tecido ósseo. Apresenta células de natureza embrionária, ainda bem pouco diferenciadas, capaz de formar diversos tipos celulares (hemácias, leucócitos, linfócitos).

A osteoporose
É um problema que aflige principalmente as mulheres na pós-menopausa, é causada pelo enfraquecimento dos ossos por falta de minerais essenciais aos mesmos, como o cálcio que confere rigidez e flexibilidade ao mesmo.
•Aula n° 02 - Anatomia I - Prof. Pedro Savi

•Aula n° 02 - Anatomia I - Prof. Pedro Savi

• Ossos planos: suprimento pelo periósteo e forame nutrício. epífises e endósteo. Pedro Savi Vascularização óssea • Ossos curtos: suprimento pelo periósteo. • Ossos longos: suprimento pelo forame nutrício.•Aula n° 02 . periósteo. .Prof.Anatomia I .

CÉLULAS: • Osteoblastos: atuam na síntese da matriz óssea • • . SUSTENTAÇÃO. PERIÓSTEO.Osteoclasto: atuam na reabsorção óssea .Prof. •Aula n° 02 .Anatomia I . .Osteócito: são as células do osso maduro. Pedro Savi • • MATRIZ ORGÂNICA E INORGÂNICA.TECIDO ÓSSEO CARACTERÍSTICAS: • • • ALTA RESISTÊNCIA. SAIS DE Ca. HEMATOPOIESE.

Anatomia I . Pedro Savi .•Aula n° 02 .Prof.

Pedro Savi Classificação • Ossos longos: Ossos que apresentam um comprimento sobressaindo sob as outras medidas. úmero. metatarsos e metacarpos. Exemplo: tíbia.•Aula n° 02 .Prof.Anatomia I . Exemplo: Fêmur . rádio. fêmur. apresenta também uma câmara medular. Forma geométrica similar a um paralelepípedo.

Anatomia I . constituindo a camada óssea esponjosa.•Aula n° 02 .Prof. É nessa camada esponjosa que há a formação de células sanguíneas. Unindo as epífises encontramos a diáfise. Entre a diáfise e as epífises. • A medula óssea vermelha apresenta as chamadas trabéculas ósseas. Pedro Savi Constituição básica de um osso longo • Os ossos longos apresentam duas extremidades chamadas epífises. formada por tecido cartilaginoso nos jovens. Essa região apresenta-se como uma linha denominada metáfise. . há uma região de crescimento ósseo.

.

Eqüino .Anatomia I . Pedro Savi Radio .•Aula n° 02 .Prof.

não sobressaindo nenhuma medida sobre as outras.Prof. falange média e proximal. Exemplo: carpos.Anatomia I . . tarsos. Forma geométrica similar a um cubo. largura e espessura mais ou menos homogêneos.•Aula n° 02 . não apresenta uma câmara medular. Pedro Savi Classificação • Ossos curtos: Ossos que apresentam o comprimento.

Anatomia I .Prof. Pedro Savi Ossos do carpo do esqueleto eqüino .•Aula n° 02 .

pelve.•Aula n° 02 . ossos planos do crânio. • Exemplo: Osso Parietal Exemplo: Escápula. Forma geométrica similar a uma tábua.Prof. pode apresentar uma parte totalmente maciça. . Pedro Savi Classificação • Ossos Laminares (planos) Ossos que apresentam um comprimento e uma largura sobressaindo sobre a espessura.Anatomia I . onde as camadas ósseas compactas se encontram. é laminar.

Anatomia I . Pedro Savi Classificação • Ossos Alongados: São ossos longos. porem achatados e não apresentam canal central • Exemplo: Costela .Prof.•Aula n° 02 .

não por um formato geométrico.•Aula n° 02 . Isso tem a função de dar leveza à cabeça ao mesmo tempo de proteção e aumentar a área de inserção dos músculos faciais.Anatomia I . pois estes ossos tem comunicação com o aparelho respiratório. mas sim por ser oco e apresentar câmaras de ar internamente. . Pedro Savi Classificação • Ossos Pneumáticos • Exemplo: Esfenóide Ossos que estão localizados na cabeça dos mamíferos e no corpo das aves.Prof. É caracterizado. Esse espaço preenchido por ar denomina-se seio paranasal.

Pedro Savi Classificação • Ossos Irregulares Ossos que não se encaixam em nenhuma descrição anterior. fáscias e músculos. falange distal • Exemplo: Vértebras .Anatomia I .•Aula n° 02 .Prof. Exemplo: ossos da coluna vertebral. com vários processos (pontas) para fixar ligamentos. Não possuem forma definida.

•Aula n° 02 . . Pedro Savi ELEMENTOS DESCRITIVOS: • Terminologias • Superfícies ósseas são de duas ordens: articulares e não-articulares.Anatomia I .Prof.

capítulo. 2. .1 – Articulares (encaixe para articular): cabeça. 2.2 – Meato: orifício que não é contínuo. 3. 1.2 – Não articulares (apoio de estruturas): fossa. Aberturas: 3. trocânter. impressão e sulco.1 – Forame: orifício de passagem.2 – Não articulares (fixação de músculos e ligamentos): tubérculo. tróclea e • • • • • • • • côndilos. espinha e linha. 3. Saliências: • 1. tuberosidade. Depressões: 2.1 – Articulares (encaixe): cavidades e fóveas.ELEMENTOS DESCRITIVOS: • 1.

Pedro Savi Terminologias Superfícies Articulares • Cabeça: Uma extremidade articular globosa. Ex. .: face articular do rádio. Ex.•Aula n° 02 . Ex. • Face: Uma superfície articular achatada ou pouco profunda.Anatomia I . • Côndilo: Uma projeção articular de grande porte.: côndilos femorais.Prof.: cabeça do úmero e do fêmur. de aspecto arredondado.

: espinha isquiática.: processo mastóideo do osso temporal.Anatomia I . • Processo: Refere-se a uma saliência óssea acentuada. • Linhas: As linhas são cristas pequenas e rasas. Ex. • Epicôndilo: É um processo proeminente acima do côndilo. Ex.Prof. .•Aula n° 02 . Ex. Ex.: epicôndilos do úmero. Pedro Savi Terminologias • Superfícies não-articulares • Crista: Eminência estreita e alongada. • Espinha: Uma projeção delgada e pontiaguda.: crista ilíaca do osso ilíaco.: linha áspera do fêmur. Ex.

•Aula n° 02 . Ex. Cavidades: Depressões. Tubérculo: Um pequeno processo de formato arredondado. Ex.: tuberosidade ulnar. daí a denominação de glenóide no primeiro caso e cotilóide no segundo. Ex.Anatomia I . para passagem de vasos e nervos.: trocanter maior e menor do fêmur.Prof.: tubérculo maior e menor do úmero. . Pedro Savi Terminologias • Trocanter: Um grande processo para inserção muscular. Forame: São cavidades de transmissão. ora profundas. aberturas Cavidades articulares: São ora rasas. Tuberosidade: Um grande processo de superfície áspera e rugosa. • • • • • Ex.: forame magno do osso occipital.

Ex. Pedro Savi Terminologias • Fossa: • • • • Refere-se a uma “vala” rasa. Sulco: Depressão alongada em forma de canaleta. acomodam um vaso ou um nervo.Prof. Ex. normalmente circular.: seio frontal do osso frontal.•Aula n° 02 .: meato acústico externo do osso temporal. Ex.: fóvea da cabeça do rádio.: sulco bicipital do úmero .: fossa mandibular do osso temporal. são cavidades onde deslizam os tendões. Meato ou canal: É uma passagem de forma tubular. Ex.Anatomia I . Ex. Fóvea: Uma pequena escavação formando uma cavidade. Seio: Cavidade ou espaço oco.

.

.

EXERCÍCIO PRÁTICO .

EXERCÍCIO PRÁTICO .

.

ETC. • ESQUELETO COMPLETO DE UM ANIMAL • QUALQUER ESPÉCIE. • TÓRAX – 3 OSSOS.EXERCÍCIO TEÓRICO/PRÁTICO • DESENHO EM PAPEL MANTEIGA. • ENTREGA DIA: 13/03/2013. • PESCOÇO – 3 OSSOS.T. • ABDOMEN – 3 OSSOS. • PRINCIPAIS OSSOS. • COLORIR 3 ESTRTURAS EM CADA REGIÃO DO CORPO. • CABEÇA – 3 OSSOS. • M. . – 3 OSSOS.