Está en la página 1de 14
CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO PÚBLICA 2º SEMESTRE ANDRESSA PEREIRA DOS SANTOS RA 6579297673 KEYLA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO PÚBLICA 2º SEMESTRE

ANDRESSA PEREIRA DOS SANTOS

RA 6579297673

KEYLA PAULA MOLLULO

RA 6788417714

DEYSE VASCONCELOS RODRIGUES

RA 6951481703

JOELMA DA SILVA NASCIMENTO

RA 6790414891

MATEMÁTICA

PROFESSOR EAD PROF.ª IVONETE MELO DE CARVALHO TUTOR PRESENCIAL PROF.ª ERICA BRITO TUTOR A DISTÂNCIA SAMUEL ARAUJO FRANCO

BRASÍLIA/DF

2013

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO

 

1

  • 1. FUNÇÃO DE PRIMEIRO GRAU

2

1.1 . EXERCICIO

 

3

  • 2. FUNÇÃO DE SEGUNDO GRAU

5

2.1.

EXERCICIO

 

5

3.

FUNÇOES ESPONENCIAIS

 

6

3.1.

EXERCICIO

 

7

  • 4. DEVRIVADAS

 

8

  • 5. CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

9

  • 6. REFERÊNCIAS

 

10

INTRODUÇÃO

Desde os tempos antigos, o homem buscou formas de representar a realidade. A função de primeiro grau foi uma dessas primeiras representações que fez com que o homem pudesse avançar até em construções de pirâmides na época do Egito. Esse trabalho desenvolve conceitos a respeito da função de primeiro e segundo grau e derivadas. Também apresenta exemplos práticos como resoluções de exercícios para mostrar que essas funções ajudam até hoje o homem a representar com maior exatidão a sua realidade.

  • 1. FUNÇÃO DE PRIMEIRO GRAU Consideremos x e y duas variáveis, sendo uma dependente da outra, isto é, para cada valor atribuído a x corresponde um valor para y. Definimos essa dependência como função, nesse caso, y está em função de x. O conjunto de valores conferidos a x deve ser chamado de domínio da função e os valores de y são a imagem da função. Toda função é definida por uma lei de formação, no caso de uma função do 1º grau a lei de formação será a seguinte: y = ax + b, onde a e b são números reais e a ≠ 0. Esse

tipo

de

função

deve

ser

dos

Reais

para

os

Reais.

A representação gráfica de uma função do 1º grau é uma reta. Analisando a lei de formação y = ax + b, notamos a dependência entre x e y, e identificamos dois números: a e b. Eles são os coeficientes da função, o valor de a indica se a função é crescente ou decrescente e o valor de b indica o ponto de intersecção da função com o eixo y no plano cartesiano.

1.1 .EXERCÍCIO

1)

Uma empresa do ramo agrícola tem o custo para a produção de q unidades de um

determinado insumo descrito por C(q) = 3q + 60. Com base nisso:

  • a) Determinar o custo quando são produzidas 0,5,10,15 e 20 unidades deste insumo.

  • b) Esboçar o gráfico da função.

  • c) Qual o significado do valor encontrado para C, quando q = 0?

  • d) A função é crescente ou decrescente? Justificar.

  • e) A função é limitada superiormente? Justificar.

RESPOSTAS:

  • A) Determinar o custo quando são produzidas 0,5,10,15 e 20 unidades deste insumo. C(0) = 3.0 + 60 = 0 + 60 = 60 C(5) = 3.5 + 60 = 15 + 60 = 75 C(10) = 3.10 + 60 = 30 + 60 = 90 C(15) = 3.15 + 60 = 45 + 60 = 105 C(20) = 3.20 + 60 = 120

    • b) Esboçar o gráfico da função.

105 120 90 75 60 20 25 10 15 0 5
105
120
90
75
60
20
25
10
15
0
5
  • c) Qual o significado do valor encontrado para C, quando q = 0?

Quando q=0 significa que mesmo não sendo produzido qualquer produto o custo é de 60 unidades monetárias. tal custo é chamado "custo fixo" da operação.

  • d) A função é crescente ou decrescente? Justificar.

A função é crescente, pois é do tipo função afim, na qual o coeficiente "a" sendo positivo torna a função crescente. Verifica-se esta tendência de crescimento no gráfico.

e) A função é limitada superiormente? Justificar. Matematicamente a função não é limitada superiormente, pois pode-se calcular o custo para qualquer valor de q, porém sabemos que em uma empresa existem limitações outras como estoque, limitações financeiras, de área para estocagem, demanda, etc., que limitam a função.

2. FUNÇÃO DE SEGUNDO GRAU

Uma função para ser do 2º grau precisa assumir algumas características, pois ela deve ser dos reais para os reais, definida pela fórmula f(x) = ax 2 + bx + c, sendo que a, b e c são números reais com a diferente de zero. Concluímos que a condição para que uma função seja do 2º grau é que o valor de a, da forma geral, não pode ser igual a zero. Então, podemos dizer que a definição de função do 2º grau é: f: R→ R definida por f(x) = ax 2 + bx + c, com a Є R* e b e c Є R. Numa função do segundo grau, os valores de b e c podem ser iguais a zero, quando isso ocorrer, a equação do segundo grau será considerada incompleta.

2.1EXERCÍCIO

1. O consumo de energia elétrica para uma residência no decorrer dos meses é dado por

E = t² -

2. FUNÇÃO DE SEGUNDO GRAU Uma função para ser do 2º grau precisa assumir algumas características,

-se t = 0 para

janeiro, t = 1 para fevereiro, e assim sucessivamente.

  • a) Determinar o(s) mês(es) em que o consumo foi de 195 kWh.

  • b) Determinar o consumo médio para o primeiro ano.

  • c) Com base nos dados obtidos no item anterior, esboçar o gráfico de E.

  • d) Qual foi o mês de maior consumo? De quanto foi esse consumo?

  • e) Qual foi o mês de menor consumo? De quanto foi esse consumo?

RESPOSTAS:

E(0)= 0²-8.0+210 = 210 KWh E(1)= 1²-8.1+210 = 203 KWh E(2)= 2²-8.2+210 = 198 KWh E(3)= 3²-8.3+210 = 195 KWh E(4)= 4²-8.4+210 = 194 KWh E(5)= 5²-8.5+210 = 195 KWh E(6)= 6²-8.6+210 = 198 KWh E(7)= 7²-8.7+210 = 203 KWh E(8)= 8²-8.8+210 = 210 KWh E(9)= 9²-8.9+210 = 219 KWh E(10)= 10²-8.10+210 = 230 KWh E(11)= 11²-8.11+210 = 243 KWh

a)

Consumo de 195 KWh - Abril e Junho

b)

Média (KWh) = (210+203+198+195+194+195+198+203+210+219+230+243)/12 = 208,17

c)

a) Consumo de 195 KWh - Abril e Junho b) Média (KWh) = (210+203+198+195+194+195+198+203+210+219+230+243)/12 = 208,17

d)

Maior Consumo - 243 KWh (Dez)

e)

Menor Consumo - 194 KWh (Maio)

3. FUNÇÕES EXPONENCIAIS.

Toda relação de dependência, em que uma incógnita depende do valor da outra, é denominada função. A função denominada como exponencial possui essa relação de dependência e sua principal característica é que a parte variável representada por x se encontra no expoente. Observe:

y = 2 x y = 3 y = 0,5 x y = 4 x

x + 4

A lei de formação de uma função exponencial indica que a base elevada ao expoente x precisa ser maior que zero e diferente de um, conforme a seguinte notação:

f: R→R tal que y = a x , sendo que a > 0 e a ≠ 1.

Uma função pode ser representada através de um gráfico, e no caso da exponencial, temos duas situações: a > 0 e 0 < a < 1. Observe como os gráficos são constituídos respeitando as condições propostas:

3. FUNÇÕES EXPONENCIAIS. Toda relação de dependência, em que uma incógnita depende do valor da outra,

Uma função exponencial é utilizada na representação de situações em que a taxa de variação é considerada grande, por exemplo, em rendimentos financeiros capitalizados por juros compostos, no decaimento radioativo de substâncias químicas, desenvolvimento de bactérias e micro-organismos, crescimento populacional entre outras situações. As funções exponenciais devem ser resolvidas utilizando, se necessário, as regras envolvendo potenciação.

3.1.EXERCÍCIO

1) Sabe-se que o comportamento da quantidade de um determinado insumo,

quando ministrado a uma muda, no instante t, é representado pela função Q(t) = 250* (0,6)elevado a t , onde Q representa a quantidade (em mg) e t o tempo (em dias). Então, encontrar:

  • a) A quantidade inicial administrada.

  • b) A taxa de decaimento diária.

  • c) A quantidade de insumo presente 3 dias após a aplicação.

  • d) O tempo necessário para que seja completamente eliminado.

RESPOSTAS

A)A quantidade inicial seria quando o tempo for 0 Q (t)=250.(0,6)^0 (o marco zero, o tempo inicial) que no caso é 250 mg.

  • B) a taxa de decaimento diária é 0,6 que é 60% por dia.

  • C) seria 250*(0,6)³ que é 250*0,216 que é 54 mg.

D)Ele nunca vai ser totalmente eliminado pois como função exponencial o X nunca vai ser 0 (no caso o Q(t) vai ser sempre Q. Qualquer coisa elevado a zero diferente e zero é um!

4.DERIVADAS

A derivada de uma função y = f(x) num ponto x = x0, é igual ao valor da tangente

trigonométrica do ângulo formado pela tangente geométrica à curva representativa de y = f(x), no ponto x =x0, ou seja, a derivada é o coeficiente angular da reta tangente ao gráfico da função no ponto x0.

A derivada de uma função y = f(x), pode ser representada também pelos símbolos:

y’, dy/dx

ou f ' (x).

A derivada de uma função f(x) no ponto x 0 é dada por:

4.DERIVADAS A derivada de uma função y = f(x) num ponto x = x0, é igual

ALGUMAS DERIVADAS BASICAS

Nas fórmulas abaixo, u e v são funções da variável x. a, b, c e n são constantes.

Derivada de uma constante

4.DERIVADAS A derivada de uma função y = f(x) num ponto x = x0, é igual

Derivada da potência

4.DERIVADAS A derivada de uma função y = f(x) num ponto x = x0, é igual

Portanto:

4.DERIVADAS A derivada de uma função y = f(x) num ponto x = x0, é igual

Soma / Subtração

4.DERIVADAS A derivada de uma função y = f(x) num ponto x = x0, é igual

Produto por uma constante

Derivada do produto Derivada da divisão Potência de uma função Derivada de uma função composta

Derivada do produto

Derivada do produto Derivada da divisão Potência de uma função Derivada de uma função composta

Derivada da divisão

Derivada do produto Derivada da divisão Potência de uma função Derivada de uma função composta

Potência de uma função

Derivada do produto Derivada da divisão Potência de uma função Derivada de uma função composta

Derivada de uma função composta

Derivada do produto Derivada da divisão Potência de uma função Derivada de uma função composta

CONSIDERAÇOES FINAIS

Após o desenvolvimento deste trabalho podemos entender que os complexos são uma das tantas abstrações matemáticas que facilitam o cálculo e a resolução de muitos problemas. Em vários campos científicos e técnicos, utilizados durante o desenrolar de um problema e quando se querem extrair dados concretos para aplicar na realidade, quando se transpõe o resultado em número complexo para o resultado em número real, que é o que podemos medir.

BIBLIOGRAFIA

MUROLO, Afrânio. BONETTO, Giácomo. Matemática aplicada à administração, economia e contabilidade. Ed. Especial. São Paulo: Cengage Learning, 2011.

NOÉ, Marcos.

Função

de

segundo

grau.

Disponível

em:

NOÉ,

Marcos.

Juros

compostos

e

funções

exponenciais.

Disponível

em:

Exponenciais%20.htm. Acessado em 11 outubro 2011, 11:03.

OLIVEIRA, Gabriel Alessandro de. Função de primeiro grau. Disponível em: